Você está na página 1de 17

TEORIA E PRÁTICA DA AVALIAÇÃO MORFOFUNCIONAL 

Aula 3: Avaliação Postural

Apresentação
Estudaremos a padronização para a realização de uma avaliação postural estática e subjetiva, baseada em dois planos
corporais: Plano Frontal (vista anterior e posterior); e Plano Sagital (vista lateral direita e esquerda).

A observação dos desvios deverá respeitar uma sequência lógica de baixo para cima, a fim de facilitar a observação do
avaliador que terá como objetivo restaurar o equilíbrio muscular encontrado por meio de exercícios específicos.

Objetivos
Apontar os principais instrumentos de medida e a padronização da avaliação postural subjetiva;

Descrever os principais desvios posturais para o plano frontal (vista anterior e posterior);

Descrever os principais desvios posturais para o plano sagital (vista lateral).

A avaliação postural
A avaliação postural subjetiva poderá ser utilizada pelo profissional de Educação Física para observar os principais desvios
posturais existentes no plano frontal (vista anterior e posterior) e no plano sagital (vista lateral direita e esquerda).

A avaliação postural subjetiva poderá ser utilizada pelo profissional de


Educação Física para observar os principais desvios posturais existentes no
plano frontal (vista anterior e posterior) e no plano sagital (vista lateral
direita e esquerda).

Avaliação postural: Frente, Perfil e Costas no simetrógrafo.
Fonte: (BLOG PILATES, 2015, on-line).

Uma boa postura, tanto estática quanto dinâmica, é importante para o aspecto estético, pois oferece eficiência de movimentos
e minimiza a utilização de energia. A má postura pode acarretar fadiga, dores, desequilíbrios musculares e geralmente está
relacionada a hábitos de vida sedentários, como também, muitas vezes, pode expressar um estado psicológico desfavorável.

A avaliação postural deve determinar se um segmento corporal ou articulação se desvia de um alinhamento postural normal e
observar se há aumento na sobrecarga do sistema de apoio por causa do efeito da gravidade. Para isso, o avaliado deverá estar
com pouca roupa, ou seja, mulheres de biquíni e homens de sunga de banho, e posicionado entre três e cinco metros de
distância do avaliador.


Instrumentos utilizados para a avaliação postural


Clique no botão acima.
Fio de prumo – é uma linha vertical padrão, geralmente de fio de náilon;

Simetrógrafo – é um mural quadriculado formado por linhas horizontais e verticais;

Parede clara e lisa;

Método fotográfico.

A avaliação geralmente respeita uma ordem, ou de baixo para cima ou de cima para baixo. Exemplo:

1. Pés;

2. Joelhos;

3. Quadril;

4. Coluna;

5. Escápula;

6. Ombro;

7. Cabeça.

A seguir, conheceremos os desvios posturais nas três vistas (anterior, posterior e lateral). Usaremos como premissa a
orientação de Florence Kendall, autora do livro Músculos: provas e funções com postura e dor, que, para restaurar o equilíbrio
muscular, devemos fortalecer músculos fracos e alongar músculos contraídos. Para uma melhor compreensão, usaremos
como base o movimento articular.

• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista anterior – Pés

Pé abduto: Projeção do(s) pé(s) para fora da linha média do


corpo. O quadril geralmente está em rotação externa.
Recomenda-se alongar os músculos rotadores externos e
fortalecer os músculos rotadores internos.


Pé abduto.
Fonte: (LIMA, 2016, on-line).
Pé aduto: Projeção do(s) pé(s) para dentro da linha média
do corpo. O quadril geralmente está em rotação interna.
Recomenda-se alongar os músculos rotadores internos e
fortalecer os músculos rotadores externos.


