Você está na página 1de 47

FACULDADE ANÍSIO TEIXEIRA

CURSO DE DIREITO

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE TRABALHOS


ACADÊMICOS

FEIRA DE SANTANA – BA
2010
FACULDADE ANÍSIO TEIXEIRA

Diretor Geral
Antônio Walter Moraes Lima

Diretor Acadêmico

Coordenadora do Curso de Direito


Hilda Ledoux Vargas

Bibliotecária

Elaboração e Diagramação
Iracema Fazio

Revisão do Texto
Iracema Fazio

FEIRA DE SANTANA – BA
2010
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................5
2 ESTRUTURA E ORDEM............................................................................................6
2.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS...........................................................................7
2.1.1 Capa..............................................................................................................7
2.1.2 Folha de Rosto..............................................................................................8
2.1.3 Errata...........................................................................................................10
2.1.4 Folha de Aprovação....................................................................................10
2.1.5 Dedicatória..................................................................................................11
2.1.6 Agradecimentos..........................................................................................11
2.1.7 Epígrafe.......................................................................................................12
2.1.8 Resumo na língua vernácula......................................................................12
2.1.9 Resumo em Língua Estrangeira.................................................................13
2.1.10 Palavras-chave.........................................................................................13
2.1.11 Lista de Ilustrações...................................................................................14
2.1.12 Lista de Abreviaturas e Siglas..................................................................15
2.1.13 Sumário.....................................................................................................15
2.2 ELEMENTOS TEXTUAIS..................................................................................18
2.2.1 Introdução...................................................................................................18
2.2.2 Desenvolvimento.........................................................................................18
2.2.3 Conclusão...................................................................................................19
2.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS.........................................................................19
2.3.1 Referências.................................................................................................19
2.3.2 Apêndice.....................................................................................................28
2.3.3 Anexo..........................................................................................................29
3. FORMATAÇÃO DOS TRABALHOS ACADÊMICOS..............................................30
3.1 PAPEL E MARGEM...........................................................................................31
3.2 FONTE E ESPACEJAMENTO (ENTRELINHAS).............................................31
3.3 NUMERAÇÃO DAS PÁGINAS E DAS SEÇÕES..............................................31
3.4 SIGLAS, IDENTIFICAÇÕES DE ILUSTRAÇÕES E TABELAS........................34
4. CITAÇÕES..............................................................................................................36
4.1 NOTAS DE RODAPÉ........................................................................................37
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

5. NBR6022:2003 – ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA


IMPRESSA..................................................................................................................39
5.1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS........................................................................40
5.2 ESTRUTURA.....................................................................................................40
6. NBR 15287:2005 – PROJETO DE PESQUISA......................................................41
6.1 ESTRUTURA.....................................................................................................41
6.1.1 Elementos Pré-textuais...............................................................................42
6.1.2 Elementos Textuais.....................................................................................42
6.1.3 Elementos Pós-Textuais.............................................................................43
7. EVENTOS ACADÊMICOS......................................................................................43
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 5

1 INTRODUÇÃO

Após a Resolução CONSAC 009/2009, estabelecendo as normas de


funcionamento das disciplinas CSA 034 – Trabalho de Conclusão de Curso I e CSA
039 – Trabalho de Conclusão de Curso II do Curso de Direito da Faculdade Anísio
Teixeira de Feira de Santana e por forma a considerar a aplicação das normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), órgão no Brasil responsável
pelas regras de normalização de trabalhos acadêmicos, é que se apresenta o
presente manual.
Refira-se que o objetivo principal do mesmo é propiciar ao aluno do Curso de
Direito da FAT o apurado conhecimento às referidas normas técnicas da ABNT.
Assim é que se apresenta um acesso facilitador aos mais solicitados e utilizados
detalhes em formatação de trabalhos, referindo-se de forma clara e sucinta as
regras que o Curso de Direito da FAT adota em razão do seguimento das normas
técnicas da ABNT.
Sem embargo, objetiva-se com este manual proceder-se a uma releitura
facilitada das normas técnicas da ABNT, indicando-se, para tanto, as suas últimas
atualizações, e inclusive realizando-se adequações necessárias que corroboram
com a Resolução CONSAC 009/2009, bem como a realidade por algumas vezes
não respondidas pelas referidas normas da ABNT.
É de destacar que o objetivo primordial na exigência de um padrão na
apresentação dos trabalhos acadêmicos é a divulgação dos dados técnicos obtidos
e analisados e registrá-los em caráter permanente, proporcionando a outros
pesquisadores, fontes de pesquisas fiéis, capazes de nortear futuros trabalhos de
pesquisa, facilitando sua recuperação nos diversos sistemas de informação
utilizados no país.
Pontue-se que este manual fora elaborado com a intenção de trabalhar o
conteúdo das seguintes normas técnicas da ABNT:
 NBR 6023:2002 - Informação e Documentação –
Referências – Elaboração;
 NRB 6024:2003 – Numeração progressiva das seções de
um documento – Procedimento;
 NBR 6027:2003 – Sumários – Procedimento;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 6

 NBR 6028:2003 – Resumos – Procedimentos,


 NBR 10520:2002 – Informação e documentação -
Apresentação de citações em documentos,
 NBR 14724:2005 – Informação e documentação –
Trabalhos acadêmicos – Apresentação.
Assim, por tratar-se de uma adequação ao conteúdo das acima citadas
normas, por vezes será utilizado o texto dos originais.

2 ESTRUTURA E ORDEM

De acordo com a NBR 14724:2005 a estrutura das teses, dissertações,


trabalhos de Conclusão entre outros compreendem: elementos pré-textuais,
elementos textuais e elementos pós-textuais.
Na tabela abaixo os elementos estão apresentados na ordem que devem vir
no trabalho.
ELEMENTOS ITENS
Capa (obrigatório)
Folha de rosto (obrigatório)
Ficha Catalográfica (quando for o caso)
Errata (opcional)
Folha de Aprovação (quando for o caso)
Dedicatória (opcional)
Agradecimento (opcional)
Pré-textuais
Epígrafe (opcional)
Resumo em língua vernácula (obrigatório)
Resumo em língua estrangeira (quando for o caso)
Palavras-chave (obrigatório)
Lista de Ilustrações (figuras, tabelas, gráficos,
símbolos, etc) (opcional)
Lista de abreviaturas e siglas (opcional)
Sumário (obrigatório)
Introdução
Textuais
Desenvolvimento
Conclusão
Pós-textuais Referências (obrigatório)
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 7

Apêndice (opcional)
Anexo (opcional)
Quadro 1 – Estrutura do trabalho acadêmico
FONTE: ABNT (2002, p. 3)

2.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS


Os elementos pré-textuais são os que antecedem o texto com informações que
identificam o trabalho.

