Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO – CAMPUS CAPITAL

INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

RELATÓRIO FINAL DO PROGRAMA UNIFICADO DE BOLSAS (PUB-USP)


(2020 – 2021)
Lucca Merari Moura Dourado

SÃO PAULO
2021

1
LUCCA MERARI MOURA DOURADO

RELATÓRIO DO PROJETO:
ENTRELAÇANDO VIVÊNCIAS UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DO
LICENCIANDO EM MATEMÁTICA

Relatório apresentado à Universidade de São Paulo


referente ao Programa Unificado de Bolsas (PUB-
USP) na formação de licenciatura em Matemática.
Professor Orientador: Antônio Carlos Brolezzi
Período: setembro de 2020 a agosto de 2021

SÃO PAULO
2021
2
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 5
2. OBJETIVOS 6
3. METODOLOGIA 7
4. DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 8
4.1 Acompanhamento das aulas 8
4.2 Plantões de dúvidas 10
4.3 Encontro individualizado com aluno com deficiência 15
intelectual
4.4 Correção das atividades 17
4.5 Planejamento e execução de aula 19
4.6 Oficina “Com olhar nos vestibulares: Sequências e 23
Progressões Numéricas
4.7 Atividades lúdicas 26
5. CONCLUSÃO 27
6. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 28

3
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 - Lousa física branca e estrutura para apoio do celular 10

Figura 2 - Lousa física branca 11

Figura 3 - Lousa física quadro negro 11

Figura 4 - Print da lousa interativa virtual Jamboard 11

Figura 5 - Print do relato do aluno no Google Classroom 13

Figura 6 - Print do relato do aluno no Google Classroom 13

Figura 7 - Print do e-mail esclarecendo dúvida de aluno 14

Figura 8 - Print de construção geométrica realizada no GeoGebra 14

Figura 9 - Print de depoimento da professora Ingrid em grupo de Whatsapp 17

Figura 10 - Print de modelo de correção de atividade realizado pelo bolsista 18

Figura 11 - Print de depoimento do professor Ernani em conversa do Whatsapp 18

Figura 12 - Print da apresentação da situação-problema da atividade pelo TikTok 20

Figura 13 - Print da apresentação do slide da atividade 21

Figura 14 - Print da aula realizada pelo bolsista no Google Meet 21

Figura 15 - Print da aula realizada pelo bolsista no Google Meet 22

Figura 16 - Logo do curso 23

Figura 17 - Print de aula durante o curso 25

Figura 18 - Certificado do curso 25

4
1. INTRODUÇÃO

Um excelente professor demanda um amplo repertório acadêmico que está


devidamente apresentado nas disciplinas durante a preparação do docente nos
cursos de Licenciatura. Todavia, somente isto não torna um professor totalmente apto
para sua profissão, é fundamental uma boa vivência com as práticas docentes. Para
tanto, a participação dos licenciandos em estágios supervisionados ou monitorias
suprem bem esta necessidade.

Ainda assim, os bolsistas do projeto “Entrelaçando vivências


Universidade/Escola na formação do licenciando em Matemática” contaram com uma
oportunidade ainda mais capacitada para realização da profissão com êxito. O projeto
do Programa Unificado de Bolsas de Estudo para apoio e formação de estudantes de
Graduação (PUB-USP) é orientado pelo professor Antônio Carlos Brolezzi em
colaboração com os 3 professores de Matemática da Escola de Aplicação da
Faculdade de Educação da USP (EAFEUSP).

O orientador e os colaboradores direcionaram os 7 bolsistas da Licenciatura de


Matemática do Instituto de Matemática e Estatística da USP (IME-USP) que atuaram
no projeto a obterem experiências para além de meramente um estágio, uma
monitoria ou uma aula do curso de Licenciatura. Os bolsistas, então, desfrutaram
vivências que entrelaçam o ensino da Matemática com o envolvimento em práticas
escolares.

O projeto propiciou aos bolsistas desafios perante a sala de aula como


elaboração de metodologias de ensino que auxiliavam o professor, contribuir com a
solução de problemas enfrentados na escola, planejamento de atividades,
planejamento de aulas, correção de atividades, sanar dúvidas de alunos dentro e fora
do período de plantões de dúvidas, acompanhar alunos especiais e participar de
reuniões que aproximavam os bolsistas do cotidiano escolar.

Em conjunto a isto, outro desafio deu-se por consequência do período atípico


em que o primeiro ano do projeto foi realizado, entre setembro de 2020 e agosto de
2021. Neste intervalo de tempo, o mundo estava em contexto de pandemia decorridos

5
pelo vírus da Covid-19, portanto foi necessário que as escolas aderissem ao método
de aulas remotas para continuarem em funcionamento. Todos os desafios
apresentados anteriormente foram acentuados por serem executados de forma online,
fato que teve impacto não somente para os bolsistas como também para todos os
professores que já exercem a profissão.

