Você está na página 1de 6

RESTAURANDO O ALTAR EM SUA VIDA

Texto: 1Reis 18.30-39
 Caros irmãos, este Palavra tem a finalidade de levar-nos a refletir sobre o nosso
Altar, uma vez que é nele que é feita a adoração, o sacrifício e Deus, e também é nele
que Deus demonstra sua Glória em nossas vidas. Veja como um Altar bem
estruturado pode fazer toda a diferença Depois do povo de Deus ter passado por uma
perseguição muito grande, somente o profeta Elias sobrou, diante de quatrocentos e
cinquenta profetas de Baal, então Elias reuniu o povo e fez a seguinte proposta:
vocês preparam um altar ao vosso deus e coloca sobre ele um bezerro como oferta
em holocausto, e eu oferecerei outro bezerro ao meu Deus em holocausto, mas há de
ser que o deus que responder com fogo e queimar a vítima sobre o altar Serpa o
Deus, e todo o povo deverá adorá-lo, e o povo achou a proposta boa.
Assim sendo Elias disse aos profetas que escolhessem o bezerro e preparassem para
que oferecessem primeiro em virtude de serem muitos, então os profetas de Baal
prepararam o altar ao seu deus e começaram a clamar, e nada de resposta,
começaram a sacrificar-se retalhando seus próprios corpos com navalhas presas em
cordas que eram arremessadas contra seus corpos e nada de resposta, então o
profeta Elias vendo a angustia dos profetas de Baal diante do altar sem resposta,
começou a zombar deles dizendo: Clamem mais alto, talvez esteja dormindo, ou
quem sabe esteja viajando vamos! Clamem mais alta quem sabe o vosso deus esteja
ocupado com outros afazeres.
Mais nada de resposta e eles começaram a desanimar, vendo que a resposta não
vinha desistiram. Então Elias disse ao povo: Chegai-vos a mim, e o povo se chegou a
ele; e o homem de Deus começou a reparar o altar que estava quebrado.
Elias tomou doze pedras, que correspondiam às doze tribos de Israel. E com aquelas
pedras edificou o altar em nome do Senhor, arrumou a lenha e dividiu o bezerro em
pedaços e colocou sobre o altar, e mandou que enchessem quatro cântaros de água
e os despejassem sobre o holocausto e sobre a lenha, de maneira que a água corria
ao redor do altar, e como se não bastasse mandou que cavassem uma vala em volta
do altar e encheu de água. E, seguida após ter oferecido a oferta de manjares, o
profeta Elias orou ao Senhor Deus de Abraão, Isaque e Jacó dizendo: Manifesta-se
Senhor mostrando que hoje o Senhor é o Deus em Israel, e que este povo sabia que
eu sou teu servo, e que todas as coisas acontecem pela tua palavra. Então, caiu fogo
do céu da parte do Senhor e consumiu o holocausto, e a lenha e as pedras, e o pó, e
ainda lambeu toda a água que estava na vala. E o povo vendo isto, caiu com seu
rosto em terra e declarou só o Senhor é Deus em Israel. Tudo isto foi possível porque
ali estava um homem de Deus, que teve a preocupação de reparar o altar do Senhor
de forma que o sacrifício ali oferecido chegasse à presença de Deus, como oferta
santa e agradável aos olhos do Todo Poderoso. Antes de oferecer ao Senhor o teu
sacrifício lembre-se: Como está o teu altar? Não basta oferecer, não basta saber
como oferecer, tem que ter um altar ordenado, arrumado e apto, afinal o Deus a que
servimos é um Deus ordeiro, amoroso e pronto a honrar aqueles que depositam toda
confiança Nele,
 
