Você está na página 1de 56

Bases Neurológicas do

Desenvolvimento

Rosana Fachada
Do ato ao pensamento passando pelo
sentimento
 Ao explorar e ao reconhecer tudo que a cerca, a
criança vai interagindo:
- Multisensorialmente;
- Neurofuncionalmente;
- Edificando e Organizando a linguagem como o
verdadeiro instrumento de expressão do pensamento
e do sentimento.

Confirmando uma aprendizagem que emerge da Ação


à Emoção, do Ato ao Pensamento e do Gesto á
Palavra .
VVvi VIGOTSKY

O principal meio de interação criança-cultura


seria a linguagem, um sistema simbólico
compartilhado culturalmente. À medida
que a criança desenvolveria a linguagem,
desenvolveria também sua forma de
pensar, como dois rios que correriam em
separado, mas fluiriam ao mesmo tempo. O
autor (1997b) nos diz que “para Vygotsky, a
linguagem era uma agente para se alterar
Rosana Fachada
os poderes do pensamento – dando ao
O Desenvolvimento Humano

Começa no 1º trimestre O desenvolvimento final é


de gestação e termina Progride verticalmente no córtex, e é lateral, da
aproximadamente aos 6 através da medula espinhal esquerda para direita ou
anos e meio de idade. e de todas as outras áreas da direita para esquerda.
até o córtex.

O Córtex Humano

Através do ciclo evolutivo

Difere de animais que O ser intelectual e A supremacia do homem


tem estrutura comunicativo desenvolveu está na especialização de
neuroanatômica do simultaneamente a função que se desenvolveu
homem. lateralidade cerebral. no uso do seuRosana
córtex.
Fachada
Organização Neurológica

Condição fisiológica do Recapitula o desenvolvimento


Resultado de um
homem. neural filogenético.
desenvolvimento neural
ontogenético interrupto.

Esquema de Organização Neural

A – Ponto atingido por B e C – Ponto atingido


animais que se encontram por seres humanos.
filogeneticamente abaixo do
homem

(face posterior)
- Os algarismos indicam os pontos neurais inferiores que afetam níveis superiores.
- Falhando um nível superior, o nível inferior torna-se imediatamente o dominante.
Rosana Fachada
Filogenia Ontogenia Estágio do Desenvolvimento
Humano

Peixe réptil; Feto- recém- Neuromotricidade- hipotonia axial;


nascido; Hipertonia das extremidades;
Reptacao ventral

Mamífero; 10 meses; Tonico-Motricidade – Quadrupedia;


Simetria Funcional; Bimanualidade.

Primata; 12-24 meses; Sensório-motricidade- controle


postural; seguranca gravitacional;
Lateralizacao funcional;
Independencia do Polegar.
De 1 a 7 meses

Rosana Fachada
De 8 a 15 meses

Rosana Fachada
Filogenia/Ontogenia Estágio do Desenvolvimento Humano

Perceptivo-Motricidade- desenvolvimento da
Homem - 6 anos; locomocao; dextralidade; assimetria funcional;
Especializacao hemisferica, somatognosia

Psicomotricidade- Desenvolvimento Práxico;


Homem- Adolescente melodia cinética; Planificacao Motora; Maturidade
Sociomotora
Habilidades Filo e Ontogenética

H. Filogenética- movimentos automáticos que


surgem da maturidade do bebê e vai até os
movimentos fundamentais.
H. Ontogenéticas- são habilidades apreendidas
que necessitam do ambiente. Requer um período
de treinamento e sofre a influência da
sociogenia.
Sociogenia

Meio social no qual o sujeito está inserido


para todo o seu desenvolvimento e
aprendizagem. Toda a inscrição que ele sofrer,
seja positiva ou negativa, a partir desse
momento ficarão inscritas em sua Imagem
Corporal. Desta forma, o Professor e o
Terapeuta fazem parte desta inscrição, sendo
assim devem ter muito bem esclarecido as
marcas de seus próprios corpos para que não
os confundam com as dos seus
alunos/pacientes.
Espiral da Inteligência.
 Social (3)
 Conceitual (3)
 1-Informação
 Simbólica(2)  2-Formação
 Psicomotora ( 2)  3-Transformação
 Sensório Motora (1)
 Neuromotora(1)
IDOSO

