Você está na página 1de 3

Ministério de Ensino

IDENTIFICANDO-ME COM CRISTO


Pr. Bruno Marquardt

Bem-aventuranças - 3

“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” - Mt 5. 5

1) Explicação:

As bem-aventuranças tratam de nossos relacionamentos: (a) com Deus; (b) com nossos semelhantes; © e
com nossos direitos. Essa terceira bem-aventurança, a da mansidão, quer nos ensinar a termos atitudes e reações
corretas para com as pessoas que Deus permite se envolverem de uma forma ou outra com nossos bens ou direitos.

Definição de mansidão:

Uma pessoa mansa é aquela que não reclama qualquer direito para si. Ela está disposta a submeter
todos os seus bens e direitos pessoais a Deus e passa a considerar tudo o que tem como lhe tendo sido
emprestado por Deus para o seu trabalho e glória (Larry Coy).

O processo de levar o crente a submeter todos os seus bens e direitos a Deus é descrito pelos mestres da
Palavra de Deus com as mais diferentes palavras, como por exemplo:

1. Watchmann Nee fala muito em “quebrantamento”.


2. A Missão JOCUM: “Renúncia de direitos”
3. Larry Coy: “Como vencer a ira e a preocupação”.
4. O profeta Jeremias: “Amassar o barro” (Jr 118.1-11).
5. O apóstolo Paulo: “Palavra da cruz” (1 Co 1.18).
6. Jesus: “O morrer do grão de trigo” (João 12.24).

São diferentes maneiras de descrever o mesmo processo, mas os resultados são sempre iguais: descanso,
paz, alegria, vida profunda com Deus, etc.

O que são nossos direitos? É tudo aquilo que Deus planejou e criou para o nosso bem estar espiritual, mental,
emocional, físico e material. Por exemplo: Casamento (Gn 2.18); relacionamento sexual com o cônjuge (11 Co
7.4,5); comida ((Gn 1.29); vestimenta (Mt 6.31,32). Temos ainda a necessidade de sermos amados, respeitados, de
possuir propriedade, de um nome honrado, de salário digno. A constituição brasileira garante ao cidadão o direito
de ir e vir, de liberdade de culto, etc.

Por que Cristo pede a renúncia de todos os nossos direitos? Nosso problema é que, mesmo depois da queda do
homem em pecado e depois de ter sido expulso do paraíso, continuamos desejando comer da árvore do
conhecimento do bem e do mal, isto é, continuamos a depositar nossa segurança e felicidade mais nas cousas
criadas do que no Criador, que nos é amoroso em Cristo.
Eva “viu” | 1 João 2.16 | Nós desejamos
“Boa para se comer" “Concupiscência da carne” Sentir algo
“Agradável aos olhos” “Concupiscência dos olhos” | Ter algo
“Desejável para dar entendimento” | “Soberba da vida” Ser alguém

Por isso Jesus foi tão enfático: “TODO AQUELE QUE NÃO RENUNCIA A TUDO QUANTO TEM NÃO
PODE SER MEU DISCÍPULO’ (Lucas 14.33).

Áreas que Deus pede que lhe entreguemos:

Deus nos deu muitas responsabilidades. Quando nos zangamos ou ficamos preocupados, estamos tentando
controlar ou mudar algo que Deus nunca pretendeu que mudássemos ou controlássemos. Quando reagimos ou
resistimos, nós negamos a Deus o direito de fazer o que ele deseja fazer; também temporariamente colocamos de
lado o propósito que Ele queria realizar em nossa vida.

A ira ou ansiedade é sinal de que há um direito que Deus quer que eu ceda.
1
A seguir há uma lista de áreas ou direitos que Deus quer que eu ceda, pois temos a tendência de ficar irados
ou preocupados quando alguém toca nelas. Permita que o seu coração seja um lugar em que o E. Santo opere. Em
oração analise todas as áreas e ceda a Deus cada um dos direitos – sem esperar nada de volta.