Altar
No AT existiam dois tipos de altares. Um era altar do incenso onde o sacerdote
queimava o perfume perante a presença de Deus. O outro era o lugar destinado ao
sacrifício que se oferecia a Deus. O Altar, no Antigo Testamento, era o local onde o
sacrifício era oferecido a Deus (Gênesis 8.20), porém, devemos observar que antes
de se oferecer o sacrifício era necessário edificar ou reconstruir o altar.
Um altar não poderia ser erguido de qualquer maneira (Êxodo 20.24-25), e vemos que
Deus deu a Moisés instruções bem especificas do como queria os seus altares, bem
como do que não queria nos altares que seriam usados para a sua adoração.
O povo de Israel se preocupava com a construção do altar. Zelavam para que eles
fossem construídos de acordo com o que Deus determinou, pois sabiam que se o
altar não fosse edificado da forma que Deus determinara o sacrifício (a oferta), seria
em vão.
Na Bíblia, temos exemplos de servos de Deus que tiveram uma vida de vitória
edificando ou reconstruindo altares.
1.Nóé tinha um altar (Gn 8.20)
A resposta que Noé precisava de Deus veio logo quando ele colocou um animal limpo
diante do altar (temos que nos colocar em sinceridade e limpeza diante de Deus)
       Noé ofereceu o melhor, vamos oferecer também em nosso altar a nossa
sinceridade. (forma de concertar - ser sincero quando chegamos ao altar)
2. Abraão tinha um altar (Gn 22.9)
Colocou em ordem a lenha no altar para o Senhor responder. Temos colocado e
dados motivos para que o Senhor responda? (lenha = combustível, na vida do crente
oração é o combustível) - (forma de concertar - manter a lenha sempre no fogo, ou
seja ter uma vida de oração e comunhão em espírito)
3. Gideão também preparou seu altar (Jz 6.18)
Ele foi aprovado em sua chamada (Deus o escolheu). Pois Deus preparou tudo de
acordo com os propósitos e vontade de Deus (quando preparamos nosso altar Deus
coloca em prática seus projetos). Ele livrou Israel dos Midianitas. (forma de concerto -
Deixar tudo na vontade de Deus e ser submisso)
4. Davi também tinha um altar (I Cr 21.26) ele sabia do peso que era estar com o
altar em ordem.
Será que esse altar está em pé ou é preciso reedifica-lo, restaura-lo? O que
significa restaurar o altar?
Os nossos corações são altares onde podemos entregar a Deus primeiro as nossas
próprias vidas em obediência, ofertar adoração que agrade o coração do Pai. Render
os nossos sonhos e direitos perante os Seus sonhos para nós e a Sua vontade.
Podemos entregar o perfume de um coração disposto a alegrar-se no Seu Deus, o
cheiro agradável da verdadeira adoração. Essa adoração surge dum coração íntegro,
submisso ao propósito do Seu Pai.
Que coisa pode agradar mais a nosso Deus que um coração derramado, derretido
perante a presença do Seu Criador? Adorar é prostração, entrega, rendição. São
estas as características do nosso coração?

*Restaurar o altar é colocar no seu lugar as prioridades da nossa vida, reconhecendo


que é Deus o único digno de ser adorado. E é ali fundamentalmente onde falhamos,
permitindo outros altares, outros "lugares altos", outros "deuses" no centro do nosso
coração.
Para esta reconstrução é preciso determinação. Nossas vidas estão cheias de
desafios, lutas e pressões, mas será um coração de adorador que nos dará a força e
a visão necessária para um vida que agrade a Seu Deus.
O altar é o local de morte. É ali que nossa vida é colocada como um sacrifício para
Deus. No altar nós morremos para as nossas próprias convicções, vontades, desejos,
expectativas, etc... No altar morremos para a nossa vida a fim de podermos viver uma
nova vida para com Deus. No altar tem fim o velho homem.
O desejo do coração do Eterno é que, após termos um verdadeiro encontro com Ele,
possamos verdadeiramente morrer. Quando o sacrifício queimava, subia um cheiro
que se desprendia da vítima! E é isso que o Eterno espera, que quando nossa vida for
a ele oferecida, possamos liberar um cheiro suave a fim de agradarmos ao Senhor!
Assim queimarás todo o carneiro sobre o altar; é um holocausto para o Senhor, cheiro
suave; uma oferta queimada ao Senhor (Êx 29:18).
1- Ele convida o povo a tomar uma decisão. (v.21).
"Até quando coxeareis entre dois pensamentos?" Foi a pergunta do profeta Elias
ao povo de Israel sobre suas dúvidas quanto à seguir ou não ao Deus Todo
Poderoso. Estar "em cima do muro", é o mesmo que não emitir opinião sobre
determinado assunto, ser covarde, ou por não saber o que escolher, ou por querer
agradar os dois lados. O povo estava assim; queria agradar a Jesabel, rainha que
adorava e impunha adoração a Baal, e ao mesmo tempo estava temeroso por saber
que o Senhor dos Israelitas, poderia não estar se agradando desta prática.
"Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade; e
deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e
servi ao SENHOR.
Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a
quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além
do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha
casa serviremos ao SENHOR" Josué 24.15
 
