Você está na página 1de 24

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA ELÉTRICA


CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

ANTONIO ALMEIDA DE SOUSA NETO


JOÃO VITOR GEREVINI KASPER

RELATÓRIO FALTA SIMÉTRICA FRANCA E SIMULÇÕES


UTILIZANDO DOIS SOFWTARES

APS – ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

MEDIANEIRA
2018
ANTONIO ALMEIDA DE SOUSA NETO
JOÃO VITOR GEREVINI KASPER

RELATÓRIO FALTA SIMÉTRICA FRANCA E SIMULÇÕES


UTILIZANDO DOIS SOFWTARES

Trabalho apresentado à disciplina de Análise de


Sistema de Potência II do Curso de Engenharia
Elétrica, da Universidade Tecnológica Federal do
Paraná como requisito parcial para obtenção de
pontos e conhecimento na disciplina.

Orientador: Prof. Dr. Hugo Andres Ruiz Florez

MEDIANEIRA
2018
1. INTRODUÇÃO

Este trabalho tem por objetivo apresentar uma análise sobre curto circuito
trifásico franco, utilizando um sistema teste de 5 barras. O trabalho irá se concentrar
no cálculo das correntes de falta e tensões pós-falta utilizando os softwares
Powerworld e DigSilent confrontando os resultados encontrados pelos simuladores
com os resultados encontrados utilizando os métodos trabalhados em sala de aula,
será realizada uma análise simplificada inicialmente e após uma análise completa.

2. DESENVOLVIMENTO

Solicitou-se no início da atividade que fosse simulado no software Powerworld


uma falta trifásica franca em todas as barras do sistema, para o sistema de potência
a seguir:

Para a análise simplificada foram utilizados os seguintes parâmetros para os


cálculos:
Foram coletados os dados das faltas (tensões e correntes) no software e para
cada barra tivemos os seguintes valores, lembrando que foi realizado uma análise
simplificada, tensões planares e resistências dos geradores e transformadores
desprezadas:

Correntes:
Falta na Barra 1

Falta na Barra 2

Falta na Barra 3
Falta na Barra 4

Falta na Barra 5

Tensões:
Falta na Barra 1

Falta na Barra 2

Falta na Barra 3

Falta na Barra 4
Falta na Barra 5

Após as simulações realizadas em cada barra, escolhemos duas barras, a


Barra 1 e Barra 2, para realizar novamente o cálculo da falta trifásica franca.
Encontramos as correntes de falta e as quedas de tensões durante a falta, com os
procedimentos ensinados em sala de aula, para confrontar os resultados manuais,
com os das simulações.
Utilizando o método híbrido montamos a Ybus para comparar com a matriz do
software:

Após conferir os resultados, decompomos a matriz Ybus nas matrizes L e U,


visando encontrar o Zth para calcularmos as correntes de falta em cada barra.

Matriz L
Matriz U

De posse das matrizes L e U, utilizamos o método de injeção de corrente, sendo


aplicado nas barras em estudo, barra 1 e barra 2, com isso encontramos as
sensibilidades de tensão do sistema, e com ela, obtivemos os valores das Zth para as
duas barras.
Para a figura abaixo, definiu-se o vetor de injeção de corrente para a barra 1,
com ele resolvemos os sistemas L*X=I e U*V=X. A resolução desses sistemas nos
entregou a tensão na barra 1, devido a injeção de corrente na barra 1, com isso,
calculamos o Zth para a barra 1. Com o Zth, foi possível calcular a corrente de falta
na barra 1, dividindo a Vth, que é igual a 1, devido a consideração de análise
simplificada, pelo Zth para a barra 1.
Cálculo das sensibilidades de tensão devido a injeção de corrente na Barra 1
Cálculo do Zth e da corrente de falta para a Barra 1
Cálculo dos ∆V’s devido ao curto circuito na Barra 1

Cálculo da tensão pós falta devido ao curto circuito na Barra 1

Para a barra 2, foi realizada a mesma metodologia descrita acima e os


procedimentos com os resultados seguem abaixo:
Cálculo das sensibilidades de tensão devido a injeção de corrente na Barra 2
Cálculo do Zth e da corrente de falta para a Barra 2
Cálculo dos ∆V´s devido ao curto circuito na Barra 2

Cálculo das tensões pós falta devido ao curto circuito na Barra 2


Para a análise completa do sistema, é utilizado o fluxo de potência para
encontrar as tensões pré-falta das barras, foi solicitado o procedimento para apenas
uma barra. Escolhemos a barra 5 para realizar esta análise. Inicialmente, medimos a
tensão e as correntes após o curto, utilizando o Powerworld e após calculamos as
grandezas, utilizando o método da Zbus, que consiste em calcular a corrente de falta,
já que possuímos o Zth, contido na diagonal principal da Zbus, e após calcular os ∆V´s
e com isso as tensões nas barras após o curto.
Todos os procedimentos e resultados encontrados utilizando a análise
completa é mostrado nas figuras abaixo.

