Você está na página 1de 17

Escola Básica e Secundária de Santa Maria

NAV Santa Maria Açores

Relatório
Teoria de redes de computadores

Joana Micaela Borges Sousa

Fábio Figueiredo Chaves

Orientadores:

Sr. Prof. Henrique Botelho Sr. Alexandre Silva


Escola Básica e Secundária de Santa Maria NAV Santa Maria Açores
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Índice
Introdução ................................................................................................................................. 4
Redes de Computadores ...................................................................................................... 5
Tipos de redes de computadores ..................................................................................... 5
Quanto à sua distância ou distribuição geográfica ................................................ 5
LAN (Local Area Network) ........................................................................................... 5
CAMPUS (CAMPUS Network) ...................................................................................... 5
MAN (Metropolitan Area Network) ........................................................................... 5
WAN (Wide Area Network) ......................................................................................... 6
Componentes de interligação de redes .......................................................................... 6
Repetidor ........................................................................................................................... 6
Hub ....................................................................................................................................... 6
Switch ................................................................................................................................. 6
Switch Layer 3 ................................................................................................................. 7
Switch Layer 4 ................................................................................................................. 7
Bridge .................................................................................................................................. 7
Router ................................................................................................................................. 8
Gateway ............................................................................................................................. 8
Transmissão por difusão e ponto a ponto..................................................................... 8
Transmissão por difusão .................................................................................................. 8
Transmissão ponto a ponto (Unicast)......................................................................... 8
Tipologias ................................................................................................................................... 8
Tipologias físicas ................................................................................................................. 9
Malha (Mesh).................................................................................................................... 9
Anel (Ring) ........................................................................................................................ 9
Barramento (Bus) ........................................................................................................... 9
Estrela (Star).................................................................................................................... 9
Tipologias lógicas ................................................................................................................ 9
Tipologia lógica em barramento ............................................................................... 9
Tipologia lógica em anel .............................................................................................. 9
Modelo OSI.............................................................................................................................. 10

Página | 2
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

1º Camada física ........................................................................................................... 10


2º Ligação de dados .................................................................................................... 10
3º Rede............................................................................................................................. 10
4º Transporte ................................................................................................................. 10
5º Sessão......................................................................................................................... 10
6º Apresentação............................................................................................................ 10
7º Aplicação .................................................................................................................... 10
TCP/IP ....................................................................................................................................... 11
Modelo TCP/IP........................................................................................................................ 11
Camada de aplicação ...................................................................................................... 11
SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) .................................................................. 11
DNS (Domain Name System) .................................................................................. 11
HTTP (Hiper Text Transfer Protocol) ..................................................................... 11
FTP (File Transfer Protocol) ...................................................................................... 11
Telnet (Tel’net) .............................................................................................................. 11
Números dos portos TCP e UDP .................................................................................. 12
Camada de transporte ........................................................................................................ 12
Camada de Internet ............................................................................................................ 12
Camada de rede .................................................................................................................... 13
O protocolo IP (endereçamento IP) .............................................................................. 13
Físico (MAC) .................................................................................................................... 13
Lógico ................................................................................................................................ 13
Endereços IP ........................................................................................................................... 13
Funções do NetworkID ................................................................................................... 13
Restrições do NetworkID ........................................................................................... 13
Funções do HOSTID......................................................................................................... 13
Restrições do HostID ................................................................................................... 13
IP estático ........................................................................................................................ 15
IP dinâmico ..................................................................................................................... 15
Máscara de rede .................................................................................................................... 15
O protocolo TCP (Transmissão de dados) ................................................................... 15
Conclusão ................................................................................................................................ 16
Bibliografia .............................................................................................................................. 17

Página | 3
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Introdução

No âmbito do estágio decorrente na NAV do Curso Tecnológico de


Informática do ano lectivo 2010/2011, da turma C do 12ºAno, foi-nos proposto um
trabalho de pesquisa sobre teoria de redes de computadores, para o efeito de
estudo mais aprofundado sobre estas com o objectivo de adquirirmos mais
conhecimentos.

