Você está na página 1de 356

ii

Trópico RA
Manual de atividades operacionais
45001050-9

Versão S11.1

Projeto CONVERTE - Apoio da FINEP com recursos do FUNTTEL.


ii

© CPqD - Todos os direitos reservados.

As informações contidas neste documento são de propriedade do CPqD, sendo proibida a sua di-
vulgação, reprodução ou armazenamento em base de dados ou sistema de recuperação sem per-
missão prévia e por escrito do CPqD. Estão sujeitas a alterações sem notificação prévia.

Os nomes de produtos, serviços ou tecnologias eventualmente mencionados neste documento são


marcas registradas dos respectivos detentores.

Fazer cópias de qualquer parte deste documento para qualquer finalidade, além do uso pessoal,
constitui violação das leis internacionais de direitos autorais.

O produto referente a este documento está licenciado, com exclusividade, para Trópico Sistemas e
Telecomunicações S.A.

Trópico Sistemas e Telecomunições S.A.


☎ +55-19-3707-3400
✉ tropico@tropiconet.com.br
www.tropiconet.com.br
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais iv
Trópico RA

Controle de atualização

Controle de Edição

Edição Descrição Data

11.1 Atualização que contempla o agendamento de backup do MAT agosto/2004

11 Atualização que contempla a versão 11 de software agosto/2000

10.2 Atualização que contempla a versão 10.2 de software fevereiro/2000

Versão S11.1 iii


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. iv
Trópico RA

iv 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais x
Trópico RA Sumário

Sumário

Informações gerais ............................................................................................................................. xi


Estrutura e uso dos manuais de OMS .................................................................................................. xi
Habilitação de funcionalidades ............................................................................................................. xii
Linguagem para descrição de procedimentos (LDP) ............................................................................ xii

1 Introdução ............................................................................................................................................. 1

2 Recurso AC : ARQUIVO DE COMANDOS .......................................................................................... 3


AOPAC_00 - CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS ................................................................... 3
AOPAC_01 - CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE MACRO-COMANDO ............................................................................ 4
AOPAC_02 - AGENDAMENTO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS ........................................................ 5
AOPAC_03 - EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS ................................................................ 6
AOPAC_04 - EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE MACRO-COMANDO ........................................................................ 7
AOPAC_05 - CANCELAMENTO DA PROGRAMAÇÃO EM AGENDA DE ARQUIVO DE COMANDOS ................ 8
AOPAC_06 - CANCELAMENTO DA EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS ............................................... 9
AOPAC_07 - ASSOCIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS A FALHA .......................................... 10

3 Recurso AS : ASSINANTE ................................................................................................................. 11


AOPAS_00 - INSTALAÇÃO DE ASSINANTE ........................................................................................................ 11
AOPAS_01 - INSTALAÇÃO DE LINHA PARA SERVIÇO ESPECIAL LOCAL ....................................................... 14
AOPAS_02 - INSTALAÇÃO DE ASSINANTE ASSOCIADO A ROTA COM TARIFAÇÃO REVERSA .................. 15
AOPAS_03 - RETIRADA DE ASSINANTE ............................................................................................................. 16
AOPAS_04 - RETIRADA DE ASSINANTE ASSOCIADO A ROTA COM TARIFAÇÃO REVERSA ....................... 18
AOPAS_05 - RETIRADA DE ASSINANTES ASSOCIADOS A SERVIÇO ESPECIAL LOCAL .............................. 19
AOPAS_06 - CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL ....................................................................................... 20
AOPAS_07 - SUPRESSÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL ................................................................................. 21
AOPAS_08 - SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE TERMINAIS DE ASSINANTE ............................ 22
AOPAS_09 - MUDANÇA NA CLASSIFICAÇÃO DE ASSINANTE ......................................................................... 23
AOPAS_10 - TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE ASSINANTE ............................................................................ 25
AOPAS_11 - TESTE COLETIVO DE ASSINANTES .............................................................................................. 27
AOPAS_12 - TESTE DE CAMPAINHA DE ASSINANTE ....................................................................................... 29
AOPAS_13 - ATIVAÇÃO DE TESTE A PARTIR DO APARELHO TELEFÔNICO ................................................. 30
AOPAS_14 - ATIVAÇÃO DE TESTE EM COOPERAÇÃO COM O ASSINANTE .................................................. 34
AOPAS_15 - ATIVAÇÃO DE TESTE DE GERAÇÃO DE CHAMADA NO CIRCUITO DE ASSINANTE ............... 38

4 Recurso BA : BILHETAGEM AUTOMÁTICA .................................................................................... 40


AOPBA_00 - CRIAÇÃO DE CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA .............................................................. 40
AOPBA_01 - SUPRESSÃO DE CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA ........................................................ 41
AOPBA_02 - ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS DE BILHETAGEM AUT. PARA FITA MAGNÉTICA
ROLO ................................................................................................................................................................ 42
AOPBA_06 - BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA ...................................... 44
AOPBA_07 - ALTERAÇÃO DO VALOR DA FATIA DE CHAMADAS DE LONGA DURAÇÃO PARA B.A. ........... 45
AOPBA_09 - ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS DE B.A. VIA ENLACE DE DADOS ................. 47
AOPBA_10 - ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA DE DADOS DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA 48
AOPBA_11 - MODIFICAÇÃO DO FORMATO DO REGISTRO DE CHAMADA BILHETADA ............................... 49

5 Recurso CE : CENTRAL .................................................................................................................... 51


AOPCE_01 - MARCAÇÃO DE FERIADO .............................................................................................................. 51
AOPCE_02 - DESMARCAÇÃO DE FERIADO ....................................................................................................... 52
AOPCE_03 - MUDANÇA DE CALENDÁRIO .......................................................................................................... 53
AOPCE_04 - MARCAÇÃO DE DIA ESPECIAL ...................................................................................................... 54
AOPCE_05 - DESMARCAÇÃO DE DIA ESPECIAL .............................................................................................. 55
AOPCE_06 - INICIAÇÃO DA CENTRAL ................................................................................................................ 56
AOPCE_08 - ENERGIZAÇÃO DA CENTRAL ........................................................................................................ 60
AOPCE_09 - CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA ..................................................................................................... 61
AOPCE_10 - REGISTRO DE CHAMADAS PARA TARIFAÇÃO ............................................................................ 63
AOPCE_11 - REGISTRO DETALHADO DE CHAMADAS ..................................................................................... 64
AOPCE_12 - SUPERVISÃO DE CHAMADAS DE LONGA DURAÇÃO ................................................................. 65
AOPCE_13 - MODIFICAÇÃO DE CALENDÁRIO DEVIDO A HORÁRIO DE VERÃO ........................................... 66

6 Recurso CJ : CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO .......................................................... 67


AOPCJ_00 - CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO N.7 .................................................. 67
AOPCJ_01 - MOD. DE ESTADO OPER. DE CONJUNTO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7 .......................... 68
AOPCJ_02 - SUPRESSÃO DE DADOS DE CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO N.7 ........................ 69

Versão S11.1 v
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A.
Sumário Trópico RA

7 Recurso CL : CLAD/UD-ELD ............................................................................................................. 70


AOPCL_02 - CRIAÇÃO DE ANEL CLAD ............................................................................................................... 70
AOPCL_04 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ANEL CLAD .................................................................................. 73
AOPCL_05 - SUPRESSÃO DE ANEL CLAD ......................................................................................................... 76
AOPCL_07 - CRIAÇÃO DE ANEL UD-ELD ........................................................................................................... 78
AOPCL_08 - SUPRESSÃO DE ANEL UD-ELD ..................................................................................................... 80

8 Recurso CO : COMUTAÇÃO ............................................................................................................. 82


AOPCO_00 - INSPEÇÃO VISUAL DO PAINEL TRASEIRO DO MÓDULO DE COMUTAÇÃO ............................ 82

9 Recurso CP : GRUPAMENTO CPCT ................................................................................................. 83


AOPCP_00 - INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO OU DE UMA LINHA EM CPCT ................................................ 83
AOPCP_01 - INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO CPCT PARA SERVIÇO ESPECIAL LOCAL ............................ 86
AOPCP_02 - RETIRADA DE LINHA OU GRUPAMENTO CPCT .......................................................................... 87
AOPCP_03 - RETIRADA DE LINHA OU GRUPAMENTO CPCT UTILIZADA EM SERVIÇO ESPECIAL LOCAL 89
AOPCP_04 - INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO CPCT COM DDR ...................................................................... 90
AOPCP_05 - RETIRADA DE UM GRUPAMENTO CPCT COM DDR .................................................................... 94
AOPCP_06 - MODIFICAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS DE CPCT COM DDR ..................................................... 98

10 Recurso EC : ENCAMINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO ................................................................. 104


AOPEC_00 - CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ..................................... 104
AOPEC_01 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ............................... 105

11 Recurso EL : ENLACE DE SINALIZAÇÃO ...................................................................................... 106


AOPEL_00 - CRIAÇÃO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7 .............................................................................. 106
AOPEL_05 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7 .................................................... 107
AOPEL_06 - ATIVAÇÃO DE TESTE EM ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7 ......................................................... 108
AOPEL_07 - DESATIVAÇÃO DE TESTE EM ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7 ................................................. 109

12 Recurso EN : ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ..................................................................... 110


AOPEN_00 - TROCA DE PLANOS DE ENCAMINHAMENTO ............................................................................ 110
AOPEN_01 - ALTERAÇÃO DO PLANO DE ENCAMINHAMENTO ATIVO ......................................................... 111
AOPEN_02 - CRIAÇÃO DE DADOS DE GRUPO DE ROTAS PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ... 112
AOPEN_03 - CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ............................................... 113
AOPEN_04 - CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS .......... 114
AOPEN_05 - CRIAÇÃO DE DADOS NA MATRIZ DE TARIFAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS
116
AOPEN_06 - CRIAÇÃO DE DADOS PARA REENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ..................................... 117
AOPEN_07 - CRIAÇÃO DE ACESSO A MAQUINA ANUNCIADORA ................................................................. 118
AOPEN_08 - CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS ..................... 119
AOPEN_09 - CRIAÇÃO DE DADOS DE DÍGITOS ESPECIAIS PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS 120
AOPEN_10 - MODIFICAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS . 121
AOPEN_11 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ......................................... 122
AOPEN_12 - SUPRESSÃO DE GRUPO DE ROTAS PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS ................ 123
AOPEN_13 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS ............... 124
AOPEN_14 - SUPRESSÃO DE DADOS NA MATRIZ DE TARIFAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE
CHAMADAS ............................................................................................................................................................ 125
AOPEN_15 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MARCAÇÃO DE ORIGEM ..................................... 127
AOPEN_16 - SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS .
129
AOPEN_17 - SUPRESSÃO DE DADOS DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DE ASSINANTE ........................... 132
AOPEN_18 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE ... 133
AOPEN_19 - SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE ...... 136
AOPEN_20 - SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA ...... 141
AOPEN_21 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE ENTRADA PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS .
143
AOPEN_22 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE SAIDA PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS . 145
AOPEN_23 - TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE ................ 147
AOPEN_24 - CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ CHAMADAS INTERNAS AO GC ENTRE RAMAIS DO
MESMO NO ............................................................................................................................................................. 148
AOPEN_25 - CRIAÇÃO DE ENC. P/ PROG., CANCELAMENTO E VERIFICAÇÃO DE FACILIDADES DE RAMAIS
149
AOPEN_26 - CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ UTILIZAÇÃO EFETIVA DE FACILIDADES CRE, DAB E CAE
150
AOPEN_27 - CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CAPTURA DE CHAMADAS NO GRUPO DE CLIENTE E NO SUBGRUPO
151
AOPEN_28 - CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO PARA FACILIDADE DE CHAMADA RETORNO AUTOMÁTICO
152
AOPEN_29 - CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CÓDIGO DE ACESSO A TELEFONISTA DE GRUPO DE CLIENTE . 153

vi 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais x
Trópico RA Sumário

AOPEN_30 - CRIAÇÃO DE ÁRVORE DE ENCAMINHAMENTO PARA CÓDIGO DE ACESSO A RTPC PELOS


RAMAIS .............................................................................................................................................................. 154
AOPEN_31 - CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ ACESSO A RAMAIS DO GRUPO DE CLIENTES EM OUTRO
NO .............................................................................................................................................................. 155
AOPEN_32 - CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CHAMADAS INTERNAS AO GRUPO DE CLIENTES VINDAS DE OUTRO
NO .............................................................................................................................................................. 156
AOPEN_33 - PROGRAMAÇÃO DE ÁRVORE DE ANÁLISE NUMÉRICA PARA GRUPO DE CLIENTE PABX
VIRTUAL .............................................................................................................................................................. 157

13 Recurso EP : ENDEREÇAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO .................................................. 159


AOPEP_00 - CRIAÇÃO DE ENDEREÇAMENTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ........................................................... 159
AOPEP_01 - CRIAÇÃO DE DADOS DE ENDEREçAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ...................... 160
AOPEP_02 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ENDEREÇAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ............. 161
AOPEP_03 - SUPRESSÃO DE DADOS DE ENDEREÇAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7 ................ 162

14 Recurso ES : EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO ......................................................................... 163


AOPES_00 - CRIAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO ........................................................................ 163
AOPES_01 - SUPRESSÃO DE EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO .................................................................. 164

15 Recurso GC : GRUPO DE CLIENTE ................................................................................................ 165


AOPGC_00 - INSTALAÇÃO DE ASSINANTE-RAMAL EM UM GRUPO DE CLIENTE ....................................... 165
AOPGC_01 - INSTALAÇÃO DE GRUPO DE CLIENTE ....................................................................................... 168
AOPGC_02 - INSTALAÇÃO DE SUBGRUPO EM UM GRUPO DE CLIENTE .................................................... 170
AOPGC_03 - INSTALAÇÃO DE ASSINANTE-RAMAL EM GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA ........................... 171
AOPGC_04 - RETIRADA DE ASSINANTE-RAMAL ............................................................................................. 173
AOPGC_05 - RETIRADA DE GRUPO DE CLIENTE ........................................................................................... 175
AOPGC_06 - RETIRADA DE SUBGRUPO DE UM GRUPO DE CLIENTE ......................................................... 176
AOPGC_07 - RETIRADA DE SÉRIE NUMÉRICA DE UM GRUPO DE CLIENTE ............................................... 177
AOPGC_10 - ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO DE CLIENTE ........................................................... 178
AOPGC_11 - RETIRADA DE FACILIDADES DE GRUPO DE CLIENTE ............................................................. 180
AOPGC_12 - ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA DE GRUPO DE CLIENTE .....
182
AOPGC_13 - RETIRADA DE FACILIDADES DE GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA DE GRUPO DE CLIENTE 184
AOPGC_14 - ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE ................................ 185
AOPGC_15 - RETIRADA DE FACILIDADES DE SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE ................................. 186
AOPGC_16 - ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A ASSINANTE-RAMAL DE GRUPO DE CLIENTE .................. 187
AOPGC_17 - RETIRADA DE FACILIDADES DE ASSINANTE-RAMAL DE GRUPO DE CLIENTE .................... 189

16 Recurso GJ : GRUPO DE JUNTORES ............................................................................................ 191


AOPGJ_00 - CRIAÇÃO DE GRUPO DE JUNTORES .......................................................................................... 191
AOPGJ_01 - SUPRESSÃO DE GRUPO DE JUNTORES .................................................................................... 192

17 Recurso IP : IMPRESSORA ............................................................................................................. 193


AOPIP_00 - INSTALAÇÃO DE IMPRESSORA ................................................................................................... 193
AOPIP_01 - RETIRADA DE IMPRESSORA ........................................................................................................ 196
AOPIP_02 - TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS DA FILA DE IMPRESSÃO ...................................................... 197
AOPIP_03 - MODIFICAÇÃO DE PRIORIDADE DE ARQUIVO NA FILA DE IMPRESSÃO ................................ 198
AOPIP_04 - SUPRESSÃO DE ARQUIVO DA FILA DE IMPRESSÃO ................................................................ 199

18 Recurso JU : JUNTOR ..................................................................................................................... 200


AOPJU_00 - CRIAÇÃO DE JUNTOR ................................................................................................................... 200
AOPJU_01 - SUPRESSÃO DE JUNTOR ............................................................................................................. 201
AOPJU_02 - SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE JUNTOR .......................................................... 202
AOPJU_03 - CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE JUNTORES DDC .......................................................................... 203

19 Recurso MC : MEDIDAS DE CANAL COMUM ................................................................................ 204


AOPMC_00 - ATIVAÇÃO DE SUPERVISÃO DE MEDIDA OPCIONAL .............................................................. 204
AOPMC_01 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE PONTO DE SINALIZAÇÃO ..................................... 205
AOPMC_02 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO ................................. 206
AOPMC_03 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO ...... 207
AOPMC_04 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO SOBRE DESTINOS DE SINALIZAÇÃO ........................ 208

20 Recurso MM : MEMÓRIA DE MASSA ............................................................................................. 209


AOPMM_00 - ATIVAÇÃO DE CÓPIA DE ARQUIVO DE/PARA DISCO FLEXÍVEL ............................................ 209
AOPMM_03 - RESTAURAÇÃO TOTAL DOS DISCOS RÍGIDOS DO OM A PARTIR DE FITA MAGNÉTICA ... 210
AOPMM_05 - TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVO ASCII PARA A ET-OMS SERIAL ............................................ 213

21 Recurso MS : MEDIÇÃO E SUPERVISÃO ...................................................................................... 214

Versão S11.1 vii


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A.
Sumário Trópico RA

AOPMS_00 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO E SUPERVISÃO DE PAB ......................................... 214


AOPMS_01 - INTERROGAÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO E SUPERVISÃO DE PAB ..................................... 215

22 Recurso PE : PERIFÉRICO DE CHM ............................................................................................... 216


AOPPE_00 - INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO DE CHM DE ENTRADA E SAIDA .............................................. 216
AOPPE_01 - EXCLUSÃO DE PERIFÉRICO DE CHM DE ENTRADA E SAIDA ................................................. 220
AOPPE_02 - ALTERAÇÃO DE DADOS DE PERIFÉRICOS CHM ...................................................................... 221
AOPPE_03 - ALTERAÇÃO DE VELOCIDADE DE PERIFÉRICOS SÍNCRONOS .............................................. 222
AOPPE_04 - DIAGNÓSTICO DE PERIFÉRICO SÍNCRONO .............................................................................. 223
AOPPE_05 - REINICIAÇÃO DE PERIFÉRICO INACESSÍVEL ........................................................................... 225
AOPPE_06 - INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO ET-OMS MULTISSERIAL ........................................................... 227
AOPPE_07 - INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO ET-OMS ETHERNET ................................................................. 230

23 Recurso PR : PROCESSADOR ....................................................................................................... 234


AOPPR_00 - RETIRADA DE PROCESSADOR DA CENTRAL ........................................................................... 234
AOPPR_01 - INSTALAÇÃO DE PROCESSADOR NA CENTRAL ....................................................................... 236
AOPPR_02 - RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR ......................................................................................... 239
AOPPR_03 - CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSADOR .......................................................................................... 240
AOPPR_04 - REINICIAÇÃO DE PROCESSADOR .............................................................................................. 241
AOPPR_05 - INSTALAÇÃO DE PLACA DE TERMINAIS .................................................................................... 243
AOPPR_06 - REINICIAÇÃO DE BI ...................................................................................................................... 244
AOPPR_07 - BLOQUEIO DE PROCESSADOR .................................................................................................. 245
AOPPR_08 - EVOLUÇÃO DE PLACA DE PROCESSADOR .............................................................................. 246
AOPPR_10 - REINICIAÇÃO DO PROCESSADOR DE OM ................................................................................. 249

24 Recurso RO : ROTA ......................................................................................................................... 251


AOPRO_00 - CRIAÇÃO DE ROTA ...................................................................................................................... 251
AOPRO_01 - SUPRESSÃO DE ROTA ................................................................................................................ 253
AOPRO_02 - ABERTURA DE ROTA ................................................................................................................... 254

25 Recurso SP : SINALIZAÇÃO DE PROCESSADOR ........................................................................ 255


AOPSP_00 - SUPERVISÃO DE SINALIZAÇÃO DE PROCESSADOR ............................................................... 255
AOPSP_01 - CRIAÇÃO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO ...................................................................................... 256
AOPSP_02 - SUPRESSÃO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO ................................................................................ 257
AOPSP_03 - BLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO .................................................................................... 258
AOPSP_04 - DESBLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO ............................................................................ 259
AOPSP_05 - BLOQUEIO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO ................................................................................. 260
AOPSP_06 - DESBLOQUEIO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO .......................................................................... 261

26 Recurso SS : SERVIÇO SUPLEMENTAR ....................................................................................... 262


AOPSS_00 - ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLEMENTAR ............................................................................... 262
AOPSS_01 - PROGRAMAÇÃO/CANCELAMENTO DE INFORMAÇÕES SUPLEMENTARES EM SERV. SUPLEM.
264
AOPSS_02 - RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR ................................................................................... 265

27 Recurso TA : TARIFAÇÃO ............................................................................................................... 266


AOPTA_00 - CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE TARIFA ............................................................................................... 266
AOPTA_01 - CRIAÇÃO DE CLASSE DE TARIFA ............................................................................................... 267
AOPTA_02 - SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE TARIFA ......................................................................................... 268
AOPTA_03 - SUPRESSÃO DE CLASSE DE TARIFA ......................................................................................... 269
AOPTA_04 - SUPRESSÃO DE GRUPO DE MODALIDADE DE TARIFA ........................................................... 270
AOPTA_05 - CRIAÇÃO DE AGENDA DE TARIFAÇÃO ...................................................................................... 271
AOPTA_06 - OBTENÇÃO DE TABELA DE FATURAMENTO DA CENTRAL ..................................................... 272
AOPTA_07 - TRANSFERÊNCIA DA TABELA DE FATURAMENTO VIA REDE ETHERNET ............................. 274

28 Recurso TE : TEMPORIZAÇÃO ....................................................................................................... 275


AOPTE_00 - MEDIÇÃO DE DENSIDADE DE DURAÇÃO DE CHAMADAS ....................................................... 275
AOPTE_01 - MEDIÇÃO DE TEMPORIZAÇÕES DE ALOCAÇÃO E TELEFÔNICAS ......................................... 276
AOPTE_02 - MODIFICAÇÃO DE DADOS DE TEMPORIZAÇÃO ........................................................................ 277

29 Recurso TG : TÍTULO GLOBAL ...................................................................................................... 278


AOPTG_00 - CRIAÇÃO DE DADOS DE TÍTULO GLOBAL ................................................................................. 278
AOPTG_01 - SUPRESSÃO DE DADOS DE TÍTULO GLOBAL ........................................................................... 279

30 Recurso TL : TESTADOR DE LINHA .............................................................................................. 280


AOPTL_00 - CRIAÇÃO DE TESTADOR .............................................................................................................. 280
AOPTL_01 - SUPRESSÃO DE TESTADOR ........................................................................................................ 281
AOPTL_02 - MODIFICAÇÃO DE LIMITES DE QUALIFICAÇÃO ......................................................................... 282

viii 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais x
Trópico RA Sumário

AOPTL_03 - MODIFICAÇÃO DE LIMITES DE SUPERVISÃO ............................................................................ 283

31 Recurso TM : TESTADOR DA MTP ................................................................................................. 284


AOPTM_00 - ATIVAÇÃO DE TESTE DE COMUNICAÇÃO DE MTP .................................................................. 284
AOPTM_01 - INTERROGAÇÃO DE DADOS DE CONFIGURAÇÃO DE TESTE DE MTP ................................. 285
AOPTM_02 - MODIFICAÇÃO DOS DADOS DE CONFIGURAÇÃO PARA TESTE DE MTP .............................. 286

32 Recurso TR : TRÁFEGO .................................................................................................................. 287


AOPTR_00 - MARCAÇÃO DE RELATÓRIO CONFIGURÁVEL PELO OPERADOR .......................................... 287
AOPTR_01 - DESMARCAÇÃO DE RELATÓRIO CONFIGURÁVEL PELO OPERADOR ................................... 289
AOPTR_02 - MODIFICAÇÃO DE PARÂMETROS DE TRÁFEGO ...................................................................... 290
AOPTR_03 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE TRÁFEGO DE ÓRGÃOS DA CENTRAL .................. 291
AOPTR_04 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE TRÁFEGO DE GRUPO DE ÓRGÃOS DA CENTRAL ...
292
AOPTR_05 - OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE PERFIL DE TRÁFEGO ............................................. 293
AOPTR_06 - OBTENÇÃO DO RELATÓRIO DE DADOS DE HMM DE GRUPO DE ÓRGÃOS DA CENTRAL .. 294
AOPTR_07 - OBTENÇÃO DO RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE DESEMPENHO DO SISTEMA .................. 295
AOPTR_08 - OBTENÇÃO DE RELATÓRIOS DE SUPERVISÃO ESTATÍSTICA ............................................... 296
AOPTR_09 - MARCAÇÃO DE GRUPO DE PROCESSADORES PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO ................... 297
AOPTR_10 - RELATÓRIO DE GRUPO DE PROCESSADORES MARCADOS PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO ...
298
AOPTR_11 - MODIFICAÇÃO DE PERÍODO DE HMM DA CENTRAL ................................................................ 299
AOPTR_12 - INTERRROGAÇÃO DE DADOS DE HMM DA CENTRAL ............................................................. 300
AOPTR_13 - MARCAÇÃO DE ASSINANTES PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO ................................................. 301
AOPTR_14 - RELATÓRIO DE ASSINANTES MARCADOS PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO ........................... 302

33 Recurso UC : USUÁRIO DE CHM .................................................................................................... 303


AOPUC_00 - PROGRAMAÇÃO DE TECLA DE FUNÇÃO .................................................................................. 303

34 Recurso V5 : INTERFACE V5 .......................................................................................................... 304


AOPV5_00 - CRIAÇÃO DE INTERFACE V5 ........................................................................................................ 304
AOPV5_01 - SUPRESSÃO DE INTERFACE V5 .................................................................................................. 308
AOPV5_02 - REPROVISIONAMENTO DE INTERFACE V5 ................................................................................ 310
AOPV5_03 - TROCA DE CONFIGURAÇÃO DA INTERFACE V5 ....................................................................... 314
AOPV5_04 - COLOCAR INTERFACE V5 EM SERVIÇO ..................................................................................... 317
AOPV5_05 - RETIRAR INTERFACE V5 DE SERVIÇO ....................................................................................... 319
AOPV5_06 - CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO PARA INTERFACE V5 ................................................................. 322
AOPV5_07 - MODIFICAR UMA CONFIGURAÇÃO EXISTENTE DA INTERFACE V5 ....................................... 329

Índice ................................................................................................................................................. 337

Versão S11.1 ix
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A.
Sumário Trópico RA

x 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais xviii
Trópico RA

Informações gerais 0

Estrutura e uso dos manuais de OMS

A documentação para operação, manutenção e supervisão da central Trópico RA é composta dos


seguintes manuais:

• Manual de atividades operacionais


• Manual de atividades de manuseio
• Manual de atividades de manutenção corretiva
• Manual de atividades de manutenção preventiva
• Manual de comandos
• Manual de parâmetros dos comandos

Os manuais são divididos de forma modular para que cada informação seja descrita somente uma vez,
o que facilita a verificação de consistência e torna os documentos mais resumidos.

Um conjunto de interações entre o operador e o equipamento é chamado de atividade, estas interações


podem ser através de comandos ou ações físicas.

Ao executar uma atividade de interação com a central pode ser necessária a utilização de mais que um
manual. A consulta a outros manuais ou a outras atividades dentro do mesmo manual será endereçada
através das seguintes palavras chave: atividade operacional, atividade de manuseio, atividade de
manutenção corretiva, atividade de manutenção preventiva e atividade de medição de tráfego, seguidas
pelo código da atividade em letras maiúsculas entre aspas. Quando for necessário acessar o manual
de comandos, isto será indicado pelas seguintes palavras chaves "através do comando" seguidas do
código do comando em letras maiúsculas.

Operação

Manual de atividades Manual de atividades


operacionais de manuseio

Manual de comandos

Manual de parâmetros
dos comandos

Versão S11.1 xi
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. xviii
Trópico RA

Manutenção

Manual de atividades Manual de atividades


de manutenção preventiva de manutenção corretiva

Manual de comandos

Manual de parâmetros
dos comandos

Habilitação de funcionalidades

Algumas funcionalidades do sistema, embora mencionadas nos manuais, somente estarão disponíveis
ao operador, mediante a habilitação de uma licença junto ao fabricante. Ao executar as atividades ou
comandos correspondentes, o operador receberá mensagens especiais indicando esta condição.

Linguagem para descrição de procedimentos (LDP)

A Linguagem para Descrição de Procedimentos (LDP), estabelece uma técnica formal de notação que
possibilita a especificação de todas as atividades para operação e manutenção contidas nos manuais
de O&M do Sistema TRÓPICO RA, de forma padronizada.

Nos itens seguintes serão apresentadas as regras sintáticas e semânticas que foram utilizadas na
definição da linguagem.

a) A linguagem

Na LDP, cada procedimento operacional possui um nome específico que designa alguma atividade dos
manuais de O&M do Sistema TRÓPICO RA.

Todo procedimento operacional é especificado, usando a estrutura padrão mostrada abaixo:

1 - Comando 1;
2 - Comando 2;
3 - Comando condicional 3;
3.1 - Comando 3.1;
3.2 - Comando 3.2;
.
.
.
4 - Comando 4;
.
.
.
N - Comando N;

Algumas regras gerais da linguagem são apresentadas a seguir:

xii 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais xviii
Trópico RA

• O texto que especifica o procedimento é constituído por comandos de 1 até N.


• Todos os comandos devem ser numerados, numa seqüência crescente de 1 até N. Cada número
desta seqüência é chamado de passo.
• Sempre que aparecerem os comandos condicionais SE, SENÃO ou CASO, os comandos
subseqüentes que estejam no seu contexto estarão em subitens.
• Um comando condicional SE sempre possui um SENÃO correspondente.
• O comando SE deverá conter sempre uma condição afirmativa. A condição negativa será
representada pelo comando SENÃO.
• Algumas palavras são reservadas pela linguagem, como palavras-chave:

AÇÃO, ATIVAR, CRIAR, DESATIVAR, INTERROGAR, MODIFICAR, SUPRIMIR, ATRAVÉS


DO COMANDO, COM PARÂMETROS, SEM PARÂMETROS, EXECUTAR ATIVIDADE,
OPERACIONAL, DE MANUSEIO, DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA, DE MANUTENÇÃO
CORRETIVA, SE, ENTÃO, SENÃO, CASO, IGUAL A, VÁ PARA O PASSO, ENCERRAR A
ATIVIDADE.

Estas palavras-chave serão sempre maiúsculas e somente serão consideradas como tal se não
estiverem entre aspas.

• Todo item é encerrado por ponto e vírgula (;), exceto quando terminado pelas palavras-chave
ENTÃO e SENÃO. Nestes casos, o item será encerrado por dois pontos (:).
• Um passo deverá conter uma das seguintes ações: execução de atividade, execução de comando,
ação genérica, verificação de condição, desvio no fluxo de execução ou encerramento imediato da
atividade. Para isso, as seguintes estruturas padrão estão previstas na LDP:

<n> - EXECUTAR ATIVIDADE <tipo_ativ> "<id_ativ>";

[/* <texto> */]

Onde tipo_ativ pode ser: OPERACIONAL, DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA, DE MANUSEIO, DE


MANUTENÇÃO CORRETIVA

<n> - <-verbo-> "<obj_cmd>" ATRAVÉS DO COMANDO <nom_cmd> [COM PARÂMETROS <-


lista_par->];
/* <texto> */]
Onde -verbo- pode ser: ATIVAR, CRIAR, DESATIVAR, INTERROGAR, MODIFICAR, SUPRIMIR

O campo COM PARÂMETROS poderá conter alguns ou todos os parâmetros de uma determinada
configuração, separados por vírgula, de forma que defina completamente ou facilite a escolha dos
parâmetros do comando. Os valores dos parâmetros podem ser explicitados, desde que em
qualquer circunstância assumam um valor único.

<n> - <-verbo-> "<obj_cmd>" ATRAVÉS DO COMANDO <nom_cmd> SEM PARÂMETROS;


[/* <texto> */]
<n> - AÇÃO: "<conteudo_ação>";
[/* <texto> */]
<n> - SE "<condição>" ENTÃO:
<n.1> -...
<n.2> -...

Versão S11.1 xiii


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. xviii
Trópico RA

<n> - SENÃO:
<n.1> -...
<n.2> -...

<n> - CASO "<condição>" IGUAL A "<val_1>" ENTÃO:


<n.1> -...
<n.2> -...
.
.
.
<n> - CASO "<condição>" IGUAL A "<val_n>" ENTÃO:
<n.1> -...
<n.2> -...
<n> - VA PARA O PASSO <n>;
[/* <texto> */]
<n> - ENCERRAR A ATIVIDADE;
[/* <texto> */]

Obs: Elementos indicados entre colchetes "[ ]" são opcionais.

Exemplo:

1 - AÇÃO: "Verificar se a conexão da placa ULD está ok";


2 - SE "a conexão está ok" ENTÃO:
2.1 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQULD_RT";
.
.
.
3 - SENÃO:
3.1 - AÇÃO: "Verificar...

b) Estruturas de Controle e Comando Simples

• Seqüência Simples e Comando Simples

A Seqüência Simples representa uma dinâmica de execução de dois ou mais comandos simples
em seqüência de passos crescentes.

Seja o trecho de um procedimento operacional dado:

1 - CRIAR "os dados do assinante" ATRAVÉS DO COMANDO CDADAS;

2 - AÇÃO: "Anotar o seu contador de tarifação";

xiv 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais xviii
Trópico RA

Neste trecho existem dois comandos simples 1 e 2, que devem ser executados seqüencialmente
pelo operador.

• Seqüência Condicional Simples e Comando Condicional Simples.

A seqüência Condicional simples representa uma dinâmica de execução na qual a realização de


uma seqüência de um ou mais comandos simples só será possível dependendo se o resultado da
verificação de alguma condição estiver satisfeita. Seja o trecho de um procedimento operacional
dado:

Ex1:

1 - AÇÃO: "Verificar se é possível ampliar a memória do processador onde reside o BI ANSIN";

2 - SE "é possível ampliar" ENTÃO:

2.1 - AÇÃO: "Executar a ampliação equipando o seu processador com mais memória";

2.2 - EXECUTAR ATIVIDADE OPERACIONAL "AOPPR_04";

/* para o processador em questão */

2.3 - ENCERRAR A ATIVIDADE;

3 - SENÃO:

3.1 - ENCERRAR A ATIVIDADE;

Ex2:

1 - INTERROGAR "se a classificação da placa conectada é correspondente à característica


esperada" ATRAVÉS DO COMANDO IPLAPR;

2 - SE "A classificação da placa é correspondente à característica esperada" ENTÃO:

2.1 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQTDT_RT";

2.2 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQTDT_RP";

/* Utilizando uma placa em boas condições */

2.3 - ENCERRAR A ATIVIDADE;

3 - SENÃO:

3.1 - AÇÃO: "Retirar a placa da posição indicada";

3.2 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQTDT_RP";

/* utilizando uma placa com as características adequadas à sua classificação */

Nestes exemplos citados acima, a dinâmica da execução é realizada da seguinte maneira:

O operador deve realizar a verificação simples do passo 1, e se a condição prevista na análise for
satisfeita deve ser realizada a seqüência de passos 2.1,2.2 e 2.3,contidos no comando SE, mas
se esta condição não for satisfeita o operador não deve realizar os passos 2.1,2.2 e 2.3, e deve
passar a executar a partir do passo 3.1,contido no comando SENÃO.

Versão S11.1 xv
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. xviii
Trópico RA

c) Seqüência Condicional Composta e Comando Condicional Composto.

A Seqüência Condicional Composta representa uma dinâmica de execução, na qual a realização de


uma seqüência de comandos simples, dentre duas ou mais seqüências, só será possível se alguma
condição for satisfeita.

Sempre uma e somente uma das várias seqüências de comandos simples da seqüência condicional
será executada.

Seja o procedimento operacional dado:

1 - EXECUTAR ATIVIDADE OPERACIONAL "AOPAC_00";


/* criando um arquivo contendo o comando ATCOAS, especificando o tipo de teste desejado (de 1
linha e/ou circuito) */
2 - EXECUTAR ATIVIDADE OPERACIONAL "AOPAC_02";
/* agendando o arquivo para um horário de baixo tráfego, de preferência à noite */
3 - AÇÃO: "Aguardar a execução do arquivo de comandos indiretos agendado";
4 - INTERROGAR "se houve falha para algum assinante" ATRAVÉS DO COMANDO IRTEAS;
5 - SE "houve falha" ENTÃO:
5.1 - AÇÃO: "Verificar o tipo de teste realizado no comando ATCOAS";
5.2 - CASO "teste realizado" IGUAL A "teste de linha" ENTÃO:
5.2.1 - ATIVAR "teste de linha para os assinantes cujo teste acusou falha" ATRAVÉS DO
COMANDO ATLIAS;
5.2.2 - AÇÃO: "Anotar os resultados e providenciar a devida manutenção nas referidas linhas
externas";
5.3 - CASO "teste realizado" IGUAL A "teste de circuito" ENTAO:
5.3.1 - VA PARA O PASSO 5.4.3;
5.4 - CASO "teste realizado" IGUAL A "teste de linha e circuito" ENTAO:
5.4.1 - ATIVAR "teste de linha para assinantes cujo teste acusou falha" ATRAVÉS DO COMANDO
ATLIAS;
5.4.2 - AÇÃO: "Anotar os resultados e providenciar a devida manutenção nas referidas linhas
externas";
5.4.3 - ATIVAR "teste de circuito dos assinantes cujo teste coletivo acusou falha" ATRAVÉS DO
COMANDO ATCLAS;
5.4.4 - SE "o teste de circuito deu ok" ENTAO:
5.4.4.1 - ENCERRAR A ATIVIDADE;
5.4.5 - SENÃO:
5.4.5.1 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQULD_RT";
/* para as placas ULD onde se encontram os assinantes com falha no circuito */
5.4.5.2 - EXECUTAR ATIVIDADE DE MANUSEIO "AMQULD_RP";
6 - SENÃO:
6.1 - ENCERRAR A ATIVIDADE;

Neste exemplo, os passos serão executados em seqüência simples de 1 a 4. Os passos 5 e 6


correspondem a uma seqüência condicional simples, devendo ser executados somente os passos que
estejam no escopo do SE ou SENÃO. Se a condição do passo 5 for satisfeita, haverá em seguida uma

xvi 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais xviii
Trópico RA

seqüência condicional composta, representada pelos passos 5.2, 5.3 e 5.4, sendo que somente um
destes passos, juntamente com seus subitens, deverá ser executado, de acordo com o resultado do
passo 5.1.

Versão S11.1 xvii


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. xviii
Trópico RA

xviii 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 2
Trópico RA

1
Introdução 1

Neste manual estão detalhadas as atividades operacionais necessárias para instalação, operação e
administração dos recursos disponíveis na central Trópico RA.

Deve ser consultado sempre que se mencionar a execução de uma atividade operacional, ou que surgir
a necessidade de manusear qualquer um dos recursos associados à central Trópico RA. Para isto, o
operador deverá identificar a que recurso pertence a atividade operacional a ser executada e, dentro
deste recurso, procurar pelos procedimentos necessários à execução da atividade. Será necessário,
em muitas casos, recorrer aos demais manuais de O&M do Trópico RA, principalmente o manual de
comandos.

Cada atividade operacional é composta por duas partes:

• Informações preliminares: contêm objetivo, preliminares, restrições e terminologia relativas à


atividade em questão;
• Procedimento operacional, descrito na linguagem LDP (Linguagem para Descrição de
Procedimentos).

Um procedimento operacional corresponde a uma seqüência de comandos CHM, associados a


observações e atitudes do operador em relação à central. Como regra geral, atividades compostas
apenas por um único comando não constam como atividade operacional neste manual. No entanto,
algumas atividades, embora compostas por um único comando, requerem do operador algumas
atitudes específicas, além do comando propriamente dito. Estas atividades surgem neste manual, em
geral com o mesmo nome do comando CHM, porém com o fluxo detalhado das atitudes a serem
tomadas por parte do operador da Central.

Versão S11.1 1
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 2
Trópico RA

2 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAC_00

2
Recurso AC : ARQUIVO DE COMANDOS

AOPAC_00 CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS

Objetivo: Criar um arquivo contendo comandos CHM para serem executados em lote
ou serem agendados para execução posterior.

Preliminares: N.A.

Restrições: Não utilizar dentro do A.C.I. o comando IDARMM com parâmetro ARQ es-
pecificando o nome do próprio A.C.I. com extensão .RES
EXEMPLO: Um A.C.I. com nome TESTE.TES não pode conter o comando
"IDARMM:ARQ=TESTE.RES" incluído em sua lista de comandos.

Terminologia: O caractere "<" inicia uma linha de comando; o caractere ">" indica continu-
ação da linha de comando anterior. Linhas do arquivo de comandos não ini-
ciadas pelo símbolo "<" ou ">" são consideradas comentários.

Procedimento:
1 - Ativar o editor de arquivos através da tecla PF3 ou das teclas CONTROL-E do terminal CHM
2 - Editar um arquivo com extensão .CMI (nome.CMI), contendo linhas de comando no formato
idêntico ao utilizado para execução de comandos em terminal CHM. Cada linha deve ser inici-
ada pelo símbolo <, seguido do código do comando, seus parâmetros e respectivos valores, fi-
nalizando cada linha com ponto e vírgula (). Se o comando necessitar diálogo para cada
resposta, deverá existir uma linha subseqüente, iniciada com o caractere (:) e contendo o texto
de respostas. Se for necessário continuar o comando na próxima linha, colocar o símbolo > no
início da linha de continuação do comando
3 - Encerrar a edição e gravar o arquivo através das teclas CONTROL-Z, seguida da tecla E No
caso de desistência da gravação do arquivo, deve-se utilizar as teclas CONTROL-Z, seguida da
tecla Q.

Versão S11.1 3
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAC_01 Trópico RA

AOPAC_01
x CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE MACRO-COMANDO

Objetivo: Criar um arquivo contendo comandos CHM para serem executados em lote,
sendo fornecidos os valores dos parâmetros durante a execução do arquivo
de comandos, de modo iterativo com o sistema.

Preliminares: N.A.

Restrições: Linhas do arquivo de comandos não iniciadas pelo símbolo "<" são conside-
radas comentários.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Ativar o editor de arquivos através da tecla PF3 do terminal CHM
2 - Editar um arquivo com extensão .MCO (nome.MCO) contendo linhas de comando iniciadas pelo
símbolo ’<’, seguido do código do comando e a lista de parâmetros separados por vírgula, sem
especificar seus valores, finalizando cada linha com ponto e vírgula ()
3 - Encerrar a edição e gravar o arquivo

4 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAC_02

AOPAC_02
x AGENDAMENTO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS

Objetivo: Agendar um arquivo de comandos para execução posterior, podendo a exe-


cução ser periódica, a partir de uma certa hora de início.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDI-
RETOS) atribuindo um nome adequado ao arquivo
2 - ATIVAR o teste sintático e semântico do arquivo através do comando ATESAC
3 - INTERROGAR o resultado do teste examinando a nova extensão do arquivo através do coman-
do IDIRMM
4 - CASO nova extensão do arquivo IGUAL A .ERR ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR o arquivo de respostas, criado (extensão .MEN) em decorrência do teste
dos comandos contidos no arquivo, observando os erros encontrados no teste através do
comando IDARMM
4.2 - MODIFICAR a extensão do nome do arquivo submetido ao teste (que após o teste passou
a ser .ERR) para seu valor antigo (.CMI) através do comando MNOAMM
4.3 - Editar o arquivo de comandos, inserindo as correções necessárias, baseado nas mensa-
gens de erro contidas no arquivo de resposta (extensão .MEN)
4.4 - Vá para o passo 2
5 - CASO nova extensão do arquivo IGUAL A .TES ENTÃO:
5.1 - ATIVAR o agendamento do arquivo de comandos através do comando AAGEAC
5.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 5
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAC_03 Trópico RA

AOPAC_03
x EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS

Objetivo: Ativar a execução de um arquivo contendo um ou mais comandos CHM a


serem executados em sequência.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDI-
RETOS) atribuindo um nome adequado ao arquivo
2 - ATIVAR o teste sintático e semântico do arquivo através do comando ATESAC
3 - INTERROGAR o resultado do teste examinando a nova extensão do arquivo através do coman-
do IDIRMM
4 - CASO nova extensão do arquivo IGUAL A .ERR ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR o arquivo de respostas, criado (extensão .MEN) em decorrência do teste
dos comandos contidos no arquivo, observando os erros encontrados no teste através do
comando IDARMM
4.2 - MODIFICAR a extensão do nome do arquivo submetido ao teste (que após o teste passou
a ser .ERR) para seu valor antigo (.CMI) através do comando MNOAMM
4.3 - Editar o arquivo de comandos, inserindo as correções necessárias, baseado nas mensa-
gens de erro contidas no arquivo de respostas (extensão .MEN)
4.4 - Vá para o passo 2
5 - CASO nova extensão do arquivo IGUAL A .TES ENTÃO:
5.1 - ATIVAR a execução do arquivo de comandos através do comando AEXEAC
5.2 - Encerrar a atividade

6 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAC_04

AOPAC_04
x EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE MACRO-COMANDO

Objetivo: Executar um arquivo contendo comandos CHM sem os valores dos parâme-
tros, sendo fornecidos estes valores dos durante a execução do arquivo de
comandos, de modo iterativo com o sistema.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAC_01 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE MACRO-COMANDO)
atribuindo um nome adequado ao arquivo
2 - ATIVAR a execução do arquivo através do comando AEXEAC com chave /MC
3 - Fornecer o valor para cada parâmetro de um comando contido no arquivo, conforme for solici-
tado através de diálogo com o operador, via terminal de CHM
4 - Aguardar a resposta à execução do comando, após o preenchimento dos parâmetros do mesmo
5 - SE houver mais comandos a serem executados, dentro do mesmo arquivo de macro comandos
ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 3
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 7
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAC_05 Trópico RA

AOPAC_05
x CANCELAMENTO DA PROGRAMAÇÃO EM AGENDA DE
ARQUIVO DE COMANDOS

Objetivo: Retirar da agenda um arquivo de comandos previamente agendado.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os arquivos de comandos que estão programados em agenda através do co-
mando IAGEAC
2 - DESATIVAR a programação em agenda do arquivo desejado, inibindo a próxima execução ou
retirando definitivamente da agenda através do comando DAGEAC

8 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAC_06

AOPAC_06
x CANCELAMENTO DA EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS

Objetivo: Interromper a execução de um arquivo de comandos em execução num


dado instante.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os arquivos de comandos que estão em execução num dado instante através
do comando IEXEAC
2 - DESATIVAR a execução do arquivo desejado através do comando DEXEAC

Versão S11.1 9
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAC_07 Trópico RA

AOPAC_07
x ASSOCIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDIRETOS A
FALHA

Objetivo: Associar um arquivo de comandos a uma falha, ativando sua execução no


momento em que a falha associada for sinalizada no sistema.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDI-
RETOS) atribuindo um nome adequado ao arquivo
2 - ATIVAR o teste sintático e semântico do arquivo através do comando ATESAC
3 - INTERROGAR o resultado do teste examinando a nova extensão do arquivo através do coman-
do IDIRMM
4 - CASO nova extensão IGUAL A .ERR ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR o arquivo de respostas, criado (extensão .MEN) em decorrência do teste
dos comandos contidos no arquivo, observando os erros encontrados no teste através do
comando IDARMM
4.2 - MODIFICAR a extensão do nome do arquivo submetido ao teste (que após o teste passou
a ser .ERR) para seu valor antigo (.CMI) através do comando MNOAMM
4.3 - Editar o arquivo de comandos, inserindo as correções necessárias, baseado nas mensa-
gens de erro contidas no arquivo de resposta (extensão .MEN)
4.4 - Vá para o passo 2
5 - CASO nova extensão IGUAL A .TES ENTÃO:
5.1 - MODIFICAR a associação do arquivo de comandos à falha, identificando o arquivo pelo
seu nome e a falha pelo nome do BI que a sinaliza, o número da falha dentro do BI e quan-
do necessário o nome e valor da unidade de supervisão através do comando MFALAC
5.2 - Encerrar a atividade

10 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_00

3
x

Recurso AS : ASSINANTE

AOPAS_00 INSTALAÇÃO DE ASSINANTE

Objetivo: Instalar um assinante na Central, associando os dados necessários à sua


operação.

Preliminares: Ordem de serviço;


Conexão no D.G.;
Processador equipado, criado, iniciado e associado a um testador de linha;
Placa de assinante equipada e criada;

Restrições: Quando da criação de assinantes digitais (64k), placa TAD, somente as qua-
tro primeiras posições (0 a 3) de terminais podem ser criadas.

Terminologia: Os assinantes são criados com as seguintes classificações:


- Assinante Padrão em acesso analógico:
TAS=TLCOM (assinante comum), CTO=ASSCO (assinante comum),
RTO=0 (sem restrições), TAP=TEDEC (decádico), SEL=SEMSI (sem sinal),
TAT=COMUM (tarifação comum), ATO=0, PEC=0, CAD=0, ATD=0,
CTT=LICTA (assinante livre com tarifação), CMT=NORMAL, RTT=SEMRT
(sem restrição), FAT=ATSIM (atendimento simples), LBT=LINOR (liberação
normal), SOR=NSORG (não solicita identidade do chamador, TEP=IPOSR
inversão de polaridade sem rampa), CSS=SSAUS (sem serviço suplemen-
tar), CLN=LONGA (para assinante não CLAD) ou CLN=CURTA (para assi-
nante CLAD), TFL=CURTA (tecla de flash curta).
- Assinante Padrão em acesso básico ou primário:
CTO=ASSCO (assinante comum), RTO=0 (sem restrições), ATO=0,
PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LICTA (assinante livre com tarifação),
CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT (sem restrição), FAT=ATSIM (aten-
dimento simples), LBT=LINOR (liberação normal), SOR=NSORG (não soli-
cita o número do chamador), DIR=BIDIR (bidirecional), CAC=0, ENC=IRREL
(irrelevante quanto ao envio de identidade do chamador), GTO=CENTRAL
(geração de tons de controle de chamada na central), PTO=SEMPER (sem
permissão para gerar tons de controle de chamada), SSP=VOZ&AU-
DIO&I64K (serviços de suporte 64Kbps voz, 64kbps 3.1 kHz Áudio e 64kbps
irrestrito), NCD=2 (para acesso básico) ou NCD=30 (para acesso primário).
- TP Cartão:
TAS=TPCAR (telefone público-cartão), CTO=TPINT (telefone público inte-
rurbano), RTT=NRECE (terminal não recebe), SEL=CTARI (com tarifação)
e FAT=ATDUP (atendimento duplo).
- TP Ficha:
TAS=TPFIC (telefone público-ficha), CTO=TPLOC (telefone público local),
RTT=NRECE (terminal não recebe), SEL=CTARI (com tarifação) e
FAT=ATDUP (atendimento duplo).

Procedimento:
1 - INTERROGAR se está criado o número de assinante através do comando IDADAS com parâ-
metros ASS
2 - SE o número de assinante estiver criado ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados do assinante na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis

Versão S11.1 11
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_00 Trópico RA

2.2 - Encerrar a atividade


3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se está disponível o número de equipamento através do comando IDADAS
com parâmetros NEA
3.2 - SE o número de equipamento estiver disponível ENTÃO:
3.2.1 - CRIAR logicamente o assinante através do comando CDADAS
3.2.2 - INTERROGAR o contador de tarifação do assinante através do comando ICTAAS
com parâmetros ASS anotar o contador de tarifação do assinante na ordem de ser-
viço
3.2.3 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE)
3.2.4 - Verificar na ordem de serviço se classificação pretendida é padrão
3.2.5 - SE classificação pretendida for padrão ENTÃO:
3.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.11.1
3.2.6 - SENÃO:
3.2.6.1 -Executar atividade operacional AOPAS_09 (MUDANÇA NA CLASSIFICAÇÃO DE
ASSINANTE)
3.2.6.2 -Vá para o passo 3.2.7
3.2.7 - Verificar na ordem de serviço se é atribuído algum serviço suplementar
3.2.8 - SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
3.2.8.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR)
3.2.8.2 -Vá para o passo 3.2.10
3.2.9 - SENÃO:
3.2.9.1 -Vá para o passo 3.2.10
3.2.10 -SE for assinante em acesso digital (básico ou primário) ENTÃO:
3.2.10.1 -Verificar na ordem de serviço se possui o serviço Múltiplos Números
3.2.10.2 -SE possuir o serviço ENTÃO:
3.2.10.2.1 -MODIFICAR a classificação do assinante através do comando MDADAS com
parâmetros ASS, HMN=MNPRE
3.2.10.2.2 -CRIAR logicamente os números de lista associado ao assinante através do co-
mando CDADAS com parâmetros ASS, MNU
3.2.10.2.3 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para múltiplos nú-
meros é padrão
3.2.10.2.4 -SE a classificação pretendida for padrão ENTÃO:
3.2.10.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.11.1
3.2.10.2.5 -SENÃO:
3.2.10.2.5.1 -MODIFICAR a classificação do número associado através do comando MDA-
DAS com parâmetros MNU
3.2.10.2.5.2 -Vá para o passo 3.2.11.1
3.2.10.3 -SENÃO:
3.2.10.3.1 -Vá para o passo 3.2.11.1
3.2.11 -SENÃO:

12 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_00

3.2.11.1 -MODIFICAR o estado operacional do assinante através do comando MESTAS


com parâmetros ASS,CHA,NEA, BLO=DBQ
3.2.11.2 -Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 13
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_01 Trópico RA

AOPAS_01
x INSTALAÇÃO DE LINHA PARA SERVIÇO ESPECIAL LOCAL

Objetivo: Instalar terminais de assinantes em rota de serviço especial.

Preliminares: Ordem de serviço;


Conexão do DG;
Processador de assinantes equipado, criado, iniciado e associado a um tes-
tador de linha;
Placa de assinante equipada e criada.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do código de numeração para encaminhamento referente ao servi-
ço especial desejado através do comando ICNUEN
2 - SE existir código de numeração desejada ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade o código de numeração desejado já está ocupado para outros fins.
Rever todo o procedimento
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR logicamente a linha através do comando CDADAS com parâmetros NEA,
NAS,TAS=SESPE
3.2 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE ASSI-
NANTE)
3.3 - Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida é padrão
3.4 - SE classificação pretendida for padrão ENTÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.5.2
3.5 - SENÃO:
3.5.1 - MODIFICAR a classificação do assinante através do comando MDADAS
3.5.2 - MODIFICAR o estado operacional do assinante através do comando MESTAS
com parâmetros BLO=DBQ
3.5.3 - Executar atividade operacional AOPEN_04 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUME-
RAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) associando o NEA ao en-
caminhamento
3.5.4 - Vá para o passo 1

14 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_02

AOPAS_02
x INSTALAÇÃO DE ASSINANTE ASSOCIADO A ROTA COM TARIFA-
ÇÃO REVERSA

Objetivo: Instalar um assinante associando-o a uma rota com tarifação reversa. Esta
atividade destina-se a atender uma rota de saída em serviço especial local
(Ex 198). Neste caso associa-se à rota de saída um número de lista que será
utilizado somente para fins de tarifação por multimedição.

Preliminares: Ordem de serviço;


Conexão do D.G.;
Processador de assinantes equipado, criado e iniciado;
Placa de assinante equipada e criada.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se está criado o número de assinante através do comando IDADAS
2 - SE o número de assinante estiver criado ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados do assinante na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPRO_00 (CRIAÇÃO DE ROTA) com CRT=TFASS,
CMT=RESERVA, ASS= número de lista associado à rota
3.2 - CRIAR logicamente o assinante associado a esta rota através do comando CDADAS com
parâmetros ASS, ROT
3.3 - Anotar o contador de tarifação do assinante na ordem de serviço
3.4 - MODIFICAR o estado operacional da rota através do comando MESTRO com parâmetros
ROT, BLO=BLQ
3.5 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 15
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_03 Trópico RA

AOPAS_03
x RETIRADA DE ASSINANTE

Objetivo: Desconectar uma linha de assinante da Central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no DG.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
TERMINAIS DE ASSINANTE)
2 - INTERROGAR se o assinante está marcado para chamada de teste dirigida através do coman-
do ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
3 - SE o assinante estiver marcado ENTÃO:
3.1 - MODIFICAR a marcação do assinante para chamada de teste dirigida através do comando
MCTECE com parâmetros ICT=DES
3.2 - Vá para o passo 5
4 - SENÃO:
4.1 - Vá para o passo 5
5 - INTERROGAR se o assinante possui serviços suplementares através do comando IDADSS
com parâmetros ASS
6 - SE o assinante possuir serviços suplementares ENTÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR)
6.2 - MODIFICAR a classificação do assinante através do comando MDADAS com parâmetros
ASS, CSS=SSAUS
6.3 - Vá para o passo 8
7 - SENÃO:
7.1 - Vá para o passo 8
8 - INTERROGAR se o assinante possui serviço de tarifação reversa (NTR) através do comando
IDADAS
9 - SE o assinante possuir o serviço ENTÃO:
9.1 - MODIFICAR a atribuição do serviço ao assinante através do comando MDADAS com pa-
râmetros ASS,NTR,TPO=SUPR
9.2 - Vá para o passo 11
10 - SENÃO:
10.1 -Vá para o passo 11
11 - INTERROGAR se o assinante está marcado para medição através do comando IASSTR com
parâmetros TIP,NEA
12 - SE o assinante estiver marcado ENTÃO:
12.1 -MODIFICAR a marcação para medições através do comando MASSTR com parâmetros
ICT=DES
12.2 -Vá para o passo 14
13 - SENÃO:

16 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_03

13.1 -Vá para o passo 14


14 - INTERROGAR se o assinante está marcado para conexão semipermanente através do coman-
do IDADCS
15 - SE o assinante estiver marcado para conexão semipermanente ENTÃO:
15.1 -SUPRIMIR a conexão semipermanente do assinante através do comando SDADCS
15.2 -Vá para o passo 17
16 - SENÃO:
16.1 -Vá para o passo 17
17 - INTERROGAR se o assinante é um acesso digital (básico ou primário) que possui o serviço Múl-
tiplos Números através do comando IDADAS com parâmetros ASS
18 - SE for assinante digital que possui o serviço Múltiplos Números ENTÃO:
18.1 -SUPRIMIR os múltiplos números associados ao assinante através do comando SDADAS
com parâmetros ASS, MNU para todos os números associados ao assinante
18.2 -MODIFICAR a atribuição do serviço do assinante através do comando MDADAS com pa-
râmetros ASS, HMN=MNAUS
18.3 -Vá para o passo 20
19 - SENÃO:
19.1 -Vá para o passo 20
20 - INTERROGAR os valores dos parâmetros MA2, MB2 e MO2 atribuídos ao assinante a ser su-
primido através do comando IDADAS anotar os valores dos parâmetros MA2, MB2 e MO2 atri-
buídos
ao assinante a ser suprimido
21 - SUPRIMIR dados do assinante através do comando SDADAS com parâmetros ASS
22 - verificar se o valor do parâmetro MA2 é igual a S_INF
23 - SE o MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
23.1 -Vá para o passo 25
24 - SENÃO:
24.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE)
24.2 -Vá para o passo 25
25 - verificar se o valor do parâmetro MB2 é igual a S_INF
26 - SE o MB2 for igual a S_INF ENTÃO:
26.1 -Vá para o passo 28
27 - SENÃO:
27.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE)
27.2 -Vá para o passo 28
28 - verificar se o valor do parâmetro MO2 é igual a S_INF
29 - SE o MO2 for igual a S_INF ENTÃO:
29.1 -Encerrar a atividade
30 - SENÃO:
30.1 -Executar atividade operacional AOPEN_16 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS)
30.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 17
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_04 Trópico RA

AOPAS_04
x RETIRADA DE ASSINANTE ASSOCIADO A ROTA COM TARIFA-
ÇÃO REVERSA

Objetivo: Desconectar uma linha de assinante associada a uma rota com tarifação re-
versa.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no D.G.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o assinante possui serviços suplementares através do comando IDADSS
com parâmetros ASS
2 - SE o assinante possuir serviços suplementares ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR)
2.2 - MODIFICAR a classificação do assinante através do comando MDADAS com parâmetros
ASS, CSS=SSAUS
2.3 - Executar atividade operacional AOPRO_01 (SUPRESSÃO DE ROTA)
2.4 - SUPRIMIR o assinante associado à rota através do comando SDADAS com parâmetros
ASS,ROT Anotar o contador de tarifação do assinante na ordem de serviço
2.5 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 2.3

18 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_05

AOPAS_05
x RETIRADA DE ASSINANTES ASSOCIADOS A SERVIÇO ESPE-
CIAL LOCAL

Objetivo: Desconectar linha de assinante associada a rota de serviço especial.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no D.G.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA)
2 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
TERMINAIS DE ASSINANTE)
3 - INTERROGAR se o assinante está marcado para chamada de teste dirigida através do coman-
do ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
4 - SE o assinante estiver marcado ENTÃO:
4.1 - MODIFICAR a marcação de assinante para chamada de teste através do comando MC-
TECE com parâmetros ICT=DES
4.2 - INTERROGAR se o assinante está marcado para medições através do comando IASSTR
4.3 - SE o assinante estiver marcado ENTÃO:
4.3.1 - MODIFICAR a marcação para medições através do comando MASSTR com parâ-
metros ICT=DES
4.3.2 - Vá para o passo 4.5
4.4 - SENÃO:
4.4.1 - Vá para o passo 4.5
4.5 - SUPRIMIR a linha de serviço especial através do comando SDADAS com parâmetros NEA
4.6 - Encerrar a atividade
5 - SENÃO:
5.1 - Vá para o passo 4.2

Versão S11.1 19
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_06 Trópico RA

AOPAS_06
x CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL

Objetivo: Criar um novo milhar na Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o milhar a ser criado é o primeiro milhar do prefixo através do comando IMI-
LAS com parâmetros MLH Verificar na ordem de serviço se o milhar a ser criado é o primeiro
milhar do prefixo
2 - SE for o primeiro milhar do prefixo ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEN_04 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) criando um prefixo na árvore de análise
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR milhar de assinante através do comando CMILAS
3.2 - Encerrar a atividade

20 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_07

AOPAS_07
x SUPRESSÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL

Objetivo: Suprimir um milhar da Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o milhar a ser suprimido é o último milhar do prefixo através do comando IMI-
LAS com parâmetros MLH Verificar na ordem de serviço se o milhar a ser suprimido é o último
milhar do prefixo
2 - SE for o último milhar do prefixo ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para o prefixo do milhar
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR o milhar de assinante através do comando SMILAS
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 21
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_08 Trópico RA

AOPAS_08
x SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE TERMINAIS DE
ASSINANTE

Objetivo: Obter os assinantes em conversação na Central, dentre um grupo selecio-


nado para supervisão.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do(s) terminal(is) que será(o) supervisionado(s) através do
comando MESTAS com parâmetros BLO=BLQ,ASS
2 - ATIVAR supervisão para os terminais através do comando ASEOAS
3 - Aguardar a mensagem de fim de supervisão no terminal de CHM
4 - Encerrar a atividade

22 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_09

AOPAS_09
x MUDANÇA NA CLASSIFICAÇÃO DE ASSINANTE

Objetivo: Mudar atributos relativos a classificação padrão de assinantes.

Preliminares: Assinante criado;


Assinante com serviço de tarifação reserva é um assinante com a atribuição
no NTR cujo prefixo deve estar configurado através do equipamento confi-
gurador e criado na árvore de análise numérica.
Ordem de Serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: Os assinantes são criados com as seguintes classificações:


- Assinante Padrão em acesso analógico:
TAS=TLCOM (assinante comum), CTO=ASSCO (assinante comum),
RTO=0 (sem restrições), TAP=TEDEC (decádico), SEL=SEMSI (sem sinal),
TAT=COMUM (tarifação comum), ATO=0, PEC=0, CAD=0, ATD=0,
CTT=LICTA (assinante livre com tarifação), CMT=NORMAL, RTT=SEMRT
(sem restrição), FAT=ATSIM (atendimento simples), LBT=LINOR (liberação
normal), SOR=NSORG (não solicita identidade do chamador, TEP=IPOSR
inversão de polaridade sem rampa), CSS=SSAUS (sem serviço suplemen-
tar), TFL=CURTA (tecla de flash curta), CLN=LONGA (para assinante não
CLAD) ou CLN=CURTA (para assinante CLAD).
- Assinante Padrão em acesso básico ou primário:
CTO=ASSCO (assinante comum), RTO=0 (sem restrições), ATO=0,
PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LICTA (assinante livre com tarifação),
CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT (sem restrição), FAT=ATSIM (aten-
dimento simples), LBT=LINOR (liberação normal), SOR=NSORG (não soli-
cita o número do chamador), DIR=BIDIR (bidirecional), CAC=0, ENC=IRREL
(irrelevante quanto ao envio de identidade do chamador), GTO=CENTRAL
(geração de tons de controle de chamada na central), PTO=SEMPER (sem
permissão para gerar tons de controle de chamada), SSP=VOZ&AU-
DIO&I64K (serviços de suporte 64Kbps voz, 64kbps 3.1 kHz Áudio e 64kbps
irrestrito), NCD=2 (para acesso básico) ou NCD=30 (para acesso primário).
- TP Cartão:
TAS=TPCAR (telefone público-cartão), CTO=TPINT (telefone público inte-
rurbano), RTT=NRECE (terminal não recebe), SEL=CTARI (com tarifação)
e FAT=ATDUP (atendimento duplo).
- TP Ficha:
TAS=TPFIC (telefone público-ficha), CTO=TPLOC (telefone público local),
RTT=NRECE (terminal não recebe), SEL=CTARI (com tarifação) e
FAT=ATDUP (atendimento duplo).
Para utilização de equipamento de identificação de número de assinante
chamador, o parâmetro SOR deve ter a seguinte atribuição: SIORG - solicita
o número do chamador.
Para terminais de assinantes digitais (64k) em acessos analógicos, os parâ-
metros CTO (Categoria em Tráfego Originado) deve ser igual a EQCOM e
RTT (Restrição em Tráfego Terminado) deve ser igual a TRDAD.

Procedimento:
1 - Verificar na ordem de serviço se a mudança de classificação é em telefone semi-público
2 - SE a mudança de classificação for em telefone semi-público ENTÃO:

Versão S11.1 23
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_09 Trópico RA

2.1 - Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida é para quando o telefone semi-
público assume a condição assinante comum
2.2 - SE a classificação for para assinante comum ENTÃO:
2.2.1 - MODIFICAR a classificação do assinante para a condição assinante comum atra-
vés do comando MDADAS com parâmetros CSP=SPCOM
2.2.2 - Encerrar a atividade
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - MODIFICAR a classificação do assinante para a condição telefone público através
do comando MDADAS com parâmetros CSP=SPTPU
2.3.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR a classificação do(s) assinante(s) através do comando MDADAS
3.2 - Encerrar a atividade

24 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_10

AOPAS_10
x TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE ASSINANTE

Objetivo: Efetuar testes nas linhas externas e circuitos de assinantes na central TRÓ-
PICO-RA.

Preliminares: Ordem de serviço;


Placa de assinante equipada e criada;
Placa ROT criada e equipada;
Existência de rede externa de assinantes.
Quando existirem assinantes CLAD: placas RTL criada e equipada na UDL.

Restrições: Não se aplica teste de linha em assinantes em acessos primários.


Não se aplica teste de circuito em assinantes CLAD, assinantes em acessos
básicos e primários.

Terminologia: Maiores detalhes quanto aos tipos de testes e terminologia empregada, con-
sultar o documento MANUAL DE MANUSEIO:
- PLACA ROBÔ DE TESTE (ROT);
- PLACA ROBÔ DE TESTE DE LINHA (RTL).

