Você está na página 1de 110

CURSO

DE
MAGIA
MAPA ASTRAL

NOME MÁGICO:

SIGNO SOLAR:

SIGNO LUNAR:

SIGNO ASCENDENTE:

DEUS REGENTE PANTEÃO GREGO:

DEUS REGENTE PANTEÃO EGIPCIO:

DEUS REGENTE PANTEÃO HINDU:

DEUS REGENTE PANTEÃO NÓRDICO:

PLANETA REGENTE:

SIGNO CHINÊS:

ANIMAL SIMBÓLICO:

ANJO REGENTE:

INCENSO:

COR:

ERVA:
HISTÓRIA DA MAGIA

Um Mago é capaz de realizar prodígios. No mundo da magia é possível realizar


coisas impossíveis pelas leis naturais, que limitam o resto das pessoas. No Livro da
Magia Sagrada de Abramelin, o Mago afirma que poderia se transportar de um lugar
para outro. Crowley podia apontar sua varinha mágica e pronunciar algumas
palavras mágicas para atear fogo numa lareira. Segundo testemunhos podia usar
magia para se transformar em um cão, ou outro animal.

Por mais que nos encante ler a respeito das proezas desses magos, a maioria das
pessoas no mundo moderno, não acredita em magia. Apreciamos as apresentações
de mágicos nos teatros ou circos, que nos dão a experiência da magia, mas na
verdade não esperamos que eles façam o impossível acontecer. Sabemos que tudo se
trata de ilusão. E também não são muitos os que no mundo moderno acreditam
como no passado, na ideia de que o mundo é controlado por seres sobrenaturais, cujo
poder pode ser subjugado e usado por humanos a fim de alcançar seus objetivos.

Porém, ao longo de quase toda a história ocidental, as pessoas acreditaram de fato


na magia e confiavam em forças invisíveis e sobrenaturais para exercer poder sobre
os outros ou para controlar o mundo natural. As pessoas praticavam a magia para
adquirir conhecimento, amor e riqueza, para curar doenças e prevenir-se contra
perigos, para prejudicar ou enganar os inimigos, para ganhar guerras, para garantir o
sucesso ou a produtividade e para conhecer o futuro. Os métodos mágicos
compreendiam muitas das técnicas ensinadas em Ordens Mágicas Ancestrais, como
feitiços, poções, encantamentos e divinação, bem como rituais e cerimônias
minuciosas, destinadas a invocar deuses, demônios e espíritos. A prática da magia
ajuda as pessoas a aliviar suas tensões e aflições, pois nada melhor do que controlar o
curso de suas vidas.

DEUSES GREGOS

APOLO: DEUS DO SOL, DAS ARTES E DA CURA.

HADES: DEUS DO SUBMUNDO.

ZEUS: DEUS DAS TEMPESTADES.

ARES: DEUS DA GUERRA.

CRONOS: DEUS DO TEMPO E DESTINO.

DIONISIO: DEUS DAS FESTAS.

EROS: DEUS DA SEXUALIDADE.

HEFESTO: DEUS DO FERRO.

HÉCATE: DEUSA MÃE DA MAGIA.


PROMETHEUS: DEUS DA HUMANIDADE.

AFRODITE: DEUSA DA PAIXÃO.

ÁRTEMIS: DEUSA DA NATUREZA E DA VIRGINDADE.

ATENA: DEUSA DA SABEDORIA.

DEMÉTER: DEUSA DA FERTILIDADE.

HERA: DEUSA DO CASAMENTO.

HERMES: DEUS DA DIVINAÇÃO.

HÉSTIA: DEUSA DA FAMÍLIA.

POSEIDON: DEUS DOS MARES.

PANDORA: DEUSA DO CAOS.

CUPIDO: DEUS DO AMOR.

DEUSES EGÍPCIOS

AMON: DEUS DA CRIAÇÃO.

ANÚBIS: DEUS DOS MORTOS.

BASTET: DEUSA DA FERTILIDADE.

HÓRUS: DEUS DA ILUMINAÇÃO.

ISÍS: DEUSA DA MAGIA.

NEFTIS: DEUSA DOS RIOS.

OSÍRIS: DEUS DA REENCARNAÇÃO.

SELKIS: DEUSA PROTETORA DA MAGIA.

SETH: DEUS DO MAL.

SOKARIS: DEUS DAS TREVAS.

THOT: DEUS DA SABEDORIA.

RÁ: DEUS DO SOL.

DEUSES HINDUS

BRAHMA: DEUS DO UNIVERSO.


KAHLI: DEUSA DO CAOS.

KRISHNA: DEUS DA HUMANIDADE.

SHIVA: DEUSA DA destruição.

VISHNU: DEUS DO VENTO.

GANADESH: DEUS DA PROSPERIDADE.

DEUSES NÓRDICOS:

ALCIS: DEUS DO CÉU.

DAG: DEUS DO DIA.

NÓTT: DEUS DA NOITE.

FORSETI: DEUS DA JUSTIÇA.

FREYA: DEUSA DO AMOR.

FREYR: DEUS DA VIRILIDADE.

LOKI: DEUS DA MENTIRA.

MÁNI: DEUS DA LUA.

NERTHUS: DEUSA DA TERRA.

ODIN: DEUS DA SABEDORIA E DO ESTUDO.

THOR: DEUS DAS TEMPESTADES.

ESLI: DEUS DA DISCÓRDIA.

MAGIA E RELIGIÃO
Em todas as sociedades antigas, a magia e a religião estavam interligadas.
Acreditava-se que havia muitos deuses e espíritos secundários, bons ou maus, que
controlavam a maioria das coisas da vida, eram responsáveis pelo sol e pela chuva,
pela prosperidade e pela pobreza, pela doença e pela saúde. 0 propósito da magia era
agradar ou controlar esses espíritos. Assim como a religião, a magia compreendia
rituais e cerimônias que apelavam aos deuses. As pessoas acreditavam que os
mágicos, assim como os sacerdotes, tinham um acesso privilegiado aos deuses. Só
que, em vez de adorar essas divindades, os mágicos lhes pediam, ou até exigiam,
favores.
Às vezes os magos apelavam aos deuses simplesmente para obter ajuda quando
queriam lançar um feitiço ou proferir uma maldição. Mas muitas vezes também
tentavam fazer essas divindades materializarem "em pessoa". Depois de cumprir
uma cerimônia especial a fim de convocar ou invocar um espírito, um mágico da
antiga Babilônia ou do Egito podia ordenar ao espírito que levasse embora a doença
abatesse um inimigo ou garantisse alguma vitória política. Era costume ameaçar uma
divindade menor com um castigo a ser aplicado por espíritos mais poderosos, caso as
exigências do mágico não fossem satisfeitas. Em seguida, o mago dispensaria a
divindade, enviando-a de volta para o mundo dos espíritos. Centenas de documentos
da antiguidade confirmam que tentar recrutar espíritos era uma atividade comum,
ainda que muitas vezes frustrante, na Grécia e na Roma antigas.

Quase todas as formas de magia antiga dependiam do conhecimento prévio dos


nomes secretos dos deuses. Pensava-se que muitas divindades tinham dois conjuntos
de nomes, os nomes comuns, que todos sabiam, e os nomes secretos, conhecidos
apenas pelas pessoas que estudaram as artes mágicas. De certo modo, esses nomes
secretos foram as primeiras palavras mágicas. Faladas ou escritas, julgava-se que elas
tinham um grande poder, pois se acreditava que saber o nome verdadeiro de um
deus tornava o mágico capaz de invocar todos os poderes que o deus representava.
Os sacerdotes egípcios davam a suas divindades nomes compridos, complicados e
muitas vezes impronunciáveis, para que forasteiros não pudessem aprendê-los com
facilidade. Dizia-se que Moisés havia dividido as águas do mar Vermelho ao
pronunciar o nome secreto de Deus, com setenta e duas sílabas, que só ele conhecia.
E, segundo o escritor grego Plutarco, o nome da divindade guardiã de Roma foi
mantido em segredo após a fundação da cidade e era proibido perguntar qualquer
coisa a respeito dessa divindade - nem mesmo se era macho ou fêmea -, para que os
inimigos de Roma não descobrissem esse nome e invocassem o deus para seus
próprios fins.
À medida que as civilizações antigas foram entrando em contato umas com as outras,
tornou-se cada vez mais comum que os mágicos de uma cultura "experimentassem"
os nomes dos deuses de outras regiões. Alguns dos manuscritos mais antigos com
registros de práticas mágicas, redigidos nos séculos III e IV, contêm listas compridas
com os nomes dos deuses de muitas religiões, que poderiam ser inscritos em talismãs
e amuletos, ou incorporados a feitiços e encantamentos. Um dos encantamentos
mais famosos entre os magos gregos e egípcios do século III, supostamente tão
poderoso que "o sol e a terra se curvam, humildes, quando o escutam; rios, mares,
pântanos e fontes se congelam quando o escutam; pedras explodem quando o
escutam", era composto com os nomes de cem divindades reunidos.

O PODER E A MAGIA DAS PLANTAS

Aqui estão alguns dos motivos que nos leva a fazer uma magia, e para
estes considerados os mais importantes, segue uma lista das ervas que
auxiliam nas magias.
NEGÓCIOS: benjoim, canela, cravos da índia, louro.
ADIVINHAÇÃO: alecrim, anis estrelado, Artemísia, canela, freixo, louro,
noz-moscada, rosa, sândalo.
FERTILIDADE: carvalho, girassol, mandrágora, noz, papoula, pinho,
romã, rosa.
SAÚDE E CURA: alecrim, arruda, canela, cardo bento, cravo, eucalipto,
freixo, hortelã, lavanda, maçã, mirra, narciso, rosa, sálvia, violeta.
AMOR: alecrim, canela, cominho, coentro, jasmim, laranja, lavanda,
limão, lírio, maçã, manjericão, verbena, violeta.
DINHEIRO: amêndoa, Artemísia, brionia, camomila, cravo, jasmim,
madressilva, manjericão, menta, trigo.
PROTEÇÃO: alecrim, angélica, arruda, boca de leão, Artemísia, erva
doce, freixo, louro, peônia, verbena, visgo.
PURIFICAÇÃO: açafrão, alfazema, alecrim, anis, arruda, hortelã,
lavanda, limão, louro, mirra, olíbano, sabugueiro, sândalo, sangue de
dragão.

O CAMINHO DÉVICO

Do ponto de vista iniciático, a realização completa e perfeita do


trabalho alquímico e mágico pode nos levar a ver três Caminhos de
Realização espiritual. Vêm a ser:

1. Senda Nirvânica, escolhida por aqueles que trabalham com os


mundos paradisíacos dos Budas; é o caminho do Êxtase.
2. Senda Direta, escolhida pelos Mestres que desejam encarnar o
Cristo Cósmico e perder-se completamente no Absoluto de Deus.
3. Senda Dévica, ou Caminho Angélico, responsável pela
manutenção da Grande Obra da Natureza; a esse Caminho
escolheram os Seres que decidiram unir-se à evolução dos anjos e
ser discípulos dos grandes Deuses, chamados de Gurus-Devas, os
Supremos Construtores.

RITUAL DE ENERGIZAÇÃO DA TERRA

Sente-se ou deite-se de forma confortável, procurando ficar numa


posição imóvel. Relaxe o corpo e solte toda tensão muscular. Sinta
a vida que se manifesta em cada parte de seu corpo. Depois de
relaxado o corpo, imagine que de várias partes dele se estendem
raízes que penetram por muitos quilômetros no interior da terra.
Sinta que a terra é o corpo de um ser gigantesco que alimenta e
fortalece seu corpo físico com luz, vida, força e alegria de viver.

Enquanto realiza este exercício, sinta que os mais sinceros


sentimentos que brotam de seu coração se espalham, auxiliando na
cura do planeta. Sinta que é uma troca. Você recebe e dá ao mesmo
tempo.

Finalmente, vocalize, ou mentalize somente, o mantra AOM por 3


vezes, agradecendo à Divina Mãe Natureza pela vida, saúde,
harmonia e paz em sua vida.

A ESFINGE ELEMENTAL

A civilização egípcia data de um período netuniano--amentino


antiquíssimo.

A Esfinge, que tem resistido ao curso dos séculos, é tão somente a


imagem da Esfinge elemental da Deusa Natureza.

Essa Esfinge elemental é a suprema Mestra de toda a Magia


Elemental da Natureza.

A entrada ao Templo da Esfinge localiza-se na testa da Esfinge, na


quarta dimensão

Quando o Mestre chega à quinta Iniciação dos Mistérios Maiores,


sete caminhos aparecem diante dele, dentre os quais deve escolher
um.

A evolução dévica é um deles. Os devas são os Deuses dos paraísos


elementais da natureza.

Agni, Deus elemental do fogo, restaura os poderes ígneos de nossos


sete corpos através de cada uma das sete grandes Iniciações de
Mistérios Maiores.

A própria Deusa Natureza é um Guru Deva que governa a criação.

Apolo, Deus do fogo, guiou a civilização grega pela boca das


pitonisas do oráculo de Delfos.

Osíris e Hórus foram grandes Deuses elementais do velho Egito.

No Colégio da Esfinge, podemos estudar os grandes mistérios da


Magia Elemental da Natureza.

Os Gurus Devas trabalham com toda a natureza e com o homem.


São verdadeiros Mestres de compaixão.
Indra, Deus do éter; Agni, Deus do fogo; Pavana, Deus do ar; Varuna,
Deus da água, e Kitichi, Deus da terra, são Gurus Devas que
governam os paraísos elementais da Deusa Elemental do Mundo.

Medina Cifuentes, autor de Tesouros Ocultos, equivoca--se ao


afirmar absurdamente que os devas já nada têm a ver com a
evolução humana.

Os Gurus Devas trabalham com o homem e com os elementais da


grande natureza. Os Gurus Devas parecem verdadeiros meninos
inocentes.

Vivem e brincam como meninos. São discípulos da Esfinge


Elemental da Natureza, grande Mestre desses meninos devas.

DATAS COMEMORATIVAS E OS SABATHS

01 DE JANEIRO: PRIMEIRO DIA DO ANO

01 DE FEVEREIRO: SABATH DE LUGHNASADH

08 DE MARÇO: DIA DA MULHER

21 DE MARÇO: SABATH DE MABON

27 DE MARÇO: LIBER PARTER- DIA DOS HOMENS

30 DE ABRIL: SABATH DE SAMHAIN

3 DE MAIO: DIA DO SOL

21 DE JUNHO: SABATH DE YULE

01 DE AGOSTO: SABATH DE IMBOLG

13 DE AGOSTO: DIA DE HÉCATE

21 DE SETEMBRO: EQUINÓCIO DE PRIMAVERA

31 DE OUTUBRO: HALLOWEEN

01 DE NOVEMBRO: SABATH DE BELTANE

02 DE NOVEMBRO: DIA DOS MORTOS

07 DE NOVEMBRO: NOITE DE HÉCATE

29 DE NOVEMBRO: NOITE DOS VAMPIROS

30 DE NOVEMBRO: NOITE DOS FEITIÇOS


01 DE DEZEMBRO: NOITE DA ADIVINHAÇÃO

21 DE DEZEMBRO: SABATH MIDSUMMER

SAMHAIN

Samhain é tempo de reflexão, em que olhamos para o Ano que


passou e procuramos reconhecer nossos atos e deles extrair o
significado de nossa vivência. Nesse dia, as bruxas sentem que o
grande portal que separa a realidade física da espiritual está
aberto, e nessa noite relembramos nossos ancestrais e podemos
estabelecer intensa ligação com eles. O altar deve ser ornamentado
com maças e folhas de cipreste, e em seu centro deve-se colocar
uma cuia cheia de água e algumas velas acesas. É o dia da
celebração da escuridão e da morte , e os espíritos nos auxiliam na
leitura de oráculos. Em Samhain reverenciamos a Deusa no seu
aspecto de Senhora dos Mistérios e Deus, em seu aspecto de
Senhor da Morte. É o período em que o ciclo se cumpre, deixando-
nos a esperança do renascimento.

ERVAS TÍPICAS:
Maçãs,Verbena,Abóboras,Sálvia,Palha,Crisâtemo,Absinto,Pêra,Avel
ã,Romã ,Grãos, Castanhas e Milho.

COMIDAS TÍPICAS:
Beterrabas,Nabos,Milho,Castanhas,Gengibre,Cidra,Vinho Quente e
pratos com abóboras e pratos com carne.

YULE

Yule é um tempo de grande escuridão, da mais longa noite do ano,


quando o inverno se estabelece. Entre os antigos povos primitivos,
era o dia em que imploravam que o inverno não fosse por demais
rigoroso e que as forças da natureza estivessem sempre ao seu
lado.

No período de Yule, devemos ornamentar nosso altar com azevinho,


folhas de figueira ou cipreste e manter velas acesas simbolizando o
retorno da luz do Sol. Esse é o tempo da realização de feitiços e
preparação de amuletos voltados para a proteção.
Em Yule, honramos a Deusa no seu aspecto divino e eterno de Mãe,
sendo Deus sua criança divina, o novo ano solar.

ERVAS TÍPICAS: Louro, Camomila, Alecrim, Sálvia, Zimbo, Cedro e


outras.

COMIDAS TÍPICAS: castanhas, frutas como a maçã e peras, bolos


de castanhas embebidos de cidra, chás de gengibre ou hibisco.

IMBOLG

É o sabbath dedicado à purificação. É a festa da fertilidade,


caracterizada por muitas velas acesas, que representam nossa
própria iluminação e inspiração. Imbolc também é conhecido como
Oimelc, Lupercalia, Festa de Pã, dia de Brigit, além de outro nomes.

Nesse período, não existem flores nem frutos no altar,


representando o que acontece com a natureza.

É tempo propício para a realização de feitiços ligados à fertilidade e


à prosperidade. ERVAS TÍPICAS: Angélica, Manjericão, Louro,
Benjoin, Urze, Mirra e Flores amarelas

COMIDAS TÍPICAS: Laticínios, Creme azedo, Comidas


condimentadas e encorpadas, Pratos com pimenta, curry, cebolas,
cebolinha ou alho - porro, pratos com passas e um vinho bem forte.

EQUINÓCIO DE PRIMAVERA

Ostara ou Equinócio de Primavera. Neste dia comemoramos o


primeiro dia de primavera, quando as energias da natureza
desabrocham de forma exuberante.

É o tempo em que a Deusa envolve a Terra com seu manto fértil.

No período de Ostara, noites e dias são iguais. É o tempo em que


vivenciamos o começo enquanto ação que nos leva a novos
acontecimentos.

Nosso altar deve estar decorado com narcisos e ovos coloridos. Os


narcisos representamos primeiras flores da primavera e os ovos
pintados, a fertilidade. Devem ser realizados feitiços ligados a
começos, ou seja, novos amores, nova casa, novo emprego, nova
vida, etc.

ERVAS TÍPICAS: Cinco-folhas, Narciso, Madressilva, Íris,


Jasmim,Rosa, Morango e Violeta.

COMIDAS TÍPICAS: Sementes como o Girassol,abóbora e


gergilin,assim como Castanhas de Pinheiro. Brotos, verduras
folhosas e verdes. Pratos com flores, como nastúrcios recheados ou
bolinhos de cravo.

BELTANE

O altar deve estar decorado com uma grande variedade de flores. É


tempo dos feitiços ligados à fertilidade feminina e ao amor.

Beltane é tempo de celebração da Sagrada União.

ERVAS TÍPICAS: Amêndoa, Angélica, Freixo, Margarida,


olíbano,Hera,Mal-me-quer.

COMIDAS TÍPICAS: Alimentos vindos ou derivados do Leite, Creme


de cravo-de-defunto,Sorvetes de baunilha, bolos de aveia.

MIDSUMMER

É o tempo do solstício de verão, quando os poderes da Natureza se


encontram no apoge. Tudo é claro, e o sol brilha com enorme
intensidade.

É tempo das flores solares, como o girassol e a calêndula. O altar


deve ter muitos girassóis expressando a potência do Sol nessa
época. Ervas mágicas devem ser queimadas no incensário e é
também o tempo de colher.

Os feitiços são os que estão destinados a aumentar nossas


energias e também os de proteção.

ERVAS TÍPICAS:
Camomila,Sabugueiro,Lavanda,Artemísia,Pinho,Rosas,Verbena,Sam
ambaia,Cravo, Margarida,Lírio e Hera.
COMIDAS TÍPICAS: Frutas frescas e vinho doce.

LUGHNASADH

É o período da colheita, quando as plantas da primavera mostram


seus frutos e sementes, assegurando, assim, futuras colheitas.

No altar devemos colocar ramos de trigo, espigas de milho e flores


da estação. Assamos bolos e pães, e os comemos junto com outros
frutos do verão.

É tempo de agradecer o alimento recebido e realizar os feitiços


ligados à prosperidade.

ERVAS TÍPICAS: Flores de Acárcia, Aloé,Talo de milho, olíbano,


Girassol, Trigo, Maça Verde, Uva, Pêra, Groselha, Abrunho e Urze.

COMIDAS TÍPICAS: Pães, Amoras pretas e outras frutinhas, frutos


do Carvalho(já livres de seu veneno),Maçãs Verdes, Frutas da época
e Vinho de Uva.

MABON

É o período da colheita, quando as plantas da primavera mostram


seus frutos e sementes, assegurando, assim, futuras colheitas.

No altar devemos colocar ramos de trigo, espigas de milho e flores


da estação. Assamos bolos e pães, e os comemos junto com outros
frutos do verão. É tempo de agradecer o alimento recebido e
realizar os feitiços ligados à prosperidade.

ERVAS TÍPICAS: Flores de Acárcia, Aloé,Talo de milho, olíbano,


Girassol, Trigo, Maça Verde, Uva, Pêra, Groselha, Abrunho e Urze.

COMIDAS TÍPICAS: Pães, Amoras pretas e outras frutinhas, frutos


do Carvalho(já livres de seu veneno),Maçãs Verdes, Frutas da época
e Vinho de Uva.

AS 4 DIREÇÕES E OS ANIMAIS DE PODER


Nas tradições xamânicas, assim como nas orientais, a religião, a
filosofia , e toda a vida gira em torno da idéia da Unidade. De que toda
a Criação é um só organismo, totalmente interligado, interagente e
interdependente. E absolutamente consciente. Uma grande teia
inteligente.
E esta é outra idéia central do Xamanismo (e do Oriente): que toda a
Criação é consciente. Os minerais, animais, vegetais, seres humanos
(e todos os outros que provavelmente existem), todos os átomos do
universo, todos expressam – cada um segundo sua natureza – a
mesma eterna Consciência.
Dentro desta perspectiva, podemos dizer que todo o Universo está
dentro de nós, que não há nada fora de nós que não tenhamos (ou que
não saibamos) e de que realmente necessitemos (até de comida tem
gente que já prescinde…).
O que necessitamos é nos (re)lembrarmos de nossa Natureza Real,
a Unidade. Nossa coexistência consciente como co-criadores do
Universo.
Quando a humanidade criou as Mitologias, seus deuses e símbolos,
o que se estava fazendo na verdade, era colocar fora do homem o que
ele já tem dentro mas não entra em contato, não desenvolve.
Poderes, talentos, qualidades, capacidades, virtudes. Aí criamos
personagens-símbolo arquetípicos que vão espelhar para nós o que
pensamos que não temos, e que pensamos que pode vir de fora, que
pode nos ser dado por alguém.
Quando eu adoro um Deus, ou peço uma qualidade de um Animal de
Poder ou de uma Direção, estou na verdade, puxando de dentro de
mim mesmo estas mesmas qualidades.
E é claro, como tudo é Um, as mesmas virtudes e qualidades que
estão dentro de cada um, estão em todo o Universo e são
gerenciadas por energias inteligentes, que na perspectiva do
Xamanismo, também são experienciadas como os Animais de Poder.
Na cultura Hindu, estudando-se os Chakras, podemos ver que cada
Chakra está relacionado a um animal. E no Hatha Yoga, temos
inúmeras Asanas inspiradas em plantas e em animais.
Considerando que toda a criação é Consciência e movimento (ou
permanência e impermanência, ou ainda, absoluto e relativo), todas
as tradições se ocuparam em compreender e codificar este complexo
movimento universal criando diversos sistemas dialéticos, e também
em entender e instrumentalizar o uso da energia cósmica, produzindo
diversas leituras, métodos e técnicas.
O que vamos focar aqui é o sistema desenvolvido pelas tradições
nativas norte-americanas com a sabedoria das 4 Direções e dos
Animais de Poder.
A Roda de Cura, fisicamente falando, é uma roda de pedra com os 4
Pontos Cardeais demarcados. Esta formação geométrica tem a
capacidade de funcionar – assim como acontece com as pirâmides –
captando, concentrando e distribuindo Energia.
Simbolicamente, a Roda de Cura representa a Roda da Vida com seu
eterno movimento , fases, significados e simbolismos
característicos.

1. Leste: o índio começa contando do Leste (o Oriente), que é de


onde vem o Sol, a Luz. O Leste é o início. O início da vida na fase do
nascimento e da primeira infância. É a Primavera, o inicio do ciclo
das estações. É o elemento Fogo. A cor amarela. O Leste está
relacionado ao nível espiritual, e ao princípio masculino.
É a Direção da Águia.
A Águia é o ser vivo que voa mais alto e chega mais perto do Sol
(da Luz). A Águia decola de dentro do burburinho dos eventos da
vida, e de cima, observa de forma ampla e neutra a panorâmica
destes eventos. Sem envolvimento emocional (mas sem negar as
emoções) e consciente da transitoriedade deles. E quando mira um
objetivo, mergulha nele, absolutamente concentrada, captura a
presa e volta para a perspectiva do alto.
A Meditação treina muito bem a mente para este tipo de
funcionamento: aprender a observar sem julgar.
O Leste representa o arquétipo do Visionário.

2. Sul: é a Direção da juventude, da alegria, do jogo de cintura, da


criança interior. É a Direção do elemento Água, das emoções, dos
sentimentos. O Sul está relacionado ao nível emocional. A cor
vermelha e também ao Verão, a época da vida em que se está com
mais energia, mais calor, mais explosão. O Sul tem como animais
principais, o Coiote e o Golfinho. O Coiote é o “divino trapaceiro”
sempre pronto a nos dar uma rasteira quando nosso ego infla, é a
chamada “ironia do destino”. O Golfinho fala do alegre fluir das
emoções (da água), consciente da impermanência da vida.
Representa o arquétipo do Guerreiro.

3.Oeste: é a Direção que se relaciona com o inconsciente, com os


processos terapêuticos e a cura, com a Meditação, com os estados
transpessoais, com o mergulho interno. É a direção que expressa o
princípio feminino. Fala do elemento Terra e do Outono, a fase
adulta da vida.
A cor é o negro.
O Oeste está relacionado também ao nível físico da existência, a
saúde.
O Animal desta Direção é a Ursa, animal que parte do tempo está
na superfície, no mundo externo, e parte do tempo entra na
caverna, no silêncio do mundo interno e no contato com as outras
dimensões.
Representa o arquétipo do Curador.

