Você está na página 1de 8

GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, Nº 22, pp.

31 - 38, 2007

O RACIOCÍNIO ESPACIAL NA ERA DAS TECNOLOGIAS


INFORMACIONAIS*

Valdenildo Pedro da Silva**

RESUMO:
No mundo contemporâneo, ou, mais precisamente, nesta era da informação instantânea e
simultânea, o raciocínio geográfico tem se destacado e, simultaneamente, se alterado por meio de
novos aspectos sociais e tecnológicos. O presente estudo foi realizado com dezenove docentes
atuantes em vários cursos de formação de professor de geografia de instituições públicas e privadas
de diversas regiões do Brasil. Esses docentes têm utilizado as novas tecnologias e/ou pesquisado
e produzido trabalhos a respeito delas no ensino de geografia. Diante disso, perseguimos o estudo
na busca de se responder a seguinte indagação: novas tecnologias e raciocínio espacial: mas o
que isso tem a ver? As tecnologias atuais, como veículos de informações, não têm a finalidade de
desenvolver o “saber pensar o espaço” ou de realizar o “raciocínio espacial”, mas mesmo sem essa
finalidade as pessoas aprendem geografia, pensam com a mediação dessas tecnologias. O ensino
de geografia contribuiu para a formação de diversas pessoas por meio do desenvolvimento do
raciocínio espacial realizado em duas diferentes escalas, do local ao global, mostrando articulações
entre os diversos níveis de abstração, desde o espaço do trabalho até sua inserção em uma
sociedade que se internacionaliza de maneira acelerada.
PALAVRAS-CHAVE:
Raciocínio Espacial; Novas Tecnologias; Ensino de Geografia.
ABSTRACT:
In the contemporary world, or, more precisely, in this age of instantaneous and simultaneous
information, the geographic reasoning has been detached and, simultaneously, modified by means
of a new social and technological aspects. The present study was carried out with nineteen teachers
of some geography teachers-formation courses, in public and private institutions, of various regions
of Brazil. These teachers have worked with new technologies and/or researched and produced
studies about their use in geography education. Therefore, we pursue the study searching for the
answer of the following question: new technologies and spatial reasoning: are they related? The
current technologies, as information vehicles, don´t have the purpose of developing the idea of
“knowing and thinking the space” or to realize the “spatial reasoning”, but even without this purpose,
people learn geography and think with the presence of these technologies. The geography education
contributed to the formation of diverse people by means of the development of the spatial reasoning
carried through two different scales, of the local to global place, showing joints between the diverse
levels of abstraction, from the space of the work to its insertion in a society that has been very fast
internationalized.
KEY WORDS:
Spatial Reasoning; New Technologies; Geography Education.

*Este texto constitui parte modificada da tese de doutoramento, desenvolvida na Pós-Graduação em Geografia da UFRJ.
**Professor Doutor do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte. E-mail: valdenildo@cefetrn.br
32 - GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, Nº 22, 2007 SILVA, V. P. da

