Você está na página 1de 98

DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE PORTO NACIONAL

COLÉGIO ESTADUAL ODOLFO SOARES


PONTE ALTA DO TOCANTINS

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO 2020

PONTE ALTA DO TOCANTINS


2020
DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE PORTO NACIONAL
COLÉGIO ESTADUAL ODOLFO SOARES

Governador do Tocantins
MAURO CARLESSE

Secretária da Educação, Juventude e Esportes


ADRIANA DA COSTA PEREIRA AGUIAR

Secretário Executivo
ROBSON VILA NOVA

Assessor de Gabinete
RÔMULO CARMO OLIVEIRA JÚNIOR

Superintendente de Gestão de Pessoas


LUCIANO GOMES DOS SANTOS

Superintendente de Esportes, Juventude e Lazer


ROBSON MENEZES FERREIRA

Superintendente de Administração, Infraestrutura e Finanças


VALMIR PINHEIRO ALVES CORREIA NETO

Superintendente de Educação Científica, Tecnológica e Profissional


MARIA DE LOURDES LEÔNCIO MACEDO

Superintendente de Educação Básica


AMANDA PEREIRA COSTA

Diretora Regional de Educação de Porto Nacional


ARAILDES PINTO DE ALMEIDA

Assessoria Executiva e Apoio aos Municípios


ROSILEIDE RIBEIRO RODRIGUES

Assessora Regional de Gestão Administrativa e de Pessoas


THAYSLANNE CARVALHO DE ARAÚJO

Assessora Regional de Gestão Pedagógica e Educacional


ELIANA OLIVEIRA DA SILVA AZEVEDO

Diretor do Colégio Estadual Odolfo Soares


AVELINO SOARES BARBOSA
SUMÁRIO

1 – APRESENTAÇÃO.................................................................................................05
2 – BREVE HISTÓRICO DA UNIDADE DE ENSINO..................................................06
2.1 – Caracterização do Colégio - Histórico e Lei de Criação......................................06
2.2 – Oferta de Curso, Modalidades, Estrutura Curricular e Funcionamento.............11
2.3 – Concepção Curricular.........................................................................................13
2.4 – Perfil Docente......................................................................................................17
2.5 – Perfil Discente.....................................................................................................18
2.6 – Critérios Avaliativos.............................................................................................19
2.7 – Habilitação e Níveis de Escolaridade de Cada Profissional Lotado na Escola,
Níveis e Modalidades de Ensino..................................................................................23
2.8 – Concepção Filosófica, Pedagógica; Identidade e Função Social da
Escola...........................................................................................................................39
2.9 – Caracterização da Comunidade: Situação Socioeconômico, Politico, Cultural e
Educacional..................................................................................................................40
3 – DIAGNÓSTICO – REALIDADE DA ESCOLA EM SUAS DIMENSÕES:
PEDAGÓGICA, ADMINISTRATIVA, JURÍDICA E
FINANCEIRA...............................................................................................................41
3.1 - Indicadores de Desempenho da Escola: Aprovação, Reprovação, Abandono,
Distorção Idade e Série e Índices externos..................................................................42
3.1.1 – Aprovação, Reprovação e Abandono...............................................................42
3.1.2 - Índice de Distorção Idade/Série em 2019.........................................................44
3.1.3 – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB................................45
3.1.4 – Sistema de Avaliação da Aprendizagem do Estado do Tocantins –
SAETO.........................................................................................................................46
3.2 – Planejamento e Acompanhamento Pedagógico.................................................48
3.3 - Acompanhamento da Aprendizagem dos Alunos................................................52
3.4 – Acompanhamento da Frequência dos Alunos....................................................54
3.5 – Evasão Escolar...................................................................................................55
3.6 – Inclusão e Equidade...........................................................................................55
3.7 – Projetos, Programas e Ações Didáticas.............................................................56
3.8 – Programa PDDE – Novo Mais Educação...........................................................57
3.9 – Programa PDDE – Novo Ensino Médio..............................................................58
4 – Avaliação do Projeto Político Pedagógico..............................................................59
5 – DIMENSÃO ADMINISTRATIVA............................................................................59
5.1 – Gestão de Pessoas.............................................................................................63
6 – ESTRUTURA FÍSICA.............................................................................................64
7 – DIMENSÃO FINANCEIRA – ESCOLA COMUNITÁRIA DE GESTÃO
COMPARTILAHADA...................................................................................................66
8 – MISSÃO, VISÃO E PRINCIPIOS INSTITUCIONAIS.............................................68
8.1 – Missão.................................................................................................................68
8.2 – Visão de Futuro...................................................................................................68
8.3 – Princípios.............................................................................................................69
09 – OBJETIVOS ESTRATÉGICOS............................................................................69
10 – PLANO DE SUPORTE ESTRATÉGICO..............................................................70
11 – PLANO DE AÇÃO...............................................................................................74
11.1 – Ensino Fundamental – 7º ao 9º anos................................................................74
11.2 – Ensino Médio Regular e Ensino Médio Integrado ao Técnico...........................78
11.3 – Formação Continuada e Valorização do Servidor.............................................82
11.4 – Gestão Democrática da Escola.........................................................................83
11.5 – Acesso do Aluno à Educação............................................................................84
11. 6 – Permanência com Sucesso do Aluno na Escola..............................................85
REFERENCIAS............................................................................................................88
ANEXOS......................................................................................................................93
1 – APRESENTAÇÃO

O Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Odolfo Soares – CEOS,


construído a partir do diagnóstico da escola com a participação de todos envolvidos
no processo educativo: professores, funcionários, pais, alunos e suas entidades
representativas, serviços gerais e instâncias colegiadas, é um projeto que nunca se
pode dizer que está totalmente concluído, pois há sempre o que aperfeiçoar, mudar,
realimentar de acordo com a necessidade do momento histórico.
Nesse sentido deve acompanhar as mudanças internas da organização
escolar e as suas transformações na esfera econômica, social, política, educacional,
ética e cultural. Tal proposta vem delineando as formas de pensar, sentir e conhecer
o mundo e orientando o pensamento de uma geração em constante mudança. É um
modelo social e educacional que expressa as nossas metas e propostas
pedagógicas, levando-nos a refletir sobre os fundamentos que normatizam o Projeto
Político Pedagógico da escola e sobre a dinâmica que se deve imprimir ao
desenvolvimento curricular. É com o Projeto Político Pedagógico que a escola
assume sua autonomia, sua identidade, sua postura educacional, enfim a sua
função social.
Torna-se então necessário que o mesmo tenha clareza quanto à filosofia
educacional da escola e que defina ações concretas para o trabalho a ser
desenvolvido de forma a superar as dificuldades encontradas, buscando assim
diferentes alternativas que transformem o ambiente escolar num lugar onde haja
interação no processo de construção do conhecimento, o qual deve acontecer de
forma sistematizada, dinâmica e democrática, garantindo assim não só o acesso do
aluno à escola, mas também a sua permanência.
Essa proposta de construção coletiva do Projeto Político Pedagógico segue
moldes democráticos, tendo em vista que a escola é o lócus de fomento e formação
do cidadão crítico e criativo. Neste contexto é importante que tanto o aluno, pais,
responsáveis em geral, como equipe em geral, busquem as mudanças necessárias
para a implementação de um ensino que contemple toda a diversidade presente no
contexto escolar e, além disso, que eles se sintam responsáveis pelo processo de
ensino/aprendizagem.

5
Refletimos sobre os resultados educacionais dos últimos anos e
estabelecemos resultados para serem alcançados durante esse ano letivo,
considerando que, o Plano de ação desse importante instrumento, foi elaborado
para ser executado pelo prazo de 1 ano, podendo suas ações serem reprogramadas
para o ano seguinte.
Nesta perspectiva os objetivos gerais destacados neste instrumento é a
direção central que precisamos enquanto escola seguir para alcançar os resultados
de aprendizagens esperados em médio prazo. No intuito de cumpri-lo,
estabelecemos metas e estratégias eficazes para a concretização da aprendizagem
da melhor qualidade, pautada nos valores sociais, morais, da justiça, da
solidariedade, da igualdade e da ética reconhecendo alunos, família, professores e
colaboradores como parceiros na construção dos conhecimentos.

2 – BREVE HISTÓRICO DA UNIDADE DE ENSINO

2.1 – Caracterização do Colégio - Histórico e Lei de Criação

Em 1949 o governo de Goiás recebeu uma verba federal para construir


prédios escolares rurais e coube para o Distrito de Iabetê, nome que se atribuía
naquela época a Ponte Alta, pertencente ao município de Porto Nacional (IBGE,
2010).
Construiu-se então o prédio da escola rural de Iabetê cujo nome ficou sendo
Escola Reunida Eurico Gaspar Dutra. Consta segunda a ata de inauguração que
esta escola se instalou aos 11 dias do mês de junho de 1950.
Os anos se passaram e a demanda de alunos aumentou. Foi, pois,
necessário que se constituísse outra escola que pudesse abrigar os alunos. Surge
assim o Grupo Escolar Joana Medeiros.
Anos mais tarde a população estudantil aumentou, surgindo a necessidade
de estruturas físicas adequadas para atender com qualidade a nova demanda.
Naquela época tendo como Governador do Estado do Goiás, o Senhor Otávio Lage
e Prefeito Municipal o Senhor Artur da Silva Barros, Construiu-se então um prédio
escolar cujo nome era grupo escolar Odolfo Soares em homenagem ao primeiro

6
prefeito eleito o Senhor Odolfo Soares, sendo inaugurado e instalado no dia 27 de
janeiro de 1971, ofertando o ensino “Primário” de 1ª à 4ª séries1.
Com o advento das pressões populares que estavam acontecendo nas
metrópoles brasileiras nesse período, pela necessidade de mão de obra
“qualificada”, ocorreram muitas mudanças legais, uma delas foi a aprovação da LDB
de 1961, que em seu texto destacava a emergência disseminação do ensino
secundário aos rincões brasileiros, que antes era altamente restritivo e seletivo.
Foram muitos anos de atraso para os populares terem acesso ao ensino secundário
tendo como parâmetro os Colégios Pedro II, que exigia os exames de admissão,
trazendo com isso um viés aristocrático aos que cursavam o ensino secundário.
A região do norte goiano sempre foi esquecido, principalmente Ponte Alta do
Norte devido às dificuldades de acesso e por fazer parte da jurisdição do Município
de Porto Nacional, que naquela época era muito extenso. Esses fatores contribuíram
severamente para o retardamento da implantação do ensino secundário (“Ginásio”)
nesta cidade. “Antes tarde do que nunca”. Esse foi o sentimento da comunidade,
criaram o Ginásio Municipal de Ponte Alta do Norte, pela lei 02/71 de 08 de março
de 1971 e instalado esta modalidade de ensino nesta entidade escolar. Logo em
seguida, mais precisamente em 10 de maio de 1971 foi criada a lei Estadual nº
7312, que autorizou a criação do Ginásio Estadual na cidade de Ponte Alta do Norte,
legitimando a responsabilidade dessa instituição com a nova clientela atendida.
Seguindo esse tipo de oferta, e ganhando reconhecimento popular ano após ano,
em detrimento das demais instituições educativas, o Colégio Estadual Odolfo
Soares, formou inúmeras turmas de Ginásio ao longo dos anos.
Em de 19 de janeiro de 1978 a Lei Estadual nº 8.408, foi aprovada para
afirmar a criação e regulamentação desta entidade na oferta do ensino na jurisdição
de Ponte Alta do Norte.
Com o passar dos anos a demanda de alunos continuou a crescer tendo a
necessidade de novos profissionais para atuarem no contexto educacional,
principalmente na regência. Diante disso no dia 20 de julho de 1981, por meio da
Portaria Estadual nº 1.394/81, foi autorizado a implantação do curso de 2º grau,

1
Colégio Estadual Odolfo Soares, assim é denominado legalmente, localizado na cidade de Ponte
Alta do Tocantins, Estado do Tocantins, com endereço na Avenida Brasília, 305, Setor jardim Brasília
I. Telefone: (63) 3378-1263. E-mail: odolfosoares1@hotmail.com
7
Técnico em Magistério. Essa portaria citada neste parágrafo, foi retificada 5 meses
adiante, por meio da Portaria Estadual 0030/82 de 19 de janeiro de 1982 e
revalidada a autorização por meio da Resolução 038 de 07 de março de 1985.
No ano de 1989 uma nova resolução foi aprovada e publicada, a 007/89 que
tinha como objetivo e reconhecer escolas e cursos da rede pública e particular do
Estado do Tocantins.
O Curso de 2º grau Técnico em Magistério funcionou por vários anos,
formando diversas turmas até ser substituído pelo Curso do Ensino Médio Básico,
através da portaria - SEDUC nº 1897 de 05 de junho de 2000, atendendo as
mudanças previstas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996, e
continua em funcionamento na atualidade.
Cinco anos após a implantação do Ensino Médio Básico nesta entidade, a
Secretaria de Estado da Educação e Cultura do Estado do Tocantins reconheceu o
curso acima citado, renovando sua validade por meio da portaria da SEDUC – TO nº
6.631 DE 21/11/2005. Na oportunidade também foi revalidado o Ensino
Fundamental, consolidado pela portaria /SEDUC-TO Nº 6.632 DE 21/11/2005.
O Colégio Estadual Odolfo Soares se tornou referencia na cidade de Ponte
Alta do Tocantins, ofertando o ensino, do 8º ano do Ensino Fundamental à 3º série
do Ensino Médio, sendo a principal entidade educativa que atendia esse público alvo
por um período longo.
A partir de ano de 2010, com a diminuição do fluxo de alunos matriculados
nas escolas públicas, essa entidade foi cedendo alunos para a Escola Estadual
Joana Medeiros chegando ao ponto de o Colégio Estadual Odolfo Soares não
conseguir ofertar o ensino das turmas de 8º anos no ano de 2018.
Ponte Alta do Tocantins é uma das cidades que compõe a Região do
Jalapão, considerada portal de entrada aos seus principais destinos turístico e ao
Parque Estadual do Jalapão, que é a maior unidade de conservação do Estado do
Tocantins criada em 2001. Com o aumento do interesse turístico nesta região,
houve-se a necessidade de qualificar profissionais para atender com eficiência os
clientes, tendo em vista que muitos são estrangeiros ou de nível social, financeiro e
acadêmico elevado. Diante disso, de forma sensível a Diretora do Colégio Estadual
Odolfo Sares, lotada nesta época, percebeu tal intento e iniciou uma luta para tentar
viabilizar um curso que pudesse ajudar a comunidade se estabelecer no ramo

8
turístico gerando renda e em muitos casos empregos, porque o Turismo seria uma
forma clara de combate ao desemprego na região.
A luta iniciou antes disso, e, no entanto, em 2010 o Colégio Estadual Odolfo
Soares foi autorizado a ofertar Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio por
meio da Portaria Estadual nº 1.799, de 27 de setembro de 2010, após parecer do
Conselho Estadual de Educação nº 238, de 20 de agosto de 2010 e pela posterior
resolução de nº 167 de 26 de novembro de 2010, específica para implantar o curso
técnico em Guia de Turismo. Com uma grade curricular fechada de 4 anos, entre
2010 e 2016, esta unidade de ensino formou 2 turmas. Em 2017 em função de
problemas gerenciais não foi possível à formação de turma, ficando o curso sem
oferta de vagas, mesmo estando o credenciamento e a autorização de
funcionamento com a validade em vigor.
Em 2013, Esse estabelecimento de ensino buscou a implantação do Curso
Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio/Proeja, conseguindo sua
Autorização para Funcionamento e aprovação do Plano de Curso em 28/05/2013
com a publicação da resolução número 05 do Conselho Estadual de Educação do
Tocantins. Com a publicação da resolução 131 de 30 de agosto de 2013, foi
aprovado um novo Plano do Curso Técnico em Informática para Internet Integrado
ao Ensino Médio, estendendo com isso a oferta do curso para todos os alunos do
ensino médio. Implantado inicialmente com o objetivo de estimular os alunos da
Educação de Jovens e Adultos permanecer nas aulas e diminuir a evasão dessa
modalidade de ensino e viabilizar o conhecimento específico. Percebemos no
decorrer dos anos que essa estratégia não deu certo, tendo em vista que os alunos
não tinham hábito de leitura rotineiro, todos tinham obrigações familiares, religiosas,
trabalhistas, etc., dificultando o trabalho do colégio. Como análise percebemos que
os alunos egressos, detiam nível mínimo de conhecimento específico. O colégio
formou uma turma e não conseguiu abrir novas turmas em função da falta de
demanda de alunos. Mesmo com a mudança para atrair alunos do ensino regular o
colégio não obteve êxito nas matriculas nos anos seguintes.
Com a entrada de um novo gestor no ano de 2018, o Curso Técnico em
Guia de Turismo foi restabelecido, com um novo formato e grade curricular de 3
anos, para tentar atrair os alunos ingressantes no ensino médio. Antes os alunos

9
deveriam estudar 1 ano a mais após terminarem o Curso Médio Básico, para terem o
direito aos certificados.
Ainda em 2018 o Diretor juntamente com a equipe buscaram programas de
apoio ao ensino e conseguiram restabelecer programas importantes para reforçar e
elevar o ensino desta entidade educativa. Conseguimos restabelecer o Programa
Novo Mais Educação, que enfatiza o reforço escolar do ensino fundamental, que
teve inicio em 2013 e funcionou até 2016.
Fomos uma das escolas pré-selecionadas para participar do projeto piloto
das escolas de fomento do estado do Tocantins. Não conseguimos nos estabelecer
como escola de tempo integral de fomento, entretanto recebemos importantes
disciplinas para fomentar o desenvolvimento do ensino médio. Receberemos
também 70 mil reais, para fomentar o Programa Novo Ensino Médio, sendo que a
primeira parcela no valor de 14.030,00 foi investida em dezembro em 2018, para ser
aplicada em 2019. Está previsto o crédito de duas parcelas de 28.060,00 para
investir em importantes ações pedagógicas conforme o Plano de Flexibilização
Curricular desta Unidade de Ensino.
Em 2019 houve um reordenamento entre as a Escola Estadual Joana
Medeiros e o Colégio Estadual Odolfo Soares. Os alunos do Joana Medeiros foram
redirecionados para esta unidade de ensino. Recebemos novas turmas que
compreende do 7º ao 8º anos do Ensino Fundamental Regular.
Atualmente a Unidade Escolar atende 611 alunos do 7º ano à 3ª Séries do
Ensino Básico Regular, 3ª Série Ensino Técnico em Guia de Turismo Integrado ao
Ensino Médio, 12 alunos da Educação Especial por meio da Sala de Recursos e 47
alunos através do Programa Esporte na Escola.
A renovação da matricula para os estudantes veteranos e dos alunos
novatos aconteceu de forma automática pela SEDUC/TO, sob a condição dos
responsáveis confirmá-las, assinando os cadastros de matrículas, junto à secretaria
do colégio no inicio do ano de 2020. Todos os alunos estão matriculados nos turnos
matutino e vespertino porque não houve demanda de alunos para formar turma no
turno noturno em 2020.
As aulas iniciaram em 03 de fevereiro de 2020, e foram suspensas por meio
de decreto governamental em 16 de março de 2020 em função da Pandemia do
Covid – 19. Este ano é um ano atípico porque já estamos a quase 2 meses sem

10
aulas, em função dos isolamentos sociais e os casos de infestação estão
aumentando substancialmente. Estamos aguardando posição do governo para
retornarmos nossas atividades.
É louvável abrir um parêntese neste ponto do texto e elucidar que desde a
sua fundação até ano de 2020, ocuparam o cargo de diretor, os professores: Eva
Mascarenhas Sousa Costa e Delza da Paixão Rocha em 1971, Joana Bernadete
Galvão Florentino de 1973 a 1974, João do Amaral Rocha de 1974 a 1980, Rita
Soares de Brito Campos alguns meses de 1981, Maria das Graças Braga Duailibe
de 1981 a 1983, Neli Ribeiro Chaves de 1983 a 1989, Edvan Pereira Rufo de 1989 a
1991, Maria Onete Tavares Teixeira de 1991 a 1994, Jemima Gertrudes Barreira
Cavalcante Garcia de 1994 a 1995, Deusimar Rodrigues Castro de 1995 a 1997,
Antonia Ribeiro de Araújo de 1997 a 2001, Isanete Maria Aires da Cunha de 2001 a
2004, Jemima Gertrudes Barreira Cavalcante Garcia de 2004 a 2011, Shádia
Teixeira Tavares de 2012 a 2014, Jemima Gertrudes Barreira Cavalcante Garcia em
2015, Zoleide de Sousa Soares de 2016 a 2017 e Avelino Soares Barbosa de 2018
até a atualidade.

