Você está na página 1de 3

AO JUÍZO DA _ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE ANÁPOLIS – GOIÁS.

AMANDA, estado civil, profissão, inscrita no CPF sob n° ...,


portadora do RG n° ..., endereço eletrônico, residente e domiciliada no endereço
completo, por intermédio de sua advogada (proc. Anexo) que esta subscreve, vem
respeitosamente perante Vossa Excelência, com fulcro no artigo 539 do Código de
Processo Civil e artigos 334 e 335 do Código Civil, apresentar

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

em face de GABRIEL, estado civil, profissão, inscrito no CPF sob o n° ..., portador do RG
n° ..., endereço eletrônico, residente e domiciliado no endereço completo, pelos fatos e
fundamentos jurídicos a seguir expostos.

I – DOS FATOS

A requerente adquiriu um carro do requerido, por contrato de


compra e venda no valor de R$ 28.000,00 (vinte e oito mil reais), onde deu um valor
inicial de R$ 10.000,00 (dez mil reais), sendo que o valor remanescente ficou divido em
9 (nove) parcelas de R$ 2.000,00 (dois mil reais), o qual ficou acordado entre as partes
o vencimento das duas últimas parcelas no vencimento final do contrato.

Contudo, a requerente procurou o requerido para realizar o


pagamento e não o encontrou, sendo que o mesmo tinha antecipado o vencimento em
5 (cinco) dias, o que causou prejuízos a mesma, com a inclusão de seu nome ao Serviço
e Prestação ao Crédito e a perda de uma oportunidade de emprego, sendo que o
pagamento tinha sido realizado na data correta e em estabelecimento oficial, e houve
recusa.

II – DA TEMPESTIVIDADE

A presente demanda é tempestiva tendo em vista que foi


ajuizada antes de um mês da recusa, como demonstra os comprovantes de depósito e
recusa em anexo aos autos, conforme artigo 540 do CPC, §3°.
III – DO DIREITO

A requerente tentou de diversas formas localizar o requerido,


contudo, não foi possível, sendo assim diante de tal situação realizou a consignação em
pagamento como determina o artigo 539 do Código de Processo Civil, porém estado o
credor em lugar desconhecido e incerto, com esclarece o artigo 335, inciso III do Código
Civil.

Ademais, referida ação trata-se de obrigação em dinheiro,


podendo ser depositado em banco oficial no lugar do pagamento, conforme determina
o artigo 539, §1° do Código de Processo Civil, além do mais, as partes inovaram o
contrato acrescentando o prazo de favor em benefício da devedora, ora requerente,
estendendo o prazo de vencimento das duas últimas parcelas somente para a data final
do contrato, para comprovação está em anexo as mensagens de texto, conforme
recomenda o artigo 133 do Código Civil.

Por fim, o valor integral de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) foi


depositado em instituição bancária oficial, e no local do pagamento na cidade de
Anápolis, no vencimento da última parcela, de acordo com o artigo 539, §1° do Código
de Processo Civil, juntamente com a notificação do credor, e posteriormente a
imotivada recusa.

IV – DA TUTELA ANTECIPADA DE URGÊNCIA

A legislação em vigor prevê que a tutela será concedida quando


houver probabilidade de direito e risco de dano.

Na situação exposta o direito de quitação e extinção da


obrigação, já cumprida pela requerente é perfeitamente clara, demonstrando os
requisitos de seu direito pleiteado, caracterizando o fumus boni iuris, fundamentado no
artigo 539 do Código de Processo Civil.

Com relação ao periculum in mora, aos danos causados, com a


demora de remover o nome da requerente do Serviço de Proteção ao Crédito, pode
gerar grande prejuízo, como já se evidenciou na perda de uma oportunidade de
emprego, diante de todo o exposto pede-se a tutela antecipada de urgência.

V – DOS PEDIDOS

Diante do exposto requer-se:

a) a concessão da tutela antecipada de urgência, para retirada


do nome da requerente do Serviço de Prestação de Crédito;

b) a citação do requerido para levantar o depósito ou oferecer


contestação, com fundamento no artigo 542, inciso II do Código de Processo Civil;
c) declarar a presente demanda procedente, extinguindo a
obrigação e condenar o requerido no pagamento de custas e honorários advocatícios,
como estabelece artigo 546 do Código de Processo Civil;

d) junto aos autos o contrato de compra e venda e comprovante


de depósito e recusa.

Protesta provar por todos os meios de prova em direito


admitidos.

Dá-se a causa o valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais).

Nestes termos, espera deferimento.

Anápolis, data.

ADVOGADA
OAB N°...

Você também pode gostar