Você está na página 1de 13

i

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE


INSTITUTO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Curso: Licenciatura em Ensino de


Matemática
Disciplina: Geometria Projectiva
Ano de Frequência: 4º

Nampula, Maio, 2021


ii

Folha de Feedback
Classificação
Nota
Categorias Indicadores Padrões Pontuaçã
do Subtotal
o máxima
tutor
 Capa 0.5
 Índice 0.5
Aspectos  Introdução 0.5
Estrutura
organizacionais  Discussão 0.5
 Conclusão 0.5
 Bibliografia 0.5
 Contextualização
(Indicação clara do 1.0
problema)
 Descrição dos
Introdução 1.0
objectivos
 Metodologia
adequada ao 2.0
objecto do trabalho
 Articulação e
domínio do
discurso académico
(expressão escrita 2.0
Conteúdo cuidada,
coerência / coesão
textual)
Análise e
 Revisão
discussão
bibliográfica
nacional e
2.
internacionais
relevantes na área
de estudo
 Exploração dos
2.0
dados
 Contributos
Conclusão 2.0
teóricos práticos
 Paginação, tipo e
tamanho de letra,
Aspectos
Formatação paragrafo, 1.0
gerais
espaçamento entre
linhas
Referências Normas APA
 Rigor e coerência
Bibliográfica 6ª edição em 4.0
das
s citações e
iii

citações/referências
bibliografia
bibliográficas
iv

Folha para recomendações de melhoria: A ser preenchida pelo tutor


______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
v

Índice
Introdução.........................................................................................................................................3

Exercício 1........................................................................................................................................4

Exercício 1.1.....................................................................................................................................4

Exercício 2........................................................................................................................................4

Exercício 3........................................................................................................................................5

Exercício 4........................................................................................................................................5

Exercício 5........................................................................................................................................7

Exercício 6........................................................................................................................................8

Conclusão.........................................................................................................................................9

Referências Bibliográficas..............................................................................................................10
3

Introdução

Geometria projetiva ou projectiva, é o estudo das propriedades descritivas das figuras


geométricas. A Geometria Projetiva, consolida-se a partir de uma publicação de Jean Victor
Poncelet, intitulada Tratado das Propriedades Projetivas das Figuras no ano de 1822. Ampliando
a linguagem da "Simples Geometria" aproximando-a da Geometria analítica e, sobretudo
oferecendo meios próprios para demonstrar e fazer descobrir as propriedades de que gozam as
figuras, quando se as considera de uma maneira abstrata e independente de qualquer grandeza
absoluta e determinada.

O presente trabalho trata-se de uma resolução de 6 exercícios sobre a Geometria Projectiva.

O trabalho foi elaborado na base de pesquisa bibliográfica e apresenta a seguinte estrutura:


Introdução, desenvolvimento, Conclusão e Referências Bibliográficas.
4

Exercício 1.

Como se apresenta uma Dualidade?

Com o Princípio da Dualidade afirmamos que, na geometria projetiva do plano, qualquer


definição se mantém com significado e cada teorema continua a ser verdadeiro, quando trocamos
as palavras ponto por reta e reta por ponto (e consequentemente também certos pares de palavras
tais como intersetam-se em e passam por, colinear e concorrente, vértice e lado, etc. Por exemplo,
o dual do ponto AB.CD é a reta (a.b) (c.d) que explicita que simbolicamente não só trocamos
maiúsculas por minúsculas como temos de remover pontos (com o significado de interseção)
onde estão presentes ou de os inserir onde estão ausentes.

Exercício 1.1.

Escreva as proposições duais de:

1.1.1 Duas rectas de um plano tem, pelo menos, um ponto comum;

R: Duas rectas que passam por um ponto formam, pelo menos, um plano.

1.1.2. Em cada recta há, pelo menos, três pontos;

R: Dual: Em cada ponto passam, pelo menos, três rectas.

1.1.3. Nem todos os pontos pertences a um mesmo plano

R: Nem todos os planos possuem o mesmo ponto.

Exercício 2.

Anuncie as propriedades das configurações.

Propriedades das Configurações


1. Nas configurações (mc ; nd ) sempre verifica-se que m× c=n× d
2. Numa configuração (mc ; nd ) se m (número de pontos) for menor a n (número de lados) então
define-se o nome da figura com a sufixação vértice. Caso contrário, isto é, se m for maior a n
define-se o nome da figura com a sufixação látero.
5

Exercício 3.

Qual das seguintes configurações é possível representar?

