Você está na página 1de 20

ÍNDICE

Ranking .4 Ficha Técnica


...Vamos Aderir?
Evoluir .5 [vamosaderir@gmail.com]

Propriedade: Tempo-Team
Billund, Dinamarca Roteiro .6 [www.tempo-team.pt]

Publicação Mensal
Auditoria do Mês .8
Tiragem: 120 exemplares

Crónica do Mês .10


Nesta Edição:
Entrevista .14
Daniela Brogueira
Mega Carnaval Tagarela
Headset Rosa .15 Flávia Machado

Henrique Casal Ribeiro


E esta, hein? .16
Jorge Manaia

Calinadas .16 Nuno Montalvão

Paula Amaral
Tagarelas na Cozinha .17
Orxestra Pitagórica Vera Gouveia

Agenda Cultural . 18
Composição/Paginação:
Reviews Culturais .19 Ivo André Almeida

Ilustração/Fotografia:
Planeta Outbound .20 Claudio de Sousa

Serviços Administrativos:
Maria de Jesus Mateus
Tempo-Team na Dinamarca
Rui Silva

Última Hora Tempo-Team Global


Dinamarca… Terra de castelos, esquecer também as bicicletas, mas
famílias enfiadas nas suas casas, isto já é outro assunto) Nestas duas
bicicletas e…. da Tempo-Team! jornadas deparei-me com estas duas
Holanda… Terra de moinhos, queijos, congéneres europeias, sem querer
bicicletas e…. da Tempo-Team! de facto encontrar tal edifício! Uma
Ao viajar por locais nunca antes em Aarhus, outra em Amesterdão. A
“navegados” por “moi-même”, a marca da empresa Tempo-Team não é
fim de conseguir junto com minha uma marca corriqueira, nem somente
esposa uma “de-stress-tização”, nacional, é uma marca de recursos
aliás, bem sucedida, deparei-me humanos com globalidade; Embora o
com um país cinzento, com uma stress laboral tenha passado nesses
cidade com um nível de limpeza fugídios dias de férias, o que não
muito abaixo do esperado, jamais passou foi a lembrança deste nome
equiparado à lindíssima Dinamarca, que nos distingue todos os dias, do
com um padrão de limpeza elevado, nosso reconhecimento profissional,
criminalidade baixa, e poucos turistas do nosso trabalho global, de todos
(pelo menos poucos portugueses). O nós, colaboradores Tempo-Team!
que torna estes dois países, embora
um pouco diferentes, que os une? Bem haja,
Como não podia deixar de ser: A Henrique Casal Ribeiro
nossa empresa: Tempo-Team! (Sem
2 Tempo-team em Amesterdão
EDITORIAL
Este ano os Festejos de Carnaval nos
nossos CallCenter´s tiveram mais
sabor!
Sim…pela 2º vez e esperamos que por
muito tempo, aos elementos de Coimbra
juntaram-se os elementos do Porto e
Lisboa na realização deste Jornal que já
é um Sucesso Nacional!
Ao Carnaval vivido com toda “a
pompa e circunstância”, associaram-
se as viagens, entrevistas e boatos,
as saborosas receitas… e também
as actividades extra-curriculares que
evocam mais uma época festiva que se
Maria de Jesus Mateus
aproxima em todo o país (Queima das
Fitas).
Tudo isto promovido pelos elementos
das nossas Equipas de Telemarketing
(Inbound e Outbound), que desmistificam
o trabalho de CallCenter e que muito nos
orgulham, transformando este Jornal
numa “lufada de ar fresco” para as
mentes ocupadas do nosso dia-a-dia!
Convido-vos a ler e a relaxar!

…e lembrem-se sempre...

“No meio da
dificuldade
encontra-se a
oportunidade!”
Albert Einstein

3
RANKING/ABRIL Porto Inbound

Outbound

Coimbra Outbound

4
Evoluir com Paula Amaral

Have you met Mr. “Carpooling”?


19/01 – “CP,RN, Transtejo Carris e STCP vão fazer
greve.”
15/02 – “A paralisação começou às 5 da manhã e vai
terminar às 9 horas. Tal como na semana passada não
serão disponibilizados transportes alternativos.”
24/03 – “Greve marcada para amanhã, comboios e
metro param já hoje. Greve dias 1, 8 e 15 de Abril já
confirmada.”
Não há histórico passível de comparação entre anos
anteriores e os 4 primeiros meses de 2011, no que
toca a greves nos transportes públicos. Não só se
tornaram sistemáticas, como têm cada vez maior
adesão, tanto no número de grevistas, como também
nos sindicatos de diferentes empresas públicas
envolvidos, o que consequentemente afecta mais a
população.
As opções passam pela procura de transportes
alternativos, ainda assim muitas vezes sem sucesso
pelo que, necessariamente, o automóvel acaba por se
tornar na única escolha possível, o que se traduz num
aumento de custos por viagem (como combustível
e portagens), poluição, trânsito e dificuldades de
estacionamento. Uma solução para todos estes
obstáculos, já comum noutros países (nos E.U.A.
desde a década de 70), mas ainda impopular em
Portugal, é o carpooling (ou ride sharing ou car
sharing). Carpooling consiste na partilha de uma
viatura entre pessoas que fazem o mesmo percurso,
ou que a podem utilizar numa parte do itinerário em
comum. Um benefício acrescido é a possibilidade de
partilhar a condução, o que contribui para a redução
do stress caso se trate de uma viagem de médio/
longo curso. Na maioria dos casos, a viatura utilizada
é propriedade de um dos passageiros, embora já se
verifiquem situações em que esta modalidade de
transporte se provou ser mais vantajosa utilizando uma
viatura alugada (carsharing, diferente de car sharing),
opção também ideal para os não proprietários.
Entre algumas propostas junto do Governo, como
a da atribuição de descontos em portagens para
viaturas com um maior número de ocupantes ou
da criação de faixas exclusivas para estes casos,
existe já uma empresa em Portugal que dispõe do
serviço carsharing, bem como iniciativas apoiadas
pelo projecto europeu CiViTAS ELAN, no sentido de
dinamizar o carpooling, ao nível dos Municípios e
das Lojas de Mobilidade nas principais cidades do
País. Ainda assim, porque não utilizar o Facebook
ou outras redes sociais, tão populares e abrangentes,
para a título particular identificar pessoas com quem
é possível partilhar um percurso, poupar dinheiro e o
ambiente e até, quem sabe, fazer novos amigos?
5
Roteiro com Henrique Casal Ribeiro