2.2 – Oferta de Curso, Modalidades e Funcionamento

O Colégio Estadual Odolfo Soares, atende uma turma de 7º ano, três


turmas de 8º ano e duas turmas de 9º ano do Ensino Fundamental. Atende também
duas turmas de 1ª série, duas turmas de 2ª e uma turma de 3ª séries do Ensino
Médio no período matutino, das 07:00h às 12:15h. No vespertino das 13:00h às
18:15h atende duas turmas de 8º e duas turmas de 9º anos do Ensino
Fundamental. No Ensino Médio Regular, oferta duas turmas de 1ª séries, duas
turmas de 2ª séries e uma de 3ª série. Na modalidade Técnica Integrada ao Ensino
Médio oferta uma turma da 3ª série do Curso Técnico Médio em Guia de Turismo.
Esta unidade de ensino atende também nos turnos matutino e vespertino alunos
especiais por meio da sala de recursos e os alunos matriculados no Programa
Esporte na Escola das 18:00 às 19:00.
Logo abaixo apresentaremos na tabela as modalidades e a forma de
atendimento presencial ofertado pela Unidade de ensino em tempos normais.

11
Séries/ turno/ horário de funcionamento/ modalidade

Horários das aulas Modalidade de


Turmas Turnos
Início Intervalo Término Ensino

7º, 8º e 9º Matutino 07h00min 09:30 a 12h15min EF – Regular


anos 09:45
09:30 a EM – Regular
1ª à 3ª séries Matutino 07h00min 12h15min
09:45
Aluno 09:30 a Sala de
Matutino 07h00min 11h25min
Especial 09:45 Recursos
15:30 a EF – Regular
8º e 9º anos Vespertino 13h00min 18h15min
15:45
15:30 a EM – Regular
1ª à 3ª séries Vespertino 13h00min 18h15min
15:45
15:30 a EMI – Técnico
3ª série Vespertino 13h00min 18h15min
15:45 Turismo
Aluno 15:30 a Sala de
Vespertino 13h00min 17h25min
Especial 15:45 Recursos

Devido a Pandemia do COVID – 19, o Conselho Estadual de Educação, por


meio das resoluções CEE/TO nº 105, de 08 de abril de 2020 e 154 de 17 de junho
de 2020, definiram um regime especial para atendimento do aluno, flexibilizando a
aplicação do ensino, por meio de atividades não presenciais e orientando novas
formas de cumprimento do calendário escolar, do ano letivo de 2020. Desta forma o
objetivo maior é cumprir a carga horária anual de cada nível/etapa educativa, mesmo
desconsiderando os 200 dias letivos, supramencionados na Lei de Diretrizes e
Bases da Educação Nacional. Diante disso houve um retorno gradual das aulas não
presenciais, atendendo primeiramente as 3ª Séries e posteriormente da 1ª e 2ª
Séries do Ensino Médio. Por último retornou o ensino fundamental. Abaixo
elucidaremos como aconteceu o retorno das aulas não presenciais.

Nível Série/ano Data Retorno


Ensino Médio 3ª 29/06/2020
Ensino Médio 1ª e 2ª 10/08/2020
Ensino Fundamental 7º; 8º e 9º 18/09/2020

12
2.3 – Concepção Curricular

Na literatura científica existem vários conceitos sobre Currículo. Uns


denominam como sendo conteúdos, métodos, técnicas e objetivos, ou seja, é a
formalização das atividades. Outros consideram o Currículo um guia, que contemple
em sua proposta os conteúdos resultantes de uma seleção histórica que possibilite
aos educando uma formação humanística.
Para Sacristan (2000), o currículo é um conjunto de conhecimentos a serem
superados pelos alunos dentro de um ciclo. Ainda, como programa de atividades
planejadas, sequencializadas que aponte os resultados pretendidos de
aprendizagem.
Consideramos que o Currículo Escolar tenha como fio condutor a realidade de
vida do aluno, afim de que essa realidade esteja presente no momento de decidir o
que ensinar como ensinar e quais estratégias a serem adotadas para transmitir os
conteúdos e que estes estejam engajados com a prática capacitando-o para o
desenvolvimento cognitivo e social.
O Currículo deve estar focado nos diferentes saberes, nas diferentes culturas.
As instituições escolares podem constituir o diálogo entre as culturas populares e
universalizadas e os saberes científicos /acadêmicos e os populares, bem como
tomar a cultura de massa e os diversos tipos de saberes em circulação na sociedade
como objeto de análise, critica e ressignificação.
Nossa instituição segue os parâmetros legais defendidos pela LDB 9394/96
em seu art. 26:

Os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional


comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e
estabelecimento escolar, e uma parte diversificada, exigida pelas
características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e
da clientela.

Atualmente o Estado do Tocantins está reordenando o Currículo da


Educação Básica à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que é um documento
nacional de caráter normativo que serve de referencia para elaboração dos
currículos escolares de todo país.
A Base Nacional Comum Curricular destaca algumas competências e
habilidades, que os alunos precisam desenvolver a fim de utilizar esses saberes no

13
seu dia-a-dia, sempre respeitando princípios universais, como a ética, os direitos
humanos, a justiça social e a sustentabilidade ambiental.
As dez competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)
são um conjunto de conhecimentos, habilidades, valores e atitudes que buscam
promover o desenvolvimento dos estudantes em todas as suas dimensões:
intelectual, social, física, emocional e cultural, compreendidos como dimensões
fundamentais para a perspectiva de uma educação integral.
De acordo com a Base Nacional Comum Curricular os componentes
curriculares precisam abranger o conhecimento construído historicamente, tanto na
base no senso comum bem como no viés dos conceitos científicos, proporcionando
ao aluno a percepção da sua realidade social, promovendo com isso o senso crítico
e criativo. Toda a bagagem cultural adquirida pelo aluno estimulará ele a se
posicionar sobre a realidade social, sobre os mecanismos sociais em geral, sobre o
meio ambiente, aprendendo também utilizar de maneira correta os recursos
tecnológicos, favorecendo o autoconhecimento, a argumentação, a responsabilidade
social e com efeito, todos os saberes contribuirão para que o aluno possa criar e
perseguir seu projeto de vida.
Na Base Nacional Comum Curricular as habilidades devem ser abordadas
em sua complexidade. Um conteúdo abordado numa disciplina pode ser
complementada noutra, na intenção de apresentar maior amplitude acerca dos
conhecimentos, facilitando com isso a compreensão geral e a associação entre os
saberes.
Essa adequação da Base Nacional Comum Curricular está acontecendo por
meio de um documento próprio denominado Documento Curricular do Tocantins,
criado pela Secretaria Estadual de Educação Juventude e Esportes, em parceria
com o Ministério da Educação, Conselho Nacional de Secretários de Educação
(CONSED), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME),
Conselhos Estaduais de Educação e União Nacional dos Conselhos Municipais de
Educação (UNCME).
A Secretaria Estadual de Educação, juventude e esportes do Tocantins em
regime de colaboração com seus 139 municípios consolidou o Documento Curricular
do Tocantins, aprovado e homologado pelo Conselho Estadual de Educação do
Tocantins, por meio da Resolução nº 24, de 14 de março de 2019.

14
O Documento Curricular do Tocantins é dividido em quatro cadernos
destinados às duas primeiras etapas da educação básica, sendo um da educação
infantil, organizado em cinco capítulos, a saber: Educação infantil como política;
Diversidade e identidade cultural do Tocantins; Os profissionais e formação docente;
Organização do trabalho pedagógico; Os direitos de aprendizagem e as
experiências cotidianas. Os demais cadernos destinam-se ao ensino fundamental,
estruturados por competências e habilidades e organizados por área de
conhecimento: Ciências Humanas e Ensino Religioso; Linguagens; Ciências da
Natureza e Matemática.

O Documento Curricular do Tocantins, área de Ciências Humanas busca


desenvolver a capacidade de interpretar o mundo, compreender os
processos e fenômenos sociais, políticos e culturais, permitindo-lhes
atuarem de forma ética, responsável e autônoma frente às diferentes
situações que ocorrem socialmente. Além disso, contribui para que eles
reconheçam e compreendam a importância do binômio tempo/espaço. Essa
área do conhecimento está organizada em dois componentes curriculares
que são a Geografia e a História e preveem que os estudantes
desenvolvam as sete competências específicas que se articulam ao longo
de todo Ensino Fundamental, com as dez Competências Gerais que os
estudantes devem desenvolver em toda a Educação Básica, prevista na
Base Nacional Comum Curricular (TOCANTINS, p. 15, 2019).

Essas 07 (sete) competências gerais da área são organizadas de forma a se


correlacionar com outras 07 (sete) competências específicas tanto na disciplina de
geografia quanto na de história. São organizados considerando diferentes níveis de
complexidade em cada ano do Ensino Fundamental. A exemplo, na Geografia,
essas habilidades estão distribuídas em cinco grandes unidades temáticas como
destacado a seguir: Sujeito e seu lugar no mundo, Conexões e escalas, Mundo do
trabalho, Formas de representação e pensamento espacial e Natureza, ambiente e
qualidade de vida (TOCANTINS, 2019). Outro exemplo, referenciando é na
disciplina, suas habilidades estão relacionadas em conformidades com unidades
temáticas e habilidades específicas distribuídas nas séries do ensino fundamental.
A pauta do ensino na área de linguagens, para os anos finais do ensino
fundamental, cinge no aprofundamento das habilidades desenvolvidas na educação

15
infantil, mantendo o foco no refinamento da alfabetização nos dois primeiros anos,
sem deixar de considerar as culturas infantis e aulas tematizadas. Esse
aprofundamento também diz respeito às práticas artísticas, corporais e linguísticas,
presentes na vida do estudante. No entanto, os conhecimentos permeados em cada
componente curricular devem ser problematizados, instigando os alunos a
analisarem, refletirem, escolherem, criticarem, descobrirem e pontuarem suas
considerações à respeito do tema estudado (TOCANTINS, 2019)
Os componentes desta área que são a Língua Portuguesa, a Língua Inglesa,
a Arte e a Educação Física, devem garantir aos alunos o desenvolvimento das 06
(seis) competências específicas da área, como ressalta a Base Nacional Comum
Curricular (BRASIL, 2017).
Essas competências específicas da área, são competências comuns à todos
os componentes da área, servindo de base pedagógica e planejamento, para
Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte e Educação Física.
Cada componente curricular apresenta competências específicas, que se
articulam, com as competências gerais, contribuindo para os estudantes do Ensino
Fundamental, compreenderem a linguagem como construção humana, histórica,
social e cultural.
Em título de exemplo, a disciplina de Língua Portuguesa, anos finais, está
organizada em 04 Campos de Atuação, que são o Campo de Atuação Artístico e
Literário, Práticas de Estudos, Jornalístico e Midiático e Vida Pública e em 04 Eixos
de Integração de Conhecimentos. Esses Campos de Atuação se correlacionam com
os Eixos de Integração ao longo do curso, distribuindo de forma simples e didática
as habilidades e os objetos de conhecimento.
Nossa intenção aqui não é esmiuçar toda a Organização do Documento
Curricular do Tocantins (2019), e sim apresentar a Concepção Curricular adotada.
Neste sentido acreditamos que com o exposto acima, já seja possível uma
compreensão clara da intenção do Trabalho Educacional da Rede Estadual de
Ensino do Tocantins, neste momento histórico.
Para contemplar o planejamento previsto no Documento Curricular do
Tocantins, esta Unidade de Ensino organiza as atividades pedagógicas em 200 dias
letivos, por meio de calendário escolar específico, aprovado pela Secretaria Estadual
de Educação, Juventude e Esportes, em consonância com a LDB nº. 9394/96.

16
A Estrutura Curricular para o Ensino Fundamental, anos finais, em
vigência, apresentada na Resolução CEE/TO 148/2019 do Conselho Estadual de
Educação, são de 25 aulas semanais de 50 minutos, distribuídas em 5 dias letivos,
com cargas horárias anuais distintas e específicas por componentes curriculares,
totalizando uma carga anual de 1.000 horas aulas e carga horária total do 6º ao 9º
ano, de 4.000 horas.
O Novo Ensino Médio tem uma Estrutura Curricular, editada pelo Conselho
Estadual de Educação no ano de 2020. O currículo é organizado através de 30 aulas
semanais por turma, distribuídas em aulas de 50 minutos, em 5 dias letivos,
totalizando 1.200 horas anuais, totalizando 3.600 horas da 1ª a 3ª série, distribuídas
em 200 dias letivos. Nesta etapa as disciplinas de filosofia e sociologia foram
inseridas na área de ciências humanas, na área de ciências da natureza e suas
tecnologias foram inseridas as disciplinas de química e física. Na parte diversificada
existem as seguintes disciplinas: a Língua Estrangeira Moderna – Espanhol,
Aprofundamento da Leitura e Escrita – ALE, Redação, Projeto de Vida e
Protagonismo Juvenil, Iniciação Científica e Pesquisa. Dessas disciplinas, são
obrigatórias, o Projeto de Vida/ Protagonismo Juvenil e Iniciação Científica e
Pesquisa. Serão de livre escolha do aluno as disciplinas de Aprofundamento da
Leitura/Escrita e Espanhol. É obrigatória a oferta desses componentes curriculares
pela Unidade de Ensino.
Na parte diversificada eletiva a estrutura curricular do novo ensino médio
propõe seis disciplinas, das quais a escola deverá eleger apenas uma, para a
composição da estrutura. Em nosso caso selecionamos a educação financeira.
Complementa também nosso currículo o Programa, Novo Mais Educação.
O Programa Novo Mais Educação atende os alunos do Ensino Fundamental com
aulas de reforço de Letra/Letramento e Matemática no contra turno, tendo cada
turma 5 horas semanais, divididos em 2 em encontros de 2,5 horas.

2.4 – Perfil Docente

Os Professores regentes e que atuam em funções afins, no Colégio Estadual


Odolfo Soares tem Curso de Graduação e parcela significativa são, especialistas em

17
áreas distintas de conhecimento. Esses profissionais são organizados para atuarem
de preferencia em sua disciplina de formação, e, quando isso não é possível,
estendemos a lotação para as disciplinas das áreas em conformidade com suas
habilidades. A maioria dos professores são contratos temporários e o rodízio de
profissionais muitas vezes dificulta o seguimento contínuo de organização da
unidade escolar. Os profissionais lotados nesta unidade de ensino se dedicam às
atividades educacionais apenas desta unidade de ensino e todos têm 40 horas de
trabalho.
Boa parcela conhece as normas, as propostas das estruturas curriculares, os
componentes curriculares, os programas, os recursos disponíveis dessa unidade de
ensino. Demonstram domínio dos conteúdos e da sala de aula, aplicam estratégias
de ensino desafiantes e de forma coletiva compreendem o tipo de aluno que
pretendemos formar.
A maioria organizam os conteúdos de maneira coerente com o currículo, o
desenvolvimento dos estudantes e seu nível de aprendizagem. Seleciona recursos
de acordo com os objetivos de aprendizagem e as características de seus alunos.
Planeja as estratégias de avaliação coerentes com os objetivos de aprendizagem.
Institui e mantém normas de convivência em sala. Demonstram e promovem atitudes
e comportamentos positivos. Comunica-se efetivamente com os pais dos alunos.
Utiliza métodos e procedimentos que promovem o desenvolvimento do pensamento
autônomo. Otimiza o tempo disponível para o ensino. Avalia e monitora a
compreensão dos conteúdos. Busca aprimorar seu trabalho constantemente com
base na reflexão sistemática, na auto avaliação e no estudo. Trabalha em equipe.
São éticos, trabalham referenciando os costumes e princípios da comunidade e
conhecimentos amplo sobre a realidade local, regional e nacional. Apresentam
facilidade para trabalhar com as tecnologias.

2.5 – Perfil Discente

Por serem de famílias humildes, boa parcela alunos da zona rural,


apresentando inúmeras dificuldades para apropriação do saber, nossos alunos são
apáticos em referencia à pesquisa e leitura, apresentam dificuldades em produções,

18
entretanto são criativos em relação à participação nos projetos de maneira geral.
Muita dificuldade de atenção às aulas em detrimento das tecnologias.
Com uma proposta pedagógica coerente e que vá ao encontro dos interesses
dos educandos esperamos que ele se entusiasme pelo universo científico
principalmente a pesquisa, tendo em vista que ela proporciona o conhecimento
erudito, a criatividade, a argumentação, a autonomia e a responsabilidade com a
produção de conhecimento. O conhecimento adquirido cria expectativas, situações
desafiadoras e instiga o uso das tecnologias e moderniza a forma de pensar. Com
relação aos aspectos sociais a vivência coletiva ensina o respeito ao outro, a
cooperação, a ética e o desenvolvimento do sentimento humano. Cria uma visão
holística de mundo, desenvolvendo a capacidade crítica e motiva o aluno a sentir-se
capaz de transformar a sociedade onde habita.

2.6 – Critérios Avaliativos

A avaliação da aprendizagem tem como finalidade subsidiar o processo


pedagógico, identificando o desempenho dos alunos e direcionando o planejamento
educacional do colégio. Para tanto considerando as Propostas Curriculares e
Pedagógicas desta rede de ensino, detalhamos todo o processo avaliativo e serão
feitas de maneira associada ao planejamento didático-pedagógico e realizada
continuamente, por meio de trabalhos individuais e de grupos, provas subjetivas e
objetivas, contextualizadas e outros procedimentos pedagógicos. Priorizará os
aspectos qualitativos em relação aos quantitativos. A avaliação será registrada em
notas graduadas de 0,0 (zero) a 10,0 (dez), grafadas com uma casa decimal
(TOCANTINS, 2018).
A avaliação do processo pedagógico está organizada de maneira a
contemplar as várias dimensões da aprendizagem no intuito de promover o aluno em
sua integralidade. Para os PCN´s, a avaliação dos alunos deve contemplar três
dimensões, a saber. A Conceitual trata da parte cognitiva, indicando o que o aluno
deve aprender com qualidade e em qual série. A Procedimental trata da parte
prática, das experimentações, isto é, como o aluno deve aprender tal conteúdo. E a

19
Atitudinal que enfatiza os valores que o professor e aluno darão aos conhecimentos
apreendidos e propagados (BRASIL, 1997).
A forma de escrituração dos diários no Sistema de Gerenciamento Escolar
(SGE), segue os parâmetros relacionados abaixo tanto para o ensino fundamental
como para o ensino médio. As avaliações são Conceituais e Procedimentais, que diz
respeito à, o quê e como o aluno deve aprender será abordado e avaliado de forma
interligada e isolada. Neste período de pandemia enfocaremos a pesquisa, os
questionários, a produção de textos e a resolução de problemas. No tocante ao
aspecto atitudinal, valorizaremos as atividades gerais, a organização, a criatividade,
o respeito, e a aplicação na prática dos conteúdos apreendidos.
Itens Avaliados

Itens Avaliados

Itens Avaliados
Conhecimento

Componentes

Pontuação

Pontuação

Pontuação

Pontuação
Curriculares
Área de

Total
Avaliações Atividade
Atividades práticas: produção,
Língua Portuguesa

Objetiva/ diversificada:
encenação, experiências, auto
Subjetiva, Trabalhos
avaliação, criatividade,
simulados individuais e em
4.0 capacidade de lidar com a 2.0 4.0 10,0
grupo, Pesquisa,
resolução de problemas,
questionários,
organização dos trabalhos.
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
LINGUAGENS

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


Arte

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Educação Física

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.

20
Avaliações Atividades práticas: Atividade

Ling. Est. Mod. Inglês


Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
MATEMÁTICA

Matemática

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
História

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
Geografia

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
CIÊNCIAS HUMANAS

com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,


organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
Filosofia

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Sociologia

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
CIÊNCIAS

Objetiva/ produção, encenação, diversificada:


DA NATUREZA

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


Ciências

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.

21
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos

Biologia
simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
Química

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
Física

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
ENSINO RELIGIOSO

Objetiva/ produção, encenação, diversificada:


Ensino Religioso

Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos


simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
- - 4.0 -
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Língua Espanhola

Objetiva/ produção, encenação, diversificada:


Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em
4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
PARTE DIVERSIFICADA

Aprofundamento da

Objetiva/ produção, encenação, diversificada:


Leitura e Escrita

Subjetiva. experiências, auto avaliação, Trabalhos


criatividade, capacidade de lidar individuais e em
- - - -
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:
Subjetiva, experiências, auto avaliação, Trabalhos
Redação

simulados criatividade, capacidade de lidar individuais e em


4.0 2.0 4.0 10,0
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.

