Você está na página 1de 17

CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DO PIAUÍ – CEUPI

GRUPO EDUCACIONAL CEUMA

ANÁLISE COMPARATIVA DE SOLUÇÕES PARA LAJE EM


BALANÇO PROJETADA COM CONCRETO CONVENCIONAL E
COM CONCRETOS LEVES – UM ESTUDO DE CASO

Matheus Dias Pereira de Sousa ¹


Victor Gabriel Pinheiro de Araújo²
Thyago Camelo Pereira da Silva ³

Resumo: Nos últimos anos o concreto passou por grandes avanços tecnológicos, com
materiais que buscam melhorar os custos e processos nas obras de engenharia. Uma das
maiores desvantagens do concreto convencional é o elevado peso específico. Dessa
forma, estudos apontam que a substituição dos agregados graúdos por agregados leves,
diminui consideravelmente o peso do concreto. Por outro lado, a adição de agregados
leves deixa o valor do concreto mais alto. Com isso, o objetivo deste trabalho é analisar
uma laje em balanço projetada em concreto convencional e com concreto leve (EPS e
argila expandida), apresentando os impactos na estrutura e os custos para cada solução.
Nesta pesquisa, foi feito um estudo de caso de uma laje em balanço, onde foram
analisados os deslocamentos da estrutura e os custos desse tipos de concreto. Ao final
do estudo pôde-se concluir que a laje com concreto convencional possui maior
deslocamento quando comparado com os outros tipos de laje, no que se refere a custos,
o concreto convencional possui menor valor, porém, o concreto leve teve um menor
deslocamento e redução do peso da estrutura.
Palavras – chave: Concreto leve. Argila expandida. Concreto leve com EPS. Peso
específico. Quantitativo.

Abstract: In recent years, concrete has undergone great technological advances, with
materials that seek to improve costs and processes in engineering works. One of the
biggest disadvantages of conventional concrete is its high specific gravity. Thus, studies
show that the replacement of coarse aggregates by light aggregates considerably reduces
the weight of concrete. On the other hand, the addition of lightweight aggregates makes
the value of concrete higher. Thus, the objective of this work is to analyze a cantilever
slab designed in conventional concrete and with lightweight concrete (EPS and

_______________________
¹ Aluno Concludente do Curso de Engenharia Civil – Email: matheusdias.rmelo@hotmail.com
² Aluno Concludente do Curso de Engenharia Civil – Email: victor464gabriel@gmail.com
³ Orientador – Mestre em Engenharia dos Materiais – Email: thyago.camelo@ifpi.edu.br
expanded clay), presenting the impacts on the structure and costs for each solution. In
this research, a case study of a cantilever slab was carried out, where the displacements
of the structure and the costs of this type of concrete were analyzed. At the end of the
study, it could be concluded that the slab with conventional concrete has greater
displacement when compared to other types of slab, with regard to costs, the
conventional concrete has a lower value, however, the lightweight concrete had a
smaller displacement and reducing the weight of the structure.

Keywords: Lightweight concrete. Expanded clay. Lightweight concrete with EPS.


specific weight. Quantitative.