à O ADULTO O
RAÇ I T
TU J
E
T RU ADOLESCÊNCIA
S
U
OS DOS
ES ..
T
EN IZA
.. .. M
V CIAL
I
. . . O
INFÂNCIA ..... M PE
.. .. S ES
. . . T O I S
CRIANÇA .... MEN NTA
O
O VI AME
à M ND
HUMANO Ç FU
A
Z TOS ES
I N R
ME NTA
? ORGANISMO N I
V E
A MO DIM
M S RU
N TO
U TO M E
IMAGINAÇÃO H EN I
V IM XOS
O LV
DESEJO MO FLE
E E NV
R S
DE

Rosana Fachada
Informação

 Decorre do ventre materno (endossistema) e


parte do genoma, constitui a memória da
espécie e decorre normalmente em casa
(microssistema e mesosistema) ou pela
necessidade social - creche, maternal,
berçário.

Fase da aquisição da Postura, das praxias
globais e finas e da linguagem não-verbal
iniciada a partir da inteligência neuromotora e
sensório-motora, segundo a Lei Céfalocaudal
( Locomoção) e Próximo-distal ( preensão)
Inteligência Neuromotora

 Condutas Inatas:  Organização Tônico


- Reflexos emocional:
incondicionados:

Diálogo Tônico e

Segmentários, corporal, expressão
tônico afetiva .

Intrasegmentares;
( interação e afiliação)

Supra- segmentares
posturais
Padrões de apego
Apego seguro Inseguro Inseguro
Evitante ambivalente
Mãe (ou cuidador primário) A mãe freqüentemente A mãe é imprevisível ou
é calorosa. Sensível atenta não está disponível caótica. Frequentemente
e disponível, consistente. emocionalmente ou é atenta mas fora de
Rapidamente responde ao rejeitadora. Não gosta de sincronia com o bebê.
choro da criança. ser provedora, prefere a Sintonizada se o bebê está
independência. com medo.
Criança rapidamente No final do primeiro ano, o O bebê chora muito, é
explora utilizando a mãe bebê busca pouco contato agarrado e demanda
como base segura. Chora físico com a mãe, atenção, geralmente
menos que os outros tipos, casualmente zangado com bravo, chateado por
mais obediente a mãe, e ela, sem resposta ao ser pequenas separações,
mais facilmente é posta no segurado, mas as vezes cronicamente ansioso em
chão. mostra-se chateado ao ser relação a mãe,
posto no chão. comportamento
exploratório limitado.
Na situação estranha: Na situação estranha: Na situação estranha:
busca ativamente a mãe, evita a mãe quando sob Difícil de ser acalmado
rapidamente confortada. estresse. após a separação – bravo e
busca conforto
simultaneamente.
Pré-escolar: faz amigos Pré-escolar: Geralmente Pré-escolar: Irritável e
facilmente. Popular. zangado, agressivo, facilmente subjugado pela
Reflexos

Fase dos Movimentos Reflexos =


A partir da 8ª semana de vida intra-uterina até o
4mês de nascimento, os movimentos que
compõem o repertório motor do ser humano são
de natureza predominantemente, reflexiva.


Fotomotor; Babinsky; Moro; Preensão; Sucção;
RTCA(reflexo tônico cervical assimétrico)
Inteligência Neuromotora
em Sensório - Motora
Os analisadores e receptores periféricos e
distais que nasce da interação da própria ação
e da afetividade, introduzindo novos dados:

Interoceptivos – mov. rudimentares

Proprioceptivos- Postura Bipede

Externoceptivos- mov. Fundamentais, integrar


as Funções : Receptivas em Expressivas.
Maturação do Tronco Cerebral ( refl. incondicionados em

condicionados), gera automatismos motores, leva equilíbrio

interoceptivo ( promove a segurança dos mov.rudimentares)

para um equilíbrio Proprioceptivo ( aquisições da postura

bípede) e ao equilíbrio Externoceptivo ( mov. fundamentais).


