Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

INSTITUTO DE QUÍMICA
QUÍMICA MEDICINAL

ESTUDO DIRIGIDO

Nome: Matrícula:

1. Cada um dos fármacos abaixo interage com um diferente alvo biológico e manifesta
uma determinada resposta farmacológica. Para cada uma dessas três moléculas,
identifique os tipos de interação (forças relevantes para o reconhecimento
molecular: ligante/sítio receptor) responsáveis pela ação farmacológica do fármaco.

2. Uma mãe de uma criança de seis meses procura uma farmácia e apresenta uma
prescrição médica para uma formulação farmacêutica em gotas (Donatussin Drops). A
mãe queria saber se a medicação que está sendo administrada poderia ser a
responsável pelo estado de vigilância da sua filha. [Composição de Donatussin:
Phenylephrine (descongestionante), Chlorpheniramine (anti-histamínico), Guaifenesin
(expectorante)]. Com base em seus conhecimentos químicos e farmacológicos
responda as seguintes questões:

i. Identifique os fatos estruturais/grupos funcionais da fenilefrina e guaifenesina


que contribuem para melhorar a solubilidade em água (formulação farmacêutica:
gotas). Apresente os tipos de interação que esses grupos podem ter com a
água.
ii. Avalie cada um dos componentes da formulação e determine se cada molécula
contém algum grupo funcional que lhe permita atravessar a barreira
hematoencefálica e manifestar o efeito de vigilância da filha. Baseado na sua
avaliação, indique que componente da formulação poderia ser o maior
responsável por esse possível efeito colateral. Que propriedade é necessária
para que esses agentes possam cruzar esta membrana biológica.
iii. Identifique que interações efetivas a clorfeniramina e a guaifenecina,
respectivamente, podem ter com seus alvos para manifestar ação farmacológica
esperada.
3. Considerando o mecanismo de interação dos opiáceos com seus receptores, como
p.e. a morfina com o seu receptor (figura abaixo), explique a afinidade demonstrada
pelos análogos (1-3), considerando a afinidade da morfina = 1.

4. Os derivados bifenilimidazólicos (losartan e análogos) constituem uma abordagem


recente e promissora no tratamento da hipertensão. O losartan foi desenvolvido a partir
do S-8308, planejado racionalmente a partir do conhecimento estrutural da
angiotensina II (AT2), principal peptídeo hipertensor endógeno. A Figura 1 mostra
desenvolvimento do Losartan a partir do S-8308 e revela os principais pontos de
similaridade entre o S-8308 e angiotensina II. A Figura 2 revela os principais pontos
de interação do losartan com o receptor de angiotensina II e a estrutura de diversos
análogos do losartan e um dos seus metabólitos e alguns análogos. Enquanto que a
Tabela abaixo apresenta os principais parâmetros farmacocinéticos do losartan e de
alguns de seus análogos apresentados na Figura 2.

Figura 1
Figura 2

Com base nos dados acima comente sobre:

i. A abordagem usada no planejamento racional do losartan a partir do S-8308.


ii. A fundamentação do uso terapêutico dos derivados bifenilimidazólicos (losartan
e análogos) no tratamento da hipertensão.
iii. Os parâmetros farmacocinéticos dos derivados bifenilimidalólicos apresentados
na tabela acima.
iv. Os argumentos farmacodinâmicos e/ou farmacocinéticos que fundamentaram a
preparação dos análogos apresentados.
v. As biotransformações envolvendo o losartan e o candesartan cilexetil e os
fatores estruturais que justificam a manutenção da atividade antihipertensiva dos
respectivos metabólitos.

mlsantos