Desta forma os conteúdos que iremos abordar serão destacados


principalmente pelas redes de computadores, os vários tipos de redes de
computadores, os componentes de interligação de redes, transmissão por difusão e
ponto a ponto, tipologias lógicas e físicas, modelo OSI da ISO, TCP/IP, modelo
TCP/IP, protocolo IP, máscara de rede e protocolo TCP. Assim esperamos atingir os
nossos objectivos, tais como os do nosso monitor.

Página | 4
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Redes de Computadores

Uma rede é um ou mais computadores ligados entre si, por meios


electrónicos, com o objectivo de trocar informação de forma rápida e fácil,
permitindo aos utilizadores a partilha de equipamentos e de recursos (aplicações,
ferramentas de comunicação, base de dados…).

Tipos de redes de computadores

Quanto à sua distância ou distribuição geográfica

Quanto à distribuição geográfica podemos separar as redes informáticas nos


seguintes tipos:

LAN (Local Area Network)

Rede de área local.

A distância máxima deste tipo de rede não ultrapassa algumas centenas de


metros e encontra-se, geralmente, no interior de um edifício.

CAMPUS (CAMPUS Network)

Rede CAMPUS.

É uma rede informática que interliga vários edifícios de uma organização


concentrados numa determinada área. Cada edifício pode ter uma ou mais redes.

MAN (Metropolitan Area Network)

Rede de área metropolitana.

É uma rede informática que interliga uma grande cidade, como é o caso da
conexão de organizações que tem edifícios espalhados por diferentes pontos de
uma cidade.

Página | 5
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

WAN (Wide Area Network)

Rede de área alargada.

Este tipo de rede interliga regiões, países ou mesmo todo o planeta. A


Internet é um exemplo prático de uma rede WAN.

Componentes de interligação de redes

Para ligação de redes locais ou alargadas são utilizados dispositivos de


interligação. Estes dispositivos são os seguintes:

Repetidor
Estes aparelhos amplificam o sinal ao longo da rede, permitindo a ampliação
da abrangência da rede. Ao troço entre repetidores chama-se segmento. Os
repetidores não efectuam nenhuma mudança na informação que recebem nem
analisam endereços, apenas os repetem.

Hub
Um Hub é um dispositivo de rede que serve para interligar diversos
computadores quando a tipologia física utilizada é em estrela. De cada computador
individual sai um cabo que é ligado a uma ficha do hub. Se houver um problema
num cabo ou numa ficha, somente aquele computador é que deixa de comunicar.

Tecnicamente, existem dois tipos de hub:

Hub passivo - que concentra as ligações da estrela sem fazer amplificação dos
sinais envolvidos nas transmissões.

Hub activo – concentra as ligações da estrela e faz o papel de repetidor


amplificando os sinais.

Internamente, um hub tem uma tipologia lógica em barramento, isto é, os


dados enviados por um computador são transmitidos para todos. Caso dois
computadores estejam a comunicar não é possível comunicar no mesmo instante
com outros dois computadores, visto que o interior do hub funciona em barramento
(bus) que é partilhado por todos os computadores.

Switch
O switch tem a mesma função de um hub, mas o funcionamento interno é
diferente. A ligação interna não é em barramento, mas em ‘comutar portas’, isto é,
se dois computadores estiverem a comunicar, as duas portas comutam e
interligam-se de modo que os outros computadores possam também comunicar em
simultâneo, isto porque a ligação é realizada entre dois pontos.

Página | 6
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores
Existem ainda switches designados por virtual switch, que tem a
funcionalidade de criar redes distintas dentro do mesmo swicth, para que os
computadores de uma parte da rede não tenham acesso à outra. Este tipo de
switch é configurável.

