Você está na página 1de 24

JORNAL DIÁRIO INSULAR | FUNDADO EM 1946 | Jornal Diário | Terceira - Açores | Ano LXXII | N.

º 22855 | PREÇO 0,80 EUROS | DIRETOR JOSÉ LOURENÇO | www.diarioinsular.pt

BeNS eNtRegUeS à SOLIDARIeDADe

MordoMos
dEixAM cAir
A suA AssociAção [páginas 12 e 13]

DIÁRIO INSULAR qUa | 04.12.19

EntrEvista com bruno bEttEncourt


Myrica Faya regressam
com “As Palmas”
Três anos depois do álbum “O Cerne”, os Myrica
Faya apresentam um novo tema. “As Palmas”, reti-
rado do cancioneiro açoriano, já pode ser ouvido na
Internet e o ‘feedback’ tem sido positivo. [02 e 03]

PsD critica falta DE Promoção


“Máscara” do PS caiu
na certificação das Lajes
O PSD considera que o PS deixou cair “a másca-
ra” ao avançar com uma proposta de alteração ao
Plano de 2020 para inscrever 250 mil euros para a
promoção do aeroporto das Lajes. [04]

com o livro “a viDa no camPo”


Joel Neto vence
grande prémio APE
Joel Neto é o vencedor
do Grande Prémio de Li-
teratura Biográfica da As-
sociação Portuguesa de
Escritores 2016/2018. Em
declarações a DI, confessa
que esta distinção era um
sonho. [06]
PUB.
|02| região 04.DEZ.2019 DiÁrio iNSULAr

Bruno BEttEncourt, Dos myrica faya

Riqueza musical
a aldeia global do lobismo
Não sabemos, ao certo, se foram tado e influente político republi-
do cancioneiro
dos Açores
os norte-americanos que inven- cano em Washington, presidente
taram o lóbi, mas, se não foram, da House Intelligence Committee
cultivam-no, de forma tão intensa, e com ascendência açoriana de
que passou, há muito tempo, a ser S. Jorge. O artigo atrás referido foi
às claras, com escritórios abertos
que vendem os seus serviços. Para
quem esteja menos familiarizado
publicado em Abril de 2018, mas
mantém-se atual. Estávamos então
no auge da discussão sobre a pos-
é imensa
com o conceito, resumamos que sibilidade de instalação nas Lajes Os Myrica Faya estão de regresso ao estúdio para
lóbi é uma atividade organizada de um centro de inteligência mili-
que pretende influenciar direta- tar defendido, com unha e dentes,
preparar o seu terceiro álbum. O tema mais recente,
mente as decisões dos poderes pelo congressista, em detrimento “As Palmas”, que já circula na Internet, foi também
públicos, em especial do poder le- da opção do Pentágono por Ingla-
gislativo, em benefício de grupos, terra. O lóbi contrário à pretensão
recolhido do cancioneiro açoriano.
sejam económicos ou não. Wa- do californiano Devin Nunes, não
shington está cheio de escritórios se poupou à sua descredibilização
que se dedicam a isso e dos seus e, atenção, que estamos a falar de
quadros constam antigas figuras um político dos mais influentes e Três anos depois do lançamenTo do mas é sem dúvida um tema conhe-
de primeira água da política norte- com mais poder no âmbito do par- segundo Cd, “do Cerne”, os myriCa cido por todos aqueles que de uma
americana, pondo ao serviço as re- tido republicano. E atacaram-no Faya adapTaram um novo Tema do forma ou de outra estão ligados à
lações e influências que possuem da forma mais vil, pondo até em CanCioneiro açoriano. Como desCo- música de raiz tradicional.
no meio. Por cá ainda estamos a causa o seu patriotismo, ao estar brirem esTe “as palmas” e por que o
dar os primeiros passos e só os a pôr-se ao lado de Portugal. O esColheram? esTe será o primeiro Tema de um
grandes escritórios de advocacia é artigo, da autoria da genealogista Este novo tema marca o nosso re- novo álbum? Já há daTa para o lan-
que acabam por fazer algum lobis- Megan Smolenayak, chega a anali- gresso ao estúdio. “As Palmas” é çamenTo do próximo Trabalho dos
mo por via das assessorias jurídicas sar a comunidade açoriana do Vale uma espécie de tema “Cinderela”. myriCa Faya?
que prestam ao poder político e de S. Joaquim, para afirmar que é, Habitualmente escolhemos um tema Este tema e o seu lançamento mar-
sobretudo na ajuda à redação das historicamente, uma comunidade e depois procuramos perceber qual cam o início visível de um período
leis. Mas a teia é muito confusa e fechada, de difícil integração, até a abordagem que o próprio tema que, apesar de se ter iniciado há al-
em Portugal temos a tendência de na língua, sem pressa para obter “nos pede”. Com este novo tema o gum tempo em privado, nos levará
catalogar o que não compreende- a cidadania e, logo, compreensível processo foi inverso: durante os en- ao lançamento de mais um traba-
mos com o rótulo de pouco reco- que as lealdades sejam divididas saios, em momentos de pausa, vão lho discográfico. Pelo menos é esta
mendáveis. Nos EUA, uma ativida- entre a origem e o país de acolhi- surgindo ideias e foi assim que nas- a nossa vontade. Ainda não existe
de de lóbi paga impostos e passa mento. O lóbi contra Devin Nunes, ceu a base deste arranjo. Apareceu qualquer data definida, uma vez que
recibo. Vêm estas considerações a a trabalhar ao mais alto nível. A uma sequência de acordes e umas pretendemos trabalhar, de forma
propósito de um artigo publicado verdade é que o processo das La- frases melódicas que nos agrada- gradual e sem pressões, o que even-
nos EUA sobre Devin Nunes, repu- jes foi travado. ram e depois, qual Cinderela, ten- tualmente nos dará mais espaço para
tamos perceber qual a moda tradi- experimentar novas abordagens.
cional a quem o arranjo servia. “As Será um processo mais longo do que
Palmas” é um tema frequentemente o verificado nos álbuns anteriores,
interpretado pelos grupos de folclo- onde a única obrigação será procu-
Clélio meneses [10]
re existentes na ilha Terceira. Não rar fazer um trabalho com dignidade
Carta para Teresa é de todo um dos temas mais em- e, de preferência, com qualidade.
blemáticos para o grande público,
“Lembraram-se de fazer uma pista de gelo no meio da Praça. Com
o públiCo Já vos pedia novos Temas?
tanto caminho e canadas com buracos por tapar...” qual Tem sido a reação a esTe “as
palmas”, que Já CirCula pelas redes
soCiais?
Quando se tem um número consi-
paulo pereira [10]
derável de concertos e ao mesmo
O tempo que o tempo devora tempo se passaram três anos desde
o último lançamento, é normal que
“O menino começa a ser homem... Descobre que, afinal, o dia tem
quem nos acompanha comece a sen-
vinte e quatro horas e as horas minutos... e que o tempo não perdoa.” tir vontade de ouvir coisas novas.
Também nós sentimos essa vonta-
de! Quando tocamos fora da região,
osvaldo Cabral [11] o que já existe é quase sempre novi-
dade para quem nos ouve, mas den-
A ilha das assimetrias e da pobreza tro de portas há que ir renovando.
“Alguma coisa está a ser feita erradamente e o que é mais grave é que Em relação a este novo tema, esta-
mos muito satisfeitos com a reação
não se vislumbra muita vontade em corrigir ou alterar esta corrente.”
bruno bettencourt “os arranjos são de quem o vai ouvindo. As pessoas
por si só temas originais” têm partilhado nas redes sociais e
DiÁrio iNSULAr 04.DEZ.2019 região |03|

myrica faya banda escolhe temas menos conhecidos do cancioneiro “pelo desafio que os mesmos constituem”

ao mesmo tempo vão manifestando popular série “South Park”. até aos nossos dias imensas modas queríamos que o tema transmitisse.
o seu agrado quer por mensagem ou e canções. Os grupos de folclore, as- A moda em si, fomos novamente à
pessoalmente. vOlTARAM A RECORRER A uM TEMA TRA- sim como todas as recolhas que já nossa fonte primária. Em termos de
DICIONAl. A RIquEzA DO CANCIONEIRO foram feitas e continuam a ser feitas ilha Terceira, que é o Grupo de Bai-
OS MyRICA FAyA SuRGEM EM vERSãO AçORIANO CONTINuA A ENTuSIASMAR- junto dos mais velhos, têm tido um le da Canção Regional Terceirense,
ANIMADA NO vIDEOClIPE DESTA MúSI- vOS? há AINDA MuITOS TEMAS POR papel essencial nessa preservação e não só porque também sou elemen-
CA. COMO SuRGIu ESTA IDEIA E quEM é ExPlORAR? divulgação. Deixará de haver Myrica to do mesmo, mas pelas recolhas e
O AuTOR DESTE TRAbAlhO? A nossa base de trabalho continua- Faya (esperemos que isso não acon- reposições que o grupo vai fazendo.
O videoclip que serviu de suporte rá a ser a música tradicional açoria- teça pelo menos durante o próximo Da mesma forma, é graças a esse gé-
de apresentação de “As Palmas” foi na. Ouvimos muita vez a pergunta século!) e ainda assim continuarão nero de grupo que vai sendo feita a
feito de forma totalmente amadora, “Para quando um original?”, mas a haver temas do nosso cancioneiro preservação dos temas, de uma for-
com o intuito de ser um vídeo pro- de facto gostamos de continuar a para serem trabalhados, tal é o tama- ma mais próxima do “original”. Isto
visório que possibilitasse a apren- existir neste processo de pesquisa nho do manancial. tudo para dizer que não encaramos
dizagem da letra a quem assistisse. e recriação. Na realidade os arran- como sendo nossa missão a preser-
A ideia seria fazer um vídeo pos- jos são por si só temas originais, ESTE TEMA, à SEMElhANçA DE OuTROS vação dos nossos temas tradicionais.
teriormente, a partir de uma ideia até porque em alguns deles, se reti- quE já TINhAM GRAvADO, NãO é DOS Nós vamos trabalhando temas, em
que temos. No entanto, tendo em rássemos a voz, estaríamos perante MAIS CONhECIDOS DO CANCIONEIRO especial os menos conhecidos, pelo
conta a aceitação e o aparente im- um tema completamente novo. A tí- AçORIANO. ESTA é TAMbéM uMA FORMA desafio que os mesmos constituem
pacto dos “nossos” cartoons, quem tulo de curiosidade, temos de facto DE DIvulGAREM E PRESERvAREM AS em termos de pesquisa e ao mesmo
sabe se este passará de provisório a um tema original, chama-se “Marca NOSSAS TRADIçõES? tempo pelo fascínio que os mesmos
definitivo? A nossa versão cartoon Açores” e foi composto precisamen- Como referi, este não é um dos te- nos vão causando através da sua
já existia há algum tempo, surgindo te com o intuito de servir de tema mas mais emblemáticos do nosso descoberta. Claro que a divulgação
apenas por brincadeira sem nunca oficial e promocional dos produtos cancioneiro, no entanto não foi ne- da cultura açoriana, em especial da
ter sido divulgada. Durante a cons- que possuem a mencionada referên- cessária uma grande pesquisa para música tradicional, está inerente ao
trução do vídeo achamos que seria cia. Voltando ao nosso cancioneiro, o conseguir. Em termos de letra re- nosso trabalho e temos consciência
engraçado a inclusão dos cartoons. temos a sorte de viver num país e, corremos ao “Cancioneiro de músi- disso. A par deste fator, se este tra-
Os bonecos foram construídos por em especial, numa região onde a cas populares” de César das Neves balho permitir dar o nosso contribu-
mim tendo, propositadamente, riqueza musical e poética são imen- que foi editado em 1893, porque as to para a preservação desses mes-
como base o estilo e as artes criadas sas. No que diz respeito àquilo que quadras habitualmente cantadas não mos temas, será um acréscimo que
por Trey Parker e Matt Stone para a é considerado tradicional, chegaram nos davam a ideia de história que nos agrada.

