Você está na página 1de 30

Conceitos básicos em redes de

computadores

APRESENTAÇÃO

As redes de computadores são indispensáveis ao funcionamento da maioria dos serviços


computacionais utilizados atualmente. Você provavelmente utiliza no seu cotidiano uma
aplicação em rede da internet. As soluções adotadas na internet para prover conectividade
dependem de determinados conjuntos de regras e formatos, chamados de protocolos.
Os protocolos da internet são a peça-chave para estabelecer conversações entre computadores
remotos. O funcionamento da internet depende desses protocolos e das soluções que organizam
esses protocolos em camadas para prover os serviços aos usuários da internet.

Nesta Unidade de Aprendizagem, você vai aprender sobre os principais conceitos associados às
redes de computadores, como a infraestrutura que provê serviços e aplicações aos seus usuários
e que é baseada no modelo fundamental de camadas.

Bons estudos.

Ao final desta Unidade de Aprendizagem, você deve apresentar os seguintes aprendizados:

• Identificar redes de computadores, protocolos e modelo de camadas.


• Reconhecer as classificações de redes de computadores.
• Descrever o modelo cliente-servidor e serviços oferecidos pelas redes.

DESAFIO

Todas as transmissões de dados na internet fazem uso de diversos tipos de protocolos, pois eles
são responsáveis por diferentes funções na comunicação. Um protocolo que você provavelmente
já utilizou é o HTTP (Hypertext Transfer Protocol), que define o formato e o tipo de mensagens
trocadas entre um navegador (como Chrome, Internet Explorer ou Firefox, para citar alguns) e o
servidor de páginas Web.
Suponha que você necessitou analisar essa comunicação; sua demanda de trabalho foi capturar
as mensagens trocadas entre esses dois dispositivos. Para isso, você utilizou o software
Wireshark, cujo resultado exibiu a tela mostrada abaixo:
As mensagens trocadas entre eles, de acordo com a captura, incluem mensagens do protocolo
HTTP e de outros protocolos.

Elabore um pequeno texto explicando ao seu chefe imediato que o resultado da coleta dos dados
sugere que, além do tráfego dos protocolos necessários para o acesso às páginas Web, existe o
tráfego de um protocolo de gerenciamento; diga que protocolo é esse e explique ao seu chefe a
importância dele na rede.

INFOGRÁFICO

Quando os primeiros computadores foram construídos, durante a segunda guerra mundial, eles
eram caros e isolados. No entanto, no início dos anos 1960, alguns pesquisadores publicaram, de
modo independente, os primeiros trabalhos descrevendo a ideia de construir redes de
computadores. Então, nos EUA foi criada a ARPANET, em 1969, que funcionou até meados
dos anos 1980.

Desse modo, muitas tecnologias de rede foram projetadas, e o número de dispositivos


interconectados pela internet continua a crescer.

Veja no Infográfico algumas terminologias de redes de computadores.


CONTEÚDO DO LIVRO

Como estudante ou profissional na área da Computação, ou até mesmo um simples curioso


sobre essa área, é relevante que você perceba quais conceitos, soluções e implementações
tornam possível a troca de dados entre os mais variados tipos de dispositivos potencialmente
dispersos em uma vasta área geográfica. Especificamente, para a escrita desse livro tomou-se
como referência a internet, pois ela é a grande rede, aquela que é mais conhecida e que, de fato,
é atualmente utilizada por todos no dia a dia.

No capítulo Conceitos básicos em redes de computadores, da obra Fundamentos de redes de


computadores, você terá uma visão dos principais protocolos da internet. Como a internet é uma
entidade com evolução muito rápida, a base didática desse livro concentra-se no modelo
fundamental de camadas.

Boa leitura.
FUNDAMENTOS DE
REDES DE
COMPUTADORES

Rejane Cunha Freitas


Conceitos básicos em
redes de computadores
Objetivos de aprendizagem
Ao final deste texto, você deve apresentar os seguintes aprendizados:

 Definir redes de computadores, protocolos e modelo de camadas.


 Identificar classificações de redes de computadores.
 Descrever o modelo cliente-servidor e serviços oferecidos pelas redes.

Introdução
Os protocolos de redes de computadores são elementos fundamentais
no contexto das arquiteturas de camadas de redes. As redes operam para
suportar as necessidades das empresas e pessoas que dependem delas.
Neste capítulo, você terá uma visão de alguns conceitos essenciais
sobre as redes de computadores e a internet. Para isso, vai ver como se
define redes de computadores, protocolos e modelo de camadas, vai
conhecer as diferentes classificações para essas redes de computadores
e vai aprender a descrever o modelo cliente-servidor e os serviços ofe-
recidos pelas redes.