1. INTRODUÇÃO

Atualmente o concreto percorreu grandes mudanças devido à evolução de


algumas técnicas e utilização de novos equipamentos para estudos do mesmo, bem
como o uso de novos materiais alternativos aos convencionais, como é o caso de argila
expandida, EPS e outros tipos de agregados. O uso desses materiais, diminuem o peso
próprio da estrutura, deixando-a mais leve, e quando isso ocorre, o concreto é
denominado como concreto leve (NEVILLE, 2016).
Neville (2016), ainda descreve o concreto leve como sendo obtido por meio da
substituição de parte do material sólido por ar, onde esses vazios criados pelo ar podem
estar presente no interior das partículas dos agregados leves utilizados, na pasta de
cimento e entre as partículas de agregados graúdos, onde este último, no caso são
eliminados.
Atualmente, o concreto leve tem uma vasta aplicação em todo o mundo,
utilizado em grande quantidade e com aplicação em diversas áreas, como, edifícios,
estruturas pré-fabricadas, pontes, entre outros. O concreto leve pode ser aplicado em
muitos tipos de estruturas diferentes porque eles também permitem que os vãos entre
pilares sejam maiores, além da redução da seção dos elementos estruturais (SCOBAR,
2016).
Para Rossignolo (2003), o concreto com agregados leves pode ser aplicado em
diversas áreas na construção civil, com a finalidade tanto de vedação como estrutural.
No caso de ser usado em edificações para fins estruturais, se torna uma boa opção pelo
fato da redução da massa específica do concreto, diminuindo os esforços de carga
aplicadas nas estruturas das edificações, garantindo assim a economia com formas e
cimbramento, reduzindo também gastos com transportes e montagens de construções
pré-fabricadas.
Conforme Vargas (2018), o uso do concreto com menor peso específico, que é o
caso do concreto leve, proporciona o emprego de lajes mais leves, devido à redução de
peso específico. Dessa forma, o concreto leve torna-se uma boa opção para ser usado
em lajes em balanço.
Com base nesse contexto o objetivo desse trabalho foi realizar um estudo
comparativo entre uma laje em balanço projetada em concreto com peso normal e uma
laje em balanço de concreto leve (EPS e argila expandida), demonstrando os impactos
na estrutura e os custos para cada solução.

2. REFERENCIAL TEÓRICO

De acordo com Aguiar Neto (2020) o concreto convencional apresenta diversas


características em relação a outros materiais com a mesma finalidade usados na
construção civil, por outro lado, assim como qualquer material, apresenta também seus
pontos negativos. Mehta e Monteiro (2014) complementa que uma das maiores
limitações do concreto convencional é possuir um elevado peso específico, fazendo com
que estruturas tenha um elevado peso próprio, e com isso limitação de uso em
determinadas situações, além do aumento considerável do custo com armaduras de aço.
De acordo com Quadros (2014), na prática da engenharia, a característica
principal que torna um fator de decisão quanto a escolha do concreto, principalmente no
canteiro de obras, é a resistência a compressão, exemplo disso é a desforma das peças
(pilares e lajes) quando a resistência à compressão é atingida, o que desconsidera as
características como módulo de elasticidade e resistência à tração, uma vez que nesta
ação não é considerado as prováveis deformações e microfissuras que possam aparecer.
Segundo Aguiar Neto (2020), outro tipo de concreto que possui um bom
desempenho quanto à resistência a compressão e não tem uma boa resistência à tração é
o concreto leve. Ainda segundo o autor, esse tipo de concreto é obtido de forma similar
à do concreto convencional, diferenciando que no concreto leve, os agregados
convencionais são substituídos por agregados leves, onde o mais comum utilizado é a
argila expandida.
De acordo com Rossignolo (2003), a resistência é determinada como a
habilidade de um material para resistir às tensões, normalmente em concretos
produzidos com agregados graúdos normais, o agregado possui módulo de deformação
maior que o da argamassa, normalmente inicializando assim a ruptura na zona de
transição entre o agregado e a argamassa. Nesse caso, o agregado é o material mais
resistente do concreto, limitando assim suas características à resistência a compressão
da argamassa e a zona de transição argamassa-agregado.
Ainda segundo Rossignolo (2003), os concretos feitos com agregados leves
como a argila expandida tem a limitação imposta pela resistência do agregado graúdo.
Geralmente utiliza-se o potencial de resistência mecânica da argamassa, em função da
maior similaridade do módulo de deformação da argamassa, do agregado graúdo e da
melhor qualidade da zona de transição. Sendo assim, normalmente, no concreto leve
com argila expandida, a ruptura não acontece pela diferença de deformação da
argamassa e do agregado, mas pelo colapso da argamassa, muitas vezes iniciados em
microfissuras nos agregados.
De acordo com Mehta e Monteiro (2014), da mesma maneira que nos concretos
normais, a relação entre a resistência à tração dos concretos leves e a resistência a
compressão decresce significativamente com o aumento da resistência do concreto.
Ficando claro nas exigências da norma ASTM C330:2014 sobre as resistências dos
concretos leves.
Quanto ao módulo de elasticidade, como os agregados leves possuem valores de
modulo de deformação relativamente baixos, esses concretos apresentam valores
menores de módulo de deformação em comparação com o concreto convencional.
Assim como grande parte das propriedades do concreto leve, o módulo de deformação
está diretamente ligado com a quantidade de agregado leve utilizado. Quanto mais
aproximados os valores de módulo de deformação do agregado leve e da argamassa,
melhor será o comportamento do concreto no regime elástico. (ROSSIGNOLO, 2003).
Além do concreto leve com argila expandida, existe também o concreto leve
com EPS e este é obtido pela mistura em proporções adequadas e numa sequência
específica e pré-fixada, usando pérolas de poliestireno expandido (EPS) com cimento,
areia natural, água, aditivo (opcional), adições minerais (opcionais) e fibras (opcionais).
É desenvolvido com o objetivo de melhorar a utilização e a eficiência em relação às
atuais composições para obtenção de concretos leves, utilizados em construções
(KERBAUY, 2011).
2.1 - Vantagens e desvantagens do concreto convencional e concreto leve.