DIÁRIO INSULAR - FIchA TécNIcA: Propriedade: Sociedade Terceirense de Publicidade, Lda., nº. Pessoa Coletiva: 512002746, nº. registo do título 101105. Jornal diário de manhã. Nome e sede do Editor, Redação,
Impressor e Administração: Sociedade Terceirense de Publicidade, Lda., Avenida Infante D. Henrique, n.º 1, 9701-098 Angra do Heroísmo, Terceira – Açores – Portugal. Telefone: 295401050. Telefax: 295214246.
Edição eletrónica: www.diarioinsular.pt. Correio eletrónico: diredacao@diarioinsular.pt; dipublicidade@diarioinsular.pt. Diretor: José Lourenço. Chefe de Redação: Armando Mendes. Redação: Hélio Vieira, Fátima Martins,
Helena Fagundes e Carina Barcelos. Desporto: Mateus Rocha (coordenador), Daniel Costa e José Eliseu Costa. Colaboradores: António Bulcão, João Bosco Mota Amaral, Francisco dos Reis Maduro-Dias, Ramiro
Carrola, Luiz Fagundes Duarte, Gustavo Moura, José Guilherme Reis Leite, Eduardo Ferraz da Rosa, António Ventura, Diniz Borges, Jorge Moreira, Paulo Gomes, Soares de Barcelos, José Eduardo Machado Soares,
Fábio Vieira, Arnaldo Ourique, José Decq Mota, Artur Lima, Cláudia Cardoso, Luís Couto, José Aurélio Almeida, João Bruto da Costa, Aníbal Pires, João Rocha, Joaquim Machado, Paulo Santos e Miguel Sousa
Azevedo. Fotografia: António Araújo e Pedro Alves. Design gráfico: António Araújo. Edição Eletrónica: Rui Azevedo. Estatuto Editorial pode ser consultado em www.diarioinsular.pt. Sócios-Gerentes com mais de 10% de
capital: Paula Cristina Lourenço, José Lourenço, Carlos Raulino, Eduarda Oliveira e Paulo Raulino. Tiragem desta edição: 2.850 exemplares. Tiragem média do mês anterior: 2.850 exemplares. Assinatura mensal: 14 euros.
|04| RegIãO 04.DEZ.2019 DIÁRIO INSULAR

PSD DiZ quE naDa foi fEito Para PromovEr o aEroPorto

PS deixa cair “a máscara” sobre


a certificação civil das Lajes

aerogare das lajes PS fez proposta de alteração ao Plano de 2020 para inscrever 250 mil euros para a promoção da infraestrutura

O PSD considera que nada foi feito para promover em ano de eleições. Nem sequer um motores para o desenvolvimento
único euro para a construção de um da Terceira e dos Açores.”
o aeroporto das Lajes depois da atribuição da certi- cais de cruzeiros no porto da Praia, Nesse sentido, considerou que os
ficação civil, apesar das promessas. aliás o PS chumbou uma iniciativa 23 anos da governação socialista
do PSD para que se dê início aos na Região “foram 23 anos perdi-
procedimentos da obra.” dos.” Apontou os exemplos os ca-
No que se refere ao porto da Praia sos da Zona Económica Exclusiva,
A deputada do PSD do parlamen- parlamento, uma proposta nesse da Vitória, Mónica Sei afirmou que o Plano Junker, o PREIT, o Azores
to açoriano, Mónica Seidi, acusou, sentido.” “é lamentável a falta de apostas Business Centre, o Terminal de
ontem, o PS de não promover o No que se refere ao Plano de Inves- e de concretizações” para aquela Transhipment e o Hub logístico.
aeroporto das Lajes na sequência timentos para 2020, recentemente infraestrutura portuária que con- “São alguns exemplos de publicida-
do processo de certificação civil aprovado no parlamento açoriano, siderou ser “sem dúvida um dos de enganosa feita pelos socialistas
daquela infraestrutura. Mónica Seidi considera que se tra- aos terceirenses antes das eleições,
De acordo com Mónica Seidi, “caiu ta de um documento de “continui- durante o período de campanha e
a máscara ao PS, no que diz respei- dade” e “pouco inovador”. no tempo que já leva a atual legis-
to à certificação civil do aeroporto “Nos últimos três anos, a gover- latura”, disse.
das Lajes, uma vez que a bancada nação socialista não conseguiu le- A situação do Turismo do foi outro
socialista propôs que se investis- var a cabo projetos estruturantes dos assuntos abordados por Móni-
sem 250 mil euros para promover para o desenvolvimento da Tercei- ca Seidi; “um extenso rol de faltas
essa classificação, confirmando ra”, afirmou a deputada do PSD, e falhas para com a ilha Terceira,
que até agora nada foi feito nesse apontando como exemplos “o eixo como a operação Madrid-Terceira,
sentido.” Porto da Praia-Base das Lajes, es- a aposta do executivo para comba-
A parlamentar eleita pela Tercei- sencial para a criação de riqueza, ter a taxa de sazonalidade, que nem
ra adiantou que “depois de vários e que continua no mesmo impasse vê-la. Ou a visível falta de uma es-
anos a anunciar os benefícios e o dos últimos quatro anos. Apenas tratégia para melhores transportes
impacto da certificação, o PS as- existem promessas no papel.” aéreos e marítimos, numa promo-
sume claramente que não foi fei- Acrescentou que o Plano e Orça- ção mais eficaz do destino Terceira,
to tudo que era necessário para mento para 2020, “continuam a junto dos mercados internacionais
essa promoção, apesar de termos não prever uma única obra, ou o Mónica seidi “Eixo porto da Praia- e focada no turismo de natureza,
aprovado por unanimidade, no lançamento da uma primeira pedra Base das Lajes continua num impasse” cultura e eventos.”
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 RegIãO |05|

objEtivo é DinamiZar o comércio no cEntro histórico

Praia deixa de cobrar parquímetros


aos sábados e após as 16h00
FotogrAFiA CMPV

praia da vitória Alteração dos horários dos parquímetros tinha sido proposta nos fóruns “Pensar a Cidade do Futuro”

A medida entrou em vigor no dia 01 de dezembro. Segundo Tibério Dinis esta “é mais alterações ao trânsito e o início da
uma medida que resulta dos fóruns operação do miniautocarro que liga
Durante a semana, o estacionamento é tarifado en- ‘Pensar a Cidade do Futuro’ que este o centro da Praia ao Aeroporto das
tre as 8h00 e as 16h00 e aos sábados é gratuito. executivo municipal implementou Lajes, com passagem pelas escolas
no início do mandato, ouvindo e pen- da cidade e por todas as unidades de
sando com a sociedade civil praien- alojamento e turismo do centro.
se as políticas que contribuam para “Muito brevemente, serão anuncia-
Desde o início deste mês que deixou local”, frisou Tibério Dinis, citado a dinamização e desenvolvimento da dos ajustes à operação do Praia da
de ser necessário pagar parquímetro numa nota de imprensa. Praia da Vitória”. Vitória Bus, que tem registado nú-
no centro histórico da Praia da Vitó- A medida, que entrou em vigor no O presidente da Câmara Municipal meros muito positivos de utilizado-
ria aos sábados e após as 16h00 nos dia 01 de dezembro, tem carácter de- da Praia da Vitória destacou ainda as res”, adiantou.
dias de semana. finitivo. O estacionamento automóvel
Segundo o presidente do município, no centro da Praia da Vitória passa a
a renegociação do contrato com a ser tarifado apenas entre as 8h00 e as
empresa concessionária da gestão 16h00, de segunda a sexta-feira, dei-
dos parquímetros pretende “dina- xando também de ser cobrado par-
mizar o comércio no centro históri- químetro aos sábados de manhã.
co da Praia e manter o equilíbrio de O autarca justifica a redução em
proteção aos moradores da cidade”. duas horas do estacionamento tari-
“Com esta renegociação do contrato fado durante dos dias úteis com “a
o que a câmara municipal faz é, por necessidade de permitir que todos
exemplo, aos sábados, considerando aqueles que saem dos seus serviços
que há menor fluxo de procura de a partir das 16h00 possam aceder ao
lugares de estacionamento, porque centro histórico sem preocupações
praticamente todos os serviços estão com parquímetros”, alegando que
encerrados (falo de serviços munici- isso “dará uma nova dinâmica, pois
pais, bancos, escolas, entre outros), permite um acesso rápido e sem
estimular o acesso de todos os cida- custos acrescidos para compras, ida
dãos ao centro histórico, estimulan- a serviços variados, ou até só para
do as compras no nosso comércio desfrutar da cidade”. tibério dinis Autarca alega que as alterações vão estimular compras no comércio local
|06| RegIãO 04.DEZ.2019 DIÁRIO INSULAR

autor aDmitE, Em DEclaraçõEs a Di, quE Era um sonho

Joel Neto vence grande prémio


da Associação Portuguesa de Escritores
“A Vida no Campo”, o di-
ário em que Joel Neto
relata o seu regresso à
Terceira, foi a obra se-
lecionada entre as 51 a
concurso. O escritor con-
fessa que era um sonho.

O escritor terceirense Joel Neto é o


vencedor do Grande Prémio de Lite-
ratura Biográfica da Associação Por-
tuguesa de Escritores 2016/2018. O
livro “A Vida no Campo”, que lançou
em 2016, foi o escolhido, por unani-
midade, entre 51 obras submetidas a
concurso.
Em declarações a DI, Joel Neto disse
que recebeu a notícia com “alegria”,
acrescentando que sempre conside-
rou os prémios APE como os “supre-
mos prémios portugueses”.
“Eu mentiria se dissesse que não ti-
nha o sonho, ainda que não confessa-
do, de entrar no palmarés destes pré-
mios”, admitiu, acrescentando que os
prémios APE são o mais próximo de
um National Book Award português.
Segundo Joel Neto, esta distinção é
também “o reconhecimento da lite-
ratura açoriana que volta a ser con-
templada ao fim de tantas décadas”,
depois de João de Melo e Natália joel neto “É um prémio que eu recebo com dupla alegria, por ser meu e por ser um prémio dos Açores”
Correia o terem vencido, em 1989 e
1991, respetivamente.
“É um prémio que eu recebo com o que ficou dessa aprendizagem, mas “Eu quero acreditar que tenha algu- uma nova enunciação de uma alter-
essa dupla alegria, por ser meu e por parece cada vez mais improvável que ma coisa a ver também com os textos nativa”, acrescentou.
ser um prémio dos Açores”, frisou. eu volte a sair dos Açores para viver propriamente ditos e com a maneira Por outro lado, frisou, nunca en-
“A Vida no Campo” reúne um con- em permanência. Não vou garantir como eles dialogam com as pessoas deusou, por completo, o campo ou
junto de crónicas que Joel Neto que exista um terceiro volume, até e com a qualidade artística dos tex- a cidade, em detrimento do outro, e
escreveu a partir da Terceira, para porque não o farei como limpeza de tos, mas também me parece que eles resistiu à tentação de olhar o campo
onde voltou com a mulher, Catarina gaveta, não me interessa já limpar veem responder, ao mesmo tempo, a com condescendência.
Ferreira de Almeida, após duas déca- gavetas ou agregar textos dispersos, uma certa confusão que a vida urba- “Acho que a minha atitude foi de hu-
das a viver em Lisboa. Este ano, o au- a não ser que exista neles uma coe- na neste momento impõe às pesso- mildade em relação ao campo. Pelo
tor publicou um segundo volume de rência formal e uma integridade que as”, afirmou. menos tentei encantar-me com aqui-
“A Vida no Campo”, com o subtítulo justifique a sua reunião”, avançou. “As cidades foram ciclicamente ao lo que era passível de encanto e de-
“Os anos da maturidade”. Ainda assim, garante que continua a longo da história espaços, não ape- cecionar-me com aquilo que era pas-
Questionado sobre um possível ter- escrever no seu diário e que continua nas de desenvolvimento económico, sível de deceção e ao mesmo tempo
ceiro volume, o escritor não descar- a ser “um rural urbano ou um urbano mas também de desenvolvimento so- fazer a mesma coisa com aquilo que
tou a hipótese, mas disse que terão rural”. cial, cultural e intelectual, mas entre trazia da cidade e que continuava a
de ser as circunstâncias a decidir. Joel Neto não podia ter pedido melhor esses ciclos as pessoas perderam a reencontrar na cidade sempre que
“Se um dia eu voltar à cidade, que reação a estes dois livros. Venderam- capacidade de agregar. Provavelmen- voltava”, salientou.
era o plano inicial, haverá sempre um se bem, tiveram grande ressonância te nós estamos num desses ciclos, A entrega do prémio APE decorre
terceiro volume de ‘A Vida no Cam- mediática e um bom acolhimento crí- num ciclo em que a cidade volta a na próxima terça-feira, às 18h30, na
po’, que será a história do regresso à tico. A chave do sucesso está não só não conseguir responder aos anseios Casa dos Açores, em Lisboa, numa
cidade, ou seja, será necessariamente na escrita, mas na forma como falou de muitas pessoas e desse ponto de cerimónia aberta ao público em ge-
uma reflexão sobre o campo ou sobre do campo e da cidade. vista estes livros terão representado ral.
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 RegIãO |07|

DEputaDa Do pS na aSSEmblEia Da rEpública aponta ExEmplo DoS açorES

Sustentabilidade ambiental prioritária


A deputada do PS eleita pelos Aço- sa economia, como são os casos da
res da Assembleia da República, agricultura e pescas, não podemos
Isabel Almeida Rodrigues, desta- comparar a forma como utilizamos
cou o exemplo da Região na sus- os nossos recursos com a explora-
tentabilidade ambiental. ção intensiva a que assistimos em
Isabel Rodrigues, que falava no outros territórios”, afirmou Isabel
painel da sessão IV “Uma estra- Rodrigues, acrescentando que, no
tégia climática vencedora para a quadro da condicionalidade am-
Europa”, na 62ª reunião Interpar- biental, “os esforços que inúmeras
lamentar da Conferência das Co- regiões da Europa têm prossegui-
missões de Assuntos Europeus dos do, devem ser reconhecidos e va-
Parlamentos da União Europeia, lorizados.”
em Helsínquia, sublinhou o caso Para a deputada do PS, “é muito
dos Açores que, sendo “uma região importante que a condicionalidade
insular, arquipelágica e ultraperifé- ambiental integre soluções equili-
rica, já há muito tempo que orienta bradas que nos permitam prosse-
a sua ação para a sustentabilidade guir as prioridades definidas e os
ambiental.” objetivos do desenvolvimento sus-
Nesse sentido, a deputada socialis- tentável, em sintonia com a susten-
ta referiu que “em 2018 atingimos, tabilidade económica e social das
por exemplo, 40% de utilização nossas comunidades”.
de energias renováveis e endóge- Na reunião que se realizou na Fin-
nas. Temos um Programa Regio- lândia foram debatidas questões
nal para as Alterações Climáticas relacionadas com a Carta dos Di-
e ainda ilhas classificadas como reitos Fundamentais da União Eu-
Reservas da Biosfera. Além disso, ropeia e a Estratégia Europeia para
isabel rodrigues Região “orienta a sua ação para a sustentabilidade ambiental” e em setores fundamentais da nos- as Alterações Climáticas.