Os protocolos e a arquitetura em camadas


em redes de computadores
A evolução dos sistemas de comunicações de voz (telégrafo, telefones con-
vencionais, telefones celulares) se uniu ao desenvolvimento dos sistemas de
informação, o que resultou no uso de redes de comunicação de dados para
interconectar vários sistemas computacionais (aqui chamados genericamente
de dispositivos). Desse modo, as redes de comunicação de dados permitem
comunicação e acesso a informações independentemente de localização física,
especialmente, em ambientes corporativos.
2 Conceitos básicos em redes de computadores

A internet é a rede mundial de comunicação de dados e, inicialmente, foi


pensada para conectar computadores operados por diversas universidades
envolvidas em pesquisa militar. Contudo, a rede original cresceu, integrando
mais computadores e, depois, outras redes de computadores. Gradualmente,
as distinções entre as redes começaram a diminuir e a internet passou a ser
referenciada como a rede mundial de computadores. A Figura 1 ilustra o
crescimento em ritmo acelerado do número de dispositivos conectados à
internet, desde o início da década de 1990 até os dias atuais.

Figura 1. Número de dispositivos conectados à internet entre jan/94 e jan/19.


Fonte: Adaptada de Hosts ([2019]).

Com a possibilidade de serviços comerciais on-line, a conexão das em-


presas à internet passou a ter uma importância estratégica. Além disso, as
redes de computadores permitem conectividade e compartilhamento de
recursos e informações. Surpreendentemente, o desafio hoje está exatamente
na dificuldade em controlar e tirar proveito da quantidade de informações
recebidas diariamente.
Equipamentos de interconexão específicos são necessários para trans-
missão de dados em maiores distâncias e velocidades de transmissão.
Esses enlaces possuem características diversas quanto aos tipos de meios
físicos e equipamentos de interconexão. Kurose e Ross (2013) propõem a
Figura 2 para ilustrar os elementos constituintes da internet e permitem
entendê-la como uma rede de redes. Além disso, os autores destacam as
partes descritas a seguir.
Conceitos básicos em redes de computadores 3

 Dispositivos finais: situados nas extremidades (bordas) das redes.


 Núcleo: ilustrado pelo backbone mantido por provedores de serviço
internet (Internet Service Providers — ISP).
 Redes de acesso: os diferentes tipos de rede física que conectam os
dispositivos finais a equipamentos que possibilitarão sua interligação
com a internet.

Figura 2. A internet como uma rede de redes.


Fonte: Kurose e Ross (2013, p. 9).

No cenário mostrado na Figura 2, em que vários dispositivos estão conecta-


dos a uma rede de longo alcance, seria inviável conectar um dispositivo final,
diretamente, a outro dispositivo final, por causa do desperdício de recursos e
da dificuldade de manutenção da rede.
Como se observa, existem equipamentos mantidos pelos ISP que exercem
uma função de encaminhamento no núcleo dessas grandes redes. Alguns
4 Conceitos básicos em redes de computadores

desses equipamentos de comutação estão diretamente conectados aos dispo-


sitivos finais, e outros são utilizados para roteamento (nesse caso, chamados
roteadores).
Os protocolos são partes essenciais nas redes de computadores. Kurose e
Ross (2013), para explicar o papel dos protocolos nas redes de computadores,
fazem uma analogia dessas redes com a comunicação entre seres humanos. Os
autores explicam que existem mensagens e ações específicas esperadas quando
pessoas se comunicam, ou seja, as pessoas reagem de um modo esperado a
determinada mensagem recebida ou mesmo à falta dela.
A transmissão e recepção de mensagens e a realização de ações conven-
cionais, quando as mensagens são enviadas e recebidas, são essenciais na
comunicação. A violação de um protocolo dificultará a comunicação, podendo
torná-la completamente impossível. Portanto, um protocolo é basicamente um
acordo entre as partes que se comunicam, o que estabelece como se dará a
comunicação (TANENBAUM; WETHERALL, 2011).
Do mesmo modo, nas redes de computadores, os dispositivos necessitam
executar determinados ações e respeitar certas regras para que uma comu-
nicação aconteça. Assim, a troca de dados em uma rede de computadores
é regida por um protocolo de rede. Os protocolos existem para codificar e
transferir dados de um ponto para outro; para habilitar essa função, os pro-
tocolos podem ter que controlar o modo como os dados são encaminhados,
estabelecendo os caminhos que os dados seguem, o que significa, muitas vezes,
trocar informações de estado da rede. Por fim, os protocolos podem gerenciar
os recursos das redes e controlar seu desempenho. Veja alguns exemplos de
regras definidas pelos protocolos de rede:

 como a mensagem é formatada ou estruturada;


 como dispositivos de rede compartilham informações sobre rotas;
 como e quando mensagens de erro são passadas entre dispositivos;
 a configuração e o término das sessões de transferência de dados.