Procedimento:
1 - ATIVAR o autoteste do robô de teste através do comando AATETL
2 - CASO o resultado do teste for IGUAL A TESTE MAL SUCEDIDO - RELÉ COLADO ENTÃO:
2.1 - Executar atividade de manutenção corretiva AMCCOROT_04
2.2 - Encerrar a atividade
3 - CASO o resultado do teste for IGUAL A bem sucedido ENTÃO:
3.1 - ATIVAR o teste do(s) assinante(s) indicado(s) na ordem de serviço através do comando
ATESAS
3.2 - SE existe falha ENTÃO:
3.2.1 - ATIVAR teste de linha de assinante, para o(s) assinante(s) cujo teste acusa falha
através do comando ATLIAS
3.2.2 - Anotar os resultados e providenciar a devida manutenção nas referidas linhas ex-
ternas
3.2.3 - ATIVAR teste de linha de assinante (após manutenção) se ainda existe anormali-
dade nas linhas externas através do comando ATLIAS
3.2.4 - SE existe anormalidade nas linhas externas ENTÃO:
3.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.2
3.2.5 - SENÃO:
3.2.5.1 -ATIVAR o teste dos circuitos do(s) assinante(s) cujo teste acusa falhas através do
comando ATCLAS
3.2.5.2 -SE o teste de circuito acusa falha ENTÃO:
3.2.5.2.1 -Executar atividade de manuseio AMQULD_RT para a(s) placa(s) ULD onde se
encontra(m) o(s) assinante(s) com falha no circuito
3.2.5.2.2 -Executar atividade de manuseio AMQULD_RP utilizando placa(s) ULD em boas
condições
3.2.5.2.3 -Vá para o passo 3.2.5.1
3.2.5.3 -SENÃO:
3.2.5.3.1 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 25
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_10 Trópico RA

3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Encerrar a atividade
4 - CASO o resultado do teste for IGUAL A TESTE MAL SUCEDIDO - AUTO TESTE NÃO REALI-
ZADO NO CIRCUITO ENTÃO:
4.1 - ATIVAR novamente o autoteste do robô de teste através do comando AATETL com parâ-
metros NTE NTE é o número do testador incriminado
4.2 - SE persistir a condição ENTÃO:
4.2.1 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA ROT)
4.2.2 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA ROT)
4.2.3 - Vá para o passo 4.1
4.3 - SENÃO:
4.3.1 - Encerrar a atividade
5 - CASO o resultado do teste for IGUAL A TESTE MAL SUCEDIDO - AUTO TESTE NÃO REALI-
ZADO NA LINHA ENTÃO:
5.1 - ATIVAR novamente o autoteste do robô de teste através do comando AATETL com parâ-
metros NTE NTE é o número do testador incriminado
5.2 - SE persistir a condição ENTÃO:
5.2.1 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA ROT)
5.2.2 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA ROT)
5.2.3 - Vá para o passo 5.1
5.3 - SENÃO:
5.3.1 - Encerrar a atividade
6 - CASO o resultado do teste for IGUAL A TESTE MAL SUCEDIDO - TESTADOR COM FALHA
ENTÃO:
6.1 - ATIVAR novamente o autoteste do robô de teste através do comando AATETL com parâ-
metros NTE NTE é o número do testador incriminado
6.2 - SE persistir a condição ENTÃO:
6.2.1 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA ROT)
6.2.2 - Executar atividade de manuseio AMQROT_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA ROT)
6.2.3 - Vá para o passo 6.1
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - Encerrar a atividade

26 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_11

AOPAS_11
x TESTE COLETIVO DE ASSINANTES

Objetivo: Executar teste de linha e/ou circuito para todos os assinantes da central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Assinantes criados;
Placas de assinantes equipadas;
Placa ROT criada e equipada.
Quando existirem assinantes CLAD: placas RTL criadas e equipadas nas
UDL.

Restrições: Este comando deve ser executado em horário de baixo tráfego, sendo sua
execução bastante demorada, aumentando de acordo com o número de as-
sinantes da central. Deverá ser executado através de agendamento de ar-
quivo de comandos indiretos;
Ao executar-se o comando IRTEAS, deve-se observar a data e hora para
certificar-se de que os resultados referem-se ao teste coletivo executado.
No teste de coletivo não é executado:
- teste de linha para assinantes em acesso primário,
- teste de circuito para assinantes CLAD e para assinantes em acessos bá-
sicos e primários.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS INDI-
RETOS) criando um arquivo contendo o comando ATCOAS, especificando o tipo de teste de-
sejado (de linha e/ou circuito)
2 - Executar atividade operacional AOPAC_02 (AGENDAMENTO DE ARQUIVO DE COMANDOS
INDIRETOS) agendando o arquivo para um horário de baixo tráfego, de preferência à noite
3 - Aguardar a execução do arquivo de comandos indiretos agendado
4 - INTERROGAR se houve falha para algum assinante através do comando IRTEAS
5 - SE houve falha ENTÃO:
5.1 - Verificar o tipo de teste realizado no comando ATCOAS
5.2 - CASO teste realizado IGUAL A teste de linha ENTÃO:
5.2.1 - ATIVAR teste de linha para os assinantes cujo teste acusou falha através do co-
mando ATLIAS
5.2.2 - Anotar os resultados e providenciar a devida manutenção nas referidas linhas ex-
ternas
5.2.3 - Encerrar a atividade
5.3 - CASO teste realizado IGUAL A teste de circuito ENTÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 5.4.3
5.4 - CASO teste realizado IGUAL A teste de linha e circuito ENTÃO:
5.4.1 - ATIVAR teste de linha para assinantes cujo teste acusou falha através do comando
ATLIAS
5.4.2 - Anotar os resultados e providenciar a devida manutenção nas referidas linhas ex-
ternas
5.4.3 - ATIVAR teste de circuito dos assinantes cujo teste coletivo acusou falha através do
comando ATCLAS

Versão S11.1 27
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_11 Trópico RA

5.4.4 - SE o teste de circuito deu ok ENTÃO:


5.4.4.1 -Encerrar a atividade
5.4.5 - SENÃO:
5.4.5.1 -Executar atividade de manuseio AMQULD_RT para as placas ULD onde se en-
contram os assinantes com falha no circuito
5.4.5.2 -Executar atividade de manuseio AMQULD_RP
5.4.5.3 -Encerrar a atividade
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

28 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_12

AOPAS_12
x TESTE DE CAMPAINHA DE ASSINANTE

Objetivo: Efetuar o teste de campainha de determinado aparelho telefônico, a partir do


próprio terminal do assinante. Este teste também pode ser realizado através
dos procedimentos descritos na atividade operacional "ATIVAÇÃO DE TES-
TE A PARTIR DO APARELHO TELEFÔNICO".

Preliminares: Ordem de serviço;


Testador equipado e criado;
Placa de assinante equipada e criada;
Assinante criado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Retirar o monofone do gancho e após o tom, discar ou teclar 109
2 - Aguardar o tom de controle de chamada e repor o monofone no gancho
3 - Verificar se houve o toque da campainha, indicando teste normal
4 - SE a campainha foi acionada ENTÃO:
4.1 - Encerrar a atividade
5 - SENÃO:
5.1 - Executar manutenção corretiva correspondente no aparelho
5.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 29
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_13 Trópico RA

AOPAS_13
x ATIVAÇÃO DE TESTE A PARTIR DO APARELHO TELEFÔNICO

Objetivo: Efetuar os testes de campainha, disco (decádico / teclado MF), teclas espe-
ciais (R e ABCD), medição de corrente de enlace de linha, teste de linha de
assinante (tensão estranha, resistência de isolamento e capacitância), envio
de pulsos para coleta de ficha e envio de tom de auxílio ao reparador de re-
de.

Preliminares: Ordem de serviço;


Testador equipado e criado;
Placa de assinante equipada e criada;
Assinante criado;
Existência de rede externa.

Restrições: Não é possível realizar esta atividade para assinantes em acessos básicos
e primários.

Terminologia: Ao final de cada teste a central envia ao operador o resultado do mesmo,


através de:
Tom de discar: não há defeito no dispositivo testado;
Tom de ocupado: o dispositivo testado está com defeito;
Tom de nível vago: o teste não foi realizado devido a ausência de informa-
ções a serem enviadas pelo operador ou indisponibilidade momentânea de
circuitos envolvidos nos testes.
A duração do tom de ocupado ou de nível vago é de aproximadamente 20
segundos. Logo em seguida é substituído pelo tom de discar, para dar início
a um novo teste.
Se o operador desejar encerrar os testes, proceder da seguinte maneira:
1)- Se estiver recebendo tom de ocupado ou de nível vago, basta recolocar
o monofone no gancho.
2)- Se estiver recebendo tom de discar:
a) Discar o algarismo "0" e repor o monofone no gancho;
b) Repor o monofone no gancho e aguardar vencer a temporização equiva-
lente ao reatendimento de chamadas.

Procedimento:
1 - Retirar o monofone do gancho e, após receber o tom de discar, teclar ou discar o código 119
2 - Verificar o sinal enviado pela central
3 - CASO sinal enviado IGUAL A tom de controle de chamada ENTÃO:
3.1 - Vá para o passo 4.4.3
4 - CASO sinal enviado IGUAL A tom de discar ENTÃO:
4.1 - Enviar através do aparelho telefônico a senha para acesso a testes
4.2 - Verificar o tom que será enviado como resposta
4.3 - CASO sinal enviado IGUAL A tom de controle de chamada ENTÃO:
4.3.1 - Vá para o passo 4.4.3
4.4 - CASO sinal enviado IGUAL A tom de ocupado ENTÃO:
4.4.1 - Repor o monofone no gancho e consultar a senha correta
4.4.2 - Vá para o passo 1
4.4.3 - Repor o monofone no gancho

30 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_13

4.4.4 - Aguardar envio de corrente de toque e retirar o monofone do gancho


4.4.5 - Aguardar tom de discar para dar início ao(s) teste(s) desejado(s)
4.4.6 - Verificar qual é o próximo teste que se deseja realizar
4.4.7 - CASO teste IGUAL A teste de campainha de aparelho ENTÃO:
4.4.7.1 -Discar ou teclar o algarismo 1
4.4.7.2 -Aguardar o tom de controle de chamada e repor o monofone no gancho
4.4.7.3 -Verificar a presença de sinal de toque de campainha
4.4.7.4 -SE existir a presença do sinal ENTÃO:
4.4.7.4.1 -A campainha foi testada e qualificada como normal
4.4.7.4.2 -Retirar o monofone do gancho
4.4.7.4.3 -Aguardar a central enviar tom de ocupado durante 20 segundos e em seguida
enviar o tom de discar
4.4.7.4.4 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.7.5 -SENÃO:
4.4.7.5.1 -Executar a manutenção corretiva do aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boas condições
4.4.7.5.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.8 - CASO teste IGUAL A teste de disco/teclado de aparelho decádico ENTÃO:
4.4.8.1 -Após o tom de discar, teclar/discar o algarismo 4 e aguardar um novo tom de dis-
car
4.4.8.2 -Discar/teclar o número: 0987654321
4.4.8.3 -Verificar o sinal enviado pela central
4.4.8.4 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de discar ENTÃO:
4.4.8.4.1 -O teste foi realizado e qualificado como normal
4.4.8.4.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.8.5 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de ocupado ENTÃO:
4.4.8.5.1 -Executar a manutenção corretiva do aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boas condições
4.4.8.5.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.8.6 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de nível vago ENTÃO:
4.4.8.6.1 -O teste não foi realizado
4.4.8.6.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.9 - CASO teste IGUAL A teste de teclado de aparelho MF ENTÃO:
4.4.9.1 -Após o tom de discar, teclar o algarismo 9 e aguardar um novo tom de discar
4.4.9.2 -Teclar o número: 0987654321*#
4.4.9.3 -Vá para o passo 4.4.8.3
4.4.10 -CASO teste IGUAL A teste das teclas ABCD ENTÃO:
4.4.10.1 -Após o tom de discar, teclar o algarismo 8 e aguardar um novo tom de discar
4.4.10.2 -Digitar na sequência as teclas ABCD
4.4.10.3 -Vá para o passo 4.4.8.3
4.4.11 -CASO teste IGUAL A medição de corrente de enlace de linha ENTÃO:
4.4.11.1 -Após o tom de discar, teclar o algarismo 5

Versão S11.1 31
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_13 Trópico RA

4.4.11.2 -Verificar o sinal enviado pela central


4.4.11.3 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de discar ENTÃO:
4.4.11.3.1 -O teste foi realizado e qualificado como normal
4.4.11.3.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.11.4 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de ocupado ENTÃO:
4.4.11.4.1 -Há necessidade de manutenção corretiva na linha
4.4.11.4.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.11.5 -CASO sinal enviado IGUAL A tom de nível vago ENTÃO:
4.4.11.5.1 -O teste não foi realizado
4.4.11.5.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.12 -CASO teste IGUAL A teste de linha de assinante ENTÃO:
4.4.12.1 -Após o tom de discar, digitar o algarismo 6
4.4.12.2 -Aguardar o tom de controle de chamada e repor o monofone no gancho
4.4.12.3 -Aguardar o envio de corrente de toque e retirar o monofone do gancho
4.4.12.4 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.13 -CASO teste IGUAL A teste de pulso para coleta de ficha ENTÃO:
4.4.13.1 -Colocar uma ficha telefônica no aparelho e discar o algarismo 2
4.4.13.2 -Verificar se houve a coleta da ficha
4.4.13.3 -SE houve coleta da ficha ENTÃO:
4.4.13.3.1 -O aparelho foi testado e qualificado como normal
4.4.13.3.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.13.4 -SENÃO:
4.4.13.4.1 -Executar a manutenção corretiva do aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boa condições
4.4.13.4.2 -Vá para o passo 4.4.14.6.1
4.4.14 -CASO teste IGUAL A identificação de par de fios para fazer a instalação de apare-
lho telefônico ENTÃO:
4.4.14.1 -Ligar um aparelho adequado a um ponto conhecido deste fio (em princípio, ao fio
ligado ao número de equipamento do assinante)
4.4.14.2 -Aguardar tom de discar e teclar/discar o algarismo 3
4.4.14.3 -Aguardar o envio de tom de auxílio (a duração deste tom é de 10 minutos) e iden-
tificar o par de fio entre os pares existentes no cabo
4.4.14.4 -Verificar se há necessidade de prosseguir com o teste de identificação de par de
fios
4.4.14.5 -SE houver necessidade ENTÃO:
4.4.14.5.1 -Vá para o passo 4.4.14.1
4.4.14.6 -SENÃO:
4.4.14.6.1 -Verificar se há necessidade de continuar os testes
4.4.14.6.2 -SE houver necessidade ENTÃO:
4.4.14.6.2.1 -Vá para o passo 4.4.6
4.4.14.6.3 -SENÃO:
4.4.14.6.3.1 -Após o tom de discar, teclar o algarismo 0
4.4.14.6.3.2 -Após receber o tom de ocupado, repor o monofone no gancho

32 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_13

4.4.14.6.3.3 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 33
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_14 Trópico RA

AOPAS_14
x ATIVAÇÃO DE TESTE EM COOPERAÇÃO COM O ASSINANTE

Objetivo: Efetuar testes que necessitam a cooperação do assinante a ser testado, os


quais são:
- teste de disco ou teclado MF;
- medição de corrente de enlace de linha;
- teste de campainha;
- teste de tecla com função especial FLASH;
- teste de tecla com função especial ABCD.

Preliminares: Ordem de serviço;

Restrições: O número de lista do operador deve pertencer a RNT, mas não pode ter o
código de acesso de chamada a cobrar ou código de acesso de serviços es-
peciais. O operador deve ser não tarifável (categoria B5), não deve possuir
serviço suplementar ativo e deve estar livre.
O número de lista de assinante a ser testado deve pertencer a mesma cen-
tral e não deve possuir o serviço suplementar Não Perturbe ativo.
Não é possível realizar esta atividade para assinantes em acessos básicos
e primários e, também, não é possível realizar o teste de medição de corren-
te para assinantes CLAD.

Terminologia: A comunicação entre o operador e o assinante é estabelecida através da


chamada telefônica, na qual o operador orienta o assinante sobre como o
mesmo deve proceder para que o teste possa ser realizado.
Os testes podem ser repetidos quantas vezes forem necessários e em qual-
quer ordem na chamada estabelecida, que pode ser liberada pelo operador
ou pelo assinante, exceto quando o teste de campainha estiver em anda-
mento. A liberação da chamada provoca o término teste.
O operador tem 150 segundos para realizar a seleção de teste no cardápio
apresentado no comando ACOPAS e, caso vença essa temporização, o tes-
te é encerrado e a conexão entre o operador e o assinante é desfeita.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o assinante a ser testado possui o serviço suplementar Não Pertube ativo
através do comando IDADSS com parâmetros ASS,SSU=NPT ASS=assinante a ser testado
2 - SE assinante possuir o serviço ativo ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se existe interlocutor para o assinante a ser testado através do comando
IINTAS com parâmetros ASS
3.2 - SE existir interlocutor ENTÃO:
3.2.1 - aguardar até que o assinante libere a chamada
3.2.2 - Vá para o passo 3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - ATIVAR teste em cooperação com o assinante através do comando ACOPAS com
parâmetros ASS
3.3.2 - verificar na saída do comando ACOPAS se a chamada foi bem sucedida
3.3.3 - SE chamada for bem sucedida ENTÃO:

34 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_14

3.3.3.1 -operador, ao receber o corrente de toque, atender a chamada neste instante, ouve
o tom de controle de chamada e o assinante a ser testado está recebendo o cor-
rente de toque
3.3.3.2 -no atendimento do assinante, o operador informa que a chamada é para teste nes-
te instante, a central apresenta um cardápio de opções de testes no comando
ACOPAS e, antes de selecionar uma opção, instruir o assinante a ser testado dos
procedimentos para teste conforme os passos 3.3.3.4 a 3.3.3.8
3.3.3.3 -verificar o teste a ser realizado
3.3.3.4 -CASO teste IGUAL A teste de medição de controle de enlace ENTÃO:
3.3.3.4.1 -operador orienta o assinante para que o mesmo retenha o fone fora do gancho
até a próxima instrução
3.3.3.4.2 -selecionar o teste desejado no cardápio de opções de testes
3.3.3.4.3 -aguardar o resultado do teste no terminal de CHM
3.3.3.4.4 -verificar o resultado do teste
3.3.3.4.5 -SE resultado for bem sucedido ENTÃO:
3.3.3.4.5.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.4.6 -SENÃO:
3.3.3.4.6.1 -executar a manutenção corretiva no aparelho ou trocá-lo por uma aparelho em
boas condições
3.3.3.4.6.2 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.5 -CASO teste IGUAL A teste de campainha ENTÃO:
3.3.3.5.1 -operador orienta o assinante para que o mesmo reponha o fone no gancho
quando ouvir o tom de controle de chamada e atenda a chamada quando receber
o corrente de toque
3.3.3.5.2 -selecionar o teste desejado no cardápio de opções
3.3.3.5.3 -aguardar o resultado do teste no terminal de CHM
3.3.3.5.4 -verificar o resultado do teste
3.3.3.5.5 -CASO resultado IGUAL A bem sucedido ENTÃO:
3.3.3.5.5.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.5.6 -CASO resultado IGUAL A mal sucedido ENTÃO:
3.3.3.5.6.1 -executar a manutenção corretiva no aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boas condições
3.3.3.5.6.2 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.5.7 -CASO resultado IGUAL A não realizado ENTÃO:
3.3.3.5.7.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.6 -CASO teste IGUAL A teste de disco ou teclado MF ENTÃO:
3.3.3.6.1 -verificar o tipo de aparelho do assinante
3.3.3.6.2 -CASO tipo de aparelho IGUAL A decádico ENTÃO:
3.3.3.6.2.1 -operador anota uma sequência de 10 algarismos e solicita ao assinante que
disque ou tecle essa sequência quando ouvir o tom de discar
3.3.3.6.2.2 -Vá para o passo 3.3.3.6.4
3.3.3.6.3 -CASO tipo de aparelho IGUAL A multifreqüencial ENTÃO:
3.3.3.6.3.1 -operador anota uma sequência de 12 algarismos e solicita ao assinante que
tecle essa sequência quando ouvir o tom de discar na sequência fornecida deve
incluir o sustenido (#) e o asterisco (*)

Versão S11.1 35
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_14 Trópico RA

3.3.3.6.3.2 -Vá para o passo 3.3.3.6.4


3.3.3.6.4 -selecionar o teste desejado no cardápio de opções de testes
3.3.3.6.5 -aguardar o resultado do teste no terminal de CHM
3.3.3.6.6 -verificar se a sequência recebida é igual a fornecida
3.3.3.6.7 -SE sequência recebida for igual a fornecida ENTÃO:
3.3.3.6.7.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.6.8 -SENÃO:
3.3.3.6.8.1 -executar a manutenção corretiva no aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boas condições
3.3.3.6.8.2 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.7 -CASO teste IGUAL A teste da tecla FLASH ENTÃO:
3.3.3.7.1 -operador solicita ao assinante que tecle a tecla R (FLASH) quando ouvir o tom
de discar
3.3.3.7.2 -selecionar o teste desejado no cardápio de opções de testes
3.3.3.7.3 -aguardar o resultado do teste no terminal de CHM
3.3.3.7.4 -verificar se a sequência recebida é igual a fornecida
3.3.3.7.5 -SE sequência recebida for igual a fornecida ENTÃO:
3.3.3.7.5.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.7.6 -SENÃO:
3.3.3.7.6.1 -executar a manutenção corretiva no aparelho ou trocá-lo por um aparelho em
boas condições
3.3.3.7.6.2 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.8 -CASO teste IGUAL A teste de tecla ABCD ENTÃO:
3.3.3.8.1 -operador anota uma sequência formada com as teclas de funções A, B, C e D e
solicita ao assinante que tecle essa sequência quando ouvir o tom de discar
3.3.3.8.2 -selecionar o teste desejado no cardápio de opções de testes
3.3.3.8.3 -aguardar o resultado do teste no terminal de CHM
3.3.3.8.4 -verificar se a sequência recebida é igual a fornecida
3.3.3.8.5 -SE sequência recebida for igual a fornecida ENTÃO:
3.3.3.8.5.1 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.8.6 -SENÃO:
3.3.3.8.6.1 -executar a manutenção corretiva no aparelho ou trocá-lo por outro aparelho
em boas condições
3.3.3.8.6.2 -Vá para o passo 3.3.3.9
3.3.3.9 -verificar se é necessário realizar mais testes
3.3.3.10 -SE se for necessário ENTÃO:
3.3.3.10.1 -Vá para o passo 3.3.3.3
3.3.3.11 -SENÃO:
3.3.3.11.1 -operador informa o fim dos testes ao assinante
3.3.3.11.2 -selecionar a opção FIM DE TESTE no cardápio de opções de testes
3.3.3.11.3 -Encerrar a atividade
3.3.4 - SENÃO:
3.3.4.1 -analisar o motivo de liberação fornecido na saída do comando ACOPAS

36 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_14

3.3.4.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 37
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPAS_15 Trópico RA

AOPAS_15
x ATIVAÇÃO DE TESTE DE GERAÇÃO DE CHAMADA NO CIRCUITO
DE ASSINANTE

Objetivo: Esta atividade permite gerar chamada por um testador de linha a partir do
circuito de linha de um assinante da central TRÓPICO-RA (assinante origi-
nador) para um determinado telefone de operação (operador destino, não
necessariamente instalado na mesma central.

Preliminares: Ordem de serviço;

Restrições: O número de lista do operador deve pertencer a RNT, mas não pode ter o
código de acesso de chamadas a cobrar ou código de acesso de serviços
especiais.
O operador deve ser não tarifável (categoria B5), não deve possuir serviço
suplementar ativo e deve estar livre.
O número de lista do assinante a ser testado deve pertencer a mesma cen-
tral e não deve possuir os serviços suplementares Linha Direta ou Linha
Executiva ativos.
Não é possível realizar esta atividade para assinantes CLAD e para assinan-
tes em acessos básicos e primários.

Terminologia: A categoria do assinante a ser testado considerada para encaminhamento


(tais como, restrição de chamada) desta chamada é a categoria II-3 (Equi-
pamento de Manutenção).
Durante a realização do teste, o assinante fica impedido de realizar chama-
das com ausência do tom de discar quando retirar o fone do gancho.
O tempo máximo de duração do teste é de 4 minutos e, após essa tempori-
zação, o teste é encerrado e a ligação entre o assinante e o operador é des-
feita.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o assinante a ser testado possui um dos serviços suplementares Linha Direta
ou Linha Executiva ativo através do comando IDADSS com parâmetros ASS
2 - SE assinante possuir um serviço ativo ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se existe interlocutor para o assinante a ser testado através do comando
IINTAS com parâmetros ASS
3.2 - SE existir interlocutor ENTÃO:
3.2.1 - aguardar até que o assinante libere a chamada
3.2.2 - Vá para o passo 3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - ATIVAR teste de geração de chamada no circuito do assinante através do coman-
do AGCHAS neste instante, a central simula o aparelho telefônico e os procedi-
mentos de um originador da chamada e mostra na saída do comando AGCHAS os
eventos que ocorrem na chamada
3.3.2 - verificar na saída do comando AGCHAS se a chamada foi encaminhada
3.3.3 - SE a chamada foi encaminhada ENTÃO:
3.3.3.1 -o operador atende a chamada quando receber o corrente de toque
3.3.3.2 -o operador desliga a chamada

38 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPAS_15

3.3.3.3 -analisar o resultado de teste


3.3.3.4 -teclar CONTROL-C no comando AGCHAS para encerrar o teste
3.3.3.5 -Encerrar a atividade
3.3.4 - SENÃO:
3.3.4.1 -analisar o motivo de liberação fornecido na saída do comando AGCHAS
3.3.4.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 39
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_00 Trópico RA

4
x

Recurso BA : BILHETAGEM AUTOMÁTICA

AOPBA_00 CRIAÇÃO DE CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA

Objetivo: Criar uma nova célula de bilhetagem automática na central.

Preliminares: As duas unidades de disco rígido deverão estar formatadas e com o sistema
de arquivos criado convenientemente.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPPR_01 (INSTALAÇÃO DE PROCESSADOR NA CEN-
TRAL)
2 - Encerrar a atividade

40 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPBA_01

AOPBA_01
x SUPRESSÃO DE CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA

Objetivo: Suprimir uma célula de bilhetagem automática na central.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPPR_00 (RETIRADA DE PROCESSADOR DA CENTRAL)
2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 41
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_02 Trópico RA

AOPBA_02
x ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS DE BILHETAGEM
AUT. PARA FITA MAGNÉTICA ROLO

Objetivo: Transferir blocos de dados de chamadas bilhetadas do disco rígido para o


dispositivo de fita magnética rolo.

Preliminares: As fitas magnéticas rolo utilizadas nesta atividade devem estar previamente
iniciadas (ter cabeçalho, nome, etc.).

Restrições: A gravação em fita utilizada é o sistema MULTIFILE, ou seja, um arquivo em


disco da célula correspondente a um arquivo na fita magnética, no entanto a
transferência destrói os dados anteriormente gravados, se houver.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR o acesso ao dispositivo de fita magnética rolo da célula de bilhetagem automática atra-
vés do comando AACEMM com parâmetros PAD=SL
2 - ATIVAR a transferência dos arquivos de bilhetagem automática através do comando ATMABA
3 - aguardar o aparecimento da mensagem de advertência: FIM DA TRANSFERÊNCIA DE DA-
DOS DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA indicando o fim da transferência solicitada
4 - INTERROGAR o resultado da transferência examinando o relatório gerado através do comando
IRELBA com parâmetros AQB
5 - CASO resultado da transferência IGUAL A falha na transferência de dados de bilhetagem EN-
TÃO:
5.1 - DESATIVAR o acesso ao dispositivo de fita magnética rolo através do comando DACEMM
com parâmetros ULG
5.2 - verificar o motivo da falha e corrigir a causa que originou a falha
5.3 - Vá para o passo 1
6 - CASO resultado da transferência IGUAL A bem sucedida (qtde blocos menor que solicitada EN-
TÃO: foi transferida uma quantidade de arquivos de dados menor que a solicitada devido a uma
falha na transferência. Esta transferência deve ser tratada como OK, podendo ainda ser ativada
uma transferência complementar para uma outra fita magnética rolo.
6.1 - DESATIVAR o acesso ao dispositivo de fita magnética rolo através do comando DACEMM
com parâmetros ULG
6.2 - verificar o motivo da falha e corrigir a causa que originou a falha
6.3 - SE necessita nova transferência complementando a anterior ENTÃO:
6.3.1 - retirar a fita anterior e inserir uma nova fita magnética rolo
6.3.2 - Vá para o passo 1
6.4 - SENÃO:
6.4.1 - Vá para o passo 9
7 - CASO resultado da transferência IGUAL A bem sucedida ENTÃO:
7.1 - Vá para o passo 8
8 - DESATIVAR o acesso ao dispositivo de fita magnética rolo através do comando DACEMM com
parâmetros ULG
9 - Verificar se é desejado fazer mais cópias dos arquivos de bilhetagem automática já transferidos
10 - SE for desejado fazer mais cópias ENTÃO:
10.1 -Retirar a fita anterior e inserir uma nova fita magnética rolo

42 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPBA_02

10.2 -Vá para o passo 1


11 - SENÃO:
11.1 -ATIVAR liberação de arquivo de dados de bilhetagem através do comando ALARBA com
parâmetros AQB
11.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 43
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_06 Trópico RA

AOPBA_06
x BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLULA DE BILHETAGEM AUTOMÁ-
TICA

Objetivo: Esta atividade tem como objetivo o bloqueio funcional de uma célula de Bi-
lhetagem Automática (B.A.) a fim de que ela pare de receber novos dados
para processar e para que não perca, no caso de uma reiniciação do proces-
sador da célula, os dados já processados e que ainda estão em memória
principal.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: O fato de uma célula de bilhetagem ser bloqueada funcionalmente significa


apenas que ela não receberá mais dados de bilhetagem para processar. Os
BI’s configurados no processador da célula podem estar em serviço normal-
mente e, inclusive, pode ser ativada a transferência de dados para a unidade
remota de memória.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado funcional da célula de B.A. através do comando IECEBA
2 - SE o estado funcional for ativo ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado funcional para bloqueio através do comando MECEBA com parâme-
tros ECB=BLOQ,CBI
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - ATIVAR o fechamento de arquivo de bilhetagem automática através do comando AFARBA
3.2 - Encerrar a atividade

44 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPBA_07

AOPBA_07
x ALTERAÇÃO DO VALOR DA FATIA DE CHAMADAS DE LONGA
DURAÇÃO PARA B.A.

Objetivo: Alterar o valor da fatia (VFA) de chamada de longa duração para gravação
de registros de Bilhetagem Automática.

Preliminares: N.A.

Restrições: Esta atividade deve ser realizada somente quando a central estiver cursando
o menor tráfego e recomenda-se que seja realizada em final de semana.
A alteração do valor da fatia somente pode ser realizada se não houver cha-
madas de longa duração em andamento.
As chamadas intracentral não são supervisionadas.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se existe alguma programação de alteração de calendário para as próximas horas
2 - SE existir alguma programação ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPCE_04 (MARCAÇÃO DE DIA ESPECIAL) para reali-
zar a alteração de calendário programada
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 4
4 - INTERROGAR se a supervisão de chamadas de longa duração está ativa através do comando
ISLDCE com parâmetros TIP=IDENT
5 - SE a supervisão estiver ativa ENTÃO:
5.1 - DESATIVAR a supervisão de chamadas de longa duração através do comando DSLDCE
5.2 - Vá para o passo 6.1
6 - SENÃO:
6.1 - INTERROGAR o valor de VFA através do comando IFATBA
6.2 - ATIVAR a supervisão de chamadas de longa duração através do comando ASLDCE o va-
lor de LLD = N multiplicado por 4, sendo N o menor valor entre o VFA antigo e o VFA a ser
adotado
6.3 - aguardar 15 minutos anotar a hora de início do período de observação
6.4 - INTERROGAR o relatório de supervisão através do comando ISLDCE com parâmetros
TIP=DADOS analisar os registros do relatório obtido conforme os passos seguintes
6.5 - verificar se a data-hora do registro é anterior a data-hora do início do período de observa-
ção campo data-hora do relatório de supervisão de chamada de longa duração
6.6 - SE a data-hora do registro for anterior a data-hora do início do período ENTÃO:
6.6.1 - desprezar o registro
6.6.2 - Vá para o passo 6.7.3.2
6.7 - SENÃO:
6.7.1 - verificar se o campo CONVER é inferior a 900 s
6.7.2 - SE a duração for inferior a 900 s ENTÃO:
6.7.2.1 -desprezar o registro a chamada foi liberada
6.7.2.2 -Vá para o passo 6.7.3.2

Versão S11.1 45
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_07 Trópico RA

6.7.3 - SENÃO:
6.7.3.1 -monitorar a chamada utilizando o relatório de supervisão de chamada de longa du-
ração do próximo período
6.7.3.2 -verificar se há mais registros a serem analisados
6.7.3.3 -SE houver mais registros a serem analisados ENTÃO:
6.7.3.3.1 -Vá para o passo 6.5
6.7.3.4 -SENÃO:
6.7.3.4.1 -verificar se há chamadas a serem monitoradas
6.7.3.4.2 -SE houver chamadas a serem monitoradas ENTÃO:
6.7.3.4.2.1 -Vá para o passo 6.3
6.7.3.4.3 -SENÃO:
6.7.3.4.3.1 -MODIFICAR o VFA para o valor desejado através do comando MFATBA
6.7.3.4.3.2 -Encerrar a atividade

46 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPBA_09

AOPBA_09
x ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS DE B.A. VIA
ENLACE DE DADOS

Objetivo: Transferir arquivos de dados de chamadas bilhetadas dos discos rígidos das
células de bilhetagem automática para um equipamento remoto, através da
rede ETHERNET com protocolo TCP/IP TFTP.

Preliminares: As células de bilhetagem automática devem estar interligadas ao equipa-


mento remoto através de enlace de dados com taxa de transmissão igual ou
superior a 64 kbps e o equipamento remoto deve estar com o protocolo TCP/
IP TFTP ativado no modo cliente.

Restrições: A identificação dos arquivos transferidos para o equipamento remoto é a


mesma identificação recebida na central para facilitar o reconhecimento dos
arquivos recebidos no equipamento remoto.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1- ATIVAR a transferência dos arquivos de bilhetagem automática através do comando ATMABA
2- aguardar o aparecimento da mensagem de advertência: FIM DA TRANSFERÊNCIA DA DADOS
DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA indicando o fim da transferência solicitada
3- INTERROGAR o resultado da transferência examinando o relatório gerado através do comando
IRELBA com parâmetros CBI, NRT=1
4- CASO resultado da transferência IGUAL A falha na transferência de dados de bilhetagem ENTÃO:
4.1- verificar o motivo da falha e corrigir a causa que originou a falha
4.2- Vá para o passo 1
5- CASO resultado da transferência IGUAL A bem sucedida (qtde menor que solicitada) ENTÃO: Foi
transferida uma quantidade de arquivos menor que a solicitada devido à falha na transferência indi-
cada no relatório. Esta transferência deve ser tratada como bem sucedida, podendo ainda ser ativa-
da uma transferência complementar para equipamento remoto.
5.1- verificar o motivo da falha e corrigir a causa que originou a falha
5.2- SE necessita nova transferência complementando a anterior ENTÃO:
5.2.1- Vá para o passo 1
5.3- SENÃO:
5.3.1- Vá para o passo 7
6- CASO resultado da transferência IGUAL A bem sucedida ENTÃO:
6.1- Vá para o passo 7
7- ATIVAR a liberação de arquivos de dados de bilhetagem automática através do comando ALAR-
BA com parâmetros AQB
8- Encerrar a atividade

Versão S11.1 47
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_10 Trópico RA

AOPBA_10
x ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA DE DADOS DE
BILHETAGEM AUTOMÁTICA

Objetivo: Ativar a transferência automática, realizada em periodicidade programada,


de dados de bilhetagem automática para um equipamento remoto, através
da rede ETHERNET com protocolo TCP/IP TFTP.

Preliminares: As células de bilhetagem automática devem estar interligadas ao equipa-


mento remoto (Centro de Tarifação) através de enlace de dados com taxa
de transmissão igual ou superior a 64 kbps e o equipamento remoto deve es-
tar com o protocolo TCP/IP TFTP ativado no modo cliente.

Restrições: Esta atividade somente deve ser realizada em horário de baixo tráfego tele-
fônico.
A identificação dos arquivos transferidos para o equipamento remoto é a
mesma identificação recebida na central para facilitar o reconhecimento dos
arquivos recebidos no equipamento remoto.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR o fechamento de arquivo de bilhetagem automática através do comando AFARBA exe-
cutar um comando para cada célula de bilhetagem automática criada
2 - verificar o meio a ser utilizado para obtenção de cópias de dados de bilhetagem automática já
gravados no disco da célula
3 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A fita magnética ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPBA_02 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE DA-
DOS DE BILHETAGEM AUT. PARA FITA MAGNÉTICA ROLO) executar essa atividade
para cada célula de bilhetagem automática criada
3.2 - Vá para o passo 5
4 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A enlace de dados ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPBA_09 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE AR-
QUIVOS DE B.A. VIA ENLACE DE DADOS) executar essa atividade para cada célula de
bilhetagem automática criada
4.2 - Vá para o passo 5
5 - INTERROGAR se todos os arquivos da célula foram transferidos através do comando IEADBA
6 - SE todos os arquivos da célula foram transferidos ENTÃO:
6.1 - INTERROGAR o tamanho dos arquivos em uso das células de bilhetagem automática atra-
vés do comando IEADBA
6.2 - SE tamanho dos arquivos for superior a 200 blocos ENTÃO:
6.2.1- Vá para o passo 1
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - ATIVAR a transferência automática de dados de bilhetagem automática através do
comando ATAUBA
6.3.2 - Encerrar a atividade
7 - SENÃO:
7.1 - Vá para o passo 2

48 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPBA_11

AOPBA_11
x MODIFICAÇÃO DO FORMATO DO REGISTRO DE CHAMADA
BILHETADA

Objetivo: Alterar o formato do registro de chamada a ser utilizado na gravação de re-


gistros de chamada nos discos rígidos das células de bilhetagem automática
e nas transferências para obtenção de cópias. Esse formato também é utili-
zado para disponibilização de registros na saída serial.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: Esta atividade somente deve ser realizada durante horário de baixo tráfego
telefônico e recomenda-se que seja realizada em um final de semana.
Todas as células devem estar em serviço.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se todas as células de bilhetagem automática estão em serviço através do co-
mando IDBIPR com parâmetros NBI=CTABA
2 - SE todas as células estiverem em serviço ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPPR_04 (REINICIAÇÃO DE PROCESSADOR) colo-
cando em serviço todas células que estão fora de serviço
3.2 - Vá para o passo 4
4 - Executar atividade operacional AOPBA_06 (BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLULA DE BILHE-
TAGEM AUTOMÁTICA) executar essa atividade para cada célula de bilhetagem automática cri-
ada, exceto uma para continuar a gravação de registros de chamada durante a obtenção de
cópias dos arquivos disponíveis nos discos das células
5 - verificar o meio a ser utilizado para obtenção de cópias de dados de bilhetagem automática já
gravados no disco da célula
6 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A fita magnética ENTÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPBA_02 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE DA-
DOS DE BILHETAGEM AUT. PARA FITA MAGNÉTICA ROLO) executar essa atividade
para cada célula de bilhetagem automática criada
6.2 - Vá para o passo 8
7 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A enlace de dados ENTÃO:
7.1 - Executar atividade operacional AOPBA_09 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE AR-
QUIVOS DE B.A. VIA ENLACE DE DADOS) executar essa atividade para cada célula de
bilhetagem automática criada
7.2 - Vá para o passo 8
8 - Executar atividade operacional AOPBA_06 (BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLULA DE BILHE-
TAGEM AUTOMÁTICA) para célula de bilhetagem automática em serviço
9 - verificar o meio a ser utilizado para obtenção de cópias de dados de bilhetagem automática já
gravados no disco da célula
10 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A fita magnética ENTÃO:
10.1 -Executar atividade operacional AOPBA_02 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE DA-
DOS DE BILHETAGEM AUT. PARA FITA MAGNÉTICA ROLO) para célula de bilhetagem
automática em serviço

Versão S11.1 49
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPBA_11 Trópico RA

10.2 -Vá para o passo 12


11 - CASO meio a ser utilizado IGUAL A enlace de dados ENTÃO:
11.1 -Executar atividade operacional AOPBA_09 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA DE AR-
QUIVOS DE B.A. VIA ENLACE DE DADOS) para célula de bilhetagem automática em ser-
viço
11.2 -Vá para o passo 12
12 - MODIFICAR o formato do registro de chamada bilhetada através do comando MREGBA com
parâmetros FRC
13 - MODIFICAR o estado funcional para ativo através do comando MECEBA com parâmetros
ECB=ATIV, CBI para cada célula de bilhetagem automática bloqueada
14 - Encerrar a atividade

50 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_01

5
x

Recurso CE : CENTRAL

AOPCE_01 MARCAÇÃO DE FERIADO

Objetivo: Marcar uma data como feriado na Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a tabela de feriados está lotada (30 dias marcados) e se o feriado já está mar-
cado através do comando IFERCE
2 - SE a tabela de feriados estiver lotada ou o feriado estiver marcado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR a data do feriado através do comando MFERCE com parâmetros DAT,
TMO=MAR incluindo o feriado na tabela de feriados da central
3.2 - Verificar se a data marcada é o dia corrente
3.3 - SE a data marcada for o dia corrente ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a
data e hora do dia corrente
3.3.2 - INTERROGAR todos os grupos de modalidade de tarifa criados na central, para
confirmar a tarifa corrente através do comando IMODTA
3.3.3 - Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 51
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_02 Trópico RA

AOPCE_02
x DESMARCAÇÃO DE FERIADO

Objetivo: Desmarcar uma data como feriado na Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o dia a ser desmarcado consta na tabela de feriados através do comando
IFERCE
2 - SE o dia a ser desmarcado constar na tabela de feriados ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o feriado através do comando MFERCE com parâmetros DAT , TMO=DES
Retirando o feriado da tabela de feriados da central
2.2 - Verificar se a data desmarcada é o dia corrente
2.3 - SE a data desmarcada for o dia corrente ENTÃO:
2.3.1 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a
data e hora do dia corrente
2.3.2 - INTERROGAR todos os grupos de modalidade de tarifa criados na central, para
confirmar a tarifa corrente através do comando IMODTA
2.3.3 - Encerrar a atividade
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

52 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_03

AOPCE_03
x MUDANÇA DE CALENDÁRIO

Objetivo: Alterar o calendário da Central.

Preliminares: Ter acesso à hora padrão da região (por exemplo: a hora oficial de Brasília
é informada pelo Observatório Nacional - Fone: (021)580-6037).
Considerar a possível existência de fuso horário.

Restrições: A mudança de calendário sem a correta utilização desta atividade, pode


acarretar perdas irrecuperáveis de tarifação, de emissões de relatórios de
medições e demais tarefas que dependam do calendário.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a mudança de calendário implica em mudança do degrau tarifário através do
comando IAGETA com parâmetros GMT Observar em todos os grupos de modalidade de tarifa
(GMT=0&&15) se no horário em que se deseja modificar o calendário existe alguma mudança
do degrau tarifário, levando-se em conta o tipo de dia (TDI) em que se pretende modificar o ca-
lendário
2 - SE a mudança de calendário coincidir com o horário de mudança de degrau tarifário ENTÃO:
2.1 - Aguardar o tempo necessário para que a mudança de calendário não implique em mudan-
ça de degrau tarifário
2.2 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a data e hora
do dia corrente
2.3 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a data e hora
do dia corrente
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 53
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_04 Trópico RA

AOPCE_04
x MARCAÇÃO DE DIA ESPECIAL

Objetivo: Marcar uma data como dia especial na Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a tabela de dias especiais está lotada e se o dia especial já está marcado
através do comando IDESCE
2 - SE a tabela de dias especiais estiver lotada ou o dia especial já estiver marcado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR a data do dia especial através do comando MDESCE com parâmetros DAT,
TMO=MAR incluindo o dia especial na tabela de dias especiais da central
3.2 - Verificar se a data marcada é o dia corrente
3.3 - SE a data marcada for o dia corrente ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a
data e hora do dia corrente
3.3.2 - INTERROGAR todos os grupos de modalidade de tarifa criados na central, para
confirmar a tarifa corrente através do comando IMODTA
3.3.3 - Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Encerrar a atividade

54 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_05

AOPCE_05
x DESMARCAÇÃO DE DIA ESPECIAL

Objetivo: Desmarcar uma data como dia especial na Central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o dia a ser desmarcado consta na tabela de dias especiais através do coman-
do IDESCE
2 - SE o dia desmarcado constar na tabela de dias especiais ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o dia especial através do comando MDESCE com parâmetros DAT ,
TMO=DES retirando o dia especial da tabela de dias especiais da central
2.2 - Verificar se a data desmarcada é o dia corrente
2.3 - SE a data desmarcada for o dia corrente ENTÃO:
2.3.1 - MODIFICAR o calendário da central através do comando MCALCE utilizando a
data e hora do dia corrente
2.3.2 - INTERROGAR todos os grupos de modalidade de tarifa criados na central para
confirmar a tarifa corrente através do comando IMODTA
2.3.3 - Encerrar a atividade
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 55
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_06 Trópico RA

AOPCE_06
x INICIAÇÃO DA CENTRAL

Objetivo: Esta atividade é aplicável para iniciação completa da central quando da ins-
talação inicial de uma central ou no caso de queda total de energia.

Preliminares: A central se encontra totalmente equipada com a alimentação de 48 V ligada


e os disjuntores de todas as DEF ligados, mas com todas as fontes de todos
os módulos desligadas.
O operador deve ter a sua disposição um disco flexível com o "boot" do sis-
tema e com o programa BKP e a mais recente fita magnética (rolo ou cartu-
cho SCSI) de "backup" da central (gravada segundo a atividade AMPMM_00
- Cópia de Segurança em Fita Magnética.

Restrições: Essa atividade deve ser realizada por operador familiarizado com a lingua-
gem LCPP.
Na digitação de comandos LCPP, letras minúsculas, letras maiúsculas e de-
mais caracteres devem ser observados e preservados, bem como devem
ser mantidos os espaços entre parâmetros.

Terminologia: A fita magnética (rolo ou cartucho) de "backup" contém uma configuração


completa de dados e programas para a iniciação da central.
Alguns comandos nesta atividade não são comandos CHM, e seguem a sin-
taxe "nome_do_comando parâmetros <cr>", onde <cr> indica que a tecla
"RETURN" ou "ENTER", dependendo do terminal utilizado, deve ser pressi-
onada.
Ao ser (re)iniciado o processador de OM, no terminal de LCPP, o sistema
fará uma pergunta ao operador, como segue:
1)Carregar apenas LCPP
Significa que o processo de iniciação somente será executado até colocar o
sistema operacional disponível, permitindo que somente o terminal LCPP
possa ser utilizado com comandos SOP.
2)Carregar OM mínimo
Significa que além do sistema operacional serão também carregados os BI’s
considerados essenciais à central. Os demais BI’s que compõe o OM serão
falsamente carregados, não permitindo que nenhum comando a eles perten-
centes possa ser executado. Esta configuração de software permite uma rá-
pida reiniciação do OM quando a central se encontrar em situação
emergencial; nesta configuração mínima somente os comandos de interro-
gação dos BI’s essenciais podem ser executados. Para carregar o OM com-
pletamente, torná-se necessário reiniciar novamente o processador.
3)Carregar OM normalmente
Significa que o processo de carga do OM se dará normalmente, onde serão
carregados todos os BI’s que compõe o OM.
Após ser apresentada a pergunta, o sistema aguarda 5 segundos por algu-
ma resposta; findo este prazo o OM se iniciará normalmente (opção 3).
- SCSI - Interface para dispositivos periféricos de alta capacidade e alta ve-
locidade (Small Computer System Interface).
- LCPP - Linguagem de Comandos do Sistema Operacional dos processa-
dores do TRÓPICO RA.

Procedimento:
1 - Verificar se os discos rígidos estão formatados
2 - SE os discos rígidos de OM estiverem formatados ENTÃO:

56 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_06

2.1 - Verificar se os programas e dados estão carregados


2.2 - SE estiverem carregados ENTÃO:
2.2.1 - Energizar o módulo de OM e em seguida o módulo de memória de massa associ-
ado ao módulo de OM no terminal LCPP o sistema perguntará em relação à confi-
guração desejada do OM, a qual deverá ser respondida através da opção 1
2.2.2 - Energizar os módulos de sinalização e sincronismo, observando a ordem: plano
A(CGS 0), plano B(CGS 1), plano C(CGS 2) e plano D para centrais com 4 planos.
Para centrais com 3 planos energizar os módulos equipados com as placas CGS
na ordem CGS 0, CGS 1, e CGS 2. Para centrais com 2 planos energizar primeiro
o módulo de sinalização e sincronismo equipado com 1 CGS e depois o equipado
com 2 CGS
2.2.3 - Energizar os módulos de comutação
2.2.4 - Mudar o diretório corrente através da execução do comando cd no terminal LCPP
com o seguinte formato:
lcpp> cd /usr/conf <cr>
2.2.5 - Ativar a execução do comando de bloqueio de processadores através da execução
do comando bloqproc no terminal LCPP com o seguinte formato:
lcpp> /prg/bloqproc.exc <cr>
a execução deste comando coloca todos os processadores da central no estado BO (blo-
queado pelo operador)
2.2.6 - Desativar a operação no terminal LCPP através da execução do comando shut no
terminal LCPP com o seguinte formato:
lcpp> shut <cr>
2.2.7 - Aguardar a carga completa do módulo OM até que este aceite a abertura de ses-
são (TERMINAL LIVRE)
2.2.8 - Abrir uma sessão pressionando simultaneamente as teclas CTRL e I
2.2.9 - Entrar com a identidade do USUÁRIO e respectiva SENHA definidos quando a
configuração da central
2.2.10 -Executar atividade operacional AOPCE_08 (ENERGIZAÇÃO DA CENTRAL)
2.2.11 -MODIFICAR data e hora do sistema através do comando MCALCE com parâme-
tros DAT, HOR
2.2.12 -INTERROGAR o estado operacional das unidades de disco rígido do processador
de OM através do comando IDADMM
2.2.13 -SE uma das unidades estiver no estado bloqueado pelo operador (BO) e ambas
unidades se encontram montadas ENTÃO:
2.2.13.1 -MODIFICAR o estado operacional da unidade de disco rígido através do coman-
do MESTMM com parâmetros ULG, BLO=DBQ, UFS o parâmetro UFS deve assu-
mir o valor UFA ou UFB conforme a unidade bloqueada
2.2.13.2 -Vá para o passo 2.2.15
2.2.14 -SENÃO:
2.2.14.1 -Vá para o passo 2.2.15
2.2.15 -INTERROGAR se todos os processadores foram carregados e entraram em servi-
ço através do comando IDADPR
2.2.16 -SE foram carregados e entraram em serviço ENTÃO:
2.2.16.1 -CRIAR modalidade corrente de tarifa através do comando CGMOTA com parâ-
metros GMT, MTA
2.2.16.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 57
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_06 Trópico RA

2.2.17 -SENÃO:
2.2.17.1 -INTERROGAR as falhas presentes na central através do comando IFALCE sem
parâmetros
2.2.17.2 -Executar as atividades de manutenção corretiva adequadas para as falhas ocor-
ridas
2.2.17.3 -Vá para o passo 2.2.15
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Instalar o disco flexível de boot na unidade de disco flexível
2.3.2 - Energizar o módulo de OM e em seguida o módulo de memória de massa associ-
ado ao módulo de OM no terminal LCPP o sistema perguntará em relação à confi-
guração desejada do OM, a qual deverá ser respondida através da opção 1
2.3.3 - Energizar os módulos de sinalização e sincronismo, observando a ordem: plano
A(CGS 0), plano B(CGS 1), plano C(CGS 2) e plano D para centrais com 4 planos.
Para centrais com 3 planos energizar os módulos equipados com as placas CGS
na ordem CGS 0, CGS 1, e CGS 2. Para centrais com 2 planos energizar primeiro
o módulo de sinalização e sincronismo equipado com 1 CGS e depois o equipado
com 2 CGS
2.3.4 - Energizar os módulos de comutação
2.3.5 - Aguardar aparecimento do prompt (lcpp>) no terminal de vídeo
2.3.6 - Vá para o passo 3.9
3 - SENÃO:
3.1 - Instalar o disco flexível de boot na unidade de disco flexível
3.2 - Energizar o módulo de OM e em seguida o módulo de memória de massa associado ao
módulo de OM no terminal LCPP o sistema perguntará em relação à configuração deseja-
da do OM, a qual deverá ser respondida através da opção 1
3.3 - Energizar os módulos de sinalização e sincronismo, observando a ordem: plano A(CGS 0),
plano B(CGS 1), plano C(CGS 2) e plano D para centrais com 4 planos. Para centrais com
3 planos energizar os módulos equipados com as placas CGS na ordem CGS 0, CGS 1, e
CGS 2. Para centrais com 2 planos energizar primeiro o módulo de sinalização e sincro-
nismo equipado com 1 CGS e depois o equipado com 2 CGS
3.4 - Energizar os módulos de comutação
3.5 - Aguardar aparecimento do prompt (lcpp>) no terminal de vídeo
3.6 - Formatar o disco rígido através da execução do comando format no terminal LCPP com o
seguinte formato:
lcpp> format ddxx <cr>
onde xx assume o valor hexadecimal definido para esta unidade (varia de 00 a FF
3.7 - Criar partição no disco rígido através da execução do comando fdisk no terminal LCPP
com o seguinte formato:
lcpp> fdisksop <cr>
3.8 - Criar o sistema de arquivos no disco rígido através da execução do comando mkfs no ter-
minal LCPP com o seguinte formato:
lcpp> mkfs ddxx sistema.pro <cr>
onde xx assume o valor hexadecimal definido para esta unidade (varia de 00 a FF
3.9 - Instalar a fita magnética (rolo ou cartucho) de backup mais recente no acionador de fita
magnética
3.10 -Montar a unidade de disco rígido
através da execução do comando mount no terminal LCPP com o seguinte formato:

58 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_06

lcpp> mount ddxx <cr>


onde xx assume o valor hexadecimal definido para esta unidade (varia de 00 a FF
3.11 -Mudar o diretório corrente através da execução do comando cd no terminal LCPP com o
seguinte formato:
lcpp> cd ddxx:/ <cr>
3.12 -Ativar o programa de restauração do disco rígido através da execução do comando bkp
no terminal LCPP com o seguinte formato:
lcpp> bkp xvefb /dev/fyxx 63 *
onde y assume o valor r para fita rolo (fr) e o valor c para fita cartucho (fc), e xx assume o valor
hexadecimal definido para esta unidade (varia de 00 a FF). O sistema fornece ajuda digi-
tando-se somente bkp
3.13 -Aguardar o término da restauração do disco rígido
3.14 -Retirar a fita magnética (rolo ou cartucho) do acionador de fita magnética
3.15 -Retirar o disco flexível da unidade de disco flexível
3.16 -Desativar a operação no terminal LCPP através da execução do comando shut no terminal
LCPP com o seguinte formato:
lcpp> shut <cr>
3.17 -Vá para o passo 2.2.7

Versão S11.1 59
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_08 Trópico RA

AOPCE_08
x ENERGIZAÇÃO DA CENTRAL

Objetivo: Energizar a central quando da instalação inicial da mesma ou no caso de


queda total de energia.

Preliminares: A central deve estar com todas as fontes de alimentação de todos os módu-
los desligadas, com exceção do módulo de OM. A alimentação de 48 V deve
estar ligada e todos os disjuntores das placas DEF devem estar ligados.
Este procedimento deve ser precedido da atividade operacional "INICIAÇÃO
DA CENTRAL"

Restrições: É necessário temporizar entre a energização de um módulo e outro, respei-


tando a sequencia de energização de cada módulo, descrita nesta atividade
operacional.
a) A sequência de energização dos módulos é: MZ, MS, MX, MI, MAs, MC e
MTs.
b) Se o módulo for CLAD, somente poderão ser energizados no máximo 16
processadores por anel. Os próximos 16 se existirem somente poderão se-
rem energizados logo após os processadores do primeiro grupo entrarem
em serviço.

Terminologia: É dito módulo de MA com função de canal comum, quando os BIs GEMTP
e GTROT estão residentes em seu processador.

Procedimento:
1 - CASO A central possua 2 planos de sinalização e sincronismo (MS) ENTÃO:
1.1 - A reiniciação do primeiro módulo(MS) que contiver uma CGS
1.2 - A reiniciação do segundo módulo, somente após o primeiro ter sido energizado
2 - CASO Se a central possuir 3 ou 4 planos de sinalização e sincronismo ENTÃO:
2.1 - A reiniciação dos módulos (MS), sempre deve-se dar da esquerda para a direita, aguar-
dando o primeiro subir, para então energizar o segundo e assim sucessivamente
3 - Energizar os módulos de sinalização (MZ), equipados com placas CSP Somente energizar o pri-
meiro MZ, após 2min, 20min, ou 30min, temporização de WARM-UP(CGS-2C, CGS-2B, CGS-
2A respectivamente, aguardar o 1o. módulo de sincronismo subir somente aí energizar o 1o.
MZ)
4 - Energizar os módulos de comutação (MX), equipados com funções de comutação
5 - Energizar os módulos integrados (MI), com funções de sinalização e sincronismo, comutação,
medições
6 - Energizar o módulo(MA) com função de canal comum Após o MA de canal comum entrar em
serviço é que se energiza os demais módulos de MAs e somente depois os MTs
7 - Energizar os demais módulos (MAs) e de terminais(MT)

60 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_09

AOPCE_09
x CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA

Objetivo: Gerar uma chamada de teste a partir de órgãos da central TRÓPICO RA,
previamente marcados para este fim.

Preliminares: 1- A central armazena até 128 chamadas de teste consecutivas de forma cir-
cular, ou seja, a primeira chamada que ultrapassar a capacidade do arquivo
será armazenada sobre o registro mais antigo, e assim por diante;
2- A cada chegada de um novo sinal referente a chamada de teste, o mesmo
é emitido espontaneamente a um periférico especializado para este fim;
3- A obtenção dos resultados das chamadas anteriores é feita através do co-
mando de interrogação de chamadas de teste (ICTECE);
4- Deve ser marcado apenas um órgão por recurso, através do comando de
marcação de órgãos para chamada de teste (MCTECE)
5- Toda marcação de órgão em chamada de teste dirigida deve constar obri-
gatoriamente da marcação de um assinante originador ou de um juntor de
entrada. Os demais órgãos devem ser marcados através do mesmo coman-
do
6- Os seguintes órgãos podem ser marcados, diferenciando-se de acordo
com o tipo de tráfego:
a- Originado:
-assinante originador;
-juntor de saída;
-equipamento de sinalização enviador;
-equipamento de sinalização receptor MF (se o assinante for MF)
-todos os registradores no plano de encaminhamento reserva;
-plano de comutação.
b- Terminado:
-juntor de entrada;
-assinante destino;
-equipamento de sinalização receptor;
-todos os registradores no plano de encaminhamento reserva;
-plano de comutação.
c- Trânsito:
-juntor de entrada;
-juntor de saída;
-equipamento de sinalização receptor;
-equipamento de sinalização enviador;
-todos os registradores no plano de encaminhamento reserva;
-plano de comutação.
d- Intracentral:
-assinante originador;
-assinante destino;
-equipamento de sinalização receptor MF (se o assinante for MF)
-todos os registradores no plano de encaminhamento reserva;
-plano de comutação.
É possível marcar um plano de comutação para participar de uma chamada
de teste. Este plano será utilizado para:
-comutação entre lado A e lado B da chamada de teste;
-sinalização MF entre o lado A (assinante MF) da chamada e o auxiliar (re-
ceptor MF), desde que este esteja marcado;
-sinalização MFC entre o lado A da chamada e o auxiliar (receptor MF), des-
de
que este esteja marcado;

Versão S11.1 61
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_09 Trópico RA

-sinalização MFC entre o lado B da chamada e o auxiliar (enviador MF), des-


de que este esteja marcado.
A marcação de um determinado plano não determina necessariamente que
todos os órgãos envolvidos na chamada utilizem este plano; para que isso
ocorra é necessário que todos os órgãos a serem envolvidos nesta chamada
estejam marcados para chamadas de teste.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existem órgãos marcados para chamada de teste na central através do co-
mando ICTECE
2 - SE existirem órgãos marcados ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR a marcação dos órgãos para chamada de teste da central desmarcando-os
através do comando MCTECE
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR a marcação para chamada de teste para o terminal (assinante ou juntor de
entrada) através da qual serão geradas as chamadas de teste marcando-o através do co-
mando MCTECE
3.2 - Gerar as chamadas no terminal marcado através do meio externo adequado (telefone ou
gerador automático de chamadas)
3.3 - Observar os relatórios que serão emitidos por fase da chamada no terminal CHM especi-
alizado para saída de chamadas de teste
3.4 - INTERROGAR os dados de chamadas de teste efetuadas através do comando ICTECE
para revisão dos resultados das chamadas anteriores
3.5 - MODIFICAR o(s) órgão(s) marcado(s) para teste desmarcando-os através do comando
MCTECE
3.6 - Encerrar a atividade

62 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_10

AOPCE_10
x REGISTRO DE CHAMADAS PARA TARIFAÇÃO

Objetivo: Selecionar e armazenar dados de chamadas de assinantes marcados quan-


do o assinante é responsável pela tarifação da chamada.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de registro de chamadas para tarifação é contínua, so-
mente necessitando que o assinante seja marcado para o registro.
Este serviço consiste em selecionar e armazenar dados de chamadas de as-
sinantes marcados para este tipo de registro e quando o referido assinante
é responsável pela tarifação da chamada.
São armazenadas informações sobre o interlocutor da chamada, tempo de
duração da chamada, ou tipo de chamada e horário de início da chamada.

Restrições: - Podem ser marcados até 175 assinantes para RCT.


- A capacidade de armazenamento é de até 1000 registros de chamada.
- Quando uma chamada é DDC tratada em outra central, essa chamada não
é armazenada, porque a central onde está o assinante marcado não tem as
informações de tarifação.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os assinantes marcados para registro de chamadas para tarifação através do
comando IRCTCE com parâmetros TIP=DADOS
2 - SE o assinante que pediu o serviço estiver marcado ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os dados do assinante através do comando IRCTCE com parâmetros ASS
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR o assinante marcando-o para RCT através do comando MRCTCE com parâ-
metros ICT=MAR,ASS
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 63
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_11 Trópico RA

AOPCE_11
x REGISTRO DETALHADO DE CHAMADAS

Objetivo: Selecionar e Armazenar dados de chamadas de assinantes.

Preliminares: Este serviço consiste em armazenar e selecionar os dados das chamadas


de assinantes que possuem o serviço suplementar RDC. São armazenadas
informações sobre o interlocutor da chamada, tempo de duração da chama-
da e tipo da chamada.
Estes dados são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de Registro Detalhado de Chamadas é contínua, so-
mente necessitando que o assinante seja marcado para o serviço suplemen-
tar RDC.

Restrições: A capacidade de armazenamento é de até 4000 registros de chamadas.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o assinante tem o serviço suplementar RDC através do comando IDADSS
2 - SE o assinante tiver o serviço suplementar ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os dados do assinante através do comando IRDCCE com parâmetros ASS
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLEMEN-
TAR)
3.2 - Vá para o passo 2.1

64 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCE_12

AOPCE_12
x SUPERVISÃO DE CHAMADAS DE LONGA DURAÇÃO

Objetivo: Incriminar chamadas cujo tempo de duração ultrapasse um valor marcado


pela operadora.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de chamadas de longa duração é contínua somente
necessitando que o assinante seja ativado para a supervisão.
Este serviço consiste em selecionar e armazenar dados de chamadas que
possuem juntores envolvidos e cujo tempo de duração ultrapasse um valor
marcado pela operação da central. Além de armazenar estes dados é sina-
lizado à operação a ocorrência deste evento. São armazenadas informações
sobre a identificação dos juntores/assinantes envolvidos na chamada, tem-
po de duração da chamada e data/hora da ocorrência da chamada.
Através dessas informações a operação da central pode identificar possíveis
problemas em juntores.

Restrições: Somente para chamadas que possuem juntores envolvidos

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se esta ativada a supervisão de chamadas de longa duração através do coman-
do ISLDCE com parâmetros TIP=IDENT
2 - SE estiver ativada a supervisão ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os dados de chamadas de longa duração através do comando ISLDCE
com parâmetros TIP=DADOS
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - ATIVAR a marcaçao de chamada de longa duração através do comando ASLDCE
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 65
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCE_13 Trópico RA

AOPCE_13
x MODIFICAÇÃO DE CALENDÁRIO DEVIDO A HORÁRIO DE
VERÃO

Objetivo: Atualizar o calendário da central de acordo com o início/término do horário


de verão vigente na região.

Preliminares: O calendário da central deve estar previamente correto em relação à hora


padrão da região.
Esta atividade deve ser executada horas antes do início/término do horário
de verão.

Restrições: Não devem existir atividades agendadas dentro do período no qual o calen-
dário será adiantado/atrasado.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - verificar se é início ou término do horário de verão
2 - CASO modificação de calendário IGUAL A início de horário de verão ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS IN-
DIRETOS) contendo o comando MCALCE:DAT,HOR=00-58 onde DAT assume o valor do
dia de implantação do horário de verão
2.2 - ATIVAR a execução do teste do arquivo de comandos indiretos através do comando ATE-
SAC com parâmetros ARQ ARQ assume o nome do arquivo editado no item anterior
2.3 - SE a execução do teste foi OK ENTÃO:
2.3.1 - ATIVAR o agendamento do arquivo de comandos indiretos através do comando
AAGEAC com parâmetros DAT,HOR onde DAT assume o valor do dia anterior à
implantação do horário de verão e HOR=23-58
2.3.2 - Encerrar a atividade
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - editar o arquivo de comandos indiretos, corrigindo-o
2.4.2 - Vá para o passo 2.2
3 - CASO modificação de calendário IGUAL A término do horário de verão ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPAC_00 (CRIAÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDOS IN-
DIRETOS) contendo o comando MCALCE:DAT,HOR=22-58 onde DAT assume o valor do
dia do término do horário de verão
3.2 - ATIVAR a execução do teste do arquivo de comandos indiretos através do comando ATE-
SAC com parâmetros ARQ ARQ assume o nome do arquivo editado no item anterior
3.3 - SE a execução do teste foi OK ENTÃO:
3.3.1 - ATIVAR o agendamento do arquivo de comandos indiretos através do comando
AAGEAC com parâmetros DAT,HOR onde DAT assume o valor do dia do término
do horário de verão e HOR=23-58
3.3.2 - Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - editar o arquivo de comandos indiretos, corrigindo-o
3.4.2 - Vá para o passo 3.2

66 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCJ_00

6
x

Recurso CJ : CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO

AOPCJ_00 CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Criar logicamente um conjunto de enlace de sinalização associando-o a um


código de ponto de destino (DPC) adjacente e correspondente.

Preliminares: Ordem de serviço;


DPC correspondente criado.

Restrições: Função FDT

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência de encaminhamento associado ao DPC através do comando IDA-
DEP
2 - SE existir encaminhamento associado ao DPC ENTÃO:
2.1 - CRIAR o conjunto de enlaces de sinalização através do comando CDADCJ
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEP_00 (CRIAÇÃO DE ENDEREÇAMENTO DE SINA-
LIZAÇÃO N.7) para criar um novo encaminhamento
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 67
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCJ_01 Trópico RA

AOPCJ_01
x MOD. DE ESTADO OPER. DE CONJUNTO DE ENLACE DE SINALI-
ZAÇÃO N.7

Objetivo: Permite ativar/desativar um conjunto de enlaces de sinalização. Esta ativa-


ção/desativação no entanto respeita os estados desejados para cada enlace
de sinalização associado a este conjunto.

