Você está na página 1de 6

UNINASSAU - 10° SEMESTRE DE FARMÁCIA

(ALUNO: JHUAN FELIPE SILVA MARTINS / MATRICULA: 22009661 – Período: Noturno)

ESTUDO DIRIGIDO

1. A garantia da qualidade em hematologia tem como objetivo assegurar a confiabilidade dos


testes hematológicos em todas as fases: pré-analítica, analítica e pós-analítica. Comente sobre
essas fases.

• Fase pré-analítica: tem início com a coleta de material, seja ela feita pelo paciente (urina, fezes e
escarro), seja feita no ambiente laboratorial.

• Fase analítica: correspondente à etapa de execução do teste propriamente dita.

• Fase pós-analítica: inicia-se no laboratório clínico e envolve os processos de validação e liberação


de laudos, encerrando-se após o médico receber o resultado final, interpretá-lo e tomar sua decisão.

2. O que é eritropoetina? Quais os seus locais de produção no organismo, e seu papel na


regulação da eritropoiese?

A eritropoetina (EPO) é um hormônio glicoproteico sintetizada e excretadas pelo rim, mais


especificamente pelas células adjacentes aos túbulos proximais renais (90%), e pelo fígado também,
porém, em menor quantidade (10%). Apresenta como função o estímulo da produção da
eritropoiese (produção de eritrócitos, também conhecidos como hemácias ou glóbulos vermelhos)
que ocorre na medula óssea.

3. Explique a eritropoese e diferencie as células encontradas em todas as fases, na ordem de


maturação, abordando tamanho, citoplasma, núcleo, coloração.

A eritropoese é o processo de produção e maturação de hemácias que ocorre na medula óssea em


adultos normais e no baço ou fígado em fetos ou pacientes com anemias graves.

Proeritroblasto: é uma célula grande (devido ao seu alto metabolismo), arredondada, com núcleo
também grande, circular e bem definido. Possui ribossomos, mitocôndrias e complexo de Golgi. A
cromatina considerada grosseira e frouxa/delicada,onde é visualizado de 1 a 2 nucléolos, geralmente
circulares e mais clarosque o núcleo. O citoplasma é condensado, homogêneo, e intensamente
basofílico.

Eritroblasto basófilo: com a diferenciação as células vão diminuindo, logo está célula é menor que a
célula anterior. Célula arredondada, possui um núcleo grande, redondo, com cromatina também
frouxa, e com apenas 1 nucléolo (nem sempre visível). Citoplasma escasso e extremamente basófilo.

Eritroblasto policromático: menor que o anterior, redondo, com núcleo bem centralizado no meio da
célula, cromatina densa, sem nucléolo. A relação núcleo/citoplasma é grande. Citoplasma
acinzentado (por possuir afinidade pela eosina e azul de metileno). É nessa fase que começa a
produção de hemoglobina!

Eritroblasto ortocromático: redondo, com núcleo picnótico (pequeno) redondo e periférico (longe do
centro, pois, posteriormente este núcleo, será expulso da célula), não possui nucléolo, cromatina
muito condensada. O citoplasma é abundante com coloração acidófila (com coloração semelhante a
das hemácias).

Reticulócitos: último estágio de desenvolvimento antes de se tornar eritrócito maduro. São células
que perderam os núcleos, ou seja, sobra somente o citoplasma e RNA residual. Os reticulócitos
podem ser encontrados no sangue periférico.

Eritrócito: é a célula madura, com formato bicôncovo.

4. Qual é a função da hemoglobina? Quais os diferentes tipos de hemoglobina no adulto?

A hemoglobina é uma proteína globular encontrada no interior dos eritrócitos que tem a função
principal de transportar os gases pelo nosso corpo ( leva oxigênio dos pulmões para os tecidos e
dióxido de carbono dos tecidos para os pulmões.) E tbm é responsável pela coloração vermelha do
sangue.Os tipos mais comuns são a hemoglobina A1 (Hb A1) e A2 (Hb A2).