22
Avaliações Atividades práticas: Atividade

Protagonismo Juvenil
Objetiva/ produção, encenação, diversificada:

Projeto de Vida e
Subjetiva. experiências, auto avaliação, Trabalhos
criatividade, capacidade de lidar individuais e em
- - - -
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
Avaliações Atividades práticas: Atividade
Iniciação Científica e

Objetiva/ produção, encenação, diversificada:


Subjetiva. experiências, auto avaliação, Trabalhos
Pesquisa

criatividade, capacidade de lidar individuais e em


- - - -
com a resolução de problemas, grupo, Pesquisa,
organização dos trabalhos. questionários,
etc.
PARTE DIVERSIFICADA

Atividade
Educação Financeira

Atividades práticas:
diversificada:
produção, encenação,
- ELETIVA

Avaliações Trabalhos
experiências, auto avaliação,
Objetiva/ individuais e em
- criatividade, capacidade de lidar - - -
Subjetiva. grupo, Pesquisa,
com a resolução de problemas,
questionários,
organização dos trabalhos.
etc.

2.7 – Habilitação e Níveis de Escolaridade de Cada Profissional Lotado na


Escola, Níveis e Modalidades de Ensino

O ingresso do servidor ocorre mediante concurso público ou de outra forma


que a administração pública dispuser, mas sempre com profissional que tenha seu
perfil de acordo com a proposta da Secretaria Estadual de Educação.
O quadro de pessoal da escola está de acordo com os critérios para lotação
exposto na INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, DE 13 DE JANEIRO DE 2020,
pertence ao nível VI e distribuído: Setor Pedagógico: 01 Diretor (40 horas), 03
Coordenadoras Pedagógicas (40 horas), 01 Coordenador de Programas e Projetos
(40 horas ); Setor Administrativo: 01 Secretária Geral (40 horas), 01 Coordenador
Administrativo e Financeiro (40 horas), 02 Auxiliares Administrativos, 01 Auxiliar de
Apoio Escolar, 05 Auxiliares de Higienização do Ambiente Escolar, 04
Manipuladoras de Alimentação Escolar e 03 Auxiliares de Monitoramento do
Patrimônio Escolar e Meio Ambiente e Docentes de acordo em conformidade com o
Sistema de Informação e Tecnologia da Educação, relacionados abaixo:
23
PROFESSORES REGENTES
MATRÍCULA 97806413

NOME DO SERVIDOR AILSON FONTOURA DANTAS -PEBCT


[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: MATEMÁTICA-LICENCIATURA EM
MATEMÁTICA : CONCLUIDO.
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

1 8201/58 MATEMÁTICA 5
1 8202/58 MATEMÁTICA 5
1 8203/58 MATEMÁTICA 5
8204/59 MATEMÁTICA 5
1302/87 MATEMÁTICA 4
1304/58 4
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 11174072-5
NOME DO SERVIDOR AMURAB RUFO JACOBINA - PEBCT
[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: EDUCAÇÃO FÍSICA-LIC. EM
EDUCAÇÃO FÍSICA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

1303/87 EDUCAÇÃO FÍSICA 1


1304/87 EDUCAÇÃO FÍSICA 1
2303/88 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
2304/88 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
8204/58 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
1 8205/58 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
1 9203/59 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
2 9204/59 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
12901/56 TREINAMENTO ESPORTIVO 3
1301/87 PROJETO DE VIDA 2
1301/87 PROTAGONISMO JUVENIL 1
1302/87 PROJETO DE VIDA 2
1302/87 PROTAGONISMO JUVENIL 1
2301/88 PROJETO DE VIDA 2
2302/88 PROJETO DE VIDA 2
3301/89 PROJETO DE VIDA 1
TOTAL DE AULAS 28

24
MATRÍCULA 5669161

NOME DO SERVIDOR CLAUDIA BARREIRA CAVALCANTE - PRONO[2-A]


ESCOLARIDADE Pós-Graduação: GESTÃO ESCOLAR / ORIENTAÇÃO
EDUCACIONAL : CONCLUIDO
Graduação: NORMAL SUPERIOR : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

7201/57 ENSINO RELIGIOSO OU 1


ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
8201/58 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
8202/58 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
8203/58 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
8204/58 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
8204/58 PROJETO DE VIDA 1
8205/58 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
1 8205/58 PROJETO DE VIDA 1
1 9201/59 ENSINO RELIGIOSO OU 1
3 ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
9202/59 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
9203/59 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
9203/59 PROJETO DE VIDA 1
9204/59 ENSINO RELIGIOSO OU 1
ACOMPANHAMENTO DA
APRENDIZAGEM
9204/59 PROJETO DE VIDA 1
1301/87 FILOSOFIA 1
1303/87 FILOSOFIA 1
1303/87 SOCIOLOGIA 1
1304/87 FILOSOFIA 1
1304/87 SOCIOLOGIA 1
2301/88 FILOSOFIA 1
2302/88 FILOSOFIA 1
2303/88 FILOSOFIA 1
2303/88 SOCIOLOGIA 1

25
2304/88 FILOSOFIA 1
2304/88 SOCIOLOGIA 1
3301/89 FILOSOFIA 1
3302/89 FILOSOFIA 1
3302/89 SOCIOLOGIA 1

TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 114775805
NOME DO SERVIDOR CLEUDIMAR PEREIRA DIAS – PEBCT
[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: HISTÓRIA-LICENCIATURA EM
HISTÓRIA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

7201/57 GEOGRAFIA 2
7201/57 MATEMÁTICA 5
8201/58 GEOGRAFIA 2
8202/58 GEOGRAFIA 2
8203/58 GEOGRAFIA 2
1
8204/58 GEOGRAFIA 2
4
8204/58 HISTÓRIA 2
8205/58 GEOGRAFIA 2
8205/58 HISTÓRIA 2
1301/87 ELETIVAS 1
1302/87 ELETIVAS 1
1304/87 ELETIVAS 1
2303/88 ELETIVAS 1
3301/89 ELETIVAS 1
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 107750316

NOME DO SERVIDOR CRISTIANE APARECIDA RIBEIRO BENICIO -


PEBCT[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: PEDAGOGIA - ORIENTAÇÃO
1 EDUCACIONAL, SUPERVISÃO E ADMINISTRAÇÃO
ESCOLAR : CONCLUIDO
1
Pós-Graduação: SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO
5 EDUCACIONAL
CONCLUIDO .
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 LINGUA ESTRANGEIRA 1

26
MODERNA - INGLES
7201/57 LINGUA INGLESA 2
8201/58 LINGUA INGLESA 2
8202/58 LINGUA INGLESA 2
8203/58 LINGUA INGLESA 2
8204/58 LINGUA INGLESA 2
8205/58 LINGUA INGLESA 2
9201/59 LINGUA INGLESA 2
9202/59 LINGUA INGLESA 2
9203/59 LINGUA INGLESA 2
9204/59 LINGUA INGLESA 2
1301/87 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
1302/87 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
1303/87 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
1304/87 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
2303/88 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
2304/88 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
3302/89 LINGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 111921416

NOME DO SERVIDOR DANYEL DA SILVA COSTA - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Pós-Graduação: HISTORIA DA AFRICA DA
CULTURA NEGRA E DO NEGRO NO BRASIL:
CONCLUIDO
Graduação: HISTÓRIA-LICENCIATURA EM
HISTÓRIA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

9201/59 HISTÓRIA 2
1 9202/59 HISTÓRIA 2
1
1301/87 HISTÓRIA 2
6
1301/87 SOCIOLOGIA 1
1302/87 HISTÓRIA 2
1302/87 SOCIOLOGIA 1
1303/87 PROJETO DE VIDA 2
1304/87 PROJETO DE VIDA 2
2301/88 HISTÓRIA 2
2301/88 SOCIOLOGIA 1

27
2302/88 HISTÓRIA 2
2302/88 SOCIOLOGIA 1
2303/88 PROJETO DE VIDA 2
2304/88 PROJETO DE VIDA 2
3301/89 HISTÓRIA 2
3302/89 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 2
PESSQUISA
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 1152092-2

NOME
2 DO SERVIDOR DIÊGO BARBOSA TEIXEIRA- PEBCT[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: EDUCAÇÃO FÍSICA-LIC. EM
EDUCAÇÃO FÍSICA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

1301/87 EDUCAÇÃO FÍSICA 1

1 1302/87 EDUCAÇÃO FÍSICA 1

1 1304/87 PROTAGONISMO JUVENIL 1

7 2301/88 EDUCAÇÃO FÍSICA 2


2302/88 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
2303/88 PROTAGONISMO JUVENIL 1
2304/88 PROTAGONISMO JUVENIL 1
3301/89 EDUCAÇÃO FÍSICA 1
3302/89 EDUCAÇÃO FÍSICA 1
3401/13 EDUCAÇÃO FÍSICA 1
7201/57 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
8201/58 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
8202/58 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
8203/58 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
9201/59 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
9202/59 EDUCAÇÃO FÍSICA 2
12902/11 TREINAMENTO ESPORTIVO 3

TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 5852002
NOME
1 DO SERVIDOR ELIZABETH DE ASSIS PADILHA DE OLIVEIRA -
PRONO [3-C]
1
ESCOLARIDADE Pós- Graduação: EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES
8 INICIAIS: CONCLUIDO
Graduação: NORMAL SUPERIOR: CONCLUIDO

28
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

11301/26 CIÊNCIAS 2
11301/26 HISTÓRIA 2
11301/26 LÍNGUA PORTUGUESA 5
11301/26 MATEMÁTICA 5
11302/26 CIÊNCIAS 2
11302/26 HISTÓRIA 2
11302/26 LÍNGUA PORTUGUESA 5
11302/26 MATEMÁTICA 5
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 116485703

NOME DO SERVIDOR ELIZEUENE RIBEIRO DOS ANJOS - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-LIC. EM
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 QUÍMICA 1
7201/57 CIÊNCIAS 3
1301/87 QUÍMICA 2
1302/87 QUÍMICA 2
1303/87 QUÍMICA 2
1
1304/87 QUÍMICA 2
1
2301/88 QUÍMICA 2
9
2301/88 ELETIVAS 1
2302/88 QUÍMICA 2
2302/88 ELETIVAS 1
2303/88 QUÍMICA 2
2304/88 QUÍMICA 2
3301/89 QUÍMICA 3
3302/89 QUÍMICA 3

TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 11299029
NOME DO SERVIDOR FABIO OLIVEIRA DE FARIAS - PCPCT[1-A]
1
ESCOLARIDADE Graduação: TURISMO : CONCLUIDO
1
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
10
3401/13 EVENTOS TURÍSTICOS 2

29
3401/13 EMPREENDEDORISMO 1
3401/13 ECONOMIA E MERCADO 1
3401/13 TEORIA E TÉCNICA 1
PROFISSIONAL
3401/13 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS 1
TURÍSTICOS
3401/13 ECOTURISMO 2
3401/13 TURISMO LOCAL E REGIONAL 2
2301/88 PROTAGONISMO JUVENIL 1
2302/88 PROTAGONISMO JUVENIL 1
3301/89 PROTAGONISMO JUVENIL 1
TOTAL DE AULAS 13

MATRÍCULA 2814173

NOME DO SERVIDOR JAIR LUIZ RODRIGUES DE SOUZA - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: GEOGRAFIA-LICENCIATURA EM
GEOGRAFIA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 GEOGRAFIA 1
9202/59 GEOGRAFIA 2
9203/59 GEOGRAFIA 2
9204/59 GEOGRAFIA 2
1301/87 GEOGRAFIA 2
1
1302/87 GEOGRAFIA 2
1
1303/87 GEOGRAFIA 2
11
1303/87 ELETIVAS 1
1304/87 GEOGRAFIA 2
2301/88 GEOGRAFIA 2
2302/88 GEOGRAFIA 2
2303/88 GEOGRAFIA 2
2304/88 GEOGRAFIA 2
3301/89 GEOGRAFIA 2
3302/89 GEOGRAFIA 2
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 9992136
NOME DO SERVIDOR JAQUELINE APARECIDA BORGES - PROEB[1-B]
1
ESCOLARIDADE Graduação: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-LIC. EM
1
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS : CONCLUIDO
12 TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

30
8201/58 CIÊNCIAS 3
8201/58 ARTES 1
8202/58 CIÊNCIAS 3
8203/58 CIÊNCIAS 3
8204/58 CIÊNCIAS 3
8205/58 CIÊNCIAS 3
9201/59 CIÊNCIAS 3
9202/59 CIÊNCIAS 3
9203/59 CIÊNCIAS 3
9204/59 CIÊNCIAS 3
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 114721035

NOME DO SERVIDOR LUCIAN RUFO BARBOSA- PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: LETRAS- LÍNGUA PORTUGUESA E
RESPECTIVAS LITERATURAS: CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 LÍNGUA PORTUGUESA 3


2301/88 LÍNGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
2301/88 LÍNGUA PORTUGUESA 5
1 2302/88 LÍNGUA ESTRANGEIRA 1
1 MODERNA - INGLES
2302/88 LÍNGUA PORTUGUESA 5
13
2304/88 LÍNGUA PORTUGUESA 5
2304/88 ELETIVAS 1
3301/89 LÍNGUA ESTRANGEIRA 1
MODERNA - INGLES
3301/89 LÍNGUA PORTUGUESA 4
3302/89 PROJETO DE VIDA 1
3302/89 PROTAGONISMO JUVENIL 1
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 111324007
NOME DO SERVIDOR LUCIANA TAVARES DE SOUSA - PEBCT[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: MATEMÁTICA-LICENCIATURA EM
1 MATEMÁTICA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
1
14 9201/59 MATEMÁTICA 5
9202/58 MATEMÁTICA 5
9203/58 MATEMÁTICA 5

31
9204/58 MATEMÁTICA 5
1301/87 MATEMÁTICA 4
1303/87 MATEMÁTICA 4
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 102731012

NOME DO SERVIDOR LUCIRENE GONCALVES DE SOUZA - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: MATEMÁTICA-LICENCIATURA EM
MATEMÁTICA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 MATEMÁTICA 3

1 2301/88 MATEMÁTICA 4

1 2302/88 MATEMÁTICA 4

15 2303/88 MATEMÁTICA 4
2304/88 MATEMÁTICA 4
3301/89 MATEMÁTICA 4
3302/89 MATEMÁTICA 4
3302/89 ELETIVAS 1
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 84930616

NOME DO SERVIDOR MARCIA CARVALHO MACARIO - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: LETRAS E LITERATURA BRASILEIRA E
PORTUGUESA : CONCLUIDO
Ensino Médio: MAGISTERIO : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
1
9201/59 LINGUA PORTUGUESA 6
1
9202/59 LINGUA PORTUGUESA 6
16
9203/59 LINGUA PORTUGUESA 6
9204/59 LINGUA PORTUGUESA 6
3302/89 LINGUA PORTUGUESA 4
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 111778886

NOME DO SERVIDOR MARIEL PEREIRA RODRIGUES - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: LICENCIATURA EM MATEMÁTICA :
1
CONCLUIDO
1 TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
17
3401/13 FÍSICA 1
8205/58 MATEMÁTICA 5

32
1301/87 FÍSICA 2
1302/87 FÍSICA 2
1303/87 FÍSICA 2
1304/87 FÍSICA 2
2301/88 FÍSICA 2
2302/88 FÍSICA 2
2303/88 FÍSICA 2
2304/88 FÍSICA 2
3301/89 FÍSICA 3
3302/89 FÍSICA 3
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 5478062

NOME DO SERVIDOR NEUSA BONI- PROEB [2-D]


ESCOLARIDADE Pós- Graduação: PLANEJAMENTO ESCOLAR:
CONCLUIDO
Graduação: HISTÓRIA- LICENCIATURA EM
HISTÓRIA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

1 9203/59 HISTÓRIA 2
1 9204/59 HISTÓRIA 2
18 1303/87 HISTÓRIA 2
1304/87 HISTÓRIA 2
2303/88 HISTÓRIA 2
2304/88 HISTÓRIA 2
3302/89 HISTÓRIA 2
TOTAL DE AULAS 14

MATRÍCULA 116093703

NOME DO SERVIDOR NIAMARA DE SOUSA LOPES - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: LETRAS E LITERATURA BRASILEIRA E
PORTUGUESA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

1 3401/13 REDAÇÃO 1

1 8203/58 LÍNGUA PORTUGUESA 6

19 8204/58 LÍNGUA PORTUGUESA 6


1301/87 LÍNGUA PORTUGUESA 5
1302/87 LÍNGUA PORTUGUESA 5
2303/88 LÍNGUA PORTUGUESA 5
TOTAL DE AULAS 28

33
MATRÍCULA 116000473

NOME DO SERVIDOR PEDRO TITO NETO COELHO – PEBCT


[1-A]
ESCOLARIDADE Graduação: HISTÓRIA-LICENCIATURA EM
HISTÓRIA : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 FILOSOFIA 1
3401/13 HISTÓRIA 2
3401/13 SOCIOLOGIA 1
7201/57 HISTÓRIA 2
8201/58 HISTÓRIA 2
8202/58 HISTÓRIA 2
8203/58 HISTÓRIA 2
8205/58 LÍNGUA PORTUGUESA 6
1
1301/87 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
1
PESQUISA
20 1302/87 FILOSOFISA 1
1302/87 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
1303/87 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
1304/87 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
2301/88 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
2302/88 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
2303/88 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
2304/88 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 1
PESQUISA
3301/89 SOCIOLOGIA 1
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 1108280-13
NOME DO SERVIDOR RONÍVIA AIRES PIMENTA FRANCISCO PEBCT –[ 1-
A]
ESCOLARIDADE Pós-Graduação: LATO SENSU EM EDUCAÇÃO
INFANTIL E SÉRIES INICIAIS: CONCLUIDO
1 Graduação: NORMAL SUPERIOR: CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
1
21 3401/13 ARTE 2
7201/57 ARTE 1
7201/57 PROJETO DE VIDA 1
8201/58 PROJETO DE VIDA 1

34
8202/58 ARTE 1
8202/58 PROJETO DE VIDA 1
8203/58 ARTE 1
8203/58 PROJETO DE VIDA 1
8204/58 ARTE 1
8205/58 ARTE 1
9201/59 ARTE
9201/59 PROJETO DE VIDA 1
9202/59 ARTE 1
9202/59 PROJETO DE VIDA 1
9203/59 ARTE 1
9204/59 ARTE 1
1301/87 ARTE 1
1302/87 ARTE 1
1303/87 ARTE 1
1303/87 PROTAGONISMO JUVENIL 1
1304/87 ARTE 1
2301/88 ARTE 1
2302/88 ARTE 1
2303/88 ARTE 1
2304/88 ARTE 1
3301/89 ARTE 1
3302/89 ARTE 1
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 115516074

NOME DO SERVIDOR TAYLLANE AIRES LIRA - PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-BAC EM
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS : CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS

3401/13 BIOLOGIA 2

1 1301/87 BIOLOGIA 3

1 1302/87 BIOLOGIA 3

22 1303/87 BIOLOGIA 3
1304/87 BIOLOGIA 3
2301/88 BIOLOGIA 2
2302/88 BIOLOGIA 2
2303/88 BIOLOGIA 2
2304/88 BIOLOGIA 2

35
3301/89 BIOLOGIA 2
3301/89 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E 2
PESQUISA
3302/89 BIOLOGIA 2
TOTAL DE AULAS 28

MATRÍCULA 113883910

NOME DO SERVIDOR TELMA CÁSSIA ARAÚJO AIRES- PEBCT[1-A]


ESCOLARIDADE Graduação: LETRAS PORTUGUÊS E INGLÊS:
CONCLUIDO
TURMA/SÉRIE DISCIPLINA Nº DE AULAS
1
7201/57 LÍNGUA PORTUGUESA 6
1
8201/58 LÍNGUA PORTUGUESA 6
23
8202/58 LÍNGUA PORTUGUESA 6
1303/87 LÍNGUA PORTUGUESA 5
1304/87 LÍNGUA PORTUGUESA 5
TOTAL DE AULAS 28

PESSOAL ADMINISTRATIVO
Nome do Cg.Hor. Cargo - Cg.Hor.
Matrícula Escolaridade
Servidor Servidor Função Função
Pós-Graduação:
EDUCAÇÃO
INFANTIL E SERIES
INICIAIS : PROEB
1 9639057 AMURAY RUFO CONCLUIDO 180.0 [1-B] - 180.0
JACOBINA Graduação:
NORMAL CP
SUPERIOR :
CONCLUIDO

Ensino Fundamental: AUXSG


ANTÔNIO LUIZ ENSINO
2 TURÍBIO FUNDAMENTAL: 180.0 [1-A] - 180.0
MENDES INCOMPLETO AMPE

Pós-Graduação:
EDUCAÇÃO FÍSICA
ESCOLAR :
CONCLUIDO
AUDIER PROEB
3 1597035 Graduação: 180.0 180.0
SOARES [1-B] -
EDUCAÇÃO FÍSICA-
MENDES CAF
LIC. EM
EDUCAÇÃO FÍSICA
: CONCLUIDO