Preliminares: Ordem de serviço;


Conjunto de enlaces de sinalização criado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado operacional do conjunto de enlace de sinalização através do comando
IDADCJ
2 - SE o estado operacional desejado (EOD) do conjunto de enlaces de sinalização for igual ao es-
tado pretendido ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR o estado operacional do conjunto de enlace de sinalização através do coman-
do MESTCJ
3.2 - Encerrar a atividade

68 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCJ_02

AOPCJ_02
x SUPRESSÃO DE DADOS DE CONJUNTO DE ENLACES DE SINA-
LIZAÇÃO N.7

Objetivo: Permite retirar as associações feitas quando da criação do conjunto de en-


laces de sinalização.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de conjunto de enlaces de sinalização através do comando IDADCJ
2 - INTERROGAR a existência de enlaces associados ao conjunto de enlaces a ser suprimido atra-
vés do comando IDADCJ com parâmetros NCJ
3 - SE existirem enlaces associados ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEL_05 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENLACE DE
SINALIZAÇÃO N.7) para todos os enlaces associados ao conjunto
3.2 - Vá para o passo 5
4 - SENÃO:
4.1 - Vá para o passo 5
5 - INTERROGAR a existência de dados de encaminhamento utilizando o conjunto de enlaces a
ser suprimido através do comando IDADEC
6 - SE existirem dados de encaminhamento ENTÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPEC_01 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO DE SINALIZAÇÃO N.7) para todos os encaminhamentos utilizando o conjunto de
enlaces a ser suprimido
6.2 - Vá para o passo 8
7 - SENÃO:
7.1 - Vá para o passo 8
8 - SUPRIMIR os dados de conjunto de enlace de sinalização através do comando SDADCJ
9 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 69
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_02 Trópico RA

7
x

Recurso CL : CLAD/UD-ELD

AOPCL_02 CRIAÇÃO DE ANEL CLAD

Objetivo: Criar um anel CLAD na central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Hardware instalado.

Restrições: N. A.

Terminologia: CLAD: Concentrador de Linha de Assinantes Distribuído (conjunto de módu-


los ligados em anel com capacidade máxima de 512 assinantes distribuídos
em até 32 módulos UDL.
UD-ELD: Unidade Distante com Estágio de Linha Distante (módulo ELD li-
gado em anel com capacidade máxima de 512 assinantes).
ANL: Nome atribuído ao anel CLAD/UD-ELD. Podem ser criados até 255
anéis em uma mesma central TRÓPICO RA.
UDL: Unidade de Derivação de Linha (módulo distante com capacidade má-
xima de 32 assinantes analógicos). Quando parâmetro identifica o nome atri-
buído a uma UDL/ELD.
ELD: Estágio de Linha Distante (módulo distante com capacidade máxima
de 512 assinantes).
PRP: parâmetro que identifica um processador principal (CIT) - pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 0 a 1023.
PRS: parâmetro que identifica um processador secundário (CCT) - não per-
tencente à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CIT: Placa equipada controlador integrado de terminais. É o processador
principal de um CLAD/UD-ELD.
CCT: Placa equipada controladora de circuitos terminais. É o processador
secundário de um CLAD/UD-CLAD funcionando como ponte entre a central
e o anel CLAD/UD-ELD.
CUC: Placa equipada controladora da unidade de derivacao de linha. É o
processador que controla uma UDL. Quando parâmetro identifica o número
do processador secundário controlador de uma UDL/ELD (não pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CCD: Placa equipada controladora de circuitos terminais distantes. É o pro-
cessador que controla uma ELD.
PPT: Parâmetro que identifica o número do processador ponte responsável
pela troca de mensagens entre processadores. Para criação de processador
secundário na central, o processador ponte será o processador CIT perten-
cente a rede interna à central e efetuará a "função ponte" entre este e o pro-
cessador CCT. Para criação de UDL (módulo MT_QDL), o processador
ponte será o processador CCT e efetuará a "função ponte" entre este e o
processador CUC (remoto - instalado em UDL). Para a criação de ELD (mó-
dulo MT_QDD), o processador ponte será o processador CCT e efetuará a
"função ponte" entre este e o processador CCD (remoto - instalado em ELD).
PAT: Parâmetro que identifica a presença ou ausência da placa de interface
de linha (TLE), quando se trata de módulos MT_QDD de Estágio de Linha
Distante (ELD- UD Digital). A placa TLE tem que estar presente quando se
tratar de módulo MT_QCL (CLAD). Valores mnemônicos assumidos pelo pa-
râmetro: PRESENTE, AUSENTE.

70 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_02

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do anel CLAD a ser criado através do comando IDADCL
2 - SE o anel CLAD estiver criado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR o processador principal do CLAD através do comando CDADPR com parâmetros
PRO, FIL, BAS, SUB, TMD, ESI, ESN, EVZ, MDL
3.2 - SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
3.2.1 - ligar a fonte do módulo onde foi instalado o processador
3.2.2 - CRIAR os BI no processador principal através do comando CDBIPR com parâme-
tros NBI, PRO criando os BI CAASS, CTASA e COROT. Caso tenha acessos RD-
SI, deve ser criado o BI CTASD e, caso tenha conexão semipermanente, deve ser
criado o BI CTCSP
3.2.3 - CRIAR o processador secundário do CLAD através do comando CDADPR com pa-
râmetros PRO, TMD, PPT PRO=número do processador CCT (secundário),
TMD=MT_QDL, PPT=número do processador principal
3.2.4 - SE criação for bem sucedida ENTÃO:
3.2.4.1 -CRIAR os BI no processador secundário através do comando CDBIPR com parâ-
metros NBI, PRO criando o BI CSUAN
3.2.4.2 -Executar atividade operacional AOPPR_05 (INSTALAÇÃO DE PLACA DE TER-
MINAIS) criando as placas TAP e TLF ou TLE que são controladas pelo BI CSUAN
3.2.4.3 -CRIAR o anel CLAD através do comando CDADCL com parâmetros ANL, PRP,
PRS, PAT os parâmetros devem assumir: ANL=nome do anel CLAD, PRP=número
do processador principal (CIT), PRS=número do processador secundário,
PAT=presença ou ausência de placa TLE
3.2.4.4 -CRIAR o processador da UDL através do comando CDADPR com parâmetros
PRO, TMD, PPT os parâmetros devem assumir: PRO=número do processador da
UDL (CUC), TMD=MT_QDL, PPT=número do processador CCT
3.2.4.5 -SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
3.2.4.5.1 -CRIAR os BI do processador da UDL (CUC) através do comando CDBIPR com
parâmetros NBI, PRO criando os BI DSUAN, COTAS, COREL e, se houver aces-
sos RDSI, os BI COTAD e CCOSH
3.2.4.5.2 -MODIFICAR os dados de anel CLAD incluindo uma UDL através do comando
MDADCL com parâmetros TPO=INC, PRP, CUC, UDL, PUD, NUD
3.2.4.5.3 -SE houver outra UDL para ser criada ENTÃO:
3.2.4.5.3.1 -Vá para o passo 3.2.4.4
3.2.4.5.4 -SENÃO:
3.2.4.5.4.1 -ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando
APRIPR a execução deste comando atualiza a prioridade de carga dos processa-
dores a fim de permitir que a carga de processadores por configuração (carga em
paralelo) funcione coerentemente
3.2.4.5.4.2 -MODIFICAR o estado operacional do processador principal para o estado EM
SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
3.2.4.5.4.3 -MODIFICAR o estado operacional do processador secundário para o estado
EM SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO,
BLO=DBQ

Versão S11.1 71
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_02 Trópico RA

3.2.4.5.4.4 -MODIFICAR o estado operacional dos processadores da UDL (CUC) para o


estado EM SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO,
BLO=DBQ
3.2.4.5.4.5 -Encerrar a atividade
3.2.4.6 -SENÃO:
3.2.4.6.1 -Vá para o passo 3.2.4.4
3.2.5 - SENÃO:
3.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.3
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 3.1

72 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_04

AOPCL_04
x MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ANEL CLAD

Objetivo: Criar ou suprimir uma UDL no anel CLAD já existente

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: CLAD: Concentrador de Linha de Assinantes Distribuído (conjunto de módu-


los ligados em anel com capacidade máxima de 512 assinantes distribuídos
em até 32 módulos UDL.
UD-ELD: Unidade Distante com Estágio de Linha Distante (módulo ELD li-
gado em anel com capacidade máxima de 512 assinantes).
ANL: Nome atribuído ao anel CLAD/UD-ELD.
UDL: Unidade de Derivação de Linha (módulo distante com capacidade má-
xima de 32 assinantes analógicos). Quando parâmetro identifica o nome atri-
buído a uma UDL/ELD.
ELD: Estágio de Linha Distante (módulo distante com capacidade máxima
de 512 assinantes).
PRP: parâmetro que identifica um processador principal (CIT) - pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 0 a 1023.
PRS: parâmetro que identifica um processador secundário (CCT) - não per-
tencente à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CIT: Placa equipada controlador integrado de terminais. É o processador
principal de um CLAD/UD-ELD.
CCT: Placa equipada controladora de circuitos terminais. É o processador
secundário de um CLAD/UD-CLAD funcionando como ponte entre a central
e o anel CLAD/UD-ELD.
CUC: Placa equipada controladora da unidade de derivação de linha. É o
processador que controla uma UDL. Quando parâmetro identifica o número
do processador secundário controlador de uma UDL/ELD (não pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CCD: Placa equipada controladora de circuitos terminais distantes. É o pro-
cessador que controla uma ELD.
PPT: Parâmetro que identifica o número do processador ponte responsável
pela troca de mensagens entre processadores. Para criação de processador
secundário na central, o processador ponte será o processador CIT perten-
cente a rede interna à central e efetuará a "função ponte" entre este e o pro-
cessador CCT. Para criação de UDL (módulo MT_QDL), o processador
ponte será o processador CCT e efetuará a "função ponte" entre este e o
processador CUC (remoto - instalado em UDL). Para a criação de ELD (mó-
dulo MT_QDD), o processador ponte será o processador CCT e efetuará a
"função ponte" entre este e o processador CCD (remoto - instalado em ELD).

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do anel que se quer modificar através do comando IDADCL
2 - CASO a modificação IGUAL A inclusão de UDL ENTÃO:
2.1 - instalar fisicamente a UDL e os devidos cabos até as UDL adjacentes
2.2 - MODIFICAR o estado funcional do anel CLAD criando um loop-back através do comando
MEFACL com parâmetros PRP,ECP,PL1,PL2 PL1 e PL2 identificam o número do primeiro
e do segundo processador (CUC) onde será fechado o loop-back
2.3 - fazer a conexão física entre a nova UDL e as UDL adjacentes

Versão S11.1 73
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_04 Trópico RA

2.4 - CRIAR o processador da UDL através do comando CDADPR com parâmetros PRO, TMD,
PPT o parâmetro PRO assume o número do processador da UDL (CUC), TMD=MT_QDL,
PPT=número do processador CCT
2.5 - CRIAR os BI do processador da UDL (CUC) através do comando CDBIPR com parâmetros
NBI, PRO criando os BI DSUAN, COTAS, COREL e, se houver acessos RDSI, os BI CO-
TAD e CCOSH
2.6 - MODIFICAR os dados de anel CLAD incluindo uma UDL através do comando MDADCL
com parâmetros TPO=INC, PRP, CUC, UDL, PUD, NUD
2.7 - MODIFICAR o estado funcional do anel CLAD desfazendo o loop-back através do coman-
do MEFACL com parâmetros PRP,ECP=AMBOS
2.8 - SE a modificação for executada com sucesso ENTÃO:
2.8.1 - MODIFICAR o estado do processador controlador da nova UDL através do coman-
do MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
2.8.2 - INTERROGAR se o processador novo de UDL está em serviço através do coman-
do IDADPR
2.8.3 - Vá para o passo 2.10
2.9 - SENÃO:
2.9.1 - verificar a instalação física da nova UDL
2.9.2 - Vá para o passo 2.7
2.10 -SE o processador novo de UDL estiver em serviço ENTÃO:
2.10.1 -SE existir mais UDL a ser inserida ENTÃO:
2.10.1.1 -Vá para o passo 2.1
2.10.2 -SENÃO:
2.10.2.1 -ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando
APRIPR a execução deste comando atualiza a prioridade de carga dos processa-
dores a fim de permitir que a carga de processadores por configuração (carga em
paralelo) funcione corretamente
2.10.2.2 -Encerrar a atividade
2.11 -SENÃO:
2.11.1 -INTERROGAR as falhas associadas ao processador de UDL através do comando
IFALCE com parâmetros PRO anotar as falhas para executar a sua manutenção
corretiva
2.11.2 -executar a atividade de manutenção corretiva correspondente às falhas obtidas no
passo anterior
2.11.3 -Vá para o passo 2.7
3 - CASO a modificação IGUAL A retirada de UDL ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPAS_03 (RETIRADA DE ASSINANTE)
3.2 - MODIFICAR o estado do processador da UDL a ser suprimido, bloqueando-o através do
comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=BLQ
3.3 - SUPRIMIR as placas de assinante existentes através do comando SPLAPR
3.4 - SE for a última UDL do anel ENTÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.5.2
3.5 - SENÃO:
3.5.1 - MODIFICAR o estado funcional do anel CLAD, fazendo um loop-back na UDL a ser
retirada através do comando MEFACL com parâmetros PRP,ECP=LBA-
CK,PL1,PL2

74 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_04

3.5.2 - MODIFICAR os dados da UDL para retirá-la através do comando MDADCL com
parâmetros TPO=RET,PRP,CUC
3.5.3 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSA-
DOR) suprimindo os BI do processador da UDL a ser retirada
3.5.4 - SUPRIMIR o processador através do comando SDADPR com parâmetros PRO
identificando o processador controlador da UDL
3.5.5 - retirar fisicamente a UDL e fazer a ligação física das UDL remanescentes
3.5.6 - MODIFICAR o estado funcional do anel CLAD, desfazendo o LOOP-BACK através
do comando MEFACL com parâmetros PRP,ECP=AMBOS
3.5.7 - SE existir mais UDL a ser suprimida ENTÃO:
3.5.7.1 -Vá para o passo 3.1
3.5.8 - SENÃO:
3.5.8.1 -ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando
APRIPR a execução deste comando atualiza a prioridade de carga dos processa-
dores a fim de permitir que a carga de processadores por configuração (carga em
paralelo) funcione corretamente
3.5.8.2 -Retirar a placa do processador utilizando-se da atividade de manuseio de equipa-
mento
3.5.8.3 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 75
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_05 Trópico RA

AOPCL_05
x SUPRESSÃO DE ANEL CLAD

Objetivo: Suprimir o anel CLAD.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: Devem ser suprimidos todos os assinantes e processadores UDL existentes.

Terminologia: CLAD: Concentrador de Linha de Assinantes Distribuído (conjunto de módu-


los ligados em anel com capacidade máxima de 512 assinantes distribuídos
em até 32 módulos UDL.
UD-ELD: Unidade Distante com Estágio de Linha Distante (módulo ELD li-
gado em anel com capacidade máxima de 512 assinantes).
ANL: Nome atribuído ao anel CLAD/UD-ELD.
UDL: Unidade de Derivação de Linha (módulo distante com capacidade má-
xima de 32 assinantes analógicos). Quando parâmetro identifica o nome atri-
buído a uma UDL/ELD.
ELD: Estágio de Linha Distante (módulo distante com capacidade máxima
de 512 assinantes).
PRP: parâmetro que identifica um processador principal (CIT) - pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 0 a 1023.
PRS: parâmetro que identifica um processador secundário (CCT) - não per-
tencente à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CIT: Placa equipada controlador integrado de terminais. É o processador
principal de um CLAD/UD-ELD.
CCT: Placa equipada controladora de circuitos terminais. É o processador
secundário de um CLAD/UD-CLAD funcionando como ponte entre a central
e o anel CLAD/UD-ELD.
CUC: Placa equipada controladora da unidade de derivação de linha. É o
processador que controla uma UDL. Quando parâmetro identifica o número
do processador secundário controlador de uma UDL/ELD (não pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CCD: Placa equipada controladora de circuitos terminais distantes. É o pro-
cessador que controla uma ELD.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do anel CLAD a ser suprimida através do comando IDADCL
2 - SE houver UDL criada no anel a ser suprimido ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPCL_04 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ANEL CLAD)
suprimindo todas as UDL existentes no anel
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 4
4 - Executar atividade operacional AOPPR_07 (BLOQUEIO DE PROCESSADOR) bloqueando os
processadores principal e secundário
5 - SUPRIMIR os dados do anel CLAD através do comando SDADCL
6 - SUPRIMIR as placas existentes através do comando SPLAPR suprimindo as placas TAP e TLF
ou TLE
7 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR) suprimin-
do os BI do processador secundário a ser retirado

76 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_05

8 - SUPRIMIR o processador secundário através do comando SDADPR com parâmetros PRO


identificando o processador secundário a ser retirado
9 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR) suprimin-
do os BI do processador principal a ser retirado
10 - SUPRIMIR o processador principal através do comando SDADPR com parâmetros PRO iden-
tificando o processador principal a ser retirado
11 - ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando APRIPR a execu-
ção deste comando atualiza a prioridade de carga dos processadores a fim de permitir que a
carga dos processadores por configuração (carga em paralelo) funcione corretamente [B
12 - Retirar as placas dos processadores principal e secundário utilizando-se a atividade de manu-
seio de equipamento
13 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 77
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_07 Trópico RA

AOPCL_07
x CRIAÇÃO DE ANEL UD-ELD

Objetivo: Criar um anel UD-ELD na central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Hardware instalado.

Restrições: N. A.

Terminologia: CLAD: Concentrador de Linha de Assinantes Distribuído (conjunto de módu-


los ligados em anel com capacidade máxima de 512 assinantes distribuídos
em até 32 módulos UDL.
UD-ELD: Unidade Distante com Estágio de Linha Distante (módulo ELD li-
gado em anel com capacidade máxima de 512 assinantes).
ANL: Nome atribuído ao anel CLAD/UD-ELD.
UDL: Unidade de Derivação de Linha (módulo distante com capacidade má-
xima de 32 assinantes analógicos). Quando parâmetro identifica o nome atri-
buído a uma UDL/ELD.
ELD: Estágio de Linha Distante (módulo distante com capacidade máxima
de 512 assinantes).
PRP: parâmetro que identifica um processador principal (CIT) - pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 0 a 1023.
PRS: parâmetro que identifica um processador secundário (CCT) - não per-
tencente à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CIT: Placa equipada controlador integrado de terminais. É o processador
principal de um CLAD/UD-ELD.
CCT: Placa equipada controladora de circuitos terminais. É o processador
secundário de um CLAD/UD-CLAD funcionando como ponte entre a central
e o anel CLAD/UD-ELD.
CUC: Placa equipada controladora da unidade de derivação de linha. É o
processador que controla uma UDL. Quando parâmetro identifica o número
do processador secundário controlador de uma UDL/ELD (não pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CCD: Placa equipada controladora de circuitos terminais distantes. É o pro-
cessador que controla uma ELD.
PPT: Parâmetro que identifica o número do processador ponte responsável
pela troca de mensagens entre processadores. Para criação de processador
secundário na central, o processador ponte será o processador CIT perten-
cente a rede interna à central e efetuará a "função ponte" entre este e o pro-
cessador CCT. Para criação de UDL (módulo MT_QDL), o processador
ponte será o processador CCT e efetuará a "função ponte" entre este e o
processador CUC (remoto - instalado em UDL). Para a criação de ELD (mó-
dulo MT_QDD), o processador ponte será o processador CCT e efetuará a
"função ponte" entre este e o processador CCD (remoto - instalado em ELD).

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do anel UD-ELD a ser criado através do comando IDADCL
2 - SE o anel UD-ELD estiver criado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR o processador principal da UD-ELD através do comando CDADPR com parâme-
tros PRO, FIL, BAS, SUB, TMD, ESI, ESN, EVZ, MDL

78 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_07

3.2 - SE a criação for bem sucedida ENTÃO:


3.2.1 - ligar a fonte do módulo onde foi instalado o processador
3.2.2 - CRIAR os BI no processador principal através do comando CDBIPR com parâme-
tros NBI, PRO criando os BI CAASS, CTASA e COROT. Caso tenha acessos RD-
SI, deve ser criado o BI CTASD e, caso tenha conexão semipermanente, deve ser
criado o BI CTCSP
3.2.3 - CRIAR o processador secundário da UD-ELD através do comando CDADPR com
parâmetros PRO, TMD, PPT PRO=número do processador CCT (secundário),
TMD=MT_QDD, PPT=número do processador principal
3.2.4 - SE criação for bem sucedida ENTÃO:
3.2.4.1 -CRIAR os BI no processador secundário através do comando CDBIPR com parâ-
metros NBI, PRO criando o BI CSUAN
3.2.4.2 -Executar atividade operacional AOPPR_05 (INSTALAÇÃO DE PLACA DE TER-
MINAIS) criando as placas TAP e TLF ou TLE que são controladas pelo BI CSUAN
3.2.4.3 -CRIAR o anel UD-ELD através do comando CDADCL com parâmetros ANL, PRP,
PRS os parâmetros devem assumir: ANL=nome do anel UD-ELD, PRP=número do
processador principal (CIT), PRS=número do processador secundário
3.2.4.4 -CRIAR o processador da ELD através do comando CDADPR com parâmetros
PRO, TMD, PPT os parâmetros devem assumir: PRO=número do processador da
ELD (CCD), TMD=MT_QDD (ELD), PPT=número do processador CCT
3.2.4.5 -SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
3.2.4.5.1 -CRIAR os BI do processador da ELD (CCD) através do comando CDBIPR com
parâmetros NBI, PRO criando os BI DSUAN, COTAS, COROT e, se houver aces-
sos RDSI, os BI COTAD e CCOSH
3.2.4.5.2 -MODIFICAR os dados de anel UD-ELD incluindo a ELD através do comando
MDADCL com parâmetros TPO=INC, PRP, CUC, UDL, PUD, NUD
3.2.4.5.3 -ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando
APRIPR a execução deste comando atualiza a prioridade de carga dos processa-
dores a fim de permitir que a carga de processadores por configuração (carga em
paralelo) funcione coerentemente
3.2.4.5.4 -MODIFICAR o estado operacional do processador principal para o estado EM
SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
3.2.4.5.5 -MODIFICAR o estado operacional do processador secundário para o estado EM
SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
3.2.4.5.6 -MODIFICAR o estado operacional dos processadores da ELD (CCD) para o es-
tado EM SERVIÇO (ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO,
BLO=DBQ
3.2.4.5.7 -Encerrar a atividade
3.2.4.6 -SENÃO:
3.2.4.6.1 -Vá para o passo 3.2.4.4
3.2.5 - SENÃO:
3.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.3
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 3.1

Versão S11.1 79
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCL_08 Trópico RA

AOPCL_08
x SUPRESSÃO DE ANEL UD-ELD

Objetivo: Suprimir o anel UD-ELD.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: Devem ser suprimidos todos os assinantes e processador ELD existente.

Terminologia: CLAD: Concentrador de Linha de Assinantes Distribuído (conjunto de módu-


los ligados em anel com capacidade máxima de 512 assinantes distribuídos
em até 32 módulos UDL.
UD-ELD: Unidade Distante com Estágio de Linha Distante (módulo ELD li-
gado em anel com capacidade máxima de 512 assinantes).
ANL: Nome atribuído ao anel CLAD/UD-ELD.
UDL: Unidade de Derivação de Linha (módulo distante com capacidade má-
xima de 32 assinantes analógicos). Quando parâmetro identifica o nome atri-
buído a uma UDL/ELD.
ELD: Estágio de Linha Distante (módulo distante com capacidade máxima
de 512 assinantes).
PRP: parâmetro que identifica um processador principal (CIT) - pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 0 a 1023.
PRS: parâmetro que identifica um processador secundário (CCT) - não per-
tencente à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CIT: Placa equipada controlador integrado de terminais. É o processador
principal de um CLAD/UD-ELD.
CCT: Placa equipada controladora de circuitos terminais. É o processador
secundário de um CLAD/UD-CLAD funcionando como ponte entre a central
e o anel CLAD/UD-ELD.
CUC: Placa equipada controladora da unidade de derivação de linha. É o
processador que controla uma UDL. Quando parâmetro identifica o número
do processador secundário controlador de uma UDL/ELD (não pertencente
à rede de sinalização interna à central, numerado de 1023 a 2047).
CCD: Placa equipada controladora de circuitos terminais distantes. É o pro-
cessador que controla uma ELD.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do anel UD-ELD a ser suprimida através do comando IDADCL
2 - SE houver ELD criado no anel a ser suprimido ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPAS_03 (RETIRADA DE ASSINANTE)
2.2 - MODIFICAR o estado do processador do ELD a ser suprimido, bloqueando-o através do
comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=BLQ
2.3 - SUPRIMIR as placas de assinantes existentes através do comando SPLAPR
2.4 - MODIFICAR os dados do ELD para retirá-lo através do comando MDADCL com parâme-
tros TPO=RET, PRP, CUC
2.5 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR) su-
primindo os BI do processador do ELD a ser retirado
2.6 - SUPRIMIR o processador CCD através do comando SDADPR com parâmetros PRO iden-
tificando o processador controlador do ELD
2.7 - retirar fisicamente o ELD e a sua ligação com a central
2.8 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:

80 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCL_08

3.1 - Vá para o passo 4


4 - Executar atividade operacional AOPPR_07 (BLOQUEIO DE PROCESSADOR) bloqueando os
processadores principal e secundário
5 - SUPRIMIR os dados do anel UD-ELD através do comando SDADCL
6 - SUPRIMIR as placas existentes através do comando SPLAPR suprimindo as placas TAP e TLF
ou TLE
7 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR) suprimin-
do os BI do processador secundário a ser retirado
8 - SUPRIMIR o processador secundário através do comando SDADPR com parâmetros PRO
identificando o processador secundário a ser retirado
9 - Executar atividade operacional AOPPR_02 (RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR) suprimin-
do os BI do processador principal a ser retirado
10 - SUPRIMIR o processador principal através do comando SDADPR com parâmetros PRO iden-
tificando o processador principal a ser retirado
11 - ATIVAR a atualização de prioridades de processadores através do comando APRIPR a execu-
ção deste comando atualiza a prioridade de carga dos processadores a fim de permitir que a
carga dos processadores por configuração (carga em paralelo) funcione corretamente
12 - Retirar as placas dos processadores principal e secundário utilizando-se a atividade de manu-
seio de equipamento
13 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 81
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCO_00 Trópico RA

8
x

Recurso CO : COMUTAÇÃO

AOPCO_00 INSPEÇÃO VISUAL DO PAINEL TRASEIRO DO MÓDULO DE


COMUTAÇÃO

Objetivo: Inspecionar o painel traseiro do módulo de comutação para encontrar falhas


ou defeitos.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado do processador do módulo através do comando MESTPR com parâme-
tros BLO=BLQ
2 - Retirar as placas necessárias do módulo
3 - Procurar trilha em curto/rompida, pino de conector quebrado/torto, cabo mal conectado/defeitu-
oso e reparar
4 - Repor as placas retiradas do módulo às posições originais
5 - MODIFICAR o estado do processador do módulo através do comando MESTPR com parâme-
tros BLO=DBQ
6 - INTERROGAR se o processador reiniciou através do comando IDBIPR com parâmetros PRO
7 - SE o processador reiniciou ENTÃO:
7.1 - Encerrar a atividade
8 - SENÃO:
8.1 - Comunicar o fabricante
8.2 - Encerrar a atividade

82 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_00

9
x

Recurso CP : GRUPAMENTO CPCT

AOPCP_00 INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO OU DE UMA LINHA EM CPCT

Objetivo: Instalar um grupamento CPCT ou acrescentar linhas em um grupo CPCT


para busca seqüencial automática.

Preliminares: Ordem de serviço nos equipamentos das linhas troncos;


Conexão no DG;
Processador equipado, criado, iniciado e associado a um testador;
Placa de assinante equipada e criada;
Assinante com serviço de tarifação reversa é um assinante com a atribuição
no NTR cujo prefixo deve estar configurado através do equipamento confi-
gurador e criado na árvore de análise numérica.

Restrições: N.A.

Terminologia: 1- Linha CPCT com classificação Padrão. É um terminal de assinante com


as seguintes atribuições:
- Assinante em acesso analógico: TAS=TLCOM (assinante comum),
CTO=ASSCO (assinante comum), RTO=0 (sem restrições), TAP=TEDEC
(decádico), SEL=SEMSI (sem sinal), TAT=COMUM (tarifação comum),
ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LICTA (assinante livre com tarifa-
ção), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT (sem restrição), FAT=ATSIM
(atendimento simples), LBT=LINOR (liberação normal), SOR=NSORG (não
solicita o número do chamador), TEP=IPOSR (sem rampa), CSS=SSAUS
(sem serviço suplementar), DIR=BIDIR (bidirecional), CLN=LONGA (para
assinante não CLAD) ou CLN=CURTA (para assinante CLAD), TFL=CURTA
(tecla de flash curta).
- Assinante em acesso básico ou primário: CTO=ASSCO (assinante co-
mum), RTO=0 (sem restrições), ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LIC-
TA (assinante livre com tarifação), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT
(sem restrição), FAT=ATSIM (atendimento simples), LBT=LINOR (liberação
normal), SOR=NSORG (não solicita o número do chamador), DIR=BIDIR
(bidirecional), CAC=0, ENC=IRREL (irrelevante quanto ao envio de identida-
de do chamador), GTO=CENTRAL (geração de tons de controle de chama-
da na central), PTO=SEMPER (sem permissão para gerar tons de controle
de chamada), SSP=VOZ&AUDIO&I64K (serviços de suporte 64Kbps voz,
64kbps 3.1 kHz Áudio e 64kbps irrestrito), HMN=MNAUS (habilitação de
múltiplos números ausente), NCD=2 (para acesso básico) ou NCD=30 (para
acesso primário).

Procedimento:
1 - INTERROGAR se está(o) criado(s) o(s) número(s) de assinante(s) através do comando IDA-
DAS
2 - SE o(s) número(s) de assinante(s) estiver(em) criado(s) ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados do(s) assinante(s) na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a(s) disponibilidade(s) do(s) número(s) do equipamento(s) através do co-
mando IDADAS

Versão S11.1 83
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_00 Trópico RA

3.2 - SE o(s) número(s) de equipamento(s) de assinante(s) estiver(em) disponível(is) ENTÃO:


3.2.1 - SE for CPCT de serviço especial ENTÃO:
3.2.1.1 -CRIAR logicamente número chave para CPCT de serviço especial através do co-
mando CDADCP com parâmetros CHA, NEA, NAS, TAS=SESPE
3.2.1.2 -Anotar o contador de tarifação do número chave
3.2.1.3 -Vá para o passo 3.2.3
3.2.2 - SENÃO:
3.2.2.1 -SE for linha numerada ENTÃO:
3.2.2.1.1 -CRIAR logicamente um grupo de linhas numeradas de CPCT comum através do
comando CDADCP com parâmetros CHA, ASS, NEA, NAS
3.2.2.1.2 -Vá para o passo 3.2.2.3
3.2.2.2 -SENÃO:
3.2.2.2.1 -CRIAR logicamente as linhas não numeradas de CPCT comum através do co-
mando CDADCP com parâmetros CHA,NEA,NAS
3.2.2.2.2 -Vá para o passo 3.2.2.3
3.2.2.3 -Anotar o contador de tarifação do número chave ou do número de lista na ordem
de serviço
3.2.2.4 -SE existir mais linhas a serem criadas ENTÃO:
3.2.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.2.1
3.2.2.5 -SENÃO:
3.2.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.3
3.2.3 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para todas as linhas CPCT
3.2.4 - SE todos os assinantes criados no CPCT foram testados ENTÃO:
3.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.6
3.2.5 - SENÃO:
3.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.3
3.2.6 - Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para cada CPCT é pa-
drão
3.2.7 - SE classificação pretendida for padrão ENTÃO:
3.2.7.1 -Vá para o passo 3.2.8.2.4.1
3.2.8 - SENÃO:
3.2.8.1 -SE for CPCT de acessos digitais (acessos básicos ou primários) ENTÃO:
3.2.8.1.1 -Verificar na ordem de serviço se possui o serviço Múltiplos Números
3.2.8.1.2 -SE possuir o serviço ENTÃO:
3.2.8.1.2.1 -MODIFICAR a classificação da linha através do comando MDADAS com pa-
râmetros CHA, HMN=MNPRE
3.2.8.1.2.2 -CRIAR logicamente os números de lista associados ao número chave através
do comando CDADCP com parâmetros CHA, MNU
3.2.8.1.2.3 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida é padrão
3.2.8.1.2.4 -SE classificação for padrão ENTÃO:
3.2.8.1.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.8.2.1
3.2.8.1.2.5 -SENÃO:

84 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_00

3.2.8.1.2.5.1 -MODIFICAR a classificação do número associado ao número chave através


do comando MDADAS com parâmetros MNU
3.2.8.1.2.5.2 -Vá para o passo 3.2.8.2.1
3.2.8.1.3 -SENÃO:
3.2.8.1.3.1 -Vá para o passo 3.2.8.2.1
3.2.8.2 -SENÃO:
3.2.8.2.1 -MODIFICAR a classificação da linha através do comando MDADAS
3.2.8.2.2 -Verificar na ordem de serviço se é atribuído algum serviço suplementar na(s) li-
nha(s)
3.2.8.2.3 -SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
3.2.8.2.3.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SU-
PLEMENTAR)
3.2.8.2.3.2 -Vá para o passo 3.2.8.2.4.1
3.2.8.2.4 -SENÃO:
3.2.8.2.4.1 -MODIFICAR o estado operacional da(s) linha(s) através do comando MES-
TAS com parâmetros BLO=DBQ
3.2.8.2.4.2 -Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 85
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_01 Trópico RA

AOPCP_01
x INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO CPCT PARA SERVIÇO ESPE-
CIAL LOCAL

Objetivo: Instalar um grupamento CPCT ou acrescentar linhas em um grupo CPCT


para busca seqüencial automática em uma rota de serviço especial.

Preliminares: Ordem de serviço nos equipamentos das linhas troncos;


Conexão no D.G.;
Processador equipado, criado e iniciado;
Placa de assinante equipada e criada;

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do código de numeração para encaminhamento referente ao servi-
ço especial através do comando ICNUEN
2 - SE existe código de numeração desejado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPCP_00 (INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO OU DE
UMA LINHA EM CPCT)
3.2 - Executar atividade operacional AOPEN_04 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) associando o CHA ao encaminhamento
3.3 - Encerrar a atividade

86 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_02

AOPCP_02
x RETIRADA DE LINHA OU GRUPAMENTO CPCT

Objetivo: Retirar uma linha em um grupamento CPCT ou o grupamento CPCT da Cen-


tral.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no D.G.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
TERMINAIS DE ASSINANTE) referente a(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s)
2 - INTERROGAR se a(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s) está(o) marcada(s) para chamada de tes-
te dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
3 - SE a(s) linha(s) estiver(em) marcada(s) para chamada de teste dirigida ENTÃO:
3.1 - MODIFICAR a marcação da(s) linha(s) para chamada de teste dirigida através do coman-
do MCTECE com parâmetros ICT=DES
3.2 - INTERROGAR se a(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s) possuem serviço(s) suplemen-
tar(es) através do comando IDADSS
3.3 - SE a(s) linha(s) possuir(em) serviço(s) suplementar(es) ENTÃO:
3.3.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR)
3.3.2 - MODIFICAR a classificação da linha através do comando MDADAS com parâme-
tros ASS, CSS=SSAUS
3.3.3 - INTERROGAR se o assinante possui serviço de tarifação reversa (NTR) através
do comando IDADAS
3.3.4 - SE o assinante possuir o serviço ENTÃO:
3.3.4.1 -MODIFICAR a atribuição do serviço ao assinante através do comando MDADAS
com parâmetros ASS,NTR,TPO=SUPR
3.3.4.2 -Vá para o passo 3.3.5.1
3.3.5 - SENÃO:
3.3.5.1 -SE for supressão do número chave que possui serviço Múltiplos Números EN-
TÃO:
3.3.5.1.1 -SUPRIMIR os números associados ao número chave através do comando
SDADCP com parâmetros CHA, MNU para todos os números associados ao nú-
mero chave
3.3.5.1.2 -MODIFICAR a atribuição do serviço do assinante através do comando MDADAS
com parâmetros CHA, HMN=MNAUS
3.3.5.1.3 -Vá para o passo 3.3.5.2.1
3.3.5.2 -SENÃO:
3.3.5.2.1 -INTERROGAR os valores dos parâmetros MA2, MB2 e MO2 atribuídos ao assi-
nante a ser suprimido através do comando IDADAS anotar os valores dos parâme-
tros MA2, MB2 e MO2 atribuídos ao assinante a ser suprimido
3.3.5.2.2 -SUPRIMIR a(s) linha(s) de CPCT por CHA ou por ASS através do comando
SDADCP

Versão S11.1 87
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_02 Trópico RA

3.3.5.2.3 -verificar se o valor do parâmetro MA2 é igual a S_INF


3.3.5.2.4 -SE o MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.3.5.2.4.1 -Vá para o passo 3.3.5.2.6
3.3.5.2.5 -SENÃO:
3.3.5.2.5.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA
MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE)
3.3.5.2.5.2 -Vá para o passo 3.3.5.2.6
3.3.5.2.6 -verificar se o valor do parâmetro MB2 é igual a S_INF
3.3.5.2.7 -SE o MB2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.3.5.2.7.1 -Vá para o passo 3.3.5.2.9
3.3.5.2.8 -SENÃO:
3.3.5.2.8.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA
MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE)
3.3.5.2.8.2 -Vá para o passo 3.3.5.2.9
3.3.5.2.9 -verificar se o valor do parâmetro MO2 é igual a S_INF
3.3.5.2.10 -SE o MO2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.3.5.2.10.1 -Vá para o passo 3.3.5.2.12
3.3.5.2.11 -SENÃO:
3.3.5.2.11.1 -Executar atividade operacional AOPEN_16 (SUPRESSÃO DE DADOS DA
MATRIZ DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS)
3.3.5.2.11.2 -Vá para o passo 3.3.5.2.12
3.3.5.2.12 -Anotar o contador de tarifação na ordem de serviço se a(s) linha(s) for(em) nu-
merado(s) ou quando a supressão provoca o desaparecimento do grupo
3.3.5.2.13 -Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.3.3
4 - SENÃO:
4.1 - Vá para o passo 3.2

88 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_03

AOPCP_03
x RETIRADA DE LINHA OU GRUPAMENTO CPCT UTILIZADA EM
SERVIÇO ESPECIAL LOCAL

Objetivo: Retirar uma linha em um grupamento CPCT ou o grupamento CPCT associ-


ado a uma rota de serviço especial.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no D.G.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para o código de numeração que está sendo utili-
zado pelo grupo CPCT
2 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
TERMINAIS DE ASSINANTE) para as linhas a serem suprimidas
3 - INTERROGAR se existe terminal marcado para chamada de teste dentre os que serão suprimi-
dos através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
4 - SE existir linha marcada para chamada de teste dirigida ENTÃO:
4.1 - MODIFICAR a marcação para chamada de teste das linhas a serem suprimidas através do
comando MCTECE com parâmetros ICT=DES
4.2 - INTERROGAR se existe serviço suplementar na(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s) através
do comando IDADSS
4.3 - SE houver serviço suplementar ENTÃO:
4.3.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR)
4.3.2 - MODIFICAR a classificação da linha através do comando MDADAS com parâme-
tros ASS, CSS=SSAUS
4.3.3 - SUPRIMIR a(s) linha(s) de CPCT através do comando SDADCP
4.3.4 - Anotar o contador de tarifação na ordem de serviço quando a supressão provocar
o desaparecimento do grupo
4.3.5 - Encerrar a atividade
4.4 - SENÃO:
4.4.1 - Vá para o passo 4.3.3
5 - SENÃO:
5.1 - Vá para o passo 4.2

Versão S11.1 89
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_04 Trópico RA

AOPCP_04
x INSTALAÇÃO DE GRUPAMENTO CPCT COM DDR

Objetivo: Instalar um grupamento CPCT com DDR na Central.

Preliminares: Ordem de serviço nos equipamentos das linhas troncos ou nas rotas;
Conexão no DG;
Processador de assinantes equipado, criado, iniciado e associado a um tes-
tador;
Placa de assinantes equipada e criada;
Processador de juntores equipado, criado, iniciado;
Placa de juntores equipada e criada.

Restrições: N.A.

Terminologia: Linha CPCT com classificação Padrão:


- Assinante em acesso analógico: TAS=TLCOM (assinante comum),
CTO=ASSCO (assinante comum), RTO=0 (sem restrições), TAP=TEDEC
(decádico), SEL=SEMSI (sem sinal), TAT=COMUM (tarifação comum),
ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LICTA (assinante livre com tarifa-
ção), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT (sem restrição), FAT=ATSIM
(atendimento simples), LBT=LINOR (liberação normal), SOR=NSORG (não
solicita o número do chamador), TEP=IPOSR (sem rampa), CSS=SSAUS
(sem serviço suplementar), DIR=BIDIR (bidirecional), CLN=LONGA (para
assinante não CLAD) ou CLN=CURTA (para assinante CLAD), TFL=CURTA
(tecla de flash curta).
- Assinante em acesso básico ou primário: CTO=ASSCO (assinante co-
mum), RTO=0 (sem restrições), ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LIC-
TA (assinante livre com tarifação), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT
(sem restrição), FAT=ATSIM (atendimento simples), LBT=LINOR (liberação
normal), SOR=NSORG (não solicita o número do chamador), DIR=BIDIR
(bidirecional), CAC=0, ENC=IRREL (irrelevante quanto ao envio de identida-
de do chamador), GTO=CENTRAL (geração de tons de controle de chama-
da na central), PTO=SEMPER (sem permissão para gerar tons de controle
de chamada), SSP=VOZ&AUDIO&I64K (serviços de suporte 64Kbps voz,
64kbps 3.1 kHz Áudio e 64kbps irrestrito), NCD=2 (para acesso básico) ou
NCD=30 (para acesso primário).

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a série numérica está criada na árvore de análise numérica através do co-
mando ICNUEN com parâmetros PLE , CNU o parâmetro CNU deve ser igual a série numérica
2 - SE a série numérica estiver criada ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados da ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar o tipo de CPCT com DDR na ordem de serviço
3.2 - CASO tipo de CPCT IGUAL A linhas de assinantes para tráfego originado e rota de saída
para tráfego terminado ENTÃO:
3.2.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CEN-
TRAL) criar encaminhamento para rota de saída para DDR, com TDE=CHDDR
3.2.2 - INTERROGAR a disponibilidade dos números de equipamento das linhas tronco
através do comando IDADAS com parâmetros NEA

90 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_04

3.2.3 - SE os números de equipamento das linhas tronco estiverem disponíveis ENTÃO:


3.2.3.1 -CRIAR logicamente a série numérica associada à rota de saída (tráfego terminado
na CPCT) e o grupamento CPCT com DDR através do comando CDDRCP com pa-
râmetros GDR, TGD=ANAROS, ROT, SNU, TSN, CHA, NEA, NAS deve ser utili-
zada a rota de saída criada no passo 3.2.1, no qual são criados os dados de
encaminhamento para a rota DDR.
3.2.3.2 -Anotar o contador de tarifação do número chave na ordem de serviço
3.2.3.3 -Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de assinante
3.2.3.4 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para número chave é
padrão
3.2.3.5 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
3.2.3.5.1 -Vá para o passo 3.2.3.6.4.1
3.2.3.6 -SENÃO:
3.2.3.6.1 -MODIFICAR a classificação do número chave através do comando MDADAS
com parâmetros CHA
3.2.3.6.2 -Verificar na ordem de serviço se é atribuido algum serviço suplementar no nú-
mero chave
3.2.3.6.3 -SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
3.2.3.6.3.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SU-
PLEMENTAR)
3.2.3.6.3.2 -Vá para o passo 3.2.3.6.4.1
3.2.3.6.4 -SENÃO:
3.2.3.6.4.1 -MODIFICAR o estado operacional das linhas do CPCT (tráfego originado no
CPCT) através do comando MESTAS com parâmetros BLO=DBQ
3.2.3.6.4.2 -Verificar na ordem de serviço se há números chaves adicionais no grupamento
CPCT com DDR recém criado
3.2.3.6.4.3 -SE houver números chaves adicionais ENTÃO:
3.2.3.6.4.3.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTE-
RÍSTICAS DE CPCT COM DDR) para criação de números chaves adicionais
3.2.3.6.4.3.2 -Vá para o passo 3.2.3.6.4.5
3.2.3.6.4.4 -SENÃO:
3.2.3.6.4.4.1 -Vá para o passo 3.2.3.6.4.5
3.2.3.6.4.5 -Verificar na ordem de serviço se há séries numéricas adicionais no grupamen-
to CPCT com DDR recém criado
3.2.3.6.4.6 -SE houver séries numéricas adicionais ENTÃO:
3.2.3.6.4.6.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTE-
RÍSTICAS DE CPCT COM DDR) para criação de séries numéricas adicionais
3.2.3.6.4.6.2 -Encerrar a atividade
3.2.3.6.4.7 -SENÃO:
3.2.3.6.4.7.1 -Encerrar a atividade
3.2.4 - SENÃO:
3.2.4.1 -Vá para o passo 2.1
3.3 - CASO tipo de CPCT IGUAL A rota de entrada para tráfego originado e rota de saída para
tráfego destinado ENTÃO:

Versão S11.1 91
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_04 Trópico RA

3.3.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CEN-


TRAL) criar o encaminhamento para a rota de saída para DDR, com TDE=CHDDR
3.3.2 - Executar atividade operacional AOPRO_00 (CRIAÇÃO DE ROTA) criar a rota de
entrada para tráfego originado para DDR, com a tarifação em assinante:
CRT=TFASS, ASS=número de lista ao qual será atribuída a tarifação
3.3.3 - CRIAR logicamente a série numérica associada às rotas de entrada e de saída
através do comando CDDRCP com parâmetros GDR, TGD=ANAROE, ROS, ROE,
SNU, TSN devem ser utilizadas as rotas criadas nos passos 3.3.1 e 3.3.2, nos
quais são criados os dados de encaminhamento para a rota DDR
3.3.4 - Verificar na ordem de serviço se há séries numéricas adicionais no grupamento
CPCT com DDR recém criado
3.3.5 - SE houver séries numéricas adicionais ENTÃO:
3.3.5.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTERÍSTI-
CAS DE CPCT COM DDR) para criação de séries numéricas adicionais
3.3.5.2 -Encerrar a atividade
3.3.6 - SENÃO:
3.3.6.1 -Encerrar a atividade
3.4 - CASO tipo de CPCT IGUAL A acessos digitais para tráfego originado e tráfego destinado
ENTÃO:
3.4.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CEN-
TRAL) criar o encaminhamento para o CPCT com DDR de acessos digitais, com
TDE=GDDR
3.4.2 - INTERROGAR a disponibilidade dos números de equipamento das linhas tronco
através do comando IDADAS com parâmetros NEA
3.4.3 - SE os números de equipamentos das linhas tronco estiverem disponíveis ENTÃO:
3.4.3.1 -CRIAR logicamente a série numérica associada acessos digitais através do co-
mando CDDRCP com parâmetros GDR, TGD=DIGITAL, SNU, TSN, CHA, NEA,
NAS deve ser utilizada o encaminhamento criado no passo 3.4.1
3.4.3.2 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para o CPCT com DDR
digital é o padrão
3.4.3.3 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
3.4.3.3.1 -Vá para o passo 3.4.3.5
3.4.3.4 -SENÃO:
3.4.3.4.1 -MODIFICAR a classificação do CPCT com DDR digital através do comando
MDDRCP
3.4.3.4.2 -Vá para o passo 3.4.3.5
3.4.3.5 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida de todos os números
da série numérica é o padrão classificação padrão considera que o número não
possui serviço suplementar
3.4.3.6 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
3.4.3.6.1 -Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de assinante
3.4.3.6.2 -MODIFICAR o estado operacional das linhas CPCT através do comando MES-
TAS com parâmetros BLO=DBQ
3.4.3.6.3 -Verificar na ordem de serviço se há números chaves adicionais no grupamento
CPCT com DDR recém criado
3.4.3.6.4 -SE houver números chaves adicionais ENTÃO:

92 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_04

3.4.3.6.4.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTE-


RÍSTICAS DE CPCT COM DDR) para criação de números chaves adicionais
3.4.3.6.4.2 -Vá para o passo 3.4.3.6.6
3.4.3.6.5 -SENÃO:
3.4.3.6.5.1 -Vá para o passo 3.4.3.6.6
3.4.3.6.6 -Verificar na ordem de serviço se há séries numéricas adicionais no grupamento
CPCT com DDR recém criado
3.4.3.6.7 -SE houver séries numéricas adicionais ENTÃO:
3.4.3.6.7.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTE-
RÍSTICAS DE CPCT COM DDR) para criação de séries numéricas adicionais
3.4.3.6.7.2 -Encerrar a atividade
3.4.3.6.8 -SENÃO:
3.4.3.6.8.1 -Encerrar a atividade
3.4.3.7 -SENÃO:
3.4.3.7.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTERÍS-
TICAS DE CPCT COM DDR) para atribuição de classificação diferente ao números
pertencentes à série numérica
3.4.3.7.2 -SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
3.4.3.7.2.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SU-
PLEMENTAR)
3.4.3.7.2.2 -Vá para o passo 3.4.3.6.1
3.4.3.7.3 -SENÃO:
3.4.3.7.3.1 -Vá para o passo 3.4.3.6.1
3.4.4 - SENÃO:
3.4.4.1 -Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 93
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_05 Trópico RA

AOPCP_05
x RETIRADA DE UM GRUPAMENTO CPCT COM DDR

Objetivo: Retirar um grupamento CPCT com DDR da Central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Desconexão no DG.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o tipo de CPCT a ser suprimido através do comando IDDRCP
2 - CASO o tipo de CPCT (TGD) IGUAL A linhas de assinantes para tráfego originado e rota de
saída para tráfego destinado (ANAROS) ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para todas as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de
assinante
2.2 - INTERROGAR se alguma das linhas a serem suprimidas está marcada para teste de cha-
mada dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
2.3 - SE alguma linha estiver marcada para teste ENTÃO:
2.3.1 - MODIFICAR a marcação da linha a ser suprimida para DESMARCADO através do
comando MCTECE com parâmetros ICT=DES
2.3.2 - Vá para o passo 2.5
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Vá para o passo 2.5
2.5 - INTERROGAR a marcação de medição de tráfego sobre o grupamento CPCT com DDR a
ser suprimida através do comando ICPCTR
2.6 - SE o grupamento CPCT com DDR estiver marcado para medição ENTÃO:
2.6.1 - MODIFICAR a marcação sobre o grupamento CPCT com DDR através do coman-
do MCPCTR com parâmetros ICT=DES
2.6.2 - Vá para o passo 2.8
2.7 - SENÃO:
2.7.1 - Vá para o passo 2.8
2.8 - INTERROGAR se os números chaves do CPCT com DDR possui serviços suplementares
através do comando IDADSS com parâmetros ASS identificar cada um dos números cha-
ves
2.9 - SE existir números chaves com serviço suplementar ENTÃO:
2.9.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) para cada um dos números chaves com serviço suplementar
2.9.2 - MODIFICAR a classificação do serviço suplementar para AUSENTE através do co-
mando MDADAS com parâmetros CHA, CSS=SSAUS para cada um dos números
chaves com indicação de serviço suplementar presente
2.9.3 - Vá para o passo 2.11
2.10 -SENÃO:
2.10.1 -Vá para o passo 2.11
2.11 -SE o grupamento CPCT com DDR possuir mais de um número chave ENTÃO:

94 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_05

2.11.1 -SUPRIMIR os números chaves adicionais do grupamento CPCT com DDR através
do comando SDDRCP com parâmetros GDR, CHA para todos os números chaves
adicionais e anotar o contador de tarifação de cada número chave na ordem de ser-
viço
2.11.2 -Vá para o passo 2.13
2.12 -SENÃO:
2.12.1 -Vá para o passo 2.13
2.13 -SE o grupamento CPCT com DDR possuir mais de uma série numérica ENTÃO:
2.13.1 -Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NU-
MERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para todas as séries nu-
méricas adicionais da árvore de seleção
2.13.2 -SUPRIMIR as séries numéricas adicionais do grupamento CPCT com DDR através
do comando SDDRCP com parâmetros GDR, SNU para todas as séries numéricas
adicionais
2.13.3 -Vá para o passo 2.15
2.14 -SENÃO:
2.14.1 -Vá para o passo 2.15
2.15 -Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para a série numérica da árvore de aná-
lise
2.16 -SUPRIMIR o grupamento CPCT com DDR através do comando SDDRCP com parâme-
tros GDR, ROS, SNU, CHA
2.17 -Anotar o contador de tarifação na ordem de serviço
2.18 -Executar atividade operacional AOPRO_01 (SUPRESSÃO DE ROTA) para a rota associ-
ada ao grupo
2.19 -Encerrar a atividade
3 - CASO o tipo de CPCT (TGD) IGUAL A rota de entrada para tráfego originado e rota de saída
para tráfego terminado (ANAROE) ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPJU_02 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE JUNTOR) para todos os juntores pertencentes às rotas de entrada e de saída
3.2 - INTERROGAR a marcação de medição de tráfego sobre o grupamento CPCT com DDR a
ser suprimida através do comando ICPCTR
3.3 - SE o grupamento CPCT com DDR estiver marcado para medição ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR a marcação sobre o grupamento CPCT com DDR através do coman-
do MCPCTR com parâmetros ICT=DES
3.3.2 - Vá para o passo 3.5
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.5
3.5 - SE o grupamento CPCT com DDR possuir mais de uma série numérica ENTÃO:
3.5.1 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NU-
MERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para todas as séries nu-
méricas adicionais da árvore de análise
3.5.2 - SUPRIMIR as séries numéricas adicionais do grupamento CPCT com DDR através
do comando SDDRCP com parâmetros GDR, SNU para todas as séries numéricas
adicionais
3.5.3 - Vá para o passo 3.7
3.6 - SENÃO:

Versão S11.1 95
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_05 Trópico RA

3.6.1 - Vá para o passo 3.7


3.7 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para a série numérica da árvore de aná-
lise
3.8 - SUPRIMIR o grupamento CPCT com DDR através do comando SDDRCP com parâmetros
GDR, ROS, ROE
3.9 - Executar atividade operacional AOPPR_01 (INSTALAÇÃO DE PROCESSADOR NA CEN-
TRAL) para as rotas de entrada e de saída associadas ao grupo
3.10 -Encerrar a atividade
4 - CASO o tipo de CPCT (TGD) IGUAL A acessos digitais para tráfego originado e tráfego desti-
nado (DIGITAL) ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para todos os acessos ligados ao CPCT com DDR
4.2 - INTERROGAR se alguma das linhas a serem suprimidas está marcada para teste de cha-
mada dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
4.3 - SE alguma linha estiver marcada para teste ENTÃO:
4.3.1 - MODIFICAR a marcação da linha a ser suprimida para DESMARCADO através do
comando MCTECE com parâmetros ICT=DES
4.3.2 - Vá para o passo 4.5
4.4 - SENÃO:
4.4.1 - Vá para o passo 4.5
4.5 - INTERROGAR a marcação de medição de tráfego sobre o grupamento CPCT com DDR a
ser suprimida através do comando ICPCTR
4.6 - SE o grupamento CPCT com DDR estiver marcado para medição ENTÃO:
4.6.1 - MODIFICAR a marcação sobre o grupamento CPCT com DDR através do coman-
do MCPCTR
com parâmetros ICT=DES
4.6.2 - Vá para o passo 4.8
4.7 - SENÃO:
4.7.1 - Vá para o passo 4.8
4.8 - INTERROGAR se os números chaves do CPCT com DDR possui serviços suplementares
através do comando IDADSS com parâmetros ASS identificar cada um dos números cha-
ves
4.9 - SE existir números chaves com serviço suplementar ENTÃO:
4.9.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) para cada um dos números chaves com serviço suplementar
4.9.2 - MODIFICAR a classificação do serviço suplementar para AUSENTE através do co-
mando MDADAS com parâmetros CHA, CSS=SSAUS para cada um dos números
chaves com indicação de serviço suplementar presente
4.9.3 - Vá para o passo 4.11
4.10 -SENÃO:
4.10.1 -Vá para o passo 4.11
4.11 -SE o grupamento CPCT com DDR possuir mais de um número chave ENTÃO:
4.11.1 -SUPRIMIR os números chaves adicionais do grupamento CPCT com DDR através
do comando SDDRCP com parâmetros GDR, CHA para todos os números chaves
adicionais e anotar o contador de tarifação de cada número chave na ordem de ser-
viço

96 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_05

4.11.2 -Vá para o passo 4.13


4.12 -SENÃO:
4.12.1 -Vá para o passo 4.13
4.13 -SE o grupamento CPCT com DDR possuir atribuições individuais para os números per-
tencentes à série numérica ENTÃO:
4.13.1 -Executar atividade operacional AOPCP_06 (MODIFICAÇÃO DE CARACTERÍSTI-
CAS DE CPCT COM DDR) para remover as características diferentes de todos os
números com atribuições individuais
4.13.2 -Vá para o passo 4.15
4.14 -SENÃO:
4.14.1 -Vá para o passo 4.15
4.15 -SE o grupamento CPCT com DDR possuir mais de uma série numérica ENTÃO:
4.15.1 -Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NU-
MERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para todas as séries nu-
méricas adicionais da árvore de análise
4.15.2 -SUPRIMIR as séries numéricas adicionais do grupamento CPCT com DDR através
do comando SDDRCP com parâmetros GDR, SNU para todas as séries numéricas
adicionais
4.15.3 -Vá para o passo 4.17
4.16 -SENÃO:
4.16.1 -Vá para o passo 4.17
4.17 -Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para a série numérica da árvore de aná-
lise
4.18 -SUPRIMIR o grupamento CPCT com DDR através do comando SDDRCP com parâme-
tros GDR, SNU, CHA
4.19 -Anotar o contador de tarifação na ordem de serviço
4.20 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 97
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_06 Trópico RA

AOPCP_06
x MODIFICAÇÃO DE CARACTERÍSTICAS DE CPCT COM DDR

Objetivo: Modificar características de um grupo CPCT com DDR já existente, tais co-
mo:
- associar nova série numérica e seu respectivo tipo;
- associar outro número chave e suas respectivas linhas tronco;
- associar novas linhas tronco;
- atribuir características diferentes a números pertencentes a uma série nu-
mérica;
- suprimir um ou mais séries numéricas adicionais;
- suprimir um número chave adicional;
- suprimir linhas tronco;
- remover características diferentes de números pertencentes a uma série
numérica.

Preliminares: Ordem de serviço.


Quando for criação de linhas troncos:
- Conexão no DG;
- Processador de assinante equipado, criado, iniciado e associado a um tes-
tador;
- Placa de assinante equipada e criada.
Quando for supressão de número chave ou de linhas troncos:
- Desconexão no DG.

Restrições: N. A.

Terminologia: Linha CPCT com classificação Padrão:


- Assinante em acesso analógico: TAS=TLCOM (assinante comum),
CTO=ASSCO (assinante comum), RTO=0 (sem restrições), TAP=TEDEC
(decádico), SEL=SEMSI (sem sinal), TAT=COMUM (tarifação comum),
ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LICTA (assinante livre com tarifa-
ção), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT (sem restrição), FAT=ATSIM
(atendimento simples), LBT=LINOR (liberação normal), SOR=NSORG (não
solicita o número do chamador), TEP=IPOSR (sem rampa), CSS=SSAUS
(sem serviço suplementar), DIR=BIDIR (bidirecional), CLN=LONGA (para
assinante não CLAD) ou CLN=CURTA (para assinante CLAD), TFL=CURTA
(tecla de flash curta).
- Assinante em acesso básico ou primário: CTO=ASSCO (assinante co-
mum), RTO=0 (sem restrições), ATO=0, PEC=5, CAD=0, ATD=0, CTT=LIC-
TA (assinante livre com tarifação), CMT=NORMAL (normal), RTT=SEMRT
(sem restrição), FAT=ATSIM (atendimento simples), LBT=LINOR (liberação
normal), SOR=NSORG (não solicita o número do chamador), DIR=BIDIR
(bidirecional), CAC=0, ENC=IRREL (irrelevante quanto ao envio de identida-
de do chamador), GTO=CENTRAL (geração de tons de controle de chama-
da na central), PTO=SEMPER (sem permissão para gerar tons de controle
de chamada), SSP=VOZ&AUDIO&I64K (serviços de suporte 64Kbps voz,
64kbps 3.1 kHz Áudio e 64kbps irrestrito), NCD=2 (para acesso básico) ou
NCD=30 (para acesso primário).

Procedimento:
1 - Verificar a modificação a ser realizada em CPCT com DDR na ordem de serviço
2 - CASO a modificação IGUAL A criação de nova série numérica ENTÃO:

98 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_06

2.1 - INTERROGAR se a série numérica está criada na árvore de análise numérica através do
comando ICNUEN com parâmetros PLE, CNU o parâmetro CNU deve ser igual a série nu-
mérica
2.2 - SE a série estiver criada ENTÃO:
2.2.1 - Conferir os dados da ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2.2 - Encerrar a atividade
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CEN-
TRAL) associar a série numérica para a rota de saída de CPCT com DDR
2.3.2 - CRIAR logicamente a série numérica através do comando CDDRCP com parâme-
tros GDR, TGD, SNU, TSN deve ser utilizada a série numérica criada no passo
2.3.1
2.3.3 - SE o valor do parâmetro TGD for igual a DIGITAL ENTÃO:
2.3.3.1 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para o CPCT com DDR
digital é o padrão
2.3.3.2 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
2.3.3.2.1 -Vá para o passo 2.3.3.4
2.3.3.3 -SENÃO:
2.3.3.3.1 -MODIFICAR a classificação do CPCT com DDR digital através do comando
MDDRCP
2.3.3.3.2 -Vá para o passo 2.3.3.4
2.3.3.4 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida de todos os números
da série numérica é o padrão classificação padrão considera que o número não
possui serviço suplementar
2.3.3.5 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
2.3.3.5.1 -Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de assinante
2.3.3.5.2 -MODIFICAR o estado operacional das linhas CPCT através do comando MES-
TAS com parâmetros BLO=DBQ
2.2.2.5.3 -Encerrar a atividade
2.3.3.6 -SENÃO:
2.3.3.6.1 -CRIAR logicamente os dados do número com características diferentes através
do comando CDDRCP com parâmetros GDR, NSN
2.3.3.6.2 -MODIFICAR a classificação do número através do comando MDADAS com pa-
râmetros NSN adicionando o parâmetro de classificação a ser modificada
2.3.3.6.3 -SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
2.3.3.6.3.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SU-
PLEMENTAR)
2.3.3.6.3.2 -Vá para o passo 2.3.3.5.1
2.3.3.6.4 -SENÃO:
2.3.3.6.4.1 -Vá para o passo 2.3.3.5.1
2.3.4 - SENÃO:
2.3.4.1 -Vá para o passo 2.3.3.5.1
3 - CASO a modificação IGUAL A criação de novo número chave e suas respectivas linhas tronco
em CPCT com DDR ENTÃO:

Versão S11.1 99
Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_06 Trópico RA

3.1 - INTERROGAR a disponibilidade dos números chaves através do comando IDADAS com
parâmetros ASS identificar os números chaves
3.2 - SE os números chaves estiverem disponíveis ENTÃO:
3.2.1 - INTERROGAR a disponibilidade dos números de equipamento das linhas tronco
através do comando IDADAS com parâmetros NEA
3.2.2 - SE os números de equipamentos das linhas tronco estiverem disponíveis ENTÃO:
3.2.2.1 -CRIAR logicamente o novo número chave e as suas respectivas linhas tronco atra-
vés do comando CDDRCP com parâmetros GDR, TGD, CHA, NEA, NAS repetir o
comando para cada número chave adicional
3.2.2.2 -Anotar o contador de tarifação do número chave na ordem de serviço
3.2.2.3 -Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de assinante
3.2.2.4 -Verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida para número chave é
o padrão
3.2.2.5 -SE a classificação pretendida for o padrão ENTÃO:
3.2.2.5.1 -Vá para o passo 3.2.2.6.4.1
3.2.2.6 -SENÃO:
3.2.2.6.1 -MODIFICAR a classificação do número chave através do comando MDADAS
com parâmetros CHA
3.2.2.6.2 -Verificar na ordem de serviço se é atribuído algum serviço suplementar ao nú-
mero chave
3.2.2.6.3 -SE for atribuído algum serviço suplementar ENTÃO:
3.2.2.6.3.1 -Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SU-
PLEMENTAR)
3.2.2.6.3.2 -Vá para o passo 3.2.2.6.4.1
3.2.2.6.4 -SENÃO:
3.2.2.6.4.1 -MODIFICAR o estado operacional das linhas CPCT (tráfego originado no
CPCT) através do comando MESTAS com parâmetros NEA, BLO=DBQ
3.2.2.6.4.2 -Encerrar a atividade
3.2.3 - SENÃO:
3.2.3.1 -Vá para o passo 2.2.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 2.2.1
4 - CASO a modificação IGUAL A criação de novas linhas tronco em CPCT com DDR ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR a disponibilidade dos números de equipamento das linhas tronco através
do comando IDADAS com parâmetros NEA
4.2 - SE os números de equipamento das linhas tronco estiverem disponíveis ENTÃO:
4.2.1 - CRIAR logicamente as novas linhas tronco através do comando CDDRCP com pa-
râmetros GDR, TGD, CHA, NEA, NAS o valor do parâmetro CHA deve assumir o
número chave do CPCT onde serão criadas as novas linhas tronco
4.2.2 - Anotar o contador de tarifação do número chave na ordem de serviço
4.2.3 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE
ASSINANTE) para as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de assinante
4.2.4 - MODIFICAR o estado operacional das linhas CPCT (tráfego originado no CPCT)
através do comando MESTAS com parâmetros NEA, BLO=DBQ
4.2.5 - Encerrar a atividade

100 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_06

4.3 - SENÃO:
4.3.1 - Vá para o passo 2.2.1
5 - CASO a modificação IGUAL A atribuição de classificação diferente para números pertencentes
à série numérica ENTÃO:
5.1 - CRIAR logicamente os dados do número com características diferentes através do coman-
do CDDRCP com parâmetros GDR, NSN
5.2 - MODIFICAR a classificação do número para o valor pretendido através do comando MDA-
DAS com parâmetros NSN adicionando o parâmetro da classificação a ser modificada
5.3 - Encerrar a atividade
6 - CASO a modificação IGUAL A remoção da classificação diferente de números pertencentes à
série numérica ENTÃO:
6.1 - INTERROGAR a existência de atribuição de serviços suplementares para esses números
com atribuições individuais através do comando IDADSS com parâmetros ASS fornecendo
o número da série com atribuição individual
6.2 - SE algum número possuir serviço suplementar ENTÃO:
6.2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) para os números que possuem serviço suplementar
6.2.2 - MODIFICAR a classificação do serviço suplementar para AUSENTE através do co-
mando MDADAS com parâmetros NSN, CSS=SSAUS para os números que pos-
suem indicação de serviço suplementar presente
6.2.3 - Vá para o passo 6.3.1
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - SUPRIMIR logicamente os dados do número com características diferentes atra-
vés do comando SDDRCP com parâmetros GDR, NSN
6.3.2 - Encerrar a atividade
7 - CASO a modificação IGUAL A alteração de classificação do CPCT com DDR digital ENTÃO:
7.1 - MODIFICAR a classificação do CPCT com DDR digital através do comando MDDRCP
7.2 - Encerrar a atividade
8 - CASO a modificação IGUAL A supressão de série numérica do CPCT com DDR ENTÃO:
8.1 - SE o tipo de CPCT (TGD) for igual a acessos digitais para tráfego originado e tráfego ter-
minado (DIGITAL) ENTÃO:
8.1.1 - SE o grupamento CPCT com DDR possuir atribuições individuais para os números
pertencentes à série numérica ENTÃO:
8.1.1.1 -INTERROGAR a existência de atribuição de serviços suplementares para esses
números com atribuições individuais através do comando IDADSS com parâme-
tros ASS fornecendo o número da série numérica com atribuição individual
8.1.1.2 -SE existir a atribuição para algum dos números ENTÃO:
8.1.1.2.1 -Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) para cada um dos números que possuem serviço suplementar
8.1.1.2.2 -MODIFICAR a classificação do serviço suplementar para AUSENTE através do
comando MDADAS com parâmetros NSN, CSS=SSAUS para cada um dos núme-
ros com indicação de serviço suplementar presente
8.1.1.2.3 -Vá para o passo 8.1.1.3.1
8.1.1.3 -SENÃO:
8.1.1.3.1 -SUPRIMIR as atribuições individuais através do comando SDDRCP com parâ-
metros GDR, NSN para todas as atribuições individuais dos números pertencentes
às séries numéricas a serem suprimidas

Versão S11.1 101


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPCP_06 Trópico RA

8.1.1.3.2 -Vá para o passo 8.3


8.1.2 - SENÃO:
8.1.2.1 -Vá para o passo 8.3
8.2 - SENÃO:
8.2.1 - Vá para o passo 8.3
8.3 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para as séries numéricas suprimidas da
árvore de análise
8.4 - SUPRIMIR as séries numéricas do grupamento CPCT com DDR através do comando
SDDRCP com parâmetros GDR, SNU para as séries numéricas a serem suprimidas
8.5 - Encerrar a atividade
9 - CASO a modificação IGUAL A supressão de número chave do CPCT com DDR ENTÃO:
9.1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para todas as linhas CPCT com DDR ligadas a nível de
assinante ao número chave a ser suprimido
9.2 - INTERROGAR se alguma das linhas a serem suprimidas está marcada para teste de cha-
mada dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
9.3 - SE alguma linha estiver marcada para teste ENTÃO:
9.3.1 - MODIFICAR a marcação da linha a ser suprimida para DESMARCADO através do
comando MCTECE com parâmetros ICT=DES
9.3.2 - Vá para o passo 9.5
9.4 - SENÃO:
9.4.1 - Vá para o passo 9.5
9.5 - INTERROGAR a marcação de medição de tráfego sobre o grupamento CPCT com DDR a
ser suprimida através do comando ICPCTR
9.6 - SE o grupamento CPCT com DDR estiver marcado para medição ENTÃO:
9.6.1 - MODIFICAR a marcação sobre o grupamento CPCT com DDR através do coman-
do MCPCTR com parâmetros ICT=DES
9.6.2 - Vá para o passo 9.8
9.7 - SENÃO:
9.7.1 - Vá para o passo 9.8
9.8 - INTERROGAR se os números chaves do CPCT com DDR possui serviços suplementares
através do comando IDADSS com parâmetros ASS identificar cada um dos números cha-
ves
9.9 - SE existir números chaves com serviço suplementar ENTÃO:
9.9.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) para cada um dos números chaves com serviço suplementar
9.9.2 - MODIFICAR a classificação do serviço suplementar para AUSENTE através do co-
mando MDADAS com parâmetros CHA, CSS=SSAUS para cada um dos números
chaves com indicação de serviço suplementar presente
9.9.3 - Vá para o passo 9.11
9.10 -SENÃO:
9.10.1 -Vá para o passo 9.11
9.11 -SUPRIMIR o número chave do grupamento CPCT com DDR através do comando SDDR-
CP com parâmetros GDR, CHA repetir o comando para cada número chave
9.12 -Anotar o contador de tarifação na ordem de serviço

102 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPCP_06

9.13 -Encerrar a atividade


10 - CASO a modificação IGUAL A supressão de linhas tronco do CPCT com DDR ENTÃO:
10.1 -Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para as linhas tronco a serem suprimidas
10.2 -INTERROGAR se alguma das linhas a serem suprimidas está marcada para teste de cha-
mada dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
10.3 -SE alguma linha estiver marcada para teste ENTÃO:
10.3.1 -MODIFICAR a marcação da linha a ser suprimida para DESMARCADO através do
comando MCTECE com parâmetros ICT=DES
10.3.2 -Vá para o passo 10.4.1
10.4 -SENÃO:
10.4.1 -SUPRIMIR as linhas tronco do grupamento CPCT com DDR através do comando
SDDRCP com parâmetros GDR, CHA, NEA
10.4.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 103


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEC_00 Trópico RA

10
x

Recurso EC : ENCAMINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO

AOPEC_00 CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO


N.7

Objetivo: Associar a uma identificação de encaminhamento um ou dois conjuntos de


enlaces de sinalização.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o conjunto de enlaces a ser associado está criado através do comando IDAD-
CJ com parâmetros NCJ
2 - SE o conjunto estiver criado ENTÃO:
2.1 - CRIAR criar os dados de encaminhamento associando um ou dois conjuntos de enlace
através do comando CDADEC
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPCJ_00 (CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE ENLACES DE
SINALIZAÇÃO N.7)
3.2 - Vá para o passo 2.1

104 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEC_01

AOPEC_01
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE SINALIZA-
ÇÃO N.7

Objetivo: Suprimir o encaminhamento de sinalização, visando retirar as associações


feitas quando da sua criação.