Destino Low-Cost » Billund(Dinamarca)


Apenas a 138 Km´s de Coimbra e
16,6 Km´s do Porto, o Aeroporto
Francisco Sá Carneiro alberga
temporariamente milhares de
turistas que preferem um meio
rápido e cómodo de viajar pela
Europa. A Ryan Air tem servido
e satisfeito a vontade a muitos
portugueses por permitir por
valores “low-cost” viagens que os
deliciam com locais distantes por
esses países europeus fora…

Daí ter sido este o meio preferencial de viagem atracções para muitos turistas são: Um parque
escolhido por mim e minha esposa, quando pre- aquático enorme e a legolândia. Este último é
cisamos dês-stressar e conhecer novas formas super divertido e sugiro uma visita em família
de viver e novas culturas. Nesta crónica falarei (sim, também com os filhos) ou com amigos.
apenas de um dos muitos destinos já percorri- O Hotel seleccionado foi também o mais aces-
dos por mim em low-cost: A Dinamarca. sível que encontrámos: Comwell Kolding, um
Aparentemente um destino desinteressante, hotel arrojado, de ****estrelas , na cidade de
quanto mais não seja pelo frio, pela falta de in- Kolding, a cerca de 45Km do Aeroporto.
teresse turístico de que se revestem outras par- É também um hotel com muita movimentação,
tes do mundo, como Tenerife, Canárias, Cuba, dado que também acolhe conferências e outros
ou até o Brasil. eventos.
Junho, 18, 2010 Enfim, agora no hotel, está na hora de reunir
O Aeroporto de Billund, na Jutlândia, é modes- informações que recolhemos na Internet e que
to, assim como vários aeroportos “low-cost”, serão de proveito visitar.
com 5 ou 6 portas de embarque (…) e ao che- Ao analisar na Internet o existente nos arredo-
gar a esta terra em que não se vêem turistas res de Billund e também Kolding, encontramos
portugueses (a não ser no avião e depois só até vários locais oportunos e apropriados para
os vemos no regresso), observamos no tecto visitar, entre os quais um Castelo sobre a água.
um acessório de marca da terra de Billund» Um Egeskov Slot de seu nome é o segundo mais
Lego enorme pendurado, com uma forma pare- popular objectivo da ilha dinamarquesa de
cida com a de um globo. Fyn(esta é a ilha do “meio” na Dinamarca”) Po-
De salientar que não estamos perto de Co- demos encontrá-lo na parte sul a cerca de 20
penhaga, uma capital em expansão; estamos km da cidade de Svendborg. Foi construído em
num vilarejo, onde as duas principais e únicas 1544. Egeskov Slot é conhecido como o mais
6
belo castelo de água na Europa. Uma parte do sim as despesas no país!
castelo está reservada para a família real da Di- Passeio:
namarca, a outra, pode ser visitada. -Esta é uma terra muito agradável para se pas-
Aarhus é uma cidade já movimentada e tem sear, em especial por ser plana; consegue-se
uma aldeia (centro de turismo fechado) típica apreciar, por exemplo, o Porto de Kolding e as
dos hábitos dinamarqueses em séculos pas- suas paisagens marítimas sempre apreciadas.
sados, com actores e actrizes a realizarem as Rent-a-Car:
tarefas do dia-a-dia. Também o museu de arte, -Não viaje sem alugar automóvel nesta terra,
dependendo das exposições valerá a pena vi- embora seja plana, e ideal para andar de bici-
sitar, pois encontra-se lá uma escultura impres- cleta, não aconselho, porque a sua visita ficará
sionante do “Big Boy” de 5 metros. Impressio- bastante limitada a uma ou mais cidades ou vi-
nante! las, e não permitirá ter a acessibilidade de co-
Também a já falada Billund, com a Legolandia, nhecer lugares incríveis como tive oportunidade
super divertida para terminar uma estadia neste de conhecer (Veja por si mesmo na pesquisa do
destino. google maps e veja o que encontra nos arredo-
res de Billund!).
Conselhos Dinheiro:
Alimentação: Em relação a dinheiro, levante
Impressionante observar os o necessário, o resto pague
hábitos dinamarqueses neste com o cartão de crédito ou de
campo: débito (deverá confirmar se
-Ao deambular pelas várias estes funcionam no estrangei-
cidades, achava impressio- ro e nesse país) Deverá tam-
nante não ver nem um único bém deslocar-se ao banco a
habitante local a jantar! fim de trocar euros por Danish
-Entrámos em vários restau- Krone´s.
rantes (sim, lá existem os res- Valores gastos:
taurantes que são explorados Agora falando de valores mo-
pelos emigrantes) e começá- netários. Por razões óbvias, os
mos a observar uma diferen- valores gastos no local podem
ça cultural acentuada. variar, contudo por menos de
Ao passo que aguardávamos 100 euros para duas pessoas,
pela nossa lasanha bolonhesa, quase à 30 mi- ida e volta, pude conhecer um local sossegado,
nutos, e começou a cheirar a queimado, entra- surpreendente, e tranquilizador!
vam e saíam em poucos segundos no restau-
rante, habitantes locais, só para levar a comida 3 Recomendações para visitar Billund:
e ir comê-la a sua casa! -No verão (hipótese de quase não ver a noite a
Esta diferença cultural acentuada e contrastada aparecer!!!)
com os portugueses dá-nos um exemplo lógico -Com amigos ou esposa e filhos (para mais tar-
de aritmética nos dias em que vivemos: de recordar e rir com fotos e vídeos à mistura);
-Reunir a família+ conviver em família + comer -conhecer uma cultura completamente diferen-
em família + ficar na nossa casa = poupança; te da “tradição” portuguesa;
-Reunir a família + pegar no carro e ir ao sho-
pping + ir ao cinema + comer cada um o que 3 Sugestões para viagens low-cost (e outras):
quer + voltar para casa à noite, fatigado = gasto -Nunca viaje sozinho;
desmesurado e pouco convívio em família; -Nunca viaje sem máquina fotográfica, de boa
-Aconselho no que toca a alimentação, sempre qualidade;
enveredar pelo mais barato, pois, acreditem, o -Conheça pessoas, não apenas coisas!
que vai ser caro não é a viagem de avião, mas
7
Auditoria do Mês

Mariana Borges, a nova Supervisora

O Inbound do Porto está de Parabéns, com o reforço de mais


uma simpática e talentosa supervisora, que ao longo dos vários
anos de colaboração, sente agora reconhecido mérito no seu
trabalho. Mariana Borges elucida-nos um pouco sobre as suas
perspectivas e ambições para esta nova tarefa, esperando
continuar a contribuir para a evolução e sucesso da empresa.