DEputaDo Do pSD DEfEnDE maiS apoio DE bruxElaS

Regiões ultraperiféricas
com “atenção reforçada”
Bruxelas deve dar mais defender que é necessário dar mais
atenção às RUP.
apoios para catástrofes “As Alterações Climáticas estão a
naturais nas regiões. tornar extremamente incisivos os
impactos das tempestades, que têm
assolado o Atlântico Norte, onde
estão inseridos os Açores, por ve-
O deputado do PSD eleito pelos zes de forma extrema”, afirmou.
Açores na Assembleia da Repúbli- O parlamentar social-democrata
ca, Paulo Moniz, defendeu ontem destacou a importância dos Açores
“uma atenção reforçada para as re- e da Madeira, “como regiões arqui-
giões ultraperiféricas (RUP)”, por pelágicas portuguesas, no âmbito
parte da União Europeia, “no âm- das Alterações Climáticas, pela for-
bito das consequências das Alte- ma como estas sempre afetaram as
rações Climáticas, tendo em conta nossas ilhas”, considerando que a
as particularidades dessas mesmas temática “deve merecer uma aten-
regiões.” ção particular por parte da União
Numa intervenção no âmbito da à Europeia, num subsistema da es-
62ª Reunião Plenária da Conferên- trutura de Proteção Civil, já exis-
cia das Comissões Parlamentares tente, mas que pode melhorar.”
para os Assuntos da União dos Par- Na sua intervenção, Paulo Moniz
lamentos da União Europeia sobre alertou, ainda, para a importância
o tema das Alterações Climática, da economia circular em regiões
que decorreu em Helsínquia (Fin- como os Açores, “já que constitui
lândia), Paulo Moniz apontou o uma oportunidade para resolver
exemplo da recente passagem do um problema que nos é muito caro,
Furacão Lorenzo pelos Açores para no caso o desemprego jovem.” Paulo Moniz Alterações Climáticas afetam o Atlântico Norte com tempestades
|08| RegIãO 04.DEZ.2019 DIÁRIO INSULAR

AlojAmEnto DE turismo rurAl nAs FlorEs nA BiBliotEcA DE AngrA


“Música na Conversa”
Prémio Nacional de Turismo com Bruno Walter

distingue Aldeia da Cuada


A Biblioteca Pública e Arquivo Re-
gional Luís da Silva Ribeiro, em
Angra do Heroísmo, promove na
fotografia aldeia da Cuada
próxima sexta-feira, pelas 18h00, a
segunda edição da iniciativa “Músi-
ca na Conversa”, com Bruno Walter
Ferreira.
Esta atividade, que se realizou
pela primeira vez em janeiro, com
a participação de António Bulcão,
pretende criar uma interação entre
o convidado e o público, que, desta
forma, poderá conhecer melhor o
artista e a sua obra e ouvir alguns
dos seus temas.
Bruno Walter Ferreira é médico de
profissão e músico amador, sendo
na composição e interpretação de
canções de matriz popular urbana
que manifesta a sua criatividade.
Autor de dois álbuns de originais,
intitulados “Cantigas de Várias
Cores” e “Maquillage”, fundou em
2010 o grupo musical BWF – Bru-
no Walter & Friends, com o qual
lançou o CD “BWF ao Vivo no
CCCAH” e com quem tem pisado
vários palcos nos Açores e no Con-
tinente.

aLdeia da cuada Casas rurais de pedra foram recuperadas e transformadas em unidades de alojamento tEmporADA ArtísticA 2019
Lava Brass Quintet
O Prémio Nacional de Turismo, promovido pelo Ex- premiar as empresas portuguesas atua em Santa Maria
que se distingam como casos de su-
presso e pelo BPI, distinguiu a Aldeia da Cuada, nas cesso, enquadradas nas categorias Um concerto pelo Lava Brass Quin-
Flores, na categoria Alojamento Local. de Alojamento, Restauração e Ser- te tem lugar sábado, pelas 21h00,
viços Turísticos. na Biblioteca Municipal de Vila
Pretende igualmente reconhecer do Porto, na ilha de Santa Maria,
projetos de turismo responsável, no âmbito da Temporada Artística
A Aldeia da Cuada, nas Flores, foi O júri decidiu ainda reconhecer ini- iniciativas que se destacaram pela 2019.
vencedora da primeira edição do ciativas e personalidades pelo seu inovação e projetos de âmbito pú- Participam no concerto Antero
Prémio Nacional de Turismo na ca- importante contributo para o setor blico. Ávila (tuba), Edgar Marques (trom-
tegoria Alojamento Local. do turismo: The Presidential Train O prémio visa ainda distinguir per- pa), Miguel Moutinho (trombone),
Os vencedores do Prémio Nacional ganhou o prémio Projeto Inovador sonalidades que se destaquem pelo Paulo Borges (trompete) e Roberto
de Turismo, uma iniciativa promo- (Douro/Porto), a Rota Estrada Na- seu contributo para o setor do tu- Rosa (trompete).
vida pelo jornal Expresso e pelo cional 2 foi distinguida na catego- rismo. Neste espetáculo, de entrada livre,
BPI, foram conhecidos numa ceri- ria Projeto Público e o Programa de o Lava Brass Quintet associa-se às
mónia que decorreu no passado dia Responsabilidade Social e Susten- 464 candidaturas comemorações do 150.º aniversário
28 de novembro, na Escola Superior tabilidade Ambiental (HOSPES), Na sua primeira edição, o Prémio de nascimento de Francisco de La-
de Hotelaria e Turismo do Estoril. da Associação de Hotelaria de Por- Nacional de Turismo recebeu 464 cerda, apresentando um repertório
Na categoria Alojamento Local foi tugal, venceu na categoria Turismo candidaturas, das quais 207 na ca- que inclui composições do maestro
ainda atribuída uma menção hon- Responsável. tegoria Alojamento, 162 na Restau- jorgense, para além de peças de
rosa ao The Passenger Hostel, no Dionísio Pestana recebeu o Prémio ração e 95 nos Serviços Turísticos. Victor Ewald, Klaus Badelt e Hans
Porto. Carreira, “pelo seu enorme contri- A qualidade das candidaturas foi Zimmer, Antero Ávila e Enrique
O Hotel São Lourenço do Barro- buto para o desenvolvimento do se- avaliada por comités técnicos e por Crespo.
cal, em Monsaraz, foi distinguido tor do turismo em Portugal”. um júri. Qualidade e inovação da Está também prevista a realiza-
na categoria Hotelaria, a empresa Na cerimónia participaram Pedro oferta, satisfação do cliente, qua- ção de diversas masterclasses, nas
Vertigem Azul, de Setúbal, venceu Barreto, administrador do BPI, e lificação ambiental, performance quais será ministrada formação em
na categoria Serviços Turísticos, Pinto Balsemão, CEO do Grupo Im- operacional e contributo para o trompete, trombone, tuba e bom-
enquanto o restaurante A Cozinha, presa, que entregaram os prémios desenvolvimento turístico foram bardino, na sede da Banda Recreio
do Chef António Loureiro, de Gui- aos vencedores. alguns dos critérios considerados Espirituense, na sexta-feira, das
marães, ganhou na categoria Res- O Prémio Nacional de Turismo para essa avaliação e eleição dos 19h30 às 22h30, e no domingo, en-
tauração. 2019 foi criado com o objetivo de vencedores. tre as 09h30 e as 18h30.
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 RegIãO |09|

PRojEto “3 Multi (MultiMEDia, MultiDisciPlinaRity, MulticultuRalisM)”

Erasmus+ leva alunos e docentes


da EBI de Angra à Bélgica
sobre segurança na internet e so-
bre danças e jogos tradicionais.
Por seu turno, os docentes partici-
param num workshop de design e
impressão do logótipo vencedor do
projeto “3 Multi”.
Os estudantes e resptivos professo-
res foram recebidos pela presidente e
pelo vereador da Educação da Câmara
Municipal de Dilsen-Stokkem, tendo
os próprios sido também antigos alu-
nos da escola Stedelijke Humaniora.
Foi realizada uma visita à capital do
país, Bruxelas, onde professores e
alunos visitaram pontos de interesse
da cidade, mediante a orientação de
uma docente de Geografia da escola
anfitriã.
Os alunos dos diversos países apre-
sentaram trabalhos, na sala de reu-
niões da Câmara Municipal de Dil-
sen-Stokkem, sobre os temas “Our
country, region, city” e “Literature:
three local writers”.
Os alunos da EBI de Angra fizeram
apresentações sobre a ilha Terceira
e três escritores, nomeadamente José
ERASMUS Dois alunos e três docentes da EBI de Angra estiveram na Bélgica de 18 a 23 de novembro Saramago, Vitorino Nemésio e Joel
Neto, tendo revelado “uma perfor-
mance extremamente positiva, uma
Os alunos da EBI de Angra do Heroísmo fizeram (país organizador desta mobilidade), vez que evidenciaram à-vontade, cla-
Turquia, a Roménia, Itália, França reza e capacidade de síntese”, refe-
apresentações sobre a Terceira e os escritores Vitori- (Polinésia Francesa) e Portugal (ilha riu a coordenadora do projeto, Hélia
no Nemésio, Joel Neto e José Saramago. Terceira). Mendonça.
Os professores Hélia Mendonça, José Esta mobilidade “revelou-se funda-
Carlos Oliveira, Maria da Luz Filipe mental para o conhecimento de um
e os alunos Daniela Silveira e Pedro país diferente, a partilha de culturas,
Dois alunos e três docentes da Esco- Tratou-se da primeira mobilidade Rico integraram a comitiva da EBI de modos de vida, ideias e outras formas
la Básica Integrada (EBI) de Angra Erasmus+ realizada pela EBI de An- Angra. de ensino e aprendizagem, o desen-
do Heroísmo estiveram na Bélgica, gra. Durante a mobilidade, os alunos volvimento da autonomia, a aprendi-
em novembro passado, no âmbito do Na iniciativa, que decorreu entre 18 assistiram a aulas na escola Stede- zagem/melhoria de outra/s língua/s, o
projeto Erasmus+ “Exchange of Good e 23 de novembro, estiveram pre- lijke Humaniora, acompanhados aumento da rede de contactos pesso-
Practices – Multimedia, Multidiscipli- sentes todos os países participantes pelos alunos que os receberam, ten- ais e profissionais, entre muitos ou-
narity Multiculturalism - 3Multi”. no projeto, nomeadamente a Bélgica do frequentado ainda workshops tros aspetos”, salientou.

agRaDEciMEnto aos conDutoREs quE REsPEitaRaM lugaREs PaRa PEssoas coM MobiliDaDE REDuZiDa

Dia da Pessoa com Deficiência


assinalado na Praia da Vitória
A Câmara Municipal da Praia da lidade reduzida no centro urbano. como propósito “sensibilizar a po- com Deficiência é uma data come-
Vitória assinalou ontem o Dia Inter- A iniciativa, desenvolvida pela pulação para o respeito por aqueles morativa promovida pelas Nações
nacional da Pessoa com Deficiência equipa do Departamento de Edu- que enfrentam desafios acrescidos Unidas desde 1992, com o objetivo
com a entrega de cartões de agrade- cação e Reabilitação da Coopera- de mobilidade em espaços públi- de promover uma maior compreen-
cimento aos condutores que respei- tiva Praia Cultural, contou com a cos e valorizar as boas práticas e são das pessoas com deficiência e a
taram os locais de estacionamento participação de jovens com neces- ações na comunidade”. defesa da dignidade, dos direitos e o
assinalados para pessoas com mobi- sidades educativas especiais e teve O Dia Internacional das Pessoas bem-estar das pessoas.
|10| OpINIãO Diário Insular informa os estimados leitores que os artigos de opinião não devem exceder os 3.500 caracteres, incluindo espaços. 04.DEZ.2019�� DIÁRIO INSULAR

Coluna VErtEbral

ClÉlIo MEnESES Carta para Teresa

N
a passada segunda-feira, com ela à Praia. deu dois ou três passos e caiu com um mudanças nos parquímetros para facili-
pela tarde, encontrei o meu O pior é que na Câmara da Praia eles estrondo que parecia mais uma queda tar a vida às pessoas... Mas vim a perce-
amigo José Mistério que ainda têm menos juízo que tua mãe e da Praia. Como o Presidente estava ber que uma parte dessas alterações foi
vinha de deixar no correio lembraram-se de fazer uma pista de gelo agarrado a ela, pelo jeito para não cair o aumento do preço dos parquímetros!
outra carta para a filha. Vinha com ar no meio da Praça. Com tanto caminho também, ela caiu por cima dele. Aquilo Isso ninguém avisou e lá tive de pagar
preocupado com o estado da esposa e canadas com buracos por tapar, com foi um alvoroço que nem queiras saber. mais pelo mesmo tempo que antes tinha
pelos factos que abaixo são descritos e tanta precisão que há neste concelho, O povo aflito por causa de tua mãe e um o carro parado. É preciso ter lata!
que, com a sua permissão, publico: com contas que ainda estão por pagar à outro rapaz que anda sempre de roda Minha querida Teresa, já viste a minha
carpintaria de teu tio António e na ven- do Presidente à... procura dele. Tua mãe sorte... Lá estou eu a ter de cuidar de
“Querida Teresa, da da Mariquinhas, para eles a maior ficou amassada ali mesmo sem se mexer tua mãe e a pagar a uma rapariga para
Desejo que recebas esta carta com me- necessidade é essa... Homessa! Mas, e o Presidente por baixo dela. Tiveram vir dar uma mão na limpeza dela e da
lhor disposição do que aquela com que como já te disse, o pior nem foi isso. O de chamar os bombeiros para levantar casa.
ta envio. Como te disse na chamada que pior foi quando tua mãe chegou à Praça tua mãe e juntar o Presidente que estava Estávamos a preparar uma “encomen-
fizemos, por aqui está meio atrapalha- e cismou em dar uma voltinha na pista. “esmichado” só na camisa... Fomos de dazinha” para mandar para vocês e
do. Como não me ajeito bem a falar por Eu virei-me “pra” ela e disse: “Oh, Ma- ambulância para o Hospital e passámos para os pequenos, para o Natal, mas
meio dessas camaras não tive ocasião ria tua não estás “descreta”! Com esse lá a noite em exames e para tua mãe le- não estamos com juízo para “atimar”
de te explicar o que se passou. Por isso corpo que tu tens não tem jeito nenhum var soro para ver se vinha a si. A sorte nada. Quando isto amainar, a gente tra-
e como me amanho melhor a escrever, meteres-te aí dentro!” Minha rica filha, é que ela não partiu osso nenhum. Foi ta disso.
mando esta carta a contar-te a desgraça como tu sabes, tua mãe mede 1 metro e muito e não foi nada. Ficou com um pé Espero que por aí esteja tudo de saúde
que caiu em nossa casa “pomor” da falta 90 e está a pesar umas 8 arrobas. Mas “desmanchado” e três aduelas fora do e com mais juízo do que por aqui. Te-
de juízo de tua mãe. ela não me ouvia e avançava para a pis- seu lugar. O corpo é que está todo moído mos saudades de vocês e era uma boa
Ontem, como era domingo e o tempo es- ta e eu atrás dela. Nisto ela salta “pró” de maneira que ela não se mexe. Passa o ocasião para nos virem visitar. Estamos
tava pairado, tua mãe cismou em irmos gelo e como ficou tudo parado a olhar, o dia na cama cheia de dores e agonias. sempre à espera de vos ver entrar pela
dar um passeio à Praia. Eu - parece-me Presidente da Câmara que, também, ali Para ajudar ainda mais, fui à Praia porta dentro.
que estava adivinhando - disse-lhe que estava a cumprimentar e a sorrir para buscar uns remédios para tua mãe que
não me estava a apetecer e que ficava aquela gente, salta e mais ela. Sabes, o o médico receitou e parei o carro no Até esse dia recebe um beijo da gente e
melhor por casa, mas ela, teimosa do rapaz gosta muito de aparecer e quan- parque de estacionamento, descansado manda um para os pequenos. Um abra-
feitio que tu sabes, lá me foi atazanando do vê alguma coisa diferente que o povo porque o Presidente da Câmara tinha ço para o Francisco. Até à primeira.
o juízo e, para não me aborrecer, lá fui possa reparar ele bota-se logo. Tua mãe dito que a partir de hoje iam começar José Mistério”

