Você está na página 1de 13

Nome do ebook

Introdução

VOCÊ EM PRIMEIRO LUGAR 1

Quatro passos para melhorar a


RELAÇÃO A DOIS a partir de você

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com Por Heloísa Capelas


Você em primeiro lugar

Introdução
Sempre que o assunto é relacionamento a dois, percebo que muita gente enfrenta a
mesma dificuldade. Estejam solteiras, namorando ou mesmo casadas por muitos anos,
muitas dessas pessoas falam sobre os problemas e soluções de suas relações com os
olhos voltados apenas para o outro. O outro faz/não faz... O outro é/não é... O outro
cede/não cede... E por aí vai.
Saber reconhecer o lado positivo e negativo do parceiro/parceira, certamente, é um
aspecto importante do relacionamento, mas o que me chama a atenção é que, quando
questiono a essas mesmas pessoas quais são seus próprios lados positivos e
negativos, a maior parte não sabe nem por onde começar a lista.
Em meu trabalho, costumo falar sobre as placas de sinalização e conto como elas
2
funcionam. Digo: o que os outros falam sobre você para você é muito, muito valioso!
Às vezes, ficar atento a essas placas é suficiente para que percebamos melhor quem
temos sido para, então, nos perguntarmos se é assim que realmente queremos ser.
Ao mesmo tempo, reitero que, quando não estamos conscientes sobre nossos
comportamentos, os nossos apontamentos em relação ao outro revelam muito mais
sobre nós mesmos do que necessariamente sobre aquela ou aquele a quem estamos
‘julgando’.
Sendo assim, concebi esse eBook com o desejo de reforçar uma ideia central e
absoluta: só podemos ENXERGAR o outro, fazer pelo outro, dar ao outro, receber do
outro, se, primeiramente, ENXERGARMOS, fizermos, dermos e recebermos por/de
nós mesmos. Você, sempre deve estar e permanecer em primeiro lugar.
Você pode achar que se trata de um comportamento egoísta, mas, acredite: a minha
proposta é que você valorize a si mesmo. Pessoas capazes de amarem a si mesmas são
as mesmas com condições de vivenciar um relacionamento pleno, saudável e
equilibrado, porque estão prontas para amar ao outro. Vamos juntos?

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Índice

Introdução 2
Diariamente, tire um tempinho para fazer o que gosta 4
A perfeição e a frustração a partir de você 6
Faça uma lista de coisas boas a seu respeito: valorize-se! 8
3
Escolha a positividade 10
Conclusão 12

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Diariamente, tire um tempinho


para fazer o que gosta
Qual papel você ocupa num relacionamento ou deseja ocupar? Para você, o que significa
ser namorado/namorada? Esposa/marido? Mãe/pai? Quais são ou serão suas funções? E
quais você imagina que são ou serão as responsabilidades do outro?
Faço essas perguntas porque muita gente entra ou permanece em relações sem ter a
menor ideia do que deseja delas. E, sem sequer se dá conta, essas pessoas começam a
desempenhar papeis que lhe parecem óbvios, espontâneos e naturais. Viram, assim,
namorados ciumentos, namoradas controladoras, esposas agressivas, maridos
negligentes, mães superprotetoras, pais ausentes (e vice-versa), entre tantas outros 4
comportamentos negativos possíveis. As posturas positivas também acontecem assim, de
forma impulsiva e inconsciente, mas já que estamos falando das dificuldades em
relacionamentos, vou me ater ao que acaba se tornando prejudicial.
Sim, porque, com o passar do tempo, os papeis que resultam dos comportamentos
negativos trazem insatisfação. Aqueles ou aquelas que os desempenham passam a se
sentir negligenciados, não amados, desrespeitados, não vistos. E, assim, começam as
acusações de que o outro é o responsável por tudo isso. Mas será mesmo? Por que
acreditar que cabe ao outro resolver todo esse emaranhado de sentimentos que temos?

Quem é você dentro e fora de uma relação?


Para mim, o grande xis da questão é exatamente a necessidade de olhar primeiro para si e
depois para o outro. Porque, afinal, como é que você se relaciona com alguém se não está
se relacionando nem com você mesmo(a)?