Introdução as relações — interfaces — entre as novas


tecnologias e o raciocínio espacial. Mas em que
O trabalho em questão foi produzido no consiste essa relação? E quais são as
cerne das contradições que permeiam a possibilidades e limites dessa interface? Para
Geografia contemporânea. E uma das responder a esses questionamentos, inquirimos
dimensões que vêm afetando essa ciência e dezenove professores de diversas instituições
disciplina tem sido a atual aceleração do mundo, de ensino superior do Brasil e que atuam na
resultante de transformações técnico-científicas área de geografia com diferentes disciplinas em
recentes, e que vem suscitando novas cursos de formação de professor de geografia1 .
discussões, as quais, direta e indiretamente,
estão relacionadas à ciência geográfica e, por De antemão, sabemos que as novas
conseguinte, ao ensino e o raciocínio tecnologias vêm exercendo uma certa influência
geográficos. Nesta contemporaneidade temos sobre a vida social, tanto em condições mais
cada vez mais nos deparado não somente com simples quanto nas mais complexas, em
uma geografia dos professores, mas também praticamente todas as dimensões
com uma geografia veiculada pela televisão, socioespaciais da humanidade. Elas vêm
pelo cinema, pelo computador e pela Internet... reinando e são hegemônicas nesse período
Uma “Geografia em migalhas”, que não pode tecnológico atual por meio de características
ser descurada por nós, geógrafos-educadores, como a interatividade e a conectividade (em
como nos tem alertado Lacoste (1974, p. 231). rede) e envolvem cada vez mais pessoas e
Para ele, “a geografia dos mass media territórios humanos. Hoje, conectar-se é
manifesta e constrói, por uma sucessão de sinônimo de interagir e compartilhar no coletivo.
imagens, raciocínios que, por não serem Significa, também, saber onde acessar bases
explícitos, nem por isso deixam de ser de dados on-line (em tempo real), obter
poderosamente sugeridos” (LACOSTE, 1974, p. informações geográficas onde quer que elas
232). estejam e em qualquer momento e contactar
com pessoas que se encontram em outras
Hoje sabemos que uma das tendências paragens, por exemplo. Enfim, é saber como
da humanidade está voltada para a criação de buscar informações que se transformarão, em
objetos técnicos, cada vez mais complexos, que seguida, em conhecimentos geográficos.
permitem transcender os limites do corpo e da
mente humana, desde as pedras, as facas do Com as novas tecnologias – pensemos,
paleolítico até a Internet no presente século. por exemplo, no uso da Internet, nos sistemas
Entre todas essas tecnologias, merecem de informação geográfica, na televisão e nos
particular atenção aquelas que propiciam a demais multimídias – teremos muito a colaborar
representação e a transmissão da informação no desenvolvimento da qualidade da
e, por esse motivo, interpelam diretamente a aprendizagem de conhecimentos geográficos.
mente humana e o raciocínio, como, por Essas tecnologias, se usadas adequadamente
exemplo, as inscrições monumentais dos e com inteligência, têm grande potencial para
sumérios (na antigüidade) e as mensagens do contribuir com a aprendizagem e o
correio eletrônico (na modernidade). desenvolvimento do pensamento humano. Com
elas se podem criar, a partir da integração de
No mundo contemporâneo, ou, mais sistemas clássicos, condições novas de
precisamente, nesta era da informação tratamento, de transmissão de acesso e de uso
instantânea e simultânea, o raciocínio geográfico das informações transmitidas até o momento
tem se revalorizado e, simultaneamente, se contemporâneo pelos suportes clássicos da
alterado por meio de novos aspectos sociais e escrita, das imagens, do som ou da fala. Em certa
tecnológicos. É por esse motivo que no centro medida, essas tecnologias contribuem para
de nossas atuais preocupações encontram-se alterar as maneiras de se relacionar,
O raciocínio espacial na era das tecnologias informacionais, pp. 31 - 38 33