Para que os protocolos possam operar, precisam identificar a origem e o


destino das mensagens, pois os computadores necessitam de nomes e endereços
para se identificarem. Além disso, as mensagens de protocolos, de um modo
geral, são construídas como um cabeçalho seguido pelos dados (a informação
útil a ser transferida).
Todas as transmissões de dados na internet fazem uso de diferentes tipos de
protocolos, pois eles são responsáveis por diferentes funções na comunicação.
Como sabemos, uma rede de computadores interliga vários dispositivos. Além
Conceitos básicos em redes de computadores 5

disso, várias redes interligadas por dispositivos como rotadores formam uma
rede de redes, como é o caso da internet.
Dessa forma, nas redes de comunicação, foi necessário criar padrões que
garantissem a interligação e a interoperabilidade entre dispositivos de rede. Para
o desenvolvimento dos modelos de comunicação, a abordagem utilizada foi
dividir o processo de comunicação em camadas. A cada camada são associados
funções e serviços. O modelo em camadas tem duas principais vantagens:

 reduz a complexidade do processo de comunicação, pois dividir um


problema complexo em problemas menores permite chegar mais facil-
mente a uma solução;
 facilita o desenvolvimento de novos produtos ou a inclusão de novos
serviços em qualquer camada, sem ter que alterar as restantes.

Uma arquitetura de redes de computadores inclui um conjunto de proto-


colos que dá suporte à transmissão de dados. Numa arquitetura de camadas,
os protocolos possuem uma estruturação hierárquica entre si, porque cada
protocolo de nível superior é suportado por um ou mais protocolos de nível
inferior. O processo de adição de informações relativas aos serviços de cada
camada, chamado de encapsulamento, acontece no dispositivo que envia a
mensagem. O processo de retirada dessas informações, o desencapsulamento,
ocorre no dispositivo que recebe a mensagem.
O tipo de encapsulamento usado em uma determinada camada tem que
ser conhecido pelas camadas correspondentes, em todos os dispositivos que
participam da comunicação, o que é garantido com o uso do mesmo protocolo.
Portanto, cada uma das camadas do dispositivo de origem se comunica apenas
com a camada correspondente do dispositivo de destino, bem como com a
camada correspondente dos equipamentos de rede ao longo do caminho. As
interações entre camadas iguais são apenas lógicas, pois a comunicação real
ocorre pelo uso dos serviços de comunicação das camadas inferiores.
Uma arquitetura de redes em camadas tem duas principais características:
cada camada disponibiliza serviços à camada superior e cada camada se
comunica apenas com camadas correspondentes em outros dispositivos. Na
prática, quando uma camada recebe dados da camada superior, ela adiciona
informações de acordo com o serviço que realiza, implementado por protocolos.
O conjunto formado pelos dados e pelo cabeçalho em cada camada chama-se
PDU (Protocol Data Unit). Desse modo, nas camadas de aplicação, transporte,
rede e enlace, os PDU recebem nomes próprios, respectivamente: mensagem,
segmento, datagrama e quadro.
6 Conceitos básicos em redes de computadores

Roteadores são equipamentos usados para conectar redes. Por isso, o roteador possui
uma característica específica: buscar as melhores rotas para enviar e receber dados,
podendo escolher os melhores caminhos, a partir de diferentes critérios, como trans-
missões mais curtas ou menos congestionadas.

Classificação das redes de computadores


Para discutir as classificações de redes de computadores em relação à escala,
a seguir, será apresentada a diferença entre tipos de redes no que se refere à
distância geográfica dos seus dispositivos: redes locais (Local Area Network
— LAN), redes metropolitanas (Metropolitan Area Network — MAN) e redes
de longa distância (Wide Area Network — WAN).