36
Pós-Graduação:
GESTÃO,
ORIENTAÇÃO E
SUPERVISÃO
ESCOLAR :
CONCLUIDO
FCM-5
Pós-Graduação:
AVELINO –
4 11132322 EDUCAÇÃO FÍSICA 180.0 180.0
SOARES PROEB
ESCOLAR :
BARBOSA [2-B] -
CONCLUIDO
DR
Graduação:
EDUCAÇÃO FÍSICA-
LIC. EM
EDUCAÇÃO FÍSICA
: CONCLUIDO

Pós- Graduação:
EDUAÇÃO FÍSICA
ESCOLAR:
CONCLUIDO
Graduação:
BERNARDINO PRONO
NORMAL 180.0
4727391 DE SENA 180.0 [3-C]
5 SUPERIOR:
FILHO AAE
CONLUIDO
EDUCAÇÃO FÍSICA-
LIC. EM
EDUCAÇÃO FÍSICA:
CONCLUIDO
Graduação:
CLAUDIO PRONO
PEDAGOGIA - 180.0
5979131 ANDRADE DA 180.0 [2-B] -
6 SUPERVISÃO:
CRUZ CB
CONCLUIDO
DELDUQUE Ensino Médio: AUXSG
4404771 RODRIGUES MÉDIO BÁSICO : 180.0 [1-K] - 180.0
7
NETO CONCLUIDO AMPE
DIOVINA Ensino Fundamental:
ASERG
8 GONCALVES ENSINO
89956510 180.0 [1-A] - 180.0
DE CARVALHO FUNDAMENTAL:
AHE
OLIVEIRA INCOMPLETO
Ensino Fundamental:
ASERG
11669241 ELEVANTINA ENSINO
180.0 [1-A] - 180.0
9 1 PIMENTA REIS FUNDAMENTAL:
AHE
INCOMPLETO
Ensino Fundamental:
ASERG
10 GERVASIO DE ENSINO
9637848 180.0 [1-A] - 180.0
SA FUNDAMENTAL:
AMPE
INCOMPLETO
11
GRACIELA Ensino Médio: ASERG
11471018
TURIBIO MÉDIO BÁSICO : 180.0 [1-A] - 180.0
3
MONTEL INCOMPLETO AHE

Ensino Fundamental:
IZABEL AUXSG[
12 ENSINO
6084063 MESSIAS 180.0 4-F] -
FUNDAMENTAL : 180.0
PEREIRA AHE
CONCLUIDO
Pós-Graduação: PROEB
8089972 KATIA MARIA GESTÃO ESCOLAR 180.0 [2-B] - 180.0
TEIXEIRA : CONCLUIDO CP
37
13 TAVARES Graduação:
LETRAS-LIC
LETRAS-PORT BR
C/ SEGUN LG :
CONCLUIDO

14 LURDETH Ensino Médio: ASERG


6717489 RODRIGUES ENSINO MÉDIO - 180.0 [1-A] - 180.0
DE SOUSA EJA : CONCLUIDO MAE

15 MARIA DIVINA Ensino Médio: ASERG


14721623 NUNES DE MÉDIO BÁSICO : 180.0 [1-A] - 180.0
SOUSA CONCLUIDO MAE

MARCILENE Ensino Médio: ASERG


1156392-2 RODRIGUES MÉDIO BÁSICO : 180.0 [1-A] - 180.0
16
DE SÁ CONCLUIDO MAE

Graduação:
ASADM
LUCIMEIRE PEDAGOGIA-
180.0 [1-A] - 180.0
17 TIETE AIRES LICENCIATURA:
AA1
CONCLUIDO
Graduação: LETRAS
PORTUGUES E PROEB
18 MOARA RUFO
11496361 INGLÊS : 180.0 [1-B] - 180.0
JACOBINA
CONCLUIDO SG

RAILMA Ensino Médio: ASERG


11472278
19 SOUSA MÉDIO BÁSICO : 180.0 [1-A] - 180.0
3
BARBOSA CONCLUIDO MAE

Ensino Fundamental:
ROSIMARIA ENSINO ASERG
11584181
20 BARBOSA DA FUNDAMENTAL 180.0 [1-A] - 180.0
2
SILVA INCOMPLETO : AHE
CONCLUIDO
Pós-Graduação:
COORDENAÇÃO
PEDAGÓGICA :
CONCLUIDO
Pós-Graduação:
SHADIA PROEB
GESTÃO ESCOLAR
21 9516802 TEIXEIRA 180.0 [2-C] - 180.0
: CONCLUIDO
TAVARES CP
Graduação:
LETRAS-LIC
LETRAS-PORT BR
C/ SEGUN LG :
CONCLUIDO
Pós-Graduação:
EDUCAÇÃO
ASADM
SILVIO INFANTIL E SERIES
22 7053691 180.0 [5-L] - 180.0
ARAUJO AIRES INICIAIS :
AA1
CONCLUIDO
Graduação:
38
NORMAL
SUPERIOR :
CONCLUIDO

2.8 – Concepção Filosófica, Pedagógica; Identidade e Função Social da Escola.

Um dos principais desafios do Colégio Estadual Odolfo Soares é assegurar ao


aluno uma educação de qualidade, que cumpra seu papel social, por meio de ações
que garantam a formação integral o e a construção de uma sociedade justa e
solidária conforme determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira
(BRASIL, 1996).
Nosso norte é o desenvolvimento de ações pedagógicas que propiciem o
desenvolvimento do educando nas dimensões física, psicológica, afetiva, social,
ecológica, humana e cidadã. Isso requer da escola uma interação dinâmica com os
pais, a comunidade e alunos, estabelecendo um espaço de reflexão e formação, no
intuito de criar possibilidades e condições para que todos os alunos desenvolvam
habilidades, competências e aprendam os conteúdos significativos para interagir
com a realidade.
Para tanto nos respaldamos na concepção sócio interacionista na intenção de
atingir a diversidade cultural presente no ambiente escolar.
De acordo com Kunz (2006), uma proposta pedagógica deve ir ao encontro
do desenvolvimento de diversas competências do aluno.

A competência emancipatória que corresponde às capacidades


cooperativas e integrativas dos alunos; a competência individual do aluno,
que não deve ser visto univocamente como participante de atividades cada
vez mais elevadas de concorrência e competição, considerando a
participação mais efetiva no processo de co-determinação e co-participação
nos acontecimentos; a competência social, necessária não só no sentido da
cooperação e participação ativa e crítica no mundo, mas também nas
relações mediadas entre professores e alunos; a competência objetiva de
melhorar a capacidade técnica e a competência de autonomia que se
refere ao fato de a pessoa sentir-se responsável pela aprendizagem e
pelos conhecimentos produzidos na aula(APUD BARBOSA, 2009, P.26).

Quanto à metodologia adotada para a aplicação das aulas se caracteriza pela


dinâmica da AÇÃO – REFLEXÃO – AÇÃO, considerando a bagagem de cultura
39
trazida pelos alunos, privilegiando as relações dialéticas tanto das disciplinas como
das relações com os alunos/alunos, alunos/professores e professores/professores
(SCHMITT, 2011).
Em conformidade com os PCNs as ações pedagógicas devem estar pautadas
nas dimensões: CONCEITUAIS, ou seja, saber o que o aluno deve aprender em
qualquer idade, série ou baseado em seu próprio nível de conhecimento;
PROCEDIMENTAIS que são as experimentações, as práticas propriamente ditas e a
dimensão ATITUDINAL que enfatiza os valores que o professor e aluno darão aos
conhecimentos apreendidos e propagados (BRASIL, 1997).
Tendo como principio a formação integral dos alunos, organizamos e
aplicamos o trabalho pedagógico pautado nos pilares da Educação Nacional, que
segundo Delors (2003), salienta que os alunos devam aprender a conhecer isto é
desenvolver competências objetivas teóricas que nada mais é que a parte técnica do
trabalho; que o aluno deva aprender a fazer, que significa ir além do conhecimento
teórico entrando na dimensão prática; que o aluno aprenda a conviver porque a
escola é um lugar de convivência coletiva e o ser humano é um ser que depende da
vida grupal, de cooperação e por meio dos trabalhos em grupo desenvolvemos esta
capacidade. E não menos importante, que o aluno aprenda a ser no mundo tendo
um pensamento crítico, autônomo, ético, estético, que saiba discernir o certo do
errado, ter responsabilidade social e incorporar valores fundamentais à vida humana.

2.9 – Caracterização da Comunidade: Situação Socioeconômico, Politico,


Cultural e Educacional

A elaboração do Plano de Gestão e do Projeto Político Pedagógico nasce de


uma análise minuciosa da realidade social, econômica, psicológica, cultural e
acadêmica do aluno. É difícil direcionar um roteiro de trabalho pedagógico sem
visualizar com clareza em que situação se encontra o aluno.
São 606 alunos matriculados, sendo 302 do Ensino Fundamental Regular,
286 do Ensino Médio Regular, e 18 do Ensino Médio Técnico Integrado em Guia de
Turismo.

40
A população Pontealtense é predominantemente humilde em termos
financeiros considerando que apenas 5,3% da população total, que corresponde a
418 indivíduos, recebem em média 1.7 salários mínimos. Aproximadamente 47,3%
da população recebem rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa.
Boa parcela vive de programas de transferência de renda do governo federal a
exemplo o bolsa família. Pequena minoria dos estudantes estão incluídos na
condição de classe média. As dificuldades de acesso aos estudantes residentes na
zona rural é um problema que afeta diretamente o aprendizado. Esta região é muito
extensa, arenosa e de estradas ruins dificultando o transporte de alunos e a
regularidade da frequência dos mesmos. Temos alunos que saem 3 da manhã de
casa para ir à escola e chegam cerca das 3 da tarde em casa.
O histórico educacional familiar da maioria dos alunos é de pais que
terminaram no máximo o ensino médio ou fundamental e pequena parcela o ensino
superior. A cultura da informação foi substituída pela necessidade imediata de
trabalhar para suprir as necessidades da vida diária. Neste sentido nosso aluno na
atualidade apresenta extrema dificuldade de ler, de pesquisar inclusive de participar
as aulas em função do divisor de aguas entre ele e a realidade educacional da
família.
Nosso maior desafio é construir um perfil de aluno ativo, que busque seus
ideais, consciente da sua importância enquanto cidadão inserido numa realidade
local, regional, nacional e planetária, capaz de produzir, reproduzir, criar, argumentar
com responsabilidade, coerência, conhecimentos e vivências, na busca de um
indivíduo e sociedade melhor.

3 – DIAGNÓSTICO – REALIDADE DA ESCOLA EM SUAS DIMENSÕES:


PEDAGÓGICA, ADMINISTRATIVA, JURÍDICA E FINANCEIRA

O Projeto Político Pedagógico é pautado através de avaliação, reflexão


coletiva sobre a organização geral da U.E e a sua comunidade com foco no
pedagógico. Todos os anos até o mês de março, a Unidade de Ensino reúne a
equipe em geral, alunos e pais de alunos para refletir, sobre a vida escolar no
sentido geral e buscar alternativas para melhorar o trabalho pedagógico junto ao

41
aluno. Partindo dessa reflexão diagnóstica a equipe escolar discute, propõe e define
metas e ações e prioridades procurando com isso aproximar o ensino das reais
necessidades dos alunos.
No desenvolvimento do Processo Ensino Aprendizagem a equipe avaliou os
quesitos da seguinte forma: Pontos que precisam ser melhorados: aulas mais
dinâmicas e bem planejadas, aproveitamento e aprendizagem do aluno, melhoria
nos índices de aprovação, atendimento diferenciado ao aluno, transporte escolar.
Pontos superados: relacionamento professor/ aluno, estrutura eficiente, materiais
disponíveis, boa relação entre professor/professor e coordenação pedagógica.

3.1 - Indicadores de Desempenho da Escola: Aprovação, Reprovação,


Abandono, Distorção Idade e Série e Índices externos.

3.1.1 – Aprovação, Reprovação e Abandono.

De acordo com o Censo Escolar e o Sistema de Gerenciamento Escolar do


Tocantins o Colégio Estadual Odolfo Soares apresenta os índices de aproveitamento
relacionados à tabela abaixo.
2017 2018 2019

%
EF EM EJA EF EM EJA EMI EF EM EJA EMI

Aprovação 89% 91% 67% 90,5% 83% 75% 80% 92,42% 93,44% 100% 95%
Reprovação 6% 4% 6% 5,9% 9,3% 2,1% 4% 2,25% 3% 0% 0%
Abandono 5% 5% 27% 3,5% 7,7% 22,9% 16% 5,33% 3,56% 0% 5%
Aprovação
82,33% 82,13% 95,22%
Geral
Reprovação
5,33% 5,33% 1,31%
Geral
Abandono
12,33% 12,53% 3,47%
Geral

Fonte: Sistema de Gerenciamento Escolar, (2020).

O quadro demonstra o aproveitamento final de 2017, 2018 e 2019. Ao


analisar o aproveitamento escolar das modalidades oferecidas, percebemos que ao

42
longo dos dois primeiros anos (2017, 2018) uma manutenção dos índices gerais de
aprovação, reprovação e abandono. Em 2019 o índice de aprovação aumentou
significativamente e os de reprovação e abandono diminuíram de forma
considerável.
Apesar de nos anos 2017 e 2018 os índices gerais de aprovação, reprovação
e abandono se manterem praticamente inalterados, houve uma evolução nos índices
de aprovação do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos (EJA) no
ano de 2018 comparado à 2017, bem como diminuiu os índices de reprovação e
abandono dos mesmos níveis/modalidades educacionais.
O ensino médio em 2018 sofreu uma redução dos índices de aprovação e
aumentaram os índices de reprovação e abandono, comparado ano de 2017.
Em título de ilustração, no ano de 2017 o índice geral de aprovação foi
82,33%, com apenas três níveis/modalidades ofertadas, que eram o ensino
fundamental, médio e EJA. No ano de 2018 a aprovação geral diminuiu de
levemente para 82,13%. No referido ano foram ofertadas o ensino fundamental e
médio e atendemos novas turmas da EJA e do Ensino Médio Integrado ao ensino
Técnico: Guia de Turismo. No ano de 2019 o índice geral de aprovação superou os
anos anteriores, evoluindo para 95,22%, ofertando os mesmos níveis/modalidades
do ano de 2018.
Os índices de reprovação mensurados no ano de 2017 foram de 5,33%, em
2018 foi mantido em 5,33% esse mesmo índice, diminuindo substancialmente em
2019 para 1,31%.
Em 2017 o número de alunos que abandonaram os estudos por algum motivo
chegou 12,33% do número de alunos matriculados. Em 2018 esses dados
aumentaram para suavemente 12,53 % e em 2019 diminuiu substancialmente para
3,47%.
De acordo com os dados acima, a abertura das turmas de Ensino Médio
Integrado (Guia de Turismo) e Educação de Jovens e Adultos (EJA 3º Segmento) no
ano de 2018, contribuiu aumentando a taxa de abandono e de reprovação.
Percebemos que um dos motivos que contribuiu para evolução das taxas
gerais de aprovação e diminuição das taxas de reprovação e abandono foi a
estabilidade e engajamento nas atividades propostas pelo colégio no ano de 2019 e
a organização da equipe frente aos problemas diagnosticados.

43
Enfim, esses resultados foram observados para elaboração desse Plano de
Ação para o ano de 2020, com ações pedagógicas novas e/ou diferenciadas. A
escola tem buscado por meio dos programas Mais Educação e Novo Ensino Médio
alavancar o processo de ensino e aprendizagem, além de planejar avaliações
sistematizadas através de simulados/avaliações no modelo das avaliações externas,
priorização de ações especialmente pedagógicas com foco nas dificuldades
apresentadas pelos alunos nas disciplinas, no tempo pedagógico, no plano de
intervenção elaborado bimestralmente após o diagnóstico do Conselho de Classe,
entre outros.

3.1.2 - Índice de Distorção Idade/Série em 2019

Ensino Fundamental

Total de alunos
Matrícula 12 13 14 15 16 Mais de
Anos com idade %
Final anos anos anos anos anos 16 anos
superior à série

7º ano
25 10 10 1 3 0 1 5 20,0%

8º ano 121 29 53 23 10 6 39 32,2%

9º ano 115 31 43 21 20 41 35,7%

Fonte: Sistema de Gerenciamento Escolar (2019).

Ensino Médio

Total de alunos
Matrícula Mais de
Anos 15 anos 16 anos com idade superior %
Final 16 anos
à série

1ª Série 111 35 54 22 22 19,8%

2ª Série 55 0 26 29 11 20,0%

44
3ª Série 76 0 0 76 14 18,4%

Fonte: Sistema de Gerenciamento Escolar (2019).

Ensino Médio Integrado (Técnico em Guia de Turismo)

Total de alunos
Matrícula Mais de
Anos 15 anos 16 anos com idade superior %
Final 16 anos
à série

2ª Série 19 0 4 15 7 36,8%

Fonte: Sistema de Gerenciamento Escolar (2019).

3.1.3 – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB, criado em 2007,


pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),
tem o objetivo de estimar a qualidade do aprendizado nacional e constituir metas
para a melhoria do ensino no país. Divulgado a cada dois anos, o índice varia em
uma escala de 0 a 10 e é calculado a partir de dois componentes: as taxas
aprovação dos estudantes e as médias de desempenho dos alunos nas avaliações
aplicadas pelo Inep.
A partir desses dados é calculado o IDEB de cada escola, rede de ensino,
município e estado, além da média nacional, cada unidade de ensino público
(municipal, estadual ou federal) tem metas diferenciadas no IDEB a serem atingidas
a cada dois anos.
O IDEB é calculado para três etapas de ensino: anos iniciais do ensino
fundamental (1º ao 5° ano), anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e (1ª a
3ª série) ensino médio.
Grifo que o resultado da Prova Saeb 2019 saiu, entretanto o resultado desta
unidade de ensino não foi publicado porque não atendeu a regra de ter participado
no mínimo 80% dos alunos matriculados, conforme o censo escolar 2019, etapa
final. O motivo da não publicação dos resultados das 3ª séries, se deu porque a
referida prova aconteceu numa segunda feira, e no dia anterior, domingo, aconteceu
45
a prova do vestibular da Universidade Federal do Tocantins em Palmas, não
conseguindo os alunos retornarem a tempo para fazerem as provas do SAEB.
Referente à publicação dos resultados do Ensino Fundamental, tivemos a
participação de 76% dos alunos, não alcançado os 80% da regra do INEP.

9º ano
IDEB Observado Metas Projetadas

2005 2007 2009 2011 2013 2015 2017 2019 2007 2009 2011 2013 2015 2017 2019

4,0 3,8 3,6 4,0 3,5 3,6 4,6 * 4,0 4,1 4,4 4,8 5,2 5,4 *

Fonte: INEP/IDEB (2019).

3ª série

IDEB Observado Metas Projetadas

2017 2019 2017 2019

3,7 * ------------ *

Fonte: INEP/IDEB 2019.

3.1.4 – Sistema de Avaliação da Aprendizagem do Estado do Tocantins –


SAETO

Sistema de Avaliação da Aprendizagem do Estado do Tocantins – SISAPTO


foi criado em 2011. Hoje denominado SAETO - Sistema de Avaliação do Tocantins,
para avaliar a qualidade de ensino e aprendizagem na Educação Básica da Rede
Estadual de Ensino, promovendo a modernização da gestão, realinhamento dos
conteúdos e o aprimoramento do processo de ensino e aprendizagem, com vistas à
melhoria dos indicadores educacionais do Estado do Tocantins.
No Colégio Estadual Odolfo Soares são avaliadas as turmas do 9º ano do
Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio. São aplicadas avaliações das
disciplinas Língua Portuguesa, Matemática, Ciências e Geografia para o Ensino
Fundamental e Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, Física, Química e

46
Biologia para o Ensino Médio. Veja a seguir as médias das Avaliações Diagnósticas
do SAETO 2019.

Avaliações SAETO 1ª edição – Ensino Fundamental


Língua Ciências
DISCIPLINA DISCIPLINA
Portuguesa
UNIDADE 64.86 UNIDADE 64.41
MUNICÍPIO 64.86 MUNICÍPIO 64.41
REGIONAL 59.22 REGIONAL 64.23
ESTADO 58.05 ESTADO 64.29

DISCIPLINA Matemática DISCIPLINA Geografia


UNIDADE 61.06 UNIDADE 68.49
MUNICÍPIO 61.06 MUNICÍPIO 68.49
REGIONAL 60.00 REGIONAL 66.75
ESTADO 58.57 ESTADO 65.85

Avaliações SAETO 1ª edição – Ensino Médio


DISCIPLINA Português DISCIPLINA Física
UNIDADE 60.26 UNIDADE 82.84
MUNICÍPIO 60.26 MUNICÍPIO 82.84
REGIONAL 62.70 REGIONAL 82.40
ESTADO 59.98 ESTADO 81.47

DISCIPLINA Matemática DISCIPLINA Química


UNIDADE 72.83 UNIDADE 74.40
MUNICÍPIO 72.83 MUNICÍPIO 74.40
REGIONAL 72.48 REGIONAL 74.26
ESTADO 69.95 ESTADO 73.65

DISCIPLINA Geografia DISCIPLINA Biologia

47
UNIDADE 71.03 UNIDADE 80.89
MUNICÍPIO 71.03 MUNICÍPIO 80.89
REGIONAL 72.96 REGIONAL 79.91
ESTADO 73.02 ESTADO 80.64

Os resultados do SAETO contribuem para as escolas verificarem em quais


descritores/conteúdos os alunos têm bons resultados e em quais estão com
dificuldade, desenvolvendo assim ações para superar estas dificuldades dos
estudantes.

