Você está na página 1de 18

Técnica de lubrificantes - glossário (*)

Abaixador do ponto de fluxão


Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para minimizar a tendência de um
óleo congelar quando é refrigerado.

Abrasão
Nas engrenagens, um tipo de desgaste que ocorre quando partículas duras são retidas entre
os dentes das engrenagens.

ACEA
Associação dos Fabricantes Europeus de Automóveis
Especificações de performance Sistema que descreve os padrões mínimos de performance a
serem cumpridos por um óleo de motor em vários testes especificados.

Acelerador
Dispositivo para regular o fornecimento de gás ou líquido.

Adendum
Em engrenagens, a distância entre a extremidade de um dente de uma engrenagem e o circulo
primitivo.

Adiabático
Relacionado com mudanças de volume ou pressão que ocorrem sem ganho ou perda de calor.

Aditivo
Substância adicionada a um lubrificante para melhoraras suas propriedades ou lhe acrescentar
novas características.

Aditivo anti-desgaste
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para reduzir o atrito e o desgaste.

Aditivo anti-espuma
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para eliminar a formação de espuma.

Aditivo antioxidante
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para inibir a deterioração química do
óleo básico e alguns componentes do aditivo por reacção com oxigénio.

Aditivo "anti-scuffing"
“Anti-desgaste” (“anti-scuffing”)
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes que é absorvido nas superfícies
metálicas para impedir o contacto directo entre elas.

Aditivo de adesividade
Aditivo que pode ser incluído na formulação de lubrificantes para guias de máquinas
ferramenta e engrenagens abertas para auxiliar o lubrificante a aderir mais eficazmente.

“Aftercooler”
“Pós-resfriador” ou “resfriador de saída”. Dispositivo usado para esfriar ou arrefecer o ar depois
deste ter sido comprimido.

Agente espessante
Substância usada para fabricação de massas lubrificantes que é misturada com óleo base ou
sintético para produzir um produto estável semi-sólido.

1
Alcano
Composto químico que contem apenas carbono e hidrogénio, de cadeia rectilínea ou
ramificada de átomos de carbono, na sua estrutura molecular e tem somente ligações químicas
simples entre átomos de carbono adjacentes.

Análise espectrográfica de óleo


(“Spectrographic Oil Analysis – SOA”)
Técnica analítica sofisticada para a determinação de tipos e quantidades de elementos numa
amostra de óleo.

Anéis de pistão (segmentos)


Anéis metálicos que actuam como uma mola e vedam a folga entre o pistão e as paredes dos
cilindros.

Anel externo
A parte de um rolamento que é fixada à respectiva caixa.

API – American Petroleum Institute - Classificação de serviço para motores. Sistema que
classifica óleos de motor de acordo com a sua performance em certos testes especificados.

Aromático
Composto químico orgânico, constituído principalmente por átomos de carbono e hidrogénio e
contendo um ou mais anéis de átomos de carbono, nos quais há algumas ligações duplas entre
átomos de carbono adjacentes.

Asfalteno
Composto químico grande e complexo, constituído por estruturas aromáticas contendo enxofre,
nitrogénio, vanádio e níquel. Ocorrem predominantemente em resíduos pesados, por exemplo,
combustíveis residuais pesados e betumes asfálticos.

Asperezas
Irregularidades de uma superfície.

Atmosfera
Unidade de pressão equivalente à pressão média do ar ao nível do mar.

Atrito
Força que se opõe ao movimento relativo entre duas superfícies em contacto.

Atrito dinâmico
A força necessária para manter um corpo a deslizar sobre outro, uma vez iniciado o
movimento.

Atrito estático
A força necessária para que um corpo comece a deslizar sobre outro.

Actuador
Na hidráulica, um dispositivo que converte a pressão do fluido em acção, ou movimento
mecânico.

Actuador linear
Na hidráulica, um dispositivo que converte pressão do fluido em movimento linear.

Balanceiros
Tipo de alavanca que é accionada automaticamente para abrir e fechar válvulas em motores de
combustão interna.

Bar
Unidade de pressão atmosférica equivalente a 100,000 newtons por metro quadrado.

2
Biela
Haste que transmite potência de uma parte de uma máquina que se desloca num movimento
de vaivém (ex.: um pistão) para uma outra que roda (ex.: cambota).

Biodegradabilidade
A capacidade de uma substância ser decomposta pela acção biológica de organismos vivos.

Bomba axial de pistão


Tipo de bomba usado em sistemas hidráulicos, que contém uma série de pistões que se
movimentam para dentro e para fora de câmaras num bloco cilíndrico.

Bomba de engrenagens
Bomba usada em alguns sistemas hidráulicos, que bombeia fluido através da acção de duas
rodas dentadas que engrenam dentro de uma caixa fechada com pouca folga.

Bomba de palhetas
Dispositivo que bombeia fluido através da acção de palhetas deslizantes colocadas em
ranhuras num rotor que gira dentro de uma caixa cilíndrica.

