Você está na página 1de 47

Como escolher bem uma

carreira profissional?

Profa. Ma Luana Amaro

Curso: Psicologia

E-mail: luananassaujp@gmail.com
DICAS:


1. Conhecer-se bem: Habilidades, limitações,
emoções.

2. Pesquisar sobre o mercado de trabalho atual e
conversar com alguns profissionais.

3. Experimentar algumas áreas através de
estágios, voluntariado ou visitas.

4. Identificar as preferências: Ambientes,
disciplinas.

5. Realizar avaliação psicológica em Orientação
Profissional.
PERFIS DE PERSONALIDADE
REALISTA


Pouco sociável e carece de habilidade
interpessoal. Aversão a situações ambíguas e
carregadas de subjetividade. Sente-se pouco à
vontade em situações sociais ou de conteúdo
emocional, sendo mais reservado, inflexível e
conformista. Possíveis áreas de atuação:
engenharia, mecânica, agronomia;
INVESTIGATIVO


Desconfortável diante de emoções intensas e
aparenta frieza e alheamento; mais aberto a
questões subjetivas e abstratas. A sua
preferência por atividades teóricas e
autônomas tende a torná-lo ainda mais
independente com relação a vínculos grupais,
e mais centrado em si mesmo. Solitário.
Possíveis áreas de atuação: física, biologia,
matemática, sociologia;
ARTÍSTICO


Aprecia o contato interpessoal, quando está
seguro de poder expressar-se livremente.
Senão, é tímido e introvertido. É aberto a
estímulos subjetivos e emocionais, capaz de
perceber as reações das pessoas através de
compreensão empática. Possíveis áreas de
atuação: música, artes plásticas, teatro,
literatura;
SOCIAL


Se interessa pelos vínculos humanos e
manifesta sensibilidade e responsabilidade na
busca de auxiliar, orientar, tratar e resolver as
dificuldades dos outros. Gosta de se sentir
aceito e respeitado em suas atividades, ter a
atenção para si através de seu jeito expansivo.
Possíveis áreas de atuação: Psicologia,
enfermagem, trabalho social, professor;
EMPREENDEDOR


Gosta das habilidades verbais para a
persuasão e controle de outras pessoas.
Deseja o poder e ter status. Extrovertido, tem
iniciativa e quer assumir a liderança. Possíveis
áreas de atuação: Administração, Gestão,
Direito,Ciências políticas, Jornalismo;
CONVENCIONAL


Tende a controlar os afetos e a sentir-se à
vontade no âmbito interpessoal somente
quando em atividades rotineiras e estruturadas.
Identifica-se com tudo que outorgue status e
poder, mas tende a exercer a posição de
subordinado. Possíveis áreas de atuação:
contabilidade, administração, vendas,
organização;
A ESCOLHA DE UMA PROFISSÃO
A escolha profissional também tem história
A ideia de que o indivíduo escolhe sua ocupação ou
profissão a partir das condições sociais em que vive e em função
de suas habilidades, aptidões, interesses e dons (vocação) não é
uma ideia que sempre existiu. É algo que teve início quando se
instalou na sociedade o modelo de produção capitalista.
A escolha profissional também tem história
 No capitalismo o indivíduo liberta-se dos laços de sangue;
 Seu destino está em suas mãos, como faz crer a ideologia do
capitalismo;
 É neste momento que a escolha da profissão se coloca como
questão. Se tudo está nas mãos do indivíduo, o momento de sua
escolha profissional torna-se de suma importância. Teorias,
técnicas, ideias passam a ser desenvolvidas para facilitar esse
momento decisivo.
A escolha como um momento decisivo
Será mesmo a escolha profissional o momento mais
importante na vida do jovem? Será a escolha de uma
profissão a escolha mais importante que um indivíduo faz
em sua vida?
A escolha como um momento decisivo
 Depois de certa idade, tem-se
que trabalhar para sobreviver, e
ninguém gostaria de passar o
resto da vida dedicando energias
a alguma tarefa que lhe
desagrada;
 Assim, a escolha de uma
ocupação ou profissão torna-se
muito importante para o jovem,
sendo um momento de conflito.
A escolha como um momento decisivo
No entanto, não pode-se considerar que o futuro de
uma pessoa dependa exclusivamente ou principalmente de
sua opção profissional e, tampouco, que a escolha de uma
profissão não possa ser, a qualquer momento, alterada.
A escolha como um momento decisivo
A construção de um futuro é resultado da combinação
de uma série de fatores, dentre eles a escolha de uma
profissão. Assim, pode-se dizer que a escolha profissional é
um fator importante, mas não exclusivo, na construção de um
futuro.
A escolha como um momento decisivo
É importante ressaltar que a escolha de uma profissão
não é algo simples, pois existem influências sociais,
componentes pessoais e limites ou possibilidades entrando
nesse jogo. O importante é que, quanto mais o indivíduo
compreende e conhece esses fatores, mais controle terá sobre
sua escolha.
Os fatores que influem na escolha
profissional
Os fatores que influem na
escolha profissional são muitos, com
peso e composição diferentes na
história individual dos jovens. Esses
fatores estão em permanente
interação e é exatamente esta
combinação entre eles que
caracteriza o quadro geral da escolha
profissional.
Características da Profissão
Mercado de Trabalho