1. Nossa vida - Lc 9.23,24. 8. Nossa saúde - 2 Co 12.7-10


2. Nossa família - Mt 10.37. 9. Nosso futuro - Mt 6.31-34
3. Nosso dinheiro - Mt 6.24,25 10. Nosso casamento - 1 Co 7.4,5.
4. Nossos bens - Jó 1.21. 11. Nossa reputação - Sl 23.3.
5. Nossos amigos - Mt 10.40. 12. Nossos filhos - Sl 127.3.
6. A música - Ef 5.19. 13. Nosso ministério - 1 Co 3.4-6.
1. Nossa roupa - 1 Pe 3.3,4. 14. Nossa aparência - Sl 139.14.

Se em alguma dessas áreas você vir que corre o risco de se ver privado desse direito, e começar a ficar
agitado emocionalmente, é porque o teu coração está àquele direito. Deus está permitindo alguém tocar, porque
Ele, com os seus olhos oniscientes, está percebendo que é um ídolo para você. E Deus quer ocupar o primeiro
lugar no teu coração. Por isso Jesus disse: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a
sua cruz e siga-me”. Significa seguir o seu exemplo de renúncia a todos os privilégios, ao emprego do tempo, aos
prazeres mesquinhos, a fim de que outrem possa receber vida eterna.

“Enquanto cada igreja cristã não se submeter a esse tipo de renúncia, de morte, a vida verdadeira não
brotará dela. Se os membros de uma congregação ou grupo cristão, por menor que seja, estiverem dispostos a
morrer para os seus privilégios, esse grupo poderá abalar o mundo. Se cada crente que o compõe disser: Meu
tempo não me pertence, nem o meu dinheiro, nem meus privilégios, nem minha família; estou nas mãos de Deus,
do mesmo modo como Jesus estava quando toou a cruz, esta célula cristã convulsionará o mundo.” (Larry
Christenson em: “Mente Renovada”).

2. Exemplos de Cristo:

Fp 2.5-9: Texto básico para a renúncia de direitos:

“A atitude de vocês deve ser semelhante àquela que foi mostrada por Jesus Cristo que, embora fosse Deus,
não exigiu nem tampouco se apegou a seus direitos como Deus, mas pôs de lado seu imenso poder e sua
glória ... Foi por causa disso que Deus o elevou até às alturas dos céus” (Novo Testamento Vivo).

a) Mt 8.20 - “O Folho do homem não tem onde reclinar a sua cabeça”.


b) 1 Pedro 2.21-23: Jesus renunciou ao direito de ser respeitado.

3) Exemplos de fiéis:

a) Gn 22.1-19: Deus provou a Abraão. Abraão renunciou ao direito de ter seu único filho Isaque vivo com ele.
b) Atos 12.1-8: Pedro, na prisão, sabendo que no dia seguinte seria morto, dormia tranqüilamente. Renunciou
ao direito de viver.
c) He 10.34: Os primeiros cristãos foram espoliados dos seus bens por causa de sua fé em Cristo, e não
reclamaram.

4) Atitudes positivas em quem é manso:

a) Satisfação íntima - Sl 22.26.


b) Um princípio essencial para vencer a ira - Sl 37.8-11.
c) Tranqüilidade - Mt 11.28-30.
d) Um dos fatores básicos para ter sensibilidade em ouvira voz - Sl 25.9.
e) Velhice tranqüila - Salmo 92.12-15.
f) Qualidade essencial para ajudar a levantar os que caíram em pecado - Gálatas 6.1.
g) Qualidade essencial para podermos ensinar aos rebeldes - 2 Tm 2.23-25.