De acordo com Ozório (2016, apud ABRAPEX, 2006), o concreto leve com
EPS, apresenta diversas aplicações na construção civil, por apresentar diversas
vantagens. Dessa forma, tem como principais benefícios, quando usados em lajes, a
baixa condutividade térmica, o baixo peso, boa resistência mecânica, índice de absorção
de água baixo, facilidade de manuseio, versatilidade, durabilidade e boa absorção de
impactos.
De acordo com Silva et al (2020), a grande vantagem do uso do EPS em
concreto , é por ele possuir uma potencialidade no desempenho térmico, no viés
sustentável, um bom desempenho térmico resulta em economia de energia de uma
edificação. Por outro lado, o autor cita que a maior desvantagem do concreto leve com
EPS trata-se basicamente da inexistência de um método de dosagem que padronize as
propriedades do concreto produzido, pois esta carência gera grandes variações dos
resultados, porém, no setor da construção civil, é exigido que se tenha uma
padronização e estabelecimento de padrões mínimos esperados de comportamento do
concreto.
Quando se fala em vantagens do concreto leve com argila expandida, pode-se
citar algumas em comum com o concreto com EPS e com o do concreto convencional,
porém, a que pode se destacar, é por ele possuir densidade com cerca de 1.600 Kg/m³ e
também por apresentar uma elevada resistência a compressão. Por outro lado,
construções feitas com concreto de argila expandida, são edificações mais frágeis
(SCOBAR, 2016).
Klein (2015) realizou um estudo que aponta as principais vantagens do concreto
convencional quando comparado a outros tipos, entre as diversas, ele cita como mais
importante por este tipo de concreto ser mais durável, estável, resistente e econômico.
No entanto, o autor também aponta as desvantagens desse tipo de concreto, é que eles
têm um elevado peso próprio, chegando a 2.500 Kg/m³, além da necessidade de ser
executado no próprio canteiro de obras.
Amario (2013), esclarece que o concreto convencional, quando comparado com
o concreto leve, possui alguns benefícios e algumas desvantagens em comum, porém
para o autor, o que pode se diferenciar em vantagens, é pelo fato de o concreto leve
trazer para a construção uma redução do peso específico, bom desempenho térmico e
acústico. Na sequência o autor aponta como desvantagem de o concreto leve, possuir
um alto custo, menor proteção a armadura e uma grande dificuldade para bombear para
grandes alturas.

