Você está na página 1de 129

Questões da Academia da Força Aérea

de 2008 à 2019 comentadas

Questões AFA 2008


Prof. Willian Rederde

1)Uma partícula move-se com velocidade 75% da velocidade do avião. Para uma
de 50 m/s. Sob a ação de uma aceleração mesma distância percorrida, a razão Δt1
de módulo 0,2 m/s² , ela chega a atingir a /Δt2, entre os intervalos de tempo nas
mesma velocidade em sentido contrário. O situações (1) e (2), vale
tempo gasto, em segundos, para ocorrer
a)1/3
essa mudança no sentido da velocidade é
b)3/5
a) 500 c)5/7
b) 250 d)7/9
c) 100
d) 50
4) Um corpo de massa m, preso à
extremidade de um fio, constituindo um
2) Um corpo é abandonado do repouso de pêndulo cônico, gira num círculo horizontal
uma altura h acima do solo. No mesmo de raio R, como mostra a figura.
instante, um outro é lançado para cima, a
partir do solo, segundo a mesma vertical,
com velocidade v. Sabendo que os corpos
se encontram na metade da altura da
descida do primeiro, pode-se afirmar que h
vale

a) v/g
b) v²/g
c)(v/g)1/2
d)(v/g)² Sendo g a aceleração da gravidade local e θ
o ângulo do fio com a vertical, a velocidade
do corpo pode ser calculada por
3) Considere um pequeno avião voando em
trajetória retilínea com velocidade
constante nas situações a seguir. (1) A
favor do vento. (2) Perpendicularmente ao
vento. Sabe-se que a velocidade do vento é
5) A figura mostra uma bola de isopor 7) A figura abaixo representa dois corpos
caindo, a partir do repouso, sob efeito da idênticos girando horizontalmente em
resistência do ar, e outra bola idêntica, MCU com velocidades lineares v1 e v2. A
abandonada no vácuo no instante t1 em razão T1/T2 entre as intensidades das
que a primeira atinge a velocidade limite. trações nos fios ideais 1 e 2 é

A opção que pode representar os gráficos


da altura h em função do tempo t para as
situações descritas é
8) O volume de água necessário para
acionar cada turbina de uma determinada
central hidrelétrica é cerca de 700 m³ por
segundo, "guiado" através de um conduto
forçado de queda nominal igual a 112 m.
Considere a densidade da água igual a 1
kg/L. Se cada turbina geradora assegura
uma potência de 700 MW, a perda de
energia nesse processo de transformação
mecânica em elétrica é, aproximadamente,
igual a

a) 5%
6) Na questão anterior, considere que a b) 10%
bola da situação 2 atinge o solo com uma c) 15%
velocidade duas vezes maior que a d) 20%
velocidade limite alcançada pela bola na
situação 1. Nestas condições, pode-se
afirmar que o percentual de energia 9) A figura representa um brinquedo de
dissipada na situação 1 foi de parque de diversão em que as pessoas,
apenas em contato com a parede vertical,
a) 10% giram juntamente com uma espécie de
b) 25% cilindro gigante em movimento de rotação.
c) 50%
d) 75%
Considere as forças envolvidas abaixo
relacionadas.

P é a força peso a) maior que o peso do piloto.


Fat é a força de atrito estático b) igual ao peso do piloto.
Fcp é a força centrípeta c) menor que o peso do piloto.
Fcf é a força centrífuga d) nula.

Para um referencial externo, fixo na terra,


11) Três esferas idênticas estão suspensas
as forças que atuam sobre uma pessoa
por fios ideais conforme a figura. Se a
estão representadas pela opção
esfera A for deslocada da posição inicial e
solta, ela atingirá uma velocidade v e
colidirá frontalmente com as outras duas
esferas estacionadas. Considerando o
choque entre as esferas perfeitamente
elástico, pode-se afirmar que as
velocidades vA, vB e vC de A, B e C,
imediatamente após as colisões, serão

10) Em uma apresentação da Esquadrilha


da Fumaça, uma das acrobacias é o "loop",
representado pela trajetória circular da
figura. Ao passar pelo ponto mais baixo da 12) A respeito de um satélite artificial
trajetória, a força que o assento do avião estacionário em órbita sobre um ponto do
exerce sobre o piloto é equador terrestre, afirma-se que

I - a força que a Terra exerce sobre ele é a


resultante centrípeta necessária para
mantê-lo em órbita.

II - o seu período de translação é 24 horas.

III - os objetos soltos em seu interior ficam


flutuando devido à ausência da gravidade.
Está(ão) correta(s)

a) apenas I.
b) apenas I e II.
c) apenas II e III.
d) I, II e III.

15) Uma balança está em equilíbrio, no ar,


13) A figura abaixo apresenta dois corpos tendo bolinhas de ferro num prato e rolhas
de massa m suspensos por fios ideais que de cortiça no outro. Se esta balança for
passam por roldanas também ideais. Um levada para o vácuo, pode-se afirmar que
terceiro corpo, também de massa m, é ela
suspenso no ponto médio M do fio e
baixado até a posição de equilíbrio. a) penderia para o lado das bolinhas de
ferro, pois a densidade do mesmo é maior
que a densidade da cortiça.

b) não penderia para nenhum lado, porque


o peso das bolinhas de ferro é igual ao
peso das rolhas de cortiça.

c) penderia para o lado das rolhas de


O afastamento do ponto M em relação à cortiça, pois enquanto estava no ar o
sua posição inicial é empuxo sobre a cortiça é maior que o
empuxo sobre o ferro.

d) não penderia para nenhum lado, porque


no vácuo não tem empuxo.

14) Uma viga homogênea é suspensa 16) Duas esferas A e B de mesmo volume,
horizontalmente por dois fios verticais de materiais diferentes e presas por fios
como mostra a figura abaixo. ideais, encontram-se em equilíbrio no
interior de um vaso com água conforme a
figura.

A razão entre as trações nos fios A e B vale

Considerando-se as forças peso (PA e PB),


empuxo (EA e EB) e tensão no fio (TA e TB)
relacionadas a cada esfera, é INCORRETO igual a 1500 J e, ainda que, T1 = 600 K e T2 =
afirmar que 300 K, é INCORRETO afirmar que

17) O diagrama de fases apresentado a


seguir pertence a uma substância
hipotética. Com relação a essa substância,
pode-se afirmar que,
a) a quantidade de calor retirada da fonte
quente é de 3000 J.

b) de A até B o gás se expande


isotermicamente.

c) de D até A o gás é comprimido sem


trocar calor com o meio externo.

d) de B até C o gás expande devido ao calor


a) nas condições normais de temperatura e recebido do meio externo.
pressão, a referida substância se encontra
no estado sólido.
19) Um cilindro de volume constante
b) se certa massa de vapor da substância à
contém determinado gás ideal à
temperatura de 300°C for comprimida
temperatura T0 e pressão p0. Mantém-se
lentamente, não poderá sofrer
constante a temperatura do cilindro e
condensação, pois está abaixo da
introduz-se, lentamente, a partir do
temperatura crítica.
instante t = 0, certa massa do mesmo gás.
c) para a temperatura de 0 °C e pressão de O gráfico abaixo representa a massa m de
0,5 atm, a substância se encontra no gás existente no interior do cilindro em
estado de vapor. função do tempo t.

d) se aumentarmos gradativamente a
temperatura da substância, quando ela se
encontra a 70 °C e sob pressão de 3 atm,
ocorrerá sublimação da mesma.

18) A figura a seguir representa o Ciclo de


Carnot realizado por um gás ideal que sofre
Nessas condições, a pressão do gás
transformações numa máquina térmica.
existente no recipiente, para o instante t =
Considerando-se que o trabalho útil
a, é igual a
fornecido pela máquina, em cada ciclo, é
a) 1,5 p0
b) 2,0 p0
c) 2,5 p0
d) 4,0 p0

20) A figura mostra um objeto A, colocado


a 8 m de um espelho plano, e um
observador O, colocado a 4 m desse
mesmo espelho.

Considerando-se as medidas do esquema,


pode-se afirmar que a distância focal da
lente vale

Um raio de luz que parte de A e atinge o


observador O por reflexão no espelho
percorrerá, nesse trajeto de A para O, 22) Considere uma película transparente
de faces paralelas com índice de refração n
a) 10 m iluminada por luz monocromática de
b) 12 m comprimento de onda no ar igual a λ, como
c) 15 m mostra a figura abaixo.
d) 18 m

21) Um espelho esférico E de distância


focal f e uma lente convergente L estão
dispostos coaxialmente, com seus eixos
ópticos coincidentes. Uma fonte pontual
de grande potência, capaz de emitir luz
exclusivamente para direita, é colocada em
P. Os raios luminosos do ponto acendem Sendo a incidência de luz pouco inclinada,
um palito de fósforo com a cabeça em Q, a mínima espessura de película para que
conforme mostra a figura. um observador a veja brilhante por luz
refletida é

23) Um projétil de massa m e velocidade v


atinge horizontalmente um bloco de massa
M que se encontra acoplado a uma mola
de constante elástica K, como mostra a
figura abaixo.

Após o impacto, o projétil se aloja no bloco


e o sistema massa-mola-projétil passa a
oscilar em MHS com amplitude a. Não há
atrito entre o bloco e o plano horizontal 25) Um corpo B, de massa igual a 4 kg e
nem resistência do ar. Nessas condições, a carga elétrica +6 µC, dista 30 mm do corpo
posição em função do tempo para o A, fixo e com carga elétrica –1 µC. O corpo
oscilador harmônico simples é dada pela B é suspenso por um fio isolante, de massa
expressão x = a cos(ωt + ϕ0), onde a e ω desprezível ligado a uma mola presa ao
valem, respectivamente, solo, como mostra a figura. O
comprimento natural da mola é L0 = 1,2 m
e ao sustentar estaticamente o corpo B ela
se distende, atingindo o comprimento L =
1,6 m. Considerando-se a constante
eletrostática do meio k = 9 . 109 N.m2 /C2 ,
que as cargas originais dos corpos pontuais
A e B são mantidas e desprezando-se os
possíveis atritos, o valor da constante
elástica da mola, em N/m, é

24) Considere um sistema formado por


duas cordas diferentes, com densidades µ1
e µ2 tal que µ1 > µ2, em que se propagam
dois pulsos idênticos, conforme mostra a
figura abaixo.

a) 200
b) 320
c) 600
A opção que melhor representa a d) 800
configuração resultante no sistema após os
pulsos passarem pela junção das cordas é
26) Aqueceu-se certa quantidade de um
líquido utilizando um gerador de f.e.m. ε =
50 V e resistência interna r = 3 Ω e um
resistor de resistência R. Se a quantidade
de calor fornecida pelo resistor ao líquido
foi de 2.105 J, pode-se afirmar que o tempo
de aquecimento foi

a) inferior a 5 minutos.
b) entre 6 e 10 minutos.
c) entre 12 e 15 minutos.
d) superior a 15 minutos.

27) No circuito representado abaixo, os


geradores G1 e G2 são ideais e os resistores 29) A figura mostra uma região na qual
têm a mesma resistência R. atua um campo magnético uniforme de
módulo B. Uma partícula de massa m,
carregada positivamente com carga q, é
lançada no ponto A com uma velocidade
de módulo v e direção perpendicular às
linhas do campo. O tempo que a partícula
levará para atingir o ponto B é

Se a potência dissipada por R2 é nula, então


a razão entre as f.e.m. de G1 e G2 é

28) No circuito esquematizado abaixo, C é


um capacitor, G um gerador de f.e.m. ε e
resistência interna r e AB um reostato.
30) - Uma espira condutora é colocada no
mesmo plano e ao lado de um circuito
constituído de uma pilha, de uma lâmpada
e de um interruptor.

O gráfico que melhor representa a carga


acumulada Q no capacitor em função da
resistência R do reostato é

As alternativas a seguir apresentam


situações em que, após o interruptor ser
ligado, o condutor AB gera uma corrente b) "queimar" a lâmpada.
elétrica induzida na espira, EXCETO c) mover a espira na direção x.
d) mover a espira na direção y.
a) desligar o interruptor.

Questões AFA 2009

31) O diagrama abaixo representa as superfície de vidro, pode-se afirmar que o


posições de dois corpos A e B em função seu movimento é
do tempo.

Por este diagrama, afirma-se que o corpo A


33) Uma bola de basquete descreve a
iniciou o seu movimento, em relação ao
trajetória mostrada na figura após ser
corpo B, depois de
arremessada por um jovem atleta que
a) 2,5 s tenta bater um recorde de arremesso.
b) 5,0 s
c) 7,5 s
d) 10 s

32) Uma bola rola com velocidade vr,


constante, sobre uma superfície de vidro
plana e horizontal, descrevendo uma
trajetória retilínea. Enquanto a bola se
desloca, a sua sombra percorre os planos
representados pelos trechos 1 e 2 da figura
abaixo, com velocidades escalares médias A bola é lançada com uma velocidade de
v1 e v2 , respectivamente. 10 m/s e, ao cair na cesta, sua componente
horizontal vale 6,0 m/s. Despreze a
resistência do ar e considere g = 10 m/s² .
Pode-se afirmar que a distância horizontal
(x) percorrida pela bola desde o
lançamento até cair na cesta, em metros,
vale
Considerando que a sombra está sendo
gerada por uma projeção ortogonal à a) 3,0
b) 3,6 Considere que não há atrito entre a
c) 4,8 partícula e o trilho, que a resistência do ar
d) 6,0 seja desprezível e que a aceleração da
gravidade seja g. Nessas condições, a
menor velocidade possível da partícula ao
34) Uma pessoa, brincando em uma roda-
terminar de executar o terceiro looping é
gigante, ao passar pelo ponto mais alto,
arremessa uma pequena bola (Figura 1), de
forma que esta descreve, em relação ao
solo, a trajetória de um lançamento
vertical para cima.

36) Dispõe-se de quatro polias ideais de


raios RA=R, RB = 3R, RC = R/2 e RD = 1/10
que podem ser combinadas e acopladas a
um motor cuja frequência de
funcionamento tem valor f. As polias
podem ser ligadas por correias ideais ou
unidas por eixos rígidos e, nos
acoplamentos, não ocorre
escorregamento. Considere que a
A velocidade de lançamento da bola na
combinação dessas polias com o motor
direção vertical tem o mesmo módulo da
deve acionar uma serra circular (S) para
velocidade escalar (v) da roda-gigante, que
que ela tenha uma frequência de rotação
executa um movimento circular uniforme.
igual a 5/3 da frequência do motor. Sendo
Despreze a resistência do ar, considere a
assim, marque a alternativa que representa
aceleração da gravidade igual a g e π = 3.
essa combinação de polias.
Se a pessoa consegue pegar a bola no
ponto mais próximo do solo (Figura 2), o
período de rotação da roda-gigante pode
ser igual a

35) Uma partícula é abandonada de uma


determinada altura e percorre o trilho
esquematizado na figura abaixo, sem
perder contato com ele.
37) Um planeta Alpha descreve uma constante ao longo de uma trajetória
trajetória elíptica em torno do seu sol retilínea que une os seus centros e que mA
como mostra a figura abaixo. = 16mB. Nessas condições, o gráfico que
melhor representa d em função de x é

Considere que as áreas A1, A2 e A3 são


varridas pelo raio vetor que une o centro
do planeta ao centro do sol quando Alpha
se move respectivamente das posições de 39) Na situação de equilíbrio abaixo, os fios
1 a 2, de 2 a 3 e de 4 a 5. Os trajetos de 1 a e as polias são ideais e a aceleração da
2 e de 2 a 3 são realizados no mesmo gravidade é g. Considere µe o coeficiente
intervalo de tempo ∆t e o trajeto de 4 a 5 de atrito estático entre o bloco A, de massa
num intervalo ∆t’ < ∆t. Nessas condições é mA, e o plano horizontal em que se apóia.
correto afirmar que

38) Dois corpos A e B, esféricos,


inicialmente estacionários no espaço, com A maior massa que o bloco B pode ter, de
massas respectivamente iguais a mA e mB, modo que o equilíbrio se mantenha, é
encontram-se separados, centro a centro,
de uma distância x muito maior que os
seus raios, conforme figura abaixo.

40) A figura abaixo representa um vagão


em repouso, no interior do qual se
encontram um pêndulo simples e um
recipiente fixo no piso, cheio de água. O
Na ausência de outras forças de interação,
pêndulo simples é composto de uma
existe um ponto P do espaço que se
bolinha de ferro presa ao teto do vagão por
localiza a uma distância d do centro do
um fio ideal e, dentro do recipiente, existe
corpo A. Nesse ponto P é nula a
uma bolinha de isopor, totalmente imersa
intensidade da força gravitacional
na água e presa no seu fundo também por
resultante, devido à ação dos corpos A e B
um fio ideal.
sobre um corpo de prova de massa m, ali
colocado. Considere que os corpos A e B
passem a se afastar com uma velocidade
frasco é 1,0 x 10-5 ºC-1. O volume de
mercúrio que irá entornar, em cm3 ,
quando o conjunto for aquecido até 100
ºC, será

Assinale a alternativa que melhor a) 6,0


representa a situação física no interior do b) 18
vagão, se este começar a se mover com c) 30
aceleração constante para a direita. d) 36

43) Um estudante, querendo determinar o


equivalente em água de um calorímetro,
colocou em seu interior 250 g de água fria
e, aguardando um certo tempo, verificou
que o conjunto alcançou o equilíbrio
térmico a uma temperatura de 20 °C. Em
seguida, acrescentou ao mesmo 300 g de
água morna, a 45 °C. Fechando
41) Um paciente, após ser medicado às 10 rapidamente o aparelho, esperou até que o
h, apresentou o seguinte quadro de equilíbrio térmico fosse refeito;
temperatura: verificando, então, que a temperatura final
era de 30 °C. Baseando-se nesses dados, o
equivalente em água do calorímetro vale,
em gramas,

a) 400
b) 300
c) 200
d) 100

A temperatura desse paciente às 11 h 30


44) O diagrama a seguir representa o ciclo
min, em °F, é
percorrido por 3 mols de um gás perfeito.
a) 104
b) 98,6
c) 54,0
d) 42,8

42) Um frasco de vidro, cujo volume é 2000


cm3 a 0 ºC, está completamente cheio de
mercúrio a esta temperatura. Sabe-se que
o coeficiente de dilatação volumétrica do Sabendo-se que no estado A a
mercúrio é 1,8 x 10-4 ºC-1 e o coeficiente de temperatura é –23 ºC e considerando R = 8
dilatação linear do vidro de que é feito o J/mol .K , o trabalho, em joules, realizado
pelo gás no ciclo é
a) 12000 Um objeto, considerado muito distante da
b) – 6000 lente, é disposto ao longo do eixo óptico
c) 1104 dessa lente, como mostra a figura II.
d) – 552

45) O gás contido no balão A de volume V e


pressão p é suavemente escoado através
de dutos rígidos e de volumes desprezíveis,
para os balões B, C, D e E, idênticos e
Nessas condições, a imagem fornecida pela
inicialmente vazios, após a abertura
lente e projetada no anteparo poderá ser
simultânea das válvulas 1, 2, 3 e 4, como
mostra a figura abaixo.

47) A imagem de um ponto P, posicionado


a uma distância d de um espelho plano E,
pode ser visualizada por dois observadores
A e B, como mostra a figura abaixo.
Após atingido o equilíbrio, a pressão no
sistema de balões assume o valor p/3 .
Considerando que não ocorre variação de
temperatura, o volume de dois dos balões
menores é

a) 0,5 V
b) 1,0 V A respeito da imagem P’ do ponto P vista
c) 1,5 V pelos observadores, é correto afirmar que
d) 2,0 V
a) o observador A visualiza P’ a uma
distância d/2 do espelho.
46) A figura I representa uma lente delgada
convergente com uma de suas faces b) o observador B visualiza P’ a uma
escurecida por tinta opaca, de forma que a distância d/4 do espelho.
luz só passa pela letra F impressa.
c) o observador A visualiza P’ a uma
distância 3d/2 do espelho e o observador
B, à distância 5d/4 do espelho.

d) ambos os observadores visualizam P’ a


uma distância 2d do ponto P.
48) Considere dois pássaros A e B em igual a 50 J. Considerando g = 10 m/s2, o
repouso sobre um fio homogêneo de mínimo coeficiente de atrito estático que
densidade linear µ, que se encontra deve existir entre os dois blocos para que o
tensionado, como mostra a figura abaixo. bloco A não escorregue sobre o bloco B é
Suponha que a extremidade do fio que não
aparece esteja muito distante da situação a) 1/10
b) 5/12
apresentada.
c) 5/6
d) 1

50) Os valores do potencial elétrico V em


cada vértice de um quadrado estão
indicados na figura abaixo.

