Você está na página 1de 3

PLANO DE AULA

TEMA: ENFERMAGEM COMO CIÊNCIA: TEORIAS, FILOSOFIA, VALORES E


CAMPO DE ATUAÇÃO

DOCENTE
RODRIGO SOUSA DE CARVALHO

OBJETIVOS

GERAL
Proporcionar aos acadêmicos fatores que influenciaram a escolha profissional, bem como
expectativas sobre o futuro após conclusão do curso de Enfermagem

CONTEÚDO

 Breve histórico sobre o surgimento da enfermagem


 Conceituar Enfermagem
 Compreender a arte de cuidar
 Atuação da Enfermagem

METODOLOGIA

Aulas Expositivas. Exposição Dialogada; Trabalhos em Grupo (leitura de textos).

PROGRAMAÇÃO DA AULA

AULA
Planejamento
Planejamento em Saúde
Exercício Avaliativo

Planejamento e Programação em Saúde


Planejamento no âmbito do SUS

Planejamento Institucional
Planejamento estratégico em saúde
Exercício Avaliativo

1
AVALIAÇÃO

 Participação ativa dos acadêmicos nos debates e nas aulas de exposição dialogada;
 Trabalho em Grupo;
 Seminário.

EMENTA

 O módulo se propõe a desenvolver ações em planejamento em saúde;


programação em saúde; planejamento no âmbito do SUS e planejamento
institucional (o que é o planejamento em saúde? Para que serve? Bases do
planejamento em saúde; ciclo de planejamento).

REFERÊNCIAS

Básica

Almeida C, Romero C, Teixeira CF, Pinto ICM, Macedo JN. Investigaciónen sistemas y
servicios de salud: estadodel arte y necesidades de capacitación – Brasil, Argentina,
Uruguay y Paraguay. Levantamiento preliminar. Cuadernos para Discusión. 2000; 1:75
160.

CHORNY, A. H.; KUSCHNIR, R.; TAVEIRA, M. Planejamento e programação em


saúde–texto para fixação de conteúdos e seminário. FIOCRUZ/ENESP, 2008.

FARIA, Horácio Pereira de; CAMPOS, Francisco Carlos Cardoso de; SANTOS, Max
André dos. Planejamento, avaliação e programação das ações de saúde. 2018.

FERREIRA, Jéssica et al. Regional planning of health services: what do the managers say?.
Saúde e Sociedade, v. 27, n. 1, p. 69-79, 2018.

GIOVANELLA, Ligia. Planejamento estratégico em saúde: uma discussão da abordagem


de Mário Testa. Cadernos de Saúde Pública, 1990, 6: 129-153.

Teixeira, C. F. D. S., & Jesus, W. L. A. D. (2010). Correntes de pensamento em


planejamento de saúde no Brasil.

Spinelli H, Testa M. Del Diagrama de VennalNudo Borromeo. Desarrollo de la


Planificaciónen América Latina. SaludColectiva. 2005;1:323-35.

Complementar

BRASIL. Ministério da Saúde. Decreto Federal 7.508, de 28 de junho de 2011 -


Regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização
do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a
articulação interfederativa, e dá outras providências.

2
_______LEI COMPLEMENTAR Nº 141, de 13 de janeiro de 2012- Regulamenta o § 3o
do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem aplicados
anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços
públicos de saúde; estabelece os critérios de rateio dos recursos de transferências para a
saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com saúde nas 3 (três)
esferas de governo; revoga dispositivos das Leis nos 8.080, de 19 de setembro de 1990, e
8.689, de 27 de julho de 1993; e dá outras providências.

_______LEI Nº 8.080, DE 19 DE SETEMBRO DE 1990. Dispõe sobre as condições para a


promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços
correspondentes e dá outras providências.

_______PORTARIA GM/MS N. 1.101/2002, estabelece parâmetros assistenciais no SUS.


2002.

_______ PORTARIA Nº 2.395, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011 que organizou o


Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências no âmbito do Sistema Único de
Saúde (SUS).

_______ PORTARIA Nº 2.488, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011 que aprova a Política


Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a
organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de
Agentes Comunitários de Saúde (PACS).

Você também pode gostar