Vamos Aderir - Há quanto tempo muito desmotivador.


trabalhas na zon? Com o tempo fui pensando em evoluir aqui
dentro mas nunca achei possível, tenho
Mariana Borges - Trabalho na zon há 3 muitos colegas com capacidades para
anos. evoluírem também e não achava ter perfil,
no entanto, tendo em conta circunstâncias
V.A. - Desde que entraste para a zon que aconteceram há cerca de um ano
sempre tiveste vontade de evoluir atrás, esse instinto e capacidades foram
surgindo naturalmente e aí percebi que
profissionalmente?
de facto queria evoluir aqui dentro e tinha
tudo para o conseguir!
M.B. - No inicio não, tinha acabado a
licenciatura antes de vir para cá e encarei
como uma passagem temporária até V.A. - Quais eram as tuas expectativas
encontrar trabalho na minha área, no relativamente a este desafio?
entanto essa passagem temporária foi-
se prolongando, a procura de emprego M.B. - Muito altas, é um desafio muito
na minha área foi diminuindo também interessante e importante para mim, não
porque as desilusões contínuas foram- só pelo desafio em si mas por me terem
me desmotivando e por outro lado confiado este projecto novo.
porque me sentia bem aqui, o espírito de
união e “família” que aqui existe é muito V.A. - Agora que já passaram 2
importante e tem um peso muito grande meses, o que é que nos podes dizer
no meu bem estar pessoal e profissional, é sobre esta experiência?
uma componente fulcral. Com certeza que
como eu muito gente conhece pessoas M.B. - Tem sido óptima, desde o trabalho
ou tem amigos que estão a trabalhar na com a minha equipa até ao trabalho com
sua área mas não se sentem enquadrados a supervisão, qualidade e coordenação.
na equipa onde estão, e isso para mim é Todos tem sido uma grande ajuda, têm
8
me apoiado sempre. Tem sido muito
enriquecedora e estou muito satisfeita.

V.A. - Numa pequena avaliação desta “...o espírito de


tua curta função como supervisora,
o que é que melhoravas e o que é
união e “família”
que mantinhas? que aqui existe é
M.B. - Essa questão é de facto complicada, muito importante
no entanto posso-te dizer que mantinha
tudo porque tudo faz parte de um processo e tem um peso
de aprendizagem, de adaptação, de
evolução. Foram cometidos alguns erros
muito grande
7
naturalmente, mas se esses não existissem
não evoluíamos, assim aprendemos com
no meu bem
eles e melhoramos sempre. estar pessoal e
V.A. - Quais são as tuas perspectivas profissional...”
para o futuro como supervisora
nesta equipa?

M.B. - São perspectivas positivas, é


mais difícil pelo facto de ser equipa
com operadores novos, no entanto tem
muitas vantagens, todos eles são muito
esforçados e estão aqui para vencer!
Temos ainda trabalho pela frente e este
tem de ser contínuo, mas já temos tido
provas da força e união desta equipa, no
1º mês cumprimos o objectivo e estou
muito orgulhosa, temos um futuro brilhante
pela frente!

V.A. - Queres deixar alguma


mensagem especial para a tua
equipa?

M.B. - Claro que sim! “Tem sido um prazer


enorme trabalhar com vocês e evoluirmos
juntos! Muito Obrigada!”

9
CRÓNICA do MÊS

Mega Carnaval de tagarelas 2011


Este ano o Carnaval foi atípico em todo o Globo, para os videojogos. O passe para jogar era simples,
visto que foi realizado em Março, quase um mês vender. Cada tagarela que vendia, tinha direito a fazer
depois do que é habitual, no entanto não conseguiu uma pergunta sobre equipamentos ou serviços ZON
iludir a trupe de Tagarelas dos Callcenters de Porto e a um outro tagarela à sua escolha, se esse tagarela
Coimbra, que se anteciparam, abrindo as festividades respondesse acertadamente, prosseguiam os dois
na sexta-feira de Carnaval. No Porto, os tagarelas para uma “battle” entre os dois, de um jogo à escolha.
apareceram trajados a rigor, prenunciando o que se Das “corridas de Karts” aos “jogos de porrada”, ténis
iria passar na segunda-feira de Carnaval. O Megaday e outros desportos, o que não faltaram foi tagarelas a
no Porto foi marcado pela variedade de disfarces querer vender para poder descomprimir uns minutos
e entre chocolates, balões, serpentinas, risos e e desfrutar de tamanha diversão.
sorrisos, rebuçados, jogos temáticos e prémios Todas as equipas contribuíram para um Carnaval
para os melhores vendedores e máscaras, foi mais memorável, de cor e gargalhadas. A adesão massiva
um dia onde se uniram o espírito de equipa e a de mascarados a Callcenters decorados com pompa
animação. Já o lado de Outbound apareceu a rigor na e circunstância, só poderia resultar numa grande festa.
2ª feira, cada um com a sua temática. Nem os mais Até os clientes, do outro lado da linha, entrariam mais
resistentes tiveram a hipótese de ficar desprovidos da na festa, se nos imaginassem naquelas figurinhas
bela da máscara. Com mais ou menos imaginação do lado de cá da linha. Uma paródia de Padres e
e improviso todos tiveram direito à fotografia em Óbelixes, Minies e diabinhas, hippies e Cleópatras,
equipa com a dita fatiota. Claro que este dia nunca Jogadores de futebol e Robertos, Elvis, índios e
poderia ter passado sem um Megaday onde houve princesas, bruxas, ladrões, palhaços e a pandilha do
lugar para alguns felizardos levarem a lembrança para Super mário, apareceu tudo o que era personagem,
casa. Em Coimbra, ninguém apareceu mascarado prontinhos para falar ao telefone. [Ivo Almeida, Nuno
na sexta-feira mas tiveram todos uma surpresa, Montalvão, Paula Amaral]
uma “Nintendo Wii” ligada a um projector, prontinha

10
11
CRÓNICA do MÊS

CARNAVAL 2011

Vox Populi
Sónia Tavares
“No nosso carnaval vendemos disposição,
diagnosticámos máscaras, rebatemos tristezas
e tivemos um dia cheio de animação e
qualidade!”

