Você está na página 1de 3

Parecer 54668 - Discurso, sujeto y subjetividade.

Hacia una crítica materialista de


la categoría de Ethos

Parecer I
O artigo anuncia que irá apresentar uma revisão da categoria do ethos e fazer um
contraponto com a perspectiva materialista do discurso proposta por Pêcheux,
questionando a concepção idealista de sujeito subjacente às teorias enunciativas que
operam com a noção de ethos.
Apesar de a natureza da pesquisa não ter sido explicitada, o texto submetido à avaliação
não é um artigo de pesquisa tampouco um artigo de revisão de literatura, mas sim um
ensaio. Desse modo, como não há análise de corpus, espera-se desse tipo de texto
acadêmico a condução de uma reflexão teórica panorâmica, atualizada, aprofundada e
problematizadora acerca da categoria teórica sob discussão.
Detalhemos, pois, como o artigo se apresenta.
Em sua seção introdutória, observamos alguns problemas que devem ser resolvidos na
reescrita do texto, para que a argumentação do artigo mostre grau satisfatório de
informatividade e consistência na sua alegação. Podemos sublinhar alguns de seus pontos
frágeis: restringir o escopo do levantamento bibliográfico à Argentina (a não ser que esse
escopo seja assumido e anunciado no título e no resumo do artigo); não fazer referência,
ainda que entre parêntesis, aos trabalhos aludidos que colocam no centro da análise a
categoria do ethos e que possuem um “ponto cego” em relação aos efeitos de sentido do
ethos; inserir referências teóricas que não contribuem para a reflexão acerca da categoria
do ethos, como Romé e Foucault, o que dispersa o foco da discussão; não formular a
problematização a partir da qual se desenvolve a reflexão; propor uma discussão sobre
uma problematização não formulada, elegendo um quadro teórico de autores que não são
referência para trabalhar com o ethos em perspectiva discursiva.
Na seção teórica destinada à revisão do ethos, o artigo limita-se a apresentar citações de
algumas poucas obras pontuais da literatura francófona (Barthes, Ducrot, Maingueneau,
Amossy), ignorando completamente trabalhos sólidos produzidos no espaço acadêmico
sul-americano em espanhol e em português sobre o ethos em perspectiva discursiva,
inclusive a materialista. Assim, ao não apresentar uma revisão da literatura mínima sobre
a temática abordada, o ensaio frustra a primeira promessa apresentada em seu resumo. Se
me permite, gostaria de recomendar, entre várias opções, a consulta ao dossiê temático
“Ethos discursivo em diversas dimensões”, publicado em 2019, na Revista Caderno de
Estudos Linguísticos, da Unicamp, disponível em:
https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/issue/view/1588
Com respeito à concepção de ethos desenvolvida no ensaio, é preciso ter em conta que
convocar a categoria do ethos em análise do discurso não significa colocar ênfase na
qualidade do político, como se argumenta inicialmente no artigo, mas sim compreender
o processo de construção da imagem que o orador projeta de si para legitimar sua fala
perante seu auditório, como um processo que ocorre entre formações discursivas, não
entre individualidades, conforme postula Maingueneau desde 1987.
Por sua vez, a seção teórica dedicada ao discurso e ao sujeito em Pêcheux (1975)
apresenta-se mais como uma tentativa de resumir a complexa discussão teórica
desenvolvida por Pêcheux para explicar o fenômeno da interpelação do indivíduo em
sujeito de seu discurso e postular sua teoria não subjetivista da linguagem e do sujeito,
com o agravante de concluir a seção com uma citação fora do contexto teórico
pecheutiano para abordar Freud, sendo que a contribuição fundamental para essa
discussão está no artigo de revisão de Pêcheux e Fuchs (1975), publicado logo após o
Verités de la Palice e que, em espanhol, pode ser encontrado sob o título “Actualizaciones
y perspectivas en análisis automático del discurso”. Nessa seção, o ethos é mencionado
apenas uma única vez, sem qualquer outro tipo de reflexão sobre o ethos e o sujeito do
discurso, passando às conclusões do artigo.
Desse modo, meu parecer é contrário à publicação do trabalho.

Parecer II
1. Adecuación del título al artículo
El título se adecua al contenido del artículo.

2. Explicitación del objetivo del trabajo y coherencia de su desarrollo en el texto


El trabajo se enmarca como una contribución al análisis del discurso de liderazgos
políticos. El problema que se identifica es que en este sentido el tipo de análisis dominante
en Argentina no logra abordar en toda su complejidad este tipo de discursos, quedando
así entramado en un proceso de neoliberalización del campo intelectua. (p. 3). A partir de
esta problemática, la afirmación central del artículo es que una perspectiva materialista
contribuiría a iluminar este punto ciego.

El desarrollo del trabajo consiste en exponer dos posturas sobre el ethos, dentro de las
teorías enunciativas y materialistas del discurso. Ambas posiciones se desarrollan con
claridad, explicitando y poniendo en diálogo las posturas de distintos autores, referentes
en el campo del Análisis del Discurso. Sin embargo, no se presentan ejemplos de análisis,
ni propios ni de los autores relevados. Específicamente, no hay ejemplos de análisis del
ethos en discursos de liderazgo político.
Sin embargo, la problemática del ethos en el análisis del discurso de los liderazgos
políticos no se analiza sino que apenas se menciona en el artículo: planteada como
problema en los párrafos introductorios (p.3) y nuevamente en sobre el final del trabajo
(p.11), donde se señala que: “aún nos quedaría sin resolver la cuestión de los liderazgos
políticos. Reconocemos que no estamos en condiciones de conceptualizar las múltiples
aristas de este problema” (p.11).

3. Conformidad con la teoría propuesta, demostrando conocimiento actualizado de


la bibliografía relevante.
En cuanto a la conformidad con la teoría propuesta, no es posible evaluar esta categoría,
dado que el artículo no presenta un trabajo de investigación. Como ya se mencionó, la
bibliografía relevada y comentada es relevante al área de conocimiento estudiada.

4. Originalidad y reflexión y contribución al campo de conocimiento


El aporte del artículo es la presentación y vinculación de aportes de referentes de
corrientes específicas de Análisis del Discurso. Más allá de plantear estos vínculos no
encuentro un aporte original al campo de los estudios del Discurso.

5. Claridad, corrección y adecuación del lenguaje a un trabajo científico


El artículo utiliza lenguaje claro, correcto y adecuado a lo esperable en un trabajo
científico.
El trabajo identifica como problema la necesidad de una teoría no subjetivista de la
subjetividad, reconceptualizando el ethos en una postura materialista que podría aplicarse
productivamente al análisis del discurso político.
Sin embargo, no presenta ejemplos de análisis que permitan apreciar el potencial de esta
reconceptualización, ni extrae de su exposición conclusiones claras en cuanto a la
construcción de la teoría no subjetivista de la subjetividad que se propone el artículo. NO
APROBADO

Parecer final
Considerando os pareceres acima, o artigo não será publicado. NÃO APROVADO

Você também pode gostar