Redes de longa distância


As redes de longa distância ou rede geograficamente distribuída (Wide Area
Network — WAN) abrangem com frequência um país ou continente. Nas
WAN, existem numerosas linhas de transmissão, todas conectadas a um par
de roteadores.
As redes de longa distância envolvem tanto os backbones que interligam a
internet quanto as linhas dedicadas que conectam um dispositivo doméstico
à internet. Forouzan (2008) se refere à primeira como WAN comutada e à
segunda como WAN ponto a ponto. A WAN comutada conecta dispositivos
finais, equipamentos de conexão de rede, como roteadores, que se conectam
a outras WAN ou LAN. A WAN ponto a ponto refere-se a uma linha alugada
de uma companhia telefônica, por exemplo, que conecta dispositivos de casa
ou de uma rede local a um provedor de serviço da internet. As tecnologias de
redes WAN têm evoluído no sentido de aumento das taxas de transmissão,
redução de atrasos e perdas de dados.

Redes metropolitanas
Uma rede metropolitana (Metropolitan Area Network — MAN) abrange uma
cidade ou região metropolitana. O exemplo mais conhecido de uma MAN é a
Conceitos básicos em redes de computadores 7

rede de televisão a cabo disponível em muitas cidades. Além disso, a evolução


das redes MAN ocasionou o desenvolvimento de tecnologias padronizadas,
pelo Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), por exemplo,
para MAN cabeadas e sem fio.

Redes locais
Uma rede local (Local Area Network — LAN) conecta alguns dispositivos
em um único escritório, prédio ou campus. Uma LAN, caracteristicamente,
consiste em uma propriedade privada e pode tanto interligar alguns dispositivos
e uma impressora em uma residência quanto pode interligar dispositivos em
uma empresa. Cada dispositivo em uma rede local possui um endereço, que
identifica esse dispositivo de forma única, e uma placa, também chamada placa
de interface de rede (Network Interface Card — NIC), a parte eletrônica que
faz a conversão de sinal e as operações de protocolos necessárias que permitem
que o dispositivo envie e receba dados pela rede.
As propriedades geralmente associadas às LAN são baixos atrasos de
transmissão, altas taxas de transmissão, alcance geográfico e número de
dispositivos limitados. Contudo, o significado de termos como baixo, alto e
limitado é relativo e muda com o tempo.
Outro aspecto em relação às redes locais são as decisões de projeto,
especialmente, componentes como servidores, sistemas operacionais, ca-
beamento, equipamentos de interligação, bem como aspectos relacionados
a suporte, manutenção e segurança, que podem ser decisivos no que se
refere ao custo e ao desempenho da LAN. Algumas empresas veem na
aquisição de equipamentos uma desvantagem e, por isso, preferem alugar
equipamentos, contratar terceiros para manter seus serviços ou para suporte
e manutenção.
As redes locais evoluíram com o tempo em relação à sua topologia física.
O primeiro projeto físico de LAN que se tornou amplamente disponível no
mercado foi a rede em barramento. O barramento, essencialmente, consiste em
um cabo compartilhado ao qual todos os dispositivos são conectados. Desse
modo, quando um dispositivo transmite pelo barramento, todos os outros
conectados a esse cabo recebem o sinal transmitido, o destinatário correto
armazena esses sinais e os outros dispositivos os descartam. Tanenbaum
(2003) define esse modo de transmissão como difusão. À medida que um
sinal trafega ao longo de um cabo, sua energia é dissipada e o sinal se torna
mais fraco conforme vai se propagando para os pontos mais distantes. Por
8 Conceitos básicos em redes de computadores

isso, existe uma distância e um número de dispositivos limitados que um


barramento é capaz de suportar. A Figura 3 ilustra a topologia barramento
conectando três dispositivos.

Figura 3. Três dispositivos conectados na topologia em barramento.


Fonte: Adaptada de Forouzan (2008).

As redes de barramento são, relativamente, fáceis de instalar, e apenas


o cabo é estendido ao longo de toda a instalação. Normalmente, um barra-
mento é projetado para ter a máxima eficiência na instalação. Entretanto,
essas redes compartilham duas grandes desvantagens, a dificuldade de
reconfiguração e o isolamento de falhas. Em geral, é difícil acrescentar um
novo dispositivo de trabalho se nenhuma derivação existir no momento.
A derivação é responsável pela conexão do dispositivo ao cabo e, para sua
instalação, o cabo tem de ser modificado ou substituído, o que interrompe o
tráfego na rede. Como é difícil prever antecipadamente onde os dispositivos
serão adicionados, as redes de barramentos perderam a popularidade e, hoje,
praticamente, não existem mais.
A topologia de anel foi também utilizada para redes locais. Nesse tipo de
rede, o sinal percorre todo o anel em um sentido, passando de dispositivo em
dispositivo, até atingir o destino. Trata-se de um sistema de difusão do sinal.
Cada dispositivo no anel possui um repetidor que regenera o sinal e o passa
adiante, caso o destinatário do sinal seja para outro dispositivo, ou processa
o sinal, caso ele próprio seja o destinatário.
Um anel tem a vantagem de fácil instalação e reconfiguração, pois cada
dispositivo é ligado apenas a seu vizinho; desse modo, adicionar ou desconec-
tar dispositivo implica uma alteração em apenas duas conexões. Contudo, a
topologia em anel possui limitações quanto ao comprimento máximo do anel
e à quantidade de dispositivo.
Conceitos básicos em redes de computadores 9

