Você está na página 1de 18

Segunda-feira, 1 de Julho de 2019 I SÉRIE —

­ Número 125

BOLETIM DA REPÚBLICA
   PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE, E. P. h) ....................................;


i) ....................................;
j) ....................................;
AVISO k) ....................................;
A matéria a publicar no «Boletim da República» deve ser l) ....................................;
remetida em cópia devidamente autenticada, uma por cada m) .....................................
assunto, donde conste, além das indicações necessárias para
esse efeito, o averbamento seguinte, assinado e autenticado:
2. Revogado.
Para publicação no «Boletim da República». ARTIGO 9
(Estrutura)

1. ……………………………………
SUMÁRIO
a) ……………………………….;
b) Revogado;
Conselho de Ministros:
c) ……………………………….;
Decreto n.º 58/2019: d) ……………………………….;
Altera e república o Estatuto Orgânico da Polícia da República e) ……………………………….;
de Moçambique, aprovado pelo Decreto n.º 85/2014, de 31 f) ……………………………….;
de Dezembro. g) ……………………………….;
h) ……………………………….;
i) ……………………………….;
j) ……………………………….;
CONSELHO DE MINISTROS k) Departamento de Estudos e Planificação;
l) ……………………………….;
Decreto n.º 58/2019 m) ……………………………….;
n) ……………………………….;
de 1 de Julho o) ……………………………….;
Havendo necessidade de rever o Estatuto Orgânico da Polícia p) ……………………………….;
da República de Moçambique, aprovado pelo Decreto n.º 85/2014, q) ……………………………….;
de 31 de Dezembro, ao abrigo do Disposto no artigo 53 da Lei 2. …………………………………….:
n.º 16/2013, de 12 de Agosto, o Conselho de Ministros decreta: a) ……………………………….;
b) ……………………………….;
ARTIGO 1 c) ……………………………….;
(Alterações) d) ……………………………….;
e) ……………………………….;
São alterados os artigos 5, 9, 10, 40, 42, 43, 45, 46, 47 e 48 f) ……………………………….;
do Estatuto Orgânico da Polícia da República de Moçambique, g) ………………………………..
que passam a ter a seguinte redacção:
ARTIGO 10
“ARTIGO 5
(Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Pública)
(Competências do Comandante-Geral da PRM)
1. ............................................
1. Compete ao Comandante-Geral: a) ......................................;
a) ................................; b) ......................................;
b) ................................; c) ......................................;
c) ................................; d) ......................................;
d) Transferir, exonerar, demitir, expulsar ou reintegrar e) ......................................;
os membros da PRM até a classe de Inspectores f) ......................................;
da Polícia; g) ......................................;
e) .................................; h) ......................................;
f) .................................; i) ......................................;
g) ....................................; j) ......................................;
2474 I SÉRIE — NÚMERO 125

k) ......................................; 3. Os Directores e os Comandantes de Regimentos são


l) ......................................; nomeados pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta
m) ......................................; do Comandante Provincial da PRM, ouvido os Comandantes
n) ......................................;
dos respectivos Ramos, seleccionados de entre os oficiais da
o) ......................................;
p) ......................................; PRM com a patente de Superintendente Principal da Polícia.
2. ............................................: 4. Os Comandantes de Destacamento de Operações
a) ………………………….; Especiais e de Reserva são nomeados pelo Comandante-
b) ......................................; -Geral da PRM, sob proposta dos Comandantes das
c) ......................................; respectivas Unidades, seleccionados de entre os oficiais da
d) ......................................; PRM com a patente de Superintendente da Polícia.
e) ......................................;
5. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo
f) ......................................;
g) ....................................... Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante
3. O Departamento de Operações tem as seguintes Provincial, de entre oficiais da PRM com a patente de
funções: Superintendente da Polícia.
a) Propor e executar o plano de medidas de garantia 6. O Chefe de Gabinete do Comandante Provincial é
da ordem, segurança e tranquilidade públicas; nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta
b) Analisar a eficiência das acções operativas, bem do Comandante Provincial, de entre oficiais da PRM com a
como obter conclusões e elaborar propostas para patente de Adjunto de Superintendente da Polícia.
o reforço das medidas operacionais; 7. Os Departamentos organizam-se em repartições e
c) Garantir a troca de informações operativas no âmbito secções, dirigidas por Chefes de Repartição e Secção,
da garantia da ordem, segurança e tranquilidade
públicas. nomeados pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta
do Comandante Provincial, de entre oficiais da PRM com a
4. Redacção anterior do n.º 3.
patente de Adjunto de Superintendente e Inspector Principal
a) ......................................;
da Polícia, respectivamente.
b) ......................................;
c) ......................................; ARTIGO 42
d) ......................................;
e) ......................................; (Conselho Provincial da PRM)
f) ......................................;
1. ………………………...
5. Redacção anterior do n.º 4.
a) ......................................; 2. ………………………...:
b) ....................................... a) ………………………;
6. Redacção anterior do n.º 5. b) ………………………;
a) ......................................; c) Revogado;
b) …………………………..
d) ………………………;
7. Redacção anterior do n.º 6. e) ………………………;
a) .......................................;
b) ....................................... f) ………………………;
g) ………………………;
8. Redacção anterior do n.º 7.
9. Redacção anterior do n.º 8. h) ………………………;
10. Redacção anterior do n.º 9. i) ………………………;
11. Redacção anterior do n.º 10. j) Chefe de Departamento de Estudos e Planificação;
k) ………………………;
ARTIGO 40
l) ………………………;
(Estrutura) m) ………………………;
1. O Comando Provincial tem a seguinte estrutura: n) ………………………;
a) ………………………..; o) ………………………;
b) Revogado; p) ………………………;
c) ………………………..; q) ………………………;
d) ………………………..; r) ……………………….
e) ………………………..;
f) ………………………..; 3. …………………………..
g) ………………………..; 4. …………………………..:
h) ………………………..; a) ……………………….;
i) Departamento de Estudos e Planificação;
b) ……………………….;
j) ………………………..;
k) ………………………..; c) ……………………….;
l) ………………………..; d) ……………………….;
m) ………………………..; e) ……………………….;
n) ………………………..; f) ……………………….;
o) ………………………... g) ……………………….;
2. ………………………......... h) ………………………..
1 DE JULHO DE 2019 2475

ARTIGO 43 ARTIGO 48
(Colectivo de Direcção do Comando Provincial da PRM) (Definição)

1. ………………………….. 1. O Sector Policial é um desdobramento operativo que


2. ………………………….: funciona junto das comunidades e povoações, podendo
compreender Sector Maior e Sector Menor.
a) ……………………..;
2. O Sector Maior é dirigido por um Chefe de Sector
b) ……………………..;
Maior, com a patente de Inspector da Polícia, nomeado pelo
c) Revogado;
Comandante-Geral, sob proposta do Comandante Provincial
d) ……………………..; da PRM.
e) ……………………..; 3. O Sector Menor é dirigido por um Chefe de Sector
f) ……………………..; Menor, com a patente de Subinspector da Polícia, nomeado
g) ……………………..; pelo Comandante-Geral, sob proposta do Comandante
h) ……………………..; Provincial da PRM.”
i) ……………………..;
j) Chefe de Departamento de Estudos e Planificação; ARTIGO 2
k) ……………………..;
(Revogação)
l) ……………………..;
m) ……………………..; São revogados o n.º 2 do artigo 5, alínea b) do n.º 1 do arti-
n) ……………………..; go 9, artigo 11, alínea b) do n.º 1 do artigo 40, alínea c) do n.º 2
o) ……………………… do artigo 42 e alínea c) do n.º 2 do artigo 43.
3. …………………………. ARTIGO 3
ARTIGO 45 (Republicação)

(Definição e Comando) É republicado, em anexo, o Estatuto Orgânico da Polícia


da República de Moçambique, na redacção actual, que é parte
1. O Comando Distrital da PRM é um órgão de integrante do presente Decreto.
implantação territorial que funciona na directa dependência
do Comando Provincial e tem a sua sede na sede do ARTIGO 4
respectivo Distrito. (Entrada em vigor)
2. O Comando Distrital da PRM é dirigido por um
Comandante, nomeado pelo Comandante-Geral da O presente Decreto entra em vigor na data da sua publicação.
PRM, sob proposta do Comandante Provincial da PRM, Aprovado pelo Conselho de Ministros, aos 30 de Abril
seleccionado de entre os oficiais da Polícia com a patente de 2019.
de Superintendente da Polícia. Publique-se.
3. O Comandante Distrital da PRM é substituído nas suas O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário.
ausências e impedimentos pelo Chefe de Operações, com a
patente de Adjunto de Superintendente da Polícia.
4. O Comando Distrital da PRM organiza-se em Secções.

