Você está na página 1de 48

Consciência Fonológica: O Pilar da

Alfabetização
Luciana Brites
1 aula … Erros:
Não temos Clareza do significado de
Alfabetização!!
Nao sei os processos cognitivos envolvidos
Não conheço o Desenvolvimento Infantil
Práticas pedagógicas sem clareza
2 aula …Importância sonoridade
Nosso sistema de escrita surgiu pelo
fonetismo
● Fonetismo é o sistema onde as palavras passaram a ser
decompostas em unidades sonoras.
Importância da Consciência da fala
5

PILAR
Evidência Científica na Educação
2
● Princípio de que as práticas educacionais devem ser baseadas nas melhores
evidências científicas disponíveis , ao invés de tradição , julgamento pessoal
ou outras influências.

● A Educação baseada em evidências se refere à consideração e uso do


conhecimento oriundo de áreas de pesquisa científica para fundamentar e
informar boas práticas em Educação.

● Essa estrutura possibilita que os educadores possam identificar, com


confiança, métodos e práticas que funcionam para a maior parte dos alunos,
com base em resultados de pesquisa conduzidas com rigor metodológico
(Cook & Cook, 2011).
Evidência Científica na Educação
2
O que você acha que produz mais
efeito na aprendizagem do seu aluno?
Ler histórias ou utilizar jogos?
Qual o número de alunos ideal por
sala?
Que tipo de escola pode beneficiar a
aprendizagem de crianças com
deficiência, regular ou especial?
8

Pesquisa de
Consciência Fonêmica diz:
Existem evidências consideráveis de que a principal diferença
entre bons e maus leitores reside na capacidade de processamento
fonológico do bom leitor;

Os efeitos de treinar consciência fonológica e aprender a ler são


mutuamente favoráveis. "A leitura e a consciência fonêmica se
reforçam mutuamente: a consciência fonêmica é necessária
para a leitura, e a leitura, por sua vez, melhora ainda mais a
consciência fonêmica." (Shaywitz, 2003);
9

Como conseqüência dessa


relação, a consciência
fonológica no jardim de
infância é um forte preditor do
sucesso da leitura posterior

(Ehri & Wilce, 1980, 1985; Liberman et al., 1974;


Perfetti, Beck, Bell & Hughes, 1987).
10

Ensino de consciência fonológica


Há ampla evidência de que o treinamento em consciência
fonológica é benéfico para os leitores iniciantes desde os 4 anos
de idade (por exemplo, Bradley & Bryant, 1985; Byrne &
Fielding-Barnsley, 1991).
Em uma revisão da pesquisa fonológica, Smith et al. (1998)
concluíram que a consciência fonológica pode ser desenvolvida
antes da leitura, e que facilita a aquisição subseqüente de
habilidades de leitura.
Abordagens efetivas documentadas para o ensino de
consciência fonológica geralmente incluem atividades que são
apropriadas para a idade e altamente envolventes.
11

Pesquisa de Consciência Fonológica diz:

"O melhor preditor de dificuldade de leitura no jardim


de infância ou primeiro grau é a incapacidade de
segmentar palavras e sílabas em unidades sonoras
constituintes (consciência fonêmica)" (Lyon, 1995);

A capacidade de ouvir e manipular fonemas desempenha um


papel causal na aquisição de habilidades iniciais de leitura
(Smith, Simmons, & Kame'enui, 1998);
Importância da Consciência da fala
13

CONCEITUAÇÃO
CF é a habilidade metalinguística de tomada de consciência
das características formais da linguagem, compreendendo dois
níveis:
● Consciência de que a língua falada pode ser segmentada em
unidades distintas, ou seja, a frase pode ser segmentada em
palavras; as palavras em sílabas e as sílabas em fonemas.
● A consciência de que essas mesmas unidades repetem-se em
diferentes palavras faladas. (Byrne e Fielding-Barnsley, 1989).
Quais as Habilidades dentro
14

da Consciência Fonológica
● Rimas e Aliterações;
● Consciência das Palavras;
● Consciência Silábica;
● Consciência Fonêmica.