O presente trabalho foi aplicado na Escola de Aplicação da Faculdade de


Educação da USP e ofereceu enormes benefícios para a condução das atividades
docentes aos professores de Matemática da Escola e o desenvolvimento acadêmico
dos alunos da Instituição. A título de exemplo, os bolsistas realizavam oficinas e
atividades que complementavam o trabalho do professor e auxiliavam ou
acompanhavam os discentes com dificuldades, com alguma dúvida específica ou
quando apresentavam problemas extraescolares.

Estes privilégios concedidos foram frequentemente retrucados com gratidão


através de relatos pelos docentes, discentes e demais profissionais da Escola. Tais
realizações concebem um ganho enorme não apenas na Instituição Escolar como um
todo, como também no desenvolvimento profissional dos licenciandos integrantes ao
projeto. Tais argumentos supracitados apresentam algumas das importâncias dos
trabalhos de iniciação à docência na graduação dos cursos de Licenciatura, tornando
os objetivos do professor orientador Antônio Carlos Brolezzi devidamente supridos.

2. OBJETIVOS

Este projeto tem por objetivo colaborar com o desenvolvimento da formação


dos alunos de Licenciatura em Matemática como futuros professores de Matemática,
propiciando um contato com o ambiente escolar e com as vivências próprias da sua
profissão. O objetivo é permitir, favorecer e avaliar a inserção do licenciando no
cotidiano escolar, por meio da disponibilização de oportunidades de criação e
avaliação de experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter
inovador e interdisciplinar que busquem a superação de problemas identificados no
processo de ensino e aprendizagem.
6
3. METODOLOGIA

INFORMAÇÕES

Universidade de origem: Universidade de São Paulo (USP) - Cidade Universitária.

Instituto de origem: Instituto de Matemática e Estatística (IME - USP), Rua do Matão,


1010, São Paulo, SP.

Escola contemplada pelo Projeto: Escola de Aplicação da Faculdade de Educação


(FEUSP), Av. da Universidade, 220 Travessa Onze, Cidade Universitária, São Paulo,
SP.

Bolsista: Lucca Merari Moura Dourado

Docente supervisor: Ernani Nagy de Moraes

Orientador de Área Matemática: Antônio Carlos Brolezzi

O projeto dispõe de 7 bolsistas estudantes de Licenciatura em Matemática e


cada um ficou responsável em acompanhar um ano letivo dentre os 4 anos do Ensino
Fundamental II e os 3 anos do Ensino Médio. Os 3 professores de Matemática da
Escola de Aplicação da FEUSP destes respectivos anos foram os docentes
colaboradores do projeto e, então, supervisionaram o trabalho dos bolsistas.

O bolsista Lucca Merari Moura Dourado acompanhou o 2º ano do Ensino Médio


nos últimos meses de 2020 e o 3º ano do Ensino Médio no ano de 2021. Foi
supervisionado pelo docente Ernani Nagy de Moraes e orientado pelo professor
Antônio Carlos Brolezzi.

No geral, as reuniões que participavam os 7 bolsistas, os 3 professores


colaboradores e o orientador do projeto eram realizadas mensalmente. Nestes
encontros, eram feitos relatos dos docentes e dos discentes do que foi executado
7
referente ao projeto durante o mês, bem como era encaminhado pelo orientador
sugestões de atividades futuras. Os relatos e os encaminhamentos eram discutidos
em uma sala do Google Meet por todos os participantes da reunião, que indicavam
suas indignações, elogios e melhorias.

As reuniões dos bolsistas com o relativo docente supervisor eram efetuadas de


acordo com a necessidade, dispunham de uma frequência média por volta de uma
semana. Nestes compromissos também executados em uma sala do Google Meet,
eram debatidos os modos de realizações das atividades e expostos as ocorrências
principais das atribuições exercidas.

Dentre os trabalhos desempenhados pelo bolsista Lucca Merari Moura


Dourado, destacam-se:

1. Acompanhamento das aulas do professor Ernani;


2. Plantões de dúvidas com a turma;
3. Encontro individualizado com um aluno com deficiência intelectual;
4. Correção das atividades dos alunos;
5. Planejamento e execução de aula para a turma;
6. Realização da oficina “Com Olhar nos Vestibulares: Sequências e Progressões
Numéricas”;
7. Elaboração de atividades lúdicas para os alunos.

4. DESENVOLVIMENTO DO PROJETO

4.1 Acompanhamento das aulas

Durante o ano de 2020, as aulas em que o bolsista Lucca acompanhava eram


do 2º ano do Ensino Médio e eram lecionadas pelo professor Ernani. Estas aulas
aconteciam pelo Google Meet uma vez por semana às quintas-feiras, iniciavam-se às
10h e duravam, em média, 50 minutos cada.