Bomba de parafuso
Bomba usada em alguns sistemas hidráulicos que bombeia fluido através da acção de
parafusos que se engrenam um no outro.

Bomba de pistão
Tipo de bomba usado em sistemas hidráulicos que bombeia fluido por meio de pistões
alternativos que se movem dentro de cilindros.

Bomba de pistão radial


Tipo de bomba usado em sistemas hidráulicos que contem alguns pistões alternativos que se
movem dentro de cilindros colocados em forma de estrela, em torno de um eixo rotativo.

Bomba hidráulica
Dispositivo no circuito hidráulico que aplica pressão sobre o fluido hidráulico.

Borra
Depósito negro de fuligem que geralmente se forma no motor como resultado da oxidação do
óleo e poder dispersante ineficaz.

Caixa de velocidades
Combinação de engrenagens dentro de uma caixa fechada.

Calor específico
Medida da quantidade de calor necessário para aumentar a temperatura de uma substância.

Cambota
Eixo, por exemplo, num motor ou compressor, que permite que o movimento vaivém de um
pistão seja convertido em movimento rotativo, ou vice versa.

Cárter
Secção inferior do compartimento da cambota, que é usado como reservatório de lubrificante
em um motor de combustão interna.

Cavitação
A formação de bolsas de ar ou vapor num fluido quando a pressão sobre o fluido é reduzida.

CCMC – Especificações de Performance do antigo sistema (Comité de Construtores do


Mercado Comum) usado para especificar padrões de performance para óleos de motor,
obsoleto há vários anos e substituído pelo novo sistema ACEA.

Centipoise (cP)
Unidade de viscosidade dinâmica.

3
Centistoke (cSt)
Unidade de viscosidade cinemática.

Chumaceira
Componente de uma máquina que suporta outro componente, permitindo que ele rode ou
deslize. (No Brasil: Mancal)

Chumaceira radial
Orifício fixo que suporta um eixo sujeito a carga e permite que ele rode.

Chumaceira de deslizamento
Chumaceira que suporta uma carga e permite que ela deslize.

Chumaceira plana
O tipo mais simples de chumaceira que consiste de duas superfícies planas com movimento
relativo entre elas.

Cicloalcano
Composto químico que contem somente carbono e hidrogénio, com anéis de átomos de
carbono e cadeias de átomos de carbono rectilíneas e ramificadas, na sua estrutura molecular,
e tem apenas uma ligação química entre átomos de carbono adjacentes.

Ciclo de dois tempos


O ciclo de trabalho de alguns motores de combustão interna em que a potência é produzida em
cada movimento alternado do pistão do motor. Os dois percursos do pistão durante o ciclo são
escape e indução ou admissão, seguidos de compressão e expansão/potência.

Ciclo de quatro tempos


Ciclo de trabalho de alguns motores de combustão interna, em que a potência é produzida num
de cada quatro movimentos do pistão do motor. Os quatro tempos são: indução ou admissão,
compressão, potência e escape.

Circulo primitivo (Linha primitiva)


Curva que liga os pontos médios de contacto de todos os dentes em uma roda de engrenagem.

Coeficiente a23
Factor usado pelos fabricantes de rolamentos para dar uma indicação da vida útil do rolamento.

Coeficiente de atrito
Relação do atrito entre duas superfícies e a carga aplicada.

Combustível residual
Combustível pesado obtido durante a refinação de crude de petróleo da fracção que resta
depois da destilação.

Compatibilidade
Capacidade das substâncias coexistirem sem se inutilizarem ou anularem umas às outras.

Compressibilidade
Extensão até onde o volume de um fluido é reduzido quando se aplica pressão sobre ele.

Compressor
Máquina que comprime gases.

Compressor alternativo
Máquina que comprime gases pela acção de um pistão que se move dentro de um cilindro.

Compressor axial
Dispositivo que produz gás comprimido por meios dinâmicos, que na fase inicial acelera o gás
através de um tubo estreito.

4
Compressor centrífugo
Dispositivo que produz gás comprimido, por meios dinâmicos, acelerando o gás a altas
velocidades, antes de permitir que a energia cinética do gás seja convertida em energia de
pressão.

Compressor de deslocamento positivo


Máquina que faz a compressão, captando um volume de gás e reduzindo mecanicamente o
espaço que ele ocupa.

Compressor de duplo efeito


Compressor alternativo com duas câmaras de compressão, uma de cada lado do pistão, em
que a compressão ocorre alternadamente.

Compressor de palhetas deslizantes


Mesmo que compressor rotativo de palhetas.

Compressor de simples efeito


Compressor alternativo com cilindros que contem apenas uma câmara de compressão.

Compressor de um estágio
Máquina que aspira o ar e o comprime totalmente em apenas uma acção.

Compressor dinâmico
Dispositivo que produz gás comprimido através da mudança da energia cinética e não apenas
através de uma simples redução de volume.

Compressor multi-estágios
Máquina que consiste essencialmente de vários compressores interligados, cada um suprindo
o outro com gás comprimido para compressão adicional.