FASES DO DESENVOLVIMENTO
SEGUNDO GALLAHUE

Fase dos Movimentos Rudimentares:

De quatro meses a 2 ano anos de idade, são as primeiras formas de


movimentos voluntários que permitem o controle postural, movimentos
de manipulação e locomoção.

Estágio de controle – a criança tem maior controle sobre seu corpo em movimento
modulando os processos sensoriais de integração: perceptivo e motor,
diferenciando-os ( até 2 anos)
Inteligência Sensório Motor
Locomoção: reptar,engatinhar,andar,correr,saltar, saltitar,
galopar, transpor, dançar.

Não Locomoção- Flexionar, estender, abduzir, aduzir,


rotações, circunduções corporais

Braquiação: pendurar,suspender,balançar-se,
subir,descer,escalar.

-Manipulativos:Preensão:Agarrar,transportar, agrupar,
manipular, manusear, bater, abrir e fechar,puxar e
empurrar, juntar e afastar, compor e decompor, construir e
destruir, encher e esvaziar, pinçar , atirar, lançar, apanhar,
laçar, atar.
Formação

 Aquisições Sensório Motoras e Perceptivo

Motoras que levam as aquisições da

Psicomotricidade, Oromotricidade, na relação

com os outros e os objetos que os representam.


Formação


Os objetos se transformam em afetos, e todo o
responsável na educação da criança é o grande
mediador.

Nesta relação a criança através ( fase receptiva ou
expressiva) da comunicação compreende as palavras
que as representam e por sua vez envolve a

Inteligência Perceptivo-Motora.
Inteligência Perceptivo-
Motora
 Somatognosia

 Lateralidade

 Orientação Espacial

 Orientação Temporal

 LEVA A INTELIGÊNCIA SIMBÔLICA(estágio


Maduro dos Mov. Fundamentais)
FASES DO DESENVOLVIMENTO
SEGUNDO GALLAHUE

Fase dos Movimentos Fundamentais


De 2 a 7 anos de idade, a criança adquire uma série de
movimentos que ampliam sua capacidade de atuação no
ambiente. Nesta fase ela passa por mudanças graduais
que podem leva-la a atingir formas de movimento bem
eficientes e comparáveis à execução de movimentos do
adulto.
Fases do desenvolvimento
GALLAHUE
Explora os movimentos de estabilidade, de locomoção e
manipulação primeiramente separados e depois associados.
a) Etapas iniciais: primeiras tentativas orientadas à meta. A
integração espacial e temporal é precária.( 2 a 3 anos)
b) Estágio elementar: Padrões de movimento ainda são
restritos ou exagerados.( 3 a 4 anos)
c) Estágio Maduro: Por volta dos 5 a 7 anos – todos os
movimentos estão maduros com exceção dos movimentos
que exijam a coordenação viso-motora.
Trans(formação)
Inteligência Simbólica

 A inteligência conceitual emerge no


ecossistema da Escola;
 Transforma a motricidade (natural e
elementar) em Psicomotricidade (cultural e
civilizatória), tendo mais qualidade, pois
transforma-se em processos mentais
superiores.Novos processos internos
cerebrais levam a inteligência Simbólica.
FASES DE DESENVOLVIMENTO
SEGUNDO GALLAHUE

FASE DOS MOVIMENTOS CULTURALMENTE DETERMINADOS

Após o atingir ao nível da fase anterior, nesta fase haverá uma melhora
considerável no domínio das habilidades e um contínuo refinamento das
habilidades especificas, com melhor controle motor.