8
Em consenso de todos os participantes do projeto durante as reuniões mensais,
foi mais adequado para os bolsistas do Ensino Médio reconduzirem as mesmas
turmas no ano seguinte. Desse modo, no ano letivo de 2021, o bolsista Lucca
participava das aulas do 3º ano do Ensino Médio que da mesma forma eram
lecionadas pelo professor Ernani e ocorriam às terças-feiras das 9h às 9h50min.

Ao longo destas aulas, o bolsista obtinha o privilégio de vivenciar a condução


de aula de um professor experiente na área do Ensino e da Matemática. Assim, os
conteúdos vistos pelo licenciando durante todo o seu período escolar e nas disciplinas
da Graduação se complementam com as metodologias didáticas vistas na prática pelo
professor Ernani. Até este determinado momento, o bolsista adquiriu esta experiência
com as seguintes áreas de conhecimento da Matemática:

• Geometria Espacial, conteúdo acompanhado nos meses finais de 2020 na


turma do 2º ano do Ensino Médio;
• Análise Combinatória, conteúdo acompanhado durante o período de
Recomposição do 2º ano do Ensino Médio em fevereiro de 2021;
• Matemática Financeira, conteúdo acompanhado no início do primeiro trimestre
do ano letivo de 2021 para o 3º ano do Ensino Médio;
• Trigonometria, conteúdo acompanhado no fim do primeiro trimestre e durante
o segundo trimestre para o 3º ano do Ensino Médio durante o ano de 2021.

Em contrapartida, os discentes e o docente também obtinham proveitos da


presença do bolsista durante a aula. Os estudantes tinham à disposição mais um
indivíduo para relatar seus conhecimentos da área da Matemática e o professor tinha
o bolsista pronto para auxiliar com os contratempos enfrentados pela aula remota.

Tendo como exemplos ocasiões em que a rede de internet do professor Ernani


teve falha na conexão, porém a aula não foi interrompida dado que o bolsista pôde
mencionar algum esclarecimento ou curiosidade a respeito do assunto da aula. Assim
como momentos em que algum discente escrevia no chat e o bolsista repetia em voz
alta para o professor, já que o mesmo não conseguia visualizar a mensagem pois a
apresentação da aula era transmitida através da sua tela.

9
Vale ressaltar que no instante posterior à aula, o professor Ernani e o bolsista
Lucca conversavam entre si decorrências sobre a disciplina, a didática ou até mesmo
outros assuntos relacionados ao projeto. Tornava-se uma troca de experiências muito
favorável, a título de exemplo a ocasião no qual o bolsista manifesta-se admirado pela
forma em que o docente apresenta o assunto Análise Combinatória sem fórmulas para
Arranjos e Combinações.

4.2 Plantões de dúvidas

Os plantões de dúvidas eram realizados uma vez por semana às terças-feiras


com início às 14h e término previsto às 15h. Na prática, conforme os estudantes
presentes demonstravam diversas dúvidas, o bolsista possibilitava mais tempo de
plantão, atingindo mais de duas horas tirando dúvidas dos alunos.

O primeiro plantão foi realizado no dia 29 de setembro de 2020 pelo Google


Meet e, assim, seguiu-se por todas às terças-feiras do ano letivo de 2020 e do primeiro
semestre do ano letivo de 2021. O bolsista utilizava meios como lousa física, lousa
interativa virtual tal como o Jamboard ou aplicativos como o Paint para auxiliar na
visualização e compreensão dos alunos.

Figura 1 – Lousa física branca e estrutura para apoio do celular

Fonte: Autoria própria, 2020

10
Figura 2 – Lousa física branca

Fonte: Autoria própria, 2020


Figura 3 – Lousa física quadro negro

Fonte: Autoria própria, 2021


Figura 4 – Print da lousa interativa virtual Jamboard

Fonte: Autoria própria, 2021

11
Os estudantes que compareciam ao plantão tinham o propósito de sanar
dúvidas específicas do conteúdo abordado nas aulas do professor Ernani, resolver a
Atividade Domiciliar proposta pelo docente com o auxílio do monitor ou solucionar
questões que não estavam sendo apresentadas nas aulas do docente naquele
momento, tal como perguntas sobre Matemática na Educação Básica e dúvidas
relacionadas às provas de vestibulares.

Nestas monitorias, estavam presentes desde os discentes que já possuíam


facilidades para resolver questões de Matemática, no entanto gostariam de sanar
pequenas dúvidas, como também os estudantes que detinham muitas dificuldades na
compreensão do conteúdo abordado. A frequência destes alunos citados por último
era recorrente por diversas semanas, deste modo foi possível o bolsista acompanhar
melhor o progresso deles diante da disciplina de Matemática.

