Você está na página 1de 1

07-01 Teoria Econômica aula 05

Objetivos: analisar o pensamento das escolas neoclássica e keynesiana.

Escola NeoClássica:
- Conhecida também por Escola Marginalista.
- Principais autores: Vilfredo Pareto (distribuição ideal de bens, alocação técnica
ideal, quantidades ideais de produção); Leon Walras (interdependência entre
preços); Alfred Marshall (teorias de oferta e demanda, utilidade marginal e custos
de produção).
- Também pregava o liberalismo econômico (os gastos do Estado seriam empecilho
para o desenvolvimento uma vez que utilizavam recursos para atividades
improdutivas).
- A economia neoclássica sistematizou a oferta e demanda como determinantes
conjuntos do preço e da quantidade transacionada em um equilíbrio de mercado
(Microeconomia).
- Ela dispensou a teoria do valor-trabalho em favor da teoria do valor-utilidade
marginal (valor para o consumidor de uma unidade adicional de mercadoria).
- Reconhece as complexas interdependências que ocorrem num sistema de preços,
com a demanda e a oferta de várias mercadorias interagindo e se afetando
reciprocamente, e a influência dos incentivos e custos no consumidor.
- A Teoria do Consumidor, ou Teoria da Escolha, é uma teoria microeconômica, que
busca descrever como os consumidores tomam decisões de compra e como eles
enfrentam os tradeoffs e as mudanças em seu ambiente. Os fatores que influenciam
as escolhas dos consumidores estão basicamente ligados à sua restrição
orçamentária e utilidade do bem.
- Crises têm sua origem nos diversos desequilíbrios do sistema econômico.

Escola Keynesiana
- A análise Keynesiana critica a Lei de Say (toda produção encontra demanda, ou
seja, toda renda é gasta na compra de mercadorias, sendo a moeda apenas um meio
de troca).
- Se assim fosse, sempre haveria demanda, utilização integral dos meios de produção
e da força de trabalho. O desemprego seria, segundo os neoclássicos, uma pequena
anormalidade causada por intervenção estatal e pelos altos salários demandado
pelos sindicatos.
- O contexto sócio-econômico da época, porém, apresentava problemas sociais e
políticas econômicas inconsistentes.
- Na obra A teoria geral do emprego, do juro e da moeda, Keynes mostrou a
inexistência do princípio do equilíbrio automático na economia capitalista.
- Keynes concluiu que o fator responsável pela alteração no volume de emprego é a
demanda de mão-de-obra, e não sua oferta. E o desemprego tem como solução o
investimento, tanto privado quanto público.
- Este investimento deve ser feito sob a tutoria do Estado, buscando sempre aumento
da demanda, que por sua vez gera empregos.
Atividade: Que ações o governo brasileiro tem feito para garantir o aumento da demanda?
Em sua opinião, estas ações se refletiram no nível de emprego do país?