Você está na página 1de 33

Secretaria de

Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II

Escola Municipal: _________________________________________


Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Componente
Ano de Escolaridade 8º ano Língua Portuguesa
Curricular

Nº de aulas previstas 05 aulas Habilidades EF89LP07

DICAS DA LÍNGUA
A REPORTAGEM é um gênero textual jornalístico não literário veiculado nos meios
de comunicação: jornais, revistas, televisão, internet, rádio, dentre outros.
Esse tipo de texto tem o intuito de informar, ao mesmo tempo que prevê criar uma
opinião nos leitores. Portanto, ela possui uma função social muito importante como
formadora de opinião.
Embora a reportagem possa ser expositiva, informativa, descritiva, narrativa ou
opinativa, ela não deve ser confundida com a notícia ou os artigos opinativos.
Assim, uma reportagem é expositiva e informativa, pois tem o propósito de expor
informações sobre um determinado assunto para informar o leitor.
Ela também pode ser descritiva e narrativa, uma vez que descreve ações e incluem
tempo, espaço e personagens.
Por fim, a reportagem é também um texto opinativo, uma vez que apresenta juízos
de valor sobre o que está sendo discorrido.
Vale lembrar que o repórter é a pessoa que está responsável por apresentar a
reportagem que aborda temas da sociedade em geral.

Principais características da reportagem


● Textos escritos em primeira e terceira pessoa;
● Presença de títulos;
● Foco em temas sociais, políticos, econômicos;
● Linguagem simples, clara e dinâmica;
● Discurso direto e indireto;
● Objetividade e subjetividade;
● Linguagem formal;
● Textos assinados pelo autor.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Estrutura da reportagem
Embora apresente uma estrutura similar à da notícia, a reportagem é mais ampla e
menos rígida na estrutura textual.
Ela pode incluir as opiniões e interpretações do autor, entrevistas e depoimentos,
análises de dados e pesquisa, causas e consequências, dados estatísticos, dentre outros.
Estrutura básica da reportagem
A estrutura básica dos textos jornalísticos é dividida em três partes:
1. Título principal e secundário: as reportagens, tal qual as notícias, podem
apresentar dois títulos, um principal e mais abrangente (chamado de Manchete), e
outro secundário (uma espécie de subtítulo) e mais específico.
2. Lide: na linguagem jornalística a lide corresponde aos primeiros parágrafos dos
textos jornalísticos, os quais devem conter as informações mais importantes que
serão discorridas pelo autor. Portanto, a lide pode ser considerada uma espécie de
resumo, onde as palavras-chave serão apontadas.
3. Corpo do texto: desenvolvimento do texto, sem perder de vista o que foi
apresentado na Lide. Nessa parte, o repórter reúne todas as informações e as
apresenta num texto coeso e coerente.
Disponível em: Gênero Textual Reportagem - Toda Matéria (todamateria.com.br). Acesso: 01 out.
2021.

Leia a reportagem abaixo e responda às questões de 01 a 05.

Na crise do coronavírus, jornais voltam a apostar nas crianças


Com a expansão da covid-19 pelo mundo, alçada para a categoria de pandemia, a
população global foi forçada a mudar comportamentos a partir das recomendações de
isolamento social, quarentena, proibição de abertura de lojas e serviços. Escritórios, escolas
e quaisquer espaços que representem aglomerações de pessoas foram proibidos ou
desestimulados.
As crianças estão em casa e os pais estão à procura de entretenimento e educação
para elas. É uma oportunidade para a mídia se aproximar dos pais e das crianças com
conteúdo específico.
Formar novos leitores não é necessariamente uma obrigação dos jornais, mas sim
das famílias e do sistema educacional do país. Mas essa diretriz sempre esteve por trás de
suplementos semanais voltados para crianças e/ou adolescentes. Essa linha de atuação,
em quase todos os órgãos de mídia, foi abandonada nos últimos anos, muito por causa das
adaptações que a indústria jornalística empreende para encontrar novas fontes de receitas
em tempos de redução das verbas publicitárias.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Três reportagens recentes, neste cenário,


chamaram a atenção. O Globo, Folha de S.
Paulo e O Estado de S. Paulo elaboraram
matérias para os adultos interagirem com as
crianças, que estão reclusas em casa e
demandam atividades recreativas. Outros diários
podem ter feito reportagens similares. É uma boa
tática para cativar pais e filhos, gerar empatia
com adultos ansiosos devido à falta de
criatividade para entreter a criançada.
Boa escolha dos jornais. Deveriam insistir
nessa direção e, inclusive, criar um canal
especial digital com vídeos, narração de histórias
e brincadeiras diversas. Isso pode reforçar o
relacionamento com pais e os mais jovens. [...]

Imagem e texto disponíveis em: https://www.todamateria.com.br/genero-textual-reportagem/. Acesso


01 out. 2021.

QUESTÃO 01 – Do que trata a reportagem lida?


A. ( ) Como criar jogos no período de pandemia.
B. ( ) Jornais elaboram matérias para os pais interagirem com as crianças em tempo de
pandemia.
C. ( ) Jornais ajudam os pais a estudarem com as crianças em tempos de pandemia.
D. ( ) Criação de canais de jogos para pais e crianças.

QUESTÃO 02 – No trecho “Outros diários podem ter feito reportagens similares”, a palavra
destacada foi empregada no sentido de:
A. ( ) Diferentes.
B. ( ) Desiguais.
C. ( ) Diversas.
D. ( ) Semelhantes.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

QUESTÃO 03 – Qual trecho revela a opinião do autor?


A. ( ) “Escritórios, escolas e quaisquer espaços que representem aglomerações de
pessoas foram proibidos ou desestimulados.”
B. ( ) “As crianças estão em casa e os pais estão à procura de entretenimento e
educação para elas.”
C. ( ) “Outros diários podem ter feito reportagens similares.”
D. ( ) “Boa escolha dos jornais. Deveriam insistir nessa direção e, inclusive, criar um
canal especial digital com vídeos, narração de histórias e brincadeiras diversas.”