ARTIGO 46 Estatuto Orgânico da Polícia da República


(Definição e Comando) de Moçambique
1. ……………………………. CAPÍTULO I
2. A Esquadra é dirigida por um Comandante, nomeado
pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Disposições Gerais
Comandante Provincial da PRM, de entre os oficiais com a ARTIGO 1
patente de Adjunto de Superintendente da Polícia. (Natureza)
3. O Comandante de Esquadra é substituído nas suas
ausências e impedimentos pelo Chefe de Operações, com a 1. A Polícia da República de Moçambique, abreviadamente
patente de Inspector Principal da Polícia. designada por PRM, é um serviço público, apartidário, de natureza
4. A Esquadra organiza-se em Secções. paramilitar, integrado no Ministério que superintende a área da
ordem e segurança pública.
ARTIGO 47 2. A existência da PRM não exclui a criação de outros
organismos especializados integrados noutras instituições
(Definição e Comando) públicas.
1. …………………………... ARTIGO 2
2. …………………………... (Competências)
3. O Posto Policial é dirigido por um Chefe de Posto,
nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta 1. No quadro da Política de Defesa e Segurança, a PRM tem
do Comandante Provincial da PRM, seleccionado de entre como competências gerais:
os Oficiais da Polícia com a patente de Inspector Principal a) Assegurar o respeito pela legalidade, garantindo a ordem,
da Polícia. segurança e tranquilidade públicas;
2476 I SÉRIE — NÚMERO 125

b) Proteger pessoas e bens; c) Nomear, promover e determinar a passagem à reserva


c) Adoptar as providências adequadas à prevenção e reforma dos membros da PRM até a classe
e repressão da criminalidade e dos demais actos de Inspectores da Polícia;
contrários à lei e aos regulamentos, sem prejuízo das d) Transferir, exonerar, demitir, expulsar ou reintegrar
competências específicas atribuídas por lei a outros
os membros da PRM até a classe de Inspectores
organismos;
da Polícia;
d) Garantir o funcionamento normal das instituições
e o regular exercício dos direitos, garantias e liberdades e) Nomear, exonerar, demitir e transferir os membros
fundamentais dos cidadãos; da PRM para os cargos de comando, direcção e chefia
e) Garantir a protecção, a ordem e a segurança a nível distrital ou inferior;
das instituições públicas e dos objectos económicos f) Nomear membros da PRM para funções de nível de Chefe
estratégicos e sociais; de Departamento Central ou inferior;
f) Garantir a protecção e segurança costeira, lacustre g) Assegurar a educação cívica e patriótica dos membros
e fluvial; da PRM;
g) Garantir a segurança e a protecção da fronteira estatal;
h) Garantir a protecção de florestas, fauna e meio ambiente. h) Inspeccionar ou mandar inspeccionar os órgãos e serviços
da PRM em todos os aspectos da sua actividade;
2. Constituem competências específicas da PRM:
i) Dirigir a participação da PRM na realização
a) Garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas;
de compromissos decorrentes de acordos internacionais
b) Prevenir e reprimir a criminalidade;
c) Promover as medidas de polícia; e das relações de cooperação policial com outros países;
d) Garantir a segurança pessoal dos membros dos órgãos j) Orientar e supervisionar a actividade dos estabelecimentos
centrais do Estado; de ensino da PRM;
e) Garantir a segurança pessoal de altas entidades nacionais k) Orientar e supervisionar a actividade de inteligência
ou estrangeiras e de outros cidadãos quando sujeitos e contra inteligência policial;
a situação de ameaça relevante; l) Exercer o poder disciplinar nos termos do regulamento
f) Organizar, fiscalizar e controlar o trânsito de veículos
disciplinar e demais legislação aplicável;
e de pessoas nas vias públicas;
g) Organizar o cadastro e proceder à fiscalização de armas, m) Exercer outras competências que forem superiormente
munições, substâncias explosivas, radioactivas atribuídas.
e demais materiais a elas conexos, com excepção das
que estiverem afectas às Forças Armadas de Defesa ARTIGO 6
de Moçambique; (Delegação de competências)
h) Organizar a participação das comunidades na manutenção
da ordem e tranquilidade públicas no respectivo O Comandante-Geral pode delegar parte das suas competências
território; ao Vice-Comandante-Geral, excepto as referidas nas alíneas b),
i) Exercer as demais competências fixadas na lei, c), d), e) e f) do n.º 1 do artigo 5 do presente Estatuto.
regulamentos ou directivas hierarquicamente
superiores. ARTIGO 7
ARTIGO 3 (Níveis de organização)
(Funções)
1. A PRM organiza-se nos níveis central, provincial, distrital,
A PRM, em colaboração com outras instituições do Estado de posto administrativo, de localidade e povoação.
e da sociedade em geral, tem como função garantir a observância 2. A nível central, a PRM organiza-se em Comando-Geral
da lei e ordem, a salvaguarda da segurança de pessoas e bens, e ao nível local em comandos provinciais e distritais.
a tranquilidade pública, a inviolabilidade da fronteira estatal,
o respeito pelo Estado de Direito Democrático e dos direitos 3. Nos postos administrativos, localidades e povoações a PRM
e liberdades fundamentais dos cidadãos. organiza-se em postos policiais.
4. Nas cidades e vilas, a PRM organiza-se em esquadras, postos
ARTIGO 4 policiais e sectores policiais.
(Direcção e nomeação) 5. A PRM está organizada hierarquicamente em todos
1. A PRM é dirigida por um Comandante-Geral com a patente os níveis da sua estrutura, com respeito pela diferenciação entre
de Inspector-Geral. funções policiais e funções não policiais, obedecendo, quanto
2. O Comandante-Geral é coadjuvado por um Vice- às primeiras, a hierarquia de comando, quanto às segundas,
Comandante-Geral, com a patente de Comissário da Polícia, que as regras de hierarquia da administração pública.
o substitui nas suas ausências e impedimentos. 6. A organização da PRM obedece ao princípio
3. O Comandante-Geral e o Vice-Comandante-Geral de desconcentração, visando o descongestionamento do escalão
da PRM são nomeados, demitidos e exonerados pelo Presidente
da República. central e uma maior aproximação dos serviços de segurança
às populações.
ARTIGO 5
7. A desconcentração referida no número anterior ocorre com
(Competências do Comandante-Geral da PRM) respeito à unidade de acção e aos poderes de comando, direcção
Compete ao Comandante-Geral: e supervisão dos níveis hierarquicamente superiores.
a) Dirigir a PRM; 8. Na PRM funcionam estabelecimentos de ensino básico,
b) Convocar e presidir os órgãos da PRM; médio, superior e especializado.
1 DE JULHO DE 2019 2477

CAPÍTULO II d) Garantir a protecção das missões diplomáticas


e consulares, bem como outros locais similares
Sistema Orgânico
ao abrigo do disposto em convenções internacionais;
SECÇÃO I
e) Organizar a participação das comunidades na manutenção
Comando-Geral da ordem e tranquilidade públicas no respectivo
ARTIGO 8 território;
f) Garantir a protecção de recursos naturais e meio ambiente;
(Funções) g) Garantir a segurança e policiamento das áreas turísticas,
1. O Comando-Geral é o órgão da PRM com funções laser e de concentração populacional;
operativas, administrativas e técnicas de âmbito nacional. h) Organizar o cadastro e controlo do cumprimento
2. São funções específicas do Comando-Geral: das disposições legais referentes ao uso, porte,
a) Comandar, dirigir e chefiar a PRM; transporte e armazenamento de armas de fogo,
b) Analisar o estado de segurança e ordem públicas do País; munições, explosivos, substâncias químicas, tóxicas,
c) Realizar estudos, planear, conceber, dirigir e controlar radioactivas e outras que representem perigo público;
o emprego das forças e meios policiais; i) Garantir a observância e cumprimento das disposições
d) Perspectivar o desenvolvimento da PRM; legais que regem a realização de reuniões, manifestações
e) Garantir a ordem e disciplina na PRM; e de espectáculos públicos;
f) Garantir a coordenação com outras instituições. j) Garantir a segurança e protecção das terminais
rodoviárias, portuárias, ferroviárias, aeroportuárias,
ARTIGO 9 gares, vias de comunicação, comboios de mercadorias
(Estrutura) e de passageiros, embarcações e aeronaves;
k) Garantir a fiscalização e controlo do funcionamento
1. O Comando-Geral tem a seguinte estrutura: das empresas de segurança privada e dos respectivos
a) Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Pública; estabelecimentos de formação;
b) Ramo da Polícia de Fronteiras; l) Apoiar as autoridades judiciais, Ministério Público
c) Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial; e Investigação Criminal na realização de diligências
d) Direcção de Inspecção da PRM; processuais;
e) Direcção de Doutrina e Ética Policial; m) Garantir o cumprimento das leis e regulamentos
f) Direcção de Operações; relativos ao trânsito de veículos e pessoas, bem como
g) Direcção de Informação Interna; a regulação de trânsito e prevenção dos acidentes
h) Direcção de Pessoal e Formação; do trânsito rodoviário;
i) Direcção de Logística e Finanças; n) Desenvolver campanhas para a segurança rodoviária
j) Departamento de Estudos e Planificação; recorrendo, nomeadamente, à mobilização popular
k) Departamento de Atendimento à Família e Menores e educação dos cidadãos na observância das regras de
Vítimas da Violência; trânsito, coordenando, para tal, com outras instituições;
l) Departamento de Tecnologias e Sistemas de Informação
o) Garantir a inspecção operacional dos órgãos sob sua
e Comunicação;
dependência;
m) Departamento de Relações Públicas;
n) Departamento de Cooperação Internacional; p) Exercer as demais competências fixadas na lei
o) Departamento Jurídico; e regulamentos ou em directivas do Comandante-
p) Gabinete do Comandante-Geral. Chefe das Forças de Defesa e Segurança, do Ministro
que superintende a área da ordem e segurança pública
2. O Comando-Geral integra ainda:
e do Comandante-Geral da PRM.
a) Unidade de Intervenção Rápida;
b) Unidade de Protecção de Altas Individualidades; 2. O Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Pública
c) Unidade de Operações de Combate ao Terrorismo compreende:
e Resgate de Reféns; a) Departamento de Operações;
d) Unidade Canina; b) Departamento da Polícia de Protecção;
e) Unidade de Cavalaria; c) Departamento da Polícia de Trânsito;
f) Unidade de Desactivação de Engenhos Explosivos; d) Departamento da Polícia de Transportes e Comunicações;
g) Estabelecimentos de Ensino. e) Departamento da Polícia de Protecção dos Recursos
Naturais e Meio Ambiente;
ARTIGO 10
f) Departamento de Doutrina e Ética Policial;
(Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Públicas) g) Departamento de Policiamento Comunitário.
1. O Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Pública tem 3. O Departamento de Operações tem as seguintes funções:
as seguintes funções:
a) Propor e executar o plano de medidas de garantia
a) Prevenir a prática de crimes, contravenções e outros da ordem, segurança e tranquilidade públicas;
actos contrários à lei, bem como o desenvolvimento b) Analisar a eficiência das acções operativas, bem como
de acções de garantia da ordem, segurança
obter conclusões e elaborar propostas para o reforço
e tranquilidade públicas;
b) Garantir a protecção de pessoas e bens; das medidas operacionais;
c) Proteger as instituições públicas e os objectos económicos c) Garantir a troca de informações operativas, no âmbito da
e estratégicos; garantia da ordem, segurança e tranquilidade públicas.
2478 I SÉRIE — NÚMERO 125