3. METODOLOGIA

O presente trabalho foi fundamentado em uma pesquisa bibliográfica e um


estudo de caso. Na pesquisa bibliográfica foram pesquisados os dados para os dois tipos
de concreto leve. Sendo assim, o autor Ózório (2016) para os dados do concreto com
EPS e Rossignolo (2003) para o concreto com argila expandida. Os dados coletados
desses autores para os dois tipos de concreto, foram o de resistência a compressão,
massa espefícica e módulo de elasticidade.

3.1 Projeto Arquitetônico

O projeto-base consiste em uma laje em balanço com 10 m² (L2) e com 20 cm


de altura, sendo esses valores comum aos três casos (concreto convencional, EPS e
argila expandida). Esta laje em balanço está engastada em uma laje interna como mostra
a figura 1.
Figura 1: Laje em balanço com espessura constante engastada na laje interna.

Fonte: Própria (2021)


3.2 Projeto Estrutural

Para dimensionamento da laje convencional, laje de concreto com EPS e com


argila expandida, foi utilizado o Software Eberick (2021). Este software possui modulo
específico para elaboração e pré-dimensionamento de projetos estruturais. Com o uso
dessa ferramenta é possível dimensionar e obter de forma mais clara o detalhamento da
laje. Os dados inseridos no software estão relacionados na tabela 1.
Tabela 1: Dados para pré-dimensionamento da laje.
Módulo de elasticidade Peso específico (Kgf/m³) Resistencia à
Tipos de concreto (GPa) compressão (Mpa)
Concreto
convencional 25 2500 30

Concreto com
EPS 18 1370 16,7
Concreto com
argila expandida 18 1750 30
Fonte: Ozório (2016); Rossignolo (2003);

Nesta etapa, foram elaborados os projetos estruturais com o detalhamento de


aço, concreto e forma, usando o software Autocad (2021), em um segundo momento,
voltou a ser utilizado o primeiro software, para detalhar o deslocamento que a estrutura
sofreu com a execução de cada tipo de concreto (convencional, EPS e argila expandida),
como também a relação de aço, que muda com cada tipo de concreto.

3.3 Levantamento de quantitativos

O Levantamento de quantitativos para o estudo foi feito através do software


Eberick (2021), onde para cada tipo de concreto foram obtidos dados diferentes, dessa
forma pegou-se essas informações e foi feito o quantitativo de material necessário para
cada tipo de concreto (convencional, EPS e argila expandida), assim como a quantidade
de aço e a área de forma.
A partir dos dados coletados, foi possível levantar o preço de cada material
usado nas lajes, onde esse comparativo de preços foi feito usando os valores disponíveis
nas tabelas SINAPI (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção
Civil) de abril/2021 e preços de mercado.

4. RESULTADOS E DISCUSSÕES
4.1 Concreto convencional.
Na tabela 2 podemos observar de forma precisa o deslocamento da laje com
concreto convencional. Esses deslocamentos são constituídos de deslocamento imediato
e deferido. Com o somatório deles, chega-se ao deslocamento total.

Tabela 2: Deslocamentos
Deslocamentos (Envoltória)
Lajes
Imediatos Deferidos Total
Laje 01 0.11 0.12 0.23
Laje 02 0.43 0.45 0.88
Fonte: Própria (2021)

A figura 2 ilustra o deslocamento total da laje com concreto convencional.

Figura 2: Deslocamento total da laje convencional

Fonte: Própria (2021)


A tabela 3 apresenta o resumo do aço para a laje com concreto convencional.

Tabela 3: Resumo do Aço.


AÇO DIAM C. TOTAL PESO PESO
(MM) (M) (KG) TOTAL
(KG)
8.0 228,5 99,1
CA 50 10.0 83,4 56,4 299,4
12.5 136 144
CA 60 5.0 195,3 33 33
Fonte: Própria (2021)
No quadro 1 podemos observar os insumos para a laje com concreto
convencional. É importante ressaltar que os quantitativos do aço e a área de forma de
29,1 m² foram baseados no projeto estrutural da laje.