QUESTÃO 04 – Segundo o texto, cabe a quem formar novos leitores?


A. ( ) Às famílias e ao sistema educacional.
B. ( ) Aos jornais e às famílias.
C. ( ) somente aos jornais.
D. ( ) somente às famílias.

QUESTÃO 05 – De acordo com as informações do texto, assinale a alternativa correta.


A. ( ) Os pais não se importaram com o entretenimento das crianças na quarentena.
B. ( ) As crianças ficaram mais estimuladas para ficar em casa.
C. ( ) Essas matérias podem aproximar mais pais e crianças.
D. ( ) Essas matérias não contribuem para educação das crianças.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Língua Inglesa
Escolaridade Curricular
Nº de aulas EF08LI15
02 aulas Habilidades
previstas
Hey dear students, are you doing just fine? Let’s take a look at some contents again, shall
we?

TIME FOR REVIEW!


O grau comparativo é utilizado para estabelecer uma relação de comparação
entre dois seres, tempos, lugares, objetos, etc. Essa comparação pode ser de
superioridade, colocando um acima do outro, quando um é mais alguma coisa do que o
outro; inferioridade, colocando um abaixo do outro, um é menos alguma coisa do que o
outro; ou igualdade, quando colocamos dois seres no mesmo nível, igualando-os.
https://mundoeducacao.uol.com.br/ingles/comparative-of-superiority.htm

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

ATIVIDADES:

QUESTÃO 01) Identify the comparative forms in the sentences below:


(Identifique as formas comparativas nas frases abaixo:)

I – My brother is as intelligent as my mother is. It’s incredible!


II – Summer is better than winter. I hate cold weather.
III – My friend’s car is less big than mine.

A. ( ) I – Equality, II – Inferiority, III – Superiority;


B. ( ) I – Equality, II – Inferiority, III – Inferiority;
C. ( ) I – Equality, II – Superiority, III – Inferiority;
D. ( ) I – Equality, II – Inferiority, III – Equality;

QUESTÃO 02) O que se pode entender através do trecho abaixo:

The fish number 1 is __________ the fish number 4.

A. ( ) smaller than. C. ( ) smaller.


B. ( ) bigger than. D. ( ) bigger.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Arte
Escolaridade Curricular
Nº de aulas (EF69AR31)
01 aula Habilidades
previstas

Arte e Literatura
Além da sustentabilidade, outra grande
preocupação que se torna crescente nos dias de
hoje é a inclusão social, ou seja, ações que visam
garantir direitos sociais a todas as pessoas, sem
exceção ou discriminação de classe social, de
gênero, de origem étnica ou geográfica, de
educação, de idade, etc. Entre os direitos sociais
estão o de participação política, o direito à saúde, à
educação, à moradia, ao trabalho, entre outros. Em
Buenos Aires, na Argentina, um grupo de artistas conhecido como Eloísa Cartonera criou
um projeto que envolve a reciclagem de papel na produção de livros. Nesse projeto, ao
mesmo tempo em que reduzem o impacto do lixo no meio ambiente, esses artistas
promovem a democratização do acesso à arte e a inclusão social de famílias de baixa
renda. Para fazer os livros, o coletivo Eloísa Cartonera utiliza como matéria-prima papel e
papelões recolhidos na rua por
catadores. Esses catadores, retirando
das ruas resíduos sólidos, como papelão,
alumínio e vidro, realizam a primeira
etapa do processo de reciclagem,
embora seu trabalho seja em geral pouco
valorizado pela sociedade. É em
reconhecimento a essa atividade que os
integrantes do Eloísa Cartonera compram
o papelão dos catadores por um preço muito mais alto que o habitual. No coletivo, o texto do
livro é impresso em papel reciclado e a capa é feita com papelão reaproveitado recortado e
pintado à mão. Toda essa produção artesanal é realizada por jovens catadores. Com isso,
eles deixam de recolher papelão nas ruas e passam a receber por seu aprendizado artístico,
além de se aproximarem da arte visual, da literatura e, muitas vezes, dos autores das obras
que serão impressas.
Os livros publicados pelo Eloísa Cartonera
trazem textos literários, em verso e em prosa, escritos
por autores profissionais que cedem gratuitamente os
direitos autorais de suas obras para o grupo. Sem esse
custo, os livros podem ser vendidos a preços baixos.
Com o dinheiro da venda dos livros, em bancas
improvisadas nas ruas e em algumas livrarias, o grupo
pode comprar mais papelão dos catadores e assim
produzir mais livros para dar continuidade a esse projeto que beneficia o meio ambiente, a
cultura e a comunidade envolvida.
O coletivo Dulcinéia Catadora foi iniciado em
2007 aqui no Brasil, após dois meses de trabalho
colaborativo de Lúcia Rosa e Peterson Emboava com
integrantes do Eloísa Cartonera durante a 27ª Bienal de
São Paulo.
O processo de trocas e experiências leva ao
respeito às diferenças e à soma de experiências. Além
disso, busca-se a valorização dos catadores de papel na
sociedade e acredita-se na possibilidade de transformação das relações sociais por meio da
arte.
ATIVIDADE:
QUESTÃO 1 – De acordo com os mapas apresentados abaixo em qual País acontece o
Projeto Eloísa Cartonera?