Ana Vieira
“Quando se junta animação, empenho e boa
disposição o resultado só pode ser um carnaval
com muita diversão e agitação!”

Mafalda Vilaça
“Jovial e nada banal foi assim o nosso fantástico
carnaval!”

Paula Amaral
“O megaday carnaval foi sem dúvida único e
super motivador, desde as máscaras de grupo,
trios, duplas e individualidades, conseguimos
ter o melhor dos dois mundos: a diversão do
carnaval e a motivação para trabalhar num
ambiente cheio de alegria! Venha o próximo!”

Ana Rita Batista


“O meu carnaval no callcenter: foi diferente do
normal! No quadro, vendas. Para as melhores
mascaras, prendas!”

Tiago Gonçalves
“Foi um carnaval diferente, com muita adesão
à mascara (apesar do calor que a peruca me
fazia), foi divertido, com fotos à mistura. Uma
experiência a repetir.”

Gisela Vilão
“Foi um dia de desafio para todos! Era carnaval,
ninguém levava a mal, os colegas aderiram
mesmo, despertando curiosidade, motivação
e alegria!”

Tiago Pucarinho e Catarina Sousa


“Depois da bela sessão fotográfica, lá fomos
trabalhar, mas sempre com a boa disposição
carnavalesca. Não podia ter acabado melhor,
continuando a celebração após o trabalho.”

Ana Jorge
“Gostei da ideia de uma actividade diferente no
nosso callcenter, mais dinâmica, resultou em
diversão, motivação e curiosidade.”

