Você está na página 1de 3

ATRIBUIÇÕES DO SARGENTO (C.B.

O) ATRIBUIÇÕES DO SARGENTO (LEI 3196/78)


DE F.A.C.A PRE.S.A
- Os subtenentes e SARGENTOS auxiliam e complementam as atividades dos oficiais no
- COMANDAR o grupo e a guarda do quartel;
ADESTRAMENTO e no EMPREGO DE MEIOS, na INSTRUÇÃO e na ADMINISTRAÇÃO, podendo ser
- ASSESSORAR o comando;
empregados na execução de atividades de POLICIAMENTO OSTENSIVO peculiar da Polícia Militar.
- ADMINISTRAR as atividades da unidade;
- DESENVOLVER processos e PAD’s; - Deverão impor-se pela LEALDADE, pelo EXEMPLO e pela CAPACIDADE PROFISSIONAL E TÉCNICA.
- Participar na FORMAÇÃO de policiais;
- Assegurar a observância minuciosa e ininterrupta das ordens, das regras do serviço e das normas
- SUPERVISIONAR o policiamento ostensivo;
operativas.
- ATENDER ocorrências;
- PRESTAR serviços comunitários. - Manutenção da coesão e da moral em todas as circunstâncias.

OUTRAS ATRIBUIÇÕES DO SARGENTO DEFINIÇÃO DE TERMOS (C.C.E)


- CPP: Designação de ESCRIVÃO PARA - COMANDO: CONJUNTOS DE AÇÕES desenvolvidas pelo comandante e seus assessores visando
INQUÉRITO caberá ao respectivo atingir os objetivos da organização.
encarregado, se não tiver sido feita pela
- COMANDANTE: policial que PLANEJA, ORGANIZA, DIRIGE, COORDENA E CONTROLA o emprego de
autoridade que lhe deu delegação para
suas forças, e como tal, é o ÚNICO RESPONSÁVEL pelas decisões.
aquele fim, recaindo em 2º ou 1º tenente,
se o indiciado for oficial, e em SARGENTO ou - EXECUTOR: policial responsável pela EXECUÇÃO dos procedimentos operacionais pré-existentes. (em
subtenente ou suboficial, nos demais casos. geral, cabos e soldados)
- RDME: ENCARREGADO de PAD-RS Obs. O planejamento é o grande sustentáculo do comandamento.

PLANEJAMENTO O QUE NÃO DEVE SER ENTENDIDO COMO PLANEJAMENTO (O P4 RESOLVE OS PROBLEMAS)
PROCESSO desenvolvido para o ALCANCE DE - PREVISÃO: esforço para verificar quais serão os eventos que PODERÃO OCORRER, com base no
UMA SITUAÇÃO desejada de um modo mais registro de atividades.
eficiente, eficaz e de maneira efetiva,
- PROJEÇÃO: achar que o futuro TENDE A SER IGUAL ao passado.
portanto, requer que seja tomado um
conjunto de providências para atingir o - PREDIÇÃO: achar que o futuro TENDE A SER DIFERENTE do passado.
objetivo.
- PLANO: FORMALIZAÇÃO / consolidação das informações e atividades desenvolvidas no processo de
Indagações: o que fazer, como, quando, planejamento / visão estática do planejamento.
quanto, para quem, por que, por quem e
- RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: ASPECTOS IMEDIATOS que procuram tão somente a CORREÇÃO de
aonde.
certas descontinuidades e desajustes entre a organização e as forças externas que lhe sejam
ASPECTOS DO PLANEJAMENTO (C.A.P) potencialmente relevantes.