representar e apreender o conhecimento do conta de aprender a fazer a análise


espaço geográfico, pois elas estão presentes geográfica. E nesta perspectiva o importante
com maior intensidade no nosso cotidiano. Elas é construir um referencial teórico e
têm propiciado um certo encantamento, em metodológico para saber fazer a análise
virtude dos meios de simulações e animações geográfica. É nisto que deve estar a
impregnadas, que às vezes servem para ocultar preocupação central. O instrumental
os seus desafios ou as suas limitações, o que, tecnológico apenas potencializa as
a nosso ver, constitui um problema fundamental. possibilidades de aprendizagem, mas não a
garantem sozinho.” (depoimento do professor
No entanto, não temos dúvidas de que
n. 10).
as novas tecnologias se constituem atualmente
como grandes mediadoras entre as realidades Nesse sentido, é um equívoco pensar
geográficas e nós. Nosso conhecimento do que o uso das novas tecnologias por si só
mundo, desde as situações que povoam nosso contribua para o desenvolvimento do
dia-a-dia até aquelas que se dão a quilômetros pensamento geográfico. Sabemos que o
de distância, está mediado por esses meios. Por raciocínio espacial não resulta tão-somente da
isso, ao tratarmos de mediação, consideramos presença das técnicas e, em especial, das novas
fundamental falar um pouco da questão do tecnologias no âmbito do ensino e na pesquisa
conhecimento, pois como já afirmamos, não há geográfica. Para que o “saber pensar o espaço
conhecimento, nem mesmo no âmbito da geográfico” seja efetivado é necessário que se
Geografia, sem mediação. considerem as categorias e os conceitos
científicos básicos à construção do
conhecimento e do raciocínio geográficos. Cabe
Novas tecnologias e raciocínio espacial: mas ressaltar que, na atualidade, as categorias e
o que isso tem a ver? conceitos geográficos têm assumido cada vez
mais novas dimensões e significados para a
As recentes tecnologias vêm
construção do conhecimento geográfico. Para
dinamizando os processos de ensino e
que possamos ler a paisagem, bem como o
aprendizagem da Geografia em face dos atuais
mundo atual em que vivemos, o nosso espaço
mecanismos de facilidade, velocidade,
construído, é fundamental que utilizemos os
instantaneidade e simultaneidade que estão
conceitos básicos da ciência geográfica, os seus
encarnados nas tecnologias da informação e
aportes teóricos e os instrumentais técnicos e
comunicação, ou simplesmente nas novas
sociais que a era da informação está a nos
tecnologias, como são comumente conhecidas.
oferecer. Eis uma atividade que devemos
O mundo contemporâneo tem sido realizar fazendo uso da técnica de nossa época.
marcado pela aceleração espaço-temporal, pela Por meio de imagens de satélites, da televisão,
onipresença da informação em dimensões dos computadores e da Internet conseguimos
globais e que vem afetando sobremaneira os fazer um zoom da nossa realidade socioespacial,
modos de pensar o mundo atual. E o raciocínio já que cada vez mais estamos tendo
geográfico? Como ele vem acontecendo? A priori, possibilidades de manipular dados, informações
podemos dizer que o raciocínio geográfico ou e imagens diversificadas e instantâneas no
espacial ocorre numa situação complexa que processo de conhecimento e análise do espaço
envolve não somente a presença de técnicas e geográfico.
tecnologias, mas uma articulação teórico-
O uso das novas tecnologias no estudo
metodológica. Em outras palavras:
do espaço geográfico pode ser um recurso
“Considero que a formação do profissional de pedagógico fundamental para o
Geografia exige que ele aprenda a desenvolvimento da análise geográfica. Ao longo
desenvolver raciocínios espaciais para dar dos tempos, esse conhecimento tem se dado
34 - GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, Nº 22, 2007 SILVA, V. P. da

de qualquer forma por meio da interface (ou profundos cambios en los entornos sociales
Links ) da técnica de cada época. Essa, y tecnológicos afectan las representaciones
compreendida com um complexo de sociales-espaciales de los alumnos, así como
materialidade e intencionalidade, revela-se, al contenido de los programas de la geografía
assim, como mediação necessária na escolar, a las estrategias didácticas, a la propia
constituição do espaço geográfico. Por meio da concepción y función del conocimiento esco-
técnica, podemos dar conta, por um lado, do lar.”
global que caracteriza o mundo e, por outro
lado, do local, do particular, ou seja, daquilo que
existe realmente e se materializa num dado Possíveis interfaces entre as novas
ponto do Planeta. Dessa forma, fica claro que tecnologias e o raciocínio espacial
as realidades geográficas não se explicam por
Essa discussão precedente é
si mesmas, mas somente no interior de uma
corroborada, em certa medida, pelos
lógica que envolve as relações globais mediadas
depoimentos dos professores que foram
por objetos e sistemas técnicos (SANTOS, 1996).
inquiridos para esta pesquisa. Partindo de
Nesse sentido, podemos afirmar que a análise
relatos de alguns professores de Geografia, de
espacial tem sido conduzida através da
distintos cursos superiores do País, procuramos
mediação entre diferentes códigos, partes
apreender as possíveis interfaces ou mediações
diferentes de objetos reais, virtuais, de
existentes entre as novas tecnologias e o
simulações e especulações necessárias à
desenvolvimento do raciocínio espacial. O fazer
correção de possíveis erros, construindo um
pedagógico de Geografia nos dias atuais deve
novo pensamento, um novo saber.
acontecer por meio das técnicas e das
As reflexões de Martínez e Cano (2003, tecnologias disponíveis, sem tomá-las como um
p. 238) sinalizam a importância da Internet no fim em si mesmas, mas como possibilidades de
ensino e na aprendizagem da Geografia. Eles ferramentas da prática educativa, além de ser
mostram que neste período da sociedade do necessário considerar as diferentes teorias,
conhecimento é fundamental que se considere para dar conta da análise espacial.
a principal ferramenta deste novo milênio, a
Para desenvolver “o pensamento sobre
Internet, como um suporte didático. Esses
o espaço geográfico”, os professores que
autores listam uma série de possibilidades
fizeram parte da pesquisa têm de algum modo
dessa ferramenta, destacando-a principalmente
utilizado algumas das ferramentas desta
como um meio de “búsqueda de información
temporalidade. As suas práticas pedagógicas
sobre un contenido concreto y procesamiento
cotidianas têm sido permeadas pelas
de lo indagado”. Para eles, as novas tecnologias
tecnologias da informação e comunicação. Se a
oferecem importantes oportunidades para
televisão se constituiu na ferramenta mais
desenvolver as capacidades de comunicação,
utilizada por eles, conforme dissemos
análises, resolução de problemas, gestão e
anteriormente, isso não quer dizer que o
recuperação da informação.
computador e a Internet não estivessem sendo
Segundo Pilar Comes (2002, p. 50), em utilizados e não tenham dado suas contribuições
seu artigo Geografía escolar y tecnología de la para a análise espacial. Isso veio à tona quando
información y el conocimiento, perguntamos a esses professores se, na opinião
deles, o uso das novas tecnologias interferia
”La geografía escolar es una de las discipli-
no desenvolvimento do raciocínio geográfico ou
nas que mayores cambios tendrá que obser-
na maneira de se pensar sobre o espaço. A
var para adaptarse a la sociedad red, de
maior parte desses professores (57,8%)
entornos multimedia, de multiidentidades, y
respondeu positivamente, dizendo que as
de realidades multiescalares del siglo XXI. Los
novas técnicas informacionais aceleram e
O raciocínio espacial na era das tecnologias informacionais, pp. 31 - 38 35