Diante disso, o licenciando e os alunos alcançaram enormes benefícios com a


execução destes plantões de dúvidas. Foi um desafio benéfico para o bolsista atender
diferentes perfis de estudantes e elaborar caminhos de explicação para todos eles, da
mesma forma que os alunos usufruíram de um monitor empenhado em ajudar-lhes
esclarecendo suas dúvidas.

Conforme Avaliação de Curso realizado pelo professor Ernani no final do ano


letivo de 2020, foi possível testemunhar depoimentos agradáveis em relação à
efetivação dos plantões: “o Lucca ajudou bastante, foi paciente comigo no plantão, e
tirou todas as minhas dúvidas e dos outros presentes”, “achei bom os esclarecimentos
de dúvidas durante os plantões e bem dinâmico”.

Em 2021, a plataforma adotada pelo docente e a Escola de Aplicação para


armazenar as Atividades Domiciliares foi o Google Classroom. Através dela, foi
possibilitado outros relatos referentes aos plantões, conforme exibidos nas imagens
abaixo.

12
Figura 5 – Print do relato de aluno no Google Classroom

Fonte: Autoria própria, 2021


Figura 6 – Print do relato de aluno no Google Classroom

Fonte: Autoria própria, 2021

Ademais, o plantonista estava igualmente preparado para solucionar as


dúvidas dos alunos para mais do horário de plantão designado. Foi respondido
perguntas através de e-mail, bem como foi elaborado construções geométricas em
aplicativos de matemática dinâmica tal qual o GeoGebra.

13
Figura 7 – Print do e-mail esclarecendo dúvida de aluno

Fonte: Autoria própria, 2020


Figura 8 – Print de construção geométrica realizada no GeoGebra

Fonte: Autoria própria, 20211

1 Disponível em: <https://www.geogebra.org/m/gtace2ry>. Acesso em: 30 ago. 2021


14
4.3 Encontro individualizado com aluno com deficiência intelectual

A Escola de Aplicação da FE-USP possui um Plano Educativo Individual (PEI)


para um acompanhamento especializado para os alunos com deficiência. Para Smith
(2008, p.70) o “PEI é uma ferramenta de trabalho planejada para assegurar que os
estudantes com necessidades especiais recebam a educação especial e os serviços
correlatos adequados às suas necessidades”.

Apesar destes discentes já receberem apoio de professores de educação


inclusiva, com o projeto PUB “Entrelaçando vivências universidade/escola na
formação do licenciando em Matemática” foi viável os bolsistas acompanharem tais
estudantes para auxiliar com as atividades de Matemática. Dessa maneira, torna-se
extremamente favorável a atuação deste projeto na Escola.

O aluno acompanhado individualmente pelo bolsista Lucca está com a mesma


turma que o licenciando vivencia nas aulas do professor Ernani. Ele apresenta
diagnóstico de deficiência intelectual com transtornos globais de aprendizagem.
Conjuntamente, realizava apoio escolar com a professora de Educação Inclusiva
Ingrid.

A assistência individual com o discente iniciou-se no dia 29 de setembro de


2020 e manteve-se com encontros realizados semanalmente nas terças-feiras às 16h
com duração máxima de 1 hora por todo o fim do ano letivo de 2020. No primeiro
semestre de 2021, os atendimentos passaram a ser realizados nas quartas-feiras às
12h com duração máxima de 1 hora. Estes acompanhamentos eram realizados pelos
métodos supracitados nos plantões de dúvidas.

Em paralelo a isto, eram realizadas conversas via grupo de Whatsapp em que


estavam presentes o bolsista Lucca, o professor Ernani e a professora Ingrid. Neste
grupo, o bolsista descrevia o encontro com o aluno, de modo que evidenciava as
metodologias abordadas para compreensão do discente, apresentava os problemas
e dificuldades encontradas no atendimento e indicava o aperfeiçoamento do
estudante. Por sua vez, os professores Ernani e a professora Ingrid depositavam suas
opiniões, sugestões e comentários a respeito do acompanhamento em questão.
15
O professor Ernani desenvolvia Atividades Domiciliares individualizadas para o
discente e o bolsista estava responsável em auxiliar na interpretação do conteúdo e
das questões, bem como instruía maneiras para solucioná-las. Na maioria das
atividades, eram necessários mais de um encontro para responder uma atividade por
completo, devido a explicação passo a passo realizada pelo licenciando que visava
uma compreensão voltada para o cotidiano do aluno.