4. O Departamento da Polícia de Protecção tem as seguintes ARTIGO 11


funções: (Ramo da Polícia de Fronteiras)
a) Desenvolver acções de prevenção da prática de crimes,
contravenções e outros actos contrários à lei, bem 1. O Ramo da Polícia de Fronteiras tem as seguintes funções:
como o desenvolvimento de acções de garantia a) Garantir a ordem, segurança, tranquilidade públicas
da ordem, segurança e tranquilidade públicas; e a inviolabilidade da fronteira estatal;
b) Organizar o cadastro e controlo do cumprimento das b) Actuar na primeira linha de protecção da fronteira estatal
disposições legais referentes ao uso, porte, transporte em coordenação com as demais Forças de Defesa
e armazenamento de armas de fogo, munições, e Segurança;
explosivos, substâncias químicas, tóxicas, radioactivas c) Impedir qualquer tentativa de viciação de demarcação
e outras que representem perigo público; da linha de fronteira estatal;
c) Realizar acções de fiscalização e controlo d) Combater a imigração ilegal, o contrabando, o tráfico
do funcionamento das empresas de segurança privada de pessoas e de órgãos humanos, o tráfico de drogas
e dos respectivos estabelecimentos de formação; e de mercadorias diversas ao longo da fronteira estatal;
d) Contribuir para a garantia da protecção de pessoas e bens; e) Garantir as medidas necessárias à vigilância das
e) Executar as acções de protecção das instituições públicas fronteiras, bem como o controlo do movimento de
e os objectos económicos e estratégicos; pessoas e bens;
f) Executar as acções de protecção das representações f) Garantir a existência da linha de fronteira e manutenção
Diplomáticas, Consulares e outros locais similares de marcos e sinais fronteiriços;
ao abrigo do disposto em convenções internacionais. g) Garantir o cumprimento dos acordos e tratados
5. O Departamento da Polícia de Trânsito tem as seguintes internacionais, regionais, das leis e regulamentos em
funções: matéria de segurança fronteiriça;
h) Proteger os objectos de importância económica, social
a) Garantir o cumprimento das leis e regulamentos e cultural nas zonas fronteiriças;
relativos ao trânsito de veículos e pessoas, bem como i) Realizar todas as actividades de vigilância e detenção
a regulação de trânsito e prevenção dos acidentes de violadores de fronteiras e imigrantes ilegais no País;
do trânsito rodoviário; j) Manter uma ligação estreita de cooperação e coordenação
b) Desenvolver programas de segurança rodoviária com outras entidades;
recorrendo, nomeadamente, à mobilização e educação k) Cooperar com as forças dos países limítrofes na protecção
dos cidadãos na observância das regras de trânsito, e manutenção da linha da fronteira estatal;
coordenando, para tal, com outras instituições. l) Realizar as demais actividades nos termos da lei.
6. O Departamento da Polícia de Transportes e Comunicações 2. O Ramo da Polícia de Fronteiras compreende:
tem as seguintes funções: a) Departamento de Operações;
a) Garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas b) Departamento de Reconhecimento e Inteligência;
nos recintos ferro-portuários, aeroportuários, gares c) Departamento de Doutrina e Ética Policial;
e terminais rodoviários, correios e telecomunicações; d) Departamento de Gestão de Pessoal;
b) Garantir o cumprimento das leis e regulamentos relativos e) Departamento de Logística e Finanças.
à protecção de aeronaves, locomotivas e tráfego interno 3. O Departamento de Operações tem as seguintes funções:
e internacional de mercadorias. a) Propor e executar o plano de medidas de protecção
7. O Departamento da Polícia de Protecção dos Recursos das fronteirais estatais;
Naturais e Meio Ambiente tem as seguintes funções: b) Analisar a eficiência das acções operativas, bem como
a) Garantir a protecção de recursos naturais e meio obter conclusões e elaborar propostas para o reforço
ambiente; das medidas operacionais;
b) Garantir a aplicação das leis relativas à protecção c) Garantir a troca de informações operativas com outras
dos recursos naturais e meio ambiente. Forças de Defesa e Segurança com vista à protecção
das fronteiras estatais.
8. O Departamento de Doutrina e Ética Policial tem como
função garantir a execução da doutrina e ética policial no Ramo 4. O Departamento de Reconhecimento e Inteligência tem as
da Polícia de Ordem e Segurança Públicas. seguintes funções:
9. O Departamento de Policiamento Comunitário tem como a) Propor e executar medidas de reconhecimento
função organizar a participação das comunidades na manutenção e inteligência nas áreas da sua jurisdição;
da ordem e tranquilidade públicas no respectivo território. b) Realizar estudos sobre a delinquência nas zonas interditas
10. O Ramo da Polícia de Ordem e Segurança Pública da fronteira;
é dirigido por um Comandante e coadjuvado por um Adjunto c) Prevenir e combater a imigração ilegal.
do Comandante, ambos nomeados pelo Ministro que superintende 5. O Departamento de Doutrina e Ética Policial tem como
a área da ordem e segurança públicas sob proposta do função garantir a execução da doutrina e ética policial no Ramo
Comandante-Geral, seleccionados de entre os oficiais da PRM da Polícia de Fronteira.
com as patentes de Primeiro Adjunto e Adjunto de Comissário 6. O Departamento de Gestão de Pessoal tem como função
da Polícia, respectivamente. garantir a gestão de pessoal afecto ao Ramo da Polícia
11. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo de Fronteira.
Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante 7. O Departamento de Logística e Finanças tem como função
de Ramo, seleccionados de entre os oficiais da Polícia com garantir a gestão de recursos materiais e financeiros afectos
a patente de Superintendente Principal da Polícia. ao Ramo da Polícia de Fronteira.
1 DE JULHO DE 2019 2479

8. O Ramo da Polícia de Fronteiras é dirigido por um 7. O Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial é dirigido
Comandante de Ramo e coadjuvado por um Adjunto por um Comandante de Ramo e coadjuvado por um Adjunto
do Comandante, ambos nomeados pelo Ministro que do Comandante, nomeados pelo Ministro que superintende a área
superintende a área da ordem e segurança públicas, sob proposta da ordem e segurança públicas, sob proposta do Comandante-
do Comandante-Geral, seleccionados de entre os oficiais da PRM Geral e seleccionados de entre os oficiais da PRM com as patentes
com as patentes de Primeiro Adjunto e Adjunto do Comissário de Primeiro-Adjunto do Comissário e Adjunto do Comissário da
Polícia, respectivamente.
da Polícia, respectivamente.
8. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
9. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
Geral, sob proposta do Comandante de Ramo, seleccionados
-Geral, sob proposta do Comandante de Ramo, seleccionados de entre os oficiais da Polícia com a patente de Superintendente
de entre os oficiais da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Policia.
Principal da Polícia.
ARTIGO 13
ARTIGO 12
(Direcção de Inspecção da PRM)
(Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial)
1. A Direcção de Inspecção da PRM tem as seguintes funções:
1. O Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial tem as se- a) Conceber, planear, coordenar e avaliar a execução
guintes funções: de inspecções e auditorias da PRM a todos os níveis, em
a) Garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas nos matérias técnico-operativa, administrativa e financeira;
espaços marítimo, lacustre e fluvial; b) Verificar o cumprimento das leis, regulamentos,
b) Exercer o policiamento e segurança costeira e fiscalização despachos e instruções superiores pelas unidades
de pessoas e bens nos domínios sob sua jurisdição; orgânicas e pelos membros da PRM;
c) Preparar os meios necessários para a defesa, controlo c) Realizar inspecções, auditorias, inquéritos, sindicâncias
e vigilância costeira e das águas interiores, em coor- determinadas pelo Comandante-Geral;
denação com a Marinha de Guerra das Forças Armadas d) Assessorar o Comandante-Geral na fiscalização de todos
e demais instituições da administração costeira; os órgãos e unidades orgânicas da PRM;
d) Realizar, em coordenação com os demais organismos e) Verificar o funcionamento dos órgãos do Comando-Geral
públicos, acções de busca e salvamento de pessoas e propor medidas para o seu melhoramento;
e bens em caso de acidentes e calamidades; f) Propor soluções dos problemas detectados e acompanhar
e) Participar no transporte de bens em apoio às populações, o processo da sua execução.
em caso de catástrofe, calamidade ou acidente; 2. A Direcção de Inspecção da PRM compreende:
f) Realizar e apoiar as actividades de fiscalização costeira a) Departamento de Inspecção Técnico-Operativa;
e pesqueira; b) Departamento de Inspecção Administrativa e Financeira.
g) Garantir o apoio técnico às actividades de investigação
3. O Departamento de Inspecção Técnico-Operativa tem as
e instrução de processos em todas as infracções
seguintes funções:
ocorridas nas zonas da sua jurisdição;
h) Exercer as demais competências fixadas na lei. a) Avaliar a prontidão combativa e eficiência da actuação
dos membros da PRM;
2. O Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial compreende:
b) Inspeccionar o treino operacional, a instrução
a) Departamento de Operações, Protecção e Fiscalização; e a formação dos membros da PRM;
b) Departamento de Doutrina e Ética Policial; c) Fiscalizar a organização e coordenação operativa entre
c) Departamento de Gestão de Pessoal; as diferentes unidades orgânicas da PRM.
d) Departamento de Logística e Finanças.
4. O Departamento de Inspecção Administrativa e Financeira
3. O Departamento de Operações, Protecção e Fiscalização tem as seguintes funções:
tem as seguintes funções:
a) Avaliar o nível organizacional, moral e disciplinar
a) Propor e executar o plano de medidas operacionais do pessoal da PRM;
de protecção e fiscalização costeira, lacustre e fluvial; b) Fiscalizar o cumprimento das directivas e ordens
b) Analisar a eficiência das acções operativas e elaborar de serviço emanadas superiormente;
propostas para o reforço das medidas operacionais; c) Avaliar o nível de organização para o asseguramento
c) Garantir a troca de informações operativas com outras logístico da PRM;
Forças de Defesa e Segurança com vista à protecção d) Fiscalizar a utilização racional dos recursos humanos,
costeira, lacustre e fluvial. materiais e financeiros afectos à PRM.
4. O Departamento de Doutrina e Ética Policial tem como 5. A Direcção de Inspecção da PRM é dirigida por
função garantir a execução da doutrina e ética policial no Ramo um Director, nomeado pelo Ministro que superintende a área
da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial. da ordem e segurança públicas, sob proposta do Comandante-
5. O Departamento de Gestão de Pessoal tem como função -Geral da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a
garantir a gestão de pessoal afecto ao Ramo da Polícia Costeira, patente de Adjunto do Comissário da Polícia.
Lacustre e Fluvial. 6. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
6. O Departamento de Logística e Finanças tem como função -Geral, sob proposta do Director da Inspecção da PRM
garantir a gestão de recursos materiais e financeiros afectos selecionados de entre os oficiais da Polícia com a patente de
ao Ramo da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial. Superintendente Principal da Polícia.
2480 I SÉRIE — NÚMERO 125