paulo pErEIra O tempo que o tempo devora

É
Natal. A tradição repete- de tudo, menos do que nos atormenta. Começa a viver o tempo. E descobre castiga-me profundamente.
se. Dispersa fisicamente E rimos e sorrimos num esgar que foge que, afinal, o dia tem vinte e quatro O Natal, embora queira aparentar o
durante um ano, a família da lágrima e do choro. E desejamos, horas e as horas minutos ... e que o contrário, deixou de ser a comemora-
reencontra-se. Primeiro, na no íntimo, que este confronto com nós tempo não perdoa. É voraz. ção da vida, a festa da família, para ser
consoada, o núcleo, os pais, os filhos mesmos seja o mais breve possível. E Olho para a infância e vejo a família o altar em que consagramos o tempo
e, agora, já longe a infância, os seus até para o ano ... reunida a celebrar o Natal. Em casa que a todos mortifica. E a obrigação
cônjuges e a neta menina e a outra O que me traz assim? O que me deixa do patriarca, o avô, éramos muitos. que todos os adultos têm de prolon-
que ainda é uma promessa. Depois, nostálgico e simultaneamente angus- E reconheço a alegria esfuziante dos gar a inocência das crianças não sou
no almoço do dia grande, alargada aos tiado? É o tempo, o passado e o futu- mais novos e a expectativa contagiante capaz de a cumprir. A presença da de-
tios e primos mais próximos. A par, ro. Deixa-se de ser criança quando se que nos agitava e o esforço dos mais crepitude e da fatuidade da vida são
cumpre-se também a visita aos que perde a inocência. E a inocência é o velhos para prolongar o mais possível mais fortes.
aprendemos a respeitar. Aos que foi desconhecimento absoluto do tempo. as ilusões dos meninos. Que saudades O meu tempo aproxima-se.
possível chegar. Os outros para a pró- É a vivência sem o tempo. Da consci- desse tempo, da inocente ausência do
xima serão os primeiros. ência que à noite sucede o dia, e que tempo. Percorro os anos que me fazem PS: Revisito este texto publicado no
Nas muitas saudações e desejos de interminável era, chegava para tudo, homem. E em cada ano, em cada Natal, Natal de 2000. Já nada é como foi. Ine-
boas festas e de um feliz ano novo, en- dos aniversários, aguardados com im- o tempo dói mais fundo. Hoje, muitos xorável, o tempo era, o tempo será. O
contro-me só. A tristeza que não con- paciência, descobre-se a doença, o en- são os que abandonaram o tempo e me tempo que me traz cada vez mais pe-
sigo disfarçar de todo é a mesma que velhecimento e a morte. Ao riso des- deixam cada vez mais só. E a consciên- queno e só!
vejo nos olhos e estampada no rosto preocupado impõe-se abruptamente a cia que cada vez seremos menos e que
de outros. E calamos fundo. Falamos dor. E o menino começa a ser homem. nada, nunca, voltará a ser como dantes naomechateiem@sapo.pt
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 Diário Insular informa os estimados leitores que os artigos de opinião não devem exceder os 3.500 caracteres, incluindo espaços. OpINIãO |11|

Às quartas

OsvalDO Cabral A ilha das assimetrias e da pobreza

O
estudo do INE sobre as um problema muito grande em ter-
condições de vida e ren- mos de desigualdade na distribuição
dimento das famílias veio de rendimentos, sabendo-se que, a
confirmar, pelo segundo seguir a Lisboa, somos mesmo a re-
ano consecutivo, que temos as taxas gião com o maior índice de desigual-
de pobreza mais altas do país, pioran- dade.
do de ano para ano. No referido estudo é possível consta-
É legítimo perguntar como e onde es- tar que, de acordo com o coeficiente
tão a ser aplicados os mais de 6 mil de Gini, os Açores são a região do
milhões de euros de transferências país com maior assimetria na distri-
comunitárias e do Estado português buição dos rendimentos, atingindo o
e por que razão as desigualdades são valor astronómico de 37,6%.
cada vez maiores. Só há dois países na União Europeia
Alguma coisa está a ser feita errada- com valores semelhantes: a Lituânia
mente e o que é mais grave é que não (36,9%) e a Bulgária (39,6%), o que
se vislumbra muita vontade em corri- diz bem do nível de desigualdade a
gir ou alterar esta corrente. que já chegamos.
A lista que publicamos aqui é bem O espelho desta assimetria está, tam-
eloquente das disparidades que var- bém, bem marcado no Rendimento
rem a nossa região, com especial en- Social de Inserção, onde temos quase
foque na ilha com maior densidade 7% da população como beneficiários,
populacional. quando a média nacional é de 3%.
Trata-se da lista sobre o Índice de Po- Há que aprofundar mais as causas
der de Compra Per Capita, cuja cauda dessa desgraça, não se percebendo,
é reveladora das enormes desigualda- por exemplo, como é que Nordeste e
des de rendimentos entre concelhos Vila Franca possuem os piores índi-
tão próximos uns dos outros. ces de poder de compra, mas a maio-
Estes valores comprovam duas carac- ria dos beneficiários de RSI estão na
terísticas da ilha de S. Miguel: é uma Ribeira Grande e Lagoa.
ilha com enormes disparidades entre O Plano e Orçamentos para o próximo
concelhos e é a ilha com mais conce- ano, agora aprovados no parlamento
lhos mais pobres. regional, não trazem absolutamente
O índice de Ponta Delgada, o mais nada de inovador na área do combate
elevado da região, mesmo acima da às desigualdades, onde deviam cons-
média nacional, contrasta com os ín- tar apostas fortes na Educação e For-
dices muito baixos dos restantes con- mação das pessoas e outras políticas
celhos. que reproduzem empregos e riqueza.
Apenas Santa Cruz da Graciosa Vamos continuar na cepa torta por
(73,13) e Lajes do Pico (70,03) se muitos anos, criando na região a
“intrometem” para impedir que S. maior concentração de funcionários
Miguel concentre a totalidade dos públicos de que há memória (já são
cinco concelhos mais pobres dos 18.638 na administração regional,
Açores, com destaque para os índices mais 632 só no último ano e mais
da Povoação (66,28), Vila Franca do outra catrefada que se anuncia para
Campo (65,06) e Nordeste (62,47), os próximos meses, certamente para
valores bastante abaixo da média re- baixar a taxa de desemprego e fazer
gional. um brilharete lá para Outubro, mês
Só o elevado índice de Ponta Delgada das eleições).
é que compõe a média de S. Miguel. As administrações públicas nacionais
À parte Ponta Delgada, os concelhos reduziram a engorda em 5,2%. Nós,
com maior poder de compra são An- cá nos Açores, aumentamos 5,1%.
gra do Heroísmo, Horta, Vila do Porto, São mais 1000 funcionários públicos
Madalena e Santa Cruz das Flores. desde 2016, qualquer coisa como
A presença de aeroportos parece ser Há ilhas no programa de coesão que mento (não reprodutivo) em S. Mi- mais de 300 por ano.
factor importante, assim como de ser- parece terem avançado mais rápido guel (e as outras ilhas têm razão em E como são distribuídos? Só para a
viços públicos. do que Nordeste. protestar por uma grande disparida- Vice-Presidência foram mais 93, mais
Certo é que S. Miguel acaba por ser Isto parece fazer de S. Miguel a ilha de), mas o problema é que o resulta- 400 para as empresas públicas do pe-
a ilha das assimetrias e que as SCUT mal amada e desprezada nas políticas do desse investimento não provocou rímetro (não inclui a SATA), mais
pouco ou nada contribuíram para ate- públicas de desenvolvimento nas últi- menos assimetrias sociais. 159 para as Florestas, 66 para a Edu-
nuar a situação dos concelhos, para mas décadas. Pelo contrário, os números são a pro- cação e 161 para a Saúde.
além de Ponta Delgada. É verdade que houve muito investi- va disso, demonstrando que temos Estamos a ir por um belo caminho.
|12| RegIãO 04.dez.2019 DIÁRIO INSULAR

Não há quem queira assumir os corpos sociais

Associação de Mordomos
encerra as portas

TAURINIDADE O conceito fica definido

Está encerrada a atividade da Associação de Mordo- documentos é outra das razões que Arnaldo Ourique em declarações ao
justificam o seu arquivamento, dis- DI.
mos da Ilha Terceira. A definição do conceito de tau- se Arnaldo Ourique, que assumirá a
rinidade é uma das suas vitórias. Grande falhanço: guarda de todos os documentos. DO MELHOR...
O email da entidade continua em A definição do conceito de taurini-
lei de apoio aos mordomos. funcionamento, tal como o projeto dade, “para diferenciar e dignificar
de recolha fotográfica de altares do a tourada à corda”, terá sido uma
Espírito Santo, que está ativo no das principais iniciativas conclu-
facebook sob a responsabilidade de sões pela associação.
A Associação de Mordomos das dariedade social. Fabiana Ourique, que é autora da O conceito por desenvolvido por
Festas Tradicionais da Ilha Tercei- Quanto aos documentos produzi- iniciativa. Arnaldo Ourique no âmbito de uma
ra encerrou a sua atividade por falta dos, serão guardados, transitando Fundada em 2012, ao longo dos investigação que acabou por ser pu-
de interesse no preenchimento dos para quem no futuro possa querer sete anos em que funcionou a asso- blicada em livro.
órgãos sociais. retomar a atividade, situação pos- ciação passou por três eleições dos No seguimento desse trabalho, as
Segundo Arnaldo Ourique, um dos sível porque a associação não será seus órgãos sociais e por três ajus- trinta freguesias da Terceira eleva-
fundadores da instituição e seu extinta, o que significa que perma- tamentos orgânicos. ram o conceito de taurinidade a pa-
principal dinamizador, os bens da necerá como entidade jurídica, po- Acabou por encerrar porque não há trimónio das localidades. A primei-
associação (“património utilizá- dendo, assim, ser reativada a qual- quem queira ir a votos e assumir a ra classificação ocorreu na Agualva
vel”), incluindo “algum dinheiro”, quer momento. liderança do projeto. “Estava quase (2013) e a última no Cabo da Praia
serão doados a instituições de soli- O eventual interesse histórico dos tudo em cima de mim”, desabafou (2015).
DIÁRIO INSULAR 04.dez.2019 RegIãO |13|

Cada freguesia tem um regulamen- e Vila Nova e promoveu a conferên-


to de funcionamento e um regula- cia “os Valores Económicos e So-
mento museológico ciais da Tourada à Corda”.
Outro trabalho concretizado tem a Foram ainda publicadas dezenas de
ver com a preparação dos documen- artigos e ensaios versando o concei-
tos necessários à classificação da to de tradição e as próprias tradi-
taurinidade como património ima- ções.
terial da humanidade.
A investigação resultou no livro “A ...AO PIOR
Terra e o Gado, a Corda e as Gen- Um dos principais falhanços da
tes”. Porém, a proposta de classi- associação está relacionado com a
ficação não avançou. Segundo Ar- tentativa de fazer aprovar no parla-
naldo Ourique, que assina o livro, mento uma lei de apoio aos mordo-
funcionário da ONU terão referido mos.
não ser o momento oportuno, face à Embora a associação tenha avança-
reação internacional contra as tou- do com uma proposta - depois de
radas. desenvolver iniciativa com idênti-
A associação envolveu-se também cos fins junto do Governo Regional
em iniciativas de apoio aos mordo- -, a iniciativa não mereceu apoio
mos das festividades, desde logo parlamentar.
distribuindo informações, em espe- O levantamento do património
cial sobre taxas, licenças e direitos móvel e imóvel da taurinidade nas
de autor. trinta freguesias da Terceira tam-
Uma atividade importante para bém ficou por concluir, tal como
manter a legalidade das festivida- a tentativa de promover formação
des foi o empréstimo do livro de acreditada sobre cultura popular.
recibos da associação. “Receio que Conselho de Mordomos para a Di-
o fim desta atividade de apoio possa áspora; Conselho Cultural das Fre-
causar problemas sérios aos mordo- guesias; levantamento arquitetónico
mos...”, disse Arnaldo Ourique. e cultural dos impérios da Terceira;
A associação envolveu-se também isenção de taxas para o transporte
em palestras de sensibilização em de gado para o Espírito Santo - são ESPÍRITO SANTO Os mordomos não se entendem na defesa de uma ordem comum
São Carlos, São Pedro, São Mateus outras iniciativas goradas. para a atividade...