- CONSEQUENCIA: implicações futuras de PROPÓSITOS DO PLANEJAMENTO


decisões presentes.
- Proporcionar uma situação viável de avaliar as implicações futuras de decisões presentes em função
- ABRANGÊNCIA: Não é um ato isolado. de objetivos institucionais que FACILITARÃO A TOMADA DE DECISÃO NO FUTURO, de modo mais
Processo de relações inter-relacionadas e rápido, coerente, eficiente e eficaz. Reduzir a incerteza no processo decisório / Aumento de
interdependentes que visam o alcance de probabilidade de alcance dos objetivos, desafios e metas estabelecidos.
objetivos previamente estabelecidos.
- PROCESSO: seqüência de atos, segundo TIPOS DE PLANEJAMENTO / NÍVEIS HIERÁRQUICOS
determinada metodologia. É mais ES.TA.O
importante que o produto final (plano).
- ESTRATÉGICO: objetivos de longo prazo, ações que afetam a empresa como um todo. Sustentação
CICLO PDCA metodológica para se estabelecer a melhor direção a ser seguida pela Instituição. (Ex. Alto Comando)

“PLADO CHECOU A AÇÃO” - TÁTICO: Objetivos de curto prazo, ações que, geralmente, afetam somente parte da empresa.
Objetivo: aperfeiçoar determinada área de resultado e não a Corporação como um todo. (Ex. CPO)
PLAN (planejamento)
- OPERACIONAL: Formalização através de documentos escritos, metodologias de desenvolvimento e
DO (fazer, execução) implantação estabelecidas. (Ex. Unidades)
CHECK (checagem, verificação)
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TÁTICO OPERACIONAL
ACT (ação) PRAZO Longo Médio Curto
Ex. Reestruturação do Ex. Aquisição de Ex. Cerco Tático
CICLO PDCA efetivo da PMES Viaturas para BME
PLAN (PLANEJAMENTO) AMPLITUDE Ampla Média Restrita
- Localizar problemas (analisar fatores que RISCOS Extremo Considerável Pequeno
influenciam o problema e identificar suas ATIVIDADES Meio e Fim Meio e Fim Fim
possíveis causas) FLEXIBILIDADE Maior Menor Insipiente
- Estabelecer planos de ação / metas (definir
um plano de ação eficiente) CICLO PDCA DECISÃO
DO (FAZER, EXECUTAR) O planejamento visa respaldar a tomada de
- É um ciclo, deve “girar” constantemente - Realizar todas as atividades previstas e decisão. As decisões podem ser:
- Planejamento => Execução => Checagem planejadas dentro do plano de ação. - Individuais: independentes de interferências
=> Ação externas. Individuo busca o equilíbrio em suas
CICLO PDCA próprias convicções.
CICLO PDCA ACTION (AÇÃO)
- Pequenos Grupos: após diálogo de determinado
CHECK (CHECAGEM, VERIFICAÇÃO) - Tomar providências estipuladas nas
grupo, diante de influência persuasiva, porém
- Monitorar e avaliar constantemente os avaliações e relatórios.
dentro de parâmetros estabelecidos pelo grupo.
resultados obtidos.
- Se necessário, traçar novos planos de ação
- Grupos Maiores ou de Maior Influência: Decisões
- Avaliar processos e resultados para a melhoria da qualidade.
que envolvem inúmeras variáveis que vão afetar
confrontando com o planejado. - Visa a correção máxima de falhas. uma parcela considerável da população ou toda
- Atualizar / implantar gestão à vista - Padronizar e treinar o sucesso. ela. Tomadas pelos órgãos públicos ou empresas.
ETAPAS DO PROCESSO DECISÓRIO
IDANA tem PROBLEMAS², mas FORMAN-SE ALTERNATIVAS³
1. IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA: O mais importante é definir com precisão QUAL O PROBLEMA A SER RESOLVIDO
2. ANÁLISE DO PROBLEMA: Análise preliminar para a definição correta do problema auxilia a listar o rol de causas prováveis e caminhar para a causa
mais determinante. QUAIS AS POSSÍVEIS CAUSAS DO PROBLEMA? (Obs. Não confundir causa e efeito)
3. FORMULAÇÃO DE ALTERNATIVAS: BUSCAR ALTERNATIVAS VIÁVEIS para a solução do problema a ser resolvido. As alternativas devem ser racionais,
lógicas e criativas. Deve buscar informações em situações, experiências e documentos anteriores.
4. ANÁLISE DE ALTERNATIVAS: Depois de concebidas diversas alternativas deverão ser observadas as CONSEQÜÊNCIAS DE CADA UMA DELAS, para
estimar as vantagens e desvantagens apresentadas.
5. SELEÇÃO DE ALTERNATIVAS (DECISÃO): Escolher a DECISÃO MAIS VIÁVEL entre as várias alternativas analisadas.

