Você está na página 1de 10

EMEF Ouvidor Sampaio

SEGMENTO: ENSINO FUNDAMENTAL


SEMED – MANAUS - AM

POESIA LITERÁRIA NA ESCOLA: O TEXTO POÉTICO NO


PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM.

Manaus – Amazonas
2019
POESIA LITERÁRIA NA ESCOLA: O TEXTO POÉTICO NO
PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM.

Autora: Silvana Nascimento de Carvalho¹


Co-autora: Simone Helen Drumond Ischkanian2
EMEF Ouvidor Sampaio – Ensino Fundamental I
Resumo:

Partindo de uma visão interacionista da linguagem, o ensino de Língua Portuguesa deve centrar-
se em práticas significativas e contextualizadas em que o uso da língua oral, escrita e a análise e
reflexão sobre a língua sejam trabalhos essenciais no processo de aprendizagem a fim de que o
aprendiz desenvolva "as quatro habilidades linguísticas básicas, falar, escutar, ler e escrever".
(Parâmetros Curriculares Nacionais / Língua Portuguesa, 2001:43). Poesia literária na escola: o
texto poético no processo de ensino-aprendizagem é um projeto de incentivo à leitura e à escrita
fundamentado no princípio de que a poesia associada a atividades lúdicas e a diversas formas de
arte (música, dança, teatro, desenho e pintura) estimula o prazer de ler e escrever. As
brincadeiras e jogos também possibilitam múltiplas aprendizagens.Ângela Meyer Borba,
doutora em educação (in. BRASIL/MEC, 2000: 39) afirma que: " ... o brincar é um espaço de
apropriação e constituição pelas crianças de conhecimentos e habilidades no âmbito da
linguagem, da cognição, dos valores e da sociabilidade".O Projeto foi desenvolvido no período
de março a setembro de 2019, no EMEF Ouvidor Sampaio – Ensino Fundamental I. O Projeto
foi divido em etapas. os alunos estudaram quadrinhas, parlendas, cantigas de roda e de ninar,
brincaram com jogos, fizeram dramatizações e painéis poéticos, realizaram–se leituras e
análises de poemas, pesquisaram–se biografias de poetas e confeccionaram–se livrinhos com os
poemas preferidos dos alunos). Um fator relevante é que os alunos apreciaram, foram as
músicas instrumentais, participaram de oficinas de música, dança, desenho e pintura para
ilustração dos poemas. Trabalhou–se com leitura de imagens, recortes e colagens, os alunos
criaram e ilustraram poemas relacionados à nossa querida Pátria amada Brasil, e em seguida
realizou–se um recital. Posteriormente foram selecionados poemas dos alunos para a
organização do livro escolar. Na realização da parada poética na escola, tivemos a exposição
dos trabalhos dos alunos.

Palavras-chave: Poesia, Ludicidade, Música, Leitura, Cultura, Arte

¹ Formada em pedagogia pela Universidade do Estado do Amazonas, professora concursada da SEMED Manaus.

2
Mestra em Ciências da Educação, Pedagoga da SEMED, professora na Universidade do Estado do Amazonas, no
curso de pós graduação, tutora EAD em plataformas educacionais para inclusão escolar. Autora do para Método de
Portfólios: Inclusão, e-mail: simone_drumond@hotmail.com – WhatsApp (92) 98813-9525 – 98808-2372
Introdução:

Poesia literária na escola: o texto poético no processo de ensino-aprendizagem não teve


como objetivo a decodificação do código linguístico ou a simples memorização de
conceitos e/ou regras descontextualizadas. A intenção foi dar especial atenção à
experimentação da obra poética, por meio do diálogo entre os leitores e deles com as
produções. Centradas na concepção do linear, as propostas desenvolvidas nas atividades
pretenderam ser uma ferramenta pedagógica para a prática docente no processo de
ensino e de aprendizagem da língua portuguesa. A exploração de poemas foi realizada
para que o contato com as obras ocorresse, inicialmente, de maneira pessoal,
incentivando a construção de sentidos pelos alunos, encorajando-os a atribuir novos
significados à multiplicidade interpretativa que a poesia possibilita no projeto de
letramento literário proposto. A sequência didática foi o instrumento utilizado para
promover a leitura de poemas no ambiente escolar e em casa, além da posterior
socialização das vivências com toda a comunidade leitora.