Subitamente o pássaro A faz um


movimento para alçar vôo, emitindo um
pulso que percorre o fio e atinge o pássaro
B ∆t segundos depois. Despreze os efeitos
que o peso dos pássaros possa exercer
sobre o fio. O valor da força tensora para
que o pulso retorne à posição onde se
encontrava o pássaro A, em um tempo
igual a 3∆t, é
Os valores desses potenciais condizem com
o fato de o quadrado estar situado num
campo eletrostático

a) uniforme, na direção do eixo x.

b) uniforme, na direção da bissetriz do 1º


quadrante.
49) Um par de blocos A e B, de massas mA c) criado por duas cargas puntiformes
= 2 kg e mB = 10 kg, apoiados em um plano situadas no eixo y.
sem atrito, é acoplado a duas molas ideais
de mesma constante elástica K = 50 N/m, d) criado por duas cargas puntiformes
como mostra a figura abaixo. situadas nas bissetrizes dos quadrantes
ímpares.

51) Na figura abaixo, uma partícula com


carga elétrica positiva q e massa m é
Afastando-se horizontalmente o par de lançada obliquamente de uma superfície
blocos de sua posição de equilíbrio, o plana, com velocidade inicial de módulo v0,
sistema passa a oscilar em movimento no vácuo, inclinada de um ângulo θ em
harmônico simples com energia mecânica relação à horizontal.
Considere que, além do campo
gravitacional de intensidade g, atua
também um campo elétrico uniforme de
módulo E. Pode-se afirmar que a partícula
voltará à altura inicial de lançamento após Se a d.d.p. entre os pontos A e B é igual a
percorrer, horizontalmente, uma distância U, pode-se afirmar que a potência
igual a dissipada pelo resistor R3 é igual a

52) O elemento de aquecimento de uma


torneira elétrica é constituído de dois 54) Uma bateria de f.e.m. igual a ε e
resistores e de uma chave C, conforme resistência interna de valor igual a r
ilustra a figura abaixo. (constante) alimenta o circuito formado
por uma lâmpada L e um reostato R,
conforme ilustra a figura abaixo.

Com a chave C aberta, a temperatura da


água na saída da torneira aumenta em 10
ºC. Mantendo-se a mesma vazão d’água e
fechando C, pode-se afirmar que a
Considerando constante a resistência da
elevação de temperatura da água, em
lâmpada, o gráfico que melhor representa
graus Celsius, será de
a potência por ela dissipada quando o
a) 2,5 cursor do reostato move-se de A para B é
b) 5,0
c) 15
d) 20

53) Parte de um circuito elétrico é


constituída por seis resistores ôhmicos
cujas resistências elétricas estão indicadas
ao lado de cada resistor, na figura abaixo.
55) O trecho AB, de comprimento 30 cm, Sabe-se que os fios são ideais. A
do circuito elétrico abaixo, está imerso intensidade da corrente elétrica, em
num campo magnético uniforme de ampères, e a diferença de potencial
intensidade 4 T e direção perpendicular ao elétrico entre os pontos C e D, em volts,
plano da folha. Quando a chave CH é são, respectivamente
fechada e o capacitor completamente
carregado, atua sobre o trecho AB uma a) 25 e 50
força magnética de intensidade 3 N, b) 5 e 10
c) 2,5 e 5
deformando-o, conforme a figura.
d) 1,25 e 2,5

Questões AFA 2010


56) O gráfico da posição (S) em função do
tempo (t) a seguir representa o movimento
57) Um carro percorre uma curva circular
retilíneo de um móvel.
com velocidade linear constante de 15 m/s
completando-a em 5 √2 s, conforme figura
abaixo.

É correto afirmar que o módulo da


aceleração média experimentada pelo
carro nesse trecho, em m/s², é

A partir do gráfico é correto afirmar que,

a) no primeiro segundo, o seu movimento


é progressivo.
b) entre 1 s e 3 s, a aceleração é negativa.
c) no instante 2 s, a velocidade do móvel é
nula.
d) nos instantes 1 s e 3 s, os vetores
a) 0
velocidades são iguais.
b) 1,8
c) 3,0
d) 5,3

58) No instante t = 0, uma partícula A é


lançada obliquamente, a partir do solo,
com velocidade de 80 m/s sob um ângulo
de 30° com a horizontal. No instante t = 2 s,
outra partícula B é lançada verticalmente
para cima, também a partir do solo, com
velocidade de 70 m/s, de um ponto situado
a 200√3 m da posição de lançamento da 61) A figura abaixo representa três formas
primeira. Sabendo-se que essas duas distintas para um bloco entrar em
partículas colidem no ar, pode-se afirmar movimento.
que no momento do encontro

a) ambas estão subindo.


b) A está subindo e B descendo.
c) B está subindo e A descendo. Sabe-se que as forças F1, F2 e F3 são
d) ambas estão descendo. constantes e de mesma intensidade.
Desprezando-se qualquer resistência,
59) Um satélite cujo raio da órbita vale R pode-se afirmar que, depois de percorrida
gira ao redor da Terra com velocidade uma mesma distância, a energia cinética,
angular constante ω . Por necessidade E1 , E2 e E3 , adquirida em cada situação, é
técnica será feito um ajuste na trajetória tal que
que dobrará o raio orbital desse satélite,
fazendo-o girar com uma nova velocidade
angular constante ω'. A razão ω/ω’ vale
62) O bloco da Figura 1 entra em
movimento sob ação de uma força
resultante de módulo F que pode atuar de
três formas diferentes, conforme os
diagramas da Figura 2.
60) Um vagão movimenta-se sobre trilhos
retos e horizontais obedecendo à equação
horária S = 20t – 5t² (SI). Um fio ideal tem
uma de suas extremidades presa ao teto
do vagão e, na outra, existe uma esfera
formando um pêndulo. As figuras que
melhor representam as configurações do
sistema vagão-pêndulo de velocidade v e
aceleração a , nos instantes 1 s, 2 s e 3 s, Com relação aos módulos das velocidades
são respectivamente v1, v2 e v3 atingidas pelo bloco no instante t
= 2 s, nas três situações descritas, pode-se
afirmar que
63) Uma esfera de massa m, pendurada na
extremidade livre de um dinamômetro
ideal, é imersa totalmente em um líquido A
e a seguir em um outro líquido B, conforme
figura abaixo.

Sabendo-se que o calor latente de fusão do


gelo e o calor específico da água valem,
respectivamente, 80 cal/g e 1,0 cal/g°C, a
massa de água, em gramas, que se
solidifica no trecho MN é

a) 8
b) 10
c) 16
d) 32

As leituras do dinamômetro nos líquidos A


e B, na condição de equilíbrio, são, 65) Um recipiente tem capacidade de
respectivamente, F1 e F2 . Sendo g a 3.000 cm³ a 20 °C e está completamente
aceleração da gravidade local, a razão cheio de um determinado líquido. Ao
entre as massas específicas de A e B é aquecer o conjunto até 120 °C,
transbordam 27 cm³. O coeficiente de
dilatação aparente desse líquido, em
relação ao material de que é feito o
recipiente é, em °C–1, igual a

a) 3,0 X 10-5
b) 9,0 X 10-5
c) 2,7 X 10-4
64) A água, em condições normais,
d) 8,1 X 10-4
solidifica-se a 0 °C. Entretanto, em
condições especiais, a curva de
resfriamento de 160 g de água pode ter o 66) Considere um objeto AB, perpendicular
aspecto a seguir. ao eixo óptico de um espelho esférico
gaussiano, e sua imagem A’B’ conjugada
pelo espelho, como mostra a figura abaixo.
Movendo-se o objeto AB para outra observador através de uma lente esférica
posição p em relação ao espelho, uma gaussiana, como mostra a figura abaixo.
nova imagem é conjugada de tal forma que
o aumento linear transversal
proporcionado é igual a 2. Nessas
condições, essa nova posição p do objeto,
em cm, é

a) 1
Estando todo o conjunto imerso em ar, a
b) 2
lente que pode representar a situação é
c) 3
d) 4 a) plano-côncava.
b) côncavo-convexa.
c) bicôncava.
67) No diagrama a seguir, do volume (V)
d) convexo-côncava.
em função da temperatura absoluta (T),
estão indicadas as transformações AB e BC
sofridas por uma determinada massa de 69) A figura abaixo representa a variação
gás ideal. da intensidade luminosa I das franjas de
interferência, em função da posição x,
resultado da montagem experimental,
conhecida como Experiência de Young.

Num diagrama da pressão (P) em função


do volume (V), essas transformações
deveriam ser indicadas por A razão entre as distâncias AB e BC é

70) Dois anéis idênticos de centros O e O‘,


uniformemente eletrizados com cargas de
naturezas opostas e mesmo módulo, são
mantidos em planos paralelos conforme
indica a figura.

68) Considere a palavra ACADEMIA


parcialmente vista de cima por um
72) No circuito abaixo, alimentado por três
pilhas ideais de 1,5 V cada, o amperímetro
A e os voltímetros V1 e V2 são considerados
ideais.
Os pontos O, O‘ e B são colineares e A
pertence à mediatriz do segmento OO‘. O
trabalho realizado pela força aplicada por
um agente externo para deslocar uma
carga de prova negativa do ponto A até o
ponto B, com velocidade constante,

a) dependerá da posição do ponto A.


b) será nulo.
c) será positivo.
d) será negativo.
Sabe-se que o voltímetro V2 indica 2,0 V e
que as resistências elétricas dos resistores
71) Uma esfera de massa m, eletrizada R1 e R3 são, respectivamente, 2,5  e 3,0
positivamente com carga q, está fixada na . Nestas condições, as indicações de V1,
extremidade de um fio ideal e isolante de em volts, de A, em ampères, e o valor da
resistência elétrica do resistor R2, em
comprimento l . O pêndulo, assim
ohms, são, respectivamente
constituído, está imerso em uma região
onde além do campo gravitacional g atua
um campo elétrico horizontal e uniforme E
. Este pêndulo é abandonado do ponto A e
faz um ângulo T com a vertical conforme
mostra a figura.

73) No circuito elétrico abaixo, a carga


elétrica do capacitor, em µC, é

Desprezando-se quaisquer resistências, ao a) 12


passar pelo ponto B, simétrico de A em b) 8
relação à vertical, sua energia cinética vale c) 4
d) 0

74) Uma partícula de massa m carregada


eletricamente com carga q, é solta em
queda livre de uma altura h acima do plano
horizontal xy, conforme ilustra a figura
abaixo.
Sobre a situação descrita acima, são feitas
as seguintes afirmações:

I) A separação de cargas nas extremidades


do condutor dá origem a um campo
elétrico E que exerce sobre os portadores
de carga uma força elétrica Fe.

II) A força elétrica Fe, que surge devido a


Se nesta região, além do campo separação de cargas no condutor, tende a
gravitacional g , atua também um campo equilibrar a ação da força magnética Fm
magnético uniforme B na direção Oy, a exercida pelo campo magnético uniforme.
energia cinética da partícula ao passar pelo
plano xy valerá III) O campo elétrico E, que surge devido a
separação de cargas no condutor, dá
origem a uma força eletromotriz H, que é a
diferença de potencial nas extremidades
do condutor.

São corretas
75) Considere um campo magnético
a) somente I e II.
uniforme de intensidade B e um condutor
b) somente I e III.
metálico retilíneo deslocando-se com
c) somente II e III.
velocidade vetorial constante v,
d) I, II e III.
perpendicularmente às linhas desse
campo, conforme a figura abaixo.

Questões AFA 2010


76) Um turista, passeando de bugre pelas
areias de uma praia em Natal – RN,
percorre uma trajetória triangular, que
pode ser dividida em três trechos,
conforme a figura abaixo.
Os trechos B e C possuem o mesmo As acelerações experimentadas por A e B
comprimento, mas as velocidades médias têm o mesmo módulo de 0,2 m/s2. Com
desenvolvidas nos trechos A, B e C foram, base nesses dados, é correto afirmar que
respectivamente, v, 2v e v. A velocidade essas partículas se encontrarão novamente
escalar média desenvolvida pelo turista no instante
para percorrer toda a trajetória triangular
a) 10 s
vale
b) 50 s
c) 100 s
d) 500 s

79) Um garoto, que se encontra em


repouso, faz girar, com velocidade
77) Dois automóveis A e B encontram-se constante, uma pedra de massa m presa a
estacionados paralelamente ao marco zero um fio ideal. Descrevendo uma trajetória
de uma estrada. Em um dado instante, o circular de raio R num plano vertical, essa
automóvel A parte, movimentando-se com pedra dá diversas voltas, até que, em um
velocidade escalar constante vA = 80 km/h. dado instante, o fio arrebenta e ela é
Depois de certo intervalo de tempo, ∆t, o lançada horizontalmente, conforme ilustra
automóvel B parte no encalço de A com a figura a seguir.
velocidade escalar constante vB = 100
km/h. Após 2 h de viagem, o motorista de
A verifica que B se encontra 10 km atrás e
conclui que o intervalo ∆t, em que o
motorista B ainda permaneceu
estacionado, em horas, é igual a

a) 0,25
b) 0,50
c) 1,00 Sujeita apenas à aceleração da gravidade g,
d) 4,00 a pedra passou, então, a descrever uma
trajetória parabólica, percorrendo uma
distância horizontal x equivalente a 4R. A
78) Duas partículas, A e B, que executam
tração experimentada pelo fio toda vez
movimentos retilíneos uniformemente
que a pedra passava pelo ponto onde ele
variados, se encontram em t = 0 na mesma
se rompeu era igual a
posição. Suas velocidades, a partir desse
instante, são representadas pelo gráfico a) mg
abaixo. b) 2 mg
c) 3 mg
d) 4 mg

80) Considere que dois vetores A B e


fazem entre si um ângulo de 60°, quando
têm suas origens sobre um ponto em
comum. Além disso, considere também,
que o módulo de B r é duas vezes maior
que o de A r , ou seja, B = 2A. Sendo o
vetor soma S=A+B e o vetor diferença D=A-
B, a razão entre os módulos S/D vale

Sendo a aceleração da gravidade local


constante e a resistência do ar desprezível,
81) Analise as afirmativas abaixo sobre é correto afirmar que a razão (Va/Vb) entre
impulso e quantidade de movimento. as velocidades das esferinhas A e B
imediatamente antes de atingir o solo é
I - Considere dois corpos A e B deslocando-
se com quantidades de movimento a) igual a 1
constantes e iguais. Se a massa de A for o b) maior que 1
dobro de B, então, o módulo da velocidade c) maior que 2
de A será metade do de B. d) menor que 1

II - A força de atrito sempre exerce impulso


sobre os corpos em que atua. 83) Quando usamos um termômetro
clínico de mercúrio para medir a nossa
III - A quantidade de movimento de uma
temperatura, esperamos um certo tempo
luminária fixa no teto de um trem é nula
para que o mesmo possa indicar a
para um passageiro, que permanece em
temperatura correta do nosso corpo. Com
seu lugar durante todo o trajeto, mas não o
base nisso, analise as proposições a seguir.
é para uma pessoa na plataforma que vê o
trem passar. I) Ao indicar a temperatura do nosso corpo,
o termômetro entra em equilíbrio térmico
IV - Se um jovem que está afundando na
com ele, o que demora algum tempo para
areia movediça de um pântano puxar seus
acontecer.
cabelos para cima, ele se salvará. São
corretas II) Inicialmente, a indicação do termômetro
irá baixar pois o vidro transmite mal o calor
a) apenas I e III.
e se aquece primeiro que o mercúrio, o
b) apenas I, II e III.
tubo capilar de vidro se dilata e o nível do
c) apenas III e IV.
líquido desce.
d) todas as afirmativas.
III) Após algum tempo, como o mercúrio se
dilata mais que o vidro do tubo, a indicação
82) Duas esferinhas A e B, de massas 2m e
começa a subir até estabilizar, quando o
m, respectivamente, são lançadas com a
termômetro indica a temperatura do nosso
mesma energia cinética do ponto P e
corpo.
seguem as trajetórias indicadas na figura
abaixo. Podemos afirmar que são corretas as
afirmativas
a) I e II apenas. demais corpos presentes e depois emitida
b) I e III apenas. por eles na forma de raios ultravioletas que
c) II e III apenas. não atravessam o vidro, aquecendo assim
d) I, II e III. o interior da estufa.

IV - Durante o dia, sob as túnicas claras que


84) O esquema abaixo mostra uma rede refletem boa parte da energia do sol, os
elétrica constituída de dois fios fase e um beduínos no deserto usam roupa de lã,
neutro, alimentando cinco resistores para minimizar as trocas de calor com o
ôhmicos. ambiente.

São verdadeiras apenas as proposições

a) I e II.
b) I e IV.
c) II e III.
d) III e IV.

Se o fio neutro se romper no ponto A, a 86) O diagrama abaixo representa um ciclo


potência dissipada irá aumentar apenas realizado por um sistema termodinâmico
no(s) resistor(es) constituído por n mols de um gás ideal.

a) R1 e R3
b) R2 e R5
c) R3
d) R4

85) Com base nos processos de


transmissão de calor, analise as
proposições a seguir.

I - A serragem é melhor isolante térmico do Sabendo-se que em cada segundo o


que a madeira, da qual foi retirada, porque sistema realiza 40 ciclos iguais a este, é
entre as partículas de madeira da serragem correto afirmar que a(o)
existe ar, que é um isolante térmico melhor
a) potência desse sistema é de 1600 W.
que a madeira.
b) trabalho realizado em cada ciclo é - 40 J.
II - Se a superfície de um lago estiver c) quantidade de calor trocada pelo gás
congelada, a maior temperatura que a com o ambiente em cada ciclo é nula.
camada de água do fundo poderá atingir é d) temperatura do gás é menor no ponto C.
2 °C.

III - O interior de uma estufa de plantas é 87) No circuito representado pela figura
mais quente que o exterior, porque a abaixo, estando o capacitor
energia solar que atravessa o vidro na completamente carregado, leva-se a chave
forma de raios infravermelhos é K da posição A para a posição B.
parcialmente absorvida pelas plantas e
A quantidade de energia, em mJ dissipada
pelo resistor de 1 Ω, após essa operação, é Nesta situação, considerada ideal, a
igual a energia associada aos pontos 1, 2 e 3 da
corda é apenas potencial. No instante igual
a) 5,0 a 3/4 de ciclo após a situação inicial acima,
b) 10 a configuração que melhor representa a
c) 25 forma da corda e o sentido das velocidades
d) 50 dos pontos 1, 2 e 3 é

88) Três raios de luz monocromáticos


correspondendo às cores vermelho (Vm),
amarelo (Am) e violeta (Vi) do espectro
eletromagnético visível incidem na
superfície de separação, perfeitamente
plana, entre o ar e a água, fazendo o
mesmo ângulo θ com essa superfície, como
mostra a figura abaixo.

90) Um objeto luminoso é colocado em


frente ao orifício de uma câmara escura
como mostra a figura abaixo.

Sabe-se que α, β e γ são, respectivamente,


os ângulos de refração, dos raios vermelho,
amarelo e violeta, em relação à normal no
ponto de incidência. A opção que melhor
representa a relação entre esses ângulos é
Do lado oposto ao orifício é colocado um
espelho plano com sua face espelhada
voltada para o anteparo translúcido da
89) Um instantâneo de uma corda, onde se câmara e paralela a este, de forma que um
estabeleceu uma onda estacionária, é observador em A possa visualizar a imagem
apresentado na figura abaixo. do objeto estabelecida no anteparo pelo
espelho. Nessas condições, a configuração
que melhor representa a imagem vista pelo
observador através do espelho é
Nessas condições, é correto afirmar que,
durante a aproximação do ímã, a bobina

a) sempre o atrairá.
b) sempre o repelirá.
c) somente o atrairá se o pólo A for o
Norte.
91) Dois corpos, de dimensões
d) somente o repelirá se o pólo A for o Sul.
desprezíveis, A e B presos a molas ideais,
não deformadas, de constantes elásticas
kA e kB, respectivamente, estão, 93) Uma partícula de massa m e carga
inicialmente, separados de uma distância d elétrica +q é lançada obliquamente com
numa plataforma sem atrito como mostra velocidade V0 numa região R onde existe
a figura a seguir. um campo elétrico uniforme E , vertical,
conforme ilustrado na figura abaixo.