Compressor rotativo
Máquina em que a compressão do gás é conseguida através da rotação de um rotor ou
rotores.

Compressor rotativo de palhetas


Máquina que comprime o ar por acção de palhetas deslizantes inseridas em ranhuras num
rotor que roda dentro de uma caixa cilíndrica.

Compressor rotativo de parafuso


Máquina que comprime o ar pela acção de dois parafusos ou rotores que engrenam um no
outro.

Condutividade térmica
Capacidade de um material dissipar calor.

Consistência
Medida da maciez ou dureza de uma massa lubrificante.

Copo de massa lubrificante


Dispositivo para fornecer massa lubrificante a partir de um reservatório ligado ao componente
que requer lubrificação.

Cruzeta
Eixo que liga o pistão à biela em compressores de efeito duplo e em certos tipos de motores de
pistão.

Cubo da roda
Mecanismo que contem o rolamento da roda usado em veículos rodoviários, normalmente
ligado ao eixo de transmissão.

5
Cutback (“Diluição”)
Uma fase na fabricação de massas lubrificantes em que após a desidratação, se adiciona mais
óleo base ao sabão inicialmente formado. Termo também usado em betumes asfálticos
diluídos com um dissolvente

Dedendum
Nas engrenagens, a distância entre o fundo de um dente e o círculo primitivo.

Deformação
Alteração da forma devido a esforço.

Desemulsibilidade ou desemulsificação
Separação de uma emulsão nos seus componentes líquidos.

Desasfaltização
Um processo durante a fabricação de óleos lubrificantes, em que os asfaltenos são removidos
do resíduo da destilação a vácuo (“short residue”).

Desactivador de metais
Aditivo que inibe a corrosividade de outros componentes da formulação sobre metais sensíveis,
como por exemplo, cobre, através de uma acção “passivadora”.

“Desparafinação” catalítica
Remoção dos alcanos de alto ponto de fusão (ceras parafínicas) de um óleo básico, através de
tratamento com hidrogénio, na presença de um catalisador.

Desparafinação por solventes


Remoção de alcanos de alto ponto de fusão (ceras parafínicas) da matéria prima do óleo
lubrificante através de tratamento com um solvente adequado seguido de resfriamento.

Destilação
Conversão de um líquido a gás, por aquecimento e condensação do gás de volta a líquido por
resfriamento, muitas vezes usado em processos de separação e purificação.

Destilação atmosférica
Conversão de um líquido para um gás aquecendo-o à pressão atmosférica e a condensação
desse gás de volta a líquido. Este processo é usado muitas vezes
para separação e purificação.

Destilação a vácuo
Conversão de um líquido em gás, através de aquecimento a pressão reduzida e a
condensação do gás de volta a líquido, muitas vezes usado para processos de purificação.

“Destruidor de peróxidos”
Aditivo anti-oxidante que actua reagindo com os peróxidos e impedindo que estes promovam
reacções de oxidação.

Detergente
Aditivo incluído na maior parte das formulações de óleos para motor, para combater a
formação de depósitos e proteger as superfícies lubrificadas.

Dispersante
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para manter em suspensão no óleo
os contaminantes insolúveis.

Dispositivo de corte
Dispositivo que é accionado automaticamente para interromper a operação de um sistema
quando há o perigo de sobrecarga.

Eixo de cames ou ressaltos


Eixo a que está ligado um ressalto ou came. À medida que o eixo roda, o seu movimento
circular é convertido num movimento de vaivém.

6
Elástico
Capaz de recuperar a forma após a deformação.

Elemento rolante
Esferas ou rolos de um rolamento.

Embolo
Mesmo que pistão

Emulsão
Uma mistura de líquidos que não se dissolve um no outro, consistindo de gotículas de um
líquido dispersas através do outro.

Emulsificação
Formação de uma emulsão.

Engrenagem
Roda dentada. Duas ou mais engrenagens são usadas para transmitir movimento e potência
ou força entre eixos em rotação.

Engrenagem cónica
Um par de rodas dentadas que transmitem movimento entre dois eixos que convergem
formando um ângulo entre eles.

Engrenagem de dentes rectos


Par de rodas dentadas usado para transmitir potência ou força entre eixos paralelos. Os dentes
de uma engrenagem deste tipo são cortados paralelamente ao seu eixo.

Engrenagem em “espinha de peixe”


O mesmo que engrenagem helicoidal dupla.

Engrenagem helicoidal
Par de rodas dentadas usado para transmitir movimento entre eixos paralelos. Os dentes de
uma engrenagem helicoidal são cortados em ângulo em relação ao seu eixo.

Engrenagens helicoidais duplas


Um par de rodas de engrenagens usado para transmitir movimento entre eixos paralelos sem
gerar impulsos laterais. Cada roda tem dois conjuntos de dentes que rodam em direcções
opostas, formando um ângulo com o seu eixo.

Engrenagens helicoidais cruzadas ou reversas


Engrenagens que transmitem movimento entre dois eixos que convergem, formando um
ângulo, mas não havendo intersecção entre eles.

