Você está na página 1de 6

RESTAURANDO O FERVOR ESPIRITUAL

JEREMIAS 2:1-13

INTRODUÇÃO:
 O seu coração ainda queima de amor pelo Senhor?
 O que levou seu coração a se esfriar pelo Senhor?
 O que você fará para que seu coração volte a queima novamente?
A frieza de nossos dias
A igreja evangélica está vivendo um tempo de frieza espiritual nunca visto antes, os crentes estão se
tornando muito frios, e muitos deles até têm muitas informações teológica, ou alguma experiência
religiosa, mas ainda assim estão frios, e diante dessa frieza surge algumas perguntas:
 O que está acontecendo com a igreja evangélica?
 Por que será que temos visto tanta frieza em nossos dias?
 Será que estaremos vivendo os últimos dias segundo as escrituras?
A Bíblia é muito firme em afirmar que: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará
de quase todos” (Mt 24:12), sem dúvidas estamos vivendo os últimos dias, – a volta de Jesus está
cada vez mais próxima, os sinais estão aí para nos mostrar que sua volta está próxima.
A frieza dos tempos de Jeremias
A frieza espiritual no tempo de Jeremias instalou-se devido a idolatria, o povo de Deus tinha se
entregado aos outros deuses, eles tinham se esquecido de Deus. E foi diante dessa situação de
calamidade nacional, que o profeta Jeremias surgiu como a última voz de Deus para chamar o povo
para o arrependimento, mas que infelizmente o povo não deu ouvido a voz de Deus.
A rebeldia idolátrica do povo de Deus levou-os para o cativeiro, onde aprenderam a através de
muito sofrimento a não trocarem Deus por ninguém, – assim como nesses últimos dias Deus tem
levantado seus profetas para chamar seu povo para o arrependimento, saiam: “do mundanismo,
idolatria, sincretismo religioso, secularismo, ativismo, etc... Volte!!!
Quem era o profeta Jeremias?
Antigamente o nome de uma pessoa tinha uma intima ligação com sua missão, a exemplo disso
temos o profeta “Jeremias” que seu nome significa, “o Senhor lança, ou arremessa”, ou seja, o
nome do profeta se refere aos raios e trovões da verdade que Jeremias deveria anunciar à nação de
Israel que se desviado de Deus.
Para nossa melhor compreensão do texto podemos dividi-lo da seguinte maneira: 1) AS
LEMBRANÇAS DE DEUS PELO SEU POVO (vv.1-3); 2) AS QUEIXAS DE DEUS
CONTRA SEU POVO (vv.4-8); 3) A INDIGNAÇÃO DE DEUS DIANTE DO SEU POVO
(vv.9-13):
1. AS LEMBRANÇAS DE DEUS PELO SEU POVO – vv. 1-3
(1) A mim me veio a palavra do SENHOR, dizendo: (2) Vai e clama aos ouvidos de Jerusalém:
Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor
quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra em que se não semeia. (3) Então,
Israel era consagrado ao SENHOR e era as primícias da sua colheita; todos os que o
devoraram se faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o SENHOR.
a. (1) A mim me veio a palavra do SENHOR, dizendo: (2) Vai e clama aos ouvidos
de Jerusalém: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras

1
jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra
em que se não semeia.
Em primeiro lugar, AFEIÇÃO = Deus estava falando através do profeta
que ele se lembrava da afeição (fidelidade) do seu povo por Ele, porque
Senhor queria do seu povo uma relação que envolvesse menos formalidade
e mais afeto.
(i) Primeiro, conversão = Deus se lembra daquele tempo
quando você o conheceu, quando você se afeiçoou a ele e
entregou-lhe seu coração.
(ii) Segundo, devoção = Deus se lembra daquele tempo em que
você se deleitava nele e tinha prazer de ler sua Palavra e falar
com ele em oração.
(iii) Terceiro, adoração = Deus se lembra daquele tempo que
você vinha a sua casa exultando de alegria e cantava louvores a
ele com todo o fervor da sua alma.
b. (1) A mim me veio a palavra do SENHOR, dizendo: (2) Vai e clama aos ouvidos
de Jerusalém: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras
jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra
em que se não semeia.
Em segundo lugar, NOIVADO = Deus se lembra daquele tempo em que
Israel era noiva e de como eles se preparavam para encontrar-se com o
Senhor, de como eles tinham prazer de estar com Ele, de como eles
gostavam de ouvir sua voz.
(i) Primeiro, mais relacionamento = Deus queria do seu povo
menos religião e mais relacionamento, para muitos sua vida com
Deus se tornou um mero cumprimento ritualístico.
(ii) Segundo, mais comunhão = Deus queria do seu povo menos
ritual e mais comunhão, para os judeus, o templo tinha
substituído a comunhão com o Senhor.
(iii) Terceiro, mais compromisso = Deus queria do seu povo
menos fuga e mais compromisso, apesar de alguns manterem
um compromisso externo, mas o seu coração está frio.
c. (1) A mim me veio a palavra do SENHOR, dizendo: (2) Vai e clama aos ouvidos
de Jerusalém: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras
jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra
em que se não semeia.
Em terceiro lugar, CONFIANÇA = Deus se lembra daquele tempo em que
o seu povo (Israel) confiava nele e que o seguia no deserto, pois, andar com
Deus era um desafio para o coração do seu povo, onde eles confiavam no
Senhor sem duvidar.
(i) Primeiro, libertação = Deus se lembra daquele tempo onde,
você saiu do cativeiro e mergulhou no desafio do deserto
confiante no cuidado, no livramento, na proteção e na
providência divina. 
(ii) Segundo, convicção = Deus se lembra daquele tempo em
que não havia rebeldia no seu coração, nem incredulidade, nem
dúvida, mas somente a confiança.
2
(iii) Terceiro, socorro = Deus se lembra daquele tempo em que
não existia confiança em nós mesmo, pois entendíamos que
somente nele devíamos colocar nossa confiança plena.
d. (3) Então, Israel era consagrado ao SENHOR e era as primícias da sua colheita;
todos os que o devoraram se faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o
SENHOR.
Em quarto lugar, CONSAGRAÇÃO = Deus se lembra daquele tempo em
que Israel era consagrado a Ele, de como o seu povo se entregou a Ele sem
reservas, o coração, a vida, o destino, o futuro: tudo eles entregaram ao
Senhor.
(i) Primeiro, Deus se lembra do tempo quando nós éramos
totalmente dele. Ele se lembra do tempo quando Ele era o
nosso maior tesouro, maior riqueza, maior alegria, sua grande
recompensa.
(ii) Segundo, Deus se lembra do tempo quando Ele guerreava
as suas guerras. Aqueles que declaravam guerra contra você,
declaravam guerra contra Deus. Ele ia à sua frente para lhe
defender. Ele desalojava os seus inimigos.
(iii) Terceiro, Deus se lembra do tempo quando nós
confiávamos nele e Deus nos defendia. Ele desbaratava os seus
adversários. Nossa confiança não estava na nossa força, nem na
nossa riqueza, nem na nossa inteligência, mas no Senhor.
2. AS QUEIXAS DE DEUS CONTRA SEU POVO – vv. 4-8
(4) Ouvi a palavra do SENHOR, ó casa de Jacó e todas as famílias da casa de Israel. (5) Assim
diz o SENHOR: Que injustiça acharam vossos pais em mim, para de mim se afastarem, indo
após a nulidade dos ídolos e se tornando nulos eles mesmos, (6) e sem perguntarem: Onde está
o SENHOR, que nos fez subir da terra do Egito? Que nos guiou através do deserto, por uma
terra de ermos e de covas, por uma terra de sequidão e sombra de morte, por uma terra em
que ninguém transitava e na qual não morava homem algum? (7) Eu vos introduzi numa
terra fértil, para que comêsseis o seu fruto e o seu bem; mas, depois de terdes entrado nela,
vós a contaminastes e da minha herança fizestes abominação. (8) Os sacerdotes não disseram:
Onde está o SENHOR? E os que tratavam da lei não me conheceram, os pastores
prevaricaram contra mim, os profetas profetizaram por Baal e andaram atrás de coisas de
nenhum proveito.
a. (4) Ouvi a palavra do SENHOR, ó casa de Jacó e todas as famílias da casa de
Israel. (5) Assim diz o SENHOR: Que injustiça acharam vossos pais em mim, para
de mim se afastarem, indo após a nulidade dos ídolos e se tornando nulos eles
mesmos,
Em primeiro lugar, REDENÇÃO = Deus se queixa do abandono do seu
povo mesmo diante da redenção, a noiva amada de Deus tornou-se infiel, ou
seja, eles se apaixonam pelos seus muitos amantes e se afastou do amado da
sua alma.
(i) Primeiro, a causa da sua infidelidade não estava em
nenhuma injustiça do seu noivo, mas na sua própria infidelidade,
ou seja, quando Israel se afastou de Deus, eles se afastaram
porque quiseram.
(ii) Segundo, Deus tirou o povo do Egito, debaixo do chicote,
das algemas de ferro, da escravidão opressora, ele quebrou os
3
seus grilhões, tirou-o das gargantas do inferno, mas agora, o seu
povo o abandona apesar de tão grande redenção.
(iii) Terceiro, Deus nos tirou do império do império das trevas,
da potestade de Satanás, ele quebrou os nossos grilhões,
perdoou-nos, remiu-nos, pois éramos escravos e ele nos amou,
mas muitos hoje o abandonam e o trocam por outros deuses.
b. (6) e sem perguntarem: Onde está o SENHOR, que nos fez subir da terra do
Egito? Que nos guiou através do deserto, por uma terra de ermos e de covas, por
uma terra de sequidão e sombra de morte, por uma terra em que ninguém
transitava e na qual não morava homem algum?
Em segundo lugar, PROTEÇÃO = Deus se queixa do abandono do seu
povo mesmo diante da proteção, pois Deus não só tirou o seu povo do
cativeiro, mas o guiou pelo deserto, ele os livrou dos seus inimigos.
(i) Primeiro, Deus lhe deu vestes e sandálias que não ficaram
rotas. Deus lhe deu água no deserto. Deus lhe deu maná do céu.
Deus lhe abriu fontes nas rochas. Deus estampou diante deles
milagres extraordinários.
(ii) Segundo, Deus guerreou suas guerras e lhes deu grandes
vitórias. Mas apesar de tão grande amor, o seu povo o deixou e o
trocou por outros deuses, eles são ingratos, assim como somos
muitas vezes.
(iii) Terceiro, Deus também tem nos abençoado. Ele tem nos
dado a vida, saúde, a família, o alimento, o abrigo, a proteção.
Ele tem nos guiado e nos livrado do mal. Mas, apesar da
proteção divina, nós também o temos deixado.
c. (7) Eu vos introduzi numa terra fértil, para que comêsseis o seu fruto e o seu
bem; mas, depois de terdes entrado nela, vós a contaminastes e da minha herança
fizestes abominação.
Em terceiro lugar, PROVISÃO = Observem meus amados que Deus se
queixa do abandono do seu povo mesmo diante da provisão divina, pois
Deus introduziu o seu povo em Canaã, uma terra deleitosa, ele foi fiel em
todas as suas promessas.
(i) Primeiro, a terra foi presente de Deus, não conquista do
povo, ou seja, a entrada na terra prometida foi ação divina, não
obra humana, tudo foi feito por Deus, e tudo veio de Deus, sem
Deus nada teria sido feito. 
(ii) Segundo, mas quando o povo entrou na terra prometida, em
vez de dar a glória devida ao Senhor, contaminaram a terra, eles
não souberam reconhecer e nem glorificar a Deus pela benção
recebida.
(iii) Terceiro, em vez de serem luz entre as nações,
corromperam-se como as outras nações, ou seja, ao invés de
influenciarem as outras nações, eles foram influenciados por
elas, ou seja um povo passivo diante dos erros.
d. (8) Os sacerdotes não disseram: Onde está o SENHOR? E os que tratavam da lei
não me conheceram, os pastores prevaricaram contra mim, os profetas
profetizaram por Baal e andaram atrás de coisas de nenhum proveito.