Preliminares: Ordem de serviço;


Todos os dados de endereçamentos associados a este encaminhamento
devem estar suprimidos.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe algum endereçamento associado a este encaminhamento através do
comando ISIMEP
2 - SE existir algum endereçamento associado a este encaminhamento ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEP_02 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ENDEREÇA-
MENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7)
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR os dados de encaminhamento de sinalização através do comando SDADEC
com parâmetros NEC
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 105


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEL_00 Trópico RA

11
x

Recurso EL : ENLACE DE SINALIZAÇÃO

AOPEL_00 CRIAÇÃO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Criar logicamente no sistema um enlace de sinalização.

Preliminares: Ordem de serviço;


Conjunto de enlaces criado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de enlace de sinalização através do comando IDADEL
2 - SE o enlace de sinalização estiver criado ENTÃO:
2.1 - verificar se os dados existentes são os desejados
2.2 - SE os dados existentes forem os desejados ENTÃO:
2.2.1 - Encerrar a atividade
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - MODIFICAR os dados de enlace de sinalização através do comando MDADEL
2.3.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a existência do conjunto de enlaces de sinalização através do comando
IDADCJ com parâmetros NCJ
3.2 - SE existir o conjunto de enlaces ENTÃO:
3.2.1 - CRIAR o enlace de sinalização através do comando CDADEL
3.2.2 - SE for necessário ativar o enlace ENTÃO:
3.2.2.1 -MODIFICAR o estado do enlace de sinalização ativando-o através do comando
MDADEL com parâmetros EOD=ATIVO,ENL
3.2.3 - SENÃO:
3.2.3.1 -Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Executar atividade operacional AOPCJ_00 (CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE ENLA-
CES DE SINALIZAÇÃO N.7)
3.3.2 - Vá para o passo 3.2.1

106 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEL_05

AOPEL_05
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Suprimir logicamente um enlace de sinalização, retirando as associações


feitas quando de sua criação.

Preliminares: Ordem de serviço

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do enlace de sinalização através do comando IDADEL
2 - SE o estado operacional desejado estiver ativo (EOD) ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do enlace de sinalização através do comando MDADEL
com parâmetros EOD=INATV,ENL
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR logicamente o enlace de sinalização através do comando SDADEL
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 107


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEL_06 Trópico RA

AOPEL_06
x ATIVAÇÃO DE TESTE EM ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Ativar teste periódico em enlace de sinalização.

Preliminares: Ordem de serviço;


Quantidade de testes a serem realizados e respectiva periodicidade.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados do enlace de sinalização através do comando IDADEL
2 - ATIVAR o teste em enlace de sinalização através do comando ATSTEL
3 - SE existir teste que não foi relatado ENTÃO:
3.1 - INTERROGAR o teste de enlace de sinalização através do comando ITSTEL com parâme-
tros ENL
3.2 - Encerrar a atividade
4 - SENÃO:
4.1 - Encerrar a atividade

108 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEL_07

AOPEL_07
x DESATIVAÇÃO DE TESTE EM ENLACE DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Desativar um teste de enlace em fase de execução.

Preliminares: Ordem de serviço;


Teste no enlace ativo.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o teste periódico em enlace de sinalização está ativo através do comando
ITSTEL
2 - SE o teste estiver ativo ENTÃO:
2.1 - DESATIVAR o teste periódico em enlace de sinalização através do comando DTSTEL
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR os dados do teste periódico através do comando ITSTEL
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 109


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_00 Trópico RA

12
x

Recurso EN : ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS

AOPEN_00 TROCA DE PLANOS DE ENCAMINHAMENTO

Objetivo: Colocar um plano de encaminhamento opcional ou reserva na condição de


um plano de encaminhamento ativo.

Preliminares: N.A.

Restrições: Esta atividade não é permitida se o plano reserva estiver marcado para cha-
mada de teste dirigida;
Após o comando ACOMEN a Central só aceita comandos para modificação
de dados de encaminhamento após um período de 35 segundos.
O comando ACAREN somente pode ser utilizado em horário de baixo tráfe-
go telefônico.

Terminologia: A Central possui cinco planos para encaminhamento de chamadas, dois de-
les, residindo em memória de massa e em memória principal e os outros três
planos residindo somente em memória de massa - planos opcionais. Dos
planos de encaminhamento residentes em memória principal um está man-
tido na condição de serviço (plano ativo) e o outro (plano reserva) está apto
a ser comutado, para entrar em serviço a qualquer instante.
Estes cinco planos, são configurados com dados diferentes, a fim de atender
às diversas situações de tráfego, previsíveis na rede.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - CASO plano desejado IGUAL A opcional ENTÃO:
2.1 - ATIVAR carga do plano de encaminhamento através do comando ACAREN
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - CASO plano desejado IGUAL A reserva ENTÃO:
3.1 - ATIVAR comutação dos planos de encaminhamento através do comando ACOMEN
3.2 - verificar se ocorre a emissão do alarme GETAB-00 incriminando processadores de assi-
nantes ou de juntores de entrada
3.3 - SE ocorreu o alarme ENTÃO:
3.3.1 - Executar atividade de manutenção corretiva AMCGETAB_00 para os processado-
res incriminados no alarme
3.3.2 - Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Encerrar a atividade

110 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_01

AOPEN_01
x ALTERAÇÃO DO PLANO DE ENCAMINHAMENTO ATIVO

Objetivo: Alterar dados referentes ao encaminhamento de chamadas e colocar um


plano de encaminhamento opcional na condição de plano ativo.

Preliminares: Existência de plano de encaminhamento opcional. A cópia pode ser feita en-
tre qualquer plano de encaminhamento, desde que o plano de encaminha-
mento destino seja um plano opcional.

Restrições: Esta atividade não é executável:


1- Quando o plano reserva estiver marcado para chamada de teste dirigida;
2- Sobre os planos de encaminhamento ativo ou reserva;
3- Após a execução do comando ACOMEN a Central só aceita comandos
para modificação de dados de encaminhamento após um período de 35 se-
gundos.
O comando ACAREN somente pode ser utilizado em horário de baixo tráfe-
go telefônico.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR cópia de encaminhamento ativo num dos planos de encaminhamento opcionais atra-
vés do comando ACOPEN
2 - Alterar os dados desejados no plano de encaminhamento opcional escolhido
3 - ATIVAR a carga do plano de encaminhamento opcional através do comando ACAREN
4 - Executar atividade operacional AOPCE_09 (CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA) utilizando os no-
vos dados
5 - Verificar o resultado da chamada de teste
6 - SE o resultado da chamada de teste for normal ENTÃO:
6.1 - ATIVAR a comutação do plano de encaminhamento reserva para plano de encaminha-
mento ativo através do comando ACOMEN
6.2 - verificar se ocorre a emissão do alarme GETAB-00 incriminando processadores de assi-
nantes ou de juntores de entrada
6.3 - SE ocorreu o alarme ENTÃO:
6.3.1 - Executar atividade de manutenção corretiva AMCGETAB_00 para os processado-
res incriminados no alarme
6.3.2 - Encerrar a atividade
6.4 - SENÃO:
6.4.1 - Encerrar a atividade
7 - SENÃO:
7.1 - Tomar medidas cabíveis para correção
7.2 - Vá para o passo 4

Versão S11.1 111


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_02 Trópico RA

AOPEN_02
x CRIAÇÃO DE DADOS DE GRUPO DE ROTAS PARA ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Indicar as rotas pertencentes a cada grupo de rotas e a ordem de escolha


das mesmas no encaminhamento das chamadas.

Preliminares: Ordem de Serviço, rota(s) de saída criada(s).

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamada de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência de dados da rota de saída através do comando IDROEN
2 - SE os dados rota de saída existirem ENTÃO:
2.1 - CRIAR dados de grupo de rotas através do comando CGROEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPRO_00 (CRIAÇÃO DE ROTA) para as rotas de saída
3.2 - Vá para o passo 1

112 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_03

AOPEN_03
x CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Associar ao número de encaminhamento um grupo de rota, tipo de seleção,


tipo de tráfego, tipo de pesquisa na busca de rota e área tarifária de destino.

Preliminares: Ordem de serviço;


Rotas de saída criadas;
Grupo de juntores criados;
Juntores criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano de encaminhamento reserva estiver marcado para chamada
de teste.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do grupo de rotas através do comando IGROEN
2 - SE o grupo de rotas existir ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR a existência de dados na matriz de tarifação através do comando IMATEN
2.2 - SE os dados na matriz de tarifação existirem ENTÃO:
2.2.1 - CRIAR dados de encaminhamento através do comando CDENEN
2.2.2 - Encerrar a atividade
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_05 (CRIAÇÃO DE DADOS NA MATRIZ
DE TARIFAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
2.3.2 - Vá para o passo 2.2.1
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_02 (CRIAÇÃO DE DADOS DE GRUPO DE RO-
TAS PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 113


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_04 Trópico RA

AOPEN_04
x CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Criar códigos de numeração associados aos dados necessários para a árvo-
re de análise de dígitos para o encaminhamento de chamadas.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Rotas de saída criadas;
Grupo de rotas criadas.

Restrições: Esta atividade não é permitida:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamada de teste dirigida.
Para criação de um código de numeração para uma chamada terminada, é
OBRIGATÓRIO definir o parâmetro DIG no primeiro dígito que faz parte do
prefixo da central e também no dígito onde há resultado de análise. Também
é obrigatório que os dígitos que antecedem o prefixo da central sejam "inde-
finidos" (INDEF).
Exemplo: Para programar o código "0118900" como destino interno:
Dígito 0 -INDEF (obrigatório)
Dígito 01 -INDEF (obrigatório)
Dígito 011 -INDEF (obrigatório)
Dígito 0118 -DIG_B (obrigatório)
Dígito 01189 -DIG_P ou INDEF
Dígito 011890 -DIG_Q ou INDEF
Dígito 0118900 -DIG_M (obrigatório -Fim de Análise)
Quando da criação de um Serviço Suplementar (Ex: Discagem Abreviada)
que tenha o mesmo prefixo de uma chamada interna, para o(s) dígito(s) co-
incidente(s), segue-se as mesmas regras do destino interno.

Terminologia: Na criação do código de numeração, os dígitos que os compõem são inseri-


dos um a um através do comando CCNUEN, tendo o cuidado de repetir os
dígitos já inseridos.
Exemplo: Criação do código de numeração, envolvendo os prefixos 430 até
434 e 436, em uma rede local a sete dígitos.
1o. Comando:
CCNUEN:PLE= ....,CNU=K’4, NAN=S_RES, DIG=DIG_B, RES=...CR1...;
2o. Comando:
CCNUEN:PLE= ....,CNU=K’43, NAN=S_RES, DIG=DIG_P, RES=...CR1...;
3o. Comando:
CCNUEN:PLE=...CNU=K’430&&K’434&K’436, NAN=RESUL, TDE=LOCAL,
NDE=..., DIG=DIG_Q, RES=..., CR1=...., RSS=....;
Obs: O parâmetro CNU (como mostra no terceiro comando) aceita lista so-
mente na ordem do dígito a ser criado.

Procedimento:
1 - Verificar na ordem de serviço, se o código de numeração é encaminhada para outra central
2 - SE for encaminhada para outra central ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR a existência de dados de encaminhamento através do comando IDENEN
2.2 - SE os dados de encaminhamento existem ENTÃO:
2.2.1 - CRIAR código de numeração através do comando CCNUEN
2.2.2 - SE já se criou todo o código ENTÃO:

114 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_04

2.2.2.1 -Encerrar a atividade


2.2.3 - SENÃO:
2.2.3.1 -Vá para o passo 2.2.1
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS)
2.3.2 - Vá para o passo 2.2.1
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 2.2.1

Versão S11.1 115


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_05 Trópico RA

AOPEN_05
x CRIAÇÃO DE DADOS NA MATRIZ DE TARIFAÇÃO PARA ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Criar dados na matriz de tarifação para pares de área de tarifação de origem
e destino.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Classe de tarifa criada.

Restrições: Esta atividade operacional não é permitida:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano de encaminhamento reserva está marcado para chamada de
teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do código de tarifa através do comando ICODTA
2 - SE o código de tarifa existir ENTÃO:
2.1 - CRIAR dados na matriz de tarifação através do comando CMATEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPTA_00 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE TARIFA)
3.2 - Vá para o passo 1

116 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_06

AOPEN_06
x CRIAÇÃO DE DADOS PARA REENCAMINHAMENTO DE CHAMA-
DAS

Objetivo: Criar dados para reencaminhar chamadas a centros que possuam máquina
anunciadora.

Preliminares: Ordem de serviço;


Encaminhamento(s) com acesso a máquina anunciadora identificado(s) e
criado(s);
Dados de grupo(s) de rota(s) e rota(s) já criado(s).

Restrições: Esta atividade não pode ser executada sobre o plano de encaminhamento
ativo.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se os dados de encaminhamento para chamadas com acesso à central com má-
quina anunciadora estão criados através do comando IDENEN
2 - SE os dados de encaminhamento existirem ENTÃO:
2.1 - CRIAR dados de reencaminhamento de chamadas através do comando CRENEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS)
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 117


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_07 Trópico RA

AOPEN_07
x CRIAÇÃO DE ACESSO A MAQUINA ANUNCIADORA

Objetivo: Associar uma mensagem a uma rota para máquina anunciadora.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Rota criada é de máquina anunciadora;
Grupo de rotas criado;
Encaminhamento criado;

Restrições: Esta atividade não pode ser executada sobre o plano de encaminhamento
ativo.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência de dados de encaminhamento através do comando IDENEN
2 - SE os dados de encaminhamento existirem ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR associação mensagem-rota para acesso à máquina anunciadora através do
comando MMANEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS)
3.2 - Vá para o passo 2.1

118 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_08

AOPEN_08
x CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE
CHAMADAS

Objetivo: Associar dados de encaminhamento a uma determinada marcação de ori-


gem durante a implantação de centrais, entroncadas pela mesma rede.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de rotas de entrada criados;
Dados de grupos de rotas criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano de encaminhamento reserva está marcado para chamada de
teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - verificar se o encaminhamento é para uma rota de saída
2 - SE for para rota de saída ENTÃO:
2. 1 - INTERROGAR a existência de dados do encaminhamento para chamadas através do coman-
do IDENEN
2.2 - SE os dados de encaminhamento existirem ENTÃO:
2.2.1 - CRIAR os dados de marcação de origem através do comando CMOEEN
2.2.2 - Encerrar a atividade
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS)
2.3.2 - Vá para o passo 2.2.1
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 2.2.1

Versão S11.1 119


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_09 Trópico RA

AOPEN_09
x CRIAÇÃO DE DADOS DE DÍGITOS ESPECIAIS PARA ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Associar aos dígitos especiais, os dados necessários para o encaminha-


mento de chamada a uma central com máquina anunciadora.

Preliminares: Ordem de serviço;


Rota de saída criada.

Restrições: Esta atividade operacional não é permitida:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano de encaminhamento reserva está marcado para chamada de
teste
dirigida.

Terminologia: A Central ao receber um dígito especial (Sinal I-11 a I-15); associa a este si-
nal um encaminhamento para uma central com máquina anunciadora.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência de dados de encaminhamento à central com máquina anunciadora
através do comando IDENEN
2 - SE os dados de encaminhamento existirem ENTÃO:
2.1 - CRIAR os dados de dígito especial para acessar à central com máquina anunciadora atra-
vés do comando CDGEEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS) para acessar à central com máquina anunciadora
3.2 - Vá para o passo 2.1

120 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_10

AOPEN_10
x MODIFICAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Alterar código de numeração da central para encaminhamento de chama-


das.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de encaminhamento de chamadas criados;
Rotas de saída criadas.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se os códigos de numeração a serem modificados estão criados através do co-
mando ICNUEN
2 - SE os códigos de numeração estiverem criados ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR os dados de código de numeração desejados através do comando MCNUEN
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_04 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) com os dados desejados
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 121


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_11 Trópico RA

AOPEN_11
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir dado(os) de encaminhamento de chamadas.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Dados de encaminhamento criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - SE os dados a serem suprimidos estiverem no plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo em um dos planos opcionais através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para códigos de numeração que aces-
sam este encaminhamento
3.2 - Executar atividade operacional AOPEN_13 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS) para dados de encaminhamento alternativo que
acessem este encaminhamento
3.3 - SUPRIMIR dados de dígitos especiais que acessem este encaminhamento através do co-
mando SDGEEN
3.4 - SUPRIMIR dados de encaminhamento desejados através do comando SDENEN
3.5 - verificar se houve ativação da cópia do plano ativo
3.6 - SE houve cópia ENTÃO:
3.6.1 - Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO)
3.6.2 - Encerrar a atividade
3.7 - SENÃO:
3.7.1 - Encerrar a atividade

122 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_12

AOPEN_12
x SUPRESSÃO DE GRUPO DE ROTAS PARA ENCAMINHAMENTO
DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir dados de um grupo de rotas.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Dados de grupo de rotas criados e dados de encaminhamentos criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPEN_11 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMEN-
TO DE CHAMADAS) para os encaminhamentos que acessem este grupo de rotas
2 - anotar os valores dos parâmetros MA3 e MB3 atribuídos ao grupo de rotas a ser suprimido
3 - SUPRIMIR o grupo de rotas através do comando SGROEN
4 - verificar se o valor do parâmetro MA3 é igual a S_INF
5 - SE MA3 for igual a S_INF ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 7
6 - SENÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MA3 atribuído ao grupo
de rotas a ser suprimido
6.2 - Vá para o passo 7
7 - verificar se o valor do parâmetro MB3 é igual a S_INF
8 - SE MB3 for igual a SIN_F ENTÃO:
8.1 - Encerrar a atividade
9 - SENÃO:
9.1 - Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MB3 atribuído ao grupo
de rotas a ser suprimido
9.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 123


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_13 Trópico RA

AOPEN_13
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO
DE CHAMADAS

Objetivo: Retirar dados de marcação de origem de rotas de entrada.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de marcação de origem criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) Se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a marcação de origem é usada por alguma célula da matriz de marcação de
origem através do comando IDMOEN
2 - SE a marcação de origem for usada ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEN_15 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MARCAÇÃO DE ORIGEM) para a célula da matriz de marcação de origem
2.2 - Vá para o passo 1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR os dados de marcação de origem através do comando SMOEEN

124 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_14

AOPEN_14
x SUPRESSÃO DE DADOS NA MATRIZ DE TARIFAÇÃO PARA
ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir dados na matriz de tarifação.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados na matriz de tarifação criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada sobre planos de encaminhamento
ativos.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a célula de tarifação que será suprimida é a última criada para a área de ta-
rifação de origem através do comando IMATEN
2 - SE for a última área tarifária de origem ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se a célula de tarifação que será suprimida é a última criada para a área
de tarifação de destino através do comando IMATEN
3.2 - SE for a última área tarifária de destino ENTÃO:
3.2.1 - Vá para o passo 8.3
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 8.5.3.3.1
4 - INTERROGAR se há alguma rota de entrada usando esta área tarifária através do comando
IROTEN
5 - SE houver rota de entrada usando a área tarifária de origem ENTÃO:
5.1 - Executar atividade operacional AOPEN_21 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE EN-
TRADA PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) para as rotas que usam a área ta-
rifária de origem
5.2 - Vá para o passo 7
6 - SENÃO:
6.1 - Vá para o passo 7
7 - INTERROGAR se há algum assinante usando esta área tarifária através do comando IDADAS
8 - SE houver assinante usando a área tarifária de origem ENTÃO:
8.1 - Executar atividade operacional AOPAS_03 (RETIRADA DE ASSINANTE) para os assi-
nantes que usam a área tarifária de origem
8.2 - Vá para o passo 3.1
8.3 - INTERROGAR se há algum dado de encaminhamento usando esta área tarifária de des-
tino através do comando IDENEN
8.4 - SE houver encaminhamento usando a área tarifária de destino ENTÃO:
8.4.1 - Executar atividade operacional AOPEN_11 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCA-
MINHAMENTO DE CHAMADAS) para os encaminhamentos que usam a área ta-
rifária de destino
8.4.2 - Vá para o passo 8.5.1
8.5 - SENÃO:

Versão S11.1 125


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_14 Trópico RA

8.5.1 - INTERROGAR se há algum código de numeração usando esta área tarifária de


destino através do comando ICNUEN
8.5.2 - SE houver código de numeração usando a área tarifária de destino ENTÃO:
8.5.2.1 -Executar atividade operacional AOPEN_20 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NU-
MERAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADA) para os códigos de nu-
meração que usam a área tarifária de destino
8.5.2.2 -Vá para o passo 8.5.3.1
8.5.3 - SENÃO:
8.5.3.1 -INTERROGAR se há algum assinante usando esta área tarifária de destino atra-
vés do comando IDADAS
8.5.3.2 -SE houver assinante usando a área tarifária de destino ENTÃO:
8.5.3.2.1 -Executar atividade operacional AOPAS_03 (RETIRADA DE ASSINANTE) para
os assinantes que usam a área tarifária de destino
8.5.3.2.2 -Vá para o passo 8.5.3.3.1
8.5.3.3 -SENÃO:
8.5.3.3.1 -SUPRIMIR a célula de tarifação através do comando SMATEN
8.5.3.3.2 -Encerrar a atividade
9 - SENÃO:
9.1 - Vá para o passo 3.1

126 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_15

AOPEN_15
x MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MARCAÇÃO DE ORI-
GEM

Objetivo: Associar/desassociar/modificar dados de células da matriz de marcação de


origem com os dados de marcação de origem.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de marcação de origem criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada sobre o plano de encaminhamento
ativo.

Terminologia: Os dados de marcação de origem são acessados através do cruzamento da


categoria do terminal origem (CTO) e dos índices de marcação de origem na
matriz de marcação de origem obtidos na rota de entrada (MO2) ou no assi-
nante (MO2), no código de numeração (MO1) ou nos dígitos especiais
(MO1).
O valor S_INF da categoria do terminal origem (CTO) é usado quando não
há análise da categoria, cuja indicação é encontrada na rota de entrada ou
no código de numeração.

Procedimento:
1 - Verificar na ordem de serviço o objetivo da atividade
2 - CASO objetivo IGUAL A desassociação ENTÃO:
2.1 - SE MO1 for igual a S_INF ENTÃO:
2.1.1 - Vá para o passo 2.5
2.2 - SENÃO:
2.2.1 - INTERROGAR se MO1 é a última célula através do comando IDMOEN com parâ-
metros PLE,MO1,MO2,CTO Para MO2 utilizar a lista completa de valores e CTO
deve assumir todos os valores de categoria e o valor S_INF
2.2.2 - Vá para o passo 2.3
2.3 - SE MO1 for a última célula ENTÃO:
2.3.1 - INTERROGAR se existe algum código de numeração usando o índice de marca-
ção de origem MO1 através do comando ICNUEN
2.3.2 - SE existir algum código de numeração usando MO1 ENTÃO:
2.3.2.1 -MODIFICAR o valor de MO1 do código de numeração através do comando MC-
NUEN
2.3.2.2 -Vá para o passo 2.3.3.1
2.3.3 - SENÃO:
2.3.3.1 -INTERROGAR se existe algum dígito especial, DIE, usando MO1 através do co-
mando IDGEEN
2.3.3.2 -SE existir dígito especial usando MO1 ENTÃO:
2.3.3.2.1 -MODIFICAR o valor de MO1 do dígito especial através do comando MDMOEN
2.3.3.2.2 -Vá para o passo 2.5
2.3.3.3 -SENÃO:
2.3.3.3.1 -Vá para o passo 2.5
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Vá para o passo 2.5

Versão S11.1 127


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_15 Trópico RA

2.5 - SE MO2 for igual a S_INF ENTÃO:


2.5.1 - Vá para o passo 2.9
2.6 - SENÃO:
2.6.1 - INTERROGAR se MO2 e’ a última célula através do comando IDMOEN com parâ-
metros PLE,MO1,MO2,CTO Para MO1 utilizar a lista completa de valores e CTO
deve assumir todos os valores de categoria e o valor S_INF
2.6.2 - Vá para o passo 2.7
2.7 - SE MO2 for a última célula ENTÃO:
2.7.1 - INTERROGAR se existe alguma rota de entrada usando o índice de marcação de
origem MO2 através do comando IROTEN
2.7.2 - SE existir alguma rota de entrada usando MO2 ENTÃO:
2.7.2.1 -MODIFICAR o MO2 da rota de entrada através do comando MROTEN
2.7.2.2 -Vá para o passo 2.7.3.1
2.7.3 - SENÃO:
2.7.3.1 -INTERROGAR se existe assinante usando MO2 através do comando ISIMAS
2.7.3.2 -SE existir assinante usando MO2 ENTÃO:
2.7.3.2.1 -MODIFICAR o valor de MO2 do assinante através do comando MDADAS
2.7.3.2.2 -Vá para o passo 2.9
2.7.3.3 -SENÃO:
2.7.3.3.1 -Vá para o passo 2.9
2.8 - SENÃO:
2.8.1 - Vá para o passo 2.9
2.9 - MODIFICAR os dados da matriz através do comando MDMOEN
2.10 -Encerrar a atividade
3 - CASO objetivo IGUAL A associação/modificação ENTÃO:
3.1 - INTERROGAR se os dados de marcação de origem estão criados através do comando
IMOEEN
3.2 - SE os dados estiverem criados ENTÃO:
3.2.1 - Vá para o passo 3.4
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_08 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMI-
NHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS)
3.3.2 - Vá para o passo 3.4
3.4 - MODIFICAR os dados da matriz através do comando MDMOEN
3.5 - Encerrar a atividade

128 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_16

AOPEN_16
x SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE ENCAMINHAMENTO
ALTERNATIVO DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir dados da matriz de encaminhamento alternativo de chamadas dis-


tribuídas a um dado MO1 ou MO2 após uma supressão de código de nume-
ração, dígitos especiais, rota de entrada ou assinante.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados na matriz de encaminhamento alternativo de chamadas criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1- Sobre o plano de encaminhamento ativo;
2- Se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - SE os dados a serem suprimidos estiverem no plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo num dos planos opcionais através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 4
4 - CASO atividade IGUAL A supressão de MO1 ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR se existe código de numeração usando MO1 através do comando ICNUEN
com parâmetros PLE,MO1
4.2 - SE existir código de numeração usando MO1 ENTÃO:
4.2.1 - Encerrar a atividade
4.3 - SENÃO:
4.3.1 - INTERROGAR se existe dígito especial (DIE) usando MO1 através do comando
IDGEEN
4.3.2 - SE existir dígito especial (DIE) usando MO1 ENTÃO:
4.3.2.1 -Encerrar a atividade
4.3.3 - SENÃO:
4.3.3.1 -INTERROGAR qual a célula definida de MO1 através do comando IDMOEN com
parâmetros MO1,MO2,CTO,PLE para MO2 utilizar uma lista com todos os valores
e para CTO todos os valores inclusive S_INF
4.3.3.2 -Vá para o passo 4.4
4.4 - SE MO2 for igual a S_INF ENTÃO:
4.4.1 - Vá para o passo 4.8
4.5 - SENÃO:
4.5.1 - INTERROGAR se é a última célula de MO2 através do comando IDMOEN com pa-
râmetros PLE,MO1,MO2,CTO para MO1 utilizar a lista completa de valores e CTO
deve assumir todos os valores de categoria e o valor S_INF
4.5.2 - Vá para o passo 4.6
4.6 - SE for a última célula de MO2 ENTÃO:

Versão S11.1 129


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_16 Trópico RA

4.6.1 - INTERROGAR se existe alguma rota de entrada usando o índice de marcação de


origem MO2 através do comando IROTEN
4.6.2 - SE houver alguma rota de entrada usando MO2 ENTÃO:
4.6.2.1 -MODIFICAR o MO2 da rota de entrada através do comando MROTEN
4.6.2.2 -Vá para o passo 4.6.3.1
4.6.3 - SENÃO:
4.6.3.1 -INTERROGAR se existe assinante usando MO2 através do comando ISIMAS com
parâmetros ASS, MO2
4.6.3.2 -SE existir assinante usando MO2 ENTÃO:
4.6.3.2.1 -MODIFICAR MO2 do assinante através do comando MDADAS
4.6.3.2.2 -Vá para o passo 4.8
4.6.3.3 -SENÃO:
4.6.3.3.1 -Vá para o passo 4.8
4.7 - SENÃO:
4.7.1 - Vá para o passo 4.8
4.8 - MODIFICAR para a célula da matriz através do comando MDMOEN com parâmetros
PLE,MO1,MO2,CTO
4.9 - SE existir mais células definidas ENTÃO:
4.9.1 - Vá para o passo 4.3.3.1
4.10 -SENÃO:
4.10.1 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO) somente se foi realizada cópia do plano ativo
4.10.2 -Encerrar a atividade
5 - CASO atividade IGUAL A supressão de MO2 ENTÃO:
5.1 - INTERROGAR se existe rota de entrada ROE usando MO2 através do comando IROTEN
com parâmetros ROT,PLE o parâmetro ROT deve assumir todos os valores de rota de en-
trada criado na central
5.2 - SE existir rota de entrada ROE usando MO2 ENTÃO:
5.2.1 - Encerrar a atividade
5.3 - SENÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 5.4
5.4 - INTERROGAR se existe assinante usando MO2 através do comando ISIMAS com parâ-
metros ASS, MO2
5.5 - SE existir assinante usando MO2 ENTÃO:
5.5.1 - Encerrar a atividade
5.6 - SENÃO:
5.6.1 - Vá para o passo 5.7
5.7 - INTERROGAR a célula definida de MO2 através do comando IDMOEN com parâmetros
MO1,MO2,CTO,PLE para MO1 utilizar uma lista com todos os valores e para CTO S_INF
e todos os outros valores possíveis
5.8 - SE MO1 for igual a S_INF ENTÃO:
5.8.1 - Vá para o passo 5.19
5.9 - SENÃO:
5.9.1 - Vá para o passo 5.10

130 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_16

5.10 -INTERROGAR se é a última célula de MO1 através do comando IDMOEN com parâme-
tros PLE,MO1,MO2,CTO para MO1 utilizar a lista completa de valores e CTO deve assumir
todos os valores de categoria e o valor S_INF
5.11 -SE for a última célula de MO1 ENTÃO:
5.11.1 -Vá para o passo 5.13
5.12 -SENÃO:
5.12.1 -Vá para o passo 5.19
5.13 -INTERROGAR se existe código de numeração CNU usando MO1 através do comando IC-
NUEN com parâmetros PLE,CNU
5.14 -SE existir código de numeração CNU usando MO1 ENTÃO:
5.14.1 -MODIFICAR o MO1 do código de numeração CNU através do comando MCNUEN
5.14.2 -Vá para o passo 5.16
5.15 -SENÃO:
5.15.1 -Vá para o passo 5.16
5.16 -INTERROGAR se existe dígito especial DIE usando MO1 através do comando IDGEEN
5.17 -SE existir dígito especial DIE usando MO1 ENTÃO:
5.17.1 -MODIFICAR o MO1 do dígito especial DIE através do comando MDGEEN
5.17.2 -Vá para o passo 5.19
5.18 -SENÃO:
5.18.1 -Vá para o passo 5.19
5.19 -MODIFICAR para a célula da matriz através do comando MDMOEN com parâmetros
PLE,MO1,MO2,CTO
5.20 -SE existir mais células definidas ENTÃO:
5.20.1 -Vá para o passo 5.7
5.21 -SENÃO:
5.21.1 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO) somente se foi realizado cópia do plano ativo
5.21.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 131


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_17 Trópico RA

AOPEN_17
x SUPRESSÃO DE DADOS DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DE
ASSINANTE

Objetivo: Suprimir dados de modificação do número de assinante.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de modificações do número de assinante criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1)sobre plano de encaminhamento ativo;
2)se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se os dados são usados na matriz através do comando IMMDEN
2 - SE os dados estiverem sendo usados na matriz ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEN_18 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE)
2.2 - Vá para o passo 1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR dados de modificação do número do assinante através do comando SMODEN

132 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_18

AOPEN_18
x MODIFICAÇÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO
NÚMERO DO ASSINANTE

Objetivo: Associar/desassociar/modificar dados de células da Matriz de Modificação


do Número de Assinante (chamador e/ou chamado) com os dados de modi-
ficação do número.
Caso se deseje Associar/Desassociar/Modificar o MB1, MB2, MB3 na MDB
o procedimento é o mesmo trocando-se MA1, MA2, MA3 e MDA por MB1,
MB2, MB3 e MDB respectivamente nos procedimentos operacionais.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de modificação do número de assinante criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada sobre o plano de encaminhamento
ativo.

Terminologia: Os dados de modificação de número de assinante são acessados através do


cruzamento dos índices de modificação na matriz de modificação do número
de assinante obtidos no código de numeração (MA1 e MB1), no assinante
origem (MA2 e MB2) ou na rota de entrada (MA2 e MB2) e na rota de saída
(MA3 e MB3).

Procedimento:
1 - CASO ação desejada IGUAL A associar ou modificar os dígitos para encaminhamento de cha-
madas ENTÃO:
1.1 - INTERROGAR os dados de modificação de número de assinante criado através do co-
mando IMODEN
1.2 - SE o número que se deseja associar estiver criado ENTÃO:
1.2.1 - Vá para o passo 1.3.2
1.3 - SENÃO:
1.3.1 - CRIAR os dados de modificação de número de assinante através do comando
CMODEN
1.3.2 - MODIFICAR a matriz de modificação de dígitos para encaminhamento de chama-
das através do comando MMMDEN com parâmetros MA1,MA2,MA3,MDA
1.3.3 - Encerrar a atividade
2 - CASO ação desejada IGUAL A desassociar os dígitos para encaminhamento de chamadas EN-
TÃO:
2.1 - verificar se o valor de MA1 é igual a S_INF
2.2 - SE o valor de MA1 for igual a S_INF ENTÃO:
2.2.1 - Vá para o passo 2.10
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Vá para o passo 2.4
2.4 - INTERROGAR se é a última célula de MA1 através do comando IMMDEN
2.5 - SE for a última célula de MA1 ENTÃO:
2.5.1 - Vá para o passo 2.7
2.6 - SENÃO:
2.6.1 - Vá para o passo 2.10

Versão S11.1 133


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_18 Trópico RA

2.7 - INTERROGAR se existe código de numeração (CNU) usando MA1 através do comando
ICNUEN com parâmetros PLE,MA1
2.8 - SE existir código de numeração (CNU) usando MA1 ENTÃO:
2.8.1 - MODIFICAR o MA1 do código de numeração (CNU) através do comando MC-
NUEN
2.8.2 - Vá para o passo 2.10
2.9 - SENÃO:
2.9.1 - Vá para o passo 2.10
2.10 -verificar se o valor de MA2 é igual a S_INF
2.11 -SE o valor de MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
2.11.1 -Vá para o passo 2.22
2.12 -SENÃO:
2.12.1 -Vá para o passo 2.13
2.13 -INTERROGAR se é a última célula de MA2 através do comando IMMDEN
2.14 -SE for a última célula de MA2 ENTÃO:
2.14.1 -Vá para o passo 2.16
2.15 -SENÃO:
2.15.1 -Vá para o passo 2.22
2.16 -INTERROGAR se existe rota de entrada (ROE) usando MA2 através do comando IRO-
TEN
2.17 -SE existir rota de entrada (ROE) usando MA2 ENTÃO:
2.17.1 -MODIFICAR o MA2 da rota de entrada através do comando MROTEN
2.17.2 -Vá para o passo 2.19
2.18 -SENÃO:
2.18.1 -Vá para o passo 2.19
2.19 -INTERROGAR se existe assinante usando MA2 através do comando ISIMAS com parâ-
metros ASS,MA2
2.20 -SE existir assinante usando MA2 ENTÃO:
2.20.1 -MODIFICAR o MA2 do assinante através do comando MDADAS
2.20.2 -Vá para o passo 2.22
2.21 -SENÃO:
2.21.1 -Vá para o passo 2.22
2.22 -verificar se o valor de MA3 é igual a S_INF
2.23 -SE o valor de MA3 for igual a S_INF ENTÃO:
2.23.1 -Vá para o passo 2.31
2.24 -SENÃO:
2.24.1 -Vá para o passo 2.25
2.25 -INTERROGAR se é a última célula de MA3 através do comando IMMDEN
2.26 -SE for a última célula de MA3 ENTÃO:
2.26.1 -Vá para o passo 2.28
2.27 -SENÃO:
2.27.1 -Vá para o passo 2.31

134 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_18

2.28 -INTERROGAR se existe rota de saída (ROS) usando MA3 através do comando IGROEN
2.29 -SE existir rota de saída (ROS) usando MA3 ENTÃO:
2.29.1 -MODIFICAR o MA3 da rota de saída através do comando MGROEN
2.29.2 -Vá para o passo 2.31
2.30 -SENÃO:
2.30.1 -Vá para o passo 2.31
2.31 -MODIFICAR a matriz de modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas atra-
vés do comando MMMDEN com parâmetros MA1,MA2,MA3
2.32 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 135


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_19 Trópico RA

AOPEN_19
x SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE MODIFICAÇÃO DO
NÚMERO DO ASSINANTE

Objetivo: Suprimir dados da matriz de modificação do número do assinante atribuídos


a um dado MA1 ou MA2 ou MA3, para número de assinante chamado, ou a
um dado MB1 ou MB2 ou MB3, para número do assinante chamado, após
uma supressão de código de numeração, rota de entrada, assinante ou rota
de saída em um grupo de rotas.
Os procedimentos descritos para MA1, MA2 e MA3 são idênticos aos proce-
dimentos para MB1, MB2 e MB3 substituindo-os respectivamente.

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados na matriz de modificação do número do assinante criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1) sobre o plano de encaminhamento ativo;
2) se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR qual plano de encaminhamento está ativo através do comando ICPEEN
2 - SE a supressão de dados da matriz de modificação do número do assinante for realizada no
plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 4
4 - CASO atividade IGUAL A supressão de MA1 ENTÃO:
4.1 - INTERROGAR se existe código de numeração (CNU) usando MA1
através do comando ICNUEN com parâmetros PLE,MA1
4.2 - SE existir código de numeração (CNU) usando MA1 ENTÃO:
4.2.1 - Encerrar a atividade
4.3 - SENÃO:
4.3.1 - Vá para o passo 4.4
4.4 - INTERROGAR a célula definida do MA1 através do comando IMMDEN
4.5 - SE o valor de MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
4.5.1 - Vá para o passo 4.16
4.6 - SENÃO:
4.6.1 - Vá para o passo 4.7
4.7 - INTERROGAR se é a última célula de MA2 através do comando IMMDEN
4.8 - SE for a última célula de MA2 ENTÃO:
4.8.1 - Vá para o passo 4.10
4.9 - SENÃO:
4.9.1 - Vá para o passo 4.16
4.10 -INTERROGAR se existe rota de entrada (ROE) usando MA2 através do comando IRO-
TEN

136 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_19

4.11 -SE existir rota de entrada (ROE) usando MA2 ENTÃO:


4.11.1 -MODIFICAR o MA2 da rota de entrada através do comando MROTEN
4.11.2 -Vá para o passo 4.13
4.12 -SENÃO:
4.12.1 -Vá para o passo 4.13
4.13 -INTERROGAR se existe assinante usando o MA2 através do comando ISIMAS com pa-
râmetros ASS,MA2
4.14 -SE existir assinante usando o MA2 ENTÃO:
4.14.1 -MODIFICAR o MA2 do assinante através do comando MDADAS
4.14.2 -Vá para o passo 4.16
4.15 -SENÃO:
4.15.1 -Vá para o passo 4.16
4.16 -verificar se o valor de MA3 é igual a S_INF
4.17 -SE o valor de MA3 for igual a S_INF ENTÃO:
4.17.1 -Vá para o passo 4.25
4.18 -SENÃO:
4.18.1 -Vá para o passo 4.19
4.19 -INTERROGAR se é a última célula de MA3 através do comando IMMDEN
4.20 -SE for a última célula de MA3 ENTÃO:
4.20.1 -Vá para o passo 4.22
4.21 -SENÃO:
4.21.1 -Vá para o passo 4.25
4.22 -INTERROGAR se existe rota de saída (ROS) usando MA3 através do comando IGROEN
4.23 -SE existir rota de saída (ROS) usando MA3 ENTÃO:
4.23.1 -MODIFICAR o MA3 da rota de saída através do comando MGROEN
4.23.2 -Vá para o passo 4.25
4.24 -SENÃO:
4.24.1 -Vá para o passo 4.25
4.25 -MODIFICAR a matriz de modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas atra-
vés do comando MMMDEN com parâmetros MA1,MA2,MA3
4.26 -INTERROGAR se existe mais célula definida para MA1 através do comando IMMDEN
4.27 -SE existir mais célula definida para MA1 ENTÃO:
4.27.1 -Vá para o passo 4.5
4.28 -SENÃO:
4.28.1 -Vá para o passo 4.29
4.29 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMINHAMEN-
TO) somente se foi realizado a cópia do plano ativo
4.30 -Encerrar a atividade
5 - CASO atividade IGUAL A supressão de MA2 ENTÃO:
5.1 - INTERROGAR se existe rota de entrada (ROE) usando MA2 através do comando IROTEN
5.2 - SE existir rota de entrada (ROE) usando MA2 ENTÃO:
5.2.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 137


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_19 Trópico RA

5.3 - SENÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 5.4
5.4 - INTERROGAR se existe assinante usando MA2 através do comando ISIMAS com parâ-
metros ASS,MA2
5.5 - SE existir assinante usando MA2 ENTÃO:
5.5.1 - Encerrar a atividade
5.6 - SENÃO:
5.6.1 - Vá para o passo 5.7
5.7 - INTERROGAR a célula definida do MA2 através do comando IMMDEN
5.8 - SE o valor de MA1 for igual a S_INF ENTÃO:
5.8.1 - Vá para o passo 5.16
5.9 - SENÃO:
5.9.1 - Vá para o passo 5.10
5.10 -INTERROGAR se é a última célula de MA1 através do comando IMMDEN
5.11 -SE for a última célula de MA1 ENTÃO:
5.11.1 -Vá para o passo 5.13
5.12 -SENÃO:
5.12.1 -Vá para o passo 5.16
5.13 -INTERROGAR se existe código de numeração (CNU) usando MA1 através do comando
ICNUEN com parâmetros PLE,MA1
5.14 -SE existir código de numeração (CNU) usando MA1 ENTÃO:
5.14.1 -MODIFICAR o MA1 do código de numeração (CNU) através do comando MC-
NUEN
5.14.2 -Vá para o passo 5.16
5.15 -SENÃO:
5.15.1 -Vá para o passo 5.16
5.16 -verificar se o valor de MA3 é igual a S_INF
5.17 -SE o valor de MA3 for igual a S_INF ENTÃO:
5.17.1 -Vá para o passo 5.25
5.18 -SENÃO:
5.18.1 -Vá para o passo 5.19
5.19 -INTERROGAR se é a última célula de MA3 através do comando IMMDEN
5.20 -SE for a última célula de MA3 ENTÃO:
5.20.1 -Vá para o passo 5.22
5.21 -SENÃO:
5.21.1 -Vá para o passo 5.25
5.22 -INTERROGAR se existe rota de saída (ROS) usando MA3 através do comando IGROEN
5.23 -SE existir rota de saída (ROS) usando MA3 ENTÃO:
5.23.1 -MODIFICAR o MA3 da rota de saída através do comando MGROEN
5.23.2 -Vá para o passo 5.25
5.24 -SENÃO:
5.24.1 -Vá para o passo 5.25

138 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_19

5.25 -MODIFICAR a matriz de modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas atra-


vés do comando MMMDEN com parâmetros MA1,MA2,MA3
5.26 -INTERROGAR se existe mais célula definida para MA2 através do comando IMMDEN
5.27 -SE existir mais célula definida para MA2 ENTÃO:
5.27.1 -Vá para o passo 5.8
5.28 -SENÃO:
5.28.1 -Vá para o passo 5.29
5.29 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMINHAMEN-
TO) somente se foi realizado a cópia do plano ativo
5.30 -Encerrar a atividade
6 - CASO atividade IGUAL A supressão de MA3 ENTÃO:
6.1 - INTERROGAR se existe rota de saída (ROS) usando MA3 através do comando IGROEN
6.2 - SE existir rota de saída (ROS) usando MA3 ENTÃO:
6.2.1 - Encerrar a atividade
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - Vá para o passo 6.4
6.4 - INTERROGAR a célula definida do MA3 através do comando IMMDEN
6.5 - SE o valor do MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
6.5.1 - Vá para o passo 6.16
6.6 - SENÃO:
6.6.1 - Vá para o passo 6.7
6.7 - INTERROGAR se é a última célula de MA2 através do comando IMMDEN
6.8 - SE for a última célula de MA2 ENTÃO:
6.8.1 - Vá para o passo 6.10
6.9 - SENÃO:
6.9.1 - Vá para o passo 6.16
6.10 -INTERROGAR se existe rota de entrada (ROE) usando MA2 através do comando IRO-
TEN
6.11 -SE existir rota de entrada (ROE) usando MA2 ENTÃO:
6.11.1 -MODIFICAR o MA2 da rota de entrada através do comando MROTEN
6.11.2 -Vá para o passo 6.13
6.12 -SENÃO:
6.12.1 -Vá para o passo 6.13
6.13 -INTERROGAR se existe assinante usando MA2 através do comando ISIMAS com parâ-
metros ASS,MA2
6.14 -SE existir assinante usando MA2 ENTÃO:
6.14.1 -MODIFICAR o MA2 do assinante através do comando MDADAS
6.14.2 -Vá para o passo 6.16
6.15 -SENÃO:
6.15.1 -Vá para o passo 6.16
6.16 -verificar se o valor de MA1 é igual a S_INF
6.17 -SE o valor de MA1 for igual a S_INF ENTÃO:

Versão S11.1 139


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_19 Trópico RA

6.17.1 -Vá para o passo 6.25


6.18 -SENÃO:
6.18.1 -Vá para o passo 6.19
6.19 -INTERROGAR se é a última célula de MA1 através do comando IMMDEN
6.20 -SE for a última célula de MA1 ENTÃO:
6.20.1 -Vá para o passo 6.22
6.21 -SENÃO:
6.21.1 -Vá para o passo 6.25
6.22 -INTERROGAR se existe código de numeração (CNU) usando MA1 através do comando
ICNUEN com parâmetros PLE,MA1
6.23 -SE existir código de numeração (CNU) usando MA1 ENTÃO:
6.23.1 -MODIFICAR o MA1 do código de numeração (CNU) através do comando MC-
NUEN
6.23.2 -Vá para o passo 6.25
6.24 -SENÃO:
6.24.1 -Vá para o passo 6.25
6.25 -MODIFICAR a matriz de modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas atra-
vés do comando MMMDEN com parâmetros MA1,MA2,MA3
6.26 -INTERROGAR se existe mais célula definida para MA3 através do comando IMMDEN
6.27 -SE existir mais célula definida para MA3 ENTÃO:
6.27.1 -Vá para o passo 6.5
6.28 -SENÃO:
6.28.8 -Vá para o passo 6.29
6.29 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMINHAMEN-
TO) somente se foi realizado a cópia do plano ativo
6.30 -Encerrar a atividade

140 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_20

AOPEN_20
x SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADA

Objetivo: Suprimir código de numeração para encaminhamento de chamadas.

Preliminares: Ordem de serviço;


Código de numeração criado.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada: 1) sobre o plano de encaminhamen-
to ativo; 2) se o plano reserva está marcada para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - SE os dados a serem suprimidos estiverem no plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo em um dos planos opcionais através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - anotar os valores dos parâmetros MA1, MB1 e MO1 atribuídos ao código de numeração a
ser suprimido
3.2 - SUPRIMIR o código de numeração desejado através do comando SCNUEN
3.3 - verificar se o valor do parâmetro MO1 é igual a S_INF
3.4 - SE MO1 for igual a S_INF ENTÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.6
3.5 - SENÃO:
3.5.1 - Executar atividade operacional AOPEN_16 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS) para o valor do
MO1 atribuído ao código de numeração suprimido
3.5.2 - Vá para o passo 3.6
3.6 - verificar se o valor do parâmetro MA1 é igual a S_INF
3.7 - SE MA1 for igual a S_INF ENTÃO:
3.7.1 - Vá para o passo 3.9
3.8 - SENÃO:
3.8.1 - Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor do MA1 atri-
buído ao código de numeração suprimido
3.8.2 - Vá para o passo 3.9
3.9 - verificar se o valor do parâmetro MB1 é igual a S_INF
3.10 -SE MB1 for igual a S_INF ENTÃO:
3.10.1 -Vá para o passo 3.12
3.11 -SENÃO:
3.11.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MB1 atri-
buído ao código de numeração suprimido
3.11.2 -Vá para o passo 3.12

Versão S11.1 141


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_20 Trópico RA

3.12 -verificar se houve ativação da cópia do plano ativo


3.13 -SE houve cópia ENTÃO:
3.13.1 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO) para o plano com alteração de dados
3.14 -SENÃO:
3.14.1 -Encerrar a atividade

142 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_21

AOPEN_21
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE ENTRADA PARA ENCAMI-
NHAMENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir os dados de encaminhamento de uma rota de entrada

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de rota de entrada criados.

Restrições: Esta atividade não pode ser executada: 1)sobre o plano de encaminhamento
ativo; 2)se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - SE os dados a serem suprimidos estiverem no plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo em um dos planos opcionais através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - anotar os valores dos parâmetros MA2, MB2 e MO2 atribuídos à rota de entrada a ser su-
primido
3.2 - SUPRIMIR dados de encaminhamento associados à rota de entrada através do comando
SROTEN
3.3 - verificar se o valor do parâmetro MA2 é igual a S_INF
3.4 - SE MA2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.6
3.5 - SENÃO:
3.5.1 - Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MA2 atri-
buído à rota de entrada suprimida
3.5.2 - Vá para o passo 3.6
3.6 - verificar se o valor do parâmetro MB2 é igual a S_INF
3.7 - SE MB2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.7.1 - Vá para o passo 3.9
3.8 - SENÃO:
3.8.1 - Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MB2 atri-
buído à rota de entrada suprimida
3.8.2 - Vá para o passo 3.9
3.9 - verificar se o valor do parâmetro MO2 é igual a S_INF
3.10 -SE MO2 for igual a S_INF ENTÃO:
3.10.1 -Vá para o passo 3.12
3.11 -SENÃO:
3.11.1 -Executar atividade operacional AOPEN_16 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS) para o valor de
MO2 atribuído à rota de entrada suprimida

Versão S11.1 143


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_21 Trópico RA

3.11.2 -Vá para o passo 3.12


3.12 -verificar se houve ativação da cópia do plano ativo
3.13 -SE houve cópia ENTÃO:
3.13.1 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO)
3.13.2 -Encerrar a atividade
3.14 -SENÃO:
3.14.1 -Encerrar a atividade

144 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_22

AOPEN_22
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE SAIDA PARA ENCAMINHA-
MENTO DE CHAMADAS

Objetivo: Suprimir os dados de encaminhamento da rota de saída criados

Preliminares: Ordem de serviço;


Dados de encaminhamento de uma rota de saída criados

Restrições: Esta atividade não pode ser executada:


1)sobre o plano de encaminhamento ativo;
2)se o plano reserva está marcado para chamadas de teste dirigida.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a condição de funcionamento dos planos de encaminhamento através do co-
mando ICPEEN
2 - SE dados a serem suprimidos estiverem no plano ativo ENTÃO:
2.1 - ATIVAR cópia do plano ativo em um dos planos opcionais através do comando ACOPEN
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se a rota de saída pertence a algum grupo de rotas através do comando
IGROEN com parâmetros PLE, GRO, ROT
3.2 - SE pertence a algum grupo de rotas ENTÃO:
3.2.1 - anotar os valores dos parâmetros MA3 e MB3 atribuídos à rota de saída no grupo
de rotas
3.2.2 - SUPRIMIR a rota do grupo de rotas através do comando SGROEN
3.2.3 - verificar se o valor do parâmetro MA3 é igual a S_INF
3.2.4 - SE MA3 for igual a S_INF ENTÃO:
3.2.4.1 -Vá para o passo 3.2.6
3.2.5 - SENÃO:
3.2.5.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MA3 atri-
buído à rota de saída suprimida
3.2.5.2 -Vá para o passo 3.2.6
3.2.6 - verificar se o valor do parâmetro MB3 é igual a S_INF
3.2.7 - SE MB3 for igual a S_INF ENTÃO:
3.2.7.1 -Vá para o passo 3.1
3.2.8 - SENÃO:
3.2.8.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MA-
TRIZ DE MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) para o valor de MB3 atri-
buído à rota de saída suprimida
3.2.8.2 -Vá para o passo 3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - SUPRIMIR dados de encaminhamento associados à rota através do comando
SDROEN
3.3.2 - verificar se houve ativação da cópia do plano ativo

Versão S11.1 145


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_22 Trópico RA

3.3.3 - SE houve cópia ENTÃO:


3.3.3.1 -Executar atividade operacional AOPEN_00 (TROCA DE PLANOS DE ENCAMI-
NHAMENTO)
3.3.3.2 -Encerrar a atividade
3.3.4 - SENÃO:
3.3.4.1 -Encerrar a atividade

146 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_23

AOPEN_23
x TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA ÁRVORE DE
GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Este procedimento visa testar análise numérica inserida na árvore de análise
de um dado Grupo de Cliente, inserção esta feita em plano opcional.

Preliminares: O teste será realizado no plano de encaminhamento reserva, e, caso tenha


resultado satisfatório, a análise inserida continuará apenas inserida no plano
opcional. Caso seja necessário carregá-la no plano ativo ou no plano reser-
va, esta carga não está incluída na presente atividade.

Restrições: Esta atividade visa testar alteração, inserida em plano opcional, da árvore de
análise numérica de um Grupo de Cliente de PABX Virtual. O teste é reali-
zado no plano reserva e, em caso de sucesso, a modificação permanece in-
serida apenas no plano opcional onde foi realizada, não sendo carregada no
plano ativo ou no plano reserva.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR a carga do plano de encaminhamento opcional através do comando ACAREN
2 - Executar atividade operacional AOPCE_09 (CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA) utilizando os no-
vos dados
3 - Verificar o resultado da chamada de teste
4 - SE o resultado da chamada de teste for normal ENTÃO:
4.1 - ATIVAR a carga do plano de encaminhamento num dos planos opcionais, voltando o plano
reserva para a condição de opcional através do comando ACAREN
4.2 - Encerrar a atividade
5 - SENÃO:
5.1 - tomar medidas cabíveis para correção
5.2 - Vá para o passo 2

Versão S11.1 147


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_24 Trópico RA

AOPEN_24
x CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ CHAMADAS INTERNAS AO
GC ENTRE RAMAIS DO MESMO NO

Objetivo: Criar na árvore de análise numérica de um Grupo de Cliente os dígitos de


chamada interna entre ramais do mesmo Nó.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo o PEA do GC e o plano de numeração dos ra-


mais.

Restrições: A programação da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente deve ser


feita em plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dados para modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas através do
comando CMODEN com parâmetros PLE, MDB, PSP=1, NDS=0, PIN=1, DPI onde MDB deve
assumir o valor numérico da modificação aplicável ao GC, e DPI=k’(dígitos que faltam para com-
pletar o número de lista dos ramais do GC)
2 - CRIAR dados de encaminhamento através do comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA,
CNU, NAN=RESUL, TDE=PABXV, DIG, RES=0, CR1=0, RSS=0, MDB, MA1=S_INF onde
PLE=plano opcional em uso, PEA=PEA do GC, CNU=k’Mi ou Ci ou Di, NAN=DIG_M ou C ou D,
e MDB=valor numérico da modificação aplicável aos números de ramais do GC
3 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
4 - Encerrar a atividade

148 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_25

AOPEN_25
x CRIAÇÃO DE ENC. P/ PROG., CANCELAMENTO E VERIFICAÇÃO
DE FACILIDADES DE RAMAIS

Objetivo: Criar na árvore de análise de um Grupo de Cliente os Códigos das Facilida-


des (CF) para os comandos de Programação, de Cancelamento e de Verifi-
cação das facilidades dos ramais.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo o PEA do GC e os Códigos das Facilidades.

Restrições: A programação da árvore de análise deve ser feita em plano de encaminha-


mento opcional.

Terminologia: Facilidades - Serviços suplementares que são atribuídos aos ramais de um


Grupo de Cliente. Código de Facilidade - Número composto geralmente de
2 dígitos que identificam uma facilidade de um Grupo de Cliente.

Procedimento:
1 - CRIAR dados de encaminhamento através do comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA,
CNU, NAN, TDE, DIG, RES, CR1, RSS, SSU, ATD, MO1, MDB, NPA onde CNU=k’*CF (para
programação de facilidade) ou k’#CF (para cancelamento de facilidade) ou k’*#CF (para verifi-
cação de facilidade), sendo que o parâmetro TDE assume os valores PROSS, CANSS ou
VERSS respectivamente
2 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 149


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_26 Trópico RA

AOPEN_26
x CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ UTILIZAÇÃO EFETIVA DE
FACILIDADES CRE, DAB E CAE

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica para os dígitos de Utilização Efetiva das
seguintes facilidades de ramal de Grupo de Cliente: Chamada Registrada,
Discagem Abreviada e Cadeado Eletrônico com Senha Pessoal.

Preliminares: Ordem de serviço;


PEA do Grupo de Cliente;
Plano de numeração das facilidades do Grupo de Cliente.

Restrições: A programa da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente, deve ser fei-
ta no plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dígitos de utilização efetiva das facilidades Chamada Registrada, Discagem Abrevi-
ada e Cadeado Eletrônico com Senha Pessoal através do comando CCNUEN com parâmetros
PLE, PEA, CNU, NAN=RESUL, TDE=UTISS, DIG=INDEF, RES=0, CR1=0, RSS=0, SSU,
ATD=0, MO1=S_INF, MDB=S_INF, NPA=S_INF o parâmetro SSU assume os valores CRE,
DAB ou CAE
2 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
3 - Encerrar a atividade

150 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_27

AOPEN_27
x CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CAPTURA DE CHAMADAS NO GRUPO
DE CLIENTE E NO SUBGRUPO

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica, para os dígitos de utilização efetiva, das
seguintes facilidades de ramal de Grupo de Cliente: Captura de Chamadas
no GC e Captura de Chamadas no Subgrupo.

Preliminares: Ordem de serviço;


PEA do Grupo de Cliente;
Plano de numeração das facilidades do Grupo de Cliente.

Restrições: Esta atividade deve ser feita num plano opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dígitos de Utilização Efetiva das facilidades Captura de Chamadas e Captura de Cha-
madas no Subgrupo através do comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA, CNU,
NAN=RESUL, TDE, RES=0, CR1=0, RSS=O, MA1=S_INF, MDB o parâmetro TDE tem os va-
lores CAPRE e CAPRS o parâmetro MDB tem o valor da modificação que transforma o número
dos ramais do GC em número de lista
2 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 151


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_28 Trópico RA

AOPEN_28
x CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO PARA FACILIDADE DE CHA-
MADA RETORNO AUTOMÁTICO

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica para os dígitos de Utilização Efetiva da


facilidade Chamada de Retorno Automático.

Preliminares: Ordem de serviço;


PEA do Grupo de Cliente;
Plano de numeração das facilidades do Grupo de Cliente.

Restrições: A programação da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente, deve ser


feita num plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dígitos de Programação da facilidade Chamada de Retorno Automático através do
comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA, CNU, NAN=RESUL, TDE=CHARET, DIG=IN-
DEF, RES=0, CR1=0, RSS=0, MA1=S_INF, MDB=S_INF
2 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
3 - Encerrar a atividade

152 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_29

AOPEN_29
x CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CÓDIGO DE ACESSO A TELEFONISTA
DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica para os dígitos do Código de Acesso à


Telefonista (CAT) pelos ramais do Grupo de Cliente.

Preliminares: Ordem de serviço, com a especificação do Código de Acesso à Telefonista


e o o respectivo número de lista.

Restrições: Esta atividade deve ser feita num plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dados para modificação dos dígitos do número de ramal em número de lista do ramal
através do comando CMODEN com parâmetros PLE, MDB, PSP=1, NDS=0, PIN=1, DPI o pa-
râmetro DPI assume o valor igual ao número de lista, ou número-chave, da telefonista do GC
2 - CRIAR os dígitos do CAT na árvore de análise numérica do Grupo de Cliente através do coman-
do CCNUEN com parâmetros PLE, PEA, CNU, NAN=RESUL, TDE=COATF, RES=0, CR1=0,
RSS=0, MA1=S_INF, MDB o parâmetro MDB assume o valor numérico da modificação que
transforma o CAT em número de lista ou em número-chave
3 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
4 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 153


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_30 Trópico RA

AOPEN_30
x CRIAÇÃO DE ÁRVORE DE ENCAMINHAMENTO PARA CÓDIGO
DE ACESSO A RTPC PELOS RAMAIS

Objetivo: Criar árvore de análise numérica para os dígitos do Código de Acesso à


RTPC pelos ramais do Grupo de Cliente.

Preliminares: Ordem de serviço, com a especificação do Código de Acesso a RTPC do


Grupo de Cliente.

Restrições: A programação da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente, deve ser


feita no plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dígitos do Código de Acesso à RTPC do Grupo de Cliente na árvore de análise nu-
mérica através do comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA, CNU, NAN=RESUL,
TDE=COARP, RSS=0, CR1=0, NPA o valor do parâmetro NPA é o mesmo do PEA da Central
2 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
3 - Encerrar a atividade

154 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_31

AOPEN_31
x CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ ACESSO A RAMAIS DO
GRUPO DE CLIENTES EM OUTRO NO

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica para os dígitos de chamadas internas ao


GC, estando o ramal chamado em outro Nó. Indicar as rotas pertencentes a
cada grupo de rotas e a ordem de escolha das mesmas no encaminhamento
das chamadas.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo o PEA do GC e o plano de numeração dos ra-


mais;
Rota(s) de saída já criada(s).

Restrições: A programação da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente, deve ser


feita no plano de encaminhamento opcional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dados de rota de saída através do comando CDROEN
2 - CRIAR os dados de grupo de rotas através do comando CGROEN com parâmetros PLE, GRO,
ORD, PDE, PEN, RDF, MA3, MB3, MCT, PUI onde PDE=1(enviar a partir do primeiro dígito do
número já modificado como previsto no MDB), PEN=(ponto de envio dos dígitos, antes da mo-
dificação para inserção do prefixo, deve ser maior ou igual ao PSE, de preferência igual a
PSE+1), MA3=S_INF, MB3=S_INF, MCT=NAO, PUI=valor que depende da rota ser ou não
ISUP
3 - CRIAR os dados de encaminhamento através do comando CDENEN com parâmetros PLE,
NDE, GRO, ATD, PSE, TTR, TPE, ACT, BCF, FPE, PDA onde ATD=valor aplicável à chamada
em outro nó, PSE=número de dígitos do Nrv chamado menos 1, TTR=ACE, TPE=CIC,
ACT=NENHUMA, BCF=informa se há ou não Bilhetagem Automática à frente, FPE=NAO,
PDA=NAO
4 - CRIAR os dados para modificação de dígitos para encaminhamento de chamadas através do
comando CMODEN com parâmetros PLE, MDB, PSP, NDS, PIN, DPI onde MDB=valor numé-
rico da modificação para chamada destinada a ramal em outro nó, PSP=1, NDS=0, PIN=1,
DPI=k’(digitos que faltam para completar o número de lista dos ramais do GC que estão no outro
nó)
5 - CRIAR a árvore de análise do GC, para o caso de acesso a ramais externos através do coman-
do CCNUEN com parâmetros PLE, PEA, CNU, NAN, TDE, NDE, DIG, RSS, RES, CR1, MA1,
MDB onde PEA=ponto de entrada na árvore de análise de dígitos, CNU=k‘Mi ou Ci ou Di,
NAN=RESUL, TDE=RPVAE, NDE=número de encaminhamento que aponta para o grupo de ro-
tas a ser usado, DIG=DIG_M ou C ou D, RSS=0, RES=0, CR1=0, MA1=S_INF, MDB=valor nu-
mérico da modificação aplicável ao GC para chamada destinada a ramal em outro nó
6 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) utilizando novos dados
7 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 155


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_32 Trópico RA

AOPEN_32
x CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CHAMADAS INTERNAS AO GRUPO DE
CLIENTES VINDAS DE OUTRO NO

Objetivo: Criar a árvore de análise do Grupo de Cliente para recepção de chamadas


vindas de ramais externos, utilizando prefixo fantasma.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo o PEA da Central, o PEA do GC e o plano de


numeração dos ramais.