12
13
Entrevista
Bruno Soares, o Pitagórico
Vamos Aderir - A “Orxestra Pitagórica” é um grupo da tação para caloiro da Pitagórica, foi o meu Baptismo no meu
Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra, 1º cortejo de latada, e sem dúvida, a sensação literalmente
famosa há muitos anos, pelas músicas com letras a sati- “orgásmica” (passe a expressão), de subir de fraldas pela 1ª
rizar aspectos da vida Académica e Política portuguesa. vez ao palco da latada para a nossa actuação, e ver a minha
Sendo tu uma pessoa tão calma e educada, Como foste frente literalmente centenas e centenas, quiçá milhares de es-
lá parar? tudantes a gritarem “PITAGÓRICA”…. Indescritível…
Bruno Soares - A orxestra Pitagórica existe desde mil oito-
centos e noventa e poucos, contudo, durante o Estado Novo V.A. - Além da “Orxestra”, tens ainda o curso de Direito
e um pouco mais, passou por um longo período de inactivi- para acabar e o telemarketing na Zon. Tens tempo pra
dade (vá-se lá saber porquê). Voltou a surgir em 1980, tendo tudo ou tens feito sacrifícios?
como um dos seus motes o “falar a sério a brincar”. No entan- B.S. - É claro que é difícil, mas não são necessariamente
to, e apesar de eu ser de Coimbra, desconhecia por completo sacrifícios… trata-se mais de força de vontade e de organi-
tal grupo. Tinha um amigo que estava sempre a insistir para zação. Citando jonh Locke, “o ser humano quando nasce é
eu entrar, mas eu não fazia ideia do que era a Pitagórica, pen- uma tábua rasa onde todas as experiências porque passamos
sava que era uma mera tuna, e isso nunca foi a minha onda. são inscritas, e nos tornam a pessoa que somos”. E partindo
No entanto, na queima de 2006 vi a Pitagórica a actuar, e foi “ deste pressuposto, a Orxestra Pitagórica é um marco inelu-
amor á 1ª vista. No 1º ensaio do ano lectivo de 2006/2007, lá tável da minha vida. E em certo ponto, também o telemarke-
estava eu num ensaio da pitagórica…E nunca mais nada foi ting. Não é pêra doce, ser operador de telemarketing, mas dá
como era antes. :D estofo, e tornou-me uma pessoa bastante mais resiliente, ao
longo destes 2 anos de trabalho árduo. Já relativamente ao
V.A. - Praxes mirabolantes, ins- Direito, esse é uma paixão antiga.
trumentos bizarros e taxas ele- :D Tenho 23 anos, estou no penúl-
vadas de alcoolemia em palco, timo ano do curso de Direito, tra-
existe todo um culto em torno da balho há 2 anos na tempo-team, e
“Orxestra” e dos seus membros, estou no 5º ano da Pitagórica. Há
lendários foliões académicos tempo para tudo.
que vivem da boémia. Já viveste
na pele estes mitos? V.A. - Se um caloiro te pedisse
B.S. - Quem conta um conto, conselhos para entrar para a
acrescenta um ponto… Desde “Orxestra Pitagórica” ou para al-
sempre ouvi esta expressão, e guma Tuna ou colectividade pa-
como tudo na vida, tem toda a ra- recida. De que forma o aconse-
zão de o ser. Nós, enquanto grupo, lhavas? E para o telemarketing?
somos acima de tudo um grupo de B.S. - Se um caloiro me perguntas-
amigos, e estamos sempre lá uns se o que eu achava acerca dele ir
para os outros, seja para o que for, para a Orxestra Pitagórica, dizia-
e quando for. Somos uma família. E a meu ver, é isso que nos lhe para vir a uma entrevista, às terças e quintas, às 21h30,
distingue e nos dá esse “dito” carisma…. E é esse espírito na sala Tó Nogueira, por baixo da sala de estudo da AAC.
que me prendeu ao longo destes 5 anos á pitagórica, e que E mais não lhe diria. É impossível expor por palavras o que
me irá prender mesmo após terminar a minha regência como é a Pitagórica. Um conhecimento real da mesma e do seu
activo da pitagórica e me tornar dinossauro. A pitagórica é espírito requer um conhecimento por dentro. Ia aconselhar o
uma escola, e é para a vida. E é isso que é a Orxestra Pitagó- caloiro a ir à entrevista, e tirar as suas ilações. Porque não é
rica. Claro que as borgas e farras são engraçadas, quem não qualquer pessoa que serve para ser um membro da Pitagó-
gosta disso? Mas isso é apenas algo que vem por acrésci- rica. Ou é algo que se gosta, de início, ou mais vale ir para a
mo… e quem estiver na Orxestra apenas pelas borgas, não é Estudantina. Por alguma razão somos 15, e não 50 pessoas,
um verdadeiro Pitagórico. como outros grupos… Mas quem quiser ficar na Orxestra Pi-
tagórica, não se irá arrepender, e terá ali uma segunda família.
V.A. - Qual tem sido a tua função na “Orxestra” nos últi- Para ir para o telemarketing, eu diria que sim, que deveria ir.
mos tempos? Que instrumentos já tocaste? Já tive imensos trabalhos enquanto estudante, e este é sem
B.S. - Como tudo na vida, a Pitagórica funciona por hierar- dúvida o melhor. É aquele que permite uma melhor concilia-
quia…. E desse modo, comecei na base da pirâmide, e fui su- ção com vida pessoal e estudo. E não é um trabalho difícil,
bindo. Estou neste momento no 5º ano. Fui caloiro, “toquei” mas como tudo, exige trabalho, e responsabilidade. Contudo,
guitarrão, e neste momento toco o sinal “69”. :D por experiência própria, fazia-lhe a ressalva: Vai trabalhar para
telemarkting sim, mas vai para a tempo team”. Termino dizen-
V.A. - Que melhores momentos já tiveste, enquanto mem- do, sobretudo para os nossos compatriotas do Porto, se não
bro deste grupo? conhecerem a Orxestra Pitagórica, pesquisem no You Tube
B.S. - Essa é uma questão de difícil resposta… Como dá para por Orxestra Pitagórica, e irão lá encontar os vídeos das nos-
imaginar, ao longo de 5 anos, foram tantos os momentos, que sas últimas actuações de Queimas e Latadas. Recomendo, e
a minha memória já não tem capacidade para se recordar de de certeza não se arrependerão.
todos… Mas assim sucintamente, foi sem dúvida a minha vo-
14
Coimbra
Tenho recebido inúmeras reacções às primeiríssima edição desta rubrica)
revelações que publico nesta minha o socielite Jorge Manaia. Já com a
rubrica social. Tenho recebido, ainda, pasta na mão, Jorge anunciou o seu
algumas tentativas de silenciamento… plano de liderança e falou sobre,
“Mas a mim, ninguém me cala!” o já cliché tema, a problemática
Este ano o Carnaval foi tardio mas económica do país, situação que
isso só ajudou a que se preparassem pretende solucionar. Terminou o seu
os disfarces com mais tempo o que tão aplaudido discurso com o anúncio
deu ainda mais glamour ao nosso de uma festa de comemoração mas
Carnaval. A decoração estava ressalvou, sublinhou e frisou que
A SUBIR original, cada detalhe foi pensado e escolherá pessoalmente cada uma
preparado pela nossa decoradora de das funcionárias que trabalhará no
O inicio das todas as estações e épocas festivas, seu catering. Embora revolucionário
remodelações das Maria de Jesus, que concilia este e de mente fresca e aberta (nunca
nossas instalações cargo com o, não menos, importante, vazia) admitiu ser conservador no
laborais. Inicio da de responsável de recursos humanos que toca a profissões tipicamente
construção do nosso da nossa equipa. Houve ainda femininas, segundo palavras do
palácio. prémios para as celebridades que próprio. Provocou algum alarido na
nos visitaram (vindas direitinhas da sala quando fez estas declarações
A DESCER companhia dos pés juntos). Lennon
e Cleópatra são apenas alguns dos
mas todos ficaram mais sossegados
quando nos assegurou que todas as
O entra e sai… o sobe e que também compareceram na nossa funcionárias só estariam ao serviço
desce, bem como os pós folia das vendas. se as suas iguarias lhe enchessem
cosméticos das nossas No passado dia 17 de Março ficámos devidamente a vista e como não
obras de reconstrução finalmente a saber quem irá emboçar poderia deixar de ser, se estas fossem
estética das instalações.
a pasta de novo chefe de equipa maiores de idade. O novo chefe parece
Ficaremos finalmente
aconchegadinhos e com aqui do nosso estaminé. Após atento à opinião pública e não quer, de
tudo no sitio. mexericos e burburinhos a notícia todo, cometer os mesmos erros que
foi finalmente dada, assistimos outros chefes de renome internacional
após longa ovação ao discurso de já cometeram no passado. Os meus
cada um dos candidatos. O último a parabéns ao novo chefe Manaia,
discursar foi, claro está, o vencedor votos de uma longa e boa estadia na
(já aqui referido anteriormente, na governação. [Flávia Machado]