2.1.1 Capa
A capa é a primeira página do trabalho e deve conter dados que permitam a
correta identificação do mesmo. A capa deve conter os seguintes elementos:
 Símbolo da Instituição (em preto e branco);
 Nome Instituição;
 Faculdade;
 Curso ou Programa;
 Nome do autor do trabalho;
 Título do trabalho;
 Subtítulo se houver;
 Número de volumes (se houver mais de um, deve constar na capa a
identificação do respectivo volume)
 Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;
 Data (ano de depósito/ou da entrega).
Quanto à distribuição das informações na capa, o símbolo virá centralizado, a
instituição, faculdade e curso virão abaixo dele em fonte 14. Pulando duas linhas,
virão o nome dos autores (fonte 14), um embaixo do outro, sem espaço. O título
deve ser centralizado na página de acordo com as outras informações contidas na
mesma em fonte 16. Cidade e ano (um embaixo do outro) virão na penúltima e
última linhas respectivamente.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 8

Símbolo em
preto e
FACULDADE ANÍSIO TEIXEIRA branco
CURSO DE DIREITO
Os 2 itens:
espaço simples,
fonte 14
Autor: após
IRACEMA FAZIO pular 2 linhas,
fonte 14

Título: em DIREITOS DA PERSONALIDADE


negrito e
fonte 16

Feira de Santana-BA
2010
Os 2 itens: espaço
simples, fonte 14

Figura 1 – Exemplo de capa

2.1.2 Folha de Rosto


Anverso da folha de rosto
A folha de rosto deve conter os mesmos elementos da capa, acrescidos de
informações complementares necessárias à perfeita identificação do trabalho:
 Nome do autor: no início da página (primeira informação);
 Título do trabalho - subtítulo se houver: no centro, o título principal do
trabalho e subtítulo em negrito;
 Número de volumes (se houver mais de um, deve constar na capa a
identificação do respectivo volume);
 Natureza (tese, dissertação, trabalho de conclusão – TCC, trabalho
acadêmico de sala de aula) e objetivo (aprovação em disciplina ou grau pretendido e
outros); nome da instituição a que é submetido, area de concentração e curso: pule
uma linha, coloque, a 8 cm da margem;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 9

 Nome do orientador, precedido da palavra “Orientador”: pulando outra


linha (A abreviatura de Mestre é Me. Cf. ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS,
Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, 2007);
 Co-orientador (se houver): precedido da palavra “Co-orientador”;
 Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;
 Data (ano de depósito/ou da entrega).

Verso da folha de rosto


Ficha Catalográfica, constitui-se de um conjunto de informações bibliográficas
descritas de forma ordenada, seguindo o Código de Catalogação Anglo-Americano
vigente.
Deve ser inserida no verso da folha de rosto.
É obrigatória somente para dissertações e teses. Sua elaboração é de
responsabilidade do profissional bibliotecário com registro no Conselho de
Biblioteconomia.

IRACEMA FAZIO

DIREITOS DA PERSONALIDADE

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao


Curso de Direito da Faculdade Anísio Teixeira,
como requisito parcial para obtenção do grau de
Bacharel em Direito.

Natureza do Orientadora: Profª. Me. Maria Castro

trabalho: a 8
cm da
margem Feira de Santana-BA
2010
esquerda,
após pular
Figura 2 – Exemplo de Folha de rosto
uma linha.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 10

2.1.3 Errata

Apresenta-se geralmente em folha avulsa ou encartada, sendo anexada à


obra depois de impressa. Consiste em uma lista de erros tipográficos ou de outra
natureza, com as devidas correções e indicações das folhas e linha em que
aparecem. Deve ser inserida logo após a folha de rosto.

Trata-se de um elemento opcional que consiste em uma lista de folhas e


linhas, nas quais se apresentam os erros de digitação, gramaticais, de dados, etc.,
seguidos das devidas correções. No dia da defesa do TCC ou na entrega do
trabalho, a errata é entregue em folha solta a quem analisará o seu trabalho.
Exemplo:

2.1.4 Folha de Aprovação


Deve conter o nome do autor, do título e subtítulo por extenso, natureza,
IRACEMA FAZIO
objetivo, nome da instituição a que é submetida, área de concentração, data de
aprovação, nome e titulação dos membros componentes da banca examinadora e
DIREITOS DA PERSONALIDADE
suas assinaturas.
Trabalho de Conclusão de
Curso apresentado ao
Curso de Direito da Faculdade
Anísio Teixeira, como requisito
parcial para obtenção do grau
de Bacharel em Direito.

Aprovado em (dia) (mês) e (ano)

BANCA EXAMINADORA
__________________________________________
______________
Componente da Banca Examinadora – Instituição a
que pertence

__________________________________________
______________
Componente da Banca Examinadora – Instituição a
que pertence
Figura 3 – Exemplo de Folha de
______________
Componente da Banca Examinadora – Instituição a

que pertence 11
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

2.1.5 Dedicatória
Folha opcional que tem o objetivo de fazer uma homenagem especial o seu
trabalho a uma ou mais pessoas. A dedicatória vem posicionada entre as três
últimas linhas da página e não tem título.

Figura 4 – Exemplo de Dedicatória

2.1.6 Agradecimentos
Os agradecimentos (elemento opcional) devem ser dirigidos àqueles que
realmente contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho, (empresas
ou organizações que fizeram parte da pesquisa) ou pessoas (profissionais,
pesquisadores, orientador, bibliotecário, bolsistas, etc.) que colaboraram
efetivamente para o trabalho. Colocar os agradecimentos em ordem hierárquica de
importância de forma objetiva e direta.

AGRADECIMENTOS

Foram muitos, os que me ajudaram a concluir este trabalho.