Terei ou não um emprego nesta profissão?


Mercado de Trabalho

 É a venda e a compra da força de trabalho;


 Os fatores que determinam o mercado de trabalho (relação
entre oferta e procura) são diretamente relacionados à política
econômica de um país;
 Assim, num momento de recessão econômica:
“ocorre uma diminuição de investimentos – ou seja, a
produção, ao invés de aumentar, se equilibra ou diminui – e o
mercado de trabalho, em geral se retrai. Em consequência,
ocorre não só a expulsão de trabalhadores já empregados como
também a não absorção de novos trabalhadores”.
BOCK, S. (s/d)
Características da Profissão
Importância Social e Remuneração
Quais são as profissões mais importantes
socialmente? Há uma relação direta entre importância e
remuneração?
Importância Social e Remuneração
 Do ponto de vista da sociedade como um todo, pode-se dizer que
todas as profissões têm importância social, pois todas elas
respondem a algum tipo de necessidade e contribuem para a
manutenção da vida em sociedade;
 No entanto, a sociedade atribui diferente prestígio às profissões.
As profissões ligadas ao trabalho manual têm tido menos prestígio
social do que as profissões ligadas ao trabalho intelectual;
 Há também, o problema da
necessidade ou não de
especialização. Profissões ligadas à
atividade intelectual exigem estudo
e aperfeiçoamento permanente , o
que nem sempre é necessário nos
trabalhos manuais.
Características da Profissão
Habilidades necessárias para o desempenho
Toda profissão tem seu rol de pré-requisitos necessários.
Os requisitos e o tipo de trabalho que se realiza devem ser
considerados, quando se pensa em escolher uma profissão.
Habilidades necessárias para o desempenho

Não se deve pensar nas profissões apenas pela aparência:


prestígio, remuneração ou mercado. A profissão deve ser vista
por dentro – o que realmente faz um profissional daquela área?
Habilidades necessárias para o desempenho
E quando se fala em pré-requisitos, surge logo a questão
de ter ou não as habilidades necessárias. Acredita-se que todas
as pessoas podem exercer qualquer tipo de profissão, desde que
tenham condições para adquirir as habilidades e conhecimentos
necessários para seu exercício.
Habilidades necessárias para o desempenho

Assim, pode-se afirmar,


que os fatores que
determinam a escolha de
uma profissão são de
natureza econômica e
social (e não biológica),
ligados diretamente às
oportunidades de
escolarização do indivíduo.
Grupo Social
 O grupo familiar e o grupo de amigos são os apontados como
os dois grupos de onde vêm as principais pressões;

 O grupo de amigos em geral fornece uma referência positiva,


enquanto o grupo familiar, eventualmente, pode fornecer
referências que o indivíduo procura rejeitar na escolha;
 Os valores desses grupos, satisfações ou
insatisfações e expectativas, são fatores
fundamentais que influenciam o jovem na sua
escolha;
Grupo Social
 Fatores relacionados ao sexo – sexualização das profissões;

 Existem profissões vistas como mais


femininas, como a área de humanas – por
exemplo, a pedagogia. E as profissões
femininas, por serem vistas como extensão
do lar e sem necessidade de muito
aperfeiçoamento, foram sempre
desvalorizadas e mal remuneradas;
Grupo Social
 Esses fatores são importantes na pressão que a família exerce
sobre o jovem que as escolhe;