2- Edificou o altar. (v.32).
A ação principal de Elias, o profeta que representa restauração, foi restaurar o altar do
Senhor. A primeira iniciativa de Zorobabel, Neemias e Esdras ao voltarem da
Babilônia para construir a casa de Deus foi levantar o altar.
Sem uma posição definida de ouvir a voz de Deus e depender inteiramente dela, nada
de valor pode ser realizado na obra de Deus.
Aqui na terra Jesus vivia numa posição de total dependência em Deus. Noite e dia ele
era "todo ouvidos" para Deus. Não fazia nada sem ver o Pai fazê-lo primeiro. A base
de sua vida era uma posição de incessante comunhão com Deus – e isso é o altar.
É a restauração do homem. Deus restaura o homem da queda e do pecado,
justificando-o, santificando-o e glorificando-o. Ressuscita-o de entre os mortos. Dá-lhe
corpo novo, revestido de incorruptibilidade e de imortalidade (1 Co 15.53). Torna-o
igual a Jesus Cristo (Rm 8.29-30; 2 Co 3.18; Fp 3.20-21; 1 Jo 3.2).
O que significa restaurar o altar?
Significa restaurar a comunhão com Deus e com o seu povo, a Igreja. Significa
restaurar aquilo que um dia cremos (nossa doutrina), e vivemos (nossa prática), mas
que por alguma razão abandonamos ao total desapreço. Portanto a restauração do
altar é uma recuperação daquilo que está esquecido, obscurecido. A restauração
repara nossa vida espiritual. Restaura o nosso fervor, nosso ânimo e nossa paixão
pelo Senhor e pelas coisas do Reino. Compromisso. Com está teu compromisso com
Deus?
 
3- Ofereceu à vítima sobre o altar. (v.33). Sacrifício.
Qual é a tua vítima? A Bíblia diz: "… Ninguém aparecerá vazio perante mim." (Êx
23.15).
Exemplos de sacrifícios:
1- Abraão ofereceu seu único filho em holocausto. (Gn 22.1-14).
 2- Davi ofereceu sacrifício de valor. (2Sm 24.24).
3- A mulher pecadora levou um vaso de alabastro com ungüento. (Lc 7.37,38).
4- A viúva pobre ofereceu tudo o que tinha. (Lc 21.1-4).
5- Jesus disse aos seus discípulos: "… Se alguém quiser vir após mim, renuncie-
se a si mesmo (sacrifício próprio), tome sobre si a sua cruz e siga-me." (Mt
16.24).
6- Paulo adverte: "Rogo-vos, pois irmãos, pela compaixão de Deus, que
apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o
vosso culto racional." (Hb 12.1).
4- Pôs água sobre o altar. (vv.34,35). Purificação.
"...para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra,"
(Ef 5.26).
À SANTIFICAÇÃO: Sem santificação ninguém poderá ver o Senhor Hb 12.14.
Todos conhecemos as implicações desta passagem, mas ás vezes deixamos de
pesar-lhe as conseqüências. Não podemos esquecer-nos de que fomos chamados
para ser separados do mundo e consagrados a Deus.
As Sagradas Escrituras dizem:
- "Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a
santificação." (1Tss 4.7). -"Portanto escrito está: sedes santos, porque eu sou
santo." (1Pe 1.16).
Elias tomou 12 pedras para a edificação do altar, fez um rego ao redor do altar,
arrumou a lenha e dividiu o bezerro em pedaços. Pegou água e derramou sobre o
sacrifício por três vezes. Elias preparou o altar com o melhor que ele tinha, ele usou
água, bem mais precioso para quem está numa terra onde há muito tempo não
chovia. Não se prepara um altar de qualquer maneira, é preciso dedicação, zelo e
compromisso.
Por três vezes Elias encheu o rego com água, ate que estivesse na medida correta.
Vs 34
Havia uma medida certa, não poderia ter sido 2 vezes, teve que ser 3 vezes. Não é 
da maneira que a gente quer, ou acha que é, é da forma e do jeito que Deus quer. Se
não for conforme a vontade dele o fogo não vem
Quais são os meios de santificação:
1- A palavra de Deus. (Sl 119.9,11; Jo 15.3; Ef 5.26).
2- O sangue de Cristo. (1Jo 1.7; Hb 9.22).
3- A glória de Deus. (Êx 29.43).
 
