Você está na página 1de 17

Universidade Federal do Maranhão

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde / CCBS


Departamento de Educação Física - Bacharelado

Disciplina

FORMAÇÃO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL


DE LAZER E CULTURA

Professor Sérgio Souza


Marcos legais que situam o lazer
como um direito fundamental do
cidadão brasileiro

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Princípio Constitucional
(BRASIL, 1988)
UFMA/Prof. Sérgio Souza
Art. 6º

São direitos sociais a educação, a saúde, o


trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a
previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados, na
forma desta constituição

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Art. 7º
São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de
outros que visem à melhoria de sua condição social:

IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente


unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais
básicas e às de sua família com moradia, alimentação,
educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e
previdência social, com reajustes periódicos que lhe
preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua
vinculação para qualquer fim;
UFMA/Prof. Sérgio Souza
Art. 217º

É dever do estado fomentar práticas desportivas


formais e não formais como direito de cada um (...)
§ 3º O poder público incentivará o lazer, como
forma de promoção social.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Art. 227º
É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à
criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta
prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à
educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à
dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar
e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de
negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade
e opressão.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


LEI FEDERAL Nº 8.069, 13 DE JULHO DE 1990
Estatuto da Criança e do Adolescente

Dispõe sobre os direitos e deveres da criança e do(a) adolescente, as


responsabilidades do Estado, da sociedade e da família com o futuro
das novas gerações, passam a serem considerados dentro de um
novo paradigma e concepção que reconhece a criança e o(a)
adolescente como sujeitos de direito, pessoas em condição peculiar
de desenvolvimento e prioridade absoluta no que se refere às
políticas públicas, incluindo aí a destinação e liberação de recursos
financeiros.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Art. 4º
É dever da família, da comunidade, da sociedade
em geral e do poder público assegurar, com
absoluta prioridade, a efetivação dos direitos
referentes à vida, à saúde, à alimentação, à
educação, ao esporte, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao
respeito, à liberdade e à convivência familiar e
comunitária. UFMA/Prof. Sérgio Souza
Título II - Dos Direitos Fundamentais
Capítulo IV - Do Direito à Educação, à Cultura, ao Esporte e ao Lazer

Art. 59º
Os municípios, com apoio dos estados e da União,
estimularão e facilitarão a destinação de recursos e
espaços para programações culturais, esportivas e
de lazer voltadas para a infância e a juventude.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Título III - Da Prevenção
Capítulo I - Disposições Gerais

Art. 71º
A criança e o adolescente têm direito a informação,
cultura, lazer, esportes, diversões, espetáculos e
produtos e serviços que respeitem sua condição
peculiar de pessoa em desenvolvimento.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Parte Especial
Título I - Da Política de Atendimento
Capítulo II - Das Entidades de Atendimento
Seção I - Disposições Gerais

Art. 94º
As entidades que desenvolvem programas de
internação têm as seguintes obrigações, entre
outras:

XI - propiciar atividades culturais, esportivas e de


lazer;
UFMA/Prof. Sérgio Souza
LEI FEDERAL Nº 8.080, 19 DE SETEMBRO DE 1990
Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a
organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras
providências. (CNS)

Art. 3º
A saúde tem como fatores determinantes e
condicionantes, entre outros, a alimentação, a
moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o
trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e
o acesso aos bens e serviços essenciais; os níveis de
saúde da população expressam a organização social e
econômica do País.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Alguns apontamentos
➢ Horizontaliza o lazer na hierarquização de aspectos
essenciais à qualidade de vida do sujeito;
➢ Atribui responsabilidades e deveres às diversas
dimensões do ser humano;
➢ Institucionaliza a importância do tempo para o lazer
como um tempo de melhoria da saúde, da qualidade
de vida pela possibilidade em ocupar o tempo para as
atividades que lhe convier como: estar com a família,
atividade física, etc..
UFMA/Prof. Sérgio Souza
Referências
BRASIL. Constituição. Constituição da República Federativa do
Brasil. São Paulo: Saraiva, 2003.

BRASIL. Lei n° 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e


do Adolescente. Brasília: Diário Oficial da União, 1990.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da


Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e
recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos
serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, set.
1990.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Sugestões de Leitura
PINTO, L. M. S. M. Reconhecimento do direito ao lazer. In: OLIVEIRA,
A. A. B.; PIMENTEL, G. G. A. (Orgs.). Recreio nas férias:
reconhecimento do direito ao lazer. Maringá: EDUEM, 2009, p. 13-
20.

SANTOS, Flávia da Cruz. O Lazer como direito social: sua inclusão


na Constituição de 1988. Anais do Encontro Nacional de Recreação
e Lazer – ENAREL 2013. Ouro Preto: SESC, 2013.

UFMA/Prof. Sérgio Souza


Professor Sérgio Souza / UFMA
sergio.souza@ufma.br
@mestresanhaco
@geplamecufma

Você também pode gostar