4
Em quarto lugar, CORRUPÇÃO = Deus se queixa do abandono do seu
povo devido a corrupção de sua própria liderança, ou seja, o povo de Deus
estava vivendo o um retrato da sua liderança que estavam sobre eles.
(i) Primeiro, aqueles que deveriam conduzir o povo a Deus, a
liderança desviou o povo de Deus, ou seja, eles tornaram-se
laço, em vez de canais, eles tornaram-se lobos, em vez de
pastores.
(ii) Segundo, os sacerdotes tornaram-se omissos; os mestres da
Palavra tornaram-se ímpios; os pastores tornaram-se
aproveitadores; os profetas tornaram-se apóstatas.
(iii) Terceiro, o que temos visto é que “enquanto estamos
buscando melhores métodos, Deus está buscando melhores
homens,” – homens que não tenham sua vida por preciosa, mas
o reino de Deus.
3. A INDIGNAÇÃO DE DEUS DIANTE DO SEU POVO – vv. 9-13
(9) Portanto, ainda pleitearei convosco, diz o SENHOR, e até com os filhos de vossos filhos
pleitearei. (10) Passai às terras do mar de Chipre e vede; mandai mensageiros a Quedar, e
atentai bem, e vede se jamais sucedeu coisa semelhante. (11) Houve alguma nação que
trocasse os seus deuses, posto que não eram deuses? Todavia, o meu povo trocou a sua Glória
por aquilo que é de nenhum proveito. (12) Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai
estupefatos, diz o SENHOR. (13) Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me
deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as
águas.
a. (9) Portanto, ainda pleitearei convosco, diz o SENHOR, e até com os filhos de
vossos filhos pleitearei. (10) Passai às terras do mar de Chipre e vede; mandai
mensageiros a Quedar, e atentai bem, e vede se jamais sucedeu coisa semelhante.
(11) Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto que não eram deuses?
Todavia, o meu povo trocou a sua Glória por aquilo que é de nenhum proveito.
Em primeiro lugar, INFIDELIDADE ULTRAPASSA OS PAGÃOS – O
povo de Deus tornara-se mais infiel do que os pagãos, ou seja, mesmo os
ímpios, que adorando os ídolos mudos, que não são deus, não trocavam
esses ídolos por outros deuses, mas mantiveram sua fidelidade.
(i) Primeiro, enquanto Israel que servia a um Deus vivo,
abandonou o Senhor e o trocou por ídolos de nenhum valor, eles
fizeram uma troca absurda.
(ii) Segundo, a fidelidade dos ímpios aos seus deuses reprovava
a infidelidade de Israel ao Deus vivo, pois o povo de Israel
adorava um Deus real. 
(iii) Terceiro, os pagãos são mais dedicados aos seus deuses do
que o povo de Deus ao Senhor, ou seja, eles são muita mais
zelosos, do que o próprio povo de Deus.
b. (12) Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai estupefatos, diz o
SENHOR. (13) Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o
manancial de águas vivas,
Em segundo lugar, A INFIDELIDADE AO PONTO DE ABANDONAR
– O povo de Deus abandonou o Senhor, a fonte das águas vivas, e diante
disso o pecado do povo de Deus é tão grave que até os céus ficam