ARTIGO 14 b) Propor e acompanhar a execução das normas relativas


(Direcção de Doutrina e Ética Policial)
à prática de educação física e desporto na PRM;
c) Contribuir para uso correcto e manutenção de infra-
1. A Direcção de Doutrina e Ética Policial é uma unidade -estruturas desportivas da PRM.
orgânica da PRM especializada em matéria de promoção 6. A Direcção de Doutrina e Ética Policial é dirigida por um
de valores patrióticos, éticos, deontológicos e culturais e tem Director, nomeado pelo Ministro que superintende a área da
como funções: ordem e segurança públicas, sob proposta do Comandante-Geral
a) Conceber e desenvolver uma doutrina integrada que da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente
oriente a acção da PRM no domínio de educação de Adjunto do Comissário da Polícia.
cívica, patriótica e postura assentes nos princípios 7. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
fundamentais da PRM, nos termos da lei; -Geral, sob proposta do Director de Doutrina e Ética Policial,
b) Elaborar e difundir normas, planos e directivas que seleccionados de entre os oficiais da Polícia com a patente
determinem e orientem as acções a desenvolver no de Superintendente Principal da Polícia.
âmbito de doutrina e ética policial;
c) Acompanhar o desenvolvimento da técnica e doutrina ARTIGO 15
policial no plano nacional, regional e internacional; (Direcção de Operações)
d) Estudar, planear e implementar as actividades relativas
à educação física, cultura e desporto na PRM; 1. A Direcção de Operações é uma unidade orgânica
e) Propor normas de uniformização e validação responsável pela planificação, coordenação, direcção, supervisão
da terminologia policial; e controlo das actividades operativas da PRM e tem as seguintes
f) Elaborar, difundir e manter actualizadas as normas funções:
e instruções sobre funcionamento das bibliotecas a) Planificar, dirigir, coordenar, supervisionar e controlar
da PRM; a aplicação de medidas de manutenção da ordem,
g) Assegurar a selecção, recolha, depósito, preservação, segurança e tranquilidade públicas;
restauração e exposição do património museológico b) Pesquisar, recolher, processar, analisar, distribuir
e documentação histórica da PRM; e arquivar informações de natureza operacional
h) Acompanhar a realização dos programas de formação
necessárias ao desempenho da PRM;
e propor os ajustamentos necessários, face ao grau
c) Garantir a actualização de cartas topográficas sobre
de desempenho exigido;
a situação delituosa, acidentes de viação, ferroviários,
i) Elaborar e propor directivas relativas à realização de actos
cerimoniais da PRM. aéreos e marítimos em coordenação com outras áreas
da PRM;
2. A Direcção de Doutrina e Ética Policial compreende:
d) Realizar análises operativas e emitir pareceres em
a) Departamento de Desenvolvimento de Doutrina e Ética matéria de segurança interna, bem como elaborar
Policial; relatórios periódicos e outros trabalhos determinados
b) Departamento de História, Cultura e Eventos; superiormente;
c) Departamento de Educação Física e Desportos. e) Divulgar os resultados das análises sobre a criminalidade
3. O Departamento de Desenvolvimento de Doutrina e Ética e sinistralidade rodoviária e outros fenómenos
Policial tem as seguintes funções: que perigam a ordem e segurança públicas junto
a) Propor as bases da doutrina integrada que oriente a acção da sociedade;
da PRM no domínio de educação cívica, patriótica f) Avaliar e garantir o fluxo e refluxo de informações
e postura assentes nos princípios fundamentais operativas e outras de interesse policial;
da PRM, nos termos da lei; g) Actualizar os mapas de forças e meios com vista à sua
b) Propor normas, planos e directivas que determinem participação nas actividades operativas e preventivas;
e orientem as acções a desenvolver no âmbito h) Preparar directivas, ordens de serviço, instruções
de doutrina e ética policial; e circulares operativas da PRM;
c) Acompanhar o desenvolvimento da técnica e doutrina i) Executar as acções que lhe forem determinadas, visando
policial no plano nacional, regional e internacional. garantir a coordenação e intercâmbio de informações
4. O Departamento de História, Cultura e Eventos tem e acções operativas com outras Forças de Defesa
as seguintes funções: e Segurança;
j) Exercer as demais competências nos termos da lei.
a) Contribuir na selecção, recolha, depósito, preservação,
restauração e exposição do património museológico 2. A Direcção de Operações compreende:
e documentação histórica da PRM; a) Departamento de Organização e Controlo de Forças;
b) Propor programas de formação e propor os ajustamentos b) Departamento de Informação e Análise Policial;
necessários, face ao grau de desempenho exigido; c) Departamento de Planificação Operativa.
c) Propor normas de uniformização e validação 3. O Departamento de Organização e Controlo de Forças tem
da terminologia policial; as seguintes funções:
d) Propor directivas relativas à realização de actos a) Propor planos de organização e aplicação de forças
cerimoniais da PRM. e meios da PRM;
5. O Departamento de Educação Física e Desportos tem b) Elaborar e actualizar os mapas de forças e meios com
as seguintes funções: vista à sua participação nas actividades operativas
a) Estudar, planear e implementar as actividades relativas e preventivas;
à educação física, cultura e desporto na PRM; c) Contribuir para o controlo das forças e meios da PRM.
1 DE JULHO DE 2019 2481

4. O Departamento de Informação e Análise Policial tem 7. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
as seguintes funções: -Geral, sob proposta do Director, seleccionados de entre os oficiais
a) Pesquisar, recolher, processar, analisar, distribuir da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Polícia.
e arquivar informações de natureza operacional
ARTIGO 17
necessárias ao desempenho da PRM;
b) Realizar análises operativas e emitir pareceres em (Direcção de Pessoal e Formação)
matéria de segurança interna, bem como elaborar
1. A Direcção de Pessoal e Formação é uma unidade orgânica
relatórios periódicos e outros trabalhos determinados
do Comando-Geral responsável pela gestão e desenvolvimento
superiormente.
do pessoal e tem as seguintes funções:
5. O Departamento de Planificação Operativa tem como função
a) Preparar o programa geral que assegure a gestão
propor planos operativos da PRM.
e desenvolvimento permanentes do pessoal da PRM
6. A Direcção de Operações é dirigida por um Director
no activo e na situação de Reserva;
nomeado pelo Ministro que superintende a área da ordem b) Elaborar o plano de afectações, transferências, mudanças
e segurança públicas, sob proposta do Comandante-Geral da de carreira, promoções, progressões, integrações
PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente e avaliações do desempenho do pessoal da PRM
de Adjunto do Comissário da Polícia. e do quadro técnico comum afecto à Polícia;
7. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante- c) Recolher informações sobre o desempenho do pessoal
-Geral, sob proposta do Director, de entre os oficiais da Polícia em regime de destacamento, visando a sua valorização
com a patente de Superintendente Principal da Polícia. profissional;
d) Controlar o funcionamento do sistema centralizado
ARTIGO 16 de informação de apoio à gestão do pessoal,
(Direcção de Informação Interna) em especial, o registo, a emissão dos documentos
de identificação e processos individuais;
1. A Direcção de Informação Interna é uma unidade orgânica e) Elaborar estudos, inquéritos e outros trabalhos que
de apoio em matéria de recolha, análise e avaliação de informação visam a definição de políticas e estratégias para
operativa e tem as seguintes funções: o melhoramento do funcionamento da PRM;
a) Pesquisar, recolher, analisar, sistematizar e distribuir f) Realizar estudos e pesquisas que permitam a organização
informações úteis à actividade de direcção da PRM; e coordenação dos processos de recrutamento, selecção
b) Acompanhar o comportamento dos membros da PRM e integração de recursos humanos qualificados para
nos aspectos de ética e disciplina; os quadros de pessoal da PRM;
c) Coligir dados e produzir informação que permita g) Formular propostas de políticas e estratégias de formação,
a avaliação das condições de segurança interna aperfeiçoamento e desenvolvimento profissional dos
e integridade da PRM; membros da PRM;
d) Orientar e supervisionar a actividade de inteligência h) Coordenar com as demais unidades orgânicas
e contra-inteligência policial; do Comando-Geral da PRM a preparação das propostas
e) Colaborar com outros organismos de Inteligência Interna. de diplomas e regulamentos relativos ao pessoal
e planeamento de estágios, cursos e quadro de funções;
2. A Direcção de Informação Interna tem a seguinte estrutura: i) Conceber e propor cursos de especialização para as áreas
a) Departamento de Análise e Planificação; da PRM;
b) Departamento Operativo; j) Coordenar as actividades de formação, treino, estágio
c) Departamento da Técnica Especial. e desenvolvimento técnico-profissional dos membros
3. O Departamento de Análise e Planificação tem as seguintes da PRM;
funções: k) Articular com os estabelecimentos de ensino o processo
de formação dos membros da PRM;
a) Proceder a recolha, análise, tratamento e arquivo l) Fiscalizar e controlar as actividades dos estabelecimentos
de informação de inteligência de interesse da PRM; de ensino da PRM;
b) Controlar e monitorar a implementação e observância m) Implementar políticas e estratégias de género;
das normas e procedimentos do Sistema de Informação n) Gerir e coordenar as actividades dos membros da PRM
Classificada na PRM. na situação de reserva.
4. O Departamento Operativo tem as seguintes funções: 2. A Direcção de Pessoal e Formação compreende:
a) Desenvolver acções que contribuam para a garantia a) Departamento de Administração e Gestão de Pessoal;
e reforço da integridade e imagem da PRM; b) Departamento de Formação e Desenvolvimento
b) Assegurar a coordenação entre a PRM e demais de Pessoal;
instituições em matéria de informação e segurança c) Departamento de Gestão de Pessoal na Situação
do Estado. de Reserva.
5. O Departamento da Técnica Especial tem como função 3. O Departamento de Administração e Gestão de Pessoal tem
propor e garantir a utilização dos meios necessários para as seguintes funções:
a prevenção e combate ao crime organizado. a) Gerir o pessoal da PRM;
6. A Direcção de Informação Interna é dirigida por um b) Manter actualizado o sistema centralizado de informação
Director nomeado pelo Ministro que superintende a área da ordem de apoio à gestão do pessoal;
e segurança públicas, sob proposta do Comandante-Geral c) Executar as políticas e estratégias para o melhoramento
da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente da gestão do pessoal da PRM;
de Adjunto de Comissário da Polícia. d) Implementar as políticas e estratégias de género.
2482 I SÉRIE — NÚMERO 125