3.2 – Planejamento e Acompanhamento Pedagógico

A aplicação das práticas docentes e atividades pedagógicas são realizadas


de maneira coerente, sistemática e participativa, com a colaboração de todos os
agentes envolvidos no processo educacional. Com a contribuição de pais e alunos,
todos os anos a equipe escolar constrói e desconstrói regras, práticas e estratégias
para a busca de obtenção de melhores resultados educacionais. Ainda é um desafio
a participação de todos os pais, entretanto estamos a cada intensificando a
participação dos pais no intuito de melhor aproveitar essa força na aprendizagem
dos alunos.
Para melhor direcionar os trabalhos pedagógicos sempre avaliamos os
aspectos qualitativos e quantitativos da unidade de ensino. Os índices de aprovação,
reprovação, abandono, e avaliações externas como Prova Brasil, IDEB, SAETO, são
o norte para a organização de um trabalho pedagógico, direcionado, e melhor
aplicado e avaliado.
Alcançar os objetivos educacionais alinhados pela escola requer dos
profissionais conhecer as carências e necessidades dos alunos, e organizar as
práticas de ensino considerando a bagagem trazida pelos alunos e um diagnóstico
sucinto das diferenças de aprendizagens e vivencias que possuem os alunos
matriculados nesta unidade de ensino. Um projeto de ensino só tem validade em sua
prática se observar as minucias, diferenças, dificuldades que cada aluno apresenta
no dia a dia. Se isso não for visto corremos o risco de assassinar uma geração de

48
estudantes que são reféns de um sistema de mundo que muitas vezes não contribui
em nada para o sucesso da sociedade.
Esses diagnósticos dos níveis de aprendizagens são feitos continuamente
com o objetivo de não perder de vista o caminho que pretendemos seguir para
alcançar uma educação de excelência.
Todo o planejamento pedagógico da Unidade de Ensino é feito no inicio de
cada ano com o replanejamento do Projeto Politico Pedagógico – PPP. Após a
discussão com alunos e responsáveis selecionamos as contribuições positivas e
levamos para outro momento de discussão coletiva entre professores,
coordenadores e diretor para verificarmos a melhor forma de inserir as proposições
no cotidiano escolar.
O planejamento coletivo dessa unidade de ensino acontece semanalmente,
entre equipe pedagógica, dividido por área de conhecimento, no período noturno,
uma vez que não ofertamos ensino no noturno. É notório o crescimento da equipe
diante desse tipo de trabalho. Não conseguimos realizar em todas as áreas
conforme planejamos, entretanto a experiência com algumas áreas foi ótima. A
coordenação pedagógica tem um horário de estudo e planejamento do trabalho para
contribuir para o planejamento das aulas.
Durante a semana a equipe de coordenadores articulam os
acompanhamentos individuais para juntos refletirem e selecionarem os melhores
materiais e metodologias de ensino para aplicarem aulas que confronte e eleve a
autoestima e clima de sala de aula.
Neste momento são feitas contribuições de relevância para o aprimoramento
das práticas educativas, e diante dos dilemas educacionais são ações que servem
de base para de resoluções de problemas conflitantes. A orientação da direção geral
é que sempre seja feito os devidos direcionamentos em busca de alcançar as
competências necessárias ao bom desempenho do trabalho profissional e a
aprendizagem que é o nosso objetivo principal da atividade educativa.
Seguimos as propostas de ensino elaboradas pela Rede Estadual de Ensino,
como o Plano Estadual de Educação e Documentos de Referencia Curricular
Estadual e a Base Nacional Comum Curricular. Também pautamos nossa
organização nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental e

49
Médio e estamos adequando os trabalhos de forma gradual à Base Nacional Comum
Curricular, que é a proposta de evidencia neste contexto histórico educacional.
Seguir essas normas legais é importante porque são as bases jurídicas, que
norteiam os caminhos a serem percorridos e que ampararam as práticas
pedagógicas dessa unidade de ensino.
Os Conselhos de Classe são organizados para que a maioria dos professores
possam está presente nas discussões. Neste ano de 2020, por causa da Pandemia
do COVID – 19, realizamos um Pré-Conselho por meio do google docs, direcionando
o link de acesso aos alunos para responderem os questionários. Ressaltamos que
nossa intenção será avaliar sob o ponto de vista dos alunos, os resultados
bimestrais, as metodologias de trabalho utilizadas a fim de buscar alternativas
coletivas para superação dos problemas enfrentados. Durante o Conselho de
Classe, primeiramente ouvimos os alunos sobre os pontos positivos e os pontos na
qual o colégio deva ter atenção para melhoria. Em seguida abrimos espaço para os
profissionais fazerem suas considerações a despeito das turmas. Posteriormente
socializamos os resultados bimestrais de aprendizagem dos alunos em todos os
componentes curriculares, analisa as metodologias utilizadas pelo professor no
decorrer do bimestre, verificamos os critérios e instrumentos de avaliação utilizados
e socializamos boas práticas pedagógicas e alunos destaques. Após o conselho de
classe o professor replaneja os conteúdos não aprendidos e/ou não ministrados,
estabelecem intervenções pedagógicas e a coordenação pedagógica acompanha o
desenvolvimento das ações planejadas pelo professor.
O Colégio tem importantes projetos de desenvolvimento da aprendizagem
previstos neste
documento. No ano de 2019 Planejamos e desenvolvemos os seguintes
projetos: Projeto Biblioteca incentivando a leitura; Projeto Semana do Estudante;
Intercalasse de Futsal (feminino e masculino); Projeto Feira de Feira de Ciências –
(Biologia); Projeto Dia da Consciência Negra, o Projeto Integre CEOS.
Desenvolvemos também ações como Desfile Cívico.
Replanejamos o Projeto Papo Reto para o ano de 2020. Foram repensadas
para esse ano também as ações: Formação Continuada; Resgatando Vidas;
Orientação Vocacional; Adequação de Sala Ambiente e o Sarau Literário. Essas
ações serão custeadas pelo PDDE QUALIDADE NOVO ENSINO MÉDIO e o

50
PROGRAMA ESCOLA COMUNITÁRIA DE GESTÃO COMPARTILHADA, e são
desenvolvidas conforme disponibilidade do recurso para a Associação de Apoio ao
Colégio Estadual Odolfo Soares. Diante da Pandemia da COVID – 19, vislumbramos
que não conseguimos aplicar todos os projetos. Faremos o possível para
desenvolver estas ações até o final do ano letivo de 2020, que provavelmente se
estenderá até fevereiro ou março de 2021.
Os pontos fortes da escola na dimensão pedagógica são: Professores com
bom nível de escolaridade, salas climatizadas, biblioteca equipada, recursos
humanos, tecnológicos e materiais pedagógico em abundancia.
Outros fatores positivos de fundamental relevância é que o Colégio conta com
um acervo considerável de materiais didáticos que auxiliam os docentes no
desenvolvimento de aulas diversificadas para melhorar o processo ensino
aprendizagem. Na Biblioteca encontram-se livros destinados ao Ensino
Fundamental, Ensino Médio, Ensino Profissionalizante e cultura em geral em um
total de 7.034 exemplares com utilização diária pelos alunos e professores. Os
recursos materiais são: 03 notebook, 05 projetores data show, 08 kit multimídia, 10
quadros brancos, 01 aparelhos de DVD, 04 caixas de som com amplificadores, 02
Microsystems, 02 televisores, 15 mapas, 01 álbum seriado, 01 auto-labor, 01
epíscopo, 01 videokê e 01 videocassetes. Em relação ao material didático e
pedagógico a gestão se preocupa em suprir as necessidades dos docentes e
discentes de acordo as possibilidades financeiras da Unidade de Ensino.
Os materiais tecnológicos são bem utilizados e servem como suporte ao
trabalho da equipe bem como aos professores e alunos. Temos 02 computadores, 1
impressora multifuncional e 02 impressoras laserjet na secretaria. Na coordenação
financeira há 01 computador e uma impressora laserjet e 1 multifuncional. Na
coordenação pedagógica há uma impressora multifuncional e 1 laser jet. Na direção
01 impressora color laser toner e 01 impressora multifuncional. Na Biblioteca há 01
computador e 01 impressora. No LABIM há 14 computadores, e 01 impressora
laserjet. Contamos ainda com recursos audiovisuais com um acervo de 455 fitas de
vídeos gravadas e 57 originais, 396 discos de DVDs originais abrangendo as
disciplinas de língua portuguesa, matemática, ciências físicas e biológicas, história,
geografia, filosofia, sociologia, química, física, educação física, ensino religioso, arte,
inglês e temas transversais.

51
Ao mesmo tempo os desafios que se colocam mediante a realidade
apresentadas são: aumentar o IDEB, Prova Brasil, e outras avaliações externas nos
anos finais do ensino fundamental e médio; aprovar os alunos com qualidade;
implantar o planejamento por área do conhecimento; propor ações para envolver a
família na vida escolar do estudante; reestruturação do currículo com a inclusão de
assuntos de interesse dos estudantes e da comunidade e aproximá-lo também da
realidade das Provas externas; estimular o aperfeiçoamento da didática para
aumentar o interesse dos estudantes no aprendizado; implantar Conselho de Classe
Participativo a fim de discutir problemas e soluções no processo ensino-
aprendizagem, a aproximar a família da vida escolar dos alunos, combater os fatores
de riscos que acometem a evasão e a repetência (drogas, criminalidade e gravidez
na adolescência, etc.).

3.3 - Acompanhamento da Aprendizagem dos Alunos

Para monitorar a aprendizagem dos alunos, organizamos de forma articulada


um plano de avaliação do processo de ensino na qual verificamos a vida escolar do
aluno por meio de ferramentas oferecidas pela SEDUC, reuniões e conselhos
pedagógicos. Um importante momento é o conselho de classe participativo na qual
juntamente com os alunos diagnosticamos os pontos fortes e fracos dos alunos.
Outro importante mecanismo é o acompanhamento do Sistema de
Gerenciamento Escolar (SGE). É obrigatório o professor alimentar o sistema para
que a equipe pedagógica possa ter informações para subsidiar diagnósticos precisos
e possíveis ações a partir de tal intento.
A coordenação pedagógica é responsável por realizar este trabalho, utilizando
todos os momentos pedagógicos disponíveis como hora atividade, livres docências e
planejamentos coletivos para melhor compreender o processo de
ensino/aprendizagem e propor medidas para alcançar com êxito o sucesso
pedagógico e aprendizagem dos alunos.
Como já afirmado acima o trabalho de orientação educacional é realizado
pela coordenação pedagógica e direção. Esse trabalho é necessário para
compreendermos a eficácia do aprendizado ou o retrocesso do processo. Diante do

52
regresso do aluno, a orientação educacional tem sido indispensável para o
crescimento acadêmico, porque é uma área que busca entender sob todos os
planos a vida do aluno.
Neste ano do dia 03 de fevereiro a 13 de março, tivemos aulas presenciais, e
o acompanhamento da aprendizagem diário pelo professor e equipe pedagógica se
tornava mais fácil porque o aluno estava em contato diário com a equipe
pedagógica. As aulas foram paralisadas entre 16 de março e 28 de junho de 2020.
Para tanto foi feito um planejamento de retorno gradual das aulas não presenciais.
Dia 29 de junho de 2020 houve o retorno das 3ª séries do Ensino Médio. Dia 10 de
agosto de 2020 aconteceu o retorno das 1ª e 2ª séries do Ensino Médio e dia 18 de
setembro de 2020 o retorno do ensino fundamental.
Diante disso elucidamos que estamos planejando atividades quinzenais para
serem entregues aos alunos desenvolverem em casa por meio de roteiros de
estudos, organizados em linguagem clara, de forma didática para que os alunos
tenham facilidade em desenvolver os programas de ensino direcionados pelo
professor. Concomitante a esses roteiros de estudos também elaboramos materiais
de apoio explicativos, vídeo aulas, online e off-line, para que possa ser garantido ao
aluno o direito a educação de qualidade.
Temos feito atendimento do aluno por meio de agendamento, com o professor
para explicações do conteúdo não compreendido. Nestes casos estamos
respeitando as normas de segurança da Organização Mundial de Saúde da COVID -
19, na qual o aluno deve está com mascaras, utilizar álcool em gel. Esse
atendimento pode ser feito tanto na Unidade de Ensino quanto na própria residência
do professor, tendo em vista o trabalho home-office.
Em relação aos alunos que residem na Zona Rural, as entregas dos roteiros
de estudos estão sendo feitas quinzenalmente, por um ônibus escolar contratado
pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, e uma equipe de
professores acompanham a entrega em todas as rotas em que temos alunos
matriculados. É fundamental a presença do professor no ato da entrega das
atividades porque eles já fazem a mediação entre o conhecimento e o aluno.

53
3.4 – Acompanhamento da Frequência dos Alunos

A frequência dos alunos é monitorada constantemente pela coordenação


pedagógica e direção que são responsáveis diretos pelo trabalho de orientação
educacional, pelos líderes de turma, pelo grêmio estudantil, professores, apoio
pedagógico e monitores da frequência dos ônibus escolares.
Com a mudança de estratégia de atendimento do aluno com as aulas não
presenciais, também estamos acompanhando os alunos por meio da entrega e
recebimento dos roteiros de estudos. Após toda entrega levantamos os nomes dos
alunos que não receberem e buscamos compreender os motivos pelos quais os
alunos não receberam as atividades. Neste sentido juntamente com todos os
professores traçamos caminhos para resolver esses impasses no intuito que o aluno
cumpra suas obrigações junto a instituição.
Ao percebermos que o aluno, persiste em se ausentar ou a não devolução
das atividades propostas pelos professores, buscamos de algum modo saber os
motivos pelos quais ele está faltando. Geralmente o colégio entra em contanto por
meio de telefone com a família para identificar os motivos da ausência e tenta como
coparticipante, contribuir para o retorno do aluno e oportuniza ao aluno realizar as
atividades pedagógicas. Em casos necessários são feitas visitas domiciliares para
instigar o retorno do aluno às atividades escolares.
Tivemos muitos problemas com locomoção no inicio de 2020 e isso favoreceu
a ausência de muitos alunos. Diante disso passamos a fazer diariamente o controle
da frequência do transporte escolar para não prejudicarmos os alunos pertencentes
à zona rural.
Uma prática nossa é preencher a ficha de controle de aluno infrequente no
sentido de registrarmos para comprovarmos. Esse monitoramento pode ser feito por
meio dos diários dos professores e relatório dos conselhos de classe. Casos mais
graves são direcionados ao conselho tutelar.

54
3.5 – Evasão Escolar

Atuamos de forma preventiva estimulando a permanência dos alunos na


escola. Um dos estímulos que obtemos êxito é ter uma relação próxima dos alunos
que apresenta resistência ou se sinta excluído do processo educativo. O aluno com
baixa autoestima, quando percebe que a escola o coloca como centro das atenções
e construtor de sua própria história resgata a motivação e sente-se responsável
pelas aulas e processo pedagógico.
Apesar de termos em 2018 um grande número de alunos evadidos, porque
abrimos uma turma de EJA e uma de Ensino Médio Integrado ao Ensino Médio, e
boa parte apenas se matricularam, e não frequentaram as aulas, em análise com
anos anteriores a 2018 por exemplo, tivemos o menor numero de evasão das séries
do ensino fundamental e médio regular. Reduzimos significativamente o número de
alunos evadidos em 2019 e a expectativa para 2020 é reduzir a totalmente o índice
de evasão escolar porque intensificamos o trabalho pedagógico, estamos
controlando de maneira mais eficaz a frequência escolar, não abrimos turmas de
alunos que ficam em situação de risco de aprendizagem e evasão e apresentamos
projetos que vão ao encontro da manutenção do aluno no ambiente escolar,
trocamos todas as fiações dos ares condicionados, climatizando todas as salas de
aulas, revitalizamos a quadra de esportes e pintura geral da unidade de ensino.

3.6 – Inclusão e Equidade

A constituição federal em seu artigo 208, "atendimento educacional


especializado aos alunos com necessidades Educacionais Especiais,
preferencialmente na rede regular de ensino”. Um dos grandes desafios enfrentados
pela escola da atualidade e enxergar com delicadeza que o Brasil é composto por
pessoas comuns, que apresentam defeitos, cores, tamanhos, intelecto e biologia
diferentes. A sociedade brasileira já criou um imaginário social extremamente
capitalista, seletivo, preconceituoso, que busca a obtenção de resultados muitas
vezes à qualquer custo.

55
Defender projetos paradoxalmente ao senso comum, ao que as pessoas
enxergam e praticam é muito difícil, entretanto, é necessário porque quando existe
seleção exacerbada só os melhores entram no processo deixando a maior parte da
população à mercê das práticas sociais. Mesmo entendendo que não mudaremos
uma realidade maior, apenas podemos contagiar nossa comunidade, para que
respeitem as pessoas com alguma necessidade especial, ou qualquer aluno que
apresente alguma diferença que contrapõe a realidade capitalista e funcional, a
exemplo um aluno baixinho jogar vôlei, ou uma menina jogar bola com os meninos,
estamos a cada dia ampliando o leque de discussões e atuação em busca de uma
comunidade que veja a importância do caráter descompromissado da educação com
a dimensão capitalista.
Atuamos considerando que a escola é para todos, para tanto buscamos por
meio das aulas, propostas de ensino e avaliações que considerem as
particularidades de todos os alunos indistintamente. Os alunos especiais com maior
dificuldade de aprendizagem são direcionados à sala de recursos buscando
aprofundar os conhecimentos desse público. Em termos gerais nosso dever é
proporcionar uma educação básica na qual considere a igualdade de acesso e
participação dos alunos especiais nas atividades pedagógicas e educativas,
fomentando uma educação que supere as diferenças sejam físicas, biologias,
intelectuais e acima de tudo sociais.

3.7 – Projetos, Programas e Ações Didáticas.

Por meio deste documento legitimamos todas as ações previstas para serem
aplicadas na Unidade Escolar no ano de 2020, em especial as pedagógicas.
Frisamos que nosso currículo é flexível e, portanto além das ações planejadas
acontecem ações que são incorporadas ao projeto para tentar sanar algum
problema que ocorre de maneira imprevisível.
Destacamos que os Projetos e Programas planejados para serem aplicados
por esta unidade de ensino são seguidos conforme cronograma do plano de ação,
que é uma parte específica deste Projeto Político Pedagógico.

56
Anualmente planejamos realizar junto ao alunado, alguns projetos que são de
fundamental importância para fortalecer o ensino e aprendizagem bem como
enaltecer o entusiasmo e o compromisso do aluno, professor e comunidade para
com a educação que desejamos.
Em 2019 planejamento realizar diversos projetos, entretanto não
conseguimos realizar todos. Diante disso Replanejamos o Projeto Papo Reto para o
ano de 2020. Foram repensadas para esse ano também as ações: Formação
Continuada; Resgatando Vidas; Orientação Vocacional; Adequação de Sala
Ambiente e o Sarau Literário. Essas ações serão custeadas pelo PDDE
QUALIDADE NOVO ENSINO MÉDIO e o PROGRAMA ESCOLA COMUNITÁRIA DE
GESTÃO COMPARTILHADA, e são desenvolvidas conforme disponibilidade do
recurso para a Associação de Apoio ao Colégio Estadual Odolfo Soares. Por causa
da Pandemia da COVID – 19 não conseguimos aplicar todos os projetos. Faremos o
possível para desenvolver estas ações até o final do ano letivo de 2020, que
provavelmente se estenderá até fevereiro ou março de 2021.
Essas ações contribuem para endossar melhor e fortalecer tanto o ensino
como da aprendizagem, diminui a evasão e colaborara para minimizar as
desigualdades entre os alunos. Refletindo sobre o resultado dessas ações
percebemos que foram fundamentais para organização e crescimento educacional e
diante disso reprogramamos todos os projetos e ações acima citados para serem
aplicadas em 2020.

