Você está na página 1de 6

Obs.

: Entretanto antes mesmo desse momento já


Os movimentos de Independência podemos observar manifestações e algumas ações que
na Ásia e na África evidenciavam esse propósito.
→ Corrida armamentista: Disputas tecnológicas que
Imperialismo envolviam conflitos locais e disputas por áreas de
→ Dominação política, econômica, cultural e social das influência. Assim, as antigas terras coloniais na África e
potências europeias, EUA e Japão nos continentes Ásia se tornaram prêmios a serem disputadas
africano, asiático. aproveitando o momento de luta contra o domínio
europeu.
 Tipos de dominação
 Diretrizes principais
→ Protetorado: Dominação através de um líder local.
→ Descolonização: Emancipações conduzidas e
→ Colônia: Dominação direta do país colonizador. apoiadas pelas antigas metrópoles. Nesses casos as
Governo na colônia. independências se consolidaram de forma pacífica e a
autonomia política não foi acompanhada pela
→ Área de influência: Dominação em áreas específicas
independência econômica. Essa diretriz atuou, de forma
mantendo o governo nativo.
evidente, nos movimentos ocorridos no Império
→ Econômica: Influência nos projetos econômicos dos Britânico.
países.
→ Guerras de Independência: Movimentos autonomistas
 Tratado de Berlim (1878) assumiram o formato de movimentos armados. A
ruptura com as antigas metrópoles se deu de forma
→ Domínio europeu das rotas fluviais africanas. violenta e a autonomia política promoveu a ruptura dos
→ Acordos com chefes tribais. laços e vínculos econômicos com as antigas metrópoles.
Em geral, os Estados surgidos através desses conflitos
→ Partilha da África. adotaram o modelo socialista.
 Justificativas Obs.: O elemento distintivo das áreas que foram alvo da
expansão imperialista era a sua grande diversidade. O
→ Darwinismo social: Assim como a evolução das
mais correto seria aludirmos a inúmeras “Áfricas” e
espécies, o darwinismo social acredita que a sociedade
“Ásias”. Traços que davam unidade a essas unidades:
também evolui. No entanto, como a Europa está bem na
frente, todos os outros países/regiões estarão sempre - Produção estar fundamentada na apropriação coletiva
atrás da Europa. das terras, que eram controladas pelo grupo social
dominante: família, clã, tribo ou Estado.
→ Eugenia: Ideia de que o europeu tem o fardo de levar
todos outros povos a civilização. - Nessas realidades a coesão grupal, em geral, era
assegurada pelo trabalho agrícola comunitário e pelo
Introdução culto dos ancestrais.
→ Correspondeu ao movimento de oposição e revoltada  Classificação dessas regiões
de inúmeras sociedades africanas e asiáticas à
dominação ocidental. → Regiões Densamente Povoadas:

→ Através dessa reação à dominação imperialista - Possuíam um nível mais acentuado de trabalho na
diversas regiões desses dois continentes recuperaram ou terra, com o uso de técnicas mais sofisticadas de
conquistaram a sua independência. produção.

→ Os países resultantes desse movimento passaram a se - Demonstravam grande preocupação com o