Switch Layer 3
São Switches que além das funções tradicionais da camada 2, incorporam
algumas funções de routing, como por exemplo a determinação do caminho de
repasse baseado em informações de camada de rede (camada 3), validação da
integridade do cabeçalho da camada 3 por checksum, e suporte aos protocolos de
routing tradicionais (RIP, OSPF).

Os Switches de camada 3 suportam também a definição de redes virtuais


(VLAN’s), e possibilitam a comunicação entre as diversas VLAN’s, sem a
necessidade de se utilizar um router externo.

Por permitir a interligação de segmentos de diferentes domínios de


broadcast, os switches de camada 3 são particularmente recomendados para a
segmentação de LAN’s muito grandes, onde a simples utilização de Switches de
camada 2 provocaria uma perda de eficiência da LAN, devido à quantidade
excessiva de Broadcast.

Pode-se afirmar que a implementação típica de um switch de camada 3 é


mais escalável que um router, pois este último utiliza as técnicas de routing a nível
3 e repasse a nível 2 como complementos, enquanto que os Switches sobrepõem a
função de routing, aplicando-o onde se mostrar necessário.

Switch Layer 4
Estão no mercado à pouco tempo, e geram uma controvérsia quanto à
adequada classificação destes equipamentos. São muitas vezes chamados de Layer
3+ (Layer 3 Plus).

Basicamente incorpora as funcionalidades de um switch de camada 3,tem


como habilidade de se implementar a aplicação de políticas e filtros a partir de
informações de camada 4 ou superiores, como portas TCP e UDP, ou SNMP, FTP,
etc.

Bridge
Estes equipamentos permitem interligar dois ou mais segmentos de LAN
passando a chamar-se bridged LAN. Uma Bridge transfere a informação de um
segmento para outro. Quando a bridge recebe uma mensagem de um segmento
concluí, após a análise do endereço físico do destinatário, que se encontra noutro
segmento, e efectua a transferência entre segmentos. Caso contrário não procede a
qualquer transferência.

A bridge funciona como um filtro, permitindo a separação de tráfego entre


dois segmentos, evitando a propagação de informação sem interesse para outros
segmentos.

Página | 7
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Router
É um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos, a
comunicação entre diferentes redes de computadores promovendo a comunicação
entre computadores distantes entre si.

São dispositivos que operam na camada 3 do modelo OSI de referência. A


principal característica desses equipamentos é seleccionar a rota mais apropriada
para encaminhar os pacotes recebidos. Ou seja, escolher o melhor caminho
disponível na rede para um determinado destino.

Gateway
É um sistema de interligação de redes distintas. Pode ser implementada em
software, em hardware ou com combinação das duas. A gateway efectua a
conversão entre vários protocolos de transporte e de dados e, geralmente, é
adicionada a uma rede, pela sua capacidade de conversão.

Transmissão por difusão e ponto a ponto

Transmissão por difusão:

 Difusão selectiva (Multicast) – onde a informação é enviada


simultaneamente para um grupo de receptores bem definido.
 Difusão (Broadcast) – onde a informação é transmitida simultaneamente
para todos os receptores.

Transmissão ponto a ponto (Unicast)

Onde o envio da informação é do emissor para o receptor. Neste caso,


enviamos uma mensagem para o outro computador bem definido e só para esse.

Tipologias

O modo como os computadores se interligam fisicamente na rede e como os


dados circulam nessa mesma rede é definido por, respectivamente, tipologias
físicas e tipologias lógicas.

Página | 8
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Tipologias físicas

Malha (Mesh)
Numa tipologia em malha os computadores interligam-se entre si, ponto a
ponto, ou seja existem diversos caminhos para se chegar ao mesmo destino. É
criada uma malha de caminhos possíveis.

Anel (Ring)
Os sinais circulam dentro do anel e passam sequencialmente de computador
em computador. É utilizado em redes locais.

Barramento (Bus)
Interliga vários computadores por um único circuito.

Estrela (Star)
Todos os computadores e outros dispositivos são conectados a um
dispositivo de saída. É a mais utilizada nas redes locais, porque se um dos
cabos estiver com problemas a comunicação nesse computador é perdida
mas em compensação os restantes ficam a funcionar.