PublicidAde

A Quinta do Martelo oferece


O Jantar de natal da vOssa empresa, dO vOssO
uma ementa, que pode
grupO de amigOs, é um cOnvíviO muitO especial repetir as vezes que lhe
Para reservas nas datas ainda disponíveis e outras informações contacte-nos: apetecer e um ambiente
962812796 ou quintadomartelo@quintadomartelo.com único, a preços imbatíveis.
|14| DeSpORtO 04.dez.2019 DIÁRIO INSULAR

zONA AÇOReS de VOLeIBOL FeMININO

ADRE Praiense
continua imparável

ADREP com motivos para festejar na Zona Açores feminina

Equipa da Praia da Vitória confirma favoritismo na Avançou no passado fim de semana do Bastardo 20 pontos, 3.º Santa
o Campeonato Nacional da Segun- Cruz SC 19 pontos, 4.º CDE Topo
deslocação à vizinha ilha Graciosa (duplo 3-0). Fonte da Divisão Feminina de Voleibol 12 pontos, 5.º FC Calheta 9 pontos,
do Bastardo salta para o segundo lugar. – Zona Açores. Aqui ficam, a pro- 6.º Castelo Branco SC 0 pontos.
pósito, os resultados apurados:
9.ª Jornada: Santa Cruz SC 0 – MASCULINOS
ADRE Praiense 3 (08-25, 15-25, 21- Entretanto, prossegue no fim de
25), CDE Topo 3 – Castelo Branco semana vindouro o Campeonato
TAÇA de PORTUGAL
SC 1 (25-11, 25-13, 23-25, 25-21) e Nacional da Segunda Divisão Mas-

Fonte recebe AJ Fonte do Bastardo 3 – FC Calhe- culina de Voleibol – Zona Açores.


ta 1 (25-18, 19-25, 25-22, 25-17). Jogos em cartaz:

Clube Kairós 10.ª Jornada: Santa Cruz SC 0 – 9.ª Jornada: sábado, 20:00, CDE
ADRE Praiense 3 (21-25, 16-25, 21- Topo – CD “Os Marienses” (pavi-
25), CDE Topo 3 – Castelo Branco lhão da Escola Básica e Integrada
Associação de Jovens da Fonte do perspetiva, capaz de oferecer um SC 0 (25-21, 25-21, 25-11) e AJ do Topo), ADRE Praiense – Asso-
Bastardo e Clube Kairós defron- espetáculo agradável. A entrada, Fonte do Bastardo 3 – FC Calheta ciação dos Antigos Alunos (pavi-
tam-se hoje, quarta-feira, a partir como sempre acontece, é livre. 0 (25-23, 25-22, 25-13). lhão da Escola Básica e Integrada
das 14:30, no pavilhão do comple- No que diz respeito ao Campeona- A ADRE Praiense continua simples- da Praia da Vitória) e Angústias AC
xo desportivo Vitorino Nemésio, to Nacional da Primeira Divisão de mente imparável, vencendo com – CDE Flores (pavilhão da Escola
na Praia da Vitória, em duelo que Voleibol Masculino, a 12.ª jornada tranquilidade na ilha branca, no Secundária Manuel de Arriaga, na
serve de apuramento do represen- da fase regular, indicada para sába- esgrimir com o agora terceiro colo- Horta).
tante açoriano aos oitavos-de-final do, dia sete de dezembro, e na qual cado, Santa Cruz SC. Quem apro- 10.ª Jornada: domingo, CDE Topo
da Taça de Portugal de Voleibol folga a Fonte do Bastardo, alberga veitou o duplo desaire das gracio- – CD “Os Marienses” (10:00, pavi-
Masculino. os embates Famalicense – SL Ben- senses foi a AJ Fonte do Bastardo lhão da Escola Básica e Integrada
Embora a equipa terceirense seja fica, Nacional de Ginástica – Esmo- que, ao ultrapassar, igualmente em do Topo), ADRE Praiense – Asso-
apontada como favorita, a boa riz, Castêlo da Maia – Sporting das dose dupla, o FC Calheta, ascendeu ciação dos Antigos Alunos (10:00,
época dos micaelenses pode indi- Caldas, Sporting de Espinho – Aca- ao segundo posto da tabela. pavilhão da Escola Básica e Integra-
ciar algumas dificuldades para os démica de São Mamede, Volei de O quadro da classificação geral da da Praia da Vitória) e Angústias
subordinados de João Coelho. Um Viana – Clube Kairós e Leixões está assim estabelecido (todas as AC – CDE Flores (11:00, pavilhão
jogo sobremaneira interessante em – Vitória de Guimarães. equipas com 10 jogos): 1.º ADRE da Escola Secundária Manuel de Ar-
Praiense 30 pontos, 2.º AJ Fonte riaga, na Horta).
DIÁRIO INSULAR 04.dez.2019 DeSpORtO |15|

SeGUNdO MIGUeL BORBA, PReSIdeNTe dA COMISSÃO AdMINISTRATIVA dO ANGReNSe

É importante desmitificar
os apoios à formação
fotografia paulo gil

JANTAR DE ANIVERSÁRIO contou com a presença de diversos convidados

Miguel Borba lembra que “os apoios adstritos à for- quando, na verdade, para darmos Centro de Formação de Futebol
aos nossos jovens condições para também não foi esquecido.
mação são manifestamente inferiores aos custos uma evolução desportiva e cívica, Num evento que encheu o pavilhão
suportados pelo clube”. Angrense preparado para os apoios adstritos à formação são da Santa Casa da Misericórdia de
manifestamente inferiores aos cus- Angra do Heroísmo, em São Carlos,
“os novos desafios”. tos suportados pelo clube”, acres- foram homenageadas diversas figu-
centa. ras do universo encarnado.
No entanto, o dirigente considera
O presidente da Comissão Admi- va termina funções em março). que, “além da componente pública, “RUMO AO JAMOR”
nistrativa que lidera o Sport Club “Este será, mais uma vez, um verda- o apoio dos pais (à semelhança do Durante a tarde de sábado, a sede
Angrense, Miguel Borba, considera deiro teste à vitalidade deste grande que acontece na maioria dos restan- do Angrense serviu de palco ao
que a coletividade está preparada clube. Enquanto o clube for capaz tes desportos) será fulcral para que lançamento do livro “Rumo ao Ja-
para responder afirmativamente de gerar, no seu seio, alternativas o Angrense possa continuar a pres- mor”, da autoria do jornalista Fi-
aos desafios que se avizinham, em- de gestão, que prezem os valores tar um serviço de excelência nas lipe D’Avillez, obra que nos leva a
bora entenda que é preciso “des- do passado e não comprometam o áreas desportiva e social”. conhecer os adeptos do chamado
mitificar” a questão dos apoios à futuro, estará para sempre garan- desporto-rei.
formação. tida a sua existência e perpetuada SEMPRE A CRESCER Ao longo da época 2018/19, o autor
Discursando no âmbito do Jantar a memória dos seus fundadores”, Pese as “dificuldades e constrangi- acompanhou cerca de uma dezena
Comemorativo do 90.º aniversário acrescenta. mentos financeiros” com que o clu- de clubes, dos Açores ao norte de
da instituição, realizado sábado, o “A nível externo, alicerçado em be se debate, Miguel Borba constata Portugal continental, dos mais pe-
líder encarnado referiu que, “a ní- todo o processo de formação e nos que “o Angrense continua a crescer, quenos aos três grandes, para des-
vel interno, chegou a hora de dar lu- êxitos desportivos, o desafio passa quer na componente desportiva, cobrir como é que os apaniguados
gar a novas ideias e novos projetos, pela consciencialização das enti- quer em notoriedade e responsabi- sentem a autêntica festa do futebol
pretendendo-se uma transição tran- dades públicas nos apoios atribu- lidade social perante a sociedade”. que é a Taça de Portugal. Graciosa
quila em termos diretivos”, confir- ídos à formação. Há que desmiti- O facto de o Angrense ser o primei- FC, Angrense e Vale Formoso são,
mando, assim, que está de saída do ficar que o futebol sénior absorve ro clube local creditado pela Fede- na circunstância, os emblemas das
Angrense (a comissão administrati- parte dos subsídios da formação ração Portuguesa de Futebol como ilhas de bruma referenciados.
|16| DeSpORtO 04.dez.2019 DIÁRIO INSULAR

SUBLINHA dIReTORA ReGIONAL dO TURISMO

Eventos desportivos dinamizam fluxos turísticos


A diretora regional do Turismo sa- mião, promovem “intercâmbios en-
lientou a importância dos eventos tre as gentes das nossas ilhas”, ao
desportivos na dinamização de flu- mesmo tempo que “estimulam um
xos turísticos ao longo de todo o ano, dinamismo local, muito interessante
destacando o Campeonato dos Aço- do ponto de vista económico e para
res de Ralis e o Troféu dos Açores de a atividade turística local, que resul-
Ralis. ta das estadias, alimentação e outras
“Os desportos motorizados, em ge- atividades de caráter turístico asso-
ral, e os ralis, em particular, impul- ciadas à deslocação dos participantes
sionam no nosso arquipélago uma e adeptos”.
dinâmica muito interessante que se “O Governo Regional tem-se associa-
estende ao longo do ano, gerando flu- do como parceiro a este tipo even-
xos que, apesar de maioritariamente tos de animação, reforçando a sua
internos, acabam por ser muito im- convicção de que, sendo o turismo
portantes para as economias locais, uma atividade transversal, todos os
ainda mais porque ocorrem maiorita- contributos são válidos para a sua
riamente fora dos picos da época alta sustentabilidade e para que este seja
do turismo”, frisou Marlene Damião. efetivamente um setor estratégico
A Diretora Regional falava sexta-feira, para o desenvolvimento da região”,
em Ponta Delgada, na cerimónia de acrescentou.
entrega de prémios que distinguem Na ocasião, Marlene Damião subli-
“os que mais se destacaram duran- nhou “o trabalho conjunto da Fede-
te o corrente ano na disputa destas ração e de todos os clubes regionais
provas realizadas sob a chancela da envolvidos na organização destes
Federação Portuguesa de Automobi- eventos, que tem permitido elevar, de
lismo e Karting”. ano para ano, a fasquia competitiva do
GALA DO DESPORTO AUTOMÓVEL teve lugar sexta-feira, em Ponta Delgada Estes eventos, segundo Marlene Da- calendário de ralis dos Açores”.

CAMPeONATO NACIONAL de KARATÉ

Açorianos
no Algarve
Atletas dos Açores compe- Clube de Karaté Shotokan da Rel-
va, Clube de Karaté-do Shotokan da
tem nos escalões de ca- Praia da Vitória e Clube de Karaté-do
detes, juniores e sub21. Shotokan de Angra do Heroísmo.
Estão em ação 31 competidores re-
gionais:
A Associação de Karaté dos Açores Luana Fanfa - AKVFC; Sérgio San-
(AKA) vai estar devidamente repre- tos, Bernardo Moreira, Samuel Silva
sentada no Campeonato Nacional de - ARPC; Pedro Moreira, Daniel Ávi-
Cadetes, Juniores e Sub21, que decor- la - CDET; Inês Quadros, Miguel
re no próximo sábado, em Portimão. Correia - CKSH; Francisco Oliveira,
A prova da responsabilidade da Fede- Maria Sousa - CKL; Nuno Mendon-
ração Nacional de Karaté - Portugal ça - CKSP; Isabel Medeiros, Matilde
acolhe a nata dos competidores na- Medeiros, Raquel Carreiro, Simone
cionais pelo que se espera uma jorna- Moniz, Inês Couto - CKSRP; André
da dura e bem disputada. Cabral, Bernardo Pereira, Gonçalo
A comitiva da AKA comporta dez clu- Mestre - CKSR; Hugo Leal, Lara Silva
bes, em representação das ilhas de São - CKSPV; Afonso Costa, Beatriz Ávi-
Miguel, Terceira, Faial e São Jorge: la, Felícia Parreira, Gonçalo Martins,
Academia de Karaté de Vila Franca Gonçalo Moniz, Luís Castro, Maria
do Campo, Associação Recreativa e Oliveira, Pedro Xavier, Taísa Vilas,
Preparatória da Calheta, Clube Des- Tiago Reis – CKSAH.
portivo Escolar o Topo, Clube de A comitiva integra ainda oito trei-
Karaté-do Shotokan da Horta, Centro nadores: Dinis Moreira, Salvador
de Karaté de Lagoa, Clube de Kara- Correia, Lídia Mendonça, António
té Shotokan da Povoação, Clube de Moniz, Nelson Rego, Marco Afonso,
Karaté Shotokan de Rabo de Peixe, Daniela Reis e João Castro. PROVA é aguardada com elevada expetativa
DIÁRIO INSULAR 04.dez.2019 DeSpORtO |17|