organizar como Estados Nacionais. Podemos entender desenvolvimento de técnicas de irrigação, consequência
essa última questão como uma vidência da manutenção das características regulares de suas condições
de referenciais culturais e políticos ocidentais, mesmo climáticas. Implicava em um esforço coletivo e
após a emancipação formal. constante, o que realçava o papel do Estado como agente
regulador do processo.
→ Os movimentos tiveram início, de forma mais
evidente, ao final da Segunda Guerra Mundial. Entre - Constituíam-se em Estados mais organizados com uma
1945 e 1960 é possível confirmarmos a ascensão de 40 formação social mais complexa.
novas nações.
- Em geral apresentavam uma sólida burocracia, o Agentes políticos e econômicos do poder
responsável pela organização dos trabalhos necessários à colonial.
produção em maior escala. o Plantadores ricos.
o Elites intelectuais articuladas aos centros
- Mantiveram, por séculos, contatos diretos e
intermitentes com países da Europa Ocidental. ocidentais de produção do conhecimento.
o Funcionários subalternos e um proletariado
- Podemos inserir nessa classificação boa parte dos agrícola e/ou industrial.
Estados da Ásia, Oriente Próximo e Norte da África.
→ Regiões de Fraca Densidade:
Origens dos movimentos
→ Os movimentos de independência da África e da
- Organização social fundamentada em um tribalismo
Ásia, no século XX, estavam diretamente associados às
bastante variado.
crises e à decadência das potências imperialistas, em
- Ausência de um poder despótico, com a autoridade especial as potências europeias.
(regulamentada por assembleias compostas por chefes
→ Se tornou patente a partir do final de I Guerra
de família e chefes de aldeia) concentrada nas mãos dos
Mundial, que fragilizou as bases da dominação
mais idosos.
imperialista, e, em especial, com a crise da Europa após
- Regiões que estavam situadas, basicamente, no que a Segunda Guerra.
correspondia à porção do continente africano situado ao
Obs.: A participação de tropas coloniais nos conflitos,
Sul do Saara.
bem como a importância assumida pelas colônias,
- Sociedades rurais que praticavam uma agricultura de protetorados e zonas de influência da África e da Ásia
subsistência e as relações com a terra, onde a terra era nos esforços de guerra dos países imperialistas,
objeto de apropriação coletiva e pertencia ao grupo influenciou diretamente esses movimentos, contribuiu
social dominante, família, clã ou tribo. diretamente para consolidar a consciência da força e da
importância dessas regiões estimulando assim os
Obs.: Vários clãs ligados, em geral, pela comunidade de movimentos autonomistas.
línguas constituíam uma etnia. A solidariedade era o
traço fundamental, assentada na família, que era a → A ascensão do nacionalismo asiático e africano.
comunidade de sangue e de trabalho. Princípio -
→ Influência da Carta da ONU (direito a
comunidade de sangue, de língua e mitos originais.
autodeterminação dos povos).
→ Zonas de Influência Islâmica, Hindu ou Chinesa:
→ Pan-africanismo (Jomo Queniata) e Pan-arabismo
- Geograficamente essas regiões estavam dispostas em (Gamal Abdel Nasser).
dois blocos: O primeiro estava compreendido entre o
Marrocos e a Ásia Central com predomínio islâmico. O  Principais origens
segundo abrangia o Sudeste Asiático e uma região que → As rivalidades entre as potências coloniais que
se estendia da Birmânia ao Vietnã; era uma zona de faziam com que muitos movimentos nacionalistas
influência hindu, chinesa e islâmica. fossem encorajados em colônias de adversários, a fim de
enfraquecê-los.
 Dominação imperialista
→ A mobilização da população colonial nas Guerras
→ A presença do Capitalismo, decorrente da dominação
Mundiais.
imperialista, provocou importantes mudanças na
realidade dessas sociedades. → As contradições inerentes ao próprio processo
colonizador. A dominação imperialista promoveu a
→ Ao mesmo tempo em que asseguraram os interesses
transferência cultural e ideológica das metrópoles às
das elites ocidentais, tais mudanças atuaram como
colônias.
contradições do próprio sistema de dominação:
Obs.: Possibilitou a adesão das elites e da população
- A desarticulação da agricultura tradicional.
local a valores e princípios ocidentais antagônicos à
- A apropriação privada da terra, desconhecida na dominação (o conceito ocidental de liberdade, o ideal de
maioria das regiões. cidadania e o Nacionalismo), diretamente associado ao
princípio da autodeterminação dos povos.
- O surgimento de uma nova estratificação social,
destacando-se alguns setores: → O confronto entre as condições materiais de vida do
colonizador e a dos colonizados, o que suscitou os
o Uma pequena burguesia de comerciantes e choques.
intermediários.
→ As influências do Socialismo.  Vietnam
→ A posição assumida pelas superpotências (EUA e → Parte da Indochina francesa, o Vietnã declarou
URSS) no contexto da Guerra Fria. Por seu conteúdo sua emancipação em 1945, através da “Liga para a
ideológico, estimularam os movimentos Independência do Vietnam”. Desencadeou uma longa
emancipacionistas. guerra contra os franceses, que se estendeu até 1954,
com a vitória dos vietnamitas.
- Os norte-americanos faziam fortes críticas à dominação
imposta no Leste pelos soviéticos. → Conferência de Genebra: Dividiu o Vietnã em dois
Estados, prevendo eleições gerais que definiriam um
- A União Soviética, por sua vez, desde o governo de
modelo que viabilizaria sua reunificação.
Lenin defendia como princípio em sua política externa a
autodeterminação dos povos. → Devido a sua política para o sudeste asiático e
temendo o chamado “Efeito Dominó”, os Estados
→ O enfraquecimento das potências coloniais, em
Unidos passaram a intervir na região. Apoiavam o
especial, devido às guerras.
Vietnã do Sul de orientação capitalista.
- As nações imperialistas europeias privilegiaram os
→ O governo de Washington temia a ascensão de Ho-
projetos de reconstrução nacional, deixando de lado a
Chi-Minh e do modelo implementado pelos norte-
manutenção de seus antigos impérios coloniais que
vietnamitas. Associação entre estruturas comunitárias de
experimentaram o despertar das nacionalidades.
vida e produção, promovidas pelo governo de caráter
→ Fim do mito da superioridade racial do ocidente. socialista.