Meus sinceros agradecimentos à minha família, pela confiança e pelo
apoio; a Fulano de tal, por sua força, conhecimento e disposição, diante
das minhas limitações; às amigas da graduação, pelas conversas e pela
amizade; às professoras Ana Clara e Maria Augusta, pelas valiosas
sugestões, na banca de qualificação; à direção, aos professores e aos
alunos que participaram deste trabalho; ao Prof. Dr. Fulano de tal, por
aceitar a orientação deste estudo e conduzir seu
desenvolvimento, com muita sabedoria e paciência.

Figura 5 – Exemplo de Agradecimento


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 12

2.1.7 Epígrafe
Elemento opcional, colocado após o agradecimento, onde o autor apresenta
uma citação (verso, estrofe, frase etc.), seguida de indicação de autoria, relacionada
com a matéria tratada no corpo do trabalho, representando, assim a essência do
trabalho. Podem também constar epígrafes nas folhas de aberturas das seções
primárias.
A posição da epígrafe, na página, é quase ao final desta, deixando duas a
três linhas após.

“O homem é um ser que vive de ilusões e de


esperanças, às quais nunca puderam dar morte os
grandes cataclismas da história.”
Mario de La Cueva

Figura 6 – Epígrafe

2.1.8 Resumo na língua vernácula


Elemento obrigatório, constituído de uma seqüência de frases concisas e
objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos. “O resumo deve ressaltar o
objetivo, o método, os resultados e as conclusões do documento” (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2003c, p. 2). A sua extensão deve ter de
150 a 500 palavras para Trabalhos de Conclusão de Graduação, Especialização,
Mestrado e Doutorado. Deve-se usar o verbo na voz ativa e terceira pessoa do
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 13

singular. O resumo é feito em um único parágrafo, seguido das palavras-chave e/ou


descritores, conforme NBR-6028:2003. (Figura 7).

2.1.9 Resumo em Língua Estrangeira


Elemento obrigatório somente para dissertações e tese, digitado em folha
separada (em inglês abstract, em espanhol Resumen, em francês Résumé), seguido
das palavras-chave e/ou descritores.

2.1.10 Palavras-chave
Logo abaixo do resumo, pulando uma linha, devem seguir as palavras-chave
que representem melhor o conteúdo do documento. Pode ser uma palavra ou uma
expressão formada por duas ou três palavras. São iniciadas por letra maiúscula,
separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto. Recomenda-se entre
três e cinco palavras-chave (Figura 7).

Entre o título e o
texto: 2 espaços
de 1,5.

RESUMO
Texto: em um
parágrafo, espaço Diante da necessidade de fundamentar a existência de
direitos .....................................................................................................
simples. ..................................................................................................................
..................................................................................................................
..................................................................................................................
..................................................................................................................
..................................................................................................................
..................................................................................................................
.............................................

Palavras-chave: Direitos da Personalidade, Jusnaturalismo, Atributos


da Personalidade.

Figura 7 – Exemplo de Resumo


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 14

2.1.11 Lista de Ilustrações


Apresentam os elementos ilustrativos adotados no texto. Quando necessário,
recomenda-se lista própria para cada tipo de ilustração (figuras, quadros, gráficos,
desenhos, fotografias, organogramas, gravuras e outros).
Os itens da lista devem identificados pela palavra designativa conforme o tipo
de ilustração e são elaborados de acordo com a ordem em que as ilustrações são
apresentadas no texto, acompanhadas de seu nome e sua respectiva página.
É recomendada uma lista para cada tipo de ilustração (gráficos, quadros,
fotografias, desenhos etc). Vem seu título centralizado, em negrito e em maiúscula.
Pulando duas linhas, inicia-se a lista: ponha na ordem que aparece no texto (Figura
1..., Figura 2..., Gráfico 1... Gráfico 2...), após um travessão, o título e, em seguida, o
número da página. A formatação entre linhas é 1,5 (um e meio).
Cada lista deve ter, no mínimo, dois itens. Se o trabalho tiver um mapa e dois
gráficos, por exemplo, nesse caso, faça uma lista e ponha o título “LISTA DE
ILUSTRAÇÕES”. Havendo mais de dois itens (gráficos, tabelas etc.), faça uma lista
para cada, e o título será correspondente à lista que está sendo feita (LISTA DE
GÁFICOS, LISTA DE TABELAS etc.), confira a Figura 8.

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Organograma................................................................. 14
Figura 2 - Fluxograma ................................................................... 16
Figura 3 - Fluxo da documentação..................................................20

Figura 8 – Exemplo de Lista


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 15

2.1.12 Lista de Abreviaturas e Siglas


Alguns trabalhos utilizam diversas siglas no decorrer do texto. Para facilitar a
leitura e a identificação destas siglas, é necessário criar uma lista em ordem
alfabética seguidas de seu significado. Vem seu título centralizado, em negrito e em
maiúscula. Pulando duas linhas, inicia-se a lista: deve vir em ordem alfabética, após
um travessão, coloca-se, o significado. A formatação entre linhas é 1,5 (um e meio).

2.1.13 Sumário
O Sumário é o último elemento pré-textual obrigatório. Nele são apresentadas
as principais divisões de seu trabalho. O sumário deve vir da seguinte forma:
a) os títulos e subtítulos devem ter a mesma formatação apresentada no
corpo do texto e sempre alinhados à esquerda;
b) a numeração das páginas deve seguir aos títulos e subtítulos, podendo ser
primária, secundária, quaternária e quinária (no máximo, 5 subdivisões – 1.1.1.1.1);
c) o último título a ser enumerado é a CONCLUSÃO, ou seja,
REFERÊNCIAS, ANEXOS E APÊNDICES não são enumerados, mas devem vir no
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 16

sumário. Além disso, nenhum item que antecede a INTRODUÇÃO aparece no


sumário;
d) a linha pontilhada (...........) é opcional.

SUMÁRIO
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 17

As seções devem ser formatadas da seguinte maneira:

a) seção primária (caixa alta, com negrito);


5 O COMPOSTO DE MARKETING

b) seção secundária (caixa alta, sem negrito);


5.1 ANÁLISE DE RESULTADOS

c) seção terciária (caixa baixa com negrito);


5.1.1 Conhecimento sobre a existência do núcleo

d) seção quaternária (caixa baixa com negrito);


5.1.1.1 Conhecimento interno

e) seção quinária: (caixa baixa com negrito).