A partir dessa situação, os blocos são então


lentamente puxados por forças de mesma
intensidade, aproximando-se, até se
Devido à ação deste campo elétrico E e do
encostarem. Em seguida, são
gravitacional g, enquanto a partícula
abandonados, passando a oscilar em
estiver nessa região R, sua aceleração
movimento harmônico simples. Considere
vetorial
que não haja interação entre os blocos
quando esses se encontram. Nessas a) nunca poderá ser nula.
condições, a soma das energias mecânicas b) varia de ponto para ponto.
dos corpos A e B será c) independe do ângulo θ.
d) sempre formará o mesmo ângulo θ 0
com o vetor velocidade instantânea.

94) Um diapasão de frequência conhecida


igual a 340 Hz é posto a vibrar
92) A figura abaixo mostra um ímã AB se
continuamente próximo à boca de um
deslocando, no sentido indicado pela seta,
tubo, de 1 m de comprimento, que possui
sobre um trilho horizontal envolvido por
em sua base um dispositivo que permite a
uma bobina metálica fixa.
entrada lenta e gradativa de água como
mostra o desenho abaixo.
95) Considere um elétron partindo do
repouso e percorrendo uma distância
retilínea, somente sob a ação de um campo
elétrico uniforme gerado por uma ddp U,
até passar por um orifício e penetrar numa
região na qual atua somente um campo
magnético uniforme de intensidade B.
Devido à ação desse campo magnético, o
elétron descreve uma semicircunferência
atingindo um segundo orifício,
diametralmente oposto ao primeiro.
Quando a água no interior do tubo atinge Considerando o módulo da carga do
uma determinada altura h a partir da base, elétron igual a q e sua massa igual a m, o
o som emitido pelo tubo é muito raio da semicircunferência descrita é igual
reforçado. Considerando a velocidade do a
som no local de 340 m/s, a opção que
melhor representa as ondas estacionárias
que se formam no interior do tubo no
momento do reforço é

Questões AFA 2011

96) Considere um móvel deslocando-se


numa trajetória horizontal e descrevendo
um movimento retilíneo uniformemente
acelerado e retrógrado. A alternativa que
contém o gráfico que melhor representa o
movimento descrito pelo móvel é
97)Um bloco se movimenta retilineamente,
do ponto A até o ponto C, conforme figura
abaixo.

Sua velocidade v em função do tempo t, ao


longo da trajetória, é descrita pelo
diagrama v x t mostrado

Considerando que o bloco passa pelos


pontos A e B nos instantes 0 e t1, 99) De acordo com a figura abaixo, a
respectivamente, e para no ponto C no partícula A, ao ser abandonada de uma
instante t2, a razão entre as distâncias altura H, desce a rampa sem atritos ou
percorridas pelo bloco nos trechos BC e AB resistência do ar até sofrer uma colisão,
, vale abaixo. perfeitamente elástica, com a partícula B
que possui o dobro da massa de A e que se
encontra inicialmente em repouso. Após
essa colisão, B entra em movimento e A
retorna, subindo a rampa e atingindo uma
altura igual a

98) Os vetores A e B , na figura abaixo,


representam, respectivamente, a
velocidade do vento e a velocidade de um
avião em pleno voo, ambas medidas em
relação ao solo. Sabendo-se que o
movimento resultante do avião acontece
em uma direção perpendicular à direção da
velocidade do vento, tem-se que o cosseno
do ângulo θ entre os vetores velocidades A
e B vale
100) A tabela a seguir resume alguns dados
sobre dois satélites de Júpiter.
Europa expresso em dia(s) terrestre(s), é
um valor mais próximo de

a) 0,90
b) 1,50
Sabendo-se que o período orbital de Io é c) 3,60
de aproximadamente 1,8 dia terrestre, d) 7,20
pode-se afirmar que o período orbital de
24 kW, o rendimento desse motor, em
porcentagem, é de (considere 1 cal = 4 J)
101) O motor de um determinado veículo
consome 8,0 litros de combustível em uma a) 32
hora. Sabendo-se que o calor de b) 36
combustão desse combustível é de 10000 c) 40
cal/g, que sua densidade é 0,675 g/cm3 e d) 44
que o motor desenvolve uma potência de
Sobre a prancha, em uma posição x < L/2, é
colocado um recipiente de massa
desprezível e volume V, como mostrado na
figura 2. Esse recipiente é preenchido
lentamente com um líquido homogêneo de
102) Um motorista calibra os pneus de seu densidade constante até sua borda sem
carro com uma pressão de 30 libras/pol2 a transbordar.
uma temperatura de 27 ºC. Após uma
viagem, a temperatura deles subiu para 47
ºC. Desprezando-se a variação de volume
dos pneus e sabendo-se que 10% da massa
de ar contida em um dos pneus escapou
pela válvula durante a viagem, a pressão
Nessas condições, o gráfico que melhor
do ar neste pneu, ao término desta viagem,
representa a intensidade da reação do
em libras/pol2, é de aproximadamente
apoio B, RB, em função da razão entre o
a) 25 volume V’ do líquido contido no recipiente
b) 26 pelo volume V do recipiente, V’/ V, é
c) 29
d) 32

103) Considere uma prancha homogênea


de peso P e comprimento L que se
encontra equilibrada horizontalmente em
duas hastes A e B como mostra a figura 1
abaixo.
104) Com relação às máquinas térmicas e a abaixo. Nessa condição, o ângulo de
Segunda Lei da Termodinâmica, analise as incidência do raio luminoso é θ1 = 60°.
proposições a seguir.

I - Máquinas térmicas são dispositivos


usados para converter energia mecânica
em energia térmica com consequente
realização de trabalho.

II - O enunciado da Segunda Lei da


Termodinâmica, proposto por Clausius,
afirma que o calor não passa
espontaneamente de um corpo frio para Num determinado momento, o vagão é
um corpo mais quente, a não ser forçado acelerado horizontalmente para a
por um agente externo como é o caso do esquerda com aceleração constante de
refrigerador. módulo a =g√3/3 e, nessa nova situação, o
ângulo de incidência do raio, neste dióptro
III - É possível construir uma máquina
plano, passa a senθ2. Considerando que a
térmica que, operando em transformações
aceleração gravitacional no local é
cíclicas, tenha como único efeito
constante e possui módulo igual a g, a
transformar completamente em trabalho a
razão entre os senos dos ângulos de
energia térmica de uma fonte quente.
refração dos raios refratados na primeira e
IV - Nenhuma máquina térmica operando na segunda situações, respectivamente, é
entre duas temperaturas fixadas pode ter
rendimento maior que a máquina ideal de
Carnot, operando entre essas mesmas
temperaturas.

São corretas apenas

a) I e II 106) Uma fonte de luz monocromática


b) II e III ilumina um obstáculo, contendo duas
c) I, III e IV fendas separadas por uma distância d, e
d) II e IV produz em um anteparo distante D das
fendas, tal que D >> d, uma configuração
105) Considere um recipiente fixo de interferência com franjas claras e
contendo um líquido em repouso no escuras igualmente espaçadas, como
interior de um vagão em movimento mostra a figura abaixo.
retilíneo e uniforme que se desloca para a
direita. A superfície de separação entre o
líquido e o ar contido no vagão forma um
dióptro perfeitamente plano que é
atravessado por um raio luminoso
monocromático emitido por uma fonte F
fixa no teto do vagão, como mostra a figura
Considere que a distância entre os centros nova imagem, duas vezes menor, como
geométricos de uma franja clara e da franja mostra a figura 2. Considerando que o
escura, adjacente a ela, seja x. Nessas observador e as lentes estão imersos em
condições, são feitas as seguintes ar, são feitas as seguintes afirmativas.
afirmativas.
I - a primeira lente é convergente.
I - O comprimento de onda da luz
II - a segunda lente pode ser uma lente
monocromática que ilumina o obstáculo é
plano-côncava.
obtido como 2xd/D.

II - A distância entre o máximo central e o III - quando as duas lentes estão


justapostas, a distância focal da lente
segundo máximo secundário é 3x
equivalente é menor do que a distância
III - A diferença de caminhos percorridos focal da primeira lente.
pela luz que atravessa as fendas do
anteparo e chegam no primeiro mínimo de São corretas apenas
intensidade é dado por xd/2D. a) I e II apenas.
b) I e III apenas.
É (São) correta(s) apenas
c) II e III apenas.
a) I d) I, II e III
b) II e III
c) II
d) I e III 108) A figura abaixo representa as linhas
de força de um determinado campo
elétrico.
107) A figura 1 abaixo ilustra o que um
observador visualiza quando este coloca
uma lente delgada côncavo-convexa a uma
distância d sobre uma folha de papel onde
está escrita a palavra LENTE.

Sendo VA, VB e VC os potenciais


eletrostáticos em três pontos A, B e C,
respectivamente, com 0 < VA – VC < VB –
Vc, pode-se afirmar que a posição desses
pontos é melhor representada na
alternativa

Justapondo-se uma outra lente delgada à


primeira, mantendo esta associação à
mesma distância d da folha, o observador
passa a enxergar, da mesma posição, uma
109) A figura 1 abaixo apresenta a na direção da diagonal BD de um quadrado
configuração de uma onda estacionária de lado l.
que se forma em uma corda inextensível
de comprimento L e densidade linear µ
quando esta é submetida a oscilações de
frequência constante f0, através de uma
fonte presa em uma de suas extremidades.
A corda é tencionada por um corpo
homogêneo e maciço de densidade ρ,
preso na outra extremidade, que se Se o potencial elétrico é nulo no vértice D,
encontra dentro de um recipiente pode-se afirmar que a ddp entre o vértice
inicialmente vazio. A e o ponto O, intersecção das diagonais
do quadrado, é

111) A região entre as placas de um


Considere que o recipiente seja capacitor plano é preenchida por dois
lentamente preenchido com um líquido dielétricos de permissividades ε1 e ε2,
homogêneo de densidade δ e que, no conforme ilustra a figura a seguir.
equilíbrio, o corpo M fique completamente
submerso nesse líquido. Dessa forma, a
nova configuração de onda estacionária
que se estabelece na corda é mostrada na
figura 2.

Sendo S a área de cada placa, d a distância


que as separa e U a ddp entre os pontos A
e B, quando o capacitor está totalmente
carregado, o módulo da carga Q de cada
placa é igual a

Nessas condições, a razão (ρ/δ) entre as


densidades do corpo e do líquido, é

a) 3/2
b) 4/3
c) 5/4
d) 6/5
112) A figura abaixo mostra quatro
110) A figura abaixo ilustra um campo passarinhos pousados em um circuito
elétrico uniforme, de módulo E, que atua elétrico ligado a uma fonte de tensão,
composto de fios ideais e cinco lâmpadas
idênticas L.

Sendo retilínea a trajetória dessa partícula,


nessa região, e os eixos x, y e z
Ao ligar a chave Ch, o(s) passarinho(s) perpendiculares entre si, pode-se afirmar
pelo(s) qual(quais) certamente não que o gráfico que melhor representa a sua
passará(ão) corrente elétrica é(são) o(s) velocidade v em função do tempo t é
indicado(s) pelo(s) número(s)

a) I
b) II e IV
c) II, III e IV
d) III

113) Um estudante dispõe de 40 pilhas,


sendo que cada uma delas possui fem igual
a 1,5 V e resistência interna de 0,25 Ω. Elas
serão associadas e, posteriormente, ligadas
num resistor de imersão de resistência
elétrica igual a 2,5 Ω. Desejando-se elevar a
temperatura em 10°C de 1000 g de um 115) A figura a seguir mostra um ímã
líquido cujo calor específico é igual a 4,5 oscilando próximo a uma espira circular,
J/g°C, no menor tempo possível, este constituída de material condutor, ligada a
estudante montou uma associação uma lâmpada.
utilizando todas as pilhas. Sendo assim, o
tempo de aquecimento do líquido, em
minutos, foi, aproximadamente, igual a

a) 5
b) 8
c) 12
d) 15

114) Uma partícula de massa m e carga


elétrica negativa de módulo igual a q é
lançada com velocidade v0 , na direção y, A resistência elétrica do conjunto espira,
numa região onde atuam, na direção z, um fios de ligação e lâmpada é igual a R e o
campo elétrico E e o campo gravitacional g ímã oscila em MHS com período igual a T.
e, na direção x, um campo magnético B, Nessas condições, o número de elétrons
todos uniformes e constantes, conforme que atravessa o filamento da lâmpada,
esquematizado na figura abaixo. durante cada aproximação do ímã
a) é diretamente proporcional a T. c) é inversamente proporcional a T.
b) é diretamente proporcional a T2 . d) não depende de T.

Questões AFA 2012


116) Sejam três vetores A, B e C . Os
módulos dos vetores A e B são,
respectivamente, 6u e 8u. O módulo do
vetor S=A+B vale 10u, já o módulo do vetor
D= A+C é nulo. Sendo o vetor R=B+C, tem-
se que o módulo de F = S + R é igual a

a) 16u
Num dado momento, a partir do repouso,
b) 10u
o fio é puxado pela ponta P, por uma força
c) 8u
F r constante que imprime uma aceleração
d) 6u
linear a, também constante, na periferia da
polia A, até que o fio se solte por completo
117) A figura 1 abaixo apresenta um
desta polia. A partir desse momento, a
sistema formado por dois pares de polias
polia C gira até parar após n voltas, sob a
coaxiais, AB e CD, acoplados por meio de
ação de uma aceleração angular constante
uma correia ideal e inextensível e que não
de tal forma que o gráfico da velocidade
desliza sobre as polias C e B, tendo
angular da polia D em função do tempo é
respectivamente raios RA = 1 m, RB = 2 m ,
apresentado na figura 3.
RC = 10 m e RD = 0,5 m.

Nessas condições, o número total de voltas


A polia A tem a forma de um cilindro no
dadas pela polia A até parar e o módulo da
qual está enrolado um fio ideal e
aceleração a, em m/s², são,
inextensível de comprimento L = 10π m em
respectivamente,
uma única camada, como mostra a figura
2.

118) Duas partículas, a e b, que se


movimentam ao longo de um mesmo
trecho retilíneo tem as suas posições (S)
dadas em função do tempo (t), conforme o
gráfico abaixo.

120) Uma esfera homogênea, rígida, de


densidade µ1 e de volume V se encontra
apoiada e em equilíbrio na superfície
O arco de parábola que representa o inferior de um recipiente, como mostra a
movimento da partícula b e o segmento de figura 1. Nesta situação a superfície inferior
reta que representa o movimento de a exerce uma força N1 sobre a esfera.
tangenciam-se em t = 3 s. Sendo a
velocidade inicial da partícula b de 8 m/s, o
espaço percorrido pela partícula a do
instante t = 0 até o instante t = 4 s, em
metros, vale

a) 3,0
b) 4,0
c) 6,0 A partir dessa condição, o recipiente vai
d) 8,0 sendo preenchido lentamente por um
líquido de densidade µ, de tal forma que
esse líquido esteja sempre em equilíbrio
119) Uma pequena esfera de massa m é hidrostático. Num determinado momento,
mantida comprimindo uma mola ideal de a situação de equilíbrio do sistema, no qual
constante elástica k de tal forma que a sua a esfera apresenta metade de seu volume
deformação vale x. Ao ser disparada, essa submerso, é mostrada na figura 2.
esfera percorre a superfície horizontal até
passar pelo ponto A subindo por um plano
inclinado de 45° e, ao final dele, no ponto
B, é lançada, atingindo uma altura máxima
H e caindo no ponto C distante 3h do
ponto A, conforme figura abaixo.

Quando o recipiente é totalmente


preenchido pelo líquido, o sistema líquido-
esfera se encontra em uma nova condição
de equilíbrio com a esfera apoiada na
superfície superior do recipiente (figura 3),
Considerando a aceleração da gravidade que exerce uma força de reação normal N2
igual a g e desprezando quaisquer formas sobre a esfera.
de atrito, pode-se afirmar que a
deformação x é dada por
122) No gráfico a seguir, está representado
o comprimento L de duas barras A e B em
função da temperatura θ.

Nessas condições, a razão N1/N2 é dada por

Sabendo-se que as retas que representam


os comprimentos da barra A e da barra B
são paralelas, pode-se afirmar que a razão
121) Em um local onde a aceleração da entre o coeficiente de dilatação linear da
gravidade vale g, uma partícula move-se barra A e o da barra B é
sem atrito sobre uma pista circular que,
por sua vez, possui uma inclinação θ. Essa a) 0,25.
partícula está presa a um poste central, por b) 0,50.
meio de um fio ideal de comprimento l c) 1,00.
que, através de uma articulação, pode girar d) 2,00.
livremente em torno do poste. O fio é
mantido paralelo à superfície da pista,
123) Uma máquina térmica funciona
conforme figura abaixo.
fazendo com que 5 mols de um gás ideal
percorra o ciclo ABCDA representado na
figura.

Ao girar com uma determinada velocidade


constante, a partícula fica “flutuando”
sobre a superfície inclinada da pista, ou
seja, a partícula fica na iminência de perder
o contato com a pista e, além disso,
descreve uma trajetória circular com
centro em C, também indicado na figura.
Nessas condições, a velocidade linear da Sabendo-se que a temperatura em A é 227
partícula deve ser igual a °C, que os calores específicos molares do
gás, a volume constante e a pressão
constante, valem, respectivamente, 2/3 R e
5/2 R e que R vale aproximadamente 8
J/mol K, o rendimento dessa máquina, em
porcentagem, está mais próximo de

a) 12
b) 15
c) 18 Neste arranjo, um raio de luz
d) 21 monocromático, saindo do ponto P, chega
ao ponto C sem sofrer desvio de sua
direção inicial. Retirando-se o líquido n1 e
124) Dois termômetros idênticos, cuja preenchendo-se completamente a parte 1
substância termométrica é o álcool etílico, com um outro líquido de índice de refração
um deles graduado na escala Celsius e o n3, tem-se que o mesmo raio, saindo do
outro graduado na escala Fahrenheit, estão ponto P, chega integralmente ao ponto D.
sendo usados simultaneamente por um Considere que todos os meios sejam
aluno para medir a temperatura de um homogêneos, transparentes e isotrópicos,
mesmo sistema físico no laboratório de sua e que a interface entre eles forme um
escola. Nessas condições, pode-se afirmar dióptro perfeitamente plano. Nessas
corretamente que condições, é correto afirmar que o índice
a) os dois termômetros nunca registrarão de refração n3 pode ser igual a
valores numéricos iguais. a) 1,5 n1
b) a unidade de medida do termômetro b) 1,3 n1
graduado na escala Celsius é 1,8 vezes c) 1,2 n1
maior que a da escala Fahrenheit. d) 1,1 n1

c) a altura da coluna líquida será igual nos


dois termômetros, porém com valores 126) A figura abaixo apresenta a
numéricos sempre diferentes. configuração instantânea de uma onda
plana longitudinal em um meio ideal. Nela,
d) a altura da coluna líquida será diferente estão representadas apenas três
nos dois termômetros. superfícies de onda α, β e γ, separadas
respectivamente por λ e λ/2, onde λ é o
comprimento de onda da onda.
125) A figura abaixo mostra uma face de
um arranjo cúbico, montado com duas
partes geometricamente iguais. A parte 1 é
totalmente preenchida com um líquido de
índice de refração n1 e a parte 2 é um bloco
maciço de um material transparente com Em relação aos pontos que compõem essas
índice de refração n2. superfícies de onda, pode-se fazer as
seguintes afirmativas:

I - estão todos mutuamente em oposição


de fase;

II - estão em fase os pontos das superfícies


αeγ;

III - estão em fase apenas os pontos das


superfícies α e β;
IV - estão em oposição de fase apenas os passa a ser T’. Nessas condições, a razão
pontos das superfícies γ e β. T’/T é

Nessas condições, é (são) verdadeira(s)

a) I
b) I e II
c) III
d) III e IV

127) Ondas sonoras são produzidas por


duas cordas A e B próximas, vibrando em
seus modos fundamentais, de tal forma 129) Uma partícula de massa m e carga
que se percebe x batimentos sonoros por elétrica negativa gira em órbita circular
segundo como resultado da superposição com velocidade escalar constante de
dessas ondas. As cordas possuem iguais módulo igual a v, próxima a uma carga
comprimentos e densidades lineares elétrica positiva fixa, conforme ilustra a
sempre constantes, mas são submetidas a figura abaixo.
diferentes tensões. Aumentando-se
lentamente a tensão na corda A, chega-se
a uma condição onde a frequência de
batimento é nula e ouve-se apenas uma
única onda sonora de frequência f. Nessas
condições, a razão entre a maior e a menor
tensão na corda A é
Desprezando a interação gravitacional
entre as partículas e adotando a energia
potencial elétrica nula quando elas estão
infinitamente afastadas, é correto afirmar
que a energia deste sistema é igual a

128) Num local onde a aceleração da


gravidade é constante, um corpo de massa
m, com dimensões desprezíveis, é posto a
oscilar, unido a uma mola ideal de
constante elástica k, em um plano fixo e
inclinado de um ângulo θ, como mostra a
130) No circuito elétrico esquematizado
figura abaixo.
abaixo, a leitura no amperímetro A não se
Nessas condições, o sistema massa-mola altera quando as chaves C1 e C2 são
executa um movimento harmônico simples simultaneamente fechadas.
de período T. Colocando-se o mesmo
sistema massa-mola para oscilar na
vertical, também em movimento
harmônico simples, o seu novo período
132) Um gerador homopolar consiste de
um disco metálico que é posto a girar com
velocidade angular constante em um
campo magnético uniforme, cuja ação é
extensiva a toda a área do disco, conforme
ilustrado na figura abaixo.