3.8 – Programa PDDE EDUCAÇÃO INTEGRAL – Novo Mais Educação

O Programa Mais Educação foi criado por meio da Portaria do Ministério da


Educação numero 1.144/2016 e regulamentado por meio da resolução do FNDE
numero 05/2016, para ser implantado nos estados e municípios brasileiros com a
finalidade de auxiliar a aprendizagem dos alunos especificamente do Ensino
Fundamental, por meio do reforço escolar dirigido.
No ano de buscamos no FNDE respostas sobre os motivos que levaram
nossa Unidade de Ensino não ofertar esse importante programa. Obtivemos as
respostas e corrigimos os devidos problemas e solicitamos recursos para continuar

57
com o reforço escolar por meio deste programa sendo contemplados com os
recursos ainda em dezembro de 2018.
A inscrição para trazer o programa para colégio foi feita ainda em 2017 com
base no censo de 2016 para funcionar com 5 horas semanais em turno distinto ao
que o aluno estuda, divididos da seguinte forma:
* 2.5 (duas horas e meia) – Acompanhamento Pedagógico de Língua Portuguesa
* 2.5 (duas horas e meia) – Acompanhamento Pedagógico de Matemática
A previsão no ato da inscrição era atender 185 alunos matriculados sendo 4
turmas de 8 anos e 4 turmas de 9 anos em função do senso escolar do referido ano,
que se matriculariam no ano de 2017.

3.9 – Programa PDDE QUALIDADE – Novo Ensino Médio

Por meio da Portaria Ministerial numero 649 de 10 de julho de 2018, foi

instituído o Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio para apoiar as


secretarias de educação estaduais e do Distrito Federal na elaboração e na
execução do Plano de Implementação de novo currículo que contemple a
Base Nacional Comum Curricular - BNCC, os diferentes itinerários
formativos e a ampliação de carga horária para mil horas anuais.

No art. 2º da portaria nos incisos de I a IV, elucida algumas ações que são
necessárias ao bom funcionamento do programa: Apoio Técnico da Secretaria
Estadual de Educação para a elaborar um plano de execução, implantar e melhorar
o programa, gerenciar as escolas-piloto e ofertar formações continuadas adequadas
aos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem do Novo Ensino Médio e à
ao Governo Federal cabe financiar os investimentos conforme disponibilidade de
recursos.
A base principal do programa é trabalhar o projeto de vida de cada aluno,
sendo essa uma disciplina que trabalha os anseios do jovem, suas intencionalidades
e atuação crítica e criativa no mundo. São duas disciplinas obrigatórias, o Projeto de
vida (protagonismo juvenil) e iniciação científica e pesquisa e duas eletivas
escolhidas pela unidade de ensino, que são emprego e trabalho e educação
financeira.

58
Esse programa de iniciativa do governo federal é importante para o
aprendizado dos alunos porque desde cedo eles buscarão objetivos ligados às suas
tendências pessoais e criarão uma bagagem de conhecimento por meio da pesquisa
acadêmica instigando suas autonomias na busca do conhecimento produzido ou
criação de suas próprias teorias.

4 – Avaliação do Projeto Político Pedagógico

A avaliação desse Projeto é feita no decorrer do ano letivo por meio da


análise das ações e projetos programados e suas aplicações. Todos os pontos fortes
e fracos são relacionados em um relatório para que no ano seguinte a equipe possa
observar e propor as mudanças cabíveis no sentido de não perdermos de vista
nosso objetivo maior que é educar com qualidade.
Essa avaliação é fundamental também no sentido de perceber se os projetos
de fato estão interligados às metas e objetivos programados, porque toda ação
pedagógica precisa atender precisamente o foco de cada dimensão programada,
principalmente da aprendizagem, reprovação, abandono e evasão.

5 – DIMENSÃO ADMINISTRATIVA

A educação que almejamos nesta instituição é respaldada pela Constituição


Federal, na qual defende que ensino será ministrado com base nos seguintes
princípios:

I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II -


liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e
o saber; III - pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, [...]; IV -
gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; V - valorização
dos profissionais da educação escolar, [...] da rede pública; VI - gestão
democrática do ensino público, na forma da lei; VII - garantia de padrão de
qualidade (BRASIL, 1988, p. 123).

59
Ordenamos a Gestão Pedagógica, Física, Financeira e Jurídica do Colégio
Estadual Odolfo Soares por meio da Associação de Apoio ao Colégio Estadual
Odolfo Soares, que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que tem por
finalidade orientar e dirigir os trabalhos, ações e esforços da comunidade escolar,
para garantir melhoria na oferta e qualidade do ensino.
A Associação de Apoio tem estatuto próprio, na qual consta sua função junto
à comunidade Escolar. Sua estrutura básica compreende: A Assembleia Geral, que
é a deliberação máxima diante de decisões importantes, constituída pela totalidade
dos associados; a Diretoria Executiva que é composta por Presidente, Vice
Presidente, 1º Secretário, 2º Secretário, 1º Tesoureiro e 2º Tesoureiro; O Conselho
Fiscal que é composto por 03 membros, sendo 1 representante de pais, 01
representante de alunos maiores de 18 anos e 01 representante de professores e o
Conselho Escolar e Comunitário que é composto de no mínimo 07 e no máximo 20
membros, devendo obrigatoriamente ter, Coordenadores Pedagógicos ou
Orientadores Educacionais, Professores, pais, aluno maior de 18 anos e membros
da comunidade eleitos.
Esta Entidade privada responde civil, administrativo e penal, por todos os atos
pedagógicos, administrativos e financeiros praticados pelo Colégio Estadual Odolfo
Soares, e todas as demandas são refletidas e deliberadas de forma coletiva
primando pelo princípio maior que é a democracia. A despeito das questões
pedagógicas o órgão máximo das decisões é o Conselho Escolar e Comunitário.
Esse setor busca atua juntamente com a equipe pedagógica da Unidade de Ensino
e busca alternativas para consolidar uma educação séria e compromissada com a
sociedade.
Em tempos normais, a escola para melhor decidir os caminhos precisa
organizar reuniões periódicas com o conselho escolar, associação de apoio e
servidores, no intuito de alcançar o objetivo principal que é a aprendizagem do
educando. Neste ano de 2020 em função da Pandemia da COVID – 19, tivemos
muitas dificuldades em realizar nossas reuniões bimestrais para informação da vida
escolar do aluno e também para discutirmos outros assuntos a exemplo prestar
contas à das entregas pedagógicas e financeiras desta Unidade de Ensino.
Diante das dificuldades postas em virtude Pandemia da COVID – 19,
experimentamos novas formas de buscar conhecimentos. Por meio das tecnologias

60
digitais, tivemos a oportunidade de participar de formações em diversos campos. No
retorno das 3ª séries; 1ª e 2ª séries do Ensino Médio e do 7º à 9º ano Ensino
Fundamental, a Secretaria Estadual de Educação, Juventude e Esportes,
desenvolveu uma formação de como organizar a escola para atender os alunos e
como aplicar um trabalho de qualidade utilizando as tecnologias digitais.
Esta Unidade de Ensino segue as normativas de lotação de pessoal da
Secretaria Estadual de Educação, Juventude e Esportes literalmente, na qual
organiza a estrutura em dois setores: o Pedagógico e o Administrativo.
No setor pedagógico existem as seguintes funções: de Diretor de Unidade
Escolar, Coordenador Pedagógico, Coordenador de Programas e Projetos,
Coordenador do Curso Técnico em Guia de Turismo, Orientador Educacional e
Professores conforme quantidade de turmas/alunos.
O setor administrativo e composto de Secretário Geral, Coordenador
Administrativo e Financeiro, Auxiliar administrativo, Auxiliar de Apoio Escolar,
Manipulador de Alimentação Escolar, Auxiliar de Higienização do Ambiente Escolar
e Auxiliar de Monitoramento da patrimônio escolar e Meio Ambiente.
Cada uma dessas funções são imprescindíveis para o bom andamento do
ensino e aprendizagem nesta entidade. Todas as lotações dos servidores são feitas
considerando o principio da adequação do servidor pela área formativa ou de
afinidade prática, tendo em vista a qualidade do trabalho prestado bem como a
produtividade.
A Secretaria Escolar é o setor responsável por manter os arquivos vivos e
mortos de forma organizada em conformidade com os procedimentos administrativos
de arquivamento. São mantidos neste setor toda a documentação da vida escolar
dos alunos matriculados e egressos e dos servidores em geral do Colégio Estadual
Odolfo Soares. Em virtude do fechamento da Escola Estadual Joana Medeiros, esta
Unidade de Ensino, recebeu todos os alunos e todas as responsabilidades daquela
escola. Desse modo todos os documentos dos alunos e dos servidores daquela
instituição foram encaminhados para este colégio, arcando com guarda e expedição
de documentos oriundos da Escola Estadual Joana Medeiros. Os diplomas são
confeccionados e entregues pela própria entidade. Para os registros dos planos de
aulas, conteúdos e notas, utilizamos o diário online, disponibilizado por meio do
Programa Sistema de Gerenciamento Escolar (SGE), da Secretaria Estadual de

61
Educação, Juventude e Esportes. Os diários de classe online podem ser
inspecionados diariamente pela direção e coordenação pedagógica, bem como pela
Diretoria Regional de Educação e pela Secretaria Estadual de Educação do
Tocantins.
A função de Orientação Educacional é primordial para Acompanhamento do
Rendimento Escolar. Está lotada na função uma servidora de carreira, com
experiência e que desenvolve, de forma efetiva, o trabalho junto ao alunado,
professores e o conselho de classe. Auxiliam a Orientador Educacional na realização
do trabalho, os Coordenadores Pedagógicos e o Diretor da Unidade de Ensino.
A formação continuada é e sempre foi um desafio muito grande nesta
Unidade de Ensino. Aconteceram ao longo dos anos alguns encontros para
formação, esporádicos e aleatórios, que em muitos casos abordavam assuntos
gerais. Organizar a formação considerando as necessidades e carências do colégio
além de necessário e fundamental para voltarmos o olhar para realidade e
contextualizar o nosso trabalho. Entretanto sabemos que ao longo da história da
educação pública deste colégio um dos principais agravantes para não acontecer à
formação é que a equipe da coordenação parece se subjugar incapaz de realizar tal
processo. O outro agravante tem relação com o calendário escolar em anos
anteriores não muito flexíveis e dificultou esse tipo de ação, tendo em vista que
estudar exige tempo. Essas questões desmotivam tanto professores como
coordenadores tendo em vista que suas atribuições são vastas no colégio.
Existe interesse por parte dos profissionais, mais eles entendem que a
formação continuada tem que ser em serviço e não em tempo extra. Neste ano o
calendário já prevê as formações e com isso está sendo muito propositivo. No ano
de 2019 planejamos a primeira formação com os Assessores de Currículo da
Diretoria Regional de Educação, divididas nas áreas de conhecimento e estudamos
também a Base Nacional Comum Curricular ministrada pela Assessora Regional do
setor pedagógico da Diretoria. No ano de 2020 a Secretaria Estadual de Educação,
Juventude e Esportes do Tocantins realizou alguns encontros com o objetivo de
capacitar os profissionais a lidarem com as práticas de educação à distancia. Toda
equipe pedagógica da rede foi submetido a formações continuadas sobre temas de
como ensinar à distancia e também pela plataforma MOODLE, que é um programa
de formação permanente da Secretaria.

62
Desafios na dimensão administrativa: integração dos professores com a
comunidade, devido à rotatividade; elaboração de um plano de formação continuada
pela escola e incentivo para cursos fora da instituição; adequação do calendário
escolar às necessidades da escola; organização do atendimento do professor pela
equipe gestora; inclusão de palestras de interesse da comunidade, relativas aos
problemas enfrentados; aumento e efetividade da participação da comunidade nos
conselhos escolares e destes nas decisões da escola; reorganização de rotinas e
prazos.

5.1 – Gestão de Pessoas

Os servidores e alunos recebem um informativo onde constam direitos e deveres,


calendário escolar, quadro geral de servidores, normas de convivência, sistema de
avaliação, mensagens motivacionais e orientações gerais.
A integração dos servidores, alunos e comunidade são requisitos básicos
para o bom andamento das atividades. Existem no Projeto Político Pedagógico
ações de integração dos mesmos, pois os pais em parte participam das atividades,
ações e eventos dentro do espaço escolar.
Os projetos Integre-CEOS, Arraiá do CEOS e Semana do Estudante são
exemplos de ações planejadas para o fomento da autoestima do servidor,
comunidade e alunos. Aproxima a família da escola e pela busca de uma identidade
integradora desta instituição.
Para melhor desenvolver ações e criações entre os professores, organizamos
espaços para discussões coletivas onde com isso o professor e aluno se sintam
participantes diretos e agentes de decisões nas buscas de alternativas para a
melhoria da qualidade de ensino.
O Colégio conta atualmente com 42 servidores para atender um total de 606
alunos do 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Técnico
Integrado ao Ensino Médio. Os servidores são distribuídos nos cargos relacionados
a seguir. 01 Diretor (40 horas), 03 Coordenadoras Pedagógicas (40 horas), 01
Coordenador de Programas e Projetos (40 horas ); Setor Administrativo: 01
Secretária Geral (40 horas), 01 Coordenador Administrativo e Financeiro (40 horas),

63
02 Auxiliares Administrativos,01 Auxiliar de Apoio Escolar, 05 Auxiliares de
Higienização do Ambiente Escolar, 04 Manipuladoras de Alimentação Escolar e 03
Auxiliares de Monitoramento do Patrimônio Escolar e Meio Ambiente e 23 docentes.

6 – ESTRUTURA FÍSICA

O Colégio Estadual Odolfo Soares - CEOS no geral conta com uma estrutura
razoável, entretanto foi construído na década de 70, as salas de aula são 09, 02
salas com (42,60m2), 03 salas com (43,17m2) e 04 salas com (45,62m2), sendo pé
direito baixo 2,90, portanto não há ventilação adequada; a quadra é coberta porém
precisa de reparos no piso e pintura, o laboratório de informática não funciona
apesar da internet do Programa PROINFO/MEC, está sempre a disposição,
Biblioteca, possui um acervo variado (7.034 livros), tele posto muito pequeno.
As salas administrativas deixam a desejar, com exceção da sala da direção
que tem boa iluminação e espaço suficiente. A sala da coordenação pedagógica
além de pequena tem pouca ventilação. A sala dos professores tem pouca
ventilação e o tamanho é insuficiente para comportar de forma adequada os 23
professores e 3 coordenadores, mobiliário e material didático. A secretaria é
pequena, sem ventilação e iluminação precária. A cantina é espaçosa e sem
ventilação suficiente. O depósito de merenda é inadequado, sem arejamento,
quente, com prateleiras inadequadas e poucas. Os depósitos e almoxarifado são
totalmente inadequados e insuficientes. A Biblioteca foi construída em 2011
obedecendo aos padrões da SEDUC atendendo as necessidades do Colégio, possui
ar condicionado, com potência insuficiente ao tamanho da sala. É um desejo da
equipe a ampliação da sala de professores e coordenação pedagógica bem como a
construção de uma sala adequada para Secretaria, Coordenação Financeira,
Orientação Educacional, depósito e almoxarifado. Considerando as necessidades
climáticas do Tocantins e após uma incansável luta conseguimos climatizar todas as
salas de aulas do colégio, fator esse que vai contribuir fortemente na busca da
aprendizagem. A limpeza do prédio e dos espaço escolar em geral é boa. O prédio
escolar foi reformado em 2018 a pintura e troca de portais e portas apresentando em
condições favoráveis ao aprendizado. Em 2018 também foi trocada a instalação de

64
um dos 3 prédios antigos ajudando na economicidade de energia elétrica e melhor
desempenho dos aparelhos utilizados.
As Instalações sanitárias não atendem à demanda de forma satisfatória. Há
apenas um banheiro na sala da direção com um sanitário, uma pia e um espelho,
para atender os 43 servidores distribuídos nos períodos matutino, vespertino e
noturno. Os banheiros dos alunos, que também utilizados pelos servidores são
específicos para o sexo masculino e feminino. O masculino tem quatro sanitários,
três bidês, um chuveiro e quatro pias. O feminino tem quatro sanitários, um chuveiro
e quatro pias, não são adaptados para cadeirantes e deficientes, a instalação
hidráulica está comprometida, pois é velha.
Estão instalados nos corredores três bebedouros industriais elétricos com
purificador dois com quatro torneiras e o outro com três torneiras, há um purificador
também elétrico na sala dos professores, ambos atendem a demanda.
As atividades pedagógicas, culturais, recreação, atividade desportiva e
eventos são realizados na quadra poliesportiva coberta que está necessitando, de
construção de arquibancadas, depósito, vestiários. Restauramos neste ano o piso e
o alambrado da quadra. Pintamos todo o piso com tinta emborrachada para pisos.
O CEOS conta com uma boa estrutura, recebemos da SEDUC cinco
laboratórios de Química, Física, Biologia, Informática e Matemática, aguardando
apenas os equipamentos e o mobiliário. Com a cobertura da quadra muitas
atividades, recreação e jogos tem sido motivo de construção de novos
conhecimentos, a nova biblioteca padrão tornou-se um local de muitas atividades.
Estes espaços são utilizados de forma proveitosa, os alunos são orientados na
utilização dos mesmos. Há a utilização da U.E para aplicação de provas internas e
externas, realizações de palestras, cursos e Programas como mais educação e sala
de recursos.
Pretende-se para os próximos anos dentro da estrutura física reparos na
instalação elétrica geral de 2 prédios. Arejar a cantina; construção de auditório,
reforma e ampliação das salas administrativas, construção de mais banheiros para
atender servidores e alunos, depósitos e sala de vídeo com sonorização e equipar
os laboratórios. Conseguimos realizar de 2018 a 2020 a reforma geral da pintura do
colégio, embutimos tomadas em todas as salas de aula e administrativas, trocamos
11 portais, 11 portas, fiações dos ares condicionados em geral. Substituímos

65
também a fiação geral do bloco I, a reforma e pintura do piso e alambrado da quadra
poliesportiva com tinta epóxi, organizamos acessibilidade da quadra e do bloco 3
para a biblioteca.

7 – DIMENSÃO FINANCEIRA – ESCOLA COMUNITÁRIA DE GESTÃO


COMPARTILAHADA

Criado por meio da Secretaria Estadual de Educação, Juventude e Esportes,


SEDUC/TO em 1997, o Programa Escola Autônoma de Gestão Compartilhada, com
o propósito de garantir o acesso e permanência com sucesso do aluno na educação
básica. Em 2005, por meio da lei 1.616 o Governo do Estado do Tocantins fez
algumas alterações nas regras do programa, inclusive mudando seu nome passando
a se chamar de “Escola Comunitária de Gestão Compartilhada.
O objetivo do programa é democratizar a gestão educacional, visando
agilidade e autonomia para elaborara, implementar e fortalecer o Projeto Politico
Pedagógico, considerando as particularidades de cada unidade escolar
O fundamento principal é a participação efetiva da comunidade escolar e local
no processo educativo, na responsabilidade social, na descentralização de recursos
públicos e na autonomia, visando a melhoria da qualidade de ensino e o sucesso
acadêmico
Para tanto foram criadas as Associações de Apoio ao Colégio e Escolas
estaduais e conselhos escolares, que são entidades privadas sem fins lucrativos,
formada por membros da comunidade escolar (pais, profissionais da educação,
alunos) e local (comunidade geral). A sua composição é constituída por uma
diretoria executiva, um conselho educacional e comunitário e um conselho fiscal. É
uma experiência pioneira no Brasil, sendo um processo sistematizado para garantir a
autonomia da escola, e, por meio dele, o Governo do Estado e a Comunidade
Educacional do Tocantins pretendem desenvolver um trabalho, sobretudo de gestão,
para que a escola seja efetivamente pública.
Por meio da Associação de Apoio atualmente gerenciamos vários programas
do governo federal a saber o PDDE Básico, o PDDE Novo Mais Educação, o PDDE

66
Novo Ensino Médio, o Programa Nacional de Alimentação Escolar e do Governo
Estadual o Programa de Gestão Compartilhada.
Cada programa tem uma finalidade específica na Unidade de Ensino a
exemplo os PDDES e Gestão Compartilhada que são fundamentais para a
manutenção da estrutura física e materiais pedagógicos em geral, o Programa
Nacional de Alimentação Escolar que fornece o lanche para os alunos.
Ressaltamos que a aplicação dos recursos nas suas finalidades específicas é
de relevante interesse e necessidade da Associação de Apoio ao Colégio Estadual
Odolfo Soares no intuito de fortalecer as práticas educativas e administrativas no
sentido de proporcionar uma educação que contemple as necessidades docentes e
discentes. Salientamos também que os recursos de cada programa são aplicados
conforme as normas específicas vigentes de cada programa.
Abaixo relacionaremos os devidos programas e seus cronogramas de
aplicação de receitas e despesas previstas para o ano de 2019.

