Você está na página 1de 5

Marco Civil da Internet e LGPD: O impacto das leis na Engenharia de Software

Conceição do Mato Dentro

Outubro/2020

1. INTRODUÇÃO
A internet chegou ao Brasil no final da década de 80, inicialmente sua finalidade
era interligar universidades. Em meados da década de 90 ela passou a ser
explorada comercialmente, porém no início era um recurso caro e pouco conhecido
fora do meio acadêmico. Com o passar do tempo, ela foi se popularizando e
crescendo de forma exponencial.
Cerca de 25 anos após sua abertura para o público em geral, somos 134
milhões de brasileiros conectados diariamente, segundo pesquisa do Comitê Gestor
da Internet no Brasil. Isso representa 74% da população.
(https://cetic.br/media/analises/tic_domicilios_2019_coletiva_imprensa.pdf)
A forma como usamos a internet também mudou. Além dos computadores,
acessamos a web através de celulares, tablets, TV's e com a disseminação da
internet das coisas (IoT), há cada vez mais dispositivos conectados, gerando tráfego
de informações que são coletadas e analisadas em todas as suas nuances. Daí
surgem as ideias que vivemos a "era da informação" e que "a informação é o novo
petróleo". Cada ação nossa no mundo virtual é registrada e explorada como nunca,
para os mais diversos fins.
A Constituição Federal de 1988 garante a inviolabilidade da "correspondência e
das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas", mas
essa proteção não abrange os dados na internet. Até porque na época de sua
promulgação a internet ainda era embrionária no Brasil e nem mesmo seus maiores
entusiastas poderiam imaginar a proporção que ela atingiria em tão pouco tempo.
É possível que essa falta de regulamentação estatal tenha colaborado para a
expansão da internet, mas nos últimos anos, diante de vários episódios de usos
indevidos de informações coletadas por meio digital que repercutiram no mundo
todo, foram criadas as leis 12.965/2014 (Marco Civil da Internet) e 13.709/2018, a
Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), baseada na General Data

1
Protection Regulation (GDPR), da União Européia. Estas leis buscam preencher a
lacuna deixada pela Constituição, no que tange ao uso e à proteção de dados
pessoais na internet.
Diante disso, o objetivo deste trabalho é avaliar o impacto da entrada em vigor
da LGPD no trabalho do Engenheiro de Software através de estudos de caso e
pesquisa qualitativa.

1.1 JUSTIFICATIVA
Esta pesquisa se faz necessária tendo em vista a escassez de estudos sobre o tema
aqui proposto e a importância da nova legislação para a atividade de engenharia de
software. Compreender a limitação imposta pela regulamentação trará segurança
jurídica aos engenheiros de software e demais envolvidos no tratamento de dados.

2. REFERENCIAL TEÓRICO

Esta seção deve apresentar o REFERENCIAL TEÓRICO, isto é o quadro de teorias


e seus conceitos utilizados na pesquisa e necessários para compreensão problema
a ser resolvido. Deve, no decorrer do texto, citar direta e indiretamente (verificar
Norma ABNT) os trabalhos relacionados, ou seja, os estudos similares já
desenvolvidos.

Esta seção deve apresentar


● Referencial teórico - conceitos teóricos necessários para compreensão
problema resolvido; e
● Trabalhos relacionados - estudos similares já desenvolvidos.

Deve ser construída através de pesquisa bibliográfica exploratória em base de


dados confiáveis, tais como:
● Google Acadêmico (Scholar)1

1 Site oficial em <https://scholar.google.com.br/>.

Projeto entregue ao Curso EaD de Bacharelado em Engenharia de Software como pré-requisito obrigatório à
obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Software.
2 de 5
● Periódicos CAPES2
● Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações 3, com especial atenção
às instituições com maior produção científica, tais como
○ Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP;
○ Repositório Institucional da Unicamp;
○ Repositório Institucional da UFSC;
○ Repositório Institucional da UNESP;
○ Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRGS.