ANGRA BLOC FeST 2019

Êxito total confirma


evolução sustentada

PROVA foi ótima jornada de promoção da modalidade

A competição reuniu 16 treinadores e 94 atletas de a todos os que colaboraram para Minis: Miriam Brasil – 5.º lugar,
a concretização desta competição, João Braga – 4.º lugar. Infantis
14 clubes, oriundos de Braga, Porto, Póvoa do La- bem como todos os apoios e patro- “A”: Inês Parreira – 3.º lugar, Rita
nhoso, Maia, Figueira da Foz, Fermentelos, Soure, cínios que ajudaram a fazer desta Bettencourt – 4.º lugar, Henrique
prova um inequívoco sucesso”. Lourenço – 4.º lugar. Infantis “B”:
Torres Vedras, Alverca e Angra. Tiago Sequeira – 5.º lugar.
CLASSIFICAÇÃO Iniciados: Sara Bettencourt – 3.º
Aqui fica para a posteridade, em lugar, Madalena Lopes – 4.º lugar,
O Clube Desportivo Montanheiros CRESCIMENTO jeito de conclusão, a classificação Miguel Silva – 6.º lugar, João Mi-
realizou, em Angra do Heroísmo, a A grande maioria dos clubes par- dos atletas federados que defende- randa – 9.º lugar. Juniores: Rafaela
segunda edição do designado “An- ticipantes no Circuito de Escalada ram as cores do Clube Desportivo Melo – 2.º lugar. Seniores: Duarte
gra Bloc Fest”, evento inserido no da FPME compareceu em força, Montanheiros: Leonardo – 17.º lugar.
Circuito de Escalada de Bloco da confirmando, deste modo, quer o
Federação Portuguesa de Monta- enorme envolvimento de atletas e
nhismo e Escalada (FPME), para os clubes, quer o trabalho que o Clu-
escalões jovens e seniores. be Desportivo Montanheiros e a
A magna competição conseguiu reu- federação têm efetuado em conjun-
nir, nos dois dias de prova, 16 trei- to, em prol do almejado desenvol-
nadores e 94 atletas de 14 clubes, vimento da modalidade no arqui-
oriundos de Braga, Porto, Póvoa pélago.
do Lanhoso, Maia, Figueira da Foz, Segundo uma nota informativa que
Fermentelos, Soure, Torres Vedras, a entidade organizadora do certame
Alverca e Angra do Heroísmo. fez chegar a DI, “estão também de
Sem qualquer dúvida, um autêntico parabéns os atletas do clube pelas
sucesso, tendo em conta que esta excelentes prestações e pelo esfor-
prova bienal, de índole verdadeira- ço empreendido nesta que foi a úl-
mente nacional, se efetuou na Re- tima prova do ano desportivo para
gião Autónoma dos Açores, o que os mais jovens”.
implicou um número elevado de O Clube Desportivo Montanheiros
deslocações. aproveita a ocasião para “agradecer ESCALADA em fase de crescimento na Terceira
|18| OpINIãO 04.DEZ.2019�� DIÁRIO INSULAR

QUESTÃO DE BANDEIRAS

ANTONIETA COSTA A camuflar os bloqueamentos à Terceira

S
urgiu quando o Clube
de Bowling dos Açores
requereu junto do Go-
verno- DRD, apoio à
deslocação de atletas ao evento
de nível mundial QubicaAMF
World Champioship, que no
passado costumava ser subsi-
diado. Como já referi anterior-
mente, na reunião havida com
aquele órgão governamental foi
explicado ao Clube requeren-
te que estaria em transgressão
nessa participação (como repre-
sentante da Região dos Açores)
devido a dúvidas quanto ao seu
estatuto de federado.
Tratando-se de um processo
longo em decurso a nível nacio-
nal, o que foi resolvido com a
Federação Internacional de Bo-
wling foi que o país iria usufruir
de uma licença temporária para
participação no evento (extensí-
vel à Região Açores), pelo que o
assunto aguardaria outro desen-
volvimento. Porém, o GR/DRD
não aceitou e declarou ilegal a
apresentação da bandeira da Re-
gião no evento.
Irónicamente, nesta fotografia
do momento de distribuição de
troféus, em presença de toda a
Direção do evento, aparece (cen-
trada!) a bandeira dos Açores! mana, sobre um evento em que a de destaque… parecimento nessas funções -
Para além do absurdo da situa- Região se classificou a si mesma Em relação ao desporto e à sua deixa apatetado qualquer um.
ção, que só dá mesmo para rir… como Transgressora” (não obs- prática, há ainda a gradual de- A indiferença por parte da po-
há o desaproveitamento de uma tante a autorização temporária sativação das suas instalações. pulação a mais este “dawn gra-
condição como esta, em que re- concedida), não dá para acredi- Pensar que o Pavilhão em que ding”, deixando escapar-lhe das
portagem contínua esteve a ser tar! se encontra resultou de um in- mãos num futuro já visível, o
transmitida em direto pelo You- Mas resta observar que se con- vestimento (agora em desagrado proveito do privilégio que lhe
Tube e outros canais, além da firma a política conhecida de na visão política) que não foi re- concederam, desgosta muito
Televisão Oficial da Indonésia, abortar oportunidades. A Ter- conhecido pela população e que quem se mantém atento e pugna
todos os dias, durante uma se- ceira não tem direito a este tipo por tal, está destinado ao desa- pelo progresso da Terceira.
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 OpINIãO |19|

A charlatanice como identidade açoriana


ArnAlDo ouriquE para o Presidente do Governo 1/2

A
contecimento: na sexta- charlatães, afirma que eles são juízo a quem os elegeu. Na ver- seram ir votar, a declaração tam-
feira do dia 28 de no- vendedores de banha de cobra. dade, os deputados representam bém é uma parte significativa de-
vembro de 2019, após Ora, como é consabido, quem interesses diretos dos cidadãos, les, pois não se dignaram votar
três dias de debates de pratica essa “profissão” é um al- porque os auscultam na dinâmi- no governo que, nas palavras do
aprovação do Plano e Orçamento dabrão porque tenta vender um ca política da sociedade. Se os mesmo Presidente, governa os
para 2020, no seu discurso final produto com um efeito que não deputados da oposição têm, para Açores com muito êxito e contas
Vasco Cordeiro, Presidente do tem. Ou seja, o Sr. Presidente ao o Sr. Presidente, atitudes e ideias certas – apesar dos resultados
Governo Regional dos Açores, declarar, pausadamente, que os charlatães e por isso quem as apontarem em sentido oposto.
num discurso lido e pausado, re- deputados da oposição são ven- pratica é charlatão, logo, sendo Pode acontecer, temos de admi-
ferindo e dirigindo-se aos depu- dedores de banha de cobra passa atitudes e ideias oriundas da so- tir, que o Sr. Presidente queria
tados da oposição por causa das a outro patamar declarativo: en- ciedade, e sobretudo daquela que dizer, apenas isto: que os 24
ideias e propostas deles, afirmou quanto na 1ª parte da declaração os elegeu, estão abrangidos pela deputados e as açorianas e aço-
que «não passam de charlatães, ele julga a atitude charlatã e as declaração. Os deputados não rianos que não votaram nele têm
de vendedores de banha de co- atitudes charlatães, na 2ª parte já estão a propor mais pobreza ou atitudes charlatães, por conse-
bra». é mais incisivo: são efetivamente mais desenvolvimento para eles guinte, são charlatonas e charla-
Esta declaração merece uma aná- charlatões porque são vendedo- próprios; eles estão exatamente tões. Mas como o Sr. Presidente
lise cuidosa que nos remete para res de banha de cobra. a dar voz àqueles que os elege- chama si, com frequência, que é
a identidade açoriana. É o que Apesar de constituir uma decla- ram para terem essas atitudes e presidente de todas as açorianas
veremos. ração imprópria para um presi- essas ideias. Pela incisão da de- e açorianos, temos de admitir
O significado da declaração pre- dente do governo das ilhas, te- claração, pausada e em nome de a hipótese de incluir os filhos
sidencial: A declaração, porque mos de aplaudir a inteligência todas as açorianas e açorianos, destes 105.000 insulares o que
escrita a tempo e a jeito, dita em literária. Numa simples frase temos de concluir que, literária abrange cerca de 250.000 indi-
leitura, merece análise cuidada constrói um poema literário de e politicamente, o Sr. Presidente víduos: a cantilena de açorianas
– ou não fosse o Sr. Presidente mau gosto, é certo, mas de quali- não se ateve de atingir aquelas e açorianos porventura estará no
de «todas as açorianas e açoria- dade linguística. suas açorianas e aqueles seus seu pensamento musical chamar
nos» como ele próprio gosta de Essa declaração, vinda do Pre- açorianos que votaram nos depu- as 105.000 açorianas e açoria-
sublinhar. À partida para o Sr. sidente do Governo dos Açores tados da oposição. nos de charlatonas e charlatões
Presidente não está em causa – e esse cargo significa que não Mas há aqui um dilema: é que se incluindo as filhas e os filhos;
chamar os deputados da oposi- é nem deputado nem é parla- temos a certeza que para o Sr. só não o são as açorianas e os
ção charlatões; a pertinência da mentar, e que está aliás sob a Presidente esses 24 deputados açorianos que os 30 deputados
declaração é dizer-lhes que a sua responsabilidade política do são charlatões, ficamos sem sa- do PS representam; aliás estes
atitude de deputados da oposi- parlamento e dos deputados, o ber o que dizer sobre os restan- confirmam a declaração presi-
ção é a de charlatães, isto é, a que exigiria um comportamento tes eleitores: é que se os depu- dencial: quando o Sr. Presidente
atitude é charlatã, logo, a soma e uma linguagem de excelência tados da oposição representam disse em alto tom e pausadamen-
desses deputados dá o resultado – tem uma outra dimensão polí- aqueles 36.000, e os outros 33 te que os que o criticavam e des-
em charlatães. No entanto, quem tica. Os deputados da oposição deputados representam cerca de cordavam dele e dos seus proje-
tem uma atitude charlatã para representam «açorianas e açoria- 49.000, ainda restam todos os tos «não passam de charlatães, de
todos os efeitos, naquele mo- nos» para usar o discurso polí- outros açorianos votantes, cerca vendedores de banha de cobra»,
mento, é charlatão porque quem tico. E a oposição visada foram de 10.000, mais a maioria dos aqueles únicos deputados que
tem atitude charlatã é charlatão. os deputados do PSD, PCP, BE, restantes eleitores não votantes, não são charlatães, os do PS, ba-
Ou seja o Sr. Presidente disse PPM e a deputada independen- cerca de 95.000. A pergunta é: teram palmas fervorosas e efusi-
taxativamente que os deputa- te, um total de 24 deputados, quem representa estes 105.000 vamente em uníssono.
dos da oposição são charlatães os quais representam cerca de eleitores?: são os 33 deputados Assim vai a política na Região: o
pelas atitudes charlatãs que ti- 36.000 açorianos que neles vota- vencedores?, ou os 24 que o Sr. governo não dá solução aos pro-
veram no debate parlamentar e ram. Ora esses deputados não se Presidente designa de charla- blemas dos cidadãos açorianos,
são charlatões porque tiverem representam a si próprios; antes tões? Pense a açoriana e o aço- mas isso não o impede de fazer
essas atitudes; e também porque pelo contrário, representam as riano nisso um pouco enquanto declarações impróprios de quem
charlatães tem o mesmo signifi- açorianas e os açorianos que os avançamos. os representa; é um sinal de fra-
cado que charlatões. Mas o Sr. elegeram. É inevitável concluir Ou seja, é provável estarmos queza. E é precisamente isso que
Presidente confirma ainda essa que o Sr. Presidente ao chamar perante uma estrondosa decla- nos remete para a unidade regio-
ideia porque, além de os chamar de charlatões esses deputados ração do Sr. Presidente: como nal, com que finalizamos no pró-
de charlatões por terem atitudes por inerência está a remeter tal os 105.000 indivíduos não qui- ximo texto.
|20| OpINIãO 04.DEZ.2019�� DIÁRIO INSULAR