Engrenagens helicoidais hiperbólicas


(“Skew gear”)
Mesmo que engrenagens helicoidais cruzadas ou convergentes.

Engrenagem hipóide
Sistema de engrenagens que transmite movimento em ângulo, em que o eixo do pinhão não
cruza com o eixo da roda principal (roda de coroa)

Engrenagem interna
Sistema de engrenagens em que o pinhão engrena com um disco que tem dentes cortados na
sua parte interna.

Engrenagem tipo sem-fim


Engrenagem consistindo de uma roda dentada e um parafuso rotativo pequeno, funcionando
em conjunto.

Engrenagens abertas
Combinação de engrenagens que não é fechada dentro de uma caixa.

7
Engrenagens fechadas
O mesmo que caixa de engrenagens ou caixa de velocidades.

Espaçador, separador ou gaiola


Componente de um rolamento que mantém separados os elementos rolantes sobre as pistas
em que eles se movem.

Estabilidade mecânica
Capacidade da massa lubrificante resistir à quebra da sua estrutura quando trabalhada
mecanicamente.

Estabilidade ou resistência ao cisalhamento


Capacidade de um líquido resistir à ruptura por acção de forças de cisalhamento mecânicas.

Estabilidade ou resistência à oxidação


A capacidade de um lubrificante (ou outra substância) resistir à deterioração provocada por
acção do oxigénio.

Estabilidade química
Capacidade que uma substância tem de resistir à decomposição química.

Estabilidade térmica
Capacidade de uma substância resistir à degradação devido aos efeitos do calor.

Estabilizador
Aditivo que pode ser incluído em algumas formulações de massa lubrificante para assegurar
que o óleo base e “agente espessante” formam uma mistura estável com uma composição
uniforme.

Ester
Composto químico formado pela reacção entre um álcool e um ácido orgânico.

Extracção por solvente


Remoção de impurezas da matéria-prima básica de óleo lubrificante, através de tratamento
com um solvente, que dissolve as impurezas mas não se mistura com a matéria-prima básica.

Extrema pressão (EP) – Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para


proporcionar uma protecção adicional contra o desgaste. Sob cargas pesadas, os aditivos EP
reagem quimicamente, formando uma película protectora sobre as superfícies em contacto.

Factor K
Factor usado pelos fabricantes de rolamentos que se relaciona com o tipo de massa usada na
lubrificação de rolamentos.

Factor velocidade da chumaceira de rolamentos


Factor usado para determinar se os lubrificantes são adequados para a lubrificação dos
rolamentos, tendo em consideração a dimensão e velocidade de rotação do rolamento.

Filtrabilidade
A capacidade de um líquido passar livremente através de um filtro sem o bloquear.

Força ou tensão de corte ou cisalhamento (“rate of shear”)


Força que actua sobre camadas paralelas num corpo, fazendo com que elas se desloquem
umas sobre as outras.

Fractura
Em engrenagens, um tipo de desgaste em que cargas de choque repetidas provocam a quebra
de um ou mais dentes da engrenagem.

8
Freios imersos em óleo (freios húmidos)
(em Portugal, travões imersos em óleo)
Sistema de travões usado em aplicações automóvel (ex.: tractores agrícolas) que é montado
na caixa de velocidades ou diferencial em vez das rodas.

Glicol
Composto químico que contem dois grupos hidroxilo (-OH).

Grau alimentar USDA


Legislação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) que refere os
lubrificantes que podem ser usados em processamento de alimentos onde contacto casual ou
inevitável entre o alimento e o lubrificante pode ocorrer.

Grau de viscosidade ISO


Medida da viscosidade de um lubrificante a 40° C conforme especificado no sistema de
graduação de viscosidade estabelecido pela International Standards
Organisation (Organização Internacional de Padrões).

Graxa Lubrificante
Portugal = Massa Lubrificante

Hidráulica
O uso de líquidos para transmissão de energia.

Hidroacarbamento ou hidrogenação
Redução selectiva dos hidrocarbonetos aromáticos e outros constituintes indesejáveis de
matéria-prima básica de óleo lubrificante por tratamento com hidrogénio pressurizado na
presença de um catalisador.

Hidrocarboneto
Composto químico constituído somente por átomos de carbono e hidrogénio.

Hidrocinética
Mesmo que hidrodinâmica.

Hidrodinâmica
Ciência que estuda os líquidos em movimento.

Hidroestática
Ciência que trata das características de líquidos em repouso.

Humidade relativa
Quantidade real de vapor de água presente num gás, expresso como percentagem da
quantidade existente quando o gás se encontra saturado por vapor de água, à mesma
temperatura.

HVI
Alto índice de viscosidade (High Viscosity Index), isto é, com um índice de viscosidade de 85
ou mais.

Ignição por faísca ou centelha


Sistema de ignição usado em motores a gasolina em que a mistura combustível/ar é inflamada
por uma faísca ou centelha eléctrica.

Ignição por compressão


Sistema de ignição usado em um motor diesel, em que o combustível é inflamado quando em
contacto com ar comprimido a alta temperatura.