3.1. (7 4 ; 47 ) – Não é possível representar

3.2.( 43 ; 62 ) – é possível representar

l6

V4

V2

V1
V3 l1

l5
l2
l4 l3

Figura 1. Quadrivértice ( 43 ; 62 )

3.3. (36 ; 63 ) - Não é possível representar

3.4. Determine os valores de x e y para que as seguintes configurações seja possível representar.
( x 2 ; y7 ) e ( y x; 9 3)

R: para representar ( x 2 ; y 7 ) , x=7 e y=2 logo :(72 ; 27)

Para representar ( y x; 9 3 ) , x=3 e y=9 , logo ( 3 9 ; 93 )

Exercício 4.
6

Resolva e descreva todo o processo da sua resolução.

4.1. Dados dois pontos A e B, tirar por uma recta exterior r, um ponto que seja colinear com
outros dois, sem uni-los.

Precisamos encontrar um ponto que seja colinear com os outros dois dados. Para isso,
conhecemos a recta r que contem esse ponto. Primeiro traçam-se os pontos A´ e B´ na recta r,
Consideremos um ponto C qualquer como o terceiro vértice de modo a obter o triângulo ABC
que terá como correspondente o triângulo A´B´C´. Na configuração de Desargues, as rectas que
unem vértices correspondentes são concorrentes num ponto chamado centro e, os lados
correspondentes intersectam-se em três pontos que pertencem a mesma recta, eixo de
perspectividade. Assim sendo temos pontos do eixo que chamaremos de O e N que surge pela
intersecção dos lados (BC) e (B´C´) (AC) e (A´C´) e outro pontos do eixo de intersecção dos
lados (AB) e (A´B´) será identificado pela intersecção do eixo com a recta r. O ponto identificado
é o ponto P, que é colinear com os pontos A e B.
7

4.2 Seja dado o paralelogramo ABCD e uma recta n em qualquer posicao. Seja M um ponto
pertencente ao lado ( AB). Traçar M uma recta l paralela a n, apenas com regua.

Exercício 5.

Desenhar um triângulo equilátero inscrito numa circunferência de três centímetros de diâmetro.


Designar por A o ponto da circunferência diametralmente oposto ao vértice Z. Determinar os
vértices B, C e D quadrângulo com o quarto vértice em A e que tenha, para triângulo diagonal, o
triangulo XYZ.
8

Exercício 6.

Defina as propriedades da razão dupla

R: Propriedades da razão dupla:

1. A razão dupla ( ABCD) é positiva se os pontos estão sequenciados e negativa caso contrário.

2. As razões duplas correspondentes a duas ordenações que obtenham uma da outra por
permutação de dois quaisquer elementos e simultaneamente dos dois restantes são iguais; isto é,
se ( ABCD )=k ⇒ ( BADC )=( DCBA )=k.

3. Permutando, entre sí, numa ordenação, os dois primeiros elementos ou os dois últimos
elementos, as razões duplas correspondentes são recíprocas; isto é, se

1
( ABCD )=k ⇒ ( BACD ) =( ABDC )= .
k

4. Permutando, numa ordenação de quatro pontos duma recta, os pontos médios, as razões
projectivas correspondentes são uma a complementar da outra para a unidade; quer dizer,

se ( ABCD )=k ⇒ ( ACBD ) =1−k .


9

Conclusão

Na geometria projetiva, o teorema de Desargues afirma que: Dois triângulos estão em perspectiva
axial se, e somente se, estiverem em perspectiva central. Quando o teorema é estudado no espaço
tridimensional, o eixo de perspectiva é a reta de fuga.

Um quadrúplo harmónico de pontos é definido num quadrivétice e é o conjunto dos quatros


pontos na recta que une os pontos diagonais. Assim, o quadruplo harmónico é constituído pelos
dois pontos diagonais e dois pontos de intersecção das rectas que passam pelo terceiro ponto
diagonal com o lado diagonal.
10

Referências Bibliográficas

 AUFFINGER, António Carlos T. de C. & VALENTIM, Fábio Júlio da Silva. (2003).


Introdução à geometria Projectiva. Departamento de Matemática da Universidade
Federal do Santo; Vitória;
 FRANCO, Valdeni Soliani; WATERMANN, Ivone. (2009). Geometria projetiva no
laboratório de ensino de matemática. Disponível em:
http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2192?
HPSESSID=2010012508181580. Acesso em: 21 de Julho de 2021;
 MUCHANGA, Fernando Alfredo. Manual de Geometria Projectiva. Universidade
Católica – Centro de Ensino à Distância. Beira;

Você também pode gostar