Os conteúdos abordados com o discente durante os encontros individualizados


foram:

• Operações fundamentais da Matemática: adição, subtração, multiplicação e


divisão. Conteúdo apresentado no final de 2020;
• Matemática financeira: problemas envolvendo dinheiro, compra e venda.
Conteúdo apresentado no primeiro trimestre de 2021;
• Trigonometria e Geometria: noções básicas de seno, cosseno, tangente, arcos,
ângulos e circunferências. Conteúdo apresentado no segundo trimestre de
2021.

O bolsista desempenhava estratégias didáticas como aproximar o problema


matemático ao dia a dia do aluno, inserindo-o na situação exposta pela questão.
Facilitando, assim, a melhor compreensão do estudante e tornando a disciplina
interessante. Dessa forma, o trabalho exercido pelo licenciando exigia paciência e
criatividade para elaborar os modos de resolução da questão.

Em algumas ocasiões, também eram elaboradas atividades lúdicas pelo


bolsista com auxílio do professor Ernani e da professora Ingrid para ser aplicado com
o aluno. Atividades como jogos da internet relacionando operações matemáticas e
simuladores de caixa eletrônico, como também batalha naval no ciclo trigonométrico
eram desempenhadas em ocasiões de fim de trimestre e pós-avaliação.

Depois de meses desempenhando essa atribuição, percebe-se que o


desempenho escolar do aluno foi progredindo com o tempo. Na disciplina do professor
Ernani, entende-se que as noções matemáticas estão avançando e nota-se uma maior
iniciativa em buscar aprender. As dificuldades enfrentadas frente ao ensino remoto no
início da pandemia foram se limitando, tal como ele consegue acessar todas as aulas
16
pelo Google Agendas e enviar atividades pelo Google Classroom. Em outras
disciplinas, a evolução também foi notória, conforme relata a professora Ingrid em
conversa no Whatsapp.

Figura 9 – Print de depoimento da professora Ingrid em grupo de Whatsapp

Fonte: Autoria própria, 2021

Indiscutivelmente, as conquistas realizadas pelo licenciando através deste


trabalho foram diversas para o desenvolvimento da sua carreira de professor. Assim
como para a família do aluno e a Escola, as vantagens estão além do que possamos
conceber. Tendo como exemplo, situações nas quais o discente comunicava no
atendimento os problemas técnicos nos aparelhos eletrônicos e, em função disso, não
conseguia acessar a aula. Por sua vez, o bolsista anunciava ao professor Ernani e a
professora Ingrid e, então, o problema era resolvido com mais agilidade.

4.4 Correção das atividades

De modo geral, em todas as aulas o professor Ernani disponibilizava uma


Atividade Domiciliar aos alunos, as quais tinham uma ou duas semanas para serem
resolvidas. Em 2020, estas atividades eram enviadas por e-mail e em 2021 pela
plataforma Google Classroom. O bolsista Lucca possuía acesso a sua respectiva
turma e usufruía do direito de acompanhar as entregas das atividades dos discentes.

Em alguns momentos, o docente solicitava ajuda do bolsista para correção de


Atividades Domiciliares, sob sua orientação constante. Tais ocasiões proporcionavam
para o licenciando a proximidade com o sistema de avaliação, assim como obter
interação maior com os alunos.

17
As correções efetuadas pelo bolsista eram bastante detalhadas, de modo que
se apontavam os erros apresentados e posteriormente as maneiras de resolver a
atividade corretamente. Vale destacar que o encaminhamento exposto não indicava
diretamente a resposta correta completa e sim, dicas e sugestões.

No caso de o estudante demonstrar um bom desempenho na atividade, a


devolutiva era devidamente elogiada e parabenizada para desempenhar um maior
incentivo aos discentes. Como apoio, eram anexados imagens, vídeos e documentos
para complementar a compreensão do aluno.

Figura 10 – Print de modelo de correção de atividade realizado pelo bolsista

Fonte: Autoria própria, 2021

Desta forma, espera-se que os alunos aproveitem estas oportunidades para


seu desenvolvimento e ainda assim a contribuição para a formação do bolsista é
inevitável, conforme o professor Ernani menciona em conversa do Whatsapp.

Figura 11 – Print de depoimento do professor Ernani em conversa do Whatsapp

Fonte: Autoria própria, 2021

18
4.5 Planejamento e execução da aula

No segundo semestre do ano letivo de 2020, foi desempenhado pelos bolsistas


do projeto a elaboração de uma Atividade Domiciliar escrita juntamente com a
preparação de uma aula remota sobre um conteúdo pré-definido com o docente
supervisor. Deste modo, foi designado pelo professor Ernani para o bolsista Lucca
apresentar uma atividade escrita e uma aula para o 2º ano do Ensino Médio da Escola
de Aplicação da FE-USP sobre o conteúdo volume dos corpos redondos: cilindros,
cones e esferas.