Tipologias lógicas

Tipologia lógica em barramento


Os dados dentro da rede com tipologia em barramento circulam em difusão.
Se um computador enviar dados toda a rede fica ocupada com esses sinais, desta
forma todos os outros computadores detectam que existem dados na rede, mas só
o computador a quem se destinam esses dados é que os recolhe. Se no momento
em que o computador está a enviar os dados para a rede e outro computador
começa a emitir dados ocorre uma colisão na rede, terminando a transferência de
dados.

Tipologia lógica em anel


Quando um computador transmite dados estes vão circular de computador
em computador. Um computador recebe os dados, e se estes não forem para ele,
ele transmiti-os novamente para outro computador, e assim sucessivamente até
encontrar o computador a que se destina os dados. Depois da recepção dos dados é
enviado uma mensagem para o computador emissor.

Página | 9
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Modelo OSI
O modelo OSI forneceu um conjunto de conceitos muito importantes, que serviram
de referência a todas as evoluções técnicas no domínio das redes de comunicação.
É um conjunto de protocolos abertos para o fabrico de equipamentos e
desenvolvimento de software destinados a funcionar em redes de computadores.

OSI (Open System Interconnection)

ISO (International Organization for Standardization)

Este modelo define-se em 7 camadas:

1º Camada física

Define as características do meio físico de transmissão da rede, conectores,


interfaces, codificação ou modelação de sinais.

2º Ligação de dados

Procede á montagem dos pacotes de dados no formato apropriado à sua


transmissão na rede; Controla o acesso aos meios físicos de transmissão e o fluxo
de pacotes entre os nós na rede; Faz o controlo de erros.

3º Rede

Estabelece um caminho através dos nós da rede ou interligação de rede.

4º Transporte

Controla o fluxo de informação recebida e transmitida, de forma a que os pacotes


das mensagens sejam entregues correctamente.

5º Sessão

Estabelece, mantém e coordena o intercâmbio de dados entre emissor e receptor


durante uma sessão de comunicação.

6º Apresentação

Contribuí para a codificação e descodificação de dados ao nível do seu formato


individual.

7º Aplicação

Estabelece um interface entre o Software de aplicação do utilizador e as camadas


inferiores.

Página | 10
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

TCP/IP
O protocolo TCP/IP é o protocolo mais utilizado actualmente nas redes
locais, devido à grande utilização deste protocolo na internet.

Uma das grandes vantagens deste protocolo é a possibilidade dos dados


poderem seguir caminhos distintos até ao seu destinatário independentemente do
tamanho da rede.

Modelo TCP/IP
A arquitectura do TCP/IP é desenvolvida em quatro camadas: aplicação,
transporte, internet e interface de redes.

Modelo OSI Modelo TCP/IP


7-Aplicação
6-Apresentação 1-Aplicação
5-Sessão
4-Transporte 2-Transporte
3-Rede 3-Internet
2-Ligação de Dados 4-Acesso à Rede
1-Física

Camada de aplicação
Corresponde às camadas 5, 6 e 7 do modelo OSI e faz a comunicação entre as
aplicações e o protocolo de transporte.

Os protocolos mais importantes que operam nesta camada são:

SMTP (Simple Mail Transfer Protocol)


Protocolo para enviar mensagens de e-mail entre utilizadores da Internet.

DNS (Domain Name System)


Consiste num serviço onde são armazenadas ligações entre endereços IP e
domínios.

HTTP (Hiper Text Transfer Protocol)


Protocolo da camada de aplicação do modelo OSI utilizado para transferência
de dados na World Wide Web.

FTP (File Transfer Protocol)


Protocolo de transferência de ficheiros na Internet.

Telnet (Tel’net)
Terminal emolution, programa de comunicação usado para ligar um
computador a um servidor remoto.