FolhEtim

JorgE morEira lEonarDo Os Filhos

A
pós o jantar e como, “Sousa Mendes”... pensou. Como se diga que muito contribuíram cretária, isolado e modesto, um
aliás, já vinha aconte- soavam, hoje, de forma bem dife- as recomendações do professor exemplar do jornal “A União”,
cendo de alguns anos rente, aqueles simples apelidos, do Ensino Primário e do Padre cuja assinatura mantinha como
a esta parte, desde que tão vulgares, aliás, na terra que Marques, ambos conhecedores da único elo que o ligava à sua ter-
os seus compromissos, principal- o viu nascer: a freguesia das Fon- invulgar inteligência do pequeno, ra, a qual não visitava há um ror
mente políticos - os profissionais tinhas na Ilha Terceira. Demons- que receavam ver desperdiçada de anos. Retirou-lhe a cinta que
já nem tanto - não o obrigassem tração evidente que a harmonia de em qualquer rude tarefa rural. Se o envolvia e na qual se encontra-
a sair, dirigiu-se à biblioteca, um nome não depende tanto da tal não tivesse acontecido, ele, fi- va o seu endereço e, quando tudo
sentando-se à secretária. Abriu sua fonética, como do prestígio da lho dum modesto lavrador, teria fazia prever um breve olhar ao
a gaveta do meio de onde retirou pessoa que o transporta. Ainda se seguido o destino de seu irmão, vetusto vespertino angrense, uma
o cachimbo que encheu introdu- recordava quando, nos primeiros mais velho três anos apenas, que, notícia com honras de primeira
zindo na pequena bolsa de tabaco dias após o seu ingresso no Liceu ainda mal tinha acabado a escola, página, despertou-lhe particular
e, utilizando o indicador direito, de Angra, o Hugo de Aguiar e La- fora trabalhar com o pai. Embora interesse e o rosário das suas
calcou-o. De seguida, aguçando cerda (mais velho dois anos que o se deva dizer que o irmão não ti- recordações havia de lhe ocupar
a chama do isqueiro, acendeu-o. comum dos alunos da turma, pois nha a mesma vocação para o estu- o pensamento, de forma tão ab-
Apreciou, deliciado, as primeiras repetira o exame de admissão e do. sorvente que, se qualquer notícia
fumaças e demorou-se alguns mo- iniciava a repetição do primeiro Foram, assim, de alguma amar- houve noutros jornais, digna de
mentos assistindo às estranhas ano), fidalgote, irónico e pedante, gura os seus primeiros tempos merecer a sua atenção, foi pura e
formas que o fumo, caprichosa- lhe ter dito: - Até pelo nome se vê do Liceu, pois teve de suportar simplesmente ignorada.
mente, desenhava. que és do monte! E, em boa verda- a rejeição dos colegas. Só que a
Na sua frente, a pilha de jornais de, ele que tinha Francisco como sua cintilante inteligência, asso- Rezava assim:
que o proprietário do pequeno nome próprio, apertado no seu ciada a uma forte personalidade Dr. José de Mendonça Nunes
quiosque, instalado próximo da modesto fato de sarja cinzenta, fê-lo atingir o sucesso, não cons- Ávila
sua residência, havia entregue de calças compridas (os meninos tituindo qualquer óbice a modés- No Congresso sobre Cardiologia
durante a tarde. da cidade usavam calção e alguns tia do seu nome e apelidos. Hugo, realizado no decurso da semana
Desdobrou-os um a um e, de iní- - poucos - à inglesa) mais parecia o fidalgote, cuja mediocridade passada no auditório da Escola
cio, limitou-se a uma breve pas- um futuro trabalhador rural em apenas lhe permitiu arrastar-se de Enfermagem desta cidade, no
sagem de olhos pelas primeiras Domingo de Bodo do que um aluno até ao quinto ano (que teve de re- qual participaram grandes no-
páginas. Sem qualquer excepção, do Liceu. Não conseguia também petir) havia de gastar a sua vida, mes da especialidade, quer na-
citavam a sua intervenção da vés- evitar, uma vez por outra, alguma frustrado, agarrado a uma secre- cionais quer estrangeiros, este
pera na Assembleia da República. fala à moda do monte, o que di- tária da, então, Junta Geral, onde, nosso conterrâneo foi efusiva-
Mais entusiastas, por razões ób- vertia os colegas à brava. E, como mesmo assim, entrara mais pela mente aplaudido pelos compar-
vias, os jornais simpatizantes dos se tudo isso não bastasse, havia o ressonância do nome (único pro- ticipantes mercê do excelente
partidos da Coligação governa- isolamento a que ficavam sujeitos veito que daí retirou) e “cunhas” trabalho apresentado.
mental; mais frios, mas igualmen- os moços vindos dos meios rurais, de amigos da família do que pelos “A União” apresenta-lhe since-
te rendidos, os jornais afectos aos devido à baixa afluência. Os seus próprios méritos. ras felicitações, extensivas a seu
diferentes partidos da oposição. estudos, aliás, só foram possíveis Mas estava escrito que, nessa pai, José Nunes Ávila, notável
Num deles lia-se mesmo em gran- pela generosidade de sua madri- noite, não se quedariam por aí comerciante da Praia da Vitória
des parangonas: a intervenção de nha, viúva sem filhos, mas bastan- as suas recordações desses tem- e a sua mãe, D. Joana Cunha de
Sousa Mendes, líder da bancada te rica e que nutria pelo seu Fran- pos já bem distantes. Ao retomar Mendonça Ávila.
do Partido Liberal, deixou sem cisquinho o amor que dedicaria a consulta dos jornais, já, então, “Seu pai”... pensou de novo, des-
argumentos todos os líderes da a um filho, se a natureza lho não com intenção mais pormenori- ta feita, sem poder evitar um sor-
oposição. tivesse negado. Manda a verdade zada e selectiva, viu sobre a se- riso de ironia. (continua)
DIÁRIO INSULAR 04.DEZ.2019 pUbLIcIDADe |21|

ANGRA NATUR PRAIA NATUR


Rua do Galo nº 25 - 29 R. Conselheiro F. J. Barcelos, nº 26 e 38

MANUEL FERREIRA VIEIRA MIssA do 1º ANIVERsÁRIo


7 de Dezembro de 2019
Naturopatia
Consultas dias 8 e 9 de dezembro josé henrique roCha lourenço
“Prática clínica Naturopática, de acordo com as Ocorrendo o primei-
normas europeias definidas pela Organização Mundial ro aniversário da sua
de Saúde, A ACSS em Portugal e inscrito na Direção morte, no dia 7 de De-
Regional de Saúde, nos Açores.” zembro, a família manda
- Os Naturopatas tratam a pessoa como um todo na prevenção, nos celebrar, nesse dia, uma
cuidados de saúde e tratamentos através das plantas; missa de sufrágio, na
- Permitem uma abordagem holística e multidisciplinar aos processos IGREJA PAROQUIAL
intrínsecos do ser humano ou animal, considerando uma série de DE SANTA LUZIA, pe-
fatores antes de diagnosticar a doença; las 19H00.
- O Naturopata, para além duma avaliação clássica do paciente, observa Desde já, agradece a todas as pessoas
também o seu estado emocional, analisando o seu regime alimentar, o que queiram participar neste acto litúrgi-
seu meio ambiente e estilo de vida, antes de efetuar um diagnóstico;
co.
- A Naturopatia inclui os métodos de cura natural e estilos de vida
saudáveis, as técnicas de hidroterapia, climoterapia, medicina
Aproveita a ocasião para, reconhecida,
ortomolecular, vegetarianismo, filosofia do vitalismo e terapias de agradecer aos Amigos que, ao longo deste
manipulação. Praia e AngraNatur – Saúde e Bem-estar! ano, tiveram o carinho de a acompanhar na
- Aplica as técnicas naturopáticas que promovam a recuperação da 924 128 414 – 910 474 376 sua grande dor.
homeostasia, estabilidade e equilíbrio do conjunto dos tecidos músculo- Bem-hajam!
esqueléticos, nervosos, viscerais, vasculares e outros… 295 512319 - 295 218844 1854

reColhimento de sÃo Gonçalo


RECTIFICAção
assembleia Geral ordinÁria
A ADFMA - Associação para o Desen- CoNVoCATÓRIA
volvimento e Formação do Mar dos
Açores, considerando o anúncio pu- Nos termos da alínea a) do n°. 2 do Artigo
blicado neste jornal, na edição do dia 27°. e do n°s. 1 e 2 do Artigo 28°. dos Estatu-
29.11.2019, cuja formatação de texto tos do Recolhimento de São Gonçalo, convo-
ADAPTA-SE A QUALQUER TELHA pode ter induzido em erro, no que aos co a Assembleia Geral dos Sócios desta Insti-
924 475 132 914 511 131 960 477 843 contactos desta associação diz respeito, tuição a reunir-se no dia 20 de Dezembro de
alerta que o nosso endereço de email é: 2019, pelas 13,00 horas, no seu edifício sede
A sua casa merece caleiras. Temos em sito à Rua da Rosa, Freguesia da Sé da Cidade
geral@emazores.pt.
alumínio lacado com várias cores, decora- e Concelho de Angra do Heroísmo, com a se-
tivas. Montagem para telha e para cima- guinte Ordem de Trabalhos:
Ponta Um: - Eleição dos Corpos Gerentes
lha. Fazem os orçamentos grátis. Veja a para o Quadriénio 2020 a 2023;
diferença. Contacto: Caleiras Terceirense Ponto Dois: - Tomada de posse dos Órgãos
| Raúl Martins | Rua do Cota - Fontinhas eleitos nesta Assembleia, nos termos da alí-
nea b) do artigo 25°. dos Estatutos;
Ponto Três: - Informações e/ou tratar de
outros assuntos de interesse para a Institui-
ção.
Não comparecendo, à hora acima indicada,
o número legal de sócios para a Assembleia
funcionar, a mesma reunirá trinta minutos
mais tarde com qualquer número de sócios
presentes, conforme o estipulado no n°. 1 do
Artigo 29°. dos Estatutos.

Angra do Heroísmo, 3 de Dezembro de 2019

O PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL,


Luís António Vieira de Brito de Azevedo
1857

www.diarioinsular.pt
|22| pUbLIcIDADe 04.DEZ.2019 DIÁRIO INSULAR

ESTAMOS ABERTOS TODOS OS DIAS NA HORA DO ALMOÇO

MEDICINA TRADICIONAL COMPLEMENTAR/TNC - OMS AssinAturAs


TERAPÊUTICAS NÃO CONVENCIONAIS/TNC - PORTUGAL

2020
Dr. Jorge Fonseca
Profissional de Saúde com mais de 40 anos de experiência
Perito/Conselheiro nomeado pela ACSS.
DIÁRIO INSULAR
Registado na ACSS, ERS, DGS e SRS dos Açores

Homeopatia | Naturopatia | Fitoterapia Renove a sua assinatura


“O seu CORPO é o produto metabólico final das suas experiências sensoriais
e da interpretação dessas experiências sociais”
ou assine “Diário Insular”
“A sua SAÚDE é a minha PREOCUPAÇÃO!
Damos voz à defesa da Terceira
- Distúrbios Psicossomáticos, Neurológicos e Psiquiátricos
- Distúrbios Respiratórios e dos Açores
- Distúrbios Alérgicos
- Distúrbios Dermatológicos
com
- Distúrbios em Cardiologia RIGOR - ISENÇÃO
- Distúrbios Gástricos
- Distúrbios Hepáticos e Biliares - INDEPENDÊNCIA - PLURALIDADE
- Distúrbios Intestinais:
- Distúrbios Urogenitais
- Distúrbios Metabolismo do Cálcio 1 mês 14e
- Distúrbios crónicos
1 ano 143e (-15% incluído)
- Distúrbios Degenerativos
6 meses 78e (-7,5% incluído)
Consultas de 8 a 15 de Dezembro
3 meses 41e (-3,5% incluído)

Loiraça, tipo namo- Bela e envolvente, Lau- Doce morena, sou mei- Primeira vez na ilha,
radinha, carinhosa, ra. Delicada, meiga e ga e carinhosa, pele de loira, carinhosa, mei-
meiga, peito 46 doce super gentil. Faz tudo avelã, adoro agradar, guinha, quarentona,
feito mel, oral nat.. nas calmas e sem tabús. sem pressa, proporcio- com corpinho de mo-
Completa, massagem Momentos marcantes, nar bons momentos, cinha, dou beijinhos
com final feliz. Com posições picantes. Mas- com massagem, espero faço tipo namoradi-
acessórios e muitos sagem relaxante. Sensu- por si. Praia da Vitó- nha.
beijinhos. al e próstático. Últimos ria.
Contactar: dias. Contactar: Contactar:
962 566 440 Contactar: 910 926 017 967 934 377
1856 964 102 105 1855 1852 1856
diário insular 04.DeZ.2019 agenda |23|

teleVisÃo meteorologia
RTP-A 09:20 Scream Street 09:30 Desalinhado 09:31 TVI
grupo oCidenTal
05:50 Solteira e Boa Rapariga 06:30 O Sábio Degrassi: A Turma Seguinte 10:00 A Pide Antes 05:00 1ª hora 06:00 Diário da Manhã 09:14
07:15 Cidade Despida (R/) 07:50 Criar.pt (R/) da Pide 11:00 O Regresso de Lucas 12:00 CJ Você na TV! 12:00 Jornal da Uma 13:47 Bel-
08:00 Açores Hoje 2019 (R/) 09:30 RTP3 / RTP a DJ 12:30 Danger Mouse 12:52 Folha de Sala monte 14:30 Doce Tentação 15:00 A Tarde
Açores Direto 13:00 Jornal da Tarde - Açores 13:00 Sociedade Civil 14:00 A Fé dos Homens é Sua 18:00 Ver P’ra Crer 18:57 Jornal das CORVO

Direto 13:25 RTP3 / RTP Açores Direto 16:00 14:30 Nada Será Como Dante 15:00 O Outro 8 20:50 Na Corda Bamba 21:00 Prisioneira
Noticias do Atlântico- Açores Direto 16:30 Lado do Paraíso 16:00 Espaço Zig Zag 16:01 Ella 22:45 Mundo ao contrário 23:15 Louco FLORES

Entre Imagens 16:55 Criar.pt 17:00 Açores Hoje The Elephant 16:10 Twirlywoos 16:25 Grande Amor 00:00 1000 à hora 01:15 Mar de
2019 Direto 18:30 Filhos da Nação 19:15 Velhos e Pequeno 16:50 Kiwi 17:00 Banda Zig Zag Paixão 01:45 Remédio Santo 02:45 Saber 3 METROS 05/10 KM/H