A tarefa planejada pelo bolsista foi realizada em grupo de 4 alunos e dividida


em duas partes. Inicialmente, na primeira parte foi lançado um desafio para as equipes
solucionarem uma situação-problema sem pesquisar, apenas com seus
conhecimentos de mundo adquiridos até então. Assim, os alunos se sentiram
desafiados a resolver o problema antes mesmo de aprenderem o conteúdo e
consequentemente, puderam desenvolver uma atenção maior à explicação do
professor Ernani e do bolsista Lucca durante as aulas.

A situação-problema consistia na comparação entre os volumes do cone e do


cilindro. Para o bolsista, o método comparativo é uma boa forma de captar melhor o
conteúdo, na medida que se torna desafiador e instigante. O desafio foi introduzido a
partir de um vídeo gravado pelo bolsista interpretando um diálogo que formulava um
questionamento para os grupos formados responderem intuitivamente a solução do
problema. A pergunta foi: “dado um copo cilíndrico e um copo cônico que tem o triplo
da altura do copo cilíndrico, se preencher de suco os dois copos, qual dos copos
alcança a sua metade primeiro?”.

A apresentação visual por meio de um vídeo no aplicativo TikTok foi idealizada


baseado no contexto daquele período no qual o ensino remoto procedeu uma
desmotivação em muitos discentes, em que diversos alunos passaram a não
comparecer nas aulas e nem entregar atividades. O aplicativo proporcionou alegria de
muitas pessoas durante o momento de pandemia no mundo. Em consideração a estes
19
fatos, o vídeo foi uma tentativa de reaproximar os estudantes ao ambiente escolar por
meio de uma atividade que chamassem a atenção deles naquele momento.

Figura 12 – Print da apresentação da situação-problema da atividade pelo TikTok

Fonte: Autoria própria, 20202

Além do mais, os alunos estavam em quarentena e estudavam em suas casas.


Certamente, a dificuldade dos discentes adquirirem os materiais para experimentar a
atividade é devida. Isso posto, comprova-se que o vídeo foi a melhor maneira de
apresentar a visualização da situação-problema naquele momento.

A primeira parte da atividade foi pedida no dia 12 de novembro de 2020 (quinta-


feira) para ser entregue por e-mail para o bolsista até o dia 18 de novembro de 2020
(quarta-feira). A participação do licenciando no horário da aula do professor Ernani
aconteceu nos primeiros 10 minutos, quando foi apresentado as instruções da
atividade e o vídeo exibindo o desafio. Em seguida, o docente introduziu o conteúdo
sobre os corpos redondos, no entanto não foi mencionado explicações no que diz
respeito o volume dos cones, cilindros ou esfera.

2Disponível em:
<https://drive.google.com/file/d/1itM5bPqGCE8zuyjy3W30uhWt_4jaRCPM/view?usp=sharing>. Acesso em: 30
ago. 2021
20
Figura 13 – Print da apresentação do slide da atividade

Fonte: Autoria própria, 2020

Na semana seguinte, no dia 19 de novembro de 2020 (quinta-feira), o bolsista


Lucca conduziu a maior parte da aula explanando aos alunos as fórmulas dos volumes
dos corpos redondos mencionando algumas dicas para solucionar o desafio com
embasamento teórico a partir daquele momento.

Figura 14 – Print da aula realizada pelo bolsista no Google Meet

Fonte: MORAES, Ernani Nagy de, 2020

21
Figura 15 – Print da aula realizada pelo bolsista no Google Meet

Fonte: MORAES, Ernani Nagy de, 2020

No final da aula, o bolsista comunicou a respeito da segunda parte da atividade,


em que questionava às equipes o mesmo desafio proposto na primeira parte, baseado
no conteúdo apresentado naquela aula. A partir disso, os grupos poderiam resolver o
desafio ficando à vontade para consultar o material ou pesquisar na Internet e livros
de Matemática. Ainda naquela ocasião, o professor e o bolsista apresentaram para a
turma uma lista de exercícios sobre o assunto. A segunda parte do desafio e a lista
de exercício deveriam ser entregues por e-mail até o dia 25 de novembro de 2020
(quarta-feira).

No dia 26 de novembro de 2020 (quinta-feira), o bolsista preencheu 10 minutos


da aula do professor Ernani para comentar às possíveis soluções do desafio e as
respostas dos alunos.

Em suma, a tarefa alcançou um número considerável de alunos e os discentes


que tinham atividades pendentes de trimestres anteriores conseguiram completar os
conceitos referentes a uma destas atividades a partir da participação no desafio. No
geral, as respostas dos alunos foram plenamente satisfatórias e demonstraram gostar
muito da atividade.