CINCO PARÂMETROS DA TOMADA DE DECISÃO COORDENAÇÃO


RI.MO E DI.VERSÃ.O Deve estar presente em todas as fases do processo. Visão
das partes e do todo. Deve-se observar e gerenciar vontades,
- RISCO: Cada uma das alternativas apresenta RISCOS E VANTAGENS, no entanto, conflitos e interesses.
deverá externar sua decisão, pois a ausência dela leva a uma operação desordenada e
acéfala.
CONTROLE
- MOMENTO: Em muitos casos o tempo é exíguo e a cobrança enorme. ESCOLHA DO Verificar se tudo está sendo feito de acordo com o que foi
MOMENTO E COMO ATUAR. Ações que podem causar resistência indesejada devem planejado; se as ordens estão sendo cumpridas; assinalar
ser feitas de imediato. faltas e erros, a fim de repará-los e evitar repetição.
- ESFORÇOS: o ideal é a busca da EFICIÊNCIA COM O MENOR ESFORÇO; a escolha da Um controle eficiente facilita mudanças e possibilita
alternativa menos dispendiosa é imprescindível. observação rápida e correção dos erros.
- DISPONIBILIDADE DE RECURSOS: a decisão deve contemplar a DISPONIBILIDADE Instituições Militares: fiscalização e coordenação se
LOGÍSTICA E DE PESSOAL. Um plano superdimensionado pode não ser factível. confundem. Se o fiscal for o comandante, ele também será
- VERSATILIDADE: decisões devem ser de FÁCIL ADEQUAÇÃO, pois podem ocorrer o coordenador.
mudanças imprevisíveis no cenário estudado.
AVALIAÇÃO
ESQUEMA DE DESENVOLVIMENTO DE UMA OPERAÇÃO Última etapa do planejamento de uma operação. Produção
A MISS em FORM.A D.EX.AVA de relatório ao final de cada evento, relacionando de forma
sucinta os pontos positivos e negativos.
- MISSÃO: análise de relatórios anteriores, definição do problema, informações sobre o
evento, logística disponível, efetivo disponível. O relatório é um instrumento importantíssimo para a
confecção de planejamentos futuros.
- FORMULAÇÃO DE ALTERNATIVAS
- DECISÃO ATUAÇÃO DOS SARGENTOS DO CAMPO OPERACIONAL
- EXECUÇÃO, COORDENAÇÃO, SUPERVISÃO CÉLIa no DPM montou uma EQUIPE de CPU para a
- AVALIAÇÃO: Produção de relatório. GUARNIÇÃO.
COMANDANTE DE:
COMANDANTE DE CÉLULA INTERATIVA
- Ações inerentes ao policiamento interativo / Interação comunitária - CÉLULA INTERATIVA
- Interferência direta na distribuição do policiamento - DESTACAMENTO POLICIAL MILITAR (DPM)
- Coordenação de operações para atender demanda local
- EQUIPE (GAO, ROTAM, BME, CASA MILITAR...)
- Análise de indicadores de criminalidade
- Reuniões interativas com a comunidade - POLICIAMENTO DA UNIDADE (CPU)
- Reuniões com os comandados para transmissão de ordens - GUARNIÇÃO
- Supervisão da célula interativa sob sua responsabilidade.
COMANDANTE DE EQUIPE
COMANDANTE DE DPM - Comandante direto das equipes de policiamento das mais
- Referência para a comunidade. Além das atribuições de comandante de célula variadas unidades da PMES.
interativa, caso haja, o comandante de DPM é: - Responsabilidade sobre toda a dinâmica do policiamento a
- Responsável pelo efetivo alocado para o serviço operacional ser exercido.
- Atendimento de demandas locais de policiamento - Coordenar pequenas operações, local de patrulhamento,
- Carga da PMES destinada ao destacamento vistorias, abordagens.
- Facilitador na execução de atividades de policiamento, subsidiando o comandante - Identificar locais de maior incidência de determinados
imediato. delitos
- Avaliar melhor estratégia de policiamento e ação a ser
COMANDANTE DE POLICIAMENTO DA UNIDADE (CPU) adotada diante da peculiaridade de cada região/situação
- Função de CPU requer uma gama de conhecimentos e atitudes diante das vertentes - Gozam de AUTONOMIA E LIDERANÇA
do serviço operacional. - Conduta profissional ética perante seus comandados.
- Fiscalização e planejamento da melhor dinâmica a ser adotada para a execução das
atividades operacionais da OME.
IMPORTÂNCIA ASCENSÃO HIERÁRQUICA / FUNCIONAL
COMANDANTE DE GUARNIÇÃO A ascensão hierárquica impõe ao ME a obrigação de se
- Chefes de guarnição operacional. adequar às peculiaridades da graduação atingida.
- Coordenação das atividades, auxiliando o CPU. Não é ignorada a dificuldade de adaptação às novas funções,
- Utilizar das premissas hierárquicas para melhor aplicabilidade dos recursos porém, a promoção à graduação de sargento da PMES
disponíveis. agrega uma série de novas obrigações, que em alguns casos
são esquecidas pelos profissionais que continuam se
NOME DA OPERAÇÃO (ORDEM DE SERVIÇO) comportando como executores (função que exercia até
Especificado de acordo com o evento, pode ser perene ou pontual. então).
FORMULAÇÃO DE ORDEM DE SERVIÇO SITUAÇÃO (5 ITENS)
- NOME DA OPERAÇÃO E.L.E É ADVERSO a INFORMAÇÕES GERAIS*
- SITUAÇÃO a) INFORMAÇÕES GERAIS: Informações gerais acerca do evento em parágrafos. Deverá
destacar de onde veio a demanda.
a) INFORMAÇÕES GERAIS
b) Elementos ADVERSOS: elementos classificados como COMPLICADORES para a
b) Elementos ADVERSOS
eficiente execução da operação (clima, peculiaridade do terreno, grupos adversários...)
c) Elementos favoráveis
c) Elementos favoráveis: elementos que podem FACILITAR a execução do policiamento.
d) Logística Disponível
d) Logística Disponível: descrever MEIOS DISPONÍVEIS para a execução da operação
e) Efetivo Disponível (veículos, equipamentos de segurança, armamento...)
- MISSÃO e) Efetivo Disponível: quantidade de policiais que estão disponíveis para o atendimento
a) Geral da missão.
b) Particular *Observar que a ordem da mnemônica está invertida