 Conferência de Bandung → Com base no apoio dos EUA, o Vietnã do Sul iniciou
uma política de provocação a fim de fomentar a guerra.
→ No contexto da emancipação afro-asiática exerceu Promoveram uma política de confisco de terras doadas
grande influência a Conferência de Bandung, realizada aos camponeses e impediram a realização das eleições,
entre 18 e 25 de abril de 1955. previstas pela Conferência de Genebra.
→ Seus promotores foram a Indonésia, a Índia, o Ceilão, - Início uma longa guerra, com a participação direta dos
o Paquistão e a Birmânia. Posteriormente engajaram-se Estados Unidos. O conflito terminou em 1972 com a
outros 29 países da África e da Ásia. Estavam reunidos vitória do Vietnam do Norte e a assinatura dos Acordos
para se lançar a guerra contra o subdesenvolvimento, ou de Paris. Após a guerra, foi consumada a unificação dos
seja, com o objetivo de identificar os objetivos, dois Vietnam.
fraquezas, pontos fortes e características do que hoje
conhecemos como Terceiro Mundo (Bloco dos não  Oriente Médio
alinhados). Ou seja, ajuda mútua entre as nações afro-
→ Essa região sempre foi alvo de impérios, devido a sua
asiáticas.
importância econômica e estratégica.
→ No decorrer de seus trabalhos os países participantes
→ Até o fim da primeira Guerra Mundial o Oriente
elaboraram alguns princípios que tentaram implementar
Médio esteve sob a dominação do Império Otomano. No
como princípios comuns:
entanto, a ação Imperialista na região que se tornou mais
- Condenação do colonialismo. efetiva a partir de 1872. Seu principal marco foi a
aprovação, por parte do Xá da Pérsia, de uma concessão
- Condenação da discriminação racial. de setenta anos para o inglês Julius Reuter explorar os
- Condenação da corrida armamentista. recursos naturais da região.

- Defesa de uma postura de não alinhamento, surgindo → A ação dos EUA na região teve início a partir da I
daí um conceito de Terceiro Mundo. Guerra Mundial, intensificando-se ao final da Segunda
Grande Guerra. Tendo interesses na: criação do Estado
- Debate de problemas econômicos entre os de Israel, a Guerra Fria e o potencial petrolífero do
participantes. Oriente Médio.