Restrições: Esta atividade deve ser feita num plano de encaminhamento opcional. Su-
põe-se que a rota de entrada já esteja criada.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR os dados de encaminhamento para a rota de entrada através do comando CROTEN
com parâmetros PLE, ROT, PEA, ATO, TTR=IND, TIR=NOR, PEC, ACT=NENHUM,
MA2=S_INF, MB2=S_INF, TAB=TABIR1 ROT=número da rota de entrada utilizada para rece-
ber a chamada de entrada vinda de ramal de outro nó, PEA=PEA da central (público),
ATO=ATO da rota de entrada, PEC=maior ou igual à prioridade da Central
2 - MODIFICAR o número chamado para supressão do prefixo fantasma através do comando
MMODEN com parâmetros PLE, MDB, NDS, PSP=1 onde PLE=plano opcional, MDB=valor nu-
mérico aplicável à retirada do prefixo fantasma, NDS=quantidade de dígitos do prefixo fantasma
3 - CRIAR a árvore de análise da central, para recepção do número de ramal precedido pelo prefixo
fantasma através do comando CCNUEN com parâmetros PLE, PEA=0, CNU, NAN=RESUL,
TDE=PREFF, DIG=INDEF, RSS=0, RES=0, CR1=0, MA1=S_INF, MO1=S_INF, MDB, NPA
onde PLE=Plano opcional, CNU=k’(prefixo fantasma seguido do primeiro dígito do número de
ramal, considerando todas as séries numéricas do plano de numeração do GC), PEA=0 (públi-
co), MDB=valor numérico da modificação aplicável à retirada do prefixo fantasma, NPA=PEA do
Grupo de Cliente
4 - Executar atividade operacional AOPEN_23 (TESTE DE ANÁLISE NUMÉRICA INSERIDA NA
ÁRVORE DE GRUPO DE CLIENTE) considerando os novos dados
5 - Encerrar a atividade

156 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEN_33

AOPEN_33
x PROGRAMAÇÃO DE ÁRVORE DE ANÁLISE NUMÉRICA PARA
GRUPO DE CLIENTE PABX VIRTUAL

Objetivo: Criar a árvore de análise numérica de um Grupo de Cliente, associada a um


PEA.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo o PEA do Grupo de Cliente, o plano de nume-


ração dos ramais e os códigos das facilidades.

Restrições: A programação da árvore de análise de um dado Grupo de Cliente deve ser


feita no plano de encaminhamento opcional. Quando existir ramal do grupo
de cliente em outro Nó, supõe-se que já tenha sido criado o Grupo de Rotas
para a outra Central.

Terminologia: Grupo de Cliente - É o conjunto de ramais de um dado PABX Virtual, com


um plano de numeração próprio. Pode conter ramais em mais de um Nó.

Procedimento:
1 - ATIVAR cópia de plano de encaminhamento ativo num dos planos de encaminhamento opcio-
nais através do comando ACOPEN
2 - CRIAR o nome do PEA do Grupo de Cliente através do comando CCNUEN com parâmetros
PLE, PEA, DAN o parâmetro DAN é o nome do PEA, de preferência igual ao nome do Grupo de
Cliente
3 - Executar atividade operacional AOPEN_24 (CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ CHAMA-
DAS INTERNAS AO GC ENTRE RAMAIS DO MESMO NO) Referente à criação da árvore de
análise para chamadas internas ao Grupo de Cliente, originadas e destinadas a ramais do mes-
mo nó
4 - Executar atividade operacional AOPEN_25 (CRIAÇÃO DE ENC. P/ PROG., CANCELAMENTO
E VERIFICAÇÃO DE FACILIDADES DE RAMAIS) Referente à criação da árvore de análise
para os dígitos de Programação, Cancelamento e Verificação de facilidades de ramais do Grupo
de Cliente
5 - Executar atividade operacional AOPEN_26 (CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ UTILIZA-
ÇÃO EFETIVA DE FACILIDADES CRE, DAB E CAE) Referente à criação da árvore de análise
para os dígitos de Utilização Efetiva das facilidades Chamada Registrada, Discagem Abreviada
e Cadeado Eletrônico com Senha Pessoal
6 - Executar atividade operacional AOPEN_27 (CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CAPTURA DE CHAMA-
DAS NO GRUPO DE CLIENTE E NO SUBGRUPO) Referente à criação da árvore de análise
para os dígitos de Utilização Efetiva das facilidades Captura de Chamadas e Captura de Cha-
madas nos Subgrupos
7 - Executar atividade operacional AOPEN_28 (CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO PARA FACI-
LIDADE DE CHAMADA RETORNO AUTOMÁTICO) Referente à criação da árvore de análise
para os dígitos de Programação da facilidade Chamada de Retorno Automático
8 - Executar atividade operacional AOPEN_29 (CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CÓDIGO DE ACESSO
A TELEFONISTA DE GRUPO DE CLIENTE) Referente à criação da árvore de análise para o
Código de Acesso à Telefonista (CAT) pelos ramais
9 - Executar atividade operacional AOPEN_30 (CRIAÇÃO DE ÁRVORE DE ENCAMINHAMENTO
PARA CÓDIGO DE ACESSO A RTPC PELOS RAMAIS) Referente à criação da árvore de aná-
lise para o Código de Acesso à RTPC (CAR) pelos ramais
10 - Executar atividade operacional AOPEN_31 (CRIAÇÃO DE ENCAMINHAMENTO P/ ACESSO
A RAMAIS DO GRUPO DE CLIENTES EM OUTRO NO) Referente à criação da árvore de aná-
lise para os dígitos de acesso a ramais do Grupo de Cliente em outro nó

Versão S11.1 157


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEN_33 Trópico RA

11 - Executar atividade operacional AOPEN_32 (CRIAÇÃO DE ENCAM. P/ CHAMADAS INTER-


NAS AO GRUPO DE CLIENTES VINDAS DE OUTRO NO) Referente à criação da árvore de
análise para recepção de chamadas vindas de ramais do Grupo de Cliente situados em outro nó
12 - ATIVAR a carga do plano de encaminhamento opcional através do comando ACAREN O plano
opcional é carregado para o plano reserva
13 - ATIVAR a comutação do plano de encaminhamento reserva para plano de encaminhamento ati-
vo através do comando ACOMEN
14 - ATIVAR a cópia do plano de encaminhamento ativo num dos planos de encaminhamento opci-
onais através do comando ACOPEN
15 - ATIVAR a carga do plano de encaminhamento opcional através do comando ACAREN
16 - Encerrar a atividade

158 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEP_00

13
x

Recurso EP : ENDEREÇAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO

AOPEP_00 CRIAÇÃO DE ENDEREÇAMENTO DE SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Permitir criar logicamente no sistema uma ou mais identificações de endere-


çamento (PS/PTS), adjacentes ou não.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR dados de endereçamento a ponto de sinalização através do comando IDADEP
2 - SE o ponto de sinalização estiver criado ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR dados de endereçamento a ponto de sinalização através do comando CDADEP
com parâmetros DPC=dpc
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 159


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEP_01 Trópico RA

AOPEP_01
x CRIAÇÃO DE DADOS DE ENDEREçAMENTO A PONTO DE SINA-
LIZAÇÃO N.7

Objetivo: Permite criar logicamente no sistema uma ou mais identificações de ponto


de sinalização (PS/PTS), adjacentes ou não e associar a cada uma destas
identificações uma lista de até quatro encaminhamentos sendo o primeiro
normal e os outros, se existirem, alternativos.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de encaminhamento a serem associados através do comando IDA-
DEC com parâmetros NEC
2 - SE o encaminhamento estiver criado ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR os dados de endereçamento a ponto de sinalização através do comando
MDADEP com parâmetros DPC,NEC
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEC_00 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHA-
MENTO DE SINALIZAÇÃO N.7)
3.2 - Vá para o passo 2.1

160 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPEP_02

AOPEP_02
x MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ENDEREÇAMENTO A PONTO DE
SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Pode-se atingir os seguintes objetivos com esta atividade:


- Retirar encaminhamento;
- Inserir encaminhamento.

Preliminares: Ordem de serviço;


Endereçamento (DPC) criado;
Encaminhamento (NEC) criado quando for o caso de inserir encaminhamen-
to.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - verificar se a modificação é uma retirada ou inserção de encaminhamento
2 - SE for retirada de encaminhamento ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR os dados de encaminhamento através do comando MDADEP com parâme-
tros DPC omitindo os encaminhamentos
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR os dados de encaminhamento através do comando MDADEP com parâme-
tros DPC omitindo os encaminhamentos
3.2 - MODIFICAR os dados de encaminhamento, inserindo novos encaminhamentos através do
comando MDADEP com parâmetros DPC,NEC
3.3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 161


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPEP_03 Trópico RA

AOPEP_03
x SUPRESSÃO DE DADOS DE ENDEREÇAMENTO A PONTO DE
SINALIZAÇÃO N.7

Objetivo: Suprimir um ou mais endereçamentos retirando as associações estabeleci-


das quando da criação dos mesmos.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: O DPC só pode ser suprimido se não estiver associado a nenhum título glo-
bal.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do conjunto associado ao endereçamento através do comando
IDADCJ com parâmetros DPC
2 - SE existir conjunto associado ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPCJ_02 (SUPRESSÃO DE DADOS DE CONJUNTO
DE ENLACES DE SINALIZAÇÃO N.7)
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a existência de encaminhamentos associados ao endereçamento através
do comando IDADEP
3.2 - SE existirem encaminhamentos associados ENTÃO:
3.2.1 - Executar atividade operacional AOPEP_02 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DE EN-
DEREÇAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7) para retirar encaminhamen-
to(s) associado(s)
3.2.2 - SE foram retirados todos os encaminhamentos ENTÃO:
3.2.2.1 -Vá para o passo 3.3.1
3.2.3 - SENÃO:
3.2.3.1 -Vá para o passo 3.2.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - SUPRIMIR os dados de encaminhamento através do comando SDADEP
3.3.2 - Encerrar a atividade

162 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPES_00

14
x

Recurso ES : EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO

AOPES_00 CRIAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Instalar um enviador/receptor MFC ou enviador/receptor MF ou receptor


MFP na central TRÓPICO RA.

Preliminares: Ordem de serviço;


Placa equipada.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência de placa(s) criada(s) na(s) qual(is) se deseja criar o(s) equipamen-
to(s) de sinalização através do comando IPLAPR
2 - SE existir(em) placa(s) criada(s) na(s) qual(is) se deseja criar o(s) equipamento(s) de sinaliza-
ção ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 3.2
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPPR_05 (INSTALAÇÃO DE PLACA DE TERMINAIS)
para a(s) placa(s) à(s) qual(is) o(s) equipamento(s) de sinalização pertence(m)
3.2 - CRIAR o(s) equipamento(s) de sinalização através do comando CDADES
3.3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 163


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPES_01 Trópico RA

AOPES_01
x SUPRESSÃO DE EQUIPAMENTO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Retirar um enviador/receptor MFC ou enviador/receptor MF ou receptor MFP


da central TRÓPICO RA.

Preliminares: Ordem de serviço;


Placa equipada.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do(s) equipamento(s) de sinalização através do comando
MESTES com parâmetros BLO=BLQ
2 - SUPRIMIR o(s) equipamento(s) de sinalização através do comando SDADES
3 - Encerrar a atividade

164 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_00

15
x

Recurso GC : GRUPO DE CLIENTE

AOPGC_00 INSTALAÇÃO DE ASSINANTE-RAMAL EM UM GRUPO DE CLI-


ENTE

Objetivo: Instalar um assinante-ramal em um Grupo de Cliente.

Preliminares: Ordem de serviço;


Processador equipado, criado e associado a um testador de linhas;
Placa de assinante equipada e criada;
Terminal conectado ao DG.

Restrições: Só podem ser criados assinantes analógicos.

Terminologia: Os assinantes são criados com os seguintes dados associados:


TAS=TLCOM (assinante comum),
CTO=ASSCO (assinante comum),
RTO=0 (sem restrições),
TAP=TELMF (telefone MF),
SEL=SEMSI (sem sinal),
TAT=COMUM (tarifação comum),
ATO=0 (área tarifária de origem),
ATD=0 (área tarifária de destino),
PEC=5 (prioridade),
CAD=0,
CTT=LICTA (assinante livre com tarifação),
CMT=NORMAL,
RTT=SEMRT (sem restrição),
FAT=ATSIM (atendimento simples),
LBT=LINOR (liberação normal),
SOR=NSORG (não solicita identidade do chamador),
TEP=IPOSR (inversão de polaridade sem rampa),
CSS=SSPRE (com serviço suplementar),
CLN=LONGA,
TFL=CURTA (tecla de flash curta),
MA2=S_INF,
MB2=S_INF,
MO2=S_INF,
ARP=PRIVI (ramal privilegiado),
CAG=SIM (captura no grupo),
CLG=SIM (capturável no grupo),
CLS=SIM (capturável no subgrupo),
TRI=TABIR1

Procedimento:
1 - SE o grupo de cliente estiver criado ENTÃO:
1.1 - Vá para o passo 3
2 - SENÃO
2.1 - Executar atividade operacional AOPGC_01 (INSTALAÇÃO DE GRUPO DE CLIENTE) ins-
talação de grupo de cliente
2.2 - Vá para o passo 3

Versão S11.1 165


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_00 Trópico RA

3 - SE o subgrupo de cliente estiver criado ENTÃO:


3.1 - Vá para o passo 5
4 - SENÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPGC_02 (INSTALAÇÃO DE SUBGRUPO EM UM GRU-
PO DE CLIENTE) instalação de subgrupo de cliente
4.2 - Vá para o passo 5
5 - SE a milhar do assinante-ramal estiver criado ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 7
6 - SENÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL)
criação de milhar de assinante
6.2 - Vá para o passo 7
7 - SE a série numérica estiver criada ENTÃO:
7.1 - Vá para o passo 9
8 - SENÃO:
8.1 - CRIAR nova série numérica no grupo de cliente através do comando CDADGC
8.2 - Vá para o passo 9
9 - SE o assinante-ramal NÃO pertence a um grupo de ramais em busca ENTÃO:
9.1 - Vá para o passo 11
10 - SENÃO:
10.1 -Executar atividade operacional AOPGC_03 (INSTALAÇÃO DE ASSINANTE-RAMAL EM
GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA) instalação de assinante-ramal em grupo de ramais em
busca
10.2 -Vá para o passo 11
11 - INTERROGAR se o(s) número(s) de assinante está(o) criado(s) através do comando IDADAS
com parâmetros ASS
12 - SE o(s) número(s) de assinante estiver(em) criado(s) ENTÃO:
12.1 -conferir os dados do(s) assinante(s) na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
12.2 -Encerrar a atividade
13 - SENÃO:
13.1 -INTERROGAR se o(s) número(s) de equipamento está(o) disponível(is) através do co-
mando IDADAS com parâmetros NEA
13.2 -SE o(s) número(s) de equipamento estiver(em) disponível(is) ENTÃO:
13.2.1 -Vá para o passo 14
13.3 -SENÃO:
13.3.1 -conferir os dados do(s) assinante(s) na ordem de serviço e tomar as providências
cabíveis
13.3.2 -Encerrar a atividade
14 - SE o(s) assinante(s) a ser(em) criado(s) pertence(m) a um subgrupo de cliente ENTÃO:
14.1 -CRIAR o(s) assinante(s) através do comando CDADAS com parâmetros ASS , NEA ,
GRC , SGR , NAS
14.2 -anotar os contadores de tarifação de cada assinante repetir estes procedimentos se exis-
tirem outros subgrupos dentro do grupo de cliente
14.3 -Vá para o passo 15.1

166 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_00

15 - SENÃO:
15.1 -SE existe(m) assinante(s) a ser(em) criado(s) dentro do grupo ENTÃO:
15.1.1 -Vá para o passo 16
15.2 -SENÃO:
15.2.1 -Vá para o passo 18
16 - CRIAR o(s) assinante(s) através do comando CDADAS com parâmetros ASS , NEA , GRC ,
NAS
17 - anotar os contadores de tarifação de cada assinante
18 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE ASSINANTE)
teste de linha para todas as linhas criadas
19 - Executar atividade operacional AOPGC_16 (ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A ASSINANTE-
RAMAL DE GRUPO DE CLIENTE) atribuição de facilidades ao assinante-ramal entre as quais
a função de telefonista
20 - verificar na ordem de serviço se o(s) assinante(s) é(são) privilegiado(s)
21 - SE o(s) assinante(s) é(são) privilegiado(s) ENTÃO:
21.1 -Vá para o passo 23
22 - SENÃO:
22.1 -MODIFICAR a discriminação do(s) assinante(s) quanto ao acesso à rede pública através
do comando MDADAS
22.2 -Vá para o passo 23
23 - verificar na ordem de serviço se a classificação do(s) assinante(s) é(são) padrão
24 - SE a classificação pretendida for padrão ENTÃO:
24.1 -Vá para o passo 25.2
25 - SENÃO:
25.1 -MODIFICAR a classificação do(s) assinante(s) de acordo com a ordem de serviço através
do comando MDADAS
25.2 -MODIFICAR o estado operacional do(s) assinante(s) para desbloqueado através do co-
mando MESTAS
25.3 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 167


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_01 Trópico RA

AOPGC_01
x INSTALAÇÃO DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Instalar um grupo de cliente na central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: O valor do PEA (ponto de entrada na árvore de encaminhamento) deve ser


diferente de 0 (zero).

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR quais os PEAs livre através do comando IPEAEN
2 - SE não houver um PEA livre ENTÃO:
2.1 - tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - escolher o primeiro PEA livre
3.2 - Vá para o passo 4
4 - INTERROGAR se a(s) milhar(es) da(s) série(s) numérica(s) está(o) criada(s) através do coman-
do IMILAS
5 - SE a(s) milhar(es) NÃO estiver(em) criada(s) ENTÃO:
5.1 - Executar atividade operacional AOPAS_06 (CRIAÇÃO DE UM MILHAR NA CENTRAL)
criação de milhar
5.2 - Vá para o passo 6.1
6 - SENÃO:
6.1 - CRIAR o Grupo de Cliente através do comando CDADGC com parâmetros IGC , PEA ,
SNU , TSN
6.2 - anotar o número do grupo criado
6.3 - Executar atividade operacional AOPGC_10 (ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO
DE CLIENTE) atribuição de facilidades de grupo de cliente
6.4 - Vá para o passo 7
7 - INTERROGAR a quantidade de registros livres para Serviço Suplementar através do comando
IRISSS
8 - SE NÃO houver registros suficientes ENTÃO:
8.1 - tomar as providências cabíveis
8.2 - Encerrar a atividade
9 - SENÃO:
9.1 - MODIFICAR a quantidade de registros de Serviços Suplementares associado ao grupo de
cliente através do comando MRISSS
9.2 - Executar atividade operacional AOPEN_33 (PROGRAMAÇÃO DE ÁRVORE DE ANÁLISE
NUMÉRICA PARA GRUPO DE CLIENTE PABX VIRTUAL) criar o encaminhamento para
o grupo de cliente
9.3 - SE existir subgrupo dentro do grupo de cliente ENTÃO:
9.3.1 - Executar atividade operacional AOPGC_02 (INSTALAÇÃO DE SUBGRUPO EM
UM GRUPO DE CLIENTE) criar subgrupo dentro do grupo de cliente

168 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_01

9.3.2 - Encerrar a atividade


9.4 - SENÃO:
9.4.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 169


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_02 Trópico RA

AOPGC_02
x INSTALAÇÃO DE SUBGRUPO EM UM GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Instalar um subgrupo dentro de um grupo de cliente da central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Grupo de cliente criado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR o subgrupo de cliente através do comando CSGRGC
2 - SE o grupo de cliente NÃO estiver criado ENTÃO:
2.1 - conferir os dados do grupo de cliente e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - SE o mnemônico do subgrupo já foi utilizado ENTÃO:
3.1.1 - conferir se o mnemônico do subgrupo está correto e tomar as providências cabí-
veis
3.1.2 - Encerrar a atividade
3.2 - SENÃO:
3.2.1 - anotar o número do subgrupo criado
3.2.2 - Encerrar a atividade

170 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_03

AOPGC_03
x INSTALAÇÃO DE ASSINANTE-RAMAL EM GRUPO DE RAMAIS EM
BUSCA

Objetivo: Instalar um grupo de ramais em busca automática, dentro de um grupo ou


subgrupo de cliente.

Preliminares: Ordem de serviço;


Grupo ou grupo e subgrupo de cliente criado;
Processador equipado, criado, iniciado e associado a um testador;
Placa de assinante equipada e criada;
Conexão no DG.

Restrições: N.A.

Terminologia: As linhas pertencentes ao grupo ou subgrupo de cliente são criadas com


classificação padrão.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o(s) número(s) de assinante está(o) criado(s) através do comando IDADAS
2 - SE o(s) número(s) de assinante está(o) criado(s) ENTÃO:
2.1 - conferir os dados do(s) assinante(s) na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a(s) disponibilidade(s) do(s) número(s) de equipamento através do coman-
do IDADAS
3.2 - SE o(s) número(s) de equipamento NÃO estiver(em) disponíveis ENTÃO:
3.2.1 - Vá para o passo 2.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - SE for criação de assinante-ramal em grupo de ramais em busca dentro de um
subgrupo de cliente ENTÃO:
3.3.1.1 -Vá para o passo 4
3.3.2 - SENÃO:
3.3.2.1 -Vá para o passo 6
4 - SE for(em) linha(s) NÃO numerada(s) ENTÃO:
4.1 - CRIAR a(s) linha(s) não numerada(s) no grupo de ramais em busca através do comando
CDADCP com parâmetros CHA , NEA , NAS , GRC , SGR
4.2 - Vá para o passo 5.2
5 - SENÃO:
5.1 - CRIAR a(s) linha(s) numerada(s) no grupo de ramais em busca através do comando
CDADCP com parâmetros CHA, ASS, NEA, NAS, GRC, SGR
5.2 - anotar os contadores de tarifação do(s) número(s) de lista(s) e/ou do número chave na or-
dem de serviço
5.3 - SE existe(m) mais linha(s) a ser(em) criada(s) em grupo de ramais em busca dentro do
grupo de cliente ENTÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 6
5.4 - SENÃO:
5.4.1 - Vá para o passo 8

Versão S11.1 171


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_03 Trópico RA

6 - SE for(em) linha(s) NÃO numerada(s) ENTÃO:


6.1 - CRIAR a(s) linha(s) não numerada(s) no grupo de ramais em busca através do comando
CDADCP com parâmetros CHA, NEA, NAS, GRC
6.2 - anotar os contadores de tarifação do número-chave na ordem de serviço
6.3 - Vá para o passo 8
7 - SENÃO:
7.1 - CRIAR a(s) linha(s) numerada(s) no grupo de ramais em busca através do comando
CDADCP com parâmetros CHA, ASS, NEA, NAS, GRC
7.2 - anotar os contadores de tarifação do(s) número(s) de lista e do número-chave na ordem
de serviço
7.3 - Vá para o passo 8
8 - Executar atividade operacional AOPAS_10 (TESTE DE LINHA E CIRCUITO DE ASSINANTE)
teste de linha para todas as linhas criadas dentro do grupo de ramais em busca
9 - Executar atividade operacional AOPGC_12 (ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO DE
RAMAIS EM BUSCA DE GRUPO DE CLIENTE) atribuição de facilidades ao grupo de ramais
em busca, entre as quais, a função de telefonista
10 - verificar na ordem de serviço se a classificação pretendida é padrão
11 - SE a classificação pretendida for padrão ENTÃO:
11.1 -Vá para o passo 12.2
12 - SENÃO:
12.1 -MODIFICAR a classificação do(s) assinante(s) de acordo com a ordem de serviço através
do comando MDADAS
12.2 -MODIFICAR o estado operacional do(s) assinante(s) para desbloqueado através do co-
mando MESTAS
12.3 -Encerrar a atividade

172 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_04

AOPGC_04
x RETIRADA DE ASSINANTE-RAMAL

Objetivo: Retirar um assinante-ramal pertencente a um grupo de cliente, podendo po-


dendo estar dentro de um subgrupo ou de um grupo de ramais em busca.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
TERMINAIS DE ASSINANTE) supervisão do estado de ocupação do(s) terminal(is) a ser(em)
suprimido(s)
2 - INTERROGAR se a(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s) está(o) marcada(s) para chamada de tes-
te dirigida através do comando ICTECE com parâmetros TIP=IDENT
3 - SE a(s) linha(s) estiver(em) marcada(s) para chamada de teste dirigida ENTÃO:
3.1 - MODIFICAR a marcação da(s) linha(s) para chamada de teste dirigida através do coman-
do MCTECE com parâmetros ICT=DES
3.2 - Vá para o passo 4.1
4 - SENÃO:
4.1 - INTERROGAR se a(s) linha(s) a ser(em) suprimida(s) possue(m) facilidade(s) através do
comando IDADSS
4.2 - SE a(s) linha(s) não possuir(em) facilidade(s) ENTÃO:
4.2.1 - Vá para o passo 5
4.3 - SENÃO:
4.3.1 - Executar atividade operacional AOPGC_17 (RETIRADA DE FACILIDADES DE
ASSINANTE-RAMAL DE GRUPO DE CLIENTE) retirada de facilidades
4.3.2 - MODIFICAR a classificação da(s) linha(s) através do comando MDADAS com pa-
râmetros ASS, CSS=SSAUS
4.3.3 - Vá para o passo 5
5 - INTERROGAR se o(s) assinante(s) possui(em) serviço de tarifação reversa (NTR) através do
comando IDADAS
6 - SE o(s) assinante(s) possuir(em) o serviço ENTÃO:
6.1 - MODIFICAR a atribuição do serviço ao(s) assinante(s) através do comando MDADAS com
parâmetros ASS, NTR, TPO=SUPR
6.2 - Vá para o passo 8
7 - SENÃO:
7.1 - Vá para o passo 8
8 - INTERROGAR os valores dos parâmetros MA2, MB2 e MO2 atribuidos ao(s) assinante(s) a
ser(em) suprimido(s) através do comando IDADAS anotar os valores dos parâmetros MA2, MB2
e MO2 na ordem de serviço
9 - SE assinante pertence a um grupo de ramais em busca ENTÃO:
9.1 - SUPRIMIR a(s) linha(s) através do comando SDADCP
9.2 - Vá para o passo 11
10 - SENÃO:

Versão S11.1 173


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_04 Trópico RA

10.1 -SUPRIMIR a(s) linha(s) através do comando SDADAS


10.2 -Vá para o passo 11
11 - verificar se o valor dos parâmetros MA2 e MB2 são iguais a S_INF
12 - SE MA2 e MB2 forem iguais a S_INF ENTÃO:
12.1 -Vá para o passo 13
13 - SENÃO:
13.1 -Executar atividade operacional AOPEN_19 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
MODIFICAÇÃO DO NÚMERO DO ASSINANTE) supressão de dados da matriz de modi-
ficação do número do assinante
13.2 -Vá para o passo 14
14 - verificar se o valor do parâmetro MO2 é igual a S_INF
15 - SE MO2 for igual a S_INF ENTÃO:
15.1 -Vá para o passo 17
16 - SENÃO:
16.1 -Executar atividade operacional AOPEN_16 (SUPRESSÃO DE DADOS DA MATRIZ DE
ENCAMINHAMENTO ALTERNATIVO DE CHAMADAS) supressão de dados da matriz de
encaminhamento alternativo de chamadas
16.2 -Vá para o passo 17
17 - anotar os contadores de tarifação na ordem de serviço
18 - Encerrar a atividade

174 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_05

AOPGC_05
x RETIRADA DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Retirar um grupo de cliente da central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPGC_04 (RETIRADA DE ASSINANTE-RAMAL) supressão
de assinantes do grupo de cliente
2 - SE existe subgrupo criado no grupo de cliente ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPGC_06 (RETIRADA DE SUBGRUPO DE UM GRUPO
DE CLIENTE) supressão de subgrupo de cliente
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR as facilidades atribuidas ao grupo de cliente através do comando IFGCSS
3.2 - SE a(s) facilidade(s) de serviço noturno e/ou transferência(s) automática(s) estiver(em)
atribuido(s) ENTÃO:
3.2.1 - SUPRIMIR a(s) facilidade(s) atribuida(s) através do comando SFGCSS
3.2.2 - Vá para o passo 3.3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - SE existem registro de informações suplementares associados ao grupo de cliente
ENTÃO:
3.3.1.1 -MODIFICAR a quantidade de registros associados ao grupo de cliente através do
comando MRISSS
3.3.1.2 -Vá para o passo 3.2.1
3.3.2 - SENÃO:
3.3.2.1 -SUPRIMIR o grupo de cliente através do comando SDADGC
3.3.2.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 175


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_06 Trópico RA

AOPGC_06
x RETIRADA DE SUBGRUPO DE UM GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Retirar um subgrupo de um grupo de cliente da central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPGC_04 (RETIRADA DE ASSINANTE-RAMAL) supressão
dos assinantes-ramal do subgrupo
2 - SUPRIMIR o subgrupo do grupo de cliente através do comando SSGRGC
3 - Encerrar a atividade

176 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_07

AOPGC_07
x RETIRADA DE SÉRIE NUMÉRICA DE UM GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Retirar uma série numérica associada a um grupo de cliente.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - SE existe assinante-ramal criado dentro da série numérica ENTÃO:
1.1 - Executar atividade operacional AOPGC_04 (RETIRADA DE ASSINANTE-RAMAL) su-
pressão dos assinantes-ramal pertencetes a série numérica
1.2 - Vá para o passo 2.1
2 - SENÃO:
2.1 - SUPRIMIR a série numérica através do comando SDADGC com parâmetros SNU
2.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 177


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_10 Trópico RA

AOPGC_10
x ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Permitir a atribuição ou modificação das facilidades de grupo de cliente ou


de todos os assinantes-ramais de um grupo de cliente.

Preliminares: Grupo de Cliente criado com assinantes-ramais criados;


Ordem de Serviço mandando atribuir para o grupo de cliente: Serviço Notur-
no;
Transferência Automática por NR ou LO p/ Ponto de Atendimento;
Transferência Programada Externa, Após Consulta Externa ou via Telefonis-
ta;
Captura;
Registro de Chamadas para Tarifação de Assinante-Ramal;
Serviço de Mensagem ou atribuir um serviço suplementar que exige habili-
tação para TODOS os assinantes-ramais do grupo de cliente.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S., se a facilidade a ser atribuída é Bloqueio de Terminação DLC/DIC (BDC) ou
outra que exija habilitação de assinantes para serviços suplementares
2 - SE a facilidade for BDC ou outra que exija habilitação ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLEMEN-
TAR) ATRIBUIÇÃO DE SERV. SUPLEMENTARES para a facilidade, especificando a
identidade do grupo de cliente
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S., a facilidade a ser atribuída
3.2 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Serviço Noturno (SNOT) ENTÃO:
3.2.1 - Verificar se ação é modificar o agendamento
3.2.2 - SE for modificar o agendamento ENTÃO:
3.2.2.1 -MODIFICAR agenda de serviços suplementares através do comando MAGESS
Hora de ativação: HAT, hora de desativ.: HDS, dias da semana: DSM e dias de não
desativ.: DND
3.2.2.2 -Vá para o passo 4
3.2.3 - SENÃO:
3.2.3.1 -CRIAR facilidade de grupo de cliente através do comando CFGCSS com parâme-
tros GRC , FGC FGC=SNOT
3.2.3.2 -MODIFICAR agenda de serviços suplementares através do comando MAGESS
Hora de ativação: HAT, hora de desativ.: HDS, dias da semana: DSM e dias de não
desativ.: DND
3.2.3.3 -Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Transferência Automática por NR ou LO para
Ponto de Atendimento ENTÃO:
3.3.1 - CRIAR facilidade de grupo de cliente através do comando CFGCSS com parâme-
tros GRC , FGC Transf. Autom. p/ NR: FGC=TNAT, Transf. Autom. p/ LO:
FGC=TLOC

178 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_10

3.3.2 - Vá para o passo 4


3.4 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Transferência Programada Externa ao Grupo
(TFG), Transferência após Consulta Externa ao Grupo (COF) ou Transferência via Telefo-
nista p/ Fora do Grupo (TTF) ENTÃO:
3.4.1 - MODIFICAR dados de grupo de cliente através do comando MDADGC TFG, COF
ou TTF=SIM
3.4.2 - Vá para o passo 4
3.5 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Captura ENTÃO:
3.5.1 - MODIFICAR dados de assinante através do comando MDADAS Atribuir a facilida-
de p/ GRC ou IGC, indicando SIM para: Captura no grupo: CAG, Capturável no gru-
po: CLG ou Captura e Capturável no grupo: CAG e CLG
3.5.2 - Vá para o passo 4
3.6 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Registro de Chamadas para Tarifação de As-
sinante-Ramal ENTÃO:
3.6.1 - MODIFICAR o registro de chamadas para tarifação para marcar todos os ramais
do grupo através do comando MRTAGC com parâmetros GRC , ICT=MAR
3.6.2 - Vá para o passo 4
3.7 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Serviço de Mensagem ENTÃO:
3.7.1 - Executar atividade operacional AOPRO_00 (CRIAÇÃO DE ROTA) CRIAÇÃO DE
ROTA para criar uma rota para o provedor do serviço de Caixa Postal
3.7.2 - Vá para o passo 4
4 - Verificar na O.S., se existem mais facilidades a serem atribuidas
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 179


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_11 Trópico RA

AOPGC_11
x RETIRADA DE FACILIDADES DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Permitir a retirada das facilidades de grupo de cliente ou de todos os assi-


nantes-ramais de um grupo de cliente.

Preliminares: Grupo de cliente criado com assinantes-ramais criados e com facilidades


atribuidas;
Ordem de Serviço mandando retirar uma ou mais facilidades permitidas a
grupo de cliente.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S., se a facilidade a ser retirada é Bloqueio de Terminação DLC/DIC (BDC) ou
outra que exija habilitação de assinantes para serviços suplementares
2 - SE a facilidade for BDC ou outra que exija habilitação ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR)
RETIRADA DE SERV. SUPLEMENTAR para a facilidade, especificando a identidade do
grupo de cliente
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S., a facilidade de grupo de cliente a ser retirada
3.2 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Serviço Noturno, Transf. Automática por NR p/
Ponto de Atendimento ou
Transf. Automática por LO p/ Ponto de Atendimento ENTÃO:
3.2.1 - SUPRIMIR a facilidade especificada através do comando SFGSSS com parâme-
tros GRC , FGC FGC=SNOT, TNAT, TLOC
3.2.2 - Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Transferência Programada Externa ao Grupo
(TFG), Transferência Após Consulta Externa ao Grupo (COF) ou Transferência via Telefo-
nista p/ Fora do Grupo (TTF) ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR os dados de grupo de cliente através do comando MDADGC
TFG=NAO, COF=NAO ou TTF=NAO
3.3.2 - Vá para o passo 4
3.4 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Captura ENTÃO:
3.4.1 - MODIFICAR os dados de assinantes através do comando MDADAS Captura no
Grupo: CAG=NAO, Capturável no Grupo: CLG=NAO
3.4.2 - Vá para o passo 4
3.5 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Registro de Chamadas para Tarifação de Assi-
nante-Ramal ENTÃO:
3.5.1 - MODIFICAR o registro de chamadas para tafifação para desmarcar todos os ra-
mais do grupo através do comando MRTAGC com parâmetros GRC , ICT=DES
3.5.2 - Vá para o passo 4
3.6 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Serviço de Mensagem ENTÃO:

180 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_11

3.6.1 - Executar atividade operacional AOPRO_01 (SUPRESSÃO DE ROTA) SUPRES-


SÃO DE ROTA, para suprimir a rota utilizada para o provedor do serviço de Caixa
Postal
3.6.2 - Vá para o passo 4
4 - Verificar na O.S., se existem mais facilidades a serem retiradas
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 181


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_12 Trópico RA

AOPGC_12
x ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA
DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Atribuir facilidades aos grupos de ramais em busca automática (grupos de


busca) ou a linhas pertencentes a esses grupos de busca.

Preliminares: Grupo de Busca criado e com habilitação de seu número-chave para servi-
ços suplementares. Essa habilitação é desnecessária para as facilidades
Registro Detalhado de Chamadas Terminadas e Captura;
Ordem de Serviço mandando atribuir ao grupo de busca: Telefonista de Gru-
po de Cliente;
Transferência Programada Incondicional, p/ não Atendimento NR ou LO;
Registro Detalhado de Chamadas Terminadas ou Captura de Chamadas em
Subgrupo.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S., se a facilidade é uma das seguintes: - Telefonista de grupo de cliente (TGC),
- Transf. Programada Incondicional (TTM), - Transf. Programada p/ não Atendimento NR (TNR)
ou - Transf. programada p/ não Atendimento LO (TLO)
2 - SE a facilidade for TGC, TTM, TNR ou TLO ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLEMEN-
TAR) ATRIBUIÇÃO DE SERVIçOS SUPLEMENTARES, para atribuir ao número-chave o
serviço respectivo
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S. a facilidade a ser atribuída
3.2 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Registro Detalhado de Chamadas Terminadas
ENTÃO:
3.2.1 - MODIFICAR o registro detalhado de chamadas terminadas através do comando
MRDTCE com parâmetros ASS , ICT ASS=número-chave, ICT=MAR
3.2.2 - Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Captura de Chamadas em Subgrupo ENTÃO:
3.3.1 - INTERROGAR os dados de assinantes para verificar se todas as linhas do grupo
de busca possuem CLS=SIM através do comando IDADAS com parâmetros ASS
ASS=número-chave
3.3.2 - SE todas as linhas possuem CLS=SIM ENTÃO:
3.3.2.1 -Vá para o passo 4
3.3.3 - SENÃO:
3.3.3.1 -MODIFICAR os dados de assinantes para as linhas que apresentam CLS=NAO
através do comando MDADAS com parâmetros ASS , CLS ASS= lista das linhas,
CLS=SIM
4 - Verificar na O.S. se existem mais facilidades a serem atribuidas
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:

182 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_12

6.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 183


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_13 Trópico RA

AOPGC_13
x RETIRADA DE FACILIDADES DE GRUPO DE RAMAIS EM BUSCA
DE GRUPO DE CLIENTE

Objetivo: Retirar facilidades dos grupos de ramais em busca automática (grupo de


busca) ou de linhas pertencentes a grupos de busca.

Preliminares: Grupo de Busca criado e com facilidades atribuídas;


Ordem de Serviço mandando retirar facilidades permitidas a grupo de busca.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S. se a facilidade é uma das seguintes: - Telefonista de Grupo de Cliente (TGC),
- Transf. Programada Incondicional (TTM), - Transf. Programada p/ não Atendimento NR (TNR)
ou - Transf. programada p/ não Atendimento LO (TLO)
2 - SE a facilidades for TGC, TTM, TNR, ou TLO ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR)
RETIRADA DE SERVIçOS SUPLEMENTARES, para o número-chave
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S. a facilidade a ser retirada
3.2 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Registro Detalhado de Chamadas Terminadas
ENTÃO:
3.2.1 - MODIFICAR o registro de chamadas terminadas através do comando MRDTCE
com parâmetros ASS , ICT ASS=número-chave, ICT=DES
3.2.2 - Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Captura de Chamadas em Subgrupo ENTÃO:
3.3.1 - INTERROGAR dados de assinante para verificar se todas as linhas especificadas
do grupo de busca possuem CLS=NAO através do comando IDADAS com parâ-
metros ASS ASS=número-chave
3.3.2 - SE todas as linhas possuem CLS=NAO ENTÃO:
3.3.2.1 -Vá para o passo 4
3.3.3 - SENÃO:
3.3.3.1 -MODIFICAR os dados de assinante para as linhas especificadas que apresentam
CLS=SIM através do comando MDADAS com parâmetros ASS , CLS ASS=lista de
linhas, CLS=NAO
4 - Verificar na O.S. se existem mais facilidades a serem retiradas
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

184 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_14

AOPGC_14
x ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A SUBGRUPO DE GRUPO DE CLI-
ENTE

Objetivo: Permitir a Captura em subgrupo para os assinantes-ramais pertencentes a


um subgrupo de grupo de cliente.

Preliminares: Subgrupo criado com ramais criados;


Ordem de serviço mandando restaurar a indicação "capturável no subgrupo"
de alguns ou de todos os ramais do subgrupo.

Restrições: Os assinantes-ramais pertencentes a um subgrupo sempre podem capturar


as chamadas de outro ramal do mesmo subgrupo, desde que este outro ra-
mal seja capturável.
Um subgrupo tem que ter pelo menos um ramal "capturável no subgrupo".
Esta modificação não se aplica a número-chave de Grupo de Busca.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S. se a ação é ser capturável no subgrupo
2 - SE a ação for sobre ser capturável no subgrupo ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade
4 - Verificar se é sobre todos os ramais de um subgrupo
5 - SE a ação for sobre todos os ramais ENTÃO:
5.1 - MODIFICAR os dados de assinante para o subgrupo através do comando MDADAS com
parâmetros GRC , SGR , CLS CLS=SIM
5.2 - Encerrar a atividade
6 - SENÃO:
6.1 - INTERROGAR os dados de assinante para verificar se todos os ramais especificados per-
tencem a subgrupo(s) e possuem CLS=SIM através do comando IDADAS com parâmetros
ASS ASS=lista dos assinantes-ramais
6.2 - SE todos os ramais pertencem a subgrupo e possuem CLS=SIM ENTÃO:
6.2.1 - Encerrar a atividade
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - MODIFICAR os dados de assinante para os ramais, dentre os especificados, que
pertencem a subgrupo(s) e possuem CLS=NAO através do comando MDADAS
com parâmetros ASS , CLS ASS=lista dos ramais, CLS=SIM
6.3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 185


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_15 Trópico RA

AOPGC_15
x RETIRADA DE FACILIDADES DE SUBGRUPO DE GRUPO DE CLI-
ENTE

Objetivo: Permitir retirar a Captura de assinantes-ramais pertencentes a subgrupo.

Preliminares: Subgrupo criado com assinantes-ramais criados;


Ordem de Serviço mandando retirar a indicação "capturável no subgrupo" de
ramais do subgrupo.

Restrições: Os assinantes-ramais pertencentes a um subgrupo podem sempre capturar


as chamadas de outro ramal do mesmo subgrupo, desde que este outro ra-
mal seja capturável no subgrupo.
Um subgrupo tem que ter pelo menos um ramal "capturável no subgrupo".
Esta modificação não se aplica a número-chave de Grupo de Busca.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se a ação é sobre ser capturável no subgrupo
2 - SE a ação for sobre ser capturável no subgrupo ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade
4 - Verificar se a ação é sobre todos os ramais do subgrupo
5 - SE a ação for sobre todos os ramais ENTÃO:
5.1 - Encerrar a atividade
6 - SENÃO:
6.1 - INTERROGAR os dados de assinante para verificar se todos os ramais especificados per-
tencem a subgrupo(s) e possuem CLS=NAO através do comando IDADAS com parâme-
tros ASS ASS=lista dos ramais especificados
6.2 - SE todos os ramais pertencem a subgrupo e possuem CLS=NAO ENTÃO:
6.2.1 - Encerrar a atividade
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - MODIFICAR os dados de assinantes para os ramais, dentre os especificados per-
tencentes a subgrupo(s) e que possuem CLS=SIM, para o novo valor CLS=NAO
através do comando MDADAS com parâmetros ASS, CLS ASS=lista de ramais,
CLS=NAO
6.3.2 - Encerrar a atividade

186 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_16

AOPGC_16
x ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A ASSINANTE-RAMAL DE GRUPO
DE CLIENTE

Objetivo: Permite atribuir a um ou mais assinantes-ramais as facilidades:


- Bloqueio de Chamadas Originadas,
- Prioridade,
- Bloqueio de Chamadas Terminadas,
- Captura de Chamadas no Grupo e no Subgrupo,
- Identificação do Número Chamador,
- Registro de Chamadas para Tarifação de Assinante-Ramal,
- Registro de Chamadas Terminadas,
- demais serviços suplementares que exigem habilitação prévia do assinan-
te.

Preliminares: Assinante(s)-ramal(is) criados e, conforme a facilidade, habilitado(s);


Ordem de Serviço mandando atribuir a(s) facilidade(s) permitidas.

Restrições: Subgrupos devem ter pelo menos um ramal "capturável no subgrupo".

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S., se a facilidade a ser atribuída é Bloqueio de Chamadas Originadas
2 - SE a facilidade for Bloqueio de Chamadas Originadas ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR os dados de assinante para uma restrição de Tráfego Originado do assinante-
ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS , RTO RTO assume o valor de
restrição desejado
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S., a facilidade a ser atribuida
3.2 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Bloqueio de Chamadas Terminadas ENTÃO:
3.2.1 - MODIFICAR os dados de assinante para a Restrição de Tráfego Terminado do as-
sinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, RTT RTT as-
sume o valor de restrição desejado
3.2.2 - Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Prioridade ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR os dados de assinante para a Prioridade de Encaminhamento do as-
sinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, PEC PEC as-
sume o valor da prioridade desejada
3.3.2 - Vá para o passo 4
3.4 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Identificação do Número Chamador ENTÃO:
3.4.1 - MODIFICAR os dados de assinante para Identificação do Número Chamador do
assinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, SOR
SOR=SORBI, SORBC ou SORCM
3.4.2 - Vá para o passo 4
3.5 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Captura no Grupo ENTÃO:
3.5.1 - Verificar se a ação é sobre capturar ou ser capturável
3.5.2 - SE a ação for sobre capturar ENTÃO:

Versão S11.1 187


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_16 Trópico RA

3.5.2.1 -MODIFICAR os dados de assinante para a indicação de Captura no Grupo do as-


sinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, CAG=SIM
3.5.2.2 -Vá para o passo 4
3.5.3 - SENÃO:
3.5.3.1 -MODIFICAR os dados de assinante para a indicação de Capturável no Grupo do
assinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, CLG=SIM
3.5.3.2 -Vá para o passo 4
3.6 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Captura no Subgrupo ENTÃO:
3.6.1 - Executar atividade operacional AOPGC_14 (ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A
SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE) ATRIBUIÇÃO DE FACILIDADES A
SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE
3.6.2 - Vá para o passo 4
3.7 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Registro Detalhado de Chamadas Terminadas
ENTÃO:
3.7.1 - MODIFICAR o registro detalhado de chamadas terminadas para marcar o assinan-
te-ramal através do comando MRDTCE com parâmetros ASS, ICT=MAR
3.7.2 - Vá para o passo 4
3.8 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A Registro Detalhado de Chamadas Terminadas
ENTÃO:
3.8.1 - MODIFICAR o registro detalhado de chamadas terminadas para marcar o assinan-
te-ramal através do comando MRDTCE com parâmetros ASS, ICT=MAR
3.8.2 - Vá para o passo 4
3.9 - CASO a facilidade a ser atribuída IGUAL A um dos Serviços Suplementares que exigem
habilitação prévia e é aplicável a assinante-ramal ENTÃO:
3.9.1 - Executar atividade operacional AOPSS_00 (ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) ATRIBUIÇÃO DE SERVIçOS SUPLEMENTARES
3.9.2 - Vá para o passo 4
4 - Verificar na O.S., se existem mais facilidades a atribuir
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

188 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGC_17

AOPGC_17
x RETIRADA DE FACILIDADES DE ASSINANTE-RAMAL DE GRUPO
DE CLIENTE

Objetivo: Permite retirar de um ou mais assinantes-ramais as facilidades:


- Bloqueio de Chamadas Originadas,
- Prioridade,
- Bloqueio de Chamadas Terminadas,
- Captura de Chamadas no Grupo e Subgrupo,
- Identificação do Número Chamador,
- Registro de Chamadas para Tarifação de Assinante-Ramal,
- Registro Detalhado de Chamadas Terminadas,
- demais facilidades que exigem habilitação prévia.

Preliminares: Assinante(s)-ramal(is) com as facilidades pertinentes atribuidas;


Ordem de Serviço mandando retirar facilidades.

Restrições: Subgrupos de ramais devem ficar com pelo menos um ramal "capturável no
subgrupo".

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na O.S. se a facilidade é Bloqueio de Chamadas Originadas
2 - SE a facilidade for Bloqueio de Chamadas Originadas ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR os dados de assinante para tornar o assinante-ramal irrestrito através do co-
mando MDADAS com parâmetros ASS , RTO=0
2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na O.S., a facilidade a ser retirada
3.2 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Bloqueio de Chamadas Terminadas ENTÃO:
3.2.1 - MODIFICAR os dados de assinante para tornar o assinante-ramal irrestrito através
do comando MDADAS com parâmetros ASS, RTT=SEMRT
3.2.2 - Vá para o passo 4
3.3 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Prioridade ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR os dados do assinante-ramal para a Prioridade de Encaminhamento
mínima através do comando MDADAS com parâmetros ASS, PEC
3.3.2 - Vá para o passo 4
3.4 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Identificação do Número Chamador ENTÃO:
3.4.1 - MODIFICAR os dados do assinante para Identificação do Número Chamador atra-
vés do comando MDADAS com parâmetros ASS, SOR=NSORG
3.4.2 - Vá para o passo 4
3.5 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Captura no Grupo ENTÃO:
3.5.1 - Verificar se a ação é sobre capturar ou ser capturável
3.5.2 - SE a ação for sobre capturar ENTÃO:
3.5.2.1 -MODIFICAR os dados de assinante para a indicação de Captura no Grupo do as-
sinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, CAG
CAG=NAO
3.5.2.2 -Vá para o passo 4

Versão S11.1 189


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGC_17 Trópico RA

3.5.3 - SENÃO:
3.5.3.1 -MODIFICAR os dados de assinante para a indicação de Capturável no Grupo do
assinante-ramal através do comando MDADAS com parâmetros ASS, CLG
CLG=NAO
3.5.3.2 -Vá para o passo 4
3.6 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Captura no Subgrupo ENTÃO:
3.6.1 - Executar atividade operacional AOPGC_15 (RETIRADA DE FACILIDADES DE
SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE) RETIRADA DE FACILIDADES DE
SUBGRUPO DE GRUPO DE CLIENTE
3.6.2 - Vá para o passo 4
3.7 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Registro de Chamadas para Tarifação de Assi-
nante-Ramal ENTÃO:
3.7.1 - MODIFICAR o registro de chamadas para tarifação para desmarcar o assinante-
ramal através do comando MRTAGC com parâmetros ASS, ICT=DES
3.7.2 - Vá para o passo 4
3.8 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A Registro Detalhado de Chamadas Terminadas
ENTÃO:
3.8.1 - MODIFICAR o registro detalhado de chamadas terminadas para para desmarcar o
assinante-ramal através do comando MRDTCE com parâmetros ASS, ICT=DES
3.8.2 - Vá para o passo 4
3.9 - CASO a facilidade a ser retirada IGUAL A um dos Serviços Suplementares que exigem ha-
bilitação prévia e é aplicável a assinante-ramal ENTÃO:
3.9.1 - Executar atividade operacional AOPSS_02 (RETIRADA DE SERVIÇO SUPLE-
MENTAR) RETIRADA DE SERVIçOS SUPLEMENTARES
3.9.2 - Vá para o passo 4
4 - Verificar na O.S. se existem mais facilidades a serem retiradas
5 - SE existem mais facilidades ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 1
6 - SENÃO:
6.1 - Encerrar a atividade

190 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPGJ_00

16
x

Recurso GJ : GRUPO DE JUNTORES

AOPGJ_00 CRIAÇÃO DE GRUPO DE JUNTORES

Objetivo: Criar logicamente um grupo de juntores, associando-o a uma rota da central


no caso de grupos unidirecionais e a duas rotas para os grupos bidirecionais.

Preliminares: Ordem de serviço;


Rota já criada.

Restrições: A numeração dos grupos de juntores é dividida em faixas exclusivas, na con-


figuração dos dados da central, de acordo com a direção de tráfego em saí-
da, entrada e bidirecional.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do grupo de juntores desejado através do comando IDADGJ
2 - SE já estiver criado ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados do grupo de juntores na ordem de serviço e tomar as providências cabí-
veis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR para direção de tráfego pretendida, a faixa de numeração adequada atra-
vés do comando ISIMGJ com parâmetros EST=NC
3.2 - CASO direção de tráfego IGUAL A bidirecional ENTÃO:
3.2.1 - CRIAR o grupo de juntores nas duas rotas pretendidas (saída e entrada) na faixa
escolhida através do comando CDADGJ com parâmetros GRJ, ROE, ROS, CTR,
CLI, SRG, CEN quando for por ISUP ou TUP, fornecer também os valores de OPC
e DPC
3.2.2 - Vá para o passo 3.3.4.1
3.3 - CASO direção de tráfego IGUAL A unidirecional ENTÃO:
3.3.1 - CRIAR o grupo de juntores na rota pretendida (entrada ou saída) na faixa escolhida
através do comando CDADGJ
3.3.2 - Verificar se a rota é DDC(Discagem Direta a Cobrar)
3.3.3 - SE a rota for para DDC ENTÃO:
3.3.3.1 -Executar atividade operacional AOPJU_03 (CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE JUN-
TORES DDC)
3.3.4 - SENÃO:
3.3.4.1 -Executar atividade operacional AOPJU_00 (CRIAÇÃO DE JUNTOR) para todos
os juntores do grupo

Versão S11.1 191


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPGJ_01 Trópico RA

AOPGJ_01
x SUPRESSÃO DE GRUPO DE JUNTORES

Objetivo: Retirar um grupo de juntores da central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Juntores associados ao grupo já suprimidos.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPJU_01 (SUPRESSÃO DE JUNTOR) para todos os juntores
do grupo
2 - SUPRIMIR os dados do grupo de juntores através do comando SDADGJ

192 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPIP_00

17
x

Recurso IP : IMPRESSORA

AOPIP_00 INSTALAÇÃO DE IMPRESSORA

Objetivo: Instalar uma impressora como periférico de CHM na central.

Preliminares: Deverá estar preparado o cabo de conexão entre a placa SER e a impresso-
ra. Este cabo deverá possuir um conector macho HD-20 de 25 pinos em
cada extremidade;
Na extremidade da impressora, deve-se curto-circuitar os pinos 5,6 e 20;
As demais conexões são apresentadas a seguir:
(Pino placa SER) <--------> (Pino impressora)
2 <-------------------------------> 3
3 <-------------------------------> 2
6 <------------------------------->20
7 <-------------------------------> 7

Restrições: 1- O sistema de CHM do TRÓPICO-RA é compatível com impressoras seri-


ais RS-232-C, com conector fêmea tipo HD20 de 25 vias, buffer de impres-
são maior que 2 Kbytes, com velocidade até 9600 bps e conjunto de
caracteres ASCII;
2- As impressoras devem permitir programação on-line para avanço de pá-
gina e densidade de caracteres, caso contrário o comando MCONIP fica
sem efeito;
3- As impressoras devem ser configuráveis de modo a cumprir o esperado
pela Central, referente a:
- velocidade (taxa de transmissão/recepção, baud-rate): 9600;
- formato de comunicação: 8 bits, no parity, 1 stop bit (obrigatório);
- protocolo XON/XOFF ativo (obrigatório);
- gerador internacional de caracteres (obrigatório).

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar visualmente se a placa SER (interfaces seriais) está instalada
2 - SE a placa SER (interfaces seriais) estiver instalada ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade de manuseio AMQSER_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSIÇÃO DA
PLACA SER)
4 - Verificar a compatibilidade da impressora com a central (vide restrições)
5 - SE a impressora for compatível ENTÃO:
5.1 - Vá para o passo 7
6 - SENÃO:
6.1 - Troque a impressora por outra compatível com a central
7 - INTERROGAR se a porta serial desejada está disponível através do comando IDADPE
8 - SE estiver disponível a porta serial desejada ENTÃO:
8.1 - CRIAR logicamente a impressora através do comando CDADPE

Versão S11.1 193


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPIP_00 Trópico RA

8.2 - Conectar fisicamente o cabo de linha da impressora na porta serial da placa SER (OU SIN)
8.3 - Ajustar a configuração da impressora, na própria impressora (consulte o manual do fabri-
cante) de acordo com a configuração esperada pela central (Vide Restrições)
8.4 - INTERROGAR se os parâmetros relativos a avanço de página e densidade de caracteres
estão de acordo com o formulário contínuo escolhido através do comando IFILIP
8.5 - SE os parâmetros estiverem de acordo com o formulário contínuo escolhido ENTÃO:
8.5.1 - Vá para o passo 8.6.2
8.6 - SENÃO:
8.6.1 - MODIFICAR o dimensionamento de avanço de página (igual ao comprimento de
uma página, em polegadas) e/ou a densidade de caracteres (vide manual CHM)
através do comando MCONIP
8.6.2 - MODIFICAR a programação da porta serial com uma velocidade igual à escolhida
na configuração da impressora através do comando MDADPE
8.6.3 - MODIFICAR para a impressora, de acordo com o requerido, as especializações de
saída bem como os painéis de alarmes associados através do comando MDADPE
8.6.4 - MODIFICAR o estado operacional da impressora através do comando MESTPE
com parâmetros BLO=DBQ
8.6.5 - Ligar a impressora e posicionar a cabeça de impressão no topo de uma página, um
pouco abaixo do picote do formulário contínuo
8.6.6 - MODIFICAR a configuração da impressora, registrando o início de página na pro-
gramação interna da mesma através do comando MCONIP ou pressionando-se te-
cla(s) específica(s) da impressora (Referência de página, por ex.:), se houver. Ao
se desligar a impressora também ocorre a programação automática de referência
de página
8.6.7 - Fazer testes de impressão, através de comandos com saídas redirecionadas à im-
pressora
8.6.8 - Verificar se as impressões estão bem posicionadas e legíveis
8.6.9 - SE as impressões estiverem bem posicionadas e legíveis ENTÃO:
8.6.9.1 -Encerrar a atividade
8.6.10 -SENÃO:
8.6.10.1 -Realizar auto-teste da impressora (de acordo com o manual do fabricante)
8.6.10.2 -Verificar o resultado do auto-teste
8.6.10.3 -SE o auto-teste deu ok ENTÃO:
8.6.10.3.1 -Verificar cabos, conexões e as configurações estabelecidas na impressora e
na porta serial
8.6.10.3.2 -SE houver erro ENTÃO:
8.6.10.3.2.1 -MODIFICAR o estado operacional da impressora através do comando MES-
TPE com parâmetros BLO=BLQ
8.6.10.3.2.2 -Vá para o passo 8.2
8.6.10.3.3 -SENÃO:
8.6.10.3.3.1 -Anotar o problema e solicitar manutenção
8.6.10.4 -SENÃO:
8.6.10.4.1 -MODIFICAR o estado operacional da impressora através do comando MES-
TPE com parâmetros BLO=BLQ
8.6.10.4.2 -Trocar a impressora por outra compatível com a central (vide restrições)
8.6.10.4.3 -Vá para o passo 8.2

194 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPIP_00

9 - SENÃO:
9.1 - Escolher outra porta
9.2 - Vá para o passo 8.1

Versão S11.1 195


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPIP_01 Trópico RA

AOPIP_01
x RETIRADA DE IMPRESSORA

Objetivo: Retirar uma impressora da função de periférico CHM na central.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional da impressora através do comando MESTPE com parâme-
tros BLO=BLQ
2 - INTERROGAR se existem arquivos na fila de impressão da impressora bloqueada através do
comando IFILIP
3 - SE houver arquivos ENTÃO:
3.1 - ATIVAR a transferência dos arquivos da fila de impressão para outra impressora através
do comando ATAFIP
3.2 - Vá para o passo 4.1
4 - SENÃO:
4.1 - SUPRIMIR os dados da impressora através do comando SDADPE
4.2 - Desligar a impressora
4.3 - Desconectar os cabos
4.4 - Encerrar a atividade

196 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPIP_02

AOPIP_02
x TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS DA FILA DE IMPRESSÃO

Objetivo: Transferir um arquivo de uma fila de impressora para a fila de outra impres-
sora do sistema.

Preliminares: A impressora destino deve estar criada.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se devem ser transferidos todos os arquivos
2 - SE devem ser transferidos todos os arquivos ENTÃO:
2.1 - ATIVAR a transferência de todos os arquivos da impressora origem para a impressora des-
tino através do comando ATAFIP
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a fila de impressão, para obter o(s) número(s) guia do(s) arquivo(s) a
ser(em) transferido(s) através do comando IFILIP
3.2 - ATIVAR a transferência do(s) arquivo(s) da impressora origem para a impressora destino,
identificando o(s) arquivo(s) pelo seu número guia através do comando ATAFIP
3.3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 197


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPIP_03 Trópico RA

AOPIP_03
x MODIFICAÇÃO DE PRIORIDADE DE ARQUIVO NA FILA DE
IMPRESSÃO

Objetivo: Alterar a posição de um arquivo na fila de impressão, colocando-o como pró-


ximo arquivo a ser impresso.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o número guia do arquivo através do comando IFILIP
2 - MODIFICAR a prioridade do arquivo através do comando MPRIIP
3 - Encerrar a atividade

198 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPIP_04

AOPIP_04
x SUPRESSÃO DE ARQUIVO DA FILA DE IMPRESSÃO

Objetivo: Suprimir um arquivo da fila de uma impressora.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o número guia do arquivo e a impressora em cuja fila o arquivo se encontra atra-
vés do comando IFILIP
2 - SUPRIMIR o arquivo da fila através do comando SARQIP
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 199


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPJU_00 Trópico RA

18
x

Recurso JU : JUNTOR

AOPJU_00 CRIAÇÃO DE JUNTOR

Objetivo: Instalar um juntor em um grupo de juntores associado a uma rota da central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Grupo de juntores já criado.

Restrições: É recomendado configurar os juntores de uma mesma placa TDT com CIC
consecutivos, exceto quando tiver um canal reservado para enlace de sina-
lização, que terá o seu CIC correspondente não utilizado na relação de jun-
tores. Na criação de uma lista de juntores, o equipamento tem o cuidado de
não utilizar o CIC correspondente ao canal reservado para enlace de sinali-
zação; desta forma, essa recomendação continua válida.
Esse tipo de configuração leva a uma maior utilização de mensagens de ge-
rência de grupo e não individuais, logo ecomonizando processamento e
mensagens trocadas entre as duas centrais.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe(m) juntor(es) disponível(eis) no estado operacional não criado em pla-
cas criadas através do comando ISIMJU
2 - SE existir(em) juntor(es) disponível(eis) no estado operacional não criado em placa criada EN-
TÃO:
2.1 - CRIAR logicamente o(s) juntor(es) através do comando CDADJU
2.2 - MODIFICAR o estado operacional do(s) juntor(es) para EM SERVIç0 (ES) através do co-
mando MESTJU com parâmetros JUN, BLO=DBQ
2.3 - Executar atividade operacional AOPCE_09 (CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA) envolven-
do o(s) juntor(es) criado(s)
2.4 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPPR_05 (INSTALAÇÃO DE PLACA DE TERMINAIS)
criando nova placa de juntores
3.2 - Vá para o passo 2.1

200 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPJU_01

AOPJU_01
x SUPRESSÃO DE JUNTOR

Objetivo: Retirar um juntor da central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPJU_02 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE
JUNTOR) para os juntores a serem suprimidos
2 - SUPRIMIR o(s) juntor(es) através do comando SDADJU
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 201


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPJU_02 Trópico RA

AOPJU_02
x SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO DE JUNTOR

Objetivo: Verificar a quantidade de juntores em conversação dentro de um conjunto de


juntores bloqueados pelo operador.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do(s) juntor(es) através do comando MESTJU com parâme-
tros BLO=BLQ
2 - ATIVAR a supervisão para este(s) juntor(es) através do comando ASEOJU
3 - Aguardar a mensagem PRONTO PARA REPARO
4 - Encerrar a atividade

202 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPJU_03

AOPJU_03
x CRIAÇÃO DE CONJUNTO DE JUNTORES DDC

Objetivo: Instalar o conjunto de três juntores para interligação com a máquina anunci-
adora para envio das mensagens para serviço DDC (Discagem Direta a Co-
brar).

Preliminares: Ordem de Serviço;


Grupo de Juntores já criado;
Máquina Anunciadora interligada fisicamente aos juntores e devidamente
programada;
Os comandos CDADJU, SDADJU e MESTJU quando usados para DDC de-
vem utilizar o parâmetro TJU.

Restrições: 1 - Só é possível criar uma rota DDC na Central, a qual possui somente um
grupo de juntores ao qual podem ser associados vários conjuntos de 3 jun-
tores DDC.
2 - A ordem das mensagens é C, A e B, sendo associada ao número de equi-
pamento pela ordem de criação dos mesmos e seguida pelo SW de proces-
samento de chamadas.

Terminologia: Mensagem A - Enviada para o assinante chamador.


Mensagem B - Enviada para o assinante chamado.
Mensagem C - Enviada para os assinantes chamador e chamado simultane-
amente.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existem juntores disponíveis no estado operacional não criado em placas cri-
adas através do comando ISIMJU
2 - SE existirem juntores disponíveis no estado operacional não criado em placas criadas ENTÃO:
2.1 - CRIAR cada um dos conjuntos de juntores DDC, lembrando que a ordem das mensagens
C, A e B está associada à ordem de criação dos juntores através do comando CDADJU
com parâmetros GRJ, JUN, NOS, TJU=DDC
2.2 - MODIFICAR o estado operacional dos conjuntos de juntores DDC através do comando
MESTJU com parâmetros JUN, TJU=DDC, BLO=DBQ
2.3 - Executar atividade operacional AOPCE_09 (CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA) envolven-
do os juntores criados
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPPR_05 (INSTALAÇÃO DE PLACA DE TERMINAIS)
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 203


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMC_00 Trópico RA

19
x

Recurso MC : MEDIDAS DE CANAL COMUM

AOPMC_00 ATIVAÇÃO DE SUPERVISÃO DE MEDIDA OPCIONAL

Objetivo: Ativar a supervisão da contagem de MSU transmitidas, recebidas ou mani-


puladas com qualquer combinação de OPC, DPC e SIO.

Preliminares: N.A.

