Você está na página 1de 1

A obesidade e a indústria do emagrecimento

Resumo

De acordo com o autor Tadeu João Ribeiro Batista, em seu artigo, disponível no site: “comciencia.br”, a
obesidade é considerada um problema de saúde público mundial que vem gerando custos
significativos para o sistema de saúde, além disso, a população obesa vêm passando por
dificuldades sociais pois o padrão imposto pela sociedade é muito rígido, ditando que é visto como belo
corpos magros, de pele clara, que esbanjem juventude, o que automaticamente torna os corpos que
não apresentem tais características excluídos e julgados pelos demais. Já sofredores de uma variedade
de problemas de saúde, existe uma pressão constante em cima de pessoas obesas para que emagreçam
a todo custo, sendo muitas vezes mal vistos pela sociedade por serem associados à preguiça, a gula, etc.
A indústria cultural, definida por Baptista (2001), como um instrumento de pressão da sociedade sobre
uma pessoa através de elementos culturais que se tem acesso através de grandes mídias sociais,
dissemina um modelo de corpo que serve de referência para os demais, essa indústria se divide em
vários setores e na questão corporal pode ser dividida em duas. Uma delas sendo a indústria da beleza,
que além de referenciar o corpo, também dita a moda, cremes, tintas para cabelo, exercícios e dietas
para manter as pessoas dentro do padrão entre outros. A outra parte se trata da indústria do
emagrecimento, responsável por espalhar o ideal de um corpo considerado belo, que também procura
demonstrar como ser e parecer mais magro. Por conta disso, a população de pessoas obesas é alvo
constante da mídia e da própria sociedade, que os julga como indivíduos sem controle. A indústria tem
alguns meios para convencer as pessoas sobre a necessidade de reduzirem seu peso, a mais eficiente
sendo mostrar a obesidade como uma doença. Para atender as demandas sociais, os obesos procuram
realizar procedimentos que os façam emagrecer, como por exemplo, dietas, cirurgias bariátricas,
práticas de exercícios entre outros. Estas coisas servem como prova de que a indústria do
emagrecimentos tem conseguido atingir seus objetivos, crescendo cada vez mais e conquistando um
público fiel, que consequentemente, consomem com cada vez mais frequência produtos saudáveis. A
pratica de exercícios também tem crescido exponencialmente, especialmente em academias, mas o
indicie de massa corporal por enquanto não apresenta mudanças significativas. É importante pontuar
que a pratica de exercícios físicos é vista pelas autoridades de saúde e pela mídia como um
comportamento importante para o emagrecimento, outras indicações para o emagrecimento, são, por
exemplo, os processos psicoterápicos e o uso de roupas que deixem o corpo com uma aparência mais
magra. No final, tudo isso é estimulado por uma sociedade que visa de fato o lucro e não
necessariamente a saúde da população, contudo, a obesidade é ao mesmo tempo estimulada pelo
consumo de alimentos ricos em gorduras, o que cria um ciclo continuo e vicioso onde a procura pelo
emagrecimento cresce tanto quanto a própria obesidade, muitas vezes gerando nessas pessoas
problemas psicológicos como a bulimia, a anorexia, dentre outros.

Você também pode gostar