A ( ) País número 1
B ( ) País número 2
C ( ) País número 3
D ( ) País número 4

Caderno elaborado pela professora Rosiane Tobias França- adaptado do livro Telaris Arte Editora
Ática 9º Ano – São Paulo 2015 – Imagens disponíveis em www.google.com.br/imagens
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Educação Física
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
02 aulas Habilidades (EF89EF18P8)
previstas

Olá alunos!
Hoje você vai estudar sobre os princípios de respeito e honra dentro das lutas.
As lutas estão relacionadas
à nossa história, há registros de
lutas em praticamente todas as eras
da humanidade e existem diversos
tipos de luta espalhados pelo
mundo. Apresentam, em suas
origens, características atribuídas à
sobrevivência, ao exercício físico,
ao treinamento militar, à defesa e
ao ataque pessoal, além das
implicações das tradições culturais,
religiosas e filosóficas.
Todas parecem iguais, mas
se analisarmos cada uma delas, perceberemos que elas têm objetivos diferentes. Enquanto
algumas pretendem derrubar o adversário, outras procuram a imobilização e umas até o
deslocamento do oponente de uma área delimitada. Ou seja, você pode perceber que
nenhuma delas tem a violência como finalidade.

A luta não é sinônimo de injustiça, violência, delinquência e covardia.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Qual a diferença entre Lutas e Brigas

Lutamos para nos


defender e contra-atacar,
nunca para machucar
alguém de propósito,
machucar pessoas não é
um ato de Cidadania.
Já a luta pode ser
bem saudável, podemos
usá-la como esporte tipo
karatê, Judô, Muay Thai,
Capoeira etc.
Apesar da maior
parte das pessoas
relacionarem lutas com
brigas, não é isso que ocorre. Os verdadeiros lutadores entendem que a prática é
entretenimento, saúde e defesa. Nunca vão utilizar seus conhecimentos para machucar uma
pessoa ou agir covardemente contra ela. Um lutador é muito mais do que uma pessoa que
domina a técnica, é aquele que possui autocontrole, e privilegia o diálogo ao invés do
embate corporal.

Texto elaborado pela professora Lidiany Rezende-adaptado de – Lutas do Brasil – disponível


em:< https://sme.goiania.go.gov.br/conexaoescola/eaja/lutas-do-brasil-quem-luta-nao-briga/ > acesso
em 04 de out. 2021.

As lutas na cultura do movimento humano-


sinônimo de paz- lições para vida

Por trás de cada movimento há uma filosofia,


uma história e uma cultura. Perseverança,
autoconfiança, autonomia, responsabilidade e
capacidade de superar os limites são algumas das
lições aprendidas e muito valorizadas em outras
esferas da vida.

Lutas x Diversidade de atividades x Movimentos

Quando proponho a vivência com lutas ressalto que o importante mesmo é garantir
uma diversidade de atividades – combinando leitura, conhecimento de regras e, é claro,
muito movimento. Conhecer novas possibilidades de movimentos contribui para que a
Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122
Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

memória corporal ganhe outros elementos. Explorar através das nossas aulas habilidades
motoras e capacidades físicas, elementos básicos para qualquer luta.

Vivenciando Aero Combat-adaptado

Vamos experimentar uma modalidade que combina os movimentos da aeróbica com


as técnicas da luta?
Meio luta, meio ginástica, o Aero Combat é uma atividade aeróbia que combina
movimentos, socos no ar, chutes, joelhadas, pulinhos e deslocamentos.
De violenta, a ginástica não tem nada, os golpes são dados no ar e toda a
movimentação é feita para queimar calorias.
Pratique lutas, sempre que puder, como forma de lazer ou em busca de saúde. E
que as aprendizagens da luta sirvam para sua vida, prezando sempre pelo diálogo e não
pela briga e embate corporal.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Imagens disponíveis em: apresentao-boxe-5-728.jpg (728×546) (slidesharecdn.com). Acesso em: 19


out. 2021.

QUESTÃO 01 – Assinale a alternativa correta sobre nossos estudos:


A. ( ) Não há registros de lutas em praticamente todas as eras da humanidade e
existem apenas duas espalhadas pelo mundo.
B. ( ) Suas características estão atribuídas à sobrevivência, ao exercício físico, ao
treinamento militar, à defesa e ao ataque pessoal, além das implicações das
tradições culturais, religiosas e filosóficas.
C. ( ) Todas são iguais, elas têm os mesmos objetivos, pretendem sempre derrubar o
adversário com violência.
D. ( ) Por trás de cada movimento não existe uma filosofia, uma história e uma cultura,
somente o embate corporal.

QUESTÃO 02 – Assinale a alternativa que justifica o lutar e não Brigar, exceto:


A. ( ) Significa o desentendimento entre pessoas, sem nenhum tipo de organização
oficial.
B. ( ) Há regras para serem seguidas.
C. ( ) Possuem entidades organizadoras, como associações, federações e
confederações.
D. ( ) Há uma vestimenta adequada, locais de disputa e equipamento de proteção.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Componente Curricular
Ano de Escolaridade 8º ano Matemática
Habilidades
Nº de aulas previstas 05 aulas EF08MA38MG

ÁREA DO PARALELOGRAMO E DO LOSANGO


- ÁREA DO PARALELOGRAMO
Para calcular a medida da área de um paralelogramo multiplicamos as medidas do
comprimento de sua base e de sua altura (altura é o segmento de reta que faz 90º com a
base).

a) Determine a área de um paralelogramo cuja base mede 24 cm e a altura é igual a 16 cm.

- ÁREA DO LOSANGO

Para calcular a medida da área de um losango multiplicamos sua diagonal maior (D)
pela diagonal menor (d) e dividimos por 2. Observe:

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

a) Qual é a área de um losango cujas diagonais medem 4,2 cm e 5 cm?

Agora, vamos às atividades.

Texto elaborado pela professora Elaine Cristina Ribeiro, adaptado de Teláris, 8º ano. 3ª ed. São
Paulo: Ática, 2018.

Atividades

QUESTÃO 1 – Assinale a alternativa correta que contém a área da figura seguinte.


A. ( ) 32,4 metros quadrados.
B. ( ) 11,4 metros quadrados.
C. ( ) 16,2 metros quadrados.
D. ( ) 5,7 metros quadrados.

QUESTÃO 2 – Assinale a alternativa correta que contém a área figura seguinte.