Considerando que a fonte de tensão ε, o


amperímetro e os fios de ligação são ideais
e os resistores ôhmicos, o valor de R é igual
a

a) 50 Ω.
b) 100 Ω. Ao conectar, entre a borda do disco e o
c) 150 Ω. eixo metálico de rotação, uma lâmpada L
d) 600 Ω. cuja resistência elétrica tem
comportamento ôhmico, a potência
dissipada no seu filamento, em função do
131) No circuito esquematizado abaixo, C1
tempo, é melhor representada pelo gráfico
e C2 são capacitores de placas paralelas, a
ar, sendo que C2 pode ter sua capacitância
alterada por meio da inclinação de sua
armadura A, que é articulada no ponto P.

133) O elétron do átomo de hidrogênio, ao


passar do primeiro estado estacionário
excitado, n = 2, para o estado fundamental,
n = 1, emite um fóton. Tendo em vista o
diagrama da figura abaixo, que apresenta,
Estando os capacitores completamente de maneira aproximada, os comprimentos
carregados, desligase a chave Ch e inclina- de onda das diversas radiações,
se a armadura A sem deixá-la aproximar componentes do espectro
muito de B. Nessas condições, a ddp nos eletromagnético, pode-se concluir que o
terminais de C1 e C2, respectivamente, comprimento de onda desse fóton emitido
corresponde a uma radiação na região
a) aumenta e diminui. do(s)
b) fica constante e diminui.
c) diminui e aumenta.
d) fica constante e aumenta.
positivo do eixo x. O módulo da velocidade
v descrita por essa partícula, devido
somente à ação desse campo magnético,
em função da posição x, é melhor
representado pelo gráfico

a) raios gama
b) raios X
c) ultravioleta
d) infravermelho

134) Na região próxima a uma bobina


percorrida por corrente elétrica contínua,
existe um campo de indução magnética B,
simétrico ao seu eixo (eixo x), cuja
135) Raios X são produzidos em tubos de
magnitude diminui com o aumento do
vácuo nos quais elétrons são acelerados
módulo da abscissa x, como mostrado na por uma ddp de 4,0⋅104 V e, em seguida,
figura abaixo. submetidos a uma intensa desaceleração
ao colidir com um alvo metálico. Assim, um
valor possível para o comprimento de
onda, em angstrons, desses raios X é,

a) 0,15
b) 0,20
c) 0,25
d) 0,35
Uma partícula de carga negativa é lançada
em x = x0 com uma velocidade v0,
formando um ângulo θ com o sentido

Questões AFA 2013


136) Um motociclista, pilotando sua Quando está passando pelo ponto mais
motocicleta, move-se com velocidade alto dessa trajetória circular, o motociclista
constante durante a realização do looping lança, para trás, um objeto de massa
da figura abaixo. desprezível, comparada à massa de todo o
conjunto motocicleta-motociclista. Dessa
forma, o objeto cai, em relação à superfície
da Terra, como se tivesse sido abandonado
em A, percorrendo uma trajetória retilínea
até B. Ao passar, após esse lançamento,
em B, o motociclista consegue recuperar o
objeto imediatamente antes dele tocar o
solo. Desprezando a resistência do ar e as
dimensões do conjunto motocicleta-
motociclista, e considerando π² = 10, a 138) A figura abaixo mostra um sistema em
razão entre a normal (N), que age sobre a equilíbrio estático, formado por uma barra
motocicleta no instante em que passa no homogênea e uma mola ideal que estão
ponto A, e o peso (P) do conjunto ligadas através de uma de suas
motocicleta-motociclista, (N/P), será igual extremidades e livremente articuladas às
a paredes.

a) 0,5
b) 1,0
c) 1,5
d) 3,5

137) Um bloco, de massa 2 kg, desliza A barra possui massa m e comprimento L0,
sobre um plano inclinado, conforme a a mola possui comprimento natural L0 e a
figura seguinte. distância entre as articulações é de 2L0.
Esse sistema (barra-mola) está sujeito à
ação da gravidade, cujo módulo da
aceleração é g e, nessas condições, a
constante elástica da mola vale

O gráfico v x t abaixo representa a


velocidade desse bloco em função do
tempo, durante sua subida, desde o ponto
A até o ponto B. 139) Dispõe-se de duas máquinas térmicas
de Carnot. A máquina 1 trabalha entre as
temperaturas de 227 °C e 527 °C, enquanto
a máquina 2 opera entre 227 K e 527 K.
Analise as afirmativas a seguir e responda
ao que se pede.

I. A máquina 2 tem maior rendimento que


Considere a existência de atrito entre o a máquina 1.
bloco e o plano inclinado e despreze
quaisquer outras formas de resistência ao II. Se a máquina 1 realizar um trabalho de
movimento. Sabendo que o bloco retorna 2000 J terá retirado 6000 J de calor da
ao ponto A, a velocidade com que ele fonte quente.
passa por esse ponto, na descida, em m/s,
III. Se a máquina 2 retirar 4000 J de calor
vale
da fonte quente irá liberar
aproximadamente 1720 J de calor para a
fonte fria.
IV. Para uma mesma quantidade de calor 141) Um estudante, ao repetir a
retirada da fonte quente pelas duas experiência de James P. Joule para a
máquinas, a máquina 2 rejeita mais calor determinação do equivalente mecânico do
para a fonte fria. calor, fez a montagem da figura abaixo.

São corretas apenas

a) I e II.
b) I e III.
c) II e IV.
d) III e IV.

140) Um corpo homogêneo e maciço de


massa M e coeficiente de dilatação
volumétrica constante γ é imerso Para conseguir o seu objetivo, ele deixou
inicialmente em um líquido também os corpos de massas M1 = 6,0 kg e M2 = 4,0
homogêneo à temperatura de 0 ºC, e é kg caírem 40 vezes com velocidade
equilibrado por uma massa m1 através de constante de uma altura de 2,0 m, girando
uma balança hidrostática, como mostra a as pás e aquecendo 1,0 kg de água contida
figura abaixo. no recipiente adiabático. Admitindo que
toda a variação de energia mecânica
ocorrida durante as quedas dos corpos
produza aquecimento da água, que os fios
e as polias sejam ideais e que o calor
específico da água seja igual a 4,0 J/g°C, o
aumento de temperatura dela, em °C, foi
de

a) 2,0
Levando o sistema formado pelo corpo
b) 4,0
imerso e o líquido até uma nova
c) 6,0
temperatura de equilíbrio térmico x, a
d) 8,0
nova condição de equilíbrio da balança
hidrostática é atingida com uma massa
igual a m2, na ausência de quaisquer 142) Considere um gás ideal que pode ser
resistências. Nessas condições, o submetido a duas transformações cíclicas
coeficiente de dilatação volumétrica real reversíveis e não simultâneas, 1 e 2, como
do líquido pode ser determinado por mostrado no diagrama PV abaixo.
Sendo ECA e ECB as energias cinéticas dos
sistemas A e B respectivamente no tempo
t1; EPA e as energias EPB potenciais dos
sistemas A e B respectivamente no tempo
t2 , é correto afirmar que

Na transformação 1 o gás recebe uma


quantidade de calor Q1 de uma fonte 144) Um pequeno objeto plano e luminoso
quente à temperatura T1 e cede a pode ser utilizado em três arranjos ópticos
quantidade de calor Q2 para a fonte fria à distintos (I, II e III), imersos em ar, como
temperatura T2. Enquanto que, na apresentado na figura abaixo.
transformação 2, as quantidades de calor
recebida, Q’1, e cedida, Q’2, são trocadas
respectivamente com duas fontes às
temperaturas T3 e T4. Nessas condições, é
correto afirmar que
No arranjo I, o objeto é colocado sobre um
a) a variação da entropia nas
plano onde se apoiam dois espelhos planos
transformações BC, DA, FG e HE é não nula.
ortogonais entre si. Nos arranjos II e III,
b) nas transformações AB e EF, a variação
respectivamente, o objeto é disposto de
da entropia é negativa, enquanto que, nas
forma perpendicular ao eixo óptico de um
transformações CD e GH, é positiva.
espelho esférico côncavo gaussiano e de
c) na transformação 1, a variação da
uma lente convergente delgada. Dessa
entropia é não nula e Q1 = 5Q2/4
maneira, o plano do objeto se encontra
d) na transformação 2, a variação da
paralelo aos planos focais desses dois
entropia é nula e Q1’ = 3Q2’.
dispositivos. Considere que as distâncias do
objeto ao vértice do espelho esférico e ao
143) A figura abaixo apresenta os gráficos centro óptico da lente sejam maiores do
da posição (x) em função do tempo (t) para que as distâncias focais do espelho
dois sistemas A e B de mesma massa m que côncavo e da lente. Nessas condições, das
oscilam em MHS, de igual amplitude. imagens abaixo, a que não pode ser
conjugada por nenhum dos três arranjos
ópticos é

145) Um estudante montou um


experimento com uma rede de difração de
1000 linhas por milímetro, um laser que as cargas qB e qC e sabendo-se que a força
emite um feixe cilíndrico de luz resultante sobre a carga qC é perpendicular
monocromática de comprimento de onda ao lado AB e aponta para dentro do
igual a 4.10 −7 m e um anteparo, conforme triângulo, pode-se afirmar, certamente,
figura abaixo. que a relação entre os valores das cargas
elétricas é

O espectro de difração, observado no 147) Uma partícula A, de massa m e carga


anteparo pelo estudante, foi registrado por elétrica q, está em repouso no momento
uma câmera digital e os picos de em que uma segunda partícula B, de massa
intensidade apareceram como pequenos e carga elétrica iguais às de A, é lançada
pontos brilhantes na imagem. Nessas com velocidade de módulo igual a v0, na
condições, a opção que melhor representa direção x, conforme ilustra a figura abaixo.
a imagem do espectro de difração obtida
pelo estudante é:

A partícula B foi lançada de um ponto


muito distante de A, de tal forma que, no
instante do lançamento, as forças elétricas
coulombianas entre elas possam ser
desprezadas. Sendo K a constante
eletrostática do meio e considerando
apenas interações eletrostáticas entre
146) Três cargas elétricas puntiformes e essas partículas, a distância mínima entre A
estão fixas, qa, qb e qc respectivamente, nos e B será igual a
vértices A, B e C de um triângulo isósceles,
conforme indica a figura abaixo.

148) Dispõe-se de duas pilhas idênticas de


f.e.m ε e resistência interna r constante e
Considerando FA o módulo da força elétrica de um reostato, cuja resistência elétrica R
de interação entre as cargas qA e qC; FB o varia de zero até 6 r. Essas pilhas podem
módulo da força elétrica de interação entre ser associadas em série ou em paralelo,
conforme ilustram as figuras I e II, módulo igual a v. Sendo µ a
respectivamente. permeabilidade absoluta do meio e
considerando desprezível a força de
interação entre as correntes elétricas nos
fios, a força magnética que atua sobre essa
partícula, imediatamente após o
lançamento, tem módulo igual a

O gráfico que melhor representa a


potência P dissipada pelo reostato, para
cada uma das associações, em função da
resistência R é

150) Uma garota de nome Julieta se


encontra em uma nave espacial brincando
em um balanço que oscila com período
constante igual a T0, medido no interior da
nave, como mostra a figura abaixo.

149) Na figura abaixo, estão representados A nave de Julieta passa paralelamente com
dois longos fios paralelos, dispostos a uma velocidade 0,5 c, em que c é a velocidade
distância l um do outro, que conduzem a da luz, por uma plataforma espacial, em
mesma corrente elétrica i em sentidos relação à qual, o astronauta Romeu se
opostos. encontra parado. Durante essa passagem,
Romeu mede o período de oscilação do
balanço como sendo T e o comprimento da
nave, na direção do movimento, como
sendo L. Nessas condições, o período T,
medido por Romeu, e o comprimento da
nave, medido por Julieta, são
respectivamente

Num ponto P do plano xy, situado a uma


distância d de cada um dos fios, lança-se
uma partícula, com carga elétrica positiva q
na direção do eixo y, cuja velocidade tem
151) Para a construção de uma célula Sendo que essa célula deverá ser projetada
fotoelétrica, que será utilizada na abertura para funcionar com luz visível, poderá(ão)
e fechamento automático de uma porta, ser usado(s) somente o(s) metal(is)
um pesquisador dispõe de quatro metais,
cujas funções trabalho (ω) estão listadas na
tabela abaixo.

Questões AFA 2014

152) Um caminhão de 20 m de esse sinal se propague com velocidade de


comprimento se movimenta ao longo de 340 m/s pelo ar, o qual se encontra em
uma estrada retilínea e o registro de sua repouso em relação à terra. Nessas
posição x, em quilômetros, em função do condições, um observador parado no final
tempo t, em segundos, é apresentado no da ponte ouvirá o sinal sonoro emitido pelo
gráfico abaixo. caminhão que se aproxima com uma
frequência, em hertz, dada por

a) 170
b) 180
c) 190
d) 200

153) Uma determinada caixa é


transportada em um caminhão que
Do instante inicial do movimento, t0 =0, até percorre, com velocidade escalar
o tempo t1, o caminhão, partindo do constante, uma estrada plana e horizontal.
repouso, desloca-se em movimento Em um determinado instante, o caminhão
retilíneo uniformemente variado. A partir entra em uma curva circular de raio igual a
desse tempo t1, no entanto, o caminhão 51,2 m, mantendo a mesma velocidade
inicia a travessia de uma ponte retilínea de escalar. Sabendo-se que os coeficientes de
380 metros de extensão mantendo atrito cinético e estático entre a caixa e o
velocidade constante até que a atravesse assoalho horizontal são, respectivamente,
completamente no tempo t2=120s. 0,4 e 0,5 e considerando que as dimensões
Considere que, durante a travessia, o do caminhão, em relação ao raio da curva,
caminhão emita um sinal sonoro de são desprezíveis e que a caixa esteja
frequência constante igual a 160 Hz e que apoiada apenas no assoalho da carroceria,
pode-se afirmar que a máxima velocidade,
em m/s, que o caminhão poderá
155) Considere duas rampas A e B,
desenvolver, sem que a caixa escorregue é
respectivamente de massas 1 kg e 2 kg, em
a) 14,3 forma de quadrantes de circunferência de
b) 16,0 raios iguais a 10 m, apoiadas em um plano
c) 18,0 horizontal e sem atrito. Duas esferas 1 e 2
d) 21,5 se encontram, respectivamente, no topo
das rampas A e B e são abandonadas, do
repouso, em um dado instante, conforme
154) Na cidade de Macapá, no Amapá, figura abaixo.
Fernando envia uma mensagem via satélite
para Maria na mesma cidade. A mensagem
é intermediada por um satélite
geoestacionário, em órbita circular cujo
centro coincide com o centro geométrico
da Terra, e por uma operadora local de Quando as esferas perdem contato com as
telecomunicação da seguinte forma: o sinal rampas, estas se movimentam conforme os
de informação parte do celular de gráficos de suas posições x, em metros, em
Fernando direto para o satélite que função do tempo t, em segundos, abaixo
instantaneamente retransmite para a representados.
operadora, que, da mesma forma,
transmite para o satélite mais uma vez e,
por fim, é retransmitido para o celular de
Maria. Considere que esse sinal percorra
todo trajeto em linha reta e na velocidade
da luz, c; que as dimensões da cidade
sejam desprezíveis em relação à distância
que separa o satélite da Terra, que este
satélite esteja alinhado
perpendicularmente à cidade que se Desprezando qualquer tipo de atrito, a
encontra ao nível do mar e na linha do razão m1/m2 das massas m1 e m2 das
equador. Sendo, M, massa da Terra, T, esferas 1 e 2, respectivamente, é
período de rotação da Terra, RT, raio da
Terra e G, a constante de gravitação
universal, o intervalo de tempo entre a
emissão do sinal no celular de Fernando e a
recepção no celular de Maria, em função
de c, M, T, G e RT é

156) A figura abaixo representa um macaco


hidráulico constituído de dois pistões A e B
de raios RA = 60 cm e RB = 240 cm,
respectivamente. Esse dispositivo será
utilizado para elevar a uma altura de 2 m,
em relação à posição inicial, um veículo de
massa igual a 1 tonelada devido à aplicação (03) Quando um frasco completamente
de uma força F . Despreze as massas dos cheio de líquido é aquecido, este
pistões, todos os atritos e considere que o transborda um pouco. O volume de líquido
líquido seja incompressível. transbordado mede a dilatação absoluta do
líquido.

(04) O vidro pirex apresenta maior


resistência ao choque térmico do que o
vidro comum porque tem menor
coeficiente de dilatação térmica do que o
vidro comum.

(05) Sob pressão normal, quando uma


massa de água é aquecida de 0 ° C até 100
Nessas condições, o fator de multiplicação ° C sua densidade sempre aumenta.
de força deste macaco hidráulico e o
trabalho, em joules, realizado pela força F , (06) Ao se elevar a temperatura de um
aplicada sobre o pistão de menor área, ao sistema constituído por três barras retas e
levantar o veículo bem lentamente e com idênticas de ferro interligadas de modo a
velocidade constante, são, formarem um triângulo isósceles, os
respectivamente, ângulos internos desse triângulo não se
alteram.

a) 07
b) 10
c) 11
d) 12
157) Com relação à dilatação dos sólidos e
líquidos isotrópicos, analise as proposições
158) Em um recipiente termicamente
a seguir e dê como resposta a soma dos
isolado de capacidade térmica 40 0, cal/°C
números associados às afirmações
e na temperatura de 25 °C são colocados
corretas.
600g de gelo a −10 °C e uma garrafa
(01) Um recipiente com dilatação parcialmente cheia, contendo 2,0 L de
desprezível contém certa massa de água na refrigerante também a 25 °C , sob pressão
temperatura de 1° C, quando é, então, normal. Considerando a garrafa com
aquecido lentamente, sofrendo uma capacidade térmica desprezível e o
variação de temperatura de 6 °C . Nesse refrigerante com características
caso, o volume da água primeiro aumenta semelhantes às da água, isto é, calor
e depois diminui. específico na fase líquida 1 cal/g°C e na
fase sólida 0,5 cal/g.°C , calor latente de
(02) Quando se aquece uma placa metálica fusão de 80 cal/g bem como densidade
que apresenta um orifício, verifica-se que, absoluta na fase líquida igual a 1 g/cm³ , a
com a dilatação da placa, a área do orifício temperatura final de equilíbrio térmico /g
aumenta. cm do sistema, em C° , é

a) - 0,3
c) 0,3 em kg , que oscila em movimento
b) 0,0 harmônico simples na vertical com a
d) 0 mesma frequência da onda estacionária
considerada é

159) Uma amostra de n mols de gás ideal


sofre as transformações AB
(isovolumétrica), BC (isobárica) e CD
(isotérmica) conforme representação no
diagrama pressão (p) x volume (V),
mostrado a seguir.