4. Norte: é a Direção que tem a ver com os Mestres e com a


ancestralidade. Tem a ver com a Sabedoria e com o Conhecimento.
É a direção da ultima fase da vida, onde já se tem o que ensinar
para as gerações seguintes.
Relaciona-se com o elemento Ar, com o Inverno e com a cor
branca.
O Norte também está relacionado ao nível mental.
O Animal do Norte é o Búfalo, com suas quatro patas bem
conectadas com a Terra e os chifres conectados com o Céu.
Representa o arquétipo do Mestre.

HIERARQUIA

PLANO CELESTIAL: DEUS E OS ANJOS

REINO DAS ALMAS: ALMAS DOS MORTOS

PLANO ÉTEREO: DEUSES

PLANO TERRESTRE: ENCARNADOS

PLANO INFERNAL: LÚCIFER E OS DEMÔNIOS

UMBRAL: ENTIDADES

LIMBO: LUGAR DOS ESPIRITOS ATORMENTADOS


HIERARQUIA ANGELICAL
Serafins

A categoria angelical mais próxima de Deus. Apesar de Anjo não ter sexo nem idade, os Serafins
são considerados os mais velhos de todos os Anjos. São entidades superiores que conhecem a
infinita bondade. Seus deveres são velar, adorar e louvar à Santíssima Trindade, assim como
propagar o Princípio da Vida Universal e manifestar a gloria de Deus. Possuem poderes de
purificação e iluminação. O Príncipe desta categoria chama-se METRATON, ele governa todas as
forças da criação em beneficio dos habitantes da Terra. Reúne nas mãos o esplendor das sete
estrelas. Os Serafins constituem do 1º ao 8º gênio, para estar em contato chamam-lhe a
atenção livros e limpeza. Eles são oito: 1-VEHUIAH, 2-JELIEL, 3-SITAEL, 4-ELEMIAH, 5-MAHASIAH,
6-LELAHEL, 7-ACHAIAH, 8-CAHETHEL. Os Serafins são representados normalmente com seis asas
e rodeados de fogo.

Querubins

Recebem os raios da Divina Sabedoria de Deus e são responsáveis pela ordenação do caos
universal. Oferecem aos homens o conhecimento e as idéias. Acredita-se que o trono do Papa é
guardado por 4 Querubins. O Príncipe desta categoria chama-se RAZIEL, que é o Anjo dos
mistérios, o príncipe do conhecimento e guardião da originalidade. São os bebes, retratados
com simpatia e graça pelos pintores. Os Querubins constituem do 9º ao 16º gênio, para estar
em contato chamam-lhe a atenção doces e crianças. Os querubins são oito: 9-HAZIEL, 10-
ALADIAH, 11-LAOVIAH, 12-HAHAHIAH, 13-YESALEL, 14-MEBAHEL, 15-HARIEL, 16-HEKAMIAH. Os
Querubins são representados por uma criança gordinha, bochechuda, com jeito de garoto
moleque e travesso.

Tronos

Possuem uma essência muito pura e zelam pelo trono de Deus, oferecendo ao homem o sentido
de união. Recebem de Deus as ordens para depois comunicá-las às dominações e a outros
espíritos de menor poder. O Príncipe desta categoria chama-se Ariel, que simboliza as forças
criativas em ação, ajuda-nos a contemplar o futuro e é associado com a Terra. Os Tronos
constituem do 17º ao 24º gênio, para estar em contato chamam-lhe a atenção música. Anjos da
qualidade trono: 17-LAUVIAH, 18-CALIEL, 19-LEUVIAH, 20-PAHALIAH, 21-NELCHAEL, 22-IEIAIEL,
23-MELAHEL, 24-HAHEUIAH. Os Tronos são representados como Anjos jovens, bonitos, que
levam nas mãos um instrumento musical como a Harpa, a Citara ou uma Trombeta.

Dominações
São considerados de qualidade dominante, fazem cumprir a vontade do Senhor em todos os
seres celestiais. Aspiram à verdadeira soberania. Despertam no homem a força para vencer o
inimigo interior. O Príncipe desta categoria chama-se Uriel, que auxilia nas emergências e
processos de todas as naturezas, é o príncipe da profecia e da inspiração. Traz ideais
transformadores para concretizar as metas das pessoas fracas e desanimadas. Eles constituem
do 25º ao 32º gênio, para estar em contato chamam-lhe a atenção velas e oráculos. Anjos da
qualidade das dominações: 25-NITH-HAIAH, 26-HAAIAH, 27-IERATHEL, 28-SEHEIAH, 29-REYEL,
30-OMAEL, 31-LECABEL, 32-VASARIAH. Eles trazem como símbolo o cetro e a espada,
representam a autoridade e o poder divino sobre toda a criação.

Potências

Tem o grande objetivo de proteger todos os seres humanos do poder maligno e destrutivo do
demônio. São responsáveis pela ordem e pelos quatros elementos: Água, Terra, Fogo e Ar.
Quando invocados, interferem contra todas as tentações. O Príncipe desta categoria chama-se
KAMAEL, que interfere nas relações interpessoais e disciplinadoras. É o príncipe encarregado de
receber as influências de Deus, para transmiti-las aos Anjos dessa categoria. Eles constituem do
33º ao 40º gênio, para estar em contato chamam-lhe a atenção animais. Anjos da qualidade da
potência: 33-IEHUIAH, 34-LEHAHIAH, 35-CHAVAKIAH, 36-MENADEL, 37-ANIEL, 38-HAAMIAH, 39-
REHAEL, 40-IEIAZEL. Eles trazem como seu símbolo a espada flamejante.

Virtudes

São representados pelo Reino Mineral e pelas leis que regem a criação e considerados
orientadores das pessoas, de acordo com a vontade Divina. Traduzem o desejo de Deus e
oferecem ao homem discernimento. Eles tem o poder de acalmar a fúria da natureza, como
tempestades, maremotos e terremotos. Trabalham com milagres. O Príncipe desta categoria
chama-se RAPHAEL, que é o auxiliador dos trabalhos de cura, ele é a medicina de Deus. Será ele
quem conduzirá a nova geração para o ano 2000 e deverá remediar os males da humanidade.
Eles constituem do 41º ao 48º gênio, para estar em contato chamam-lhe a atenção aromas.
Anjos da qualidade das virtudes: 41-HAHAHEL, 42-MIKAEL, 43-VEULIAH, 44-YELAIAH, 45-
SEALIAH, 47-ASALIAH, 48-MIHAEL. Eles pode ser representadas levando na mão um cajado ou
um bastão.

Principados

São os protetores das comunidades e responsáveis pelo reino vegetal. Cada país, município,
bairro ou igreja tem um vigilante para defesa e amparo geral. Os principados vigiam os lideres
de todos os povos, seus protegidos tem facilidade de encontrar solução para os problemas. O
Príncipe desta categoria chama-se HANIEL, que ajuda a resolver todos os problemas de amor, é
invocado contra as forças do mal. Eles constituem do 49º ao 56º gênio, para estar em contato
chamam-lhe a atenção cristais. Anjos da qualidade dos principados: 49-VEHUEL, 50-DANIEL, 51-
HAHASIAH, 52-IMAMAIAH, 53-NANAEL, 54-NITHAEL, 55-MEBAHIAH, 56-POIEL. Eles são
conhecidos pelo cetro e pelas cruzes que trazem nas mãos.

Arcanjos

São os lideres entre os Anjos. Deus confia a essas criaturas celestiais, missões extraordinárias e
revelações acima da compreensão humana. Deus enviou o Arcanjo Gabriel para dar a notícia à
Maria de que ela seria mãe de Cristo. As pessoas abençoadas pelos Arcanjos são religiosas de
caráter impecável. O Príncipe desta categoria chama-se MIGUEL, seu nome é um grito de
batalha, invocado para coragem, defesa forte e proteção divina. Todo primeiro domingo de
cada mês, às 10 horas, o Arcanjo Mikael, está mais próximo da Terra. Eles constituem do 57º ao
64º gênio, para estar em contato chamam-lhe a atenção flores. Anjos da qualidade arcanjos:
57-NEMAMIAH, 58-IEIALEL, 59-HARAHEL, 60-MITZRAEL, 61-UMABEL, 62-IAH-HEL, 63-ANAUEL,
64-MEHIEL. Os Arcanjos levam nas mãos uma espada e um escudo.

Anjos

Encarregados de orientar e influenciar os homens no caminho da vida. São seres de luz,


responsáveis pelo desenvolvimento espiritual dos humanos. Não ocupam atribuições ou postos
especiais no exercício celestial. As pessoas sob o domínio dos Anjos gostam de liberdade, não
tem apego ao dinheiro, são bem-humoradas e inteligentes. O Príncipe desta categoria chama-se
GABRIEL, é o Anjo da esperança.Eles constituem do 65º ao 72º gênio, para estar em contato
chamam-lhe a atenção frutas. Anjos: 65-DAMABIAH, 66-MANAKEL, 67-AYEL, 68-HABUHIAH, 69-
ROCHEL, 70-YABAMIAH, 71-HAIAIEL, 72-MUMIAH. Não existe uma representação especial para
eles, tomam a forma com que você os imagina.

OS ELEMENTAIS
Os elementais são pequenos seres, considerados os primos dos anjos, que
protegem a natureza. Sua missão é estimular as forças do universo e governar
os 4 elementos : Fogo, Ar, Água e Terra. Assim como os anjos protegem os
seres humanos, eles protegem as plantas e os animais.
Estão sempre trabalhando para que a natureza funcione mecanicamente e,
quando isto ocorre, eles assumem seu aspecto real, aparecem como pontos
luminosos ou pequenas luzes coloridas no ar.
Os elementais podem assumir qualquer forma, num piscar de olhos, mas ao se
fazerem visíveis, geralmente assumem as formas e padrões humanos de
camponeses medievais, por causa da Egrégora ( forma de pensamento ) que se
criou em torno deles. Na realidade, eles ficam felizes em assumir uma forma
que já existia.
Os pesquisadores afirmam que alguns elementais se parecem muito com os
habitantes da antigua e extinta lemúria. Carregam ferramentas, bastões,
grinaldas, cinturões e podem aparecer das mais variadas formas. Isso só vai
depender da imaginação da pessoa que os vizualiza.
Os protetores dos elementos estão divididos em grupos de acordo com o seu
domínio e são eles : Silfos, Salamandras, Ondinas, Gnomos, Duendes, Elfos,
Dríades e Fadas.

SILFOS
Governam os elementos do ar e estão
presentes nos ventos e nas tempestades,
o seu Rei é "Paralda" . São seres sábios
que adoram as ciências e estão
associados à inteligência e responsáveis
pela tranquilidade. Para pedir sua
proteção, caminhe com passos lentos,
inspirando e expirando o ar, sem
prepcupação. Deixe seu corpo relaxado e
pense no pedido que quer ver realizado.
Faça esse ritual durante o dia e use
roupas claras.
SALAMANDRAS
Governam os elementos do fogo, estão
associadas ao Sol e relacionadas à
criatividade, o seu Rei é "Djinn". São
seres que favorecem a saúde,
promovendo a cura de doenças e o bem
estar em geral. Para pedir sua proteção,
à noite, acenda uma vela em qualquer
lugar de sua casa, menos no banheiro.
Sua cor preferida é o vermelho, vista uma
roupa dessa cor, olhe fixamente para a
chama da vela, enquanto faz o seu
pedido.
ONDINAS
Governam os elementos da água, seu Rei
é "Niksa", a maioria são do sexo
feminino, são muito belas e conhecidas
como ninfas. Estão presentes em mares,
rios, lagos e cachoeiras. Se precisar de
ajuda em relação ao amor, vá até um
desse locais, no final da tarde, use
roupas claras e faça o seu pedido, com fé
ele será atendido.
GNOMOS
Governam os elementos da terra, o seu
Rei é "Ghob". Protegem as pedras e os
minérios e representam a energia do
corpo. Se quiser entrar em contato com
eles, caminhe a noite com os pés
descalços na terra, e faça o seu pedido
do fundo do coração. Se tiver problemas
com dinheiro são eles que poderão
ajudar.

ELFOS
São encontrados nos bosques, nas algas
de beira mar e nas gramas. Costumam
ser mau-humorados, principalmente
quando as pessoas causam algum mal
ao ambiente que estão protegendo,
portanto pise na grama com cuidado, não
arranque musgos e líquens. Se você
encontrar um cogumelo, provavelmente
um Elfo o terá plantado.

DUENDES
Estão nas florestas e nos jardins, e são
os protetores do reino vegetal. São tidos
como brincalhões, jogam coisas para o
alto e gostam de pregar peças nos
humanos escondendo seus objetos. Se
você se perder num bosque, ah! foi um
duende que te enganou, prometa-lhe um
presente ( uma fruta, uma pedra, um anel,
etc ) e encontrará o caminho. Atenção
não se esqueça de cumprir com o que
prometeu, senão ele ficará zangado.
DRÍADES
Esses elementais moram nas árvores,
são seres muito idosos e zangados,
principalmente com quem maltrata as
árvores, suas protegidas. Não gostam de
lenhadores, se você precisar cortar uma
árvore na floresta, peça licença aos
Dríades, prometendo plantar uma muda
nova, para cada árvore que cortar, assim
estará fazendo as pazes com eles, mas
cumpra com o que prometeu, senão ele
mandará uma praga de cupins para sua
casa.
FADAS
A palavra fada deriva do latin, "Fata", que
significa o destino individual do homem,
geralmente representado por uma
mulher. São elementais femininos que
fertlizam as plantas e protegem as flores
e animais, ( com exceção dos coelhos,
que costumam colocá-las em situações
embaraçosas ). Durante a época em que
as sementes estão germinando, as fadas
cuidam da nova planta com todo carinho,
então elas cantam e dançam, e nessa
época, podem ser vistas com muita
frequência. Para entrar em contato com
as fadas, distribua plantas por toda a
casa e fique atento, quando menos
esperar, elas se manisfestarão para você.
Aproveite para conversar, pedir
conselhos, e aguarde as respostas
através dos sinais da natureza.

EVOLUÇÃO ELEMENTAL

O Reino Elemental age em direção ascendente, começando pela


menor das inteligências e indo até os Construtores das Formas, que
criam os corpos dos humanos, percorrendo os degraus da Natureza.
São eles que constroem montanhas, cidades e, finalmente, atingem
a dignidade de um Elohim ou se tornam Veladores Silenciosos de um
planeta, de um Sistema Solar ou de uma Galáxia.
O poderoso Maha Chohan trabalha em estreita colaboração com os
seres elementais. É Ele quem instrui estes pequenos seres, até que
estejam aptos para construírem as formas.
Em Seu Templo, na Terceira Esfera, eles recebem ensinamentos,
enquanto observam um modelo, que talvez represente uma
minúscula flor, uma gota de sereno ou flocos de neve. O Construtor
de uma forma que, ao mesmo tempo, é o Guardião do Templo,
objetiva um modelo e o deixa flutuar na atmosfera, a vista de seus
discípulos. Estes esforçam-se em obter a mesma forma,
corporificando-a. Experimentam imitá-la na cor, no molde e no
desenho. No principio, não são capazes de sustentar a forma por mais
de um segundo no máximo, dois segundos, mas continuam sendo
instruídos.
Finalmente, após várias experiências, conseguem, realmente,
corporificar a forma. Talvez ela represente a flor da maça.
Após o êxito dessas repetidas experiências, o instrutor daquele
Templo põe-se em contato com os Devas da Natureza para participar-
lhes que dispõe de um grupo de elementais já aptos ou capazes de
corporificar as flores da macieira, no pomar que lhes for determinado.
Tudo isto soa tão fácil no entanto, são necessários anos de
exercícios e autocontrole, não só aos seres elementais, como
também, ao Instrutor. Mas, enfim, chegam a tanto que surge uma
delicada primavera vestida de flores brancas e rosadas.
Flores de macieira exalam um suave perfume e os homens
caminham sob as floridas árvores, deleitando-se e aspirando o seu
delicioso perfume. O agricultor espera, no outono, uma bela colheita;
as abelhas estão contentes e sorvem, diligentemente, o néctar das
flores. Também está feliz o ser elemental, pois ele cumpriu sua
tarefa! Ao terminar o curto período da primavera, as flores desfolham
e o invisível obreiro retorna ao seu lar, para receber novas tarefas.
Seres elementais são Seres mentais. Elemental quer dizer: el-e-
mental = espírito divino.

O RELACIONAMENTO DO HOMEM COM OS ELEMENTAIS

No próprio homem reside o Reino Mental onde os Seres Elementais


que correspondem ao pensamento tomam forma e mantêm-se no
corpo mental. O mundo do pensamento representa o centro
magnético para o reino dos Seres Elementais. O homem será
MESTRE quando souber unir, conscientemente, os dois reinos,
elemental e angélico, pelo domínio consciente do pensamento e por
meio do controle de energia dos seus sentimentos.
A palavra PONTE, entre estes dois reinos, tem considerável
significado. Os demais reinos, por conseguinte também o reino
humano, estarão unidos por meio de apelos, serviços divinos,
desenvolvimento espiritual e divina Bem-Aventurança, por toda a
eternidade.
O Reino Elemental deve aprender a controlar a energia por meio do
pensamento, o que quer dizer: manter um modelo ou um plano
construtivo,para que toda a humanidade possa alegrar-se na
perfeição do Templo da Natureza. O homem deverá dominar os dois,
pensamento e sentimento para poder ser um MESTRE!
Em conclusão, cada individuo pode ser a Presença Consoladora
para si próprio, uma vez que se identifique com as Leis da
Harmonia, Amor, Beleza, Bondade, Tolerância, Pureza e Paz. Cada
homem deve tornar-se a Presença Consoladora, por meio das
energias de seus próprios corpos físico, mental e emocional, e com
as Forças dos Seres Elementais estas atuando dentro e fora dele.
Percebereis que todos os Seres viventes, levados pelas
circunstâncias, carma, etc., achegar-se-ão a essa Presença
Consoladora, pelo desejo de serem abençoados por Ela.

Já é tempo de os homens reconhecerem este maravilhoso serviço e


darem aos Reinos Elemental e Angélico o seu reconhecimento, o
seu amor a todos os Seres que prestam, constantemente, serviços à
humanidade, Sem o Reino dos Elementais não haveria, sequer, uma
única forma! Sem o Reino dos Anjos a humanidade não poderia
receber as bênçãos de Deus.

ANIMAIS INVOLUTIVOS

“A lei da evolução e também a da involução constituem o eixo


mecânico desta maquinaria que se chama natureza. Há evolução no
grão que germina, na planta que se desenvolve e por fim dá frutos.
Há involução na planta que entra em decrepitude e por último se
converte em lenha seca. Há evolução na criança que se forma no
útero materno, na criatura que nasce, cresce, se desenvolve e vive
à luz do sol. Mas existe involução no ser humano que envelhece e
declina, que entra em decrepitude e ao final morre. Isto é
completamente mecânico. A própria Lei do Carma, em certo
sentido, também é mecânica. É mecânica no sentido causativo,
vista à luz das 12 Nidanas. Precisamos nos libertar precisamente da
Lei do Carma.

Precisamos nos livrar deste movimento mecânico da natureza.


Precisamos nos libertar e isto não acontecerá através da evolução
mecânica.Qualquer evolução mecânica se processa de acordo com
as leis de causa e efeito, das leis das associações, das
combinações múltiplas etc. O que é mecânico, é mecânico.
Precisamos nos libertar da lei da evolução e também da lei da
involução. Precisamos dar o Grande Salto, para cair no Vazio
iluminador”.
De acordo com a Lei da Transmigração das Almas, defendida por
Krishna e também por Pitágoras, não somente os fenômenos
naturais obedecem à Lei de Evolução e Involução, mas também a
própria alma dos seres. Dependendo de sua conduta, esforços de
aperfeiçoamento ou hábitos, as almas podem evoluir ou involuir
espiritualmente. Vejamos alguns exemplos, estudados pelo
gnosticismo.

O Porco
Todos sabemos que as religiões islâmica e judaica abominam o
consumo da carne de porco. Diz-se que peca todo aquele que comer
esse animal, mas não se explica o porquê. Segundo o gnosticismo
samaeliano, a energia desse animal está infectada por larvas
energéticas (astrais e mentais), extremamente daninhas à saúde e
consciência humanas. O VM Rabolu afirma em uma conferência que
a aura de um porco infecta energeticamente uma área de cerca de
100 metros de diâmetro. O VM Samuel fala sobre esse animal
involutivo: “Passemos a observar a família dos porcos. Nos tempos
de Moisés, os israelitas que chegassem a comer a carne deste
animal eram decapitados. É claro que esse tipo de elemental
encontra-se em franco processo involutivo. Estados análogos de
Involução podemos descobri-los em plantas e minerais”.

Obs.: Não confundamos o porco, que é involutivo, com o javali, o


cateto etc., que apesar de pertencerem à mesma família do porco,
são animais evolutivos, portanto, sem nenhuma contraindicação
alimentar (cuidado com o “javaporco”, cruzamento que gera outro
ser involutivo).

Os Macacos
“Muitos pensam que os macacos, símios, orangotangos, gorilas etc.,
são de tipo evolutivo. Alguns até supõem que o homem vem do
macaco, mas tal conceito cai estrepitosamente quando observamos
os costumes dessas espécies animalescas.

Ponha-se um símio dentro de um laboratório e observe o que


acontece. Inquestionavelmente, as diversas famílias de símios são
involuções que descendem do humanoide intelectual. O humanoide
não vem do mono, e a verdade disso está ao contrário: Os símios
são humanoides involucionantes, degenerados”.
As Formigas
As formigas, assim como muitos outros insetos, são de tipo
involutivo, apesar de sua extrema organização social. Sobre esses
pequenos seres que dominam o mundo todo, o VM Samuel comenta:
“Cremo-nos já ser homens, no sentido mais completo da palavra,
quando ainda não o somos.

Ser homem é algo muito grande. O homem é o rei da criação e nós


ainda nem sequer somos reis de nós mesmos. No passado houve
uma Raça humana que, definitivamente, estabeleceu uma ditadura
política (uma Raça das épocas secundária e primária).

Tal Raça proibiu tudo o que se relacionasse com as questões


religiosas; a religião estorvava os fins políticos dos ditadores. A
livre-iniciativa foi desintegrada, eliminada; como sequência ou
corolário, a inteligência começou a degenerar. Essa Raça entregou-
se a toda classe de experimentos glandulares, transplantes etc.

Com o tempo, começou a se deformar, a morfologia foi alterada


fundamentalmente; os processos degenerativos intensificaram-se
cada vez mais: através dos séculos a citada Raça empequeneceu-
se.

Passaram-se milhares e milhões de anos, e sua involução foi-se


fazendo cada vez mais atroz, terminou dentro de um círculo
mecânico horrível, nefasto… Ainda existe essa Raça degenerada,
ainda vive sobre a face da Terra. Quero referir-me, em forma
enfática, às formigas: raça humana degenerada. Não estou
afirmando nada em forma dogmática, como supõem alguns…

Quem desenvolver as faculdades superlativas e transcendentais do


Ser, quem puder dominar completamente os legomonismo do
grande avatar Ashiata Shiemash, quem despertar sua Consciência
superlativa e transcendental, quem eliminar o Ego, poderá,
estudando os Arquivos Akáshicos da Natureza, verificar por si
mesmo e em forma direta (não indireta) o que aqui estou afirmando
enfaticamente”.
Os Asnos
O asno, ou burrico, é também um animal em estado involutivo.
Segundo o VM Samuel: “O Asno descende do homem, e é seguro que
ninguém crê nisto, porém é certo e de toda verdade que o asno, ou
burrico, descende do homem. Na Lemúria, existiu uma tribo de
gigantescas criaturas semelhantes ao chimpanzé. Essas criaturas
por sua vez seguiram mesclando-se com distintas bestas e o
resultado final: o asno ou burrico. São muitas as espécies que de
uma forma ou de outra descendem do homem”.

As Abelhas e Vespas
Algumas tradições teosóficas afirmam que as abelhas vieram
originariamente do planeta Vênus, para que estas nos dessem um
maravilhoso alimento, o mel. Apesar de sua perfeita ordem social,
as abelhas também são seres classificados esotericamente como
involutivos.

Afirma o VM Samuel: “As formigas e as abelhas, que muitos pseudo-


ocultistas supõem ser espécies em franca evolução, realmente são
criaturas em processo de total Involução. Nos tempos Arcaicos,
antes que surgisse sobre a Terra o animal intelectual
equivocadamente chamado Homem, houve, segundo nos conta a
Tradição, Raças de Semideuses e Titãs.

Não há Raça que não se recorde em suas tradições desses


Semideuses e titãs. Lamentáveis foram os primeiros ensaios de tipo
marxista-comunista. Ditas Raças propuseram-se a criar a Sociedade
Comunista e o conseguiram. Começaram por proibir toda Religião e
estabeleceram sangrentas ditaduras. No princípio, necessitaram-se
de grandes esforços intelectuais e vontade de aço para criar a
sociedade ao estilo comunista. Depois, tudo fico mecânico”.

Já as vespas foram criadas muito mais tarde, precisamente no final


da 4ª Raça-Raiz, a Atlante. De forma semelhante aos dias atuais, em
que se tenta criar abelhas mais produtivas, poderosos cientistas
atlantes resolveram maximizar a produção de mel e desenvolveram
experimentos genéticos muito complexos. Tais experiências
resultaram em um completo fracasso científico, resultando num ser
em nada útil à economia atlante: as vespas.
Os Ratos
“Os antigos egípcios, por exemplo, aborreciam-se dos ratos; e é
óbvio que estes (animais) se encontram em estado de franca
Involução.” (SAW)

Baratas, Pernilongos, Piolhos etc.


Animais que se alimentam de sangue, como algumas classes de
morcegos (não todas), os pernilongos, pulgas, percevejos, piolhos,
vermes intestinais, solitárias, tênias etc., são notadamente
involutivos. Já as baratas possuem uma característica especial:
elas são unicamente a materialização de Larvas Astrais, ou seja,
não são elementais nem em evolução nem em involução, são tão
somente a “encarnação” de larvas.

Recomenda-se não somente matá-las, mas se possível queimá-las,


pois as larvas mesmo fora do corpo das baratas continuarão no
ambiente astral. (Para saber mais sobre larvas energéticas

O Raio de Saturno

No entanto, existem Animais Evolutivos, muito úteis à Natureza e


ao Homem, mas que somente aparentam ser Involutivos unicamente
por preconceito nosso. Pertencem ao Raio de Saturno: corvos,
urubus, hienas, abutres, aranhas, morcegos etc.

………

MANIPULAÇÃO DOS TATTWAS

Prana é a energia cósmica que nasce do Sol Espiritual, do Cristo


Cósmico. Prana é vibração, movimento elétrico, luz, calor,
magnetismo universal, vida. Prana é a vida que palpita em cada
átomo e em cada Sol. Prana é a vida do éter.

A grande vida, ou seja, Prana se transforma em uma substância azul


intenso muito divina, e o nome dessa substância é o que os
orientais chamam de Akasha. O Akasha é uma substância
maravilhosa que enche todo o espaço infinito e que quando se
modifica, converte-se em Éter ou magnetismo.
É interessante saber que o Éter, modificando-se, converte-se por
sua vez nisso que chamamos Tatwas ou energias dos elementos da
Natureza. Os elementos, ou estados, da Natureza são 7, porém, os
básicos são 4, conhecidos no Esoterismo como Fogo, Ar, Água e
Terra.