A. ( ) 5 centímetros quadrados.
B. ( ) 6 centímetros quadrados.
C. ( ) 7,2 centímetros quadrados.
D. ( ) 12,2 centímetros quadrados.

QUESTÃO 3 – A figura seguinte representa um espaço de um parque destinado ao lazer em


uma cidade. Assinale a alternativa correta que contém a área desse espaço.
A. ( ) 66 metros quadrados.
B. ( ) 33 metros quadrados.
C. ( ) 17 metros quadrados.
D. ( ) 8,5 metros quadrados.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Para responder as questões 4 e 5 observe atentamente a seguinte figura que


representa uma horta de rúcula e alface:

QUESTÃO 4 - Assinale a alternativa que contém a área destinada ao plantio de rúcula.


A ( ) 18 metros quadrados.
B ( ) 72 metros quadrados.
C ( ) 144 metros quadrados.
D ( ) 216 metros quadrados.

QUESTÃO 5 – Assinale a alternativa que contém a área total de plantio de rúcula e alface.
A ( ) 30 metros quadrados.
B ( ) 72 metros quadrados.
C ( ) 144 metros quadrados.
D ( ) 216 metros quadrados.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II

Escola Municipal: _________________________________________


Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Componente
Ano de Escolaridade 8º ano Ciências
Curricular
Nº de aulas previstas 03 aulas Habilidades EF08CI04
Leia os textos a seguir e responda às questões com atenção!

POTÊNCIA E CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA

A eficiência dos aparelhos eletroeletrônicos pode ser medida de acordo com sua
potência elétrica, definida como energia elétrica consumida por unidade de tempo. No
Sistema Internacional de Unidades (SI), a potência é medida em watt (W).

Em nossas residências, os medidores conhecidos como “relógios de luz” medem o


consumo de energia elétrica e o expressam em quilowatt-hora (kWh). O consumo de
energia equivale à multiplicação da potência de um aparelho pela quantidade de horas que
ele permanece ligado.

Por exemplo, suponha um chuveiro elétrico de potência (Pot) 6000W, utilizado


durante duas horas por dia. A potência de 6000 W equivale a 6 kW. O tempo de uso é de 2
h por dia. Assim para saber a quantidade de energia (E) consumida pelo chuveiro em
um dia, multiplicamos a potência pelo tempo:

E = Pot x Δt = 6 kW x 2 h = 12 kWh

Ou seja, o uso desse chuveiro consome diariamente 12 kWh de energia elétrica. Se


quisermos calcular o consumo de energia mensal desse chuveiro, basta multiplicarmos o
consumo diário por 30 dias: 12 kWh x 30 dias = 360 kWh consumidos em um mês. A
medição feita pelo “relógio de luz” equivale à soma de todos os aparelhos elétricos,
eletrônicos e lâmpadas de uma residência. A concessionária de energia elétrica faz a
medição do consumo de energia elétrica e calcula, a cada mês, quanto aquela família deve
pagar pela sua conta de luz.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências Naturais
aprendendo com cotidiano – 7º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

QUESTÃO 01 – Um ferro elétrico de passar roupas possui potência de 1000W e é utilizado


pelo tempo de 3 horas semanais. Calcule a quantidade de energia elétrica consumida por
esse ferro de passar ao longo de um mês.

A. ( ) 12 kWh;
B. ( ) 3 kWh;
C. ( ) 120 kWh;
D. ( ) 30 kWh.

A CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA

No local onde os fios da rede de


distribuição de energia elétrica entram
numa casa existe um quadro com o
chamado “relógio de luz”.

Na verdade ele não é um relógio,


pois não mostra as horas. Ele é um
medidor da energia elétrica que é gasta
naquela residência. A energia gasta é
expressa numa unidade apropriada, o
quilowatt-hora, simbolizada por kWh.

Todos os meses, um funcionário


da companhia distribuidora de energia
elétrica passa pelas casas e prédios de
apartamentos para fazer a leitura desse
medidor.

Fazendo a subtração entre o valor


lido e o do mês anterior, obtém-se o
consumo mensal de energia elétrica, ou seja, quantos quilowatts-hora foram gastos pelos
moradores no último período do mês.

A “conta de luz”, mais corretamente chamada de conta de energia elétrica, traz


todos os meses o consumo da residência, quanto custa cada quilowatt-hora e o valor em
dinheiro a ser pago.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências Naturais
aprendendo com cotidiano – 7º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

QUESTÃO 02 – Atualmente o valor cobrado por kWh pela concessionária que fornece
energia elétrica para o nosso estado é de R $1,12, um real e doze centavos. Qual seria o
valor aproximado de uma residência cujo consumo de energia mensal seja equivalente a
137 kWh?

A. ( ) R$ 112,00;
B. ( ) R$ 153,00;
C. ( ) R$ 137,00;
D. ( ) R$ 139,00.

VOCÊ SABIA: O QUE É O SELO PROCEL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA?

Você já deve ter visto este selo


grudado em algum equipamento eletrônico
ou eletrodoméstico de alguma loja, mas
você sabe o que é esse selo? Ele é
chamado Selo Procel ou Selo Procel de
Eficiência Energética. Criado em
1993 pelo Programa Nacional de
Conservação de Energia Elétrica tem por
objetivo orientar o consumidor indicando os
produtos que apresentam os melhores
níveis de eficiência energética dentro de
cada categoria. Também objetiva estimular
a fabricação e a comercialização de
produtos mais eficientes, contribuindo para a redução de impactos ambientais.

O selo possui as informações do fabricante e do produto, uma escala de eficiência


que vai do A (mais eficiente) até o F (menos eficiente) e informações específicas de
consumo de energia do produto. Portanto, sempre que possível opte por produtos que
apresentam nível A de eficiência energética, pois assim você estará ajudando na diminuição
do desperdício de energia.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências Naturais
aprendendo com cotidiano – 7º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

QUESTÃO 03 – O que significa dizer que um aparelho possui melhor eficiência energética?