Os Movimentos na Ásia → A partir do fim da Guerra Fria e do consequente


abandono da política do Soft Power, os norte-
→ Esse movimento autonomista se desenvolveu dentro americanos redirecionaram sua estratégia. Atualmente a
de um contexto específico, onde se destacava política do Hard Power (que teve na Doutrina Bush sua
principalmente a crise do imperialismo japonês no maior expressão) tem direcionado a maior parte de suas
Extremo Oriente a partir de sua derrota na 2ª Guerra, posturas.
assim como do enfraquecimento da presença de outras
nações como Inglaterra e França. Os Movimentos na África
→ Países como o Egito, a Etiópia e a África do Sul já - Moçambique: A guerra teve início com um ataque ao
haviam se emancipado desde o início do século XX. A posto administrativo de Chai no então distrito de Cabo
maioria dos Estados africanos, entretanto, somente se Delgado, e terminou com um cessar-fogo a 8 de
tornaram independentes a partir da década de 1950. setembro de 1974, resultando numa independência
negociada (Acordos de Lusaka) em 1975.
 A Independência das Colônias Portuguesas
→ Com a autonomia essas áreas adotaram o modelo
→ Por mais de 400 anos os grupos étnicos subjugados socialista e enfrentaram décadas de guerras civis.
por Portugal empreenderam as mais variadas formas de
resistência. Entretanto, foi a partir da década de 1960  O Caso Belga
que ganharam maior força os movimentos autonomistas
→ Expressiva participação dos setores populares, fruto
e a luta armada contra a dominação lusitana.
da criação de partidos autonomistas e da mobilização
→ Além do uso da força, outras formas de combater o desses setores em torno da luta por direitos políticos.
domínio colonial foram utilizadas. A publicação de
→ A longo do processo, diversos confrontos de rua
jornais, a promoção de greves o boicote ao pagamento
explodiram foram travados entre grupos étnicos rivais,
de impostos e a resistência cultural.
instigados pelos próprios colonizadores. Desestabilizou
→ A emergência dos movimentos autonomistas o movimento, entravando o processo e causando
esteve diretamente associada ao contexto da crise do centenas de mortes.
“Salazarismo”.
→ Levou a realização de acordos entre algumas
Obs.: Desde a terceira década do século XX Portugal lideranças africanas e o governo belga.
viva um regime que pode ser considerado um exemplo
Ex.: Emancipação do Congo, foi decidida em uma
dos movimentos totalitários que surgiram no cenário
conferência realizada em Bruxelas, na Bélgica, em
europeu, nos momentos que antecederam a II Guerra
janeiro de 1960.
Mundial.
→ 1974: Revolução dos Cravos (POR) – Movimento  A “África Francesa”
militar que derrubou a ditadura salazarista, de forma a → A França chegou ao fim da segunda GM esgotada
estabelecer as liberdades democráticas promovendo política e economicamente, a impediu de conter os
transformações sociais no país. movimentos de emancipação que ocorriam em suas
Obs.: Os militares fizeram com que Marcelo Caetano colônias.
fosse deposto, o que resultou na sua fuga para o Brasil. → Antigas áreas coloniais como a Tunísia, o Marrocos e
A população saiu às ruas para comemorar o fim da a África Equatorial conquistaram sua independência via
ditadura e distribuiu cravos, a flor nacional, aos soldados “descolonização”. Nesses casos foram firmados acordos
rebeldes em forma de agradecimento. e plebiscitos, mas, houve o surgimento de disputas
→ O grande desgaste do regime ditatorial em políticas e revoltas populares.
Portugal, associado a uma grave crise econômica, → Na Argélia, milhares de pessoas morreram ao longo
fizeram com que os mecanismos de dominação sobre as dos oito anos de conflitos armados entre franceses e
colônias africanas de fragilizassem consideravelmente. argelinos. A criação da FLN (Frente de Libertação
Obs.: Intensificou os movimentos autonomistas que, a Nacional) deu ao movimento uma dimensão armada e
partir daí, passaram a lutar pela independência violenta, acabando por dar início a uma insurreição
deflagrando as “Guerras Coloniais”. popular com forte presença do campesinato,
generalizando a luta armada.
 Angola e Moçambique (1975)
- O “Acordo de Evian” (1962) marcou a conclusão do
→ Duas colônias portuguesas mais importantes na movimento autonomista. Por ele a França reconheceu a
África. independência da Argélia. Dando início a saída maciça
da população francesa que vivia na região.
→ A autonomia dessas regiões ocorreu através de
“Guerras de Independência”. África do Sul
- Angola: O movimento foi conduzido por dois grupos
→ Situada no extremo sul da África, entre o Atlântico e
políticos, étnicos e ideológicos: a UNITA (União
Índico. Destaca-se sua biodiversidade e a grande
Nacional para a Independência Total de Angola) apoiada
variedade de culturas, idiomas e crenças religiosas. Sua
pelos Estados Unidos e o MPLA (Movimento Popular
Constituição admite onze idiomas oficiais (Africâner e
para a Libertação de Angola) que contava com o suporte
Inglês Sul-africano).
da União Soviética.
→ A colonização efetiva promovida pelos europeus teve Congresso Nacional Africano (CNA), liderado
início na metade do século XVII quando, em 1652, principalmente por Nelson Mandela.
