Você está na página 1de 3

CENTRO UNIVERSITÁRIO JORGE AMADO - UNIJORGE

LICENCIATURA EM HISTÓRIA
CAMPUS COMÉRCIO IV

FICHAMENTO DO TEXTO O MODO DE PRODUÇÃO ESCLAVAGISTA

Fichamento entregue da disciplina


Teorias da História orientado pela o
prof.ª David Rehem. Licenciatura em
História, 1°Semestre. Aluna Renata
Karoline.

Salvador, 25 de agosto de 2017


O modo de produção Esclavagista

A antiguidade clássica teve seu modo de produção, em sua maior parte,


o modo de produção esclavagista, contribuindo para a sua sustentação política,
social e econômica. A maior porção de riquezas da época era proveniente do
trabalho realizado no campo, que gerava o abastecimento econômico urbano.
Com isso, os donos de terras podiam se dedicar a gerenciar seus
negócios na cidade, onde já conglomerava diversos tipos de mercadores. Na
cidade tinha alguns tipos de manufaturas, porém com baixa demanda, pouca
atratividade e técnicas insuficientes. Evidentemente, havia de forma bastante
prevalente o domínio da economia pelos proprietários agrários tendo as
principais fontes de rendimentos derivadas do trigo, do azeite e do vinho.
Paginas 17-18-19
Um aspecto peculiar da civilização clássica era a sua natureza costeira. A
antiguidade greco-romana detinha uma infra-estrutura intrínseca mediterrânica,
atribuída a sua faixa extensiva. Logo, o transporte marítimo de mercadorias
através do mar mediterrâneo foi utilizado como principal meio de escoamento
desses produtos e favoreceu para a interação econômica entre os povos. Uma
beneficia geográfica que foi um método de distribuição muito bem utilizado para
o desenvolvimento clássico, até porque os custos com o transporte terrestre
eram bem mais altos do que com o transporte marítimo. Paginas 19-20.

Nota-se, que a Grécia tornou a escravidão algo jurídico e regularizado, os


escravos não eram a mão de obra exclusiva, contudo, eram os bens móveis
mais aplicados para as atividades. Já os helênicos tinham a escravidão
associada á existência da liberdade, pois está ‘idéia’ de liberdade que
expressava a sua moldura social da época. Uma falsa reforma jurídica que
mantinha o sistema esclavagista praticamente inalterado.
Esse aproveitamento da mão- de- obra escrava, foi uma forma cruel de
degradação humana que só serviu de base para manutenção de uma classe.
Paginas 21-22-23.

Você também pode gostar