O estudo das vibrações do éter (Tatwas) é indispensável para o


estudante gnóstico por diversos motivos. Lembre-se de que os
negócios, o amor, a saúde, o equilíbrio dos corpos internos etc. são
controlados pelas vibrações cósmicas.

Se você conhece as leis vibratórias da vida, se conhece os Tatwas,


triunfará na vida, tanto interna quanto externa. No caso do dinheiro,
por exemplo, recorde que o dinheiro, em si mesmo, não é bom ou
mau, tudo depende do uso que se faça dele.

Existem sete Tatwas que se deve aprender a manejar para triunfar


na vida. É necessário que você conheça os nomes dos tatwas.

Nomes dos Tattwas


Akasha é o princípio do éter. Vayu é o princípio etérico do ar. Tejas
é o princípio etérico do fogo. Prithvi é princípio etéreo do elemento
terra. Apas é o princípio etérico da água.

Existem dois tatwas secretos, chamados Adhi e Samadhi, que


vibram durante a Aurora e que são excelentes para a meditação
interna (com eles se logra o êxtase, satori ou samadhi), a
transmutação sexual e o Desdobramento Astral. Não nos
estenderemos agora sobre estes Tatwas porque são de utilidade
somente para estudantes já acostumados com as práticas
gnósticas.

Horários Tátwicos da Natureza


Podemos sentir as diversas modificações dos Tatwas ao longo do
dia. A vibração dos Tatwas começa com a saída do Sol. Cada Tatwa
vibra durante 24 minutos em um período de duas horas. O primeiro
Tatwa que vibra é o Akasha. Depois seguem, em ordem sucessiva,
Vayu, Tejas, Prithvi e Apas. A cada duas horas mais ou menos, volta
a vibrar o Akasha e se repete a sucessão dos Tatwas na mesma
ordem já descrita.
Observação importantíssima do GnosisOnline: Entretanto, a
Natureza não segue um tempo cronológico restrito, portanto, esse
tempo pode varias por inúmeras razões, tais como a estação do
ano, influências lunares e solares, os ventos solares, influências
planetárias (e até mesmo a aproximação gradativa do planeta
Hercólobus pode influenciar o relógio da Natureza planetária).

Os Tatwas vibram de dia e de noite. É necessário identificar o


momento de predominância de cada Tatwa no meio ambiente.

Propriedades dos Tatwas


É importante estudar as propriedades e influências dos Tatwas em
todas as questões da vida, desde o clima até os estados de ânimo
pessoais e coletivos da humanidade. Pode-se iniciar uma atividade
esotérica, amorosa, social ou comercial conforme verificamos o
Tatwa vigente.

Akasha: É bom, exclusivamente, para a interiorização, para a


meditação, trabalhos psicológicos, mágicos etc. Aconselhamos que
se ore muito nesta hora. Não marque encontro de negócios ou de
amor a esta hora porque fracassará inevitavelmente. Este tatwa
pode nos induzir a cometer erros gravíssimos.

Se você trabalha durante este período, deve ser muito cuidadoso


(os artistas devem abster-se de trabalhar no akasha, assim como os
vendedores). Toda atividade “exteriorizadora” (comércio, venda,
relações amorosas ou amistosas etc.) que começar em akasha
tenderá ao fracasso.

Este é o tatwa da morte, tanto psicológica quanto física (por isso se


sabe que muitos idosos morrem no fim da madrugada e início do
dia, devido a que este Tatwa tem correlação com o planeta
Saturno). Entretanto, é o melhor momento para práticas de Alquimia
Sexual, Pranayama egípcio, Ham-Sah, pois Akasha tende a puxar
todas as energias “para dentro e para cima”. Suas cores são o
violeta e o preto.

Vayu: Tudo que seja inteligência, velocidade e movimento


corresponde a Vayu, o princípio do ar. Os ventos, o ar, o tráfego
aéreo, o trânsito de automóveis, pesquisas sobre discos voadores,
movimentos planetários, dissolução de problemas mentais etc., se
acham relacionados com Vayu.

Durante esses períodos, as pessoas se deleitam falando mal do


próximo, enganando, roubando, fofocando etc. Geralmente, os
acidentes aéreos ocorrem neste período e os suicidas são
estimulados por este tatwa.

Aconselhamos que não se case durante este período, porque seu


matrimônio seria de curta duração. Todo tipo de negócios simples e
rápidos é muito bom em Vayu, porém, os negócios complexos e de
longa duração resultam em fracasso. É bom realizar trabalhos
intelectuais durante este período, leituras de obras profundas,
estudar para o vestibular etc.

Os grandes iogues manuseiam mentalmente este tatwa e o utilizam


inteligentemente quando querem flutuar no ar, ou seja, em
trabalhos Jinas e também Desdobramento Astral. Pode-se invocar
os silfos e sílfides do ar, também os gênios e anjos do elemento Ar
(tabela abaixo).

Ehecatl, grande Deus do Movimento, ajudou Jesus no processo de


teletransporte de seu corpo na tumba. Parvati é o supremo Reitor
do Templo dos Ventos, onde se reúnem os Devas dos furacões, os
grandes líderes dos silfos etc.

Tejas: É quente porque é o princípio etérico do fogo e seu Regente


planetário é Samael, rei dos vulcões e do planeta Marte. Durante o
período em que este Tatwa está em atividade, sentimos mais calor,
o ambiente é seco (os videntes afirmam que descem sobre o meio
ambiente onde de fogo etérico, afastando a umidade.

Sugere-se banhar com água fria em Tejas e não se resfriará jamais.


Não discuta com ninguém nos horários ou dias em que estiver
predominando Tejas porque as consequências podem ser graves.
Deve-se aproveitar o tempo de Tejas para se trabalhar
intensamente.

Não se case neste Tatwa porque terá constantes desavenças com o


cônjuge. As explosões e os acidentes mais terríveis acontecem
neste período do Tatwa Tejas. E se possível, não faça cirurgias
médicas ou dentárias, pois haverá hemorragias.
Apas: É o principio da água e o oposto de Tejas (fogo). Esse Tatwa é
maravilhoso para a compra de mercadorias. É também ótimo para
os negócios e você pode conseguir muito dinheiro se souber
aproveitar este Tatwa. Comece uma entrevista de emprego em
Apas, venda em Apas. Converse amistosamente com seu cônjuge ou
dialogue com seu parceiro em Apas. As viagens por vias aquáticas
em Apas resultam boas. As chuvas que começam em Apas
costumam ser muito longas e fortes. O Tatwa Apas opera
concentrando e atraindo.

Prithvi: Este é o Tatwa do êxito na vida. Se você quer triunfar nos


negócios, faça-os em Prithvi. Se quiser ter boa saúde, coma e beba
em Prithvi. Os casamentos que se realizam em Prithivi se fazem
felizes para toda a vida. Toda festa, toda conferência, todo negócio,
todo encontro que forem realizados em Prithvi serão um êxito
completo. Prithvi é amor, caridade, benevolência, alegria, bem-
estar, frescor. É o princípio magnético da Terra.

PRÁTICA PARA VER OS TATTWAS


Ore ao Ser Divino pedindo orientação precisa. Sente-se diante de
uma mesa de frente para o Leste, apoie os cotovelos sobre a mesa
e proceda da seguinte maneira: introduza os dedos polegares de
ambas as mãos nos ouvidos; cubra suavemente os olhos com os
indicadores, com os dedos médios feche as fossas nasais e com os
dedos anulares ou mínimos sele os lábios.

Inale lentamente contando até 20. Retenha o alento e conte de 1 a


20. Exale lentamente contando de 1 a 20. É necessário retirar os
dedos das fossas nasais para inalar e exalar, porém durante a
retenção do alento, os dedos médios devem fechá-las
hermeticamente.

É necessário que durante a retenção do alento você procure ver os


Tatwas com o terceiro olho. O terceiro olho situa-se entre as
sobrancelhas.

No início, você não verá nada, porém, depois de algum tempo,


poderá vê-los e reconhecê-los pelas suas cores: Akasha é
preto/violeta e seu planeta é Saturno. Vayu é azul-verdoso e seu
planeta é Mercúrio. Tejas é vermelho como o fogo e seu planeta é
Marte. Prithivi é amarelo-dourado e seu planeta é o Sol, embora
Júpiter também influencie. Apas é branco e seus planetas são
Vênus e a Lua.

A Força Vital dos Alimentos


Há um ritual hindu antigo, chamado Ritual do Pancatatwa. Esta
palavra significa As 5 Energias Vitais (Panca, Penta = Cinco; Tatwa
= Energia Vital). O estudante gnóstico pode praticar esse ritual, que
na verdade vem a ser uma relação harmoniosa com os alimentos
que consumimos no dia a dia, e que devem ter uma qualidade
superior, ou Sátvica.

Nós, estudantes gnósticos, temos de nos definir pelo Ser ou pelo


Não Ser da Filosofia. A Gnose é o fundamento no qual se originam
todos os ramos do saber, portanto, ela em si mesma tem o direito
pleno de encarnar o Ser.

O ser humano constitui-se de um organismo que recebe e


transforma muitos tipos de energia, e nos referimos neste artigo a
três alimentos básicos que dão origem em nós às energias com as
quais nutrimos nossa estrutura física e interna.

A Semente para criar nossos corpos solares devemos selecioná-la


em nossos alimentos físicos (comida saudável, sátvica), gasosos
(exercícios respiratórios, pranayamas) e impressões mentais
(músicas, cores, impressões sociais etc.).

Quando o corpo está nutrido com alimentos sãos, também as


glândulas endócrinas começam a gerar melhores tipos de energias,
e deste modo os hormônios darão um melhor funcionamento da
Força Vital de cada pessoa.

Cada um dos alimentos que consumimos diariamente tem relação


com os Tatwas, e estes são vibração, como veremos abaixo.

Os Tatwas na Alimentação
Este Ritual, chamado de Pancatatwa é o ritual da alimentação
sátvica.

A oração, a meditação, a contemplação, o Arcano AZF, relacionam-


se com o Tatwa Akash.

As frutas se relacionam com o Tatwa Vayu.


A carne está relacionada com o Tatwa Tejas (por termos ainda os
elementos egoicos indesejáveis internamente, este Tatwa ativa a
luxúria, com a ira e com algumas emoções ou instintos negativos).

Os cereais, verduras e hortaliças relacionam-se com o Tatwa


Prithvi. O pescado está relacionado com o Tatwa Apas, o elemento
água, que nos dá a harmonia, a paz.

O Tatwa Akasha relaciona-se com o vinho e o sexo por ser o


elemento que se encontra na primeira escala como desdobramento
do Causal e tem relação com a Mãe Kundalini, o princípio cósmico
de criação nos elementos. Vayu, o ar, relaciona-se com o Centro
Motor. Tejas, o fogo, relaciona-se com o Cérebro Pensante. Prithvi,
a terra, relaciona-se com o Centro Instintivo. Apas, a água,
relaciona-se com o Centro Emocional.

Essa ordem de coisas nos permite compreender que é necessário


ter um ordenamento em nossa forma de nos alimentarmos para
podermos ter domínio de nossos estados interiores. Com a
meditação e a oração, entramos em harmonia com Akasha; com a
inspiração e a meditação entramos em harmonia com Tejas; com a
atividade, as runas e os exercícios estamos em harmonia com
Prithvi e Vayu; com a música clássica, a leitura agradável e o prana
entramos em harmonia com Apas.

Utilizamos o Ritual Pancatatwa para uma melhor alimentação.


Pancatatwa é um culto à Mãe Divina utilizando-se os cinco
elementos naturais, dos quais extrairemos equilibradamente a
Shakti Potencial, que nos dará uma alimentação para melhorar
nossa Semente Sexual. Tais elementos dividem-se em:

Fogo (Mamsa) – Carne vermelha.

Ar (Madsya) – Aves, açúcar das frutas, hortaliças etc.

Água (Madya) – Pescado (de escamas), frutos do mar, mariscos.

Terra (Mudra) – Cereais, arroz integral, girassol, trigo, trigo-


sarraceno, milho, verduras, tubérculos, raízes diversas como
bardana, raiz de lótus etc.

Akasha (Maithuna) – Mel, vinho e Arcano AZF.


Os gnósticos (solteiros e, principalmente, os casais) devem de vez
em quando realizar um ágape místico (ou jantar ritualístico)
alimentando-se com as comidas acima mencionadas.

Pode-se arranjar a mesa de jantar (que podemos chamar de Altar


Tátwico) de forma que tenha harmonia e beleza, usando-se uma
toalha limpa, preferivelmente branca, um jarro com flores, com um
ambiente agradável à vista e ao olfato; estar em harmonia tanto
física quanto espiritualmente.

Observar que esta agradável refeição será um ritual para o


Sacratíssimo Espírito Santo e para a Mãe (em sua expressão Shakti,
ou Mãe Natura). E os alimentos que serão servidos terão um pouco
de cada um dos 5 Elementos.

Antes do jantar agradável, deve-se orar e dar graças pelos


alimentos que serão consumidos e pronunciar o mantra Krim por
sete vezes. E em seguida, ingerir as porções ligadas aos 5M de
acordo com o gosto culinário de casa pessoa ou família (os
alimentos dos 5M podem ser preparados conforme cada gosto,
como assados, cozidos, saladas, tortas etc.).

A chave está em respirar, pensar e comer positiva e


conscientemente e, acima de tudo, de forma natural e prazerosa.
Todos os estudantes de Cabala Esotérica devem se familiarizar com
os elementais atômicos contidos nos alimentos dos 5M.

Este ritual com os alimentos do Pancatatwa são ideais para o casal


gnóstico ter mais êxito em suas práticas de “transmutação do
chumbo em ouro sobre a cordilheira central” (a espinha dorsal). Ao
final desta alimentação, até a mais insensível personalidade sentirá
uma leveza, um bem-estar e uma sensação agradável, como se o
corpo físico (e os internos) foram carregadas com as bênçãos
supremas do Pai e da Mãe Internos.

Todo o Trabalho que se está ensinando é relacionado com a prática


tântrica da Nona Esfera, esta é a Linguagem Cabalística que se usa
na Loja Branca. O segredo é o Arcano AZF, que transforma a Lua em
Sol.
Com o Pancatatwa se alimenta a Energia Criadora do Terceiro
Logos, para que o Sacramento da Igreja do Amor se aperfeiçoe cada
vez mais.

Prática com os Tatwas Internos, ou Elementais Atômicos do Corpo

Outra sugestão de prática com os Tatwas é o trabalho com os


Elementais Atômicos de nosso corpo.

Conforme a tabela abaixo, mentalize a cor correspondente ao Tatwa


na região do corpo físico controlada pelos elementais atômicos. E
após invocar o Gênio Elemental para curar e regenerar essa área do
corpo, vocalize o mantra tátwico. Por exemplo, se quiser regenerar
a área controlada pelos elementais do Akasha conhecidos como os
Puncta do Éter, invoque o Gênio Sudashiva. Em seguida, mentalize a
cor violeta no cérebro enquanto mantraliza a sílaba Ha diversas
vezes. E assim sucessivamente com os outros Tatwas em todo o
seu corpo.

Tabela dos Tattwas

AKASHA
Elemento: Akasha
Tatwa: Akasha
Cores: Negro/Violeta
Gênios Elementais: Indra (exterior) e Sudashiva (elementais
atômicos)
Mantra: Ha
Planeta: Saturno
Governa: Do entrecenho à cabeça
Elementais: Punctas
Dia da semana: Sábado
Corpo: Causal

AR
Elemento: Ar
Tatwa: Vayu
Cor: Azul
Gênios Elementais: Pavana (exterior) e Ishwara (elementais
atômicos)
Mantra: Ya
Planeta: Sol e Mercúrio
Governa: Do entrecenho ao coração
Elementais: Silfos e Sílfides
Dia da semana: Segunda e quarta
Corpo: Astral

FOGO
Elemento: Fogo
Tatwa: Tejas
Cor: Rojo
Gênios Elementais: Agni (exterior) Rudra (elementais atômicos)
Mantra: Ra
Planeta: Marte
Governa: Do coração ao sexo
Elementais: Salamandras
Dia da semana: Quinta
Corpo: Mental

ÁGUA
Elemento: Água
Tatwa: Apas
Cores: Branco e Verde
Gênios Elementais: Varuna (exterior) e Narayana (elementais
atômicos)
Mantra: Va
Planeta: Vênus e Lua
Governa: Do sexo aos joelhos
Elementais: Ondinas e Nereidas
Dia da semana: Domingo e terça
Corpo: Vital

TERRA
Elemento: Terra
Tatwa: Prithvi
Cor: Amarelo
Gênios Elementais: Kitichi (exterior) Brahma (elementais atômicos)
Mantra: La
Planetas: Sol e Júpiter
Governa: Dos joelhos aos pés
Elementais: Gnomos e Pigmeus
Dia da semana: Sexta
Corpo: Físico

Símbolos dos Tatwas para se Usar Durante as Práticas

MUNDOS INTERNOS

Inquestionavelmente, existem no ser humano faculdades de


cognição superlativas, extraordinárias, que estão em estado
latente, e que convenientemente desenvolvidas podem servir para
estudar a fundo o Homem e o Universo.

Certamente, os Mundos Internos de cada um de nós são o que se


conta. O pensamento, o sentimento, as emoções, os desejos, os
anelos, são invisíveis à simples vista, ninguém os vê. Todos esses
valores constituem, em si mesmos, o Interno. Cada homem tem sua
vida interior, cada homem tem seus mundos internos.

Se um homem não conhece o próprio mundo interior, a vida íntima,


muito menos poderá conhecer os Mundos Internos e a vida íntima
do planeta em que vivemos. E se não conhece a vida íntima do
planeta em que vivemos, tampouco conhecerá a vida interna de
nosso sistema solar, ou da galáxia que gira ao redor do Sol Central
Sírio.

Assim, se quisermos conhecer a vida interna do sistema solar, ou


da Terra, ou da galáxia, devemos começar por conhecer nossos
próprios Mundos Internos. Ninguém poderia conhecer a ninguém,
observando unicamente a forma física, o corpo físico.
Se vamos a uma festa, veremos muitas pessoas que dançam
alegres, felizes, mas na realidade e de verdade só vemos delas a
mímica, escutamos sua voz sonora, sua gargalhada, ou descobrimos
o “sorriso sutil de Sócrates”, seu conteúdo, mas nada sabemos em
verdade sobre a vida interna de tais pessoas.

Ver a personalidade física, ou ver personalidades físicas (para falar


de forma pluralizada), não é descobrir a vida interna das pessoas.
Isso de que “eu conheço fulano”, ou “conheço fulana”, resulta
absolutamente falso, porque ninguém pode conhecer ninguém se
antes não se conhece a si mesmo.

Dizer que “conhecemos um amigo”, que “conhecemos sua vida


íntima”, que “é um amigo íntimo”, é exagerar a coisa, porque não
poderemos em verdade conhecer intimamente a ninguém, enquanto
não tenhamos conhecido a nós mesmos. Mas se alguém conhece
seus próprios mundos internos, pode conhecer também a vida
interna das pessoas que o rodeiam.

Quando alguém descobre sua vida interna, quando conhece seus


erros psicológicos, torna-se melhor amigo, melhor irmão, melhor
filho, melhor cidadão, porque então compreende melhor os outros.
Se alguém vem a saber, por si mesmo, que tem ira, pois
compreende a ira dos outros e não exige deles que não a tenham,
posto que ele sabe que a tem.

Se alguém descobre que é ciumento, não incomodará os outros com


seus ciúmes, não poderá exigir que os outros não sintam ciúmes,
porque se ele os tem, dirá a si mesmo: “Os outros, obviamente,
terão de tê-los”. Assim, é necessário refletir bastante em todas
essas coisas.

A vida interna de cada um de nós é o que conta, é mais real ainda


que as coisas físicas (que esta mesa, este gravador), está muito
perto de nós mesmos, constitui nossos processos psíquicos, somos
nós mesmos. Ninguém vê o pensamento alheio, a não ser que tenha
a divina clarividência, mas o pensamento existe, e é interno. Para o
clarividente, os pensamentos das outras pessoas são como um livro
aberto.
Chegou a hora de nos tornarmos mais compreensivos. Não
poderíamos, repito, conhecer a vida interna deste planeta Terra, se
antes não conhecemos nossa vida interna. Não poderíamos
conhecer a vida interna de um amigo, isto é, não poderíamos
conhecer de verdade um amigo se antes não conhecemos a nós
mesmos.

Portanto, o conhecimento de si mesmo é fundamental quando


alguém quer explorar algo, quando quer conhecer os mundos
internos do planeta Terra, quando quer inquirir, ou buscar, ou
indagar algo sobre os Mistérios da Vida e da Morte.

O Mundo Vital – O Corpo Vital


É necessário desenvolver certas faculdades supranormais, com o
propósito de explorar a vida interna do planeta Terra, mas se não
começamos por conhecer a nós mesmos, tais faculdades não se
desenvolverão plenamente. Assim que vale a pena entender o que é
a vida interior e suas responsabilidades.

Que nosso planeta Terra tem um corpo vital? Isso não se pode
negar, é óbvio que tem! Nós também temos uma base vital orgânica,
e sem essa base vital, o corpo físico não poderia existir.

Na hora da morte, o corpo físico vai ao sepulcro, junto com o vital.


Esse corpo vital vai se decompondo lentamente diante do sepulcro.
Tem uma cor fosforescente, brilha como os fogos-fátuos da meia-
noite. Os videntes costumam até ver o corpo vital diante das
sepulturas, decompondo-se lentamente, à medida que o corpo físico
também vai se decompondo.

O corpo vital é a base, repito, da vida orgânica. Nenhum corpo físico


poderia funcionar sem esse nexus-formativus, sem esse corpo vital,
que é fundamental para a biologia, para a química, para a fisiologia
etc.

Aprofundar-se nessa questão é urgente, inadiável, impostergável.


Mas, como é o mundo vital? Porque se nós possuímos um corpo
vital, o planeta Terra tem também de possuí-lo. Obviamente, o corpo
vital do planeta Terra é o Éden, o Paraíso, a Terra Prometida da qual
falou Moisés, o grande cabalista iniciado, o grande legislador
hebraico.
Quem tiver desenvolvido as faculdades extraordinárias do corpo
vital poderá viajar com tal veículo no Éden. Não quero dizer que a
totalidade do corpo vital possa ser utilizada para viajar no Paraíso.

O corpo vital tem quatro éteres: primeiro, o Éter Químico, que serve
de base às forças químicas que trabalham no organismo, tanto nos
processos de assimilação como de eliminação; segundo, o Éter de
Vida, relacionado diretamente com os processos da reprodução da
espécie; terceiro, o Éter Lumínico, que se relaciona com as
percepções, com as calorias etc.; e, por último, o Éter Refletor, que
é o veículo da Imaginação e da Vontade.

Portanto, o corpo vital tem quatro éteres, e é o fundamento da vida


orgânica. O Iniciado pode extrair os dois éteres superiores do corpo
vital para viajar com eles pela região do Éden. Esses dois éteres
superiores, repito, são o Lumínico e o Refletor. Com tal veículo,
alguém pode estudar o Éden, o Paraíso Terrenal…

Os que supõem que o Paraíso Terreno esteve situado em tal ou qual


lugar da Terra, estão equivocados. A explicação que a Bíblia dá,
sobre os rios Tigre e Eufrates e o “Paraíso”, situado lá na
Mesopotâmia etc., é completamente simbólica. O Paraíso Terreno é
o corpo vital do planeta Terra, é a seção superior deste mundo
tridimensional de Euclides. O corpo vital terrestre serve de base à
vida orgânica de todo o nosso mundo Terra.

Certamente, o corpo vital contém, em si mesmo, duas esferas: a


primeira, diria, a Lua; a segunda, a Terra (são como duas gemas de
um mesmo ovo). Isso parecerá insólito, mas no fundo não o é.

Lembremos que a Lua que nos ilumina no espaço infinito um dia


teve vida, e vida rica e abundante; mares profundos, vulcões em
erupção, vida vegetal, animal, humana etc.

Aqueles pseudoesoteristas, ou Iniciados, que afirmaram que a Lua


era “um pedaço da Terra lançado ao espaço”, ficaram muito mal
com as explorações feitas pela Nasa. Os distintos fragmentos
lunares, examinados com o carbono-14, indicaram que a Lua é mais
antiga que a Terra. Então, é evidente que não é um pedaço de
crosta terrestre lançado ao espaço, como supõem muitos
ignorantes equivocados.
Que a alma lunar tenha sido um dia transferida a nosso mundo
Terra? Isso é óbvio!

Depois que esse mundo (a Lua) se converteu em um cadáver, sua


alma lunar, seu princípio vital, foi transferido para esta região do
espaço e serviu de nexus-formativus para nosso planeta Terra. Por
isso é que nossos antepassados de Anáhuac chamavam a Lua de
“Nossa Avó Lua”. Blavatsky dizia que “a Lua é a mãe da Terra”. Para
os Iniciados de Anáhuac, a Lua é “a avó”, porque a Lua é a mãe da
Terra, e se a Terra é a nossa mãe, então a Lua é nossa avó.

Vejam vocês como eles, com grande sabedoria, definem algo que os
modernos intelectuais, de tantas “badalações”, não puderam definir
(eu, em realidade, tenho visto que a sabedoria é espantosamente
simples, de uma ingenuidade e uma inocência que assombram).

Obviamente, a Lua joga um grande papel na economia orgânica de


nosso mundo Terra. Como o corpo vital da Terra abarca também a
Lua, por isso a Lua pode atuar de forma mais direta sobre nossa
Terra, sobre os organismos etc.

Já sabemos o papel que tem em relação com as altas e baixas


marés, já sabemos a relação que tem com a função ovariana no
sexo feminino, já sabemos a relação que distintas enfermidades
têm com os ciclos lunares, a saúde mental dos internos em
manicômios (que nas mudanças de Lua pioram ainda mais) etc.

A Lua influi diretamente na concepção de todas as criaturas vivas.


Na Crescente, a seiva sobe, e na Minguante desce, e isso é
extraordinário…

O Mundo Vital é algo que vale a pena investigar. No Éden, isto é, no


Mundo Vital, existem verdadeiras maravilhas. Quem souber viajar
com o corpo vital pelo Paraíso poderá ver as raças humanas que aí
existem.

Há raças paradisíacas que vivem na quarta vertical, que são


humanas. Convivem conosco, ao nosso lado, mas são invisíveis para
nós. Conheço uma raça dessas, e têm corpo físico, e se reproduzem
como nós e convivem ao nosso redor, sem que as pessoas as vejam,
graças às distintas modificações da matéria.
Ainda há raças humanas que não saíram do Paraíso e são felizes,
pessoas de carne e osso, invisíveis para pessoas que vivem na
região tridimensional de Euclides… gentes edênicas, paradisíacas,
que ainda não comeram daquele fruto do qual nos foi dito: “Não
comais, porque se comerdes desse fruto, morrereis!”, pessoas que
souberam obedecer esse mandato…

O Mundo Vital ou Mundo Etérico é precioso. As montanhas ali são


transparentes como o cristal e têm uma bela cor azul, os mares se
veem azuis, e os campos… a cor básica, fundamental, do Éden, é o
azul; mas isso não quer dizer que não exista toda gama de cores no
Éden. Existem, mas o fundamental é o azul intenso do Éter.