Restrições: No máximo podem ser ativadas 100 medidas opcionais.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR a supervisão de medida opcional através do comando ASUPMC
2 - SE O número máximo de medidas opcionais foi atingido ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR se existe alguma medida já terminada e relatada que possa ser suprimida
através do comando ISIMMC com parâmetros REC=TUD,CON=TREL
2.2 - SE existe medida já terminada e relatada ENTÃO:
2.2.1 - SUPRIMIR a medida opcional já relatada através do comando SDADMC com pa-
râmetros IMO
2.2.2 - ATIVAR a supervisão de medida opcional através do comando ASUPMC
2.2.3 - Vá para o passo 3.1
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - INTERROGAR se existe alguma medida já terminada e não relatada através do co-
mando ISIMMC com parâmetros REC=TUD,CON=TNRE
2.3.2 - SE existe medida a ser relatada ENTÃO:
2.3.2.1 -INTERROGAR os dados da medida opcional terminada e não relatada através do
comando IDADMC com parâmetros IMO,PAS
2.3.2.2 -SUPRIMIR a medida opcional já relatada através do comando SDADMC com pa-
râmetros IMO
2.3.2.3 -ATIVAR a supervisão da medida opcional através do comando ASUPMC
2.3.2.4 -Vá para o passo 3.1
2.3.3 - SENÃO:
2.3.3.1 -Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se existe alguma medida já terminada e relatada que possa ser suprimida
através do comando ISIMMC com parâmetros REC=TUD,CON=TREL
3.2 - CASO exista alguma medida opcional IGUAL A possivel de ser suprimida ENTÃO:
3.2.1 - SUPRIMIR a medida opcional que possa ser suprimida através do comando SDA-
DMC com parâmetros IMO
3.2.2 - Encerrar a atividade

204 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMC_01

AOPMC_01
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE PONTO DE SINALIZA-
ÇÃO

Objetivo: Obter os dados de medidas de relatório opcional do ponto de sinalização.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a medida opcional está terminada através do comando ISIMMC com parâ-
metros REC=TPS,CON o parâmetro CON deve assumir sucessivamente os valores TNRE e
ATVA
2 - SE se a medida opcional não está terminada e se quer obter os dados ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR o resultado da medida opcional através do comando IDADMC com parâ-
metros IMO,PAS para imprimir utilizar parâmetro IMS
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR a medida opcional terminada através do comando IDADMC com parâme-
tros IMO,PAS
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 205


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMC_02 Trópico RA

AOPMC_02
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE ENLACES DE SINALI-
ZAÇÃO

Objetivo: Obter os dados de medição de relatórios permanentes ou opcionais dos en-


laces de sinalização.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - verificar se os dados de medidas a serem obtidas são permanentes ou opcionais
2 - SE os dados de medição a serem obtidos são permanentes ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os dados de medição de enlace de sinalização através do comando IDEL-
MC
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se a medida opcional está terminada através do comando ISIMMC com pa-
râmetros REC=ENL,CON o parâmetro CON deve assumir sucessivamente os valores
TNRE e ATVA
3.2 - SE a medida opcional não está terminada e se quer obter os dados ENTÃO:
3.2.1 - INTERROGAR o resultado da medida opcional através do comando IDADMC com
parâmetros IMO,PAS o resultado sera parcial
3.2.2 - Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - INTERROGAR a medida opcional terminada através do comando IDADMC com
parâmetros IMO,PAS

206 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMC_03

AOPMC_03
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE CONJUNTO DE ENLA-
CES DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Obter os dados de medição dos relatórios permanente ou opcional do con-


junto de enlaces de sinalização.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se os dados de medidas a serem obtidas são permanentes ou opcional
2 - SE os dados de medição a serem obtidos são permanentes ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os dados de medição de conjunto de enlace de medição através do coman-
do IDCJMC
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se a medida opcional está terminada ou ativa através do comando ISIMMC
com parâmetros REC=ICJ,CON o parâmetro CON deve assumir sucessivamente os valo-
res TNRE e ATVA
3.2 - SE a medida opcional não está terminada e se quer obter os dados ENTÃO:
3.2.1 - INTERROGAR o resultado da medida opcional através do comando IDADMC com
parâmetros IMO,PAS com resultado parcial
3.2.2 - Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - INTERROGAR a medida opcional terminada através do comando IDADMC com
parâmetros IMO,PAS
3.3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 207


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMC_04 Trópico RA

AOPMC_04
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO SOBRE DESTINOS DE
SINALIZAÇÃO

Objetivo: Obter dados registrados sobre a duração de indisponibilidade de acesso a


um dado destino ou numa lista de destinos.

Preliminares: N.A.

Restrições: Somente serão mostradas as 250 últimas ocorrencias.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados registrados sobre a duração de indisponibilidade de acesso para um
destino através do comando IDINMC com parâmetros DPC
2 - CASO se queira obter os dados registrados IGUAL A n últimas
ocorrências de falhas ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os n últimos dados de indisponibilidade através do comando IDINMC com
parâmetros NOD
2.2 - Encerrar a atividade

208 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMM_00

20
x

Recurso MM : MEMÓRIA DE MASSA

AOPMM_00 ATIVAÇÃO DE CÓPIA DE ARQUIVO DE/PARA DISCO FLEXÍVEL

Objetivo: Copiar os dados de um arquivo origem para um arquivo destino, podendo


ambos estar no padrão SOP ou um dos arquivos no padrão DOS.

Preliminares: A unidade de disco flexível deve estar em serviço.

Restrições: Se os arquivos estiverem ambos no padrão SOP, então os nomes dos arqui-
vos origem e destino devem ser tão completos quanto seja necessário, caso
os arquivos estejam em diretórios, unidades de memória de massa.
Se um dos arquivos estiver no padrão DOS, só é necessário especificar no
comando ACOAMM o nome do arquivo DOS (cujo nome é usado para ori-
gem e destino) e o padrao do arquivo de origem. Arquivos DOS sempre es-
tarão no diretório raiz da unidade DOS e arquivos SOP, neste caso, estão no
diretório corrente, não sendo possível especificar um nome completo de ar-
quivo.

Terminologia: Mídia meio físico utilizado para gravação e transporte de dados, podendo ser
portátil (fita cartucho, disquete) ou fixa (disco rígido).

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a mídia de memória de massa da unidade de disco flexível está com o acesso
ativado através do comando IDADMM
2 - SE a mídia de disco flexível estiver com o acesso ativado ENTÃO:
2.1 - SE o disco flexível estiver no padrão DOS ENTÃO:
2.1.1 - ATIVAR a cópia de arquivos através do comando ACOAMM com parâmetros ARD
, POR
2.1.2 - Vá para o passo 4
2.2 - SENÃO:
2.2.1 - ATIVAR a cópia de arquivos através do comando ACOAMM com parâmetros AQO
, AQD
2.2.2 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - ATIVAR o acesso ao disco flexível através do comando AACEMM com parâmetros ULG,
PAD=DOS
3.2 - Vá para o passo 2.1
4 - DESATIVAR o acesso ao disco flexível através do comando DACEMM
5 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 209


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMM_03 Trópico RA

AOPMM_03
x RESTAURAÇÃO TOTAL DOS DISCOS RÍGIDOS DO OM A PARTIR
DE FITA MAGNÉTICA

Objetivo: Esta atividade objetiva a restauração das unidades de disco rígido da cen-
tral, através da recarga completa de dados e programas, a partir de fita mag-
nética (rolo ou cartucho SCSI) mantida como cópia de segurança ("backup"),
em caso de perda total das duas unidades.

Preliminares: As duas unidades de disco rígido do processador de OM devem estar insta-


ladas e formatadas (inclusive com sistema de arquivos criado).
O operador deve ter a sua disposição um disco flexível com o "boot" do sis-
tema e com o programa BKP e a mais recente fita magnética (rolo ou cartu-
cho SCSI) de "backup" da central (gravada segundo a atividade AMPMM_00
- Cópia de Segurança em Fita Magnética).

Restrições: Esta atividade deve ser realizada por operador familiarizado com a lingua-
gem LCPP.
Na digitação de comandos LCPP, letras minúsculas, letras maiúsculas e de-
mais caracteres devem ser observados e preservados, bem como devem
ser mantidos os espaços entre parâmetros.

Terminologia: - Alguns comandos nesta atividade não são comandos CHM, e seguem a
sintaxe "nome_do_comando parâmetros <cr>", onde <cr> indica que a tecla
"RETURN" ou "ENTER", dependendo do terminal utilizado, deve ser pressi-
onada.
- Ao ser (re)iniciado o processador de OM, no terminal de LCPP, o sistema
fará uma pergunta ao operador, como segue:
1)Carregar apenas LCPP
Significa que o processo de iniciação somente será executado até colocar o
sistema operacional disponível, permitindo que somente o terminal LCPP
possa ser utilizado com comandos SOP.
2)Carregar OM mínimo
Significa que além do sistema operacional serão também carregados os BI’s
considerados essenciais à central. Os demais BI’s que compõe o OM serão
falsamente carregados, não permitindo que nenhum comando a eles perten-
centes possa ser executado. Esta configuração de software permite uma rá-
pida reiniciação do OM quando a central se encontrar em situação
emergencial; nesta configuração mínima somente os comandos de interro-
gação dos BI’s essenciais podem ser executados. Para carregar o OM com-
pletamente, torná-se necessário reiniciar novamente o processador.
3)Carregar OM normalmente
Significa que o processo de carga do OM se dará normalmente, onde serão
carregados todos os BI’s que compõe o OM.
Após ser apresentada a pergunta, o sistema aguarda 5 segundos por algu-
ma resposta; findo este prazo o OM se iniciará normalmente (opção 3).
- SCSI - Interface para dispositivos periféricos de alta capacidade e alta ve-
locidade (Small Computer System Interface).
- LCPP - Linguagem de Comandos do Sistema Operacional dos processa-
dores do TRÓPICO RA.

Procedimento:
1 - Instalar o disco flexível de boot no acionador de disco da central

210 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMM_03

2 - Ativar o fechamento do OM da central através da execução do comando shut no terminal LCPP


com o seguinte formato: . lcpp> shut <cr> .
3 - Ativar a montagem do disco rígido do OM da central para o qual será realizada a restauração a
partir de fita magnética (rolo ou cartucho SCSI) através da execução comando mount no termi-
nal LCPP com o seguinte formato: . lcpp> mount ddxx <cr> . onde xx assume o valor hexadeci-
mal definido para esta unidade (varia de 00 a FF).
4 - Mudar o diretório do LCPP, do corrente para o diretório de destino da restauração através da
execução do comando cd no terminal LCPP com o seguinte formato: . lcpp> cd ddxx:/ <cr> .
onde xx assume o valor hexadecimal definido para esta unidade (varia de 00 a FF)
5 - Instalar a fita magnética (rolo ou cartucho) de backup no acionador de fita magnética do OM da
central Escolher a fita resultante da cópia de segurança do disco da central com data mais re-
cente (último backup realizado).
6 - Ativar o programa de restauração do disco rígido do OM da central através da execução do co-
mando bkp no terminal LCPP com o seguinte formato: . lcpp> bkp xevfb /dev/fyxx 63 * <cr> .
onde y assume o valor r para fita rolo (fr) ou o valor c para fita cartucho (fc), e xx assume o valor
hexadecimal definido para esta unidade (varia e 00 a FF). O sistema fornece ajuda digitando-se
somente bkp
7 - Durante o processamento, o programa apresenta no terminal LCPP os nomes dos arquivos con-
forme forem sendo restaurados para o disco rígido ou mensagens de erro (se houver). Observar
as mensagens no terminal LCPP.
8 - CASO mensagem IGUAL A mensagem de erro ENTÃO:
8.1 - Avaliar a necessidade de interromper a execução da restauração do disco rígido do OM da
central
8.2 - SE for necessário interromper a execução da restauração ENTÃO:
8.2.1 - Pressionar a tecla ESC
8.2.2 - Verificar se a restauração deve ser reiniciada com a mesma fita magnética ou com
outra (cópia da última ou outra mais antiga
8.2.3 - SE a restauração deve ser reiniciada utilizando a mesma fita fita magnética EN-
TÃO:
8.2.3.1 -Vá para o passo 6
8.2.4 - SENÃO:
8.2.4.1 -Retirar a fita magnética do acionador de fita do OM da central
8.2.4.2 -Instalar a fita magnética (rolo ou cartucho) de backup no acionador de fita magné-
tica do OM da central Deve ser avaliada a tentativa de uma nova restauração utili-
zando uma cópia da última fita de backup (se houver), ou a fita de backup anterior
a esta.
8.2.4.3 -Vá para o passo 6
8.3 - SENÃO:
8.3.1 - Pressionar a tecla RETURN
8.3.2 - Vá para o passo 7
9 - CASO mensagem IGUAL A prompt (lcpp>) ENTÃO:
9.1 - Retirar a fita magnética do acionador de fita do OM
9.2 - Desativar a operação no terminal LCPP através da execução do comando shut no terminal
LCPP com o seguinte formato: . lcpp> shut <cr> .
9.3 - Retirar o disco flexível do acionador o disco flexível deve ser só e imediatamente retirado
após o término da execução da ação descrita em 9.2 (desativação do terminal LCPP)
9.4 - Aguardar o boot pelo disco da central e reiniciar o OM pela configuração completa (opção
3)

Versão S11.1 211


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMM_03 Trópico RA

9.5 - MODIFICAR o estado da unidade de disco rígido não restaurada para em serviço (ES)
através do comando MESTMM com parâmetros ULG, BLO=DBQ, UFS para forçar a atu-
alização da unidade de disco rígido não restaurada.
9.6 - Avaliar a necessidade de reiniciar toda a central Deve-se avaliar levando em conta que o
conteúdo da fita de backup utilizada não contém as modificações efetuadas na central des-
de a geração da última cópia de segurança (backup), o que vem a provocar inconsistências
entre os dados que estão na memória de massa e os dados que estão presentes nos con-
troladores e gerenciadores. Observar também o horário presente em relação ao tráfego es-
perado.
9.7 - SE for necessário reiniciar toda a central ENTÃO:
9.7.1 - ATIVAR a atualização de estado operacional dos processadores da central através
do comando AAEOPR com parâmetros BLO=BLQ todos os processadores da cen-
tral serão colocados no estado bloqueado pelo operador (BO)
9.7.2 - Aguardar até que todos os processadores sejam bloqueados
9.7.3 - ATIVAR a atualização de estado operacional dos processadores da central através
do comando AAEOPR com parâmetros BLO=DBQ todos os processadores da
central serão colocados no estado em serviço (ES)
9.7.4 - Vá para o passo 9.8.1
9.8 - SENÃO:
9.8.1 - Atualizar o estado da central de acordo com as modificações efetuadas (criação,
supressão e modificação de órgãos) após a geração da fita de backup utilizada na
restauração da central Esta atualização permite que a central novamente volte a
possuir dados iguais aos de antes da restauração dos discos rígidos
9.8.2 - Encerrar a atividade

212 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMM_05

AOPMM_05
x TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVO ASCII PARA A ET-OMS SERIAL

Objetivo: Transferir um arquivo armazenado na Memória de Massa da Central para a


ET-OMS SERIAL (Estação de Trabalho de Operação, Manutenção e Super-
visão) via porta serial.

Preliminares: O terminal de CHM ao qual está associada a ET-OMS não deve possuir
qualquer especialização de saída.

Restrições: O arquivo a ser transferido deve ser tipo ASCII (não pode conter caracteres
nulos).

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a especialização de saída (EPS) do terminal associado à ET-OMS através do
comando IDADPE com parâmetros DAD=CLAS,PER
2 - SE exisir especialização de saída (EPS) associada ao terminal ENTÃO:
2.1 - retirar as especializações do terminal Para retirar as especializações do terminal, este
deve estar livre.
2.2 - Vá para o passo 3.1 Após retirar do terminal todas especializações de saída
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR dados do arquivo, ativando sua transferência para a ET-OMS através do
comando IDARMM com parâmetros ARQ,QLF=CHK Durante o processo de transferência,
a ET-OMS coloca pontos no terminal de vídeo para indicar o sucesso de cada etapa.
3.2 - SE a tranferência do arquivo foi realizada com sucesso ENTÃO:
3.2.1 - indicar se o arquivo transferido deve ser salvo
3.2.2 - SE a opção foi salvar o arquivo ENTÃO:
3.2.2.1 -indicar o nome e a extensão do arquivo e o caminho a ser utilizado para guardar
o arquivo
3.2.2.2 -Encerrar a atividade
3.2.3 - SENÃO:
3.2.3.1 -Encerrar a atividade
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Analisar a causa do insucesso e corrigir
3.3.2 - Vá para o passo 3.1 Reiniciar novamente o processo de transferência.

Versão S11.1 213


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPMS_00 Trópico RA

21
x

Recurso MS : MEDIÇÃO E SUPERVISÃO

AOPMS_00 MODIFICAÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO E SUPERVISÃO DE PAB

Objetivo: Modificação dos parâmetros de supervisão de PAB.

Preliminares: Esta atividade operacional permite modificar os parâmetros TPA, NMI, NPE
e LTX para valores que incriminem o assinante como ofensor de PAB.

Restrições: N.A.

Terminologia: LTX - Limite para supervisão de taxa de PAB, limite acima do qual o assinan-
te é incriminado como possível ofensor de PAB.
NMI - Número mínimo de chamadas no intervalo de supervisão de 20 minu-
tos acima da qual o algorítimo começa a detectar possíveis ofensores de
PAB.
NPE - Indica a quantidade de períodos (20 minutos) sucessivos a partir do
qual um assinante é incriminado como ofensor de PAB.
TPA - Limiar de taxa de PAB para o assinante marcado para medição de
PAB para gerar um alarme para o operador.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores dos parâmetros de supervisão através do comando IPABMS
2 - MODIFICAR o valor do parâmetro de supervisão através do comando MPABMS
3 - SE for necessario mudar mais que um parâmetro ENTÃO:
3.1 - Vá para o passo 2
4 - SENÃO:
4.1 - Encerrar a atividade

214 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPMS_01

AOPMS_01
x INTERROGAÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO E SUPERVISÃO DE
PAB

Objetivo: Obter os assinantes ofensores de PAB.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de assinantes ofensores de PAB é contínua podendo
ser marcado um assinante para medição de PAB ou sem a marcação caso
o assinante seja incriminado como ofensor pela supersivão de PAB em toda
a central.

Restrições: Deve-se realizar a atividade AOPMS-00 para poder obter os dados de PAB.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os assinantes marcados para mediçao de PAB através do comando IPABMS
com parâmetros REL=MPAB,TIP=IDENT
2 - SE o assinante estiver marcado para mediçao de PAB ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os valores medidos para este assinante através do comando IPABMS com
parâmetros REL=MPAB,ASS
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se o assinante é ofensor de PAB através da supervisão de PAB através do
comando IPABMS com parâmetros REL=SPAB,TIP=DADOS
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 215


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_00 Trópico RA

22
x

Recurso PE : PERIFÉRICO DE CHM

AOPPE_00 INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO DE CHM DE ENTRADA E SAIDA

Objetivo: Instalar terminais de vídeo, teleimpressoras e enlaces síncronos para ope-


ração da central.

Preliminares: Consultar as atividades de manuseio "Terminal de Vídeo" e "Impressora".


Para instalação de periférico síncrono, o respectivo MODEM deve ter sido
testado e ajustado.

Restrições: O Sistema de CHM do TRÓPICO RA é compatível com os seguintes perifé-


ricos de entrada e saída:
- terminal de vídeo assíncrono, RS232, VT100, até 9600 bps, com AUTO
WRAPPING ativo
Os valores dos parâmetros de configuração dos periféricos esperados pela
Central são:
- taxa de transmissão/recepção: 9600 bps para modo assíncrono;
- comunicação: 8 bits. No parity, 1 STOP bit (obrigatório);
- protocolo XON/XOFF ativo (obrigatório);
- As portas 0, 1, 2 e 3 das placas SER são reservadas para periféricos sín-
cronos e assíncronos (portas configuráveis), enquanto que as portas 4, 5, 6
e 7 somente aceitam periféricos assíncronos. O PER=0 deve ser conectado
à porta 07 ("SER07") do módulo de OM.
Teleimpressoras devem ser criadas como terminal de vídeo não formatado,
podendo ser conectada neste periférico um terminal de vídeo qualquer ou
uma teleimpressora.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar visualmente se a placa SER (interfaces seriais) está instalada no bastidor relativo ao
MÓDULO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO (MO)
2 - SE a placa SER está instalada no bastidor relativo ao MÓDULO DE OPERAÇÃO E MANUTEN-
ÇÃO MO ENTÃO:
2.1 - Verificar se o periférico e compatível com o sistema de CHM do TRÓPICO RA(vide RES-
TRIÇÕES)
2.2 - SE o periférico for compatível ENTÃO:
2.2.1 - INTERROGAR se a porta serial e o número do periférico desejados estão disponí-
veis através do comando IDADPE com parâmetros PER, DAD=CONF
2.2.2 - SE a porta serial desejada está disponível ENTÃO:
2.2.2.1 -CRIAR logicamente o periférico de E/S(terminal de vídeo ou unidade externa)
através do comando CDADPE
2.2.2.2 -Vá para o passo 2.2.4
2.2.3 - SENÃO:
2.2.3.1 -Escolher outra porta serial
2.2.3.2 -Vá para o passo 2.2.2.1
2.2.4 - Verificar se o periférico é terminal de vídeo
2.2.5 - SE o periférico for terminal de vídeo ENTÃO:

216 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_00

2.2.5.1 -Conectar fisicamente o cabo de linha do terminal na porta serial da placa SER
2.2.5.2 -Ajustar a configuração do terminal, no próprio terminal (Consulte o manual do fa-
bricante) de acordo com a configuração esperada pela central (vide RESTRI-
ÇÕES)
2.2.5.3 -MODIFICAR o formato do terminal (formatado ou não formatado) através do co-
mando MDADPE com parâmetros PER,FOR
2.2.5.4 -MODIFICAR a direcionalidade do terminal através do comando MDADPE com pa-
râmetros PER,DIP
2.2.5.5 -MODIFICAR as especializações de saída através do comando MDADPE com pa-
râmetros PER,EPS
2.2.5.6 -MODIFICAR os painéis de alarmes associados ao terminal através do comando
MDADPE com parâmetros PER,PAL
2.2.5.7 -Verificar a direcionalidade do terminal
2.2.5.8 -SE é de entrada e saída ENTÃO:
2.2.5.8.1 -MODIFICAR as especializações de entrada através do comando MDADPE com
parâmetros PER,EPE
2.2.5.8.2 -Vá para o passo 2.2.5.9.1
2.2.5.9 -SENÃO:
2.2.5.9.1 -Ligar o terminal de vídeo
2.2.5.9.2 -MODIFICAR o estado operacional do terminal através do comando MESTPE
com parâmetros PER ,BLO=DBQ
2.2.5.9.3 -Verificar se o terminal apresentou a tela correspondente a terminal livre de forma
correta (são telas diferentes para terminal formatado e não formatado)
2.2.5.9.4 -SE apresentou tela TERMINAL LIVRE corretamente ENTÃO:
2.2.5.9.4.1 -Encerrar a atividade
2.2.5.9.5 -SENÃO:
2.2.5.9.5.1 -Verificar cabos, conexões e as configurações estabelecidas no terminal e na
porta serial
2.2.5.9.5.2 -SE houve erro ENTÃO:
2.2.5.9.5.2.1 -MODIFICAR o estado operacional do terminal através do comando MESTPE
com parâmetros PER, BLO=BLQ
2.2.5.9.5.2.2 -Vá para o passo 2.2.4
2.2.5.9.5.3 -SENÃO:
2.2.5.9.5.3.1 -Anotar o problema e solicitar manutenção
2.2.5.9.5.3.2 -Encerrar a atividade
2.2.6 - SENÃO:
2.2.6.1 -Verificar se a velocidade (taxa de trasmissão / recepção) deve ser diferente do va-
lor esperado pela central na criação do periférico do tipo unidade externa
2.2.6.2 -SE deve ser diferente ENTÃO:
2.2.6.2.1 -Executar atividade operacional AOPPE_03 (ALTERAÇÃO DE VELOCIDADE
DE PERIFÉRICOS SÍNCRONOS)
2.2.6.2.2 -Vá para o passo 2.2.7
2.2.6.3 -SENÃO:
2.2.6.3.1 -Vá para o passo 2.2.9.1
2.2.7 - Verificar se ocorreu problema com alteração de velocidade

Versão S11.1 217


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_00 Trópico RA

2.2.8 - SE ocorreu problema ENTÃO:


2.2.8.1 -SUPRIMIR o periférico recém criado através do comando SDADPE
2.2.8.2 -Encerrar a atividade
2.2.9 - SENÃO:
2.2.9.1 -MODIFICAR as especializações de entrada através do comando MDADPE com
parâmetros PER,EPE
2.2.9.2 -MODIFICAR as especializações de saída através do comando MDADPE com pa-
râmetros PER,EPS
2.2.9.3 -MODIFICAR os painéis de alarmes associados ao terminal através do comando
MDADPE com parâmetros PER,PAL
2.2.9.4 -Conectar fisicamente o cabo do lado digital do MODEM local à porta serial da pla-
ca SER (posição do periférico recém criado
2.2.9.5 -Conectar fisicamente o cabo da linha analógica ao MODEM local
2.2.9.6 -Ligar o MODEM local
2.2.9.7 -MODIFICAR o estado do periférico recém criado através do comando MESTPE
com parâmetros PER, BLO=DBQ
2.2.9.8 -INTERROGAR se o periférico recém criado está em serviço através do comando
IDADPE
2.2.9.9 -SE está em serviço ENTÃO:
2.2.9.9.1 -Vá para o passo 2.2.9.11
2.2.9.10 -SENÃO:
2.2.9.9.10.1 -Executar atividade operacional AOPPE_04 (DIAGNÓSTICO DE PERIFÉRI-
CO SÍNCRONO) para o periférico recém criado
2.2.9.11 -Verificar se houve alteração de velocidade dos periféricos síncronos da placa
SER do periférico recém criado
2.2.9.12 -SE há alteração de velocidade ENTÃO:
2.2.9.12.1 -MODIFICAR o estado de bloqueio de todos os demais periféricos síncronos da
placa SER através do comando MESTPE com parâmetros PER, BLO=DBQ
2.2.9.13 -SENÃO:
2.2.9.13.1 -Avisar o operador remoto
2.2.9.13.2 -Encerrar a atividade
2.2.9.14 -INTERROGAR se algum periférico está no estado bloqueado por falha através
do comando ISIMPE com parâmetros EST=BF
2.2.9.15 -SE há periférico bloqueado por falha ENTÃO:
2.2.9.15.1 -Executar atividade operacional AOPPE_04 (DIAGNÓSTICO DE PERIFÉRICO
SÍNCRONO) para cada periférico bloqueado por falha
2.2.9.15.2 -Vá para o passo 2.2.9.13.1
2.2.9.16 -SENÃO:
2.2.9.16.1 -Vá para o passo 2.2.9.13.1
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Providenciar outro periférico
2.3.2 - Vá para o passo 2.2.1
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade de manuseio AMQSER_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSIÇÃO DA
PLACA SER)

218 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_00

3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 219


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_01 Trópico RA

AOPPE_01
x EXCLUSÃO DE PERIFÉRICO DE CHM DE ENTRADA E SAIDA

Objetivo: Suprimir logicamente um terminal de vídeo, teleimpressora, impressora ou


enlace síncrono da central desassociando-o da interface serial física
(placa SER).

Preliminares: Para realização desta atividade o periférico a ser excluído deve estar "livre"
(ou seja, o periférico não poderá estar sendo utilizado) e os comandos indi-
cados no procedimento devem ser executados em um outro periférico.
O periférico a ser suprimido não poderá estar com a saída de dados "conge-
lada" ("hold" ou CONTROL-S). Caso o periférico esteja neste estado, deve-
se primeiro liberar a saída de todos os dados antes de executar o procedi-
mento de exclusão do mesmo.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do periférico através do comando MESTPE com parâmetros
BLO=BLQ
2 - INTERROGAR as especializações do periférico através do comando IDADPE
3 - INTERROGAR se existe algum outro periférico do mesmo tipo com as mesmas especializações
através do comando ISIMPE
4 - SE existe algum outro periférico do mesmo tipo com as mesmas especializações ENTÃO:
4.1 - Desligar o periférico (ou MODEM, se periférico síncrono)
4.2 - SUPRIMIR o periférico logicamente através do comando SDADPE
4.3 - Desfazer as conexões físicas
5 - SENÃO:
5.1 - MODIFICAR as especializações de outro periférico do mesmo tipo através do comando
MDADPE copiando as especializações do periférico a ser excluído
5.2 - Vá para o passo 4.1

220 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_02

AOPPE_02
x ALTERAÇÃO DE DADOS DE PERIFÉRICOS CHM

Objetivo: Modificar dados de um terminal de vídeo, teleimpressora, impressora ou en-


lace
síncrono da central.

Preliminares: O periférico cujos dados serão alterados deve estar livre (ou seja, o periféri-
co não poderá estar sendo utilizado) e os comandos devem ser executados
em outro periférico.

Restrições: Não aplicável para alteração de velocidade de periférico síncrono.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do periférico através do comando MESTPE com parâmetros
BLO=BLQ
2 - MODIFICAR os dados do periférico através do comando MDADPE
3 - MODIFICAR o estado operacional do periférico através do comando MESTPE com parâmetros
BLO=DBQ

Versão S11.1 221


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_03 Trópico RA

AOPPE_03
x ALTERAÇÃO DE VELOCIDADE DE PERIFÉRICOS SÍNCRONOS

Objetivo: Modificar a velocidade de um periférico síncrono da central.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional dos periféricos de CHM cuja a velocidade se deseja alterar
através do comando MESTPE
2 - MODIFICAR a velocidade dos periféricos indicados através do comando MDADPE
3 - Ajustar os MODEM’S dos periféricos à nova velocidade, se necessário(Consultar Manuais dos
MODEM’S)
4 - MODIFICAR o estado operacional de todos os periféricos bloqueados anteriormente através do
comando MESTPE com parâmetros BLO=DBQ
5 - Encerrar a atividade

222 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_04

AOPPE_04
x DIAGNÓSTICO DE PERIFÉRICO SÍNCRONO

Objetivo: Verificar o motivo de falha em um periférico síncrono.

Preliminares: N.A.

Restrições: Esta atividade será executada somente se um periférico síncrono recém cri-
ado ou cuja velocidade tenha sido alterada, apresentando falha ao tentar-se
desbloqueá-lo.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se o indicador de alimentação do MODEM está aceso
2 - SE o indicador de alimentação do MODEM está aceso ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar se a tomada de força do MODEM está energizada
3.2 - SE a tomada de força do MODEM está energizada ENTÃO:
3.2.1 - Trocar o MODEM
3.2.2 - Refazer as conexões físicas com a placa SER e da linha analógica
3.2.3 - Ligar o MODEM
3.2.4 - Vá para o passo 1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Providenciar tomada energizada
3.3.2 - Vá para o passo 1
4 - Verificar se o MODEM possui teste de loop local manual (analógico e digital - consultar manual
do MODEM)
5 - SE o MODEM possui teste de loop local manual ENTÃO:
5.1 - Executar teste de loop local (analógico e digital - consultar manual do MODEM)
5.2 - Verificar se o teste deu ok (consultar o manual do MODEM)
5.3 - SE o teste deu ok ENTÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 6.1
5.4 - SENÃO:
5.4.1 - Anotar o defeito do MODEM
5.4.2 - Vá para o passo 3.2.1
6 - SENÃO:
6.1 - Verificar se o indicador 106 (CTS) do MODEM está aceso
6.2 - SE o indicador 106 (CTS) estiver aceso ENTÃO:
6.2.1 - Verificar se o indicador 109 (CD) do MODEM está aceso
6.2.2 - SE o indicador 109 (CD) estiver aceso ENTÃO:
6.2.2.1 -Anotar que a portadora remota está sendo recebida
6.2.2.2 -Vá para o passo 7
6.2.3 - SENÃO:

Versão S11.1 223


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_04 Trópico RA

6.2.3.1 -Anotar que a portadora remota não está sendo recebida


6.2.3.2 -MODIFICAR o estado operacional do periférico através do comando MESTPE
com parâmetros BLO=BLQ
6.2.3.3 -Encerrar a atividade
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - Anotar que o problema pode estar na placa SER
6.3.2 - MODIFICAR o estado operacional do periférico através do comando MESTPE com
parâmetros BLO=BLQ
6.3.3 - Chamar a manutenção
7 - Verificar se o MODEM possui teste manual de loop remoto (consultar o manual do MODEM)
8 - SE o MODEM possui teste manual de loop remoto ENTÃO:
8.1 - Vá para o passo 9.3
9 - SENÃO:
9.1 - Anotar que devem ser realizados testes do meio físico
9.2 - Vá para o passo 6.2.3.2
9.3 - Executar teste de loop remoto (consultar o manual do MODEM)
9.4 - Verificar se o teste deu ok (consultar o manual do MODEM)
9.5 - SE o teste deu ok ENTÃO:
9.5.1 - Anotar que o meio físico está ok
9.5.2 - Anotar que o problema pode estar na placa de interface remota
9.5.3 - Vá para o passo 6.2.3.2
9.6 - SENÃO:
9.6.1 - Anotar que pode haver problema no meio físico
9.6.2 - Vá para o passo 6.2.3.2

224 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_05

AOPPE_05
x REINICIAÇÃO DE PERIFÉRICO INACESSÍVEL

Objetivo: Reiniciar um periférico CHM que esteja inacessível.

Preliminares: Se o periférico é conectado via MODEM, certificar-se de que o MODEM es-


teja ligado, antes de executar esta atividade.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o periférico está bloqueado pelo operador (BO) através do comando IDADPE
com parâmetros DAD=ETOP , PER
2 - SE está bloqueado pelo operador ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado de bloqueio do periférico através do comando MESTPE com parâ-
metros BLO=DBQ , PER
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - Desligar e religar o periférico inacessível
3.2 - Verificar se o periférico está acessível
3.3 - SE o periférico está acessível ENTÃO:
3.3.1 - Encerrar a atividade
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Verificar se o periférico está na condição LOCAL ou PAUSE
3.4.2 - SE o periférico está na condição LOCAL ou PAUSE ENTÃO:
3.4.2.1 -Colocar o periférico na condição LINHA
3.4.2.2 -Verificar se o periférico está acessível
3.4.2.3 -SE o periférico está acessível ENTÃO:
3.4.2.3.1 -Encerrar a atividade
3.4.2.4 -SENÃO:
3.4.2.4.1 -Vá para o passo 4
4 - Verificar se o periférico é de entrada e saída (vídeo ou teleimpressora)
5 - SE é de entrada e saída ENTÃO:
5.1 - Pressionar simultaneamente as teclas CTRL e Q, para liberar o periférico
5.2 - Verificar se o periférico está acessível
5.3 - SE o periférico está acessível ENTÃO:
5.3.1 - Encerrar a atividade
5.4 - SENÃO:
5.4.1 - Verificar se é possível reiniciar a comunicação do periférico via tecla SET UP (op-
ção CLEAR COMUNICATION, por exemplo)
5.4.2 - SE é possível reiniciar a comunicação ENTÃO:
5.4.2.1- Entrar no modo SET UP do periférico e reiniciar a comunicação
5.4.2.2 -Verificar se o periférico está acessível
5.4.2.3 -SE o periférico está acessível ENTÃO:

Versão S11.1 225


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_05 Trópico RA

5.4.2.3.1 -Encerrar a atividade


5.4.2.4 -SENÃO:
5.4.2.4.1 -MODIFICAR o estado de bloqueio do periférico através do comando MESTPE
com parâmetros BLO=BLQ , PER
5.4.2.4.2 -MODIFICAR o estado de bloqueio do periférico através do comando MESTPE
com parâmetros BLO=DBQ , PER
5.4.2.4.3 -Verificar se o periférico está acessível
5.4.2.4.4 -SE o periférico está acessível ENTÃO:
5.4.2.4.4.1 -Encerrar a atividade
5.4.2.4.5 -SENÃO:
5.4.2.4.5.1 -Executar atividade de manuseio AMQSER_RT (PROCEDIMENTO DE RETI-
RADA DA PLACA SER)
5.4.2.4.5.2 -Executar atividade de manuseio AMQSER_RP (PROCEDIMENTO DE REPO-
SIÇÃO DA PLACA SER) utilizando uma placa em boas condições
5.4.2.4.5.3 -Verificar se o periférico está acessível
5.4.2.4.5.4 -SE o periférico está acessível ENTÃO:
5.4.2.4.5.4.1 -Encerrar a atividade
5.4.2.4.5.5 -SENÃO:
5.4.2.4.5.5.1 -consultar o fabricante

226 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_06

AOPPE_06
x INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO ET-OMS MULTISSERIAL

Objetivo: Instalar o periférico ET-OMS MULTISSERIAL na central Trópico-RA.

Preliminares: Ordem de serviço;


Discos de Instalação do ET-OMS Multisserial;
A ligação entre o Módulo de Operação e o microcomputador, onde será ins-
talado o periférico ET-OMS, com cabos e modens instalados, testados e
ajustados.

Restrições: Capacidade da ET-OMS:


- Operação: até 8 centrais Trópico RA
- Monitoração de Falhas: até 8 centrais Trópico RA
Requisitos das Centrais:
- Periférico de CHM:
Direcionalidade: ENTRADA/SAIDA
Formatação: NAO FORMATADO
Especialização de saída: Obrigatórios: RFA (Resumo de Falhas) e FAL
(Mensagens de Falhas). Opcionais: ADV (Advertência), MAL (Chamada
Maliciosa), SNC (Mensagens de Sincronismo), SOC (Supervisão de Estado
de Ocupação de Terminais) e/ou TST (Chamada de Teste).
Requisitos de Máquina:
- Microcomputador mínimo: 486 DX-2 66Mega ou superior. Aceitável para
operação de poucas centrais; quanto maior o número de centrais operadas,
maior fica a necessidade de processamento (recomendável Pentium);
- Memória mínima: 32 Mega de RAM;
- Monitor de vídeo mínimo: SVGA colorido com 256 cores, tela de 14
polegadas ou maior, Resolução mínima de 800X600 pixels;
- Placa de vídeo SVGA com no mínimo 1 MByte de memória;
- Disco rígido com no mínimo 60 Mega disponíveis;
- Mouse;
- Placa multisserial (interface RS-232): Cyclades CYCLOM8YE ou
CYCLOM8YO
Requisitos de software:
- Windows 95
Requisitos de conexão:
- Linhas dedicadas (uma LP para cada central a ser utilizada);
Modens preferencialmente de 9600 Bps com a seguinte configuração:
Comunicação: 8 bits. No parity, 1 STOP bit (obrigatório). Protocolo
XON/XOFF ativo (obrigatório);

Terminologia: N. A.

Procedimento:
1 - Verificar se o periférico é compatível com sistema de CHM do TRÓPICO RA (vide RESTRI-
ÇÕES)
2 - SE o periférico for compatível ENTÃO:
2.1 - no microcomputador, instalar os programas e manuais da ET-OMS Multisserial através
dos seus discos de instalação ou CDROM não deixar de ler o arquivo Leiame.wri existente
disco 1 de instalação ou no CDROM
2.2 - na central, verificar visualmente se a placa SER (interfaces seriais) está instalada no bas-
tidor relativo ao MÓDULO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO (MO)

Versão S11.1 227


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_06 Trópico RA

2.3 - SE a placa SER estiver instalada no bastidor relativo ao MÓDULO DE OPERAÇÃO E MA-
NUTENÇÃO (MO) ENTÃO:
2.3.1 - INTERROGAR a disponibilidade da porta serial e do número do periférico deseja-
dos através do comando IDADPE com parâmetros PER, DAD=CONF
2.3.2 - SE a porta serial desejada estiver disponível ENTÃO:
2.3.2.1 -CRIAR logicamente o periférico através do comando CDADPE com parâmetros
TPF=VIDEO, PER, SER
2.3.2.2 -Conectar fisicamente o cabo do lado digital do MODEM local à porta serial da pla-
ca SER (posição do periférico recém criado
2.3.2.3 -Conectar fisicamente o cabo da linha analógica ao MODEM local
2.3.2.4 -Ajustar a configuração dos modens e ligá-los
2.3.2.5 -MODIFICAR o formato do terminal para NAO FORMATADO através do comando
MDADPE com parâmetros PER,FOR=NFOR
2.3.2.6 -MODIFICAR as especializações de saída através do comando MDADPE com pa-
râmetros PER,EPS
2.3.2.7 -MODIFICAR as especializações de entrada através do comando MDADPE com
parâmetros PER,EPE
2.3.2.8 -MODIFICAR o estado operacional do terminal através do comando MESTPE com
parâmetros PER ,BLO=DBQ
2.3.2.9 -no microcomputador, executar o programa da ET-OMS Multisserial e configurar a
conexão de acordo com os dados do periférico recém criado
2.3.2.10 -na ET-OMS, verificar se apresentou a tela correspondente a terminal livre de for-
ma correta
2.3.2.11 -SE a tela TERMINAL LIVRE foi apresentada corretamente ENTÃO:
2.3.2.11.1 -verificar se a ET-OMS irá monitorar mais centrais
2.3.2.11.2 -SE a ET-OMS for monitorar mais centrais ENTÃO:
2.3.2.11.2.1 -Vá para o passo 2.2
2.3.2.11.3 -SENÃO:
2.3.2.11.3.1 -Encerrar a atividade
2.3.2.12 -SENÃO:
2.3.2.12.1 -Verificar cabos, conexões, modens e as configurações estabelecidas na ET-
OMS e na porta serial
2.3.2.12.2 -SE houver erro ENTÃO:
2.3.2.12.2.1 -MODIFICAR o estado operacional do terminal através do comando MESTPE
com parâmetros PER, BLO=BLQ
2.3.2.12.2.2 -Vá para o passo 2.3.2.2
2.3.2.12.3 -SENÃO:
2.3.2.12.3.1 -Anotar o problema e solicitar manutenção
2.3.2.12.3.2 -Vá para o passo 2.3.2.11.1
2.3.3 - SENÃO:
2.3.3.1 -Escolher outra porta serial
2.3.3.2 -Vá para o passo 2.3.1
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Executar atividade de manuseio AMQSER_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA SER)

228 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_06

2.4.2 - Vá para o passo 2.3.1


3 - SENÃO:
3.1 - Providenciar outro microcomputador
3.2 - Vá para o passo 1

Versão S11.1 229


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_07 Trópico RA

AOPPE_07
x INSTALAÇÃO DE PERIFÉRICO ET-OMS ETHERNET

Objetivo: Instalar o periférico ET-OMS ETHERNET na central TRÓPICO-RA.

Preliminares: Ordem de serviço;


Discos de Instalação da ET-OMS Ethernet;
Módulo Auxiliar (MA) exclusivo com os BI CEDET e RACOM criados e em
serviço;
Instalar a placa RTS-1 nesse MA;
A rede Ethernet instalada entre o Módulo Auxiliar ET-OMS e o microcompu-
tador, onde será instalado o periférico ET-OMS, com cabo AUI/AUI, transcei-
vers, roteadores e modens instalados.

Restrições: O microcomputador, compatível com IBM-PC, utilizado como periférico ET-


OMS, deve ter a seguinte configuração mínima:
Para Operação Básica:
Um micro IBM-PC 486 DX, 32 MBytes de RAM, Windows 95 com TCP/IP in-
cluído, teclado tipo PC-AT, HD de 540 MBytes, unidade de disco flexível
3,5", placa de vídeo SVGA ISA com 1 MBytes, 256 cores, resolução
800X600, monitor SVGA colorido de 14", não entrelaçado, placa de rede pa-
drão Ethernet (ISA, compatível com NE2000) e o software Chameleon ou
Frontier for WIN95 (UDP/TFTP).
Nesta configuração, é recomendável a operação de uma central por vez.
Para Operação Básica e Monitoração de Falhas e/ou de Tráfego:
Um micro IBM-PC Pentium 166 MHZ, 32 MBytes de RAM, Windows 95 com
TCP/IP incluído, teclado tipo PC-AT, HD de 1,2 GBytes, unidade de disco fle-
xível 3,5", placa de vídeo SVGA PCI, 2 MBytes, 256 cores, resolução
1280X1024, monitor SVGA PCI colorido de 17" ou maior, não entrelaçado,
placa de rede Ethernet PCI, equipamentos de rede para sua conectividade
e o software Chameleon ou Frontier for WIN95 (UDP/TFTP) e Excel 7.0 (Offi-
ce 95).
Nesta configuração, pode atender até 8 centrais simultaneamente para Ope-
ração Básica, até 8 centrais simultaneamente para Monitoração de Falhas e
até 1 central para Monitoração de Tráfego.
Com as configurações indicadas, recomenda-se utilizar o microcomputador
somente para aplicações relacionadas a ET-OMS, evitando desta forma
comprometer o seu desempenho devido a fatores externos.
A configuração software do MA-ETOMS na central é a seguinte:
SOCGI - Software Básico da CGI
REFAL
SINPP
CCONF
SIFAL
CEDET
RACOM
Bibliotecas e programas de TFTP

Terminologia: N. A.

Procedimento:
1 - verificar se o microcomputador é compatível com o sistema de CHM do TRÓPICO RA (vide
RESTRIÇÕES)
2 - SE o microcomputador for compatível (VIDE RESTRIÇÕES) ENTÃO:

230 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_07

2.1 - no microcomputador (com seguintes softwares já instalados: Windows 95, Chameleon ou


Frontier (UDP/TFTP) e, para monitoração de tráfego, Excel 7.0), instalar os programas e
manuais da ET-OMS Ethernet através dos seus disco(s) de instalação de acordo com o
arquivo LEIAME.WRI existente no disco 1 de instalação ou no CDROM de instalação
2.2 - no microcomputador criar uma arquivo texto com o nome Config_Rede.txt,utilizando o apli-
cativo do Windows Bloco de Notas, no subdiretório Sistema do diretório onde foram insta-
lados os programas da ET-OMS, contendo os seguintes dados: HOST=nome do host
associado ao micro. É o mesmo nome do host a ser utilizado na criação do periférico na
Central no passo 2.4.6.1. IP=endereço das centrais a serem operadas/monitoradas. Utili-
zar uma linha de comando para cada central.
Exemplo do arquivo Config_Rede.txt : HOST=etoms.cpqd.com.br IP=10.0.69.72 // CAS-34
IP=10.0.69.90 // CAS-36
Obs.: toda linha começada com // representa comentário e será ignorado. No exemplo repre-
senta o nome das centrais a serem operadas/monitoradas
2.3 - INTERROGAR a existência do módulo auxiliar (MA-ETOMS) de interconexão da central
com a ET-OMS Ethernet através do comando IDBIPR com parâmetros NBI=CEDET
2.4 - SE o módulo auxiliar existir ENTÃO:
2.4.1 - INTERROGAR o estado operacional do módulo auxiliar através do comando IDBI-
PR com parâmetros PRO PRO=processador identificado no passo 2.3
2.4.2 - CASO estado operacional IGUAL A em serviço ENTÃO:
2.4.2.1 -Vá para o passo 2.4.5
2.4.3 - CASO estado operacional IGUAL A bloqueado pelo operador ENTÃO:
2.4.3.1 -MODIFICAR o estado operacional do módulo auxiliar para em serviço através do
comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=DBQ PRO=processador identifica-
do no passo 2.3
2.4.3.2 -Vá para o passo 2.4.5
2.4.4 - CASO estado operacional IGUAL A bloqueado por falha ENTÃO:
2.4.4.1 -MODIFICAR o estado operacional do módulo auxiliar para bloqueado pelo opera-
dor através do comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=BLQ PRO=proces-
sador identificado no passo 2.3
2.4.4.2 -MODIFICAR o estado operacional do módulo auxiliar para em serviço através do
comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=DBQ PRO=processador identifica-
do no passo 2.3
2.4.4.3 -Vá para o passo 2.4.5
2.4.5 - INTERROGAR a disponibilidade do número do periférico desejado através do co-
mando IDADPE com parâmetros PER, DAD=CONF
2.4.6 - SE o número do periférico desejado estiver disponível ENTÃO:
2.4.6.1 -CRIAR logicamente o periférico através do comando CDADPE com parâmetros
TPF=ETOMS, PER, HOS o valor do parâmetro HOS deve indicar o nome e o do-
mínio do microcomputador da ET-OMS, por exemplo: HOS=etoms.cpqd.com.br.
OBS: utilizar o nome físico do microcomputador na rede
2.4.6.2 -Vá para o passo 2.4.8
2.4.7 - SENÃO:
2.4.7.1 -Escolher outro número de periférico
2.4.7.2 -Vá para o passo 2.4.6.1
2.4.8 - MODIFICAR o estado operacional do terminal através do comando MESTPE com
parâmetros PER ,BLO=DBQ

Versão S11.1 231


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPE_07 Trópico RA

2.4.9 - ATIVAR a reiniciação do módulo auxiliar (MA ET-OMS) através do comando AREI-
PR com parâmetros PRO PRO=processador identificado no passo 2.3
2.4.10 -Aguardar o processador MA ET-OMS entrar em serviço
2.4.11 -no microcomputador, executar o programa do ET-OMS Ethernet recém instalado,
que fará a busca das centrais nas quais o periférico está criado
2.4.12 -efetuar o login da Estação de Trabalho quando for solicitado, sendo então apresen-
tada a lista de centrais nas quais esse periférico ET-OMS foi criado. O administra-
dor da ET-OMS tem como usuário o nome ADMINISTRADOR e senha ETOMS,
devendo esta senha ser alterada para outra conveniente
2.4.13 -verificar a condição da central onde foi criado o periférico ET-OMS na lista apre-
sentada
2.4.14 -CASO a condição IGUAL A POK (protocolo de comunicação OK), COK (comuni-
cação OK) e DBQ (ET-OMS desbloqueada) ENTÃO:
2.4.14.1 -acionar o botão FECHAR da janela CENTRAIS DA REDE
2.4.14.2 -na primeira vez que estiver executando a opção FECHAR na janela CENTRAIS
DA REDE, será solicitado o diretório e o nome do aplicativo TFTP Servidor a ser
utilizado para a Transferência de arquivos entre a ET-OMS e a central OBS: No uti-
litário Frontier, fornecer o arquivo executável referente ao TFTP Server. O TFTP
Cliente será solicitado ao executar, pela primeira vez, a opção FUNÇÕES do menu
da ET-OMS e TRANSFERIR ARQUIVO. A partir desse momento a ET-OMS estará
apta a operar/monitorar a central TRÓPICO RA
2.4.14.3 -verificar se a ET-OMS irá operar e/ou monitorar outras centrais
2.4.14.4 -SE a ET-OMS for operar e/ou monitorar outras centrais ENTÃO:
2.4.14.4.1 -Vá para o passo 2.3
2.4.14.5 -SENÃO:
2.4.14.5.1 -Encerrar a atividade
2.4.15 -CASO a condição IGUAL A POK (protocolo de comunicação OK) e SCN (sem co-
nexão com a central) ENTÃO:
2.4.15.1 -acionar o botão FECHAR da janela CENTRAIS DA REDE
2.4.15.2 -na primeira vez que estiver executando a opção FECHAR na janela CENTRAIS
DA REDE, será solicitado o diretório e o nome do aplicativo TFTP Servidor a ser
utilizado para a Transferência de arquivos entre a ET-OMS e a central OBS: No uti-
litário Frontier, fornecer o arquivo executável referente ao TFTP Server. O TFTP
Cliente será solicitado ao executar, pela primeira vez, a opção FUNÇÕES do menu
da ET-OMS e TRANSFERIR ARQUIVO
2.4.15.3 -efetuar nova procura de centrais utilizando as opções REDE e PROCURAR
CENTRAIS
2.4.15.4 -verificar se persiste a condição anterior
2.4.15.5 -SE a condição persistir ENTÃO:
2.4.15.5.1 -ATIVAR a reiniciação do módulo auxiliar da ET-OMS através do comando
AREIPR com parâmetros PRO PRO=processador identificado no passo 2.3
2.4.15.5.2 -aguardar a reiniciação completa do MA ET-OMS
2.4.15.5.3 -efetuar nova procura de centrais utilizando as opções REDE e PROCURAR
CENTRAIS
2.4.15.5.4 -Vá para o passo 2.4.13
2.4.15.6 -SENÃO:
2.4.15.6.1 -Vá para o passo 2.4.13
2.4.16 -CASO a condição IGUAL A SCM (sem comunicação com a central) ENTÃO:

232 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPE_07

2.4.16.1 -selecionar o nome da central onde foi criado a ET-OMS e acionar o botão PIN-
GAR CENTRAL
2.4.16.2 -verificar o resultado da ação anterior
2.4.16.3 -SE a ET-OMS conseguir alcançar a central ENTÃO:
2.4.16.3.1 -ATIVAR a reiniciação do módulo auxiliar da ET-OMS através do comando
AREIPR com parâmetros PRO PRO=processador identificado no passo 2.3
2.4.16.3.2 -aguardar a reiniciação completa do MA ET-OMS
2.4.16.3.3 -efetuar nova procura de centrais utilizando as opções REDE e PROCURAR
CENTRAIS
2.4.16.3.4 -verificar se persiste a condição anterior
2.4.16.3.5 -SE persistir a condição anterior ENTÃO:
2.4.16.3.5.1 -MODIFICAR o estado operacional do periférico ET-OMS através do coman-
do MESTPE com parâmetros PER, BLO=BLQ
2.4.16.3.5.2 -SUPRIMIR o periférico ET-OMS através do comando SDADPE com parâme-
tros PER
2.4.16.3.5.3 -Vá para o passo 2.4.6.1
2.4.16.3.6 -SENÃO:
2.4.16.3.6.1 -Vá para o passo 2.4.13
2.4.16.4 -SENÃO:
2.4.16.4.1 -verificar cabos, conexões, roteadores, modens e as configurações estabeleci-
das na ET-OMS e realizar a manutenção necessária para corrigir os problemas de
instalação
2.4.16.4.2 -efetuar nova procura de centrais utilizando as opções REDE e PROCURAR
CENTRAIS
2.4.16.4.3 -Vá para o passo 2.4.13
2.4.17 -CASO a condição IGUAL A central ausente na lista apresentada ENTÃO:
2.4.17.1 -acionar o botão FECHAR da janela CENTRAIS DA REDE
2.4.17.2 -na primeira vez que estiver executando a opção FECHAR na janela CENTRAIS
DA REDE, será solicitado o diretório e o nome do aplicativo TFTP Servidor a ser
utilizado para a Transferência de arquivos entre a ET-OMS e a central OBS: No uti-
litário Frontier, fornecer o arquivo executável referente ao TFTP Server. O TFTP
Cliente será solicitado ao executar, pela primeira vez, a opção FUNÇÕES do menu
da ET-OMS e TRANSFERIR ARQUIVO
2.4.17.3 -verificar cabos, conexões, roteadores, modens e as configurações estabelecidas
na ET-OMS e realizar a manutenção necessária para corrigir os problemas de ins-
talação
2.4.17.4 -efetuar nova procura de centrais utilizando as opções REDE e PROCURAR
CENTRAIS
2.4.17.3 -Vá para o passo 2.4.13
2.5 - SENÃO:
2.5.1 - Contactar o fabricante para a instalação do MA ET-OMS
2.5.2 - Vá para o passo 2.4.14.3
3 - SENÃO:
3.1 - Providenciar outro microcomputador
3.2 - Vá para o passo 1

Versão S11.1 233


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_00 Trópico RA

23
x

Recurso PR : PROCESSADOR

AOPPR_00 RETIRADA DE PROCESSADOR DA CENTRAL

Objetivo: Suprimir um processador da configuração da central.

Preliminares: N.A.

Restrições: Não se aplica ao processador de OM.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o tipo do processador e o estado operacional do processador a ser retirado atra-
vés do comando IDADPR com parâmetros PRO
2 - CASO o processador IGUAL A controlador da função de bilhetagem automática ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado funcional da célula de bilhetagem para bloqueada através do co-
mando MECEBA com parâmetros CBI,ECB=BLOQ
2.2 - ATIVAR o fechamento do arquivo de bilhetagem automática através do comando AFARBA
executar esse comando para célula bloqueada
2.3 - verificar o meio a ser utilizado para obtenção de cópias de dados de bilhetagem automática
2.4 - CASO o meio a ser utilizado IGUAL A fita magnética ENTÃO:
2.4.1 - Executar atividade operacional AOPBA_02 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA
DE DADOS DE BILHETAGEM AUT. PARA FITA MAGNÉTICA ROLO) para os ar-
quivos ainda não transferidos da célula bloqueada
2.4.2 - Vá para o passo 2.6
2.5 - CASO o meio a ser utilizado IGUAL A enlace de dados ENTÃO:
2.5.1 - Executar atividade operacional AOPBA_09 (ATIVAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA
DE ARQUIVOS DE B.A. VIA ENLACE DE DADOS) para os arquivos ainda não
transferidos da célula bloqueada
2.5.2 - Vá para o passo 2.6
2.6 - INTERROGAR se todos arquivos da célula foram transferidos através do comando IEAD-
BA
2.7 - SE todos os arquivos da célula foram transferidos ENTÃO:
2.7.1 - Vá para o passo 2.9
2.8 - SENÃO:
2.8.1 - Vá para o passo 2.3
2.9 - DESATIVAR o acesso ao dispositivo de memória de massa da célula de bilhetagem (uni-
dades de disco rígido) através do comando DACEMM com parâmetros ULG
2.10 -MODIFICAR o estado operacional do dispositivo de memória de massa (unidades de dis-
co rígido) para bloqueado pelo operador (BO) através do comando MESTMM com parâ-
metros ULG,BLO=BLQ sem o parâmetro UFS
2.11 -MODIFICAR o estado operacional do dispositivo de fita magnética rolo para bloqueado
pelo operador (BO) através do comando MESTMM com parâmetros ULG,BLO=BLQ
2.12 -SUPRIMIR o dispositivo de memória de massa (unidades de disco rígido) através do co-
mando SDISMM com parâmetros ULG,PRO

234 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_00

2.13 -SUPRIMIR o dispositivo de fita magnética rolo através do comando SDISMM com parâ-
metros ULG,PRO
2.14 -Vá para o passo 5.1
3 - CASO o processador IGUAL A controlador da função CLAD ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPCL_05 (SUPRESSÃO DE ANEL CLAD)
3.2 - Encerrar a atividade
4 - CASO o processador IGUAL A controlador da função UD-ELD ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPCL_08 (SUPRESSÃO DE ANEL UD-ELD)
4.2 - Encerrar a atividade
5 - CASO o processador IGUAL A nenhuma das funções anteriores ENTÃO:
5.1 - Executar atividade operacional AOPPR_07 (BLOQUEIO DE PROCESSADOR)
5.2 - SE o processador for MA ENTÃO:
5.2.1 - SUPRIMIR todos os BI do processador através do comando SDBIPR com parâme-
tros PRO, NBI
5.2.2 - Vá para o passo 5.3.1
5.3 - SENÃO:
5.3.1 - SUPRIMIR o processador através do comando SDADPR com parâmetros PRO
5.3.2 - Retirar a placa do processador utilizando-se da atividade de manuseio do equipa-
mento
5.3.3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 235


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_01 Trópico RA

AOPPR_01
x INSTALAÇÃO DE PROCESSADOR NA CENTRAL

Objetivo: Instalar um processador na configuração da central.

Preliminares: Na atual versão do software da central o número de processadores internos


à central está limitado a 1024 (0 a 1023), e o número de processadores ex-
ternos à central está limitado a 1023 (1024 a 2047).

Restrições: Não se aplica ao processador de OM.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar na ordem de serviço o tipo de processador a ser criado
2 - CASO o tipo de processador IGUAL A CTE ou CIT ENTÃO:
2.1 - Verificar na ordem de serviço a função do processador
2.2 - CASO a função do processador IGUAL A controlador da função CLAD ENTÃO:
2.2.1 - Executar atividade operacional AOPCL_02 (CRIAÇÃO DE ANEL CLAD)
2.2.2 - Encerrar a atividade
2.3 - CASO a função do processador IGUAL A controlador da função UD-ELD ENTÃO:
2.3.1 - Executar atividade operacional AOPCL_07 (CRIAÇÃO DE ANEL UD-ELD)
2.3.2 - Encerrar a atividade
2.4 - CASO a função do processador IGUAL A controlador de UD ENTÃO:
2.4.1 - CRIAR O processador CTE/CIT associado a CDU através do comando CDADPR
2.4.2 - SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
2.4.2.1 -ligar a fonte do módulo onde foi instalado o processador
2.4.2.2 -Executar atividade operacional AOPPR_03 (CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSA-
DOR)
2.4.2.3 -CRIAR O PROCESSADOR CDU através do comando CDADPR
2.4.2.4 -SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
2.4.2.4.1 -Executar atividade operacional AOPPR_03 (CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSA-
DOR)
2.4.2.4.2 -Encerrar a atividade
2.4.2.5 -SENÃO:
2.4.2.5.1 -Vá para o passo 2.4.2.3
2.4.3 - SENÃO:
2.4.3.1 -Vá para o passo 2.4.1
2.5 - CASO a função do processador IGUAL A nenhuma das funções anteriores ENTÃO:
2.5.1 - CRIAR o processador CTE/CIT através do comando CDADPR
2.5.2 - SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
2.5.2.1 -ligar a fonte do módulo onde foi instalado o processador
2.5.2.2 -Executar atividade operacional AOPPR_03 (CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSA-
DOR)
2.5.2.3 -Verificar na ordem de serviço a necessidade de criar o processador CCT
2.5.2.4 -SE houver necessidade ENTÃO:

236 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_01

2.5.2.4.1 -CRIAR o processador CCT através do comando CDADPR


2.5.2.4.2 -SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
2.5.2.4.2.1 -Executar atividade operacional AOPPR_03 (CRIAÇÃO DE BI EM PROCES-
SADOR)
2.5.2.4.2.2 -Encerrar a atividade
2.5.2.4.3 -SENÃO:
2.5.2.4.3.1 -Vá para o passo 2.5.2.4.1
2.5.2.3 -SENÃO:
2.5.2.3.1 -Encerrar a atividade
2.5.3 - SENÃO:
2.5.3.1 -Vá para o passo 2.5.1
3 - CASO o tipo de processador IGUAL A CDU ENTÃO:
3.1 - INTERROGAR se o processador CTE/CIT associado à placa CDU, na central, já está cri-
ado através do comando IDADPR
3.2 - SE estiver criado ENTÃO:
3.2.1 - Vá para o passo 2.4.2.3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 2.4.1
4 - CASO o tipo de processador IGUAL A CUC ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPCL_04 (MODIFICAÇÃO DE DADOS DE ANEL CLAD)
4.2 - Encerrar a atividade
5 - CASO o tipo de processador IGUAL A CGI ENTÃO:
5.1 - CRIAR o processador através do comando CDADPR
5.2 - SE a criação for bem sucedida ENTÃO:
5.2.1 - Ligar a fonte do módulo onde foi instalado o processador
5.2.2 - SE o processador for célula de bilhetagem ENTÃO:
5.2.2.1 -CRIAR o BI CDDUP no processador através do comando CDBIPR com parâme-
tros PRO,NBI=CDDUP
5.2.2.2 -CRIAR o BI COCAL no processador através do comando CDBIPR com parâme-
tros PRO,NBI=COCAL
5.2.2.3 -MODIFICAR o estado operacional do processador da célula de bilhetagem para o
estado em serviço (ES) através do comando MESTPR com parâmetros
PRO,BLO=DBQ
5.2.2.4 -CRIAR as unidades de memória de massa (discos rígidos) através do comando
CDISMM com parâmetros ULG,PRO
5.2.2.5 -CRIAR o dispositivo de fita magnética rolo através do comando CDISMM com pa-
râmetros ULG,PRO
5.2.2.6 -MODIFICAR o estado operacional do disco rígido - unidade física A para o estado
em serviço (ES) através do comando MESTMM com parâmetros
ULG,UFS=UFA,BLO=DBQ
5.2.2.7 -MODIFICAR o estado operacional da fita magnética para o estado em serviço (ES)
através do comando MESTMM com parâmetros ULG,BLO=DBQ
5.2.2.8 -ATIVAR o acesso a unidade de disco rígido da célula de bilhetagem automática
através do comando AACEMM com parâmetros ULG

Versão S11.1 237


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_01 Trópico RA

5.2.2.9 -MODIFICAR o estado operacional do disco rígido - unidade física B para o estado
em serviço (ES) através do comando MESTMM com parâmetros
ULG,UFS=UFB,BLO=DBQ
5.2.2.10 -MODIFICAR o estado operacional do processador da célula de bilhetagem para
o estado bloqueado pelo operador (BO) através do comando MESTPR com parâ-
metros PRO,BLO=BLQ
5.2.2.11 -CRIAR o BI CTABA no processador através do comando CDBIPR com parâme-
tros PRO,NBI=CTABA
5.2.2.12 -MODIFICAR o estado operacional do processador da célula de bilhetagem para
o estado em serviço (ES) através do comando MESTPR com parâmetros
PRO,BLO=DBQ
5.2.2.13 -SE a célula for a primeira a ser criada ENTÃO:
5.2.2.13.1 -MODIFICAR o formato do registro através do comando MREGBA configuração
inicial do formato do registro
5.2.2.13.2 -MODIFICAR o valor da fatia da chamada de longa duração através do coman-
do MFATBA configuração inicial do valor da fatia de chamada de longa duração
5.2.2.13.3 -MODIFICAR a velocidade da saída serial através do comando MDADBA com
parâmetros VEL configuração inicial da velocidade da saída serial
5.2.2.13.4 -MODIFICAR o estado funcional da célula de bilhetagem automática para ativo
através do comando MECEBA com parâmetros CBI,ECB=ATIV
5.2.2.13.5 -Encerrar a atividade
5.2.2.14 -SENÃO:
5.2.2.14.1 -MODIFICAR o estado funcional da célula de bilhetagem automática para ativo
através do comando MECEBA com parâmetros CBI,ECB=ATIV
5.2.2.14.2 -Encerrar a atividade
5.2.3 - SENÃO:
5.2.3.1 -Executar atividade operacional AOPPR_03 (CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSA-
DOR)
5.2.3.2 -Encerrar a atividade
5.3 - SENÃO:
5.3.1 - Vá para o passo 5.1
6 - CASO o tipo de processador IGUAL A CCD ENTÃO:
6.1 - Executar atividade operacional AOPCL_07 (CRIAÇÃO DE ANEL UD-ELD)
6.2 - Encerrar a atividade
7 - Encerrar a atividade

238 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_02

AOPPR_02
x RETIRADA DE BI DE PROCESSADOR

Objetivo: Suprimir um BI da configuração de um processador da central.

Preliminares: N.A.

Restrições: O BI CONF*F é suprimido automaticamente na Supressão de Processador.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o processador é CGI ou CTE/CDU/CIT/CCT/CUC/CCD através do comando
IDADPR com parâmetros PRO
2 - CASO processador IGUAL A processador CGI ENTÃO:
2.1 - SE o processador for controlador da função de bilhetagem automática ENTÃO:
2.1.1 - Executar atividade operacional AOPBA_06 (BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLU-
LA DE BILHETAGEM AUTOMÁTICA)
2.1.2 - Vá para o passo 2.2.1
2.2 - SENÃO:
2.2.1 - INTERROGAR se o BI está bloqueado pelo operador no processador através do
comando IDBIPR com parâmetros PRO
2.2.2 - SE o BI estiver bloqueado pelo operador ENTÃO:
2.2.2.1 -Vá para o passo 2.2.3.2
2.2.3 - SENÃO:
2.2.3.1 -MODIFICAR o estado operacional do BI no processador através do comando ME-
BIPR com parâmetros PRO, NBI, BLO=BLQ
2.2.3.2 -SUPRIMIR o BI do processador através do comando SDBIPR com parâmetros
NBI, PRO
2.2.3.3 -SE for o último BI a ser suprimido ENTÃO:
2.2.3.3.1 -Executar atividade operacional AOPPR_04 (REINICIAÇÃO DE PROCESSA-
DOR)
2.2.3.3.2 -Encerrar a atividade
2.2.3.4 -SENÃO:
2.2.3.4.1 -Vá para o passo 2.2.1
3 - CASO processador IGUAL A processador CTE ou CDU ou CIT ou CTT OU CUC ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPPR_07 (BLOQUEIO DE PROCESSADOR)
3.2 - Verificar se o BI a ser suprimido controla placas
3.3 - SE o BI controla placas ENTÃO:
3.3.1 - SUPRIMIR as placas controladas pelo BI a ser suprimido através do comando
SPLAPR suprimindo todas as placas controladas pelo BI a ser suprimido
3.3.2 - Retirar as placas suprimidas utilizando-se da atividade de manuseio de equipa-
mento
3.3.3 - Vá para o passo 2.2.3.2
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 2.2.3.2

Versão S11.1 239


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_03 Trópico RA

AOPPR_03
x CRIAÇÃO DE BI EM PROCESSADOR

Objetivo: Incluir um BI na configuração de um processador da central.

Preliminares: Todos os arquivos de programa e tabelas de dados do BI a ser criado devem


estar presentes no disco da Central.