161) Um corpo luminoso de massa 1 kg é


acoplado a uma mola ideal de constante
elástica 100 N/m e colocado à meia
distância entre uma lente esférica delgada
Sabendo-se que a temperatura do gás no convergente L e um espelho esférico
estado A é 27 °C, pode-se afirmar que a côncavo gaussiano E, de distâncias focais
temperatura dele, em °C, no estado D é respectivamente iguais a 10 cm e 60 cm,
como mostra a figura abaixo.
a) 108
b) 327
c) 628
d) 927

160) Uma onda estacionária é estabelecida


Considere que o corpo luminoso seja
em uma corda homogênea de
puxado verticalmente para baixo 1 cm a
comprimento m 2π , presa pelas
partir da posição em que ele se encontra
extremidades, A e B, conforme figura
em equilíbrio sobre o eixo óptico do
abaixo.
sistema e, então, abandonado, passa a
oscilar em movimento harmônico simples
exclusivamente na vertical. A distância
entre o centro de curvatura do espelho e o
centro óptico da lente é 40 cm. Dessa
forma, o corpo luminoso serve de objeto
Considere que a corda esteja submetida a real para a lente e para o espelho que
uma tensão de 10 N e que sua densidade conjugam, cada um, apenas uma única
linear de massa seja igual a 1,0 kg/m imagem desse objeto luminoso oscilante.
Nessas condições, a opção que apresenta Nessas condições, as funções horárias, no
um sistema massa-mola ideal, de Sistema Internacional de Unidades (SI), que
constante elástica k, em N/m e massa m , melhor descrevem os movimentos das
imagens do corpo luminoso,
respectivamente, conjugadas pela lente L e
pelo espelho E, são

Faz-se passar pelas resistências um fluxo


de água, a uma mesma temperatura, com
uma vazão constante de 1,32 litros por
162) Uma pequenina esfera vazada, no ar, minuto. Considere que a água tenha
com carga elétrica igual a 1µC e massa 10g densidade de 1g/cm³ e calor específico de
, é perpassada por um aro semicircular 1 cal/g.°C , que 1cal = 4J e que toda
isolante, de extremidades A e B, situado energia elétrica fornecida ao chuveiro seja
num plano vertical. Uma partícula convertida em calor para aquecer,
carregada eletricamente com carga igual a homogeneamente, a água. Nessas
4µC é fixada por meio de um suporte condições, a variação de temperatura da
isolante, no centro C do aro, que tem raio R água, em °C, ao passar pelas resistências é
igual a 60 cm, conforme ilustra a figura
a) 25
abaixo.
b) 28
c) 30
d) 35

164) Duas grandes placas metálicas


idênticas, P1 e P2, são fixadas na face
Despreze quaisquer forças dissipativas e dianteira de dois carrinhos, de mesma
considere a aceleração da gravidade massa, A e B. Essas duas placas são
constante. Ao abandonar a esfera, a partir carregadas eletricamente, constituindo,
do repouso, na extremidade A, pode-se assim, um capacitor plano de placas
afirmar que a intensidade da reação paralelas. Lançam-se, simultaneamente,
normal, em newtons, exercida pelo aro em sentidos opostos, os carrinhos A e B,
sobre ela no ponto mais baixo (ponto D) de conforme indicado na figura abaixo.
sua trajetória é igual a

a) 0,20
b) 0,40
c) 0,50
d) 0,60

Desprezadas quaisquer resistências ao


163) Em um chuveiro elétrico, submetido a movimento do sistema e considerando que
uma tensão elétrica constante de 110 V, as placas estão eletricamente isoladas, o
são dispostas quatro resistências ôhmicas, gráfico que melhor representa a ddp, U, no
conforme figura abaixo.
capacitor, em função do tempo t, contado
a partir do lançamento é

166) A figura a seguir representa um


dispositivo usado para medir a velocidade
angular ω de uma roda, constituída de
material eletricamente isolante.

165) Desejando-se determinar a


intensidade do campo magnético no
interior de um solenóide longo percorrido
por uma corrente elétrica constante, um
professor de física construiu um aparato
experimental que consistia, além do
solenóide, de uma balança de braços Este dispositivo é constituído por uma
isolantes e iguais a d1 e d2 , sendo que o espira condutora de área 0,5 m² e imersa
prato em uma das extremidades foi dentro de um campo magnético uniforme
substituído por uma espira quadrada de m de intensidade 1,0 T. A espira gira
lado l, conforme indicado na figura abaixo. devido ao contato da polia P com a roda
em que se deseja medir a velocidade
angular ω. A espira é ligada a um
voltímetro ideal V que indica, em cada
instante t, a voltagem nos terminais dela.
Considerando que não há deslizamento
entre a roda e a polia P e sabendo-se que o
Quando não circula corrente na espira, a voltímetro indica uma tensão eficaz igual a
balança se encontra em equilíbrio e o 10 V e que a razão entre o raio da roda (R)
plano da espira está na horizontal. Ao fazer e o raio da polia (r) é R/r=√2, pode-se
passar pela espira uma corrente elétrica afirmar que ω, em rad/s, é igual a
constante i, o equilíbrio da balança é
a) 5
restabelecido ao colocar no prato uma
b) 15
massa m. Sendo g o módulo do campo
c) 20
gravitacional local, o campo magnético no
d) 25
interior do solenóide é dado pela
expressão.
167) O diagrama a seguir mostra os níveis
de energia permitidos para elétrons de um
certo elemento químico.
comprimentos de onda: λA, e λB λC .
Sabendo-se que λA < λB < λC , pode-se
afirmar que λA/ λC é igual a

Durante a emissão de radiação por este


elemento, são observados três

Questões AFA 2015


168) Dois móveis, A e B, partindo juntos de rampa, esse bloco para na metade dela,
uma mesma posição, porém com devido à ação do atrito.
velocidades diferentes, que variam
conforme o gráfico abaixo, irão se
encontrar novamente em um determinado
instante.

Tratando o bloco como partícula e


considerando o coeficiente de atrito entre
a superfície do bloco e da rampa,
constante ao longo de toda descida, a
velocidade de lançamento para que este
Considerando que os intervalos de tempo
bloco pudesse chegar ao final da rampa
t1-t0, t2-t1, t3-t2, t4-t3, t5-t4 são todos iguais,
deveria ser, no mínimo,
os móveis A e B novamente se encontrarão
no instante

a) t4
c) t2
b) t5
d) t3 170) Dois mecanismos que giram com
velocidades angulares ω1 e ω2 constantes
são usados para lançar horizontalmente
169) Um bloco é lançado com velocidade o
duas partículas de massas kg m1=1 e m2 =
v no ponto P paralelamente a uma rampa,
conforme a figura. Ao escorregar sobre a 2kg de uma altura h = 30 m , como mostra
a figura 1 abaixo.
Sabendo-se que a massa total do balão
Num dado momento em que as partículas (incluindo o gás) é de 1,6 kg, considerando
passam, simultaneamente, tangenciando o o ar como uma camada uniforme de
plano horizontal α, elas são desacopladas densidade igual a 1,3 kg/m³, pode-se
dos mecanismos de giro e, lançadas afirmar que ao liberar o balão, ele
horizontalmente, seguem as trajetórias 1 e
2 (figura 1) até se encontrarem no ponto P. a) ficará em repouso na posição onde está.
Os gráficos das energias cinéticas, em b) subirá com uma aceleração de 6,25 m/s²
joule, das partículas 1 e 2 durante os c) subirá com velocidade constante.
movimentos de queda, até a colisão, são d) descerá com aceleração de 6,25 m/s²
apresentados na figura 2 em função de ( h
− y ) , em m, onde y é a altura vertical das
172) Considere a Terra um Planeta
partículas num tempo qualquer, medida a
esférico, homogêneo, de raio R, massa M
partir do solo perfeitamente horizontal.
concentrada no seu centro de massa e que
gira em torno do seu eixo E com velocidade
angular constante ω , isolada do resto do
universo. Um corpo de prova colocado
sobre a superfície da Terra, em um ponto
de latitude ϕ, descreverá uma trajetória
circular de raio r e centro sobre o eixo E da
Terra, conforme a figura abaixo. Nessas
condições, o corpo de prova ficará sujeito a
uma força de atração gravitacional F, que
admite duas componentes, uma
Desprezando qualquer forma de atrito, a
centrípeta, Fcp, e outra que traduz o peso
razão ω2/ω1 é
aparente do corpo, P
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

171) Um balão, cheio de um certo gás, que


tem volume de 2,0 m³ , é mantido em
repouso a uma determinada altura de uma
superfície horizontal, conforme a figura
abaixo.
d) o coeficiente de dilatação volumétrica
do ferro é 39.10-18°C-1

174) Deseja-se aquecer 1,0 L de água que


se encontra inicialmente à temperatura de
10 °C até atingir 100 °C sob pressão
normal, em 10 minutos, usando a queima
de carvão. Sabendo-se que o calor de
combustão do carvão é 6000 cal/g e que
80% do calor liberado na sua queima é
perdido para o ambiente, a massa mínima
de carvão consumida no processo, em
Quando ϕ = 0°, então o corpo de prova
gramas, e a potência média emitida pelo
está sobre a linha do equador e
braseiro, em watts, são
experimenta um valor aparente da
aceleração da gravidade igual a ge. Por a) 15; 600
outro lado, quando ϕ = 90° , o corpo de b) 75; 600
prova se encontra em um dos Polos, c) 15; 3000
experimentando um valor aparente da d) 75; 3000
aceleração da gravidade igual a gp . Sendo
G a constante de gravitação universal, a
razão ge/gp vale 175) Três pêndulos simples 1, 2 e 3 que
oscilam em MHS possuem massas
respectivamente iguais a m, 2m e 3m são
mostrados na figura abaixo.

173) Consultando uma tabela da dilatação


térmica dos sólidos verifica-se que o
coeficiente de dilatação linear do ferro é Os fios que sustentam as massas são ideais,
13.10-6 °C-1. Portanto, pode-se concluir que inextensíveis e possuem comprimento
respectivamente L1, L2 e L3. Para cada um
a) num dia de verão em que a temperatura dos pêndulos registrou-se a posição (x), em
variar 20 °C o comprimento de uma barra metro, em função do tempo (t), em
de ferro de 10,0 m sofrerá uma variação de segundo, e os gráficos desses registros são
2,6 cm apresentados nas figuras 1, 2 e 3 abaixo.

b) o coeficiente de dilatação superficial do


ferro é 169.10-6°C-1

c) para cada 1 °C de variação de


temperatura, o comprimento de uma barra
de 1,0 m desse material varia 13 10−6m ⋅
Alterando-se neste experimento apenas o
comprimento de onda da luz
monocromática para um valor λ2 , obtém-
se o gráfico apresentado na figura 2. E
alterando-se apenas o valor da largura da
fenda para um valor d2, obtém-se o gráfico
da figura 3.

Considerando a inexistência de atritos e Nessas condições, é correto afirmar que


que a aceleração da gravidade seja g = π²
m/s² , é correto afirmar que

177) Considere um objeto formado por


uma combinação de um quadrado de
aresta a cujos vértices são centros
geométricos de círculos e quadrados
menores, como mostra a figura abaixo.

176) Uma figura de difração é obtida em


um experimento de difração por fenda
simples quando luz monocromática de
comprimento de onda λ1 passa por uma
fenda de largura d1 . O gráfico da
intensidade luminosa I em função da Colocando-se um espelho plano, espelhado
posição x ao longo do anteparo onde essa em ambos os lados, de dimensões infinitas
figura de difração é projetada, está e de espessura desprezível ao longo da reta
apresentado na figura 1 abaixo. r, os observadores colocados nas posições
1 e 2 veriam, respectivamente, objetos
completos com as seguintes formas
Desprezando interações de quaisquer
178) A figura abaixo mostra uma pequena outras naturezas com essa partícula, o
esfera vazada E, com carga elétrica q=2.10- gráfico que melhor representa a variação
5
C e massa 80 g, perpassada por um eixo de sua energia potencial (∆Ep) em função
retilíneo situado num plano horizontal e da distância ( d ) percorrida na direção do
distante D = 3 m de uma carga puntiforme eixo x, é
fixa Q=3.10-6C.

Se a esfera for abandonada, em repouso,


no ponto A, a uma distância x, muito
próxima da posição de equilíbrio O, tal que,
x/D << 1 a esfera passará a oscilar de MHS, 180) Um cilindro adiabático vertical foi
em torno de O, cuja pulsação é, em rad/s, dividido em duas partes por um êmbolo de
igual a 6,0 kg de massa que pode deslizar sem
atrito. Na parte superior, fez-se vácuo e na
inferior foram colocados 2 mols de um gás
ideal monoatômico. Um resistor de
resistência elétrica ôhmica R igual a 1 Ω é
colocado no interior do gás e ligado a um
gerador elétrico que fornece uma corrente
elétrica i, constante, de 400 mA, conforme
179) Uma partícula de massa m e carga
ilustrado na figura abaixo.
elétrica −q é lançada com um ângulo θ em
relação ao eixo x, com velocidade igual a V0
, numa região onde atuam um campo
elétrico E e um campo gravitacional g ,
ambos uniformes e constantes, conforme
indicado na figura abaixo.
Fechando-se a chave Ch durante 12,5 min, Nessas condições, pode-se afirmar que a
o êmbolo desloca-se 80 cm numa expansão
isobárica de um estado de equilíbrio para
outro. Nessas condições, a variação da
temperatura do gás foi, em °C, de

a) 1,0
b) 2,0
c) 3,0
d) 5,0 182) Numa região onde atua um campo
magnético uniforme B vertical, fixam-se
dois trilhos retos e homogêneos, na
181) O lado EF de uma espira condutora
horizontal, de tal forma que suas
quadrada indeformável, de massa m, é
extremidades ficam unidas formando entre
preso a uma mola ideal e não condutora,
si um ângulo θ . Uma barra condutora AB,
de constante elástica K. Na posição de
de resistência elétrica desprezível, em
equilíbrio, o plano da espira fica paralelo
contato com os trilhos, forma um triângulo
ao campo magnético B gerado por um ímã
isósceles com eles e se move para a direita
em forma de U, conforme ilustra a figura
com velocidade constante V , a partir do
abaixo.
vértice C no instante t0 = 0, conforme
ilustra a figura abaixo.

Sabendo-se que a resistividade do material


dos trilhos não varia com a temperatura, o
gráfico que melhor representa a
O lado CD é pivotado e pode girar
intensidade da corrente elétrica i que se
livremente em torno do suporte S, que é
estabelece neste circuito, entre os
posicionado paralelamente às linhas de
instantes t1 e t2, é
indução do campo magnético. Considere
que a espira é percorrida por uma corrente
elétrica i, cuja intensidade varia
senoidalmente, em função do tempo t,
conforme indicado no gráfico abaixo.
Dentro das possibilidades apresentadas nas
alternativas abaixo, a energia que poderia
183) O diagrama abaixo ilustra os níveis de restar a um elétron com energia de 12,0
energia ocupados por elétrons de um eV, após colidir com um átomo de A, seria
elemento químico A. de, em eV,

a) 0
b) 1,0
c) 5,0
d) 5,4

Questões AFA 2016


184) Uma partícula de massa m, presa na
extremidade de uma corda ideal, descreve
um movimento circular acelerado, de raio 185) Dois pequenos corpos A e B são
R, contido em um plano vertical, conforme ligados a uma haste rígida através de fios
ideais de comprimentos lA e lB ,
figura a seguir
respectivamente, conforme figura a seguir.

Quando essa partícula atinge determinado


valor de velocidade, a corda também
atinge um valor máximo de tensão e se
rompe. Nesse momento, a partícula é
lançada horizontalmente, de uma altura
2R, indo atingir uma distância horizontal
igual a 4R. Considerando a aceleração da A e B giram em sincronia com a haste, com
gravidade no local igual a g, a tensão velocidades escalares constantes va e vb ,
máxima experimentada pela corda foi de e fazem com a direção horizontal ângulos
θA e θB , respectivamente. Considerando
a) mg
LA= 4LB , a razão Va/Vb , em função de θA e
b) 2mg
θB , é igual a
c) 3mg
d) 4mg
186) Na situação da figura a seguir, os No trecho AB não existe atrito e no trecho
blocos A e B têm massas mA = 3 kg e mB = 1 BC o coeficiente de atrito vale µ = √3/2
kg . O atrito entre o bloco A e o plano
horizontal de apoio é desprezível, e o O bloco é abandonado, do repouso em
coeficiente de atrito estático entre B e A relação ao plano inclinado, no ponto A e
vale µe = 0,4. O bloco A está preso numa chega ao ponto C com velocidade nula. A
mola ideal, inicialmente não deformada, de altura do ponto A, em relação ao ponto B,
constante elástica K = 160N m que, por sua é h1 , e a altura do ponto B, em relação ao
vez, está presa ao suporte S. ponto C, é h2 . A razão h1/h2 vale

188) Em feiras livres ainda é comum


O conjunto formado pelos dois blocos pode encontrar balanças mecânicas, cujo
ser movimentado produzindo uma funcionamento é baseado no equilíbrio de
deformação na mola e, quando solto, a corpos extensos. Na figura a seguir tem-se
mola produzirá uma certa aceleração nesse a representação de uma dessas balanças,
conjunto. Desconsiderando a resistência do constituída basicamente de uma régua
ar, para que B não escorregue sobre A, a metálica homogênea de massa desprezível,
deformação máxima que a mola pode um ponto de apoio, um prato fixo em uma
experimentar, em cm, vale extremidade da régua e um cursor que
pode se movimentar desde o ponto de
a) 3,0 apoio até a outra extremidade da régua. A
b) 4,0 distância do centro do prato ao ponto de
c) 10 apoio é de 10 cm. O cursor tem massa igual
d) 16 a 0,5 kg. Quando o prato está vazio, a
régua fica em equilíbrio na horizontal com
o cursor a 4 cm do apoio.
187) Um bloco escorrega, livre de
resistência do ar, sobre um plano inclinado
de 30°, conforme a figura (sem escala) a
seguir.
Colocando 1 kg sobre o prato, a régua 190) Uma partícula de massa m pode ser
ficará em equilíbrio na horizontal se o colocada a oscilar em quatro experimentos
cursor estiver a uma distância do apoio, em diferentes, como mostra a Figura 1 abaixo.
cm, igual a

a) 18
b) 20
c) 22
d) 24

189) Em um laboratório de física é


proposta uma experiência onde os alunos
Para apenas duas dessas situações, tem-se
deverão construir um termômetro, o qual
o registro do gráfico senoidal da posição da
deverá ser constituído de um bulbo, um
partícula em função do tempo,
tubo muito fino e uniforme, ambos de
apresentado na Figura 2.
vidro, além de álcool colorido, conforme a
figura abaixo. O bulbo tem capacidade de
2,0 cm³, o tubo tem área de secção
transversal de 1.10-2 cm² e comprimento
de 25 cm.

Considere que não existam forças


dissipativas nos quatro experimentos; que,
nos experimentos II e IV , as molas sejam
ideais e que as massas oscilem em
trajetórias perfeitamente retilíneas; que no
experimento III o fio conectado à massa
No momento da experiência, a seja ideal e inextensível; e que nos
temperatura no laboratório é 30 °C, e o experimentos I e III a massa descreva uma
bulbo é totalmente preenchido com álcool trajetória que é um arco de circunferência.
até a base do tubo. Sabendo-se que o Nessas condições, os experimentos em que
coeficiente de dilatação do álcool é 11.10- a partícula oscila certamente em
4 -1
°C e que o coeficiente de dilatação do movimento harmônico simples são, apenas
vidro utilizado é desprezível comparado ao
a) I e III
do álcool, a altura h, em cm, atingida pelo
b) II e III
líquido no tubo, quando o termômetro for
c) III e IV
utilizado em um experimento a 80 °C, é
d) II e IV
a) 5,50
b) 11,0
191) Duas fontes sonoras 1 e 2, de massas
c) 16,5
desprezíveis, que emitem sons,
d) 22,0
respectivamente, de frequências f1 = 570
Hz e f2 = 390 Hz são colocadas em um
sistema, em repouso, constituído por dois
blocos, A e B, unidos por um fio ideal e
inextensível, de tal forma que uma mola
ideal se encontra comprimida entre eles,
como mostra a figura abaixo.