O Mundo Vital é precioso. Ali há templos extraordinários, ali estão


os templos dos elementais da Natureza… Cada planta, por exemplo,
é o corpo físico de um elemental. Uma é a família das laranjeiras,
outra a dos pinheiros, outra a das hortelãs, outra a das roseiras etc.

Essas famílias elementais vegetais têm seus templos no Éden, ali


essas criaturas inocentes se reúnem para receber instrução dos
Devas que as governam. Quem souber viajar em corpo etérico,
poderá perfeitamente verificar, por si mesmo e de forma direta, o
que nesses instantes estou enfatizando.

Bem vale a pena inquirir, estudar mais a fundo esta Doutrina, para
descobrir tantos prodígios…
João Batista, indubitavelmente, vive no Mundo Vital, isto é, no
Éden, no Paraíso. João Batista é um verdadeiro Iluminado, um
Christus, alguém que já encarnou em si mesmo o Verbo, a Palavra, o
Cristo Íntimo.

Para poder penetrar no Éden, é necessário saber viajar com o corpo


vital e haver recebido educação esotérica profunda…

O Mundo Astral – O Corpo Astral


Muito além desse corpo vital (que é tão precioso), descobrimos o
que poderíamos chamar o Mundo Astral. O verdadeiro Iniciado
possui um corpo astral. Nem todos os seres humanos o possuem,
mas o Iniciado o possui. Também o planeta Terra possui um corpo
astral.
O Mundo Astral é maravilhoso, é o mundo da cor, tem sete
tonalidades básicas, fundamentais, de acordo com as sete notas do
espectro solar, de acordo com as sete cores básicas. O Mundo
Astral tem regiões extraordinariamente sublimes, e outras
desgraçadamente infernais.

No Mundo Astral achamos as Colunas de Anjos e também as


Colunas de Demônios (poderíamos dizer que no Mundo Astral os
Anjos e Demônios se combatem). Quem possui um corpo astral pode
viajar por essas regiões do Mundo Astral, pode conhecê-las, pode
descobrir seus prodígios etc.

O Sacramento Almoadziano
Poderíamos dizer, de forma enfática, que o Mundo Astral é o Mundo
dos Sacramentos, e isso, obviamente, já está demonstrado
esotericamente. Qualquer Adepto verdadeiro possui um corpo
astral. É possível fazer visível e tangível o corpo astral, depois da
morte do corpo físico.

Existe, no Alto Esoterismo, um sacramento denominado


Almoadziano. Mediante esse sacramento, um Mestre (depois da
morte do corpo físico) pode viver durante um ano materializado no
mundo tridimensional de Euclides (isto é, aqui neste Mundo Físico),
para instruir seus devotos.

O “Sacramento Almoadziano” é tremendo: quando um Mestre quer


instruir fisicamente seus discípulos, depois de haver perdido o
corpo denso, pode fazer isso, pode materializar o Astral, fazê-lo
tangível ante os discípulos, com a condição de haver (primeiro)
verificado o Sacramento Almoadziano…

É tremendo esse sacramento! O Adepto colocará, dentro de sua


taça ou cálice, algo de seu sangue, e seus discípulos (imitando-o)
colocarão também sangue nesse cálice, mesclarão todo o conjunto
de sangue, celebrarão um rito, mas um rito muito especial, em que
cada um beberá do cálice e se verificará o Sacramento
Almoadziano. Mas isso merece uma explicação científica, clara e
precisa.

Dentro do sangue arterial, dentro do sangue humano, existe o


“Hambledzoin do Ser” (ou sangue astral): corpúsculos de sangue
sutil, que correspondem ao Astral. A Liturgia, combinada com a
operação de sangue, tal como a citei, permite que o Hambledzoin do
Ser (isto é, o sangue astral contido no sangue físico), entre na parte
astral de cada um dos que celebraram o Sacramento.

Assim, no Mestre, vem a ficar o Hambledzoin do Ser de cada um de


seus estudantes, e nos estudantes, o Hambledzoin do Ser do sangue
de seu Mestre. Sangue astral, melhor dizendo, contido no sangue
físico, chegará à parte astral de discípulos e Mestre. Assim, e só
assim, será possível que o Mestre, depois da morte do corpo físico,
possa se materializar, viver com seu corpo astral aqui, na região
tridimensional de Euclides, neste mundo denso…

No Mundo Astral vivem os falecidos, as “almas penadas”, os


“espíritos cativos”, e também aqueles que se dedicam à Alta ou
Baixa Magia. No Mundo Astral encontraremos o Elohim Guibor ou
Andrameleck; Michael ou sua antítese, Chavajoth; ou Rafael; Lilith
ou Nahemah, Miguel ou Lúcifer etc. Ali vivem as colunas de anjos e
de demônios, que se combatem mutuamente.

Aqueles que se dedicam à magia prática, especialmente, situam-se


no Mundo Astral. Recordemos precisamente Eliphas Levi, o Abade
Alfonse Louis Constant. É um grande Mestre que se acha situado, inquestionavelmente, no Mundo
Astral. Ali vive, ali trabalha, ali existe, porque é um mago.

A palavra “mago” deve ser revalorizada. Nesta época infeliz, se


chama mago ao charlatão, ao prestidigitador, ao ignorante
enganador, que tem habilidade das mãos para enganar as pessoas.

Nos tempos antigos, “mago” era o sábio, o iluminado, aquele que


conhecia os Mistérios da Vida e da Morte. Aquele que havia
empunhado o cetro de poder, aquele que havia desenvolvido, em
sua anatomia oculta, o fogo serpentino anular que se desenvolve no
corpo do asceta.

No Mundo Astral podemos invocar os anjos e também os demônios.


Existem fórmulas angélicas, inefáveis, mediante as quais é possível
que os Elohim nos assistam, mas existem também fórmulas
mântricas diabólicas, ou litúrgicas, mediante as quais é possível
invocar os demônios.
Anjos e demônios obedecem ao mago. Mago é o que sabe entrar no
Mundo Astral à vontade, o que é capaz de abandonar o corpo físico
para mover-se, precisamente, na região astral. Eu não poderia
denominar mago a um indivíduo que não sabe sair do corpo físico à
vontade. No Mundo Astral vivem os magos. Qualquer Adepto que
tenha se dedicado à Alta ou Baixa Magia tem qd viver forçosamente
no Mundo Astral.

O Mundo Astral, por si, é um mundo de cores cintilantes, tremendas.


O fogo astral arde abrasadoramente em todo o Universo. Ali
encontramos as almas desencarnadas (ali vivem, ali existem) e
podemos conversar com elas, se sabemos deixar o corpo físico à
vontade…

O Mundo Mental – O Corpo Mental


Além do Mundo Astral, está o Mundo da Mente. Quando um homem é
capaz de fabricar um corpo mental, quando o tem, é também capaz
de viajar pelo Mundo da Mente Universal. No Mundo da Mente
encontramos sapiência, sabedoria. Ali estão todos os templos dos
deuses, os templos de Hermes Trismegisto, onde se mencionam suas obras,
onde se rende culto à sua sapiência. Poucos são os que sabem viajar em corpo mental.

Isso se deve a que poucos são os que fabricaram, para seu uso
pessoal, um corpo mental. Quando alguém aprende a viajar em
corpo mental, descobre que a mente da Terra é gigantesca. Dentro
da mente de nosso planeta Terra achamos os subúrbios, os
mercados etc., mas também achamos a parte subliminar do
entendimento universal.

No Mundo da Mente há de tudo. Ali estão os pensamentos de cada


pessoa, as ideias de cada qual etc. Algumas almas, que na vida
tiveram boa conduta, são recompensadas. Por algum tempo moram
no “Devakan”, isto é, na Região da Mente Superior, e até
conseguem fazer uma visita ao Causal, ainda que mais tarde,
esgotada a recompensa, tenham de regressar, outra vez, para um
novo corpo.

No Mundo da Mente há dor ou felicidade, tudo depende da região em


que estivermos. Nas regiões inferiores do Mundo da Mente há dor e
nas regiões superiores do Mundo da Mente há felicidade. No Mundo
da Mente encontramos também muitos Devas que amam a
Humanidade, trabalham pelo bem-comum, lutam pelo bem de tantos
e tantos milhões de pessoas que povoam a face da Terra.

Irmãos, chegou a hora de entender claramente que se alguém não


conhece sua própria mente particular, se alguém não conhece seus
processos mentais, se alguém não aprendeu a subjugar sua mente e
a controlar os sentidos, muito menos poderá conhecer a Mente
Cósmica, a Mente Universal. Recordemos que “a Mente que é
escrava dos sentidos faz a alma tão inválida como o bote que o
vento extravia sobre as águas”.

Como poderíamos conhecer a Mente Universal, se não conhecemos


nossa própria mente, se não estudamos os 49 níveis do
entendimento, se ainda não criamos um verdadeiro corpo mental, se
ainda não desintegramos todos esses elementos indesejáveis que
no entendimento carregamos? Assim, explorar o Mundo da Mente é
possível quando alguém explorou sua própria mente.

O Mundo Causal – O Corpo Causal


Muito além dessa Região da Mente Universal ou da Mente Terrestre,
está o Mundo das Causas Naturais. Se alguém não fabricou um
corpo causal para seu uso particular, como poderia explorar o
Mundo da Causação Cósmica, como poderia viajar em corpo causal?
Como poderia conhecer o Mundo das Causas Naturais? Uma pessoa
tem de estudar a própria vida causativa, tem de haver descoberto
as causas de seus erros, haver conhecido a si mesmo para poder
ter direito a converter-se em um Homem Causal.

Só o Homem Causal pode viver conscientemente no Mundo Causal,


só o Homem Causal pode viajar pelo Mundo das Causas Naturais, só
o Homem Causal tem acesso aos arquivos secretos da Região
Causativa. No Mundo das Causas Naturais predomina novamente o
azul intenso, profundo.

Os Adeptos do Mundo Causal trabalham pela Humanidade, nós os


vemos vestidos em forma similar à daqui, do mundo Terra. Têm
seus templos e estão muito ocupados nos trabalhos que se
relacionam com o bem-comum.

No Mundo das Causas Naturais, encontramos a Lei da Balança. O


Homem Causal trabalha sempre de acordo com a Balança Cósmica,
vive no mais perfeito equilíbrio. No Mundo Causal descobrimos que
não há efeito sem causa nem causa sem efeito.

A causa transforma-se em efeito e o efeito converte-se em uma


nova causa que origina, por sua vez, outro efeito. As leis de causa e
efeito são reais e as conhecemos a fundo quando as investigamos
no Mundo das Causas Naturais.

O Homem Causal é o homem que fabricou um corpo causal, o


Homem Causal é aquele que já tem uma Vontade Individual.
Devemos dizer, de forma enfática, que o “animal intelectual”
equivocadamente chamado Homem não possui ainda uma
verdadeira Vontade.

Obviamente, o animal intelectual ainda não é um Homem no sentido


mais completo da palavra. Quando alguém se deu ao luxo de
fabricar um corpo causal, ou um corpo da vontade consciente, sabe
o que é verdadeiramente a Vontade. Se pensamos na multiplicidade
do Eu Psicológico, se pensamos que cada um dos defeitos que
possuímos está perfeitamente representado por um agregado
psíquico inumano, vamos descobrir, com toda clareza, que temos
muitas “vontades”.

Cada agregado psíquico é como uma entidade tenebrosa em nós,


personificando algum erro, e possui sua própria “vontade”.

Assim, os diversos agregados que moram em nós representam


distintos impulsos volitivos. Portanto, há muitas “vontades” no
fundo de nossa psique, que se chocam entre si. O animal intelectual
não possui uma Vontade autóctone, independente, íntegra, unitotal,
não há unicidade na “vontade” do animal intelectual.

Mas quando alguém criou o corpo da vontade consciente, então


dispõe de uma Vontade Individual, com a qual pode trabalhar no
Universo inteiro. No Mundo das Causas Naturais encontramos os
Homens Causais, aqueles que já criaram o corpo da vontade
consciente.

Como poderíamos conhecer o Mundo Causal, se antes não tivermos


conhecido as causas de nossos próprios erros? Como poderíamos
conhecer o Mundo Causal, quando ainda não conhecemos nossas
próprias causas equivocadas?
Na realidade de verdade, repito, quem quiser conhecer os Mundos
Internos do planeta Terra deverá, antes de tudo, começar por
conhecer seus próprios mundos interiores. Isso requer
autoexploração e trabalho consciente sobre si mesmo…

Os Mundos Búdico e Átmico – Corpos da Consciência e Espiritual


Além do Mundo da Vontade Consciente, encontramos o Mundo
Búdico ou Intuicional. Obviamente, não poderíamos entrar no Mundo
Búdico ou Intuicional, se antes não tivermos conhecido nossa
própria realidade intuitiva, se antes não tivermos desenvolvido em
nós a Intuição. Existe uma clara diferenciação entre o que é o
processo do raciocínio comparativo, e o que é a Intuição.

A Razão se apóia no processo de comparação: “Isso é branco


porque aquilo é negro”, ou vice-versa. Intuição é diferente, é
percepção direta da Verdade, sem o processo deprimente da
opção… No Mundo Búdico ou Intuicional existe a Intuição.

Muito além da Região da Intuição, está a Região de Atman, o


Inefável. Mas na Região da Intuição descobrimos a Sabedoria do
Universo (de tudo o que é, de tudo o que foi, de tudo o que será). No
Mundo Búdico ou Intuicional, há sapiência inefável, há fraternidade,
há unicidade, unitotalidade, amor… Os que vivem no Mundo da
Intuição gozam da autêntica felicidade.

Assim, vale a pena investigar tudo isso. Muito além do Mundo


Búdico ou Intuicional, está a Região de Atman, o Inefável, a Região
do Íntimo, do Ser. “O Ser é o Ser e a razão de ser do Ser, é o próprio
Ser”. O Íntimo, em si mesmo, tem duas Almas: a alma espiritual, que
é feminina, e a alma humana, que é masculina.

Se lemos a Divina Comédia, veremos que Dante também cita as duas Almas:
uma, “a que trabalha” (a humana), e a outra, “a que contempla”, “a que se mira no espelho da
Natureza”.

Muito se falou sobre o signo zodiacal de Gêminis. Eu digo que


trazemos esse signo dentro de nós mesmos, no fundo da alma… O
Íntimo tem, repito, duas Almas: a espiritual, que é feminina, e a
humana, que é masculina.

A espiritual é a Valquíria, a Genebra, a Rainha dos Jinas, aquela que


a Lancelot servira o vinho nas taças deliciosas de Sukra e de Manti.
A humana sofre, chora, é masculina, e através dela vibra o Chrestos
Cósmico, “A poderosa mediação astral que enlaça nossa
personalidade física com a imanência suprema do Pai Solar”.

Chegar a encarnar as duas Almas é possível, mas isso requer


rigorosas disciplinas esotéricas. Antes, é preciso haver criado os
corpos astral, mental e causal, e haver trabalhado profundamente
em si mesmo e dentro de si mesmo, aqui e agora.

Só o Iniciado livre, que eliminou o Ego, que trabalhou de verdade,


profundamente, sobre si mesmo, se faz digno de encarnar em si
mesmo as duas Almas. Isso significa fazer realidade (em nós) o
signo zodiacal de Gêminis, pois essas duas Almas são gêmeas.

Inquestionavelmente, a Alma Humana deve desposar-se com sua


Dama, a Valquíria, a Sulamita do Sábio Salomão, a que figura no
Cântico dos Cânticos… Quem chegue a encarnar em si mesmo esse
par de Almas conseguirá a Iluminação total, a sapiência, a
sabedoria.

Primeiro, é necessário receber o princípio anímico humano


(masculino); segundo, devem vir os esponsórios da parte humana,
masculina, com a parte espiritual, feminina. Através do Budhi, da
Valquíria, da Genebra, da Beatriz de Dante Alighieri, resplandece o
Logos.

Obviamente, os princípios divinos mais poderosos estão contidos no


interior da Alma-Espírito, do Budhi. Por isso Blavatsky disse, em A Voz
do Silêncio: “O Budhi é como um vaso de alabastro fino e
transparente, através do qual arde a Chama de Prajña”. Quando a
Alma Humana (isso que temos de humano em nós, aqui dentro) se
desposa com a Alma-Espírito, vem a Iluminação, estabelece-se a luz
interior em nós, ficamos transfigurados, resplandecentes,
iluminados.

Mas para que esse contato se estabeleça, há que trabalhar muito


duro dentro de nós mesmos, de forma intensiva, criando os Corpos
Existenciais Superiores do Ser, eliminando o Ego animal,
sacrificando-nos pela humanidade doente. Assim, irmãos, o
interessante é que nos convertamos em verdadeiros Adeptos da
Fraternidade da Luz Interior.
Se assim procedemos, chegaremos à verdadeira Iluminação Íntima,
e se assim procedemos, chegaremos à autêntica bem-aventurança,
poderemos submergir-nos na região da felicidade legítima etc.

É necessário sair destas regiões de trevas em que nos


encontramos, é urgente, em verdade, chegar ao mundo dos
esplendores. Há que se investigar um pouco, refletir, repito, estudar
estas coisas. Se nós não analisamos, se não estudamos estas
matérias de conteúdo substancial, jamais chegaremos à liberação
final.

Cada um de nós tem de trabalhar sobre si mesmo se é que aspira


chegar, algum dia, à autêntica Iluminação. Mas para trabalhar sobre
si mesmo é necessário, inevitavelmente, ter o Conhecimento, as
chaves, as práticas. Nós, aqui, iremos dando a nossos estudantes
os sistemas, os métodos para trabalhar sobre si mesmos, a fim de
que consigam uma mudança absoluta.

É necessário, antes de mais nada, que haja continuidade de


propósitos, porque muitos começam estes estudos e poucos
chegam. Acontece que as pessoas não têm continuidade de
propósitos. Hoje começam com muito entusiasmo, e mais tarde no
tempo se apartam do Corpo de Doutrina.

No mundo há de tudo, existem os “mariposeadores”, esses que


andam de escolinha em escolinha e que acham que sabem muito,
quando em realidade e de verdade nada sabem. Nós temos de nos
definir com inteira clareza. Esta Instituição não busca outra coisa
além da Autorrealização Íntima do ser humano.

De modo algum nos interessa essa questão dos “mariposeadores”,


que andam de escolinha em escolinha, para não chegar a nenhuma
conclusão. A única coisa que nos interessa é trabalhar sobre nós
mesmos, para conseguir a transformação radical. Necessitamos
fazer-nos Adeptos da Fraternidade da Luz Interior, e isso é possível
trabalhando sobre nós mesmos, aqui e agora.

Os tempos chegaram, em que o Filho do Homem tenha de mostrar à


Humanidade o Caminho. Infelizmente, as pessoas, “ouvindo, não
ouvem” e “vendo com seus olhos, não veem”. A Senda lhes é
indicada e não a entendem, e se ligeiramente chegam a entendê-la,
não têm continuidade de propósitos para chegar à meta, e logo se
desviam.

O Movimento Gnóstico é como um trem em marcha: uns


passageiros sobem em uma estação e descem em outra. Raros são
os passageiros que chegam à estação final. Os afiliados à nossa
Instituição estão convidados: podem chegar à meta, desde que se
proponham a tal.

É uma lástima que as pessoas tenham mente volúvel, e que hoje


pensem uma coisa e amanhã outra! Se as pessoas fossem sérias de
verdade só se preocupariam por trabalhar intensamente dentro de
si mesmas.

Nesta Instituição ensinamos como eliminar os agregados psíquicos


indesejáveis que carregamos em nosso interior. Nesta escola
ensinamos aos seres humanos qual é o caminho do autêntico
sacrifício, e como fabricar os corpos astral, mental e causal para se
converterem em Homens verdadeiros, em Homens legítimos, em
Homens autênticos, no sentido mais completo da palavra.

O Homem e os Tatwas da Natureza


Obviamente, conforme vai nascendo o Homem dentro do animal
intelectual, provocam-se mudanças extraordinárias: despertam
certos poderes, certas faculdades magníficas. O Homem íntegro, o
Homem unitotal, chega ao ponto de ter perfeito domínio sobre os
Tatwas. E que são os Tatwas? Vibrações do Éter Universal.

Nos Elementos da Natureza estão sintetizados os Tatwas.

O princípio vital etérico da Água é Apas.


O princípio vital etérico do Ar é o Vayu Tatwa.
O princípio vital etérico do Fogo é o Agni Tatwa, ou Tejas, Tejas
Tatwa.
O princípio vital da Terra é, precisamente, o Prithivi Tatwa.

O Homem autêntico, legítimo, é o que fabricou os corpos astral,


mental e causal, aquele que é capaz de entrar no Mundo Etérico,
aquele que é capaz de mover-se pelo Mundo Astral, aquele que pode
penetrar inteligentemente no Mundo da Mente Cósmica, ou viajar
pelo Mundo das Causas Naturais, e que também adquire poder
sobre os Elementos da Natureza: sobre a perfumada terra e sobre o
fogo flamígero, sobre as águas tempestuosas e sobre o vento e os
furacões.

Por este motivo, o Adepto chega, de verdade, a converter-se em um


Rei da Natureza e do Cosmo.

As Forças Etéricas da Natureza penetram no ser humano, dando-lhe


saúde, paz e harmonia.

Os Tatwas, em si mesmos, pertencem ao


Mundo Etérico, ao Mundo Vital, a esse corpo vital do planeta Terra.
Os Tatwas são vibrações do Éter, os Tatwas penetram diretamente
nas glândulas endócrinas do organismo humano, mas não tornam a
sair dali.

Os Tatwas, ao entrar dentro dos chakras, passam às glândulas


endócrinas e se transformam em hormônios, hormônios que
circulam pelo sangue, e dali não tornam a sair.

Despertar os poderes tátwicos é assombroso, mas isso somente é


possível para o Homem autêntico, para aquele que é capaz de viver
no Mundo Astral conscientemente, ou para aquele que sabe viajar
pelo Mundo da Mente, ou para aquele Homem Causal que
estabeleceu seu centro de gravidade precisamente no Mundo das
Causas Naturais.

Um Adepto Autorrealizado é um Homem no sentido mais completo


da palavra, é Rei da Criação, porque maneja os Tatwas, porque
pode manipulá-los à vontade. Um Homem que maneja o Fogo, o Ar,
as Águas, a Terra, que é capaz de desatar as tempestades etc., que
é idôneo no uso dos Tatwas, é um Homem de verdade, é um Mestre
autorrealizado, alguém que conhece os mundos superiores.

Chegou o momento em que cada um de vocês lute pela


autorrealização, chegou o momento em que cada um de vocês
conheça seus próprios Mundos Internos, para que conheçam os
Mundos Internos de seus amigos, e para que conheçam os Mundos
Internos do planeta Terra, e do sistema solar, e da galáxia em que
vivemos…

Ser Homem, no sentido mais completo da palavra, é algo muito


grande. Mas Homem verdadeiro é unicamente o que fabricou os
Corpos Existenciais Superiores do Ser, o que se estabeleceu como
cidadão dos mundos superiores. Homem verdadeiro é o que
conseguiu o domínio dos Elementos da Natureza, não somente no
Cosmo, mas dentro de si mesmo, aqui e agora.

Se um Homem verdadeiro não aprendesse a dominar os princípios


inteligentes de seu próprio corpo físico, representados por esses
gnomos atômicos ou elementais do sistema ósseo, tampouco
poderia dominar os gnomos do planeta em que vivemos, os gnomos
que vivem dentro das rochas da terra.

Se um Homem autêntico não pudesse dominar as inquietas ondinas


atômicas que vivem em suas águas seminais e na linfa, tampouco
poderia dominar as ondinas e elementais aquáticos dos rios e dos
mares.

Se um Homem verdadeiro não pudesse dominar o ar de seus


pulmões, se não tivesse a capacidade para controlar, deverdade, os
elementais de sua própria mente, esses que brincam com a
substância de seu entendimento, esses que vibram e palpitam em
suas inquietudes inteligentes, tampouco teria poder para dominar
os silfos da Natureza, esses que governam as nuvens e que movem
o furacão e a tormenta.

Se um Homem real, autêntico, não tivesse perfeito domínio sobre


seus Princípios Ígneos, se não pudesse dominar seus ardentes
impulsos sexuais, se fosse vítima de suas próprias salamandras
atômicas, tampouco poderia dominar os elementais ígneos dos
vulcões em erupção, ou do fogo do interior do planeta em que
existimos.

Assim, para poder controlar os Tatwas, temos de começar a


controlar nossos próprios impulsos, dentro de nós mesmos, os
elementos naturais que temos em nós.
Se um homem não aprende a dominar seu corpo, muito menos
poderá dominar o grande corpo chamado Terra. Se um homem não
aprende a dominar seu próprio corpo vital, tampouco poderia
manipular os Tatwas. Se um homem não aprende a dominar suas
próprias emoções e desejos pessoais, tampouco pode manejar a
Corrente Astral do planeta Terra.

Se um homem não é dono de sua Mente, tampouco poderá ser dono


da Mente Universal. Se um homem não é dono de sua Vontade
Pessoal, tampouco poderá ser dono da Vontade Cósmica.

Quem quiser sentar no Trono de Mando da Natureza deverá, antes


que tudo, tomar posse de si mesmo, converter-se em amo de si
mesmo, em senhor de si mesmo! Ser Rei da Natureza é algo
grandioso. Mas não é possível ser Rei da Criação, se alguém não se
fez antes Rei de si mesmo. Para chegar a ser Rei de si mesmo, é
indispensável aprender a negar a si mesmo.

Raros são os que sabem negar a si mesmos. Só aquele que aprende


a negar-se pode sentar-se no Trono de Mando para governar a
Natureza inteira. Só o Homem que aprende a negar a si mesmo
adquire poder sobre o fogo dos vulcões em erupção e pode fazer
tremer a terra; só o Homem que aprende a negar-se pode apaziguar
as tempestades; só o Homem que aprende a negar a si mesmo pode
desatar os furacões.

Enquanto alguém não tiver aprendido a negar-se é um fraco, um


incapaz, uma criatura vítima das circunstâncias. Negar a si mesmo
aparentemente é muito fácil. Na teoria, “a frio”, qualquer um se
sente capaz de negar-se, mas “a quente” é diferente… Gostaria de
colocar um exemplo de negação de si mesmo… Apelarei à questão
das bodas matrimoniais, com o objetivo de insinuar ideias:
tenhamos o caso de alguém que se casou, sendo Alquimista.

Bem sabemos que o Alquimista maneja o Vitríolo (vidro líquido


flexível e maleável), ou falando em outros termos, o Esperma
Sagrado, ou o Azougue, como também se diz (o Azougue em bruto).
Obviamente, um Alquimista não pode derramar jamais o Vaso de
Hermes.
Eu não conceberia um Alquimista, dedicado à Grande Obra,
derramando o Vaso de Hermes Trismegisto, o Três Vezes Grande
Deus Íbis de Thot, ou em outros termos mais concretos: chegando à
ejaculação do Ens Seminis durante a cópula química ou metafísica.
Se o Alquimista procedesse dessa forma, fracassaria, de fato, na
Ciência da Transmutação Metálica.