4. O Departamento de Formação e Desenvolvimento de Pessoal 2. A Direcção de Logística e Finanças compreende:


tem as seguintes funções: a) Departamento de Logística e Produção;
a) Organizar e coordenar os processos de recrutamento, b) Departamento de Finanças;
selecção, formação, estágio, aperfeiçoamento, c) Departamento de Administração de Infra-estruturas;
especialização e integração do pessoal da PRM; d) Departamento de Saúde.
b) Supervisionar as actividades dos estabelecimentos 3. O Departamento de Logística e Produção tem as seguintes
de ensino da PRM; funções:
c) Executar as políticas e estratégias para o melhoramento a) Realizar a pesquisa, produção, aprovisionamento
da formação do pessoal da PRM. e distribuição de materiais logísticos, meios
5. O Departamento de Gestão de Pessoal na Situação e equipamentos de serviço e de apoio à actividade
de Reserva tem as seguintes funções: policial;
b) Preparar e executar o plano geral de aquisição
a) Gerir os membros da PRM na situação de Reserva;
e manutenção dos meios de transportes adequados
b) Executar as políticas e estratégias de gestão do pessoal às missões da PRM;
da PRM na situação de reserva. c) Executar o plano de abastecimento, compreendendo
6. A Direcção de Pessoal e Formação é dirigida por um Director uniforme, combustíveis e lubrificantes, rações
nomeado pelo Ministro que superintende a área da ordem e de combate e géneros alimentícios, equipamento
segurança públicas, sob proposta do Comandante-Geral da PRM, de escritório e outros materiais de consumo corrente;
com a patente de Adjunto do Comissário da Polícia. d) Garantir a pesquisa, aquisição, depósito, manutenção
7. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante- e controlo do armamento, munições e material conexo
-Geral, sob proposta do Director, seleccionados de entre os oficiais da PRM;
da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Polícia. e) Implementar a logística de produção agro-pecuária
ao nível das unidades da PRM.
ARTIGO 18 4. O Departamento de Finanças tem as seguintes funções:
(Direcção de Logística e Finanças) a) Propor o Plano Económico e Social e o orçamento
da PRM;
1. A Direcção de Logística e Finanças é uma unidade orgânica b) Executar o orçamento da PRM e elaborar os respectivos
do Comando-Geral responsável pela administração, logística relatórios;
e finanças e tem as seguintes funções: c) Aplicar as normas sobre a execução do orçamento de
a) Preparar a proposta do Plano Económico e Social funcionamento e de investimento atribuídos à PRM.
e o respectivo orçamento da PRM; 5. O Departamento de Administração de Infra-estruturas tem
b) Assegurar a execução do orçamento do Comando-Geral as seguintes funções:
da PRM; a) Preparar e executar o programa de obras e infra-estruturas
c) Dirigir e controlar a aplicação de normas sobre a execução para a PRM;
do orçamento de funcionamento e de investimento b) Assegurar a administração e utilização racional de infra-
atribuídos à PRM; estruturas da PRM.
d) Realizar a pesquisa, produção, aprovisionamento
6. O Departamento de Saúde tem as seguintes funções:
e distribuição de materiais logísticos, meios
e equipamentos de serviço, bem como de apoio a) Executar o plano geral de saúde, bem como a direcção
à actividade policial; e supervisão das unidades sanitárias da PRM;
e) Preparar e executar o plano geral de aquisição b) Garantir a assistência médica e medicamentosa a todos
os membros da PRM e suas famílias, em conformidade
e manutenção dos meios de transportes adequados
com a lei;
às missões da PRM;
c) Organizar, em coordenação com a Direcção de Pessoal
f) Executar o plano de abastecimento, compreendendo e Formação, inspecções médicas e periódicas
uniforme, combustíveis, lubrificantes, rações dos membros da PRM;
de combate, géneros alimentícios, equipamento d) Coordenar as actividades, no âmbito da implementação
de escritório e outros materiais de consumo corrente das estratégias de prevenção e combate ao HIV e SIDA
da PRM; e do pessoal portador de deficiência.
g) Preparar e manter actualizado o plano de contratações
7. A Direcção de Logística e Finanças é dirigida por um
de cada exercício; Director nomeado pelo Ministro que superintende a área da ordem
h) Elaborar os documentos de concurso e observar os e segurança públicas, com a patente de Adjunto do Comissário
procedimentos de contratação previstos na legislação da Polícia, sob proposta do Comandante-Geral da PRM.
específica; 8. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
i) Garantir a pesquisa, aquisição, depósito, manutenção Geral, sob proposta do Director, seleccionados de entre os oficiais
e controlo do armamento, munições e material conexo da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Polícia.
da PRM;
j) Preparar e executar o programa de obras e infra-estruturas ARTIGO 19
para a PRM;
(Departamento de Estudos e Planificação)
k) Executar o plano geral de saúde, bem como a direcção
e supervisão das unidades sanitárias da PRM; 1. O Departamento de Estudos e Planificação é uma unidade
l) Garantir a coordenação das actividades, no âmbito da orgânica de apoio técnico e tem as seguintes funções:
implementação das estratégias de prevenção e combate a) Realizar estudos e propor medidas sobre a garantia
ao HIV e SIDA e do pessoal portador de deficiência; da ordem, segurança e tranquilidade públicas no País,
m) Assegurar a administração e utilização racional do bem como para o aperfeiçoamento e desenvolvimento
património móvel e imóvel da PRM. da PRM;
1 DE JULHO DE 2019 2483