Pé aduto.
Fonte: (LIMA, 2016, on-line).
• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista anterior – Joelhos

Joelho varo: Joelhos para fora da linha média do corpo,


geralmente apresentam uma distância intercondilar femoral
acima de 5 cm. Também conhecidos como perna de
cowboy. Na avaliação postural, o avaliado consegue juntar
os pés, porém, não junta os joelhos. O desequilíbrio
muscular ocorre no quadril e no joelho e, por isso,
recomenda-se alongar os músculos adutores e fortalecer os
abdutores de quadril, como também alongar o músculo
tensor da fáscia lata e fortalecer os músculos sartório, grácil
e semitendinoso (músculos da pata de ganso).


Joelhos valgos, joelhos normais e joelhos varos: Vista do esqueleto.
Fonte:
(SOUCHARD, s.d., on-line).

Joelho valgo: Joelhos para dentro da linha média do corpo,


geralmente apresentam uma distância intermaleolar
superior a 10 cm. Também conhecidos como perna em x ou
perna de tesoura. Na avaliação postural, o avaliado
consegue juntar os joelhos, porém não junta os pés. O
desequilíbrio muscular ocorre no quadril e no joelho e por
isso, recomenda-se fortalecer os músculos adutores e
alongar os abdutores de quadril, como também alongar os
músculos sartório, grácil e semitendinoso (músculos da
pata de ganso) e fortalecer o músculo tensor da fáscia lata.


Joelhos normais, joelhos valgos e joelhos varos: Vista do corpo humano.
Fonte:
(LENZI, 2018, on-line).

É fisiológico o bebê apresentar um joelho varo até aproximadamente 2 anos de idade, valgo dos 2,5 até os 6 anos e, a partir daí,
espera-se um alinhamento neutro.


Joelhos varos e joelhos valgos na infância.
Fonte: (HOLLANDA, s.d., on-line).
• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista anterior – Quadril
Um quadril alinhado é aquele que apresenta uma linha reta entre os dois pontos íleoespinhais. O não alinhamento geralmente é
causado por uma possível escoliose lombar.

• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista


anterior – Ombros
Um ombro alinhado é aquele que apresenta uma linha imaginária entre os dois
pontos acromiais. O não alinhamento geralmente é causado por uma possível
escoliose dorsal (torácica).

Nivelamento de ombro (a partir dos pontos acromiais) e quadril (a partir das


espinhas ilíacas anterossuperior).
Fonte: (SILVA, 2016, on-line).


Pé aduto.
Fonte: (LIMA, 2016, on-line).

Triângulo de Tales.
Fonte: (SOUZA, s.d., on-line).
• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista
anterior – Triângulo de Tales
É o espaço entre o braço e o tronco, o qual é observado na região da cintura. Na
suspeita de uma escoliose, pode estar maior do lado oposto da escoliose.

Nivelamento de ombro (a partir dos pontos acromiais) e quadril (a partir das


espinhas ilíacas anterossuperior).
Fonte: (SILVA, 2016, on-line).
• Principais desvios posturais: Plano
frontal – vista posterior – Pés
Pé valgo ou pronado: Apresenta projeção do tendão
calcâneo para dentro da linha média do corpo, fazendo o
osso calcâneo se projetar para fora (pisada pronada).
Apresenta sobrecarga na parte interna do pé. Pode estar
associado com o joelho valgo e o pé chato.

 

Pé supinado pronado, pé neutro e pé supinado.
Fonte: (ACESSA.COM, 2015, on-line).
Pé varo ou supinado: Apresenta projeção do tendão calcâneo para fora da linha média do corpo, fazendo o osso calcâneo se
projetar para dentro (pisada supinada). Apresenta sobrecarga na parte externa do pé. Pode estar associado com o joelho varo e
o pé cavo.

Pé cavo: Apresenta aumento na curvatura plantar do pé.


Como tratamento, deve-se alongar os músculos flexores
dos dedos.

 
Pé chato: Apresenta perda parcial ou total da curvatura
plantar do pé. Como tratamento, recomenda-se fortalecer a
musculatura flexora dos dedos.


Pé normal, pé chato e pé cavo.
Fonte: (TENISBOOK, s.d., on-line).

