Você está na página 1de 5

Biofísica

Notas sobre Grandezas Unidades e Dimensões

Estas notas resultam da compilação das aulas teórico-práticas de Biofísica 1 Grandezas fundamentais . 1
dos cursos de Biologia e Genética e Biotecnologia. Deve ser entendidas 2 Grandezas derivadas . . . . 1
como um resumo do tema abordado nas aulas: grandezas físicas, unidades
3 CGS vs SI . . . . . . . . . . . 2
do sistema internacional e do sistema CGS.
4 Múltiplos e submúltiplos . 2
Francisco Marinho, UTAD 5 Conversão de unidades . . . 3
Versão Outubro 2020 6 Outras unidades . . . . . . . 4

1 Dimensões e grandezas fundamentais


São sete as grandezas fundamentais, todas as grandezas físicas podem
ser escritas à custa destas sete [1]. As grandezas físicas abordadas neste
livro podem ser escritas à custa de apenas seis das grandezas fundamen-
tais1 . Na tabela 1 está apresentado as grandezas, dimensões e unidades 1: A Intensidade luminosa é a sétima gran-
fundamentais no sistema internacional (SI) e no sistema CGS (centímetro, deza fundamental cuja a unidade no SI é
a candela (cd).
grama, segundo).

Tabela 1: Grandezas fundamentais. A in-


Grandeza Dimensão Unidade (SI) Unidade (CGS) tensidade luminosa é a única grandeza
fundamental que não está presente neste
Comprimento 𝐿 Metro (m) Centímetro (cm)
quadro.
Tempo 𝑇 Segundo (s) Segundo (s)
Massa 𝑀 Kilograma (kg) Grama (g)
Corrente
𝐼 Ampere (A) Ampere (A)
eléctrica
Temperatura Θ kelvin (K) kelvin (K)
Quantidade
𝑁 Mole (mol) Mole (mol)
de substância

2 Grandezas derivadas
Tabela 2: Dimensões e unidades de algu-
Grandeza Dimensões Unidade (SI) Unidade (CGS) mas grandezas físicas derivadas. A uni-
dade de viscosidade no sistema CGS, cujo
Concentração N L−3 mol m−3 mol cm−3
símbolo é P, tem o nome de Poise.
Densidade M L−3 kg m−3 g cm−3
Velocidade L T−1 m s−1 cm s−1
Força M L T−2 N = kg m s−2 dyn = g cm s−2
Pressão M L−1 T−2 Pa = N m−2 𝜇bar = dyn cm−2
Energia M L2 T−2 J = kg m2 s−2 erg = g cm2 s−2
Potência M L2 T−3 W = J s−1 erg s−1 = g cm2 s−3
Viscosidade M L−1 T−1 Pa s = N m−2 s P = dyn cm−2 s
Como foi dito na secção anterior, qualquer grandeza física pode ser
escrita à custa das grandezas fundamentais. Na tabela 2 apresenta-se
algumas das grandezas físicas derivadas usadas neste livro escritas à
custa das dimensões das grandezas fundamentais, assim como as suas
unidades nos sistemas SI e CGS.

3 O sistema de unidades. CGS vs SI


Há um conjunto de considerações que se deve ter em conta na escolha
de um sistema de unidades de trabalho:

1. A utilização do sistema internacional de unidades (SI) não é man-


datório.
2. O sistema de unidades deve ser o mais adaptado à escala do
fenómeno físico em estudo.
3. Evitar, no mesmo estudo, misturar sistemas de unidades diferentes.

O objecto de estudo da biofísica são os fenómenos biológicos. Como tal a


biofísica alcança todas as escalas da biologia, desde do nível molecular
até às populações. Podemos tentar sempre caracterizar um fenómeno
físico quanto à sua escala, por exemplo:

I Estudar uma reacção química ao nível dos átomos e moléculas


implica lidar com uma escala de comprimentos da ordem da
dimensão dos átomos, uma escalda da ordem do nm = 10−9 m e
uma escala temporal da ordem do fs = 10−15 s. Femtosegundo
I Estudar a migração de um mamífero na savana africana envolve
uma escala espacial da ordem dos 100 km = 105 m e uma escala O femto é um submúltiplo de expo-
ente −15 na base 10.
temporal da ordem dos anos, ∼ 107 − 108 s
1 fs = 10−15 s
Os fenómenos biofísicos foco de estudo neste livro são ao nível celular,
em particular o estudo de fenómenos de transporte membranar. Para o
estudo de fenómenos a esta escala o sistema de unidades CGS (centímetro,
grama, segundo) está mais adequado do que o sistema internacional.

4 Prefixos dos múltiplos e submúltiplos das


unidades
Mesmo que o sistema de unidades de trabalho seja o mais adequado à
escala do sistema físico em estudo, irá haver sempre grandezas físicas
cujos valores numéricos, expressos nas respectivas unidades, tem de
ser representados com potências de base 10. A utilização de prefixos
das unidades vem facilitar a escrita e a leitura dos valores numéricos,
minimizando assim possíveis erros de escrita e/ou leitura.

Exemplo

Quando queremos indicar a distância da cidade do Porto à cidade de


Vila Real dizemos que é aproximadamente 100 km e não 100 000 m
ou 105 m. A utilização do múltiplo k do metro, facilita a leitura da
distância.