De acordo com o apresentado pode-se


afirmar que

A fonte sonora 1 está acoplada ao bloco A, a) o trabalho em cada ciclo é de 800 J e é


de massa 2m, e a fonte sonora 2 ao bloco realizado pelo sistema.
B, de massa m. Um observador O,
estacionário em relação ao solo, dispara b) o sistema termodinâmico não pode
um mecanismo que rompe o fio. Os blocos representar o ciclo de uma máquina
passam, então, a se mover, separados da frigorífica uma vez que o mesmo está
mola, com velocidades constantes em orientado no sentido anti-horário.
relação ao solo, sendo que a velocidade do
c) a energia interna do sistema é máxima
bloco B é de 80 m/s. Considere que não
no ponto D e mínima no ponto B.
existam forças dissipativas, que a
velocidade do som no local é constante e d) em cada ciclo o sistema libera 800 J de
igual a 340 m/s, que o ar se encontra em calor para o meio ambiente.
repouso em relação ao solo. Nessas
condições, a razão entre as frequências
sonoras percebidas pelo observador,
193) Considere uma lente esférica delgada,
devido ao movimento das fontes 2 e 1,
S, de bordas finas, feita de material de
respectivamente, é
índice de refração n maior do que o índice
a) 1 de refração do ar. Com esta lente podem-
c) 3 se realizar dois experimentos. No primeiro,
b) 2 a lente é imersa em um meio ideal, de
d) 4 índice de refração n1, e o seu
comportamento óptico, quando um feixe
de luz paralela passa por ela, é o mesmo de
192) Um sistema termodinâmico uma lente côncavo-convexa de índice de
constituído de n mols de um gás perfeito refração n imersa no ar. No segundo, a
monoatômico desenvolve uma lente S é imersa em um outro meio ideal,
transformação cíclica ABCDA representada de índice de refração n2, e o seu
no diagrama a seguir. comportamento óptico é o mesmo de uma
lente convexo-côncava de índice de
refração n imersa no ar. Nessas condições,
são feitas as seguintes afirmativas:

I. n2 > n > n1
II. a lente S, quando imersa no ar, pode ser vértices de um quadrado, conforme
uma lente plano-côncava. ilustrado na figura abaixo.

III. a razão entre as vergências da lente S


nos dois experimentos não pode ser 1.

IV. as distâncias focais da lente S, nos dois


experimentos, são sempre as mesmas.

São corretas, apenas

a) I e II
b) II e III As cargas q são desconhecidas. No centro
c) I e III Ο e q2 do quadrado o vetor campo elétrico
d) II e IV Er, devido às quatro cargas, tem a direção
e o sentido indicados na figura. A partir da
análise deste campo elétrico, pode-se
194) Uma pequena esfera C, com carga
afirmar que o potencial elétrico em Ο
elétrica de +5.10-4C , é guiada por um aro
isolante e semicircular de raio R igual a 2,5 a) é positivo.
m, situado num plano horizontal, com b) é negativo.
extremidades A e B, como indica a figura c) é nulo.
abaixo. d) pode ser positivo.

196) A figura a seguir representa um


circuito elétrico constituído por duas
baterias de resistências internas
desprezíveis e sete resistores ôhmicos.
A esfera pode se deslocar sem atrito tendo
o aro como guia. Nas extremidades A e B
deste aro são fixadas duas cargas elétricas
puntiformes de 8.10-6C e 1.10-6C
respectivamente. Sendo a constante
eletrostática do meio igual a 4√5.109
N.m²/C² , na posição de equilíbrio da esfera
C, a reação normal do aro sobre a esfera,
em N, tem módulo igual a Sendo que a máxima potência dissipada
em cada resistor não poderá ultrapassar 10
a) 1 W, a fem ε máxima que as baterias
b) 2 poderão apresentar é, em V,
c) 4
d) 5 a) 9
b) 12
c) 18
195) Um sistema é composto por quatro d) 36
cargas elétricas puntiformes fixadas nos
197) Dois longos fios paralelos estão Ao passar pelo prisma, a luz divide-se em
dispostos a uma distância l um do outro e quatro feixes de cores distintas: violeta,
transportam correntes elétricas de mesma anil, azul e vermelho. Projetando-se esses
intensidade i em sentidos opostos, como feixes em um anteparo, eles ficam
ilustra a figura abaixo. espalhados, como ilustrado na Figura 1.
Considere, agora, a Figura 2, que ilustra
esquematicamente alguns níveis de
energia do átomo de hidrogênio, onde as
setas I, II, III e IV mostram transições
possíveis para esse átomo.

Nessa figura o ponto P é equidistante dos


fios. Assim, o gráfico que melhor
representa a intensidade do campo Relacionando as informações contidas na
magnético resultante B, no ponto P, em Figura 2 com as cores da luz emitida pela
função da abscissa x, é lâmpada de gás de hidrogênio mostrada na
Figura 1, é correto afirmar que a cor anil
corresponde à transição

a) I
b) II
c) III
d) IV

199) A Figura 1 mostra uma espira


quadrada, feita de material condutor,
contida num plano zy, e um fio condutor
198) A Figura 1 abaixo representa um retilíneo e muito longo, paralelo ao eixo z,
arranjo experimental para a obtenção do sendo percorrido por uma corrente elétrica
espectro de emissão da luz emitida por de intensidade i, dada pelo gráfico da
uma lâmpada de gás de hidrogênio. Figura 2.
A partir da análise das Figuras 1 e 2, pode-
se afirmar que o gráfico que melhor
representa a fem induzida ε entre os
pontos A e B é

Questões AFA 2017

200) O gráfico seguinte representa a


velocidade escalar v de uma partícula em
movimento retilíneo.

Considerando que, em t = 0, a partícula


está na origem dos espaços (S0 = 0), o
gráfico que melhor representa a posição (S) 201) Uma partícula é abandonada sobre
dessa partícula até o instante t = 5 s é um plano inclinado, a partir do repouso no
ponto A, de altura h, como indicado pela
figura (fora de escala). Após descer o plano
inclinado, a partícula se move
horizontalmente até atingir o ponto B. As
forças de resistência ao movimento de A
até B são desprezíveis. A partir do ponto B, uma força vertical, inversa à sustentação,
a partícula então cai, livre da ação de que busca incrementar a aderência dos
resistência do ar, em um poço de pneus ao asfalto através de um acréscimo
profundidade igual a 3h e diâmetro x. Ela na carga normal, permitindo que o veículo
colide com o chão do fundo do poço e possa realizar as curvas com uma
sobe, em uma nova trajetória parabólica velocidade maior do que o faria sem estes
até atingir o ponto C, o mais alto dessa dispositivos”. (Trecho retirado da
nova trajetória. Na colisão com o fundo do monografia intitulada “Sistema ativo de
poço a partícula perde 50% de sua energia redução de arrasto aerodinâmico por
mecânica. Finalmente, do ponto C ao atuador aplicado a um protótipo de
ponto D, a partícula move-se fórmula SAE”, de autoria de Danilo Barbosa
horizontalmente experimentando atrito Porto, apresentada na Escola de
com a superfície. Após percorrer a Engenharia de São Carlos, da Universidade
distância entre C e D, igual a 3h, a partícula de São Paulo, em 2016). Para avaliar o
atinge o repouso. papel da “Downforce”, considere um carro
de Fórmula 1, de massa M, realizando uma
curva em determinada pista plana. Ao se
desprezar completamente os efeitos
produzidos pelo seu movimento em
relação ao ar, mas considerando o atrito
entre pneus e o asfalto, o carro consegue
fazer a curva, sem derrapar, a uma
velocidade máxima V. Porém, ao levar em
Considerando que os pontos B e C estão na
conta, especificamente, a atuação da
borda do poço, que o coeficiente de atrito
“Downforce” D (desconsiderando a força
dinâmico entre a partícula e o trecho CD é
de arrasto) a velocidade máxima V’ do
igual a 0,5 e que durante a colisão com o
carro, nessa mesma curva, muda em
fundo do poço a partícula não desliza, a
função de D. Nessas condições, o gráfico
razão entre o diâmetro do poço e a altura
que melhor representa a relação V '/V em
de onde foi abandonada a partícula, x/h,
função de D é
vale

202) Em muitos problemas de física


desprezam-se as forças de resistência ao
movimento. Entretanto, sabe-se que, na
prática, essas forças são significativas e
muitas vezes desempenham um papel
determinante. Por exemplo, “no 203) Um corpo M de dimensões
automobilismo, os veículos comumente desprezíveis e massa 10 kg movimentando-
possuem dispositivos aerodinâmicos se em uma dimensão, inicialmente com
implementados, os quais têm a função de velocidade V, vai sucessivamente colidindo
contribuir para o aumento da ‘Downforce’, inelasticamente com N partículas m, todas
de mesma massa 1 kg, e com velocidades
de módulo v = 20 m/s, que também se
movimentam em uma dimensão de acordo
com a Figura 1, a seguir.

Em um determinado instante o garoto


O gráfico que representa a velocidade final corta o fio. A mola, que está inicialmente
do conjunto vf após cada colisão em função deformada de um valor ∆x, passa a erguer
do número de partículas N é apresentado lentamente a extremidade B da rampa,
na Figura 2, a seguir. fazendo com que o garoto escorregue, sem
atrito e sem perder o contato com a
rampa, até a extremidade A, conforme
Figura 2.

Desconsiderando as forças de atrito e a


resistência do ar sobre o corpo e as
partículas, a colisão de ordem No na qual a
velocidade do corpo resultante (corpo M + Quando o garoto, que neste caso deve ser
No partículas m) se anula, é, tratado como partícula, atinge a
extremidade A, a mola se encontra em seu
a) 25 comprimento natural (sem deformação) e
b) 50 a rampa estará em repouso e inclinada de
c) 100 um ângulo θ . Considerando g o módulo da
d) 200 aceleração da gravidade local, nessas
condições, a velocidade do garoto em A,
vale
204) Uma rampa, homogênea, de massa m
e comprimento L, é inicialmente colocada
na horizontal. A extremidade A, dessa
rampa, encontra-se acoplada a uma
articulação sem atrito. Na extremidade B
está sentado, em repouso, um garoto,
também de massa m. Essa extremidade B
está presa ao chão, por um fio ideal, e ao
teto, por uma mola ideal, de constante
elástica k, conforme ilustra a Figura 1.

205) Dois recipientes A e B, contendo o


mesmo volume de água, são colocados
separadamente sobre duas balanças I e II, 206) Considere dois tubos cilíndricos (1 e
respectivamente, conforme indicado na 2), verticais, idênticos e feitos do mesmo
figura a seguir. material, contendo um mesmo líquido em
equilíbrio até a altura de 50,0 cm,
conforme figura a seguir.

A única diferença entre os recipientes A e B


As temperaturas nos dois tubos são
está no fato de que B possui um “ladrão”
inicialmente iguais e de valor 35 °C. O tubo
que permite que a água escoe para um
1 é resfriado até 0 °C, enquanto o tubo 2 é
outro recipiente C, localizado fora das
aquecido até 70 °C, e a altura do líquido
balanças. Em seguida, mergulha-se,
em cada tubo passa a ser o valor indicado
lentamente, sem girar e com velocidade
na figura. Sabendo-se que o coeficiente de
constante, por meio de um fio ideal, em
dilatação térmica dos tubos é desprezível
cada recipiente, um cilindro metálico,
quando comparado com o do líquido, o
maciço, de material não homogêneo, de tal
coeficiente de dilatação volumétrica do
forma que o seu eixo sempre se mantém
líquido, considerado constante, é, em °C−1 ,
na vertical. Os cilindros vão imergindo na
água, sem provocar variação de
temperatura e sem encostar nas paredes e
nos fundos dos recipientes, de tal forma
que os líquidos, nos recipientes A e B,
sempre estarão em equilíbrio hidrostático
no momento da leitura nas balanças. O 207) Um sistema gasoso constituído por n
gráfico que melhor representa a leitura Ll e mols de um gás perfeito passa do estado x
Lll das balanças I e II, respectivamente, L, para o estado y por meio dos processos
em função da altura h submersa de cada distintos 1 e 2 mostrados no esquema a
cilindro é seguir.

Se no processo 2 o sistema realiza um


trabalho de 200 J e absorve uma
quantidade de calor de 500 J, é correto
afirmar que

a) quando o sistema for trazido de volta ao


estado inicial x sua energia interna irá
diminuir de 700 J.

b) a variação da energia interna será a


mesma tanto no processo 1 quanto no 2.

c) o trabalho realizado no processo 1 será


209) COMO A HIPERMETROPIA ACONTECE
igual ao trabalho realizado no processo 2.
NA INFÂNCIA: É muito comum bebês e
d) se no processo 1 o trabalho realizado for crianças apresentarem algum tipo de erro
de 400 J o calor recebido será de 1000 J. refrativo, e a hipermetropia é o caso mais
constante. Isso porque este tipo de
ametropia (erro de refração) pode se
manifestar desde a fase de recém-nascido.
208) Um recipiente vazio, perfeitamente
A hipermetropia é um erro de refração
transparente, no formato de uma lente
caracterizado pelo modo em que o olho,
esférica delgada gaussiana, de raio a, é
menor do que o normal, foca a imagem
preenchido com água límpida e cristalina
atrás da retina. Consequentemente, isso
até a metade de sua capacidade (Figura 1).
faz com que a visão de longe seja melhor
do que a de perto. (...) De acordo com a
Dra. Liana, existem alguns fatores que
podem influenciar a incidência de
hipermetropia em crianças, como o
ambiente, a etnia e, principalmente, a
genética. “As formas leves e moderadas,
Essa lente é então fixada a uma com até seis dioptrias, são passadas de
determinada distância de uma fotografia geração para geração (autossômica
quadrada de lado 3a (Figura 2), tendo seus
dominante). Já a hipermetropia elevada é
centros geométricos alinhados (Figura 3). herdada dos pais (autossômica recessiva)”,
explicou a especialista. A médica ainda
relatou a importância em identificar,
prematuramente, o comportamento
hipermétrope da criança, caso contrário,
esse problema pode afetar a rotina visual e
funcional delas. “A falta de correção da
hipermetropia pode dificultar o processo
Considerando que o sistema lente- de aprendizado, e ainda pode reduzir, ou
fotografia esteja imerso no ar, um limitar, o desenvolvimento nas atividades
observador na posição O (Figura 3), poderá da criança. Em alguns casos, pode ser
observar, dentre as opções abaixo, a responsável por repetência, evasão escolar
imagem da situação apresentada, como e dificuldade na socialização, requerendo
sendo ações de identificação e tratamento”,
concluiu a Dra. Liana. Os sintomas
relacionados à hipermetropia, além da d) 400
dificuldade de enxergar de perto, variam
entre: dores de cabeça, fadiga ocular e
dificuldade de concentração em leitura.(...) 210) Uma fonte sonora A, em repouso,
O tratamento utilizado para corrigir este emite um sinal sonoro de frequência
tipo de anomalia é realizado através da constante f = 100 Hz. Um sensor S desloca-
cirurgia refrativa. O uso de óculos (com se A com velocidade constante VS = 80 m/s,
lentes esféricas) ou lentes de contato em relação à Terra, sobre um plano
corretivas é considerado método perfeitamente retilíneo, em direção à fonte
convencional, que pode solucionar o sonora, como mostra a Figura 1.
problema visual do hipermétrope.

(Disponível
em:www.cbo.net.br/novo/publicacao/revista_vejabe
m. Acesso em: 18 fev. 2017.)
O sensor registra a frequência aparente
De acordo com o texto acima, a
devido à sua movimentação em relação à
hipermetropia pode ser corrigida com o
fonte sonora e a reenvia para um
uso de lentes esféricas. Dessa maneira,
laboratório onde um sistema de caixas
uma lente corretiva, delgada e gaussiana,
sonoras, acopladas a três tubos sonoros,
de vergência igual a +2 di, conforme figura
de comprimentos L1, L2 e L3 reproduz essa
a seguir, é utilizada para projetar, num
frequência aparente fazendo, com que as
anteparo colocado a uma distância p′ da
colunas de ar desses tubos vibrem
lente, a imagem de um corpo luminoso que
produzindo os harmônicos apresentados
oscila em movimento harmônico simples
na Figura 2.
(MHS). A equação que descreve o
movimento oscilatório desse corpo é

Considere que o sensor se movimenta em


um local onde a velocidade do som é
constante e igual a 320 m/s, que os tubos
Considere que a equação que descreve a sonoros possuam diâmetros muito
oscilação projetada no anteparo é dada por menores do que seus respectivos
comprimentos e que a velocidade do som
no interior desses tubos seja também
constante e igual a 320 m/s. Considere
Nessas condições, à distância p′, em cm, é também que a fonte A e o ar estejam em
repouso em relação à Terra. Nessas
a) 100 condições, é correto afirmar que os
b) 200 comprimentos L1, L2 e L3 respectivamente,
c) 300 em metros, são
212) Os carregadores de bateria sem fio de
smartphones, também conhecidos como
carregadores wireless, são dispositivos
compostos de bobina e ligados à rede
elétrica, que carregam as baterias dos
aparelhos apenas pela proximidade,
através do fenômeno de indução
211) Três cargas elétricas pontuais, q1, q2 e
eletromagnética. Para isso, o smartphone
q3 estão fixas de tal , forma que os
deve ser apto à referida tecnologia, ou
segmentos de reta que unem cada par de
seja, também possuir uma bobina, para
carga formam um triângulo equilátero com
que nela surja uma força eletromotriz
o plano na vertical, conforme ilustra a
induzida que carregará a bateria. Se na
figura a seguir.
bobina de um carregador (indutora),
paralela e concêntrica com a bobina de um
smartphone (induzida), passa uma
corrente i = 2sen(4πt) , com t em segundos,
o gráfico que melhor representa a força
eletromotriz induzida (ε) na bobina do
smartphone, em função do tempo (t) é
M é o ponto médio do segmento que une
q2 e q3. A carga elétrica q2 é positiva e igual
a Q, enquanto que q1 e q3 são
desconhecidas. Verifica-se que o vetor
campo elétrico Er no ponto M, gerado por
estas três cargas, forma com o lado que
une q2 e q3 um ângulo θ de 19° e está
apontado para baixo. Sabendo-se, ainda,
que a força elétrica de interação entre as
cargas q1 e q2 é menor que a força elétrica
entre q2 e q3 é correto afirmar que 213) RAIOS CAUSAM 130 MORTES POR
a) o potencial elétrico gerado por estas três ANO NO BRASIL; SAIBA COMO PREVENIR
cargas no ponto M pode ser nulo. Começou a temporada de raios e o Brasil é
o lugar onde eles mais caem no mundo. Os
b) o potencial elétrico gerado por estas três raios são fenômenos da natureza
cargas no ponto M é positivo. impressionantes, mas causam mortes e
prejuízos. Todos os anos morrem em
c) o trabalho realizado pela força aplicada
média 130 pessoas no país atingidas por
por um agente externo para levar uma
essas descargas elétricas. (...)
carga de prova positiva do ponto M até o
infinito, com velocidade constante, é (...) Segundo as pesquisas feitas pelo grupo
motor. de eletricidade atmosférica do INPE, o
número de mortes por raios é maior do
d) a soma algébrica entre as cargas q1 e q2
que por deslizamentos e enchentes. E é na
é menor do que Q.
primavera e no verão, época com mais
tempestades, que a preocupação aumenta tem motivado atividades em diversos
(...) colégios da cidade. Na rede municipal, 34
escolas ficaram sem água na semana
(Disponível em: ww1.g1.globo.com/bom-dia-brasil.
Acesso em:16 fev.2017)
passada. A Secretaria de Educação diz que
incentiva debates sobre o tema e sua
Como se pode verificar na notícia acima, os inclusão em projetos interdisciplinares. Nas
raios causam mortes e, além disso, escolas particulares, problemas de
constantemente há outros prejuízos abastecimento não são comuns. A falta de
ligados a eles: destruição de linhas de água é abordada para efeito pedagógico -
transmissão de energia e telefonia, como no colégio Rio Branco, que tem
incêndios florestais, dentre outros. As promovido bate-papos e estudos. (...)
nuvens se eletrizam devido às partículas de
gelo que começam a descer muito (Disponível em:
rapidamente, criando correntes de ar www1.folha.uol.com.br/cotidiano. Acesso
bastante bruscas, o que provoca fricção em: 14 fev. 2017)
entre gotas de água e de gelo, responsável
Motivado pelo trecho do artigo acima
pela formação e, consequentemente, a exposto, um professor de física lançou um
acumulação de eletricidade estática.
desafio para os alunos do 3° ano em uma
Quando se acumula carga elétrica negativa
escola onde, frequentemente, falta água.
demasiadamente na zona inferior da
Tal desafio consistia em determinar o
nuvem (este é o caso mais comum) ocorre
volume d’água em um reservatório de
uma descarga elétrica em direção ao solo
difícil acesso.
(que por indução eletrostática adquiriu
cargas positivas). Considere que a base de Para a determinação deste volume d’água
uma nuvem de tempestade, eletricamente os alunos deveriam utilizar somente um
carregada com carga de módulo igual a circuito elétrico constituído de um
2.102C ⋅ situa-se a 500 m acima do solo. O voltímetro ideal V, uma bateria de fem
ar mantém se isolante até que o campo igual a 12 V e resistência interna igual a 1 Ω
elétrico entre a base da nuvem e o solo , além de um resistor ôhmico R igual a 2 Ω
atinja o valor de 5,00 106 V/m⋅ Nesse e um reostato AB, feito de material de
instante a nuvem se descarrega por meio resistividade elétrica constante, cuja
de um raio que dura 0,10 s. Considerando resistência elétrica pode variar de 0 a 4 Ω ,
que o campo elétrico na região onde de acordo com a posição da bóia que é
ocorreu o raio seja uniforme, a energia ajustada pela altura do nível d’água do
liberada neste raio é, em joules, igual a reservatório.