Receita

TOTAL DE RECURSO
PROGRAMA FONTE

CUSTEIO CAPITAL

Gestão Compartilhada ESTADUAL R$ 168.229,90

PNAE ESTADUAL R$ 50.400,00

PNAE FEDERAL R$ 43.200,00

PDDE REGULAR FEDERAL R$ 9.568,00 R$ 2.392,00

PDDE QUALIDADE - Programa


FEDERAL R$ 16.836,00 R$ 11.224,00
Novo Ensino Médio

67
PDDE QUALIDADE – Educação
FEDERAL R$ 2.628,00 R$ 700,00
Conectada

Despesa

DESPESAS FIXAS

DESPESA MENSAL ANUAL

Água R$ 750,00 9.000,00

Energia Elétrica R$ 5.000,00 60.000,00

Telefone e Internet R$ 250,00 3.000,00

Expediente e limpeza R$ 4.000,00 48.000,00

Contador R$ 700,00 8.400,00

Pequenos reparos R$ 700,00 8,400,00

Manutenção de equipamentos R$ 400,00 4.800,00

8 – MISSÃO, VISÃO E PRINCIPIOS INSTITUCIONAIS

8.1 – Missão

Oferecer um ensino da melhor qualidade, fomentando valores que contribuam


na formação do aluno para a vida em sociedade.

8.2 – Visão de Futuro

68
Conduzir os educandos para a vida em sociedade, elevando o desempenho
acadêmico e fortalecendo a integração escola, pais e comunidade.

8.3 – Princípios

O Colégio Estadual Odolfo Soares está aberto para atender às necessidades


e mudanças sociais, educacionais e oferecer um trabalho voltado para pessoas
éticas, solidárias, justas sendo capazes de respeitar as diferenças e acompanhar a
rápida evolução mundial. Dentre esses princípios devem ser considerados os quatro
pilares da educação para que essa se torne mais sólida sendo eles aprender a ser,
aprender a aprender, aprender a fazer e aprender a conviver. É através destes que
se reconhece a responsabilidade enquanto instituição de ensino, preparar o
educando para o convívio social, respeito à liberdade e apreço a tolerância, enfim a
liberdade e aprender, ensinar, pesquisar a arte e o saber.

9 – OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

1. Promover e manter o desempenho acadêmico, garantido a saúde dos alunos e


da equipe escolar.
2. Promover e estimular a formação continuada de professores no sentido de
fortalecer as práticas educativas.
3. Fortalecer a gestão escolar considerando a participação de todos os envolvidos
no processo educativo.
4. Garantir com qualidade o acesso e a permanência do aluno na escola

69
10 – PLANO DE SUPORTE ESTRATÉGICO

Objetivos
Estratégias Metas
Estratégicos
1 Cumprir a carga 1.1 Fomentar um Ensino Híbrido com base 1.1.1 Desenvolver 03 ações que contribuam
horária anual das em Normas Educacionais Estaduais, significativamente na aprendizagem dos alunos do
aulas, elevando o criadas para atender o aluno durante a Ensino Fundamental anos finais, na área de
desempenho crise Pandêmica da COVID – 19. Linguagem e suas Tecnologias, contribuindo para
acadêmico e 1.2 Elaborar os Roteiros de Estudos por área elevar o índice de aprovação de 98% para 100%.
promovendo o de conhecimento e entregar pelos 1.1.2 Desenvolver 03 ações que contribuam
aluno do Ensino próprios professores, aos alunos zona significativamente na aprendizagem dos alunos do
Fundamental. urbana quinzenalmente. Ensino Fundamental na área de Matemática e suas
1.3 Elaborar os Roteiros de Estudos por área Tecnologias, contribuindo para elevar o índice de
de conhecimento e entregar pelos aprovação de 93% para 100%.
próprios professores, aos alunos zona 1.1.3 Promover 03 ações que contribuam
rural, in loco, quinzenalmente. significativamente na aprendizagem dos alunos do
1.4 Desenvolver ações e projetos por meio de Ensino Fundamental na área de Ciências da
aulas empíricas e práticas no intuito de Natureza, contribuindo para elevar o índice de
melhorar a aprendizagem. aprovação de 91% para 100%.
1.5 Elaborar as atividades avaliativas com 1.1.4 Promover 03 ações propicie o aluno compreender
base nos banco de dados nacionais. de forma ampla e contextualizada o conteúdo
1.6 Desenvolver aulas de reforço para os favorecendo sua aprovação na área de Ciências
alunos com baixo rendimento ou mesmo Humanas e Sociais, contribuindo para elevar o
aqueles que estão com dificuldades de índice de aprovação de 94% para 100%.
realizar as lições à distância.
1.7 Orientar os roteiros de estudos e ministrar
aulas sobre o conteúdo para facilitar a
aprendizagem por meio de gravações de
vídeos.
70
2 Cumprir a carga 2.1 Fomentar um Ensino Híbrido com base 2.1.1 Desenvolver 04 ações que contribuam
horária anual das em Normas Educacionais Estaduais, significativamente na aprendizagem dos alunos do
aulas, elevando o criadas para atender o aluno durante a Ensino Médio Básico e Técnico na área de
desempenho crise Pandêmica da COVID – 19. Linguagem e suas Tecnologias, contribuindo para
acadêmico e 2.2 Elaborar os Roteiros de Estudos por área elevar o índice de aprovação de aprovação no
promovendo o de conhecimento e entregar pelos Ensino Médio Regular de 99% para 100%, e, no
aluno do Ensino próprios professores, aos alunos zona Ensino Médio Técnico de 98% para 100%.
Médio Regular e urbana quinzenalmente. 2.1.2 Desenvolver 03 ações que contribuam
Ensino Médio 2.3 Elaborar os Roteiros de Estudos por área significativamente na aprendizagem dos alunos do
Técnico de conhecimento e entregar pelos Ensino Médio Básico e Técnico na área de
Integrado. próprios professores, aos alunos zona Matemática e suas Tecnologias, contribuindo para
rural, in loco, quinzenalmente. elevar o índice de aprovação de do Ensino Médio
2.4 Desenvolver ações e projetos por meio de Regular de 92,1% para 100% e do Ensino Médio
aulas empíricas e práticas no intuito de Técnico de 95% para 100%.
melhorar a aprendizagem. 2.1.3 Promover 03 ações que contribuam
2.5 Elaborar as atividades avaliativas com significativamente na aprendizagem dos alunos do
base nos banco de dados nacionais. Ensino Médio Básico e Técnico na área de Ciências
2.6 Desenvolver aulas de reforço para os da Natureza, contribuindo para elevar o índice de
alunos com baixo rendimento ou mesmo aprovação do Ensino Médio Regular de 95% para
aqueles que estão com dificuldades de 100% e do Ensino Médio Técnico de 91% para
realizar as lições à distância. 100%.
2.7 Orientar os roteiros de estudos e ministrar 2.1.4 Promover 03 ações propicie o aluno compreender
aulas sobre o conteúdo para facilitar a de forma ampla e contextualizada o conteúdo
aprendizagem por meio de gravações de favorecendo sua aprovação na área de Ciências
vídeos. Humanas e Sociais do Ensino Médio Regular e
Técnico, contribuindo para elevar o índice de
aprovação no Ensino Médio Regular de 93% para
100% e no Ensino Técnico Integrado ao Ensino
Médio de 96% para 100%.

71
3 Promover e 3.1 Estudar as teorias e intenções do 3.1.1 Promover 3 ações de formação continuada para
estimular a Programa Novo Ensino Médio e sobre a professores na escola, instigando a motivação, a
formação BNCC, Currículo e o Projeto de Vida. atualização do trabalho pedagógico e 1 ação de
continuada de 3.2 Garantir um encontro formativo por valorização profissional.
professores no semestre, voltado à prática de sala de
sentido de aula ou motivação profissional.
fortalecer as 3.3 Realizar um encontro anual voltado à
práticas integração, respeito e valorização do
educativas. professor e equipe em geral.

4 Fortalecer a 4.1 Estimular o grêmio estudantil em sua 4.1.1 Consolidar parcerias com as Famílias, Grêmio
gestão escolar atuação em defesa dos direitos dos Estudantil e Conselhos da Associação de Apoio,
considerando a alunos. visando o desenvolvimento da uma identidade com
participação de 4.2 Dar publicidade aos atos financeiros da a comunidade e sua participação na Gestão
todos os Unidade de Ensino. Democrática Escolar.
envolvidos no 4.3 Promover encontros com os membros da
processo associação destacando a importância de
educativo. cada função para o bom funcionamento
do Colégio.
4.4 Replanejar o Projeto Politico Pedagógico
e as normas de convivência a partir de
uma discussão com os alunos e pais de
alunos.

5 Garantir com 5.1 Divulgar as ações de sucesso realizadas 5.1.1 Manter o numero de alunos matriculados no Colégio
qualidade o na instituição por meio das redes sociais de 2019 para 2020.
acesso e e site da SEDUC. 5.1.2 Desenvolver 07 ações para diminuir as taxas de
permanência do 5.2 Realizar anualmente a divulgação dos abandono e incentivar a permanência do aluno na
aluno na escola. resultados dos índices externos e dos escola.
72
alunos que conseguiram ser aprovados 5.1.3 Desenvolver 01 ação no período da Pandemia da
em vestibulares, concursos,, etc. por COVID – 19, para demonstrar a importância do
meio de informativos à comunidade. aluno da Zona Rural para escola.
5.3 Substituir a instalação elétrica dos ares
condicionados e coloca-los para
funcionar, no intuito de atrair o aluno a
matricula-se nesta unidade.
5.4 Desenvolver ações que estimulem à
autoestima do estudante, que valorizem
sua efetividade nos estudos, as
diferenças e que traga uma
compreensão da realidade à sua volta e
as consequências de uma escolha
errada ou certa.

73
11 – PLANO DE AÇÃO

11.1 - Educação Básica - Ensino Fundamental – Anos Finais

OBJETIVO 1 - Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Fundamental - Anos Finais.
META 1.1.1 – Desenvolver 03 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental
anos finais, na área de Linguagem e suas Tecnologias, contribuindo para elevar o índice de aprovação de 98% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
01 Elaborar os Roteiros de Estudos, na área Mar. 2019 Fev. 2020 Coordenação
de Linguagens e suas Tecnologias, e Pedagógica e
entregar/recolher pelos próprios Professores de área
- -
professores, aos alunos Zona Rural (in
loco) e na Zona Urbana (no Colégio)
quinzenalmente.
Orientar os Roteiros de Estudos e
Coordenação
02 promover aulas sobre o conteúdo para
Mar. 2019 Dez. 2020 Pedagógica e - -
facilitar a aprendizagem por meio de
Professores
gravações de vídeos.
Realizar aulas de reforço agendada, para
os alunos com baixo rendimento ou
Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com
Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
dificuldades de realizar, as lições à
pedagógica.
distância, nas disciplinas de Língua
Portuguesa, redação e inglês.

74
OBJETIVO 1 – Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Fundamental – Anos Finais.
META 1.1.2 – Desenvolver 03 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental na
área de Matemática e suas Tecnologias, contribuindo para elevar o índice de aprovação de 93% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de Coordenação
matemática e suas Tecnologias e Pedagógica e
01 entregar/recolher pelos próprios professores, Professores da área
Mar. 2019 Fev. 2020 - -
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.

Orientar os Roteiros de Estudos e promover


aulas sobre o conteúdo para facilitar a Coordenação
02 aprendizagem por meio de gravações de Mar. 2019 Dez. 2020 Pedagógica e - -
vídeos. Professores

Realizar aulas de aulas de reforço agendada,


para os alunos com baixo rendimento ou
Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades
Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
de realizar, as lições à distância, na disciplina
pedagógica.
de Matemática.

75
OBJETIVO 1 - Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Fundamental - Anos Finais.
META 1.1.3 – Promover 03 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental na
área de Ciências, da Natureza, contribuindo para elevar o índice de aprovação de 91% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de Coordenação
Ciências da Natureza e entregar/recolher Pedagógica e
01 pelos próprios professores, aos alunos Zona Professores da área
Mar. 2019 Fev. 2020 - -
Rural (in loco) e na Zona Urbana (no Colégio)
quinzenalmente.

Orientar os Roteiros de Estudos e promover


aulas sobre o conteúdo para facilitar a Coordenação
02 aprendizagem por meio de gravações de Mar. 2019 Fev. 2020 Pedagógica e - -
vídeos. Professores

Realizar aulas de aulas de reforço agendada,


para os alunos com baixo rendimento ou
Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades
Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
de realizar, as lições à distância, na área de
pedagógica.
Ciências da Natureza.

76
OBJETIVO 1 - Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Fundamental - Anos Finais.
META 1.1.4 – Promover 03 ações propicie o aluno compreender de forma ampla e contextualizada o conteúdo favorecendo sua
aprovação na área de Ciências Humanas e Sociais, contribuindo para elevar o índice de aprovação de 94% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de Coordenação
Ciências Humanas e Sociais e Pedagógica e
01 entregar/recolher pelos próprios professores, Professores da área
Mar. 2019 Fev. 2020 - -
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.

Orientar os Roteiros de Estudos e promover


aulas sobre o conteúdo para facilitar a Coordenação
02 aprendizagem por meio de gravações de Mar. 2019 Fev. 2020 Pedagógica e - -
vídeos. Professores

Realizar aulas de aulas de reforço agendada,


para os alunos com baixo rendimento ou
Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades
Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
de realizar, as lições à distância, na área de
pedagógica.
Ciências Humanas e Sociais.

77
11.2 – Ensino Médio Regular e Ensino Médio Integrado ao Técnico

OBJETIVO 2: Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Médio Regular e Ensino Médio Técnico Integrado.
META 2.1.1 - Desenvolver 04 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Médio Básico e
Técnico na área de Linguagem e suas Tecnologias, contribuindo para elevar o índice de aprovação de aprovação no Ensino
Médio Regular de 99% para 100%, e, no Ensino Médio Técnico de 98% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de
Linguagens e suas Tecnologias e
01 entregar/recolher pelos próprios professores, Mar. Fev. Coordenação Pedagógica
- -
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona 2019 2020 e Professores da área
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.

Orientar os Roteiros de Estudos e promover


aulas sobre o conteúdo para facilitar a
02 Mar. Fev. Coordenação Pedagógica
aprendizagem por meio de gravações de - -
2019 2020 e Professores
vídeos.

Realizar aulas de aulas de reforço agendada,


para os alunos com baixo rendimento ou
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades Fev. Fev. Professores da área e
- -
de realizar, as lições à distância, na área de 2019 2020 Coordenação pedagógica.
Linguagens e suas Tecnologias.

04 Realização de um SARAU com os alunos do Fev. Fev. Coordenação pedagógica/ Custeio: FNDE PDDE

78
Ensino Médio no intuito de desenvolver a 2019 2020 Professores de 6.221,10 QUALIDADE –
competência comunicativa por meio do linguagens, projeto de NOVO
resgate da cultura de ouvir, contar histórias, vida, iniciação cientifica, ENSINO
recitar poesias e despertar o gosto pela educação financeira e MÉDIO -
leitura, interpretação e produção de textos mundo do trabalho Plano de
trazendo à tona, memórias de brincadeiras Flexibilização
antigas. Todos os conteúdos serão Curricular –
trabalhados nas aulas do Programa Novo PFC anexo.
Ensino Médio e posteriormente será feita
uma culminância de apresentações dos
trabalhos realizados.

OBJETIVO 2: Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Médio.
META 2.1.2 – Desenvolver 03 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Médio Básico e
Técnico na área de Matemática e suas Tecnologias, contribuindo para elevar o índice de aprovação de do Ensino Médio Regular
de 92,1% para 100% e do Ensino Médio Técnico de 95 % para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de
Linguagens e suas Tecnologias e
Coordenação
01 entregar/recolher pelos próprios professores,
Mar. 2019 Fev. 2020 Pedagógica e - -
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona
Professores da área
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.

79
Orientar os Roteiros de Estudos e promover
aulas sobre o conteúdo para facilitar a Coordenação
02 aprendizagem por meio de gravações de Mar. 2019 Fev. 2020 Pedagógica e - -
vídeos. Professores

Realizar aulas de aulas de reforço agendada,


para os alunos com baixo rendimento ou
Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades
Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
de realizar, as lições à distância, na área de
pedagógica.
Linguagens e suas Tecnologias.

OBJETIVO 2: Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Médio.
META 2.1.3 – Promover 03 ações que contribuam significativamente na aprendizagem dos alunos do Ensino Médio Básico e
Técnico na área de Ciências da Natureza, contribuindo para elevar o índice de aprovação do Ensino Médio Regular de 95% para
100% e do Ensino Médio Técnico de 91% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de
Linguagens e suas Tecnologias e
Coordenação
01 entregar/recolher pelos próprios professores,
Mar. 2019 Fev. 2020 Pedagógica e - -
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona
Professores da área
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.

02 Orientar os Roteiros de Estudos e promover Mar. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -


80
aulas sobre o conteúdo para facilitar a Pedagógica e
aprendizagem por meio de gravações de Professores
vídeos.
Realizar aulas de aulas de reforço agendada,
para os alunos com baixo rendimento ou Professores da área e
03 mesmo aqueles que estão com dificuldades Fev. 2019 Fev. 2020 Coordenação - -
de realizar, as lições à distância, na área de pedagógica.
Linguagens e suas Tecnologias.

OBJETIVO 2: Cumprir a carga horária anual das aulas, elevando o desempenho acadêmico e promovendo o aluno do Ensino
Médio.
META 2.1.4 – Promover 03 ações propicie o aluno compreender de forma ampla e contextualizada o conteúdo favorecendo sua
aprovação na área de Ciências Humanas e Sociais do Ensino Médio Regular e Técnico, contribuindo para elevar o índice de
aprovação no Ensino Médio Regular de 93% para 100% e no Ensino Técnico Integrado ao Ensino Médio de 96% para 100%.
INDICADOR – Somar o numero de alunos aprovados nas disciplinas da área/ pelo numero total de alunos do ensino fundamental
x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Elaborar os Roteiros de Estudos na área de
Linguagens e suas Tecnologias e Coordenação
01 Fev.
entregar/recolher pelos próprios professores, Mar. 2019 Pedagógica e - -
2020
aos alunos Zona Rural (in loco) e na Zona Professores da área
Urbana (no Colégio) quinzenalmente.
Orientar os Roteiros de Estudos e promover
Coordenação
02 aulas sobre o conteúdo para facilitar a Fev.
Mar. 2019 Pedagógica e - -
aprendizagem por meio de gravações de 2020
Professores
vídeos.
03 Realizar aulas de aulas de reforço agendada, Fev. 2019 Fev. Professores da área - -
81
para os alunos com baixo rendimento ou 2020 e Coordenação
mesmo aqueles que estão com dificuldades pedagógica.
de realizar, as lições à distância, na área de
Linguagens e suas Tecnologias.

11.3 – Formação Continuada e Valorização do Servidor

OBJETIVO 3: Promover reflexões sobre as mudanças curriculares, práticas de ensino coerentes com realidade e projetos
educativos e Organizar um encontro festivo para em homenagem ao dia do professor.
META 3.1.1 – Promover 4 ações de formação continuada para professores na escola, instigando a motivação, a atualização do
trabalho pedagógico e 1 ação de valorização profissional.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Realizar 02 formações
continuadas sobre as teorias e
FNDE PDDE QUALIDADE –
intenções do Programa Novo Direção e
Fev. Fev. NOVO ENSINO MÉDIO -
01 Ensino Médio e sobre a BNCC, Coordenação Custeio: 4.000
2019 2020 Plano de Flexibilização
Currículo e o Projeto de Vida. Pedagógica.
Curricular – PFC anexo.
Contratar profissionais para
subsidiar as ações.
Mobilizar a equipe pedagógica
para participar de
formações/palestras/seminários
Jun. Fev.
02 voltadas à Prática de Hibrido, SEDUC/TO - -
2019 2020
Organização de Roteiros de
Estudos com base na BNCC,
DCT, Caderno Aprova Brasil,
82
Organização de Calendários e
Carga Horária para atender no
período de distanciamento
social.
Mobilizar a equipe CEOS para
participar das formações
Jun. Dez.
03 ofertadas na Plataforma SEDUC/TO - -
2019 2019
MOODLE da SEDUC/TO
durante o ano de 2020.
Projeto Integre CEOS. Projeto Jan. Dez. Coordenação
04 anexo. Sem previsão de gastos Financeira e - -
para associação. Direção.