Quadro 1: Custos da laje em balanço com concreto convencional


ORÇAMENTO – LAJE CONVENCIONAL
CONCRETO
1.0 Código Material Und. Quant. Preço unt. Total
1.1 SINAPI
0370 Areia m³ 1,1 R$ 46,67 R$ 51,33
Preço de
1.2 marcado Cimento Kg 750 0,67 R$ 502,5
SINAPI
1.4 04722 Brita 2 m³ 1,6 R$ 76,73 R$ 122,77
Subtotal R$ 676,6
FÔRMAS
2.0 Serviços Und. Quant. Preço Total
unt.
SINAPI a
2.1 92415 m² 29,51 R$ 88,59 R$2.614,30
Subtotal R$2.614,30
AÇO
3.0 Serviços Und. Quant. Preço Total
unt.
SINAPI
3.1 92761 Armação de laje de estrutura Kg 99,1 R$15,46 R$1.532,086
convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 8,0 mm

3.2 SINAPI Armação de laje de estrutura Kg 56,4 R$ 14,13 R$796,93


92762 convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 10,0 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.3 92763 convencional de concreto Kg 144,0 R$12,07 R$1.739,28
armado – Aço CA- 50. 12,5 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.4 92768 convencional de concreto Kg 33 R$14,89 R$491,37
armado – Aço CA- 60 5,0 mm
Subtotal R$ 4.559,66
PREÇO DE CUSTO R$ 8.121,36
Fonte: Própria (2021)

4.2 Concreto com EPS

Na tabela 4, podemos verificar os deslocamentos da laje de concreto com EPS.


Com o somatório do deslocamento imediato e deferido chega-se ao deslocamento total.

Quadro 4: Deslocamentos
Deslocamentos (Envoltória)
LAJES
Imediatos Deferidos Total
Laje 01 0.10 0.10 0.20
Laje 02 0.37 0.38 0.75
Fonte: Própria (2021)

A figura 3 ilustra de forma precisa o deslocamento total sofrido pela laje de


concreto com EPS.
Figura 3: Deslocamento unifilar da laje com concreto com EPS

Fonte: Própria (2021)

A tabela 5 apresenta o resumo do aço para a laje com concreto com EPS.

Tabela 5: Resumo do Aço.


AÇO DIAM C. TOTAL PESO PESO
(MM) (M) (KG) TOTAL
((KG)
8.0 228,5 99,0
CA 50 10.0 85,7 58,0 265,0
12.5 102 108,0
CA 60 5.0 194,8 32,9 32,9
Fonte: Própria (2021)

O quadro 2 apresenta o levantamento de insumos para execução da laje de


concreto com EPS. É importante destacar que os preços usados para esse levantamento
de quantitativos, foram utilizados os valores disponíveis na tabela SINAPI mais recente
e também preços de mercado local. Outro dado relevante do quadro, trata-se de que o
levantamento do concreto é apenas para a laje em balanço levando em consideração que
ela necessita de 2m³ de concreto e os insumos para concretar a laje foram levantados da
pesquisa de Ozório (2016). O quantitativo do aço e a área de forma de 29,1 m² foi
baseado no projeto estrutural da laje de concreto com EPS.

AÇO
3.0 Serviços Und. Quant. Preço Total
unt.
SINAPI
3.1 92761 Armação de laje de estrutura Kg 99,1 R$15,46 R$ 1.532,08
convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 8,0 mm

3.2 SINAPI Armação de laje de estrutura Kg 58,0 R$ 14,13 R$ 819,54


92762 convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 10,0 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.3 92763 convencional de concreto Kg 108,0 R$12,07 R$ 1.303,56
armado – Aço CA- 50. 12,5 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.4 92768 convencional de concreto Kg 32,9 R$14,89 R$ 489,88
armado – Aço CA- 60 5,0 mm
Subtotal R$ 4.145,06
PREÇO DE CUSTO R$ 8.575,32
Fonte: Própria (2021)

4.3 Concreto leve com adição de argila expandida.

Na tabela 6, podemos verificar os deslocamentos da laje de concreto com argila


expandida e deslocamento total, onde este se trada do somatório do deslocamento
imediato com o deferido.
Tabela 6: Deslocamentos
Deslocamentos (Envoltória)
LAJES Imediatos Deferidos Total
Laje 01 0.11 0.12 0.23
Laje 02 0.42 0.43 0.85
Fonte: Própria (2021)

A figura 4, ilustra de forma precisa o deslocamento total sofrido pela laje de


concreto com argila expandida.