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Responsabilizar o outro sempre tira a oportunidade de você olhar para si mesmo e começar a
mudar a relação a partir de você.
Veja, não quero dizer, com isso, que as dificuldades na relação são uma invenção da sua cabeça.
Casais têm sim problemas, mas, ao trazer o foco para você, é possível que já comece a treinar e
mudar seu estado emocional para que possa, assim, encontrar e visualizar caminhos mais
positivos para a mudança.
Eis, então, a razão da minha primeira dica: todo dia, faça algo que você realmente gosta. Vale
qualquer coisa, desde que seja com intenção. Saia do automático. E, enquanto estiver lá, lendo
um livro, assistindo a um filme, dançando, ouvindo sua música preferida (entre mil e uma
opções), perceba-se. O que essa atividade lhe proporciona? Como você se sente DE VERDADE
quando a executa? Com quem você aprendeu que essa ação era sinônimo de diversão e prazer?
Isso lhe faz realmente bem?
Pode parecer óbvio, mas, para agradar a nós mesmos, precisamos, antes, saber o que nos
agrada de fato. E quanto mais reconhecermos o que nos faz bem, mais nosso cérebro registrará 5
nossa satisfação. Existe bem-estar e felicidade nas pequenas coisas.
Comece com você e isso não significa usar de arrogância e hostilidade com o outro. Relação é
parceria, troca, respeito... Mas é importante exercitar este tempo para si próprio. Tempo de
mais amor a você mesmo.

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

A perfeição e a frustração
a partir de você
Começo com uma afirmação óbvia: todos nós somos imperfeitos, inclusive eu, você,
seu parceiro/parceira, nossos pais e mães e quem mais você puder imaginar. Está
em nossa essência. A perfeição é inalcançável, o que significa que, invariavelmente,
cometeremos erros. Dito isso, faço uma pergunta: por que será, então, que tanta
gente deseja e se esforça tanto para ‘ser perfeita’? E mais: por que é que a
frustração fica tão latente quando falhamos (se falhar faz parte da nossa trajetória)?
O aprendizado da perfeição e da frustação é experienciado na infância, quando
acontece a primeira formação emocional destes sentimentos. A criança vive a
6
certeza de que, se tiver determinado comportamento, ‘será perfeita’ e obterá de
seus pais amor, elogios, atenção etc. Esse aprendizado é levado
(inconscientemente) para a vida adulta e, no fundo, a perfeição para o adulto
representa a busca da aprovação, do amor, dos elogios etc.
Veja, então: se buscávamos a perfeição para que fôssemos vistos, aceitos, elogiados
e amados, o que é que a crítica significava em nossas vidas durante a infância? E o
que representa até hoje, na vida adulta? Pois é... Não é à toa que tanta gente lida
muito mal com a crítica. Ela costuma trazer à tona dores emocionais como mágoa,
tristeza, medo, revolta, raiva; sentimentos negativos que, sem equilíbrio, despertam
o pior na gente. Fazem com que nos sintamos verdadeiramente desrespeitados e
não amados. Mas será que essa foi a intenção de quem nos criticou? Aliás, será que
é essa a nossa intenção quando criticamos?

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

A expressão é uma ferramenta poderosa


Se puder olhar para compreender como esta relação de perfeição e critica pode
ser difícil e dolorosa para você, pode reconhecer que também o é para seu
parceiro/parceira.
E, em vez de uma cobrança (à perfeição) ou de falar algo de modo mais
agressivo (uma crítica mesmo), poderá rever como está de fato se expressando.
Lidar com a crítica de forma positiva pode ser um desafio para quem já está
habituado a recebê-la ou realizá-la com agressividade. Mesmo porque, muitas
vezes, aprendemos a agir e reagir a essa situação ainda na infância e, sem
querer, repetimos o mesmo padrão que nos foi ensinado tanto tempo atrás.
O maior treino é que você possa, primeiro, assumir a responsabilidade por seus
sentimentos, pensamentos, palavras e ações. Lembra? Foco em você primeiro
antes do outro; isso é treino de Autoconhecimento.
Ao se olhar poderá ver caminhos diferentes de expressão. Pode, por exemplo, 7
começar por dizer “EU NÃO me sinto bem quando isso acontece...” em vez de
“QUANDO VOCÊ faz isso eu não me sinto bem...”.