Mas se casou, e devido à superexcitação sexual, sabe que se


realiza a conexão do Lingam-Yoni e Pudenda, em sua primeira noite
de bodas, perderia o Mercúrio da Filosofia Secreta. Contudo, o
perigo é grave: o atanor, isto é, sua esposa, poderia exigir o
cumprimento da cópula química, mas ele sabe que fracassaria.
Negar-se seria o indicado. Ele deve negar-se, ainda que a
sacerdotisa proteste.

A frio, todos dizem que é simples, mas a quente, não há ninguém


que seja capaz de fazê-lo… Agora, suponhamos que não se trata de
um elemento masculino, suponhamos que uma mulher que se
dedica à Alquimia, e ao domínio das Ciências Esotéricas, se casa.

Obviamente há de realizar a cópula metafísica em sua primeira


noite de bodas, mas teme que ao realizá-la possa chegar a isso que
em fisiologia orgânica se conhece como orgasmo (a perda da
Energia Criadora do Terceiro Logos). Deve negar-se essa noite se
não se encontra em condições.

Poderia fazer isso? Aquela mulher, “a frio”, diria: “Sim, faço”. Mas,
“a quente”, as coisas mudam. E não estou dando a vocês senão uma
ideia, uma pauta, do que é “negar-se a si mesmo”, trata-se de algo
terrível! Enquanto um homem ou uma mulher não neguem a si
mesmos, não sejam capazes de sacrificar a parte animal por amor
ao Cristo Íntimo, ao Logos, tampouco serão capazes de sentar-se no
Trono de Mando da Natureza, para governar o Universo inteiro.

Quem quiser poderes, pode adquiri-los se nega a si mesmo! Temos


um exemplo concreto no poder para fazer-se invisível. É possível
conseguir este poder, e é maravilhoso, mas é necessário negar a si
mesmo.

Se, nos instantes em que um ser querido exala seu derradeiro


alento, renunciamos à dor que nos causa tão nefasta perda, há
negação de si mesmo. Como é natural, se estamos vendo nossa
mãe que morreu, ou um filho, ou um irmão, ou nosso pai terreno, é
possível que caiamos no desespero.

Mas, se nesse preciso instante negamos a nós mesmos, e aquela


dor é sacrificada em prol do poder esotérico para a invisibilidade.
Se nesse momento transformamos essa suprema dor, mediante a
meditação consciente, no poder para fazer-nos invisíveis, a
realidade será que adquiriremos, por tal motivo, tão precioso poder.

Mas quem é capaz de fazer isso? Quem é capaz de sorrir de


verdade, renunciando à dor, ante o leito de sua mãe morta? Quem
seria capaz de sacrificar essa dor, de renunciar a ela, diante do
leito de seu pai, ou de sua esposa falecida? Impossível! É muito
difícil achar alguém com essa capacidade. Então, como aprender a
se fazer invisível se não somos capazes de conseguir o poder?

Para consegui-lo, temos de negar a nós mesmos, e se não nos


negamos, conseguiremos por acaso tal poder? Os poderes estão
diante de nós, mas implicam sacrifício e negação de si mesmos. Por
exemplo, o combustível que faz mover uma máquina que arrasta um
trem em movimento deve ser sacrificado em prol da energia motriz
que faz funcionar todo o trem.

Vemos, assim, que esse combustível, mediante o sacrifício, se


converte em uma força distinta, se converte em movimento, em um
poder que arrasta um veículo ao longo dos trilhos, isso é óbvio.
Assim também uma força inferior qualquer pode ser transformada,
mediante o sacrifício, em outra força completamente diferente e
com características distintas.

A questão está em aprender a negar a si mesmo, para transformar,


mediante o sacrifício, uma força inferior em outra de tipo superior e
diferente. Só procedendo assim, transformando-nos desta maneira,
deste modo, é que é possível, em verdade, chegar a ser Reis dos
Tatwas, Homens no sentido mais completo da palavra, Homens
Solares, Homens Deuses!

Chegou a hora de meditarmos um pouco nos antigos tempos da


Arcádia, quando os rios de água pura de vida manavam leite e mel.
O Homem tinha poder sobre os Elementos da Natureza, então falava
no horto puríssimo da Divina Língua, que como um rio de ouro corre
sob a espessa selva do Sol. Essa era a Idade dos Titãs, a Idade em
que os rios de água pura manavam leite e mel!

Então, não existia nem o meu nem o teu, tudo era de todos, e cada
qual podia colher da árvore do vizinho sem temor algum. A
humanidade não se havia degenerado, possuía o poder sobre os
Tatwas…

Agora necessitamos reconquistar esse poder. Mas para conseguir


tais faculdades, faz-se necessário o sacrifício, a renúncia de si
mesmo, a transformação radical.

Nesta Instituição, vamos ensinar a vocês o caminho que os levará


ao Super-Homem. Chegou a hora do Super-Homem! Chegou a hora
em que comecemos por criar o Homem. Inquestionavelmente,
primeiramente deve vir a criação do Homem, e depois entraremos
no Reino do Super-Homem.

O Homem, em si mesmo, é grandioso, é o Rei da Natureza e do


Cosmo. O Super-Homem está além ainda, o Super-Homem é o
Homem que conseguiu se integrar com a Divindade.

Na Doutrina Secreta de Anáhuac, diz-se que “os Deuses criaram os


Homens da madeira e depois de havê-los criado, fundiram-nos com
a Divindade”, e depois acrescenta: “Nem todos os Homens
conseguem fundir-se com a Divindade”. De modo que primeiro é
criar o Homem e segundo é fundi-lo com a Divindade.

Quando o Homem se funde com a Divindade, converte-se no Super-


Homem de Nietzsche. O Super-Homem é uma terrível realidade.
Necessitamos sair deste estado lamentável em que nos
encontramos (até agora somos míseros vermes no lodo do mundo),
necessitamos regenerar-nos e depois integrar-nos com o Divinal.

Viver assim, por viver, viver para comer e existir como parasitas
agarrados à epiderme deste animal meio grandinho que se chama
Terra, é 100% absurdo.

Chegou a hora de entender que devemos mudar intimamente.


Assim, irmãos, devemos estudar cada vez mais a fundo todo este
Corpo de Doutrina, desintegrar o Ego, criar os Corpos Existenciais
Superiores do Ser e sacrificar-nos pela humanidade. Este é o
caminho óbvio a seguir!

OS SETE CORPOS OCULTOS

O Conhecimento Oculto afirma que o Homem é potencialmente a


criação mais maravilhosa e complexa que Deus criou no universo.

Dentro de nós manifestam-se todas as leis cósmicas, todos os


princípios elementais e todos os anseios de autorrealização da Mãe
Natureza. As virtudes mais sublimes e o fôlego da Eternidade
suspiram em nossos ouvidos tentando nos relembrar de nossas
Origens. Apesar de nosso corpo físico ser uma das obras primas da
natureza, ele é apenas uma pequena peça de um todo muitíssimo
mais fantástico e complexo.

Os sete Arcanjos da Presença vibram no mais profundo da Alma na


forma de átomos de Amor, Poder e Vida em nossas sete igrejas
apocalípticas (os Chacras).

A santa Fraternidade Branca interna ressoa nos átomos mais


sublimes de nosso cérebro.

A ternura onipotente da Mãe Divina ilumina cada célula de nosso


coração.

E o que dizer de nossos íntimos elementais atômicos? Os gnomos


internos de nossos ossos e músculos, as ondinas do sangue e
líquidos sexuais, os silfos trabalhando intensamente em nossos
ares vitais (pulmões, pensamentos etc.) e as salamandras atômicas,
dando-nos aquela sensação de calor e ânimo de viver.

Um grande mago moderno, dr. Jorge Adoum (Adonai), dizia que o ser
humano é um rei da natureza, porém, um rei sem cetro, cujo reino
ainda espera ansioso para ser domado.

Os Sete Corpos
De acordo com as leis sagradas do Sete e do Quatro, as
composições químicas e energéticas do corpo e da alma se
agrupam em níveis de densidade que vão do mais grosseiro ao mais
sutil, do corpo tridimensional de carne e osso ao Espírito da Vida.
As sete estruturas, ou corpos, do homem, à semelhança do
Universo inteiro, são:
1. Físico
2. Etérico (ou Vital)
3. Astral (ou de Desejos)
4. Mental
5. Causal (ou da Vontade; Alma Humana)
6. Consciência (ou Alma Divina)
7. Íntimo (ou Espírito)

O grande mestre e médico de almas Paracelso os designava assim:

1. Limbus
2. Múmia
3. Archaous
4. Sideral
5. Adech
6. Aluech
7. Corpo do Íntimo

Os distintos sete corpos dessa Anatomia Oculta interligam-se,


influenciando-se e afetando-se mutuamente. Quando ocorre um
desequilíbrio de um dos corpos acima citados, os outros ressentem,
ocorrendo então uma desarmonia ou doença.

Enquanto a saúde do corpo onde primeiro ocorreu o desequilíbrio


não for totalmente restabelecida, não haverá o radical processo de
cura. Ou seja, todo o conjunto permanecerá doente (com excessão
dos dois corpos mais sutis, a Consciência e o Espírito, pois estes
somente influenciam).

Poderes que Divinizam o Homem


Quando nos damos conta da existência daquela parte divina dentro
de cada um de nós; quando descobrirmos com a emoção mais
profunda do coração que essa divindade íntima quer que
desvendemos as esferas superiores de nossa Consciência; enfim,
quando em nossas viagens internas começamos a responder à
inteligência do Pai Íntimo, então sim, como filhos pródigos
poderemos nos considerar um Deus, em potencial.

A investigação de nossa Alma nos faz crer que existem poderes que
levariam nossa vida a uma mudança tão radical que os limites de
nosso cotidiano se confundiriam com o Ilimitado. Com o uso de sons
vocálicos, mântricos, podemos conquistar nossa herança mágica,
perdida num passado longínquo.

Mantras são invocações sonoras que o mago utiliza para harmonizar


seu corpo e seus Centros com as forças mais sutis da Natureza
(sobre esse tema trataremos em outro texto do GnosisOnline).

Os homem possui ao todo 12 poderes, ou sentidos. Cinco sentidos


físicos (olfato, audição, paladar, tato e visão) e sete suprafísicos,
atrofiados na grande maioria de nós. Eventualmente um ou outro
sentido suprafísico se manifesta, dando-nos a certeza de que eles
existem. Esses poderes são:

1. Clarividência
2. Clariaudiência
3. Intuição
4. Telepatia
5. Viagem Astral
6. Recordação de Vidas Passadas
7. Polividência

1. Clarividência: É a Terceira Visão.Com este poder, apresenta-se


ante nosso olho interior todo o universo oculto, as dimesões
superiores e inferiores, os elementais e os anjos, os corpos sutis, os
desencarnados e as formas-pensamento. Desenvolve-se a
clarividência despertando o chacra frontal (entre as sobrancelhas) e
trabalhando-se a Ira. As virtudes são paciência, serenidade e
Imaginação consciente (não confundir com Fantasia). A cor deste
chacra é azul com matizes de rosa. O mantra para seu despertar é
INRI…

2. Clariaudiência: É o chamado Ouvido Interno ou Oculto. Com este


sentido podemos escutar a voz dos desencarnados, dos Mestres, a
Música das Esferas, compreender cada palavra pronunciada,
valorizar a virtude do amor à Verdade e compreender as Leis de
Causa e Efeito. O chacra deste sentido é o Laríngeo, situado na
base da garganta. Suas cores são índigo e prata. O mantra é ENRE…

3. Intuição: É a voz divina que nos fala por meio do Cárdias, o


chacra do coração. Com este sentido captamos o profundo
significado das coisas e ficamos sabendo com antecedência o que
fazer. Os místicos afirmam que este chacra desenvolvido nos dá
também o poder da levitação (Jinas). A virtude para este chacra é o
Amor. E a cor é o dourado. O mantra é ONRO…

4. Telepatia: Quando andamos pela rua, pensamos em alguém e


logo passamos por ele; isso se chama captação de pensamento, e é
despertado com as virtudes do respeito a tudo e a todos, a
discrição, o não julgar a ninguém. O chacra é o do plexo solar, na
altura do umbigo. É chamado de Solar por ser o acumulador dos
átomos ígneos que vêm do Sol. Aclaramos que a Transmissão das
ondas de pensamento se faz por meio do chacra frontal e a
captação pelo solar. As cores são o verde e o amarelo.O mantra é
UNRU…

5. Viagem Astral: Todos, sem excessão, saímos do corpo físico nas


horas de sono. Nossos sonhos são vivências (quase sempre
inconscientes) de fatos ocorridos no mundo astral, ou quinta
dimensão. Quem de nós, em um dado momento, estando relaxados,
de repente pensamos em alguma coisa e nosso corpo sente um leve
choque, como que assustados? Na verdade, sem o saber, estivemos
saindo gradativamente do corpo físico e voltamos bruscamente.
Quando um indivíduo domina relativamente esse poder, consegue
coversar com os mestres e todos os desencarnados, penetrar nos
templos das igrejas elementais, viajar a qualquer lugar do mundo,
acima e sob a terra.

Quando todos os chacras, especialmente o cardíaco, prostático e


hepático, estão em perfeita sintomia com as forças sutis do
Cosmos, a saída astral se torna mais consciente. A virtude é a
Vontade e os defeitos a serem trabalhados são a preguiça, o medo e
a gula. A cor é o azul celeste. O mantra é FARAON…

6. Recordação de Vidas Passadas: Essa função depende de um


sistema nervoso equilibrado, ou seja, um cérebro e uma coluna
vertebral carregados de energias transmutadas. Porém, os chacras
ligados a esse poder são os pulmonares, que se situam na parte
superior das costas. A virtude requerida para o despertar desse
centro é a Fé consciente e serena. Trabalhando-se com os chacras
pulmonares conseguimos absorver a experiência e o conhecimento
acumulado de vidas passadas. A cor é o violeta.O mantra é ANRA…
7. Polividência: É a virtude dos atletas da meditação, dos adeptos
do Êxtase espiritual. O chacra coronário, o do topo da cabeça, é a
porta de entrada e saída da Essência. A polividência é a capacidade
da nossa consciência, ou Essência, desligar-se completamente de
seus sete corpos e penetrar na Realidade Única, na essência
profunda e na razão de ser das coisas. Todas as sete cores ao
mesmo tempo. O mantra sagrado é TUM…

EQUILIBRANDO MENTE, ALMA E CORPO

Devemos repeti-los diariamente, segundo Mikau Usui:

“Não se zangue hoje.

Não se preocupe hoje.

Seja grato hoje.

Trabalhe arduamente hoje.

Seja bom para os outros hoje.”

Porque hoje?
Porque estamos vivendo hoje, e se nos preocuparmos com o dia
que estamos vivendo, automaticamente iremos conduzir os outros
para a mesma freqüência. Você sabe que somente você faz dos
seus dias um paraíso, ou não. Então o que você precisa é parar,
pensar e focar uma atenção organizada para sua vida.

Sentem-se em silêncio todas as manhãs e todas as noites. Faça sua


meditação, ou aprenda uma meditação bem simples e prática para
poder fazer em pouco tempo, só para não ter desculpa de não ter
tempo para realizar este ritual.

Lembre-se, você não está apenas curando doenças, equilibrando


suas energias, energizando seus chakras, mas curando a Terra
como um todo. Porque se todos praticarem meditação, além de ser
particular, passaremos a energizar o planeta também, como já
fazem os Monges.

OS ELEMENTAIS INTERNOS
O místico que anela de verdade converter-se em um “Malachim”, em
um Rei Angélico da Natureza, deve converter-se em rei de si
mesmo.

Como poderíamos mandar nos elementais da natureza se não


aprendemos a governar os elementais atômicos de nosso próprio
organismo?

Controle Psicológico e os Elementais Internos


As salamandras atômicas do sangue e do sexo ardem
espantosamente com nossas paixões animais.

Os silfos atômicos de nossos próprios ares vitais, a serviço da


imaginação mecânica (não confunda isso com a Imaginação
Objetiva Consciente), brincam com nossos pensamentos lascivos e
perversos.

As ondinas atômicas do sagrado esperma originam sempre


espantosas tempestades sexuais.

Os gnomos atômicos da carne e dos ossos gozam indolentes com a


preguiça, glutoneria, concupiscência.

Faz-se urgente saber exorcizar, comandar e submeter os elementais


atômicos de nosso próprio corpo.

Mediante os Exorcismos do Fogo, dos Ares, das Águas e da Terra,


podemos também submeter os elementais atômicos de nosso
próprio corpo.

Inquestionavelmente, tais orações e exorcismos devem ser muito


bem aprendidos de memória.

OS ELEMENTAIS E OS 7 CHACKRAS

Existem 7 Templos sagrados no mundo astral ligados aos elementos


cósmicos e nos conectamos magneticamente a eles por meio de
nossos sete principais chacras, batizados no esoterismo crístico de
Igrejas do Apocalipse. O chacra básico, na ponta da espinha dorsal,
nos liga ao elemento Terra e seus mantras principais são o IAO e o
S (como o silvo prolongado de uma serpente). Os grandes magos
afirmam que ao se despertar esse centro dominamos externamente
os gnomos e pigmeus, além dos fenômenos telúricos, como
terremotos, erosão, pragas de formigas, lesmas e outros.
Internamente, desenvolvemos a Paciência, a Diligência e a
Laboriosidade. Todos os chacras das pernas (dos joelhos, do
descarrego nos calcanhares, das solas dos pés etc.) estão
subordinados ao Básico.O chacra prostático (chamado de uterino,
nas mulheres), localiza−se a quatro dedos acima dos órgãos
sexuais, no púbis. Seu mantra principal é a letra M. Com ele
trabalhamos os elementais das águas, ondinas e nereidas,
dominando as nuvens chuvosas, as ondas dos mares, as enchentes
e as leis de equilíbrio da natureza(chamadas de Leis do Trogo
Autoegocrático Cósmico Comum. É um nome complexo, mas
significa Tragar e Ser Tragado, Receber e Doar, Dar para Receber).
Interiormente, desenvolvemos a Castidade, a Fidelidade e a
compreensão da Prosperidade. Este chacra é o centro de irradiação
e controle de outros, como o da bexiga, testículos(ou ovários) e
rins.O chacra solar, como já dissemos, confere o poder da telepatia.
Mas também dominamos o Fogo, e seus seres, as Salamandras e os
Vulcanos. Psiquicamente pode−se dominar os incêndios, as
fogueiras, o poder curativo das velas. Este chacra domina os
chacras secundários e terapêuticos, como do fígado, do baço, do
pâncreas, o da boca do estômago etc.O chacra cardíaco, por nos
ligar aos elementais do Ar, Silfos e Sílfides, Fadas e Elfos, nos dá
poderes sobre o vento, os furacões, as brisas,a levitação, o
teletransporte. Também nos confere a compreensão da natureza
pela teologia, pelos rituais e a mensagem dos símbolos
pelaIntuição. O Cárdias auxilia os chacras pulmonares, os das
axilas, dos cotovelos e os das palmas das mãos.Os chacras
superiores(laríngeo, frontal e coronário) nos auxiliam a trabalhar e
compreender as energias cósmicas superiores do Ser, como o
desapego, a sabedoria, a verdade, a inteligência, a justiça, a
misericórdia etc., já que a Loja Branca atômica de nosso corpo
físico está no cérebro. Esses três chacras sagrados têm sob sua
influência outros, como o do cerebelo, o “chacra oculto”, os sete
chacras especiais que circundam o coronário, o do hipotálamo, do
timo, do palato etc.Enfim, nosso organismo psíquico contém uma
fantástica constelação de chacras que nos ligam às mais variadas
energias cósmicas e telúricas. Alguns afirmam que nosso corpo
astral possui cerca de 10 mil chacras e o corpo mental está
estruturado com mais de 200 mil chacras. Isso, sem contar os
chacras dos outros corpos. Conhecendo−se essa Anatomia Interior,
podemos direcionar a força elemental. Conhecendo a parte enferma
da alma e do corpo, deficiências ou com bloqueios, podemos
trabalhar com as salamandras, os gnomos etc. Conhecendo o
procedimento ritualístico, os símbolos, os mantras, os nomes das
Deidades especialistas em determinadas energias, podemos iniciar
um verdadeiro trabalho magístico. O grande segredo é o
Conhecimento prático, e não unicamente a teoria
estéril.Prática:Procure mais uma vez uma postura de relaxamento e
meditação. Imagine que seus chacras tomam a forma de luminosas
flores cor de rosa. Dos mantras acima citados(para despertar um
dos sete sentidos paranormais), escolha um deles que você sinta
mais afinidade e pratique por cerca de 10 minutos. Visualize que o
chacra correspondente ao mantra escolhido se transforma num
templo dentro de você. Penetre com a Imaginação Consciente
dentro desse templo e sinta a Sabedoria ali contida. Ore à sua Mãe
Divina e peça Força. Lembre−se: cada exercício deste livro deve ser
praticado por pelo menos uma semana. Sinta a energia contida em
cada prática.

BHODI

Bodhi, no Budismo especificamente, significa a experiência do despertar espiritual


alcançada por Gautama Budda e seus discípulos. Isto é, às vezes, descrito como a
completa e perfeita sanidade, ou despertar da verdadeira natureza do universo. Após
alcançado, a pessoa se liberta do círculo do Samsara: nascimento, sofrimento, morte e
renascimento (ver moksha). Bodhi é, normalmente, traduzido como
"iluminação". A expressão introduz uma noção de despertar de um
sonho e estar desperto sobre a Realidade. De fato, é preferível
pensar em Bodhi como um "despertar" ou "acordar" espiritual,
embora a imagem de luz seja extraordinariamente predominante em
muitas escrituras Budistas. Certo é que, quanto maior a
consciência, maior é a luz.

Bodhi é atingida apenas com consumação de alguma Paramita


("perfeição"), quando as Quatro Nobres Verdades são completamente
compreendidas, cessando o carma. Neste momento, toda a cobiça (lobha), aversão
(dosa), desilusão (moha), ignorância (avijjā), ânsia (tanha) e ego
(attā) extinguem-se. Bodhi, de fato, inclui anattā, a abstenção do
ego.
Alguns sutras do budismo Mahayana enfatizam que Bodhi está
sempre presente e é perfeito e simplesmente se necessita ser
"descoberto" ou desvendado por uma visão purificada. De fato, o
"Sutra do despertar perfeito" diz que Buddha ensinou que, como o
ouro dentro do seu minério, Bodhi está sempre dentro do ser mas
requer que a obscuridade mundana seja consumida (as profanações
que cercam o samsara o enfraquecem, o deixam inconsciente) para que seja
removido. O Buddha declara:

"Bons filhos, isto é como obter ouro pela fusão do minério. O ouro
não vem a ser o que é por causa da fundição... Mesmo que se passe
um tempo incontável, a natureza do ouro nunca se corrompe. É
errado dizer que ele não era originalmente perfeito. A Perfeita
Iluminação do Tathagata [Buddha] é também assim."

Doutrinas similares são encontradas no Tathagatagarbha sutra, que


fala da presença imanente do princípio do Buddha (Buddha-dhatu/ Buddha-
natureza) dentro de todos os seres. Aqui, o Tathagatagarbha (Buddha-Matrix) equivale
à transformação do inclausurado e libertador poder do Bodhi, que concede uma
infinidade de visões da unificação. Os estados do Buddha
Shurangama Sutra:

"Meu não criado e a interminável profundidade da iluminação de


acordo com o Tathagatagarbha, que é o Bodhi absoluto e que
assegura o meu discernimento perfeito do reino do Darma [reino da
última verdade], onde o todo é o infinito e o infinito é o todo."

A Árvore Bodhi é um espécie de Figueira Sagrada (Ficus religiosa)


na qual está agora a cidade de Bodh Gaya. Foi sentado sob esta árvore em
meditação que Siddhartha Gautama ficou iluminado. Na tradição maaiana, Maia estava
segurando um ramo desta árvore enquanto descansava no jardim de Lumbini quando de à
luz seu filho Siddhartha.
Tipos de iluminação
Sāvaka-Bodhi (Arhat)
Aqueles que estudam os ensinamentos dizem ter samma-
sambuddha e, quando atingem a iluminação neste mundo, são
conhecidos como Arhats. Tais seres são habilidosos em ajudar os
outros em atingirem a iluminação como eles através da sua
experiência pessoal conseguiram.
Pacceka-Bodhi (Pratyeka)
Aqueles que obtêm a iluminação através da autorrealização, sem a
ajuda de um guia espiritual e professores, são conhecidas como
pratyekabuddhas. De acordo com o Tripitaka, tais seres somente
surgem na eras onde o darma foi perdido. Sua perícia em ajudar os outros a
obter a iluminação é inferior aos arhats e eles também levam mais tempo para
acumular as paramitas. Muitos pratyekas podem ascender ao mesmo
tempo.
Sammā-Sambodhi ("supremo Buddha")
Estes são os perfeitos, mais desenvolvidos, mais compassivos, mais
amados, seres que sabem tudo e quem compreendem o darma por
seus próprios esforços e sabedoria e ensinam a sua pericia ao outros, libertando-os do
Samsāra. Um destes Sammā-Sambodhi é conhecido como samma-
sambuddha, e é necessário muito mais tempo para acumular o
parami para se atingir esse estado do que para se tornar então um
pratyekabuddha.

MAGIA ELEMENTAL

A Árvore Escandinava

A versão nórdica da árvore da vida está bem detalhada nos Eddas, a


bíblia escandinava, na verdade uma coletânea de contos de fundo
esotérico. Chamada de Yggdrasil, essa árvore representava o deus
Ygg (ou Odin) e era um gigantesco Freixo situado no cimo de uma
montanha. Yggdrasil que servia de abrigo para as reuniões e
concílios dos deuses e seus galhos ultrapassavam os limites dos
céus.

Quatro cervos (os Devarajas) se alimentavam de seus brotos, em


seu topo vivia uma majestosa águia (o Espírito) e em suas raízes se
encontrava a poderosa serpente Nidhugg (a Kundalini a ser
desperta). Essa árvore sagrada era eterna porque estendia suas
três raízes(as forças primárias) até duas fontes: a da primavera e a
da sabedoria, guardadas pelo lobo Fenris (a Lei) e pelo gigante de
gelo Mimir (as forças instintivas da natureza). O Yggdrasil é a única
potência capaz de levar os “mortos na batalha” para o Valhalla (o
Paraíso) e de impedir o fim do mundo, dos Deuses e dos homens
(esse Fim do Mundo, entre os nórdicos, chama-se Ragnarok).
Plantas Sagradas Entre os Gregos
A magia vegetal esteve intimamente ligada aos deuses e tradições
greco-romanos. Vejamos algumas, como referência:

TRIGO: Foi o dom supremo de Deméter, ou Ceres, Deusa da Terra. É


o alimento do corpo e da alma. Como o arroz entre os orientais e o
milho entre os pré-colombianos, o trigo representa a chave da vida
e da abundância. É a energia à espera de sua transmutação.
Elemental Solar.