5- Orou ao Senhor. (vv.36-38). Confiança.
 A VIDA DE ORAÇÃO: Para confrontarmos a idolatria é mister que voltemos a clamar
e clamar sem cessar com toda a intensidade. Sem oração não há poder; e sem poder
não levaremos os céus a responderem com fogo.
Mas qual o segredo para que surja tal acontecimento, o segredo está em 2 Crônicas
7.14: "E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e
buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei
dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."
O coração de Deus e os seus olhos estão fixados em nós, que outra coisa pode ser
mais encorajadora ou nos pode dar mais confiança? Só é preciso um coração
humilhado a clamar a Seu Deus, a buscar, a mudar. Este coração é o lugar onde
temos guardado o tesouro mais precioso, o tesouro da presença de Deus. É o espaço
onde começa nossa adoração a Deus: o nosso altar.
As Sagradas Escrituras dizem:
- "… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos." (Tg 5.16c).
- "… tudo é possível ao que crê." (Mc 9.23).
-"O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará; mas o sacerdote
acenderá lenha nele cada manhã… O fogo arderá sobre o altar; não se apagará."  (Lv
6.12,13). 
- "Sem lenha, o fogo se apagará…" (Pv 26.20ª).
 
Conclusão
A idéia de se reconstruir altares é tema de muitos eventos evangélicos. É tema de
sermões, de congressos e de cânticos, mas deveria ser o tema de nossas vidas,
devido à importância do altar para o nosso relacionamento com Deus.
A palavra altar aparece na Bíblia por diversas vezes. Mas infelizmente, hoje em dia,
nossas preocupações não são mais com a edificação ou com a reconstrução dos
altares para a adoração, nem mesmo com a obediência aos parâmetros ordenados
por Deus para os seus altares. Hoje, as preocupações giram em torno do bem-estar e
da prosperidade do cristão, ou em relação ao desejo de participar de uma igreja que
se adapte aos meus interesses pessoais.
Não temos mais a preocupação de edificar em nossas vidas um altar de acordo com a
vontade de Deus e nem nos preocupamos ou nos incomodamos com o grande
número de altares, de vidas cristãs, desativados, desmantelados, empoeirados pela
falta de uso ou emporcalhados com os pecados já admitidos como coisa normal nas
igrejas.
Isto é triste e preocupante, pois sem um altar bem edificado ou reconstruído não há
sacrifícios. E sem sacrifício não há remissão! Por isso, devemos reconstruir os altares
da adoração a Deus em nossas vidas e igrejas, e isto implica em reconstrução da
nossa vida em sua integralidade.
Sacrifício feito em altar quebrado ou em altar construído de qualquer maneira não é
recebido por Deus. O profeta Elias, só ofereceu sacrifícios a Deus depois de restaurar
o altar que estava quebrado (1 Reis 18.30). Elias sabia que só assim, depois da
reconstrução e de restaurado o altar, o Senhor se manifestaria com poder e glória e
receberia o sacrifício.
A Bíblia relata que os sacerdotes tinham um altar, os reis tinham um altar, os profetas
tinham um altar, os patriarcas tinham um altar, os ricos tinham um altar, os pobres
tinham um altar, os justos tinham um altar e até os ímpios tinham um altar. Da mesma
forma, nós cristãos devemos ter um altar em nossos corações, em nossas mentes e
vidas. Assim como no mundo antigo era uma regra de fé possuir um altar de
adoração, em nossos dias, nossas vidas devem ser colocadas diante de Deus como
um altar para a verdadeira adoração.
O "primeiro" altar foi construído pelo próprio Deus no sacrifício de um animal para
confecção de roupas para a humanidade no pecado. Mais tarde, Deus edificou um
altar que não tinha aparência de altar, mas de uma cruz, para que no sacrifício de
Cristo fôssemos libertos do pecado e, por isso, habilitados para edificarmos e
reconstruirmos altares espirituais em nossas próprias vidas.
Assim como a água é importante para o corpo e para a nossa sobrevivência, o altar é