A linguagem é o instrumento pelo qual o ser humano se comunica, tem acesso à


informação, expressa seu pensamento, articula idéias e produz cultura. E para tanto, faz-
se necessário o domínio de uma língua. Aprender uma língua significa conhecer e
compreender os signos linguísticos e seus significados e refletir sobre a natureza da
comunicação, suas intenções nas diversas situações de interação sociais que exigem
modos diversos de expressão da linguagem. Entretanto, "a língua é um conjunto de
signos histórico e social que possibilita ao homem significar o mundo e a realidade"
(Parâmetros Curriculares Nacionais/Língua Portuguesa, 2001: 34).

Leitura e escrita são atividades interdependentes, pois através da inter-relação leitura-


produção é possível o educador trabalhar com o aluno a atividade de reflexão. A leitura
é um processo de interlocução entre o leitor/autor mediado pelo texto. Encontro com o
autor, ausente, que se dá pela palavra escrita. Através da leitura crítica e dinâmica de
gêneros textuais diversos é possível formar leitores que sejam capazes também de
produzir textos coerentes, coesos e adequados quanto à ortografia e à situação de
comunicação.
O ensino de Literatura deve estar integrado ao ensino da Língua Portuguesa, pois o
texto literário suscita o imaginário, desperta as emoções, desenvolve a sensibilidade
estética, a expressão linguística, favorece a construção de conhecimentos e ainda
diverte. A poesia (gênero literário) é a expressão de nossos sentimentos, valores e visão
de mundo, porém, ela se materializa no poema.

A fantasia, a sensibilidade e o predomínio da linguagem afetiva caracteriza o campo da


poesia e da infância e, por isso, a experiência que a criança deve ter na escola em
relação à poesia é aquela em que o seu valor artístico seja trabalhado de forma lúdica e
prazerosa, na qual a música, os jogos e as brincadeiras façam parte desse universo,
como argumenta Cunha (1994). Sabemos que a poesia de nossa época está próxima das
cantigas populares e folclóricas, das canções de ninar, dos versos de roda e dos jogos - e
ao entrar na escola esta é a experiência que a infância tem, e continuará a ter no período
escolar no campo da poesia.

A poesia associada a diferentes formas de arte (desenho, pintura, música, dança e teatro)
contribui inegavelmente para uma aprendizagem significativa da língua materna e
desperta o gosto pela literatura, pois de acordo com os Parâmetros Curriculares
Nacionais/Artes (2001).

O conhecimento em arte abre perspectivas para que o aluno tenha uma compreensão do
mundo na qual a dimensão poética esteja presente: a arte ensina que é possível
transformar continuamente a existência, que é preciso mudar referencias a cada
momento, ser flexível. Isto quer dizer que criar e conhecer são indissociáveis e a
flexibilidade é a condição fundamental para aprender.

Portanto, para que as atividades que envolvem linguagem oral e linguagem escrita,
leitura e produção de textos venham contribuir para um ensino-aprendizado eficiente e
eficaz da Língua Portuguesa e a da Literatura, faz-se necessária a elaboração de projetos
de leitura e escrita, pois são formas organizadas significativas e contextualizadas nas
quais todos os envolvidos compartilham um objetivo e buscam um produto final.
Justificativa:

O Projeto poesia literária na escola: o texto poético no processo de ensino-aprendizagem


é uma proposta educacional de incentivo à leitura e à escrita. Os aprendizes do 5º ano
do Ensino Fundamental da EMEF Ouvidor Sampaio apresentavam carências
significativas no aprendizado da leitura e da escrita. A qualidade das produções escritas
nos campos formal, discursivo e semântico observando as habilidades de cada faixa
etária dos alunos e a série (ano). Os aspectos mencionados foram registrados
sistematicamente em fichas individuais de acompanhamento do rendimento escolar do
aluno. A partir do preenchimento das fichas, observação e análises de seus resultados,
constatou-se que o projeto contribuiu para a aquisição de conhecimentos linguísticos, o
aprendizado de técnicas literárias, a formação de leitores escritores, o respeito à opinião
e a expressão; resgatou a identidade cultural da comunidade e contribuiu para a
formação de cidadãos críticos.

