Você está na página 1de 4

ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL1

Eder Emanuel Araújo de Almeida2


Edmilson Araújo Nascimento Júnior
Fábio Araújo Fonseca

1. INTRODUÇÃO

O objetivo deste artigo é ressaltar a importância do planejamento estratégico


no processo gerencial bem como analisar os fatores de planejamento e o processo
de mudança que acontece no mesmo no contexto global atual. Verifica – se também
a estratégia do planejamento eficiente para um maior sucesso organizacional,
sobretudo o estudo amplo dos ambientes organizacionais e os participantes das
tomadas de decisão no processo administrativo, levando em consideração o
ambiente e a necessidade de conhecê-lo bem.

2. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO PROCESSO GERENCIAL

O termo estratégia é um conceito militar bastante antigo, definido pela


aplicação de forças contra determinado inimigo. O termo se origina da palavra grega
strategos do qual se deriva o significado “a arte do general”, ou ainda, “a ciência dos
movimentos guerreiros fora do campo de visão do general.” (OLIVEIRA, 2002 p.
192).
Já no processo gerencial a estratégia tem suma importância principalmente na
definição dos objetivos de qualquer organização, sobretudo na análise efetiva do
mercado, concorrência, estrutura, tarefas, e na organização como um todo. Durante
muitos anos achava-se que o planejamento estratégico definido inicialmente por
uma empresa era sólido o suficiente para manter-se consistente diante das
transformações e mudanças do mercado, hoje sabe - se que essa linha de raciocínio
é arcaica e não traz mais benefícios para as empresas bem como lucros nos setores
de atividades das mesmas. Segundo Kotler (1992, p.63) “planejamento estratégico é
definido como o processo gerencial de desenvolver e manter uma adequação
1
Artigo científico apresentado ao curso de Administração de Empresas da Faculdade Sete de
Setembro na disciplina de TGA II do segundo período sob a orientação do professor Jacques
Fernandes.
2
Graduandos do curso de Administração de Empresas do segundo período da Faculdade Sete de
Setembro de Paulo Afonso - BA
razoável entre os objetivos e recursos da empresa e as mudanças e oportunidades
de mercado.” A partir disso podemos perceber que planejar no contexto globalizado
de hoje pode significar mudança constante desde que acompanhe os objetivos e
princípios da organização como também uma integração compatível com os seus
recursos materiais, estruturais e humanos.
Planejar estrategicamente numa organização é está diretamente ligado aos
fatores macro ambientais, levando em consideração todos os fatores pertinentes a
organização em conjunto com disposições internas da empresa, dessa forma
sistematizando o processo gerencial constitui a vertente do processo decisório.
Segundo Campos (1988), “a definição de processo decisório pode ser apresentada
como uma sucessão de etapas que levam à tomada de decisão e garantem sua
implementação”, com base nessas informações podemos destacar a importância de
um eficiente planejamento já que o mesmo é responsável direto pela projeção
organizacional e, contudo essa estratégia leva a uma cadenciada organização das
tarefas e na seqüência sua implementação atendendo os objetivos.

3. O PLANEJAMENTO COMO PRINCIPAL ESTRATÉGIA DO SUCESSO


ORGANIZACIONAL

Um dos conceitos mais antigos do planejamento nasce ainda na pré-história com


os “homens das cavernas” embora não cientificamente comprovado. Eles agiam de
forma que pudessem otimizar ao maxímo o tempo combinando assim o tempo de
preparo do alimento com o momento em que todos pudessem estar presentes para
a refeição já que naquela época não havia nenhum método de conserva de
alimentos como conta Hindle (2002, p.142).
No mundo organizacional o planejamento precisa ser categoricamente preciso e
essa otimização do tempo também se dar na estratégia empresarial principalmente
no mercado atual tão turbulento e rotativo. E dentro desta ótica é necessário que o
administrador perceba os acontecimentos e processe - os de maneira mais rápida e
eficaz agindo de forma intensa e incessante para alcançar os objetivos da
organização atingindo assim o sucesso da empresa.
E para um maior entendimento das questões organizacionais é necessário que
os participantes das tomadas de decisão bem como a cúpula da alta administração
compreendam dois focos distintos como afirma Moresi (2000), “é importante
destacar que as informações podem atender a duas finalidades estratégicas: Para
conhecimento dos ambientes interno e externo de uma empresa e para atuação
nestes ambientes”. Como evidencia o autor sem esses dois lados diferentes, porém
que se interagem no processo do sucesso organizacional é praticamente impossível
alcançar a perfeição e o controle absoluto de uma direção nos negócios, e esse
conhecimento de base nasce dessas relações intrínsecas, sobretudo na aquisição
de novas formas e inovações estratégicas que garantem a sustentabilidade do
empreendimento e como conseqüência o enriquecimento de planos e rumos
didáticos para estudos posteriores.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pretendeu-se neste artigo apresentar o estudo do planejamento no processo


gerencial e a importância que o mesmo tem nas organizações e no alcance de
metas e objetivos. Dentro desta abordagem foi proporcionada a idéia de mudança
do planejamento clássico imutável, e apresentado um nova vertente de que adapta
ao período presente da organização. Nesta ótica podemos concluir que a base do
sucesso organizacional está na forma do planejar constante com acompanhamento
necessário e prático, e que para isso acontecer é imprescindível o conhecimento do
ambiente organizacional para auxiliar o processo decisório como um todo, haja vista
o comprometimento dos responsáveis diretos pela decisão e, sobretudo a análise
constante do mercado e suas transformações.
As estratégias organizacionais constituem um aspecto chave para a
sustentação de uma empresa principalmente no mundo competitivo de hoje, vale
lembrar que como o planejamento tem sua total importância, mas, porém, outras
estratégias também participam deste desenrolar dos negócios e quanto maior esse
arsenal de idéias da organização será o seu rendimento, beneficiando assim
administradores, colaboradores, sociedade e o desenvolvimento das nações bem
como a aquisição de novas práticas para implementação futura.

5. REFERÊNCIAS
CAMPOS, Gastão Wagner de Souza. Modelos Assistenciais e Unidades Básicas de
Saúde: Elementos para Debate. In Planejamento Sem Normas. Editora Hucitec, São
Paulo, 1989.

HINDLE, Tim. Tudo sobre administração. São Paulo: Editora Nobel, 2002.

KOTLER, Philip. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação


e controle. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas, 1992.

MORESI, Eduardo Amadeu Dutra. Delineando o valor do sistema de informação de


uma organização. Ciência da Informação. Brasília, v. 29, n. 1, jan./abr. 2000.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento Estratégico: Conceitos,


metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2002.