essencial para a nossa comunhão com Deus. Como o alimento é para a vida, assim é
o altar para o cristão fiel! Pois o altar, literalmente, é o momento espiritualmente
sublime que nos serve como lugar de adoração, de renúncia, de reconciliação, de
arrependimento, de perdão, de sacrifício, de restauração, de desafios, de
experimentarmos a providência divina, de substituição, de aprovação, de absolvição,
de santificação, de misericórdia e de comunhão intensa com Deus.
O altar de Deus ainda é movido por sangue e por incenso. O sangue vem do sacrifício
de Cristo, mas o incenso é a nossa oração, Hebreus 10.19. Não precisamos mais
fazer sacrifícios como antes. O sacrifício que Deus espera de nós é outro. É uma vida
oferecida a ele em santidade e em testemunho de fé da nossa salvação e
santificação, Romanos 12.1 "Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de
Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o
culto racional de vocês"
"...vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de
uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios
espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo." 1 Pedro 2.5.
Depois de tudo preparado, Elias orou mostrando a sua total dependência no Senhor.
Ele sabia que o poder, o fogo vem do alto e não dele. Após uma oração tão simples e
pequena, o fogo de Deus caiu. Quando o altar está preparado para receber o fogo,
nós não precisamos fazer muito esforço, Deus trará o seu sim a mais simples e
pequena oração.
E o fogo de Deus consumiu o holocausto, a lenha, as pedras, o pó e a água que
estava no rego. O fogo consumiu tudo. Vs 38
A chama foi muito intensa, pois queimou até as pedras e o pó. Não foi um fogo
comum, mas um fogo que nada poderia resistir. Ele queimou de cima para baixo, em
vez de baixo para cima. Foi um fogo miraculoso. 
Quando o fogo de Deus vem, nada e nem ninguém pode resistir ao seu agir.
Sabemos que hoje Deus não nos pede sacrifícios, nem sangue para o adorarmos. O
que Ele quer de nós é que a nossa carne morra para o pecado e que vivamos
somente para Ele. A gratidão e o quebrantamento de espírito são considerados
sacrifícios que honram a Deus. Sl 50 e 51
Para preparar o altar é preciso santidade, Elias estava preparado, separado para
edificar o altar. Você precisa estar preparado para edificar o altar e trazer o fogo de
Deus. O altar somos nós, se a nossa vida todos os dias estiver preparada para ser o
sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, então é só orar e a glória
virá.  Adoração é o resultado de uma vida santa, que quando canta traz o céu aqui
para terra. Se nós gastarmos tempo preparando o altar, o fogo com certeza virá.  Mas
para isso é preciso relacionamento, intimidade e comunhão com o Senhor.
Sua vida devocional, oração, jejum, leitura da Palavra, sua busca pela intimidade com
o Senhor é o que fará toda a diferença no seu ministério. A intensidade da sua busca
determinará o quanto você terá de Deus para dar as outras pessoas. Não podemos
dar a ninguém algo que não temos nem para nós mesmos. A unção, autoridade e
poder de Deus não se conquista apenas aqui no altar, isso é resultado de uma busca
diária pela presença e revelação de Deus. Tem que haver um preparo antes, o culto,
o louvor começa lá na sua casa.  A autoridade só se conquista na submissão e na
santidade. Jesus era cheio de autoridade e por onde ele passava os demônios fugiam
e se submetiam a autoridade dele.
Jesus não tinha autoridade porque era o filho de Deus, mas porque ele se submetia a
vontade do Pai e andava em santidade. Se vivermos em submissão e santidade, não
há demônio que possa nos resistir.  
E hoje o fogo de Deus virá sobre nós e nos fará como Elias, reconstrutores de altares.
Aqueles que serão usados por Deus para levantar altares caídos e fazer deles altares
de adoração ao único e vivo Deus.

Você também pode gostar