O primeiro tipo é o mais comum, representando cerca de 97% de toda a hemoglobina encontrada no
nosso corpo. A Hb A2, por sua vez, representa cerca de 2% da hemoglobina encontrada em adultos

5. Qual a importância da 2,3 DPG no que se refere a função da hemoglobina?

O 2,3 - DPG (DIFOSFOGLICERATO) é um composto químico encontrado no interior da hemácia, em


quantidade idêntica às da hemoglobina. Sua principal função é reduzir a afinidade da hemoglobina
pelo oxigênio, para facilitar a sua liberação nos tecidos.

6. O que são os seguintes termos:

Na Poiquilocitose ocorre o aumento no número de poiquilócitos circulantes no sangue, que são


hemácias que possuem formatos anormais, como por exemplo em formato de foice, lágrima,
esferas, alvos e outros. A Poiquilocitose caracteriza determinadas anemias, uma delas é a anemia
falciforme ( formato de foice.)

Anisocromia ocorre quando existe uma variação na cor ou hemoglobinização dos eritrócitos. A
anisocromia pode ser indicativo de anemia ferropênica.

7. Explique os índices hematimétricos (VCM, HCM e CHCM). Como eles ajudam a direcionar a
investigação das anemias?

Os índices hematimétricos ajudam na interpretação do exame, uma vez que oferece informações
sobre o volume, massa e concentração dos eritrócitos e hemoglobina.

VCM - é o Volume Corpuscular Médio, e avalia a média do tamanho (volume) das hemácias.
Classifica as anemias em normocíticas (VCM=80-100 fl), microcíticas (VCM<80 fl) e macrocíticas
(VCM> 100 fl).

HCM - sigla para Hemoglobina Corpuscular Média. Reflete o conteúdo médio de hemoglobina por
hemácia (massa), definindo se a anemia é hipocrômica (HCM<30 pg) ou normocrômica (HCM=30-33
pg).

CHCM - a Concentração de Hemoglobina Corpuscular Média avalia é a hemoglobina encontrada em


100 mL de hemácias. Esse índice permite a avaliação do grau de saturação de hemoglobina nos
eritrócitos, classificando-os em normocrômicos ou hipocrômicos. O valor de referência é de 33,4 a
35,5 g/dL.

8. Defina anemia. Como podem ser classificadas?


A anemia é o nome que se dá a redução no número de hemácias no sangue ou da concentração de
hemoglobina. A anemia pode ser desencadeada por diferentes fatores, como deficiência de ferro,
deficiência de vitamina B12, perdas sanguíneas, doenças parasitárias, neoplasias e doenças crônicas.
Existe diversos tipos de anemia, as principais são, a anemia por deficiência de ferro, a anemia
megaloblástica ( falta de vitamina b12 e/ou ácido fólico), a anemia falciforme ( condição genética) e
a talassemia ( hereditária).

9. Qual o roteiro diagnóstico para as anemias?

O diagnóstico é normalmente feito através do hemograma ( para observar a quantidade de


hemoglobinas) , o médico pode solicitar outros exames complementares como por exemplo o
esfregaço sanguíneo (para avaliar a aparecia das células sanguíneas) ou/e a contagem de
reticulócitos (avalia a presença de células novas para saber sobre o funcionamento da medula
óssea).Outros exames como, eletroforese de hemoglobina para identificar os diferentes tipos de
hemoglobina, o exame ferro, ferritina e tansferrina pode determinar se o paciente tem anemia por
deficiência de ferro e o exames de dosagem de vitamina B12 no sangue pode ser solicitada pelo
médico com o objetivo de investigar a anemia perniciosa.

10. Como ocorre a distribuição e transporte de ferro no organismo?

Distribuição: O ferro é entregue a seus locais de armazenamento ( na medula óssea e, de certo


modo, no fígado, onde é entregue à apoferritina para formar a ferritina, que será armazenada e
utilizada de acordo com as necessidades de síntese de hemoglobina para as células vermelhas)

Transporte: O ferro é transportado no plasma pela transferrina (Tf), uma glicoproteína de 80 KDa
sintetizada e secretada pelo fígado. Além de solubilizar o ferro, a Tf atenua sua reatividade e facilita
a sua liberação para as células.