De acordo com a Avaliação de Curso realizada pelo professor Ernani no final


do ano letivo de 2020, alguns dos depoimentos referentes à esta atividade foram:
“amei o modo como ele se preocupou em mostrar de uma forma que fosse ficar
22
interessante pra gente, já que chama nossa atenção”, “o Lucca fez o desafio para
saber se nós havíamos entendido a matéria, e quando tínhamos alguma dúvida ele
sempre nos ajudava”, “achei que ele explicou bem e achei legal que ele trouxe uma
coisa diferente por meio do tiktok e daquela atividade em grupo”.

4.6 Oficina “Com olhar nos vestibulares: Sequências e Progressões


Numéricas”

A oficina “Com olhar nos vestibulares: Sequências e Progressões Numéricas”,


foi uma atividade sugerida tanto pelo orientador Brolezzi, quanto pelo professor
Ernani, e assim desenvolvida pelos três bolsistas do Ensino Médio naquele momento:
Júlia, Lucca e Mauro. Abordavam um tema presente no currículo escolar dos alunos,
mas que possivelmente não seria dado devido a carga horária de aulas de matemática
oferecida pela Escola. Dado isso, foram realizadas reuniões para idealizar o projeto e
foi criado o curso.

Figura 16 – Logo do curso

Fonte: Autoria própria, 2021

Em seguida de algumas reuniões, os assuntos selecionados foram Sequências


Numéricas, Progressão Aritmética e Progressão Geométrica. Escolha feita pelo fato
de que é um tema que possibilita o desenvolvimento conjunto com os três anos do
Ensino Médio e, sobretudo por ser um tema muito recorrente nos vestibulares.

Dessa forma, foi criado todo um planejamento para o curso, ficou decidido que
o público alvo seria o 1°, 2° e 3° anos do Ensino Médio. As aulas aconteceram duas

23
vezes por semana (às terças e quintas-feiras), totalizando oito encontros com duração
de duas horas cada, sendo que o certificado do curso só foi dado aos alunos que
apresentaram no mínimo 75% de frequência.

A ordem cronológica dos conteúdos se deu com duas aulas iniciais abordando
sequências numéricas e não numéricas - o ponto principal dessas aulas era que os
alunos entendessem o que são sequências, bem como seu funcionamento; em
seguida foram planejadas mais duas aulas para Progressão Aritmética - a cada aula
havia conteúdo e também exercícios para colocar em prática o que foi visto; as duas
próximas aulas eram destinadas a Progressão Geométrica - havendo, também, a
presença do conteúdo e exercícios em seguida.

Por fim, as duas últimas aulas eram destinadas ao resumo de todo material
apresentado no curso e a resolução de uma lista de exercícios. A maior parte dos
exercícios apresentados durante o curso eram de vestibulares como ENEM, FUVEST,
COMVEST e VUNESP, uma vez que tinha-se como objetivo que os alunos tivessem
contato com conteúdo frequentemente em vestibulares. Sob orientação constante do
professor Ernani, as aulas eram bem interativas e buscavam-se materiais extras
importantes para contextualização do conteúdo.

No começo das aulas, eram retomados os conteúdos principais vistos até então
para introduzir os novos assuntos. Ao longo dos ensinamentos, tinham-se disponíveis
lousas interativas virtuais com mesa digitalizadora, como também lousas físicas. As
apresentações de slides eram bem dinâmicas e claras. Próximo ao final dos
encontros, realizavam-se resoluções de exercícios do conteúdo abordado na aula.
Para finalizar, os bolsistas apresentavam uma questão de um assunto posterior para
instigar os alunos a se interessarem pela próxima aula.

24
Figura 17 – Print de aula durante o curso

Fonte: Autoria própria, 2021

Um total de 16 horas foram trabalhadas durante o curso, as aulas ocorriam


duas vezes por semana com duração de duas horas cada durante todo o mês de maio.
Os bolsistas tiveram o privilégio da participação de cerca de 38 alunos distribuídos
entre os três anos do Ensino Médio, vale ressaltar que o curso foi feito de forma remota
em sala no Google Meet.

Figura 18 – Certificado do curso

Fonte: MORAES, Ernani Nagy de, 2021

Durante o desenrolar do curso, alguns imprevistos surgiram, mas não


ocasionaram mudanças significativas para o cronograma em questão. Praticamente
em todos os encontros os três bolsistas estavam juntos, maneira que encontraram

25
para se sentirem mais confortáveis, uma vez que não estavam tão habituados a dar
aulas. Se dividiram de forma que todos apresentassem um pouco de cada conteúdo
e ao mesmo tempo abordassem os assuntos que se sentissem mais preparados,
sendo assim, um complementava o outro.