UVA: Dedicado ao deus Baco, ou Dionisios, do Êxtase, da Castidade


e das Artes. O vinho representa o trabalho sagrado da transmutação
alquímica. Com o trigo, eram os dois principais símbolos do anelo
de Liberação nos Templos de Elêusis e posteriormente se
transformaram em parte do mistério crístico da Salvação (Mistério
Eucarístico). Na Alquimia egípcia e depois na medieval, o pão e o
vinho foram representados pelo Sal e o Enxofre. Elemental
Venusiano, especialista em Magia Mental.

OLIVEIRA: É ao mesmo tempo alimento, medicina e combustível.


Está ligado a Minerva, ou Palas Atena, deusa da Sabedoria e do
Fogo.

LOURO: Árvore sagrada do solar Apolo, ou Helios, representa o


triunfo conquistado depois de longas batalhas e duros sacrifícios. É
um dos símbolos dos videntes e profetas. Elemental Solar.

ARTEMÍSIA: Planta consagrada a Diana caçadora (Ártemis), a que


socorre as mulheres no parto. O interessante é que essa planta
regula a menstruação e evita a gravidez. Elemental do Fogo,
marciano.

MURTA: Consagrada a Vênus-Afrodite. Além de afrodisíaca, diz-se


que a aura da murta alimenta o amor nos lares.

PINHEIRO: Associado a Júpiter-Zeus, por sua presença majestosa e


força. Esta árvore, pela solidez de sua madeira, representa a
perpetuidade da vida. Elemental Saturniano.

Além das associações com as divindades, muitas plantas tinham


íntima relação com determinados templos oraculares. Delfos e
Delos estavam ligados ao louro, Dodona ao carvalho, Epidamo e
Boécia à canela e árvores condimentares.

Também temos muitas outras representações que nos remontam à


presença e à manifestação da Divindade. Temos o Ashvata ou
figueira sagrada da sabedoria oriental; o Haoma dos mazdeistas,
onde se vê Zoroastro esquematizando o homem cósmico; o
Zampoun tibetano e o carvalho de Ferécides e dos celtas. Duas das
tradições que nos chegaram de forma mais complexa são a das
plantas bíblicas e seu simbolismo e a Árvore da Vida cabalística.

Plantas Bíblicas
Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento são considerados
mananciais abundantes dos simbolismos vegetais. O mistério do
mundo das plantas é tão importante que vemos Deus criando com
especial ênfase o reino vegetal no primeiros Dias do Mundo.
Vejamos em Gênese(Cap.1, Vers.11):

“Em seguida, Ele disse:

-Que a Terra produza todo tipo de vegetais, isto é, plantas que dêem
sementes e árvores que dêem frutos.
E assim aconteceu. A Terra produziu todo tipo de vegetais: plantas
que dão sementes e árvores que dão frutos. E Deus viu que o que
havia acontecido era bom. A noite passou e veio a manhã. Esse foi o
terceiro Dia.”

A partir disso, vemos centenas de citações, algumas complexas,


outras de forma superficial, de diversas plantas e árvores.
Chegamos a contar mais de cinqüenta espécies diferentes.

Citemos algumas plantas encontradas na Bíblia:

Abóbora, Açafrão, Aloés, Amendoeira, Carvalho, Cedro, Cevada,


Endro, Feno, Figueira, Hena, Junco, Lentilha, Lírio, Mirra, Murta,
Nardo, Olíbano, Oliveira, Palmeira, Salgueiro, Tamareira, Trigo,
Videira(uva), Zimbro etc.

Por trás de meras citações, esconde-se uma sabedoria maravilhosa,


um mistério conhecido por poucos esoteristas. A Magia Bíblica é
algo muito profundo e merece um estudo a parte. Sabemos que a
Bíblia é um aglomerado de livros altamente simbólicos, onde se vê o
Caminho Iniciático completo; o trabalho total da realização
alquímica da Alma e do Espírito; a história, não só do povo hebreu,
mas de nosso planeta e também da Galáxia.

É um livro fantástico para quem sabe interpretá-lo: os que


possuirem as chaves da Alquimia, da Astrologia Hermética,
Psicologia esotérica e Cabala conhecerão a letra viva e não a letra
morta, como a maioria. A Magia Elemental é um dos legados ocultos
desse livro sagrado.

Os elementais encarnados nas plantas bíblicas podem ser


trabalhados na cura, na harmonia, na aceleração de nosso processo
espiritual, no fortalecimento de nossas virtudes e poderes internos
etc.

Vejamos dois exemplos da Santa Magia Bíblica, para o leitor ter


uma pequena noção do ensinamento escondido em cada citação
Livro de Jeremias, cap.1, vers.9: “Aí o Eterno estendeu a mão,
tocou em meus lábios e disse:

– ‘Veja, estou lhe dando a mensagem que você deve anunciar. Hoje,
estou lhe dando poder sobre nações e reinos, poder para arrancar e
derrubar, para destruir e arrasar, para construir e plantar’.

O Eterno me perguntou:

– ‘O que é que você está vendo?’


– Um galho de amendoeira- respondi.

O Eterno me disse:

– ‘Você está certo; eu também estou vigiando para que minhas


palavras se cumpram’.

Além de conter informações secretas de outro vegetal(a planta da


coca), a vara da amendoeira representa o Cetro do mago e o bastão
dos patriarcas, símbolos iniciáticos do trabalho alquímico com a
energia da Kundalini, que dá poder sobre tudo e todos. Além disso,
temos o trabalho mágico propriamente, com o elemental da
amendoeira, poderoso tanto para o bem quanto para o mal. Os
magos europeus, especialmente os Druidas, costumavam dissolver
trabalhos de magia negra e também curar à distância com essa
planta. É interesante notar que as palavras amendoeira e vigiando
são muito parecidas, na língua hebraica.
Gênese, cap.3, vers.1:

A Serpente era o animal mais esperto que o Deus Eterno havia feito.
Ela perguntou à mulher:

– ‘É verdade que Deus mandou que vocês não comessem as frutas


de nenhuma árvore do Jardim?’

A mulher respondeu:

– ‘Podemos comer as frutas de qualquer árvore, menos a fruta da


árvore que fica no meio do Jardim. Deus nos disse que não devemos
comer dessa fruta nem tocar nela. Se fizermos isso, morreremos.

Mas a Serpente afirmou:

– ‘Vocês não morrerão coisa nenhuma! Deus disse isso porque sabe
que, quando vocês comerem a fruta dessa árvore, seus olhos se
abrirão e vocês serão como Deus, conhecendo o Bem e o Mal.’

A mulher viu que a árvore era bonita e que as suas frutas eram boas
de se comer. E ela pensou como seria bom ter Conhecimento. Aí
apanhou uma fruta e comeu; e deu ao seu marido e ele também
comeu. Nesse momento os olhos dos dois se abriram e eles
perceberam que estavam nus. Então, costuraram umas folhas de
figueira para usar como tangas…’

A magia da figueira está intimanente ligada às energias sexuais. O


Avatar de Aquário afirma que os Anjos que regem a evolução dos
elementais das figueiras determinam nosso karma, baseados em
nossa conduta sexual; são anjos ligados aos Senhores do Karma
que dirigem todo o Sistema Solar. Além disso, o elemental dessa
planta pode ser utilizado para curar nossa função sexual. É curioso
observar que o figo maduro assemelha-se a um escroto e dentro
dele centenas de pequenos filamentos parecidos com
espermatozoides.

A Árvore Cabalística
Os místicos judeus, ou cabalistas, primeiro criaram um Jardim
repleto de árvores frutíferas; em seguida, estabeleceram duas
delas(a árvore da ciência e a árvore do Bem e do Mal) no meio do
Éden e as transformaram no centro de todo o drama da humanidade.
A Árvore Sefirótica, ou Cabalística, é um desenho mágico-filosófico
que representa a Adão Kadmon, ou Homem Cósmico, Deus, e às
muitas dimensões onde Ele se manifesta e trabalha. Na verdade é
uma tentativa de esquematizar de forma diagramática as forças
universais. A Árvore Sefirótica possui dez galhos, ou Emanações
divinas, que seriam os dez mundos ou Dimensões.

Podemos notar a relação entre cada uma dessas Séfiras e as


diversas Ordens de seres espirituais que se manifestam no
Universo.

Cada Ordem possui seus atributos, seus poderes, suas virtudes.


Conhecendo os mantras e exercícios para se entrar em contato com
essas dimensões, temos a possibilidade de manipular os atributos
dos Seres daqueles mesmos planos. Parafraseando o grande
Hermes: “O que está em cima é como o que está embaixo e o que
está fora é como o que está dentro(e vice-versa)”, descobriremos o
motivo de se estudar o Diagrama Sefirótico. As potências divinas,
angélicas e elementais, quando invocadas, fazem vibrar nossos
diversos corpos interiores, e as virtudes e poderes desses Deuses
sefiróticos se farão sentir nos átomos anímicos.

As três primeiras Emanações (Kether, Chokmah e Binah) são


batizadas com o nome de Coroa Sefirótica, ou Triângulo Divino, e
representam a chamada Santíssima Trindade de todas as religiões
solares. São as três forças primárias organizativas de tudo o que é e
o que será. A partir daí, temos as sete Séfiras, que vêm a ser os
sete mundos, ou planos. Vêm a ser os sete corpos de nossa
constituição interna, como já estudamos anteriormente, ou seja, de
Chesed a Yesod, temos nossos corpos internos e Malkuth (o Reino)
vem a ser nosso corpo físico.

Exemplos: Queremos trabalhar sobre nosso corpo astral, otimizar


nossas emoções, equilibrar nossos chacras astrais e preparar-nos
para os exercícios de magia prática? Trabalhemos com os anjos
lunares, regidos por Gabriel! Necessitamos curar alguém com sérios
desequilíbrios mentais, ou compreender as forças mentais que
regem nosso Destino? Invoquemos o Meritíssimo Arcanjo Rafael, de
Mercúrio, e seus auxiliares! Necessitamos unir um casal em
conflito, ou encher um lar desarmônico com os Átomos do Amor,
que se encontram estacionados no mundo causal(pois o Amor é a
Causa e a Origem de tudo)? Realizemos a Magia do Amor com Uriel
e seus inefáveis anjos rosa! Ou necessitamos despertar os atributos
solares, superiores, de nossa Consciência Espiritual, como
Dignidade, Humildade, Fé, Esperança, Empatia, Obediência à Lei
etc.? Supliquemos ao Cristo Michael, Arcanjo de nosso Sistema
Solar, que incita o fortalecimento da Geburah interior, a Bela
Helena! Gostaríamos de despertar os valores guerreiros de nosso
Espírito, nosso Pai Interno? Chamemos a Samael, Gênio do planeta
Marte e que faz vibrar nosso Chesed Íntimo!!!

Prática
É necessário que você tenha, para esta prática, um vaso de planta.
Pode ser um pequeno vaso com uma roseira, violeta ou outra
qualquer. Sugerimos um pé de hortelã-pimenta, planta maravilhosa
que nos ajuda a recordarmos nossa vida passada. Se desejar deitar-
se na cama, coloque o vaso no criado-mudo. Relaxe o corpo como
das vezes anteriores e vocalize seu mantra de preferência. Pode ser
o AOM. Peça à sua Divindade Interior, ao seu Cristo Interno ou à sua
Mãe Natureza Interior para que você sinta/veja a presença do
elemental da planta que está no vaso. Entre em meditação e vibre
com a Inteligência que existe dentro dessa planta.

MESTRES DA MEDICINA UNIVERSAL

Os homens são degraus da escala Divina; uns estão submergidos nas


trevas e outros, no cimo da Luz. Os iluminados vêm claramente e não
discutem; os que estão nas trevas, matam-se por e para interpretar as
palavras.

Os sábios são videntes; os ignorantes são cegos crentes, mas existe outra
categoria: a dos néscios, que duvidam de tudo e não são nada.

“Nem todos estão preparados para falar-lhes a respeito da verdade.


“Jesus vestia suas verdades com parábolas. “Explicar o porquê de certos
fenômenos subjetivos e dar fórmulas razoáveis seria inútil para os sábios
e um engano para os estúpidos.”

“A verdadeira Ciência das Idades é o fruto da experiência, que é formosa à


vista do sábio e amarga na boca do néscio”.
“Há seres que têm religião; outros, que têm filosofia; mas, os incrédulos
não têm nem filosofia e nem religião”.

A estupidez humana deve ter uma religião absurda. No absurdo está a


superioridade das religiões. A religião ou a ciência que não tem mistérios
no absurdo, não tem também absolutismo. Propagar a verdade absoluta
com razão e virtudes e, desnudá-la aos loucos, é convertê-la em arma
terrível nas mãos destes, contra seu propagador.

“Cada homem é sacerdote enquanto seja hábil e, sobretudo, santo que


cura e entusiasma os homens; mas, o dia que chega à genialidade, deixa
de ser santo, sacerdote e hábil diretor”. (Levy)

– “Tens de familiarizar-te com estes mundos” – dizia a amiga que guiava


Adonai – “porque deves continuar explorando-os em vida, antes de
deixares, definitivamente, teu corpo físico”. Vamos acelerar nossas
vibrações, para chegarmos à classe de Issa…

– Como? Veremos Issa?

– Um pouco de ansiedade amorosa e um instante de concentração, são


suficientes.

– ……………..?………..?

Issa dizia:

– É obrigatório descer, primeiramente ao Inferno, ou região inferior do


homem, para estudar a densidade dos que chegaram ao abismo do mal, e
para anular suas tentativas contra o mundo.

– Tereis que sofrer horrivelmente, se não tiverdes o dom do amor e do


perdão… Pronto sereis conduzidos a esta região, sob a vigilância de
“Experts”, que são necessários, pois, sem eles, muito poucos poderiam
resistir à atmosfera de luxúria e paixão terrivelmente intensificada. Lá
vereis como os agentes das trevas externas empregam a mulher para o
domínio do mundo físico, e como eles oferecem, a seus seguidores o gozo
sexual e as fortunas…

“Deveis dedicar mais tempo ao estudo e à prática da medicina universal,


porque as afecções nervosas e desordens mentais estão flagelando a
humanidade. Os médicos que nunca tiveram um desenvolvimento mental-
psíquico, não podem ensinar como imunizar os homens contra essas
enfermidades”. Vemos que os males que afligem a humanidade parecem
estar mais recônditas e, são menos suscetíveis de serem tratadas de
acordo com os antigos métodos. Isto nos explica que as doenças atacam
os corpos sutis, antes de manifestarem-se como estranhas causas
desconcentrantes no corpo físico.

“É indispensável ser algo clarividente ou, pelo menos, intuitivo, para


determinar, com certeza, qual é a origem da perturbação”.

“Deve-se elevar as emoções ao plano espiritual, por meio da oração e da


análise. É necessário manipular as correntes que guiam e espiritualizam,
para passarem pela consciência da humanidade”. “A cada classe de
indivíduo, é necessário curar segundo seu tipo. Há almas que necessitam
da oração, como poder curativo, e outras devem buscar à Natureza”.

“Vóis sois os arautos fiéis da nova Religião futura, que será uma nova face
da antiga Religião da Verdade. Assim, também, sereis arautos da Medicina
Universal, que trata a Alma e o corpo ao mesmo tempo de maneira
científica e mental”.

Em outro momento, disse a amiga a Adonai:


– “Devemos praticar algo de arte, pintura, música, etc. necessitamos
assistir a essas aulas. Vamo-nos”.
– …………? ……………….?
Assim, passavam de uma vibração a outra.
Adonai, de temperamento artístico, tratou de captar e abarcar muito em
pintura e música; mas, seus grandes anelos eram a Medicina Universal, a
Origem e os Mistérios das Religiões, a Cosmogênesis e a Pré-história do
Mundo e, sobretudo, o Mistério do Homem.

Depois de um período mais ou menos longo, Adonai tirou em conclusão as


seguintes verdades:

1º – O corpo físico é uma História Universal e o homem pode ler em seu


mundo interno, a História da criação desde o seu começo.

2º – O corpo físico é um centro de estudos que contém ensinamentos


primários, secundários, superiores e especializados, que estão a cargo de
Mestres Internos.

3º – O Amor aumenta a sensibilidade e a inteligência, para a compreensão


e para a expressão do poder adquirido pela sabedoria.

4º – Que, pelo Amor, o homem aspira os átomos-anjos afins a seu sentir e


pensar.
5º – Que, cada Mestre de Sabedoria, maneja com sua vibração, um dos
centros internos do homem. Cada Mestre ensina um ramo da Sabedoria, já
escrita na consciência dos átomos, que nos acompanham desde a
formação do mundo.
6º – Para ingressar no Colégio Interno, o discípulo precisa se tornar
criança (neófito) e apresentar totalmente limpas as páginas finais de sua
mente, onde os Mestres de Sabedoria escreverão a História das vidas
passadas…

7º – Existe, realmente, uma palavra misteriosa, que, quando vocalizada


devidamente, pode abrir as portas do Templo Interno.

8º – Que o homem, escravo de suas paixões, não pode adquirir a Energia


Cósmica, nem os ensinamentos do Mestre Interno.

9º – Que, pelo Sistema Simpático, podemos nos comunicar com o Mundo


Interno real e invisível e, pelo Sistema Central, podemos expressar e
manifestar o que temos aprendido no mundo interno.

10º – O ser que desenvolva todos os seus Centros Angélicos dentro de seu
corpo, transcende o sentido da limitação; sua Religião será o Amor. Sua
Família, a Humanidade. Sua Pátria, o Universo; sem limites nem fronteiras.

11º – O Super-Homem emprega o pensamento como meio para introduzir a


reforma na mente humana.

12º – O homem pode, durante o sono, por sua aspiração e desejos,


ingressar nos Colégios Internos; comunicar-se com os Mestres e com os
que vivem em países longínquos, para pedir orientação e conselhos. Ao se
despertar, sentirá feliz, com a inteligência clara, para realizar muitas de
suas obras.

13º – Todo o ser que tem tendências artificiais, literárias ou de qualquer


índole, será guiado por seu mestre, o EU SUPERIOR, à fonte de inspiração.
Porém, o dia em que ele chegar ao discipulado e, depois, à Mestria, então
saberá caminhar só, conscientemente, no mundo subjetivo, para chegar à
sua meta.

14º – Que, há um só fim, em todas as religiões, escolas e livros sagrados,


que é a Divinização do Homem. Quando o homem chega a sentir-se Deus,
toda a sabedoria, todo poder e toda a harmonia lhe são possíveis, por
sentir “EU SOU DEUS EM AÇÃO CONTÍNUA E PERFEITA” – e Ele é Ele.

15º – Por último: o objetivo dos ensinamentos e Universidades Internas é o


de conduzir o homem para sua Divindade. Seu Templo-Corpo é o livro onde
deve estudar o saber, praticar todo o poder e emanar todo o amor.
Ritual Cadeia de Cura

Que todos os seres sejam felizes.


Que todos os seres sejam ditosos.
Que todos os seres estejam em paz.

(Repetir essas frases 3 vezes. Em seguida, vocalizem o mantra AOM


também 3 vezes.)

AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM

(Em seguida, fazer a seguinte invocação:)

Meu Pai, meu Deus, meu Senhor… Tu que és o meu verdadeiro e real
Ser, te suplico com toda minha alma e com todo meu coração, para
que te transportes ao Templo-Coração do planeta Mercúrio, o
planeta das energias da cura…

(Com a imaginação dirigida, visualizar todos os membros da Cadeia


à frente de um templo gigantesco, luminoso. E fazer a seguinte
saudação aos guardiães do templo da cura do planeta Mercúrio:)

(Inclinar o corpo à direita e vocalizar a palavra sagrada JAKIN… Em


seguida, inclinar o corpo à esquerda e vocalizar a palavra sagrada
BOAZ. E continuar, dizendo:)

Dai os sete passos para dentro, para o interior do Templo (de novo
com a imaginação criadora, vê-se que todos estão dando sete
passos para dentro do templo da cura. E continua-se a prática com
a seguinte afirmação:)

Prostra-te agora aos pés do Gênio, do Divino Rafael… Divino Rafael,


Divino Rafael, Divino Rafael… Pai da Medicina… Viemos aqui para te
pedir, para te suplicar, para te rogar com toda a nossa alma e com
todo o nosso coração, em nome de Cristo, pelo poder de Cristo e
pela majestade de Cristo, que nos envie um coro de mestres e Anjos
especialistas em medicina para que venham e curem todos os
irmãos e irmãs que se encontrem enfermos em seus lares, em
clínicas, sanatórios, hospitais, para que sejam curados, alentados,
fortalecidos totalmente, de acordo com a Lei Divina… e também
para que curem a todos nós, que formamos esta Cadeia de Cura,
especialmente… [Aqui, pode-se citar o nome do enfermo, ou
enfermos, e o local onde se encontra(m).]

Peço-te, glorioso Cristo Rafael, Arcanjo supremo da Medicina


Universal, que se realizem, que se plasmem no físico estas curas.

(Em seguida, vocalizam-se os sagrados mantras da cura:)

AAAAAAAEEEEEEE… GAAAAAAAEEEEEEE… GUFFF… (Repetir três


vezes esses mantras. “A” em tom alto, “E” é baixo; e GUF é baixo.
Em seguida, vocalizar os próximos mantras sagrados de cura:)

PAN… CLARA… PAN… CLARA… PAN… CLARA…

Que se curem, que se alentem, que sarem…


Que se curem, que se alentem, que sarem…
Que se curem, que se alentem, que sarem…

AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM

Meu Pai, meu Deus, meu Senhor, invoca, agora os veneráveis


mestres e anjos curadores, que se compadeçam desta humanidade
e venham ao nosso chamado. Veneráveis mestres da Medicina
Universal, vinde a nós pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo.
Invocamos vossos santos nomes:

Paracelso, Galeno, Hipócrates, Hermes Trimegisto, Anjo Adonai,


Esmun, Minerva, Jesus o Cristo, Samael Aun Weor, e demais
mestres da Luz Divina… Concorrei… Concorrei… Concorrei…
(Invocar os nomes sagrados desses mestres três vezes seguidas.)

Amadíssimos mestres, nós vos invocamos para vos pedir com toda
nossa alma e nosso coração para que nós, que compomos esta
Cadeia de Cura, sejamos curados, sanados, fortalecidos.

Que se curem, que se alentem, que sarem…


Que se curem, que se alentem, que sarem…
Que se curem, que se alentem, que sarem…
AAAAAAAEEEEEEE… GAAAAAAAEEEEEEE… GUFFF…
AAAAAAAEEEEEEE… GAAAAAAAEEEEEEE… GUFFF…
AAAAAAAEEEEEEE… GAAAAAAAEEEEEEE… GUFFF…

(Finalmente, para encerrar a Cadeia de Cura, faz-se o seguinte


agradecimento:)

Dou graças infinitas ao poderoso Logos Rafael e aos digníssimos


mestres e anjos da cura. Suplico que estas curas sejam realizadas
de acordo com a Misericórdia e a Lei Divinas, e com a vontade de
nosso Pai que está em segredo.

AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM
AAAAAAAOOOOOOOMMMMMMM

Meu Pai, meu Deus, meu Senhor, Tu que és meu verdadeiro e real
Ser, retorna ao meu coração… retorna a mim… retorna a mim…
Amém…

A CURA PELOS PERFUMES

Todos os templos esotéricos e curativos do passado e mesmo os


atuais sempre deram ênfase especial aos perfumes.

Tanto no sistema de defumação quanto nos banhos com óleos ou


uso de objetos odoríferos nesses santuários, os perfumes eram
importantes para o restabelecimento da saúde do usuário ou do
paciente, devido à sua influência sobre o cérebro e o sistema
nervoso em geral; do ponto de vista oculto, a vibração dos produtos
aromáticos excita os chacras e fortalece os corpos internos,
iniciando uma harmonização “de dentro para fora”.

Os árabes eram especializados em produzir perfumes e óleos


essenciais e por isso eram reconhecidos mundialmente por seus
livros e tratados de Osmoterapia (ou Aromaterapia) que versavam
acerca da confecção desses perfumes e óleos. As maiores
bibliotecas espanholas, portuguesas e francesas ainda guardam
valiosíssimos volumes e farta documentação sobre esse
conhecimento fantástico.
Os indianos e tibetanos eram exímios
manipuladores da Aromaterapia e a aplicavam em suas medicinas,
as quais classificavam os perfumes em cinco categorias:
repugnantes, picantes, aromáticos, rançosos e embolorados.

A medicina tibetana afirma que os perfumes têm um efeito especial


no subconsciente, puxando todas as informações ligadas ao
processo natural de autocura do indivíduo.

Os grandes templos budistas, a maioria deles na China e no Tibet


(infelizmente, grande parte destruída) utilizavam-se de madeiras
odoríficas para a confecção das estátuas sagradas de Buda e da
Mãe Cósmica (Tara). Ainda se veem nos conventos diversas
bandeirolas coloridas e estátuas sagradas feitas de sândalo,
aromatizadas com deliciosos e sutis perfumes. Afirma-se que as
orações mântricas feitas diante dessas estátuas podiam realizar
verdadeiras e radicais curas, mesmo a distância.

Entre os índios da América do Norte era comum se cobrir os


enfermos e desequilibrados com a fumaça de certas plantas, como
o zimbro e o tabaco. Diziam que com esse procedimento
expulsavam os maus espíritos que se alimentavam de doenças e
desentendimentos, além de atraírem a presença do deus supremo
da cura, Wakan Tanka, o deus-búfalo (é o próprio Espírito Santo).

Por isso se realizavam rituais com “cachimbos da paz” para se


realizar acordos amistosos.

Podem-se ver também, em muitos santuários curativos, pequenas


bolas feitas de panos embebidos em óleos especiais e enrolados
sobre folhas e raízes de plantas especiais. É doze o número mínimo
dessas bolas e se as penduravam nos tetos e portas desses templos
ou nos braços das estátuas. Essas bolas, chamadas pelos tibetanos
de Tchim-Purma, contêm ervas e perfumes ligados aos princípios
harmonizadores dos 12 signos.
Sabe-se pela astrologia que cada constelação zodiacal vibra
intensamente em determinada parte do corpo e o aspecto vital(ou
etérico) de cada uma dessa partes da anatomia humana pode ser
trabalhado, excitado e curado pelos Perfumes Zodiacais.

Por exemplo: se alguém estiver com dor de cabeça ou esgotamento


mental, esfregar suavemente a seiva ou o óleo das plantas arianas(
que regem a cabeça); para curar os pulmões, cheirar ou tomar óleo
ou chá de eucalipto, e assim por diante, sempre se respeitando
certos cuidados, é óbvio.

Relação Signo/Perfume
ÁRIES – MIRRA, CARVALHO ou ZIMBRO (óleos)
TOURO – MARGARIDA, COSTO (erva aromática), ESTORAQUE
GÊMEOS – ALMÉCEGA e ESPECIARIAS
CÂNCER – EUCALIPTO, CÂNFORA
LEÃO – BENJOIM, OLÍBANO
VIRGEM – CANELA, SÂNDALO-BRANCO
LIBRA – GÁLBANO, ROSA, MURTA
ESCORPIÃO – HORTÊNSIA, CORAL
SAGITÁRIO – ALOÉS, HELIOTRÓPIO
CAPRICÓRNIO – PINHO (extrato)
AQUÁRIO – NARDO
PEIXES – TOMILHO, DAMA-DA-NOITE

As Defumações
Para os gnósticos, a queima num braseiro, ou turíbulo, de perfumes,
óleos essenciais, raízes e folhas secas, cascas e resinas
cristalizadas, vai além da sensação prazerosa de nosso sentido
olfativo.