3. METODOLOGIA

Esta seção apresenta a metodologia que será utilizada para realizar pesquisa
científica ou construção de produto de software.
Caso seja Pesquisa científica, sugere-se que sejam verificadas as técnicas
propostas pela Engenharia de Software Experimental. A metodologia proposta deve
descrever os passos que serão utilizados, no desenvolvimento da pesquisa para
resolver os objetivos específicos propostos em (1.1), detalhando os procedimentos e
recursos como, por exemplo:
 Instrumentos de coleta de dados (seja livros – fonte primária ou secundária –
ou aplicação de questionário, entrevista, etc.).
 Ferramentas,
 Indicação da população e amostragem,
Além disto, indicar como os dados serão tabulados e analisados.
Exemplo de narrativa para metodologia científica, conforme esquema apresentado
na Figura 1: “É de natureza aplicada onde o produto final será ... Para satisfazer os
objetivos será realizada pesquisa exploratória … Quanto aos procedimentos,
deverão ser realizadas pesquisas bibliográfica [... outras técnicas de pesquisa
necessárias para satisfazer os objetivos específicos …]”.

2 Site oficial em <http://www-periodicos-capes-gov-br.ez188.periodicos.capes.gov.br/>.


3 Site oficial em <http://bdtd.ibict.br/vufind>.

Projeto entregue ao Curso EaD de Bacharelado em Engenharia de Software como pré-requisito obrigatório à
obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Software.
3 de 5
Para seja Construção de Produto de Software, sugere-se que seja apresentada
narrativa sobre o modelo de processo de desenvolvimento de software escolhido.
Um Quadro deve ser apresentado conforme o Quadro 1:

Quadro 1 - Atividades para Construção de Projeto de Software


Atividade Artefatos resultantes

Engenharia de Requisitos estudo de viabilidade, escolha de


Stakeholders, levantamento de
requisitos funcionais e não-funcionais,
planejamento de teste de aceitação

Elaboração do Projeto de Software diagrama de caso de uso, diagrama de


classes e modelo para banco de dados

Tecnologias a serem utilizadas e os


requisitos de implantação
Fonte: o autor.

3.1 CRONOGRAMA

O cronograma deve conter a sequência de atividades necessárias para desenvolver


o TCC. Devem ser definidas atividades que resolvam os OBJETIVOS
ESPECÍFICOS apresentados em 1. Segue abaixo uma sugestão para o
cronograma:

J F M A M J J A S O N D
ATIVIDADES a e a b a u u g e u o e
n v r r i n l o t t v z

Atividade 1 X X X

Atividade 2 X X X

Atividade 3 X X X

Atividade 4 X X X X X X

Projeto entregue ao Curso EaD de Bacharelado em Engenharia de Software como pré-requisito obrigatório à
obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Software.
4 de 5
Atividade 5 X X X X X

REFERÊNCIAS

Nesta seção devem ser apresentadas apenas as referência referenciadas nas


seções anteriores. Devem estar em ordem alfabética e seguir a norma ABNT.
Atenção que a formatação do texto é com fonte Arial 10, e dos parágrafos deve ser
com espaçamento simples e espaçamento 1 entre linhas. Segue abaixo alguns
exemplos :

ABREU, Marina Maciel. Serviço Social e a organização da cultura: perfis


pedagógicos da prática profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Decreto nº 7.602 de 7 de novembro de 2011.


Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho (PNSST). Brasília, DF: MS,
2011.

CANAL, P.; CRUZ, R. M. Aspectos psicológicos e reabilitação profissional: revisão


de literatura. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 30, n. 4, p. 593-601, out./dez.
2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo. php?pid=S0103-166X2013000400
012&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 14 jun. 2016.

CANAL, P.; CRUZ, R. M. Aspectos psicológicos e reabilitação profissional: revisão


de literatura. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 30, n. 4, p. 593-601, out./dez.
2013.

LIPORONI, A. A. R. de C.; FONSECA, P. A pesquisa na intervenção profissional do


assistente social. In: CARVALHO JÚNIOR, A. de; PIANA, M. C.; LIMA, M. J. de O.
Trabalho, Educação e Formação Profissional: um debate do Serviço Social.
Bauru: Canal 6, 2014. p. 199-211.

NEVES, R. F. Significados e (re)significados: o itinerário terapêutico dos


trabalhadores com LER/DORT. 2006. 110 f. Dissertação (Mestrado em Saúde
Coletiva) – Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Salvador,
2006.

Projeto entregue ao Curso EaD de Bacharelado em Engenharia de Software como pré-requisito obrigatório à
obtenção do título de Bacharel em Engenharia de Software.
5 de 5

Você também pode gostar