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Faça uma lista de coisas boas


a seu respeito: valorize-se!
É muito comum encontrar pessoas que ficam sentadas esperando que os outros a
amem, respeitem, considerem e, para isso, usam alguns recursos: compram
presentes, são boazinhas, mandam cartões, lembram do aniversário. Tem também
aqueles que, quando obtêm sucesso profissional, por exemplo, correm para contar
a todos porque necessitam do reconhecimento.
A essas pessoas costumo dizer: é preciso entender que tudo se realiza,
inicialmente, dentro de nós. Então, primeiro eu preciso ser rica dentro de mim,
8
primeiro preciso ser amorosa dentro de mim, ser reconhecida dentro de mim,
respeitosa dentro de mim… Tudo isso é o que estou colocando dentro de mim para
ser a usina geradora da minha própria felicidade. O que eu gerar é o que eu vou
atrair.
Sendo assim, perceba: você quer reconhecimento dos outros? Comece a se
reconhecer. Você quer o amor dos outros? Comece a se amar. Isso, para mim, é
cuidar de si. É perceber: “o que eu desejo dos outros? O que é necessário para eu
ser feliz?”. Hipoteticamente, imagine o que deveria acontecer para você ser bem
feliz e pergunte-se: o que você está fazendo para que isso aconteça?

O amor que você tem por si é o amor que atrairá


Se você tem amor por si, atrairá o amor. Aliás, como é mesmo que se desenvolve
amor por si? Olhe como é que você desenvolve amor pelas pessoas. Não é
prestando atenção a elas, vendo o que fazem e que você gosta, tudo o que lhe faz
bem? Não é admirando o comportamento delas, achando que são bacanas?
Licenciado para - - Protegido por Nutror.com
Você em primeiro lugar

Pois é, mas tem muita gente que não se olha, não é mesmo? E, se não se olha,
como pode gostar de si? Só podemos gostar do que conhecemos. Há pessoas
que dizem: “Tenho uma relação muito complicada com meu corpo. Não gosto
dele, nem olho para não ver como é feio, torto, tem celulite…”. Então, como a
pessoa não se vê, nunca vai gostar de si. Em nosso organismo, o olho é voltado
para fora. Não ficamos observando nosso interior e, sim, olhando o tempo todo
para o outro. Claro que vamos gostar mais do outro do que de nós mesmos se
não nos olharmos!
É por isso que defendo tanto a importância do autoconhecimento. É preciso,
primeiro, se conhecer para depois gostar de você mesmo. Por isso, proponho:
que tal fazer uma lista de coisas boas sobre você e para você? Comece aos
poucos. Se puder, anote diariamente algo de bom que você tem, que você é e/ou
que você fez. Esse é um dos caminhos para que possa sentir-se valorizado(a).
Um aprendizado que também ajuda a valorizar ao outro.
9

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Escolha a positividade
Você já parou para pensar no verdadeiro significado da felicidade? Quero dizer: em
sua opinião, o que é ser feliz? Ser feliz é realizar seus desejos e alcançar suas metas
no tempo esperado? É ter a quantidade de dinheiro que se quer para gastar com a
liberdade que se tem? É ter alguém apaixonado por você e disponível de acordo
com seus horários e vontades? É comer tudo que se tem vontade e não engordar?
Ou, ainda: ser feliz é ser reconhecido pelos que lhe cercam e aceitam, em todos os
aspectos? É ser perdoado incondicionalmente por todos a quem você já magoou? É
ter uma família equilibrada e bem-sucedida? Ser feliz é ter filhos? Ou não tê-los?
Enfim, ser feliz é ter controle completo sobre todos os acontecimentos?
Se você respondeu sim à maior parte dessas perguntas, perceba que nada disso é 10
sinônimo de felicidade ou de positividade, mas, sim, de ilusão. A felicidade nesses
termos não existe. Pelo menos, não na vida real. E, talvez, todos esses conceitos
pré-embutidos estejam lhe fazendo viver dias de infelicidade.
Ser positivo é receber o que a vida lhe traz, quando ela lhe traz. Apareceu um
amor? Ame, mas ame do fundo do seu coração (se ficar com o pé atrás e com medo
de ser traído ou abandonado, não haverá entrega). Se houver uma perda, chore e
chore muito, porque perder é doloroso e triste. O choro é a melhor expressão desse
sentimento, além de ser justo.