ampliam as maneiras de pensar o espaço menos cansativas e a participação dos alunos


geográfico, enquanto que, para 26,3% dos é maior. Essas tecnologias tornam todos os
inquiridos, essa interferência ocorria apenas em espaços mais próximos, permitindo assim
termos, pois era necessária, também uma melhor compreender as transformações
integração com os conteúdos e métodos da desenvolvidas pelo homem” (depoimento do
geografia, bem como de uma relação professor- professor n. 4).
aluno, aluno-aluno. Por seu turno, para 15,8%
“Eu adoto as novas tecnologias, pois elas
dos investigados, as novas tecnologias não
possibilitam uma nova visão da dimensão
interferiam de modo algum no desenvolvimento
espaço-tempo, o que é fundamental para o
do raciocínio geográfico. Mas interessante é
desenvolvimento do raciocínio geográfico”
notar que muitos desses professores, que
(depoimento do professor n. 15).
afirmaram negativamente sobre a interferência
das novas tecnologias no processo de leitura “Utilizo com freqüência em minhas aulas a
espacial, disseram que essas tecnologias televisão e o vídeo para assistir filmes,
poderiam contribuir para a criação de novas palestras, entrevistas, projeções de imagens
estratégias de ensino, aprendizagem e auto- e disponibilizo o meu material didático via
formação. Pelo visto esses professores, Internet. Isso para mim amplia as conexões
contraditoriamente, também, acreditam nas e leva a pensar sobre outras formas de
possibilidades que as novas tecnologias podem, conceber o espaço, por exemplo o virtual”
ou não, oferecer ao desenvolvimento do (depoimento do professor n. 11).
pensamento geográfico.
“Ultimamente tenho usado principalmente os
Acreditamos que seja verdade que as softwares de cartografia, como GIS, Autocad
novas tecnologias – sobretudo a confluência e outros que melhoram a leitura do espaço,
entre a televisão, o computador e a Internet, possibilitam a visão de diferentes
por exemplo – não objetivam ensinar e aprender perspectivas, facilitam as simulações de
o conhecimento geográfico, mas é também escalas, símbolos, projeções” (depoimento do
verdade que nós e os nossos alunos professor n. 2);
aprendemos muito, e de maneira diversificada,
“Somente o fato de mais e mais dados
com o uso desses instrumentais, principalmente
estarem disponíveis já amplia possibilidades
aprendemos a ler o nosso espaço vivencial e
de correlações. Nesse sentido, há a
aprendemos sobre os espaços mais longínquos,
interferência. Contudo, o instrumento
que se tornam visíveis por meio de imagens e
intelectual, o raciocínio propriamente não está
textos não-lineares encontrados no
na tecnologia, mas no desenvolvimento de
ciberespaço, na Internet ou em outras mídias.
capacidades de abstração, de lógica, de
Os fragmentos que apresentamos em seguida,
cognição. As novas tecnologias interferem na
embora sejam longos, merecem ser conferidos,
medida em que dão velocidade a testes de
pois eles evidenciam algumas experiências com
hipóteses e fornecem volume de dados e
o uso das tecnologias atuais. Observem que
informações que potencialmente
entre as possíveis interfaces que as novas
aprofundariam a análise geográfica”
tecnologias podem oferecer à ciência geográfica
(depoimento do professor n. 17).
e ao desenvolvimento do raciocínio geográfico
nas várias modalidades de ensino dessa área “Uso diversos programas de televisão a fim
de conhecimento estão, segundo os de exemplificar ou problematizar algumas
depoimentos dos professores, em: questões de estudo em sala de aula; peço
para os alunos fazerem levantamentos de
“Hoje utilizo muito os computadores, mas uso
dados em diferentes canais e períodos. Levo
também o vídeo, a música, o retroprojetor,
alguns programas de computador para que
pois as aulas se tornam mais dinâmicas,
36 - GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, Nº 22, 2007 SILVA, V. P. da