A. ( ) Que todo aparelho deve consumir a mesma quantidade de energia elétrica.


B. ( ) Que diferentes aparelhos devem consumir a mesma quantidade de energia
elétrica.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

C. ( ) Que os aparelhos que utilizam muita energia devem ser substituídos.


D. ( ) Que um aparelho utiliza menos energia para desempenhar sua função.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano História
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
03 aulas Habilidades (EF08HI15)
previstas

TEXTO I
Golpe da Maioridade – 2ª Reinado e a Revolução Praieira
O Golpe da Maioridade
foi a antecipação da coroação
de Dom Pedro II no trono
brasileiro, quando ele tinha
apenas 13 anos de idade. De
acordo com a Constituição de
1824, um dos requisitos para a
coroação imperial era a
maioridade, isto é, que o
herdeiro do trono tivesse
completado 18 anos de idade.
Porém, devido à instabilidade política e a fato de muitas províncias estarem passando por
rebeliões, a solução pensada para pacificar o Império foi a coroação do novo imperador,
mesmo que antecipadamente, tendo em vista que o trono estava vago desde 1831, logo
após a abdicação de Dom Pedro I.
Criou-se o Clube da Maioridade, que buscava angariar apoio à coroação do novo
imperador. Antônio Carlos de Andrada e Silva foi o fundador deste clube e suas ideias
rapidamente ganharam destaque na imprensa e apoio popular, a coroação de Dom Pedro II
era vista como a garantia da ordem social e política no Brasil Império. Em maio de 1840, a
Câmara aprovou a lei que garantia a antecipação da coroação de Dom Pedro II. No dia 23
de junho do mesmo ano, inaugurava-se o Segundo Reinado, com a coroação de Dom Pedro
II.
As consequências do Golpe da Maioridade foi a revogação da autonomia das
províncias devolvendo ao governo central os poderes absolutos que tinha antes da

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

abdicação de Dom Pedro I. Além disso, o novo imperador retomou o Poder Moderador, que
havia sido suspenso no Período Regencial.
O início do segundo reinado foi marcado pelo desafio de encerrar a Farroupilha,
ocorrida no Rio Grande do Sul.
Assumindo o Império brasileiro com pouca idade, Dom Pedro II tornou-se o
governante que mais tempo esteve no poder ao longo de nossa história. O Segundo
Reinado começou em 1840, logo após o Golpe da Maioridade, e só terminou em 15 de
novembro de 1889, por conta da Proclamação da República.
Esse longo período, podemos dividir em:
● Consolidação (1840-1850): quando o imperador estava no poder e
estabeleceu-o, a seu modo, sobre o país, colocando políticos e províncias
rebeldes sob seu controle.
● Auge (1850-1865): quando o poder do imperador era amplo e sua posição
estava consolidada.
● Declínio (1865-1889): quando surgem contestações contra a posição de
D. Pedro II, e a economia do país não ia bem.

Política do Segundo Reinado


A política durante o Segundo Reinado tem a presença de dois partidos:
Partido Conservador e Partido Liberal.
A disputa pelo poder
realizada por conservadores e liberais
era intensa e tinha impactos negativos
pois gerava muita instabilidade. A
saída encontrada pelo imperador foi
promover uma política de
revezamento em que conservadores e
liberais alternavam-se na liderança do
gabinete ministerial, reduzindo um
pouco os conflitos.
Ambos partidos tinham leves
diferenças de posição ideológica e de
classe. Os Conservadores eram partidários de uma grande centralização do poder nas
mãos do imperador, enquanto os liberais defendiam uma maior autonomia local para as
províncias.
Apesar disso, uma crítica muito forte à atuação dos dois partidos é realizada desde
aquela época é a de que as divergências entre os liberais e conservadores eram quase
inexistentes, ou seja, que não havia nada mais parecido com um conservador (saquarema)
do que um liberal (luzias) no poder.
No Brasil, a organização do sistema parlamentar foi completamente diferente do
modelo inglês, em o líder do partido mais votado se tornava o Primeiro-Ministro sem a
Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122
Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

interferência do Monarca, no Brasil, o imperador Dom Pedro II, com as atribuições


concedidas pelos Poder Moderador, tinha total liberdade para escolher os integrantes do
Conselho de Estado, escolher os ministros e realizar a dissolução da Câmara de Deputados.
Na maioria das vezes, as ações do Conselho somente refletiam os interesses do imperador.
As eleições do poder legislativo eram geralmente marcadas por diversos casos de
fraude onde conservadores e liberais disputavam o poder. Essa disputa, na verdade, não
sinalizava algum tipo de orientação política sensivelmente divergente entre esses dois
grupos políticos. Afinal de contas, ambos pertenciam à mesma elite econômica que
controlava a nação. Prova disso é que tanto liberais quanto conservadores tiveram
vantagens frente ao parlamento e ao gabinete de ministros.
Durante todo o Segundo Reinado, o gabinete foi dissolvido e reorganizado mais de
trinta vezes. Geralmente, o conselho de ministros não chegava a ficar mais de dois anos no
poder. Ao longo de todo o governo de D. Pedro II, os conservadores estiveram à frente do
gabinete por vinte e noves anos, e os liberais, por dezenove anos. Essa instabilidade no
interior dos quadros políticos nacionais era fruto da intervenção direta do imperador que
dava uma aparência descentralizada a um governo conservador.
Até a Guerra
do Paraguai, o conflito
que nos chama
atenção é a
Revolução Praieira.
Ocorrida na província
de Pernambuco, o
mais importante
centro econômico do
Nordeste. Recife
possuía um comércio
forte e atraía pessoas
de outros lugares do
Brasil, formando uma
sociedade bastante
diversificada.
Nesse contexto, teve início um conflito de interesses entre liberais e conservadores
em Pernambuco. Os liberais passaram a divulgar suas ideias políticas por meio de artigos
em jornais. Em 1842, eles inauguraram o periódico Diário Novo, com sede na rua da Praia,
no Recife, e por isso ficaram conhecidos como praieiros. A disputa entre os praieiros e os
conservadores foi se intensificando até se tornar um conflito armado, no final de 1848. O
conflito teve início em Olinda e logo se espalhou por toda a província. Setores populares

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

formados por ex-escravizados, vaqueiros e pequenos comerciantes também se mobilizaram


apoiando os praieiros. No dia 1º de janeiro de 1849, eles divulgaram o Manifesto ao mundo.
Veja um trecho desse documento
Protestamos só largar as armas quando virmos instalada uma
Assembleia Constituinte. Esta assembleia deve realizar os seguintes
princípios:
1º – O voto livre e universal do povo brasileiro.
2º – A plena e absoluta liberdade de comunicar os pensamentos por
meio da imprensa.
3º – O trabalho como garantia de vida para o cidadão brasileiro.

