Você está na página 1de 4

SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES DA PREFEITURA DA

CIDADE DO RIO DE JANEIRO RJ

CELSO CORREIA DA PAIXÃO, RG: M9051476, CPF: 932.469.356-53, CNH


nº. 1355518259, cujo registro: 00565739081, categoria: E, residente na Rua
João do Vale 734, Boa Vista, Sete Lagoas - MG - CEP: 35.700-120, tendo sido
autuado através do auto de infração nº. H6/00450013, vem mui
respeitosamente através do presente, em conformidade com o art. 285 do CTB,
para interpor a presente DEFESA, contra referida autuação, com o objetivo de
proporcionar a oportunidade de exercitar seu legítimo direito de ampla defesa e
do exercício pleno do contraditório.

QUALIFICAÇÃO DO RECORRENTE:

Motorista, casado, com ótima reputação, respeitado pela sociedade. Nascido


em 29/07/1976 com 44 (quarenta e quatro ) anos de idade, tendo sua primeira
CNH em 10/03/1998 há 23 (vinte e três ) anos, nunca cometeu nenhum tipo
infração gravíssima. Conforme se verifica no prontuário do recorrente, a sua
conduta moral é pautada com ética e responsabilidade, irá provar com
fundamento jurídico que não cometeu a suposta infração e não se envolveu em
acidente de trânsito de qualquer natureza.

O Recorrente é cidadão responsável e consciente principalmente quando está


na direção de veículo, não é motorista reincidente em multas, portanto que tal
fato seja averiguado e considerado. O impacto de ter recebido a suposta multa
gera um estresse, um grande desgaste emocional e psicológico, que já serve
como punição.
DO VEÍCULO:
Peugeot / 206 10 SENSAT, preto, placa: LQT1E54-MG, RENAVAM:
00874917409, ano: 2005 / 2006, proprietário(a): CELSO CORREIA DA
PAIXÃO.

DA INFRAÇÃO:
Auto de Infração: H6/00450013, Data: 12/05/2021, Hora: 06h14min, Data
Emissão: 03/06/2021, Infração: 218*I-Transitar em velocidade superior à
máxima permitida para o local, medida por instrumento ou equipamento
hábil em rodovias, vias de trânsito rápido e vias arteriais quando a
velocidade for superior a máxima em até vinte por cento. Cód. 745-5 /
Condutor, Local: AV VICENTE CARVALHO PX R MONS PIZARRO - ST
GALEÃO,

Data de Aferição: 06/01/2020.

Velocidade regulamentada: 50 km/h.


Velocidade realizada: 61 km/h.
Velocidade considerada: 54 km/h.

DOS FATOS

Preliminarmente, ressalta que o veículo que aparece na foto não possui


qualquer semelhança com o de propriedade do Recorrente considerando ser
facilmente observáveis as diferenças a não ser pela placa que supostamente
são parecidas.

Cumpre esclarecer que o local apontado no auto de infração jamais foi


frequentado pelo Recorrente, inclusive no dia da suposta infração o mesmo se
encontrava na cidade de Sete Lagoas MG, principalmente por ser um dia em
que se preparava para trabalhar.
E como podem observar aparece outro veículo na foto, que não é de
propriedade do Recorrente, apesar do número das placas serem parecidos,
possivelmente a placa é clonada, considerando que a do Recorrente possui
letra junto com os números e a que sofreu a penalidade não possui a letra.

Ressalta o Recorrente que efetuou o Boletim de Ocorrência ( em anexo) devido


a chegada de outras autuações do mesmo veículo que aparece na presente
autuação, e com medo de futuros aborrecimentos achou melhor tal
procedimento.

No presente caso o veículo do Recorrente já possui a placa Mercosul, e o


veículo que aparece na foto não possui a placa Mercosul, mais uma prova,
além da foto, que não são os mesmo veículos, considerando ser um Celta o
veículo da foto, e do Recorrente é um Peugeot conforme se demonstra em foto
anexa.

O Recorrente não pode ser penalizado por uma infração que não cometeu e
prova com fatos e fotos que é inocente de tal penalidade.

É necessário citar que o Código de Trânsito Brasileiro não trata apenas no seu
conteúdo de penalizar supostos infratores, mas também, educá-los e orientá-
los conforme preceitua o artigo 74 do CTB, evitando transformá-lo
simplesmente em um mecanismo de arrecadação, apresentando a total
transparência em suas especificações, ou seja, tornar nosso trânsito
respeitável e seguro.

Desta feita, concluí-se que o objetivo do CTB, não vem sendo atingido, vez que
a autoridade de trânsito prima pela imposição abusiva de multas, sem proceder
com as demais cominações legais descritas pela legislação, as quais se
fossem seguidas à risca teriam efetiva melhoria da segurança no trânsito, além
de maior impacto educativo.

O Código de Trânsito não cria deveres apenas para os cidadãos. Como o


objetivo do legislador é tornar o trânsito mais humano e seguro, diminuindo o
índice de acidentes a principal função da legislação ser educativa, cabendo à
administração promover a educação e informação aos condutores e
proprietários na forma prevista pelo Código.

Você também pode gostar