5.1.1.1.1 Por parte dos alunos

No texto, as seções devem ser sempre alinhadas à esquerda. Entre o último


número e o título da seção, não se coloca travessão nem ponto, apenas um espaço
separando.
Todas as seções devem ter um texto se referindo a cada uma delas. Abaixo
há dois exemplos: o primeiro tem texto para cada seção (modo certo); o segundo
não tem texto para a seção 2 (modo errado):

a) entre a seção primária e a secundária existe um texto (modo certo);


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 18

b) após a seção primária, veio a secundária sem texto (modo errado).

2.2 ELEMENTOS TEXTUAIS


Trata-se este item do corpo do trabalho propriamente dito. Divide-se em
introdução, desenvolvimento e conclusão. A seguir, serão pormenorizados cada um
deles.

2.2.1 Introdução
Corresponde a parte inicial do trabalho devendo fornecer ao leitor uma visão
global da pesquisa realizada, apresentando o tema, delimitação do assunto
abordado, justificativa, incluindo, também a apresentação do problema específico da
pesquisa, seus objetivos e a (s) hipótese (s) e outros elementos necessários para
situar o tema do trabalho.
Segundo Fachin (2003, p. 162-163), algumas perguntas deverão ser
respondidas por você as quais darão claridade ao seu trabalho:
a) de que trata o assunto?
b) qual a situação-problema levantada?
c) em que se fundamenta o estudo?
d) qual o objetivo do pesquisador?
e) qual o relato histórico do problema?
Fachin ainda lembra que, dependendo do trabalho, todos os itens acima não
serão respondidos.

2.2.2 Desenvolvimento
O texto é a parte do documento onde o conteúdo é apresentado, o
desenvolvimento ou corpo do trabalho é a parte mais extensa e visa apresentar os
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 19

resultados da pesquisa. Divide-se geralmente em seções (capítulos) e subseções


(subcapítulos) que variam em função da natureza do conteúdo.
Deve conter a revisão de literatura sobre o assunto, resumindo os resultados
de estudos feitos por outros autores. As obras citadas e consultadas devem constar
na lista de referências.
O método da pesquisa deve apresentar os procedimentos usados para
realizar cientificamente o estudo, ou seja, o propósito do trabalho, método de
delineamento, técnicas de coleta de dados e técnica de análise.

2.2.3 Conclusão
A conclusão apresenta de forma sintética, os resultados do trabalho,
salientando a extensão e os resultados de sua contribuição, bem como seus méritos.
Deve basear-se em dados comprovados, e estarem fundamentadas nos resultados
e na discussão do texto, contendo deduções lógicas correspondentes aos objetivos
do trabalho.
É imprescindível que nesta seção do trabalho, o autor recapitule o que está
sendo defendido, corroborando com outros autores ou tendo outra leitura,
confirmando ou negando os resultados, e encerrando o estudo.

2.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS


Os elementos pós-textuais são aqueles que serviram de referência ou base
para o desenvolvimento de qualquer trabalho acadêmico. Vêm sempre após a
conclusão do texto. São eles: REFERÊNCIAS, APÊNDICES e ANEXOS.

2.3.1 Referências
Elemento obrigatório, elaborado conforme a NBR 6023:2002, configuram-se
como um conjunto padronizado de informações retiradas das obras que foram
consultadas, informações as quais servem para reconhecer, identificar e
individualizar a referida obra.
Por existir um número grande de fontes de consulta (mapa, CD, DVD,
internet, maquete, foto etc.), não é mais identificada por “referências bibliográficas”,
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 20

o título – já há algum tempo –, passou a ser apenas REFERÊNCIAS (ABNT, 2002b),


vindo centralizado em negrito e em maiúsculas. Veja a seguir as regras gerais de
formatação:
• espaçamento: as referências devem ser digitadas, usando espaço
simples entre as linhas e, para separar uma referência da outra, dois
espaços simples (duaslinhas vazias);
• margem: o alinhamento é feito somente na margem esquerda;
• destaque ao título da obra: formate em negrito, itálico ou sublinhado;
• ordem: deve vir em ordem alfabética.

Figura 11 – Organização das Referências


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 21

2.3.1.1 Partes das referências


Serão aqui relacionados os principais tipos de referências e sua distribuição:

a) autoria;

− um autor1,

− dois a três autores (são separados por ponto-e-vírgula),

− quatro autores ou mais (coloca-se o primeiro, acompanhado da expressão “et al.”,

− autor desconhecido (inicie a referência pelo título da obra),

− autor organizador, ou editor, ou coordenador etc. (coloca-se o nome do


responsável, seguido da abreviatura correspondente entre parênteses – (Org.),
(Ed.), (Coord.),

− autor instituição particular ou pública (o nome da instituição, todo em maiúscula,


inicia a referência),

− autor e mais o tradutor (o responsável pela tradução vem após o título da obra),

1
Se houver sobrenome FILHO, NETO e JÚNIOR, acrescente o sobrenome anterior (SILVA NETO,
ARAÚJO FILHO, CÂMARA JÚNIOR).
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 22

− autor repetido (quando forem apresentadas duas ou mais obras do mesmo autor,
da segunda em diante, substitui o nome por um traço sublinear – equivalente a
seis espaços – e ponto.

b) título e subtítulo (se houver);


− quando uma obra tiver título e subtítulo, o primeiro vem em negrito ou itálico; o
segundo (subtítulo) virá separado por dois-pontos, sem nenhum destaque,

c) edição;
− a palavra edição deve ser apresentada de forma abreviada. Vem logo após o título
ou subtítulo (quando houver os dois). Após o número da edição e da abreviatura –
ed. -, coloca-se um ponto (5. ed. / 10. ed.) Não se referencia a primeira edição (1.
ed.),

d) local de publicação;
− deve ser transcrito como aparece no documento. Se não encontrar o local no
mesmo documento, mas há condições de identificá-lo, apresenta-se entre colchetes
– [São Paulo]. Se não conseguir identificar, utilize entre colchetes a abreviatura [S.l.],
de sine loco. Quando a cidade for Brasília, acrescente a sigla DF,

e) editora;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 23

− a editora deve ser mencionada só através do seu nome principal (excluem-se as


palavras Ed. / Ltda. / S/A etc.). Quando não houver editora, utilize a abreviatura
entre colchetes [s.n.], de sine nomine. Se a mesma instituição for responsável pela
autoria, não será necessário fazer a identificação da editora,
FAT. Manual de trabalhos Acadêmicos. Feira de Santana, 2010.

f) ano de publicação;
− deve ser indicado em algarismos arábicos. Caso não seja possível identificá-lo, no
documento, coloca-se:

g) indicação de número de páginas;


− A indicação é feita com a abreviatura p. Para indicar intervalos de páginas, separe
o número por hífen (p. 20-36). Quando o documento não for paginado, a referência
deve ser feita acrescentando a expressão “não paginado”.

