Você está na página 1de 5

ATIVIDADES REFERENTES A DISCIPLINA DE HISTÓRIA

Prof. Mateus Peçanha


Nome do aluno(a):
Turma:

FEUDALISMO

Modo de produção baseado em posses de terras e relações servis

O feudalismo promoveu uma reestruturação no modelo de organização social, política, econômica e


cultural dos países da Europa Ocidental. O sistema criou um modo de produção que marcou o início
da Idade Média após a queda do Império Romano.

O sistema teria surgido a partir da junção de dois elementos que pertenciam a civilizações diferentes.
O colonato representava o modo de produção exercido pelos romanos, no qual os camponeses
produziam para os donos da terra em troca de proteção.

E o outro elemento era o comitatus, característica dos povos bárbaros, que consistia na relação de
lealdade entre guerreiros e chefes tribais, e que serviu de inspiração para a relação desenvolvida entre
os membros da nobreza no feudalismo.

Origem do feudalismo

Um dos motivos que levou ao surgimento do feudalismo foi o processo de ruralização, que ocorreu
com a população em razão da economia ter sofrido uma redução nas atividades comercias com a crise
de Roma.

A invasão dos povos bárbaros também foi um dos motivos que favoreceu o início do feudalismo, pois
com a tamanha violência, os romanos foram obrigados a se afastarem da cidade levando consigo os
camponeses.

A insegurança e violência fez com que os feudos (propriedades territoriais) se espalhassem por
diversas regiões. Como os reis não tinham subsídios econômicos e nem militares para proteger as
populações dessas áreas, a responsabilidade passou a ser dos senhores feudais.

Dessa forma, iniciava-se o sistema baseado no regime de servidão, no qual os trabalhadores (servos),
em troca de proteção, realizariam trabalhos agrícolas dentro de uma grande propriedade rural, onde
havia terras para cultivo, um castelo fortificado, aldeias, pastos e bosques.

Divisão da sociedade feudal

A sociedade do feudalismo era dividida em três classes sociais: o clero, tendo como principal membro
a igreja católica; a nobreza, composta pelos senhores feudais; e os servos, preenchida pela classe
mais baixa e os camponeses.

As classes eram denominadas estanques, por isso, no sistema não havia mobilidade social, ou seja,
os servos estavam "condenados" a passarem o resto de suas vidas servindo aos senhores. A nobreza,
formada pelos donos dos feudos ou senhores feudais, era a classe mais alta do feudalismo. Dona das
grandes propriedades rurais, ela exercia poder absoluto sobre as demais classes.
Dessa forma, a classe se dividia em suseranos, que eram os donos da terra, e vassalos, que eram os
servos trabalhadores. Além disso, era a responsável pela gestão de leis, concessão de benefícios,
administração da justiça, dentre outros.

O clero era composto principalmente pelos membros do catolicismo. Com isso, o cristianismo, sistema
controlado pela igreja católica moldou os comportamentos, os ideais e a cultura do homem medieval,
tornando a igreja a instituição mais poderosa do sistema feudal.

Os servos, por sua vez, correspondiam a maior classe do feudalismo. Era composta por escravos, vilõ
e camponeses que eram obrigados a prestar serviços pesados. Assim, plantavam, colhiam, produziam
azeite, vinho, pão, farinha, queijo, manteiga, caçavam, pescavam e ainda trabalhavam numa
rudimentar indústria artesanal.

Além disso, o trabalho dessas pessoas envolvia uma série de obrigações, entre elas, o trabalho como
rendeiro, quando pagava-se ao senhor com mercadorias ou prestações de serviços pelo uso da terra.

O trabalho gratuito era realizado por algumas famílias em dias determinados e o pagamento era dado
por meio da permissão do uso de fornos, moinhos e outros equipamento agrícolas. Confira alguns
impostos que eram pagos por eles:

•Capitação: imposto pago por cada membro da família;


•Dízimo: 10% da produção devia ser paga à igreja;
•Talha: uma parte da produção deveria ser paga ao senhor feudal;
•Banalidade: pagamento que possibilitava a utilização de bens do feudo, a exemplo de moinhos,
fornos, estradas, etc.

Havia um grupo de trabalhadores chamados de ministeriais. Ao contrário dos servos, eles podiam
conquistar uma ascensão dentro da nobreza. Quando os vassalos recebiam algum benefício oriundo
dos suseranos, ele devia comprometer-se a servir esse senhor, inclusive, participar do seu exército
caso fosse necessário.

Aquisição de terras

As terras no período do feudalismo podiam ser adquiridas de três formas: pela concessão do rei ou de
um grande senhor feudal, através de guerras, ou do casamento. A cedência por um senhor feudal
acontecia quando ele queria compensar os serviços de um nobre ou cavaleiro destacado, a fim de
conseguir os servos dessa família.

Quando não acontecia de forma pacífica, era comum que ocorresse por meio de guerras. Na maioria
das vezes elas aconteciam quando um alguns proprietários donos de terras desejavam aumentar os
seus territórios.