Índice de viscosidade
Número arbitrário que indica como a viscosidade de um fluido varia com as mudanças de
temperatura. Um fluido com uma viscosidade relativamente sensível a mudanças de
temperatura, tem um baixo índice de viscosidade.

9
Inflamabilidade
Capaz de ser inflamado e de incendiar.

Inibidor de corrosão
Aditivo incluído em algumas formulações de lubrificantes para restringir a formação de
ferrugem em superfícies lubrificadas.

Injecção de combustível
Introdução de combustível sob pressão directamente para dentro dos cilindros de um motor de
combustão interna.

“Intercooler” (resfriador ou refrigerador intermédio)


Dispositivo usado em compressor de múltiplos estágios para resfriar o ar entre compressões
sucessivas.

Involuta
A curva traçada pelo fim de uma linha desenrolada a partir de um circulo com o mesmo
diâmetro da roda de engrenagem.

Isotérmico
Relacionado com mudanças de volume ou pressão que ocorrem em condições de temperatura
constante.

Junta homocinética ou de velocidade constante


Junta mecânica usada em veículos automóveis que permite a transmissão de torque do eixo de
transmissão a uma roda, onde o ângulo entre o eixo e a roda varia continuamente.

Laca
Revestimento da superfície, duro, brilhante e transparente geralmente encontrado em motores
e derivado de produtos de deterioração do combustível e lubrificante.

Laminadores a quente
Processo onde lingotes de aço quentes são colocados numa máquina (laminadores) e feitos
passar entre grandes cilindros de laminação que os deformam por pressão e os transformam
em várias formas de produtos de aço.

Lavagem
Remoção de gases queimados do cilindro de um motor de combustão interna, de dois tempos.

Lei de Pascal
Um líquido dentro de um recipiente fechado transmite pressão constante e uniforme em todas
as direcções e actua com força igual sobre todas as áreas iguais.

Leis do atrito
A primeira lei do atrito estabelece que o atrito entre duas superfícies é independente da área de
contacto. A segunda lei estabelece que o atrito entre duas superfícies é proporcional à carga
exercida sobre as superfícies.

Libertação de ar
A capacidade de um fluido permitir a libertação de ar retido dentro dele.

Limite de resistência ou deformação (“Yield point”)


Ponto em que uma massa lubrificante começa a fluir quando é aplicada pressão.

Linha de contacto
Em engrenagens, a área através da qual um dente de engrenagem transfere movimento e
potência para outro.

Linha primitiva
Linha no dente de uma roda de engrenagem que marca o ponto médio de contacto com um
dente onde ele engrena.

10
Lubrificação
Qualquer procedimento que reduza o atrito entre duas superfícies em movimento.

Lubrificação com película espessa ou fluida


Mesmo que lubrificação hidrodinâmica.

Lubrificação com película fina


Mesmo que lubrificação mista.

Lubrificação elastohidrodinâmica
Um tipo de lubrificação hidrodinâmica que ocorre quando o lubrificante em superfícies de
contacto com elevadas cargas é sujeito a pressões muito altas.

Lubrificação hidrodinâmica
Regime de lubrificação que proporciona as melhores condições de lubrificação e ocorre quando
duas superfícies em movimento estão completamente separadas por uma película de
lubrificante relativamente espessa.

Lubrificação limite
Regime de lubrificação em que a película de lubrificante é tão fina que ocorre contacto entre as
superfícies em movimento numa área extensa e a carga é suportada por uma película muito
fina de lubrificante.

Lubrificação mista (ou película fina)


Regime de lubrificação que ocorre quando superfícies em movimento estão separadas por uma
película contínua de lubrificante, com uma espessura comparável às asperezas das
superfícies.

Lubrificação por anel


Sistema de lubrificação em que um anel girando sobre um eixo rotativo mergulha no banho de
óleo. À medida que o anel gira, arrasta lubrificante que é transferido para outras superfícies
que requerem lubrificação.

Lubrificação por jacto


Sistema de lubrificação em que um jacto de lubrificante é espalhado directamente sobre as
superfícies a serem lubrificadas.

Lubrificação por névoa


Sistema de lubrificação usado em algumas caixas de velocidades em que o lubrificante é
atomizado e pulverizado para dentro da caixa numa corrente de ar comprimido seco.

Lubrificação por salpico ou chapinhagem


Sistema de lubrificação em que um componente de uma máquina mergulha através de um
banho de óleo e desta forma salpica lubrificante para superfícies próximas que precisam de
lubrificação.

Lubrificação sob pressão


Sistema de lubrificação em que o lubrificante é bombeado através de tubos e canais para as
superfícies a serem lubrificadas.

Lubrificante
Qualquer substância usada para reduzir o atrito entre superfícies de contacto em movimento.

Lubrificante SHPD
Lubrificante “Super High Performance” para motores diesel.

LVI
Baixo índice de viscosidade (“Low Viscosity Index”), isto é, com um índice de viscosidade
inferior a cerca de 30.