Há uma influência direta e profunda em nossos ritmos nervoso,


respiratório e cardíaco, provocando então uma incrementação no
processo curativo. Porém, vai-se mais além ainda: O Mago sabe que
o poder energético da fumaça que se desprende das ervas e
produtos queimados possui a capacidade de influenciar nossos
corpos internos.

Na verdade, é a própria presença e poder do Elemental que se


verifica naquela fumaça que envolve o paciente ou o ambiente.
O elemental ligado ao produto queimado pode provocar uma série
de fenômenos: acelerar o movimento dos chacras, redirecionar as
forças vitais do organismo (equilibrando as energias que estão em
excesso e as que estão em falta), dissolver formas-pensamento
(chamadas pela psicologia de Fixações Mentais), anular fluidos
magnéticos, denominados popularmente de mau-olhado, encosto
etc.; e, além de tudo, destruir os chamados Elementares (larvas
astrais e mentais).

LARVAS ASTRAIS E MENTAIS

É importante saber que, do ponto de vista esotérico-gnóstico, não


existem somente larvas em nível físico, como os vermes intestinais,
que roubam nossa vitalidade, mas entidades que em outras
dimensões se apropriam de nossa saúde, bem-estar, prosperidade,
riqueza e equilíbrio mental/emocional. Essas entidades são
denominadas Larvas Astrais e Larvas Mentais.

Essas entidades do mental e do astral inferiores alimentam-se de


nossos atos, pensamentos e desejos negativos e destrutivos.
Normalmente são gerados em locais onde há uma Egrégora, ou seja,
um ambiente que congrega pessoas que têm um pensamento,
sentimento ou atitude característicos, como bares, boates, clubes,
paradas militares, danceterias, baladas, estádios de futebol, e
principalmente locais com “astral pesadíssimo”, como bordéis,
motéis etc.

Os elementares, também conhecidos como Elementários (não


confundir com os elementais da natureza, que são as almas das
plantas, dos animais etc.) ou Larvas, podem ser também gerados
em nossos lares ou ambientes de trabalho quando se gera um
hábito ou pensamento negativo.

Por incrível que possa parecer, muitas vezes essas entidades, que
no popular são chamadas de “encostos” (que também podem ser
almas de desencarnados sofredores, mas na maioria são essas
Larvas), roubam até mesmo a prosperidade de nosso ambiente de
trabalho, sugando qualquer possibilidade de atrair clientes, bons
negócios etc., além é claro da questão da saúde física e interna.
Para compreendermos um pouco mais sobre essas Larvas,
passamos a lista de alguns tipos de larvas astrais/mentais:

Dragões: formas-pensamento criadas em prostíbulos, motéis,


boates e congêneres.
Íncubos e Súcubos: nascidos de fantasias sexuais, sonhos eróticos
e masturbação. Os íncubos acompanham as mulheres e os súcubos
permanecem na atmosfera áurica dos homens, alimentando-se dos
fluidos sexuais de suas vítimas.
Fantasmatas: átomos putrefatos desprendidos de cadáveres.
Pululam nos cemitérios e adjacências. Fixam-se nas pessoas
emocionalmente receptivas que visitam cemitérios e/ou que ficam
pensando compulsivamente em pessoas falecidas.
Leos e Áspis: nascem de atitudes ligadas ao orgulho e ira
exacerbados, em reuniões de partidos políticos, desfiles militares e
debates que não levam a nada.
Mantícoras e Basiliscos: gerados em atos sexuais.
Encostos: nascem da energia da inveja ou de luxúria, projetam-se
de uma pessoa à outra. Comumente, provocam mal-estares nos
sistemas digestivo e respiratório, provocando náuseas, ânsias de
vômito, resfriados prolongados, e são vistos pelo vidente “colando-
se” nas costas da vítima.

Há muitos outros, como os Vermes da Lua, Caballis e Vampiros, que


se alimentam de sangue (locais onde houver mênstruo, matadouros,
depósitos de lixo hospitalar etc.), comida apodrecida, casas sujas,
terrenos baldios e muito especialmente cemitérios.

Drogas, bebidas e Larvas Vampirescas


O uso de álcool e drogas que causam alucinações e
psicodependência têm um lado “oculto” que não é computado nos
processos terapêuticos: o despertar dos chacras (vórtices de
energia) negativamente, gerando “visões” paranormais terríveis
para os dependentes, e o desequilíbrio dos corpos internos (etérico,
astral e mental). Essas visões causadas pelo giro “invertido” dos
chacras é o que se chama delirium tremens.

Os videntes percebem no campo áurico de praticamente todos os


psicodependentes entidades que vampirizam a energia vital, além
de escravizar tais dependentes, infundindo-lhes pensamentos e
desejos compulsivos para a continuidade do vício.

Algumas das terapias (não as únicas, obviamente) que se deveriam


usar:

– limpar a aura desses doentes e das casas onde vivem com


“incensos fortes” (como benjoim e casca de alho), para destruir ou
afugentar as larvas-encosto;

– invocar os santos mestres da Grande Fraternidade Branca para


que reequilibrem os corpos internos dos viciados.

É lamentável afirmarmos que há casos em que tanto os neurônios


quanto o corpo mental de muitos viciados já estão tão
comprometidos que o carma desses infelizes é nascerem, na
próxima encarnação, com o corpo físico deformado em grande
proporção. Mesmo assim, lutar por nossos irmãozinhos enfermos e
viciados é importantíssimo, numa época como a atual…

Defumação com Incensos


Muitas dessas larvas (porém não todas) podem ser destruídas com
as sufumigações (o termo popular utilizado é “defumação”), aliadas
a trabalhos mágicos, com orações e rituais de limpeza, Magia
Elemental etc.

Existem alguns elementos de comprovada eficácia, como:

Aloés, mirra, cânfora, assafétida, pau d’alho, arruda, alecrim,


benjoim, a casca de alho, enxofre (em pequena quantidade) e
zimbro.

Esses produtos, repito, se queimados no carvão em brasa, irradiam


juntamente com a fumaça desprendida múltiplos elementos
purificadores do local e da aura.

Há, por outro lado, ervas que conseguem produzir um clima


emocional superior, sutil, não só destruindo as energias negativas,
mas também atraindo a atenção e presença de elementais e anjos.
Temos alguns exemplos:

Óleo de rosas, heliotrópio, nardo, murta, além do mais famoso de


todos, o olíbano, popularmente conhecido como “incenso de igreja”
(os mais indicados são os importados da Somália, dos países árabes
e do Irã).

Aceita-se no esoterismo e nas práticas mágicas que a fumaça do


olíbano tem a propriedade de criar um ambiente propício para a
comunhão religiosa, devocional.

Os elementais solares do incenso produzem uma vibração capaz de


criar um estado receptivo para a captação das mensagens
inspirativas e intuitivas que vêm das dimensões superiores.

Prática
Caso você aceite praticar um exercício esotérico, sugerimos esta
prática simples, porém, de eficácia comprovadíssima:

Vá a um parque e escolha uma árvore frondosa e cheia de vida que


tenha atraído sua atenção. Peça permissão primeiramente ao Cristo
Cósmico para realizar esta prática de Magia Elemental. Em seguida,
converse com o elemental dessa árvore e coloque suas mãos em
seu tronco. Feche os olhos e sinta a energia que sai dela. Se
possível, vocalize o mantra AOM e dê Amor a esse ser elemental.
Faça o mesmo pedido ao elemental por 9 dias seguidos, se possível,
para um resultado efetivo.

Peça-lhe que encha seu corpo e sua Alma com sua energia. Peça-
lhe um sinal de seu amor para você. Se possível, volte para casa e
entre em meditação, aproveitando a força etérica recebida.

Em outras ocasiões, dirija a energia desse elemental para a cura e


harmonia de alguém que necessite. Observe o que se passa com
essa pessoa.

Acima, foto paranormal mostrando pessos infectadas por um


“Vibrião Psíquico” que impregna certos ambientes negativos, como
bares, boates, bordéis, estádios de futebol etc. Deve-se evitar tais
espaços por conterem energias etéricas, astrais e mentais
altamente tóxicas.

MANTRAS E SUAS FINALIDADES

MANTRA FINALIDADE
AOM Cristaliza o que se desejou, é o nosso Amén;
harmonizador
AOM-TAT-SAT-TAM-PAM-PAZ Conjunto poderoso de mantras para se atraira
força curativa do Sol. São os mantras do
Arcanjo Michael, Inefável Senhor do Sol
HAGIOS Limpa e abre a atmosfera astral para a
manifestação dos Mestres, possibilitando maior
contato com eles durante rituais
ANTIA-DAUNA-SASTASsA Poderoso mantra de invocação dos Mestres
Ascensionados. Deve ser cantado
OM…HUM… Melhora nossa meditação e interiorização
JEÚ… Amplia nossa atenção e auto-observação;
ótimo para meditação
RAOM-GAOM Ajuda-nos a recordarmos nossos sonhos
MORFEU Controlamos nossas Viagens Oníricas
GU… RU… Cura o fígado
HELION-MELION-TETRAGRAMATON Fecha nossa Aura. Para Defesa Psíquica
BHUR Cura nosso Baço
M… Fortalece e cura próstata/útero; regula a
menstruação; ativa os fogos sexuais
KRIM… Cura o estômago, congestões, úlceras etc.
EGIPTO… Cura o fígado e auxilia nas viagens astrais
EFTAH… Cura as cordas vocais e tiroide
OMNIS – HAUM – INTIMO… Atrai as forças superiores do Pai Interno
(Íntimo)
OM MANI PADME HUM Outro mantra para invocarmos nosso Íntimo
IN…EN… Atraem as forças curativas do Espírito Santo,
Senhor dos Curadores
JAORI Sagrado mantra da Ave de Minerva, que realiza
qualquer meta desejada. Direciona nossos
fogos interiores para a realização do pedido
I… Se prolongada, esta vogal direciona a energia
vital para o cérebro
E… Idem para a garganta, cordas vocais, tiróide e
paratiróides
O… Cura e fortalece o coração. Poderoso para
problemas cardíacos
U… Fortalece as funções digestivas
A… Cura os pulmões e limpa o sangue
ONOS AGNES Minimiza a dor de dentes
OMNIS-BAUN-IGNEOS Mantra para invocarmos ajuda dos mestres
médicos maias
MANGÜELE-MANGÜELA Poderoso mantra lunar, ensinado pelos mestres
astecas. Altamente curativo e transmutador
S… M… HAN… Cura do corpo mental
SENOSSAN – GORORA – GOBER – DON Mantra mágico de um Deus dos Oceanos
ADONAI Mantra lunar curativo
ABRAXAS Cura pelos Seres do Fogo

Mantras de Transmutação
Existem alguns mantras poderosos de transmutação alquímica.
Transformam nossas energias sexuais, emocionais e mentais em
elementos energéticos e espirituais, além de curativos. Essas
energias transmutadas se espalham maravilhosamente pelo
organismo através de seu principal conduto, a coluna vertebral.

Enquanto vocalizamos um dos mantras dados em seguida, podemos


visualizar essa energia transmutada em fogo regenerador subindo
pela espinha dorsal até a cabeça, e daí até o coração, espalhando-
se por todo o corpo. Vejamos:

INRI…ENRE…ONRO…UNRU…ANRA… Sequência de mantras que desperta os


principais chacras
ARIO… Mantra da constelação de Aquário
IAO… Nome gnóstico de Deus; equilibra e direciona
TORN… Mantra transmutador; nos dá força de vontade
SSS… Transmuta, purifica e protege a Aura
KRIM… Acumula a energia transmutada no plexo solar

OS 7 RAIOS DAS PLANTAS

A Magia Elemental, ou ELEMENTOTERAPIA, é a antiquíssima


ciência que versa acerca dos Elementais e a manipulação de seus
poderes ocultos e mágicos. Os antigos índios americanos, os
alquimistas medievais, os taoistas e xintoistas e os cabalistas
árabes (Ordem Súfi dos Zuhrawardi) e hebreus não desconheciam
esta Magna Ciência. O grande Mestre Paracelso sistematizou e
classificou os elementais de uma forma extremamente didática e
sintética, de acordo com a sagrada Lei Cósmica do Sete
(Heptaparaparshinokh).

O sistema médico e mágico de Paracelso é baseado nas forças


astrais que regem toda a natureza, representadas pelos sete
planetas sagrados: LUA, MERCÚRIO, VÊNUS, SOL, MARTE, JÚPITER
e SATURNO.

Tais vibrações setenárias refletem-se em nosso Sistema Solar de


diversas maneiras (cores do arco-íris, dias da semana, subníveis
das camadas eletrônicas, notas musicais, sentidos paranormais,
anatomia oculta do ser humano etc.). Vê-se isto na fisiologia e
anatomia dos seres vegetais e animais, também nas configurações
química e cromática, no reino mineral.

De acordo com as classificacões de Paracelso, pode-se distribuir


diversos seres elementais de acordo com os 12 signos zodiacais e
também de acordo com os planetas astrológicos. Existem também
outras classificações, como as da árvore sefirótica e seus múltiplos
planos e dimensões.

Entregamos, a seguir, uma Tabela dos minerais, metais, vegetais e


animais, ligados a um dos sete Raios Planetários. Isso é útil quando
o mago-praticante necessita produzir resultados específicos, no
aspecto curativo, mental, sexual, mágico, da defesa e limpeza
psíquicas etc.

Raio Lunar
Características lunares: elementais aquáticos(ondinas e nereidas);
pode- trabalhar com viagens, artes manuais, respeitar a Ordem da
natureza, romancistas, negócios de líquidos, enfermidades do
estômago, cérebro pulmões, maternidade e parto, educação de
crianças com até 7 anos de idade, inconstâncias, agricultura,
iniciação, preparação mágica de ambientes e pessoas para
trabalhos espirituais.

Seres lunares: plantas aquáticas em geral, eucalipto,


oliveira(azeite, azeitonas), dama da noite, saia-branca (Datura
arborea – floripôndio, que também pertence ao Raio de Netuno),
estramônio (Datura stramonium L.), feto-macho e samambaias em
geral, cânfora (Laurus camphora L.), caqui, abacateiro, acelga,
alface, agrião, aranto (Bryophyllum daigremontianum), guaco, aipo,
berinjela, erva-mate, aspargos, bálsamo, beldroega, bananeira,
fúscia, urtiga-do-bom-pastor, betônica, venturosa; (minerais)
amônia, prata, platina; (animais) peixes em geral, caranguejos,
sapos e rãs, tartarugas, marsupiais em geral etc.; cores: prateado e
azul celeste.

Raio Mercuriano
Características mercurianas: são silfos do ar, possuem influência
dupla, solar-mercuriana; magia mental, comunicação, amizade,
jornalismo, divulgação, intelecto, cura mental, viagens, viagem
astral, mente e personalidade de crianças entre 7 e 14 anos etc.

Seres mercurianos: (plantas) canela, avelã, guaraná, aniz-estrela,


tabaco, coca, aniz, cânhamo; (animais) esquilo, cavalo; (metal)
mercúrio; amarelo e laranja.

Raio Venusiano
Características venusianas: são silfos do ar, são duplamente
influenciados, por Vênus-Lua; magia do amor e magia sexual; raio
rosa, amor, artes, romances e namoro, ímpeto sexual e fertilidade,
artes plásticas, perfumes, poesia, artes dramáticas, sexualidade
feminina, adolescência(entre 14 anos e 21 anos), matrimônio,
música etc.

Seres venusianos: (plantas) rosa, passiflora, verbena, margarida,


maria-sem-vergonha (Impatiens walleriana), cravo, violeta, uvas,
trigo, groselha, morango, goiaba, murta; (animais) abelhas, pombos,
coelhos, cisnes; (minerais) quartzo-rosa etc.; cores: azul e rosa.

Raio Solar
Características solares: silfos do ar; raios azul e dourado, teologia,
rituais, antigas sabedorias, magia das estrelas, contato com altos
dignatários e hierarquias, posição social, dignidade, fé e humildade,
saúde em geral etc.

Seres solares: (plantas) girassol, abacaxi, ameixeira, damiana,


mangueira, marcela, alface, olíbano (incenso), mulungu (Erictrina
mulungu L.), mostarda, milho, benjoim, Pfaffia paniculata, louro,
camomila, estoraque, dente de leão, lírio, grama, maracujá;
(animais) leão, galo, beija-flor, pavão real, águias e falcões;
(minerais) ouro, cristal, diamante, pirita etc.; cores: azul e dourado.

Raio Marciano
Características marcianas: salamandras ígneas; raios púrpura e
vermelho, assuntos com a polícia e militares, discussões,
desentendimentos e pelejas, cirurgia (sangue), força, limpeza astral,
anemia, paz, ímpeto e início de empreitadas etc.

Seres marciais: (plantas) espada-de-São-Jorge, manjericão, alecrim,


arruda, pimenteiras, acácia, assafétida, artemísia, aroeira, alho,
boldo, carqueja, cáscara-sagrada, carvalho, mogno, figueira, absinto
(losna), nogueira, salsaparrilha, olmo, sarça, zimbro (Juniperus
communis L.), tanchagem, tomateiro, cardo-santo, Jacarandá
Mimoso ou Gualandai (Jacaranda mimosifolia), cana-de-açúcar,
bambu, limoeiro, urtiga, mamona, cavalinha, pau-d’alho, paineira;
(animais) lobo, carneiro, gato; (metais) ferro e ímã-ferroso, hematita
etc.

Raio Jupiteriano
Características jupiterianas: silfos do ar, também com
características saturnianas; raios safira, púrpura e azul marinho;
assuntos ligados a dinheiro, lucratividades, contatos com altos
dignatários e juízes, vitória em tribunais, eloqüência, autoridades
eclesiásticas etc.;

Seres jupiterianos: (plantas) todas os vegetais semelhantes a coroa,


tais como a pita (Agave americana marginata), babosa (Aloes vera
L.), aloés (Aloes socotrina L.), heliotropo (Viburnum prunifolium L.);
(minerais) estanho, safira etc.; (animais) cavalos, zebras, gnus,
burros, asnos etc.

Raio Saturniano
Características saturnianas: gnomos da terra; cores branca, preta e
cinza; assuntos ligados a questões de terra, ecologia, agronomia,
doenças de pele, minas, terremotos, depressões, desejos de
suicídio, karmas a serem resgatados, trabalho e desemprego etc.;

Seres saturnianos: (plantas) melissa, hortelã-pimenta, pinheiro,


cipreste, quaresmeira, salgueiro ou chorão (Salix alba L.), bardana,
inhame, cenouras, batatas e outros tubérculos, ipê-roxo, ipê-
amarelo, laranjeira, romãzeira, jabuticabeira; (animais) urubus,
abutres, tatus e toupeiras, hienas, aranhas, minhocas, borboletas e
mariposas; (minerais) ônix, chumbo, urânio e outros radiativos,
ágata, magnetita, rochas vulcânicas etc.
ASTRO TEURGIA

Existem Leis Cósmicas que ligam o Microcosmo-Homem e o


Macrocosmo-Galáxia. Determinadas funções, órgãos, glândulas e
sistemas estão em Ressonância com as Vibrações dos Planetas,
dos Sóis, das Constelações, das Galáxias, dos Infinitos etc.

Conhecendo as práticas esotéricas entregues pelo Gnosticismo,


podemos aproveitar essa inter-relação das vibrações dos Corpos
Siderais e o ser humano para nosso crescimento, tanto interna
(espiritualmente) quanto externamente (saúde, profissão,
segurança, matrimônio etc.).

Qual é o “mediador” entre essas Forças Cósmicas e o homem? São


os famosos Chacras (ou Chakras), mencionados pelos grandes
esoteristas de todos os tempos. O que são Chacras e como atuam
para captar a energia que vem do Alto?

Os Chacras

Lembremo-nos que a Gnose nos ensina que o homem é


um trio de Corpo, Alma e Espírito. Entre o Espírito e o Corpo existe
um mediador, que é a Alma. Os Gnósticos sabemos que a Alma está
vestida com um traje maravilhoso.

Esse á o Corpo Astral. Já sabemos por nossos estudos gnósticos


que o Astral é um Duplo organismo formado de maravilhosos
sentidos internos.

Os grandes clarividentes nos falam dos sete chacras e o senhor


Leadbeater os descreve com riqueza de detalhes. Esses chacras
são realmente os sentidos do Corpo Astral. Ditos centros
magnéticos encontram-se em íntima correlação com as glândulas
de secreção interna.

No laboratório do organismo humano existem sete ingredientes


submetidos a um tríplice controle nervoso. Os nervos, como
agentes da Lei do Triângulo, controlam o setenário glandular.

Os três controles nervosos diferentes que interatuam entre si são


os seguintes:

1º. O sistema nervoso cérebro-espinhal, agente das funções


Conscientes.

2º. O sistema grande-simpático, agente das funções


Subconscientes, Inconscientes e Instintivas.

3º. O sistema parassimpático, ou vago, que controla Freiando as


funções instintivas, sob a direção da mente.

O sistema cérebro-espinhal é o tronco do Espírito Divino. O sistema


grande-simpático é o veículo do astral. O vago ou parassimpático
obedece às ordens da mente.

Três raios e sete centros magnéticos são a base para qualquer


cosmo, tanto no infinitamente grande como no infinitamente
pequeno. “Tal Como É Acima, É Abaixo.”

As sete glândulas mais importantes do organismo constituem os


sete laboratórios controlados pela Lei do Triângulo. Cada uma
dessas glândulas tem seu exponente em um chacra do organismo.
Cada um dos sete chacras se acha radicado em íntima correlação
com as sete “igrejas do Apocalipse” da medula espinhal.

As sete igrejas da espinha dorsal controlam os sete chacras do


sistema nervoso grande-simpático. Conseqüentemente, as
glândulas e os chacras são os mediadores entre o Cosmo Infinito e
nossos Mundos Interiores, tanto biológicos quanto psíquicos (veja a
Tabela abaixo).
Mantras – As Chaves que nos Conectam com o Infinito
Existem algumas Chaves que nos permitem trabalhar com as
Energias Sagradas do Espaço Infinito. Uma dessas chaves são os
Mantras (para mais informações sobre os Mantras, Clique Aqui).
Cada flor, cada montanha, cada rio, cada planeta, cada sol, cada
constelação e galáxia… têm sua vibração peculiar, que se expressa
como cor, som, energia, poder etc. Podemos chamar a isso de Nota
Síntese.

O conjunto de todas as vibraçõesque se produzem num globo


planetário, por exemplo, vem a ser a Nota Síntese no Coro imenso
do espaço infinito. Cada mundo tem sua Nota-Chave. E o conjunto
de notas-chave do Infinito forma a Grande Orquestra Inefável dos
espaços estrelados.

Eis aqui a Música das Esferas de que nos falava Pitágoras.

Vocalizando constantemente e de forma perseverante as 7 Notas


Musicais da Natureza (I – E – O – U – A – M – S), os sete mantras
fundamentais da Creação, entramos em Ressonância com o Todo,
com a Vida, com Deus e com os Deuses… para assim nos
beneficiarmos em nosso Crescimento Interior rumo à Consciência
Cósmica!

Relação Entre as Glândulas e os Planetas do Sistema Solar de Ors

GLÂNDULA PLANETA
Pineal Netuno
Pituitária Plutão
Tireoide Vênus
Paratireoides Marte
Timo Lua
Fígado Saturno
Pâncreas Sol
Suprarrenais Mercúrio
Baço Júpiter
Glândulas Sexuais Urano

Relação Entre as 12 Partes de Nosso Organismo e o Cinturão Zodiacal

PARTES DO CORPO CONSTELAÇÃO


Cabeça Áries
Garganta e Mãos Touro
Braços e Pulmões Gêmeos
Estômago e Brônquios Câncer
Coração e Coluna Leão
Abdome Virgem
Rins Libra
Órgãos Sexuais Escorpião
Quadris e Coxas Sagitário
Joelhos e Juntas Capricórnio
Panturrilhas Aquário
Pés Peixes

Relação Entre os 7 Planetas, seus Arcanjos, Cores, Virtudes Fortalecidas e Defeitos

PLANETA ARCANJO COR VIRTUDE DEFEITO


Lua Gabriel Prata Temperança Gula
Mercúrio Rafael Verde Diligência Preguiça
Vênus Uriel Rosa Castidade Luxúria
Sol Michael Ouro Humildade Orgulho
Marte Samael Vermelho Força Ira
Júpiter Zakariel Marinho Desapego Cobiça
Saturno Orifiel Branco Equilíbrio Inveja

Relação dos 7 Cosmos, Número de Leis de Cada Cosmo, Localização e Nota-Síntese

COSMO LEIS LOCALIZAÇÃO NOTA


Protocosmo 1 Absoluto DÓ
Ayocosmo 3 Sóis Crísticos SI
Macrocosmo 6 Via-Láctea LÁ
Deuterocosmo 12 Nosso Sistema Solar SOL
(ORS)
Mesocosmo 24 Terra FÁ
Microcosmo 48 Seres Humanos MI
Tritocosmo 96 Inferno RÉ

CONJURAÇÃO DOS 4

( para controle sobre os elementais e defesa psíquica)

Caput mortum, imperet tibi dominus per vivum et devotum


serpentem!
Cherub, imperet tibi dominus per Adam Jotchavah!
Aquila errans, imperet tibi dominus per alas tauri.
Serpens, imperet tibi dominus tetragramaton per Angelum et
leonem.
Michael, Gabriel, Rafael, Anael, fluat udor per spiritum Elohim.
Maneat terra per Adam Jotchavah. Fiat firmamentum per iahuvehu-
Sabaoth.
Fiat judicium per ignem in virtute Michael.
Anjo dos olhos mortos, obedece ou dissipa-te com esta água santa.
(+)
Touro alado, trabalha, ou volta à terra, se não queres que te fira
com esta espada. (+)
Águia encadeada, obedece ante este signo (+), o retira-te ante este
sopro (+).
Serpente móvel arrasta-te a meus pés ou serás atormentada pelo
fogo sagrado e evapora-te com os perfumes que eu queimo.
Que a água volte à água, que o fogo arda, que o ar circule, que a
terra caia sobre a terra, pela virtude do pentagrama que é a estrela
matutina e em nome do tetragrama que está escrito no centro da
cruz de luz. Amém, Amém, Amém…

CONJURAÇÃO DOS 7

( para equilíbrio dos chackras, dos 7 corpos e relação energética


com as plantas)

Em nome de Michael, que Jeová te mande e te afaste daqui,


Chavajoth.
Em nome de Gabriel, que Adonai te mande e te afaste daqui, Bael.
Em nome de Rafael, desaparece ante Elial, Samgabiel.
Por Samael-Sabaoth e em nome do Elohim Guibor, afasta-te,
Andrameleck.
Por Zakariel e Sachiel-Melek, obedece ante Elvah, Sanagabril.
No nome divino e humano de Shadai e pelo signo do Pentagrama
que tenho na mão direita, em nome do Anjo Anael e pelo poder de
Adão e Eva, que são Jot-Chavah, retira-te, Lilith. Deixa-nos em paz,
Nahemah.
Pelos santos Elohim e em nome dos gênios Cashiel, Sehaltiel, Afiel
e Zarahiel, e ao mandato de Orifiel, retira-te, Moloch. Nós não te
daremos nossos filhos para que os devores.
Amém… Amém… Amém…

CONJURAÇÃO DAS 7 POTÊNCIAS

( fazer sempre antes de iniciar o trabalho mágico)


Muerissiranca… Muerissiranca… Muerissiranca…
Sete potências, sete potências, sete potências…
Sete mestres, sete mestres, sete mestres.
Em nome do Cristo, pela majestade do Cristo, pela glória do
Cristo…
Ajudai-me, ajudai-me, ajudai-me

O PAI NOSSO

Esta sagrada e belíssima oração, relatada no Evangelho de Mateus


6: 9 a 13, é muito conhecida e dispensa apresentações. No relato,
Jesus a trouxe à multidão que acompanhara sua pregação no Monte
das Oliveiras.

A oração sagrada ensinada por Nosso Senhor Jesus o Cristo, o


Logos é poderosa porque beneficia a alma e o corpo de todos
aqueles que o praticam. O Pai-Nosso é dividido em 7 petições, as
quais conectam nossa pessoa humana a nosso Real Ser Divino.

Sabemos que temos 7 corpos e também 7 chacras principais,


chamadas no Apocalipse de Igrejas. Cada uma das petições, bem
trabalhada e com profunda devoção, unindo Concentração e
Imaginação Positiva, equilibra, cura e “alinha” cada um desses
chacras e corpos.

As 7 petições do Pai-Nosso dividem-se em 3 partes: Invocação,


Súplica e Entrega e, finalmente, agradecimento

O interessante é que podemos fazer analogias entre o Pai-Nosso


cristão e a oração da Abertura, do Alcorão islâmico. Esta oração
islâmica (Surat al-Fátiha, ou Surata da Abertura; veja ao final deste
texto), compõe-se de 7 partes e é uma invocação das graças do
Todo-Poderoso, e também uma total entrega de nossos destinos a
Ele.

Outra analogia é que essas duas orações, na sua língua original,


começam com a letra “B”, a qual corresponde cabalisticamente ao
número 2. Ou seja, para o cabalista, só se pode atrair a atenção de
Deus para que Ele opere milagres dentro de nós quando
compreendemos o Mistério do Arcano 2, a Sacerdotisa, o Cristo
Cósmico. Tanto uma oração quanto a outra nos conectam com o
Íntimo.
Em seguida, entregaremos uma análise esotérica sobre as 7
petições do Pai-Nosso, recordando que sempre devemos orar com a
Consciência e com o coração. Assim, devotadamente, nos
conectaremos mais e mais com nossa Divina Presença, o “Eu Sou
Cristo”, o nosso Cristo Interior, aquela Centelha Divina que é um
fragmento glorioso do Exército da Voz, do Cristo Cósmico e Infinito.

PAI NOSSO QUE ESTAIS NOS CÉUS


Introdução à Oração Sagrada. O Pai aqui é nosso Ser Interno, que é,
que existe, em nossos Mundos Superiores de Consciência. Esses
Céus são nossos estados de supraconsciência. É a primeira parte
da Invocação, onde se Conjura o nome sagrado de Deus.

1. SANTIFICADO SEJA VOSSO NOME


O nome de Deus aqui está sendo usado de forma pura e devota.
Devemos aqui aprofundar nossa entrega a Ele. Nesse momento a
Graça de Deus começa a descer sobre nós, depois de invocado o
Nome do Pai. Essa Graça, essa Energia Cósmica, começa a iluminar
nosso corpo espiritual, Atman, e nosso chacra coronário. A cor é
violeta.

2. VENHA A NÓS O VOSSO REINO


Aqui devemos pedir que toda a sua Presença e Poderes (que são as
diversas Partes do Ser) trabalhem sobre nós, para que sejamos Transformados.
Corresponde ao corpo da Consciência (nosso verdadeiro Lar é nossa Consciência), ou corpo búdico, e
o chacra é o frontal. As cores são o azul e o rosa.

3. SEJA FEITA A VOSSA VONTADE


Imploramos que a Vontade dEle se faça, e que conheçamos essa
Vontade para que a obedeçamos conscientemente. O Conhecimento
(Gnose) nos ajuda a Ter a verdadeira Fé, ou Fé Consciente.
Corresponde ao corpo Causal, Manas ou, ainda, corpo da Vontade,
também ao chakra laríngeo.

4. ASSIM NA TERRA COMO NOS CÉUS


Devemos implorar o Pai para que conciliemos nossa vida material
com a espiritual, “viver no mundo mas não pertencer a ele”, como
diziam os cátaros. Os céus são representados por um triângulo que
desce e a terra por um triângulo que sobe. Essa harmonia forma a
Estrela de Seis Pontas, a qual representa o chacra cardíaco.
Corresponde também ao corpo mental. A mente é o intermediário
que une o físico ao espiritual. Ou a mente está a favor do Ser ou a
favor do Ego.

5. O PÃO NOSSO DE CADA DIA DAI-NOS HOJE


Esse Pão é a energia curativa da Divindade que abastece nossa
bateria principal, que se localiza no chacra solar (onde se acumula
o Prana). Corresponde ao corpo astral.

6. PERDOAI NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO PERDOAMOS AOS QUEM NOS TÊM OFENDIDO
Com essa Graça poderemos ter energia suficiente para nossos
karmas serem perdoados pelos Senhores da Justiça Divina. As
ofensas verdadeiras correspondem, no mundo das energias, a nosso
chacra prostático/uterino, pois a fornicação, sendo uma ofensa ao
Espírito Santo, deve ser paga de qualquer jeito. (“Todos os pecados
serão perdoados, menos aquele cometido contra o Espírito Santo.)
Essas energias sexuais mal canalizadas nos desconectam de nosso
Ser Interno. Corresponde ao Corpo etérico, ou corpo da saúde.

7. MAS LIVRAI-NOS, SENHOR, DE TODA ILUSÃO E DE TODO MAL


Somente nosso Pai Interno pode anular toda energia negativa que
tende a nos levar à inconsciência e ao erro. Esse mal,
energeticamente falando, corresponde ao nosso chacra básico, o
qual é assento não somente da sagrada Kundalini, mas também, em
seu aspecto negativo, ao Átomo do Inimigo Secreto.

AMÉM… AMÉM… AMÉM…

O Amén coresponde ao AOM oriental, e significa Eu Aceito, Faça-se,


Cumpra-se, Realize-se. Ou, Que Assim Seja, Desejo que isso faça
parte de mim…

Para finalizar, eis o que ensinam os mestres Samael Aun Weor e


Krum-Heller sobre esta sagrada oração:

O PAI-NOSSO
A mais poderosa de todas as orações ritualísticas é o Pai-Nosso.
Esta é uma oração mágica de imenso poder. Imaginação, Inspiração
e Intuição são os três caminhos obrigatórios da Iniciação.

O Mestre Huiracocha diz o seguinte: “Primeiro é preciso ver


interiormente as coisas espirituais e depois tem-se que escutar o
Verbo ou palavra divina para ter nosso organismo espiritual
preparado para a Intuição.
Esta trindade encontra-se nas três primeiras súplicas do Pai Nosso,
a saber: “Santificado seja o Teu Nome”, isto é, o Verbo Divino, o
nome magnífico de Deus, a Palavra Criadora.

“Venha a nós o Teu Reino”, isto é, com a pronunciação do Verbo,


dos Mantras, vem a nós o Reino interno dos Santos Mestres. Nisto
consiste a união com Deus, ficando tudo resolvido… Com estas três
petições, diz Krumm-Heller, pedimos integralmente. E, se algum dia
o conseguirmos, já seremos Deuses e, portanto, já não
necessitaremos pedir.

A Igreja Gnóstica conserva toda a doutrina secreta do Adorável


Salvador do mundo. A Igreja Gnóstica é a religião da alegria e da
beleza. A Igreja Gnóstica é o tronco virginal de onde saíram o
Romanismo e todas as demais seitas que adoram o Cristo.

A Igreja Gnóstica é a única igreja que conserva em segredo a


doutrina que o Cristo ensinou de lábios a ouvidos a seus discípulos.

Não somos contra nenhuma religião. Convidamos as pessoas de


todas as santas religiões que adoram o Senhor a estudarem nossa
Doutrina Secreta.

Não devemos esquecer que existem dois rituais: um de luz e outro


de trevas. Nós possuímos os rituais secretos do Adorável Salvador
do Mundo.

Não desdenhamos nem subestimamos nenhuma religião. Todas as


religiões são pérolas preciosas, engastadas no fio de ouro da
Divindade. Afirmamos unicamente que a Gnose é a chama de onde
saem todas as religiões do universo. Isso é tudo.

(Texto retirado do livro Matrimônio Perfeito. Caso você se interesse


em obter gratuitamente esta obra, acesse nossa Biblioteca
Gnóstica.)

Surata da Abertura (Alcorão Sagrado)


1. Em nome de Deus
2. O Clemente, O Misericordioso
3. Louvado seja Deus, o senhor do Universo
4. O Clemente, O Misericordioso
5. Soberano do Dia do Juízo
6. Só a Ti adoramos, e só de Ti imploramos ajuda
7. Guia-nos à senda reta, à senda dos quais agraciastes,

Não a dos abominados, nem a dos extraviados.

AMÉM.

EXORCISMO DOS ELEMENTOS

EXORCISMO DO FOGO
Deus do Fogo AGNI
Gênios INRI (da natureza) e RUDRA (salamandras
atômicas de nosso corpo)
Arcanjo SAMAEL (Regente do planeta Marte)
Elohim GIBOR (lê-se Guibor)
Elementais Salamandras e Vulcanos
Mantras S, INRI, IAO e RÁ
Objetos Espada, Vela
Perfume Mirra
Dia 5ª feira (especialmente à meia-noite de quarta
para quinta)
Direção Sul
Michael, Rei do Sol e do Raio… Samael, Rei dos Vulcões… Anael,
Príncipe da Luz Astral… Assisti-nos em nome do Cristo, pela Luz do
Cristo, pela majestade do Cristo. Amén… Amén… Amén…

A Mãe Divina, ou Mãe do Mundo, é a Rainha suprema dos Elementos


da Natureza

INRI… (pronunciar este mantra por três vezes)

SSS… (pronunciar este mantra por sete vezes, enquanto se trabalha


com a espada ou a vela)

INRI, INRI, INRI, poderoso Gênio, te pedimos permissão para que as


Salamandras e os Vulcanos executem este trabalho de…
(mencionar o tipo de trabalho, se de cura, de limpeza, de proteção,
de orientação ou consagração).

Salamandras e Vulcanos do Misterioso elemento, vos ordenamos


em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo para que protejais este
recinto pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo Oeste, para que
nenhuma força nos atrapalhe nem cause danos.
Também vos ordenamos que abençoem nossas pessoas e nossos
lares para que sejamos fiéis aos desígnios espirituais.

IAO…(cantar este mantra por doze vezes, enquanto se visualiza uma


parede de fogo azul envolvendo o local onde se realiza esta
Conjuração e as pessoas participantes).

EXORCISMO DO AR
Deus do Ar PARVATI (no Oriente; e Pavana entre os
cabalistas)
Gênios Ehecatle (na Natureza) e Ishwara (silfos
atômicos de nosso corpo físico)
Arcanjo MICHAEL
Elohim SABTABIEL
Elementais Silfos, Sílfides, Elfos e Fadas
Mantra H… (como um suave suspiro)
Objetos Pluma e Hexagrama
Perfume Incenso de Olíbano
Dia 4ª-feira (meia-noite de terça para quarta)
Direção Oriente
Divino Pai Celestial, Pai de toda a Criação e do Espaço Infinito e
Eterno, te pedimos de todo coração para que nos invoques ao Deus
do Ar Parvati… Parvati… Parvati… te suplicamos para que nos
tragas os Silfos e Sílfides para executarmos este trabalho
espiritual.

HI-HE-HO-HU-HA… (vocalizam-se estes mantras por algumas vezes,


enquanto que com a pluma na mão direita se faz o sinal da cruz nos
quatro cantos cardeais).

Spiritus dei ferebatur super aquas, et inspiravit in faciem hominis


spiraculum vitae. Sit Michael dux meus et Sabtabiel servus meus; in
luce et per lucem. Fiat verbum halitus meus; et imperabo Spiritibus
aeris hujus, et refrenabo equos solis voluntate cordis mei et
cogitatione mentis meae et nutu oculi dextri. Exorciso igitur te,
creatura aeris, per Pentagrammaton et in nomine Tetragrammaton,
in quibus sunt voluntas firma et fides recta. Amén. Sela Fiat. Que
assim seja…

Obedecei-nos, Silfos e Sílfides… Pelo Cristo, pelo Cristo, pelo


Cristo…

(pronuncie o mantra H… por três vezes, antes de continuar o


exorcismo).
(Invocar em voz alta os seguintes nomes, enquanto se visualiza o Ar
Elemental do ambiente se purificando e carregando-se com
vibrações espirituais sutilíssimas:)

Michael, Sabtabiel, Ishwara, Ehecatl, Barbas de Ouro, Parvati,


Archan, Samax, Madiat, Vel, Modiat, Guth, Sarabotes, Maimon,
Varcan… Senhores Gloriosos, pedimos autorização para executar
este trabalho espiritual…

Silfos e Sílfides do Ar, vos ordenamos em nome do Pai, do Filho e do


Espírito Santo, protegei este local e as pessoas participantes dessa
invocação pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo Oeste… Para que
as forças do mundo não possam causar nenhum dano a este local
nem a nós que aqui estamos. Imantai nossas pessoas e nossos
lares para que sirvamos conscientemente de acumuladores das
bençãos espirituais.

(Pronunciar o mantra AOM por doze vezes, enquanto se visualiza o


ambiente e as pessoas cobertos por uma neblina azul refrescante).

EXORCISMO DA ÁGUA
Deus da Água VARUNA
Gênios NICKSA (da Natureza) e NARAYANA (atômicos
do corpo físico)
Arcanjo GABRIEL
Elohim ORFAMIEL
Elementais Ondinas, Nereidas e Sereias
Mantra M…
Objeto Cálice e Tridente
Perfume Eucalipto
Dia Domingo (meia-noite de sábado para domingo)
Direção Ocidente
Divino Pai Celestial, Tu que és o Senhor dos Exércitos e Criador
deste Mar do Universo, imploramos para que sejas Tu que invoques
ao Deus das Águas, Varuna… Varuna… Varuna… Nós te invocamos,
em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, concede-nos a honra
de trabalhar com teus servos, os elementais das águas da vida,
Ondinas, Nereidas e Sereias.

(Levante o Cálice com a mão direita, e, voltado para o Ocidente,


continue.)

Fiat firmamentum in medio aquarum et separet aquas ab aquis,


quae superius sicut quae inferius, et quae inferiur sicut quae
superius, ad perpetranda miracula rei unius. Sol ejus pater est, luna
mater et ventus hunc gestavit in utero suo, ascendit a terrae ad
coelum et rursus a coeluo in terram descendit. Exorcizote, creatura
aquae, ut sis mihi Speculum Dei vivi in operibus et fons vitae, et
ablutio peccatorum. Amén…

M… (vocalizar este mantra por três vezes).

Varuna, Nicksa, Narayana, poderosos Gênios das Águas, pedimos


vossa bênção e permissão para trabalharmos com êxito com vossos
auxiliares elementais.

Ondinas… Nereidas… Sereias… rainhas e Reis das Águas da Vida,


vos invocamos e vos pedimos, em nome do Pai, do Filho e do
Sacratíssimo Espírito Santo; e também pelo Senhor Jeová, que
pairou sobre as Águas do princípio dos tempos… Protegei e
trabalhai sobre este local, pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo
Oeste, para que todos nós recebamos vossas forças vitais. Inundai
nossas almas e nossos corações, para que sejamos acumuladores
de força espiritual. Amén…

(Vocalizar o mantra AOM e VÁ, alternadamente, por treze vezes,


imaginando que ondas do gigantesco mar espiritual, de cor branca,
inunde as pessoas participantes e seus lares e familiares, antes de
pronunciar em seguida o Exorcismo da Lua.)

Treze mil Raios tem o Sol…

Treze mil Raios tem a Lua…

Treze mil vezes se arrependam nossos Inimigos internos e externos.

Amén, Amén, Amén…

EXORCISMO DA TERRA
Deus da Terra KITICHI
Gênios GOB, ARBARMAN, CHANGAM (da natureza) e
Brahma (atômicos do corpo físico)
Arcanjos MELQUISEDECK (da Terra) e ORIFIEL (de
Saturno)
Elohim CASHIEL
Elementais Gnomos e Pigmeus
Mantras AOM…, IAO…, LA…
Objetos Báculo, Cetro
Perfumes Sândalo e Amadeirados
Dia Sábado (meia-noite de sexta para sábado)
Direção Norte
Divino Pai que moras no mais profundo de meu coração e que és o
Senhor do Castelo de minha Alma, que Teu Verbo de Ouro possa nos
invocar o supremo Deus Kitichi… Kitichi… Kitichi… Te chamamos
pelos poderes do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Concede-nos a
graça de comandar e direcionar a força magnética dos Gnomos e
Pigmeus da terra.

Em nome das 12 pedras da Cidade Santa, pelos talismãs ocultos e


pelo cravo de ímã que atravessa o mundo, nós vos conjuramos,
obreiros subterrâneos, obedecei-nos.
Pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo. Amén…

IAO… IAO… IAO…

Gob, Arbarman, Kitichi, supicamos êxito neste trabalho com as


forças telúricas.

Gnomos e Pigmeus, vos ordenamos, em nome do Pai, do Filho e do


Espírito Santo. Trabalhai com as forças magnéticas da perfumada
terra e harmonizai as pessoas que aqui se encontram e seus lares.
Imantai nossas Almas e nossos corações para que nos
transformemos em acumuladores do poder e da força da divina Mãe
Terra. Amén…

LA… (Vocalize este mantra por 12 vezes visualizando os obreiros


subterrâneos inundando o ambiente com uma relaxante cor
amarela.)

ORAÇÃO AO ARCANJO MIGUEL

Ó Glorioso Príncipe do Céu, protetor das almas, eu clamo e invoco a


ti para que me livres de todas as adversidades e todo o pecado,
fazendo-me progredir no serviço de Deus e conseguindo d'Ele a
graça de preservar até o final, para que possa gozar a Sua presença
eternamente.
Arcanjo Miguel, protege-nos nos combates.

Cobre-nos com teu escudo protetor e livra-nos das emboscadas e


das ciladas do demônio.
Arcanjo Miguel, Príncipe da Milícia Celeste, subjuga o mal para
sempre. Precipita no inferno o satanás e todos os espíritos malignos
que andam pelo mundo a perder almas, porque Tu és vitorioso pelos
séculos dos séculos. Amém.

EXORCISMO DE DEMÔNIOS

EXORCISMUS

Regna terrae, cantate deo, psállite dómino, tribuite virtutem deo


Exorcizamus te, omnis immundus spiritus, omnis satanica potestas,
omnis incursio infernalis adversarii, omnis legio, omnis congregatio
et secta diabolica, in nomine et virtute Domini Nostri Jesu + Christi,
eradicare et effugare a Dei Ecclesia, ab animabus ad imaginem Dei
conditis ac pretioso divini Agni sanguine redemptis + . Non ultra
audeas, serpens callidissime, decipere humanum genus,+ Dei
Ecclesiam persequi, ac Dei electos excutere et cribrare sicut
triticum + . Imperat tibi Deus altissimus + , cui in magna tua
superbia te similem haberi adhuc præsumis; qui omnes homines vult
salvos fieri et ad agnitionem veritaris venire. Imperat tibi Deus Pater
+ ; imperat tibi Deus Filius + ; imperat tibi Deus Spiritus Sanctus + .
Imperat tibi majestas Christi, æternum Dei Verbum, caro factum + ,
qui pro salute generis nostri tua invidia perditi, humiliavit
semetipsum facfus hobediens usque ad mortem; qui Ecclesiam
suam ædificavit supra firmam petram, et portas inferi adversus eam
nunquam esse prævalituras edixit, cum ea ipse permansurus
omnibus die° bus usque ad consummationem sæculi. Imperat tibi
sacramentum Crucis + , omniumque christianæ fidei Mysteriorum
virtus +. Imperat tibi excelsa Dei Genitrix Virgo Maria + , quæ
superbissimum caput tuum a primo instanti immaculatæ suæ
conceptionis in sua humilitate contrivit. Imperat tibi fides
sanctorum Apostolorum Petri et Pauli, et ceterorum Apostolorum + .
Imperat tibi Martyrum sanguis, ac pia Sanctorum et Sanctarum
omnium intercessio +.

Ergo, draco maledicte et omnis legio diabolica, adjuramus te per


Deum + vivum, per Deum + verum, per Deum + sanctum, per Deum
qui sic dilexit mundum, ut Filium suum unigenitum daret, ut omnes
qui credit in eum non pereat, sed habeat vitam æternam: cessa
decipere humanas creaturas, eisque æternæ perditionìs venenum
propinare: desine Ecclesiæ nocere, et ejus libertati laqueos injicere.
Vade, satana, inventor et magister omnis fallaciæ, hostis humanæ
salutis. Da locum Christo, in quo nihil invenisti de operibus tuis; da
locum Ecclesiæ uni, sanctæ, catholicæ, et apostolicæ, quam
Christus ipse acquisivit sanguine suo. Humiliare sub potenti manu
Dei; contremisce et effuge, invocato a nobis sancto et terribili
nomine Jesu, quem inferi tremunt, cui Virtutes cælorum et
Potestates et Dominationes subjectæ sunt; quem Cherubim et
Seraphim indefessis vocibus laudant, dicentes: Sanctus, Sanctus,
Sanctus Dominus Deus Sabaoth.

V. Domine, exaudi orationem meam.

R. Et clamor meus ad te veniat.

[si fuerit saltem diaconus subjungat V. Dominus vobiscum.

R. Et cum spiritu tuo.]

Oremus.

Deus caeli, Deus terræ, Deus Angelorum, Deus Archangelorum, Deus


Patriarcharum, Deus Prophetarum, Deus Apostolorum, Deus
Martyrum, Deus Confessorum, Deus Virginum, Deus qui potestatem
habes donare vitam post mortem, requiem post laborem; quia non
est Deus præter te, nec esse potest nisi tu creator omnium
visibilium et invisibilium, cujus regni non erit finis: humiIiter
majestati gloriæ tuæ supplicamus, ut ab omni infernalium spirituum
potestate, laqueo, deceptione et nequitia nos potenter liberare, et
incolumes custodire digneris. Per Christum Dominum nostrum.
Amen.

Ab insidiis diaboli, libera nos, Domine.

Ut Ecclesiam tuam secura tibi facias libertate servire, te rogamus,


audi nos.

Ut inimicos sanctæ Ecclesiæ humiliare digneris, te rogamus audi


nos.
Et aspergatur locus aqua benedicta.

EXORCISMO DE AMBIENTES

À presença do Senhor, Nós dirigimos.

Reinos da terra, Cante a Deus, cantar-vos ao Senhor, atribuam a


virtude de Deus, Esconjuro-vos, todo o espírito impuro, todo poder
satânico, cada incursão do adversário infernal, cada legião, toda
congregação e seita diabólica, em nome e pelo poder de Nosso
Senhor Jesus Cristo, para erradicar e extinguir da Igreja de Deus, a
imagem de Deus e redimido pelo precioso das almas redimidas pelo
sangue do Cordeiro de Deus +. Já não se atreva, astúcia da
serpente, a enganar o gênero humano, perseguir a Igreja ,
atormentar aos eleitos por Deus e peneirá -los como trigo + . O
Altíssimo Deus ordena que você, Aquele a quem, na tua grande
insolência, ainda afirmam ser, que deseja que todos os homens
sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade . Deus,
o Pai ordena que você, +, + Deus Filho ordena que você; + Deus o
Espírito Santo te ordena. Os comandos, a majestade do Cristo, o
Verbo eterno de Deus, se fez carne + Ele, para nos salvar,
superando a maldade que entrou no mundo através de sua inveja,
humilhou-se obediente até a morte, que construiu a Sua Igreja sobre
a rocha firme, e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela
- afirmou ele - todos os dias até a consumação do mundo.
Sacramento da Cruz comanda você, +, + poder dos mistérios da fé
cristã. Os altos de Virgem Maria, Mãe de Deus ordena que você, +,
sua cabeça orgulhosa em sua humildade esmagou desde o primeiro
instante da sua Imaculada Conceição. A fé dos Santos Apóstolos
Pedro e Paulo, e do resto dos Apóstolos +. Te Ordena o sangue dos
Mártires e a intercessão piedosa de todos os Santos e o Espírito
Santo +.

Portanto, dragão amaldiçoado e toda legião diabólica, nós te


conjuramos pelo + Deus vivo, pelo verdadeiro + Deus, pelo Deus
santo, pelo Deus que amou o mundo, que deu o seu Filho unigênito,
para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a a vida
eterna: Cessa de enganar as criaturas humanas, e de dar-lhes o
veneno da condenação eterna: deixai de prejudicar a Igreja,
dificultando sua liberdade para se salvar. Vá embora, Satanás,
inventor e mestre de todas as mentiras, inimigo da salvação do
homem. Dê lugar a Cristo, em quem ele não encontrou nada das
obras de seu próprio lugar, em seguida, dar lugar à Una, Santa,
Católica e Apostólica, que o próprio Cristo adquiriu com seu próprio
sangue. Humilha-te sob a poderosa mão de Deus, treme e foge
quando invocarmos o Santo e terrível Nome de Jesus, o que faz
tremer o inferno, para o qual as Virtudes, Poderes e Dominações do
Céu estão humildemente submetidos, este Nome que os Querubins
e Serafins, louvamos incessantemente repetindo: Santo, Santo,
Santo é o Senhor, Deus do Universo.

V. Senhor, escutai a nossa prece. R. E chegue até vós o nosso


clamor. [Se houver um Diácono, este deve dar a benção. R. E com o
seu espírito.]

Oremos.

Ó Deus do céu, ó Deus de terra, Deus dos Anjos, Deus dos Arcanjos,
Deus dos Patriarcas, Deus dos Profetas, Deus dos Apóstolos, Deus
dos Mártires, Deus dos confessores, Deus das Virgens, Deus que
tem poder para conceder a vida após a morte e descanso depois do
trabalho, porque não há outro Deus além de Ti, e nenhum outro pode
ser o Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, de cujo
reinado não terá fim: humildemente na presença da majestade de
tua glória, nós oramos, a fim de que vos digneis libertar-nos dos
espíritos malignos, das suas ciladas, sua decepção e libertar-nos
com o teu poder de sua maldade e de sua fúria. Por Cristo, nosso
Senhor. Amém.

Das ciladas do demônio, livrai-nos, Senhor. Que a Tua Igreja possa


servir -Te em paz e liberdade, nós te pedimos, ouvi-nos.
Humildemente vos pedimos, livrai-nos dos inimigos da Santa Igreja ,
nós Vos suplicamos,ouvi-nos Senhor.