Para que conseguissem controlar a frequência dos alunos, foi criado um


formulário de presença para cada dia do curso, o que possibilitou recolher alguns
feedbacks dos alunos. Alguns desses retornos foram: “gostei muito, achei uma
proposta incrível, aprendi muitas coisas; os professores foram muito atenciosos,
conseguiram explicar tudo com muita clareza, achei que seria difícil para alunos do 1°
ano, mas imagino que o "conteúdo" dado abrangeu e contemplou a todos... Queria
agradecer, aos 3 professores, espero que possamos nos ver em breve, quem sabe
presencialmente :)”, “eu amei a ideia do curso e como ele foi apresentado. Os ppt são
bem completos e os estagiários são muito atenciosos. Parabéns para vocês e muito
obrigada pela preocupação de ajudar nós estudantes. Espero que tenham mais cursos
para eu participar hahaha.”, “gostei bastante, no início explicavam muito rápido, mas
foram evoluindo, agora estão ótimos, adorei o curso inteiro. Espero que caia questões
como essas que estudamos. Vocês são ótimos, boa sorte na faculdade!!”.

Esses relatos foram essenciais para o desenvolvimento do curso, pois através


deles os bolsistas conseguiram analisar se os alunos estavam compreendendo os
conteúdos dados, se estavam conduzindo as aulas de maneira satisfatória e se a
metodologia adotada estava conseguindo abordar todos os alunos, além de
conseguirem também perceber pontos a melhorarem tanto para oficina que ocorreu,
quanto para as futuras que terão ao longo de suas carreiras.

4.7 Atividades lúdicas

Outra atividade proposta pelo orientador Brolezzi era que os bolsistas


preparassem alguma atividade lúdica para os alunos, proporcionando a eles um
momento diferente do usual, como também possibilitar um entrosamento entre as
turmas à frente do período de quarentena.
26
No final do ano de 2021, foi elaborado pelos bolsistas do Ensino Médio naquela
ocasião (Jefferson, Lucca e Marcos) uma oportunidade para jogar virtualmente em
conjunto com os 3 anos do Ensino Médio. Os jogos escolhidos pelas turmas através
de votação em sala de aula foram o Among Us, Gartic e Stop. Na ocasião, os três
bolsistas se dividiram em sala de jogos diferentes. O bolsista Lucca acompanhou a
sala do jogo Gartic. A atividade foi bem executada e os discentes dispuseram de um
momento de distração no final do ano em período de provas.

Novamente em conjunto, no final do primeiro semestre de 2021, os três


bolsistas do Ensino Médio (Júlia, Lucca e Mauro) realizaram um sarau e jogos, como
Stop e Gartic Phone com os alunos. Esse momento teve como objetivo gerar um
encontro entre professor, alunos e bolsistas sem que fosse relacionado com conteúdo
de aulas. A finalidade do sarau foi que os alunos mostrassem o que faziam em seus
tempos livres, seja por diversão, hobby, momentos esses que são muito importantes,
uma vez que todos necessitam de descanso. Já os jogos foram escolhidos por ser
uma das atividades que os jovens dessas idades costumam gostar.

Estes momentos foram muito divertidos e descontraídos, proporcionando


risadas e uma maior interação entre todos. Essa oportunidade estreitou ainda mais a
relação dos bolsistas com os alunos.

5. CONCLUSÃO

O projeto foi uma experiência única, todo conhecimento agregado e habilidades


desenvolvidas foram muito enriquecedoras, o fato dele ser totalmente online foi bem
surpreendente e em razão a colaboração da Escola de Aplicação da FE-USP, o
orientador Antonio Carlos Brolezzi, o docente supervisor Ernani Nagy de Moraes e
aos colegas bolsistas que todo o projeto foi bem aproveitado e bem orientado,
impactando e ensinando de maneira enriquecedora o bolsista.

Todo o processo foi satisfatório por apresentar e iniciar o bolsista com uma
turma e com a prática de lecionar e da docência. Esse projeto permitiu o bolsista que

27
tivesse uma vivência com a rotina de um professor e no decorrer do projeto foram
exploradas, descobertas e desenvolvidas várias habilidades, criatividade e
aprendizagens. Essa experiência mostrou metodologias novas e desconhecidas todas
voltadas para o ensino remoto, e isso agregou positivamente na didática e na carreira
do bolsista.

Ao tomar conta de todo o trabalho desempenhado durante o ano em atividade


pelo projeto, o bolsista demonstra-se extremamente grato à oportunidade oferecida
pelo professor Antônio Carlos Brolezzi e a rica contribuição do professor Ernani Nagy
de Moraes. É animador perceber que o projeto vai durar mais um ano e o bolsista
deseja contribuir satisfatoriamente com os excelentes resultados do propósito.

6. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

SMITH, Deborah Deutsch. Introdução à Educação Especial: Ensinar em Tempos de


Inclusão. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

28
29

Você também pode gostar