b) Promover a edição, difusão de estudos e publicações f) Definir o conteúdo e periodicidade das informações, bem
relacionadas com actividade da PRM; como as normas e os procedimentos informáticos;
c) Propor projectos de planos e programas de actividades g) Propor a arquitectura dos sistemas de comunicações
da PRM; da PRM.
d) Acompanhar a execução dos planos e programas da PRM; 2. O Departamento de Tecnologias e Sistemas de Informação
e) Elaborar relatórios periódicos de prestação de contas e Comunicação é dirigido por um Chefe de Departamento Central
das actividades da PRM; nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, seleccionado de entre
f) Recolher e sistematizar informação estatística da PRM; os oficiais da PRM com a patente de Superintendente Principal
g) Propor e desenvolver metodologias, melhores práticas da Polícia.
e padrões de gestão de projectos a nível da PRM. 3. O Departamento de Tecnologias e Sistemas de Informação
2. O Departamento de Estudos e Planificação é dirigido por e Comunicação estrutura-se em repartições.
um Chefe de Departamento Central nomeado pelo Comandante-
-Geral da PRM, seleccionado, de entre os oficiais da PRM com ARTIGO 22
a patente de Superintendente Principal da Polícia. (Departamento de Relações Públicas)
3. O Departamento de Estudos e Planificação estrutura-se em
repartições. 1. O Departamento de Relações Públicas é uma unidade
orgânica de apoio e tem as seguintes funções:
ARTIGO 20 a) Assegurar a necessária informação ao público sobre
(Departamento de Atendimento à Família e Menores Vítimas as realizações da PRM na vertente da prevenção
de Violência) e combate à criminalidade e sinistralidade rodoviária,
no âmbito da garantia da ordem, segurança
1. O Departamento de Atendimento à Família e Menores e tranquilidade públicas;
Vítimas de Violência é uma unidade orgânica de apoio e tem b) Exercer a actividade de protocolo da PRM;
as seguintes funções: c) Criar e assegurar as condições para a realização
a) Garantir o atendimento e apoio integrados às vítimas de encontros, seminários e reuniões promovidas
de violência doméstica, crianças e idosos; pela PRM;
b) Propor metodologias e acções que permitam mitigar d) Assegurar a realização de programas educativos e de mo-
os efeitos da violência doméstica, contra crianças bilização que contribuam para elevar a participação dos
e idosos; cidadãos na prevenção e combate ao crime;
c) Propor medidas de prevenção e combate à delinquência e) Estabelecer ligação com os meios de comunicação social,
juvenil e da criança em conflito com a lei; no quadro da realização da missão da PRM;
d) Coligir, sistematizar e analisar a informação relativa f) Compilar as realizações da PRM sujeitas à publicação.
a casos de violência doméstica, bem como elaborar 2. O Departamento de Relações Públicas é dirigido por um
estudos e propor medidas que contribuam para a sua Chefe de Departamento Central nomeado pelo Comandante-Geral
prevenção e combate. da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente
2. O Departamento de Atendimento à Família e Menores de Superintendente Principal da Polícia.
Vítimas de Violência é dirigido por um Chefe de Departamento 3. O Departamento de Relações Públicas estrutura-se em
Central nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, seleccionado repartições.
de entre os oficiais da PRM com a patente de Superintendente
Principal da Polícia. ARTIGO 23
3. O Departamento de Atendimento à Família e Menores (Departamento de Cooperação Internacional)
Vítimas de Violência estrutura-se em repartições.
1. O Departamento de Cooperação Internacional é uma unidade
ARTIGO 21 orgânica de apoio e tem as seguintes funções:
(Departamento de Tecnologias e Sistemas de Informação a) Assistir a Direcção da PRM em máteria de cooperação
e Comunicação) internacional;
b) Assegurar a elaboração e sistematização da informação
1. O Departamento de Tecnologias e Sistemas de Informação
técnica referente à participação da PRM em actividades
e Comunicação é uma unidade orgânica de apoio e tem
de cooperação internacional;
as seguintes funções:
c) Participar na elaboração de acordos ou outros instrumentos
a) Propor estratégias de desenvolvimento e gestão de soluções de carácter internacional de interesse para a PRM;
informáticas, infra-estruturas de comunicações d) Contribuir para a eficácia das actividades de cooperação
e sistemas de informação da PRM; internacional no domínio da Polícia;
b) Gerir, actualizar, garantir a segurança e interoperabilidade e) Criar e manter actualizado o arquivo da documentação,
da base de dados, dos sistemas informáticos acordos e convenções internacionais atinentes
e de comunicações da PRM; à actividade de cooperação da PRM;
c) Participar no desenvolvimento e actualização da página f) Contribuir para a divulgação e implementação dos acordos
de internet e programas informáticos de publicidade bilaterais e multilaterais no domínio da Polícia.
e divulgação de legislação e procedimentos da PRM; 2. O Departamento de Cooperação Internacional é dirigido por
d) Contribuir para a capacitação do pessoal no uso um Chefe de Departamento Central nomeado pelo Comandante-
e manutenção do equipamento de comunicações -Geral da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com
e informática; a patente de Superintendente Principal da Polícia.
e) Emitir parecer sobre a aquisição de equipamentos 3. O Departamento de Cooperação Internacional estrutura-se
de comunicações e informática; em repartições.
2484 I SÉRIE — NÚMERO 125

ARTIGO 24 d) Colaborar com outras forças policiais na reposição


(Departamento Jurídico)
da ordem, nas acções de prevenção e combate à
criminalidade violenta e organizada, na protecção
1. O Departamento Jurídico é uma unidade orgânica de apoio e segurança de altas individualidades e objectos
técnico jurídico e tem as seguintes funções: estratégicos.
a) Elaborar estudos, formular pareceres e preparar 2. A Unidade de Intervenção Rápida é dirigida por um
informações sobre matérias de natureza jurídica, Comandante, nomeado pelo Ministro que superintendente a área
económica, social e outras de interesse policial; da ordem e segurança públicas, seleccionado de entre os oficiais
b) Participar na elaboração de propostas de legislação da PRM com a patente de Adjunto do Comissário da Polícia,
relevante para a PRM;
sob proposta do Comandante-Geral da PRM.
c) Preparar instruções com vista à correcta aplicação
da legislação vigente; ARTIGO 27
d) Contribuir para a capacitação dos membros da PRM
(Unidade de Protecção de Altas Individualidades)
em matéria de instrução de processos disciplinares,
de averiguação e sindicância; 1. A Unidade de Protecção de Altas Individualidades tem
e) Analisar e preparar respostas de recursos hierárquico as seguintes funções:
e contencioso sobre actos administrativos praticados
a) Garantir a protecção dos membros dos órgãos
na PRM;
de soberania do Estado e de altas individualidades
f) Manter actualizado o arquivo de legislação, jurisprudência,
doutrina jurídica e outros documentos de interesse para nacionais e estrangeiras em visita ao País;
a PRM; b) Garantir a protecção física de locais de trabalho,
g) Analisar e propor o patrocínio jurídico e judiciário para os de residência, de visita e de laser de altas entidades
membros da PRM, nos termos da legislação aplicável; referidas na alínea anterior;
h) Proceder à interpretação da legislação, despachos, c) Garantir a protecção de outras personalidades quando
instruções, ordens de serviço e convenções regionais sujeitas à ameaça relevante;
e internacionais de interesse para a PRM; d) Estabelecer uma estreita ligação com as demais
i) Proceder à divulgação da legislação e documentação instituições do Estado, no âmbito da segurança
jurídica de interesse para o funcionamento da PRM. e protecção dos respectivos titulares;
2. O Departamento Jurídico é dirigido por um Chefe e) Garantir a coordenação e supervisão de actividades
de Departamento Central nomeado pelo Comandante-Geral de protecção e segurança de grandes eventos que
da PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente envolvam a participação de altas entidades.
de Superintendente Principal da Polícia. 2. A Unidade de Protecção de Altas Individualidades
3. O Departamento Jurídico estrutura-se em repartições. é dirigida por um Comandante, nomeado pelo Ministro que
superintendente a área da ordem e segurança pública, sob proposta
ARTIGO 25 do Comandante-Geral da PRM, seleccionado de entre os oficiais
(Gabinete do Comandante-Geral da PRM) da PRM com a patente de Adjunto Comissário da Polícia.
1. O Gabinete do Comandante-Geral da PRM é uma unidade ARTIGO 28
orgânica de apoio e tem as seguintes funções:
(Unidade de Operações de Combate ao Terrorismo e Resgate
a) Organizar o programa de trabalho do Comandante-Geral de Reféns)
e do Vice-Comandante-Geral da PRM;
b) Elaborar as convocatórias e garantir a disponibilização 1. A Unidade de Operações de Combate ao Terrorismo
da documentação necessária para as reuniões e Resgate de Reféns tem as seguintes funções:
do Comando-Geral; a) Combater as situações de alto risco que ultrapassem
c) Secretariar, apoiar e assistir técnica e administrativamente os meios do policiamento clássico;
o Comandante-Geral e o Vice-Comandante-Geral; b) Combater o crime organizado e o terrorismo;
d) Organizar a tramitação de despachos e arquivo c) Levar a cabo acções para o resgate de reféns.
de documentos; 2. A Unidade de Operações de Combate ao Terrorismo
e) Proceder a transmissão e controlo da execução das e Resgate de Reféns é dirigida por um Comandante nomeado
decisões e instruções do Comandante-Geral. pelo Comandante-Geral da PRM, seleccionado de entre os oficiais
2. O Gabinete do Comandante-Geral é dirigido por um Chefe da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Polícia.
de Departamento Central nomeado pelo Comandante-Geral da
PRM, seleccionado de entre os oficiais da PRM com a patente ARTIGO 29
de Superintendente Principal da Polícia. (Unidade Canina)

ARTIGO 26 1. A Unidade Canina tem as seguintes funções:


(Unidade de Intervenção Rápida) a) Realizar acções de manutenção da ordem e segurança
públicas que exijam a utilização de técnica canina;
1. A Unidade de Intervenção Rápida tem as seguintes funções: b) Garantir o controlo de massas, detecção de explosivos
a) Realizar acções de manutenção e reposição da ordem e drogas, detecção de pessoas e cadáveres em casos
pública; de acidentes e catástrofes;
b) Garantir o controlo de massas; c) Garantir a fiscalização de passageiros e mercadorias
c) Combater as situações de violência concertada nos aeroportos, portos, gares e outras terminais
e declarada; de passageiros.
1 DE JULHO DE 2019 2485