= É IMPORTANTE SABER, QUE O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO,


DESDE A CONCEPÇÃO ATÉ A MORTE, DEVE REPRESENTAR PARA A
CRIANÇA A POSSIBILIDADE DE DESEMPENHAR, COMPREENDER E
ACEITAR SEU PRÓPRIO RÍTMO DE VIDA.
Sistema Auditivo-Simbólico
Motor
 Recepção: Desenvolvimento da Atenção
 Discriminação Figura-Fundo
 Seguir Instruções
 Interação: Relação Som-Gesto
 Compreenção Auditiva
 Memória Auditiva Motora
 Associação Auditiva Motora
 Integração Auditiva motora
 Estruturação Semântico-Sintática
 Formulação Auditivo-Verbal.
 Expressão: Execução Motora-Emocional
Pantomima
 Dramatização
 Articulação
Sistema Viso-Simbólico
Motor
 Recepção: Coordenação Binocular (fixação),
perseguição e rotação
 Coordenação Óculomanual
 Constância da Forma
 Integração: Memória Visomotora
 Posição relativa do espaço
 Complemento Visual
 Integração Visual
 Expressão: Motricidade Fina
 Destralidade
 Dissociação Inter-digital
 Manipulação Criativa
 Grafomotricidade
Fase dos Movimentos Especializados

 Estágio da Transição – aplicar as habilidades


desenvolvidas nos ambientes esportivos. As
habilidades apreendidas agora são colocadas
nos jogos e brincadeiras.( 7 a 9 anos)

 Estágio de aplicação – ( 10 a 13 anos) Pelo


amadurecimento cognitivo a criança é capaz
de observar as tarefas e tomar a decisão
sobre a mesma.
Fase dos Movimentos Especializados

 Estágio de Utilização para a Vida toda – a


partir dos 13 anos. Ápice do processo de
desenvolvimento motor. O que limita este
estágio são as condições de ambiente e
estrutura. O que levará o aluno a permanecer
neste estágio para o resto da vida é sua
motivação, oportunidade e condições físicas.
Dependência sensível às condições iniciais de vida

Relação de interdependência com o


meio

Aparato biológico

Emergência do comportamento 
resultado dos fatores ambientais
sobre os circuitos neurais em
desenvolvimento

Rosana Fachada
Rosana Fachada
Rosana Fachada
Rosana Fachada
Sistema Psicomotor Humano

• Tonicidade
• Equilíbrio
• Lateralização
• Noção do Corpo (somatognosia)
• Estruturação Espaço-Temporal
• Praxia Global
• Praxia Fina

Rosana Fachada
ORGANIZAÇÃO
FUNCIONAL DO
CÉREBRO (LURIA)

1ª. UNIDADE:
Organização
ATENÇÃO
Psicomotora de base:

Tronco cerebral;
- Tonicidade (nascimento
- Cerebelo (ETC): aos 12 meses).
substância reticulada - Equilíbrio (12 meses aos
(postura,sono,vigília) 3 anos).
- Tálamo(comunicação), - Parte da Lateralidade (2
- Sistema límbico anos aos 3 anos).
Rosana Fachada
TRONCO CEREBRAL CEREBELO

• ATENÇÃO 
COORDENAÇÃO DE
• VIGILÂNCIA; MOVIMENTOS
• INTEGRAÇÃO AUTOMÁTICOS E
VOLUNTÁRIOS;
NEUROSSENSORIAL;
• INTEGRAÇÃO TÔNICA
ATENÇÃO
Tomando-se em consideração a natureza da
atenção, podem-se discernir dois tipos básicos
de atenção: a atenção involuntária e a
atenção voluntária. Essas duas nomenclaturas
de Vygotsky (OLIVEIRA, 2003) recebem outros
títulos de acordo com Dalgalarrondo (2000),
por exemplo, que nomeia a primeira como
atenção espontânea. Já para Luria (1979), há
a atenção arbitrária e a involuntária.
No processo psicopedagógico, é importante
analisar se o cliente está transitando entre
estes dois tipos de atenção, a involuntária e a
voluntária, ou se há permanência maior em
um determinado tipo. Permanecer em uma
atenção especifica pode indicar a necessidade
de um atendimento psicopedagógico clínico.