Porto
A SUBIR O mês de Março no Call center do mulheres!
Porto foi bastante animado, logo Achamos ainda muito interessante
chegou finalmente a no ínicio do mês tivemos a alegria o termómetro que o Pedro Zenha
Primavera e trouxe do Carnaval e a boa disposição dos arranjou para medir a temperatura das
o calor e a boa mascarados. A Ana Vieira ganhou vendas da sua equipa! Muito bem!
disposição. Fora com merecidamente o prémio de melhor Excelente ideia!
as camisolonas de máscara Inbound 2011 com o seu A Mariana também vai de vento
Inverno! personagem de velho bêbado! Ficou em poupa com o cumprimento de
fantástica e irreconhecível! objectivo, já são dois meses como
A DESCER Por falar em Carnaval gostamos
muito de ver o Zé Ribeiro vestido de
Supervisora e dois meses de CPV
cumpridos! Muitos Parabéns!
com o calor chegam
Palhacito com o rebento Zé Diogo! Esperemos que no próximo mês a
também os dissabores Tão giro!!! Ficamos todos babados equipa do António já tenha um nome
do ar condicionado, cuja com o nosso bebé Zon! a sério! Já estamos todos fartos de o
temperatura gera sempre A equipa da Tammy continuou a liderar ouvir cantarolar “Cavalos Negros”...
discórdia. Não se pode o top de vendas... Será que o segredo Segundo consta, ele é o único a
agradar a Gregos e a está no facto de serem quase só gostar do nome! [Paula Amaral, Vera
Zonianos… mulheres naquela equipa?!?! Marcos Gouveia]
e Douglas... Benditos sejam entre as
15
E esta, hein? com Flávia Machado
Mitos do telemarketing
Após uma chamada mais acesa e um sussurrar de impropérios 24h/24h por dia e se todos os dias para nós fossem úteis,
tentei perceber porque raio alguns clientes são tão parecidos como muitos acham. Se lhes ligamos às 21h, obviamente que
com o Gervásio que demorou cerca de 3 anos a perceber o dois dias depois lhes poderemos voltar às 11h da manhã, ou
telemarketing e tudo o que nele está envolto. Coincidiu com no fim-de-semana (mas só no intervalo dos filmes da tarde),
o momento em que passou a ser simpático ao telefone com altura em que será oportuno darem-nos alguma atenção, ou
desconhecidos. dizerem-nos mais paciente e educadamente que não querem
Tentei fazer um apanhado dos apanhados de um ano e meio nenhuma proposta e que até têm uma reclamação a fazer ou
destas andanças telemarketianas. Eis o resultado… mesmo pedir uma redução na facturação.
Muitos clientes acham que todos os operadores de Coitadinhos de nós se recebêssemos tão mal como dizem
telemarketing são estrangeiros, para estes clientes, as más-línguas. Dizem que é por falta de habilitações e
alguns comunicadores até que apresentam uma dicção conhecimentos no que quer que seja. Os balconistas, caixas
quase perfeita do português. Tudo o que dizemos estará e repositores (que recebem em média menos 100€ que nós
estipulado roboticamente e, se nos perguntam algo que pelo mesmo tempo de trabalho e que raramente frequentam,
não está na cassete entramos em curto-circuito e já mais se quer, o ensino superior) é que são os lindos.
responderemos. Para além da cassete de tudo o que podemos dizer ainda
Parece-me geral a ideia de que se um cliente solicitar uma temos GPS incorporado. Para muitos clientes, sabemos a
conversa com um supervisor que o conseguirá imediatamente localização de todas as lojas do país e que conhecemos na
e que isso sim, alterará, completamente, o conteúdo da perfeição todas as cidades e terriolas como se tivéssemos
conversa e que será o supervisor a dar descontos. andado em tournée com o Quim Barreiros ou num roteiro
Muitos clientes acham que não temos qualquer tipo de gastronómico com o Fernando Mendes.
habilitações literárias ou se as temos não serão, de todo, Eles acham que podemos oferecer tudo e fazer as promoções
decentes, logo, qualquer pessoa consegue descontos desde que nos aprouverem, principalmente, se nos disserem que
que entre de modo agressivo e rude na conversa. vão para a concorrência (inventando para a credibilidade
A maltinha que contactamos telefonicamente está certíssima uma proposta fabulástica da concorrência). Só dá vontade de
de que lhes ligamos sempre de Lisboa, onde julgam estar desejar boa viagem e indicar o caminho mais curto e menos
montado um centro extraterrestre de telemarketing que esburacado. Mas não! Respiramos fundo. Contamos até 5 (ou
trabalha para todas as empresas que adoram chatear, 20, dependendo da gravidade). Refreamo-nos. Avançamos
aborrecer e atormentar as pessoas. Ah! E dar descontos e a novamente e tentamos acalmar o cliente mostrando todas as
SportTv gratuita ad eternum… vantagens que já tem. Encaminhamos para a linha de apoio.
Seria uma maravilha para os sindicatos se trabalhássemos E não, não podemos transferir o raio das chamadas!

Calinadas
Do lado de lá: “…não posso porque neste momento estou Do lado de lá: “...ainda ontem vocês cá estiveram em minha
um bocado desempregado…” casa... resolveram o barulho da chuva...”

Do lado de lá: “…tenho de pensar… se os microbaites que Do lado de lá: “...olhe que eu só tenho a televisão por causa
me está a propor são os suficientes…” dos meus netos, eu não vejo... nem vejo filmes pornográficos
nem nada...”
Do lado de lá: “...eu nem uso o telefone... só tenho o telefone
pra fazer chamadas...” Do lado de lá: “...quando está vento, a minha televisão fica
ás risquinhas e ás bolinhas...”
Do lado de lá: “...eu não quero o vosso telefone porque tem
menos megas que o da Pêtê... eu sei do que falo...” Do lado de cá: “…, boa tarde, em que posso ser útil?”
Do lado de lá: “Eu estou bem, obrigada e a menina?”
Do lado de lá: “...então mas assim há coisas que não entram
no pacote...” Do lado de lá: “Sabe menina, nós somos um bocadinho
nabos nisto do virlésser…”
Do lado de lá: “...eu só tenho o normal... a televisão, o
telefone... e a pomobox...” Do lado de lá: “Eu já sou cliente de TV e queria agora aderir
ao tripilé.”
Do lado de cá: “...e também oferecemos chamadas para o
estrangeiro...” Do lado de lá: “Se lhe facultar a vida dou-lhe o número do
Do lado de lá: “Oh menino... eu sou analfabeta, não percebo meu BI.”
nada do que me diz...”
Do lado de lá: “Quero aderir a um canal qualificado se faz
Do lado de cá: “...o senhor é familiar da dona “Gertrudes”?” favor.”
Do lado de lá: “Acha? Com esta voz? Só se eu fosse
transexual...” Do lado de lá: “Se desistir vou ter penalidade? É que eu acho
que ainda tenho fidelidade.”
16
Tagarelas na Cozinha
Bolonhesa do Bosque
Ingredientes (para 4 pessoas): picados, regue com azeite e deixe
500gr. De carne picada alourar. De seguida, junte a carne de
Cogumelos vaca picada, os cogumelos picados
1 Cenoura e a cenoura ralada (é importante que
1 Cebola a cenoura fique ralada, para que a
2 Dentes de alho pasta seja mais cremosa. Deixe refogar
Azeite durante alguns minutos. Regue com o
Vinho branco vinho branco q.b. e polpa de tomate q.b.
Polpa de tomate e junte também o Knorr, o louro, salsa
Salsa q.b., pimenta a gosto e uma pitada de
1 Folha de Louro orégãos. Deixe refogar durante cerca
Pimenta branca de 30 minutos. Num tacho ao lado,
1 Pitada de orégãos coza a massa, sugiro espirais. Tempere
1 Knorr de carne a gosto. Disponha a massa numa taça
e sobreponha a pasta. Bom apetite! :)
Preparação: [Tânia Santana]
Num tacho coloque a cebola e os alhos