2.3.1.2 Tipos de referências


Seguem abaixo os principais tipos de referências utilizados no dia-a-dia, a ordem
que devem aparecer (incluindo a formatação e sinais de pontuação), as informações
e o exemplos:

a) livro, manual, guia, catálogo enciclopédia e dicionário;


− ordem: AUTOR DA OBRA. Título da obra: subtítulo. Número da edição. Cidade
da publicação: Editora, ano de publicação. Número de páginas.

b) capítulo de livro (cada capítulo tem um autor diferente);


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 24

− ordem: AUTOR da parte. Título da parte. Termo In: Autor da obra. Título da obra.
Número da edição. Local de Publicação: Editor, Ano de publicação. Número ou
volume, páginas inicial-final da parte,e/ou isoladas.

c) bíblia;
− ordem: BÍBLIA. Língua. Título da obra. Tradução ou versão. Local: Editora, Data
de publicação. Total de páginas. Notas (se houver).

d) dissertações e teses;
− ordem: AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou
volumes. Categoria (Grau e área de concentração) - Instituição, local.

e) Constituição;
− ordem: PAÍS. Constituição (data de promulgação). Título. Local: Editor, Ano de
publicação. Número de páginas ou volumes. Notas.

f) Leis, Decretos e Portarias;


− ordem: PAÍS, ESTADO ou MUNICÍPIO. Lei, Decreto ou Portaria, número, data
(dia, mês e ano). Ementa. Dados da publicação.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 25

g) trabalhos apresentados em eventos;


− ordem: AUTOR. Título do trabalho. Termo In: NOME DO EVENTO, número do
evento, ano do evento, Cidade do evento. Título da obra. Cidade da publicação:
Editora, ano de publicação. páginas do trabalho.

h) artigo científico;
− ordem: AUTOR. Título do trabalho. Título do periódico ou revista, Cidade, volume,
número, páginas, mês abreviado (até três letras, menos maio). Ano.

i) verbetes de dicionários;
− ordem: AUTOR. Verbete. Termo In: Título da obra. Número da edição. Local de
Publicação: Editora, Ano de publicação. Número ou volume, páginas inicial-final
da parte, e/ou isoladas. (Se não houver autor, inicie pelo verbete).

j) revistas semanais ou mensais (artigo);


− ordem: AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título da Revista, Cidade de
publicação, editora, número do volume, páginas inicial-final, mês e ano.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 26

k) jornal (artigo);
− ordem: AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do Jornal, Local de
Publicação, dia, mês e ano. Número ou Título do Caderno, seção ou suplemento e
páginas inicial e final do artigo.

l) trabalho não publicado;


− ordem: AUTOR. Título do trabalho. páginas consultadas. A expressão Trabalho
não publicado.

m) CD, CD-ROM, LP ou K7;


− ordem: AUTOR (escritor, compositor ou cantor). Título. Local: Gravadora ou
Editora, ano. Número de CDs, fitas ou LPs. Número da faixa, lado da fita ou LP (se
não consultou todo o material).

n) VHS e DVD;
− ordem: TÍTULO. Diretor ou produtor. Local: Produtora, ano. Tipo e número de
mídias.

o) entrevista;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 27

− ordem: ENTREVISTADO. Título. Loca, data. Nota da Entrevista.

p) programa de televisão e/ou rádio


− ordem: TEMA. Nome do programa. Cidade: nome da TV ou Rádio, dia, mês
(abreviado) e ano da apresentação do programa. Nota identificando o tipo de
programa.

q) artigos de periódicos na internet;


− ordem: AUTOR. Título do artigo. Título da publicação seriada, local, volume,
número, mês ano. Disponível em: <Endereço>. Acesso em: data.

r) artigos de jornais na internet;


− ordem: AUTOR. Título do artigo. Título do jornal, local, data de publicação, seção,
caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. Disponível em:
<Endereço>. Acesso em: data.

s) monografia, dissertação, tese, livro;


− ordem: AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou
volumes. Categoria (Grau e área de concentração) - Instituição, local.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 28

2.3.2 Apêndice
Algumas pessoas fazem confusão em relação a apêndice e anexo. O apêndice é o
documento (questionários, tabelas, gráficos etc.) elaborado pelo mesmo autor do
trabalho o qual está sendo escrito. Vem após as Referências. Eis a formatação:

a) a identificação é feita por letras maiúsculas e mais o título de cada material


(APÊNDICE A, APÊNDICE B...);

b) se houver mais de um apêndice, isto é, materiais diferentes, acrescente uma folha


inicial escrita APÊNDICES no centro, fonte tamanho 16.

O que determina um material ir para o Apêndice é a quantidade de dados e


informações. Se há um questionário ou ilustrações em grande número (e que vai
criar um volume considerável de páginas no texto), passará tudo isto para o
Apêndice.

Figura 12 – Exemplo de página inicial dos Apêndices


Figura 13 – Exemplo de Apêndice
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 29

2.3.3 Anexo
Diferente do apêndice, o anexo é o documento (questionários, tabelas, gráficos etc.)
elaborado por outro autor e que foi utilizado no trabalho. Vem após o Apêndice, na
ausência deste, após as Referências. A formatação e identificação são as seguintes:

a) a identificação é feita por letras maiúsculas e mais o título de cada material


(ANEXO A, ANEXO B...);

b) se houver mais de um anexo, isto é, materiais diferentes, acrescente uma folha


inicial escrita ANEXOS no centro, fonte tamanho 16.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 30

Figura 14 – Exemplo de página inicial dos Anexos

Figura 15 – Exemplo Anexo

3. FORMATAÇÃO DOS TRABALHOS ACADÊMICOS


Nesta seção, serão vistos todos os detalhes concernentes a tipo de fontes, margens,
disposição de citação etc. sempre tendo a ABNT como referência.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 31

3.1 PAPEL E MARGEM


Os textos devem ser apresentados em papel branco tamanho A4 (21cm X 29,7cm)
tinta preta para o texto, ficando as cores livres para as ilustrações. As margem terão
esquerda e superior de 3 cm, direita e inferior de 2 cm (Figura 16).