colonos bôeres (colonos holandeses e protestantes
→ Em 1947 a África do Sul obteve a sua autonomia em
calvinistas) se instalaram no “Cabo da Boa Esperança”
relação ao Reino Unido. A partir daí, e ao longo da
sob a liderança de Van Riebecck.
década de 1950, ocorre um recrudescimento das medidas
→ No século XIX os ingleses se voltaram para a que acentuavam a exclusão social e racial no país.
Província do Cabo, procurando transformá-la em um
→ 1948 – Oficialização do APARTHEID (separação),
ponto de apoio que lhes garantia o acesso às Índias
ou seja, o racismo ganhou formato institucional.
(domínio britânico).
- O apartheid representou a transformação do racismo
→ Com o domínio inglês, muitos bôeres se retiraram da
em lei na África do Sul - a segregação racial foi
região entre 1835 e 1837. Esse êxodo é chamado de
legalmente aceita entre 1948 e 1994. Foi o regime do
“Grand Trek”, uma jornada de desbravamento e
apartheid que retirou os direitos dos negros e deu
repovoamento. Resultou a fundação dessas repúblicas
privilégios aos brancos, minoria no país.
calvinistas nos moldes de suas similares da Europa.
Nelas era predominante a população branca descendente → O governo da África do Sul conseguiu, através do uso
de europeus. da violência e do constrangimento no exercício do
poder, dividir o país. Foram promulgadas leis que
→ As tensões entre a Inglaterra e o Transvaal tornavam-
limitavam os direitos das etnias negras no tocante ao
se insuportáveis (por causa de interesses em regiões de
trabalho, à residência e, até mesmo, às relações sexuais.
minas de ouro e de diamante), levando ao início dos
conflitos conhecidos como “Guerra dos Bôeres” - uma → Lideranças que se opunham a esse estado de coisas
das primeiras guerras do século XX. Ocorrida no sul do eram julgadas e duramente punidas. Como foi o caso do
continente africano, envolveu Afrikaans ou Bôers e advogado Nelson Mandela, que cumpriu 27 de reclusão
tropas britânicas (1899-1902). na ilha de Robben, sendo libertado no final dos anos
1980.
Obs.: Os britânicos saíram vitoriosos e acabaram por
anexar os Estados do Orange e o Transvaal. Baseados → O regime instaurado na África do Sul acabou por ser
em táticas de guerrilha, e liderados por indivíduos que considerado como retrógrado e em inteiro descompasso
conheciam a região, os Bôers ainda resistiriam por um com uma realidade em movimento. Despertando a
bom tempo. oposição e manifestações de protesto contra o Apartheid
junto a governos, à opinião pública e a instituições como
→ 1910 - Aproximação entre os Bôeres e os britânicos,
as Nações Unidas.
resultando daí um Estado com maior autonomia, porém
integrado à Commonwealth – a “União da África do → Entre os anos 1980 e 1990, após décadas de violência
Sul”. e discriminação, as pressões internas e externas,
associadas ao próprio desgaste e anacronismo do regime,
Obs.: Somente em 1947 é que ocorreu a total autonomia
levaram ao progressivo desmonte do Apartheid.
da Inglaterra, o que levou à formação da “República Sul-
Africana” ou a África do Sul. Obs.: Frederik De Klerk vinha encaminhando esse
processo desde 1987. Essa liderança da minoria branca
 Discriminação e Segregação na África do Sul
restabeleceu a legalidade de instituições como o Partido
(hegemonia dos brancos)
Comunista e proclamou a libertação incondicional de
→ Quando da criação da “União da África do Sul” em Mandela.
1910, ainda sob o domínio britânico, foram instituídos o
→ No pleito Nelson Mandela foi eleito Presidente com
“Native Land Act” e o “Color Bar Act”. Por eles a
62,25% dos votos.
população negra tornava-se marginal na vida dessa
comunidade, uma vez que faziam com que seus direitos → A condução do processo reformista que levou ao fim
individuais, sociais e políticos fossem muito reduzidos. o regime constitucional de segregação na África do Sul,
foi conduzido por representantes das elites brancas.
- O “Native Land Act”, de 19 de junho de 1913,
Além disso, o fim do Apartheid resultou de uma ampla
estabelecia a existência de “reservas” onde poderiam
mobilização da opinião pública mundial, mas também, e
viver as comunidades de mestiços, indianos e negros.
principalmente, da intensa resistência e combatividade
Obs.: No período entreguerras foi criado o “South de lideranças das minorias da África do Sul.
African Native National Congress” com o propósito de
_____________________________________________
promover uma oposição institucional aos atos
discriminatórios. A partir de 1925 assumiu o nome de A "Questão Judaico Palestina" pode ser definida como o
conflito que surgiu com a criação do Estado de Israel no
ano de 1948, e que acabou atingindo um ponto mais
intenso, digamos assim, com a Guerra Árabe-Israelense.
As consequências desta guerra perduram até os dias
atuais. Quando Israel vence a guerra, ela acaba
expandindo seu território após um ano de batalha.
Atribui-se a definição da "Questão Judaico Palestina, a
questão dos refugiados palestinos (árabes e israelenses),
que após a saída dos britânicos do país, acabam ficando
desalojados e com isso acabam fugindo para países
vizinhos.

Você também pode gostar