Você está na página 1de 1

Vantagens e limitações

O meio IAL tem a vantagem de ser prático para inoculação e de baixo custo. Sua desvantagem é a
dificuldade de interpretação de tantas provas, exigindo muita experiência prévia com o meio. Este
meio identifica os principais gêneros de enterobactérias, indicando a presença de bactérias não
fermentadoras e Vibrios.

Para caracterizar corretamente as espécies de Enterobacter, gênero Serratia, gênero e espécies de


Pseudomonas há necessidade de realizar provas complementares.

Pelas limitações do poder discriminatório de gêneros e espécies de enterobactérias não se recomenda


este meio, como única opção, na identificação de bactérias envolvidas em infecções hospitalares. Uma
alternativa seria utilizar os resultados obtidos do meio IAL como triagem e adicionar os testes
complementares, como Citrato e a fermentação da lactose verificada no crescimento em ágar Mac
Conkey.

Variantes do meio IAL

Tubo 1 – meio de Rugai sem sacarose provas: fenilalanina, fermentação da glicose, gás, H2S, uréia
Tubo 2 – MIO (Motilidade Indol Ornitina)
Tubo 3 – lisina
Tubo 4 – citrato
Tubo 5 – rhamnose

CONJUNTO EPM / MILI / CITRATO

Trata-se praticamente da mesma combinação de reações do meio IAL ou Rugai & Araújo (modificado
por Pessoa & Silva), separados em 2 tubos, passando a verificação do indol da tampa do IAL, para o
meio MILi após adição do reativo de Kovacs.

- inocular picando até o fundo


- semear na superfície
Tubo EPM
- incubar com a tampa frouxa 24hs/35oC
Fermentação da glicose, produção de gás, H2S, uréia, fenilalanina.

- fazer picada central apenas


- incubar 24hs/35oC
- adicionar 3 gotas de reativo de Kovacs após a leitura da lisina para o teste de
indol
Tubo MILI
Motilidade: as imóveis crescem apenas na linha de picada.
Descarboxilação da lisina: lisina positiva o meio torna-se roxo, na prova
negativa o meio permanece amarelado nos 2/3 inferiores.
Indol: a formação de um anel rosa na superfície do meio indica positividade
para o indol.

- inocular a superfície
- incubar 24hs/35oC
Citrato
A prova positiva é evidenciada pelo aparecimento de coloração azul na
superfície.

Interpretação do Meio EPM

Produção de gás Formação de bolhas ou rachaduras no meio

Produção de H2S Presença de pigmento negro de qualquer


Base intensidade

Hidrólise da Uréia Coloração azul esverdeada (fraca) na base indica


prova positiva

Superfície Desaminação do Triptofano Reação positiva – verde escuro ou acastanhado


Reação negativa – superfície inalterada

Mod V - 16