Amigos 20:00 Telejornal Açores Direto 20:40 17:20 Bali 17:35 As Aventuras da Miffy 17:45 Amar 03:15 TV Shop Períodos de céu muito nublado com boas abertas. Ven-
1ª Fila (R/) 20:50 Prova das 9 21:50 Linha da O Mundo de Luna! 18:00 Banda Zig Zag 18:05 Fonte: http://www.tvi.iol.pt/ to fraco (05/10 km/h), tornando-se bonançoso (10/20
Frente 22:20 O Sábio 23:00 O Nosso Cônsul A Abelha Maia 18:25 Waflle, o Cão Maravilha km/h) de sul.
em Havana 23:47 Hora dos Portugueses (Di- 18:40 Peg e o Gato 18:50 As Perguntas da Mily SPoRT-TV 1 Mar encrespado, tornando-se de pequena vaga. Ondas
ário) 00:00 Noticias do Atlântico- Açores (R/) 19:10 Banda Zig Zag 19:15 Ao Resgate da Selva 00:00 Resumos da Jornada 15: Liga Holandesa noroeste de 3 metros, diminuindo para 2 metros.
00:30 Entre Imagens (R/) 00:55 Criar.pt (R/) 19:25 Scream Street 19:40 Danger Mouse 19:55 00:30 Resumos da Jornada 13: Superliga Turca
01:00 Açores Hoje 2019 (R/) 02:30 Filhos da Crias 20:00 Banda Zig Zag 20:05 Degrassi: A 01:00 Denver Nuggets x L.A. Lakers (Direto):
Nação (R/) 03:05 Velhos Amigos (R/) 04:00 Turma Seguinte 20:30 Jornal 2 21:02 Folha de NBA 03:30 Cucine Lube Civitanova x Al-
Telejornal Açores (R/) 04:40 1ª Fila (R/) 04:45 Sala 21:12 A Fronteira 22:15 Entre Eu e Deus Rayyan Sports Club: Voleibol - Campeonato
Prova das 9 23:15 Lisboa Azul 23:40 Sociedade Civil 00:40 do Mundo de Clubes 05:30 Sada Cruzeiro sTa Cruz das Flores 15ºC 19ºC
Tanto Para Conversar 01:25 Euronews 04:00 Vôlei x Zenit Kazan: Voleibol - Campeonato Água do mar 19ºC
RTP-1 Dentro 04:45 Os Nossos Dias 05:32 Repórter do Mundo de Clubes 07:30 Andebol - Liga
05:30 Bom Dia Portugal 09:00 Praça da Ale- África - 2ª Edição dos Campeões Magazine 08:00 San Antonio
grupo CenTral
gria 12:00 Jornal da Tarde 13:10 Bem-vindos Fonte: http://www.rtp.pt/rtp2 x Houston: NBA 10:20 Denver Nuggets x L.A.
a Beirais 13:57 A Nossa Tarde 16:30 Portugal Lakers: NBA 12:30 Sp. Covilhã x Benfica - Fase
em Direto 18:00 O Preço Certo 18:59 Telejor- SIC 3 - Jornada 2: Futebol - Taça da Liga 14:30 GRACIOSA

nal 20:00 Debate PSD - Eleições 21:00 Joker 04:35 Malucos Do Riso 05:00 Edição Da Resumos da Jornada 13: Superliga Turca FAIAL
22:09 Cá Por Casa com Herman José 23:30 Manhã 08:10 Alô Portugal 09:10 O Programa 15:00 Kenny - Liverpool: Documentário 16:30 TERCEIRA
PICO
Desliga a Televisão 00:25 Anatomia de Grey Da Cristina 12:00 Primeiro Jornal 13:30 Amor Burnley x Manchester City: Premier League
01:00 Janela Indiscreta 02:00 Magazine RTP Maior 15:00 Júlia 17:00 Amor à Vida 18:30 18:20 Sp. Covilhã x Benfica - Fase 3 - Jornada S. JORGE

Arena 02:15 O Sábio 03:11 Televendas 04:59 Casados À Primeira Vista - Diário 18:57 Jornal 2: Futebol - Taça da Liga 18:50 Antevisão Gil 2-4 METROS 05/10 KM/H

Manchetes 3 Da Noite 20:40 Nazaré 21:15 Terra Brava 22:10 Vicente x Sporting - Fase 3 - Jornada 2 (Dire- Períodos de céu muito nublado com boas abertas. Ven-
Fonte: http://www.rtp.pt/rtp1 Golpe De Sorte 22:30 Casados À Primeira to): Futebol - Taça da Liga 19:45 Gil Vicente x to fraco (05/10 km/h).
Vista - Extra 23:00 A Dona Do Pedaço 23:50 Sporting - Fase 3 - Jornada 2 (Direto): Futebol
RTP-2 Passadeira Vermelha 01:45 Navy NCIS 02:50 - Taça da Liga 22:00 Man. Utd x Tottenham:
06:00 Espaço Zig Zag 06:01 Banda Zig Zag 09:12 Televenda Premier League 23:50 Burnley x Manchester
As Perguntas da Mily 09:10 Ao Resgate da Selva Fonte: http://sic.sapo.pt/ City: Premier League

informações
angra do HeroÍsMo 14ºC 18ºC
TeleFones úTeis Taxis 3ºF e 5ªF | 17h30 > 18h30 Água do mar 19ºC
Nº. de emergência 112 Alto das Covas 295 212 404 - 295 213 088 Centro Cultural de Angra 295 215 622
Ladeira S. Francisco 295 212 004 - 295 212 005
Hospital CineMas grupo orienTal
Praia da Vitória 295 512 654 - 295 512 092
Angra295 40 32 00/295 24 00 00 Centro Cultural de Angra do Heroísmo
Nota: Informações sobre os doentes internados, horá- Juncal 295 512 151
rios de consultas e de visitas e todos os assuntos res- Quem Brinca com o Fogo – 2D
peitantes ao funcionamento do Hospital, das 09h00
às 17h00 De 6 a 9 de dezembro às 21h00 S. MIGUEL
Visitas Farol das Contendas
Praia 295 540 970 / 295 545 000
Às quartas-feiras » Hora de inverno - 13.30 às 16.30
Auditório do Ramo Grande
Ambulâncias SANTA MARIA
Não recebemos informação
Angra do Heroísmo 295 204 112 FarMáCias de serViÇo
Praia da Vitória 295 540 220 Angra do Heroísmo | Nunes Missas 2-3 METROS 20/40 KM/H

Praia da Vitória | Silva Durante a Semana Períodos de céu muito nublado com boas abertas. Pos-
Polícia
sibilidade de aguaceiros fracos. Vento norte moderado
Angra 295212022 / Praia 295545480
Tap porTugal | 707 205 700 Angra 09:00 sé; 18:00 são Pedro; são gonçalo e s. a fresco (20/40 km/h) com rajadas até 55 km/h, rodan-
Lajes 295512021 / Biscoitos 295908710
Partidas Lisboa: às 11h50 de 2.ª a 5.ª e às 20h05 Bento; 18:15 santuário da Conceição; 18:30 s. luzia. do para nordeste e tornando-se bonançoso a moderado
Polícia Marítima de 6.ª a domingo para Lisboa (10/20 km/h).
Angra do Heroísmo e Praia da Vitória Chegadas de Lisboa: às 09h25 de 2.ª a 5.ª e às Praia a cada dia 13, às 10H00 ermida santa Mar cavado, tornando-se de pequena vaga. Ondas do
295 105 143 / 912 344 795 17h50 de 6.ª a domingo luzia da Praia; 3ª a 5ª feiras às 10H00 igreja quadrante norte de 2 a 3 metros. Temperatura da água
de são José; 2ªF, 3ªF, 4ªF e 5ªF - 10:00 matriz; do mar: 20ºC
Capitania do Porto da Praia da Vitória
saTa air-aÇores | 295 540 047 09:00 6ªF santo Cristo; 3ªF 11h30 - 5ªF 09h00
295 105 134
Partidas: 07h00, 13h40, 13h55, 18h15 Ponta igreja do Coração imaculado de maria - Biscoitos;
ponTa delgada 14ºC 18ºC
Brigada Fiscal da GNR Delgada; 09h25 Horta; 16h15 Pico; 11h50 S. 19h00 4ªF e 6ªF igreja de s. Pedro - Biscoitos.
Água do mar 20ºC
Angra 295 206 970 / Praia 295 545 380 Jorge; 09h35, 14h25 Graciosa.
Lajes 295 512 139 serViÇos religiosos - igreja evangélica Baptista
TransporTes TerresTres
Angra Domingos - rua Jacinto Cândido, 3.
E.V.T. Ldª. 295217001/2/3/4
Bombeiros 19:30 Culto Q. - Feira estudo Bíblico e oração. MarÉs
Angra 295 204 110 / 295 212 333 gaBineTe ConsulTa JurÍdiCa Praia Domingos - rua da estrela, 41 11:30 Culto 00:41 Baixa-Mar | 07:10 Preia-mar
Praia da Vitória 295 540 220 2ªF, 4ªF e 6ªF | 12h30 > 14h00 - www.iebpv.org. 13:56 Baixa-Mar | 20:08 Preia-mar
PUB. PUB.

opinião
ARTUR LIMA
MIGUEL BORBA, PRESIDENTE DA COMISSÃO ADMINISTRATIVA
Responder a quem precisa
Angrense vai encontrar O fundamento das nossas políticas
é o nosso olhar sobre a realidade

uma solução diretiva da nossa Região. Um olhar sobre


o que fizemos, como estamos e
do que precisamos fazer para que
O ANGRENSE ASSINALOU NO PASSADO NA CESSA FUNÇÕES EM MARÇO. ACREDITA desportiva, quer em notoriedade e res-
a nossa autonomia se construa
FIM DE SEMANA 90 ANOS AO SERVIÇO QUE A SUCESSÃO ESTÁ GARANTIDA? ponsabilidade social perante a sociedade
com alicerces no que está certo,
DO DESPORTO. É UMA DATA QUE O DEIXA Tem existido alguns contatos nesse sentido, angrense.
no que tem que ser feito e do que
SATISFEITO, ENQUANTO PRESIDENTE DA mas, para já, não há nada em concreto. Há É neste sentido que destaco a conclusão
é mais justo.
COMISSÃO ADMINISTRATIVA QUE LIDERA pessoas disponíveis para colaborar. O proble- com sucesso do processo de certificação da
É por isso normal que a Assem-
OS DESTINOS DA COLETIVIDADE? ma que se coloca é ao nível da presidência. formação, podendo-nos orgulhar de sermos
bleia reconheça o mérito das nos-
É um orgulho contribuir para a história do Acredito, porém, que o Angrense saberá res- o primeiro Centro Básico de Formação de
sas propostas, fazendo com que
Angrense. Ao longo dos últimos sete anos, ponder a esse desafio, tudo se encaminhando Futebol, devidamente creditado pela Federa-
muitas delas sejam, já hoje, res-
em sintonia com os restantes elementos dos para uma transição pacífica, em defesa dos ção Portuguesa de Futebol, na ilha Terceira.
postas indispensáveis na proteção
órgãos sociais, treinadores, atletas e adeptos, legítimos interesses do clube. O Angrense sa- A formação para nós sempre teve um papel
de direitos dos Açorianos, como o
tenho procurado dar o melhor em prol da berá honrar o seu passado e continuar a trilhar deveras importante, sendo, inclusive, uma
CIRURGE e o VALE SAÚDE.
instituição. Sinto-me satisfeito com o trabalho o caminho do sucesso. Estamos perante um bandeira do clube.
Foi isso que voltou a acontecer
desenvolvido e creio que estão reunidas as percurso que nos orgulha.
no Plano e Orçamento da Região
condições para o Angrense responder com O ANGRENSE TEM SUGERIDO ALGUMAS
para 2020 com as propostas do
êxito aos desafios que se avizinham. O ANGRENSE É O ÚNICO CLUBE DE FUTE- ALTERAÇÕES À POLÍTICA DE APOIOS AO
CDS agora aprovadas. Os outros
Claro que a história nos dá a nossa dimensão BOL DA ILHA TERCEIRA CONTEMPLADO ATLETA FORMADO NA REGIÃO. É ALGO QUE
partidos reconheceram as nossas
e nos indica um rumo que tem de ser coeren- COM O RECONHECIMENTO DE CENTRO CONSIDERA INDISPENSÁVEL PARA A ALME-
razões e votaram favoravelmente
te com tudo aquilo que fizemos até aqui. Mas BÁSICO DE FORMAÇÃO DE FUTEBOL POR JADA EVOLUÇÃO DO FUTEBOL AÇORIANO?
as nossas revindicações.
quem se limita a valorizar o passado, ficando PARTE DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE Que fique bem claro que não estamos con-
Somos democrata-cristãos. So-
preso nesse tempo, é alguém que está perdi- FUTEBOL, NO ÂMBITO DO PROCESSO DE tra a política vigente. Aquilo que entendemos
mos humanistas e personalistas.
do, porque a história por si não nos garante o CERTIFICAÇÃO DE CLUBES. É UM SINAL DO como importante é uma alteração legislativa
Estamos, por isso, com convicção,
futuro, porque esse depende apenas do que TRABALHO EM CURSO AO NÍVEL DOS MAIS que permita a incorporação nas equipas de
na primeira linha da defesa do
fizermos no presente. JOVENS? um determinado número de atletas não for-
acesso atempado à saúde e não
Esta é uma data em que devemos renovar os Apesar das dificuldades e constrangimentos mados na região, atendendo a que o campo
baixamos os braços enquanto
valores e os compromissos em que nasceu e financeiros com que nos deparamos, com de recrutamento é cada vez mais reduzido.
esse direito não for uma realida-
se construiu a história deste clube. Renovar os imenso esforço, trabalho e dedicação, temos Afigura-se complicado assegurar a manuten-
de para todos os Açorianos.
compromissos significa, acima de tudo, man- vindo a conseguir manter e a desenvolver a ção no Campeonato de Portugal apenas com
Queremos melhor gestão nos
ter o mesmo inconformismo que levou os nossa estratégia em prol dos objetivos a que atletas formados localmente. Creio que esta
tempos de espera para cirurgia
nossos fundadores a constituir o Angrense. nos propusemos. medida, devidamente enquadrada, poderia
nos nossos hospitais e foi com
Assim, constatamos hoje que o clube constituir uma alavanca interessante para o
essa finalidade que, por proposta
A COMISSÃO ADMINISTRATIVA QUE GOVER- continua a crescer, quer na componente futebol açoriano.
do CDS, vai ser implementado um
PUB.
processo de avaliação das listas
de espera para perceber porque
é que, investindo mais, não se
avança o desejável.
» Cartões » Convites » Cartazes «
Queremos garantir mais ajuda a
» Folhetos » ementas » relatórios «
quem mais precisa. É por isso que
as diárias dos doentes deslocados
vão ser melhoradas e os nossos
doentes Oncológicos vão ver o
seu complemento diário por des-

»
locação aumentado em 10%.
Temos o propósito de construir
impressão uma região mais justa e mais so-

digital
lidária. Apresentamos propostas
para que se faça o que se pode
e deve ser feito. Os açorianos sa-
bem que podem contar com o
CDS.

Você também pode gostar