Quem é você dentro e fora de uma relação?


Ser positivo é assumir a responsabilidade pelo seu comportamento. Quebrou?
Conserte. Sujou? Limpe. Bagunçou? Organize. Abriu? Feche. Errou? Peça perdão.
Perdoe-se e comprometa-se com um novo jeito de agir.

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Ser positivo é dar aos seus amigos e familiares aquilo que lhe sobra de amor e
cuidado, pois você cuidou e amou primeiro a si mesmo, e o que sobra é
totalmente gratuito.
Ser positivo é desprender-se do passado e libertar as pessoas de nossos desejos
e controles. É estar e se sentir livre, aberto, disponível e pronto para receber o
que é seu. Lembrando que o que é seu é seu por direito divino.
A sua postura permitirá que receba sempre aquilo que já é seu. Basta não
esperar de braços cruzados. Basta lembrar que a felicidade não é conquistada
num passe de mágica. Bem, é preciso dizer que ser positivo dá mais trabalho do
que ser infeliz. Afinal, para ser infeliz é só seguir o fluxo, enquanto para ser
positivo é preciso mudar o “caminho da roda”. E tudo isso é uma questão de
escolha. E, então, o que você escolhe?

11

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


Você em primeiro lugar

Conclusão
Quando pergunto às pessoas sobre como têm se dedicado a si próprias, elas logo
pensam no fator tempo; é um raciocínio automático que faz parte da nossa cultura.
Mas, na verdade, o tempo é apenas um aspecto a ser somado.
Dedicar-se a você está ligado diretamente a “como” está se alimentando em todas
as áreas da sua vida. Da mesma forma que você precisa comer com critérios de
qualidade e quantidade para se manter vivo, necessita também de critérios para se
preencher.
O que alimenta você emocionalmente? É importante que seja algo gostoso e
saudável. O que te alimenta intelectualmente? Do que você gosta? Gosta de ler?
Que tipo de livros? De ir ao cinema, ao teatro? Gosta de jogar videogames? O que 12
faz sua cabeça ficar esperta, ou seja, obter prazer e estar motivada?
O mesmo vale para as suas relações: como você alimenta seus relacionamentos?
Que tipo de comida costuma dar a eles? Tudo aquilo que der equivale à qualidade
do relacionamento que terá.
A reflexão aqui proposta permite, a você, que dê início ao trabalho do
Autoconhecimento. Essa é uma trajetória maravilhosa que lhe dará a oportunidade
de transformar a si mesmo(a) de forma positiva, assumindo a responsabilidade
por suas escolhas e por seu futuro.

Espero ter te ajudado com esse conteúdo!

Se tiver dúvidas ou quiser, conversar, por favor, me escreva:


heloisa@centrohoffman.com.br. Vou adorar saber de você!

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com


VOCÊ EM PRIMEIRO LUGAR
É uma obra de Heloísa Capelas, palestrante especializada em temas
como Autoconhecimento, Liderança, Relacionamentos e Inteligência
Comportamental. Há cerca de 30 anos atua com desenvolvimento
humano e aplica cursos com a metodologia Hoffman, considerada por
Harvard um dos trabalhos mais eficazes de mudança de paradigmas.
Para falar com a especialista, escreva para
heloisa@centrohoffman.com.br. Visite também:
www.centrohoffman.com.br e www.heloisacapelas.com.br.

Licenciado para - - Protegido por Nutror.com

Você também pode gostar