os alunos possam usá-los e avaliá-los quanto possibilidades de aprendizagem que o mundo em


à possibilidade de seu uso na sala de aula, que vivemos está a nos oferecer. Por meio da
peço para fazerem levantamento de informações Geografia, podemos desenvolver certas habilidades
de e em sites; faço também levantamentos de que, com o passar do tempo, vão se tornando
dados pela net e peço para os alunos fazerem fundamentais para conseguir e manejar
também [...] E digo: interfere ou não dependendo determinados instrumentos tecnológicos. Segundo
do uso que for realizado com essas tecnologias, Callai (2001, p. 18), o que precisamos fazer para a
pois seu uso não pode nada se desconsideramos realização de uma leitura espacial é “saber buscar
seus usuários, os sujeitos da aprendizagem [...] as informações e os dados, conseguir organizá-los
O raciocínio e análise geográficos dependem muito e entender o que dizem. Saber ler tabelas,
de debates e exercícios de análise [...] Há que ter decodificar os gráficos, compreender o que seja um
cuidado ao refletir sobre as [novas tecnologias] banco de dados, trabalhar com o SIG (Sistema de
pois elas podem ser fetichizadas ou reificadas” Informações Geográficas)”.
(depoimento do professo n. 19).
Em outros termos, expressa essa autora:
“Na sala de aula, disponho hoje de ferramentas
“É neste contexto que podemos inserir o trabalho
que me permitem planejar e realizar com muito
com o computador e seus adereços, outros
mais rapidez e eficácia todas as aulas e atividades
equipamentos eletrônicos, vídeo, máquinas
teórico-práticas com meus alunos, estou me
fotográficas, TV, gravadores, GPS, etc. São todos
referindo principalmente à união entre televisão,
e outros mais também instrumentos que nos
computador e Internet” (depoimento do
permitem fazer as coletas e a organização dos
professor n. 13).
dados para ao sistematizá-los, poder conhecer
Esses depoimentos mostram um pouco do melhor as informações que nos possibilitam
uso das novas tecnologias nos cursos de formação compreender a realidade [geográfica]. E a partir
de professores de geografia, bem como as maneiras deles construir bancos de dados, organizar,
como essas tecnologias vêm mediando o processo produzir e compreender os Sistemas de
de ensino e aprendizagem geográficos. Como se Informações Geográficas. E mais, saber ler cartas
pode ver, as novas tecnologias têm sido utilizadas topográficas, fotografias aéreas, os mapas em
como uma ferramenta pedagógica, seja para suas mais variadas escalas (CALLAI, 2001, p. 18).”
disponibilizar os textos geográficos básicos e
A nosso ver, isso não se traduz em mais uma
complementares, para manter contatos via correio
nova Geografia. São, na verdade, outras ou novas
eletrônico (e-mail), realizar trabalho em grupo, seja
possibilidades de se realizar a leitura espacial. E não
como mera ilustração, mas o objetivo maior tem se
é a aula de Geografia que tem que ser
voltado, sobretudo para tornar mais dinâmico,
desconsiderada para ensinar o uso desses
atrativo e interativo o pensar, o fazer e o ensinar
instrumentais, mas é uma possibilidade que,
geográficos. Há quem diga que a grande tecnologia
interfaceando-se com as técnicas modernas, pode
da humanidade não são os objetos ou as máquinas,
contribuir para o ensinar e o aprender melhor a
mas o conhecimento. Diante disso, podemos dizer
geografia do mundo contemporâneo.
que a tecnologia informacional não se constitui na
grande coisa da Geografia, mas numa possibilidade Acrescentamos a isso o fato de que a chave
de a usarmos para construir um conhecimento para avaliar o alcance e os usos educacionais das
geográfico inovador e antenado com o tempo atual. novas tecnologias no ensino de Geografia pode
estar nos três elementos do triângulo interativo –
Entendemos que as aprendizagens ocorrem
professor, aluno e conteúdo –, como propõem Coll e
em um processo que é social e que é histórico, logo
Martí (2004), e de maneira muito particular em sua
é nesta perspectiva que são construídos os
incidência sobre as relações e as interações que se
raciocínios geográficos. Para que estes ocorram é
estabelecem entre esses três elementos. Em outros
fundamental que se considerem as variadas
termos, a chave está em analisar como e até que
O raciocínio espacial na era das tecnologias informacionais, pp. 31 - 38 37