A repressão à revolta foi grande, causando a morte de muitas pessoas. Em abril de


1850, a revolta foi sufocada pelas tropas do governo.
Chama atenção, as pautas do movimento, que em 1849 defendia o voto livre e
universal, algo não realizado no Império brasileiro, cujo a renda era o critério para ser
eleitor-eleito. Além de debater a necessidade de emprego e de liberdade de expressão no
país.

Fonte: Texto elaborado pelo Professor Rodrigo do Amaral Fonseca, para a Escola
Virtual da Secretaria Municipal de Educação de Pouso Alegre tendo como
referência:
DIAS, Adriana Machado; GRINBERG, Keila; PELLEGRINI, Marco
César. VONTADE de SABER HISTÓRIA - 8º ANO. São Paulo: Quinteto, 2018.
HIGA, Carlos César. O golpe da maioridade. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/historiab/o-golpe-maioridade.htm. Acesso em: 6 out.
2021.
NEVES, Daniel. Segundo Reinado. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/historiab/segundo-reinado.htm. Acesso em: 6 out.
2021.
SOUSA, Rainer. Parlamentarismo às avessas. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/historiab/parlamentarismo-as-avessas.htm. Acesso
em: 6 out. 2021.

QUESTÃO 01 – Sobre a Política no Segundo Reinado:


I – Os conservadores e os liberais eram vistos como parecidos, sem serem diferentes
quando no poder.
II – O Parlamentarismo às avessas é uma consequência do poder moderador que o
imperador exercia.
III – As eleições sempre foram justas, sem a ocorrência de fraudes.
A. ( ) Apenas I é falsa.
B. ( ) Apenas II é falsa.
C. ( ) Apenas III é falsa.
D. ( ) todas as alternativas são falsas.

QUESTÃO 02 – Sobre a Revolução Praieira, assinale a alternativa incorreta:


A. ( ) Foi consequência das disputas entre liberais e conservadores.
B. ( ) Os praieiros não eram favoráveis à liberdade de expressão nos jornais.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

C. ( ) A revolução praieira não sofreu a repressão do governo central.


D. ( ) Eram chamados de praieiros pois devido o Diário Novo ser localizado na rua da
Praia.

QUESTÃO 03 - Complete:

A. ( ) 1-2-3;
B. ( ) 2-1-3;
C. ( ) 3-2-1;
D. ( ) 1-3-2.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Geografia
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
03 aulas Habilidades EF08GE02 – EF08GE05
previstas

A África não é um país, é um continente! Há uma tendência a falar da África como se


ela fosse homogênea, com um povo único, com os mesmos hábitos e tradições e a mesma
paisagem: desértica, selvagem e famélica. Mas na verdade a África é um continente muito
diverso, tanto em sua sociedade quanto em sua natureza. Vamos conhecer melhor este
continente que teve tamanha influência na formação da população e cultura brasileira!

África: localização e regionalização


Os limites do continente são compostos por mares e oceanos. No Noroeste e no
Nordeste encontram-se duas faixas estreitas que separam a África da Europa e da Ásia. No
Noroeste o Estreito de Gibraltar separa África e Europa, em uma faixa do Mar Mediterrâneo
de cerca de 14 km. Já a nordeste, o Canal de Suez, no istmo de Suez separa África e Ásia.
O continente é atravessado pela Linha do Equador e pelos trópicos de Câncer (norte)
e de Capricórnio (sul), o que confere condição predominantemente tropical ao continente.
A África é dividida em 54 países independentes e possui grupos sociais com imensa
variedade de línguas, religiões, e uma vastíssima e rica história, além de diversas paisagens
naturais. A atual divisão dos países pelo continente resultou das fronteiras impostas pelas
potências europeias no séc. XIX.
Com base em critérios étnico-culturais, o continente pode ser regionalizado em duas
principais sub-regiões: Norte da África (África Setentrional – acima do deserto do Saara) e
África Subsaariana (abaixo do deserto do Saara). O Deserto do Saara é o limite geral e a
ele se segue uma faixa semiárida ao sul, conhecida como Sahel. O Norte da África é
predominantemente branco e formado por povos árabes, enquanto a África Subsaariana é
principalmente negra e abriga grande variedade de etnias.