Outro problema é que um anel unidirecional pode incorrer em uma


interrupção do funcionamento da rede caso um dispositivo fique inope-
rante. Uma forma de resolver esse problema é empregar um anel duplo.
Entretanto, a necessidade de redes locais mais rápidas tornou as redes em
anel pouco adotadas. A Figura 4 ilustra a topologia em anel conectando
seis dispositivos.

Figura 4. Seis dispositivos conectados na topologia em anel.


Fonte: Adaptada de Forouzan (2008).

Hoje em dia, a maioria das redes locais usa um mecanismo de conexão,


por meio de um concentrador, mais comumente, um switch, que é capaz de
reconhecer o endereço de destino dos dados e encaminhá-los ao destino sem
enviá-los a todos os outros dispositivos. O switch permite que mais de um
par de dispositivos se comunique um com o outro ao mesmo tempo caso não
haja um transmissor ou destinatário em comum entre cada par. Por isso, esse
modo de transmissão é chamado ponto a ponto em uma configuração de rede
local com topologia estrela.
Na topologia estrela, cada dispositivo precisa de um link e uma porta para
se conectar a outros dispositivos. Essa organização facilita a instalação e a
reconfiguração, pois cada acréscimo ou eliminação de novos dispositivos
envolve apenas a conexão entre o dispositivo e o switch. Além disso, essa
topologia possui robustez, pois, se um link falhar, apenas ele será afetado,
o que facilita o isolamento de falhas. Contudo, essa topologia tem uma
dependência do concentrador como único ponto de falha. Ainda assim, as
10 Conceitos básicos em redes de computadores

redes em estrela são amplamente usadas atualmente e conseguiram evoluir


em termos de taxa de transmissão. A Figura 5 ilustra a topologia estrela
conectando quatro dispositivos.

Figura 5. Quatro dispositivos conectados na topologia em estrela.


Fonte: Adaptada de Forouzan (2008).

Recentemente, é comum que uma organização tenha uma internet privada,


com redes LAN e WAN interconectadas. Por exemplo, uma empresa pode
ter uma sede na cidade de São Paulo e uma filial na cidade de Fortaleza
(Figura 6).

Figura 6. Internet privada formada por duas LAN e uma WAN ponto a ponto.
Fonte: Adaptada de Forouzan (2008).

Cada sede tem uma LAN que permite que os colaboradores ali alocados
se comuniquem. Para que a comunicação entre colaboradores de diferentes
cidades seja possível, os gestores decidem alugar uma WAN dedicada ponto
a ponto de um provedor de serviço, de uma empresa telefônica, que conecta
as duas LAN. A comunicação entre colaboradores alocados nas diferentes
sedes da empresa agora é possível.
Conceitos básicos em redes de computadores 11

Viste o site Networking Academy da Cisco, que disponibiliza alguns materiais para
estudantes na área de redes de computadores.

https://qrgo.page.link/bmMz1

O modelo cliente-servidor e os serviços


oferecidos pelas redes
Dentre os diversos dispositivos que fazem parte da internet, estão os servidores,
que armazenam e transmitem informações, como páginas web e mensagens
de e-mail. Por outro lado, outros diversos dispositivos se conectam à inter-
net, como TVs, consoles de jogos, telefone celulares, webcams, automóveis,
sensores, dentre outros.
Desse modo, é possível descrever a internet como uma infraestrutura que
provê serviços que necessitam de troca de informações mútuas entre seus
dispositivos, os quais executam softwares aplicativos. Tais softwares aplica-
tivos, do ponto de vista dos profissionais que os desenvolvem, possuem uma
arquitetura, como, por exemplo, a chamada cliente-servidor.
Em um modelo cliente-servidor, há um dispositivo que está sempre fun-
cionando, denominado servidor, que atende às requisições de muitos outros
dispositivos, chamados clientes, os quais podem funcionar de modo intermi-
tente inclusive. Desse modo, quando um servidor recebe uma requisição de um
cliente, ele responde atendendo à requisição feita. Nessa arquitetura, os lados
clientes da aplicação não se comunicam diretamente uns com os outros. Além
disso, idealmente, o servidor deve ter endereço fixo e bem conhecido — no
caso da internet, esse endereço é o IP.