c) Eventual
MISSÃO (G.P.E)
- OBJETIVOS
a) Geral: informação PANORÂMICA do objetivo da operação.
- EXECUÇÃO (COOR.DA E C.U.E.C.A)
b) Particular: informar alguma PECULIARIDADE do policiamento, caso haja.
a) Comando e COORdenação
c) Eventual: relatar o que pode ser EVENTUALMENTE coibido com o planejamento.
b) DAta/Hora Início e Término
c) Efetivo Empregado OBJETIVOS
d) Chamada (local, data, hora) Pode relacionar quantos objetivos forem necessários. Para cada OBJETIVO listado
deverá ter uma ação correspondente no item EXECUÇÃO.
e) Uniforme
f) Armamento/Equipamento EXECUÇÃO
g) Comunicação COOR.DA E C.U.E.C.A
- ATRIBUIÇÕES a) Comando e COORdenação: nome e QTI.
- PRESCRIÇÕES DIVERSAS b) DAta/Hora Início e Término: informar início e término do evento.
c) Efetivo Empregado: nº do efetivo e separação pelo processo de policiamento.
d) Chamada (local, data, hora): local, data, hora da chamada
ATRIBUIÇÕES
e) Uniforme: informar o uniforme que cada policial deverá usar (RUIPMES)
- Definir atribuições dos componentes e distribuição do
efetivo. f) Armamento/Equipamento: descrever os armamentos/equipamentos necessários.

- Relacionar documentos que seguem em anexo. g) Comunicação: meios de comunicação entre os integrantes do efetivo.

PRESCRIÇÕES DIVERSAS FINALIZAR com:


Elencar todas as informações importantes e peculiares à operação, que não foram até então abordadas. Local/data, Assinatura, Distribuição.

Obs. As caixas em vermelho foram mencionadas como importantes pelos instrutores.