11. O que é hepcidina? Qual a sua função?

Hepcidina é um peptídeo produzido principalmente pelos hepatócitos. Sua função é regular a


absorção de ferro no duodeno através de sua ligação com a ferroportina.

12. Como ocorre a absorção do ferro no organismo?

A absorção do ferro ocorre no duodeno proximal, sendo a quantidade de ferro absorvida


dependente da quantidade armazenada e da capacidade de armazenamento do organismo. Após a
sua liberação no citoplasma, o ferro é conduzido para a membrana basolateral do enterócito, ou
armazenado em ferritina.

13. Qual o quadro clínico da anemia ferropriva? Como é feito o diagnóstico laboratorial?

Os sintomas do quadro clínico da anemia ferropriva incluem astenia, cansaço, fraqueza, falta de ar e
palpitações. No exame físico o achado mais característico é a palidez mucocutânea. A investigação
laboratorial inicial consiste na realização dos seguintes exames: Hematócrito, hemoglobina e
contagem de eritrócitos para avaliar o grau de anemia.

14. Qual o diagnóstico diferencial para anemia ferropriva?

O exame de ferro sérico tem como objetivo verificar a concentração do ferro no sangue da pessoa,
sendo possível identificar se há deficiência ou sobrecarga desse mineral, que pode indicar anemia
através da quantidade de ferro no sangue.

15. O que são anemias macrocíticas? Cite algumas causas.


As anemias macrocíticas são caracterizadas por um VCM superior a 95fL, as causas podem ser por
deficiências de vitamina B12 e ácido fólico, abuso de álcool, hepatopatias e mielodisplasias.

16. Qual a base bioquímica da anemia megaloblástica?

Ela representa a principal anemia macrocítica e resulta da deficiência de vitamina B12 e/ou ácido
fólico. Esses dois nutrientes são muito importantes, pois atuam como coenzimas em reações que
ocorrem na síntese de DNA.

17. Qual a etiopatogenia da anemia perniciosa?

Ocorre devido à deficiência de vitamina B12. A anemia perniciosa é causada pela incapacidade do
organismo absorver a quantidade de vitamina B12 necessária para a produção de glóbulos
vermelhos

18. Quais os aspectos clínicos e achados laboratoriais da anemia megaloblástica? Sinais


clinicos: perda de apetite e astenia, dores abdominais, enjôos e diarréia, desenvolvimento de úlceras
dolorosas na boca e na faringe, alterações da pele, perda de cabelo, cansaço, perda de energia e de
vontade, sensação de boca e língua doloridas são os principais sintomas. Para fazer o diagnóstico da
anemia megaloblástica, um hemograma é feito, para analisar se houve diminuição do número de
hemácias e de hemoglobina, aumento do tamanho das hemácias, entre outros indicadores técnicos
da condição.

19. O que são as talassemias?

A talassemia é um distúrbio sanguíneo hereditário caracterizado pela redução das proteínas que
carregam oxigênio no sangue (hemoglobina) e da quantidade normal de glóbulos vermelhos no
corpo.Os sintomas incluem fadiga, fraqueza, palidez e crescimento lento.

20. O que são as Síndromes α-Talassêmicas? Qual a genética envolvida?

A talassemia alfa constitui um grupo de doenças hereditárias, de distribuição mundial, causada pela
deficiência de síntese de uma ou mais cadeias alfa da hemoglobina.

21. O que são as Síndromes β-Talassêmicas?

A talassemia beta resulta da diminuição da produção das cadeias polipeptídicas beta decorrente de
mutações ou deleções no gene da globina beta, levando ao comprometimento da produção de
hemoglobina A.