5
espantados, ou seja, é algo inacreditável, pois, o povo de Deus abandonou o
seu Senhor.
(i) Primeiro, Deus é a fonte da vida, nossa vida depende dele, a
alma afastada de Deus já está morta. Sem Deus você não vive.
Só na presença de Deus tem plenitude de alegria.
(ii) Segundo, Deus é a fonte de vida abundante – Deus não é
uma cisterna, mas uma fonte. Uma cisterna apenas armazena
água, mas uma fonte produz água.
(iii) Terceiro, a água corre da fonte, a fonte é inesgotável, ou
seja, a fonte tem água viva, água limpa, água que flui
abundantemente. Isso é símbolo da vida que Cristo oferece.
c. ...e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.
Em terceiro lugar, A INFIDELIDADE AO PONTO DE SUBSTITUIR –
O povo de Deus cavou cisternas rotas que não retém as águas, ou seja, se
Deus é o manancial das águas vivas, por que seu o povo o abandona?
(i) Primeiro, muitas vezes, o povo de Deus tem se cansado de
Deus, e tem sido atraído e seduzido pelo pecado, pelo mundo,
pelas cisternas rotas.
o Ex1: Miquéias pergunta: “Povo meu, que te tenho
feito? Por que te enfadaste de mim? Responde-me”
(Mq 6:3).

o Ex2: O Filho Pródigo sentiu-se insatisfeito na casa do


Pai e foi para um país distante, onde gastou tudo que
tinha vivendo dissolutamente.
(ii) Segundo, o perigo de ser seduzido por algo artificial – Israel
deixou o Senhor e se deixou seduzir por ídolos. Israel pensou:
“O nosso Deus é muito exigente. Queremos uma religião que
nos custe menos, que nos dê mais liberdade, que não nos cobre
tanto”.
(iii) Terceiro, queremos ser livres como os outros povos para
fazermos tudo sem drama de consciência, ou seja, queremos,
trocaram a verdade pela mentira e Deus pelos ídolos.
(iv) Quarto, temos visto muita gente se alimentando-se de pó
em vez de beber da fonte, pois, quem troca o Senhor por outras
fontes começa a morrer de sede, ou seja, somente o Senhor tem
a água da vida que pode matar a nossa sede.