Carne de Porco à Alentejana


Ingredientes (para 4 pessoas): a pimenta. Mexer e deixar marinar
500 g de carne de porco aproximadamente uma hora. Entretanto,
2 cebolas cortam-se as cebolas às rodelas, os
2 dentes de alho dentes de alho e o tomate sem pele. De
Tomate e Pimento fresco a gosto seguida levar tudo ao lume com uma
1 c sopa de massa de pimentão colher de sopa de azeite. Deixar refogar
1Kg de amêijoa até que o tomate e as cebolas estejam
coentros, sal e pimenta q.b cozidos. De seguida juntam-se as
2 dl de vinho branco amêijoas previamente lavadas em várias
1 folha de louro águas. Logo que as amêijoas abram,
1 kg de Batatas para fritar temperar com sal e pimenta e deixamos
ferver mais um minuto. Retiramos então
Preparação: do lume e noutro recipiente fritamos a
Cortar a carne em bocadinhos carne e batatas aos quadrados. Por fim
pequeninos; Juntar a massa de resta juntar tudo numa travessa e é só
pimentão, o vinho branco, o louro, servir! Bom Apetite! [Vera Gouveia]
os dentes de alho picados, o sal e

Bolo de Bolacha
bolachas uma a uma pelo café, não
muito quente e deixam-se arrefecer.
Ingredientes (para 8 porções): Coloca-se uma primeira camada de
2 Embalagens de bolacha maria bolachas num prato, como por exemplo
4 gemas de ovo em forma de flor e depois barra-se com
125g de manteiga o creme por cima. De seguida volta-se
250g de açúcar a colocar outra camada de bolachas
1 caneca de café muito forte embebidas em café e depois o creme,
Côco ralado e assim sucessivamente. Por fim barra-
Bolacha-maria ralada se o bolo por fora e polvilha-se com o
côco ralado e a bolacha ralada. Deixar
no frigorífico durante algumas horas e
está pronto a servir. Bom Apetite! [V.G.]
Preparação:
Bater as gemas, o açúcar e a manteiga
muito bem até a mistura ficar cremosa.
Fazer café muito forte e passar as
17
Agenda Cultural
Visita a museus na cidade do Porto Grátis A Vida Portuguesa
Sáb 30 Abril 15:00-17:00 Rua Galeria de Paris 20 –
Todos os últimos sábados de cada mês, é possível visitar 1º, Seg-Sáb, 10:00-20:00
gratuitamente alguns dos mais interessantes museus por- Situa-se no primeiro andar
tuenses, tais como, a Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio, o de uma antiga loja de teci-
Museu Romântico Quinta da Macieirinha, o Museu do Vinho dos ,no cruzamento entre
do Porto, a Casa Museu Guerra Junqueiro, ou a Casa Oficina a Rua das Carmelitas e a
António Carneiro. Rua Galeria de Paris. Está
repleta de bonitos produtos
Exactamente Antunes nacionais que conhecemos
Teatro Nacional S. João – Porto há décadas, com embala-
17 Março a 17 de Abril 4ª a Sáb 21:30 e Dom 16:00 gens originais ou inspiradas
Estreou a 17 de Março no Teatro Nacional de S.João, no Por- nestas que agora todos
to a peça “Exactamente Antunes”. A partir da obra “Nome de achamos fantásticas! Estamos a falar da Pasta Medicinal
Guerra” de Almada Negreiros, Jacinto Lucas Pires escreve, Couto, dos Sabonetes Ach Brito, dos Cremes Nally, dos
Nuno Carinhas e Cristina Carvalhal encenam. Está em cena moldes das Andorinhas de Rafael Bordalo Pinheiro e muitas
até ao dia 17 de Abril. outras preciosidades que marcaram a vida Portuguesa até
aos dias de hoje.
Noites de Jazz ao vivo no
Tribeca Café Bar & Res- Cozinha de Escritores, Coimbra, 8 a 21 de Abril
taurante Rua 31 de Janei- Partindo da descoberta de referências gastronómicas em
ro, 147 – Porto obras de literatura medieval portuguesa, foi realizada uma
4ª a Sáb das 22:00 às selecção de pratos tradicionais que serão apresentados pe-
02:00 los restaurantes da cidade que aderiram à iniciativa.
O Tribeca é um espaço
multifacetado onde se pro- Animação Musical em Museus e Monumentos, Coimbra,
cura recriar o ambiente de 19 a 21 de Abril
charme boémio dos clubes Museu Nacional Machado de Castro; Museu da Ciência; Sé
de jazz nova-iorquinos, Velha; Santa Clara-a-Velha; Casa da Escrita; Colégio de San-
num edífico com 5 andares to Agostinho e Edificio Chiado.
por onde se distribuem um
café, um bar, um restaurante, uma galeria e um jazz club pro- Dazkarieh
priamente dito com música ao vivo todas as 4ª a sábados Coimbra, TAGV, 14 de
das 22:00 às 02:00; Vale mesmo a pena visitar! Abril, 21:30
Um dos mais activos e ori-
A evolução de Darwin ginais projectos da música
Casa Andersen R. Cam- portuguesa, ao aliarem
po Alegre 1191 de 3ª a instrumentos de várias pro-
6ª 10h-16h, Sáb e Dom veniências (gaita de foles
10h-19h Até 17 Julho galega, acordeão, flauta
Foi considerada a maior transversal, tin whistles ir-
exposição do mundo de- landeses, percussão africa-
dicada a Darwin, abordan- na, percussão árabe, baixo
do as várias fases da vida e guitarra) e vocalizações
deste autor e diversos numa língua imaginária, criada pelo próprio grupo, com o ob-
aspectos da Evolução das jectivo de tratarem a voz como um instrumento autónomo e
espécies. equiparável aos outros. 8€
É também uma oportuni-
dade para visitar a Casa King Salami and the Cumberland 3
Andersen e os seus belos Coimbra, States Club, 23 de Abril
jardins, bem como as es- Um japonês, um francês, um caribenho e um espanhol junta-
tufas do Jardim Botânico ram-se para formar uma rhythm & blues party band! A nova
que foram devidamente sensação Londrina de R&B-punk brinda-nos com um repor-
recuperados. 4€ tório pejado de grandes hits dos ’50s e ’60s.