Figura 4: Deslocamento da laje de concreto em argila expandida


Fonte: Própria
(2021)

Na tabela 7 podemos observar o resumo do aço para a laje de concreto com


argila expandida.

Tabela 7: Resumo do Aço.


AÇO DIAM C. TOTAL PESO PESO
(MM) (M) (KG) TOTAL
((KG)
8.0 228,5 99,1
CA 50 10.0 83,4 56,4 277,9
12.5 115,6 122,4
CA 60 5.0 194,8 32,9 32,9
Fonte: Própria (2021)

No quadro 3, podemos observar o levantamento de quantitativo para a laje de


concreto com argila expandida. Vale destacar que assim como as outros tipos de
concreto, os preços usados para esse levantamento de preços, foram obtidos pelos
valores disponíveis na tabela SINAPI mais recente e também preços de mercado local.
Outro dado relevante do quadro trata-se de que o levantamento do concreto é apenas
para a laje em balanço, levando em consideração que ela necessita de 2m³ de concreto e
os insumos para concretar a laje foram levantados da pesquisa de Rossignolo (2003). O
quantitativo do aço e a área de forma de 29,1 m² foram baseados no projeto estrutural da
laje.

Quadro 3. Custos da laje com concreto leve em argila expandida.


ORÇAMENTO – LAJE COM CONCRETO LEVE EM ARGILA EXPANDIDA.
CONCRETO
1.0 Código Material Und. Quant. Preço unt. Total
1.1 SINAPI
0370 Areia – 1680 kg m³ 1,12 R$46,67 R$52,27
1.2 Preço de
Mercado Cimento Portland CPIII - 40 Kg 800 R$0,67 R$536,00
1.3 SINAPI
0123 Aditivo polifuncional lt 6,4 R$6,90 R$44,16
1.4 SINAPI
34549 Argila expandida m³ 0,64 R$201,33 R$128,85
Subtotal R$ 761,68
FÔRMAS
2.0 Serviços Und. Quant. Preço Total
unt.
SINAPI Montagem e desmontagem de
2.1 92415 fôrmas. m² 29,51 R$ 88,59 R$2.614,30
Subtotal R$2.614,30
AÇO
3.0 Serviços Und. Quant. Preço Total
unt.
SINAPI
3.1 92761 Armação de laje de estrutura Kg 99,1 R$15,46 R$ 1.532,086
convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 8,0 mm

3.2 SINAPI Armação de laje de estrutura Kg 56,4 R$ 14,13 R$ 796,93


92762 convencional de concreto
armado – Aço CA- 50 10,0 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.3 92763 convencional de concreto Kg 122,4 R$12,07 R$1.473,38
armado – Aço CA- 50. 12,5 mm
SINAPI Armação de laje de estrutura
3.4 92768 convencional de concreto Kg 32,9 R$14,89 R$ 489,88
armado – Aço CA- 60 5,0 mm
Subtotal R$ 4.667,85
Total R$ 7.641,25
Fonte: Própria (2021)

4.4 Analise comparativa dos resultados

A primeira análise realizada, foi em relação aos resultados dos deslocamentos,


onde na figura 5 podemos observar esses deslocamentos sofridos pelas lajes quando
executadas com cada tipo de concreto estudado, dessa maneira, a figura mostra que o
concreto convencional possui um maior deslocamento enquanto a laje executada com
concreto com EPS, possui o menor. É importante ressaltar que com os valores de
deslocamento a laje com os três tipos de concreto, foram aceitáveis para execução tendo
como base as exigências da norma ABNT NBR 6118:2015.
Figura 5:
Título do Gráco
Deslocamento
0.9 0.88
0.85 concreto convencional dos concretos
Deslocamentos (cm)