Depois de algum tempo, os alunos


apresentaram o projeto ao professor,
conforme esquematizado na figura a
seguir.

214) SECA VIRA TEMA DE EXCURSÃO E


AULA DE CIÊNCIA EM ESCOLAS Thais
Bilenky de São Paulo 26/10/2014 02h00
(...) Como no Vera Cruz, a crise da água
d) 5

215) A tecnologia dominante nos controles


remotos de televisores (TV) é o
infravermelho (IV). A premissa básica do
funcionamento de um controle remoto IV é
o uso da “luz” para levar sinais entre um
controle remoto e o aparelho que ele
De acordo com o projeto, o volume d’água controla. Assim, o controle da TV é apenas
no reservatório pode ser calculado por um gerador de IV, tendo cada botão uma
meio da ddp nos terminais da bateria, frequência diferente, e então, de acordo
registrada pelo voltímetro. Sendo a com a frequência recebida pela TV, ela
capacidade máxima deste reservatório interpreta como sendo um comando
igual a 20 m3, desconsiderando as (exemplo: trocar de canal). Considerando
resistências elétricas dos fios de ligação que o comprimento de onda do IV utilizado
que estão isolados e o atrito do suporte da nos controles remotos de TV varia de 750
boia com o reostato, quando o voltímetro nm a 1000µm, a energia carregada por um
indicar 9,0V , o volume d’água neste fóton na informação enviada à TV estará
reservatório será, em m³, igual a no intervalo, em eV, cuja ordem de
grandeza vale
a) 15
b) 12
c) 6

Questões AFA 2018


216) Três partículas, A, B e C,
movimentam-se, com velocidades
constantes, ao longo de uma mesma
direção. No instante inicial, t0 = 0, a
distância entre A e B vale x, e entre B e C
vale y, conforme indica a figura a seguir.
217) Uma partícula, de massa 1 kg,
descreve um movimento circular
uniformemente variado, de raio 2,25 m,
iniciando-o a partir do repouso no instante
t0 = 0. Em t = 2 s, o módulo de sua
velocidade vetorial (v) r é de 6 m/s,
Em t = 2 s, a partícula A cruza com a conforme figura abaixo.
partícula B. Em t = 3 s, a partícula A cruza
com a partícula C. A partícula C alcançará a
partícula B no instante dado pela relação
c) 3
d) 4

219) Uma esfera, de dimensões


desprezíveis, sob ação de um campo
gravitacional constante, está inicialmente
equilibrada na vertical por uma mola. A
A intensidade da força resultante sobre a
mola é ideal e se encontra com uma
partícula, no instante t = 1 s, em N, vale
deformação x, conforme ilustrado na figura
a) 1 1.
b) 5
c) 9
d) 12

218) Considere dois sistemas térmicos A e


B constituídos de corpos perfeitamente
esféricos, em condições normais de
temperatura e pressão, conforme figura
O sistema esfera-mola é posto, em
abaixo.
seguida, a deslizar sobre uma superfície
horizontal, com velocidade constante,
conforme indicado na figura 2. Nessa
situação, quando o ângulo de inclinação da
mola é θ , em relação à horizontal, sua
deformação é y.

No sistema A, as esferas 1, 2, 3 e 4 são


pequenas gotas esféricas de água pura com
massa respectivamente iguais a 1 g, 2 g, 4 g
e 8 g. O sistema B é constituído das esferas
maciças e homogêneas 5, 6, 7 e 8 de
mesmo material, de calor específico
constante igual a 0,2 cal/gºC e massa
Nessas condições, o coeficiente de atrito
específica igual a 2,5 g/cm3 . Os volumes
cinético entre a esfera e a superfície
dessas esferas são conhecidos e valem,
horizontal vale
respectivamente, 4, 5, 7 e 16 cm3. Nessas
condições, o número máximo de esferas do
sistema A que podem ser permutado
simultaneamente com esferas do sistema
B, de maneira que os sistemas A e B
continuem com a mesma capacidade
térmica inicial e com o mesmo número de
esferas, é
220) A montagem da figura a seguir ilustra
a) 1 a descida de uma partícula 1 ao longo de
b) 2 um trilho curvilíneo. Partindo do repouso
em A, a partícula chega ao ponto B, que Uma pessoa aplica uma força F constante e
está a uma distância vertical H abaixo do horizontal, cuja linha de ação e o centro de
ponto A, de onde, então, é lançada massa (CM) do armário estão num mesmo
obliquamente, com um ângulo de 45º com plano vertical. Sendo o coeficiente de
a horizontal. atrito estático entre o assoalho e o piso do
armário igual a µ e estando o armário na
iminência de escorregar, a altura máxima H
na qual a pessoa poderá aplicar a força
para que a base do armário continue
completamente em contato com o
assoalho é

A partícula, agora, descreve uma trajetória


parabólica e, ao atingir seu ponto de altura
máxima, nessa trajetória, ela se acopla a
uma partícula 2, sofrendo, portanto, uma
colisão inelástica. Essa segunda partícula
222) Um feixe de luz monocromática incide
possui o dobro de massa da primeira, está
em uma interface perfeitamente plana
em repouso antes da colisão e está presa
formada por dois meios com índices de
ao teto por um fio ideal, de comprimento
refração absolutos n1 e n2, com n2 > n1,
maior que H, constituindo, assim, um
conforme figura abaixo.
pêndulo. Considerando que apenas na
colisão atuaram forças dissipativas, e que o
campo gravitacional local é constante. O
sistema formado pelas partículas 1 e 2
atinge uma altura máxima h igual a

Esse feixe dá origem a dois outros feixes, o


refletido R1 e o refratado R1’, com
221) Um armário, cujas dimensões estão intensidades I1 e I1’, respectivamente.
indicadas na figura abaixo, está em O ângulo de incidência θ1 , θ1 < π/6 ,
medido em relação à normal N, pode ser
repouso sobre um assoalho plano e
alterado para um valor θ2 tal que θ1 < θ2<
horizontal. π/3, originando dois novos feixes, o
refletido R2 e o refratado R2’, de
intensidades, respectivamente I2 e I2’.
Considere que os meios sejam
perfeitamente homogêneos, transparentes
e isótropos, que não haja dissipação da
energia incidente, nem absorção de luz na
interface.
que poderão ser observadas,
respectivamente, pelas lentes 1 e 2 serão
Nessas condições, são feitas as seguintes
afirmativas sobre as intensidades dos raios
refletidos e refratados.

Assim, são corretas as afirmativas 224) Num instante t0 = 0 um capacitor de


2,5 mF, totalmente descarregado, é ligado
a) I e II
a uma fonte de 12 V por meio de uma
b) III e IV
chave Ch que é colocada na posição 1,
c) IV e V
conforme figura abaixo.
d) II e III

223) Duas lentes esféricas delgadas 1 e 2,


com índices de refração n1 e n2,
respectivamente, são usadas para observar
a figura plana mostrada abaixo, quando o
observador, objeto e lente estão imersos
em um meio homogêneo, transparente e Em um determinado instante t1, o
isótropo com índice de refração n maior do capacitor fica completamente carregado.
que os índices n1 e n2. Nessas condições, são feitas as seguintes
afirmativas.

I. Ao colocar a chave do circuito na posição


2, o capacitor será descarregado através do
resistor de 1 e sua Ω diferença de potencial
As imagens observadas são apresentadas decrescerá exponencialmente com o
nas figuras 1 e 2 em comparação com o tempo, até completar o processo de
objeto observado. descarga.

II. Com a chave do circuito na posição 1,


para qualquer instante de tempo t, tal que
t ≤ t1, o capacitor sofre um processo de
carga, em que a corrente no circuito vai
diminuindo linearmente com o tempo e
tem sua intensidade nula quando t = t1.
Se a mesma observação for realizada,
porém com o observador, objeto e lente III. A energia potencial armazenada no
imersos em um outro meio com índice de capacitor no instante de tempo t1 vale 0,18
refração n’ menor do que n1 e n2, das J.
opções abaixo a que apresenta as imagens
São verdadeiras as afirmativas

a) I, II e III.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.

225) Um corpo de massa m = 1 kg


movimenta-se no sentido horário, ao longo
de uma trajetória circular de raio A, em
movimento circular uniforme com
velocidade angular igual a 2 rad/s,
conforme a figura abaixo. 226) A figura abaixo representa dois
harmônicos A e B, de frequências,
respectivamente, iguais a fA e fB, que
podem ser estabelecidos em uma mesma
corda, fixa em suas extremidades, e
tracionada por uma força de módulo F.

Nessas condições, os sistemas massa-mola


oscilando em movimento harmônico
simples, a partir de t = 0, que podem
representar o movimento dessa partícula,
Nessas condições, a mesma razão, entre as
respectivamente, nos eixos x e y, são
frequências fA/ fB , pode ser obtida entre as
frequências das ondas estacionárias
representadas nos tubos sonoros abertos e
idênticos A’ e B’, indicados na opção

227) Duas partículas eletrizadas A e B,


localizadas num plano isolante e horizontal
α, estão em repouso e interligadas por um
fio ideal, também isolante, de
comprimento l igual a 3 cm, conforme
ilustrado na figura abaixo.

229) Duas estações E1 e E2 são interligadas


por uma linha telefônica constituída por
dois cabos iguais, cada um com
comprimento L = 30 km, conforme
A partícula A está fixa e B pode mover-se, ilustrado na figura 1.
sem quaisquer resistências sobre o plano.
Quando B, que tem massa igual a 20 g, está
em repouso, verifica-se que a força tensora
no fio vale 9 N. Imprime-se certa
velocidade na partícula B, que passa a
descrever um movimento circular uniforme
em torno de A, de tal forma que a força
Durante uma tempestade, uma árvore caiu
tensora no fio altera-se para 15 N.
sobre um dos cabos fazendo um contato
Desprezando as ações gravitacionais,
elétrico com a terra. Para localizar onde a
enquanto a tensão no fio permanecer igual
árvore caiu e reparar o defeito, um técnico
a 15 N, pode-se afirmar que a energia do
procedeu da seguinte forma: uniu os
sistema, constituído das partículas A e B,
terminais C e D na estação E2 e, na estação
será, em J, de
E1, interligou os terminais A e B por
a) 0,09 reostatos R1 e R2 associados em paralelo
b) 0,18 com um gerador. As resistências de R1 e R2
c) 0,27 foram ajustadas de tal forma que o
d) 0,36 amperímetro A não indicou a passagem de
corrente elétrica, conforme esquematizado
na figura 2.
228) Três condutores cilíndricos 1, 2 e 3, de
mesmo material e mesmo comprimento,
sendo os condutores 2 e 3 ocos, têm suas
seções retas apresentadas na figura a
seguir.

Considere que os contatos elétricos, as


ligações com a terra e o amperímetro têm
resistências elétricas desprezíveis e que R1
e R2 valem, respectivamente, 4,5 kΩ e 1,5
kΩ. Nessas condições, o ponto onde a
A respeito das resistências elétricas R1, R2 e árvore tocou o fio se localiza a uma
R3, dos condutores 1, 2 e 3, distância d, em relação à estação E1, em
respectivamente, pode-se afirmar que km, igual a
a) 7,5
b) 12
c) 15
d) 20

230) Uma espira condutora E está em


repouso próxima a um fio retilíneo longo
AB de um circuito elétrico constituído de
uma bateria e de um reostato R, onde flui
uma corrente i, conforme ilustrado na
figura abaixo. Considere o eletroscópio inicialmente
carregado positivamente e que a placa seja
feita de zinco. Fazendo-se incidir luz
monocromática vermelha sobre a placa,
observa-se que a abertura das lâminas

a) aumenta muito, pois a energia dos


Considerando exclusivamente os efeitos fótons da luz vermelha é suficiente para
eletromagnéticos, pode-se afirmar que a arrancar muitos elétrons da placa.
espira será b) aumenta um pouco, pois a energia dos
a) repelida pelo fio AB se a resistência fótons da luz vermelha é capaz de arrancar
elétrica do reostato aumentar. apenas alguns elétrons da placa.

b) atraída pelo fio AB se a resistência c) diminui um pouco, pois a energia dos


elétrica do reostato aumentar. fótons da luz vermelha é capaz de arrancar
apenas alguns prótons da placa.
c) sempre atraída pelo fio AB
independentemente de a resistência d) não se altera, pois a energia dos fótons
elétrica do reostato aumentar ou diminuir. da luz vermelha é insuficiente para
arrancar elétrons da placa.
d) deslocada paralelamente ao fio AB
independentemente de a resistência
elétrica do reostato aumentar ou diminuir. 232) Em um local onde a aceleração da
gravidade é g, as partículas idênticas, 1 e 2,
são lançadas simultaneamente, e sobem
231) O eletroscópio de folhas é um sem atrito ao longo dos planos inclinados
aparelho utilizado para detectar cargas AC e BC, respectivamente, conforme figura
elétricas. Ele é constituído de uma placa a seguir.
metálica que é ligada, através de uma
haste condutora elétrica, a duas lâminas
metálicas finas e bem leves. Se as duas
lâminas estiverem fechadas, indica que o
eletroscópio está descarregado (Figura 1);
se abertas, indica a presença de cargas
elétricas (Figura 2).
b) a/g

A partícula 2 é lançada do ponto B com c) 2g/3a


velocidade 0 v e gasta um tempo t para
chegar ao ponto C. Considerando que as d) 3a/2g
partículas 1 e 2 colidem no vértice C, então
a velocidade de lançamento da partícula 1
vale 234) Certo brinquedo de um parque
aquático é esquematizado pela figura a
seguir, onde um homem e uma boia, sobre
a qual se assenta, formam um sistema,
tratado como partícula.

233) A figura a seguir, em que as polias e


os fios são ideais, ilustra uma montagem
realizada num local onde a aceleração da
gravidade é constante e igual a g, a
resistência do ar e as dimensões dos blocos
A, B, C e D são desprezíveis.
Essa “partícula” inicia seu movimento do
repouso, no ponto A, situado a uma altura
H = 15 m, escorregando ao longo do
toboágua que está inclinado de 60º em
relação ao solo, plano e horizontal.
Considere a aceleração da gravidade
constante e igual a g e despreze as
resistências do ar, do toboágua e os efeitos
hidrodinâmicos sobre a partícula. Para
O bloco B desliza com atrito sobre a freá-la, fazendo-a chegar ao ponto C com
superfície de uma mesa plana e horizontal, velocidade nula, um elástico inicialmente
e o bloco A desce verticalmente com não deformado, que se comporta como
aceleração constante de módulo a. O bloco uma mola ideal, foi acoplado ligando essa
C desliza com atrito sobre o bloco B, e o partícula ao topo do toboágua. Nessa
bloco D desce verticalmente com circunstância, a deformação máxima
aceleração constante de módulo 2a. As sofrida pelo elástico foi de 10√2 m Na
massas dos blocos A, B e D são iguais, e a descida, ao passar pelo ponto B, que se
massa do bloco C é o triplo da massa do encontra a uma altura H/2, a partícula
bloco A. Nessas condições, o coeficiente de atinge sua velocidade máxima, que, em
atrito cinético, que é o mesmo para todas m/s, vale
as superfícies em contato, pode ser
expresso pela razão
a) 6,0
a) g/a
b) 8,5 miniatura, que sobe e desce,
c) 10 verticalmente, dentro de uma garrafa cheia
d) 12 de água. A figura 1, a seguir, ilustra uma
montagem, onde o tubo, preenchido
parcialmente de água, é mergulhado numa
235) A partícula 1, no ponto A, sofre uma garrafa pet, completamente cheia de água.
colisão perfeitamente elástica e faz com O tubo fica com sua extremidade aberta
que a partícula 2, inicialmente em repouso, voltada para baixo e uma bolha de ar, de
percorra, sobre uma superfície, a trajetória massa desprezível, é aprisionada dentro do
ABMCD, conforme figura a seguir. O trecho tubo, formando com ele o sistema
BMC é um arco de 90º de uma chamado ludião. A garrafa é
circunferência de raio R = 1,0 m. Ao passar hermeticamente fechada e o ludião tem
sobre o ponto M, a partícula 2 está na
sua extremidade superior fechada e
iminência de perder o contato com a encostada na tampa da garrafa.
superfície. A energia mecânica perdida,
devido ao atrito, pela partícula 2 ao longo
do trecho ABM é exatamente igual à que
ela perde no trecho MCD. No ponto D, a
partícula 2 sofre outra colisão,
perfeitamente elástica, com a partícula 3,
que está em repouso. As partículas 1 e 3
possuem mesma massa, sendo a massa de
cada uma delas o dobro da massa da
partícula 2. A velocidade da partícula 1,
imediatamente antes da colisão no ponto
A, era de 6,0 m/s. A aceleração da
gravidade é constante e igual a g. Uma pessoa, ao aplicar, com a mão, uma
Desprezando a resistência do ar, a pressão constante sobre a garrafa faz com
velocidade da partícula 3, imediatamente que entre um pouco mais de água no
após a colisão no ponto D, em m/s, será ludião, comprimindo a bolha de ar. Nessa
igual a condição, o ludião desce, conforme figura
2, a partir do repouso, com aceleração
constante, percorrendo 60 cm, até chegar
ao fundo da garrafa, em 1,0 s. Após chegar
ao fundo, estando o ludião em repouso, a
pessoa deixa de pressionar a garrafa. A
bolha expande e o ludião sobe, conforme
a) 3,0 figura 3, percorrendo os 60 cm em 0,5 s.
b) 4,0 Despreze o atrito viscoso sobre o ludião e
c) 5,0 considere que, ao longo da descida e da
d) 6,0 subida, o volume da bolha permaneça
constante e igual a V0 e V,
respectivamente. Nessas condições, a
236) Um pequeno tubo de ensaio, de
variação de volume, ∆V = V − V0 , em cm3 ,
massa 50 g, no formato de cilindro, é usado
é igual a
como ludião – uma espécie de submarino
a) 30
b) 40
c) 44 238) O gráfico da energia potencial (Ep) de
d) 74 uma dada partícula em função de sua
posição x é apresentado na figura abaixo.

237) Uma força vertical de módulo F atua


em um ponto P de uma alavanca rígida e
homogênea que pode girar em torno de
um eixo O. A alavanca possui comprimento
d, entre os pontos P e O, e faz um ângulo θ
com a direção horizontal, conforme figura
abaixo.

Quando a partícula é colocada com


velocidade nula nas posições x1, x2, x3, x4 e
x5, esta permanece em repouso de acordo
com a 1ª Lei de Newton. Considerando
essas informações, caso haja uma
perturbação sobre a partícula, ela poderá
oscilar em movimento harmônico simples
em torno das posições

a) x1 e x5
b) x2 e x3
A força F gera, assim, um torque sobre a c) x2 e x4
alavanca. Considere uma outra força G , de d) x3 e x5
menor módulo possível, que pode ser
aplicada sozinha no ponto P e causar o
mesmo torque gerado pela força F . Nessas
condições, a opção que melhor apresenta a
239) Considere uma máquina térmica ideal
direção, o sentido e o módulo G da força G
M que funciona realizando o ciclo de
é
Carnot, como mostra a figura abaixo.

Essa máquina retira uma quantidade de


calor Q de um reservatório térmico à
temperatura constante T, realiza um harmônico simples, cuja equação da
trabalho total τ e rejeita um calor Q2 para a posição é y = A cos(ωt) , é disposto
fonte fria à temperatura T/2, também paralelamente a um espelho esférico
constante. A partir das mesmas fontes gaussiano côncavo (E) de raio de curvatura
quente e fria projeta-se quatro máquinas igual a 8A , e a uma distância 3A desse
térmicas A, B, C e D, respectivamente, de espelho (figura 1).
acordo com as figuras 1, 2, 3 e 4 abaixo;
para que realizem, cada uma, o mesmo
trabalho τ da máquina M.

Um observador visualiza a imagem desse


objeto conjugada pelo espelho e mede a
amplitude A e a frequência de 1 oscilação
do movimento dessa imagem. Trocando-se
apenas o espelho por uma lente esférica
convergente delgada (L) de distância focal
A e índice de refração n = 2, (figura 2), o
mesmo observador visualiza uma imagem
projetada do objeto oscilante e mede a
amplitude A e a frequência do movimento
da imagem.