Cada uma das sub-habilidades tem sua particularidade


15

Esses componentes podem ser divididos em


habilidades, partindo de aspectos mais
simples, como a consciência de rimas e indo
para a aliteração, depois para a consciência
de sílabas. Para que, então, se ascenda à
consciência fonêmica, habilidade mais
sofisticada da consciência fonológica
(Seabra et al., 2012)
16

Consciência Fonêmica é:
a capacidade de ouvir e manipular os sons em palavras faladas, e a compreensão de que as
1 palavras e sílabas faladas são compostas de sequências de sons da fala (Yopp, 1992);

essencial para aprender a ler em um sistema de escrita alfabético, porque as letras


2 representam sons ou fonemas. Sem consciência fonêmica, a fonética faz pouco
sentido;

fundamental para mapear fala para impressão. Se uma criança não pode ouvir que
3 SOL E SAL começam com o mesmo som ou não podem misturar os sons;

4 essencial para aprender a ler em um sistema de escrita alfabético;

5 um forte preditor de crianças que experimentam o sucesso da leitura precoce.


17

A consciência dos fonemas é necessária para compreender o


princípio alfabético subjacente ao nosso sistema de linguagem
escrita.

Especificamente, os leitores em desenvolvimento devem ser


sensíveis à estrutura interna das palavras, a fim de se beneficiar
da instrução formal de leitura (Adams, 1990; Liberman,
Shankweiler, Fischer, & Carter, 1974).

Se as crianças entenderem que as palavras podem ser divididas


em fonemas individuais e que os fonemas podem ser misturados
em palavras, elas serão capazes de usar o conhecimento da
letra para ler e construir palavras.
18

A consciência fonológica e o processamento fonológico

Envolve:
● CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA = SISTEMA ALFABÉTICO
● Discriminação fonológica: capacidade de discriminar fonemas;
● Memória fonológica: capacidade de memorizar palavras, sílabas e
fonemas;
● Produção fonológica: articulação das palavras e uso dos fonemas na fala
19
A consciência dos fonemas é necessária para
compreender o princípio alfabético subjacente ao nosso
sistema de linguagem escrita.
O que é uma letra?

representação gráfica de um fonema

M /m/
CORRESPONDÊNCIA GRAFOFONÊMICA
Ex: bola / bota.
Como se vê a diferenciação entre as duas palavras
acima é marcada pelos fonemas /l/ e /t/.

● fonema é a representação sonora;


● letra é a representação gráfica do fonema.
CORRESPONDÊNCIA GRAFOFONÊMICA
Ensino direto da correspondência de Grafemas (letras) e Fonemas (sons);
Os sons da nossa fala são produzidos pelo aparelho fonador.
Esses sons são chamados de "fonemas". Na escrita, representamos os
fonemas por meio de letras.
Fonema é a unidade mínima sonora que é capaz de estabelecer
diferenciação entre um vocábulo e outro.
● Não é intuitivo
● Não é simples
● Hierarquizado
● Sistemas Cognitivos
Alfabetização

Alfabetização

Consciência Princípio
Fonológica Alfabético
25

Escola deve fazer


Instrução Explícita

A instrução explícita e direta é


caracterizada por uma linguagem clara,
um ritmo acelerado, um alto nível de
resposta do aluno, feedback imediato e
eficaz do professor e alunos praticando até
dominar.
26

Escola deve fazer Instrução Explícita


Declaração explícita das intenções de aprendizagem -
1 Estamos aprendendo a… Ex: Produzir rimas.

Declaração explícita de critérios de sucesso -


2 Meu objetivo final nesta aprendizagem é?... Ex: Consiga produzir 20 rimas de 25.

Revisão da aprendizagem prévia -


3 Ele sabe detectar rimas nos exemplos dados antes de fazer a atividade.

4 Ensino explícito (professor mostrar e contar).

5 Reflexão sobre o que foi aprendido.


27

PercepSom livro de
atividades

O objetivo do PercepSom é trazer uma


série de atividades lúdicas, com jogos
e brincadeiras, para estimular a
consciência fonológica.
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
LANÇAMENTO
PERCEPSOM 2.0…..
MAIS DE 400 Atividades de
Consciência Fonológica e
Princípio Alfabético
Programa Online 80
horas: 297,00
Livro de Atividades: 400,00
Livro teórico: 70, 00
767,00
TUDO ISSO SOMENTE
12 x 28,91 SEM JUROS
ou
R$347,00
BÔNUS FRETE GRATUITO
PARA TODO BRASIL
Obrigada!
Luciana Brites

Você também pode gostar