0.85 Linear (concreto


convencional ) (Concreto
0.8 concreto com EPS
0.75 concreto com argila convencional,
0.75 expandida
EPS e argila
0.7
expandida).
0.65
Fonte:
Própria (2021)

Em relação a análise comparativa dos custos, podemos observar na figura 6 que


o concreto convencional possui menor custo para ser executado, quando se trata de
economia, o concreto com argila expandida fica como segunda opção. Dos três tipos de
concreto estudados, o concreto com EPS possui um maior custo, por outro lado, o aço
para essa estrutura possui o menor valor. Na sequência podemos observar o concreto
com argila expandida, e por último, o concreto convencional, que assume o maior valor
de custo.

Figura 5: Custo (R$) x Serviço/Etapa


R$5,000.00
R$4,500.00
R$4,000.00
R$3,500.00
CUSTOS (R$)

R$3,000.00
R$2,500.00
R$2,000.00
R$1,500.00
R$1,000.00
R$500.00
R$0.00
concreto Fôrma Aço

Fonte: Própria (2021)

A partir das análises comparativas dos resultados para execução de laje com
concreto convencional, EPS e argila expandida, podemos observar que esses três tipos
de concreto possuem suas vantagens em relação ao que se compara, isto é, quando se vê
o valor do concreto em si, usar o concreto convencional ficou mais vantajoso, por outro
lado o valor do aço estrutural aumentou. Já quando se analisa o concreto leve (EPS e
argila expandida), houve um menor deslocamento e redução do peso da estrutura, pois
lajes com esse tipo de concreto requerem menos aço, com isso, os custos com fundação
também diminuem, por outro lado o concreto leve quando for utilizado em grandes
alturas ocasionam dificuldades de lançamento.

5 CONCLUSÃO

No trabalho em questão pôde-se observar de maneira prática as principais


particularidades do uso do concreto em lajes com concreto convencional e concreto leve
(EPS e argila expandida). Para os três tipos de concreto estudados, foram mostradas as
principais vantagens e desvantagens, onde esses fatores estão além do peso próprio dos
tipos de concreto.
Outro ponto a se ressaltar, são os dados para o pré-dimensionamento das lajes
com cada tipo de concreto, esses valores sendo alimentandos no software Eberick
(2021) de forma correta resultam no dimensionamento da laje, detalhando todas as
informações necessárias para a execução da laje, além de expor as deformações sofridas
na laje com a execução do concreto convencional e concreto leve (EPS e argila
expandida).
No que se trata dos quantitativos, a principal diferença a se destacar é o valor de
cada de tipo de concreto e do aço, onde o concreto convencional possui menor custo de
concreto e o maior valor do aço, enquanto os concretos leves (EPS e argila expandida)
resultam em maior valor do concreto e menor valor do aço, diante disso, como solução
para a melhor opção de concreto a se usar, é necessário levar em consideração outros
aspectos como a que finalidade se destina a edificação, a economia com fundação que
cada tipo de concreto proporciona e principalmente o bom desempenho do concreto.
E para concluir, recomenda-se para os trabalhos futuros comparar outros itens
quanto ao levantamento de custos, como o valor da fundação para concreto
convencional e concreto leve e estudo de outros métodos ou software de
dimensionamento de estrutura.