Outra maneira que influenciava esses confrontos era o rompimento da relação existente entre servos e
senhores feudais. E por último, o casamento, quando para manter o domínio da terra nas mãos da
mesma família, os reis casavam seus filhos.

Economia

A economia no feudalismo era destinada ao consumo local, portanto, as atividades comercias eram
praticamente inexistentes, sendo a agricultura a principal atividade de subsistência econômica. A
quantidade de produtos era o suficiente e quando sobrava ia para as mãos dos senhores feudais. Não
havia a troca de moedas. Quando era necessário a obtenção de produtos que precisavam, mas não
produziam, os trabalhadores realizam a troca de produtos (escambo).
Política

A política do feudalismo estava todo concentrado nas mãos dos senhores feudais, uma vez que eles
eram responsáveis formação de exércitos particulares, a construção dos castelos fortificados, a divisão
dos trabalhadores agrícolas, além de terem privilégios como a isenção fiscal e jurídica.

Declínio do feudalismo

Devido as grandes mudanças que ocorreram na estrutura da sociedade, como o retorno das atividades
comerciais e o crescimento populacional, o feudalismo sentiu os impactos e começou a se romper de
forma gradual.

As relações de produção tiveram a influência do livre trabalho assalariado. Com isso, a opressão dos
senhores feudais sobre os servos aumentou, na tentativa de manter uma relação comercial conforme a
sociedade vinha exigindo.

A situação foi motivo de revolta para muitos servos, que já estavam insatisfeitos com a maneira como
eles trabalhavam. Isso resultou na fuga de muito deles, como também na mudança de comportamento
de alguns senhores, que para conter a situação, resolveram vender a liberdade de alguns
trabalhadores.

O início de uma nova classe de camponeses, fez com que muitos senhores passassem a contratar
trabalhadores assalariados. Isso deu início ao surgimento de um futuro regime, o capitalismo.

Resumo sobre o feudalismo

• Meio de produção e econômico predominante na Europa Ocidental durante o período da Idade


Média;
• Resultou a partir da união de dois elementos da organização da sociedade: o colonato e o comitatus;
• Neste período, as moedas perderam espaço, dando lugar à agricultura;
• A sociedade feudal era divida em três categorias: clero, nobreza e servos.

Exercícios:

1-Qual a diferença entre as obrigações de um vassalo e as de um servo na sociedade feudal?

2-Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

a) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.


b) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.
c) Vilões e servos estavam presos a várias obrigações, entre elas, o pagamento anual de
capitação, talha e banalidades.
d) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos
vizinhos.
e) As relações de produção eram escravocratas.

3- Podemos definir o feudalismo, do ponto de vista econômico, como um sistema baseado na


produção, tendente à autossuficiência, sendo a agricultura seu principal setor. Politicamente o
feudalismo caracterizava-se pela:

a) existência de legislação específica a reger a vida de cada feudo.


b) atribuição do poder executivo à igreja.
c) relação direta entre posse e soberania dos feudos, fragmentando assim o poder central.
d) absoluta descentralização administrativa.
4-Politicamente, o feudalismo se caracterizava pela:

a) atribuição apenas do Poder Executivo aos senhores de terras;


b) relação direta entre posse dos feudos e soberania, fragmentando-se o poder central;
c) relação entre a vassalagem e suserania entre mercadores e senhores feudais;
d) absoluta descentralização administrativa, com subordinação dos bispos aos senhores feudais;
e) existência de uma legislação específica a reger a vida de cada feudo.

5-O feudalismo:

a) deve ser definido como um regime político centralizado;


b) foi um sistema caracterizado pelo trabalho servil;
c) surgiu como consequência da crise do modo de produção asiático;
d) entrou em crise após o surgimento do comércio;
e) apresentava uma considerável mobilidade social.

6-Sobre o feudalismo, assinale a alternativa correta:

a) A economia era dinâmica, monetária e voltada para o mercado.


b) A sociedade era móvel, permitindo a ascensão social.
c) O poder político estava centralizado nas mãos de um monarca absolutista;
d) A mão-de-obra básica era formada por trabalhadores escravos.
e) As principais obrigações devidas pelos trabalhadores eram a corvéia e a talha.

7- Quanto às relações entre suseranos e vassalos:

a) senhor e servo eram categorias semelhantes a suseranos e vassalos;


b) o servo prestava homenagem ao senhor feudal;
c) o senhor feudal concedia o benefício ao vassalo;
d) as obrigações entre vassalos e suseranos eram recíprocas;
e) o juramento de fidelidade podia ser rompido a qualquer momento.

8- Os acontecimentos abaixo constituem as características principais do feudalismo, exceto:

a) Ausência de poder centralizado.


b) As cidades perdem sua função econômica.
c) Instauração da relação vassalagem / suserania.
d) Comércio internacional intenso.
e) Organização do trabalho com base na servidão.

Você também pode gostar