Página | 11
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores
A camada de aplicação comunica com a camada de transporte através de uma
porta. As portas são numeradas e as aplicações padrão usam sempre a mesma
porta. Através das portas é possível saber para que protocolos serão enviados
os dados para uma determinada aplicação.

Porta Protocolo Uso


21 FTP Transferência de arquivos
23 TELNET Login remoto
25 SMTP Correio electrónico
80 HTTP World Wide Web

Números dos portos TCP e UDP


Os números de portos têm as seguintes gamas de atribuição:

 Números abaixo de 1024 são considerados números de porto bem


conhecidos.
 Números acima de 1024 são números de porto atribuídos dinamicamente.
 Números de porto registados são para aplicações específicas de fabricantes.

Camada de transporte
É a camada equivalente à camada de transporte do modelo OSI, ou seja é
responsável pela transformação em pacotes dos dados recebidos pela camada de
aplicação e pelo seu envio para a camada de internet. Utiliza uma forma de
multiplexagem onde é possível transmitir, simultaneamente, dados de diferentes
aplicações.

Nesta camada operam dois protocolos: o TCP e a UDP.

Enquanto que, o protocolo UDP não verifica se o dado chegou ao seu


destino, para o protocolo TCP existe sempre a confirmação da chegada de todos os
pacotes enviados.

Camada de Internet
Corresponde no modelo OSI à camada de redes. Os protocolos que operam
nesta camada são: o IP (Internet Protocol), ICMP (Internet Control Message
Protocol), ARP (Address Resolution Protocol) e o RARP (Reverse Address Resolution
Protocol).

Na transmissão de dados, o pacote de dados recebido da camada TCP é dividido


em pacotes chamados datagramas, que são enviados para a camada de interface
com a rede, onde são transmitidos pelos cabos de rede através de quadros. Essa
camada é responsável pelo routing de pacotes, isto é, adiciona ao datagrama
informações sobre o caminho a percorrer.

Página | 12
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Camada de rede
Corresponde às camadas 1 e 2 do modelo OSI e é responsável por enviar o
datagrama recebido pela camada de internet em forma de quadro, através da rede.

O protocolo IP (endereçamento IP)


Protocolo IP foi desenvolvido com a intenção de permitir o routing de
pacotes; esta característica torna possível a interligação de diversas redes (como é
o caso da internet). Para permitir o routing, este protocolo utiliza um esquema de
endereçamento lógico denominado IP.

Existem dois tipos de endereçamento:

Físico (MAC)
Vem impresso nas placas de rede;

Lógico
Configurado pelo utilizador com um endereço IP.

Endereços IP
O endereço IP é constituído por 4 bytes (32 bits) representados na forma
decimal e separados por um ponto, no formato a.b.c.d. Cada dispositivo de uma
rede TCP/IP precisa de um único endereço IP para que o pacote de dados possa ser
entregue correctamente. Desta forma, ao utilizador um endereço de rede, este não
deverá ser coincidente com nenhum outro endereço já existente.

Funções do NetworkID
 O networkID identifica a rede;

Restrições do NetworkID
 O networkID não deve repetir-se em diferentes segmentos de uma rede,
mas todas as máquinas do mesmo segmento devem ser configuradas com o
mesmo networkID.
 O networkID também não pode ser configurado só com zeros ou só com
uns. O primeiro byte não pode ser superior a 223 e inferior a 0.

Funções do HOSTID
 O HostID identifica a máquina dentro da rede.

Restrições do HostID
 Um HostID tem de ser único em cada segmento de rede;
 Um HostID não pode ser composto só por uns e por zeros.

Página | 13
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Classe Endereços Estado


A 0.0.0.0 Reservado
1.0.0.0 até Disponível
125.0.0.0
127.0.0.0 Reservado,
rede Poopback

B 128.0.0.0 Reservado
128.1.0.0 até Disponível
191.254.0.0
191.255.0.0 Reservado
C 128.0.0.0 Reservado
128.1.0.0 até Disponível
191.254.0.0
191.255.0.0 Reservado
D 224.0.0.0 até Multicast
291.255.255.255
E 232.0.0.0 até Reservado
288.255.255.255

Nas redes são utilizados os endereços IP das classes A, B e C, tendo cada uma as
seguintes características:

Classe A – bits 0…7 identificam a rede, bits 8…31 identificam a máquina.