Objetivos:
 Minimizar as possíveis dificuldades na aquisição da escrita e leitura;
 Incentivar o hábito da leitura e despertar o amor pelos livros;
 Inserir as crianças no universo poético, familiarizando-as com a linguagem poética e
com a forma gráfica dos textos poéticos;
 Conhecer e identificar verso e estrofe do poema;
 Estimular a oralidade, a leitura e a escrita;
 Desenvolver inúmeras atividades relacionadas ao universo poético;
 Despertar a motivação e interesse para ouvir, ler, interpretar e escrever poesias;
 Expor suas idéias e emoções através dos recursos tão expressivos da linguagem
poética e as infinitas possibilidades da palavra;
 Enriquecer o vocabulário;
 Exercitar a imaginação e a criatividade;
 Estimular o pensamento reflexivo;
 Desenvolver o raciocínio e a memória;
 Estimular a prática da leitura-prazer e a produção de textos poéticos;
 Desenvolver a entonação e o ritmo.
Procedimentos Metodológicos:

O Projeto poesia literária na escola: o texto poético no processo de ensino-aprendizagem


atuou em uma metodologia diversificada.

Etapas realizadas:
1. Apresentação da justificativa para a realização do projeto na escola. Refletimos sobre
os eventos literários e a importância da leitura de poemas. Foi um momento também de
reflexão sobre o título do poema e sobre o que ele sugeria: O que é um convite? Para
que serve um convite? Neste contexto iniciamos a elaboração do nosso portfólio
poético.

2. Momentos de informações sobre os poetas, bem como contextos de produção,


características e dados biográficos consideradas relevantes para socialização. Os alunos
foram convidados a ler a pesquisa por meio dos seguintes questionamentos: “Quem
gostaria de ler ou comentar sobre o(a) poeta que pesquisou?” “O que descobriu sobre
ele(a), o que gostou ou não e gostaria de comentar?” Após a socialização das pesquisas,
a professora recolheu as anotações dos alunos para verificar o registro escrito e intervir
na ortografia, para que elas fossem reescritas e expostas no mural da sala.

3. O desenvolvimento das atividades foi bastante produtivo. Os alunos participaram


comentando e respondendo a questionamentos como: “O que é uma paisagem?”,
“Alguém já ouviu falar em Brodósqui?”, “E Cândido Portinari, você conhece?”. Ao
final das interações, lemos o texto em grupo. Pedi que, em casa, os alunos lessem os
poemas para a socialização na aula seguinte. Sugerimos a leitura em voz alta, que o
aluno lesse para alguém e que fizesse o registro pessoal escrito no portfólio. A leitura e
o registro poderiam ser por meio de palavras, frases, desenhos ou o que desejassem
explorar no texto.

4. Os estudantes foram questionados sobre a leitura de casa. Um aluno disse: ”podemos


escrever, desenhar e dizer o que sentimos, foi como ir no psicólogo”. Essa resposta
corrobora o objetivo dessa pesquisa e revela como é importante o professor não dar
respostas/interpretações prontas para os alunos, mas possibilitar que eles elaborem suas
próprias hipóteses e ativem seus conhecimentos durante a leitura.
Os questionamentos usados na leitura compartilhada em sala de aula foram:
 Qual o assunto deste texto?
 O que percebe ao ler/ouvir este poema?
 O que o texto desperta em você?
 Fechando os olhos, consegue imaginar o que o texto sugere?
 Foi preciso reler o texto para compreendê-lo melhor?
 Você compreende o assunto do poema da mesma maneira que o poeta?
 Já aconteceu algo parecido com você ou com alguém que conheça?
 Você se lembra de algum lugar/pessoa/fato/situação/ sonho/acontecimento/problema
parecido?

5. Diálogos interpretativos e produção intertextuais, principalmente com poemas, que


fazem parte de nossa realidade do Amazonas.

6. Um dos alunos trouxe para a aula um recorte de livro com o poema dizendo:
Professora, observe o que encontrei, uma posia em forma de pintura”. Era o desenho de
um quadro de artista desconhecido local. Essa foi a oportunidade de socializarmos o
poema em forma de imagem e discutirmos sobre a intertextualidade.

