Você está na página 1de 3

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA


FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE – Tecnologia de Informação


Disciplina: Construção de Algoritmos
Prof. Maria Elizabeth Puelles Bulnes

Código ASCII - Linguagem C


O morse foi a primeira codificação a permitir uma comunicação a longa distância.
Foi Samuel F. B. Morse que o afinou em 1844. Este código é composto de pontos e
travessões (uma código binário de certa forma…). Permitiu efetuar comunicações muito
mais rápidas do que o permitia o sistema de correio da época nos Estados Unidos: o Pony
Express. Numerosos códigos foram inventados incluindo o código de Emile Baudot, em
contrapartida os ingleses chamavam-no Código Murray .

Em Março de 1876, o Dr. Graham Bell inventa o telefone, uma invenção revolucionária que
permite fazer circular informação vocal através de linhas metálicas. Para informação, a
Câmara dos Representantes decidiu que a invenção do telefone foi da responsabilidade de
Antonio Meucci. Com efeito, este último tinha depositado um pedido de patente em 1871,
mas não a tinha podido financiar depois de 1874. Estas linhas permitiram o
desenvolvimento dos téléscripteurs, máquinas que permitem codificar e descodificar
caracteres graças ao código Baudot (os caracteres então eram codificados em 5 bits, havia
por conseguinte 32 caracteres unicamente…).

O "American National Standards Institute" (ANSI) aceitou a proposta de Robert W. Bemer e


sua equipe para desenvolver o "American Standard Code for Information Interchange"
(Código Padrão Norte-americano para Intercâmbio de Informações), hoje conhecido como
código ASCII. Nos anos 60 ao 67, o código ASCII é adoptado como standard, permitindo a
codificação de caracteres em 8 bits, quer dizer 256 caracteres possíveis. Assim, foi
proposto o uso de um código comum, a fim de possibilitar a comunicação entre os
computadores, objetivando permitir a troca de dados entre máquinas de diferentes tipos e
fabricantes, pois a memória do computador conserva todos os dados sob a forma numérica
não existe um método para armazenar diretamente os caracteres. Cada caractere possui
por conseguinte o seu equivalente em código numérico.

O código permite não só uma melhor compreensão sobre a lógica do funcionamento do


computador mas, também, possibilita a utilização de caracteres, cujos símbolos não
aparecem no teclado.

Em resumo, para utilizar o código ASCII, devemos pressionar a tecla <ALT> e digitar os
dígitos desejados, logo aparecerá na tela o caractere correspondente.

Exemplos:

ALT + 128 = Ç ALT + 160 = á ALT + 224 =Ó

ALT + 165 = Ñ ALT + 130 = é ALT + 25 = ↓

Tabela código ASCII


Podemos utilizar o seguinte código em C, para gerar o código ASCII:
#include <stdio.h>

#include <stdlib.h>

main()
{
int i;

printf("\n\t Relacao - Codigo ASCII \n");

for(i=0; i < 256; i++) //Estrutura de Repetição


{
printf("%d\t-\t%c\n", i, i);
}

// Exemplos:

printf("Exemplos - Palavras com acento utilizando c%cdigo ASCII \n\n\n", 162);

printf(" C%cdigo \n", 162); //162 é equivalente a ó. Substitui %c pelo ó.

printf(" N%cmero \n",163 ); //163 é equivalente a ú. Substitui %c pelo ú.

printf(" Cora%c%co \n",135,198 ); //

printf("\n\n\n");

system("PAUSE");

return 0;
}

Outras codificações
Há vários conjuntos de caracteres hoje em dia. Por exemplo há um conjunto de caracteres
denominado ISO, similar ao ASCII, que contém caracteres adicionais para as linguagens
europeias.
Também há conjunto de caracteres que se constitui em um padrão mais universal chamado
ISO Latin 1, que é usado em muitos sistemas operacionais e em programas para
navegação na Internet.

Duas das mais importantes codificações atualmente utilizadas são:


 ISO: "International Standardization Organization". É o padrão ocidental, utilizado
também no Brasil. Cada caractere só possui 1 byte ( 8 bits ), gerando um máximo de
256 caracteres.

 UTF-8: "Unicode Transformation Format-8". É o padrão mundial, que pode ser


usado em quase todos os idiomas. Cada caractere possui 2 bytes ( 16 bits ), o que
permite um valor máximo bem maior que o anterior: 65.536 caracteres.