11.4 – Gestão Democrática da Escola

OBJETIVO 4: Fortalecer a Gestão Escolar considerando a participação de todos os envolvidos no processo educativo.
META 4.1.1 – Consolidar parcerias com as famílias, Grêmio Estudantil e Conselhos da Associação de Apoio, visando o
desenvolvimento da uma identidade com a comunidade e sua participação na Gestão Democrática Escolar.
INDICADOR – Atender a meta 22, estratégia 10 do Plano Estadual de Educação.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Font
e
Posse do Grêmio Estudantil Fev. Dez. Orientação Educacional,
01 grêmio estudantil e - -
Direção.
02 Oferecer 3 encontros anuais para prestação Jan. Dez. Direção e Financeiro. - -

83
de contas, tendo em vista o exercício da
transparência.
Construir coletivamente e divulgar o PPP e Fev. Dez. Direção e Coordenação
03 as normas de convivência da Unidade de Pedagógica. - -
Ensino.

11.5 - Acesso do Aluno à Educação

OBJETIVO 5: Garantir com qualidade o acesso do aluno na escola.


META 5.1.1 – Manter o número de alunos matriculados na escola em 2019. Acesso.
INDICADOR – Número de alunos matriculados em 2019/ número de alunos matriculados em 2018 x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
Divulgação das ações de sucesso
Fev. Dez. Coordenação
01 realizadas na instituição, por meio das - -
2019 2019 pedagógica.
redes sociais e Site SEDUC/TO.
Realizar anualmente a divulgação dos
resultados dos índices externos e dos
alunos que conseguiram ser aprovados Jan. Dez. Coordenação
02 - -
em vestibulares, concursos, etc. por 2019 2019 Pedagógica.
meio de informativos à comunidade e
redes sociais.
Substituição da instalação elétrica dos
ares condicionados do prédio escolar. Gestão
Jan. Dez. Direção e Custeio:
03 Custeio: Captar Recurso para Compartilhada
2019 2019 Financeiro. 33.000,00
realização da referida ação na /SEDUC
SEDUC/TO.

84
Revitalização da Quadra Poliesportiva
Jan. Dez. Direção e Custeio: Gestão
04 da Unidade de Ensino.
2019 2019 Financeiro 16.000,00 Compartilhada
Custeio: Recurso Próprio – Economia.

11.6 - Permanência com Sucesso do Aluno na Escola

OBJETIVO – Garantir com qualidade a permanência do aluno na escola.


META 5.1.2 – Desenvolver 04 ações para Diminuir as taxas de abandono e reprovação. Permanência.
INDICADOR – Número de ações desenvolvidas/ pelo numero de ações a serem desenvolvidas x 100.
Projetos/Ações/Atividades Início Térm. Resp. Custo Fonte
PROJETO PAPO RETO – Realizar uma
ação para estimular os jovens a refletirem e
debaterem sobre temas da atualidade,
podendo com isso, desenvolver seu senso
crítico e social bem como trabalhar o tema
FNDE PDDE
sexualidade, adolescência e drogas, através
QUALIDADE –
de palestras, oficinas e mesa redonda, no Coordenação
NOVO ENSINO
intuito de despertar o aluno para as Fev. Fev. Pedagógica e Custeio –
01 MÉDIO – Plano
consequências de uma gravidez indesejada e 2019 2020 Professores do 4.007,74
de Flexibilização
doenças que podem ser transmitidas por Ensino Médio.
Curricular – PFC
meio do sexo e suas relações com a vida
anexo.
diária e o estudo.

Aquisição: Conforme planejamento do Plano


de Flexibilização Curricular do Novo Ensino
Médio.
85
RESGATANDO VIDAS – Desenvolver uma
ação de combate à drogas com alunos do
ensino médio, considerando uma parcela de
alunos desta unidade de ensino que se
encontram marginalizados e envolvidos nesta
FNDE PDDE
triste realidade. Temos como objetivo
QUALIDADE –
principal a conscientização, o estímulo à Coordenação
NOVO ENSINO
integração com os demais colegas e o Fev. Fev. Pedagógica e Custeio:
02 MÉDIO - Plano
resgate da situação vivida. Para essa 2019 2020 Professores do 3.980,10
de Flexibilização
realização buscaremos parcerias com outras Ensino Médio
Curricular – PFC
áreas de conhecimento e entidades no
anexo.
sentido de obtermos maior probabilidade de
êxito.

Aquisição: Conforme Plano de Flexibilização


Curricular do Novo Ensino Médio.
ADEQUAÇÃO DE SALA AMBIENTE –
Estruturar sala ambiente com tecnologias
para a realização de um trabalho pedagógico
nas quatro áreas de conhecimento. Na
pesquisa escuta do Programa Novo Ensino FNDE PDDE
Médio, realizado nesta unidade de ensino, QUALIDADE –
Custeio:
com alunos do Ensino Médio, menos de 50% NOVO ENSINO
Fev. Fev. 6.100,00
03 responderam que o uso de tecnologias ainda Direção e financeiro MÉDIO - Plano
2019 2020 Capital:
é deficiente. Diante disso percebe-se a de Flexibilização
7.060,00
necessidade de organizar espaços Curricular – PFC
adequados para que o aluno aprenda com anexo.
mais dinâmica, utilizando as tecnologias.

Aquisição: Conforme Plano de Flexibilização


Curricular do Novo Ensino Médio.
86
CEOS SOLIDÁRIO – AÇÕES QUE
TRANSCENDEM A PANDEMIA. Realizar 01
ação com o objetivo de desenvolver a
aprendizagem de forma interdisciplinar por
meio do google meet, conhecer o ambiente
de convivência dos alunos das 3ª séries do
Ensino Médio da Zona Rural, seus desafios
diários para estudar e demonstrar o valor que
Direção,
eles têm para escola/professores,
Fev. Set. Coordenação Custeio - Gestão
04 minimizando a distância entre a escola e o
2019 2019 pedagógica e 1.500,00 Compartilhada
aluno durante a Pandemia.
Professores.
Aquisição: 08 pen drives; 20 EVA texturizado
e 30 simples; 10 papel sulfite, 10 papel
filipino, 05 Pinceis hidrocor, 05 lápis de cor,
02 TNT rolos; 03 caixa de máscaras
descartáveis, 03 caixas de luvas
descartáveis, 10 tubos de álcool em gel; 05
fitas PVC transparente; 05 colas brancas;

87
REFERENCIAS

BARBOSA, Avelino Soares. Relato de Experiência sobre o Atletismo na Escola


Municipal Gilberto Rezende no 3° Ano do Ensino Fundamental. Monografia de
Conclusão de Curso, Gurupi - TO, 2009.

BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.


Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

_______, Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.


Lei nº 4.024, de 20 de dez. de 1961. Coleções de Leis da República Federativa do
Brasil, Brasília – DF, p. 51 Vol. 7, 27 dez. 1961.

_______, Ministério de Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional:


Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Lei nº 9394 de 20 de
dezembro de 1996. Brasília : MEC, 1996.

_______, Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos


parâmetros curriculares nacionais: Secretaria de educação Fundamental – Brasília:
MEC/SEF, 1997.

_______, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Resolução


CNE/CP nº 02: Institui e Orienta a Implantação da Base Nacional Comum Curricular.
Brasília: MEC, 2017.

_______, Ministério da Educação. Institui o Programa de Apoio ao Novo Ensino


Médio e estabelece diretrizes, parâmetros e critérios para participação. Portaria nº
649, de 10 de jul. de 2018 in UNIÃO, Diário Oficial da, nº 132, seção 01, pag. 72,
Brasília: Casa Civil, 11 de jul. 2018.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. 2ed. São Paulo: Cortez Brasília, DF:
MEC/UNESCO, 2003.

GOIÁS, Conselho Estadual de Educação. Revalidar autorização de funcionamento


de Curso de 2º Grau, Técnico em Magistério. Resolução CEE nº 038 de 07 de mar.
de 1985. Goiânia – Goiás, 07 de mar. de 1985.

______, Governo do Estado de. Dispõe sobre a Criação de Estabelecimentos de


Ensino. Lei nº 8.408 de 19 de jan. de 1978. Palácio do Governo do Estado de Goiás.

88
Goiânia – GO, 15 de fev. 1978. Disponível em:
<http://www.gabinetecivil.go.gov.br/leis_ordinarias/1978/lei_8408.htm>.

______, Secretaria de Estado da Educação. Autorização de Funcionamento de


Curso de 2º Grau, Técnico em Magistério. Portaria Estadual nº 1394/81 de 20 de jul.
de 1981. Goiânia – Goiás, 20 de jul. de 1981.

______, Secretaria de Estado da Educação. Autorização de Funcionamento de


Curso de 2º Grau, Técnico em Magistério. Portaria Estadual nº 0030 de 19 de jan. de
1982. Goiânia – Goiás, 19 de jan. de 1982.

IBGE – instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. História de Ponte Alta do


Tocantins. Pesquisa Nacional de Amostra de Domicilio. Rio de Janeiro, 2010.
Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/to/ponte-alta-do
tocantins/historico>.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.


Censo Escolar, 2017. Brasília, MEC, 2017. Disponível em <
http://idebescola.inep.gov.br/ideb/escola/dadosEscola/17030811>.

SACRISTÁN, J. Gimeno; O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3ª ed, Porto


Alegre: ArtMed, 2000.

SCHMITT, Miguel Ângelo. Ação – Reflexão – Ação: A Prática Reflexiva como


Elemento Transformador do Cotidiano Educativo. Protestantismo em Revista, v. 2:
São Leopoldo: RS, mai. – ago., 2011.

TOCANTINS, Conselho Estadual de Educação. Aprova as Estruturas Curriculares da


Rede Estadual de Ensino: Ensino Fundamental. Resolução 148 de 19 de dez. de
2019 in TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 5.514. Palmas: Casa Civil, 02 de jan.
2020.

___________, Conselho Estadual de Educação. Aprova as Estruturas Curriculares


da Rede Estadual de Ensino: Ensino Médio. Resolução 087 de 25 de mar. de 2020
Palmas: Casa Civil, 02 de jan. 2020.

___________, Conselho Estadual de Educação. Aprova o Plano do Curso Técnico


em Guia de Turismo Integrado ao Ensino médio, Colégio Estadual Odolfo Soares,
Ponte Alta do Tocantins – TO. Resolução 028 de 28 de mar. 2017 in TOCANTINS,
Diário Oficial do, nº 4969, Palmas: Casa Civil, de out. 2013.

89
___________, Conselho Estadual de Educação. Aprova o Plano do Curso Técnico
em Guia de Turismo Integrado ao Ensino médio, Colégio Estadual Odolfo Soares,
Ponte Alta do Tocantins – TO. Resolução 130 de 30 de agos. de 2013 in
TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 3994, Palmas: Casa Civil, 10 de out. 2017.

___________, Conselho Estadual de Educação. Autoriza o Funcionamento do Curso


Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio e aprova o Plano
de Curso, Colégio Estadual Odolfo Soares, Ponte Alta do Tocantins – TO. Resolução
086 de 09 de nov. de 2017 in TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 5033, Palmas: Casa
Civil: 17 de jan. 2018.

___________, Conselho Estadual de Educação. Autoriza o funcionamento da


Educação de Jovens e Adultos – EJA, 3º Seguimento do Colégio Estadual Odolfo
Soares, Ponte Alta do Tocantins – TO. Resolução 05 de 25 de jan. de 2013 in
TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 3883, Palmas: Casa Civil: 28 de mai. 2013.

___________, Conselho Estadual de Educação. Regimento Escolar da Rede


Estadual de Ensino no Tocantins. Resolução nº 082, de 03 de agosto de 2017. in
TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 4932, Palmas: Casa Civil, 15 de agos. 2017.

___________, Conselho Estadual de Educação. Estabelece formas de


reorganização do Calendário Escolar/ 2020 e define o regime especial de atividades
escolares não presenciais no Sistema Estadual de Ensino do Tocantins, para fins de
cumprimento do ano letivo de 2020, como medida de prevenção e combate ao
contágio do Novo Coronavírus (COVID-19).. Resolução nº 105, de 08 de abril de
2020. in TOCANTINS, Diário Oficial do, nº 5.582, Palmas: Casa Civil, 15 de abril.
2020.

___________, Conselho Estadual de Educação Estabelece normas complementares


para a reorganização do Calendário Escolar, os planejamentos e práticas
pedagógicas para a oferta e o cômputo de atividades educacionais não presenciais,
para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, com o objetivo de
minimizar o impacto decorrente da Pandemia da COVID-19, na educação.
Resolução nº 154, de 17 de junho de 2020. in TOCANTINS, Diário Oficial do, nº
5.641, Palmas: Casa Civil, 13 de julho. 2020.

___________, Secretaria da Educação do. Credenciamento para oferta de Cursos


Técnicos Integrados ao Ensino Médio. Portaria SEDUC 1.799 de 27 de set. de 2010
in TOCANTINS, Diário Oficia do, nº 3.276, Palmas: Casa Civil, 10 de dez. de 2010.

___________, Secretaria da Educação do. Recredenciar pelo prazo de 5 anos o


Colégio Estadual Odolfo Soares, para ofertar Cursos Técnicos Integrados ao Ensino

90
Médio. Portaria SEDUC 401 de 13 de fev. de 2017 in TOCANTINS, Diário Oficia do,
nº 4813, Palmas: Casa Civil, 22 de fev. de 2017.

___________, Secretaria da Educação do. Reconhecer pelo prazo de 5 anos o


Curso Técnico em Guia de Turismo Integrado ao Ensino Médio ofertado pelo Colégio
Estadual Odolfo Soares. Portaria SEDUC 3354 de 02 de out. de 2017 in
TOCANTINS, Diário Oficia do, nº 4967, Palmas: Casa Civil, 06 de out. de 2017.

___________, Secretaria da Educação do. Reconhecimento do Curso de Ensino


Médio Básico. Portaria SEDUC 6.631 de 21 de nov. de 2005 in TOCANTINS, Diário
Oficial do, nº 2052, Palmas: Casa Civil, 28 de nov. de 2005.

___________, Secretaria de Estado da Educação. Sistema de Gerenciamento


Escolar. Índice de Distorção de Idade e Série. Palmas: TO, 2018.

___________, Secretaria de Estado da Educação. Sistema de Informação e


tecnologia da Educação. Modulação Docente. Palmas: TO, 2019.

___________, Secretaria de Estado da Educação. Sistema de Informação e


tecnologia da Educação. Modulação Docente. Palmas: TO, 2020.

___________, Secretaria da Educação do. Reconhecimento do Curso de Ensino


Médio Básico. Portaria SEDUC 6.632 de 21 de nov. de 2005 in TOCANTINS, Diário
Oficial do, nº 2052, Palmas: Casa Civil, 28 de nov. de 2005.

___________, Secretaria de Estado da Educação do. Implantação do Curso de


Ensino Médio Básico. Portaria Estadual nº 1897 de 05 de jun. de 2000. Palmas –
TO, 05 de jun. de 2000.

___________, Secretaria de Estado da Educação do. Implantação do Curso de


Ensino Médio Básico. Portaria Estadual nº 1897 de 05 de jun. de 2000. Palmas –
TO, 05 de jun. de 2000.

___________, Secretaria de Estado da Educação do. Documento Curricular do


Tocantins: Ensino Fundamental: Linguagens. Resolução CEE nº 24 de 14 de mar.
de 2019: Palmas – TO, 2019.

___________, Secretaria de Estado da Educação do. Documento Curricular do


Tocantins: Ensino Fundamental: Ciências Humanas e Ensino Religioso. Resolução
CEE nº 24 de 14 de mar. de 2019: Palmas – TO, 2019.
91
___________, Secretaria de Estado da Educação do. Documento Curricular do
Tocantins: Ensino Fundamental: Ciências da Natureza e Matemática. Resolução
CEE nº 24 de 14 de mar. de 2019: Palmas – TO, 2019.

92
ANEXOS

93
ESTRUTURA CURRICULAR PARA O ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS

Vigência: a partir de 2020 Dias letivos anuais: 200


Turno : Diurno Semanas letivas anuais: 40
Regime: Anual Duração da hora aula: 50 minutos
Carga Horária total: 4.000 H/A Dias letivos semanais: 05
Entrada: 7h/13 Intervalo: de 15 min Saída: 11h25min/ 17h25min

Área de Componentes Carga Horária Semanal Carga Horária Anual Carga Horária
conhecimento curriculares 6ª ano 7º ano 8º ano 9º ano 6ª ano 7º ano 8º ano 9º ano Total

Língua Portuguesa 6 6 6 6 240 240 240 240 960


Arte 1 1 1 1 40 40 40 40 160
Linguagens
Educação Física 2 2 2 2 80 80 80 80 320
L. E. M. – Inglês 2 2 2 2 80 80 80 80 320
Matemática Matemática 5 5 5 5 200 200 200 200 800
História 2 2 2 2 80 80 80 80 320
Ciências Humanas
Geografia 2 2 2 2 80 80 80 80 320
Ciências da Natureza Ciências 3 3 3 3 120 120 120 120 480
Ensino Religioso Ensino Religioso 1 1 1 1 40 40 40 40 160
Projeto de Vida* 1 1 1 1 40 40 40 40 160
Parte Diversifica Acompanhamento da
1 1 1 1 40 40 40 40 160
Aprendizagem
TOTAL DE AULAS 25 25 25 25 1000 1000 1000 1000 4000
Fonte: Resolução CEE, (148/2019).

94
ESTRUTURA CURRICULAR PARA O ENSINO MÉDIO BÁSICO – CURSO MÉDIO BÁSICO

Vigência: a partir de 2019 Dias letivos anuais: 200


Turno : Diurno Semanas letivas anuais: 40
Regime: Anual Duração da hora aula: 50 minutos
Carga Horária total: 3.000 H/A Dias letivos semanais: 05
Entrada: 7h/13h Intervalo: de 15 min Saída: 11h25min/ 17h25min

Carga Horária Semanal Carga Horária Anual Carga


Área de conhecimento Componente curricular
1ª série 2º série 3ª série 1ª 2º série 3ª série Horária
Língua Portuguesa 4 4 3 160
série 160 160 440
Total
Arte 1 1 1 40 40 40 120
Linguagens
L. E. M. – Inglês 1 1 1 40 40 40 120
Educação Física 1 2 1 40 80 40 160
Matemática Matemática 4 4 4 160 160 160 480
História 2 2 2 80 80 80 240
Geografia 2 2 2 80 80 80 240
Ciências Humanas
Filosofia 1 1 1 40 40 40 120
Sociologia 1 1 1 40 40 40 120
Biologia 2 2 2 80 80 80 240
Ciências da Natureza Física 2 2 3 80 80 120 280
Química 2 2 3 80 80 120 280
L.M.E – Espanhol ou AlE* 1 - - 40 - - 40
Parte Diversifica
Redação 1 1 1 40 40 40 120

95
Projeto de Vida e Protagonismo Juvenil 2 2 2 80 80 80 240

Iniciação Científica e Pesquisa 1 1 1 40 40 40 120

Mundo do Trabalho
Comunicação, uso de mídias e Cultura Digital
Parte Diversificada - Produção e Fruição das Artes
2 2 2 80 80 80 240
Eletivas Cultura Corporal
Educação Fiscal
Educação Financeira
TOTAL DE AULAS 30 30 30 1200 1200 1200 3600
Fonte: Resolução CEE, (2020).

96
97
Todas as estruturas apresentam as mesmas observações:
I- Os temas transversais devem ser trabalhados em todos os componentes curriculares;
II- História do Tocantins e Geografia do Tocantins compõem os programas de História e Geografia, respectivamente;
III - Os conteúdos de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial
nas áreas de Arte e História, conforme a Lei nº 11.645/2008 que altera a Lei nº 9.394/96, modificada pela Lei nº 10.639/2003;
IV- A música (Educação Musical) deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo (contemplando também aos outras linguagens
artísticas), conforme a Lei Nº 11.769/08 que foi acrescida na Lei de Nº 9394/96. Tal conteúdo deve ser trabalhado no componente
curricular de Arte;
V – Os conteúdos de direitos humanos serão trabalhados de forma interdisciplinar de acordo com o que dispõe a Resolução Nº 01 de
30/05/2012, CNE/CP;
VI- O Ensino do componente curricular Língua Estrangeira Moderna- Espanhol será de oferta obrigatória para a Unidade Escolar e
optativa para o aluno;
VII- *O aluno não optante pelo Componente Curricular de Língua Estrangeira Moderna- Espanhol deverá cursar o Aprofundamento em
Leitura e Escrita (ALE).

98

Você também pode gostar