Cada endereço de classe A permite endereçar até 16 777 216 ( ) máquinas.

Classe B – bits 0…15 identificam a rede, bits 16…31 identificam a máquina.

Esse tipo de endereço permite endereçar até 65 536 ( ) máquinas numa rede.

Classe C – bits 0…23 identificam a rede, bits 24…31 identificam a máquina.

Este tipo de endereçamento permite endereçar até 256 ( ) máquinas.

Para perceber melhor, vejamos um exemplo de rede de classe C.

Nesse tipo de rede, os três primeiros octetos identificam a rede; quando


existir 256 endereços possíveis, distribuídos da seguinte forma:

Endereço 0 – endereço da rede;

Endereço 255 – endereço de broadcast, isto é, todas as máquinas da rede;

Endereço de 1…254 – endereço destinado a computadores da rede.

Classes de endereços

Classes IP Network ID Host ID


A A.B.C.D A B.C.D
B A.B.C.D A.B C.D
C A.B.C.D A.B.C D

Página | 14
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores
Limitações dos endereços (1º byte)

Classe A 1 a 126
Classe B 128 a 191
Classe C 192 a 223

Nº Máximo

Classes Nº Network Nº de Host


A -2 -2
B -2 -2
C -2 -2

Existem duas formas de configurar o endereço IP:

IP estático
IP atribuído manualmente.

IP dinâmico
IP atribuído automaticamente, através do DHCP (Dinamic Host Configuration
Protocol).

Desta forma, o administrador disponibiliza um espaço de endereços


possíveis, e cada cliente terá o software TCP/IP da sua interface de
rede configurados para requisitar um endereço por DHCP assim que a máquina
arranque. A alocação utiliza um mecanismo de aluguer do endereço,
caracterizado por um tempo de vida. Após a máquina se desligar, o tempo de
vida naturalmente irá expirar, e da próxima vez que o cliente se conectar, o
endereço provavelmente será outro.

Máscara de rede

A máscara de rede é um endereço de 4 bytes, onde os bits a 1


representam a parte do endereço IP que identificará a rede e os bits 0
informam a parte do endereço IP que será usado para configurar o endereço
da máquina.

O protocolo TCP (Transmissão de dados)


O protocolo TCP (Transport Control Protocol) é responsável pelo controlo do
fluxo de dados na rede; recebe os dados da camada de rede (IP) e ordena-os,
verificando se chegaram todos correctamente.

Página | 15
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Conclusão

Depois da elaboração deste trabalho podemos concluir que as redes


de comunicação são, actualmente, um meio importantíssimo para a
transmissão de informação. Todos os sistemas operativos actuais são
concebidos para trabalharem em ambiente network (rede de trabalho).

A Internet é um amplo sistema de comunicação que conecta muitas


redes de computadores. Existem várias formas e recursos de vários
equipamentos que podem ser interligados e compartilhados, mediante meios
de acesso, protocolos e requisitos de segurança.

Desta forma, esperamos ter atingido os objectivos propostos pelo


monitor Alexandre Silva.

Página | 16
11-03-2011
Escola Básica e Secundária de Santa Maria
NAV Santa Maria Açores

Bibliografia

Livro:

Sá, Paulo José; Carvalho, Rui; Silva, Correia, Teotónio. Tecnologias


Informáticas. Porto Editora 2007

Sites:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rede_de_computadores

http://pt.wikiversity.org/wiki/Introdu%C3%A7%C3%A3o_%C3%A0s_Redes_de_Computadores
/Defini%C3%A7%C3%B5es_das_Redes_de_Computadores

Página | 17
11-03-2011