REFERÊNCIAS
ABCP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND. Guia básico
de utilização de cimento Portland, Boletim Técnico 106. 7 ed, São Paulo, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – NBR 5738. Concreto –


Procedimento para moldagem e cura dos corpos-de-prova. ABNT, 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – NBR 5739. Concreto –


Ensaio de compressão de corpos de prova cilínricos. ABNT, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – NBR 9778. Argamassa


e concreto endurecidos – Determinação da absorção de água por capilaridade. ABNT,
2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – NBR 7211. Agregados


Para Concretos - Especificações. ABNT,2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – NBR 12655. Concreto


De Cimento Portland – Preparo, Controle, Recebimento E Aceitação – Procedimento.
ABNT,2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE POLIESTIRENO EXPANDIDO – O que é EPS.


Disponível em <http://www.abrapex.com.br/01OqueeEPS.html> Acesso em 11 de set de
2020.

BASTOS, P. S. S. FUDNAMENTOS DO CONCRETO ARMADO - NOTAS DE


AULA. Departamento de Engenharia Civil, Universidade Estadual Paulista, Bauru,
2006.

OZÓRIO, B. P. M. Concreto leve com pérolas de EPS: estudo de dosagens e de


características mecânicas. 2016. 154 p. Tese (Doutorado em Engenharia Civil
(Estruturas)) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São
Carlos, 2016.

Borja, E.V. Efeito da adição da argila expandida e adições minerais na formulação


de concretos estruturais leves autoadensáveis. Tese de doutorado, Universidade
Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

CATOIA, Thiago. Concreto Ultraleve estrutural com pérolas de EPS:


Caracterização do material e estudo de sua aplicação em lajes. Tese de doutorado
em Engenharia de Estruturas, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São
Paulo, São Carlos, São Paulo, 2012.

DUARTE, B. J. Estudo da substituição de agregados miúdos naturais por pó de


pedra em concreto de cimento Portland. Dissertação de Mestrado em Ciência e
Engenharia de Materiais -Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

CONCRETOS E ARGAMASSAS. 2009. 87 f. Monografia - Curso de Engenharia


Civil, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2009.
LIMA, Flávio Barboza de; BARBOZA, Aline da Silva Ramos; GOMES, Paulo Cesar
Correia. Produção e Controle de Qualidade do Concreto. 1. ed. Alagoas: EDUFAL,
2003.

MELO, G. F. CONCRETO CELULAR POLIMÉRICO: Influência da adição de


resíduo de poliéster insaturado termofixo. Tese de Doutorado – Universidade Federal
do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2009.

MENDES, André Soares; XAVIER, Beatriz Correa; BASSANI, Fabrício. Avaliação do


Concreto Leve Estrutural com EPS Reciclado. Fórum Ambiental da Alta Paulista,
São Paulo, v. 12, n. 03, p.59-75, mai. 2016.

OLIVEIRA, Lívia Sousa de. Reaproveitamento de resíduos de poliestireno


expandido (isopor) em compósitos cimentícios Dissertação de Mestrado - Programa
de Mestrado em Materiais e Processos de Fabricação da Universidade Federal de São
João del-Rei, São João Del Rei, 2013.

Pereira, M.R.; Estudo da adição de argila expandida na formulação de concretos


leves. Tese de mestrado apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Ciência e
Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.

PINHEIRO, L. M.; MUZARDO, C. D.; SANTOS, S. P.; CATOIA, T.; CATOIA, B.


Estruturas de concreto, 2010.

RIBEIRO, Carmem Couto; PINTO, Joana Darc da Silva; STARLING, Tadeu.


Materiais de Construção Civil. 4. ed. rev. – Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

ROSSIGNOLO, J. A. Concreto leve de alto desempenho modificado com SB para


pré-fabricados esbeltos – dosagem, produção, propriedades e microestrutura. Tese
(Doutorado) – Interunidades: Escola de Engenharia de São Carlos, Instituto de Física de
São Carlos e Instituto de Química de São Carlos, Universidade de São Paulo, São
Carlos, 2003.

TESSARI, Janaina. Utilização de Poliestireno Expandido e potencial de


aproveitamento de seus resíduos na construção civil. Programa de pós- graduação
em engenharia civil –UFSC, 2006.

Você também pode gostar