11
Macaco
Dispositivo, geralmente accionado hidraulicamente, para a movimentação de uma carga
pesada ao longo de uma distância curta.

Máquina de lingoteamento contínuo


Processo onde o metal fundido de um alto forno é vazado directamente para o molde de
lingotes a fim de evitar o uso de laminadores e equipamento auxiliar.

Massa Lubrificante
Lubrificante com consistência variando de sólida ou semi-sólida, geralmente produzido pela
dispersão de um agente espessante num óleo básico ou outros tipos de fluidos tais como
polialfaolefinas, XHVI, esteres e silicones, para aplicações especiais.

Massa convencional c/ sabões metálicos


Lubrificante com consistência semi-sólida produzido pela dispersão de um sabão metálico (ex.:
lítio, o mais utilizado, cálcio, sódio, alumínio, etc.) num óleo básico.

Massa de sabão complexo


Massa que contem um sabão metálico e um agente complexo, geralmente um ácido orgânico.

Massa de base mista


Massa feita com uma mistura de sabões metálicos.

Massa “sem sabão”


Massa feita com agentes espessantes inorgânicos, ex.: argilas, sílica, grafite, ou polímeros
orgânicos.

Mecânica de fluidos
O ramo da física que trata das forças dentro dos fluidos estacionários e em movimento.

Melhorador do índice de viscosidade


Um aditivo que pode ser incluído em alguns óleos lubrificantes para tornar a sua viscosidade
menos sensível a mudanças de temperatura.

Módulo ou coeficiente de compressibilidade


A relação entre a pressão aplicada a um fluido e a mudança de volume resultante.

Monitorização de lubrificantes
Amostragens e testes regulares de lubrificantes em serviço para avaliar o estado do óleo e dar
informação sobre o estado da máquina que eles lubrificam.

Monoviscoso ou monograduado
Óleo com uma viscosidade que satisfaz os requisitos de somente um grau de viscosidade do
sistema de classificação SAE.

Motor de combustão interna


Motor que é accionado por combustível queimado dentro do próprio motor.

Motor de pistão alternativo


Tipo de motor de combustão interna em que os pistões ou êmbolos se deslocam num
movimento de vaivém dentro dos cilindros do motor. Os pistões são accionados pela pressão
gerada quando os gases são queimados dentro dos cilindros.

Motor de pistão sem cruzeta


Motor de combustão interna em que o pistão é ligado directamente à biela e portanto, à
cambota.

Motor de pistões horizontais opostos


Motor de combustão interna em que dois grupos de cilindros são colocados em posição oposta.

12
Motor diesel
Motor de combustão interna, em que o ar é comprimido dentro de um cilindro, gerando uma
temperatura suficientemente alta para inflamar o combustível que é pulverizado para dentro do
cilindro.

Motor diesel de alta velocidade


Motor diesel, como o usado nos veículos de transporte rodoviário, que trabalha a velocidades
de rotação superiores a 1250 rpm.

Motor diesel de baixa velocidade


Motor diesel, como o usado em transporte marítimo, que trabalha a uma velocidade de rotação
inferior a 350 rpm.

Motor diesel de média velocidade


Motor diesel, como o usado na geração de electricidade, que trabalha a velocidades de rotação
entre 350 e 1,250 rpm.

Motor em linha
Motor de combustão interna em que os cilindros são dispostos em linha num único lado.

Motor em V
Motor de combustão interna em que os dois grupos de cilindros se dispõem num ângulo,
formando um V.

Motor hidráulico
Dispositivo no circuito hidráulico que converte pressão do fluido em movimento mecânico.

Multiviscoso ou multigraduado
Óleo com uma viscosidade que satisfaz os requisitos de mais do que um grau do sistema de
classificação SAE.

MVI
Índice de viscosidade médio (“Medium Viscosity Index”), isto é, com um índice de viscosidade
entre 30 e 85.

Nafténico
Termo alternativo para cicloalcano, que deixou de ser considerado como terminologia correcta.

Óleo básico
Mistura de óleos minerais refinados que formam a base para uma formulação de um óleo
lubrificante, em que são geralmente misturados aditivos para produzir o lubrificante final.

Óleo mineral
Óleo extraído do petróleo bruto.

Óleo universal
Lubrificante para tractores e outras máquinas agrícolas capaz de simultaneamente realizar as
funções de óleo para motor, transmissão e sistema hidráulico.

Parafínico
Termo alternativo para alcano, que deixou de ser considerado como terminologia correcta.

Pascal
Unidade de pressão equivalente à força de um Newton aplicado uniformemente sobre a área
de um metro quadrado.

Passo
Em engrenagens, a distância entre pontos idênticos em dentes de engrenagens adjacentes na
mesma roda de engrenagens.

13
Penetrómetro
Dispositivo usado para medir a consistência de uma massa lubrificante. É um cone de
dimensão e peso especificados que se deixa penetrar na graxa sob o seu próprio peso.

Pinhão
A roda de engrenagem menor de um par de engrenagens.

