Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO

CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA


Língua Brasileira de Sinais – 5º Semestre 2021
Profa. Cristiane Regina Tozzo

Turma: DGMUS1902SNPA0S

Raquel de Vasconcelos Silva RA: 8098084

Portfólio 1 apresentado para a disciplina


Língua Brasileira de Sinais- 5º Semestre 2021
Profa: Cristiane Regina Tozzo.

1) Sabemos que a audição é o meio pelo qual o indivíduo entra em contato


com o mundo sonoro e com as estruturas da língua oral, possibilitando, dentre outras
coisas, o desenvolvimento da linguagem (PEDROSO, 2013, p. 55). Sendo assim,
a audição desempenha as funções de:

a) Localização e identificação: capacidade de reconhecermos de onde


vem um som e qual e a fonte sonora que o está produzindo.
b) Alerta: capacidade de nos alertarmos para todos os estímulos sonoros
que no rodeiam, como, por exemplo, a buzina de um carro vindo em nossa direção.
c) Socialização: capacidade de nos relacionarmos em contato com as
outras pessoas.
d) Intelectual: grande parte das informações nos é transmitida por meio
do código oral.
e) Comunicação: a fala é o meio de comunicação mais utilizado pelo
homem, e é por meio da audição que a linguagem e a fala se desenvolvem.
CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO
CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA
Língua Brasileira de Sinais – 5º Semestre 2021
Profa. Cristiane Regina Tozzo

Levando em consideração cada uma das funções da audição citadas


anteriormente, apresente um exemplo de ações cotidianas na vida de um surdo e
compare com a vida de um ouvinte.

2) Leia atentamente a citação a seguir:

´´A maior parte dos surdos profundos, por exemplo, não existem uma fala
socialmente inteligível. Além disso, em geral, manifestam atraso significativo no
desenvolvimento global e dificuldades ligadas a aprendizagem da leitura e da escrita,
apresentando-se muitas vezes, apenas parcialmente alfabetizados após anos de
escolarização `` (MANTELLATO, PEDROSO & DIAS, 2000, n.p.)

Reflita sobre a relação que existe entre a situação educacional das crianças
surdas reveladas por Mantelato Pedroso e Dias (2000) a história da educação dos
surdos e as abordagens educacionais.

A seguir responda se é correto afirmar que a história da educação dos surdos


foi marcada pelo autoritarismo dos ouvintes. Justifique sua resposta relacionando-a
com as abordagens educacionais estudadas nesta unidade.

Respostas

1) a- Localização e identificação: Confronto


O ouvinte ao ouvir vozes gritando e discutindo sabe que naquele local não é
adequado e seguro para ele por ter ali pessoas se desentendendo. Já o surdo só ira
evitar estar em um ambiente de confronto caso seja avisando.
.
b- Alerta: Buzina
Ao ouvir a buzina de um veículo o ouvinte consegue se apressar e evitar um
acidente. Já o surdo tem grandes possibilidades de ser atropelado caso não for
avisado por outra pessoa através da sua linguagem
CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO
CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA
Língua Brasileira de Sinais – 5º Semestre 2021
Profa. Cristiane Regina Tozzo

c- Socialização: Celular
O ouvinte consegue se sociabilizar falando ao telefone com outra pessoa
normalmente. O surdo irá precisar fazer um vídeo chamada e além disso esperar que
essa pessoa saiba se comunicar ele através da linguagem de sinais.

d- Intelectual: Curso On-Line


Ao adquirir um curso on-line o ouvinte não tem a preocupação se curso será
legendado, pois ele pode contar com a comunicação através da fala. Se tratando do
surdo ele precisa que o curso tenha legenda para que ele ao menos possa ler as
informações caso saiba ou um tradutor para libras.

e- Comunicação: Desenvolver a linguagem de Libras para que o surdo possa


se comunicar.
O ouvinte atende quando ouve alguém lhe chamar, já o surdo precisa ser
tocado por quem quer se comunicar com ele, ou ver um gesto por parte dessa
pessoa.

2) A história da educação dos surdos demonstra confundir-se com a


própria história da educação especial, pois os surdos foram renegados e somente no
século 16 foram vistos capazes de serem alfabetizados porém por questões políticas
e opiniões médicas da época foi priorizado o método oralista, ou seja a comunicação
deveria ser feita através de gestos labiais por meio da língua falada chegando ao
ponto de proibir que os surdos se comunicassem por meio de gestos e sinais.

A história da educação dos surdos teve o método oralismo predominante na


educação dos surdos. Por tanto ele não foi obtido resultados satisfatórios,
representando uma atitude de poder e domínio por parte do ouvinte sobre o surdo ao
ratificar a obrigatoriedade da aquisição da fala tratando os surdos como se fossem
deficientes e os obrigando a se adaptar.

Sendo os resultados pouco satisfatório em relação a prática do oralismo surgiu


então a ideia do uso simultâneo das linguagens utilizando a linguagem de sinais
tendo como majoritária a linguagem falada, mas o uso foi incompatível e ineficiente
CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO
CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA
Língua Brasileira de Sinais – 5º Semestre 2021
Profa. Cristiane Regina Tozzo

e os resultados também não foram satisfatório que acabaram por permitir o método
de linguagem por meio de sinais pois os surdos levavam muito tempo para se
desenvolver através do oralismo tanto na socialização quanto na educação, a
comunidade de surdos travou uma luta árdua para conquistar seus direitos e ter a
sua forma de linguagem reconhecida. No Brasil a linguagem Brasileira de Sinais foi
reconhecida somente em 2002 pela lei n° 10.436/02 como língua oficial das pessoas
surdas no Brasil. Essa lei foi regulamentada em 2005, pelo Decreto 5.626/05
tornando possível o uso da linguagem e a legalização para formar profissionais em
Libras.

Referência:
https://sga.claretiano.edu.br/sav/disciplina-new