Restrições: Esta atividade não se aplica a processadores de células de bilhetagem au-


tomática.
O BI CONF*F é criado automaticamente na Criação do Processador. Quan-
do da criação de BI em processador distante da central (UD e CLAD) deve-
se criar primeiro o BI do processador controlador na central.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o BI já está criado no processador através do comando IDBIPR com parâme-
tros PRO
2 - SE o BI já estiver criado no processador ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SE processador CIT OU CTE ENTÃO:
3.1 - MODIFICAR o estado operacional do processador para o estado bloqueado pelo operador
através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=BLQ
3.2 - CRIAR o BI no processador através do comando CDBIPR com parâmetros NBI, PRO
3.3 - SE for o último BI a ser criado ENTÃO:
3.3.1 - Vá para o passo 3.5
3.4 - SENÃO:
3.4.1 - Vá para o passo 3.2
3.5 - MODIFICAR o estado operacional do processador para o estado em serviço através do co-
mando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
3.6 - Encerrar a atividade
4 - SENÃO:
4.1 - CRIAR o BI no processador através do comando CDBIPR com parâmetros NBI, PRO
4.2 - MODIFICAR o estado operacional do bi para o estado em serviço através do comando ME-
BIPR COM PARÂMETROS PRO , NBI,BLO=DBQ
4.3 - Encerrar a atividade

240 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_04

AOPPR_04
x REINICIAÇÃO DE PROCESSADOR

Objetivo: Recarregar os dados e programas de um processador criado na central.

Preliminares: N.A.

Restrições: Esta atividade não se aplica ao processador de OM.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado operacional do processador através do comando IDADPR
2 - CASO estado operacional do processador IGUAL A bloqueado pelo operador (BO) ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do processador através do comando MESTPR com pa-
râmetros PRO,BLO=DBQ
2.2 - INTERROGAR se o desbloqueio teve sucesso através do comando IDADPR
2.3 - SE o desbloqueio teve sucesso ENTÃO:
2.3.1 - SE o tipo do módulo for igual a MT_Q, MT_QD, MT_QDC, MT_QDD ou MT_QDL
ENTÃO:
2.3.1.1 -INTERROGAR o processador associado ao processador recém desbloqueado
através do comando IDADPR com parâmetros IDT=ASSOC, PRO PRO deve iden-
tificar o processador recém desbloqueado
2.3.1.2 -MODIFICAR o estado operacional do processador associado para EM SERVIÇO
(ES) através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=DBQ
2.3.1.3 -SE o desbloqueio teve sucesso ENTÃO:
2.3.1.3.1 -Vá para o passo 2.3.3
2.3.1.4 -SENÃO:
2.3.1.4.1 -INTERROGAR as falhas associadas ao processador através do comando IFAL-
CE com parâmetros PRO anotar as falhas para realizar a sua manutenção correti-
va
2.3.1.4.2 -executar as atividades de manutenção corretiva correspondente às falhas obti-
das no passo anterior
2.3.1.4.3 -Vá para o passo 2.3.3
2.3.2 - SENÃO:
2.3.2.1 -Vá para o passo 2.3.3
2.3.3 - INTERROGAR a função controlada pelo processador através do comando IDBIPR
com parâmetros PRO
2.3.4 - CASO o processador IGUAL A controlador de Bilhetagem Automática ENTÃO:
2.3.4.1 -ATIVAR o acesso ao(s) disco(s) de Bilhetagem Automática através do comando
AACEMM com parâmetros ULG
2.3.4.2 -MODIFICAR o estado operacional do(s) disco(s) através do comando MESTMM
com parâmetros ULG,UFS,BLO=DBQ desbloquear o(s) disco(s)
2.3.4.3 -MODIFICAR o estado funcional da célula de bilhetagem para desbloqueio através
do comando MECEBA com parâmetros ECB=ATIV,CBI
2.3.4.4 -Encerrar a atividade
2.3.5 - CASO o processador IGUAL A controlador de assinantes ENTÃO:

Versão S11.1 241


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_04 Trópico RA

2.3.5.1 -MODIFICAR o estado operacional dos assinantes para EM SERVIÇO (ES) atra-
vés do comando MESTAS com parâmetros NEA, BLO=DBQ para os assinantes
bloqueados no passo 4.1
2.3.5.2 -Encerrar a atividade
2.3.6 - CASO o processador IGUAL A controlador de juntores ENTÃO:
2.3.6.1 -MODIFICAR o estado operacional dos juntores para EM SERVIÇO através do co-
mando MESTJU com parâmetros JUN, BLO=DBQ para os juntores bloqueados no
passo 4.1
2.3.6.2 -Encerrar a atividade
2.3.7 - CASO o processador IGUAL A canal comum (sinalização) ENTÃO:
2.3.7.1 -MODIFICAR o estado operacional dos enlaces de sinalização para ativo através
do comando MDADEL com parâmetros NTS, EOD=ATIVO para os enlaces de si-
nalização que tornaram inativos no passo 4.1
2.3.7.2 -Encerrar a atividade
2.3.8 - Encerrar a atividade
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - INTERROGAR as falhas associadas ao processador através do comando IFALCE
com parâmetros PRO anotar as falhas para realizar a sua manutenção corretiva
2.4.2 - executar as atividades de manutenção corretiva correspondente às falhas obtidas
no passo anterior
2.4.3 - Vá para o passo 2.3.1
3 - CASO estado operacional do processador IGUAL A bloqueado por falha (BF) ENTÃO:
3.1 - MODIFICAR o estado operacional do processador para o estado bloqueado pelo operador
(BO) através do comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=BLQ
3.2 - Vá para o passo 2.1
4 - CASO estado operacional do processador IGUAL A em serviço (ES) ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPPR_07 (BLOQUEIO DE PROCESSADOR) anotar os
assinantes/juntores/enlaces de sinalização bloqueados nesta atividade
4.2 - Vá para o passo 2.1

242 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_05

AOPPR_05
x INSTALAÇÃO DE PLACA DE TERMINAIS

Objetivo: Criar logicamente uma placa em um processador de um módulo de termi-


nais.

Preliminares: N.A.

Restrições: Quando a placa a ser criada for a placa TAD (Assinante Digital), ela será cri-
ada com a denominação de ULD e deve ser colocada na posição da placa
ULD. O sistema vai identificar a placa TAD como sendo uma placa ULD.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR a placa de terminais no processador através do comando CPLAPR
2 - Executar atividade de manuseio do equipamento correspondente à placa de terminais na posi-
ção onde foi criada
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 243


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_06 Trópico RA

AOPPR_06
x REINICIAÇÃO DE BI

Objetivo: Recarregar os dados e programa de um BI em um processador.

Preliminares: N.A.

Restrições: Só pode ser executada sobre BI’s residentes em MA ou OM (CGI).

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o BI está bloqueado através do comando IDBIPR com parâmetros PRO
2 - SE o BI estiver bloqueado ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do BI no processador através do comando MEBIPR
com parâmetros PRO, NBI, BLO=DBQ
2.2 - aguardar a reiniciação do BI
2.3 - SE o BI reiniciado for igual a COAGE ENTÃO:
2.3.1 - INTERROGAR os BI’s residentes no processador que se utilizem dos serviços de
agendamento prestados pelo BI COAGE através do comando IDBIPR com parâ-
metros PRO Diversos BI’s se utilizam de agendamento: CDESA, CEDET, CODET,
COMED, CONCH, COTEM, GARCI, GECSP, GEJUN, GEMED, GERDS, GMTS7,
GSUAN, GTARI, SAADI, e SUTAM.
2.3.2 - MODIFICAR o estado operacional de todos os BI’s usuários dos serviços de agen-
damento existentes no processador através do comando MEBIPR com parâmetros
PRO,NBI=lista de BI,BLO=BLQ
2.3.3 - Vá para o passo 2.1
2.4 - SENÃO:
2.4.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR o estado operacional do BI no processador através do comando MEBIPR
com parâmetros PRO, NBI, BLO=BLQ
3.2 - Vá para o passo 2.1

244 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_07

AOPPR_07
x BLOQUEIO DE PROCESSADOR

Objetivo: Bloquear um processador da central, deixando-o pronto para manutenção.

Preliminares: N.A.

Restrições: No comando de modificação de estado de processador para os casos em


que haja alguma restrição de execução será solicitado ao operador a permis-
são para bloqueio sem pedido de permissão a gerenciador do processador.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a função controlada pelo processador a ser bloqueado através do comando ID-
BIPR com parâmetros PRO
2 - CASO o processador IGUAL A controlador de Bilhetagem Automática ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPBA_06 (BLOQUEIO FUNCIONAL DA CÉLULA DE BI-
LHETAGEM AUTOMÁTICA)
2.2 - DESATIVAR o acesso ao(s) disco(s) de Bilhetagem Automática através do comando DA-
CEMM
2.3 - Vá para o passo 6
3 - CASO o processador IGUAL A controlador de assinantes ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para todos os assinantes do processador
3.2 - Vá para o passo 6
4 - CASO o processador IGUAL A controlador de juntores ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPJU_02 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE JUNTOR) para todos os juntores do processador
4.2 - Vá para o passo 6
5 - CASO o processador IGUAL A canal comum (sinalização) ENTÃO:
5.1 - MODIFICAR o estado operacional dos enlaces de sinalização para inativo através do co-
mando MDADEL com parâmetros NTS, EOD=INATV para todos os enlaces de sinalização
criados no processador
5.2 - Vá para o passo 6
6 - INTERROGAR o tipo do módulo do processador através do comando IDADPR com parâmetros
PRO
7 - SE o tipo do módulo for igual a MT_Q, MT_QD, MT_QDC, MT_QDD ou MT_QDL ENTÃO:
7.1 - INTERROGAR o processador associado ao processador a ser bloqueado através do co-
mando IDADPR com parâmetros IDT=ASSOC, PRO PRO deve identificar o processador
a ser bloqueado
7.2 - MODIFICAR o estado operacional do processador associado para bloqueado pelo opera-
dor (BO) através do comando MESTPR com parâmetros PRO, BLO=BLQ
7.3 - Vá para o passo 8.1
8 - SENÃO:
8.1 - MODIFICAR o estado operacional do processador para bloqueado pelo operador (BO)
através do comando MESTPR com parâmetros BLO=BLQ,PRO
8.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 245


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_08 Trópico RA

AOPPR_08
x EVOLUÇÃO DE PLACA DE PROCESSADOR

Objetivo: Esta atividade permite atualizar o hardware de placa processadora.

Preliminares: Nova placa processadora disponível.

Restrições: Esta atividade só deve ser executada em horário de baixo tráfego telefônico.

Terminologia: Tipo de placa controladora:


CIT {Placa Controladora Integrada de Terminais},
CTE {Placa Controladora de Terminais},
CCT {Placa Controladora de circuitos terminais},
CCD {Placa Controladora de circuitos de terminais distantes};

Procedimento:
1 - verificar qual tipo de hardware é controlado pelo processador a ser atualizado
2 - CASO processador IGUAL A controlador de assinantes ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPAS_08 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE TERMINAIS DE ASSINANTE) para todos os assinantes do processador
2.2 - Vá para o passo 8
3 - CASO processador IGUAL A controlador de juntores ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPJU_02 (SUPERVISÃO DE ESTADO DE OCUPAÇÃO
DE JUNTOR) para todos os juntores do processador
3.2 - Vá para o passo 8
4 - CASO processador IGUAL A controlador de auxiliares ENTÃO:
4.1 - MODIFICAR o estado operacional dos órgãos auxiliares para o estado bloqueado pelo
operador (BO) através do comando MESTES com parâmetros SIN,BLO=BLQ para todos
os equipamentos auxiliares do processador
4.2 - Vá para o passo 8
5 - CASO processador IGUAL A controlador de comutação ENTÃO:
5.1 - INTERROGAR os processadores que pertencem ao plano de comutação que terá seus
processadores atualizados através do comando IPLNCO
5.2 - MODIFICAR o estado operacional de todos os processadores controladores do plano de
comutação através do comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=BLQ
5.3 - aguardar alguns minutos até que as chamadas em curso terminem
5.4 - Vá para o passo 9
6 - CASO processador IGUAL A controlador de sinalização e sincronismo ENTÃO:
6.1 - Vá para o passo 8
7 - CASO processador IGUAL A canal comum (sinalização) ENTÃO:
7.1 - MODIFICAR o estado operacional dos enlaces de sinalização para inativo através do co-
mando MDADEL com parâmetros NTS, EOD=INATV
7.2 - Vá para o passo 8
8 - MODIFICAR o estado operacional do processador a ser atualizado para o estado bloqueado
pelo operador (BO) através do comando MESTPR com parâmetros PRO,BLO=BLQ
9 - SE houver troca de BI controlador ENTÃO:
9.1 - SUPRIMIR o BI a ser modificado através do comando SDBIPR com parâmetros PRO,NBI
onde NBI é o mnemônico do BI a ser suprimido

246 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_08

9.2 - CRIAR o novo BI controlador através do comando CDBIPR com parâmetros PRO,NBI
onde NBI é o mnemônico do novo BI controlador
9.3 - Vá para o passo 10.1
10 - SENÃO:
10.1 -MODIFICAR o tipo de processador controlador de terminais através do comando MDAD-
PR com parâmetros PRO,TPR onde TPR= novo tipo de placa controladora
10.2 -CASO o tipo de processador a ser substituido IGUAL A CTE ENTÃO:
10.2.1 -Executar atividade de manuseio AMQCTE_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA CTE)
10.2.2 -Executar atividade de manuseio AMQCIT_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA CIT)
10.2.3 -Vá para o passo 11
10.3 -CASO o tipo de processador a ser substituido IGUAL A CIT ENTÃO:
10.3.1 -Executar atividade de manuseio AMQCIT_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA CIT)
10.3.2 -Executar atividade de manuseio AMQCTE_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA CTE)
10.3.3 -Vá para o passo 11
10.4 -CASO o tipo de processador a ser substituido IGUAL A CCT ENTÃO:
10.4.1 -Executar atividade de manuseio AMQCCT_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA CCT)
10.4.2 -Executar atividade de manuseio AMQCCD_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA CCD)
10.4.3 -Vá para o passo 11
10.5 -CASO o tipo de processador a ser substituido IGUAL A CCD ENTÃO:
10.5.1 -Executar atividade de manuseio AMQCCD_RT (PROCEDIMENTO DE RETIRADA
DA PLACA CCD)
10.5.2 -Executar atividade de manuseio AMQCCT_RP (PROCEDIMENTO DE REPOSI-
ÇÃO DA PLACA CCT)
10.5.3 -Vá para o passo 11
11 - aguardar a iniciação do processador novo
12 - CASO processador IGUAL A controlador de assinantes ENTÃO:
12.1 -MODIFICAR o estado operacional dos assinantes do processador para o estado em ser-
viço (ES) através do comando MESTAS com parâmetros NEA,BLO=DBQ desbloqueando
todos os assinantes criados do processador
12.2 -Encerrar a atividade
13 - CASO processador IGUAL A controlador de juntores ENTÃO:
13.1 -MODIFICAR o estado operacional dos juntores do processador para o estado em serviço
(ES) através do comando MESTJU com parâmetros JUN,BLO=DBQ desbloqueando todos
os juntores criados do processador
13.2 -Encerrar a atividade
14 - CASO processador IGUAL A controlador de auxiliares ENTÃO:
14.1 -MODIFICAR o estado operacional dos equipamentos auxiliares do processador para o es-
tado em serviço (ES) através do comando MESTES com parâmetros SIN,BLO=DBQ des-
bloqueando todos os equipamentos auxiliares criados do processador
14.2 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 247


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_08 Trópico RA

15 - CASO processador IGUAL A controlador de comutação ENTÃO:


15.1 -repetir o procedimento para os demais planos de comutação da central
15.2 -Encerrar a atividade
16 - CASO processador IGUAL A controlador de sinalização e sincronismo ENTÃO:
16.1 -repetir o procedimento para os demais planos de sinalização e sincronismo da central
16.2 -Encerrar a atividade
17 - CASO processador IGUAL A canal comum (sinalização) ENTÃO:
17.1 -MODIFICAR o estado operacional dos enlaces de sinalização para ativo através do co-
mando MDADEL com parâmetros NTS, EOD=ATIVO
17.2 -Encerrar a atividade

248 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPPR_10

AOPPR_10
x REINICIAÇÃO DO PROCESSADOR DE OM

Objetivo: Recarregar os dados e programas do processador de OM.

Preliminares: N.A.

Restrições: Esta atividade somente deve ser executada quando for estritamente neces-
sário.
Esta atividade deve ser efetuada em horário de baixo tráfego telefônico.
Devem ser evitados os horários onde há atividades que acessam o OM da
central (evitar, por exemplo, horário comercial).
Essa atividade deve ser realizada por operador familiarizado com a lingua-
gem LCPP.

Terminologia: - Há comando nesta atividade que não é comando CHM, e segue a sintaxe
"nome_do_comando parâmetros ", onde indica que a tecla "RETURN" ou
"ENTER", dependendo do terminal utilizado, deve ser pressionada.
- Ao ser (re)iniciado o processador de OM, no terminal de LCPP, o sistema
fará uma pergunta ao operador, como segue:
1)Carregar apenas LCPP
Significa que o processo de iniciação somente será executado até colocar o
sistema operacional disponível, permitindo que somente o terminal LCPP
possa ser utilizado com comandos SOP.
2)Carregar OM mínimo
Significa que além do sistema operacional serão também carregados os BI’s
considerados essenciais à central. Os demais BI’s que compõem o OM se-
rão falsamente carregados, não permitindo que nenhum comando a eles
pertencentes possa ser executado. Esta configuração de software permite
uma rápida reiniciação do OM quando a central se encontrar em situação
emergencial; nesta configuração mínima somente os comandos de interro-
gação dos BI’s essenciais podem ser executados. Para carregar o OM com-
pletamente, torna-se necessário reiniciar novamente o processador.
3)Carregar OM normalmente
Significa que o processo de carga do OM se dará normalmente, onde serão
carregados todos os BI’s que compõem o OM. Após ser apresentada a per-
gunta, o sistema aguarda 5 segundos por alguma resposta; findo este prazo
o OM se iniciará normalmente (opção 3).
- LCPP - Linguagem de Comandos do Sistema Operacional dos processa-
dores do TRÓPICO RA.

Procedimento:
1 - ATIVAR a operação de back-up dos contadores de pulsos de tarifação (assinantes e TP’s) atra-
vés do comando ABCKTA
2 - ATIVAR a atualização de todas as tabelas relativas aos contadores de tarifação de rotas tarifa-
das em número de lista através do comando ATACTA
3 - DESATIVAR o acesso dos processadores da central ao processador de OM através do coman-
do DAOMPR
4 - ativar a reiniciação do processador de OM da central através da execução do comando shut no
terminal LCPP com o seguinte formato:
lcpp> shut
5 - aguardar a reinicição do OM pela configuração completa (opção 3) até que aceite a abertura de
sessão (TERMINAL LIVRE)

Versão S11.1 249


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPPR_10 Trópico RA

6 - ATIVAR o acesso dos processadores da central ao processador de OM através do comando


AAOMPR
7 - Encerrar a atividade

250 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPRO_00

24
x

Recurso RO : ROTA

AOPRO_00 CRIAÇÃO DE ROTA

Objetivo: Criar logicamente uma rota, atribuindo-lhe a classificação e identidade apro-


priada.

Preliminares: Ordem de serviço;


Grupo de rotas criado na árvore de análise para encaminhamento.

Restrições: Para configurar uma central com grande quantidade de rotas (acima de 150),
recomenda-se criar até o máximo de 150 rotas com a mesma direcionalida-
de, tomando-se o cuidado de desbloqueá-las antes de continuar a criação
das demais rotas.

Terminologia: São assumidos os seguintes valores padrão para rota de entrada ou saída:
SIS = ATIVA (Supervisão de insucessos sucessivos p/ rota ativa)
CAL = AUTOMA (Cálculo automático de limite de insucessos sucessivos)
LAI = receberá valor inicial dependente do total de juntores da central e da
probabilidade de perda de chamada de 70%
LBC = 1
São assumidos os seguintes valores padrão para rota de saída:
CVE = SEMPV (Sem ponto de verificação)
CLB = NORMAL (Liberação normal)
CBU = CICLI (Busca pelo método cíclico)
CMT = NORMAL (Tarifação normal) - Se não é tarifação em assinante
CMT = REVERSA (Tarifação reversa) - Se é tarifação em assinante
PRA = 0 (Prioridade de referência para assinante)
PRE = 0 (Prioridade de referência para rota de entrada)
PMO = 0 (Prioridade de referência para rota de entrada de mesa operadora)
TSE = SSEMTF (Serviço sem tarifação)
Caso os parâmetros sejam omitidos os seguintes são assumidos:
CAM = COMTOM (Sincronizada com tom de controle)
SEL = ATSIM (Atendimento simples)
CRT = NORMAL (Rota sem tarifação)
CAP = NORMAL

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a rota desejada está criada através do comando IDADRO
2 - SE a rota estiver criada ENTÃO:
2.1 - Conferir os dados da rota na ordem de serviço e tomar as providências cabíveis
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Verificar na ordem de serviço a sinalização pretendida para a rota
3.2 - SE a sinalização pretendida for Sinalização por Canal Comum N.7 ENTÃO:
3.2.1 - Executar atividade operacional AOPEP_01 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENDERE-
çAMENTO A PONTO DE SINALIZAÇÃO N.7)
3.2.2 - Vá para o passo 3.4
3.3 - SENÃO:

Versão S11.1 251


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPRO_00 Trópico RA

3.3.1 - Vá para o passo 3.4


3.4 - Verificar na ordem de serviço a direcionalidade pretendida para a rota
3.5 - CASO rota IGUAL A rota de entrada ENTÃO:
3.5.1 - CRIAR a rota de entrada através do comando CDADRO
3.5.2 - Verificar na ordem de serviço, se a rota tem a tarifação em assinante
3.5.3 - SE houver tarifação em assinante na rota ENTÃO:
3.5.3.1 -CRIAR o número de lista do assinante associado à rota através do comando CDA-
DAS com parâmetros ASS, ROT
3.5.3.2 -Vá para o passo 3.5.5
3.5.4 - SENÃO:
3.5.4.1 -Vá para o passo 3.5.5
3.5.5 - CRIAR os dados de encaminhamento através do comando CROTEN
3.5.6 - Vá para o passo 3.6.6
3.6 - CASO rota IGUAL A rota de saída ENTÃO:
3.6.1 - CRIAR a rota de saída através do comando CDADRO
3.6.2 - Verificar na ordem de serviço, se a rota tem a tarifação em assinante
3.6.3 - SE houver tarifação em assinante na rota ENTÃO:
3.6.3.1 -CRIAR o número de lista do assinante associado à rota através do comando CDA-
DAS com parâmetros ASS, ROT
3.6.3.2 -Vá para o passo 3.6.5
3.6.4 - SENÃO:
3.6.4.1 -Vá para o passo 3.6.5
3.6.5 - CRIAR os dados de encaminhamento através do comando CDROEN
3.6.6 - Verificar se é necessário alterar dados da rota
3.6.7 - SE for necessário alterar dados da rota ENTÃO:
3.6.7.1 -MODIFICAR os dados associados a rota através do comando MDADRO
3.6.7.2 -Vá para o passo 3.6.8.1
3.6.8 - SENÃO:
3.6.8.1 -Executar atividade operacional AOPGJ_00 (CRIAÇÃO DE GRUPO DE JUNTO-
RES) de acordo com as característica físicas e funcionais dos grupos de juntores
3.6.8.2 -MODIFICAR o estado operacional da rota através do comando MESTRO com pa-
râmetros BLO=DBQ
3.6.8.3 -Encerrar a atividade

252 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPRO_01

AOPRO_01
x SUPRESSÃO DE ROTA

Objetivo: Retirar uma rota da central.

Preliminares: Ordem de serviço;


Grupos de juntores associados a esta rota já suprimidos.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional da rota através do comando MESTRO com parâmetros
BLO=BLQ
2 - INTERROGAR a direcionalidade da rota através do comando IDADRO
3 - CASO rota IGUAL A rota de saída ENTÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEN_22 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE SAI-
DA PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS) para os grupos que acessem a rota
3.2 - Vá para o passo 4.2
4 - CASO rota IGUAL A rota de entrada ENTÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPEN_21 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ROTA DE EN-
TRADA PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
4.2 - Executar atividade operacional AOPGJ_01 (SUPRESSÃO DE GRUPO DE JUNTORES)
para todos os grupos da rota
4.3 - INTERROGAR a sinalização utilizada na rota através do comando IDADRO com parâme-
tros ROT
4.4 - SE a sinalização utilizada for Sinalização por Canal Comum (ISUP ou TUP) ENTÃO:
4.4.1 - Executar atividade operacional AOPEC_01 (SUPRESSÃO DE DADOS DE ENCA-
MINHAMENTO DE SINALIZAÇÃO N.7)
4.4.2 - Vá para o passo 4.5.1
4.5 - SENÃO:
4.5.1 - SUPRIMIR a rota através do comando SDADRO
4.5.2 - SE houver tarifação em assinante na rota suprimida ENTÃO:
4.5.2.1 -SUPRIMIR os dados de assinante associado à rota através do comando SDADAS
com parâmetros ASS, ROT
4.5.2.2 -Encerrar a atividade
4.5.3 - SENÃO:
4.5.3.1 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 253


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPRO_02 Trópico RA

AOPRO_02
x ABERTURA DE ROTA

Objetivo: Esta atividade tem por objetivo dar uma relação de todos os procedimentos
necessários para abertura de uma nova rota na central considerando os as-
pectos, de instalação de juntores, criação de dados de encaminhamento e
de tarifação.

Preliminares: Rota, Grupo de Juntores e Juntores Não Criados.


Dados de Encaminhamento para o código de numeração do destino não cri-
ados.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPRO_00 (CRIAÇÃO DE ROTA)
2 - ATIVAR cópia de plano ativo em um plano opcional sobre o qual serão efetuadas as alterações
através do comando ACOPEN
3 - Executar atividade operacional AOPEN_02 (CRIAÇÃO DE DADOS DE GRUPO DE ROTAS
PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
4 - Executar atividade operacional AOPEN_05 (CRIAÇÃO DE DADOS NA MATRIZ DE TARIFA-
ÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
5 - Executar atividade operacional AOPEN_03 (CRIAÇÃO DE DADOS DE ENCAMINHAMENTO
DE CHAMADAS)
6 - Executar atividade operacional AOPEN_04 (CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE NUMERAÇÃO PARA
ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
7 - ATIVAR a carga da tabela opcional modificada sobre a tabela reserva através do comando
ACAREN
8 - Executar atividade operacional AOPCE_09 (CHAMADA DE TESTE DIRIGIDA) para testar a ta-
bela reserva
10 - Verificar os resultados da chamada de teste
11 - SE o resultado do teste foi normal ENTÃO:
11.1 -ATIVAR a comutação da tabela reserva para ativa através do comando ACOMEN
11.2 -Encerrar a atividade
12 - SENÃO:
12.1 -Tomar as medidas cabíveis para correção
12.2 -Vá para o passo 8

254 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSP_00

25
x

Recurso SP : SINALIZAÇÃO DE PROCESSADOR

AOPSP_00 SUPERVISÃO DE SINALIZAÇÃO DE PROCESSADOR

Objetivo: Verificar o comportamento do processador quanto a sinalização. A supervi-


são do processador é feita durante um período de tempo definido no coman-
do de ativação após o qual são obtidos os valores dos contadores de
sucesso ou insucesso através do comando de interrogação.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe supervisão em andamento para o processador através do comando
ISESSP
2 - SE existir ENTÃO:
2.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - ATIVAR supervisão estatística de sinalização de processador através do comando
ASESSP
3.2 - Aguardar o tempo especificado no comando ASESSP
3.3 - INTERROGAR os dados da supervisão estatística através do comando ISESSP

Versão S11.1 255


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPSP_01 Trópico RA

AOPSP_01
x CRIAÇÃO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Colocar um novo plano em serviço. Geralmente utilizado na expansão da


central.

Preliminares: E necessário que todo o hardware do novo plano esteja instalado e energi-
zado. O hardware inclui as placas e cabos.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado de sinalização do plano através do comando IEPLSP
2 - SE o estado do plano for igual a NÃO CRIADO - NC ENTÃO:
2.1 - CRIAR plano de sinalização de processador através do comando CPLASP
2.2 - Executar atividade operacional AOPSP_04 (DESBLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZA-
ÇÃO)
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

256 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSP_02

AOPSP_02
x SUPRESSÃO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Suprimir um plano da central com o objetivo de isolar definitivamente o plano


podendo inclusive ser retirado o hardware relativo ao mesmo.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPSP_03 (BLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO)
2 - SUPRIMIR plano de sinalização de processador através do comando SPLASP

Versão S11.1 257


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPSP_03 Trópico RA

AOPSP_03
x BLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: O bloqueio do plano visa tirá-lo de serviço temporariamente para manuten-


ção do hardware associado ao mesmo.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o plano de sinalização escolhido para ser bloqueado está em serviço ou em
supervisão através do comando IEPLSP
2 - CASO estado do plano IGUAL A em serviço ou em supervisão ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional de todos os processadores para não acessar o plano
escolhido através do comando MEAPSP com parâmetros BLO=BLQ
2.2 - MODIFICAR o estado operacional do plano de sinalização escolhido através do comando
MEPLSP com parâmetros BLO=BLQ
2.3 - Encerrar a atividade
3 - CASO estado do plano IGUAL A bloqueado por falha ENTÃO:
3.1 - Vá para o passo 2.2

258 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSP_04

AOPSP_04
x DESBLOQUEIO DE PLANO DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Colocar um plano em serviço após a manutenção do hardware associado ao


mesmo.

Preliminares: Plano de sinalização criado e bloqueado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado de sinalização do plano através do comando IEPLSP
2 - SE o estado do plano for igual a BLOQUEADO ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do plano de sinalização através do comando MEPLSP
com parâmetros BLO=DBQ para o plano desejado
2.2 - MODIFICAR o estado operacional dos processadores para acesso ao plano de sinalização
através do comando MEAPSP com parâmetros BLO=DBQ
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 259


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPSP_05 Trópico RA

AOPSP_05
x BLOQUEIO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: O bloqueio de um enlace num plano visa a manutenção do hardware asso-


ciado a este enlace.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado operacional do enlace de sinalização através do comando IESESP
2 - SE o enlace estiver bloqueado pelo operador ou não criado ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional dos processadores para acesso ao plano de sinalização
através do comando MEAPSP com parâmetros BLO=BLQ para todos os processadores
do enlace
2.2 - MODIFICAR estado operacional do enlace de sinalização no plano através do comando
MESESP com parâmetros BLO=BLQ
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

260 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSP_06

AOPSP_06
x DESBLOQUEIO DE ENLACE DE SINALIZAÇÃO

Objetivo: Este procedimento visa colocar em serviço um enlace em um plano após a


manutenção do hardware associado ao mesmo.

Preliminares: Enlace bloqueado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o estado de sinalização do enlace no plano através do comando IESESP
2 - SE o estado do enlace for igual a BLOQUEADO ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do enlace de sinalização no plano através do comando
MESESP com parâmetros BLO=DBQ para o enlace desejado
2.2 - MODIFICAR o estado operacional do processador para acesso no plano através do co-
mando MEAPSP com parâmetros BLO=DBQ para todos os processadores do enlace
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 261


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPSS_00 Trópico RA

26
x

Recurso SS : SERVIÇO SUPLEMENTAR

AOPSS_00 ATRIBUIÇÃO DE SERVIÇO SUPLEMENTAR

Objetivo: Criar um serviço suplementar que exige habilitação prévia em um assinante


criado ou em todos os assinantes-ramais de um grupo de cliente.

Preliminares: Ordem de Serviço;


Para cada assinante envolvido:
Placa de terminal presente;
Processadores de controlador de assinante e serviços suplementares equi-
pados, criados e iniciados;
Placa de assinante equipada;

Restrições: Para assinantes RDSI somente podem ser criados os serviços: RIT, RIP,
RCH, CER, SUU,GFU, ICO, RCP e RCT.
Para assinantes analógicos podem ser criados os serviços: BCC, LDT, LEX,
DAB, DAT,CST, COT,CNF, TAT, TTM, TNR, NPT, TLO, CES, RDC e CRE.
Para assinantes pertencentes a grupos de clientes podem ser criados os
serviços: BCC, LDT, LEX, DAB, DAT, CST, COT, CNF, TTM, TNR, NPT,
TLO,CES, CRE, BDC, CAD, CHR e TGC.
Para Grupo de Busca de grupo de cliente, somente devem ser criados os
serviços: TGC, TTM,TNR e TLO.

Terminologia: Serviços Suplementares que exigem habilitação:


BDC Bloqueio de chamadas DLC/DIC
BCC Bloqueio controlado de chamadas originadas
CAD Cadeado eletrônico
CER Chamada em espera para assinante RDSI
CES Chamada em espera
CHR Chamada de retorno
CNF Conferência
COT Consulta e transferência
CRE Chamada registrada
CST Consulta
DAB Discagem abreviada
DAT Despertador automático
ICO Identificação do número conectado
LDT Linha direta
LEX Linha executiva
NPT Não perturbe
RCH Retenção de chamadas
RCP Restrição de apresentação do número conectado - permanente
RCT Restrição de apresentação do número conectado - temporário
RDC Registro detalhado de chamadas originadas
RIP Restrição apres.da identidade chamador modo permanente
RIT Restrição apres.da identidade chamador modo temporário
SUU Sinalização usuário - usuário
TAT Transferência automática para telefonista
TGC Telefonista de grupo de cliente
TLO Transferência em caso de linha ocupada
TNR Transferência em caso de não responde
TTM Transferência temporária

262 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSS_00

Procedimento:
1 - Verificar se a ação é sobre um assinante ou todos os assinantes-ramais de um grupo de cliente
2 - SE a ação for para um assinante ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 7
4 - INTERROGAR se o assinante está habilitado a ter serviços suplementares através do comando
IDADAS
5 - SE estiver habilitado a ter serviços suplementares ENTÃO:
5.1 - CRIAR dados de serviços suplementares através do comando CDADSS
5.2 - Encerrar a atividade
6 - SENÃO:
6.1 - MODIFICAR o assinante a ter serviços suplementares através do comando MDADAS com
parâmetros ASS, CSS=SSPRE
6.2 - Anotar o contador de tarifação do assinante na ordem de serviço
6.3 - Vá para o passo 5.1
7 - INTERROGAR se algum dos assinantes-ramais do grupo de cliente não está habilitado para
serviços suplementares através do comando ISIMAS com parâmetros GRC , CSS=SSAUS
8 - SE a lista obtida for vazia ENTÃO:
8.1 - Vá para o passo 10
9 - SENÃO:
9.1 - MODIFICAR os dados de assinantes para os ramais do grupo de cliente através do coman-
do MDADAS com parâmetros GRC , CSS=SSPRE Todos os ramais do grupo passam a
ter a habilitação
10 - CRIAR dados de serviços suplementares para todos os ramais do grupo de cliente através do
comando CDADSS Identificar o grupo por GRC ou IGC
10.1 -Encerrar a atividade

Versão S11.1 263


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPSS_01 Trópico RA

AOPSS_01
x PROGRAMAÇÃO/CANCELAMENTO DE INFORMAÇÕES SUPLE-
MENTARES EM SERV. SUPLEM.

Objetivo: Programar ou cancelar as informações suplementares em um assinante que


já tenha atribuido um serviço suplementar. Realizar também essa programa-
ção ou cancelamento para todos os assinantes-ramais de um grupo de cli-
ente com relação a um serviço já atribuido aos mesmos.

Preliminares: Se esta atividade for tarifável através de pulsos no contador do assinante,


certifique-se do número do assinante a ser programado para evitar erros de
tarifação.

Restrições: Para Grupos de Busca, somente podem ter programação/cancelamento so-


bre seu número-chave para: Transferência Programada Incondicional
(TTM), Transferência Programada por não Atendimento NR (TNR) e Trans-
ferência Programada por não Atendimento LO (TLO).

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se a ação a ser efetuada é programação ou cancelamento
2 - SE a ação for programação ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR os dados das informações suplementares para realizar o cancelamento do
serviço através do comando MDADSS ASS ou GRC, SSU e OBJ=CANC
3.2 - Encerrar a atividade
4 - MODIFICAR os dados das informações suplementares para realizar a programação do serviço
através do comando MDADSS ASS ou GRC, SSU e OBJ=PROG
4.1 - Encerrar a atividade

264 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPSS_02

AOPSS_02
x RETIRADA DE SERVIÇO SUPLEMENTAR

Objetivo: Retirar um serviço suplementar - que exige habilitação - de um assinante ou


de todos os assinantes-ramais de um grupo de cliente.

Preliminares: Assinante(s) com o serviço criado e não programado, quando for o caso.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Verificar se a ação é sobre um assinante ou sobre todos os ramais de um grupo de cliente
2 - SE for sobre um assinante ENTÃO:
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO:
3.1 - Vá para o passo 7
4 - Verificar se o serviço é RDC (Registro Detalhado de Chamadas)
5 - SE o serviço for RDC ENTÃO:
5.1 - INTERROGAR o registro detalhado de chamadas originadas do assinante em impressora
através do comando IRDCCE com parâmetros ASS
5.2 - Vá para o passo 6.3.1
6 - SENÃO:
6.1 - INTERROGAR se o assinante a ter o serviço retirado possui programação para o mesmo
através do comando IDADAS com parâmetros ASS
6.2 - SE o assinante possui programação ENTÃO:
6.2.1 - MODIFICAR os dados de informações suplementares para cancelar a programa-
ção do serviço através do comando MDADSS com parâmetros ASS , SSU ,
OBJ=CANC
6.2.2 - Vá para o passo 6.3.1
6.3 - SENÃO:
6.3.1 - SUPRIMIR o serviço suplementar do assinante através do comando SDADSS com
parâmetros ASS , SSU
6.3.2 - Encerrar a atividade
7 - INTERROGAR se o grupo de cliente a ter o serviço retirado possui programação para o mesmo
para pelo menos um ramal através do comando IDADSS com parâmetros GRC , SSU
8 - SE o grupo possuir programação para um ou mais ramais ENTÃO:
8.1 - MODIFICAR os dados de informações suplementares para cancelar a programação do
serviço através do comando MDADSS com parâmetros GRC , SSU , OBJ=CANC
8.2 - Vá para o passo 9.1
9 - SENÃO:
9.1 - SUPRIMIR o serviço suplementar do grupo de cliente através do comando SDADSS com
parâmetros GRC , SSU
9.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 265


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTA_00 Trópico RA

27
x

Recurso TA : TARIFAÇÃO

AOPTA_00 CRIAÇÃO DE CÓDIGO DE TARIFA

Objetivo: Criar um código de tarifa, que associado a classificação do assinante define


a classe de tarifa da chamada.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência da classe de tarifa através do comando ICLATA para a tabela nor-
mal
2 - INTERROGAR a existência da classe de tarifa através do comando ICLATA para a tabela re-
versa
3 - SE a classe de tarifa existir ENTÃO:
3.1 - CRIAR código de tarifa através do comando CCODTA
3.2 - Encerrar a atividade
4 - SENÃO:
4.1 - Executar atividade operacional AOPTA_01 (CRIAÇÃO DE CLASSE DE TARIFA)
4.2 - Vá para o passo 3.1

266 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTA_01

AOPTA_01
x CRIAÇÃO DE CLASSE DE TARIFA

Objetivo: Criar uma classe de tarifa que em conjunto com o horário da chamada define
completamente a tarifa.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR a existência do grupo de agendamento através do comando IMODTA
2 - SE o grupo de modalidade de tarifa existir ENTÃO:
2.1 - CRIAR classe de tarifa através do comando CCLATA para a tabela normal
2.2 - CRIAR classe de tarifa através do comando CCLATA para a tabela reversa
2.3 - INTERROGAR se é necessário agendamento da modalidade através do comando IAGE-
TA
2.4 - SE for necessário agendamento ENTÃO:
2.4.1 - Executar atividade operacional AOPTA_05 (CRIAÇÃO DE AGENDA DE TARIFA-
ÇÃO)
2.4.2 - Encerrar a atividade
2.5 - SENÃO:
2.5.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR o grupo de modalidade de tarifa através do comando CGMOTA
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 267


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTA_02 Trópico RA

AOPTA_02
x SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE TARIFA

Objetivo: Suprimir um código de tarifa.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe código de tarifa sendo usado através do comando IMATEN
2 - SE existir código de tarifa usado ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPEN_14 (SUPRESSÃO DE DADOS NA MATRIZ DE
TARIFAÇÃO PARA ENCAMINHAMENTO DE CHAMADAS)
2.2 - Vá para o passo 1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR código de tarifa através do comando SCODTA
3.2 - Encerrar a atividade

268 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTA_03

AOPTA_03
x SUPRESSÃO DE CLASSE DE TARIFA

Objetivo: Suprimir uma classe de tarifa.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe classe de tarifa sendo usado através do comando ICODTA
2 - SE existir classe de tarifa sendo usada ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPTA_02 (SUPRESSÃO DE CÓDIGO DE TARIFA)
2.2 - Vá para o passo 1
3 - SENÃO:
3.1 - SUPRIMIR classe de tarifa através do comando SCLATA
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 269


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTA_04 Trópico RA

AOPTA_04
x SUPRESSÃO DE GRUPO DE MODALIDADE DE TARIFA

Objetivo: Suprimir um grupo de modalidade de tarifa.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe grupo de modalidade de tarifa sendo usado através do comando ICLA-
TA
2 - SE existir grupo de modalidade de tarifa sendo usado ENTÃO:
2.1 - Executar atividade operacional AOPTA_03 (SUPRESSÃO DE CLASSE DE TARIFA)
2.2 - Vá para o passo 1
3 - SENÃO:
3.1 - INTERROGAR se existe agenda de tarifação criada através do comando IAGETA
3.2 - SE existir agenda de tarifação criada ENTÃO:
3.2.1 - SUPRIMIR agenda de tarifação através do comando SAGETA
3.2.2 - Vá para o passo 3.1
3.3 - SENÃO:
3.3.1 - SUPRIMIR grupo de modalidade de tarifa através do comando SGMOTA
3.3.2 - Encerrar a atividade

270 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTA_05

AOPTA_05
x CRIAÇÃO DE AGENDA DE TARIFAÇÃO

Objetivo: Criar agenda para um grupo de modalidade de tarifação.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe grupo de modalidade de tarifa através do comando IMODTA
2 - SE o grupo de modalidade de tarifa existir ENTÃO:
2.1 - CRIAR a agenda de tarifação através do comando CAGETA para os dias úteis
2.2 - CRIAR a agenda de tarifação através do comando CAGETA para o dia de sábado
2.3 - CRIAR a agenda de tarifação através do comando CAGETA para o dia de domingo
2.4 - CRIAR a agenda de tarifação através do comando CAGETA para os dias feriados
2.5 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR o grupo de modalidade de tarifa através do comando CGMOTA
3.2 - Vá para o passo 2.1

Versão S11.1 271


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTA_06 Trópico RA

AOPTA_06
x OBTENÇÃO DE TABELA DE FATURAMENTO DA CENTRAL

Objetivo: Obter uma cópia da tabela de faturamento em memória de massa portátil.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: O leiaute do arquivo de contadores de multimedição é apresentado abaixo:


Em função da funcionalidade PABX Virtual, o arquivo de faturamento dos
pulsos multimedidos foi alterado. O aspecto geral do arquivo não sofreu ne-
nhuma alteração como mostra a figura abaixo.

---------------------------------------------------------
| Cabeçalho |
---------------------------------------------------------
| Primeiro bloco de contadores |
---------------------------------------------------------
: . :
: . :
: . :
---------------------------------------------------------
| Último bloco de contadores |
---------------------------------------------------------
| Número total de blocos |
---------------------------------------------------------
| Finalizador |
---------------------------------------------------------

Cabeçalho: É formado por um campo de identificação da central (6 caracte-


res), seguido por um campo de data (8 caracteres).

--------------------------------------------------------
| Identificação da central | Data |
--------------------------------------------------------

Bloco de Contadores por Número de Lista: Cada bloco de contadores con-


tém os contadores de 100 assinantes composto da seguinte forma:
a) Um campo contendo o número nacional do primeiro assinante do bloco
(12 dígitos);
b) 300 campos (8 dígitos cada) contendo os 300 contadores relativos aos
100 assinantes, onde, os três primeiros se referem respectivamente ao con-
tador de chamadas externas, contador de chamadas internas e contador de
uso efetivo de facilidades do primeiro assinante do bloco, os três sub-
seq"uentes ao segundo assinante, e assim sucessivamente;
c) Um campo final - Totalizador do bloco - (12 dígitos) contendo a somatória
dos 300 contadores que deve ser utilizado para a verificação de consistência
da tabela.

---------------------------------------------------------
| Número de lista do 1 assinante do bloco |
---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas externas do 1 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas internas do 1 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de uso de facilidade do 1 ass. |

272 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTA_06

---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas externas do 2 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas internas do 2 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de uso de facilidades do 2 ass. |
---------------------------------------------------------
: . :
: . :
: . :
---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas externas do 100 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de chamadas internas do 100 ass. |
---------------------------------------------------------
| Contador de uso de facilidades do 100 ass. |
---------------------------------------------------------
| Totalizador do bloco |
---------------------------------------------------------

Número total de blocos: O penúltimo campo (3 dígitos) do arquivo contém o


número total de blocos de contadores.
Finalizador: O último campo é formado por 2 caracteres "$", indicando final
de arquivo.

Procedimento:
1 - Verificar o tipo de memória de massa portátil a ser utilizada para obtenção de cópia de tabela
de faturamento da central
2 - CASO O tipo de memória de massa IGUAL A disco flexível ENTÃO:
2.1 - ATIVAR Formatar a tabela de faturamento através do comando AFTATA com parâmetros
FMT=ASCII Para o parâmetro TAB selecionar ROT, ASS ou FMT (conforme seja tabela de
rota ou assinante)
2.2 - Aguardar a emissão da mensagem SUTAM_08
2.3 - ATIVAR A cópia da tabela de faturamento para o disco flexível através do comando ACO-
AMM com parâmetros AQO=/USR/tabfat.DAT,AQD Para o parâmetro AQD deve ser iden-
tificado a unidade de disco flexível na central
2.4 - Encerrar a atividade
3 - CASO O tipo de memória de massa IGUAL A fita magnética ENTÃO:
3.1 - ATIVAR A formatação da tabela de faturamento através do comando AFTATA com parâ-
metros FMT=EBCDIC Para o parâmetro TAB selecionar ROT, ASS ou FMT (conforme seja
tabela de rota ou assinante)
3.2 - Aguardar a emissão da mensagem SUTAM_08
3.3 - Introduzir a fita magnética no controlador e carrega-la
3.4 - ATIVAR O acesso a fita magnética através do comando AACEMM com parâmetros
ULG,PAD=SL
3.5 - INTERROGAR A identificação da fita magnética através do comando ICABMM
3.6 - ATIVAR A cópia da tabela de faturamento através do comando ACOAMM com parâmetros
AQO=/USR/tabfatEBC.DAT,ULG,NFM O parâmetro NFM foi obtido no passo anterior
3.7 - DESATIVAR O acesso a fita magnética através do comando DACEMM com parâmetros
ULG
3.8 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 273


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTA_07 Trópico RA

AOPTA_07
x TRANSFERÊNCIA DA TABELA DE FATURAMENTO VIA REDE
ETHERNET

Objetivo: Transferir uma cópia da tabela de faturamento para um equipamento perten-


cente a mesma rede que a central pertence

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR A formatação da tabela de faturamento através do comando AFTATA com parâmetros
FMT,TAB Para o parâmetro FMT selecionar a condição desejada dos dados da tabela de fatu-
ramento: ASCII ou EBCDIC, para o parâmetro TAB selecionar ROT, ASS ou FMT (conforme
seja tabela de rota ou assinante)
2 - Aguardar a emissão da mensagem SUTAM_08
3 - No equipamento destino, abrir uma sessão TFTP
4 - ATIVAR Transferência da tabela de faturamento através do comando ACOAMM com parâme-
tros AQO,AQD,END,TPO=ENVIA Para AQO /USR/tabfat.DAT para codificação ASCII e /USR/
tabfatEBC.DAT para a codificação EBCDIC, e END=endereço TCP do equipamento destino
5 - No equipamento destino, fechar a sessão TFTP
6 - Encerrar a atividade

274 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTE_00

28
x

Recurso TE : TEMPORIZAÇÃO

AOPTE_00 MEDIÇÃO DE DENSIDADE DE DURAÇÃO DE CHAMADAS

Objetivo: Obter a Densidade de Chamadas de acordo com a duração de conversação


em intervalos de tempo previamente definidos.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada..
A aquisição de dados de duração de chamadas da central é contínua sem
necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15, 30 a 45).
O relatório de densidade de duração de chamadas está disponível para o dia
anterior.
O Relatório apresenta a incidência de chamadas de acordo com a duração
de conversação em intervalos de tempo previamente definidos para os trá-
fegos local, regional, nacional e internacional.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de densidade de duraçao de chamada através do comando IDURTE
2 - SE os dados obtidos tiveram a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados obtidos no relatorio

Versão S11.1 275


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTE_01 Trópico RA

AOPTE_01
x MEDIÇÃO DE TEMPORIZAÇÕES DE ALOCAÇÃO E TELEFÔNI-
CAS

Objetivo: Obter um acompanhamento da atuação de diversas temporizações telefôni-


cas da central, mostrando a qualidade de ocorrência, os valores inferiores,
superiores e médios para as chamadas eficientes e ineficientes.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de temporização de alocação e telefônicas é contínua
sem a necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15, 30, 45).
O relatório de medições de temporização de alocação e telefônica está dis-
ponível para os últimos quinze minutos (QUINZ), última hora (ULTHO), dia
anterior e Hora de maior movimento da central (HMMCE).

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de temporização de alocação e telefônica através do comando IDA-
MTE sem parâmetros
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados dados obtidos, interrogando-os novamente no período subse-
qüente
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados obtidos

276 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTE_02

AOPTE_02
x MODIFICAÇÃO DE DADOS DE TEMPORIZAÇÃO

Objetivo: Modificar o valor nominal ou o valor de referência de uma dada temporiza-


ção, permitindo assim uma melhor utilização das temporizações na central.

Preliminares: E possível obter os valores nominais e de referência para todas as tempori-


zações e ainda os valores de limite inferior e superior de tempo para as tem-
porizações modificáveis pelo operador, pois as modificáveis tem seus
valores já estabelecidos na central.

Restrições: Somente as temporizações cujo mnemônico inicia com a letra "T" podem ser
modificadas pelo operador, excetuando-se a temporização OCUPRG que
embora não inicie com a letra "T" é pode ser alterada pelo operador.

Terminologia: Valor nominal de uma temporização (VLN) valor nominal (default) de uma
temporização da central estabelecido durante a configuração do sistema. É
utilizado caso o operador não defina VPE - Valor de temporização pedido
pelo operador.
Valor de Referência de uma temporização (VRF), utilizado para fins estatís-
ticos para que em uma chamada, uma temporização não ultrapasse um cer-
to valor de referência para esta temporização

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de temporizaçao através do comando IDADTE
2 - MODIFICAR os dados de temporizaçao através do comando MDADTE

Versão S11.1 277


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTG_00 Trópico RA

29
x

Recurso TG : TÍTULO GLOBAL

AOPTG_00 CRIAÇÃO DE DADOS DE TÍTULO GLOBAL

Objetivo: Criar logicamente um título global, indicando seu tipo, sua natureza e o DPC
a ele associado.

Preliminares: Ordem de serviço;


DPC correspondente criado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o DPC associado está criado através do comando IDADEP
2 - SE o DPC estiver criado ENTÃO:
2.1 - CRIAR o título global através do comando CDADTG
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Executar atividade operacional AOPEP_00 (CRIAÇÃO DE ENDEREÇAMENTO DE SINA-
LIZAÇÃO N.7) Para criar o DPC correspondente
3.2 - Vá para o passo 2.1

278 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTG_01

AOPTG_01
x SUPRESSÃO DE DADOS DE TÍTULO GLOBAL

Objetivo: Suprimir o título global, retirando a associação feita ao DPC correspondente.

Preliminares: Ordem de Serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - SUPRIMIR o título global através do comando SDADTG

Versão S11.1 279


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTL_00 Trópico RA

30
x

Recurso TL : TESTADOR DE LINHA

AOPTL_00 CRIAÇÃO DE TESTADOR

Objetivo: Criação de dados de testador de linha de assinante e/ou associar processa-


dor de assinantes ao testador.

Preliminares: Na criação do testador, os cuidados a serem tomados são:


- o processador deve estar criado com controlador de testador;
- na posição indicada deve estar criada uma placa ROT;
- o processador a ser associado ao testador deve conter BI de assinante.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o testador já está criado através do comando IDADTL
2 - SE o testador já estiver criado ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o estado operacional do testador de linha através do comando MESTTL com
parâmetros BLO=BLQ
2.2 - CRIAR a associação de processadores de assinante ao testador através do comando
CDADTL
3 - SENÃO:
3.1 - CRIAR dados de testador de linha através do comando CDADTL

280 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTL_01

AOPTL_01
x SUPRESSÃO DE TESTADOR

Objetivo: Suprimir o testador de linha de assinante ou desassociar processador de as-


sinantes do testador.

Preliminares: O processador de assinante deve estar associado ao testador;


Não deve haver processadores de assinante associado ao testador.
O controlador do testador deve estar em serviço

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do testador de linha através do comando MESTTL com pa-
râmetros BLO=BLQ
2 - SUPRIMIR o testador ou desassociar processadores de assinante do testador através do co-
mando SDADTL

Versão S11.1 281


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTL_02 Trópico RA

AOPTL_02
x MODIFICAÇÃO DE LIMITES DE QUALIFICAÇÃO

Objetivo: Modificação de limites para qualificação de testes.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR o estado operacional do testador de linha através do comando MESTTL com pa-
râmetros BLO=BLQ
2 - MODIFICAR os limites de qualificação relativos ao testador através do comando MLIQTL
3 - MODIFICAR o estado operacional do testador de linha através do comando MESTTL com pa-
râmetros BLO=DBQ

282 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTL_03

AOPTL_03
x MODIFICAÇÃO DE LIMITES DE SUPERVISÃO

Objetivo: Modificação do limite de supervisão de insucessos sucessivos.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - DESATIVAR teste coletivo de assinante através do comando DTCOAS
2 - MODIFICAR o limite de supervisão através do comando MLISTL

Versão S11.1 283


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTM_00 Trópico RA

31
x

Recurso TM : TESTADOR DA MTP

AOPTM_00 ATIVAÇÃO DE TESTE DE COMUNICAÇÃO DE MTP

Objetivo: Ativar teste de comunicação de MTP.

Preliminares: Os testes podem ser executados para a própria MTP desde que seja espe-
cificado o DPC próprio.

Restrições: Podem ser realizados 20 testes simultâneos. Somente pode ser ativada uma
medida para cada DPC.

Terminologia: DPC - Código de ponto de sinalização, MTP - Subsistema de transferência


de mensagem.

Procedimento:
1 - ATIVAR o teste de comunicação de MTP através do comando ATCOTM
2 - SE o número máximo de testes foi atingido ENTÃO:
2.1 - verificar se algum dos testes pode ser desativado
2.2 - SE existir algum teste que possa ser desativado ENTÃO:
2.2.1 - DESATIVAR o teste de comunicação de MTP através do comando DTCOTM
2.2.2 - ATIVAR o teste de comunicação de MTP através do comando ATCOTM
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

284 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTM_01

AOPTM_01
x INTERROGAÇÃO DE DADOS DE CONFIGURAÇÃO DE TESTE DE
MTP

Objetivo: Permitir obter dados dos testes de MTP que se encontram em andamento e
dos testes de MTP já terminados.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os testes de MTP que se encontram ativos através do comando IDTETM com
parâmetros TIP=IDENT
2 - INTERROGAR o resultado dos testes já concluídos através do comando IDTETM com parâme-
tros TIP=DADOS
3 - CASO o teste que se quer obter os resultados IGUAL A ativo ENTÃO:
3.1 - DESATIVAR o teste que se quer obter o resultado através do comando DTCOTM
3.2 - INTERROGAR o resultado do teste através do comando IDTETM com parâmetros
TIP=DADOS
3.3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 285


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTM_02 Trópico RA

AOPTM_02
x MODIFICAÇÃO DOS DADOS DE CONFIGURAÇÃO PARA TESTE
DE MTP

Objetivo: Modificar os dados de configuração para teste de MTP. Cada configuração


de teste (IDC) pode ser modificada em relação aos tamanhos das mensa-
gens de teste (TDM) e suas respectivas distribuições percentuais (DPM).

Preliminares: N.A.

Restrições: O tamanho das mensagens de teste (TDM) não podem ser iguais. A soma
dos tamanhos das mensagens tem que ser igual a 100 %.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de configuração para teste de MTP através do comando IDTETM com
parâmetros TIP=CONFG
2 - MODIFICAR os dados de configuração de teste de MTP através do comando MDTETM
3 - Encerrar a atividade

286 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_00

32
x

Recurso TR : TRÁFEGO

AOPTR_00 MARCAÇÃO DE RELATÓRIO CONFIGURÁVEL PELO OPERADOR

Objetivo: Fornecer relatórios detalhados de chamadas, de acordo com as necessida-


des do operador.

Preliminares: Esses relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações sobre tempo de alocação e ocupação de órgãos, iden-
tificação do chamador e chamado, identificação dos orgãos alocados e ou-
tras informações colhidas no decorrer de uma chamada.
Todas as informações contidas no sinal descritor de chamadas estão distri-
buídas em 98 campos, correspondendo aos parâmetros C01 a C98 usados
em comandos homem-máquina específicos.
Para configurar-se um relatório, o operador deve fornecer as seguintes infor-
mações:
- Condições de discriminação: Servem para fazer uma pré-seleção dos si-
nais a serem analisados. Os sinais que não satisfizerem todas as condições
de discriminação não serão armazenados.
- Condições de contabilização : Servem para fazer a seleção final dos sinais
a serem armazenados. Um sinal será armazenado se satisfizer pelo menos
uma discriminação de contabilização. Na emissão do relatório, serão forne-
cidas as condições de contabilização satisfeitas para o armazenamento do
sinal e a respectiva contabilização da condição desejada.
- Tipos de acumulação: Determinam se as informações obtidas dos sinais
selecionados que satisfazem condições de contabilização serão armazena-
dos em forma de "incremento" (incrementa-se 1 a cada vez que a condição
de contabilização é satisfeita), em forma de "somatório" (acumula-se o valor
correspondente ao campo comparado quando a condição de contabilização
é satisfeita), de "ambas" as formas ou "nenhuma" delas. O tipo de acumula-
ção "somatório" é permitido somente para campos que contenham valor de
temporização.
- Campos armazenados: indicam quais os campos dos sinais selecionados
e que satisfizeram pelo menos uma condição de contabilização serão im-
pressos em forma de relatório.
- Descrição sucinta do relatório (até 60 caracteres).
Uma vez configurado um relatório, será associado a ele um número, através
do qual poderemos executar as outras operações referentes ao relatório
configurável pelo operador:
- Ativação de um relatório;
- Desativação de um relatório;
- Interrogação de dados de um relatório;
- Desmarcação de um relatório.
O número máximo de relatórios configuráveis pelo operador é 10 (dez).

Restrições: Apenas 5 condições de discriminação e 5 condições de contabilização po-


dem ser utilizadas;
Apesar das condições de contabilização continuarem sendo incrementadas/
somadas, apenas os últimos 200 sinais descritores de chamadas serão ar-
mazenados e informados ao operador devido a problema de capacidade de
armazenamento em memória de massa;

Versão S11.1 287


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_00 Trópico RA

Para que o operador tenha os dados atuais do relatório é necessária a de-


sativação (DRCOTR) do mesmo antes da obtenção dos dados através do
comando IRCOTR;

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe espaço disponível para marcação de relatório configurável pelo ope-
rador através do comando IRCOTR
2 - SE existir relatório disponível ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o relatório configurável através do comando MRCOTR com parâmetros
ICT=MAR Marcando o relatório
2.2 - ATIVAR o relatório configurável através do comando ARCOTR
2.3 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Escolher um relatório para ser desmarcado
3.2 - Executar atividade operacional AOPTR_01 (DESMARCAÇÃO DE RELATÓRIO CONFI-
GURÁVEL PELO OPERADOR) Para o relatório escolhido
3.3 - Vá para o passo 2.1

288 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_01

AOPTR_01
x DESMARCAÇÃO DE RELATÓRIO CONFIGURÁVEL PELO OPERA-
DOR

Objetivo: Desmarcar um relatório configurado previamente pelo operador para obten-


ção de dados detalhados de chamadas na central.

Preliminares: Relatório configurável marcado

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se o relatório escolhido para ser desmarcado está ativado através do comando
IRCOTR com parâmetros TIP=RELAT
2 - SE estiver ativado ENTÃO:
2.1 - DESATIVAR o relatório configurável através do comando DRCOTR com parâmetros NRC
2.2 - Vá para o passo 3.1
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR o relatório configurável através do comando MRCOTR com parâmetros NRC
, ICT=DES Desmarcando o relatório escolhido
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 289


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_02 Trópico RA

AOPTR_02
x MODIFICAÇÃO DE PARÂMETROS DE TRÁFEGO

Objetivo: Adequar os parâmetros de tráfego as características e necessidades da cen-


tral, os parâmetros que devem ser configurados são:
- limite de tráfego escoado (por plano, por enlace e por rota) - LTF;
- limite de tempo para obtenção de tom de discar - LTD;
- porcentagem de assinantes que ultrapassem o limite de tempo para obten-
ção do tom de discar - PLT.

Preliminares: Conhecer o limite de tráfego desejável para enlaces, planos e rotas da cen-
tral (em erlangs) de tal forma que assim que estes limites sejam ultrapassa-
dos, uma mensagem de advertência seja sinalizada.
Conhecer o limite de tempo para obtênção de tom de discar para servir de
parâmetro para o relatório de desempenho de sistema (IDSITR).
Conhecer uma porcentagem de assinantes adequada de forma que assim
que o número de assinantes que ultrapassaram o limite de tempo para ob-
tenção do tom discar, especificado acima, atingir ou ultrapassar esta porcen-
tagem, uma falha será sinalizada.

Restrições: N.A

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores dos parâmetros de tráfego através do comando IPARTR
2 - verificar de acordo com as PRELIMINARES se existe a necessidade de alteração de parâme-
tros
3 - SE houver necessidade de alteração ENTÃO:
3.1 - CASO alteração IGUAL A parâmetro de limite de tráfego escoado ENTÃO:
3.1.1 - MODIFICAR o parâmetro através do comando MPARTR com parâmetros LTF ,
TGP TGP deve assumir o nome do grupo de órgão que deve ter seu limite de trá-
fego alterado
3.2 - CASO alteração IGUAL A parâmetro de tempo para obtenção do tom de discar ENTÃO:
3.2.1 - MODIFICAR o parâmetro através do comando MPARTR com parâmetros LTD
3.3 - CASO alteração IGUAL A parâmetro de porcentagem de assinantes que ultrapassaram o
limite de tempo para obtenção do tom de discar ENTÃO:
3.3.1 - MODIFICAR o parâmetro através do comando MPARTR com parâmetros PLT
4 - SENÃO:
4.1 - Encerrar a atividade

290 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_03

AOPTR_03
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE TRÁFEGO DE ÓRGÃOS
DA CENTRAL

Objetivo: Obter relatório de Medição de Tráfego de orgãos da central para avaliação


de desempenho dos mesmos.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de tráfego dos órgãos da central é contínua sem a ne-
cessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O relatório de Medições de Tráfego de Órgãos está disponível para os, últi-
ma hora (ULTHO) e dia anterior (DIANT)para os seguintes órgãos que com-
põem a central: Juntor (JUN), Enviador (ENV), Enviador MF (EMF),
Receptor MFC (REC), Receptor MF (RMF), Receptor MFP (RMFP), Proces-
sadores de Registrador (PRG), Processadores de Assinante (PRA), Módulo
de Terminal (MTE), Juntores em Rota (JDR), Enlace por Plano (ENP).

Restrições: N.A

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores medidos de tráfego para os órgãos da central através do comando
IDORTR
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados de medição de tráfego obtidos
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 291


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_04 Trópico RA

AOPTR_04
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE TRÁFEGO DE GRUPO
DE ÓRGÃOS DA CENTRAL

Objetivo: Obter relatório de Medição de Tráfego de Grupos de Orgãos da Central para


avaliação de desempenho dos mesmos.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de tráfego dos Grupos de Órgãos da Central é contí-
nua sem a necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O relatório de Medições de Tráfego de Grupos de Órgãos esta disponível
para os últimos quinze minutos (QUINZ), última hora (ULTHO), dia anterior
(DIANT) Horário de maior movimento da central (HMMCE) para os seguintes
recursos que compõem a central: Rota (GROT), Grupo de Enviador (GENV),
Grupo de Enviador MF (GEMF), Grupo de Receptor MF (GREC), Grupo de
Receptor MF (GRMF), Grupo de Receptor MFP (GRMFP), Grupo de Proces-
sador de Registrador (GPRG), Grupo de Processadores de Assinantes
(GPRA), Processador de Assinante marcado (GPRM), Grupo de Assinantes
Analógicos (GANA), Grupo de Assinantes em Acessos Básicos (GBAS),
Grupo de Assinantes em Acessos Primários (GPRI), Assinantes em CPCT
(GCPC), Grupo de Assinantes em CLAD (GCLA), Matriz de Comutação
(GMTZ).

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores medidos de tráfego para o grupo de órgãos da central através do co-
mando IDGRTR
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados de medição de tráfego obtido
3.2 - Encerrar a atividade

292 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_05

AOPTR_05
x OBTENÇÃO DE DADOS DE MEDIÇÃO DE PERFIL DE TRÁFEGO

Objetivo: Obter relatório de Medição de Perfil de Tráfego para avaliação de desempe-


nho do sistema.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada. A aquisição de
dados de Perfil de Tráfego é contínua sem a necessidade de programações
antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O relatório de Perfil de Tráfego disponível sempre para dia anterior (DIANT)
em faixas de 30 minutos para os seguintes recursos que compõem a central:
Grupo de Plano de comutação e Grupo de Rota.

Restrições: Somente possível marcar para planos e rotas da central.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores do perfil de tráfego da central através do comando IDPETR
2 - SE os dados obtidos foram acompanhados da mensagem houve perda de dados no período
ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados de perfil de tráfego obtidos
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 293


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_06 Trópico RA

AOPTR_06
x OBTENÇÃO DO RELATÓRIO DE DADOS DE HMM DE GRUPO DE
ÓRGÃOS DA CENTRAL

Objetivo: Obter relatórios de Dados de HMM de Grupo de Orgãos da Central para ava-
liação de desempenho dos mesmos.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de Dados de HMM de Grupos de Órgãos da Central é contínua
sem a necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O relatório de dados de HMM de Grupo de Órgãos da Central é obtido em
dois períodos de Hora de maior movimento (HMM) nos grupos de órgãos
para os seguintes recursos que compõem a central: Grupo de Rota (GROT),
Grupo de Enviador (GENV), Grupo de Enviador MF (GEMF), Grupo de Re-
ceptor MFC (GREC), Grupo de Receptor MF (GRMF), Grupo de Receptor
MFP (GRMFP), Grupo de Processador de Registrador (GPRG), Grupo de
Processadores de Assinantes (GPRA), Grupo de Processador de Assinan-
tes marcado (GPRM), Grupo de Assinantes Analógicos (GANA), Grupo de
Assinantes em Acessos Básicos (GBAS), Grupo de Assinantes em Acessos
Primários (GPRI), Assinantes em CPCT (GCPC), Grupo de Assinantes em
CLAD (GCLA), Grupo de Enlaces de Voz (GEVZ).