3.2 FONTE E ESPACEJAMENTO (ENTRELINHAS)


O tipo da fonte será ARIAL ou TIMES NEW ROMAN, tamanho 12 para todo o texto.
As exceções são: citações com quatro linhas ou mais – fonte tamanho 10 ou 11 –
(Figura 16); notas de rodapé, legendas das ilustrações e tabelas, tamanho da fonte
10.

Todo o texto terá espaço entre linhas 1,5 cm (um e meio). O afastamento da
primeira linha do parágrafo é de 2 cm. Não se separa um parágrafo do outro pulando
uma linha. O espaço ficará simples para citações com quatro linhas ou mais, notas
de rodapé, legendas das ilustrações e tabelas e a natureza do trabalho (o bloco de
informações que vem na folha de rosto). Em relação às referências, antes e depois
de cada, dois espaços simples; entre elas, espaço simples.

Os títulos das seções devem ser separados do texto por dois espaços de 1,5 cm
(deixam-se duas linhas em branco) (Figura 16). Todos os títulos que não recebem
numeração (ERRATA, AGRADECIMENTOS, LISTAS DE ILUSTRAÇÕES,
RESUMO, SUMÁRIO, REFERÊNCIAS, APÊNDICES, ANEXOS etc.) devem ser
centralizados, todo em letras maiúsculas e em negrito.

3.3 NUMERAÇÃO DAS PÁGINAS E DAS SEÇÕES


O primeiro número de página aparece na primeira folha de texto (INTRODUÇÃO) no
canto superior direito e vai até a última folha do ANEXO ou APÊNDICE. A contagem
das páginas para enumeração começa pela folha de rosto, como se considerasse a
capa como número zero.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 32

Toda seção primária é iniciada em uma nova página. A introdução é a seção


primária 1 (1 INTRODUÇÃO2); a CONCLUSÃO é também uma seção primária,
portanto, é enumerada. Não pode ficar uma seção finalizando uma página sem, ao
menos, uma linha de texto.

2
Segundo a ABNT, Introdução é um elemento textual, portanto, deve ser enumerado. Cf. NBR
142724, 2005.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 33

Figura 16 – Diagramação das páginas


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 34

3.4 SIGLAS, IDENTIFICAÇÕES DE ILUSTRAÇÕES E TABELAS


Toda sigla, ao aparecer pela primeira vez no texto, deve vir entre parênteses e antes
dela o seu significado. Ex.: Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Qualquer ilustração (gráfico, desenho, organograma, fotografia, mapa, quadro etc.)


tem sua identificação na parte inferior composta de tipo, número e título. A ilustração
deve aparecer próxima ao texto a que se refere. Exemplo:

As tabelas3 têm, em sua maioria, a função de representar dados estatísticos


percentuais, enumerativos, podendo ser de fontes particulares ou públicas. Sua
identificação vem na parte superior seguindo as mesmas características das
ilustrações. Exemplo:

3
Quem determina as regras para formatação de tabelas é o IBGE. Cf. ABNT, NBR 14724, 2005.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 35

As tabelas ainda têm as seguintes características (algumas delas podem ser vistas
no exemplo acima):
− se forem grandes, alinham-se ao limite das margens do corpo do texto;
− se forem pequenas, devem ser centralizadas;
− se o título ultrapassar mais de uma linha, a segunda e as demais devem
estar alinhadas sob a primeira letra da primeira linha do título;
− o título não tem ponto final;
− se a tabela for extraída de algum órgão, coloca-se este em sigla ou por
extenso;
− extraída de uma obra, indica-se a referência completa;
− os números (exceto na primeira coluna) são alinhados à direita, os nomes, à
esquerda;
− os títulos são centralizados;
− as expressões TOTAL, TOTAL GERAL etc. virão em letras maiúsculas;
− as tabelas não têm linhas laterais.

Diferente das tabelas, os quadros têm linhas laterais e servem como listagem de
informações comparativas ou de outra natureza. Exemplo:
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 36

4. CITAÇÕES
A citação é a utilização de uma informação de um autor para esclarecer ou confirmar
as idéias que estão sendo apresentadas no trabalho. Essa informação, para ser
acrescentada, precisa seguir as normas da ABNT.

Se for o sistema autor-data, entre parênteses, vêm o sobrenome do autor – em


letras maiúsculas –, o ano da publicação e o número da página. O autor também
pode vir fora dos parênteses, neste caso, só a letra inicial é maiúscula. As citações
podem ser:

a) citação direta. A transcrição é feita sem alteração alguma, conforme o original. Até
3 linhas, vem na seqüência do texto; 4 linhas em diante, vem formatado em espaço
simples, sem aspas, fonte 10 ou 11, 4 cm afastado da margem, conforme a Figura
16 apresentada anteriormente. Abaixo, o primeiro exemplo é de até 3 linhas, o
segundo, a partir de 4 linhas:

b) citação indireta. Baseia-se nas idéias de um autor para escrever o texto. Exemplo:

c) citação de citação (autor cita outro autor na sua obra). O autor citado vem fora dos
parênteses se for citação direta “Para Masi (1924 apud SÁ, 1997, p.125)”, ou dentro
dos parênteses, “(MASI, 1924 apud SÁ, 1997, p.125)” como citação indireta. Ainda
dentro dos parênteses, acrescente o ano da obra citada, a expressão apud4 (significa
citado por), o autor que cita, ano e páginas.

4
Pronuncia-se a palavra “apud” imaginando-se um acento agudo na letra “a”.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 37

No exemplo acima, há reticências entre colchetes – [...]5. Este sinal gráfico é utilizado
quando a citação está sem algumas partes, ou seja, não houve necessidade de
informar o trecho citado de modo completo.