7. Contextualizamos questionamentos detalhados da aula anterior e também com a


sequência didática. Inicialmente, os alunos puderam socializar suas impressões pessoais
de leitura. Em seguida, empolgados, mostraram para a professora seus registros escritos
no portfólio.

8. Apresentação de leituras, a professora deixou tempo suficiente para que os alunos


dissessem o que haviam entendido dos textos, abordagem empregada em todas as aulas.

9. Para que pudessem tirar dúvidas, leram os textos em voz alta, e, quando a
compreensão de algum vocábulo ou frase pareceu difícil, partilharam suas conjecturas.

10. Momentos de interpretação pessoal para ampliar os saberes com o grupo e projetar
as perspectivas finais do projeto.
Resultados e Discussão:

O Projeto está fundamentado no princípio de que a poesia associada a diversas formas


de arte (música, dança, teatro, desenho e pintura) e a atividades lúdicas (brincadeiras e
jogos) estimula o prazer de ler e escrever. O poema é um gênero textual com
características próprias que permite através da sua linguagem polissêmica o
desenvolvimento da imaginação, do senso crítico, da expressão oral e escrita e do
vocabulário. O brincar possibilita o desenvolvimento da linguagem, da inteligência, dos
valores e da socialização. E o ensino de arte desenvolve a percepção, observação e a
sensibilidade do educando.

Avaliação:
•· O interesse do aluno por ouvir, ler e escrever poemas.
•· Assiduidade e participação nas atividades realizadas.
•· A sensibilidade e a criatividade na recepção, apreensão e produção de textos
poéticos.
•· A socialização das idéias do aluno perante o grupo e o respeito às idéias do
outro.
•· Autonomia e posicionamento crítico na leitura e produção de poemas.
•· A disposição do aluno em fazer a auto-avaliação de suas produções escritas com
o objetivo de aprimorá-las.
•· O uso adequado da linguagem na expressão oral e escrita dos alunos.
•· Desempenho na realização das atividades individuais.
.

Conclusões:

Sabemos que a literatura possibilita o encontro do ser humano com a cultura e se


tratando do leitor do Ensino Fundamental I, o prazer, a fantasia e a realidade que o
cerca, permitem fluir o imaginário. Além de propiciar lhe uma leitura ampla e crítica
dos valores sociais existentes na sociedade, contribui para a formação de um sujeito-
leitor, crítico-reflexivo e ativo em suas decisões sociais enquanto participante da
sociedade. Portanto, repensar a formação e o papel da professora em sala é uma das
questões fundamentais para uma prática pedagógica eficiente. A importância da poesia
na escola está na sua ação formadora, pois ela representa uma forma que ajudará a
ampliar o domínio da linguagem e capacita o leitor na construção do conhecimento.
Assim, o texto poético possibilita ao indivíduo conhecer a si mesmo e ao outro e ainda o
mundo que está a sua volta. Leva à recriação e à busca de novos sentidos que um texto
pode oferecer. Desta forma, é relevante que a escola propicie ao aluno momentos de
contato com os textos poéticos. Sentindo e apreciando a poesia, o discente se sensibiliza
ante o mundo e usufrui dela como um meio de comunicação inclusive consigo mesmo.
Portanto, a função da escola pode não ser o de formar poetas e sim tornar os alunos
sensíveis à poesia.

Referências:

BRASIL. Ministério da educação. Ensino Fundamental de nove anos: orientações


para a inclusão da criança de seis anos de idade. 1. ed. Brasília: FNDE, Estação
Gráfica, 2006.

CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil: Teoria & Prática. São
Paulo: Ática, 1994.

ISCHKANIAN, Simone Helen Drumond. Poesias da natureza. Disponível em:


http://simonehelendrumond.blogspot.com/2011/01/apostila-de-poesias-natureza-
viva.html.Acessado em: 13/03/2019

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: Língua Portuguesa. Ministério da


Educação. Secretaria da Educação Fundamental. 3. ed. vol. 2. Brasília: 2001.
______ : Arte/Ministério da Educação Fundamental. 3. ed. vol. 6. Brasília: 2001.

Você também pode gostar