5) Atitudes negativas em quem não é manso:

a) Espírito obstinado e rebelde - 1 Sm 15.23.


b) Espírito de ansiedade - Fp 4.6.
c) Espírito irritado - Ef 4.30; Pv 14.17.
d) “INJUSTIÇA” !!! - Esta é a palavra mais falada e pensada por aqueles em quem falta à mansidão. Sempre
vive a reclamar os seus direitos. Há uma fórmula que sempre devemos lembrar:

2
Meus direitos = Deveres do outro.
Meus deveres = Direitos do outro.

Há muita bênção quando pensamos sós em nossos deveres; mas frustração quando pensamos sós em nossos
direitos.

6) AUTO-EXAME:

a) Quando alguém me maltrata, respondo procurando vingar-me ou respondo com mansidão?


b) Se alguma coisa de minha propriedade for usada sem minha permissão, e for danificada, como eu reajo: em
ira ou calma?
c) Se alguém me acusa, reajo defensivamente, revidando, ou entrego o caso àquele que julga retamente?
d) Quem é responsável para punir as pessoas que me caluniam?

7) Bênçãos da mansidão:

a) Poder para viver sobrenaturalmente pela fé.


b) Capacidade para se aproximar das promessas de Deus.
c) Vitória sobre a ira e a preocupação.
d) A principal qualidade de uma esposa bonita - 1 Pe 3.3,4.

8) PASSOS PARA RENUNCIAR AOS DIREITOS E ASSIM ADQUIRIR MANSIDÃO

1. Entregar a vida Jesus Cristo.


2. Tendo por base nosso relacionamento com Deus por meio de Cristo, me lembrar de que Deus está envolvido em
cada detalhe de minha vida para, por meio disso, aperfeiçoar o meu caráter (Rm 8.28,29; Lc 12.7). Baseados
nessa verdade, nunca podem dizer quando qualquer coisa nos acontece: “nesse acontecimento Deus não está
envolvido”. Está, sim!!!
3. Por isso, o passo seguinte é identificar todos os meus direitos que estão sendo negados e violados.
4. Se meu direito negado ou violado me irritou, encarar essa irritação como um sinal de que Deus está me pedindo
de que eu entregue a ele esse direito a ele.
5. Renunciar ao diabo que me enganou, levando-me a depender daquele direito como fonte de segurança, de
preenchimento de significado, e preenchimento de minha carência afetiva.
6. Em oração, transfira cada um dos direitos que estavam sendo negados, para Deus. Coloque todos os seus
direitos sobre o altar. Depois curve sua cabeça e diga a Deus que você está dando tudo a Ele, que Ele pode fazer
com os seus direitos como melhor lhe aprouver. Isto quer dizer que você não tem direito algum sobre os seus
próprios planos, vontades, bens, amigos, opiniões, reputação, etc. Todos os seus direitos pertencem agora a
Deus. Olha para Jesus na cruz. Ele fez assim.
7. Esperar que Deus teste essa entrega feita a Ele. Depois que cada direito tiver sido entregue a Deus, Ele permitirá
que ocorram situações em que esses direitos nos serão negados. Essa experiência virá para ver se o direito foi
realmente entregue. Se a ira ocorrer novamente, isso significa que tomei esse direito de volta. Será necessário
entregar mais uma vez cada direito a Deus.
8. Tome o propósito de agradecer a Deus, aconteça o que acontecer. Esse propósito é uma prova de confiança na
providência e soberania de Deus sobre minha vida.
9. Daqui por diante use a raiva como sistema de alarme. Quando a raiva surgir, diga logo: “Senhor, qual é o
direito que queres que eu te entregue?”?
10. Descobrir a reação de Deus quando “perdemos” nossos direitos, pois os entregamos a Ele. Quando abrimos
mão de um direito passamos a experimentar uma sensação de “perda” pessoal. É importante que a pessoa
reconheça: “Deus está operando seu propósito em minha vida”. Isso aconteceu com Jó quando disse: “O Senhor
o deu, e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor” - Jó 1.21.

Pr. Bruno Marquardt – E-mail: bruno.marquardt@terra.com.br

Você também pode gostar