Você está na página 1de 3

c 


 

Para a aplicação dos agrotóxicos na lavoura, as duas primeiras atividades do processo


(escolha e manuseio), situam-se entre as que apresentam os maiores riscos de acidentes
e contaminação.

Designamos por escolha, o ato de selecionar o produto (de origem comercial ou fabricado
na própria fazenda, como o biofertilizante feito a partir do estrume do gado ou feito com
fumo de rolo, por exemplo) que deverá resolver o problema específico de uma praga ou
doença que esteja atacando a plantação. Chamamos de manuseio o ato do preparo,
formulação e mistura do(s) produto(s).

TIPOS DE AGROTÓXICOS classe alvo

Acaricidas Ácaros
Fungicidas Fungos
Herbicidas Ervas daninhas
Inseticidas Insetos
Nematicidas Nematóides

Riscos da Escolha Errada

Quem deve escolher o tipo de agrotóxico a ser utilizado é o Engenheiro Agrônomo


(através do uso do Receituário Agronômico) e não o seu revendedor ou o agricultor, por
mais experientes que sejam estes últimos. Mesmo assim, apenas um pequeno e seleto
grupo desses Profissionais, está legal e tecnicamente habilitado a receitá-lo.

Entre os riscos e prejuizos do agricultor quando da escolha errada do produto,


relacionamos os seguintes:

Ineficácia pela troca: inseticida em vez de nematicida, por exemplo;

Uso de produtos cuja venda esteja proibida no País;

Uso de produtos mais tóxicos do que o necessário;


Formulação inadequada: líquido em vez de pó, por exemplo;

Dosagem superior ou inferior à necessária;

Desinformação quanto ao período de carência; e

Uso inadequado da técnica de aplicação.

Riscos no Manuseio Errado

Além da aplicação do agrotóxico no campo, esta é a outra oportunidade em que o


agricultor entra em contato direto com o produto.

Um dos maiores problemas nessa fase da aplicação do agrotóxico é o não atendimento


das recomendações do fabricante do produto quanto ao manuseio correto e leitura da
bula. É aqui que encontramos os problemas: quando o agricultor não é analfabeto, sente
dificuldades de interpretar as orientações contidas no rótulo do produto.

Assim, entre os riscos de um manuseio inadequado do(s) produto(s), destacamos:

Não uso ou uso ineficaz dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI;

Mistura de produtos incompatíveis ou perigosos (pela reação química inesperada);

Descuido ou inabilidade do agricultor, provocando respingos desnecessários;

Uso das mãos (sem luvas) diretamente em contato com o produto químico;

Uso do cigarro ou de alimentos durante o processamento da mistura; e

Destino inadequado dos restos, água de lavagem e embalagens do produto.

Recomendações para o Manuseio

A maioria dos acidentes com agrotóxicos ocorre, justamente, durante o seu manuseio: no
preparo da calda e na aplicação do produto no campo. Daí a necessidade do agricultor
procurar um Engenheiro Agrônomo, para que este, recomende o produto adequado, a
formulação correta e a técnica de aplicação mais indicada.

Um engano comum é pensar que o aumento da dosagem (ou o preparo do produto mais
concentrado) vai resolver o problema (da praga ou doença da planta) mais rápido. Saiba
que o uso de um produto mais tóxico do que o necessário, pode colocar em risco (de
intoxicação) as pessoas, os animais, o meio ambiente e a própria planta. Assim, prepare
somente a quantidade necessária à aplicação a ser feita. Nunca prepare o produto para
deixar armazenado para a próxima aplicação. Siga as dosagens indicadas no rótulo ou as
instruções de um Técnico.

Outras recomendações para o manuseio correto dos agrotóxicos, antes da sua aplicação
na lavoura, são:

1 - Utilize os Equipamentos de Proteção Individual - EPI´s indicados no rótulo do produto;


Š - Para abrir as embalagens, use o abridor adequado, em vez de improvisar com
talhadeiras, formões, canivetes, etc.

3 - Ao misturar a calda, utilize um pedaço de madeira ou um misturador adequado e/ou


luvas impermeáveis;

4 - Mantenha o produto em sua embalagem original, evitando colocá-lo em recipientes que


não possam ser identificados facilmente pelas demais pessoas;

5 - Não reaproveite as embalagens dos produtos químicos, principalmente como depósito


de água;

6 - Siga rigorosamente o PERÍODO DE CARÊNCIA do produto;

7 - Para colocar o líquido no pulverizador, use um funil adequado pata evitar a


contaminação do local;

8 - Não use pulverizador com defeito ou vazamentos e não desintupa os bicos com a boca;

9 - Não permita que pessoas fracas, idosas, crianças, gestantes, doentes ou destreinadas,
apliquem agrotóxicos;

10 - Se ventar durante o trabalho, caminhe numa direção que faça com que o vento
carregue o produto para longe do seu corpo;

11 - Mantenha a distância de, pelo menos, 15 m de distância dos demais trabalhadores do


local; e

1Š - Se durante o trabalho o produto atingir o seu corpo desprotegido, lave imediatamente


a parte atingida com água corrente e sabão. Ao terminar o serviço, tome um belo banho e
ponha para lavar as roupas e demais EPI´s.

Você também pode gostar