QUESTÃO 1 – Avalie as afirmações feitas sobre o continente africano como Verdadeira (V)
ou Falsa (F) e assinale a alternativa com a sequência CORRETA.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

( ) Continente predominantemente tropical com limites principalmente em mares e


oceanos.
( ) As fronteiras dos países foram determinadas pelos povos africanos ao longo da história.
( ) Baseado em critérios étnico-culturais o continente pode ser dividido em Norte da África
(povos árabes) e África Subsaariana (negra e muito variada em relação à etnia).
A. ( ) V, F, V
B. ( ) V, V, V
C. ( ) V, V, F
D. ( ) F, V, V

O Norte da África é formado por Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia, Egito e Saara
Ocidental. Estes países têm população de maioria árabe e religião islâmica. Estão aí
algumas áreas densamente povoadas, como o Vale e o Delta do Rio Nilo, berço da
civilização egípcia, e o litoral mediterrâneo da região do Magreb, entre Argélia, Marrocos e
Tunísia.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

Embora os indicadores socioeconômicos sejam mais satisfatórios que o resto do


continente, um dos principais problemas do Norte da África é a baixa oferta de emprego
para jovens, a pressão sobre os recursos naturais, a desigualdade social e a instabilidade
política.
Por sua vez, a África Subsaariana corresponde à região ao sul do Deserto do
Saara, formada por 48 países. A população é predominantemente negra, de enorme
variedade étnica. Algumas das áreas mais povoadas do continente encontram-se nessa
região, como o Delta do Rio Níger, as áreas próximas ao Golfo da Guiné e a África do Sul.
Na África Subsaariana estão algumas das áreas mais povoadas do continente. Em
relação à urbanização, apesar da presença de grandes metrópoles como Abidjan, na Costa
do Marfim, Johanesburgo, na África do Sul, Nairóbi, no Quênia, e Lagos, na Nigéria,
observa-se na região as menores taxas para a população residente na zona urbana e as
maiores para a população no espaço rural.
É nessa região do continente que se concentram os problemas sociais e econômicos
mais graves do mundo, dos quais os mais preocupantes são a pobreza extrema, a fome e a
desnutrição. Esses problemas se devem a diversos fatores como guerras, epidemias, secas,
a colonização e a dominação histórica.

QUESTÃO 2 – Sobre o Norte da África podemos afirmar CORRETAMENTE:


A. ( ) População de maioria negra com etnias muito variadas.
B. ( ) Região que concentra os problemas sociais e econômicos mais graves do planeta.
C. ( ) Tem população de maioria árabe e indicadores socioeconômicos melhores.
D. ( ) Compreende a maior parte dos países africanos.

QUESTÃO 3 – Leia o seguinte trecho intitulado “A África na História do Brasil e do Mundo”:


“A África está nos brasileiros, em sua cultura e em sua vida, independentemente da
origem familiar pessoal. Sendo brasileiros, carrega-se dentro de si mesmo muito da África.
(...) Deve-se lembrar ainda que a história da África é parte indissociável da história
da humanidade, na sua expressão mais completa. A África é o berço da espécie humana,
pois lá surgiram as primeiras formas de vida dos homens e mulheres no planeta Terra. Em
toda a sua longa história, os nativos do continente relacionaram-se aos habitantes de outras
regiões e continentes. Seus conhecimentos, produtos, criações e ideias circularam o mundo,
assim como seus criadores.
(...) Africanos e afrodescendentes foram espalhados pelo mundo, contra sua vontade
retirados de suas aldeias, cidades, de suas famílias e de sua terra natal; não carregavam
consigo nada além de si próprios – seus corpos, suas tradições, suas memórias.
Atualmente, culturas de matriz africana se fazem presentes em diferentes sociedades no
mundo”.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

A partir do texto, assinale a alternativa INCORRETA, ou seja, àquela NÃO podemos fazer.
A. ( ) A cultura africana está presente na vida de toda a população brasileira.
B. ( ) A história da África está presente em toda história da humanidade.
C. ( ) Em parte, muitos africanos foram espalhados pelo mundo contra sua vontade.
D. ( ) São os brasileiros de pele preta que carregam cultura africana em suas vidas.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Dr. André dos Santos Ribeiro, adaptado de: Tempo de
Geografia, 8º ano. São Paulo: Editora do Brasil, 2018.

Para aprofundar:
- Confira as imagens, leia e faça as atividades do Capítulo 1 “Localização e regionalização”
(África) entre as páginas 196 e 202 do seu livro de Geografia (Tempo de Geografia, 8º ano).
- Compreenda um pouco do que sabemos sobre a origem dos seres humanos (Homo
Sapiens): https://www.youtube.com/watch?v=oBLYb636tFA&ab_channel=NexoJornal.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Escolaridade 8º ano Componente Curricular Filosofia

Identificar o conceito de
igualdade jurídica e as
Nº de aulas previstas 01 aula Habilidades
consequências de sua
aplicação.

AUTONOMIA E RAZÃO
Imagine que você seja um astrônomo e que, por meio de seus estudos científicos
rigorosos, tenha chegado a conclusões contrárias a algumas ideias da Bíblia e do
pensamento tradicional. Como aconteceu com Galileu. O que você faria?
Manteria sua convicção ou negaria suas conclusões racionais para se colocar de
acordo com a Bíblia e a tradição?
Os iluministas defendiam que a razão não poderia se subordinar a nenhuma outra
forma de entendimento ou de explicação. Para esses pensadores, as investigações sobre o
homem e a natureza deveriam ser autônomas, isto é, não deveriam sofrer interferência de
nenhum gênero (religiosos, político, etc.), mas obedecer somente a critérios racionais.
Em outras palavras, os filósofos do Iluminismo concordavam que o ser humano seria
livre para seguir as determinações da própria razão e da própria consciência, que guiaria as
ações de cada indivíduo. Os iluministas defendiam essa liberdade ou autonomia em
qualquer campo de atuação.
O entendimento de que a razão é universal e, portanto, está presente em cada
indivíduo implica em ideias de igualdade jurídica e de autonomia. Segundo a noção de
igualdade, todos são iguais perante as leis. Já a ideia de autonomia indica que,
independentemente da situação social, do cargo ou da função que exerce, todo indivíduo é
capaz de usar a razão, de pensar por si próprio, conhecer o mundo e interferir na realidade
à sua maneira.
Além disso, coerentes com a defesa pela igualdade e pela autonomia do ser
humano, os iluministas defendiam também a liberdade ou tolerância religiosa, isto é, o
direito de cada indivíduo possuir e praticar sua religião sem ser perseguido por nenhum
grupo social nem pelo Estado.
Afirmavam o mesmo em relação à liberdade política. Cada indivíduo teria o direito
de tomar essa ou aquela posição política de acordo com sua consciência, e não deveria ser

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação e Cultura

reprimido por isso. Para os iluministas, o uso pleno da razão humana estaria relacionado à
prática da liberdade.
Muitas ideias desse período tornaram-se princípios fundamentais das sociedades
contemporâneas.