Na tabela 3 apresenta-se os prefixos dos multiplos e submultiplos


usados no SI.
Tabela 3: Prefixos dos múltiplos e submúl-
Submúltiplos Múltiplos tiplos das unidades das grandezas físicas.
Prefixo Símbolo Potência Prefixo Símbolo Potência As potências são de base 10.

yocto y −24 deca da 1


zepto z −21 hecto h 2
atto a −18 kilo k 3
femto f −15 mega M 6
pico p −12 giga G 9
nano n −9 tera T 12
micro 𝜇 −6 peta P 15
mili m −3 exa E 18
centi c −2 zetta Z 21
deci d −1 yotta Y 24

Caso especial da unidade de massa no SI: kg


No sistema internacional a unidade de massa é o kg mas os múltiplos,
submúltiplos e respectivos prefixos constroem-se relativamente ao grama
g, isto é, segue a mesma regra do sistema CGS. 1 g no SI?

Se seguisse-mos a regra geral 1 g


5 Conversão de unidades escrevia-se no SI da forma 1 mkg, mas
está ERRADO!
Para podermos converter uma grandeza física expressa num sistema
de unidades para outro sistema de unidades é necessário escrever essa
grandeza física à custa das grandezas fundamentais. Só depois é que
se pode usar os factores de conversão de cada uma das grandezas
fundamentais para se obter a conversão da unidade entre os dois sistemas.
Na tabela 4 está apresentado alguns dos factores de conversão entre o SI
e o sistema CGS.
Tabela 4: Factores de conversão úteis entre
Grandeza Unidade (SI) Factor Unidade (CGS) o SI e o sistema CGS.
Área 1 m2 104 cm2
Volume 1 m3 106 cm3
Concentração 1 mol m−3 10−6 mol cm−3
Força 1N 105 dyn
Pressão 1 Pa 10 dyn cm−2
Energia 1J 107 erg

Exemplo simples: converter uma velocidade

Converter uma velocidade de 3 m/s (SI) para o sistema CGS.


Pela simples inspecção das unidades da velocidade conseguimos
escrever a velocidade à custas das grandezas fundamentais, um
comprimento e um inverso do tempo, ver tabela 2.
A dimensão tempo tem as mesma unidade no SI e no sistema CGS,
logo não necessita de conversão. Só temos de converter a unidade
associada à dimensão comprimento, 1 m = 100 cm, resulta

3m 3 × 100 cm
= = 300 cm/s
s s
Outro exemplo

Encontra o factor de conversão de energia em unidades do SI para


unidades no CGS. Isto é, 1 J quantos erg são?
Primeiro temos que escrever a energia à custa das suas grandezas
fundamentais. Para isso temos que recorrer às leis da física para
encontar uma expressão que permita relacionar a energia com outras
grandezas mais simples. Neste caso podemos usar a lei que estabelece
a equivalência entre massa 𝑚 e a energia 𝐸 , E = m c2 , em que 𝑐 é a
velocidade da luz. Sabendo que a velocidade é um comprimento a
dividir por um tempo, as suas unidades no SI são m/s, podemos
então escrever
 m 2 kg m2
E = m c2 →1 J = 1 kg =1
s 𝑠2
103 g (102 cm)2 g cm2
= = 107 2
𝑠 2 𝑠
= 107 erg

6 Outras unidades de uso comum


Existem unidades que não pertencem ao SI nem ao sistema CGS e que
por motivos históricos ou conveniência prática ainda são usadas de forma
regular. Na tabela 5 é apresentada algumas dessas unidades.

Tabela 5: Grandezas cujas as unidades usa-


Grandeza Unidade Factor (CGS) das não pertencem ao SI nem ao sistema
Nome Símbolo CGS.

Tempo dia d 8.64 × 104 s


hora h 3.60 × 103 s
minuto min 60 s
Volume litro l 103 cm3
dm3 dm3 103 cm3
mililitro ml 1 cm3
Concentração molar M 10−3 mol cm−3
Pressão atmosfera atm 1.013 × 106 dyn cm−2
mm de mercúrio mmHg 1.333 × 103 dyn cm−2
Energia caloria cal 4.184 × 107 erg
kilowatt-hora kWh 3.600 × 1013 erg
electrão-volt eV 1.602 × 10−12 erg

É prática comum usar como unidade da temperatura o grau Celsius Intervalo ou diferença de tempera-
cujo o simbolo é °C. A conversão da temperatura em graus Celsius 𝑡 para tura
a temperatura termodinâmica em graus Kelvin 𝑇 (temperatura absoluta) Um intervalo ou uma diferença de
é: temperatura é numericamente igual
nas duas unidades °C e K. É um erro
𝑇 = 𝑡 + 273.15 (1)
tentar usar a eq. 1 para converter um
intervalo ou uma diferença de tempe-
ratura entre as duas unidades.
Bibliografia
[1] Diretiva (UE) 2019/1258 da Comissão, de 23 de julho de 2019, que altera, para
efeitos da sua adaptação ao progresso técnico, o anexo da Diretiva 80/181/CEE do
Conselho no que se refere às definições das unidades de base do SI (Texto relevante
para efeitos do EEE.) pt. Code Number: 196. Jul. de 2019.

Você também pode gostar