Pinhão e cremalheira
Sistema de engrenagens usado para converter movimento rotativo em movimento linear ou
vice-versa. Consiste de uma barra dentada (cremalheira) que engrena com uma roda dentada
(pinhão).

Pino do pistão
Pino de metal que liga o pistão e a biela num motor de combustão interna.

Pista de rolamento
Pista no anel interno ou externo de um rolamento, onde rolam os elementos rolantes.

Pistão
Cilindro deslizante que entra ajustado dentro de uma câmara cilíndrica, movendo-se em vaivém
dentro desta por acção de ou contra pressão.

Pistola de massa lubrificante


Dispositivo accionado por um pistão para o reabastecimento manual de massa lubrificante.

“Pitting”
Em engrenagens, tipo de desgaste em que se desenvolvem fissuras nos dentes das
engrenagens devido a fadiga do metal, causado por sobrecarga.

Polialfaolefinas
Fluido sintético algumas vezes usado como óleo básico para massas lubrificantes, para fins
especiais. Podem ser usadas nas condições mais severas, por exemplo, na indústria
siderúrgica e em juntas homocinéticas (velocidade constante) em veículos automotores.

Polimento das paredes dos cilindros


(“Bore polishing”)
Uma situação que pode ocorrer em cilindros de motores turbo alimentados, quando as paredes
dos cilindros apresentam um aspecto muito polido. O polimento das paredes dos cilindros
muitas vezes leva a um aumento do consumo de óleo e desgaste e
diminuição da eficiência do motor.

Polímero
Composto químico de grande dimensão molecular que é constituído de numerosas moléculas
pequenas unidas entre elas.

Ponto de fluxão (fluidez)


Temperatura mais baixa em que um óleo ainda fluí.

Ponto de inflamação
A temperatura mais baixa em que os vapores libertados por um líquido se podem inflamar em
contacto com uma chama.

Ponto de gota
Temperatura em que uma massa lubrificante se liquefaz.

“Refinado” (“Raffinate”)
Fracção obtida durante a fabricação de óleos lubrificantes do petróleo bruto; consiste
principalmente de alcanos e cicloalcanos.

Relação de corte ou cisalhamento


Diferença de velocidade no movimento entre duas camadas adjacentes em um corpo sujeito a
uma força ou esforço de corte ou cisalhamento.

14
Relação de transmissão
Relação entre a velocidade de entrada e a de saída de um sistema de engrenagens.

Relação P/c
Factor usado pelos fabricantes de rolamentos para auxiliar na selecção do lubrificante
adequado.

“Resíduo de vácuo” (“short residue”)


A fracção menos volátil de óleo que resta depois do estágio de destilação a vácuo, na refinação
de petróleo bruto. Dependendo do tipo de petróleo bruto, é deste resíduo que se extrai a
matéria-prima para a produção de óleos base.

Retenção de ar (“Air Entrainment”)


Retenção de bolhas de ar num líquido.

Rolamento
Termo genérico que descreve todos os tipos de rolamentos de esferas ou rolos.

Rolamento auto compensador ou de auto alinhamento


Rolamento em que a carga aplicada é distribuída uniformemente dentro do rolamento mesmo
quando o alinhamento do eixo muda.

Rolamento de agulhas
Rolamento em que os elementos rolantes têm a forma de cilindros longos e finos.

Rolamento cónico
Rolamento que é adequado para suportar tanto cargas radiais como de impulso porque os
seus elementos rolantes têm forma cónica.

Rolamento de esferas
Chumaceira circular em que o atrito é reduzido por esferas metálicas que rolam facilmente
numa ranhura em volta do eixo suportado.

Rolamento de rolos ou roletes


Chumaceira circular de rolamento em que o atrito é reduzido por rolos ou roletes metálicos que
correm facilmente numa ranhura em torno do eixo suportado.

Rpm
Rotações por minuto.

Sabão
Composto formado pela reacção entre o hidróxido de um metal (ex.: soda cáustica) e um ácido
gordo (ácido orgânico derivado de gorduras naturais).

Saponificação
A conversão química de um ácido gordo e uma base num sabão.

“Scoring” (Riscagem ou arranhamento)


Em engrenagens, o mesmo que “scuffing”.

“Scuffing” (Riscagem ou arranhamento)


Em engrenagens, tipo de desgaste que ocorre quando há contacto metálico directo entre os
dentes das engrenagens.

Separação da água
Capacidade de um óleo lubrificante se separar de qualquer água que se tenha misturado com
ele.

Separação de óleo
Em massas lubrificantes, a separação do óleo base do espessante.

15
Separador
Em rolamentos, o mesmo que espaçador ou gaiola. Em sistemas de ar comprimido, o mesmo
que separador “coalescente” (“coalescer”).

Separador coalescente (“Coalescer”)


Dispositivo usado em sistemas de ar comprimido para remover óleo do ar comprimido.

Silicone
Polímero sintético complexo, composto de unidades contendo silicone e muito usado onde é
necessário um lubrificante quimicamente inerte.