Rosana Fachada
Voluntária (Seletiva) Involuntária Flutuante

Apresentar a atenção involuntária


Seleção dos objetos que Freud (FERNÀNDEZ, 2001),
com a qual nascemos e está
serão fruto de nossa desenvolveu o conceito de atenção
fortemente presente na primeira
atenção é a atenção flutuante, que se refere ao estado
infância (LURIA, 1979). Os
voluntária (OLIVEIRA pelo qual deve funcionar a atenção
estímulos externos continuam
2003). Ela só é possível do psicanalista durante uma sessão
presentes em nosso dia-a-dia: uma
pelo nosso analítica. Para ele, a atenção do
buzina repentina pode nos chamar
desenvolvimento e pela analista não deve privilegiar, a
atenção, ou o ruído de um trovão
mediação dos signos e priori, qualquer elemento do
pode nos despertar para a chuva lá
símbolos que assimilamos discurso ou do comportamento do
fora; ou seja, quando há estímulos
no contato com o outro paciente, o que implica deixar
fortes, a atenção é dirigida a eles.
social e com a cultura que funcionar livremente suas
Ainda assim, percebemos que a
nos rodeia. A atenção próprias atividades mentais,
atenção, mesmo involuntária, pode
voluntária nos permite conscientes e inconscientes,
ser também mediada pelos signos
fazer uma escolha do deixando a atenção flutuar e
adquiridos (LURIA, 1979). Por
objeto a que voltaremos suspendendo ao máximo as
exemplo, reagimos
nossa atenção. Essa próprias motivações, desejos e
“instintivamente” ao ouvirmos o
atenção, a voluntária, nos planos. Em outras palavras, a
som de nosso nome. Nossa reação
leva a focalizar um atenção flutuante nos permite
é imediata, involuntária, mas só o
determinado objeto, atender de modo simultâneo a
fazemos porque associamos um
“desligando-nos” dos várias situações. É um estado
signo a esta linguagem específica
demais estímulos que artificial da atenção, cultivado pela
que é o nosso nome. Assim, temos
estão ao nosso redor. necessidade do momento.
uma atenção involuntária mediada
Rosana Fachada por significados aprendidos.  

 
2ª. UNIDADE
PROCESSAMENTO

-Zonas posteriores dos somatognosia; (3 anos


Hemisférios cerebrais: aos 4 anos).
estruturação espacial;
Lobo Occipital (visão)
Lobo Temporal (audição); estruturação temporal
Lobo Pariental (sensorial) com (4 anos aos 5 anos).

áreas:
Conexões áreas subcorticais;
1ª. Projeção(recebe via aferentes);
2ª. Associação(codificação e síntese); - Sensoriais e motoras gerando
3ª.Integração(co-trabalho dos anali- o pensamento, a abstração e
sadores) A memória
Rosana Fachada
Lóbulo Occipital Lóbulo Temporal

• Integração Visual; • Integração Auditiva;


• Figura - Fundo; • Discriminação e
• Constância da Forma; seguência de sons;
• Posicão no Espaço. • Seguência de rítmos
Lóbulo Pariental

• Integração Somato- Sensorial;


• Somatognosia;
• Espaço agido- espaço representado;
• Autotopognosia;
• Discriminação Tátil cinestésica;
• Gnosia tátil dos objetos e dos dedos.
3ª. UNIDADE
PLANIFICAÇÃO

Praxia global
Zonas anteriores dos hemisférios (macromotricidade)
cerebrais: (5 aos 6 anos).

-Lobo Frontal -Praxia Fina


-Pré Frontal (regulação e controle) (micro,oro e grafo-
Motricidade
(6 aos 7 anos).

Rosana Fachada
Lóbulo Frontal

• Estruturação Espaço-temporal;
• Praxia;
• Linguagem Expressiva;
• Planificação das ações e da Linguagem;
• Julgamento Social;
• Controle e Regulação exteroceptiva
Como
atrair este Foco/Atenção?

1º. Momento- verificar as questões


interoceptivas ( metabólicas, emocionais,
proteicas, sensoriais...)
2º. Momento- verificar a especificidade
sensorial de cada aluno.
3º. Momento- estabelecer metas, objetivos
tanto de conduta, como de planejamento
de intervenção clínica, educacional,
familiar.
Estratégias Gerais
A Colaboração e o Acordo : arrumar o espaço,
desempenhar um papel, recolher e organizar o
material
( exige escuta, aceitação e compreensão do desejo do
outro)
A Surpresa : no olhar, nos gestos, na voz, com os
objetos
( reforçar ou inibe a criança em sua disposição ou
ação)
A Afirmação: pode ser pelo gesto, olhar ou verbal que
vão reforçar o comportamento da criança dentro dos
aspectos da conduta humana;

Catula Maia e Rosana Fachada


O Reforço : ajuda corporal ou verbal, na qual
Vigotsky coloca como a ZDP, para que a
criança realize a tarefa com êxito;
O Convite : Com o olhar, o gesto ou a
linguagem convidar a criança a participar
da atividade;
A Provocação : Convite a penetrar no espaço,
no ambiente; provocar reações agressivas,
descarga de tensões de afirmações ou de
elaboração de conflitos;
Catula Maia e Rosana Fachada
A Contenção: pode ser uma resposta muito
agradável ou desagradável para a criança.
Estabelece limites, contem a
expressividade da criança diante de
comportamentos hiperativos, nas
frequentes crises de tipo agressivo ou na
necessidade de parar uma atividade.
Manter a raiva e a impulsividade de forma
clara e afetiva. Um abraço desejado que
não foi recebido, um corpo que não teve
contorno é muitas vezes um corpo perdido,
Catula Maia e Rosana Fachada
obscuro, inseguro e agitado.
A Frustração: Para se autorregular a criança precisa
entender que a limites ao seu desejo. Ajuda a ser
mais tolerante na vida. O psicomotricista pode usar
desta estratégia para romper com os estereótipos e
repetições desnecessárias no seu corpo.

A Imitação : Jogo de identificação utilizado por todas


as crianças. Imitar significa que “eu tenho e/ou faço
algo similar a ti, portanto me identifico contigo, me
vejo em ti” A imitação pelo psicomotricista pode
significar a possibilidade de se ver identificada, de
tomar consciência de seu ser e seu existir, tornar-se
importante na medida que o outro me imita.

Catula Maia e Rosana Fachada


A Afetividade: estratégia mais importante na
intervenção da Psicomotricidade Relacional
e considera-se que seu conteúdo deve
estar na base de todas as relações que se
mantêm na sala. Quando colocamos
limites, frustramos , sorrimos e abraçamos,
há um encontro afetivo entre o adulto e a
criança, que a levará durante este percurso
à maturidade de forma construtiva para si
e para os outros.
Catula Maia e Rosana Fachada
Favorecer a autonomia: Tomar decisões em
nossas intervenções para fazer com que as
pessoas com as quais trabalhamos
aprendam a ser donas de seus atos, a
decidir, a resolver seus conflitos, a falar, a
pensar e a brincar por si mesmos.
Precisamos entender que sempre
necessitamos do outro, e de certa formas
temos dependência. E muitas vezes no
desejo de darmos autonomia, deixamos de
atender às necessidades do outro. A
autonomia é o que se constrói
internamente, sendo então uma resposta
Catula Maia e Rosana Fachada
Atenção à maturidade e autonomia diante do
outro em geral expressos através de relações de
grupo: identificação e descobertas em uma
relação de igualdade, colocando-se em
novas situações de jogo, conflito e de prazer;

Segurança do grupo ao longo da sessão: Aos


pouco e pela estratégia do psicomotricista a
criança/adolescente não precisará da
mediação do outro para resolver seus
conflitos.

Catula Maia e Rosana Fachada

Você também pode gostar