Texto adaptado pela professora Sônia M.G. Martins, de Encontro com a filosofia. 2 ed. São Paulo:
Editora Moderna, 2018.

ATIVIDADE:

QUESTÃO 1 – Leia o trecho do poema:


“Os estatutos do homem”, e faça o que se pede:
“Artigo final
Fica proibido o uso da liberdade,
A qual será suprimida dos dicionários
E o pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
A liberdade será algo vivo e transparente
Como um fogo ou um rio,
E a sua morada será sempre
O coração do homem. ”
MELLO, Thiago de. Os estatutos do homem.

Qual a posição do autor a respeito da liberdade?


A. ( ) Contrária, o autor quer suprimir a liberdade
B. ( ) Favorável, o autor defende que a liberdade deve deixar de ser apenas uma palavra
do dicionário.
C. ( ) Favorável, o autor que deve ser algo ausente na sociedade
D. ( ) Contrária, pois deve ser uma ideia presente e natural em todo ser humano.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação
e Cultura

SEMANA 35
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do(a) aluno(a):______________________________________
Professor(a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________

Ano de Componente
8º ano Ensino Religioso
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
01 aula Habilidades EF08ER01
previstas

Crenças e as suas influências em nossas ações e resultados

Todos temos crenças, todos acreditam em algo, mais poucos param ou já pararam
para refletir sobre o quanto as suas crenças tem influenciado as suas ações, atitudes e
resultados.
Define-se por crença a firme convicção e a conformidade com algo. A crença é a
ideia que se considera verdadeira e à qual se dá todo o crédito, ou seja crença é tudo aquilo
que você realmente acredita, seja isso uma verdade real ou não.
A grande questão é o quanto estas crenças tem influenciado ou afetado de
forma positiva ou negativa os seus resultados? Talvez você nunca tenha feito esta pergunta,
afirmo a você, saber a resposta a esta pergunta ajudará você a entender o porque de seus
resultados, sejam eles bons ou não.
Além de influenciar as nossas ações e interferir diretamente em nossos resultados as
nossas crenças podem se transformar em barreiras quando tornam-se o que chamamos de
"crenças limitantes ou limitadoras".
O que são estas crenças limitantes?
São aquelas que nos atrapalham ou nos impedem de conquistar algo ou a tomar
alguma atitude que é importante para o nosso desenvolvimento. Um exemplo prático de
crenças limitantes é quando você diz que "eu não consigo nadar, já fiz de tudo e não
consigo aprender", isto é uma crença, é algo que está instalado dentro de você, no seu
subconsciente e que é disparado toda vez que você começa a tomar atitudes para aprender
a nadar.
E o que acontece é que quando você começa a fazer as aulas de natação as suas
atitudes vão ser baseadas nesta crença então o seu desempenho vai ser fraco ou
inexistente pois "você já disse ao seu cérebro eu não consigo nadar".
Henry Ford disse:
"Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está
certo".

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação
e Cultura

É uma questão de crença, se você acredita que pode, as suas atitudes e ações
serão tomadas na direção de conseguir, e o contrário também é valido, se você não acredita
que é capaz as suas ações irão na direção de não conseguir.
Beleza, agora que eu sei que as minhas crenças influenciam diretamente em meus
resultados, o que fazer com as crenças que me limitam de crescer e conquistar o que
desejo?
A resposta é, realizar a substituição destas crenças, "retire" as crenças que limitam e instale
novas crenças, as chamadas "crenças facilitadoras", (falarei mais sobre crenças facilitadoras
em um próximo artigo) o importante saber neste momento é que as suas crenças não
nascem com você, em algum momento de sua vida elas foram instaladas em seu cérebro e
o seu sistema de crenças começou a operar segundo estas regras.
Acredite, é possível reprogramar o nosso sistema de crenças, estabelecendo novas
crenças que irão ditar novos padrões de comportamento, proporcionando novas
possibilidades que trarão outras conquistas. Lembre-se nem todas as nossas crenças são
ruins ou prejudiciais, as que precisamos substituir são as "CRENÇAS LIMITANTES".
Existem varias maneiras de instalarmos novas crenças, a mais simples e a que tem
um grande efeito é mudar os nossos pensamentos, pois pensamentos levam a ações, ações
impactam no comportamento e o comportamento repetido torna-se um hábito.
Uma ação prática que nos ajuda a construir novos pensamentos, que serão a base para a
instalação de novas crenças facilitadoras, é a leitura, ler livros com conteúdos que edificam
é parte importante neste processo de reconstrução.
Outra forma também eficaz é observar o comportamento de pessoas que alcançaram
o que você deseja, e imita-las, descubra o que elas fizeram e copie as suas atitudes,
consolide a crença de que você também é capaz, "se ele conseguiu, eu conseguirei
também".
"Mude suas crenças e seus comportamentos também irão mudar e isto impactará em
seus resultados". Luciano Bento
Disponível em:https://administradores.com.br/artigos/crencas-e-as-suas-influencias-em-nossas-
acoes-e-resultados. Acesso em: 04 out. 2021.

QUESTÃO 01 – O texto nos dá conceitos de crença, e aponta como algo importante para o
seguimento da vida. Qual o conceito firmado no texto sobre crença?

A. ( ) A crença é importante para algumas pessoas darem continuidade ao seu projeto


de vida.
B. ( ) Crença é a firme convicção e a conformidade com o outro; é tudo aquilo que
você realmente acredita, seja isso uma verdade real ou não.
C. ( ) Crença é a convicção nas verdades reais, pois elas direcionam a convicção.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
Secretaria de
Educação
e Cultura

D. ( ) Crença é somente para questões espirituais, ou seja, o transcendente.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101