Note também que nos exemplos aparece o nome do autor da citação fora e/ou
dentro dos parênteses. O autor aparece fora dos parênteses quando se faz menção
direta em expressões do tipo “segundo Armstrong...”, “para Armstrong...”, “de acordo
com Armstrong...”; se não for mencionado diretamente, o autor da citação vem entre
parênteses, em letras maiúsculas, seguido do ano da obra e páginas da citação
quando for o caso.

Quando se referir a uma obra com quatro autores ou mais, o sobrenome do primeiro
é mencionado, seguido da expressão “e outros”. O “et al.” (em citações) só é usado
entre parênteses. Exemplos:

4.1 NOTAS DE RODAPÉ


A nota de rodapé é um recurso que pode e deve ser utilizado. As informações têm
de ser o mais objetivas possíveis, de modo a não provocar no leitor a perda da linha
de raciocínio do texto. Elas podem ser:

a) notas de referência. Neste caso, a primeira vez que fizer a referência de um


autor, esta tem de ser completa, da mesma forma que deve aparecer nas
referências – no final do trabalho.

5
Não se usa mais as reticências entre parênteses “(...)”. Cf. NBR 10520, 2002.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 38

Se novamente necessitar de fazer uma nota para o mesmo autor, pode-se abreviar –
sobrenome, ano e páginas.

Outra maneira de abreviar é através de expressões latinas. Eis algumas delas e


seus exemplos6:

− Id., do latim Idem, significa mesmo autor. Após a primeira citação completa, utilize-
a para citar outra obra do mesmo autor, se as duas obras forem citadas na mesma
página do trabalho.

− Ibid., do latim Ibidem, significa mesma obra. Esta abreviatura é utilizada quando
fizer referência da mesma obra e citar passagens ou páginas diferentes. Da mesma
maneira que o Id., o Ibid. deve aparecer na mesma página do trabalho,
seqüencialmente.

− op. cit., do latim opus citatum, significa obra citada. No mesmo rodapé, o autor é
citado duas vezes, mas é de forma intercalada. A seqüência é sobrenome do autor,
a expressão “op. cit.” e a página da citação. Veja as notas 2 e 4:

6
Segundo a ABNT (NBR 10520, 2002), as expressões latinas não devem ser usadas sem, ao menos,
ter o autor de referência no mesmo rodapé.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 39

− passim, do latim, significa aqui ali, em diversas passagens do texto. Esta


expressão é utilizada para mencionar que você tirou as idéias do autor em várias
passagens da obra, fazendo uma espécie de “resumo” ou compilação.

− loc. cit., do latim loco citato, significa no lugar citado, “na mesma página”. Se você
tirou duas citações numa mesma página, a primeira referência vem com o número
da página e, na segunda, substitua o número pela expressão “loc. cit.”.

b) notas explicativas. São informações complementares consideradas importantes,


mas que não se adequam ou cabem na seqüência do texto, podendo destoar do que
esteja sendo lido.

Refira-se que a opção pelo sistema autor-data não exclui a utilização das notas de
rodapé e vice-versa; todavia, se feita esta opção mista, observe-se que para
citações no texto deve-se utilizar o sistema autor-data, e o numérico para notas
explicativas.

5. NBR6022:2003 – ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA


IMPRESSA
Esta norma tem por objetivo estabelecer um sistema para apresentação dos
elementos que constituem o artigo em publicação periódica científica impressa.

A norma define 3 modelos de artigo que são:


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 40

• Artigo científico: é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e
discute idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do
conhecimento;
• Artigo de revisão: é parte de uma publicação que resume, analisa e discute
informações já publicadas;
• Artigo original: é parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens
originais.

5.1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS


Para elaboração de um artigo será necessário utilizar um conjunto de normas
relacionadas, listadas a seguir:
• NBR 6023:2002 – Informação e documentação – Referências – Elaboração;
• NBR 6024: 2003 – Informação e documentação – Numeração progressiva das
seções de um documento escrito – Apresentação;
• NBR 6028: 1990 – Resumos – Procedimento;
• NBR 10520:2002 – Informação e documentação – Citações em documentos –
Apresentação;
• IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

5.2 ESTRUTURA
O artigo é constituído de elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais, conforme
estrutura logo abaixo:
Título (subtítulo);
Autor;
Pré-Textuais
Pré-textuais Resumo na língua do texto;
Palavras-chave na língua do texto.
Introdução;
Textuais Desenvolvimento;
Conclusão.
Pós-Textuais Título em língua estrangeira;
Resumo em língua estrangeira;
Palavras-chave em língua estrangeira;
Pós-Textuais Notas explicativas;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 41

Referências;
Glossário;
Apêndice;
Anexo.

6. NBR 15287:2005 – PROJETO DE PESQUISA


A norma referente à Projeto de Pesquisa tem por objetivo estabelecer princípios
gerais para apresentação.

A seguir segue relação de Normas relacionadas a esta:


• ABNT NBR6023:2002 – Informação e documentação – Referências;
• ABNT NBR6024:2003 – Informação e documentação – Numeração
Progressiva das seções de um documento escrito;
• ABNT NBR6027:2003– Informação e documentação – Sumário;
• ABNT NBR6034:2004– Informação e documentação – Índice;
• ABNT NBR10520:2002– Informação e documentação – Citações em
Documentos;
• ABNT NBR12225:2004 – Informação e documentação – Lombada;
• IBGE. Norma de apresentação tabular. 3.ed. Rio de Janeiro, 1993.

Observação: Ao utilizar as Normas, convém observar a edição de cada uma acima


relacionada, uma vez que estão sujeitas a revisões, sendo recomendado que se
verifiquem a utilização de edições atualizadas.

6.1 ESTRUTURA
A estrutura de um Projeto de Pesquisa compreende em:
- Elementos pré-textuais;
- Elementos textuais;
- Elementos pós-textuais.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 42

6.1.1 Elementos Pré-textuais

• Os elementos pré-textuais compreendem em:


• Capa(Opcional);
• Lombada (Opcional);
• Folha de Rosto (Obrigatório);
• Lista de Ilustrações (Opcional);
• Lista deTabelas(Opcional);
• Lista de Abreviaturas e Siglas (Opcional);
• Lista de Símbolos (Opcional);
• Sumário (Obrigatório).