Ana Moura Ultimo Sábado do Mês (30)


Coliseu do Porto - 15 Abril de 2011 21:30
Depois de um ano intenso cheio de concertos, quer em Por- Feira das Velharias - Coimbra
tugal quer no estrangeiro, e deixando um rasto de salas es- Praça do Comércio (Frente à Igreja de S. Tiago),10h as 19h
gotadas um pouco por todo o mundo, chegou o momento
de Ana Moura levar aos Coliseus o seu mais recente disco Mercadinho dos Clérigos - Porto
Leva-me aos Fados. Preço desde 15€ Rua Cândido dos Reis, 15h - 24h

18
Reviews Culturais
Filme do Mês José Luís Peixoto como um dos principais romancis-
tas portugueses contemporâneos e, também, como
Os Agentes do Destino um autor de crescente importância no panorama lite-
Ano: 2010 rário internacional... [I.A.A.]
Título Original: The Ad-
justment Bureau Jogo do Mês
País: Estados Unidos
Género: Drama, Roman- Spore
ce, Suspense e Ficção Ci- Uma mão cheia de anos
êntifica volvidos, revisitamos o
Duração: 104 Minutos jogo que mistura evo-
Estreia (Portugal): 10 de lução genética, social e
Março de 2011 tecnológica.
Realização: George Nolfi Em termos latos, Spore
Estrelas: Matt Damon, é uma mistura de três
Emily Blunt, Daniel Dae Kim, John Slattery, Terence clássicos - Evolution,
Stamp; Civilization e The Sims
Sinopse: Na noite em que perde a eleição para se- – com as doses de diver-
nador, um jovem e promissor deputado norte-ameri- são adicional. Podemos
cano, David Norris (Matt Damon), conhece a bailarina dizer que tudo começa
Elise Sellas (Emily Blunt). Os dois vivem uma noite com um caldo, o tal caldo
perfeita e David apaixona-se por ela. Porém, no dia primordial de que se ouve falar nas aulas de ciências
seguinte, esbarra com um grupo de homens misterio- no ensino básico, somos um pequeno ser proteico,
sos com conhecimentos e poderes sobre-humanos, sobrevivendo neste caldo de criaturas celulares, es-
que o informam que a sua relação com Elise não faz capando aos predadores e caçando os mais fracos,
parte do seu destino e que, por isso, ele terá de a desafiando-nos a pouco mais do que orientar a nossa
esquecer ou ambos sofrerão as consequências. De- criatura através do fluido oceânico. Eventualmente, fi-
cidido a ignorar os seus avisos, David terá de encon- caremos mais fortes, o mundo à nossa volta expan-
trar coragem para sair do destino que lhe foi escrito e de-se, reproduzimo-nos e começa a nossa evolução.
conquistar o direito a viver aquele amor... [V.G.] As escolhas seguem o padrão da espécie (carnívora
ou herbívora) e aqui inicia-se a gestão do DNA. As
fases iniciais tendem a partilhar os mesmos objecti-
Livro do Mês
vos: conquistar DNA, evitar predadores e reproduzir.
No entanto, assim que saímos do oceano, podemos
“Livro” de José Luís Pei-
conquistar DNA de forma pacífica, com interacções
xoto
sociais, podendo evitar a agressividade da situação
Este Romance elege como
anterior. Passamos de uma etapa em que a sobrevi-
cenário a saga da emigra-
vência se baseava na nossa habilidade de escapar
ção portuguesa para Fran-
e comer, para outra em que a forma como lidamos
ça, contada através de
com as outras espécies se torna o elemento mais
personagens inesquecíveis
preponderante. Aqui ganhamos as nossas primeiras
e da escrita luminosa de
habilidades em solo terrestre, muito dependendo do
José Luís Peixoto. Entre
rumo evolutivo que queremos dar à nossa criatura.
uma vila do interior de Por-
Ataques, atractividade, canto, dois grupos distintos
tugal e Paris, entre a cultura
de funções que vão delinear o nosso status quo no
popular e as mais altas re-
meio ambiente – predador, sociável ou algo intermé-
ferências da literatura uni-
dio. A capacidade de ganhar aliados é importantís-
versal, revelam-se os sinais
sima, especialmente se conseguirem juntar criaturas
de um passado que levou milhares de portugueses à
bem mais poderosas que a nossa espécie à nossa
procura de melhores condições e de um futuro com
manada. Spore transforma-se mesmo numa espécie
dupla nacionalidade. Avassalador e marcante, “Livro”
de “Em Busca do Vale Encantado”, quando somos
expõe a poderosa magnitude do sonho e a crueza,
desafiados a migrar para outro ninho. A forma como
irónica, terna ou grotesca, da realidade. Através de
abordarem as fases iniciais vai determinar irrevoga-
histórias de vida, encontros e despedidas, os leitores
velmente a postura da vossa raça no futuro, podendo
são conduzidos a um final desconcertante onde se
ser um modelo para as Nações Unidas ou o terror da
ultrapassam fronteiras da literatura. “Livro” confirma
Galáxia... [J.M.]
19
Mandem sugestões, comentários e ameaças para: vamosaderir@gmail.com