Parâmetros utilizados para a análise completa:


Tensão da barra 5 obtida com o fluxo de potência

Corrente de falta na Barra 5 utilizando a análise completa


Tensão após a falta na Barra 5 utilizando análise completa

Cálculo do Vth e da corrente de falta na Barra 5 utilizando análise completa


Cálculo dos ∆V´s e das tensões pós falta na Barra 5 utilizando análise completa

Cálculo das tensões pós falta devido ao curto circuito na Barra 5 análise completa

Na última parte do trabalho, optou-se pela utilização do programa Digsilent para


as análises de curto-circuito trifásico, escolhemos a Barra 5 do sistema e realizamos
a análise simplificada e a análise completa para esta barra.
Na figura abaixo o contorno verde, permite selecionar os elementos que se
deseja inserir no SEP. No contorno em vermelho, pode-se selecionar uma análise de
fluxo de carga ou de curto-circuito.

Sistema de potência programa DigSilent

A figura abaixo, mostra a janela de configuração de um gerador, a janela é


aberta dando um duplo clique em cima do elemento no SEP. Clicando no contorno
vermelho, abre-se uma segunda janela onde consegue-se inserir os valores nominais
do gerador, tais como: as impedâncias subtransitória, transitória e síncrona. O
contorno em verde mostra as principais abas de configurações.
Configurações dos parâmetros do gerador

Para realizar o cálculo do curto-circuito em uma barra específica do sistema,


clica-se com o botão direito do mouse em cima da barra, onde é aberta a aba do lado
direito da figura abaixo, posicionando o cursor do mouse em cima da opção “Calculate”
abre-se uma segunda aba, que corresponde a aba do lado esquerdo da figura. Então,
clica-se em “Short-Circuit...”.
Cálculo da falta trifásica

Seguindo o passo anterior é aberta a janela de configuração de métodos e tipos


de curto-circuito. No contorno em vermelho da figura abaixo, tem-se a opção de
escolher o método e o tipo da falta. No contorno em azul, insere-se o valor desejado
da impedância de falta. Após esses dois passos, basta clicar no contorno verde,
“Execute”, que o programa realizará o cálculo do curto-circuito e gerará um relatório,
contendo informações pertinentes a este fenômeno.
Seleção do método e tipo da falta

O programa conta com inúmeros métodos de análise de falta, escolhemos o


método ANSI para realizar a análise simplificada, pois é a que mais se assemelha ao
método estudado em sala. Segundo (Grigoletto,2013), as orientações da norma ANSI
aplicam-se a sistemas de corrente alternada trifásicos de baixa, média e alta tensão
nas seguintes condições:
- O sistema permanece equilibrado sob frequência nominal e constante;
- Durante o curto-circuito não há variação de tensão da fonte que deu origem à
corrente de falta;
- As correntes de carga pré-falta são desprezadas, uma vez que se presume serem
muito menores que as correntes de curto-circuito. Como consequência, para efeito de
cálculos de correntes de falta, as tensões nominais do sistema são consideradas
como as “tensões pré-falta”;
- A impedância de falta é nula, portanto, não há nenhum efeito limitador de corrente;
O método aplicado em tese, aproxima-se muito do explicado em aula, no entanto os
resultados apresentados não são coerentes com os obtidos manualmente, nem
coerentes com o outro software PowerWorld. A corrente simétrica obtida pelo Digsilent
difere muito do valor obtido manualmente, fato que não conseguimos explicar já que
as configurações que são mostradas no relatório, tensão das barras 1 pu, impedância
de falta 0 Ohms, estão configuradas de acordo com o método.

Relatório Análise simplificada

Para a análise completa utilizamos a opção de método “Complete”, a qual


entendemos que antes de fazer a análise de falta, calcula o fluxo de potência,
internamente. O relatório gerado é mostrado na figura abaixo:

Relatório análise completa-curto barra 5


Vale ressaltar que os valores estão em kA, dividindo o valor da corrente Ik’’ pela
base adotada do sistema chega-se 13.44 pu, muito próximo do valor encontrado,
utilizando o PowerWorld que foi de 13,16 pu. As correntes Ik’’ e Ik’ estão com o mesmo
valor pois se inseriu os mesmos valores para as reatâncias transitória e subtransitória
do gerador.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Os resultados obtidos para análise simplificada no software Powerworld foram


coerentes com os resultados obtidos utilizando os métodos ensinados em sala de
aula, já utilizando o software DigSilent os resultados obtidos para a análise
simplificada tiveram diferenças significativas daqueles utilizando os métodos
trabalhados em sala de aula, para saber o motivo dessa diferença necessitaria de um
estudo mais aprofundado sobre o simulador, que em decorrência do tempo não foi
abordado neste relatório.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

GRIGOLETTO,F.A.; Análise comparativa entre as metodologias ANSI e IEC para o


cálculo curto-circuito em sistemas industriais, Tese de Mestrado, UNIFEI, 2013.

Você também pode gostar