6.1.2 Elementos Textuais


Estes devem ser constituídos de:
• Introdução: Parte inicial de apresentação do Projeto de Pesquisa que situa o
leitor no contexto da pesquisa através da apresentação do tema principal;
• Objetivos: Estes descrevem as intenções a serem atingidas através do
projeto. Divide-se em:
 Objetivos Gerais: são os que definem o propósito do trabalho;
 Objetivos Específicos: são os operacionalizam especificando o modo
como se pretende atingir o objetivo geral;
• Justificativa: Através da apresentação das dimensões, importância,
oportunidade e viabilidade o autor justifica o projeto.

Faz-se necessário também que sejam indicados o referencial teórico que embasa a
metodologia que vai ser utilizada e recursos necessários para sua consecução
assim como um cronograma.

Dicas:
− O Referencial teórico apresenta as fontes de informação que fundamentam o
objeto da investigação;
− A Metodologia demonstra como o projeto será realizado. Devendo ser apresentado
o delineamento da pesquisa, técnica de coleta e análise de dados;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 43

− Cronograma apresenta a previsão de um período para realização do presente


projeto de estudo. É o detalhamento das principais atividades que serão realizadas,
bem como as datas que tais eventos acontecerão.

6.1.3 Elementos Pós-Textuais


São os seguintes:
• Referências (Obrigatório);
• Glossário (Opcional);
• Apêndice (Opcional);
• Anexo (Opcional);
• Índice (Opcional).

7. EVENTOS ACADÊMICOS
São ações que envolvem organização, promoção ou atuação, implicando em
apresentação pública, livre ou para clientela definida, objetivando a difusão do
conhecimento desenvolvido pela Faculdade. Os principais tipos de eventos são:
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 44

a) Congresso. Reunião de pessoas que examinam interesses comuns ou realizam


estudos comuns. Reunião semipública que tem em vista o debate de idéias sobre
um ou vários temas prefixados, na procura de encontrar conclusões que podem
interessar a terceiros;

b) Conferência. Exposição científica, oral, realizada por especialista, de forma mais


aprofundada que a palestra, ainda que de modo simples e direto permitindo ao
público compreender e assimilar o que está sendo exposto;

c) Palestra. Atividade centrada em exposição oral. Objetiva suscitar, motivar,


esclarecer e divulgar, em linhas gerais e iniciais, a experiência e trabalho
desenvolvido pelo palestrante acerca de um dado tema ou assunto. A palestra
caracteriza-se enquanto atividade onde o palestrante desenvolve de modo metódico
e estruturado o tema ou assunto, sem aprofundar-se, ainda que de modo
esclarecedor e contributivo para com sua audiência, evidenciando a relevância de
tais estudos e/ou experiências;

d) Seminário. Atividade acerca de um tema ou assunto, onde educador e educando,


de modo teórico e/ou prático, interagem suas percepções, sentimentos e
experiências buscando suscitar, através da análise, raciocínio e reflexão, novas
considerações e desdobramentos, a partir das colocações dos seus participantes.
Objetiva possibilitar aos participantes uma interação no desdobramento do assunto
ou tema, enquanto efetivos construtores da atividade, a partir das suas diferentes e
diversas contribuições. O seminário caracteriza-se enquanto atividade onde o
docente utiliza-se de métodos e técnicas que busquem e favoreçam a interação dos
participantes, seja com o tema ou assunto, seja entre si, acolhendo e valorizando a
participação e construção de todos;

e) Oficina. Atividade pedagógica centrada na valorização da experiência por parte


dos seus participantes, através de estudos teóricos e, predominantemente, práticos;
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 45

f) Simpósio. Reunião ou colóquio geralmente científico, para discussão de um


assunto ou tema, com a intenção de realizar um intercâmbio de conhecimentos;

g) Fórum. Local ou reunião pública para discussão de assuntos importantes;

h) Painel. Reunião de vários especialistas que vão expor suas idéias sobre
determinado assunto, de maneira informal e dialogada, mesmo que estes exponham
posições diversas e apreciem perspectivas diferentes. Tem por objetivo proporcionar
o conhecimento mais aprofundado de um tema, através da discussão informal, o que
implica na participação mais ativa do auditório, que não se limita a ouvir as
exposições. A discussão do assunto entre os expositores, diante do auditório, induz
o ouvinte à participação espontânea, por meio de perguntas e respostas dirigidas
aos componentes do painel. O tom da conversa informal não dispensa a
participação de um coordenador, que elabora um roteiro, de acordo com os
componentes, cujo número vai de três a seis;

i) Mesa Redonda. Conferência coletiva em que os intervenientes, sentados em


redor da mesma mesa, participam da discussão de um mesmo tema ou assunto.
Geralmente tem um moderador que a orienta e disciplina, admitindo-se, por vezes, a
participação da assistência que pode dirigir perguntas aos integrantes da mesa;

j) Lançamento. Primeira apresentação de um livro, de um filme, de um produto etc.


MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 46

REFERÊNCIAS

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Vocabulário Ortográfico da Língua


Portuguesa. Disponível em: <http://www.academia.org.br>. Acesso em: 20 jul.
2007.

ALVES, Maria Bernadete Martins; ARRUDA, Suzana Margareth. Como fazer


referências: bibliográficas, eletrônicas e demais formas de documentos. 2003.
Disponível em: <http://www.bu.ufsc.br/home982.html>. Acesso em: 16 jan. 2006.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e


documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

______. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos:


apresentação. Rio de Janeiro, 2005.

______. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de


Janeiro, 2002.

______. NBR 6024: informação e documentação: numeração progressiva das


seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

______. NBR 6027: informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de


Janeiro, 2003.

______. NBR 6028: informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de


Janeiro, 2003.

______. NBR10520: informação e documentação: citações em documentos:


apresentação. Rio de Janeiro: 2002.

______. NBR14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos:


apresentação. Rio de Janeiro: 2005.
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 47

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. IBGE. Censo


demográfico 1991. Brasília, 1991 Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censodem/tab207.shtm>.
Acesso em: 2 mar. 2006.

FACHIN, Odília. Fundamentos da metodologia. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

UNIME. Manual de Trabalhos Acadêmicos. Lauro de Freitas: 2007.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS. Elaboração de Trabalhos


Técnico-Científicos. São Leopoldo: 2007.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Normas para apresentação de


documentos, 9: tabelas. Curitiba: UFPR, 2000.