Confira este vídeo e entenda como a Internet funciona. A parte 1 apresenta o Protocolo
IP, a principal base tecnológica da rede.

https://qrgo.page.link/n38nV
12 Conceitos básicos em redes de computadores

Uma arquitetura de aplicação diferente do modelo cliente-servidor é a


arquitetura P2P (peer-to-peer). Nesse caso, a aplicação define a comunicação
direta entre os dois lados comunicantes, sem passar por um servidor.
No caso de ambientes corporativos, alguns serviços, como gerenciamentos
de arquivos, acesso a bancos de dados, gerenciamento de impressões, trans-
ferência de e-mail, controle e monitoramento dos programas em execução,
dentre outros, são baseados em aplicações cliente-servidor.
Em uma rede local, por exemplo, pode-se realizar o gerenciamento de
arquivos ao conectar dispositivos a unidades com grande capacidade de ar-
mazenamento que atuam como servidores de arquivo. Em uma rede local,
também pode ser oferecido um serviço de impressão. O software de rede local,
chamado servidor de impressão, fornece serviço de impressão (coloca na
fila trabalhos de impressão, imprime folhas) aos dispositivos ou usuários com
autorização de acesso a impressoras.
As redes locais podem ainda disponibilizar serviço de envio e recepção
de e-mail, que pode operar tanto na rede local quanto entre a rede local e a
internet. Uma rede local pode fazer a interface com outras redes locais, com
redes de longa distância, como a internet.
Em geral, as redes locais se conectam a provedores de serviço para se
conectarem à internet. Em um cenário assim, podemos questionar: como todos
esses dispositivos com funcionalidades distintas, produzidos por diferentes
fabricantes conseguem se comunicar através de redes com tecnologias tão
diferentes? A resposta está na criação de padrões, que são seguidos pelos
fabricantes de produtos e soluções.
Os padrões são essenciais na garantia de interoperabilidade nacional
e internacional de dados e de tecnologia de telecomunicação e proces-
sos. Além disso, permitem criar um mercado aberto e competitivo para
fabricantes de equipamentos. Forouzan (2008) explica que os padrões de
comunicação de dados são divididos em duas categorias: padrões de facto
(por convenção), que foram adotados pelo mercado pelo seu amplo uso, e
de jure (por direito), que foram regulamentados por um órgão oficialmente
reconhecido.
As principais organizações que estabelecem padrões são, em geral, or-
ganizadas em comitês de padrões, dentre os quais destacam-se nas redes de
computadores os listados a seguir.
Conceitos básicos em redes de computadores 13

 ISO (International Organization for Standardization): organização


voluntária independente que produz e publica padrões para uma vasta
gama de assuntos.
 IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers): a maior or-
ganização profissional do mundo. Além de publicar vários jornais e
de realizar conferências anuais, conta com grupos de trabalho que
desenvolvem padrões nas áreas de engenharia elétrica e informática.
 IETF (Internet Engineering Task Force): está estruturada em grupos
que tratam de questões relacionadas à internet. Conta com um processo
formal de padronização, em que, para se tornar um padrão, uma ideia
deve ser explicada em uma RFC (Request For Comments); a partir disso,
essa ideia será avaliada e poderá ganhar o status de padrão.
 ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers):
esta corporação, sem fins lucrativos, controla os números de redes IP
distribuídos pelo mundo com o objetivo de evitar conflitos.

Padrões são regras pré-acordadas essenciais na manutenção de um mercado aberto


para fabricantes de equipamentos e para a interoperabilidade de dados.

Um serviço que você provavelmente já utilizou é o acesso a páginas web, que usa o
protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol) para definir o formato e o tipo de mensagens
trocadas entre um navegador (como o Chrome, Internet Explorer ou Firefox, para citar
alguns), que é o lado cliente dessa aplicação, e o servidor de páginas web, que é o
lado servidor dessa aplicação.
14 Conceitos básicos em redes de computadores

FOROUZAN, B. A. Comunicação de dados e redes de computadores. 4. ed. São Paulo:


McGraw-Hill, 2008.
HOSTS. Internet System Consortium, [s. I.], [2019?]. Largura: 403 pixels. Altura: 273 pixels.
Formato: PNG. Disponível em: https://downloads.isc.org/www/survey/reports/hosts.
png. Acesso em 18 jun. 2019.
KUROSE, J. F.; ROSS, K. W. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down.
6. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.
TANENBAUM, A. S. Redes de computadores. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.
TANENBAUM, A. S.; WETHERALL, D. Redes de computadores. 5. ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2011.

