Você está na página 1de 2

A cinesioterapia na reabilitação motora e sensitiva

das lesões traumáticas dos nervos da mão


(Resumo do artigo publicado in Revista Horizonte, Vol. XIII, nº 77, pp. 15/19, 1997.)

Paulo Tojeira

www.tojeira.no.sapo.pt

OBJECTIVOS

O tratamento e o restabelecimento da função neuro-muscular do movimento são


impensáveis sem uma larga utilização do seu excitante mais adequado: o próprio
movimento. Os objectivos do exercício terapêutico determinam-se em cada caso concreto
sendo, em princípio, os seguintes:

1. Profilaxia das contraturas e dos alongamentos dos músculos enfraquecidos, dos


tendões e das cápsulas articulares, através da terapia de posição e de meios ortóticos;

2. Profilaxia da degeneração fibrosa dos músculos desinervados e sua manutenção no


melhor estado funcional;

3. No início da regeneração, ajuda à revelação de contracções musculares activas, que


possam ser treinadas no sentido de se atingir a máxima força e resistência;

4. Limitação dos movimentos substitutivos.

ETAPAS

Consoante o grau da lesão (neurapraxia, axonotmesis ou neurotmésis), o quadro clínico e


os exames, nomeadamente os exames diagnósticos especiais da função motora (Teste
Muscular Manual, electrodiagnóstico e electromiografia - EMG), o programa de
reabilitação, concretamente o de exercício terapêutico, pode dividir-se em algumas
etapas:

1. ETAPA DA PARALISIA TOTAL (na axonotmesis ou na neurotmesis, antes ou depois do


restabelecimento cirúrgico do nervo) - com dados electrodiagnósticos e EMG de
desinervação total dos músculos;

2. ETAPA DA REINERVAÇÃO SUBCLÍNICA - com dados EMG de início do processo de


reinervação, mas sem movimentos activos;

3. ETAPA DA REINERVAÇÃO CLÍNICA - com dados EMG de início do processo de


reinervação em marcha e com movimentos activos já adquiridos nos músculos
paralisados;
4. ETAPA DOS FENÓMENOS RESIDUAIS - estado que se caracteriza por contracção
voluntária insuficiente, reduzida força muscular e descoordenação de movimentos, por
vezes com perda do sinergismo muscular normal.

REGIME DIÁRIO

No regime de movimentos diários do paciente incluímos:

- ginástica matinal (10 a 15 minutos);

- bloco de exercício terapêutico com exercícios de desenvolvimento geral (10 a 15


minutos) e exercícios especiais (30 minutos);

- treino da sensibilidade (15 a 30 min.);

- hidroginástica (10 a 15 min.);

- electroginástica (10 a 15 min.);

- terapia com EMG-biofeedback (10 a 15 min.);

- terapia ocupacional (de ocupação e funcional);

- jogos (de ocupação e desportivos) e elementos de jogos;

- massagem terapêutica parcial no membro afectado, coordenada com exercícios do


bloco de motricidade terapêutica ou independente dela.