Sintético
Produzido artificialmente, não ocorrendo naturalmente.

Sistema de lubrificação centralizada


Método para a distribuição de lubrificante de um reservatório ou tanque central para diversos
pontos a serem lubrificados através de uma rede de linhas de distribuição.

Sistema SAE
Sistema desenvolvido pela Sociedade de Engenheiros de Automóveis (“Society of Automotive
Engineers”) para classificar lubrificantes para motores e engrenagens, de acordo
essencialmente com a sua viscosidade.

“Squawk”
Som abrupto e penetrante por vezes emitido por sistemas de travões imersos em óleo.

“Stick-slip”
Tipo de movimento irregular em que uma parte móvel de uma máquina tende a agarrar à
medida que o atrito estático vai aumentando até ao máximo e depois escorrega quando esse
atrito é vencido.

Super alimentador
Dispositivo capaz de fornecer ar a um motor de combustão interna a uma pressão “acima da
normal”.

Super aquecimento (“Burning”)


Em engrenagens, um tipo de desgaste causado pelo super aquecimento devido a excesso de
atrito.

TAN (Número de Acidez Total)


“Total acid number”: medida da acidez de um lubrificante, geralmente expressa em termos da
quantidade de álcali ou base necessária para o neutralizar. Uma medida do TAN pode dar uma
indicação do grau de deterioração de um óleo em serviço, devido a oxidação.

Taxa ou relação de compressão


Em compressores alternativos e motores de pistão, relação entre os volumes de gás no cilindro
quando o pistão está no ponto mais baixo e no topo do seu movimento dentro do cilindro.

TBN (Número de Basicidade Total)


“Total Base Number”: medida da reserva de basicidade de um lubrificante. A medida do TBN
pode muitas vezes fornecer informação importante sobre a depleção dos aditivos básicos.

Temperatura limite de bombeamento (“Border line pumping temperature – BPT”)


A temperatura mais baixa em que um óleo para motores pode ser contínua e adequadamente
alimentado à bomba de óleo de um motor.

Teste de performance
Método de ensaio de lubrificantes em que as condições de trabalho previstas para o lubrificante
são simuladas com a maior precisão possível. Os testes são geralmente realizados em altos
níveis de severidade.

16
Teste “mata-borrão” (mancha de óleo)
Teste que revela a quantidade aproximada e tipo geral de contaminantes num óleo usado de
motor.

Torque
Força que tende a gerar rotação.

Toxicidade
Capacidade de uma substância causar danos a organismos vivos.

Transmissão
Conjunto de componentes, incluindo embraiagem, caixa de velocidades e eixo propulsor ou de
transmissão, através do qual potência é transmitida do motor de um veículo para as rodas.

Travões imersos em óleo


Sistema de travões usado em aplicações na industria automóvel (ex.: tractores agrícolas) que é
montado na caixa de velocidades ou diferencial em vez das rodas.

Turbo alimentador
Dispositivo tipo compressor accionado por uma turbina que funciona com os gases de escape,
usado para fornecer ar a pressão superior à normal aos cilindros de um motor de combustão
interna.

Turbina a gás
Motor rotativo com um eixo de accionamento equipado com palhetas que rodam por efeito da
pressão do gás que passa sobre elas.

Velocidade da linha primitiva


A velocidade linear com que a linha primitiva de uma engrenagem se move.

Verniz
Camada dura, brilhante e transparente sobre as superfícies de trabalho, encontrada em
motores e derivada dos produtos de degradação do combustível e lubrificante.

Viscosidade
Resistência ao escoamento ou fluxo.

Viscosidade absoluta
Ver viscosidade dinâmica

Viscosidade aparente (de uma massa lubrificante)


A viscosidade observada numa massa lubrificante, que varia com a temperatura e vazão.

Viscosidade cinemática
Definição de viscosidade geralmente usada pelos fabricantes de lubrificantes. É igual à
viscosidade dinâmica de um líquido dividida pela sua densidade.

Viscosidade dinâmica
A viscosidade de um fluido definida como a tensão de corte ou cisalhamento (força que gera o
movimento entre camadas adjacentes do fluido) dividida pela relação de corte ou cisalhamento
(diferença em velocidade entre camadas adjacentes do fluido).

Viscosímetro
Instrumento para medir a viscosidade.

Viscosímetro Brookfield
Equipamento de laboratório que mede a viscosidade de fluidos não-Newtonianos.

Visgage
Dispositivo patenteado para a medição rápida de viscosidades.

17
Volante (do motor)
Roda pesada que gira em um eixo e pode reduzir flutuações na velocidade de rotação do eixo
e armazenar energia para uso futuro.

Volatilidade
Tendência de um óleo se evaporar quando é aquecido.

W
Quando usado com o sistema SAE para classificação de óleos, é uma indicação de que o óleo
é adequado para utilização no Inverno (“W=Winter”).

XHVI
Óleo básico e fluido semi-sintético da Shell com características de alto índice de viscosidade e
baixa volatilidade.

(*) José Guimarães (Eng.)

18