Leitura recomendada
FOROUZAN, B. A. Redes de computadores: uma abordagem top-down. Porto Alegre:
AMGH, 2013.
DICA DO PROFESSOR

Existem softwares, chamados de utilitários, que dão suporte às funções de configuração e


verificação das redes de computadores. Para dar suporte à rede local e ao seu sistema
operacional, há uma ampla variedade de utilitários disponíveis. Muitos desses
programas vêm integrados ao sistema operacional, como é o caso do ipconfig, ping e traceroute.

Na Dica do Professor, você vai conhecer um pouco mais dessas ferramentas, tendo como base
exemplos em um sistema operacional Windows.

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!

EXERCÍCIOS

1) O termo topologia física se refere à maneira pela qual uma rede é organizada
fisicamente. De maneira geral, pode-se dizer que dois ou mais dispositivos se
conectam a um link e que dois ou mais links, por sua vez, formam uma topologia.
Existem, para redes locais, três topologias básicas possíveis: estrela, barramento e
anel. A respeito das principais vantagens de cada uma dessas topologias, assinale a
alternativa correta:

A) Na topologia em estrela, cada dispositivo possui um link ponto a ponto dedicado com cada
um dos demais dispositivos. Em uma topologia anel, o isolamento de falhas é uma ação
difícil.

B) Na topologia barramento, uma falha ou ruptura no cabo de backbone não compromete a


transmissão dos demais dispositivos. Em uma topologia anel, o isolamento de falhas é uma
ação difícil.

C) Na topologia em estrela, cada dispositivo possui um link ponto a ponto dedicado com cada
um dos demais dispositivos. Na topologia barramento, uma falha ou ruptura no cabo de
backbone não compromete a transmissão dos demais dispositivos.
D) Na topologia em estrela, cada dispositivo precisa de apenas um link e uma porta do
equipamento central para conectar-se a um número qualquer de outro dispositivo. Em uma
topologia anel, cada dispositivo é ligado aos seus vizinhos imediatos; acrescentar ou
eliminar um dispositivo exige apenas a mudança de duas conexões.

E) Na topologia em estrela, cada dispositivo precisa de apenas um link e uma porta do


equipamento central para conectar-se a um número qualquer de outro dispositivo. Em uma
topologia anel, o isolamento de falhas é uma ação difícil.

2) O hardware e o software de rede que implementam os protocolos são organizados em


camadas. Cada camada oferece serviços à camada imediatamente acima. Nessa
afirmação foram sublinhados termos que representam conceitos-chave no âmbito das
redes de computadores. A respeito da organização em camadas, também chamada de
arquitetura de redes em camadas, assinale a alternativa correta:

1.

A) A arquitetura de redes em camadas tem como principal característica que cada camada
disponibiliza serviços à camada inferior e cada camada se comunica apenas com camadas
correspondentes em outros dispositivos.

B) A arquitetura de redes em camadas tem como característica que cada camada disponibiliza
serviços à camada superior. Além disso, cada camada se comunica com quaisquer camadas
correspondentes em outros dispositivos.

C) A arquitetura de redes em camadas tem como característica que cada camada disponibiliza
serviços à camada superior. Na prática, quando uma camada recebe dados da camada
superior, ela retira informações de acordo com o serviço que realiza, implementado por
protocolos.

D) A arquitetura de redes em camadas tem como característica que cada camada se comunica
apenas com camadas correspondentes em outros dispositivos. Na prática, quando uma
camada recebe dados da camada superior, ela retira informações de acordo com o serviço
que realiza, implementado por protocolos.

E) A arquitetura de redes em camadas tem como característica que cada camada se comunica
apenas com camadas correspondentes em outros dispositivos. Na prática, quando uma
camada recebe dados da camada superior, ela adiciona informações de acordo com o
serviço que realiza, implementado por protocolos.

3) Hoje em dia, quando se fala de rede, refere-se a três categorias principais: redes
locais (LAN), redes de abrangência metropolitana (MAN) e redes de ampla
abrangência, geograficamente distribuídas (WAN). Essa categorização é determinada
pelo tamanho da rede. A respeito das características específicas dessas categorias, é
correto afirmar que:

A) Uma linha discada que conecta um computador doméstico à internet é um exemplo de


LAN.