ponto os diferentes usos das novas tecnologias Por meio das novas tecnologias, podemos
podem influenciar tanto nos processos de obter imagens em escalas diferentes, realizar
construção de significados e de atribuições de sentido interações e interatividade entre pessoas, trocar
que os sujeitos (professor e aluno) realizam no informações; estas podem surgir também como
transcurso das atividades de ensino e espaços de consulta de informações, e com o
aprendizagem, como também os mecanismos de computador e a Internet, conseguir ter acesso às
influência educacional que facilitam, promovem e informações conjugadas entre som, imagem e texto.
apóiam esses processos construtivos. Pilar Comes expõe algumas estratégias didáticas
para trabalhar o pensamento geográfico utilizando
Sabemos que as novas tecnologias, na
as novas tecnologias:
medida em que atuam como fator de coesão tanto
nas pequenas localidades quanto nas de grande “En el caso de la enseñanza del espacio geográ-
complexidade social e cultural – por exemplo, os fico y a través de Internet podemos acceder a
grandes centros urbanos –, são produtores de miles de páginas que nos ofrecen, muchas de ellas
significados e, por conseguinte, participam do gratuitamente, mapas e imágenes espaciales que
processo de construção e da leitura das realidades podemos utilizar en el aula. Pero este gran recur-
socioespaciais em todas as suas manifestações. so potencial adolece aún de graves limitaciones.
Essas tecnologias chegam no limiar deste século Algunas de estas limitaciones están relacionadas
com um dos mais influentes fatores de circulação de con las de la propia red [...], pero entendemos
idéias na sociedade da informação. E a Geografia, que otras limitaciones están relacionadas con
como vimos anteriormente, propõe-se estudar o cuestiones que tienen su implicación didáctica
espaço geográfico, sendo que, para realizar esse (COMES, 2002, p. 51).”
tal estudo, ela necessita de conceitos, definições,
pressupostos teórico-metodológicos, técnica e As novas tecnologias no ensino de geografia
tecnologia. contribuem para ampliar o potencial educativo de
alunos e professores, permitindo que esses sujeitos
Isso não significa dizer que temos uma nova tenham acesso à informação a partir de sua própria
Geografia, porque temos novas tecnologias. Temos, busca, capacidade de observação e interesse. É
sim, uma teia complexa do mundo cada vez mais indiscutível que as tecnologias modernas, quando
ligado por redes técnicas informacionais que corretamente empregadas, estimulam o ensino e a
conectam espaços e pessoas – mas deixam muitos aprendizagem de Geografia, mas suas
desligados/desconectados ou nos limites do viver possibilidades e limitações precisam ser
contemporâneo – numa velocidade e aceleração questionadas para que não as tomemos de
impensadas há poucos anos, mas que impõem um maneira fetichizada.
novo papel à Geografia e ao seu ensino.
As tecnologias atuais, veiculadoras de A título de conclusão
informações, não têm a finalidade de desenvolver o
“saber pensar o espaço” ou de realizar o “raciocínio A tecnologia sem conteúdos e conceitos
espacial”, mas mesmo sem essa finalidade as geográficos não tem sentido algum. É certo que
pessoas aprendem geografia, pensam com a as possibilidades de aprender e ensinar
mediação dessas tecnologias. O ensino de geografia geografia, hoje, são estimuladas pela
contribuiu para a formação de diversas pessoas por proliferação de informações mais acessíveis.
meio do desenvolvimento do raciocínio espacial Mas também é evidente que as desigualdades
realizado em duas diferentes escalas, do local ao no acesso às novas tecnologias podem
global, mostrando articulações entre os diversos aumentar ainda mais as dificuldades reais de
níveis de abstração, desde o espaço do trabalho acesso à informação e ao conhecimento
até sua inserção em uma sociedade que se globaliza geográfico que já atingem atualmente os
de maneira acelerada. segmentos menos favorecidos. O caso da
Internet é exemplar, pois sendo, em princípio,
38 - GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, Nº 22, 2007 SILVA, V. P. da

um recurso altamente descentralizado, em pauta. As tecnologias informacionais ainda


democrático e sem fronteiras, na verdade está se encontram pouco presentes nos cursos de
apenas disponível para aqueles que podem ter formação do professor de geografia, conforme
fácil acesso a ele, para os “plugados na rede”. aponta o resultado da pesquisa. Mas mesmo
que em proporções mínimas e limitadas, essas
Considerando os depoimentos dos
novas tecnologias podem e devem ser postas
sujeitos deste estudo, podemos dizer que é
em questão em aulas de cursos de graduação,
muito provável que as novas tecnologias
pós-graduação e na educação básica, no sentido
aprofundem as divisões já existentes entre
de ampliar sua inserção nos meios educativos.
grupos de pessoas em sua relação com o
Com as tecnologias modernas, é possível
conhecimento e a aprendizagem. Daí a
aprender a aprender, a trabalhar em grupo e a
necessidade de que as possibilidades e os
raciocinar em diferentes escalas geográficas.
limites das novas tecnologias estejam sempre

Nota
1
Perseguindo princípios qualitativos, ou, mais precisamente, o princípio da intencionalidade ou da
representatividade qualitativa (THIOLLENT, 1994, p. 62), foram inquiridos – por meio da Internet – 19
docentes integrantes atuantes em vários cursos de formação de professor de geografia de instituições
públicas e privadas de diversas regiões do País. Esses professores sistematicamente têm utilizado as
novas tecnologias e/ou pesquisado e produzido trabalhos a respeito delas no ensino de geografia. Na
análise em tela, os instrumentais de investigação foram organizados numa ordem numérica por meio da
seqüência dos algarismos arábicos (1, 2, 3...), como forma de preservar o anonimato dos pontos de vista
e das opiniões dos sujeitos deste estudo.

Bibliografia
CALLAI, H. C. Outras leituras para o ensino de LACOSTE, Y. A geografia, isso serve, em primeiro
geografia. In: VERDUM, R.; STROHAECKER, T. lugar para fazer a guerra. São Paulo: Papirus,
Ensino de geografia, planejamento ambiental e 1989.
gestão territorial. Porto Alegre, AGB, 2001.
MARTÍNEZ, P. M.; CANO, F. J. T. Recursos en
COMES. P. Geografía escolar y tecnologías de la Internet para la enseñanza y el aprendizaje de
información y el conocimiento. In: Iber 32, la geografía en educación primaria. In: Íber 32,
Barcelona, Ed. Graó, 2002. Barcelona, Ed. Graó, 2003.
COLL, C; MARTÍ, E. A educação escolar diante SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e
das novas tecnologias da informação e da tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec,
comunicação. In: COLL, C.; MARCHESI, A.; 1996.
PALACIOS, J. Desenvolvimento psicológico e
THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação.
educação: psicologia da educação escolar. Porto
São Paulo: Cortez, 1994.
Alegre: Artmed, 2004.

Trabalho enviado em março de 2007 e


aceito em agosto de 2007.