 É importante esclarecer que não há


profissões para homens e profissões para
mulheres. Essa distribuição é cultural e
segue também os interesses econômicos da
sociedade.
História Pessoal
O processo de escolha da profissão é um momento do
processo de identidade do indivíduo – O que quero ser na vida?
História Pessoal
Entram assim, na escolha do jovem, todos os elementos
que ingressaram em seu mundo psíquico. As expectativas em
relação a si próprio, gostos, as habilidades que já desenvolveu até
o momento, as profissões de pessoas que lhe são significativas,
seus limites e possibilidades, enfim, todo seu mundo interno é
mobilizado para a escolha profissional, inclusive fatores
inconscientes.
Satisfação Pessoal

Satisfação Material
 No momento da escolha da profissão
esse conflito aparece com frequência;
 Quando o indivíduo vende sua força
de trabalho, sabe que terá que obedecer
e trabalhar da maneira como o
comprador (seu chefe) estabelecer e
desejar. Sabe que, muitas vezes, terá
que abandonar seus projetos para
executar o projeto do patrão, recebendo
assim, o salário que garantirá seu
sustento;
Satisfação Pessoal

Satisfação Material
 A satisfação pessoal também é impedida pela parcelarização
crescente do trabalho;
 A parcelarização do trabalho fragmenta o próprio indivíduo,
desumanizando-o; “a escolha de uma profissão na verdade se
constitui na escolha de um pequeno fragmento”.
Vocação e Dom
Uma mistificação da escolha
“a vocação do ser humano é exatamente não ter vocação
nenhuma. Explicitando um pouco tal afirmação, queremos
dizer que em se tratando da história do ser humano, desde o
seu surgimento até agora, o que diferencia o homem de todos
os outros animais é exatamente sua não-especialização
(biológica) para nenhuma atividade específica”.
BOCK, S. (s/d)

 O homem tem de buscar suas formas de sobrevivência,


diferentemente dos animais. E essas formas estão além de seu
aparato biológico.
Vocação e Dom
Uma mistificação da escolha
O aparato biológico de um indivíduo pode conter características
que facilitem a realização de determinados trabalhos e não de outros,
poderão apresentar características inatas que estariam relacionadas com
um determinado tipo de profissão. Mas, não são essas características
biológicas do indivíduo que promovem sua realização profissional e nem
tampouco que nos permite falar em vocação, talento ou dom.
Vocação e Dom
Uma mistificação da escolha
 O aparato biológico do indivíduo
entra em contato com um meio físico
e social, e esta interação biológico-
social é que será a fonte das
determinações do indivíduo;
 A ideia de vocação é usada para esconder as desigualdades
sociais, ou melhor, para justificá-las;
 Assim, se o indivíduo é pobre e torna-se um
operário (sua profissão) e o outro torna-se um
médico, diz-se que um não tem capacidade, não
se esforçou, não tem talento nem vocação para
ser médico, por isso é um operário;
Vocação e Dom
Uma mistificação da escolha
 Com a ideia de vocação, pode-se
dizer ainda que o indivíduo não teve
sucesso porque não escolheu a profissão
para a qual tinha vocação, isto é, não
identificou corretamente sua vocação;
 É preciso sempre considerar as multideterminações que agem sobre o
indivíduo – fatores biológicos, sociais, psicológicos – determinando sua
escolha profissional e seu futuro.
Escolher também é Perder
 Diante da dúvida ou do conflito é necessário um
posicionamento;
 Escolher é assim, obter e perder algo;
Escolher também é Perder
 Quando nos damos conta
disso, a escolha fica mais fácil,
pois o que ocorre, é que na
maioria das vezes procuramos
evitar a perda, o que em certas
escolhas, torna-se impossível;
 Escolher é um ato de coragem,
no momento final da decisão, o
indivíduo terá que ter a coragem
de escolher também o que quer
perder;
 Escolher uma profissão é uma
escolha que pode ser refeita,
retomada e modificada;
Escolher também é Perder
A nossa vida é momento e os critérios usados hoje podem
ser diferentes dos de amanhã. Uma escolha bem feita é, com
certeza uma boa escolha para o momento atual. Poderá não ser para
amanhã. Muita informação e muita coragem para ganhar e para
perder são bons ingredientes para uma boa escolha profissional...
Ou melhor, para qualquer escolha.

Você também pode gostar