B) LAN é uma rede composta por dispositivos pertencentes a diferentes empresas.

C) A rede de TV a cabo é um exemplo de rede de abrangência metropolitana.

D) Um computador ligado ao teclado e mouse é exemplo de LAN.

E) Rede Ethernet e rede ATM são exemplos de tecnologia de rede WAN.

4) No jargão dos sistemas operacionais, a internet possibilita comunicação entre


processos. Nesse caso, um processo pode ser explicado como um programa
executando dentro de um dispositivo conectado à Internet. Um processo em um
dispositivo local, chamado cliente, precisa de serviços de um processo que,
normalmente, está no dispositivo remoto, chamado servidor. Sobre arquitetura de
aplicação do tipo cliente-servidor, marque a alternativa correta:
A) Na arquitetura cliente-servidor, o lado cliente está sempre em funcionamento para executar
os serviços.

B) Na aplicação Web, as requisições de browsers são enviadas diretamente para outros


browsers.

C) Uma característica importante de um servidor é que seu endereço seja fixo e bem
conhecido.

D) Google, YouTube, Yahoo Mail e BitTorrent são exemplos de aplicações cliente-servidor.

E) Em uma aplicação cliente-servidor, o processo cliente ora solicita, ora fornece serviços a
outros processos.

5) Dois dispositivos em uma rede de computadores não podem simplesmente enviar


fluxos de bits quaisquer um para o outro e esperar que sejam compreendidos. Um
protocolo é basicamente um acordo entre as partes que se comunicam, que estabelece
como se dará a comunicação. Um protocolo de rede define o que é comunicado e
como isso é comunicado, ou seja, define a sintaxe e a semântica dos protocolos de
redes. Qual das alternativas a seguir trata exclusivamente de regras definidas por
protocolos nas redes de computadores?

A) Exemplos de regras definidas por protocolos de redes: como dispositivos de rede


compartilham informações sobre rotas; como escolher o provedor de serviço para a troca
de mensagens entre um navegador e o servidor Web; como escolher o melhor sistema
operacional para uma rede local.

B) Exemplos de regras definidas por protocolos de redes: como e quando mensagens de erro
são passadas entre dispositivos: como corrigir e punir ações de usuários mal-
intencionados; quando retransmitir mensagens.

C) Exemplos de regras definidas por protocolos de redes: como a mensagem é formatada ou


estruturada; como dispositivos de rede compartilham informações sobre rotas; como e
quando mensagens de erro são passadas entre dispositivos.

D) Exemplos de regras definidas por protocolos de redes: como dispositivos de rede


compartilham informações sobre rotas; como escolher o provedor de serviço para a troca
de mensagens entre um navegador e o servidor Web; como escolher o melhor sistema
operacional para uma rede local.

E) Exemplos de regras definidas por protocolos de redes: como a mensagem é formatada ou


estruturada; quando retransmitir mensagens; como corrigir e punir ações de usuários mal-
intencionados.

NA PRÁTICA

No modelo cliente-servidor, parte do serviço oferecido à rede reside no dispositivo cliente.


Contudo, a parte principal executa em um servidor de rede. Mais precisamente, o servidor de
rede é o dispositivo que armazena recursos de software, como o sistema operacional,
aplicações, programas, conjuntos de dados e bancos de dados, além de permitir ou negar que
outros dispositivos acessem esses recursos.

Neste Na Prática, você vai examinar o caso da administradora de rede Nathalia, que necessita
analisar diferentes sistemas operacionais para dispositivos servidores e alguns aspectos
associados a eles, como: custo, desempenho e facilidade de uso.
SAIBA MAIS

Para ampliar o seu conhecimento a respeito desse assunto, veja abaixo as sugestões do
professor:

Como funciona a internet? Parte 1: O protocolo IP

Confira esse vídeo e entenda como a Internet funciona. A parte 1 apresenta o Protocolo IP, a
principal base tecnológica da rede.

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!

Comunicação de dados e redes de computadores

Leia o item 1.4, sobre protocolos e padrões, e conheça as principais entidades definidoras dos
padrões que regem as redes de computadores. Padrões são regras pré-acordadas essenciais na
manutenção de um mercado aberto para fabricantes de equipamentos e para a interoperabilidade
de dados.

Academia para formação de profissionais Cisco

Viste o site Networking Academy da Cisco, que disponibiliza alguns materiais para estudantes
na área de Redes de Computadores.

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!