Indicações Práticas

Soldadura TIG

Bocal de gás

Electrodo Tungsténio

Gás de Protecção

Cordão de Soldadura Material Base

Metal de Adição

Índice:

1. Gases de protecção 2. Equipamentos de soldadura/ Tipo de corrente 3. Electrodos de tungsténio 4. Conselhos importantes 5. Como evitar os defeitos

é o gás de protecção standard e aplicável a todos os metais soldáveis. material e tipo de gás de protecção. O fornecimento por garrafas ou canalização vai depender do grau de consumo. Conforme a intensidade. mas devem-se considerar as características do material base. O caudal de gás de protecção fixado. 5 . Para os materiais especiais como o titânio e o tântalo é aconselhável a utilização de Argon com uma pureza 4. é imprescindível a protecção de raíz Maior estabilidade do arco Maior facilidade de início do arco em soldadura com corrente alterna Arco mais quente ➜ maior penetração ➜ maior velocidade de soldadura Dificuldades de escorvamento devidas ao He ➜ Escorvamento com Argon Aços Cr-Ni de alta liga Arco mais quente ➜ maior penetração ➜ maior velocidade de soldadura Níquel e ligas de Ni Para evitar porosidade VARIGON® S VARIGON® He 30S Alumínio e suas ligas VARIGON® He 30 VARIGON® He 50 VARIGON® He 70 Alumínio e suas ligas Cobre e suas ligas Hélio VARIGON® H 2 VARIGON® H 5 VARIGON® H 6 VARIGON® H 10 Gases de Protecção e materiais base. Gases de protecção O Argon (conforme EN 439).8. Gás de Protecção Material base Argon Todos os metais soldáveis Observações É o gás mais utilizado Para os materiais sensíveis aos gases e aços Cr-Ni.12 l/min de gás de protecção.1. será necessário para uma protecção efectiva. Através da adição de Hélio ou Hidrogénio. é possível variar as propriedades do gás de protecção. Sem difusor de gás Com difusor de gás .5. o qual vai permitir uma melhor acessibilidade ao ponto de soldadura. A protecção gasosa melhora com a utilização de um difusor. deve ser aferido periodicamente com um caudalímetro apropriado para medição no bocal da tocha. com uma pureza de 4.

Electrodos de tungsténio Dependendo do tipo de corrente.20 ≤ 0.20 2.20 ≤ 0.8 Resto Resto Resto Resto Resto Resto Resto Resto Resto Cor Distintiva verde azul amarela vermelha violeta laranja castanha branca preta cinzenta Designação.20 0.70 – 2.80 – 4.50 0.2. Equipamentos de soldadura/ Tipo de corrente A tabela seguinte apresenta valores orientativos para a intensidade da corrente. utilizam-se electrodos de tungsténio puro ou com adição de óxidos. em função do material base e sua espessura de parede. Materiais Base Aços ligados e não ligados Cobre e suas ligas Níquel e suas ligas Titânico e suas ligas Zircónio.35 – 0. Composição Designação WP WT 4 WT 10 WT 20 WT 30 WT 40 WZ 3 WZ 8 WL 10 WC 20 Adição de Óxidos % (peso) – 0.20 ≤ 0.20 Tungsténio % (peso) 99. Material base e tipo de corrente 3.80 – 2.20 1.20 ≤ 0.90 – 1.80 – 3.20 ≤ 0.55 0. tungsténio Alumínio e suas ligas Magnésio e suas ligas Tipo de Corrente/ polaridade = (–)* ∼ = (–)* com Hélio ∼ * Significa que com corrente contínua a ligação da tocha deverá ser ao polo negativo.20 ≤ 0. composição e cor distinta conforme EN 26848 . Material base Espessura da parede [mm] Aços não ligados e ligados 120 A 200 A 250 A Alumínio e suas ligas 120 A 200 A 250 A Cobre e suas ligas 200 A 250 A 300 A até 2 até 4 até 6 A selecção do tipo de corrente depende igualmente do material base.70 – 0.20 3.20 ≤ 0.80 – 1.15 – 0.90 0.20 1.20 ≤ 0.20 Tipo – ThO2 ThO2 ThO2 ThO2 ThO2 ZrO2 ZrO2 LaO2 CeO2 Impurezas % (peso) ≤ 0.20 ≤ 0. tântalo.