Principais desvios posturais: Plano frontal – vista posterior – Coluna vertebral


Escoliose: É o desvio lateral da coluna vertebral mais comum nas regiões torácica e lombar. Pode ser em C simples (torácica
ou lombar) ou total (tóracolombar) e em S. A identificação da curvatura escoliótica é sempre do lado da convexidade, podendo
apresentar uma gibosidade para o mesmo lado e um triângulo de Tales maior para o lado oposto. A escoliose pode ser
classificada como estrutural (escoliose verdadeira) e não estrutural (atitude escoliótica ou funcional). A escoliose estrutural
apresenta uma curvatura lateral associada a uma rotação das vertebras. A não estrutural não apresenta anormalidades
estruturadas, ou seja, o desvio lateral é reversível.
O Teste de Adams é realizado para verificar a presença de gibosidade e/ou
torção da coluna como indicativo de escoliose. O avaliado deverá estar na
posição ortostática para realizar uma flexão da coluna vertebral
anteroposterior, como se fosse tocar os pés. O avaliador irá observar se há a
presença de gibosidade (proeminência costal). Ela, quando presente, irá
surgir do lado convexo da escoliose.


Escoliose.
Fonte: (VARELLA, s.d., on-line). 
Teste de Adams para identificar a gibosidade.
Fonte: (FRANÇA, 2019, on-line).
• Principais desvios posturais: Plano frontal – vista posterior – Escápula
As escápulas podem apresentar os seguintes desvios:

Clique nos
botões para ver as informações.

Escápula elevada 

O indivíduo apresenta a escápula elevada por causa de uma maior tensão dos músculos elevadores da escápula;

Escápula deprimida 

O indivíduo apresenta a escápula em depressão por causa de uma maior tensão dos músculos depressores da escápula;

Escápula aduzida ou retraída 

As bordas médias da escápula se aproximam por causa de uma maior tensão dos músculos adutores da escápula;

Escápula abduzida em protrusão 

As bordas médias da escápula se afastam por causa de uma maior tensão dos músculos abdutores da escápula;

Escápula em rotação externa 

As bordas inferiores da escápula rodam para fora por causa de uma maior tensão dos músculos rotadores externos da
escápula;

Escápula em rotação interna 

As bordas inferiores da escápula rodam para dentro por causa de uma maior tensão dos músculos rotadores internos da
escápula.

Escápula alada 

Por causa do enfraquecimento dos músculos trapézio e serrátil anterior, as bordas mediais ou inferiores da escápula
projetam-se para fora, gerando a aparência de uma asa. Esses músculos são responsáveis por estabilizar a escápula junto
ao tórax durante o arco de movimento dos membros superiores. O teste é realizado com os ombros em flexão de 90º e as
mãos apoiadas na parede conforme a figura a seguir.

Movimentos escapulares. Fonte: (GUARNEROS, 2019, on-line).


Escápula alada.
Fonte: (SANTOS; SANTOS; LEAL; LINS, 2014, on-line).

• Principais desvios posturais: Plano


sagital – vista lateral – Pés
Pé equino: O calcanhar não toca o chão devido ao
encurtamento do tendão calcâneo. A correção muitas vezes
é cirúrgica. Pode ser congênito ou surgir após hipóxia pré-
natal.

Pé calcâneo: O antepé não encosta no chão devido ao


encurtamento do músculo tibial anterior. A correção é
cirúrgica.


Pé equino e pé calcâneo.
Fonte: (BOYD, 2017, on-line).
• Principais desvios posturais: Plano sagital – vista lateral – Joelhos

Joelho flexo: Articulação do joelho flexionada devido ao


enfraquecimento dos músculos extensores do joelho. Para
reduzir o desequilíbrio, recomenda-se alongar os músculos
flexores do joelho e fortalecer os músculos extensores do
joelho.


Joelho flexo.
Fonte: (SILVA, 2016, on-line).
Joelho recurvato: Hiperextensão da articulação do joelho
causada pelo enfraquecimento dos músculos flexores do
joelho. Para reduzir o desequilíbrio, recomenda-se alongar
os músculos extensores do joelho e fortalecer os músculos
flexores do joelho.