Nessas condições, as máquinas térmicas


que poderiam ser construídas, a partir dos
projetos apresentados, seriam

a) A e B
b) B e C
c) C e D
d) A e D

Considere que o eixo óptico dos


dispositivos usados passe pelo ponto de
equilíbrio estável do corpo que oscila e que
240) Um objeto pontual luminoso que as observações foram realizadas em um
oscila verticalmente em movimento meio perfeitamente transparente e
homogêneo de índice de refração igual a 1. c) 5/4
Nessas condições, a razão entre as d) 7/4
amplitudes A2 e A1, A2/A1, de oscilação das
imagens conjugadas pela lente e pelo
espelho é

a) 1/8 242) Um telescópio refrator é construído


com uma objetiva acromática formada pela
b) 5/4
c) 3/2 justaposição de duas lentes esféricas
d) 1/2 delgadas, uma convexo-côncava, de índice
de refração n1 e raios de curvatura R e 2R;
e a outra biconvexa de índice de refração
n2 e raio de curvatura R. Já a ocular é uma
lente esférica delgada simples com uma
241) Considere duas fontes pontuais F1 e distância focal que permite um aumento
F2 produzindo perturbações, de mesma máximo para o telescópio igual, em
frequência e amplitude, na superfície de módulo, a 5. Observando-se através desse
um líquido homogêneo e ideal. A telescópio um objeto muito distante, uma
configuração de interferência gerada por imagem final imprópria é conjugada por
essas fontes é apresentada na figura esse instrumento. Considere que o
abaixo. telescópio seja utilizado em condições
usuais nas quais é mínima a distância L
entre as lentes objetiva e ocular, que o
local onde a observação é realizada tenha
índice de refração constante e igual a 1; e
que sejam desprezadas as características
do sistema óptico do observador. Nessas
condições, o comprimento mínimo L desse
telescópio será dado por

Sabe-se que a linha de interferência (C) que


passa pela metade da distância de dois
metros que separa as duas fontes é uma
linha nodal. O ponto P encontra-se a uma
distância d1 da fonte F1 e d2, da fonte F2,
e localiza-se na primeira linha nodal após a
linha central. Considere que a onda
243) Uma carga positiva Q distribui-se
estacionária que se forma entre as fontes
uniformemente ao longo de um anel fixo
possua cinco nós e que dois destes estejam
não-condutor de centro C. No ponto P,
posicionados sobre as fontes. Nessas
sobre o eixo do anel, abandona-se em
condições, o produto (d1⋅d2) entre as
repouso uma partícula com carga elétrica
distâncias que separam as fontes do ponto
q, conforme ilustrado na figura abaixo.

Sabe-se que depois de um certo tempo
a) 1/2
essa partícula passa pelo centro C do anel.
b) 3/2
Considerando apenas as interações
elétricas entre as cargas Q e q, pode-se A figura 2 mostra o circuito elétrico
afirmar que simplificado de um automóvel, composto
por uma bateria ideal de fem ε igual a 12 V,
duas lâmpadas L, cujas resistências
elétricas são F ôhmicas e iguais a 6 Ω cada.
Completam o circuito outras duas
lâmpadas L, também ôhmicas, de
resistências M elétricas 3 Ω cada, além do
fusível F e da chave Ch, inicialmente
aberta.

a) quando a partícula estiver no centro C


do anel, ela experimentará um equilíbrio
instável.

b) quando a partícula estiver no centro C


do anel, ela experimentará um equilíbrio
estável.
A partir do instante em que a chave Ch for
c) à medida que a partícula se desloca em fechada, observar-se-á que as duas
direção ao centro C do anel, a energia lâmpadas LF
potencial elétrica das cargas Q e q
aumenta. a) apagarão depois de 1,0 s.

d) à medida que a partícula se desloca em b) permanecerão acesas por apenas 0,50 s.


direção ao centro C do anel, a energia c) terão seu brilho aumentado, mas não
potencial elétrica das cargas Q e q é igual à apagarão.
energia potencial do início do movimento.
d) continuarão a brilhar com a mesma
intensidade, mas não apagarão.

244) Através da curva tempo (t) x corrente


(i) de um fusível F (figura 1) pode-se
245) O circuito elétrico esquematizado a
determinar o tempo necessário para que
seguir é constituído de uma bateria de
ele derreta e assim desligue o circuito onde
resistência interna desprezível e fem ε, de
está inserido.
um resistor de resistência elétrica R, de um
capacitor de capacitância C, inicialmente
descarregado, e de uma chave Ch,
inicialmente aberta.
Fecha-se a chave Ch e aguarda-se o d) 150
capacitor carregar. Quando ele estiver
completamente carregado, pode-se
afirmar que a razão entre a energia
dissipada no resistor (ER) e a energia 247) Considere que a intensidade do
acumulada no capacitor (EC), ER/EC, é campo magnético gerado por um ímã em
forma de barra varia na razão inversa do
quadrado da distância d entre o centro C
deste ímã e o centro de uma espira
condutora E, ligada a uma lâmpada L,
conforme ilustrado na figura abaixo.

246) Uma partícula de massa 1 g eletrizada


com carga igual a − 4 mC encontra-se
inicialmente em repouso imersa num
campo elétrico E vertical e num campo
magnético B horizontal, ambos uniformes e
constantes. As intensidades de E e B são,
respectivamente, 2 V/m e 1 T. Devido A partir do instante t0 = 0, o ímã é
exclusivamente à ação das forças elétrica e movimentado para a direita e para a
magnética, a partícula descreverá um esquerda de tal maneira que o seu centro C
movimento que resulta numa trajetória passa a descrever um movimento
cicloidal no plano xz, conforme ilustrado na harmônico simples indicado abaixo pelo
figura abaixo. gráfico da posição (x) em função do tempo
(t).

Sabendo-se que a projeção deste


movimento da partícula na direção do eixo Durante o movimento desse ímã, verifica-
oz resulta num movimento harmônico se que a luminosidade da lâmpada L
simples, pode-se concluir que a altura
máxima H atingida pela partícula vale, em
cm,

a) 50
b) 75
c) 100
+ 240 de Questões AFA
Gabarito

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19
0 X A C D B A A D A D C A B D A A D D C D
1 A B D B B A B A B A C C A B A B X B B A
2 B C C C C D C C D B C B D C D X B A A D
3 C D A D C A D D D C A B X C D B A C C C
4 D C A C B X B A C D D A B D D A A D C B
5 B C A D B C B D B C D D A D C A D C A B
6 D D D A D C A D A D A A C C C C C D C C
7 A C B D D C A B D C A D C B D D C B A A
8 B D A A B X B D A x C D A A C B A C D B
9 C A B C C A B C C D B C A B C D A B B B

20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38
0 D A D B A
1 C X B D B
2 B C X A D
3 B C A D B
4 D D C C A
5 A X C B D
6 A A D A C
7 B B D C C
8 B C B C
9 C A C X

Respostas
1)

2) 3)

Favor do vento
Perpendicular ao vento

( )

Quando consideramos resistência do ar a


Razão velocidade da bola de isopor torna-se
constante. Porém o começo do movimento é
parecido.

4) 6)

Energia da bola 2

7)

5)
8)

12)

I – Correta
9)

Força centrípeta sempre aponta para o centro II – Correta (Período igual da terra)
da trajetória.
III – Errado

13)

10)


14)

A reação normal é maior que o peso do piloto.

11)
Ponto A – ponto de giro

Possivelmente Incorreta
( )

( )
17)

15)

0,5 atm e 0°C a substância se encontra no


estado de vapor.

A cortiça possui um volume maior, portanto


seu empuxo deve ser muito maior que o
18)
empuxo do ferro. Logo penderia para o lado da
cortiça.

16)

B – C  Transformação adiabática, Q = 0
expande por causa do trabalho.

19)

Volume constante e proporção linear


Afirmações corretas
Em t = 0  , em t = A 
20)
√ √

24)

21)

22)
25)
Interferência por reflexão em oposição de fase

23)

Determinação da velocidade inicial do sistema,


conservação da quantidade de movimento

26)
Conservação de energia


A carga do capacitor obedece a uma curva
exponencial.

Potência máxima

29)

27)

30)

Mover a espira na direção y

Nenhuma variável muda nessa direção.

31)

Carro B

Em 10 m

Carro A
28)
Ponto (10,20) 35)

Em S = 0 m

32)

No trecho 1 e 2 a velocidade será maior que v.

V1=V2>V
36)
Caminho maior no mesmo tempo.

33)

Maior tempo

34)

No ponto mais baixo

Tempo de queda

37)

Logo

Segunda lei de Kepler


– Bolinha no teto db>da como a densidade é
maior que do ar ela vai para trás.
38)
- A densidade da bolinha é menor que a
Os corpos A e B se afastam com velocidade densidade do liquido logo ela vai para frente.
constante, logo a distância D irá aumentar de
forma linear crescente. - O líquido vai para trás.

41)

Escala linear, logo

39) 42)

Dilatação aparente

43)

40)

44)

Aceleração para frente


45) 48)

Tempo de AB = T

Tempo de reflexão

Logo

√ √

46)

49)

- Objeto muito distante.

– lente delgada convergente.

– imagem invertida.

- O F não vai interferir na construção da


imagem.

47)

50)

A distância entre P e P’ é 2d para qualquer


ponto.
O campo elétrico é uniforme da direção x.

51)

Resistencia equivalente do circuito 6

( )

( )

( ) 54)

Questão anulada
( )

( ) 55)

Capacitor carregado, corrente = 0

Curto circuito entre os resistores de 4


52)

56)

Em t =2 s a tgθ do gráfico é nula, logo a


53) velocidade em 2 segundos é zero.
Reescrevendo o circuito elétrico

Verificamos que existe uma ponte de


57)
wheatstone
62)

Impulso

Quanto maior o impulso maior a velocidade


final.

Logo
√ √


58) 63)

Questão anulada

59)

( ) √

60)

Movimento progressivo retardado, logo


64)

61)

| | | | | |

65)
66)

70)

O trabalho é negativo, pois a carga é negativa e


a diferença de potencial é positiva.
67)

71)

72)

68)

Para aumentar deve ser uma lente que possua


o ultimo nome como convexa, possui remete a
característica da lente como borda fina. No ar
chamado de lente convergente.

Côncavo – convexa

69)


73)
( √ )
Ponte de Wheatstone ( √ )

Logo a corrente entre os pontos A e B é igual a


77)
zero

74)

O trabalho da força magnética não atua no


movimento vertical da partícula, logo

75) 78)

| |

79)

Tempo de queda

I) Correta

II) Correta

III) Correta


76)

√ √

80)

Logo

√ 83)

√ √ I) Correta (Equilíbrio térmico)



II) Correta ( )

III) correta ( )
81)

I – Correta
84)

Potência antes

II) Correta

III) Correta

Depende do referencial

IV) Errado Potência depois

Não é possível aplicar força em si mesmo.

82)

( )

( )

85)
88)

I) Sim o ar é um bom isolante A luz vermelha possui a menor energia, logo é a


que sofre o menor desvio.
II) Não, a menor temperatura é 4°C
Com relação a normal é possível afirmar
III) Não, o ultravioleta não esquenta a estufa.

IV) Sim. A lã é um péssimo condutor de calor.

86)
89)

3/4 do período é representado pela


configuração abaixo

Cada segundo efetua 40 ciclos, logo

90)

87) A câmara escura irá inverter a imagem

Energia Total

91)
A energia é proporcional a corrente elétrica.

Corrente total 130 A


95)

( )

92)

Quando aproxima é induzido o mesmo polo.


Logo repelirá o imã.
( )

93)
96)
A aceleração não depende do ângulo.
Tipos de movimentos

94)

Dois possíveis casos

a) Acelerado retrogrado ou acelerado


progressivo
Primeiro harmônico ou som fundamental
b) Movimento uniforme retrógrado

c) Movimento acelerado progressivo

d) Acelerado retrogrado ou retardado


progressivo

97)
100)

Terceira lei de Kepler

101)
98)

Questão anulada

99)


102)

Quantidade de movimento

√ (√ )

103)

Cheio
O sinal negativo indica que a bolinha volta

Quase cheio

( )


( )

Crescimento linear

104)

I) Máquina térmica  Energia em trabalho √
(Falso)

II) Certo

III) Impossível viola a 2° lei da termodinâmica. 106)

IV) Certo

105)

I) Para N = 2 (verdadeira)

II) Falsa

III) Falsa

107) 109)

I) A primeira lente no ar é convergente, o


segundo nome da à característica da lente.
Côncava – convexa (borda fina)

Figura 1
II) Correta - 2° lente Plano-côncava

No ar, lente divergente (diminui a imagem) √ √ √

Figura 2

III) Errado

A vergência resultante será menor

108)

√ √

110)
114)

No eixo y a velocidade é constante. As forças


atuam apenas no eixo Z. logo

111)

Capacitor em série

115)

Não depende de T.
112)

O pássaro I e o pássaro II desequilibram a


ponte de wheatstone. 116)

O pássaro IV e o II não possuem ddp.

113)
Logo o vetor resultante é igual a 16.

117) √


Número de voltas


Até parar +5 ( )

118)

√ ( )


Em 3 segundos

120)

119)
c) Errado. Altura igual valor numérico igual.

d) Errado

125)

Ângulo limite

121)



( )

126)

Fenômeno de interferência

Em fase 1λ, 2λ, 3λ, ...




√ Oposição de fase

α e  estão em fase.

122)
127)

123)

Questão anulada ( )

124) 128)
a) Errado Tc pode ser igual a Tf O período do sistema massa mola não muda
b) Certo

A tensão diminui

129)

132)

A velocidade angular é constante, logo

A velocidade linear é constante. Como a força


magnética no ponto de contato aponta para
uma mesma posição a corrente também.

Se a corrente é constante a potencia também.

130)

133)

Para N=1

Para N=2
( )

131)

O capacitor C1 não altera

O capacitor C2
Corresponde a ultravioleta

134)
Velocidade com a mesma direção do campo
magnético

Logo a velocidade é constante.

135)

136)
138)


( )

137)


139)
A densidade é inversamente proporcional ao
I) Máquina 1 volume da esfera.

Rendimento

Máquina 2

( ) ( )

Rendimento

141)

II)

III) 142)

a) Errado. A variação da entropia é nula em um


ciclo de Carnot

b) Errado AB e EF a variação da entropia é


maior que zero, porque recebe calor.
IV)
c) No ciclo,
Errado (mesmo calor)
d)

140)

Caso inicial

143)
144)

Única imagem que não aparece 147)

Energia mecânica

145)
Quantidade de movimento

Condição mínima θ=90°

Para condição de máximo o m deve ser


número inteiro.
Máximo da parábola
Ordem 2  2 < x < 3

Logo

146)
148)

Circuito com gerador em série


√ √
Gerador em paralelo

A potência máxima do gerador será em

151)
Logo
Energia mínima para extrair um elétron

Frequência violeta

Frequência do vermelho

149)

Para essa questão ser a correta é preciso fazer


a seguinte consideração
Esse nível de energia corresponde ao sódio

152)

Questão anulada

153)

√ √
150)

Dilatação do tempo

154)
√ √

√ O sinal percorre 4 vezes a distância d

Dilatação do espaço
√ 157)

1) Errado. Diminui depois aumenta.

√ 2) Aumenta em todas as direções.

3) Errado. Dilatação aparente.

4) Certo. Quanto menor , menor a dilatação.

5) Errado. De 0° a 4°C densidade aumenta.


(√ )
6) Certo. Mesmo material.

155) 158)


√ ( )

( )


( )


159)

156)

160)
√ √

√ √
Movimento retardado

161)

Questão anulada

165)
162)

√ √ √

166)



163)

√ √

164)
167)
A diferença de potencial é diretamente
A razão entre
proporcional à distância.
É Inversamente proporcional a frequência, Calculo da energia no eixo x
logo é inversamente proporcional a variação
de energia.

168)

Ponto de encontro
171)

Área do gráfico é igual ao S

Em T4 as áreas são iguais.

Aceleração para cima


169)

Metade da rampa
172)

Equador

Rampa inteira

Polo

170)

Partícula 1 (eixo x)

Partícula 2 (eixo y)

173)
Reflexão de espelhos

174)

178)

175)

√ √

179)

Como a partícula possui sinal negativo a força


elétrica terá seu sentido para baixo no mesmo
sentido da gravidade.

176)

O comprimento de onda diminui porque a


frequência aumentou.

Abertura menor  maior 


180)

177)
183)

181)

Segundo a regra da mão esquerda a linha


pontilhada é a linha de giro. 184)

A espira permanecera na mesma posição


original de equilíbrio. √

182) √

( )
185)
( )

( )

A corrente é constante




186)

A força elástica está atuando no conjunto 189)


(A+B)

187)
190)
Velocidade no ponto B
Massa – mola = MHS

II e IV

191)

( )

Objeto m

( ) ( )

Objeto 2m

( )

188)

Força peso do prato

∑ 192)

Objeto de 1kg Sentido anti-horário

Calor liberado
( ) ( )

193)

Lente S, índice de refração N>Nar,portanto é


uma lente convergente.

1° comportamento 195)

Côncavo-convexa, meio N > N1

O que define o comportamento da lente é o O campo elétrico resultante aponta para a


segundo nome caga Q2.

N2 > N > N 1

No ar a lente S é convergente Portanto a maioria das cargas é negativa, por


isso o potencial em O é negativo.
2° comportamento

Convexo – côncava, N < N2


196)

194)

O resistor de maior potencia será o de 10

(circuito em série)

197)

Regra da mão direita para determinar o


√ √ sentido do campo magnético
Quando x for igual a zero o campo será 200)
máximo.
0-1  Retrogrado acelerado
Fórmula
1-2  Progressivo acelerado

2-3  Progressivo uniforme

Inversamente proporcional à distância. 3-4  Progressivo retrogrado

4-5  Objeto parado

198)

Vermelho  menor energia

Violeta  Maior energia


201)
IV – vermelho
Trecho AB
III – azul

II – Anil √

I – violeta

199) Considere X = A+B

Espira quadrada fazendo um ângulo entre a


normal da área e o campo de θ = 90° √ √ √

Portanto
Energia total

Trecho CD

Chega com essa energia cinética, portanto


sobra uma energia potencial de

204)

√ √ √

√ √ √ √

202)
205)
1° caso
Primeira balança

2° caso

Função do 1° grau

Segunda balança



203)

206)

207)
Processo 2

210)

( )
A variação da energia interna é

( )

A variação de temperatura é a mesma, logo

208)

Onde possui Ar ficara igual

Onde possui água ira inverter

211)

Questão anulada
209)

212)

[ ]

[ ]

Como a imagem é projetada a altura é


negativa

Valor máximo da FEM = 8L


213)

217)

214)

218)

215)

Questão anulada

3 esferas podem ser trocadas de modo que


216)
não mude a capacidade térmica total.
219) 222)

Primeiro desenho Questão anulada

Segundo desenho 223)

Possível situação / Figura 1

220)


221)

224)

∑ I) Gráfico da carga e descarga do capacitor


II) Errado. A corrente é proporcional à tensão

III) Certo 227)

225)

Eixo x, próximo de 0, indo para o negativo de


A.

Eixo y, próximo de 0 indo para o positivo de A.

228)

I)

II)

III)

226)

229)
Ponte de Wheatstone √

A resistência é proporcional a distância 233)

A-B

230)

Se a resistência do reostato aumentar a C-D


corrente que passa por AB vai diminuir,
diminuindo a corrente um campo magnético
será induzido na espira, logo a espira será
atraída.

231)

234)

Questão anulada

235)

Resposta letra d

232)

Ponto M


( )√
238)

Quanto menor a energia potencial menor a


altura. Pontos de equilíbrio estável x2 e x4.

239)

Questão anulada

240)

Espelho

236)

Descendo

Lente

1,2

Subindo

241)

As fontes estão em oposição de fase. Logo n=2

| |
237)

Quando a força faz um ângulo de 90°, máxima


potencia, menor modulo. Letra c
245)

A energia que passa no resistor é a mesma do


capacitor.

242)

( ) ( ) 246)

( ) ( )

√ √

243)
247)
A partícula permanecera em equilíbrio estável,
sendo no ponto c terá a maior velocidade. Nos pontos -1 e +1 a velocidade do imã é zero.
No ponto 0 m a velocidade será máxima e sua
A energia diminui a medida que se aproxima luminosidade também. Logo a luminosidade é
do anel. igual à zero.

244)

Tempo máximo de 1s segundo o gráfico.

Você também pode gostar