190 180 .2 4.140 150 .5) 3.350 Electrodos com adição de óxidos 15 .675 * Com positivo e negativo de igual amplitude Com a escolha correcta dos electrodos de tungsténio e da sua preparação prévia. b Comportamento durante o escorvamento e tempo de duração: b A adição de óxidos e diminuição do ângulo longitudinal no electrodo facilita o escorvamento e a estabilidade do arco.0) 15 . (30º – 60º) Para ângulos mais fechados maior penetração Para ângulos mais abertos maior largura do cordão Electrodo Tungsténio – Ø : 4 mm Tipo e Intensidade da corrente = (–): 300 A Avanço : 24 cm/min Geometria do cordão na soldadura TIG do aço . é possível influenciar as propriedades do arco e a geometria do cordão de soldadura.250 240 .480 500 .460 Corrente Contínua = (–) Electrodos com adição de óxidos 10 .2 mm Intensidade: : 150 A Material : Tubagens em aço Influência da rugosidade e centricidade sobre o tempo de duração do electrodo de tungsténio b Comportamento durante a fusão e largura do cordão de soldadura: b b Para obter uma boa penetração utilizam-se ângulos fechados.210 150 .150 170 .8 (5.70 60 .0 1.4 (2.75 60 .350 330 .330 350 .90 80 . e permite uma maior duração. Tempo de duração 17 horas Tempo de duração 5 horas Electrodo – Ø : 3.6 2.260 240 .A tabela seguinte apresenta a intensidade máxima de corrente tolerada (extracto EN 26848) Intensidade da corrente (A) Diâmetro do electrodo (mm) Corrente Alterna* Electrodos de tungsténio puro 1.250 225 .0 4.55 45 .125 120 .

O caudal de gás de protecção deverá ser individualmente adaptado a cada trabalho. O soldador deverá garantir que o material de adição e as suas luvas de protecção estejam limpos. 3ª Regra: Materiais sensíveis ao gás. óxidos e outras impurezas. 4ª Regra: Tipo e diâmetro do electrodo de tungsténio. deverá trabalhar-se com gases de protecção especiais. profundidade das estrias. b Corrente Alterna b Intensidades demasiado baixas– Arco instável b Intensidades demasiado altas – Desprendimento de particulas de tungsténio. para evitar que esta se parta. 6ª Regra: Quantidade do gás de protecção. ou seja. Protecção com o gás. Esta vareta deve trabalhar em ângulo fechado sobre o material base. Ao afiar a ponta do electrodo a pedra deverá girar em direcção contrária à ponta do electrodo. 15 – 40° 10 – 30° 10 – 30 ° Soldadura de topo 90 ° Soldadura de canto 45° 20 – 30° Posição ao baixo (PA) Posição horizontal vertical (PB) Posição vertical ascendente (PF) As regras mais importantes para a realização. Na soldadura do alumínio. duma soldadura TIG são: 1ª Regra: Limpeza Os topos a soldar têm que estar livres de gorduras. o gás deverá continuar a fluir o tempo necessário para proteger o banho de fusão e o electrodo contra a oxidação. O extremo da vareta que funde. deverá estar sempre debaixo do jacto de gás de protecção para evitar a oxidação.40º. Como evitar os defeitos Para evitar defeitos é importante ter em consideração a intensidade da corrente eléctrica adequada que o electrodo de tungsténio deverá suportar. adaptando-o ao tamanho da tocha. óleos. formando inclusões na soldadura. 5. A inclinação da tocha na direcção da soldadura deverá ser aproximadamente de 15º . b Corrente Contínua b Intensidades demasiado baixas – Arco instável b Intensidades demasiado altas – Destruição da ponta do electrodo de tungsténio e consequente formação de um arco instável. do diâmetro do bocal do gás e do caudal do mesmo.4. . Conselhos importantes Independentemente da correcta selecção das variáveis de soldadura. para evitar a fragilização por oxidação. Para uma menor rugosidade na superfície da ponta obter-se-á um arco mais estável e seguro. correspondendo a uma maior duração do electrodo. 2ª Regra: Posição do material de adição. deverá ter-se também em consideração a posição da tocha e o material de adição. sem sobressalto. antes de começar. Finalizada a soldadura. 5ª Regra: Rectificação do electrodo de tungsténio. Ao soldar materiais sensíveis ao gás. deve-se eliminar uma forte camada de óxido e quebrar os cantos do lado da raiz. A rectificação da ponta do electrodo deve realizar-se em sentido axial. O tipo e diâmetro do electrodo de tungsténio deverá ser seleccionado em cada caso em função da intensidade da corrente e composição do gás de protecção.

Porto: 22 999 8380 www.linde-gas. Lotes 21/24 . Av.04 Linde Sogás. Lda.Corrente alterna Corrente Alterna Corrente contínua Corrente Contínua Intensidade demasiado alta Intensidade Intensidade correcta demasiado baixa Intensidade correcta Intensidade demasiado alta Influência da intensidade da corrente eléctrica nos electrodos de tungsténio Também podem aparecer defeitos devido à condução incorrecta da tocha e material de adição.comercial@pt. Henrique. Infante D.1800-217 Lisboa Tel.linde.: Lisboa: 21 831 0424 . A seguir expõem-se alguns erros típicos na soldadura TIG e os seus possíveis efeitos na mesma: Erro Possíveis efeitos Mordeduras ar ar Pouca penetração Arco demasiado longo Óxido Poros ar óxido Excesso de inclinação da tocha Demasiado afastado Entrada de ar óxido A vareta após a fusão abandona a zona de protecção do gás óxido Efeito de inclusão (corrosão) Inclusões de tungsténio Posterior bombardeamento com neutrões (reactor) Erros típicos e possíveis efeitos na qualidade do cordão da soldadura 8957 / 04.pt .com .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful