Você está na página 1de 6

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO –

IFMA, CAMPUS SANTA INÊS


TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TATIELLE RODRIGUES SALES

FOSSAS SÉPTICAS RESIDÊNCIAIS

Santa Inês
2021
TATIELLE RODRIGUES SALES

FOSSAS SÉPTICAS RESIDÊNCIAIS

Trabalho apresentado ao Prof. Giovanni Ferreira


de Sousa, com a intenção de obtenção de nota
parcial da disciplina de Sistema Predial
Hidráulico e Sanitário

Santa Inês
2021
FOSSAS SÉPTICAS RESIDÊNCIAIS

A fossa séptica ou sética se trata de um sistema de tratamento de esgoto sanitário


doméstico, é uma unidade que atua química e fisicamente nos dejetos, é mais utilizada na
zona rural, por não ter tratamento de esgoto. A fossa séptica atua purificando a água vinda
dos vasos sanitários para ser devolvida ao meio ambiente com o mínimo de impacto
ambiental. Outros tipos estruturais da fossa séptica ainda incluem mecanismos para adição
de reagentes como o cloro, que atua na eliminação de microrganismos tornando a água
potável.
COMO FUNCIONA O SISTEMA DA FOSSA SÉPTICA

Primeiramente, os dejetos vindos dos vasos sanitários são depositados em um tanque


constituído por alvenaria, concreto ou outro material que mantenha os aspectos básicos de
segurança, longevidade e resistência, onde ocorre um processo de decantação, no qual a parte
sólida se deposita no fundo para sofrer decomposição por bactérias anaeróbicas. Tal tanque
contém uma válvula de escape para que os gases produzidos pelas bactérias no processo de
fermentação possam escapar. Conforme a fossa vai enchendo, o líquido ali contido passa
através de um cano na parte superior da fossa para a parte inferior do segundo tanque, no
qual enche obrigando o líquido a passar por um filtro formado por rochas como cascalho e
areia. Após esse processo de filtração, o líquido é depositado em outro tanque denominado
de sumidouro onde posteriormente é reutilizado ou devolvido ao meio ambiente.

O tamanho dos tanques varia de acordo com a quantidade de indivíduos que utilizem
o esgoto sanitário. O esgoto originário de pias e ralos não deve entrar em contato direto com
os resíduos direcionados com a fossa séptica, pois os materiais químicos, como os materiais
de limpeza por exemplo, interferem no processo de decomposição, matando as bactérias.
TIPOS DE FOSSAS SÉPTICAS

Existem dois tipos de fossas sépticas, as pré-moldadas e as moldadas in loco. As


pré-moldadas são encontradas no mercado, a menor tem capacidade de 1000 litros e mede
1,1 x 1,1 metros (altura x diâmetro). As fossas sépticas moldadas no local têm formato
retangular ou circular e devem ser dimensionadas através de um projeto específico de
engenharia. A execução desse tipo de fossa séptica começa pela escavação do buraco onde a
fossa vai ficar enterrada no terreno, o fundo do buraco deve ser compactado, nivelado e
coberto com uma camada de cinco centímetros de concreto magro, sobre o concreto magro
é feita uma laje de concreto armado de seis centímetros de espessura.
As paredes são feitas com tijolo maciço, ou cerâmico, ou com bloco de concreto,
durante a execução da alvenaria, já devem ser colocados ou tubos de entrada e saída da fossa,
e deixadas ranhuras para encaixe das placas de separação das câmaras, caso de fossa
retangular. As paredes internas da fossa devem ser revestidas com argamassa à base de
cimento.
A fossa séptica circular, a que apresenta maior estabilidade, utiliza-se para
retentores de espuma na entrada e na saída. Na fossa séptica retangular a separação das
câmaras, e a tampa da fossa são feitas com placas pré-moldadas de concreto. Para a separação
das câmaras são necessárias cinco placas: duas de entrada e três de saída. Essas placas têm
quatro centímetros de espessura e a armadura em forma de tela.
A tampa é subdividida em placas, para facilitar a sua execução e até a sua remoção,
placas com 5 cm de espessura e sua armação também é feita em forma de tela.

SOBRE A INSTALAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA

Por contar com vários microrganismos infeciosos, medidas de segurança devem ser
tomadas antes da construção ou instalação da fossa séptica; não deve ser instalada próximo
a poços artesianos, para evitar que vazamentos ou a própria água que o poço libera, entre em
contato com a água de consumo humano, animal e vegetal. Quando a fossa possui instalação
subterrânea, as tampas não devem ser muito grandes, para minimizar riscos de desabamento.
Fossa sépticas mal instaladas ou mal construídas podem ocasionar eventualmente uma grave
contaminação dos lençóis freáticos, introduzindo agentes infecciosos na água de consumo da
região, podendo acarretar em doenças em humanos e animais, além de contaminar as
plantações.

COMO É FEITA A LIMPEZA DA FOSSA SÉPTICA

Cada fossa tem um padrão específico de limpeza, mas, no geral, a proposta da


limpeza é retirar o lodo existente no fundo da fossa séptica.
O primeiro passo é retirar a tampa e deixar aberta por um tempo, é essencial que
deixe respirar porque muitos gases ficam presos dentro da fossa séptica e podem ser
perigosos à saúde, depois disso, os resíduos serão retirados com a mangueira de sucção para
um espaço equipado para receber efluentes, normalmente os caminhões preparados para o
serviço. Esse material deve ser transportado por uma equipe especializada e receber o devido
tratamento. O ideal é deixar cerca de 10% do material lá dentro para que o tratamento dos
efluentes não seja interrompido.
REFERÊNCIAS
O que é e para que serve uma fossa séptica. Disponível em:
https://www.depcleanrs.com.br/o-que-e-e-para-que-serve-uma-fossa-septica/. Acesso em:
26 mar. 2021

Fossa séptica. Disponível em: https://www.infoescola.com/ecologia/fossa-septica/. Acesso


em: 26 mar. 2021

Qual a periodicidade correta para limpeza de fossa séptica?. Disponível em:


https://www.limpafossa.com.br/qual-a-periodicidade-correta-para-limpeza-de-fossa-
septica/. Acesso em: 26 mar. 2021

Fossa séptica. Disponível em:


https://pt.wikipedia.org/wiki/Fossa_s%C3%A9ptica#:~:text=As%20fossas%20s%C3%A9p
ticas%20(portugu%C3%AAs%20brasileiro)%20ou%20s%C3%A9ticas%20(portugu%C3%
AAs,sobretudo,%20para%20a%20zona%20rural%20ou%20resid%C3%AAncias%20isolad
as. Acesso em: 26 mar. 2021

Você também pode gostar