Joelho recurvato.
Fonte: (SILVA, 2016, on-line).
• Principais desvios posturais: Plano sagital – vista lateral – Coluna vertebral
A coluna vertebral apresenta quatro curvaturas fisiológicas (concavidades e convexidades) as quais são necessárias para
dissipar corretamente a força gravitacional. Porém, na vista lateral, podemos observar alguns desvios posturais provenientes
do aumento da concavidade ou da convexidade:

Hiperlordose cervical Hipercifose dorsal Hiperlordose lombar


Aumento na concavidade Aumento na convexidade Aumento na concavidade lombar.
cervical. torácica.


Curvaturas fisiológicas da coluna vertebral.
Fonte: (STUDIOVIN, 2020, on-line).
Os desvios mais comuns são a hipercifose torácica e a hiperlordose lombar:

Para a hipercifose torácica, recomenda-se alongar os músculos adutores horizontais do ombro, rotadores internos do
ombro e fortalecer os músculos adutores da escápula e rotadores externos do ombro;

Para a hipelordose lombar, recomenda-se alongar os músculos flexores de quadril e extensores da coluna vertebral e
fortalecer os músculos flexores da coluna vertebral e extensores de quadril.


Hipelordose lombar e hipercifose torácica.
Fonte: (MORAES; SILVA; GUINGO, CORRÊA, s.d., on-line).

Atenção

As costas planas são a retificação da(s) curvatura(s) fisiológica(s) mais comum na região torácica e lombar. Não se recomenda
exercícios físicos que aumentem a pressão vertical para indivíduos com coluna vertebral retificada.
• Principais desvios posturais: Plano
sagital – vista lateral – Ombros
Protração de ombro: Ombro em rotação interna.
Recomenda-se alongar os músculos rotadores internos do
ombro e fortalecer os músculos rotadores externos e
adutores da escápula.


Protração de ombro.
Fonte: (QUESTÕESDEFISIO, 2014, on-line).

Atividade
1. Você realizará uma avaliação postural em um indivíduo do sexo masculino pelo método fotográfico. Qual a vestimenta
adequada para ele e em quais posições você o fotografará?

2. Você é personal trainer de um indivíduo que apresenta pé abduto. Qual o desequilíbrio encontrado?

3. Você avaliou um indivíduo e observou os seguintes desvios:

Vista anterior – quadril direito mais elevado e triângulo de Tales maior à esquerda;

Vista posterior – desvio lateral da coluna lombar;

Flexão de tronco anteroposterior (Teste de Adams) – gibosidade lombar direita. Qual é a sua conclusão?

4. Você é personal trainer de um indivíduo que apresenta o joelho flexo. Que tipo de exercício deverá prescrever para minimizar
o desequilíbrio muscular?
5. Você é personal trainer de um indivíduo que apresenta uma hiperlordose lombar. Que tipo de exercício deverá prescrever para
minimizar o desequilíbrio muscular?

Notas
Referências

ACKLAND, T. R.; ELLIOTT, B. C.; BLOOMFIELD, J. Anatomia e biomecânica aplicadas no esporte. 2. ed. Barueri, SP: Manole,
2011.

BRICOT, B. Posturologia. São Paulo: Ícone, 1999.

KENDALL, F. P.; McCREARY, E. K. Músculos: provas e funções com postura e dor. 5. ed. Barueri, SP: Manole, 2007.

Próxima aula

Padronização das medidas antropométricas básicas, perímetros corporais, dobras cutâneas e diâmetros ósseos;

Índices antropométricos de saúde: Índice de Massa Corporal (IMC), Índice Relação Cintura Quadril (IRCQ), Índice de
Conicidade (IC) e Perímetro da Cintura.

Explore mais

Associação da escoliose toracolombar e peso da mochila em estudantes do ensino médio 


.

EDUCAÇÃO POSTURAL NA ESCOLA: uma análise dos conteúdos desenvolvidos por professores de Educação Física no
ensino fundamental    
.

Você também pode gostar