2. A Unidade Canina é dirigida por um Comandante nomeado g) Apreciar o mérito profissional e a situação disciplinar
pelo Comandante-Geral da PRM, seleccionado de entre os oficiais dos oficiais superintendentes e comissários da PRM;
da Polícia com a patente de Superintendente Principal da Polícia. h) Pronunciar-se sobre planos de contingência de ordem,
segurança e tranquilidade públicas;
ARTIGO 30 i) Emitir pareceres sobre todos os assuntos de natureza
(Unidade de Cavalaria) técnica que lhe sejam apresentados;
j) Pronunciar-se sobre as propostas de atribuição
1. A Unidade de Cavalaria tem as seguintes funções: de condecorações e títulos honoríficos aos membros
a) Realizar acções de garantia da ordem e segurança públicas da PRM.
que exijam a utilização de cavalos, especialmente 2. O Conselho da PRM reúne-se, ordinariamente, duas vezes
treinados; por ano e, extraordinariamente, sempre que para tal for convocado
b) Realizar o patrulhamento de zonas suburbanas, pelo Comandante-Geral da PRM.
concentrados populacionais e eventos desportivos ou 3. São membros do Conselho da PRM:
similares;
a) Comandante-Geral, que o preside;
c) Garantir o controlo de massas.
b) Vice-Comandante-Geral;
2. A Unidade de Cavalaria é dirigida por um Comandante c) Comandantes/Director de Ramo da PRM;
nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, seleccionado de entre d) Directores do Comando-Geral da PRM;
os oficiais da Polícia com a patente de Superintendente Principal e) Chefes de Departamentos Centrais Autónomos
da Polícia. do Comando-Geral da PRM;
ARTIGO 31 f) Comandantes das Unidades das Operações Especiais
e de Reserva;
(Unidade de Desactivação de Engenhos Explosivos) g) Comandantes Provinciais da PRM;
1. Compete à Unidade de Desactivação de Engenhos h) Comandantes das Escolas da PRM.
Explosivos a realização de acções que visem a detecção 4. Considerando a matéria em apreciação, o Comandante-
e desactivação de explosivos. -Geral pode convidar para participar nas reuniões do Conselho
2. A Unidade de Desactivação de Engenhos Explosivos da PRM, o Reitor da ACIPOL, o Director-Geral dos Serviços
é dirigida por um Comandante nomeado pelo Comandante- Sociais, oficiais da Polícia, técnicos ou outros quadros, sempre
-Geral da PRM, de entre os oficiais da Polícia com a patente que se repute conveniente.
de Superintendente Principal da Polícia.
ARTIGO 35
ARTIGO 32 (Conselho do Comando-Geral)
(Estabelecimentos de Ensino da PRM) 1. O Conselho do Comando-Geral é o órgão de direcção com
1. A criação, organização e funcionamento dos estabelecimentos funções operacionais e administrativas que reúne, ordinariamente,
de ensino da PRM são estabelecidos em diplomas próprios. uma vez por semana e, extraordinariamente, sempre que for
2. Os estabelecimentos de ensino da PRM garantem a formação convocado pelo Comandante-Geral da PRM.
básica, média, superior e de especialização dos membros da PRM. 2. O Conselho do Comando-Geral compreende:
a) Comandante-Geral;
ARTIGO 33 b) Vice-Comandante-Geral;
(Colectivos) c) Comandantes/Director de Ramo da PRM;
d) Directores do Comando-Geral da PRM;
Na PRM funcionam os seguintes colectivos: e) Chefes de Departamentos Centrais Autónomos
a) Conselho da PRM; do Comando-Geral da PRM;
b) Conselho do Comando-Geral da PRM; f) Comandantes das Unidades de Operações Especiais
c) Conselho de Ética e Disciplina da PRM. e de Reserva da PRM;
g) Comandantes das Escolas da PRM.
ARTIGO 34
3. Considerando a matéria em apreciação, o Comandante-Geral
(Conselho da PRM) pode convidar para participar nas reuniões do Conselho da PRM,
o Reitor da ACIPOL, o Director-Geral dos Serviços Sociais, os
1. O Conselho da PRM é um órgão consultivo do Comandante-
Comandantes Provinciais da PRM, oficiais da Polícia, técnicos
-Geral da PRM e tem as seguintes funções:
ou outros quadros, sempre que se repute conveniente.
a) Avaliar a situação da ordem, segurança e tranquilidade 4. Compete ao Conselho do Comando-Geral:
públicas do País;
a) Analisar e pronunciar-se sobre questões fundamentais
b) Pronunciar-se sobre a proposta do plano de actividades
e orçamento da PRM; relativas ao estado de segurança e ordem pública
c) Pronunciar-se sobre o plano de formação policial; do País;
d) Apreciar as propostas de promoção dos membros b) Apreciar o cumprimento dos planos e medidas
da PRM e processos de passagem à reserva dos oficiais de execução permanente da PRM;
superintendentes e comissários da Polícia; c) Apreciar, em primeira instância, as propostas do Plano
e) Pronunciar-se sobre questões fundamentais atinentes ao Operativo Anual, Plano Económico e Social e do
desenvolvimento da PRM e melhoria das condições respectivo orçamento da PRM;
de trabalho e de vida relativas ao pessoal; d) Verificar o grau de articulação com outras instituições
f) Pronunciar-se sobre a proposta do quadro do pessoal das Forças de Defesa e Segurança e da Administração
e propostas de regulamentos da PRM; da Justiça;
2486 I SÉRIE — NÚMERO 125

e) Avaliar a informação do desempenho dos Comandos c) Regimento da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial;
Provinciais e dos estabelecimentos de ensino da PRM; d) Direcção de Doutrina e Ética Policial;
f) Avaliar o desempenho das unidades orgânicas e) Direcção de Pessoal e Formação;
do Comando-Geral; f) Direcção de Logística e Finanças;
g) Perspectivar o desenvolvimento estratégico da PRM em g) Departamento de Operações;
toda a sua complexidade; h) Departamento de Inspecção da PRM;
h) Apreciar outros assuntos que lhe forem submetidos. i) Departamento de Estudos e Planificação;
j) Departamento de Informação Interna;
ARTIGO 36 k) Departamento de Atendimento à Família e Menores
(Conselho de Ética e Disciplina) Vítimas da Violência;
l) Departamento de Relações Públicas;
1. O Conselho de Ética e Disciplina é um órgão de carácter m) Departamento Jurídico;
consultivo em matéria de ética e disciplina, na dependência directa n) Departamento de Comunicações;
do Comandante-Geral e presidido por um oficial comissário o) Gabinete do Comandante.
designado pelo Comandante-Geral da PRM.
2. Por decisão do Ministro que superintende a área da ordem
2. O Conselho de Ética e Disciplina é constituído por
e segurança públicas, sob proposta do Comandante-Geral,
oficiais comissários, superintendentes e outros quadros da PRM
podem funcionar no Comando Provincial da PRM sub-unidades
designados pelo Comandante-Geral da PRM.
de Operações Especiais e de Reserva.
3. A estrutura e funcionamento do Conselho de Ética
3. Os Directores e os Comandantes de Regimentos são
e Disciplina são fixados no Regulamento Disciplinar da PRM.
nomeados pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do
SECÇÃO II Comandante Provincial da PRM, ouvido os Comandantes dos
respectivos Ramos, seleccionados de entre os oficiais da PRM
Comando Provincial da PRM com a patente de Superintendente Principal da Polícia.
ARTIGO 37 4. Os Comandantes de Destacamento de Operações Especiais
(Definição)
e de Reserva são nomeados pelo Comandante-Geral da PRM,
sob proposta dos Comandantes das respectivas unidades,
1. O Comando Provincial é o órgão de implantação territorial seleccionados de entre os oficiais da PRM com a patente de
que funciona na directa dependência do Comando-Geral e tem Superintendente da Polícia.
a sua sede na respectiva capital provincial. 5. Os Chefes de Departamento são nomeados pelo Comandante-
2. O Comando Provincial da PRM é dirigido por um -Geral da PRM, sob proposta do Comandante Provincial, de entre
Comandante Provincial nomeado pelo Ministro que superintende oficiais da PRM com a patente de Superintendente da Polícia.
a área da Ordem e Segurança Públicas, sob proposta 6. O Chefe de Gabinete do Comandante Provincial é nomeado
do Comandante-Geral da PRM, de entre os oficiais da Polícia pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante
com a patente de Adjunto do Comissário da Polícia. Provincial, de entre oficiais da PRM com a patente de Adjunto
3. O Comandante Provincial da PRM é coadjuvado pelo de Superintendente da Polícia.
Director da Ordem e Segurança Públicas, nomeado pelo 7. O Departamento organiza-se em repartições e secções,
Comandante-Geral e seleccionado de entre os oficiais da PRM dirigidas por chefes de Repartição e Secção nomeados pelo
com a patente de Superintendente Principal da Polícia. Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante
Provincial, de entre oficiais da PRM com a patente de Adjunto
ARTIGO 38 de Superintendente e Inspector Principal da Polícia, respectivamente.
(Competências do Comandante Provincial)
ARTIGO 40
1. Ao Comandante Provincial da PRM compete:
(Colectivos)
a) Comandar, dirigir, coordenar e fiscalizar todos os órgãos
e serviços da PRM ao nível Provincial; No Comando Provincial da PRM funcionam os seguintes
b) Representar a PRM ao nível da Província; colectivos:
c) Executar as actividades respeitantes à organização, a) Conselho Provincial da PRM;
forças e meios, instrução e serviços técnicos, logísticos b) Colectivo de Direcção do Comando Provincial da PRM;
e administrativos da PRM ao nível da Província; c) Conselho Provincial da Ética e Disciplina.
d) Presidir os Colectivos da PRM ao nível da Província;
e) Exercer o poder disciplinar nos limites determinados ARTIGO 41
no Regulamento Disciplinar da PRM e na legislação (Conselho Provincial da PRM)
aplicável;
f) Assegurar a colaboração com as Forças de Defesa 1. O Conselho Provincial da PRM é o órgão de consulta
e Segurança, Órgãos da Administração da Justiça do Comandante Provincial, que se reúne, ordinariamente, duas
e demais autoridades da Província; vezes por ano e, extraordinariamente, sempre que for convocado
g) Inspeccionar ou mandar inspeccionar os órgãos e serviços pelo Comandante Provincial da PRM.
da PRM, sob sua dependência. 2. São membros do Conselho Provincial da PRM:
ARTIGO 39 a) Comandante Provincial, que o preside;
b) Director da Ordem e Segurança Públicas;
(Estrutura) c) Comandante do Regimento da Polícia de Fronteiras;
1. O Comando Provincial tem a seguinte estrutura: d) Comandante do Regimento da Polícia Costeira, Lacustre
a) Direcção da Ordem e Segurança Públicas; e Fluvial;
b) Regimento da Polícia de Fronteiras; e) Director de Doutrina e Ética Policial;
1 DE JULHO DE 2019 2487

f) Director de Pessoal e Formação; 3. O Comandante Provincial da PRM pode convidar outros


g) Director de Logística e Finanças; quadros para participar nas reuniões do Conselho.
h) Chefe do Departamento de Operações;
i) Chefe do Departamento de Inspecção da PRM; ARTIGO 43
j) Chefe de Departamento de Estudos e Planificação; (Conselho Provincial de Ética e Disciplina)
k) Chefe de Departamento de Informação Interna;
l) Chefe de Departamento de Atendimento à Família 1. O Conselho Provincial de Ética e Disciplina é o órgão
e Menores Vítimas da Violência; consultivo em matéria de ética e disciplina que funciona
m) Chefe de Departamento de Relações Públicas; na dependência directa do Comandante Provincial da PRM
n) Chefe de Departamento Jurídico; e presidido por um oficial da classe de Superintendentes da
o) Chefe de Departamento de Comunicações; Polícia, por delegação de competência pelo Comandante
p) Comandantes das sub-unidades de Operações Especiais Provincial da PRM.
e de Reserva; 2. O Conselho Provincial de Ética e Disciplina é constituído
q) Comandantes Distritais da PRM; por oficiais Superintendentes e Inspectores da Polícia designados
r) Comandantes de Esquadras da PRM. pelo Comandante Provincial da PRM.
3. O Comandante Provincial da PRM pode convidar para 3. A estrutura e funcionamento do Conselho Provincial de Ética
participar nas reuniões do Conselho Provincial da PRM, e Disciplina são fixados no Regulamento Disciplinar da PRM.
o Delegado dos Serviços Sociais, oficiais da Polícia, técnicos
ou outros quadros. SECÇÃO III
4. O Conselho Provincial da PRM tem as seguintes funções: Comando Distrital
a) Avaliar a situação da ordem, segurança e tranquilidade
ARTIGO 44
públicas na Província;
b) Apreciar a proposta do plano de actividade e orçamento (Definição e Comando)
do Comando Provincial;
1. O Comando Distrital da PRM é um órgão de implantação
c) Pronunciar-se sobre questões fundamentais atinentes
à melhoria das condições de trabalho e de vida relativos territorial que funciona na directa dependência do Comando
ao pessoal; Provincial e tem sede na respectiva sede de Distrito.
d) Apreciar o mérito profissional e a situação disciplinar 2. O Comando Distrital da PRM é dirigido por um comandante,
dos membros da PRM afectos ao Comando Provincial; nomeado pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do
e) Pronunciar-se sobre o plano de formação policial ao Comandante Provincial da PRM, seleccionado de entre os oficiais
nível da Província; da Polícia com a patente de Superintendente da Polícia.
f) Preparar os planos de contingência, visando a reposição 3. O Comandante Distrital da PRM é substituído nas suas
da ordem, segurança e tranquilidade públicas; ausências e impedimentos pelo Chefe de Operações com a patente
g) Apreciar as propostas de promoções dos membros de Adjunto de Superintendente da Polícia.
da PRM; 4. O Comando Distrital da PRM organiza-se em secções.
h) Exercer as demais funções que lhe forem superiormente
SECÇÃO IV
incumbidas.
Esquadra
ARTIGO 42
ARTIGO 45
(Colectivo de Direcção do Comando Provincial da PRM)
(Definição e Comando)
1. O Colectivo de Direcção do Comando Provincial da PRM
1. A Esquadra é um órgão de implantação territorial de natureza
é um órgão de consulta, que se reúne, ordinariamente, uma vez
operacional criado em função da situação operativa policial com
por semana e, extraordinariamente, sempre que for convocado
o objectivo de prevenir, investigar e combater a criminalidade.
pelo Comandante Provincial.
2. O Colectivo de Direcção do Comando Provincial da PRM 2. A Esquadra é dirigida por um Comandante, nomeado
compreende: pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante
Provincial da PRM, de entre os oficiais com a patente de Adjunto
a) Comandante Provincial;
de Superintendente da Polícia.
b) Director da Ordem e Segurança Públicas;
3. O Comandante de Esquadra é substituído nas suas ausências
c) Comandante do Regimento da Polícia de Fronteiras;
d) Comandante do Regimento da Polícia Costeira, Lacustre e impedimentos pelo Chefe de Operações com a patente
e Fluvial; de Inspector Principal da Polícia.
e) Director de Doutrina e Ética Policial; 4. A Esquadra organiza-se em secções.
f) Director de Pessoal e Formação; SECÇÃO V
g) Director de Logística e Finanças;
Posto Policial
h) Chefe de Departamento de Operações;
i) Chefe do Departamento de Inspecção da PRM; ARTIGO 46
j) Chefe de Departamento de Estudos e Planificação; (Definição e Comando)
k) Chefe de Departamento de Informação Interna;
l) Chefe de Departamento de Atendimento à Família 1. O Posto Policial é um órgão de implantação territorial que
e Menores Vítimas da Violência; funciona nos postos administrativos na directa dependência
m) Chefe de Departamento de Relações Públicas; do Comando Distrital.
n) Chefe de Departamento Jurídico; 2. Dependendo da análise da situação operativa policial,
o) Chefe de Departamento de Comunicações. poderão ser criados Postos Policiais nas zonas urbanas e em
2488 I SÉRIE — NÚMERO 125

centros industriais, comerciais e sociais quando se verificar reconhecida competência técnica e científica ou operativa
que o nível das exigências operacionais não justifica a criação que reúnam os requisitos fixados no respectivo qualificador
de uma Esquadra. de funções.
3. O Posto Policial é dirigido por um Chefe de Posto, nomeado 2. O exercício de cargo ou funções implica a promoção do seu
pelo Comandante-Geral da PRM, sob proposta do Comandante titular à patente orgânica definida no presente Estatuto.
Provincial da PRM, de entre os oficiais da Polícia com a patente
de Inspector Principal da Polícia. ARTIGO 49

SECÇÃO VI (Regulamento Interno)

Sector Policial Compete ao Ministro que superintende a área de ordem


ARTIGO 47 e segurança públicas, aprovar o Regulamento Interno da PRM,
no prazo de sessenta dias, a contar da data da publicação do
(Definição)
presente Estatuto.
1. O Sector Policial é um desdobramento operativo que
funciona junto das comunidades e povoações, podendo ARTIGO 50
compreender Sector Maior e Sector Menor. (Organização das Unidades de Operações Especiais e de Reserva)
2. O Sector Maior é dirigido por um Chefe de Sector Maior
com a patente de Inspector da Polícia, nomeado pelo Comandante- A organização das Unidades de Operações Especiais e de
-Geral, sob proposta do Comandante Provincial da PRM. Reserva é estabelecida em regulamento próprio, aprovado pelo
3. O Sector Menor é dirigido por um Chefe de Sector Menor Ministro que superintende a área da ordem e segurança pública.
com a patente de Subinspector da Polícia, nomeado pelo
ARTIGO 51
Comandante-Geral, sob proposta do Comandante Provincial
da PRM. (Qualificadores dos cargos de Comando, Direcção, Chefia, Confi-
ança, Carreiras Profissionais da PRM e Quadro de Pessoal)
CAPÍTULO III
Compete ao Ministro que superintende a área de ordem
Disposições Finais e Transitórias
e segurança públicas submeter ao órgão competente as propostas
ARTIGO 48 dos Qualificadores dos cargos de Comando, Direcção, Chefia,
(Nomeações e promoções) Confiança, das Carreiras Profissionais da PRM e o Quadro
1. Para os cargos de comando, direcção, chefia e confiança de Pessoal à sua aprovação no prazo de 90 dias, contados a partir
previstos no presente Estatuto, serão nomeados oficiais de da publicação do presente Estatuto.

Organograma do Comando Geral da PRM

Conselho da PRM
Estabelecimentos
Comandante-Geral de Ensino da PRM
Conselho do CGPRM

Conselho de Ética
e Disciplina da PRM Vice-Comandante-Geral
Gabinete do
Comandante-Geral

Direcção de Direcção Direcção de Direcção de Direcção de Direcção Depto


Inspecção da de Doutrina e Operações Informação Pessoal e de Logistica Depto de A. F. Depto de Tecnologias e Depto de Depto de Depto
PRM Ética Policial
Interna Formação Estudos e Sistemas de Informação
e Finanças M. íitimas Relações Cooperação Jurídico
Planificação da Violência e Comunicação Internacional
Públicas

Comando do Ramo da Polícia Comando do Ramo da Comando do Ramo da


de Ordem e Segurança Polícia de Fronteiras Polícia Costeira, Lacustre e
Pública Fluvial Unidade de Unidade de Protec Unidade de Operações Unidade Unidade de Unidade
Intervenção de Altas de Combate ao Canina Cavalaria de Desactivação
Rápida Terrorismo e Resgate de
Individualidades de Engenhos
Depto. Operações Refens
Depto. Operações Depto. Operações, Explosivos
Protecção e Fiscalização
Depto. da Policia de
Protecção Depto Reconhecimento
Depto. de Doutrina
e Inteligência
e Ética Policial
Depto. da Policia de
Transito Depto. de Doutrina
e Ética Policial Depto. Gestão de Pessoal

Depto. da Pol. de Tran.


e Comunicações Depto. Logística
Depto. Gestão de
Pessoal e Finanças

Depto. Protec. Recursos


Natur. e Meio Ambiente Depto. Logística
e Finanças
Depto. do Policiamento
Comunitário
1 DE JULHO DE 2019 2489

Organograma do Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique

Organograma do Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique


Conselho Provincial
da PRM
Comandante
Serviços Sociais
Provincial da PRM
Conselho Provincial
de Ética e Disciplina
da PRM

Gabinete do
Comandante

Direcção de Direcção de Direcção de


Doutrina e Pessoal e Logística e Depto.de Depto de Depto de Depto. de Depto de A. Depto de Depto Depto de
Ética Policial Formação Finanças Operações Informação F. M.
Inspecção Estudos e Relações Jurídico Comunicação
da PRM Planificação Interna Vitimas da Públicas
Violência

Direcção de Ordem e Regimento da Polícia de Regimento da Polícia


Segurança Pública Fronteiras Costeira, Lacustre e
Fluvial

Sub-Unidade Sub-Unidade de Sub-Unidade Sub- Sub- Sub-Unidade


de Protec de Altas de Operações Unidade Unidade de
Intervenção Individualidades de Combate Canina de Desactivação
Rápida ao Terrorismo Cavalaria de Engenhos
e Resgate Explosivos
de Refens
Preço — 90,00 MT

IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE, E.P.

Você também pode gostar