Você está na página 1de 2

TEMA 1

Texto I

Mulher e esporte

Que o esporte é um grande fenômeno social da atualidade e que vem evoluindo muito nos últimos
tempos já sabemos, porém no caso das mulheres, ele também foi e vem sendo um espaço de busca de
igualdade de direitos e ascensão social.
As mulheres vêm transformando o mundo em que vivemos, trazendo mudanças de valores, de visão
de mundo, de expectativas, na política, na religião, nos negócios e no esporte.
A mulher moderna quebra severas restrições impostas por antigos paradigmas e cada vez mais
ganha espaço numa sociedade predominantemente calcada de valores masculinos, espaços estes que vem
sendo consolidado também pela imagem propagada pela mulher no esporte (Freitas, 2002).
No cenário esportivo, a mulher foi considerada como uma usurpadora ou profanadora de um espaço
consagrado ao usufruto masculino. O esporte, tanto como lazer ou com finalidades bélicas, unificou um
conjunto de adjetivos que representam o mundo masculino: força, determinação, resistência e busca de
limites (Rubio & Simões, 1999).
Crenças tradicionais prescreviam que o cansaço físico e a competição, derivados da prática do
esporte, eram contrários à natureza da mulher que deveria ficar em casa tomando conta dos filhos. Este
pensamento vem desaparecendo com a ascensão feminina, no entanto notam-se na população mundial e
no Brasil resquícios destas ideias.
Fonte: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-91452007000100003

Texto II

Mulheres no Esporte: o tabu e a história por trás da pouca representatividade feminina


Na contramão das estatísticas, projetos sociais e iniciativas individuais tentam driblar a falta de recursos
públicos para aumentar o acesso das mulheres ao esporte

Todos os dias, mulheres no mundo todo enfrentam obstáculos pelo simples fato de serem... mulheres.
No esporte, não é diferente. A prática de exercícios físicos por mulheres no país é 40% inferior aos homens,
segundo o relatório “Movimento é Vida”, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)
– um indicativo de que o cenário esportivo ainda tem muita desigualdade de gênero. (...)
A cultura de não incentivar as mulheres aos esportes, principalmente coletivos, pode ser explicada
inclusive pelo pouco acesso ao lazer devido às tarefas domésticas, que ocupam em média 20,5 horas
semanais das mulheres, enquanto os homens gastam 10 horas por semana nas atividades de casa.
A falta de segurança, o preconceito, a falta de incentivo nas escolas, todos esses são fatores que devem
ser apontados quando se constata que o esporte no Brasil não tem o mesmo acesso por meninos e meninas.
O relatório do PNUD indica uma urgência em se criar políticas públicas que possam permitir maior igualdade.
Fonte: https://globoesporte.globo.com/outros-esportes/noticia/mulheres-no-esporte-o-tabu-e-a-historia-por-tras-da-pouca-representatividade-
feminina.ghtml

Texto III

Fonte: https://www.primistili.com.br/charge-de-cartunista-peruano-sobre-dupla-jornada-feminina-viraliza
Texto IV

A luta pela inclusão de todas as mulheres nos esportes


A participação feminina, portanto, já parece ter alcançado um bom percentual, mas isso é suficiente para
pensarmos em igualdade de gênero?

A história das Olimpíadas nos mostra o quanto o desporto não era “coisa de mulher”. Em Atenas, as
mulheres eram privadas de participar ativa (como competidoras) e passivamente (como espectadoras) dos
Jogos Olímpicos da Antiguidade. As competições selecionavam os vitoriosos de acordo com os ideais de
força, competitividade, agilidade, velocidade e outras qualidades físicas que acreditavam ser inerentes
somente ao sexo masculino. Os campeões eram considerados heróis e tinham direito a grandes honras e
privilégios.
É importante registrar que a história não é linear, mas sim constituída de pequenos avanços e recuos.
Getúlio Vargas editou o Decreto-Lei 3.199, de 14/4/1941, que previa textualmente:
Art. 54. Às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as condições de sua
natureza, devendo, para este efeito, o Conselho Nacional de Desportos baixar as necessárias instruções às
entidades desportivas do país.
Fonte: https://www.cartacapital.com.br/blogs/sororidade-em-pauta/a-luta-pela-inclusao-de-todas-as-mulheres-nos-esportes/

Texto V

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo
de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o
tema “O tratamento diferenciado a mulheres e homens no esporte", apresentando proposta de
intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa,
argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Você também pode gostar