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os valores de tráfego de HMM de grupo de órgãos da central através do coman-
do IDHGTR
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados em um ou dois períodos EN-
TÃO:
2.1 - desconsiderar os dados que foram incriminados interrogando-os novamente no período
subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados de medição de tráfego obtidos
3.2 - Encerrar a atividade

294 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_07

AOPTR_07
x OBTENÇÃO DO RELATÓRIO DE SUPERVISÃO DE DESEMPENHO
DO SISTEMA

Objetivo: Obter relatório de Supervisão de Desempenho do Sistema para avaliação da


qualidade de serviço da central.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição do relatório de supervisão de desempenho do sistema é contí-
nuo sem a necessidade de programações antecipadas
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O Relatório de supervisão de desempenho do sistema está disponível para
os últimos quinze minutos (QUINZ), última hora (ULTHO), dia anterior (DI-
ANT) e Horário de maior movimento da central (HMMCE).
O Relatório apresenta uma avaliação de qualidade de serviço da central,
desde que o assinante retire o fone do gancho, até o momento em que a co-
nexão é estabelecida. Fornece também as taxas de chamadas internas, lo-
cais, regionais, nacionais e internacionais que completaram eficientemente.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR o desempenho do sistema através do comando IDSITR com parâmetros TIP
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados de desempenho do sistema
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 295


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_08 Trópico RA

AOPTR_08
x OBTENÇÃO DE RELATÓRIOS DE SUPERVISÃO ESTATÍSTICA

Objetivo: Obter relatório de supervisão estatística dos recursos da central para avali-
ação de desempenho dos mesmos.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados para o relatório de supervisão estatística é contínua
sem a necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45).
O relatório de Supervisão Estatística é disponível sempre com referência ao
dia anterior em relação ao Desempenho de Grupo de Órgãos (DESEM), Ex-
ceção de Órgãos (EXCEC) e Resumo de Exceção (RESEX) para os seguin-
tes recursos que compõem a central: Grupo de Rota (GROT), Grupo de
Enviador (GENV), Grupo de Enviador MF (GEMF), Grupo de Receptor MFC
(GREC), Grupo de Receptor MF (GRMF), Grupo de Receptor MFP (GR-
MFP), Grupo de Processador de Assinante (GPRA), e Grupo de Enlace de
Voz (GEVZ).
A central utiliza supervisão estatística através de algorítimos dedicados
como filosofia para detecção de falhas em seus órgãos sendo a supervisão
de desempenho de grupo de órgãos baseada nos contadores de ocupações,
tempo total de ocupações, quantidade de ocupações e tempo total de ocu-
pações eficientes para gerar seus relatórios.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR relatório de supervisão estatística através do comando IDALTR
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem houve perda de dados no período ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados obtidos no relatório de supervisão
3.2 - CASO a resposta ao comando seja IGUAL A inconsistência de dados ENTÃO:
3.2.1 - interrogar novamente no período subseqüente houve grande número de órgãos
com dados fora dos valores médios, inviabilizando a obtenção de uma resposta ao
comando
3.2.2 - Encerrar a atividade

296 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_09

AOPTR_09
x MARCAÇÃO DE GRUPO DE PROCESSADORES PARA MEDIÇÃO
DE TRÁFEGO

Objetivo: Marcar/desmarcar grupo de processadores para medição de tráfego.

Preliminares: N.A.

Restrições: No máximo 30 processadores que exerçam funções telefônicas podem ser


marcados para compor um grupo de processadores para medição de tráfe-
go.
Antes de desmarcar o grupo de processadores anteriormente marcados é
necessário interrogar os dados até então coletados através dos comandos
IDGRTR, IDHGTR, IDPETR e IDSITR, caso contrário estes dados coletados
serão perdidos.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se existe grupo de processadores marcado para medição de tráfego através do
comando IPRMTR com parâmetros TIP=IDENT
2 - SE existir grupo de processadores marcados para medição de tráfego ENTÃO:
2.1 - MODIFICAR o grupo de processadores marcados para medição de tráfego através do co-
mando MPRMTR com parâmetros ICT=DES todos processadores anteriormente marca-
dos serão desmarcados
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - ATIVAR a marcação de grupo de processadores para medição de tráfego através do co-
mando MPRMTR com parâmetros ICT=MAR,PRO onde PRO=lista (grupo) de processa-
dores a serem marcados para medição de tráfego
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 297


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_10 Trópico RA

AOPTR_10
x RELATÓRIO DE GRUPO DE PROCESSADORES MARCADOS
PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO

Objetivo: Medição de Tráfego, tempos e ocupações no grupo de processadores mar-


cados.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados do grupo de processadores marcados, após marca-
ção, é contínua.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15, 30 e 45).
Os relatórios de grupo de processadores estão disponíveis através dos
seguintes comandos : IDGRTR, IDHGTR, IDPETR e IDSITR.

Restrições: No máximo 30 processadores que exerçam funções telefônicas podem ser


marcados para compor um grupo de processadores para medição de tráfe-
go.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPTR_09 (MARCAÇÃO DE GRUPO DE PROCESSADORES
PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO)
2 - INTERROGAR os processadores marcados para mediçao de tráfego através do comando IPR-
MTR
3 - interrogar os relatórios de medição de tráfego para os processadores marcados através da uti-
lização dos comandos: IDGRTR, IDHGTR, IDPETR ou IDSITR, conforme a necessidade
4 - SE nos dados obtidos apareceu a mensagem: HOUVE PERDA DE DADOS NO PERÍODO EN-
TÃO:
4.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
4.2 - Encerrar a atividade
5 - SENÃO:
5.1 - analisar os dados obtidos no relatório
5.2 - Encerrar a atividade

298 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_11

AOPTR_11
x MODIFICAÇÃO DE PERÍODO DE HMM DA CENTRAL

Objetivo: Modificar os períodos utilizados para medição de HMM da Central.

Preliminares: É permitido obter em dois períodos de observação os horários de HMM. A


HMM é fornecida no horário de maior movimento na matriz de comutação.

Restrições: A alteração dos períodos de HMM é feita com a mudança do horário de fim
de período corrente (início do período seguinte), entretanto este novo horário
não pode ultrapassar o término do período seguinte que já existe programa-
do.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os períodos de HMM da central através do comando IDHCTR com parâmetros
TIP=IDENT
2 - MODIFICAR o período de HMM da central através do comando MDHCTR observar a restriçao
descrita
3 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 299


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_12 Trópico RA

AOPTR_12
x INTERRROGAÇÃO DE DADOS DE HMM DA CENTRAL

Objetivo: Obter os dados de horário de maior movimento na matriz de Comutação da


Central.

Preliminares: Este relatório é gerado a partir do sinal descritor de chamadas que contém
informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de HMM de Grupo de Órgãos da Central é contínua
sem a necessidade de programações antecipadas.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15,30 e 45). Quando é detectada a ocorrência de HMM da central é atu-
alizada na base de dados com as informações coletadas para o horário de
HMM.
O relatório de dados de HMM da Central é obtido em dois períodos de Hora
de Maior movimento (HMM) para os planos de comutação da central.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR os dados de HMM da central através do comando IDHCTR
2 - SE os dados obtidos tiverem a mensagem dados incompletos nas medidas de um ou dois perí-
odos ENTÃO:
2.1 - desconsiderar os dados que foram incriminados interrogando-os novamente no período
subseqüente
2.2 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - analisar os dados obtidos no relatório
3.2 - Encerrar a atividade

300 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPTR_13

AOPTR_13
x MARCAÇÃO DE ASSINANTES PARA MEDIÇÃO DE TRÁFEGO

Objetivo: Marcar/desmarcar assinantes para medição de tráfego.

Preliminares: N.A.

Restrições: A quantidade máxima de números de equipamento que podem ser marca-


dos está limitada a 200.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - ATIVAR a marcação de assinante para medição de tráfego através do comando MASSTR com
parâmetros ICT=MAR,NEA onde NEA=lista de números de equipamentos a serem marcados
2 - SE o comando tiver sua execução rejeitada por excesso de assinantes registrados (ME: NAO
EXISTE ESPAÇO PARA MARCAÇÃO) ENTÃO:
2.1 - INTERROGAR os assinantes marcados para medição de tráfego através do comando
IASSTR com parâmetros TIP=IDENT
2.2 - MODIFICAR assinantes marcados para medição de tráfego que não sejam mais necessá-
rios através do comando MASSTR com parâmetros ICT=DES,NEA onde NEA=lista de nú-
meros de equipamento a serem desmarcados
2.3 - ATIVAR a marcação de assinante para medição de tráfego através do comando MASSTR
com parâmetros ICT=MAR,NEA onde NEA=lista de números de equipamentos a serem
marcados
2.4 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 301


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPTR_14 Trópico RA

AOPTR_14
x RELATÓRIO DE ASSINANTES MARCADOS PARA MEDIÇÃO DE
TRÁFEGO

Objetivo: Medição de Tráfego, tempos e ocupações nos assinantes marcados.

Preliminares: Estes relatórios são gerados a partir do sinal descritor de chamadas que
contém informações colhidas no decorrer de uma chamada.
A aquisição de dados de assinantes marcados, após marcação, é contínua.
Todas as medidas são efetuadas em períodos de medição de 15 (quinze)
minutos, considerando os quinze minutos "fechados" do relógio da central
(00, 15, 30 e 45).
O Relatório de Tráfego de Assinante está disponível para os últimos quinze
minutos (QUINZ), última hora (ULTHO), dia anterior (DIANT) para todos os
assinantes marcados.

Restrições: A quantidade máxima de números de equipamento que podem ser marca-


dos está limitada a 200.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - Executar atividade operacional AOPTR_13 (MARCAÇÃO DE ASSINANTES PARA MEDIÇÃO
DE TRÁFEGO)
2 - INTERROGAR os dados de medição de tráfego dos assinantes desejados anteriormente mar-
cados para medição através do comando IASSTR com parâmetros TIP,NEA onde NEA=lista de
números de equipamentos marcados e TIP=período desejado (QUINZ, ULTHO ou DIANT)
3 - SE nos dados obtidos apareceu a mensagem: HOUVE PERDA DE DADOS NO PERÍODO EN-
TÃO:
3.1 - desconsiderar os dados obtidos interrogando-os novamente no período subseqüente
3.2 - Encerrar a atividade
4 - SENÃO:
4.1 - analisar os dados obtidos no relatório
4.2 - Encerrar a atividade

302 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPUC_00

33
x

Recurso UC : USUÁRIO DE CHM

AOPUC_00 PROGRAMAÇÃO DE TECLA DE FUNÇÃO

Objetivo: Programar uma tecla de função de um usuário CHM, associando o texto con-
veniente a esta tecla.

Preliminares: N.A.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR se a tecla já está programada através do comando IDADUC com parâmetros
NOM
2 - SE a tecla estiver programada ENTÃO:
2.1 - Verificar se é desejado alterar a programação
2.2 - SE for desejado alterar a programação ENTÃO:
2.2.1 - Vá para o passo 3.1
2.3 - SENÃO:
2.3.1 - Encerrar a atividade
3 - SENÃO:
3.1 - MODIFICAR a programação da tecla através do comando MTEFUC
3.2 - Encerrar a atividade

Versão S11.1 303


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_00 Trópico RA

34
x

Recurso V5 : INTERFACE V5

AOPV5_00 CRIAÇÃO DE INTERFACE V5

Objetivo: Criar um interface V5 na central, com uma configuração de dados ativa, po-
dendo ou não ser imediatamente colocada em serviço.

Preliminares: 1.)RECURSOS DA INTERFACE V5 CRIADOS: Passo 1 : Criar gerenciador


de interfaces V5 - criar no processador de OM : CDBIPR : NBI, PRO; .
NBI=GERV5 Passo 2 : Criar processadores para controlador de interface V5
- criar processador CIT do MC_V5 : CDADPR : PRO,
FIL,BAS,SUB,TMD,TPR,ESI,ESN,MDL; . TMD=MC_V5, TPR=CIT - criar
processador CCT do MC_V5 : CDADPR : PRO,
FIL,BAS,SUB,TMD,TPR,ESI,ESN,MDL; . TMD=MC_V5, TPR=CCT - criar
placas CCH no MC_V5 : CPLAPR : NPL,PLA,PRO,NBI; . NPL=CCH,
NBI=CTRV5 . podem ser criadas placas na posições : 0, 4, 8, 12 (PLA) - criar
BIs no processador CIT do MC_V5 : CDBIPR : NBI,PRO . NBI=CCOMT,
CTRV5 - criar BIs no processador CCT do MC_V5 : CDBIPR : NBI,PRO .
NBI=CCOSH Passo 3 : Criar processadores para interface física (enlaces
E1) e tratamento de assinantes - criar processador CIT do MT_V5 : CDAD-
PR : PRO,FIL,BAS,SUB,TMD,TPR,ESI,ESN,MDL; . TMD=MT_V5,
TPR=CIT - criar processador CCT do MT_V5 : CDADPR :
PRO,FIL,BAS,SUB,TMD,TPR,ESI,ESN,MDL; . TMD=MT_V5, TPR=CCT -
criar placas TAP no MT_V5 : CPLAPR : NPL,PLA,PRO,NBI; . NPL=TAP,
NBI=CSUE1 . podem ser criadas placas TAP nas posições 0 e 4 (PLA) - criar
BIs no processador CIT do MT_V5 : CDBIPR : NBI, PRO . NBI=CCOMT, CA-
ASS, CSUE1, CTAV5, CTDV5
2.)Ordem de serviço, contendo dados de configuração dos recursos a serem
alocados para a interface V5 a ser criada, e com definição se a interface
deve ser colocada em serviço imediatamente.
3.)Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR identificadores para uma nova interface V5 através do comando CINTV5 com parâme-
tros IL5, IG5, NV5, PRO, TV5
criando uma interface V5 num processador MCV5 identificado por PRO, com os identificadores IL5,
IG5, NV5 e TV5(obrigatório apenas no caso de criação de interface V5.1)
2 - SE a criação é bem sucedida ENTÃO :
2.1 - Vá para o passo 4
o sistema apresenta saída com os dados : IL5, NV5, IG5, PRO, estado
3 - SENÃO :
3.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de criação da forma correta
3.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 já existente ENTÃO :

304 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_00

3.2.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
3.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não existe ENTÃO :
3.3.1 - AÇÃO : CRIAR processador tipo MCV5
3.3.2 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de criação de interface, após ter criado o
processador MCV5 necessário
3.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não suporta interface V5 ENTÃO :
3.4.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
3.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A atingido limite de interfaces V5 no processador
ENTÃO :
3.5.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
4 - Executar atividade operacional AOPV5_06 (CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO PARA INTERFA-
CE V5)
criando uma configuração reserva para a interface V5
5 - SE a criação é bem sucedida ENTÃO :
5.1 - Vá para o passo 7
6 - SENÃO :
6.1 - CASO mensagem de saída do procedimento de criação da configuração seja do tipo dados
incorretos da interface V5 ENTÃO :
6.1.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5)
6.1.2 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5) a interface V5 criada é suprimida
7 - AÇÃO : associar a configuração reserva criada, como configuração ativa para a interface V5
através do comando ACNFV5 com parâmetros IL5
8 - SE o procedimento é bem sucedido ENTÃO :
8.1 - Vá para o passo 10
interface V5 tem uma configuração ativa, mas está desativada
9 - SENÃO :
9.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
9.1.1 - Vá para o passo 7 repetindo o comando de associação da forma correta
9.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
9.2.1 - AÇÃO : contactar fabricante
9.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não desativada ENTÃO :
9.3.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.3.2 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
9.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
9.4.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.4.2 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
9.5 - CASO enlace não configurado ENTÃO :

Versão S11.1 305


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_00 Trópico RA

9.5.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a


interface V5 criada é suprimida
9.5.2 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
9.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace em uso por outra interface V5 ENTÃO :
9.6.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.6.2 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.7 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A tratador HDLC já em uso ENTÃO :
9.7.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.7.2 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.8 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolo PSTN não configurado ENTÃO :
9.8.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.8.2 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
9.9 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolos básicos não configurados ENTÃO :
9.9.1 - Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.9.2 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
9.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de canais de comunicação reservas
maior que o permitido para GP2 ENTÃO :
9.10.1 -Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
9.10.2 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - comando
não executado ENTÃO :
9.11.1 -Vá para o passo 7 repetindo o comando de associação de configuração
10 - INTERROGAR configuração que está associada a interface V5 através do comando IDADV5
COM PARÂMETROS IL5, CV5 indicando configuração ativa
11 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
11.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
11.1.1 -Vá para o passo 10 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequa-
do
11.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
11.2.1 -Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe
12.2.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de criação da interface V5
11.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
11.3.1 -Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
11.3.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de criação da interface V5
12 - SENÃO :
12.1 -SE dados apresentados são o esperado ENTÃO :

306 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_00

12.1.1 -Vá para o passo 13


12.2 -SENÃO :
12.2.1 -Executar atividade operacional AOPV5_01 (SUPRESSÃO DE INTERFACE V5) a
interface V5 criada é suprimida
12.2.2 -Vá para o passo 1 repetindo a criação da interface V5 desde o inicio
13 - SE a interface V5 deve ser colocada em serviço agora ENTÃO :
13.1 -Executar atividade operacional AOPV5_04 (COLOCAR INTERFACE V5 EM SERVIÇO)
13.2 -Encerrar a atividade indicando sucesso ou insucesso na execução da ordem de serviço,
conforme o resultado da atividade operacional AOPV5_04 (COLOCAR INTERFACE V5
EM SERVIÇO)
14 - SENÃO :
14.1 -Encerrar a atividade indicando sucesso na execução da ordem de serviço

Versão S11.1 307


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_01 Trópico RA

AOPV5_01
x SUPRESSÃO DE INTERFACE V5

Objetivo: Suprimir uma interface V5 na central.

Preliminares: Ordem de serviço.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR identidade da interface V5 através do comando IINTV5 com parâmetros IL5 cor-
respondendo a interface V5 a ser suprimida
2 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
2.1 - Vá para o passo 4
3 - SENÃO :
3.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando com parâmetros corretos
3.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
3.2.1 - Encerrar a atividade indicando insucesso devido a dados inconsistentes e a razão
4 - SE estado da interface V5 não é desativada ENTÃO :
4.1 - Executar atividade operacional AOPV5_05 (RETIRAR INTERFACE V5 DE SERVIÇO)
4.2 - Vá para o passo 6
5 - SENÃO :
5.1 - Vá para o passo 6
6 - SUPRIMIR a interface V5 através do comando SINTV5 com parâmetros IL5 correspondendo a
interface V5 a ser suprimida
7 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
7.1 - Encerrar a atividade interface V5 suprimida
8 - SENÃO :
8.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
8.1.1 - Vá para o passo 6 repetindo o comando com dados corretos
8.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
8.2.1 - AÇÃO : contactar fabricante
8.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não desativada ENTÃO :
8.3.1 - Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento
8.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A existem assinantes na interface V5 ENTÃO :
8.4.1 - AÇÃO : suprimir assinantes da interface V5
8.4.2 - Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento
8.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A existem portas RDSI na interface V5 ENTÃO :
8.5.1 - AÇÃO : suprimir portas RDSI da interface V5
8.5.2 - Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento

308 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_01

8.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
8.6.1 - AÇÃO : recarregar BI GERV5
8.6.2 - Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento

Versão S11.1 309


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_02 Trópico RA

AOPV5_02
x REPROVISIONAMENTO DE INTERFACE V5

Objetivo: Reprovisionar uma interface V5 na central.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo dados de configuração dos recursos a serem


alocados para a interface V5 a ser reprovisionada.
Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR configuração reserva da interface V5 através do comando IDADV5 com parâ-
metros IL5, CV5 indicando configuração reserva
2 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
2.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
2.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequado
2.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
2.2.1 - Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe
2.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
2.3.1 - Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa da interface V5 não existe
3 - SENÃO :
3.1 - SE dados apresentados na configuração existente são iguais aos dados desejado para a
configuração ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 4
3.2 - SENÃO :
3.2.1 - Executar atividade operacional AOPV5_07 (MODIFICAR UMA CONFIGURAÇÃO
EXISTENTE DA INTERFACE V5) modificar dados da configuração reserva
3.2.2 - Vá para o passo 4
4 - SE interface V5 tem portas RDSI ENTÃO :
4.1 - executar interrogação das portas RDSI associada a um grupo, e interrogação da associa-
ção de grupo de portas RDSI com canal lógico ou canal de comunicação de uma interface
V5
4.2 - SE todas as portas estão mapeadas corretamente ENTÃO :
4.2.1 - Vá para o passo 6
4.3 - SENÃO :
4.3.1 - associação de porta RDSI a um grupo, e associação de grupo de portas RDSI a
canal lógico ou canal de comunicação de interface V5 (se necessário), para cada
uma das portas que não estão mapeadas
4.3.2 - Vá para o passo 6
5 - SENÃO :
5.1 - Vá para o passo 6
6 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de desbloqueada para bloqueada
7 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :

310 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_02

7.1 - Vá para o passo 9 a interface V5 está bloqueada


8 - SENÃO :
8.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
8.1.1 - Vá para o passo 6 repetindo o comando com parâmetros corretos
8.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
8.2.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
8.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 já bloqueada ENTÃO :
8.3.1 - Vá para o passo 9
8.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
8.4.1 - Vá para o passo 6 repetindo o comando
9 - ATIVAR reprovisionamento de interface V5 através do comando ARPRV5 com parâmetros IL5
10 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
10.1 -Encerrar a atividade
o sistema fornece como saída dados da interface IL5, NV5, IG5, e indica reprovisionamento exe-
cutado
11 - SENÃO :
11.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
11.1.1 -Vá para o passo 9 repetindo o comando com parâmetros corretos
11.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
11.2.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
11.3.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A reprovisionamento não configurado ENTÃO :
11.4.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não bloqueada ENTÃO :
11.5.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio
11.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace não configurado ENTÃO :
11.6.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio
11.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace em uso por outra interface V5 ENTÃO :
11.7.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A tratador HDLC já em uso ENTÃO :
11.8.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolo PSTN não configurado ENTÃO :
11.9.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio
11.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolos básicos não configurados ENTÃO :
11.10.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio
11.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de canais de comunicação reservas
maior que o permitido para GP2 ENTÃO :
11.11.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio
11.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração do grupo de proteção 1 inconsis-
tente ENTÃO :

Versão S11.1 311


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_02 Trópico RA

11.12.1 -Vá para o passo 1 repetindo o procedimento desde o inicio


11.13 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A reprovisionamento não executado - interface
em iniciação - startup em progresso ENTÃO :
11.13.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.14 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no protocolo control ENTÃO :
11.14.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.15 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A vencimento de temporização para inicio de re-
provisionamento ENTÃO :
11.15.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.16 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A vencimento de temporização para verificação
de reprovisionamento ENTÃO :
11.16.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.17 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A variante desconhecida ENTÃO :
11.17.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.18 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 desativada no MCV5 ENTÃO :
11.18.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.19 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A reprovisionamento já em execução ENTÃO :
11.19.1 -Vá para o passo 12
11.20 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador de interface em reiniciação EN-
TÃO :
11.20.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.21 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A rede de acesso não preparada para reprovisi-
onamento ENTÃO :
11.21.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.22 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A base de dados do MCV5 inconsistente ENTÃO
:
11.22.1 -AÇÃO : recarregar processador MCV5
11.22.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de reprovisionamento
11.23 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro de acesso a memória de massa - coman-
do não executado ENTÃO :
11.23.1 -Vá para o passo 9 repetindo o comando
11.24 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
11.24.1 -AÇÃO : recarregar BI GERV5
11.24.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de reprovisionamento
11.25 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - repro-
visionamento executado em memória RAM - configuração não atualizada em memória de
massa ENTÃO :
11.25.1 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de reprovisionamento
12 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de bloqueada para desbloqueada
13 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
13.1 -Encerrar a atividade
a interface V5 está desbloqueada, em serviço

312 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_02

14 - SENÃO :
14.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
14.1.1 -Vá para o passo 12 repetindo o comando com parâmetros corretos
14.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
14.2.1 -Encerrar a atividade indicando o insucesso na colocação da interface V5 em servi-
ço com a razão
14.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
14.3.1 -AÇÃO : recarregar o BI GERV5
14.3.2 -Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
14.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
14.4.1 -Vá para o passo 12 repetindo o desbloqueio da interface V5

Versão S11.1 313


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_03 Trópico RA

AOPV5_03
x TROCA DE CONFIGURAÇÃO DA INTERFACE V5

Objetivo: Alterar configuração de uma interface V5 na central.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo dados da nova configuração dos recursos a se-
rem alocados para a interface V5 já existente.
Hardware instalado

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR configuração reserva da interface V5 através do comando IDADV5 com parâ-
metros IL5, CV5 indicando configuração reserva
2 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
2.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
2.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequado
2.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
2.2.1 - Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe
2.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
2.3.1 - Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa da interface V5 não existe
3 - SENÃO :
3.1 - SE dados apresentados na configuração existente são iguais aos dados desejado para a
configuração ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 4
3.2 - SENÃO :
3.2.1 - Executar atividade operacional AOPV5_07 (MODIFICAR UMA CONFIGURAÇÃO
EXISTENTE DA INTERFACE V5) modificar dados da configuração reserva
4 - SE interface V5 tem portas RDSI ENTÃO :
4.1 - executar interrogação das portas RDSI associada a um grupo, e interrogação da associa-
ção de grupo de portas RDSI com canal lógico ou canal de comunicação de uma interface
V5
4.2 - SE todas as portas estão mapeadas corretamente ENTÃO :
4.2.1 - Vá para o passo 6
4.3 - SENÃO :
4.3.1 - executar associação de porta RDSI a um grupo, e associação de grupo de portas
RDSI a canal lógico ou canal de comunicação de interface V5 (se necessário), para
cada uma das portas que não estão mapeadas
5 - SENÃO :
5.1 - Vá para o passo 6
6 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de desbloqueada para bloqueada
7 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
7.1 - Vá para o passo 9
a interface V5 está bloqueada

314 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_03

8 - SENÃO :
8.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
8.1.1 - Vá para o passo 6 repetindo o comando com parâmetros corretos
8.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
8.2.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
8.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 já bloqueada ENTÃO :
8.3.1 - Vá para o passo 9
8.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
8.4.1 - AÇÃO : recarregar o BI GERV5
8.4.2 - Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
8.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
8.5.1 - Vá para o passo 6 repetindo o comando
9 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de bloqueada para desativada
10 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
10.1 -Vá para o passo 12
a interface V5 está desativada
11 - SENÃO :
11.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
11.1.1 -Vá para o passo 9 repetindo o comando com parâmetros corretos
11.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
11.2.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
11.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 já desativada ENTÃO :
11.3.1 -Vá para o passo 12
11.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não bloqueada ENTÃO :
11.4.1 -Vá para o passo 6 repetindo o comando para desbloquear a interface V5
11.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador de interface V5 não responde ou
base de dados do MCV5 inconsistente ENTÃO :
11.5.1 -AÇÃO : recarregar o processador MCV5
11.5.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de troca de configuração
11.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
11.6.1 -AÇÃO : recarregar o BI GERV5
11.6.2 -Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
11.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
11.7.1 -Vá para o passo 9 repetindo o comando
12 - AÇÃO : associar a configuração reserva criada, como configuração ativa para a interface V5,
através do comando ACNFV5 com parâmetros IL5
13 - SE o procedimento é bem sucedido ENTÃO :
13.1 -Vá para o passo 15

Versão S11.1 315


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_03 Trópico RA

interface V5 tem uma configuração ativa, mas está desativada


14 - SENÃO :
14.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
14.1.1 -Vá para o passo 12 repetindo o comando de associação da forma correta
14.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
14.2.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e razão pode ser necessário
recarregar processador MCV5 e BI GERV5
14.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não desativada ENTÃO :
14.3.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
14.4.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e razão pode ser necessário
recarregar processador MCV5 e BI GERV5
14.5 -CASO enlace não configurado ENTÃO :
14.5.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace em uso por outra interface V5 ENTÃO :
14.6.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
14.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A tratador HDLC já em uso ENTÃO :
14.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5
14.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolo PSTN não configurado ENTÃO :
14.8.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolos básicos não configurados ENTÃO :
14.9.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de canais de comunicação reservas
maior que o permitido para GP2 ENTÃO :
14.10.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração de grupo de proteção 1 inconsis-
tente ENTÃO :
14.11.1 -Vá para o passo 1 repetindo a troca de configuração da interface V5 desde o inicio
14.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - coman-
do não executado ENTÃO :
14.12.1 -Vá para o passo 12 repetindo o comando de associação de configuração
15 - SE a interface V5 deve ser colocada em serviço agora ENTÃO :
15.1 -Executar atividade operacional AOPV5_04 (COLOCAR INTERFACE V5 EM SERVIÇO)
15.2 -Encerrar a atividade indicando sucesso ou insucesso na execução da ordem de serviço,
conforme o resultado da atividade operacional AOPV5_04 (COLOCAR INTERFACE V5
EM SERVIÇO)
16 - SENÃO :
16.1 -Encerrar a atividade indicando sucesso na execução da ordem de serviço

316 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_04

AOPV5_04
x COLOCAR INTERFACE V5 EM SERVIÇO

Objetivo: Colocar uma interface V5 em serviço, desbloqueando enlaces E1 que fazem


parte desta interface V5, e desbloqueando a interface V5, que entra em ser-
viço.

Preliminares: Ordem de serviço.


Interface V5 criada, configurada e desativada.
Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR estado operacional dos enlaces E1 da interface V5, desbloqueando cada um dos
enlaces através do comando MEE1V5 com parâmetros IL5, CV5, IE1, BLO indicando configu-
ração ativa (CV5) e desbloqueado (BLO) desbloquear os enlaces E1 antes de colocar a interfa-
ce V5 em serviço
2 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
2.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
2.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando com dados corretos
2.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
2.2.1 - Encerrar a atividade indicando que a interface V5 indicada não existe
2.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
2.3.1 - Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa para a interface V5 indica-
da não existe
2.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace não existente ENTÃO :
2.4.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes na interface V5 e o dado indi-
cado
2.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - comando
não executado ENTÃO :
2.5.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de desbloqueio de enlace E1
3 - SENÃO :
3.1 - SE existem mais enlaces E1 para serem desbloqueados ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 1 executando o comando de desbloqueio para outro enlace E1
3.2 - SENÃO :
3.2.1 - Vá para o passo 4
enlaces E1 em serviço estão desbloqueados
4 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de desativada para desbloqueada
5 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
5.1 - Encerrar a atividade
a interface V5 está desbloqueada, em serviço
6 - SENÃO :

Versão S11.1 317


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_04 Trópico RA

6.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
6.1.1 - Vá para o passo 4 repetindo o comando com parâmetros corretos
6.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
6.2.1 - AÇÃO : contactar fabricante
6.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não possui configuração associada EN-
TÃO :
6.3.1 - AÇÃO : bloquear cada um dos enlaces E1 da interface V5 através do comando
MEE1V5 com parâmetros IL5, CV5, IE1 E BLO, indicando configuração ativa, o nú-
mero do enlace E1 e modificação de estado para bloqueado cada um dos enlaces
E1 que tinha sido desbloqueado no inicio do procedimento deve ser bloqueado
6.3.2 - Encerrar a atividade indicando o insucesso na colocação da interface V5 em servi-
ço com a razão
6.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador de interface V5 não responde ou
base de dados do MCV5 inconsistente ENTÃO :
6.4.1 - AÇÃO : recarregar o processador MCV5
6.4.2 - Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
6.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
6.5.1 - Vá para o passo 4 repetindo o desbloqueio da interface V5
6.6 - Encerrar a atividade indicando o insucesso na colocação da interface V5 em serviço com
a razão

318 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_05

AOPV5_05
x RETIRAR INTERFACE V5 DE SERVIÇO

Objetivo: Retirar uma interface V5 de serviço, bloqueando enlaces E1 que fazem parte
desta interface V5, e desativando a interface V5.

Preliminares: Ordem de serviço.


Interface V5 criada, configurada e desbloqueada.
Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de desbloqueada para bloqueada
2 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
2.1 - Vá para o passo 4
a interface V5 está bloqueada
3 - SENÃO :
3.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando com parâmetros corretos
3.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
3.2.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
3.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
3.3.1 - AÇÃO : recarregar o BI GERV5
3.3.2 - Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
3.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
3.4.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando
4 - INTERROGAR estado dos canais dos enlaces de interface V5 através do comando IBCCV5
COM PARÂMETROS IL5 correspondendo a interface V5 que vai ser colocada fora de serviço
alternativamente ao comando IBCCV5, é possível ativar supervisão de ocupação de canais nos
enlaces da interface V5, usando o comando ASOCV5 com parâmetro IL5, e aguardar mensa-
gem espontânea indicando que todas as chamadas foram liberadas normalmente
5 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
5.1 - SE todos os canais estão livres ENTÃO :
5.1.1 - Vá para o passo 7
5.2 - SENÃO :
5.2.1 - SE existem canais alocados para conexões semi-permanentes ENTÃO :
5.2.1.1 -AÇÃO : desfazer as conexões semi-permanentes
5.2.1.2 -Vá para o passo 4 interrogar estado de canais
5.2.2 - SENÃO :
5.2.2.1 -Vá para o passo 7
devem existir canais pré-conectados, e a interface V5 será colocada fora de serviço

Versão S11.1 319


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_05 Trópico RA

6 - SENÃO :
6.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
6.1.1 - Vá para o passo 4 repetindo o comando com dados corretos
6.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
6.2.1 - AÇÃO : contactar fabricante
6.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
6.3.1 - AÇÃO : contactar fabricante
6.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 desativada ENTÃO :
6.4.1 - Encerrar a atividade indicando interface desativada
6.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A impossibilidade momentânea de executar o co-
mando - controlador da interface fora de serviço ENTÃO :
6.5.1 - AÇÃO : recarregar o processador MCV5 que controla a interface V5
6.5.2 - Vá para o passo 7
6.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador da interface não resposnde ENTÃO :
6.6.1 - AÇÃO : recarregar o processador MCV5 que controla a interface V5
6.6.2 - Vá para o passo 7
7 - MODIFICAR estado operacional dos enlaces E1 da interface V5, bloqueando cada um dos en-
laces através do comando MEE1V5 com parâmetros IL5, CV5, IE1, BLO indicando configuração
ativa (CV5) e bloqueado (BLO) bloquear os enlaces E1 após colocar a interface V5 fora de ser-
viço
8 - SE comado é mal sucedido ENTÃO :
8.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
8.1.1 - Vá para o passo 7 repetindo o comando com dados corretos
8.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
8.2.1 - AÇÃO : contactar fabricante
8.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
8.3.1 - AÇÃO : contactar fabricante
8.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace não existente ENTÃO :
8.4.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes na interface V5 e o dado indi-
cado
8.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador da interface não responde ou con-
trolador da interface em reiniciação ou base de dados do mcv5 inconsistente ou protocolo
link control inoperante ENTÃO :
8.5.1 - AÇÃO : recarregar o processador MCV5 que controla a interface V5
8.5.2 - Vá para o passo 7 repetindo o comando de bloqueio de enlace E1
8.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace fora de serviço ENTÃO :
8.6.1 - AÇÃO : anotar que determinado enlace E1 está fora de serviço
8.6.2 - Vá para o passo 10
8.7 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
8.7.1 - AÇÃO : recarregar o BI GERV5
8.7.2 - Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento

320 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_05

8.8 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - comando
não executado ENTÃO :
8.8.1 - Vá para o passo 7 repetindo o comando de desbloqueio de enlace E1
9 - SENÃO :
9.1 - SE existem mais enlaces E1 para serem desbloqueados ENTÃO :
9.1.1 - Vá para o passo 7 executando o comando de desbloqueio para outro enlace E1
9.2 - SENÃO :
9.2.1 - Vá para o passo 10
enlaces E1 em serviço estão bloqueados
10 - MODIFICAR estado operacional da interface V5 através do comando MESTV5 com parâmetros
IL5, BLO modificando de bloqueada para desativada
11 - SE comando é bem sucedido ENTÃO :
11.1 -Encerrar a atividade
a interface V5 está desativada
12 - SENÃO :
12.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
12.1.1 -Vá para o passo 10 repetindo o comando com parâmetros corretos
12.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
12.2.1 -AÇÃO : contactar fabricante
12.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não bloqueada ENTÃO :
12.3.1 -Vá para o passo 10 repetindo o comando
12.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não possui configuração associada
ENTÃO :
12.4.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes e a razão
12.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A controlador de interface V5 não responde ou
base de dados do MCV5 inconsistente ENTÃO :
12.5.1 -AÇÃO : recarregar o processador MCV5
12.5.2 -Encerrar a atividade indicando processador MCV5 reiniciado - interrogar estado
destas interfaces V5 - pode ser necessário colocar em serviço as outras interfaces
V5 que estão mapeadas neste MCV5
12.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa - base de
dados do BI GERV5 inconsistente ENTÃO :
12.6.1 -AÇÃO : recarregar o BI GERV5
12.6.2 -Vá para o passo 1 repetindo todo o procedimento
12.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
12.7.1 -Vá para o passo 10 repetindo o comando

Versão S11.1 321


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_06 Trópico RA

AOPV5_06
x CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO PARA INTERFACE V5

Objetivo: Criar uma configuração reserva para que seja posteriormente associada a
uma interface V5 num procedimento de troca de configuração ou reprovisio-
namento.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo dados de configuração dos recursos a serem


alocados para a interface V5.
Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - CRIAR uma configuração para a interface V5 através do comando CCNFV5 com parâmetros
IL5 e demais parâmetros identificados com valores na ordem de serviço criando uma configu-
ração para a interface V5 identificada pelo parâmetro IL5, e com valores default dos parâmetros
opcionais (VR5, TBC, TEA, TED, EOL, POL, DBB, RPR), ou com os valores destes parâmetros
identificados no comando
2 - SE a criação é bem sucedida ENTÃO :
2.1 - Vá para o passo 4
o sistema apresenta saída com os dados : criado configuração reserva, IL5, NV5, IG5 será cri-
ada uma nova configuração reserva para a interface V5
3 - SENÃO :
3.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
3.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de criação da forma correta consulte ma-
nual de comandos para verificar forma correta do parâmetro
3.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
3.2.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
3.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração já existente ENTÃO :
3.3.1 - Executar atividade operacional AOPV5_07 (MODIFICAR UMA CONFIGURAÇÃO
EXISTENTE DA INTERFACE V5)
3.3.2 - Encerrar a atividade
modificar dados de configuração reserva já existente
4 - CRIAR um enlace E1 para a interface V5 através do comando CEE1V5 com parâmetros IL5,
CV5, IE1, NEE criando um enlace E1 para a interface V5 identificada pelo parâmetro IL5, para
a configuração reserva indicada por CV5, sendo IE1 o identificador global do enlace E1, e NEE
o número de equipamento que identifica a interface na central
5 - SE a criação do enlace E1 na interface V5 é bem sucedida ENTÃO :
5.1 - SE todos os enlaces E1 já foram criados ENTÃO :
5.1.1 - Vá para o passo 7
5.2 - SENÃO :
5.2.1 - Vá para o passo 4 criando os demais enlaces E1 faltantes para cada passo de cri-
ação de enlace E1, o sistema apresenta saída com dados : criado enlace (IE1/
NEE), IL5, NV5, IG5, estado bloqueado, CV5
6 - SENÃO :

322 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_06

6.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
6.1.1 - Vá para o passo 4 repetindo o comando de criação da forma correta
6.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
6.2.1 - Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes na interface V5 com a razão
6.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não existente ENTÃO :
6.3.1 - AÇÃO : criar processador tipo MTV5 com os dados de processador do enlace E1
6.3.2 - SE a criação do processador indicado como MTV5 é bem sucedida ENTÃO :
6.3.2.1 -Vá para o passo 4 repetindo a criação do enlace E1 na interface V5
6.3.3 - SENÃO :
6.3.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (impos-
sibilidade de criar enlace E1 na interface V5)
6.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não suporta enlace ENTÃO :
6.4.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
6.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A placa TAP não existente ENTÃO :
6.5.1 - AÇÃO : executar comando de criação de placa
6.5.2 - SE foi possível equipar o MTV5 com a placa TAP ENTÃO :
6.5.2.1 -Vá para o passo 4 repetindo a criação do enlace E1 na interface V5
6.5.3 - SENÃO :
6.5.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta de
recursos hardware na interface V5)
6.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de enlace já existente na configuração
ENTÃO :
6.6.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta de
recursos hardware na interface V5)
6.7 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
6.7.1 - Vá para o passo 1 repetindo a criação da configuração da interface V5 desde o ini-
cio
6.8 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A identificação de enlace já em uso na configura-
ção ENTÃO :
6.8.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
6.9 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A equipamento já em uso ENTÃO :
6.9.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
6.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação on-line não permitida para interface V5
ENTÃO :
6.10.1 -Vá para o passo 4 repetindo o procedimento de criação do enlace E1
6.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A atingido limite de enlaces por interface V5 EN-
TÃO :
6.11.1 -SE já foram criados todos os enlaces E1 previstos para esta interface V5 ENTÃO :
6.11.1.1 -Vá para o passo 7
6.11.2 -SENÃO :

Versão S11.1 323


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_06 Trópico RA

6.11.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
6.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação de enlace on-line não permitida em in-
terface com enlace único ENTÃO :
6.12.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
6.13 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro na adição de enlace ENTÃO :
6.13.1 -AÇÃO : recarregar o processador MCV5
6.13.2 -Vá para o passo 1 reiniciando o procedimento de criação de configuração
6.14 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
6.14.1 -Vá para o passo 4 repetindo o procedimento de criação do enlace E1
7 - CRIAR um canal de comunicação para a interface V5 em um enlace E1 através do comando
CCCOV5 com parâmetros IL5, CC5, IE1, CE1, NH5, GP5 criando um canal de comunicação do
grupo de proteção GP5, no canal CE1do enlace E1 identificado por IE1, para a interface V5
identificada por IL5, e que será associado a um tratador de canal de sinalização identificado por
NH5
8 - SE a criação do canal de comunicação é bem sucedida ENTÃO :
8.1 - SE todos os canais de comunicação já foram criados ENTÃO :
8.1.1 - Vá para o passo 10
8.2 - SENÃO :
8.2.1 - Vá para o passo 7 criando os demais canais de comunicação faltantes para cada
passo de criação de canal de comunicação, o sistema apresenta saída com dados
: criado canal de comunicação (CC5), canal de comunicação (CEI, IE1/NEE), NH5,
GP5, IL5, NV5, IG5
9 - SENÃO :
9.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
9.1.1 - Vá para o passo 7 repetindo o comando de criação da forma correta
9.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
9.2.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
9.3.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace não existente ENTÃO:
9.4.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não associado a interface ENTÃO :
9.5.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.6 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A placa tratadora de canal HDLC não existente
ENTÃO :
9.6.1 - AÇÃO : executar o comando de criação de placa
9.6.2 - SE foi possível equipar o MCV5 com a placa tratadora de canal HDLC ENTÃO :
9.6.2.1 -Vá para o passo 7 repetindo a criação de canal de comunicação na interface V5
9.6.3 - SENÃO :

324 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_06

9.6.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta de


recursos hardware na interface V5)
9.7 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação já existente ENTÃO :
9.7.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.8 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A terminal HDLC já associado a canal de comuni-
cação ENTÃO :
9.8.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.9 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A grupo de proteção não admite mais canais de
comunicação ENTÃO :
9.9.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal físico do enlace já utilizado ENTÃO :
9.10.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não admite grupo de proteção (enlace
único) ENTÃO :
9.11.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal físico do enlace não admite grupo de pro-
teção 1 ENTÃO :
9.12.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
9.13 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa, comando
não executado ENTÃO :
9.13.1 -Vá para o passo 7 repetindo o comando de criação de canal de comunicação
10 - SE a interface V5 contêm um único enlace E1, sendo interface V5.1, ou V5.2 com um único enal-
ce E1 e não tendo grupo de proteção ENTÃO :
10.1 -Vá para o passo 12
11 - SENÃO :
11.1 -CRIAR um canal lógico para a interface V5 em um enlace E1 através do comando
CCLOV5 com parâmetros IL5, CC5, CL5, LG5 criando um canal lógico CL5 no canal de
comunicação CC5, para a interface V5 identificada por IL5
11.2 -SE a criação do canal lógico é bem sucedida ENTÃO :
11.2.1 -SE todos os canais lógicos já foram criados ENTÃO :
11.2.1.1 -Vá para o passo 12
11.2.2 -SENÃO :
11.2.2.1 -Vá para o passo 11.1 criando os demais canais lógicos faltantes para cada passo
de criação de canais lógicos, o sistema apresenta dados : criado canal lógico, CL5,
LG5, CC5, IL5, NV5, IG5
11.3 -SENÃO :
11.3.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâme-
tro não admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente
ENTÃO :
11.3.1.1 -Vá para o passo 11.1 repetindo o comando de criação da forma correta
11.3.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :

Versão S11.1 325


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_06 Trópico RA

11.3.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
11.3.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
11.3.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não existente EN-
TÃO :
11.3.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação possui canal ló-
gico associado ENTÃO :
11.3.5.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico já existente ENTÃO :
11.3.6.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não permite criação de canal
lógico (enlace único) ENTÃO :
11.3.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não pertence a
grupo de proteção ENTÃO :
11.3.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
11.3.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro de acesso a memória de massa, co-
mando não executado ENTÃO :
11.3.9.1 -Vá para o passo 11.1 repetindo o comando de criação de canal lógico
12 - SE a interface V5 contêm um único enlace E1, sendo V5.1, ou V5.2 com um único enlace E1 e
não tendo grupo de proteção ENTÃO :
12.1 -CRIAR protocolo em interface V5 através do comando CPTCV5 com parâmetros IL5,
PR5, CC5
12.2 -Vá para o passo 14
mapeando o protocolo designado por PR5 diretamente em um canal de comunicação CC5 para
a interface V5 identificada por IL5
13 - SENÃO :
13.1 -CRIAR protocolo em interface V5 através do comando CPTCV5 com parâmetros IL5, PT5,
CL5
mapeando o protocolo designado por PT5 em um canal lógico CL5 para a interface V5 identifi-
cada por IL5
14 - SE o mapeamento de protocolo é bem sucedido ENTÃO :
14.1 -SE todos os protocolos já foram mapeados ENTÃO :
14.1.1 -Vá para o passo 16
14.2 -SENÃO :
14.2.1 -Vá para o passo 12 mapeando os demais protocolos faltantes para cada passo de
mapeamento de protocolos, o sistema apresenta dados : criado protocolo (proto-
colo), CL5/LG5 ou CC5, IL5, NV5, IG5
15 - SENÃO :

326 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_06

15.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
15.1.1 -Vá para o passo 12 repetindo o comando de criação da forma correta
15.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
15.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
15.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico não existente ENTÃO :
15.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não existente ENTÃO :
15.5.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolo já criado na interface ENTÃO :
15.6.1 -Vá para o passo 16
15.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico não pertence ao grupo de proteção
1 ENTÃO :
15.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação não permitida ENTÃO :
15.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro de acesso a memória de massa, comando
não executado ENTÃO :
15.9.1 -Vá para o passo 12 repetindo o comando de mapeamento de protocolo
16 - INTERROGAR configuração reserva que está associada a interface V5 através do comando
IDADV5 com parâmetros IL5, CV5 indicando configuração reserva
17 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
17.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
17.1.1 -Vá para o passo 16 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequa-
do
17.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
17.2.1 -Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe (dados incorretos na
interface V5)
17.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
17.3.1 -Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa da interface V5 não existe
(dados incorretos na interface V5)
18 - SENÃO :
18.1 -SE dados apresentados correspondem aos dados da configuração criada ENTÃO :
18.1.1 -Vá para o passo 19
18.2 -SENÃO :
18.2.1 -SUPRIMIR dados da configuração reserva da interface V5 através do comando
SDADV5 com parâmetros IL5

Versão S11.1 327


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_06 Trópico RA

18.2.2 -SE supressão de dados é bem sucedida ENTÃO :


18.2.2.1 -Vá para o passo 4
18.2.3 -SENÃO :
18.2.3.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâ-
metro não admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsis-
tente ENTÃO :
18.2.3.1.1 -Vá para o passo 18.2.1 repetindo o comando da forma correta
18.2.3.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
18.2.3.2.1 -AÇÃO : contactar fabricante
18.2.3.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
18.2.3.3.1 -AÇÃO : contactar fabricante
18.2.3.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa
ENTÃO :
18.2.3.4.1 -Vá para o passo 18.2.1 repetindo o comando
19 - SE existirem portas RDSI na interface V5 ENTÃO :
19.1 -AÇÃO : associar o grupo de portas RDSI a canal lógico ou de comunicação de uma inter-
face V5
19.2 -Encerrar a atividade
20 - SENÃO :
20.1 -Encerrar a atividade
portas RDSI são associadas a grupos, que por sua vez são associados em canais lógicos ou de
comunicação

328 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_07

AOPV5_07
x MODIFICAR UMA CONFIGURAÇÃO EXISTENTE DA INTERFACE
V5

Objetivo: Modificar uma configuração reserva para que seja posteriormente associada
a uma interface V5 num procedimento de troca de configuração ou reprovi-
sionamento.

Preliminares: Ordem de serviço, contendo dados de configuração dos recursos a serem


alocados para a interface V5.
Interface V5 com configuração reserva já associada.
Hardware instalado.

Restrições: N.A.

Terminologia: N.A.

Procedimento:
1 - INTERROGAR configuração reserva da interface V5 através do comando IDADV5 com parâ-
metros IL5, CV5 indicando configuração reserva
2 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
2.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
2.1.1 - Vá para o passo 1 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequado
2.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
2.2.1 - Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe
2.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
2.3.1 - Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa da interface V5 não existe
3 - SENÃO :
3.1 - SE dados apresentados na configuração existente são iguais aos dados desejado para a
configuração ENTÃO :
3.1.1 - Encerrar a atividade
3.2 - SENÃO :
3.2.1 - Vá para o passo 4
modificar dados da configuração reserva
4 - SUPRIMIR dados da configuração reserva da interface V5 através do comando SDADV5 COM
PARÂMETROS IL5
4.1 - SE supressão de dados é bem sucedida ENTÃO :
4.1.1 - Vá para o passo 4
4.2 - SENÃO :
4.2.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâme-
tro não admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente
ENTÃO :
4.2.2 - Vá para o passo 4 repetindo o comando da forma correta
4.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
4.3.1 - AÇÃO : contactar fabricante
4.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
4.4.1 - AÇÃO : contactar fabricante

Versão S11.1 329


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_07 Trópico RA

4.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
4.5.1 - Vá para o passo 4 repetindo o comando
5 - MODIFICAR uma configuração reserva existente da interface V5 através do comando MCNFV5
COM PARÂMETROS IL5 e demais parâmetros identificados com valores na ordem de serviço
modifando uma configuração para a interface V5 identificada pelo parâmetro IL5, e com valores
dos parâmetros indicados no comandos (VR5, TBC, TEA, TED, EOL, POL, DBB, RPR)
6 - SE a criação é bem sucedida ENTÃO :
6.1 - Vá para o passo 8
o sistema apresenta saída com os dados : criado configuração reserva, IL5, NV5, IG5
7 - SENÃO :
7.1 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
7.1.1 - Vá para o passo 5 repetindo o comando da forma correta consulte manual de co-
mandos para verificar forma correta do parâmetro
7.2 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
7.2.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
7.3 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
7.3.1 - Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
7.4 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de parâmetros incorretos ENTÃO :
7.4.1 - Vá para o passo 5 repetindo o comando da forma correta
7.5 - CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
7.5.1 - Vá para o passo 5 repetindo o comando de modificação de configuração
8 - CRIAR um enlace E1 para a interface V5 através do comando CEE1V5 com parâmetros IL5,
CV5, IE1, NEE adicionando enlace E1 na configuração reserva indicada por CV5, para a inter-
face V5 identificada pelo parâmetro IL5, sendo IE1 o identificador global do enlace E1, e NEE o
número de equipamento que identifica a interface na central
9 - SE a criação do enlace E1 na interface V5 é bem sucedida ENTÃO :
9.1 - SE todos os enlaces E1 já foram criados ENTÃO :
9.1.1 - Vá para o passo 11
9.2 - SENÃO :
9.2.1 - Vá para o passo 8 adicionando os demais enlaces E1 faltantes para cada passo de
criação de enlace E1, o sistema apresenta saída com dados : criado enlace (IE1/
NEE), IL5, NV5, IG5, estado bloqueado, CV5
10 - SENÃO :
10.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
10.1.1 -Vá para o passo 8 repetindo o comando da forma correta
10.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
10.2.1 -Encerrar a atividade indicando dados inconsistentes na interface V5 com a razão
10.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não existente ENTÃO :
10.3.1 -AÇÃO : criar processador tipo MTV5 com os dados de processador do enlace E1
10.3.2 -SE a criação do processador indicado como MTV5 é bem sucedida ENTÃO :
10.3.2.1 -Vá para o passo 8 repetindo a criação do enlace E1 na interface V5

330 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_07

10.3.3 -SENÃO :
10.3.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (impos-
sibilidade de criar enlace E1 na interface V5)
10.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não suporta enlace ENTÃO :
10.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
10.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A placa TAP não existente ENTÃO :
10.5.1 -AÇÃO : executar o comando de criação de placa
10.5.2 -SE foi possível equipar o MTV5 com a placa TAP ENTÃO :
10.5.2.1 -Vá para o passo 8 repetindo a criação do enlace E1 na interface V5
10.5.3 -SENÃO :
10.5.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta
de recursos hardware na interface V5)
10.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A número de enlace já existente na configuração
ENTÃO :
10.6.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta de
recursos hardware na interface V5)
10.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
10.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta de
recursos hardware na interface V5)
10.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A identificação de enlace já em uso na configura-
ção ENTÃO :
10.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
10.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A equipamento já em uso ENTÃO :
10.9.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
10.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação on-line não permitida para interface V5
ENTÃO :
10.10.1 -Vá para o passo 8 repetindo o comando
10.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A atingido limite de enlaces por interface V5 EN-
TÃO :
10.11.1 -SE já foram criados todos os enlaces E1 previstos para esta interface V5 ENTÃO :
10.11.1.1 -Vá para o passo 11
10.11.2 -SENÃO :
10.11.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (da-
dos incorretos da interface V5)
10.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação de enlace não permitida em interfaces
configurada com um único enlace ENTÃO :
10.12.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
10.13 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro na adição de enlace ENTÃO :
10.13.1 -Vá para o passo 8 repetindo o comando
10.14 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa ENTÃO :
10.14.1 -Vá para o passo 8 repetindo o procedimento de criação do enlace E1

Versão S11.1 331


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_07 Trópico RA

11 - CRIAR um canal de comunicação para a interface V5 em um enlace E1 através do comando


CCCOV5 com parâmetros IL5, CC5, IE1, CE1, NH5, GP5 adicionando um canal de comunica-
ção na configuração reserva, do grupo de proteção GP5, no canal CE1do enlace E1 identificado
por IE1, para a interface V5 identificada por IL5, e que será associado a um tratador de canal
de sinalização identificado por NH5
12 - SE a criação do canal de comunicação é bem sucedida ENTÃO :
12.1 -SE todos os canais de comunicação já foram adicionados ENTÃO :
12.1.1 -Vá para o passo 14
12.2 -SENÃO :
12.2.1 -Vá para o passo 11 criando os demais canais de comunicação faltantes para cada
passo de criação de canal de comunicação, o sistema apresenta saída com dados
: criado canal de comunicação (CC5), canal de comunicação (CEI, IE1/NEE), NH5,
GP5, IL5, NV5, IG5
13 - SENÃO :
13.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
13.1.1 -Vá para o passo 24 repetindo o comando de criação da forma correta
13.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
13.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
13.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A enlace não existente ENTÃO :
13.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A processador não associado a interface ENTÃO :
13.5.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A placa tratadora de canal HDLC não existente
ENTÃO :
13.6.1 -AÇÃO : equipar o MCV5 com a placa adequada, na posição indicada pelo número
de equipamento
13.6.2 -SE foi possível equipar o MCV5 com a placa tratadora de canal HDLC ENTÃO :
13.6.2.1 -Vá para o passo 11 repetindo a criação de canal de comunicação na interface V5
13.6.3 -SENÃO :
13.6.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (falta
de recursos hardware na interface V5)
13.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação já existente ENTÃO :
13.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A terminal HDLC já associado a canal de comu-
nicação ENTÃO :
13.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A grupo de proteção não admite mais canais de
comunicação ENTÃO :

332 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_07

13.9.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
13.10 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal físico do enlace já utilizado ENTÃO :
13.10.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.11 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não admite grupo de proteção (enla-
ce único) ENTÃO :
13.11.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.12 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal físico do enlace não admite grupo de
proteção 1 ENTÃO :
13.12.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
13.13 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro no acesso a memória de massa, comando
não executado ENTÃO :
13.13.1 -Vá para o passo 11 repetindo o comando de criação de canal de comunicação
14 - SE a interface V5 contêm um único enlace E1, sendo v5.1, ou V5.2 com um unico enlace E1 e
não tendo grupo de proteção ENTÃO :
14.1 -Vá para o passo 16
15 - SENÃO :
15.1 -CRIAR um canal lógico para a interface V5 em um enlace E1 através do comando
CCLOV5 com parâmetros IL5, CC5, CL5, LG5 adicionado um canal lógico CL5 no canal
de comunicação CC5, para a interface V5 identificada por IL5
15.2 -SE a criação do canal lógico é bem sucedida ENTÃO :
15.2.1 -SE todos os canais lógicos já foram criados ENTÃO :
15.2.1.1 -Vá para o passo 16
15.2.2 -SENÃO :
15.2.2.1 -Vá para o passo 15.1 criando os demais canais lógicos faltantes para cada passo
de criação de canais lógicos, o sistema apresenta dados : criado canal lógico, CL5,
LG5, CC5, IL5, NV5, IG5
15.3 -SENÃO :
15.3.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâme-
tro não admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente
ENTÃO :
15.3.1.1 -Vá para o passo 15.1 repetindo o comando de criação da forma correta
15.3.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
15.3.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
15.3.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não existente EN-
TÃO :
15.3.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação possui canal ló-
gico associado ENTÃO :

Versão S11.1 333


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_07 Trópico RA

15.3.5.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
15.3.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico já existente ENTÃO :
15.3.6.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface não permite criação de canal
lógico (enlace único) ENTÃO :
15.3.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não pertence a
grupo de proteção ENTÃO :
15.3.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
15.3.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro de acesso a memória de massa, co-
mando não executado ENTÃO :
15.3.9.1 -Vá para o passo 15.1 repetindo o comando de criação de canal lógico
16 - SE a interface V5 contêm um único enlace E1, sendo v5.1, ou V5.2 com um unico enlace E1 e
não tendo grupo de proteção ENTÃO :
16.1 -CRIAR protocolo em interface V5 através do comando CPTCV5 com parâmetros IL5,
PR5, CC5 indicando PT5=ALL
16.2 -Vá para o passo 31 mapeando o protocolo designado por PR5 diretamente em um canal
de comunicação CC5 para a interface V5 identificada por IL5
17 - SENÃO :
17.1 -CRIAR protocolo em interface V5 através do comando CPTCV5 com parâmetros IL5,
PR5, CL5 indicando PT5=ALL mapeando o protocolo designado por PT5 em um canal ló-
gico CL5 para a interface V5 identificada por IL5 : caso os protocolos básicos e o pstn se-
jam colocados em dois canais lógicos diferentes, deve-se executar um comando para cada
tipo de protocolo com o valor adequado de PT5
18 - SE o mapeamento de protocolo é bem sucedido ENTÃO :
18.1 -Vá para o passo 33
para cada passo de mapeamento de protocolos, o sistema apresenta dados : criado protocolo
(protocolo), CL5/LG5 ou CC5, IL5, NV5, IG5
19 - SENÃO :
19.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite clausula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
19.1.1 -Vá para o passo 16 repetindo o comando da forma correta
19.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
19.2.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
19.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
19.3.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
19.4 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico não existente ENTÃO :
19.4.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
19.5 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal de comunicação não existente ENTÃO :

334 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 336
Trópico RA AOPV5_07

19.5.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados


incorretos da interface V5)
19.6 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A protocolo já criado na interface ENTÃO :
19.6.1 -Vá para o passo 20
19.7 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A canal lógico não pertence ao grupo de proteção
1 ENTÃO :
19.7.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
19.8 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A criação não permitida ENTÃO :
19.8.1 -Encerrar a atividade indicando a razão do insucesso na ordem de serviço (dados
incorretos da interface V5)
19.9 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A erro de acesso a memória de massa, comando
não executado ENTÃO :
19.9.1 -Vá para o passo 16 repetindo o comando de mapeamento de protocolo
20 - INTERROGAR configuração reserva que está associada a interface V5 através do comando
IDADV5 com parâmetros IL5, CV5 indicando configuração reserva
21 - SE comando é mal sucedido ENTÃO :
21.1 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A valor de parâmetro incorreto ou parâmetro não
admite cláusula ou parâmetro não admite lista ou parâmetro inconsistente ENTÃO :
21.1.1 -Vá para o passo 20 repetindo o comando de interrogação com parâmetro adequa-
do
21.2 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A interface V5 não existente ENTÃO :
21.2.1 -Encerrar a atividade indicando que a interface V5 não existe (dados incorretos na
interface V5)
21.3 -CASO mensagem de saída seja IGUAL A configuração não existente ENTÃO :
21.3.1 -Encerrar a atividade indicando que a configuração ativa da interface V5 não existe
(dados incorretos na interface V5)
22 - SENÃO :
22.1 -SE dados apresentados correspondem aos dados da configuração criada ENTÃO :
22.1.1 -Vá para o passo 23
22.2 -SENÃO :
22.2.1 -Vá para o passo 1 repetindo a modificação da configuração da interface V5 desde
o inicio
23 - SE existirem portas RDSI na interface V5 ENTÃO :
23.1 -SE canais lógicos ou de comunicação associados a portas RDSI foram suprimidos EN-
TÃO :
23.1.1 -AÇÃO : associar o grupo a canal lógico ou de comunicação de uma interface V5,
para cada uma das portas que estavam associadas com canais lógicos ou de co-
municação que foram suprimidos
23.2 -SENÃO :
23.2.1 -Encerrar a atividade
24 - SENÃO :
24.1 -Encerrar a atividade
portas RDSI continuam associadas ao grupo de portas RDSI, e os grupos de portas RDSI po-
dem continuar associados em canais lógicos ou de comunicação corretos, mas se algum
canal lógico ou de comunicação foi suprimido, grupos de portas RDSI podem ter ficado

Versão S11.1 335


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. 336
AOPV5_07 Trópico RA

sem associação e precisam ser novamente associadas, e em caso de insucesso para al-
guma porta deve ser informado a razão, ficando a porta fora de serviço

336 45001050-9 -
Trópico Sistemas e Telecomunições S.A. Manual de atividades operacionais 338
Trópico RA Índice

Índice

AOPAC_00 3 AOPEN_01 111 AOPMC_01 205


AOPAC_01 4 AOPEN_02 112 AOPMC_02 206
AOPAC_02 5 AOPEN_03 113 AOPMC_03 207
AOPAC_03 6 AOPEN_04 114 AOPMC_04 208
AOPAC_04 7 AOPEN_05 116 AOPMM_00 209
AOPAC_05 8 AOPEN_06 117 AOPMM_03 210
AOPAC_06 9 AOPEN_07 118 AOPMM_05 213
AOPAC_07 10 AOPEN_08 119 AOPMS_00 214
AOPAS_00 11 AOPEN_09 120 AOPMS_01 215
AOPAS_01 14 AOPEN_10 121 AOPPE_00 216
AOPAS_02 15 AOPEN_11 122 AOPPE_01 220
AOPAS_03 16 AOPEN_12 123 AOPPE_02 221
AOPAS_04 18 AOPEN_13 124 AOPPE_03 222
AOPAS_05 19 AOPEN_14 125 AOPPE_04 223
AOPAS_06 20 AOPEN_15 127 AOPPE_05 225
AOPAS_07 21 AOPEN_16 129 AOPPE_06 227
AOPAS_08 22 AOPEN_17 132 AOPPE_07 230
AOPAS_09 23 AOPEN_18 133 AOPPR_00 234
AOPAS_10 25 AOPEN_19 136 AOPPR_01 236
AOPAS_11 27 AOPEN_20 141 AOPPR_02 239
AOPAS_12 29 AOPEN_21 143 AOPPR_03 240
AOPAS_13 30 AOPEN_22 145 AOPPR_04 241
AOPAS_14 34 AOPEN_23 147 AOPPR_05 243
AOPAS_15 38 AOPEN_24 148 AOPPR_06 244
AOPBA_00 40 AOPEN_25 149 AOPPR_07 245
AOPBA_01 41 AOPEN_26 150 AOPPR_08 246
AOPBA_02 42 AOPEN_27 151 AOPPR_10 249
AOPBA_06 44 AOPEN_28 152 AOPRO_00 251
AOPBA_07 45 AOPEN_29 153 AOPRO_01 253
AOPBA_09 47 AOPEN_30 154 AOPRO_02 254
AOPBA_10 48 AOPEN_31 155 AOPSP_00 255
AOPBA_11 49 AOPEN_32 156 AOPSP_01 256
AOPCE_01 51 AOPEN_33 157 AOPSP_02 257
AOPCE_02 52 AOPEP_00 159 AOPSP_03 258
AOPCE_03 53 AOPEP_01 160 AOPSP_04 259
AOPCE_04 54 AOPEP_02 161 AOPSP_05 260
AOPCE_05 55 AOPEP_03 162 AOPSP_06 261
AOPCE_06 56 AOPES_00 163 AOPSS_00 262
AOPCE_08 60 AOPES_01 164 AOPSS_01 264
AOPCE_09 61 AOPGC_00 165 AOPSS_02 265
AOPCE_10 63 AOPGC_01 168 AOPTA_00 266
AOPCE_11 64 AOPGC_02 170 AOPTA_01 267
AOPCE_12 65 AOPGC_03 171 AOPTA_02 268
AOPCE_13 66 AOPGC_04 173 AOPTA_03 269
AOPCJ_00 67 AOPGC_05 175 AOPTA_04 270
AOPCJ_01 68 AOPGC_06 176 AOPTA_05 271
AOPCJ_02 69 AOPGC_07 177 AOPTA_06 272
AOPCL_02 70 AOPGC_10 178 AOPTA_07 274
AOPCL_04 73 AOPGC_11 180 AOPTE_00 275
AOPCL_05 76 AOPGC_12 182 AOPTE_01 276
AOPCL_07 78 AOPGC_13 184 AOPTE_02 277
AOPCL_08 80 AOPGC_14 185 AOPTG_00 278
AOPCO_00 82 AOPGC_15 186 AOPTG_01 279
AOPCP_00 83 AOPGC_16 187 AOPTL_00 280
AOPCP_01 86 AOPGC_17 189 AOPTL_01 281
AOPCP_02 87 AOPGJ_00 191 AOPTL_02 282
AOPCP_03 89 AOPGJ_01 192 AOPTL_03 283
AOPCP_04 90 AOPIP_00 193 AOPTM_00 284
AOPCP_05 94 AOPIP_01 196 AOPTM_01 285
AOPCP_06 98 AOPIP_02 197 AOPTM_02 286
AOPEC_00 104 AOPIP_03 198 AOPTR_00 287
AOPEC_01 105 AOPIP_04 199 AOPTR_01 289
AOPEL_00 106 AOPJU_00 200 AOPTR_02 290
AOPEL_05 107 AOPJU_01 201 AOPTR_03 291
AOPEL_06 108 AOPJU_02 202 AOPTR_04 292
AOPEL_07 109 AOPJU_03 203 AOPTR_05 293
AOPEN_00 110 AOPMC_00 204 AOPTR_06 294

Versão S11.1 337


Manual de atividades operacionais Trópico Sistemas e Telecomunições S.A.
Índice Trópico RA

AOPTR_07 295 AOPTR_13 301 AOPV5_03 314


AOPTR_08 296 AOPTR_14 302 AOPV5_04 317
AOPTR_09 297 AOPUC_00 303 AOPV5_05 319
AOPTR_10 298 AOPV5_00 304 AOPV5_06 322
AOPTR_11 299 AOPV5_01 308 AOPV5_07 329
AOPTR_12 300 AOPV5_02 310

338 45001050-9 -