22. Sobre a β-Talassemia maior, explique:

a) Aspectos clínicos: é o quadro clínico mais grave das betas talassemias, pois não há produção
de cadeias beta globinas, sendo necessário que o paciente receba transfusões sanguíneas
regularmente para diminuir o grau da anemia. Os sintomas começam a aparecer no primeiro ano de
vida, sendo caracterizados por palidez, cansaço excessivo, sonolência, irritabilidade, ossos do rosto
proeminentes, dentes mal alinhados e barriga inchada devido ao aumento de órgãos.

b) Diagnóstico laboratorial : O diagnóstico da talassemia é feito por meio de exames de


sangue, como o hemograma, além da eletroforese de hemoglobina, que tem como objetivo avaliar o
tipo de hemoglobina circulante no sangue. Podem também ser realizados testes genéticos para
avaliar os genes responsáveis pela doença e diferenciar os tipos de talassemia.
c) Tratamento : a pessoa precisa receber transfusões sanguíneas durante toda a vida, a cada 2
a 4 semanas, dependendo do nível da anemia. Os pacientes também podem acabar tendo excesso
de ferro no corpo devido às frequentes transfusões de sangue e, por isso, o médico também pode
receitar medicamentos quelantes de ferro, que se ligam ao ferro no organismo e impedem o seu
excesso. Esse medicamentos podem ser dado diretamente na veia de 5 a 7 vezes por semana ou
através de comprimidos.

23. O que é o Traço β talassêmico ou talassemia menor?

É uma das formas mais leves da doença, em que a pessoa não sente sintomas, sendo portanto
apenas diagnosticado após exames hematológicos. Nesse caso, não é recomendado realizar
tratamento específico ao longo da vida, mas o médico pode recomendar o uso de suplemento de
ácido fólico com o objetivo de prevenir anemias leves;

24. Caso Clínico 1

Paciente do sexo feminino, 45 anos, branca, casada, foi encaminhada ao ambulatório de


hematologia para investigação de anemia, com história de adinamia e astenia progressivas há 10
meses, associada à palidez, sonolência, dor em panturrilhas, dispnéia aos esforços e perversão do
apetite (gosto por arroz crú). Nega hematêmese e/ou melena, refere ciclos eumenorréicos desde a
menarca aos 12 anos. Informa tratamento para úlcera péptica há 10 anos. Afirma ter apresentado
anemia há 8 anos atrás que melhorou com tratamento medicamentoso, recidivou 6 meses após,
respondendo novamente ao mesmo medicamento, porém não se recorda o nome do fármaco. Nega
antecedente familiar de anemia. Ao exame: papilas linguais hipotróficas, queilite angular, unhas e
cabelos quebradiços e sem brilho, ausência de organomegalias.

Resultado Normalidade

Hemoglobina: 8,7 11,5 – 16,0g/dL

HCM: 20,2 27,0 – 32,0 pg

VCM: 64,5 75,0 – 92,0 fl

Leucócitos: 7,7 4,0 – 11,0 x 109/L

Plaquetas: 556,0 150,0 – 400,0 x 109/L

Ferritina: 10,0 12,0 – 200,0 mg/L

Ferro Sérico: 6,0 11,0 – 32,0 mmol/L

CTLFe (TIBC): 90,0 42,0 – 80,0 mmol/L

Vit. B12: 221,0 > 150 ng/L

Folatos: 8,2 > 2,0 mg/L

1. Qual a hipótese mais provável? Justifique


a) Anemia Megaloblástica

b) Anemia de Doença Crônica

c) Anemia Ferropriva: pela baixa disponibilidade de ferro e ferritina e elevação da capacidade de


transporte (CTLFe ou TIBC)

d) Anemia Hemolítica Hereditária

e) Anemia Hemolítica Adquirida

2. Qual a provável etiologia? Justifique

a) Imunológico

b) Perda crônica

c) Distúrbio absortivo, deve analisar se existe a presença de tumores no trato gastrointestinal por
meio de sangue oculto nas fezes. Exames mais refinados como imagens do trato gastrointestinal e
endoscopia devem ser também realizados.

d) Aumento de demanda

e) Hereditária

3. Quanto ao padrão morfológico eritrocitário, qual dos abaixo se adequaria ao quadro? Justifique

a) macrocitose e normocromia

b) microcitose e hipocromia pelas caracteristicas dos pequeno tamanho dos eritrócitos


(VCM<80fL) e da concentração baixa de hemoglobina (CHCM<32%)

c) normocitose e normocromia

d) hemácias em foice

e) hemácias em alvo

Você também pode gostar